Analisando os dados coletados [modo de compatibilidade]

8.204 visualizações

Publicada em

Boa coletâne da Profa. Ana

Publicada em: Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.204
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
140
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Analisando os dados coletados [modo de compatibilidade]

  1. 1. Ana Cristina Viana CamposFonte: Cel Eng Francisco Carlos Melo Pantoja. Coleta e Análise de Dados. Aula: Metodologia da Pesquisa Científica I. Escola de Comando e Estado Maior da Areonáutica
  2. 2. Planejamento da Execução da Pesquisa Pesquisa
  3. 3. Execução da Pesquisa Coleta Análise de dados de dadosDeve-se levar em consideração que esta é uma divisão didática. Portanto, estesprocessos podem apresentar sobreposições.
  4. 4. O que eu achei? O que é importante? O que a literatura diz?Quem achou diferente/igual a mim?
  5. 5. É a tentativa de evidenciar as relaçõesexistentes entre o fenômeno estudado e outrosfatores.Representa a aplicação lógica dedutiva eindutiva do processo de investigação.Na análise, o pesquisador procura estabeleceras relações necessárias entre os dados obtidos eas hipóteses formuladas
  6. 6. É desejável que os processos se alternem Coleta Análisede dados de dados Restrições práticas inviabilizam esta estratégia
  7. 7. Coleta de Dados“É a fase do método de pesquisa cujo o objetivo é obterinformações da realidade.” (Rudio, 1978)“Etapa da pesquisa em que se inicia a aplicação dosinstrumentos elaborados e das técnicas selecionadas, afim de se efetuar a coleta dos dados previstos.”(Lakatos, 2003)
  8. 8. Coleta de Dados• é tarefa cansativa;• em geral, toma mais tempo do que se espera;• exige do pesquisador: - paciência; - perseverança; - esforço pessoal; - cuidadoso registro dos dados; - bom preparo anterior (Plano de Coleta de Dados).
  9. 9. Técnicas de Coleta de Dados• coleta documental; • cada técnica tem suas peculiaridades;• observação; • a escolha depende dos objetivos da pesquisa;• entrevista; • deve-se realizar um pré-teste do instrumento;• questionário; - minimizar resultados com erros;• formulário; - minimizar ambigüidades;• teste;• (várias outras). - minimizar o emprego de linguagem inacessível; - antecipar a reação do respondente. • deve-se preparar o aplicador.
  10. 10. Processo de Dados nãoDefinições: Coleta de Dados elaborados• objetivos da pesquisa• tipo da pesquisa• técnica de coleta de dados
  11. 11. Processo de Dados não Análise de Dados Informaçã elaborados o Operações Lógicas FerramentasObservações:- não sumarizadas;- não classificadas;- não codificadas;
  12. 12. Análise de Dados“É a tentativa de evidenciar as relações existentes entre ofenômeno estudado e outros fatores.” (Trujillo, 1974)“ Representa a aplicação lógica dedutiva e indutiva do processode investigação.” (Best, 1972)“Na análise, o pesquisador procura estabelecer as relaçõesnecessárias entre os dados obtidos e as hipóteses formuladas”(Lakatos, 2003)
  13. 13. Análise de dadosSeleção Codificação Tabulação Redução Interpretação dos Dados
  14. 14. SeleçãoÉ o exame minucioso dos dados. É umaverificação crítica, a fim de detectar falhasou erros, evitando informações confusas,distorcidas, incompletas, que podemprejudicar o resultado da pesquisa.• grande quantidade de dados• instruções mal compreendidas
  15. 15. CodificaçãoÉ a técnica operacional utilizada para categorizaros dados que se relacionam. Mediante acodificação, os dados são transformados emsímbolos, podendo ser tabelados e contados.1 - classificação dos dados em categorias;2 - atribuição de um código, número ou letra.
  16. 16. TabulaçãoÉ a disposição dos dados em tabelas,possibilitando maior facilidade na verificação dasinter-relações entre eles.É uma parte do processo técnico de análiseestatística, que permite sintetizar os dados deobservação, conseguidos pelas diferentescategorias e representá-los graficamente.
  17. 17. Redução dos DadosÉ a aplicação de operações lógicas, emgeral com o emprego de ferramentas,visando evidenciar as informaçõescontidas nos dados.
  18. 18. InterpretaçãoÉ a atividade intelectual que procura dar umsignificado mais amplo às respostas, vinculando-as o outros conhecimentos.Em geral, a interpretação significa a exposição doverdadeiro significado do material apresentado,em relação aos objetivos propostos e ao tema.
  19. 19. Aspectos que podem comprometer a Análise dos Dados• confusão entre afirmações e fatos: as afirmações devem sercomprovadas, tanto quanto possível, antes de serem aceitascomo fatos.• tabulação descuidada: traços mal colocados, somasequivocadas;• procedimentos estatísticos inadequados: leva a conclusões semvalidade, em conseqüência de conhecimentos errôneos oulimitações nesse campo;• erros de cálculo: os enganos podem ocorrer em virtude de setrabalhar com um número considerável de dados e de serealizarem muitas operações;
  20. 20. Aspectos que podem comprometer a Análise dos Dados• defeitos de lógica: falsos pressupostos podem levar a analogiasinadequadas, a confusões entre relação e causa e/ou a inversãode causa e efeito.• parcialidade inconsciente do investigador: deixar-se envolverpelo problema, inclinando-se mais à omissão de resultadosdesfavoráveis à hipótese e enfatizando mais os dados favoráveis;• falta de imaginação: impede a descoberta de dadossignificativos. A imaginação, a intuição e a criatividade, quandobem treinadas, podem auxiliar o pesquisador. (Best, 1972)

×