SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Baixar para ler offline
(Rm 1:16) “...Porquanto não me envergonho do Evangelho,
porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele
que nele crê; primeiro do judeu, assim como do grego;..”
OBJETIVOS GERAIS
TEM OS SEGUINTES OBJETIVOS:
1. Entendermos a importância do Evangelismo
2. Como evangelizar
3. Onde e quando evangelizar
4. O que não fazer no Evangelismo
5. Características do Evangelizador
6. Como abordar o evangelizado
• Uma das tarefas da Igreja é fazer Deus conhecido
• IGREJA: Um grupo de pessoas que se reúne para
adorar, chamados para fora. A Igreja está em suas mãos
com o destino eterno das vidas que as cercam. Somos
representantes de Deus na Terra (Éf 3.10).
• EVANGELIZAR: É tornar Cristo de tal maneira
conhecido as pessoas, que cada um sinta a obrigação
em fazer uma decisão pessoal, aceitando-o ou
rejeitando-o.
QUEM DEVE EVANGELIZAR?
Todos que já receberam a salvação em Cristo Jesus
(Jo 20.21 e At 1.8)
• Em que tempo (momento) devo evangelizar?
Sempre é tempo de evangelizar.
O Espírito Santo age
a qualquer tempo
(2 Tm 4.2) “...Que pregues a palavra, instes a tempo
e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com
toda a longanimidade e doutrina...”
POR QUE DEVEMOS EVANGELIZAR?
 Porque Deus deseja salvar o homem que está
perdido (1 Tm 2.4, 2 Pe 3.9).
 Para não termos as mãos manchadas com
sangue alheio (Ez 33. 1-18).
 Porque queremos alegrar o coração de Deus.
(sentido abstrato) - (Lc 15. 7-10).
 Porque é um mandamento (Mt 28.19-20, Mc
16.15, Pv 24.11).
 Porque amamos Jesus (Jo 14. 21-23).
 Porque fomos capacitados como testemunhas
(At 1.8, Lc 24.45-48).
 Porque fomos feitos cooperadores de Deus para
a libertação dos perdidos e escravos do pecado
(2 Co 5.18-19, Ef 3.10).
CARACTERÍSTICAS DE UMA TESTEMUNHA DO
EVANGELHO
 Tem sede de conhecer a Deus – Os 6.3 a.
 Reflete o caráter de Deus
 Não se envergonha do Evangelho – Rm 1.16
 Vive o que prega – Fp 1.27
TIPOS DE EVANGELISMO
• Distribuição de literatura.
• Rádio e TV
• Internet
• Cartas, estudos por correspondências.
• GFC, de casa em casa, de impacto.
• Ruas, ônibus, praças
• Asilos, hospitais, praias, presídios
• Viagens missionárias etc.
NA PRÁTICA, COMO ABORDAR UMA PESSOA?
(At 16: 13-14)
 AJA COM NATURALIDADE: Peça sabedoria a Deus,
tenha amor, não discuta (principalmente religião),
seja gentil (por favor, com licença, obrigado), utilize
palavras de fácil compreensão.
 DISCERNIMENTO: Como e quando falar, veja qual é
a revelação do Espírito Santo para saber como agir.
 CATIVE A ATENÇÃO E PROCURE APROXIMAÇÃO:
Fazer relacionamentos (conexão) requer sacrifícios
 OUÇA AS PESSOAS: Demonstre interesse por suas
vidas, mantenha um diálogo, demonstre amor.
 COMPARTILHE O PLANO DA SALVAÇÃO: Fale de
Jesus e não do diabo. Seu objetivo é falar dos feitos
de Jesus. Procure uma boa estratégia, seja simples
e humilde.
 INTERCESSÃO: Através de nossas orações vidas
podem ser resgatadas.
 EVANGELISMO DE CASA EM CASA:
 Preferencialmente em dupla (homem evangeliza
homem, mulher evangeliza mulher).
 APELO: No momento exato, quando o terreno está
fértil.
Dicas importantes:
• 1. Ore e peça que Deus lhe dê as palavras certas.
Perseverai em oração, velando nela com ação de
graças; Orando também juntamente por nós, para que
Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do
mistério de Cristo, pelo qual estou também preso; Para
que o manifeste, como me convém falar.
Colossenses 4: 2-4
• 2. Mostre amor, quando falar. Quando eu era menino,
falava como menino, sentia como menino, discorria
como menino, mas, logo que cheguei a ser homem,
acabei com as coisas de menino. 1Corintios 13:11
• 3. Memorize alguns versículos principais. Procura
apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não
tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra
da verdade. 2 Timóteo 2:15
• 4. Seja sensível e autêntico. Assim nós, sendo-vos tão
afeiçoados, de boa vontade quiséramos comunicar-vos,
não somente o evangelho de Deus, mas ainda as
nossas próprias almas; porquanto nos éreis muito
queridos. 1 Tessalonicenses 2:8
• 5. Faça uma apresentação simples. Mas temo que,
assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia,
assim também sejam de alguma sorte corrompidos os
vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há
em Cristo. 2 Coríntios 11:3
• 6. Lembre-se de que Deus vai estar usando suas
palavras. Porque o nosso evangelho não foi a vós
somente em palavras, mas também em poder, e no
Espírito Santo, e em muita certeza; como bem sabeis
quais fomos entre vós, por amor de
vós. 1Tessalonicenses 1: 5
• 7. Aproveite todas as oportunidades para falar de Jesus.
Andai com sabedoria para com os que estão de fora,
remindo o tempo. Colossenses 4:5
• 8. Fale com convicção e de forma agradável. O sábio
de coração será chamado prudente, e a doçura dos
lábios aumentará o ensino. Provérbios 16:21
PROBLEMAS OU BARREIRAS QUE ENFRENTAMOS
NA OBRA DE EVANGELIZAÇÃO:
Medo de ser rejeitado, medo do fracasso, medo de ser
mal compreendido, de estragar amizades, de não saber
responder perguntas, medo de apanhar. Podemos
vencer o medo! (Is 55.11, Lc 10.16, 2 Tm 1.7).
Problemas de isolamento – não entendemos as pessoas
e seus mundos (Jo 17.15).
 Problema de legalismo (quem considerar apenas as
exigências do direito positivo, sem levar em conta o
direito natural – “...tenho o direito e faço o que eu
quero...”).
 Sob os efeitos dos sintomas (cigarro, bebidas,
imoralidades), ao invés do problema básico do pecado.
 Problema da perda de urgência e prioridade de nossa
vida – não temos tempo para evangelizar.
 Problema de vida dupla – não vivemos o que pregamos
(Fp 1.27).
 Problema de vergonha (Rm 1.16).
 Problema de falta de apoio e encorajamento.
 Problema de troca de diálogo – não sabe desenvolver
amizades.
 Não entendemos bem o “dom” de evangelista (Mt 28.18-
20 x Éf 4.7-16).
 Insegurança ou falta de conhecimento (Lc 12.12).
 Falta de disposição de obedecer ao IDE de JESUS (1
Co 9.16).
PRINCÍPIOS PARA UM EVANGELISMO EFICAZ
• Fale com Deus sobre as pessoas.
• Entenda as pessoas (idade, família, cultura, classe
social etc.).
• Creia que Deus é quem faz a obra.
• Viva a Palavra.
• Pratique a palavra. A maneira como você diz algo e o
pratica, é muitas vezes mais importante do que aquilo
que você prega.
• Use ilustrações e fatos do cotidiano
• Valorize as pessoas. Tenha amor sacrificial, influencie,
provoque mudanças, aceite as pessoas.
• Seja leal, responsável pelos compromissos assumidos,
paciente.
• Não fofoqueiro, egoísta, explosivo... (Todos Observam.
Hb 12:1)
APRENDENDO COM JESUS
1 – Jesus demonstrava compaixão pela Pessoa
abordada.
• Ele parava e dava atenção a um homem
rejeitado, como o endemoninhado Gadareno.
• (Marcos 05); a um jovem rico, tendo amado
(Marcos 10.21); isso porque Jesus era capaz de
olhar para dentro da pessoa e ver, antes de tudo,
o seu pecado
• Marcos 2.5 Ver o pecado da pessoa e sua condição
de perdição espiritual deve ser a primeira atitude
de um evangelista. Obs. Ver é uma coisa , falar
dele é outra, nos estamos preocupado com o
pecador e não com o seu pecado. Ao se fazer
uma abordagem temos que demonstrar e se
interessar pelo nosso
2 – Jesus não tinha preconceitos.
• Por ser puro e divino, era de se esperar que Jesus
rejeitasse certas pessoas por motivos religiosos e
conceituais, mas Ele não agia assim. Ex. João 8:10-11
• Notamos que, muitos crentes evitam falar com certas
pessoas pecadoras: tais como prostitutas, viciados,
homossexuais, os marginalizados, mendigos e outros.
• Quando fazemos uma abordagem temos que estar
preparados para qualquer tipo de pessoa e pecados que
este venha ter.
3 – Jesus ia aonde a pessoa estava.
• Jesus não tinha um templo para convidar as pessoas a
virem a Ele a fim de que ouvissem a sua mensagem
assim ele costumava ir às pessoas, ao seu próprio
contexto de vida.
• Ele foi a beira de um poço.
• Ele veio do céu para nos buscar Lucas 19.10.
• Para fazer uma abordagem é preciso ir ao pecador, em
vez de esperamos que ele venha a nós.
4 – Jesus sabia como iniciar uma conversa
• Ex. com Nicodemos, partiu de sua própria pergunta e
conduziu-o a um dos mais profundos assuntos da vida
eterna.
• Com Zaqueu, fez questão de ir a sua casa, descansar e
conversar sobre sua vida e seu problema, e dar solução.
Lucas 19. 01-10.
• Quando fazemos uma abordagem temos que tomar
alguns cuidados, ao iniciar uma conversa.
• Hoje, muitos crentes já começam a evangelizar
condenando os vícios da pessoa, ou a moda, ou o
adultério.
• Não é assim que se faz uma abordagem evangelística.
• Todos os erros da pessoa será notada por Deus.
• Só nos compete sermos o canal para que o Espírito
Santo convença a pessoa de sua situação e entenda
que Jesus pode mudar sua vida.
5 – Jesus era incisivo na sua conversa.
• Jesus não usava meias palavras; ele só falava a
verdade e com muita simplicidade.
• Obs. Não adianta você conhecer muito e quer mostrar
sabedoria, se a pessoa que esta ouvindo não sabe
nada.
“ CUIDADO “
6 – Jesus sentia a urgência do Evangelho.
• Jesus tinha tempo contado para alcançar a todos,
trabalhou intensamente, o trabalho de evangelismo não
é um trabalho de um dia, temos que esta preparados
para abordar uma pessoa a qualquer instante.
• Cada minuto morrem muitas pessoas no mundo. Uma
delas pode estar perto de nós, e partir para a eternidade
sem salvação.
OBJETIVOS GERAIS
APRENDEMOS HOJE
1. A importância do Evangelismo
2. Como evangelizar
3. Onde e quando evangelizar
4. O que não fazer no Evangelismo
5. Características do Evangelizador
6. Como abordar o evangelizado

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOLIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOAndrew Guimarães
 
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivoApostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivoIzabela Oliveira
 
Curso de Capacitação para Evangelista
Curso de Capacitação para EvangelistaCurso de Capacitação para Evangelista
Curso de Capacitação para EvangelistaSergio Silva
 
Evangelismo efetivo retrato
Evangelismo efetivo   retratoEvangelismo efetivo   retrato
Evangelismo efetivo retratoVinicio Pacifico
 
Evangelizar, o que significa?
Evangelizar, o que significa?Evangelizar, o que significa?
Evangelizar, o que significa?cenpah
 
Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)guest9c2db2e
 
Evangelismo e missões capitulo 1
Evangelismo e missões  capitulo 1Evangelismo e missões  capitulo 1
Evangelismo e missões capitulo 1Daniel Vicente
 
Dez passos para o cristão evangelizar
Dez passos para o cristão evangelizarDez passos para o cristão evangelizar
Dez passos para o cristão evangelizarManoel Moreira
 
é Hora De Evangelizar
é Hora De Evangelizaré Hora De Evangelizar
é Hora De Evangelizarwagner souza
 
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOLIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOLourinaldo Serafim
 
Curso de evangelismo pessoal pr. edmundo
Curso de evangelismo pessoal  pr. edmundoCurso de evangelismo pessoal  pr. edmundo
Curso de evangelismo pessoal pr. edmundoEdmundo Mendes Silva
 
Apostila de evangelismo marcos 16
Apostila de evangelismo marcos 16Apostila de evangelismo marcos 16
Apostila de evangelismo marcos 16aldeirdb
 
15907327 -aprenda-como-evangelizar
15907327 -aprenda-como-evangelizar15907327 -aprenda-como-evangelizar
15907327 -aprenda-como-evangelizarAntonio Ferreira
 

Mais procurados (20)

LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOLIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
 
Evangelismo pessoal
Evangelismo pessoalEvangelismo pessoal
Evangelismo pessoal
 
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivoApostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
 
Curso de Capacitação para Evangelista
Curso de Capacitação para EvangelistaCurso de Capacitação para Evangelista
Curso de Capacitação para Evangelista
 
Evangelismo efetivo retrato
Evangelismo efetivo   retratoEvangelismo efetivo   retrato
Evangelismo efetivo retrato
 
Evangelizar, o que significa?
Evangelizar, o que significa?Evangelizar, o que significa?
Evangelizar, o que significa?
 
Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)
 
Evangelismo e missões capitulo 1
Evangelismo e missões  capitulo 1Evangelismo e missões  capitulo 1
Evangelismo e missões capitulo 1
 
Lição 1 - O que é Evangelização
Lição 1 - O que é EvangelizaçãoLição 1 - O que é Evangelização
Lição 1 - O que é Evangelização
 
Evangelismo discipulado
Evangelismo discipuladoEvangelismo discipulado
Evangelismo discipulado
 
Dez passos para o cristão evangelizar
Dez passos para o cristão evangelizarDez passos para o cristão evangelizar
Dez passos para o cristão evangelizar
 
é Hora De Evangelizar
é Hora De Evangelizaré Hora De Evangelizar
é Hora De Evangelizar
 
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOLIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
 
Curso de evangelismo pessoal pr. edmundo
Curso de evangelismo pessoal  pr. edmundoCurso de evangelismo pessoal  pr. edmundo
Curso de evangelismo pessoal pr. edmundo
 
Ev efetivo 006
Ev efetivo 006Ev efetivo 006
Ev efetivo 006
 
O Evangelismo e a igreja.ppt
O Evangelismo e a igreja.pptO Evangelismo e a igreja.ppt
O Evangelismo e a igreja.ppt
 
Apostila de evangelismo marcos 16
Apostila de evangelismo marcos 16Apostila de evangelismo marcos 16
Apostila de evangelismo marcos 16
 
15907327 -aprenda-como-evangelizar
15907327 -aprenda-como-evangelizar15907327 -aprenda-como-evangelizar
15907327 -aprenda-como-evangelizar
 
Porquê evangelizar?
Porquê evangelizar?Porquê evangelizar?
Porquê evangelizar?
 
Evangelismo pessoal
Evangelismo pessoalEvangelismo pessoal
Evangelismo pessoal
 

Semelhante a Evangelismo parte 4 execução

Lição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
Lição 2 - O comunicador e a mensagem de SalvaçãoLição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
Lição 2 - O comunicador e a mensagem de SalvaçãoÉder Tomé
 
Palavras de células Maio
Palavras de células MaioPalavras de células Maio
Palavras de células Maioisraelargatao
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOigrejafecrista
 
Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostoloPastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostologafasnet
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 02
3º trimestre 2015 adolescentes lição 023º trimestre 2015 adolescentes lição 02
3º trimestre 2015 adolescentes lição 02Joel Silva
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 02
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 023° trimestre 2015 Adolescentes Lição 02
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 02Joel de Oliveira
 
Evangelismo Pessoal apresentação.pptx
Evangelismo Pessoal apresentação.pptxEvangelismo Pessoal apresentação.pptx
Evangelismo Pessoal apresentação.pptxPrBrunoHenriques
 
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja localSlide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja localVilma Longuini
 
Evangelização nas casas
Evangelização nas casasEvangelização nas casas
Evangelização nas casassantuarioscj
 
Lição 05 - A evangelização de grupos específicos
Lição 05 - A evangelização de grupos específicosLição 05 - A evangelização de grupos específicos
Lição 05 - A evangelização de grupos específicosÉder Tomé
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progressoDalila Melo
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progressoDalila Melo
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13Joel Silva
 
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum ano c
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum  ano cRoteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum  ano c
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum ano cJosé Luiz Silva Pinto
 
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇALBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇANatalino das Neves Neves
 

Semelhante a Evangelismo parte 4 execução (20)

Lição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
Lição 2 - O comunicador e a mensagem de SalvaçãoLição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
Lição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
 
Palavras de células Maio
Palavras de células MaioPalavras de células Maio
Palavras de células Maio
 
Ev efetivo 004
Ev efetivo 004Ev efetivo 004
Ev efetivo 004
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
 
Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostoloPastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 02
3º trimestre 2015 adolescentes lição 023º trimestre 2015 adolescentes lição 02
3º trimestre 2015 adolescentes lição 02
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 02
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 023° trimestre 2015 Adolescentes Lição 02
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 02
 
Evangelismo Pessoal apresentação.pptx
Evangelismo Pessoal apresentação.pptxEvangelismo Pessoal apresentação.pptx
Evangelismo Pessoal apresentação.pptx
 
Crisesnavidacrista pg
Crisesnavidacrista pgCrisesnavidacrista pg
Crisesnavidacrista pg
 
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja localSlide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
 
Evangelização nas casas
Evangelização nas casasEvangelização nas casas
Evangelização nas casas
 
Lição 05 - A evangelização de grupos específicos
Lição 05 - A evangelização de grupos específicosLição 05 - A evangelização de grupos específicos
Lição 05 - A evangelização de grupos específicos
 
Evangelize do seu jeito 1990
Evangelize do seu jeito  1990Evangelize do seu jeito  1990
Evangelize do seu jeito 1990
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum ano c
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum  ano cRoteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum  ano c
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum ano c
 
O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)
 
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇALBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
 

Mais de Joel Silva

Seguir a cristo é carregar a cruz
Seguir a cristo é carregar a cruzSeguir a cristo é carregar a cruz
Seguir a cristo é carregar a cruzJoel Silva
 
Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Joel Silva
 
Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Joel Silva
 
Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)Joel Silva
 
Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Joel Silva
 
Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)Joel Silva
 
A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeJoel Silva
 

Mais de Joel Silva (20)

Seguir a cristo é carregar a cruz
Seguir a cristo é carregar a cruzSeguir a cristo é carregar a cruz
Seguir a cristo é carregar a cruz
 
Colossences 4
Colossences 4Colossences 4
Colossences 4
 
Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)
 
Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)
 
Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)
 
Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)
 
Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)
 
Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)
 
Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)
 
Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidade
 
Romanos 16
Romanos   16Romanos   16
Romanos 16
 
Romanos 15
Romanos   15Romanos   15
Romanos 15
 
Romanos 14
Romanos   14Romanos   14
Romanos 14
 
Romanos 13
Romanos   13Romanos   13
Romanos 13
 
Romanos 13
Romanos   13Romanos   13
Romanos 13
 
Romanos 12
Romanos   12Romanos   12
Romanos 12
 

Último

slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiamaysa997520
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoInsituto Propósitos de Ensino
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoInsituto Propósitos de Ensino
 

Último (12)

Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
 

Evangelismo parte 4 execução

  • 1.
  • 2.
  • 3. (Rm 1:16) “...Porquanto não me envergonho do Evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que nele crê; primeiro do judeu, assim como do grego;..”
  • 4. OBJETIVOS GERAIS TEM OS SEGUINTES OBJETIVOS: 1. Entendermos a importância do Evangelismo 2. Como evangelizar 3. Onde e quando evangelizar 4. O que não fazer no Evangelismo 5. Características do Evangelizador 6. Como abordar o evangelizado
  • 5. • Uma das tarefas da Igreja é fazer Deus conhecido • IGREJA: Um grupo de pessoas que se reúne para adorar, chamados para fora. A Igreja está em suas mãos com o destino eterno das vidas que as cercam. Somos representantes de Deus na Terra (Éf 3.10). • EVANGELIZAR: É tornar Cristo de tal maneira conhecido as pessoas, que cada um sinta a obrigação em fazer uma decisão pessoal, aceitando-o ou rejeitando-o.
  • 6. QUEM DEVE EVANGELIZAR? Todos que já receberam a salvação em Cristo Jesus (Jo 20.21 e At 1.8)
  • 7. • Em que tempo (momento) devo evangelizar? Sempre é tempo de evangelizar. O Espírito Santo age a qualquer tempo (2 Tm 4.2) “...Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina...”
  • 8. POR QUE DEVEMOS EVANGELIZAR?  Porque Deus deseja salvar o homem que está perdido (1 Tm 2.4, 2 Pe 3.9).  Para não termos as mãos manchadas com sangue alheio (Ez 33. 1-18).  Porque queremos alegrar o coração de Deus. (sentido abstrato) - (Lc 15. 7-10).
  • 9.  Porque é um mandamento (Mt 28.19-20, Mc 16.15, Pv 24.11).  Porque amamos Jesus (Jo 14. 21-23).  Porque fomos capacitados como testemunhas (At 1.8, Lc 24.45-48).  Porque fomos feitos cooperadores de Deus para a libertação dos perdidos e escravos do pecado (2 Co 5.18-19, Ef 3.10).
  • 10. CARACTERÍSTICAS DE UMA TESTEMUNHA DO EVANGELHO
  • 11.  Tem sede de conhecer a Deus – Os 6.3 a.  Reflete o caráter de Deus  Não se envergonha do Evangelho – Rm 1.16  Vive o que prega – Fp 1.27
  • 13. • Distribuição de literatura. • Rádio e TV • Internet • Cartas, estudos por correspondências. • GFC, de casa em casa, de impacto. • Ruas, ônibus, praças • Asilos, hospitais, praias, presídios • Viagens missionárias etc.
  • 14. NA PRÁTICA, COMO ABORDAR UMA PESSOA? (At 16: 13-14)  AJA COM NATURALIDADE: Peça sabedoria a Deus, tenha amor, não discuta (principalmente religião), seja gentil (por favor, com licença, obrigado), utilize palavras de fácil compreensão.  DISCERNIMENTO: Como e quando falar, veja qual é a revelação do Espírito Santo para saber como agir.  CATIVE A ATENÇÃO E PROCURE APROXIMAÇÃO: Fazer relacionamentos (conexão) requer sacrifícios
  • 15.  OUÇA AS PESSOAS: Demonstre interesse por suas vidas, mantenha um diálogo, demonstre amor.  COMPARTILHE O PLANO DA SALVAÇÃO: Fale de Jesus e não do diabo. Seu objetivo é falar dos feitos de Jesus. Procure uma boa estratégia, seja simples e humilde.  INTERCESSÃO: Através de nossas orações vidas podem ser resgatadas.  EVANGELISMO DE CASA EM CASA:  Preferencialmente em dupla (homem evangeliza homem, mulher evangeliza mulher).  APELO: No momento exato, quando o terreno está fértil.
  • 16. Dicas importantes: • 1. Ore e peça que Deus lhe dê as palavras certas. Perseverai em oração, velando nela com ação de graças; Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso; Para que o manifeste, como me convém falar. Colossenses 4: 2-4 • 2. Mostre amor, quando falar. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. 1Corintios 13:11
  • 17. • 3. Memorize alguns versículos principais. Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. 2 Timóteo 2:15 • 4. Seja sensível e autêntico. Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade quiséramos comunicar-vos, não somente o evangelho de Deus, mas ainda as nossas próprias almas; porquanto nos éreis muito queridos. 1 Tessalonicenses 2:8 • 5. Faça uma apresentação simples. Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo. 2 Coríntios 11:3
  • 18. • 6. Lembre-se de que Deus vai estar usando suas palavras. Porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo, e em muita certeza; como bem sabeis quais fomos entre vós, por amor de vós. 1Tessalonicenses 1: 5 • 7. Aproveite todas as oportunidades para falar de Jesus. Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo. Colossenses 4:5 • 8. Fale com convicção e de forma agradável. O sábio de coração será chamado prudente, e a doçura dos lábios aumentará o ensino. Provérbios 16:21
  • 19. PROBLEMAS OU BARREIRAS QUE ENFRENTAMOS NA OBRA DE EVANGELIZAÇÃO: Medo de ser rejeitado, medo do fracasso, medo de ser mal compreendido, de estragar amizades, de não saber responder perguntas, medo de apanhar. Podemos vencer o medo! (Is 55.11, Lc 10.16, 2 Tm 1.7). Problemas de isolamento – não entendemos as pessoas e seus mundos (Jo 17.15).
  • 20.  Problema de legalismo (quem considerar apenas as exigências do direito positivo, sem levar em conta o direito natural – “...tenho o direito e faço o que eu quero...”).  Sob os efeitos dos sintomas (cigarro, bebidas, imoralidades), ao invés do problema básico do pecado.  Problema da perda de urgência e prioridade de nossa vida – não temos tempo para evangelizar.  Problema de vida dupla – não vivemos o que pregamos (Fp 1.27).  Problema de vergonha (Rm 1.16).
  • 21.  Problema de falta de apoio e encorajamento.  Problema de troca de diálogo – não sabe desenvolver amizades.  Não entendemos bem o “dom” de evangelista (Mt 28.18- 20 x Éf 4.7-16).  Insegurança ou falta de conhecimento (Lc 12.12).  Falta de disposição de obedecer ao IDE de JESUS (1 Co 9.16).
  • 22. PRINCÍPIOS PARA UM EVANGELISMO EFICAZ
  • 23. • Fale com Deus sobre as pessoas. • Entenda as pessoas (idade, família, cultura, classe social etc.). • Creia que Deus é quem faz a obra. • Viva a Palavra. • Pratique a palavra. A maneira como você diz algo e o pratica, é muitas vezes mais importante do que aquilo que você prega. • Use ilustrações e fatos do cotidiano • Valorize as pessoas. Tenha amor sacrificial, influencie, provoque mudanças, aceite as pessoas. • Seja leal, responsável pelos compromissos assumidos, paciente. • Não fofoqueiro, egoísta, explosivo... (Todos Observam. Hb 12:1)
  • 24. APRENDENDO COM JESUS 1 – Jesus demonstrava compaixão pela Pessoa abordada.
  • 25. • Ele parava e dava atenção a um homem rejeitado, como o endemoninhado Gadareno. • (Marcos 05); a um jovem rico, tendo amado (Marcos 10.21); isso porque Jesus era capaz de olhar para dentro da pessoa e ver, antes de tudo, o seu pecado • Marcos 2.5 Ver o pecado da pessoa e sua condição de perdição espiritual deve ser a primeira atitude de um evangelista. Obs. Ver é uma coisa , falar dele é outra, nos estamos preocupado com o pecador e não com o seu pecado. Ao se fazer uma abordagem temos que demonstrar e se interessar pelo nosso
  • 26. 2 – Jesus não tinha preconceitos.
  • 27. • Por ser puro e divino, era de se esperar que Jesus rejeitasse certas pessoas por motivos religiosos e conceituais, mas Ele não agia assim. Ex. João 8:10-11 • Notamos que, muitos crentes evitam falar com certas pessoas pecadoras: tais como prostitutas, viciados, homossexuais, os marginalizados, mendigos e outros. • Quando fazemos uma abordagem temos que estar preparados para qualquer tipo de pessoa e pecados que este venha ter.
  • 28. 3 – Jesus ia aonde a pessoa estava.
  • 29. • Jesus não tinha um templo para convidar as pessoas a virem a Ele a fim de que ouvissem a sua mensagem assim ele costumava ir às pessoas, ao seu próprio contexto de vida. • Ele foi a beira de um poço. • Ele veio do céu para nos buscar Lucas 19.10. • Para fazer uma abordagem é preciso ir ao pecador, em vez de esperamos que ele venha a nós.
  • 30. 4 – Jesus sabia como iniciar uma conversa
  • 31. • Ex. com Nicodemos, partiu de sua própria pergunta e conduziu-o a um dos mais profundos assuntos da vida eterna. • Com Zaqueu, fez questão de ir a sua casa, descansar e conversar sobre sua vida e seu problema, e dar solução. Lucas 19. 01-10. • Quando fazemos uma abordagem temos que tomar alguns cuidados, ao iniciar uma conversa.
  • 32. • Hoje, muitos crentes já começam a evangelizar condenando os vícios da pessoa, ou a moda, ou o adultério. • Não é assim que se faz uma abordagem evangelística. • Todos os erros da pessoa será notada por Deus. • Só nos compete sermos o canal para que o Espírito Santo convença a pessoa de sua situação e entenda que Jesus pode mudar sua vida.
  • 33. 5 – Jesus era incisivo na sua conversa.
  • 34. • Jesus não usava meias palavras; ele só falava a verdade e com muita simplicidade. • Obs. Não adianta você conhecer muito e quer mostrar sabedoria, se a pessoa que esta ouvindo não sabe nada. “ CUIDADO “
  • 35. 6 – Jesus sentia a urgência do Evangelho.
  • 36. • Jesus tinha tempo contado para alcançar a todos, trabalhou intensamente, o trabalho de evangelismo não é um trabalho de um dia, temos que esta preparados para abordar uma pessoa a qualquer instante. • Cada minuto morrem muitas pessoas no mundo. Uma delas pode estar perto de nós, e partir para a eternidade sem salvação.
  • 37. OBJETIVOS GERAIS APRENDEMOS HOJE 1. A importância do Evangelismo 2. Como evangelizar 3. Onde e quando evangelizar 4. O que não fazer no Evangelismo 5. Características do Evangelizador 6. Como abordar o evangelizado