SlideShare uma empresa Scribd logo
Evangelização nas casas
Questões Práticas
Passos da Evangelização
 Concentração dos missionários;
 Preparação dos missionários;
 Orar pela família que será visitada;
 Apresentação;
 Ouvir, acolher e solidarizar;
 Anunciar Jesus + benção da casa + orar pela família;
 Postura;
 Integrar a família na Comunidade Local ;
 Despedida;
Concentração dos Missionários
 Dividir-se dois a dois – Lc 10,1
 Preferência um homem e uma mulher. Nunca ir sozinho.
 Distribuição do material (Oração para a visita às casas, crachás, panfleto com horários
de missa, grupos e etc.)
 Combinar horário e local de concentração pós-missão.
 Os missionários deverão estar com os seguintes materiais:
1. BÍBLIA CATÓLICA – todo o anúncio deve partir de duas fontes: primeiro da Palavra
de Deus, em segundo lugar de nosso testemunho de vida.A Palavra deve nortear
nossa conversa missionária.
2. TERÇO – no braço ou bolso discretamente.
3. MATERIAL – Oração de benção e/ou panfleto da Paróquia.
4. CRACHÁ E/OU CAMISETA.
Preparação dos Missionários
IMPORTANTE:
Assim que sair do local de concentração, o missionário deverá desligar seu celular.
 Antes de bater à porta da casa que vai receber a evangelização, os missionários devem
orar pela família, pela casa, pedindo as bênçãos de Deus para estas pessoas.
Orar pela família que será visitada
IMPORTANTE:
1. Descrição: os missionários já estão na rua, portanto esta oração deve
ser feita de forma discreta;
2. A evangelização não depende do nosso emocional, mas da Palavra
anunciada! O Espírito Santo nos conduz na nossa incapacidade. Mesmo
com a gagueira ou com tremedeira, precisamos acreditar que DEUS
age, porque somos enviados pela Igreja!
 “Olá, Boa tarde, meu nome é (...) e o dele é (....). Somos missionários da Igreja Católica e
viemos aqui trazer uma mensagem do amor de Deus para vocês.
A senhora gostaria de ouvir? OU “A senhora teria alguns minutos?”
SE HOUVER INTERESSE, pode-se perguntar: “Há mais alguém na casa que a senhora
gostaria que ouvisse?”.
Apresentação nas casas
Evangelizador
IMPORTANTE:
Em caso de recusa, deve-se dizer: “Obrigado, Deus abençoe.”
LEMBRE-SE:
O “NÃO” que recebemos não é para nós, mas para Deus. Vamos fazer a nossa
parte.
1. DIALOGAR: o missionário precisa ganhar a confiança, a partir de um assunto
simples como: “Como esta a senhora? Ou até mesmo usando dos atrativos visuais
como: o sol, a chuva, uma criança...enfim, deixe o Espírito Santo lhe inspirar para
iniciar um diálogo. LEMBRE-SE: neste momento não nos prolongamos muito, mas é
necessário para que haja um QUEBRA-GELO!
2. ESCUTAR: O diálogo é como um mineiro que vai quebrando as pedras de uma mina,
até encontrar um pedra preciosa, a partir dai ele cuida e a leva para casa. Quando
tocamos em alguns assuntos vamos permitindo que as pessoas falem, que mostrem
seus tesouros! Aqui silenciamos!Ouvimos e ACOLHEMOS.
3. SOLIDARIZAR: é sinônimo de “sensibilidade pastoral”. Olhamos para essa atitude,
após ouvir as crises, alegrias, depressões, desesperos, felicidades e fazemos um link
com a Palavra de Deus que vamos proclamar.
Dialogar, escutar, acolher e solidarizar
APRESENTAR-SE
DIALOGAR
ESCUTAR
ACOLHER E SOLIDARIZAR
ANUNCIAR JESUS
Devemos deixar o Espírito Santo nos guiar. Já sabemos alguma coisa sobre a família,
pessoa, a partir DO QUETEMOS, colocamos a REALIDADE da PESSOA dentro do
EVANGELHO – pode-se usar uma passagem, versículo ou ser espontâneo!
BENÇÃO DA CASA
RECAPITULANDO
Diagnosticamos o problema.
Trazemos o remédio
 Se se quer adaptar à linguagem dos outros, para poder chegar até eles com a Palavra,
deve-se escutar muito, é preciso partilhar a vida das pessoas e prestar-lhes benévola
atenção.
Exortação Apostólica Evangelli gaudium, nº158
 Quem é você? R: Missionário da Igreja Católica!
1. NÃO JULGAR OU SE ESCANDALIZAR (tentativa de suicídio, abortos, violência, etc.);
2. QUEM NÃO ACEITA A PALAVRA;
3. NUNCA DISCUTIR (não nos compete brigar querendo defender a Deus);
4. ASSUNTOS POLÊMICOS (não dar opiniões próprias sobre assuntos polêmicos
dentro da Igreja (casamento de padres, imagens, santos e etc.);
5. RECLAMAÇÕES (levar as pessoas que se magoaram a perdoarem e voltarem a
comunidade);
6. OUTRAS RELIGIÕES (respeitar, mas demonstrar a alegria de pertencer à Igreja
Católica. Nunca discutir doutrina);
Postura do Missionário
7. NÃO OLHAR COM DISCRIMINAÇÃO (cuidado para não evangelizar com ar de
pertencer ao “grupo dos puros e esclarecidos”);
8. CUIDADO COM O TEMPO (evangelize no “ritmo” da pessoa ou família. Não se
exceda, nem seja rápido demais, o Espírito Santo lhe conduzirá!);
9. PRESENTES OU ALIMENTOS (podemos aceitar o que nos oferecerem, tudo com
discernimento. Se oferecerem dinheiro, NÃO aceitar, mas é uma boa deixa para
convida-lo a dar de oferta na missa ou ser dizimista);
10. POSIÇÃO (fique sempre na posição que a pessoa está, principalmente se encontrar
algum enfermo na cama, ou cadeira de rodas);
11. TOCAR NAS PESSOAS (deve-se ter extremo cuidado com isso. Mas um abraço ou
um aperto de mão sempre fazem bem!);
Postura do Missionário
Integrar a família na Comunidade Local
 Convide-o a ingressar na comunidade. Se o evangelizando não se integrar na
comunidade, a Evangelização não alcançará sua total eficácia.
 Folder informando: horários de missa, movimentos e pastorais, dias e horários de
confissões, grupos de reflexão (Caminhando), terço dos homens, grupo de coroinhas.
 Enfim, fazer com que ele se sinta necessário, importante, e dizer-lhe que sem ele a
comunidade não está completa.
ATENÇÃO
Ao ver esta pessoa na comunidade, acolha-a, convide mais uma vez, seja simpático!
 Agradecer a família/pessoa pela acolhida;
 Desejar a paz de Jesus para os presentes.Tente ser espontâneo! Seja educado e
acolhedor!
Despedida
IMPORTANTE
Ao sair, ter atitude mariana de SILÊNCIO e RESPEITO mantendo SIGILO ABSOLUTO
sobre os assuntos e pessoas visitadas.
Querigma é o anúncio de Jesus
Amor de Deus Pecado Salvação Fé e conversão Espírito Santo Comunidade
Evangeli-
Zador
Canal do amor de
Deus.
Deixar que o
Espírito Santo
convença do
pecado
Procla-
mar a Salvação e
testificar que é
verdade.
Ajudar a decidir e
animar a
responder.
Suscitar a sede da
ÁguaViva no
evangelizado.
Propor e mostrar
o ambiente para
viver a Nova vida.
Evangeli-
zando
Experimentar o
amor misericor-
dioso de Deus.
Reconhecer o
pecado, incapaci-
dade de salvar-se
e necessidade
de ser salvo.
Encontrar
pessoalmente
com Jesus morto
e ressuscitado.
Confessar Jesus
como Salvador
pessoal, único e
suficiente.
Proclamar Jesus
Senhor de toda a
vida.
Pedir e receber de
Jesus Messias
uma nova efusão
do Espírito Santo.
Incorporar-se a
uma comunidade
para viver e
perseverar na
NovaVida.
Ideia
central
Deus lhe ama,
hoje, como você
é.
Você não pode
salvar-se
Jesus é a única
solução para
você.
Aceite e responda
ao Dom da
Salvação.
A promessa é
para você hoje.
Jesus está nos
irmãos da
comunidade.
Motivação
Deus não pede a
você que o ame,
mas que se deixe
amar por Ele!
Reconheça seu
pecado diante de
Deus!
Jesus não o salva.
Já o salvou.
Aceite-o!
Abra as portas do
seu coração para
Jesus que chama!
Peça e receba o
Dom do Espírito
Santo!
Persevere com
Jesus na
comunidade.
Exemplo
Filho Pródigo:
Lc 15,1-24
O fariseu e o
publicano:
Lc 18,9-14
Tomé:
Jo 20,24-28
Os dois ladrões na
Cruz:
Lc 23,39-43
Samaritana
na:
Jo 4,1-42
Madalena:
Lc 8,1-2
Jo 20,11-18
Citação
Bíblica
Jr 31,3
I Jo 4,8
Is 54,10
Rm 3,23
Jo 8,34
Rm 6,23
Jo 3,16
Jo 10,10
Rm 4,24-25
Rm 10, 9
Ef 2,8
Jo 3,3
At 3,19
Ez 36,26
At 1,5
At 2,39
Ap 22,17
Rm 12,5
Cl 2,19
1Pd 2,9-10
 Aonde vamos levamos o rosto de Jesus e de sua Igreja. Nós
somos Igreja! Por isso precisamos lembrar queTODAS as
nossas AÇÕES, nas casas e ruas não mostram somente nós
mesmos, mas a INSTITUIÇÃO como um todo.
Somos o rosto da Igreja
Chegou a hora!
Boa missão!!
Fazei discípulos...ensinai!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 introdução à capelania
1 introdução à capelania1 introdução à capelania
1 introdução à capelania
faculdadeteologica
 
O que é catequese
O que é catequeseO que é catequese
O que é catequese
Francisco Rodrigues
 
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Evangelismo   conteúdo, método e motivação.Evangelismo   conteúdo, método e motivação.
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Rodrigo Ribeiro
 
A pessoa do espirito santo
A pessoa do espirito santoA pessoa do espirito santo
A pessoa do espirito santo
WebExecutivo1
 
Estudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e OfertasEstudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e Ofertas
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Formação Sagrada Tradição
Formação Sagrada TradiçãoFormação Sagrada Tradição
10 motivos
10 motivos10 motivos
10 motivos
jouvacy
 
O chamado ministerial
O chamado ministerialO chamado ministerial
O chamado ministerial
Wilson Paulo de Santana Paulo
 
Projeto Capelania
Projeto CapelaniaProjeto Capelania
Projeto Capelania
Professorackson
 
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igrejaComo Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
Robson Santana
 
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germanoA importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
Joary Jossué Carlesso
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Christian Lepelletier
 
Apostila obreiros
Apostila obreirosApostila obreiros
Apostila obreiros
Mara Rúbia Alfarth
 
Planejando a igreja local
Planejando a igreja localPlanejando a igreja local
Planejando a igreja local
Gilson Barbosa
 
Igreja do Lar e Movimento das Células
Igreja do Lar e Movimento das CélulasIgreja do Lar e Movimento das Células
Igreja do Lar e Movimento das Células
Christian Lepelletier
 
Estudos para futuros diáconos
Estudos para futuros diáconosEstudos para futuros diáconos
Estudos para futuros diáconos
ipadcamela
 
Discipulado na Prática
Discipulado na PráticaDiscipulado na Prática
Discipulado na Prática
Narlea Walkyse
 
Como organizar uma conferência missionária
Como organizar uma conferência missionáriaComo organizar uma conferência missionária
Como organizar uma conferência missionária
Bárbara Pereira Quaresma
 
A família e a escola dominical
A família e a escola dominicalA família e a escola dominical
A família e a escola dominical
Moisés Sampaio
 
formação para catequistas
formação para catequistasformação para catequistas
formação para catequistas
Alexandre Alves Rocha
 

Mais procurados (20)

1 introdução à capelania
1 introdução à capelania1 introdução à capelania
1 introdução à capelania
 
O que é catequese
O que é catequeseO que é catequese
O que é catequese
 
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Evangelismo   conteúdo, método e motivação.Evangelismo   conteúdo, método e motivação.
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
 
A pessoa do espirito santo
A pessoa do espirito santoA pessoa do espirito santo
A pessoa do espirito santo
 
Estudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e OfertasEstudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e Ofertas
 
Formação Sagrada Tradição
Formação Sagrada TradiçãoFormação Sagrada Tradição
Formação Sagrada Tradição
 
10 motivos
10 motivos10 motivos
10 motivos
 
O chamado ministerial
O chamado ministerialO chamado ministerial
O chamado ministerial
 
Projeto Capelania
Projeto CapelaniaProjeto Capelania
Projeto Capelania
 
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igrejaComo Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
Como Levar sua Igreja para Frente: Revitalização de igreja
 
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germanoA importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
 
Apostila obreiros
Apostila obreirosApostila obreiros
Apostila obreiros
 
Planejando a igreja local
Planejando a igreja localPlanejando a igreja local
Planejando a igreja local
 
Igreja do Lar e Movimento das Células
Igreja do Lar e Movimento das CélulasIgreja do Lar e Movimento das Células
Igreja do Lar e Movimento das Células
 
Estudos para futuros diáconos
Estudos para futuros diáconosEstudos para futuros diáconos
Estudos para futuros diáconos
 
Discipulado na Prática
Discipulado na PráticaDiscipulado na Prática
Discipulado na Prática
 
Como organizar uma conferência missionária
Como organizar uma conferência missionáriaComo organizar uma conferência missionária
Como organizar uma conferência missionária
 
A família e a escola dominical
A família e a escola dominicalA família e a escola dominical
A família e a escola dominical
 
formação para catequistas
formação para catequistasformação para catequistas
formação para catequistas
 

Semelhante a Evangelização nas casas

Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostoloPastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
gafasnet
 
Cursobasicodeevangelismo parte03
Cursobasicodeevangelismo parte03Cursobasicodeevangelismo parte03
Cursobasicodeevangelismo parte03
Pastora Gyselle Mattos
 
Eu e minha casa serviremos ao senhor
Eu e minha casa serviremos ao senhorEu e minha casa serviremos ao senhor
Eu e minha casa serviremos ao senhor
AlessandroMachado28
 
Culto do evangelho
Culto do evangelhoCulto do evangelho
Culto do evangelho
assefrak
 
46 fluidoterapia - evangelho no lar
46 fluidoterapia - evangelho no lar46 fluidoterapia - evangelho no lar
46 fluidoterapia - evangelho no lar
Antonio SSantos
 
Estudo de pais 33
Estudo de pais 33Estudo de pais 33
Estudo de pais 33
Fatoze
 
Evangelhonolar[1]
Evangelhonolar[1]Evangelhonolar[1]
Evangelhonolar[1]
Alice Lirio
 
Beume julho15
Beume julho15Beume julho15
Beume julho15
Ume Maria
 
Treinamento escola de líderes
Treinamento escola de líderesTreinamento escola de líderes
Treinamento escola de líderes
Joao Rumpel
 
O Evangelho no Lar.
O Evangelho no Lar.O Evangelho no Lar.
O Evangelho no Lar.
ThiagoPereiraSantos2
 
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e PazEvangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
Ricardo Azevedo
 
casa de paz para células e líderes para aperfeiçoar
casa de paz para células e líderes para aperfeiçoarcasa de paz para células e líderes para aperfeiçoar
casa de paz para células e líderes para aperfeiçoar
FellipeSantos30
 
Ev efetivo 004
Ev efetivo 004Ev efetivo 004
Ev efetivo 004
Vinicio Pacifico
 
Jesus Nos Visita!
Jesus Nos Visita!Jesus Nos Visita!
Jesus Nos Visita!
notirmiargentina
 
Jesus nos visita
Jesus nos visitaJesus nos visita
Jesus nos visita
Misioneras Claretianas
 
Jesus Nos Visita!
Jesus Nos Visita!Jesus Nos Visita!
Jesus Nos Visita!
Martha López
 
Evangelismo parte 4 execução
Evangelismo parte 4   execuçãoEvangelismo parte 4   execução
Evangelismo parte 4 execução
Joel Silva
 
Evangelismo parte 4 execução
Evangelismo parte 4   execuçãoEvangelismo parte 4   execução
Evangelismo parte 4 execução
Joel Silva
 
Evangelho no lar
Evangelho no larEvangelho no lar
Evangelho no lar
Ponte de Luz ASEC
 
Evangelho no Lar
Evangelho no LarEvangelho no Lar
Evangelho no Lar
Alexandre Pinheiro
 

Semelhante a Evangelização nas casas (20)

Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostoloPastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
Pastoral da acolhida paroquia sao-pedro-apostolo
 
Cursobasicodeevangelismo parte03
Cursobasicodeevangelismo parte03Cursobasicodeevangelismo parte03
Cursobasicodeevangelismo parte03
 
Eu e minha casa serviremos ao senhor
Eu e minha casa serviremos ao senhorEu e minha casa serviremos ao senhor
Eu e minha casa serviremos ao senhor
 
Culto do evangelho
Culto do evangelhoCulto do evangelho
Culto do evangelho
 
46 fluidoterapia - evangelho no lar
46 fluidoterapia - evangelho no lar46 fluidoterapia - evangelho no lar
46 fluidoterapia - evangelho no lar
 
Estudo de pais 33
Estudo de pais 33Estudo de pais 33
Estudo de pais 33
 
Evangelhonolar[1]
Evangelhonolar[1]Evangelhonolar[1]
Evangelhonolar[1]
 
Beume julho15
Beume julho15Beume julho15
Beume julho15
 
Treinamento escola de líderes
Treinamento escola de líderesTreinamento escola de líderes
Treinamento escola de líderes
 
O Evangelho no Lar.
O Evangelho no Lar.O Evangelho no Lar.
O Evangelho no Lar.
 
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e PazEvangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
 
casa de paz para células e líderes para aperfeiçoar
casa de paz para células e líderes para aperfeiçoarcasa de paz para células e líderes para aperfeiçoar
casa de paz para células e líderes para aperfeiçoar
 
Ev efetivo 004
Ev efetivo 004Ev efetivo 004
Ev efetivo 004
 
Jesus Nos Visita!
Jesus Nos Visita!Jesus Nos Visita!
Jesus Nos Visita!
 
Jesus nos visita
Jesus nos visitaJesus nos visita
Jesus nos visita
 
Jesus Nos Visita!
Jesus Nos Visita!Jesus Nos Visita!
Jesus Nos Visita!
 
Evangelismo parte 4 execução
Evangelismo parte 4   execuçãoEvangelismo parte 4   execução
Evangelismo parte 4 execução
 
Evangelismo parte 4 execução
Evangelismo parte 4   execuçãoEvangelismo parte 4   execução
Evangelismo parte 4 execução
 
Evangelho no lar
Evangelho no larEvangelho no lar
Evangelho no lar
 
Evangelho no Lar
Evangelho no LarEvangelho no Lar
Evangelho no Lar
 

Último

Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
ElijainaVelozoGonalv
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (18)

Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 

Evangelização nas casas

  • 2. Passos da Evangelização  Concentração dos missionários;  Preparação dos missionários;  Orar pela família que será visitada;  Apresentação;  Ouvir, acolher e solidarizar;  Anunciar Jesus + benção da casa + orar pela família;  Postura;  Integrar a família na Comunidade Local ;  Despedida;
  • 3. Concentração dos Missionários  Dividir-se dois a dois – Lc 10,1  Preferência um homem e uma mulher. Nunca ir sozinho.  Distribuição do material (Oração para a visita às casas, crachás, panfleto com horários de missa, grupos e etc.)  Combinar horário e local de concentração pós-missão.
  • 4.  Os missionários deverão estar com os seguintes materiais: 1. BÍBLIA CATÓLICA – todo o anúncio deve partir de duas fontes: primeiro da Palavra de Deus, em segundo lugar de nosso testemunho de vida.A Palavra deve nortear nossa conversa missionária. 2. TERÇO – no braço ou bolso discretamente. 3. MATERIAL – Oração de benção e/ou panfleto da Paróquia. 4. CRACHÁ E/OU CAMISETA. Preparação dos Missionários IMPORTANTE: Assim que sair do local de concentração, o missionário deverá desligar seu celular.
  • 5.  Antes de bater à porta da casa que vai receber a evangelização, os missionários devem orar pela família, pela casa, pedindo as bênçãos de Deus para estas pessoas. Orar pela família que será visitada IMPORTANTE: 1. Descrição: os missionários já estão na rua, portanto esta oração deve ser feita de forma discreta; 2. A evangelização não depende do nosso emocional, mas da Palavra anunciada! O Espírito Santo nos conduz na nossa incapacidade. Mesmo com a gagueira ou com tremedeira, precisamos acreditar que DEUS age, porque somos enviados pela Igreja!
  • 6.  “Olá, Boa tarde, meu nome é (...) e o dele é (....). Somos missionários da Igreja Católica e viemos aqui trazer uma mensagem do amor de Deus para vocês. A senhora gostaria de ouvir? OU “A senhora teria alguns minutos?” SE HOUVER INTERESSE, pode-se perguntar: “Há mais alguém na casa que a senhora gostaria que ouvisse?”. Apresentação nas casas Evangelizador IMPORTANTE: Em caso de recusa, deve-se dizer: “Obrigado, Deus abençoe.” LEMBRE-SE: O “NÃO” que recebemos não é para nós, mas para Deus. Vamos fazer a nossa parte.
  • 7. 1. DIALOGAR: o missionário precisa ganhar a confiança, a partir de um assunto simples como: “Como esta a senhora? Ou até mesmo usando dos atrativos visuais como: o sol, a chuva, uma criança...enfim, deixe o Espírito Santo lhe inspirar para iniciar um diálogo. LEMBRE-SE: neste momento não nos prolongamos muito, mas é necessário para que haja um QUEBRA-GELO! 2. ESCUTAR: O diálogo é como um mineiro que vai quebrando as pedras de uma mina, até encontrar um pedra preciosa, a partir dai ele cuida e a leva para casa. Quando tocamos em alguns assuntos vamos permitindo que as pessoas falem, que mostrem seus tesouros! Aqui silenciamos!Ouvimos e ACOLHEMOS. 3. SOLIDARIZAR: é sinônimo de “sensibilidade pastoral”. Olhamos para essa atitude, após ouvir as crises, alegrias, depressões, desesperos, felicidades e fazemos um link com a Palavra de Deus que vamos proclamar. Dialogar, escutar, acolher e solidarizar
  • 8. APRESENTAR-SE DIALOGAR ESCUTAR ACOLHER E SOLIDARIZAR ANUNCIAR JESUS Devemos deixar o Espírito Santo nos guiar. Já sabemos alguma coisa sobre a família, pessoa, a partir DO QUETEMOS, colocamos a REALIDADE da PESSOA dentro do EVANGELHO – pode-se usar uma passagem, versículo ou ser espontâneo! BENÇÃO DA CASA RECAPITULANDO Diagnosticamos o problema. Trazemos o remédio
  • 9.  Se se quer adaptar à linguagem dos outros, para poder chegar até eles com a Palavra, deve-se escutar muito, é preciso partilhar a vida das pessoas e prestar-lhes benévola atenção. Exortação Apostólica Evangelli gaudium, nº158
  • 10.  Quem é você? R: Missionário da Igreja Católica! 1. NÃO JULGAR OU SE ESCANDALIZAR (tentativa de suicídio, abortos, violência, etc.); 2. QUEM NÃO ACEITA A PALAVRA; 3. NUNCA DISCUTIR (não nos compete brigar querendo defender a Deus); 4. ASSUNTOS POLÊMICOS (não dar opiniões próprias sobre assuntos polêmicos dentro da Igreja (casamento de padres, imagens, santos e etc.); 5. RECLAMAÇÕES (levar as pessoas que se magoaram a perdoarem e voltarem a comunidade); 6. OUTRAS RELIGIÕES (respeitar, mas demonstrar a alegria de pertencer à Igreja Católica. Nunca discutir doutrina); Postura do Missionário
  • 11. 7. NÃO OLHAR COM DISCRIMINAÇÃO (cuidado para não evangelizar com ar de pertencer ao “grupo dos puros e esclarecidos”); 8. CUIDADO COM O TEMPO (evangelize no “ritmo” da pessoa ou família. Não se exceda, nem seja rápido demais, o Espírito Santo lhe conduzirá!); 9. PRESENTES OU ALIMENTOS (podemos aceitar o que nos oferecerem, tudo com discernimento. Se oferecerem dinheiro, NÃO aceitar, mas é uma boa deixa para convida-lo a dar de oferta na missa ou ser dizimista); 10. POSIÇÃO (fique sempre na posição que a pessoa está, principalmente se encontrar algum enfermo na cama, ou cadeira de rodas); 11. TOCAR NAS PESSOAS (deve-se ter extremo cuidado com isso. Mas um abraço ou um aperto de mão sempre fazem bem!); Postura do Missionário
  • 12. Integrar a família na Comunidade Local  Convide-o a ingressar na comunidade. Se o evangelizando não se integrar na comunidade, a Evangelização não alcançará sua total eficácia.  Folder informando: horários de missa, movimentos e pastorais, dias e horários de confissões, grupos de reflexão (Caminhando), terço dos homens, grupo de coroinhas.  Enfim, fazer com que ele se sinta necessário, importante, e dizer-lhe que sem ele a comunidade não está completa. ATENÇÃO Ao ver esta pessoa na comunidade, acolha-a, convide mais uma vez, seja simpático!
  • 13.  Agradecer a família/pessoa pela acolhida;  Desejar a paz de Jesus para os presentes.Tente ser espontâneo! Seja educado e acolhedor! Despedida IMPORTANTE Ao sair, ter atitude mariana de SILÊNCIO e RESPEITO mantendo SIGILO ABSOLUTO sobre os assuntos e pessoas visitadas.
  • 14. Querigma é o anúncio de Jesus Amor de Deus Pecado Salvação Fé e conversão Espírito Santo Comunidade Evangeli- Zador Canal do amor de Deus. Deixar que o Espírito Santo convença do pecado Procla- mar a Salvação e testificar que é verdade. Ajudar a decidir e animar a responder. Suscitar a sede da ÁguaViva no evangelizado. Propor e mostrar o ambiente para viver a Nova vida. Evangeli- zando Experimentar o amor misericor- dioso de Deus. Reconhecer o pecado, incapaci- dade de salvar-se e necessidade de ser salvo. Encontrar pessoalmente com Jesus morto e ressuscitado. Confessar Jesus como Salvador pessoal, único e suficiente. Proclamar Jesus Senhor de toda a vida. Pedir e receber de Jesus Messias uma nova efusão do Espírito Santo. Incorporar-se a uma comunidade para viver e perseverar na NovaVida. Ideia central Deus lhe ama, hoje, como você é. Você não pode salvar-se Jesus é a única solução para você. Aceite e responda ao Dom da Salvação. A promessa é para você hoje. Jesus está nos irmãos da comunidade. Motivação Deus não pede a você que o ame, mas que se deixe amar por Ele! Reconheça seu pecado diante de Deus! Jesus não o salva. Já o salvou. Aceite-o! Abra as portas do seu coração para Jesus que chama! Peça e receba o Dom do Espírito Santo! Persevere com Jesus na comunidade. Exemplo Filho Pródigo: Lc 15,1-24 O fariseu e o publicano: Lc 18,9-14 Tomé: Jo 20,24-28 Os dois ladrões na Cruz: Lc 23,39-43 Samaritana na: Jo 4,1-42 Madalena: Lc 8,1-2 Jo 20,11-18 Citação Bíblica Jr 31,3 I Jo 4,8 Is 54,10 Rm 3,23 Jo 8,34 Rm 6,23 Jo 3,16 Jo 10,10 Rm 4,24-25 Rm 10, 9 Ef 2,8 Jo 3,3 At 3,19 Ez 36,26 At 1,5 At 2,39 Ap 22,17 Rm 12,5 Cl 2,19 1Pd 2,9-10
  • 15.  Aonde vamos levamos o rosto de Jesus e de sua Igreja. Nós somos Igreja! Por isso precisamos lembrar queTODAS as nossas AÇÕES, nas casas e ruas não mostram somente nós mesmos, mas a INSTITUIÇÃO como um todo. Somos o rosto da Igreja
  • 16. Chegou a hora! Boa missão!! Fazei discípulos...ensinai!

Notas do Editor

  1. Pode exigir mais de um slide
  2. Pode exigir mais de um slide
  3. Pode exigir mais de um slide