SlideShare uma empresa Scribd logo
RELATÓRIODE ESTAGIO 
SUPERVISIONADO 
Conceição Ramos 
[NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa]
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA 
BAHIA – B 
GERENCIA DE PROJETO DE EDUCAÇÃO A 
DISTÂNCIA-GEAD 
CURSO DE LICENCIATUARA A DISTÂNCIA 
LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA 
COMPUTAÇÃO - EAD - LC- G- V 
MARIA DA CONCEIÇÃO RAMOS DOS 
SANTOS 
RELATÓRIO EM ESTÁGIO 
SUPERVISIONADO
SENHOR DO BONFIM - 
BAHIA 
2014 
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA 
BAHIA – BAHIA 
GERENCIA DE PROJETO DE EDUCAÇÃO A 
DISTÂNCIA-GEAD 
CURSO DE LICENCIATUARA A DISTÂNCIA 
LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA 
COMPUTAÇÃO - 
MARIADA CONCEIÇÃO RAMOS 
DOS SANTOS
RELATÓRIO DE ESTÁGIO 
SUPERVISIONADO I 
Relatório de Estágio Supervisionado 
Apresentado a disciplina como requisito 
Universidade do Estado da Bahia-UNEB na 
Modalidade a distância para o da disciplina 
s Estágio Supervisionado do 
C Curso de Licenciatura da Computação 
Senhor do BONFIM 
2014 
SUMÁRIO
1.0 INTRODUÇÃO 
1.1 CONCEPÇÕES DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM 
LICENCIATURA EM CIENCIAS DA COMPUTAÇÃO 
1.2 IMPORTANCIA DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO 
PROFISSIONAL DOCENTE 
1.3 DESCRIÇÃO E AVALIAÇÃO DA PROPOSTA 
PEDAGÓGICA DA ESCOLA 
1.4 
2.0 
2.1 CONCLUSÕES SOBRE CONCLUSÕES SOBRE O ESTÁGIO 
DE OBSERVAÇÃO
1. INTRODUÇÃO 
Foi feito uma observação no Colégio Olga Campos de 
Menezes como estagio de observação da disciplina Estágio 
Supervisionado. Onde foi desenvolvida uma pesquisa 
mediante aplicação de questionário ao professor Regente 
um outro mediante a Diretora Silvana da Conceição Santos, 
observados alunos do 5º ao 9º ano do ensino fundamental II 
nos turnos matutinos e vespertinos buscou-se conhecer os 
aspetos relacionados ao convivência no âmbito escolar 
dando primazia às relações aprendizagem e as relações das 
mesmas na vida escolar, suas relações e a importância das 
mesmas para um bom rendimento no processo de ensino 
aprendizagem, bem como a necessidade de se trabalhar de 
forma diferenciada e mais dinâmica, uma vez que a falta 
de motivação é visível e frequente dia a dia o que nos causa 
motivos de indignação diante de tantos meios de 
motivacionais para aulas motivadoras e dinâmicas. 
Destacou-se também que há certo descaso por parte de 
alguns professores e alunos quanto ao ensino aprendizagem. 
Apesar disso existem docentes que assumem sua profissão 
com responsabilidade e alunos comprometidos com o 
aprendizado evidenciando assim a urgência na avaliação e 
reelaboração do projeto politico pedagógico. Acreditando que
a escola tem função fundamental de socializar o saber 
sistematizando garantindo a cada individuo uma base 
comum de conhecimentos e habilidades contribuindo na 
função de cidadãos em busca de participação essencial na 
conscientização na luta de transformação sociais, assim 
como, um lugar próprio para a reprodução e sistematização 
de novos conhecimentos oriundos das necessidades das 
práticas de novos aprendizados. A escola porém é um meio 
formal e instruído capaz de levar os alunos a uma postura 
de saber que o prepara para a vida.. 
Para saber como desenvolver o ensino – aprendizagem, é 
preciso que a escola resgate esses valores morais que um dia 
existiram dentro da mesma e hoje se perderam em meio a 
tantas mudanças no meio educacional. 
É preciso criar com o docente situações democráticas de 
forma a permitir a criação de ambientes que propicie o 
aprendizado, que este seja a grande arma do convívio 
escolar na luta de superação de empasses e contradições 
existentes na escola. Dialogar é uma aventura que requer 
sensibilidade e coragem, pois há reciprocidade de exposição 
de ideias. É preciso descobrir o prazer de estudar e aprender 
com o outro. O diálogo deve ser uma ação com a prática 
cotidiana, com visitas e integração do ambiente onde vive o 
aluno e o ambiente do professor, para possibilitar uma 
relação entre tais experiências e o conteúdo sistematizado. 
O aluno precisa estar motivado para aprender, para isso e 
preciso que o espaço escolar tenha um clima favorável a 
prática didática garantindo condições para desenvolver o 
aprendizado do aluno.
Acreditando que a escola tem função fundamental de 
socializar o saber sistematizando garantindo a cada 
individuo uma base comum de conhecimentos e habilidades 
contribuindo na função de cidadãos em busca de 
participação essencial na conscientização na luta de 
transformação sociais, assim como, um lugar próprio para a 
reprodução e sistematização de novos conhecimentos 
oriundos das necessidades das práticas de novos 
aprendizados.Com certeza a escola é só mais uma instituição 
capaz de educar moralmente e psicologicamente os jovens da 
novas gerações a escola apenas preparar os alunos para que 
possam apossar da construção, objetivando formar cidadãos 
pensantes livres e autônomos para aprender e crescer 
intelectualmente. . A escola porém é um meio formal e 
instruído capaz de levar os alunos a uma postura de saber 
que o prepara para a vida.. 
Para saber como desenvolver o ensino – aprendizagem, é 
preciso que a escola resgate esses valores morais que um dia 
existiram dentro da mesma e hoje se perderam em meio a 
tantas mudanças no meio educacional. 
É preciso criar com o docente situações democráticas de 
forma a permitir a o zelo e a conservação de ambientes que 
propicie o aprendizado, que este seja a grande arma do 
convívio escolar na luta de superação de empasses e 
contradições existentes na escola. Dialogar é uma aventura
que requer sensibilidade e coragem, pois há reciprocidade 
de exposição de ideias. É preciso descobrir o prazer de 
estudar e aprender com o outro. O diálogo deve ser uma ação 
com aprática cotidiana, com visitas e integração do 
ambiente onde vive o aluno e o ambiente do professor, para 
possibilitar uma relação entre tais experiências e o conteúdo 
sistematizado. 
O aluno precisa estar motivado para aprender, para isso e 
preciso que o espaço escolar tenha um clima favorável a 
prática didática garantindo condições para desenvolver o 
aprendizado do aluno. 
1.1 CONCEPÇÕES DE ESTÁGIO 
SUPERVISIONADO EM LICENCIATURA EM 
CIENCIAS DA COMPUTAÇÃO
Para Guerra (1995) o Estágio Supervisionado consiste 
em teoria e prática tendo em vista uma busca constante da 
realidade para uma elaboração conjunta do programa de 
trabalho na formação do educador. Desta forma, "o estágio é 
o eixo central na formação de professores, pois é através dele 
que o profissional conhece os aspectos indispensáveis para a 
formação da construção da identidade e dos saberes do dia a 
dia" (PIMENTA E LIMA, 2004), tronando-se etapa 
imprescindível para o aprendizado da prática pedagógica. 
Prática esta que dará ao estagiário confiança e 
segurança para desenvolver futuras atividades relacionadas 
ao ensino aprendizado, com uma familiarização com o 
corpo docente e discente da própria escola 
O Estágio Curricular Supervisionado é uma disciplina 
do quadro da organização curricular do curso e, está 
dividido em créditos. Os créditos teóricos deverão ser 
desenvolvidos em sala de aula em forma de seminários 
integrados para o Estágio Curricular Supervisionado e, desta 
forma, o professor orientador da disciplina de Estágio deverá 
realizar a apresentação da operacionalização da disciplina, 
onde deverá trabalhar: a lei do estágio, campos de estágio, 
objetivos do estágio, instrumentalização do estágio (auto 
avaliação do aluno, avaliação do professor orientador, 
avaliação do supervisor do estágio, plano de estágio, 
relatório de estágio, ficha de frequência do estágio), além 
das referências bibliográficas para auxiliar no processo de 
prática do estágio. Os créditos práticos deverão ser 
desenvolvidos em campo de estágio, sendo devidamente 
acompanhado por um professor orientador e um supervisor 
do local campo de estágio. Para o aluno cumprir as horas 
campo de estágio deverá estar cadastrado em uma agencia 
integradora de estágio, deverá ter cumprido a carga horária
teórica desta disciplina, deverá elaborar um plano 
individual de trabalho para execução do estágio, deverá 
elaborar um plano de trabalho para o estágio, deverá 
manter atualizado a ficha de frequência do estágio, deverá 
ser avaliado pelo professor orientador, deverá ser avaliado 
pelo supervisor de estágio, deverá realizar a auto avaliação 
de seu desempenho no estágio e, ao final deverá construir o 
relatório de estágio descrevendo toda a sua atuação em 
campo. É importe destacar que, para garantirmos a 
qualidade do processo de desenvolvimento do estágio, para 
cada 10 alunos deverá haver um professor orientador e para 
cada 05 alunos um supervisor de Estágio Curricular 
Supervisionado ( Curso de Ciências da Computação | UERR) 
1.2 IMPORTANCIA DO ESTÁGIO NA 
FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOCENTE
Este estudo filia-se metodicamente a pesquisa de campo e a 
observação direta, com esta perspectiva passamos a 
desenvolver aplicação dos questionários propostos para a 
coleta de dados, observamos as aulas, os professores durante 
o funcionamento das aulas e suas atitudes e valores 
observados no cotidiano escolar. 
, 
Este estudo filia-se metodicamente a pesquisa de campo e a 
observação direta, com esta perspectiva passamos a 
desenvolver aplicação dos questionários propostos para a 
coleta de dados, observamos as aulas, os professores durante 
o funcionamento das aulas e de seus funcionários. a rotina 
diária das aulas, tivemos livre acesso para circular pela 
escola e todos os espaços livremente a rotina das aulas suas 
atitudes e valores observados no cotidiano escolar 
funcionários a rotina diária das aulas, tivemos livre acesso 
para circular pela escola e todos os espaços livremente, a 
rotina das aulas suas atitudes e valores observados no 
cotidiano escola 
O Estágio Supervisionado foi realizado na escola Municipal 
Olga Menezes de Carvalho 
No período de 09102014 a 17112014. 
A referida escola é de uma construção antiga mas em 
perfeito estado de conservação 
Situada na Av. Roberto Santos s/n, no município de Senhor 
do Bonfim-Bahia 
Construída nesta tem 06 salas de aula as salas são amplas 
adequadas às atividades pedagógicas propostas. Existe 
banheiros: femininos, masculino e para os
Funcionário também. Tem também 1 biblioteca, 1 sala de 
professores, sala de direção/ secretaria, cantina e 1 quadra 
de esporte. A escola tem como clientela alunos do ensino 
fundamenta II no turno matutino e vespertino, com um total 
de 297 alunos. A comunidade escolar é formada por alunos 
da Zona Urbana e Zona Rural. A escola dispõe de recursos 
didáticos, tais como; data show, caixa acústica, materiais 
esportivos, Kit de materiais para artes. O corpo fisco Diretor, 
Vice-diretor, secretário, Coordenador pedagógico, digitador, 
merendeiras e pessoal dos serviços gerais 
Nota-se que ultimamente os jovens e adolescentes tem 
usufruído muito pouco do ensino e do conhecimento 
transmitido pelos educadores na escola, visto que os mesmos 
estão dispersos, como se estivessem em qualquer outro lugar, 
menos na escola. Ora não existe mais na alma de muitos 
alunos a ânsia do aprendizado, existe sim, uma falta de 
compromisso, de respeito e principalmente ética. Ética trata 
de princípios, é um eterno pensar, refletir, construir. É a 
escola mesmo não sendo uma excelente escola. 
2. A OBSERVAÇÃO NA SALA DE AULA DO 
ENSINO FUNDAMENTAL 
O Ensino Fundamental, tem como objetivo à formação básica 
do cidadão mediante aquisição de conhecimentos
habilidades, bem como a formação de atitudes e valores que 
fortaleçam os laços de solidariedade e tolerância reciproca 
na vida social; 
O referido curso é obrigatório e gratuito nas escolas públicas 
e o acesso ao mesmo deve ser proporcionado todas as idades 
escolares bem como aos que não tiverem em idade própria. 
Vale lembrar que o cidadão tem o dever de reclamar, caso 
seja negado esse direito. 
Inserido na educação básica, o ensino fundamental terá a 
duração de 9 anos carga horária mínima anual será de 
oitocentas horas, em duzentos dias letivos em, no mínimo, 9 
anos. O módulo hora/aula é de 50 minutos. 
Para os conteúdos da Base Comum e Diversificada, foram 
destinadas 25 horas semanais, conforme matriz curricular. 
Os temas transversais estão integrados aos conteúdos 
curriculares nacional comum, 
Os currículos devem ter uma base nacional comum, que 
será complementada por uma parte diversificada, onde serão 
trabalhadas características regionais e locais da sociedade a 
qual pertence à clientela. A partir do 5º ano torna-se 
obrigatório p ensino de uma língua estrangeira. 
Os trabalhos escolares deverão ser planejados respeitando as 
faixas etárias e as condições da população escolar, bem 
como, difundir valores fundamentais à sociedade 
democrática dando primazia à valorização do ser humano, 
avaliando a sua qualidade através da sua produção ao 
longo do curso. 
A educação deve oportunizar o exercício da cidadania. 
Assim princípios constitucionais têm o caráter de 
instrumentos que orientam e legitimam a busca da
transformação nas relações sociais, para garantir a 
efetivação ao direito de ser cidadão. 
2.1 CONCLUSÕES SOBRE CONCLUSÕES 
SOBRE O ESTÁGIO DE OBSERVAÇÃO 
Diante da observação realizada pode-se constatar que os 
professores continuam dando aulas expositivas e copiando os 
conteúdos no quadro negro, mesmo percebendo que os alunos 
tendo o livro didático e que por este motivo percebe-se uma 
falta de interesse por parte dos alunos, não respeitam nem 
valoriza os bens públicos da escola. 
Em nenhuma aula foi utilizado materiais que pudesse 
incentivar os alunos a participar das aulas diretamente 
As avaliações são comuns, com perguntas simples onde a 
maioria dos alunos demonstravam pouco entusiasmo em 
responde-las muitos alunos entregam as provas sem 
responde-las. 
Os valores e as atitudes que precisam ser resgatados dentro 
da escola, o respeito aos colegas ao corpo docente e todos que 
contribuem de uma forma ou de outra para o sucesso da 
entidade. Porém não é tarefa fácil para os educadores, isso 
porque o mundo, tem-se evoluído de forma muito avançada, 
que a escola não tem conseguido acompanhar estas 
evoluções. Gerando na cabeça dos alunos conflitos sem fim. 
Falta aos alunos reconhecer que a escola pública como 
patrimônio de todos, portanto também seu e que o mesmo a 
mentem a altos custos, financiados pelo seu esforço produtivo
na vivência do cotidiano. Se houvesse tal reconhecimento o 
mesmo estaria comprometido com a sua preservação, 
defendendo-a com zelo e dedicação, dentro das regras de 
convivências da escola estão as que orientam as relações 
interpessoais, baseados no respeito mutuo, na justiça, na 
solidariedade e no diálogo, são descritos os direitos e deveres 
de todos os participantes do contexto da escola. 
Os alunos geralmente demonstram saber seus direitos, mas 
não seus deveres. Aos alunos são dados o direito 
constitucional de acesso e permanência à educação 
fundamental, inclusive aos que não tiverem em idade 
própria. Conhece o regimento escolar, suas normas 
programas e horários, ser valorizado, ter oportunidade de 
expressar suas ideias, ser ouvidos com suas reclamações, 
participar ativamente das aulas e das atividades escolares, 
bem como ser respeitados os laços convicções religiosas e 
culturais, estudos de recuperação quando não atingir o 
desenvolvimento desejado. Tem tudo que eles como alunos 
deveria ter. Então porque não fazem a parte que cabe a eles 
e ainda quebram moveis que servirão para uso próprios. 
Falta-lhes aulas de valores morais e fundamentais 
BIBLIOGRAFIA 
GUIRRA; A importância do estágio na formação 
profissional.( 2005) 
LDB: Ranços e avanços. Campinas, SP: Papirus. 1997 
Coleções) Magistério: (
Formação e trabalhos pedagógicos) 
Estágio supervisionado: Curso de Ciências da Computação | UERR 
(UERR Universidade Estadual de Roraima) 
.
. 
.
Universidade do estado da bahia.docx pro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superiorO estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
diagoprof
 
Estagio supervisionado
Estagio supervisionadoEstagio supervisionado
Estagio supervisionado
Fernanda Marques
 
83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao
Eduardo Lopes
 
A ATUAÇÃO DO COORDENADOR PEDAGÓGICO NA GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO COM QUA...
A ATUAÇÃO DO COORDENADOR PEDAGÓGICO NA GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO COM QUA...A ATUAÇÃO DO COORDENADOR PEDAGÓGICO NA GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO COM QUA...
A ATUAÇÃO DO COORDENADOR PEDAGÓGICO NA GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO COM QUA...
Aparecida Ferreira
 
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
Eduardo Lopes
 
Plano de trabalho da formação continuada de orientadores de estudo do pacto ...
Plano de trabalho da formação continuada de orientadores de estudo do pacto  ...Plano de trabalho da formação continuada de orientadores de estudo do pacto  ...
Plano de trabalho da formação continuada de orientadores de estudo do pacto ...
Salete Perini
 
EstáGio Supervisionado Ponta Grossa
EstáGio Supervisionado Ponta GrossaEstáGio Supervisionado Ponta Grossa
EstáGio Supervisionado Ponta Grossa
rosangelamenta
 
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professorFormação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Cristiana Campos
 
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
Portal QEdu
 
Planejamento 2013 sme (sem vídeos)
Planejamento 2013   sme (sem vídeos)Planejamento 2013   sme (sem vídeos)
Planejamento 2013 sme (sem vídeos)
Rosemary Batista
 
FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR: ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...
FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR:  ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR:  ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...
FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR: ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...
cefaprodematupa
 
Cgeb dia do_saresp_na_escola_2014 (1)
Cgeb dia do_saresp_na_escola_2014 (1)Cgeb dia do_saresp_na_escola_2014 (1)
Cgeb dia do_saresp_na_escola_2014 (1)
Wilson Barbieri
 
Proposta Pedagogica 2015
Proposta Pedagogica 2015Proposta Pedagogica 2015
Proposta Pedagogica 2015
Andrea Mariano
 
Plano de Ação Pedagogo
Plano de Ação PedagogoPlano de Ação Pedagogo
Plano de Ação Pedagogo
CÉSAR TAVARES
 
Aprimoramento e Formação de Professores de Ensino Infantil e Fundamental
Aprimoramento e Formação de Professores de Ensino Infantil e FundamentalAprimoramento e Formação de Professores de Ensino Infantil e Fundamental
Aprimoramento e Formação de Professores de Ensino Infantil e Fundamental
Geraldo Campos
 
Pedagógico - Proposta de Intervenção Pedagógica - SEDUC/VHA/RO
Pedagógico - Proposta de Intervenção Pedagógica - SEDUC/VHA/ROPedagógico - Proposta de Intervenção Pedagógica - SEDUC/VHA/RO
Pedagógico - Proposta de Intervenção Pedagógica - SEDUC/VHA/RO
COORDENADORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO VILHENA
 
Cbc anos finais - matemática
Cbc   anos finais - matemáticaCbc   anos finais - matemática
Cbc anos finais - matemática
Antônio Fernandes
 
TutorPDFonline
TutorPDFonlineTutorPDFonline
Plano de Ação participativo_vol1
Plano de Ação participativo_vol1Plano de Ação participativo_vol1
Plano de Ação participativo_vol1
sitedcoeste
 
Projeto para Formação continuada na escola 2016
Projeto para Formação continuada na escola 2016 Projeto para Formação continuada na escola 2016
Projeto para Formação continuada na escola 2016
Maria Cecilia Silva
 

Mais procurados (20)

O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superiorO estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
 
Estagio supervisionado
Estagio supervisionadoEstagio supervisionado
Estagio supervisionado
 
83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao
 
A ATUAÇÃO DO COORDENADOR PEDAGÓGICO NA GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO COM QUA...
A ATUAÇÃO DO COORDENADOR PEDAGÓGICO NA GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO COM QUA...A ATUAÇÃO DO COORDENADOR PEDAGÓGICO NA GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO COM QUA...
A ATUAÇÃO DO COORDENADOR PEDAGÓGICO NA GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO COM QUA...
 
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
 
Plano de trabalho da formação continuada de orientadores de estudo do pacto ...
Plano de trabalho da formação continuada de orientadores de estudo do pacto  ...Plano de trabalho da formação continuada de orientadores de estudo do pacto  ...
Plano de trabalho da formação continuada de orientadores de estudo do pacto ...
 
EstáGio Supervisionado Ponta Grossa
EstáGio Supervisionado Ponta GrossaEstáGio Supervisionado Ponta Grossa
EstáGio Supervisionado Ponta Grossa
 
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professorFormação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
 
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
 
Planejamento 2013 sme (sem vídeos)
Planejamento 2013   sme (sem vídeos)Planejamento 2013   sme (sem vídeos)
Planejamento 2013 sme (sem vídeos)
 
FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR: ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...
FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR:  ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR:  ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...
FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR: ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA, O QUE OCORRE...
 
Cgeb dia do_saresp_na_escola_2014 (1)
Cgeb dia do_saresp_na_escola_2014 (1)Cgeb dia do_saresp_na_escola_2014 (1)
Cgeb dia do_saresp_na_escola_2014 (1)
 
Proposta Pedagogica 2015
Proposta Pedagogica 2015Proposta Pedagogica 2015
Proposta Pedagogica 2015
 
Plano de Ação Pedagogo
Plano de Ação PedagogoPlano de Ação Pedagogo
Plano de Ação Pedagogo
 
Aprimoramento e Formação de Professores de Ensino Infantil e Fundamental
Aprimoramento e Formação de Professores de Ensino Infantil e FundamentalAprimoramento e Formação de Professores de Ensino Infantil e Fundamental
Aprimoramento e Formação de Professores de Ensino Infantil e Fundamental
 
Pedagógico - Proposta de Intervenção Pedagógica - SEDUC/VHA/RO
Pedagógico - Proposta de Intervenção Pedagógica - SEDUC/VHA/ROPedagógico - Proposta de Intervenção Pedagógica - SEDUC/VHA/RO
Pedagógico - Proposta de Intervenção Pedagógica - SEDUC/VHA/RO
 
Cbc anos finais - matemática
Cbc   anos finais - matemáticaCbc   anos finais - matemática
Cbc anos finais - matemática
 
TutorPDFonline
TutorPDFonlineTutorPDFonline
TutorPDFonline
 
Plano de Ação participativo_vol1
Plano de Ação participativo_vol1Plano de Ação participativo_vol1
Plano de Ação participativo_vol1
 
Projeto para Formação continuada na escola 2016
Projeto para Formação continuada na escola 2016 Projeto para Formação continuada na escola 2016
Projeto para Formação continuada na escola 2016
 

Semelhante a Universidade do estado da bahia.docx pro

Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
Telma Maria Rodrigues
 
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
jeffcezanne
 
Simulado
SimuladoSimulado
Simulado
Marcia Tavares
 
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
aninhaw2
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Arivaldom
 
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docxCópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
ProfLeandrodosSantos
 
Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013
eemarquesdesaovicente
 
2-Corrigido - Apresentação - Maria Vitória e Maria Luiza.pptx
2-Corrigido - Apresentação - Maria Vitória e Maria Luiza.pptx2-Corrigido - Apresentação - Maria Vitória e Maria Luiza.pptx
2-Corrigido - Apresentação - Maria Vitória e Maria Luiza.pptx
marcos443083
 
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao PedagogicaAvaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Agostinho NSilva
 
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
pibidgeo
 
Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011
dencia999
 
DIRETRIZ DE FORMAÇÃO 2023.docx
DIRETRIZ  DE FORMAÇÃO 2023.docxDIRETRIZ  DE FORMAÇÃO 2023.docx
DIRETRIZ DE FORMAÇÃO 2023.docx
Prefeitura Municipal de Curitiba
 
Plano de gestão CHAPA 1
Plano de gestão CHAPA 1Plano de gestão CHAPA 1
Plano de gestão CHAPA 1
Andréa Otoni Sales
 
PPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. AdolfoPPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. Adolfo
heder oliveira silva
 
Plano de ação nilda auseli
Plano de ação nilda auseliPlano de ação nilda auseli
Plano de ação nilda auseli
Daniela F Almenara
 
Gorete exercicio
Gorete exercicioGorete exercicio
Gorete exercicio
Naya Vitas
 
Relatório estágio
Relatório  estágioRelatório  estágio
Relatório estágio
Maria da C.A.Versiani
 
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
heder oliveira silva
 
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
heder oliveira silva
 
Proposta Pedagógica 2014
Proposta Pedagógica 2014Proposta Pedagógica 2014
Proposta Pedagógica 2014
eemarquesdesaovicente
 

Semelhante a Universidade do estado da bahia.docx pro (20)

Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
Slides o projeto de extensão-Fortalecendo laços e rompendo barreiras através ...
 
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
 
Simulado
SimuladoSimulado
Simulado
 
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docxCópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
 
Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013
 
2-Corrigido - Apresentação - Maria Vitória e Maria Luiza.pptx
2-Corrigido - Apresentação - Maria Vitória e Maria Luiza.pptx2-Corrigido - Apresentação - Maria Vitória e Maria Luiza.pptx
2-Corrigido - Apresentação - Maria Vitória e Maria Luiza.pptx
 
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao PedagogicaAvaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
Avaliacao do Desempenho Docente e Supervisao Pedagogica
 
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
 
Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011
 
DIRETRIZ DE FORMAÇÃO 2023.docx
DIRETRIZ  DE FORMAÇÃO 2023.docxDIRETRIZ  DE FORMAÇÃO 2023.docx
DIRETRIZ DE FORMAÇÃO 2023.docx
 
Plano de gestão CHAPA 1
Plano de gestão CHAPA 1Plano de gestão CHAPA 1
Plano de gestão CHAPA 1
 
PPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. AdolfoPPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. Adolfo
 
Plano de ação nilda auseli
Plano de ação nilda auseliPlano de ação nilda auseli
Plano de ação nilda auseli
 
Gorete exercicio
Gorete exercicioGorete exercicio
Gorete exercicio
 
Relatório estágio
Relatório  estágioRelatório  estágio
Relatório estágio
 
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
 
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
Atividades relativas aos livros 01, 02, 03 e 04 etapa 01
 
Proposta Pedagógica 2014
Proposta Pedagógica 2014Proposta Pedagógica 2014
Proposta Pedagógica 2014
 

Universidade do estado da bahia.docx pro

  • 1. RELATÓRIODE ESTAGIO SUPERVISIONADO Conceição Ramos [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa]
  • 2. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – B GERENCIA DE PROJETO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA-GEAD CURSO DE LICENCIATUARA A DISTÂNCIA LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO - EAD - LC- G- V MARIA DA CONCEIÇÃO RAMOS DOS SANTOS RELATÓRIO EM ESTÁGIO SUPERVISIONADO
  • 3. SENHOR DO BONFIM - BAHIA 2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – BAHIA GERENCIA DE PROJETO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA-GEAD CURSO DE LICENCIATUARA A DISTÂNCIA LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO - MARIADA CONCEIÇÃO RAMOS DOS SANTOS
  • 4. RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I Relatório de Estágio Supervisionado Apresentado a disciplina como requisito Universidade do Estado da Bahia-UNEB na Modalidade a distância para o da disciplina s Estágio Supervisionado do C Curso de Licenciatura da Computação Senhor do BONFIM 2014 SUMÁRIO
  • 5. 1.0 INTRODUÇÃO 1.1 CONCEPÇÕES DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM LICENCIATURA EM CIENCIAS DA COMPUTAÇÃO 1.2 IMPORTANCIA DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOCENTE 1.3 DESCRIÇÃO E AVALIAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA DA ESCOLA 1.4 2.0 2.1 CONCLUSÕES SOBRE CONCLUSÕES SOBRE O ESTÁGIO DE OBSERVAÇÃO
  • 6. 1. INTRODUÇÃO Foi feito uma observação no Colégio Olga Campos de Menezes como estagio de observação da disciplina Estágio Supervisionado. Onde foi desenvolvida uma pesquisa mediante aplicação de questionário ao professor Regente um outro mediante a Diretora Silvana da Conceição Santos, observados alunos do 5º ao 9º ano do ensino fundamental II nos turnos matutinos e vespertinos buscou-se conhecer os aspetos relacionados ao convivência no âmbito escolar dando primazia às relações aprendizagem e as relações das mesmas na vida escolar, suas relações e a importância das mesmas para um bom rendimento no processo de ensino aprendizagem, bem como a necessidade de se trabalhar de forma diferenciada e mais dinâmica, uma vez que a falta de motivação é visível e frequente dia a dia o que nos causa motivos de indignação diante de tantos meios de motivacionais para aulas motivadoras e dinâmicas. Destacou-se também que há certo descaso por parte de alguns professores e alunos quanto ao ensino aprendizagem. Apesar disso existem docentes que assumem sua profissão com responsabilidade e alunos comprometidos com o aprendizado evidenciando assim a urgência na avaliação e reelaboração do projeto politico pedagógico. Acreditando que
  • 7. a escola tem função fundamental de socializar o saber sistematizando garantindo a cada individuo uma base comum de conhecimentos e habilidades contribuindo na função de cidadãos em busca de participação essencial na conscientização na luta de transformação sociais, assim como, um lugar próprio para a reprodução e sistematização de novos conhecimentos oriundos das necessidades das práticas de novos aprendizados. A escola porém é um meio formal e instruído capaz de levar os alunos a uma postura de saber que o prepara para a vida.. Para saber como desenvolver o ensino – aprendizagem, é preciso que a escola resgate esses valores morais que um dia existiram dentro da mesma e hoje se perderam em meio a tantas mudanças no meio educacional. É preciso criar com o docente situações democráticas de forma a permitir a criação de ambientes que propicie o aprendizado, que este seja a grande arma do convívio escolar na luta de superação de empasses e contradições existentes na escola. Dialogar é uma aventura que requer sensibilidade e coragem, pois há reciprocidade de exposição de ideias. É preciso descobrir o prazer de estudar e aprender com o outro. O diálogo deve ser uma ação com a prática cotidiana, com visitas e integração do ambiente onde vive o aluno e o ambiente do professor, para possibilitar uma relação entre tais experiências e o conteúdo sistematizado. O aluno precisa estar motivado para aprender, para isso e preciso que o espaço escolar tenha um clima favorável a prática didática garantindo condições para desenvolver o aprendizado do aluno.
  • 8. Acreditando que a escola tem função fundamental de socializar o saber sistematizando garantindo a cada individuo uma base comum de conhecimentos e habilidades contribuindo na função de cidadãos em busca de participação essencial na conscientização na luta de transformação sociais, assim como, um lugar próprio para a reprodução e sistematização de novos conhecimentos oriundos das necessidades das práticas de novos aprendizados.Com certeza a escola é só mais uma instituição capaz de educar moralmente e psicologicamente os jovens da novas gerações a escola apenas preparar os alunos para que possam apossar da construção, objetivando formar cidadãos pensantes livres e autônomos para aprender e crescer intelectualmente. . A escola porém é um meio formal e instruído capaz de levar os alunos a uma postura de saber que o prepara para a vida.. Para saber como desenvolver o ensino – aprendizagem, é preciso que a escola resgate esses valores morais que um dia existiram dentro da mesma e hoje se perderam em meio a tantas mudanças no meio educacional. É preciso criar com o docente situações democráticas de forma a permitir a o zelo e a conservação de ambientes que propicie o aprendizado, que este seja a grande arma do convívio escolar na luta de superação de empasses e contradições existentes na escola. Dialogar é uma aventura
  • 9. que requer sensibilidade e coragem, pois há reciprocidade de exposição de ideias. É preciso descobrir o prazer de estudar e aprender com o outro. O diálogo deve ser uma ação com aprática cotidiana, com visitas e integração do ambiente onde vive o aluno e o ambiente do professor, para possibilitar uma relação entre tais experiências e o conteúdo sistematizado. O aluno precisa estar motivado para aprender, para isso e preciso que o espaço escolar tenha um clima favorável a prática didática garantindo condições para desenvolver o aprendizado do aluno. 1.1 CONCEPÇÕES DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM LICENCIATURA EM CIENCIAS DA COMPUTAÇÃO
  • 10. Para Guerra (1995) o Estágio Supervisionado consiste em teoria e prática tendo em vista uma busca constante da realidade para uma elaboração conjunta do programa de trabalho na formação do educador. Desta forma, "o estágio é o eixo central na formação de professores, pois é através dele que o profissional conhece os aspectos indispensáveis para a formação da construção da identidade e dos saberes do dia a dia" (PIMENTA E LIMA, 2004), tronando-se etapa imprescindível para o aprendizado da prática pedagógica. Prática esta que dará ao estagiário confiança e segurança para desenvolver futuras atividades relacionadas ao ensino aprendizado, com uma familiarização com o corpo docente e discente da própria escola O Estágio Curricular Supervisionado é uma disciplina do quadro da organização curricular do curso e, está dividido em créditos. Os créditos teóricos deverão ser desenvolvidos em sala de aula em forma de seminários integrados para o Estágio Curricular Supervisionado e, desta forma, o professor orientador da disciplina de Estágio deverá realizar a apresentação da operacionalização da disciplina, onde deverá trabalhar: a lei do estágio, campos de estágio, objetivos do estágio, instrumentalização do estágio (auto avaliação do aluno, avaliação do professor orientador, avaliação do supervisor do estágio, plano de estágio, relatório de estágio, ficha de frequência do estágio), além das referências bibliográficas para auxiliar no processo de prática do estágio. Os créditos práticos deverão ser desenvolvidos em campo de estágio, sendo devidamente acompanhado por um professor orientador e um supervisor do local campo de estágio. Para o aluno cumprir as horas campo de estágio deverá estar cadastrado em uma agencia integradora de estágio, deverá ter cumprido a carga horária
  • 11. teórica desta disciplina, deverá elaborar um plano individual de trabalho para execução do estágio, deverá elaborar um plano de trabalho para o estágio, deverá manter atualizado a ficha de frequência do estágio, deverá ser avaliado pelo professor orientador, deverá ser avaliado pelo supervisor de estágio, deverá realizar a auto avaliação de seu desempenho no estágio e, ao final deverá construir o relatório de estágio descrevendo toda a sua atuação em campo. É importe destacar que, para garantirmos a qualidade do processo de desenvolvimento do estágio, para cada 10 alunos deverá haver um professor orientador e para cada 05 alunos um supervisor de Estágio Curricular Supervisionado ( Curso de Ciências da Computação | UERR) 1.2 IMPORTANCIA DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOCENTE
  • 12. Este estudo filia-se metodicamente a pesquisa de campo e a observação direta, com esta perspectiva passamos a desenvolver aplicação dos questionários propostos para a coleta de dados, observamos as aulas, os professores durante o funcionamento das aulas e suas atitudes e valores observados no cotidiano escolar. , Este estudo filia-se metodicamente a pesquisa de campo e a observação direta, com esta perspectiva passamos a desenvolver aplicação dos questionários propostos para a coleta de dados, observamos as aulas, os professores durante o funcionamento das aulas e de seus funcionários. a rotina diária das aulas, tivemos livre acesso para circular pela escola e todos os espaços livremente a rotina das aulas suas atitudes e valores observados no cotidiano escolar funcionários a rotina diária das aulas, tivemos livre acesso para circular pela escola e todos os espaços livremente, a rotina das aulas suas atitudes e valores observados no cotidiano escola O Estágio Supervisionado foi realizado na escola Municipal Olga Menezes de Carvalho No período de 09102014 a 17112014. A referida escola é de uma construção antiga mas em perfeito estado de conservação Situada na Av. Roberto Santos s/n, no município de Senhor do Bonfim-Bahia Construída nesta tem 06 salas de aula as salas são amplas adequadas às atividades pedagógicas propostas. Existe banheiros: femininos, masculino e para os
  • 13. Funcionário também. Tem também 1 biblioteca, 1 sala de professores, sala de direção/ secretaria, cantina e 1 quadra de esporte. A escola tem como clientela alunos do ensino fundamenta II no turno matutino e vespertino, com um total de 297 alunos. A comunidade escolar é formada por alunos da Zona Urbana e Zona Rural. A escola dispõe de recursos didáticos, tais como; data show, caixa acústica, materiais esportivos, Kit de materiais para artes. O corpo fisco Diretor, Vice-diretor, secretário, Coordenador pedagógico, digitador, merendeiras e pessoal dos serviços gerais Nota-se que ultimamente os jovens e adolescentes tem usufruído muito pouco do ensino e do conhecimento transmitido pelos educadores na escola, visto que os mesmos estão dispersos, como se estivessem em qualquer outro lugar, menos na escola. Ora não existe mais na alma de muitos alunos a ânsia do aprendizado, existe sim, uma falta de compromisso, de respeito e principalmente ética. Ética trata de princípios, é um eterno pensar, refletir, construir. É a escola mesmo não sendo uma excelente escola. 2. A OBSERVAÇÃO NA SALA DE AULA DO ENSINO FUNDAMENTAL O Ensino Fundamental, tem como objetivo à formação básica do cidadão mediante aquisição de conhecimentos
  • 14. habilidades, bem como a formação de atitudes e valores que fortaleçam os laços de solidariedade e tolerância reciproca na vida social; O referido curso é obrigatório e gratuito nas escolas públicas e o acesso ao mesmo deve ser proporcionado todas as idades escolares bem como aos que não tiverem em idade própria. Vale lembrar que o cidadão tem o dever de reclamar, caso seja negado esse direito. Inserido na educação básica, o ensino fundamental terá a duração de 9 anos carga horária mínima anual será de oitocentas horas, em duzentos dias letivos em, no mínimo, 9 anos. O módulo hora/aula é de 50 minutos. Para os conteúdos da Base Comum e Diversificada, foram destinadas 25 horas semanais, conforme matriz curricular. Os temas transversais estão integrados aos conteúdos curriculares nacional comum, Os currículos devem ter uma base nacional comum, que será complementada por uma parte diversificada, onde serão trabalhadas características regionais e locais da sociedade a qual pertence à clientela. A partir do 5º ano torna-se obrigatório p ensino de uma língua estrangeira. Os trabalhos escolares deverão ser planejados respeitando as faixas etárias e as condições da população escolar, bem como, difundir valores fundamentais à sociedade democrática dando primazia à valorização do ser humano, avaliando a sua qualidade através da sua produção ao longo do curso. A educação deve oportunizar o exercício da cidadania. Assim princípios constitucionais têm o caráter de instrumentos que orientam e legitimam a busca da
  • 15. transformação nas relações sociais, para garantir a efetivação ao direito de ser cidadão. 2.1 CONCLUSÕES SOBRE CONCLUSÕES SOBRE O ESTÁGIO DE OBSERVAÇÃO Diante da observação realizada pode-se constatar que os professores continuam dando aulas expositivas e copiando os conteúdos no quadro negro, mesmo percebendo que os alunos tendo o livro didático e que por este motivo percebe-se uma falta de interesse por parte dos alunos, não respeitam nem valoriza os bens públicos da escola. Em nenhuma aula foi utilizado materiais que pudesse incentivar os alunos a participar das aulas diretamente As avaliações são comuns, com perguntas simples onde a maioria dos alunos demonstravam pouco entusiasmo em responde-las muitos alunos entregam as provas sem responde-las. Os valores e as atitudes que precisam ser resgatados dentro da escola, o respeito aos colegas ao corpo docente e todos que contribuem de uma forma ou de outra para o sucesso da entidade. Porém não é tarefa fácil para os educadores, isso porque o mundo, tem-se evoluído de forma muito avançada, que a escola não tem conseguido acompanhar estas evoluções. Gerando na cabeça dos alunos conflitos sem fim. Falta aos alunos reconhecer que a escola pública como patrimônio de todos, portanto também seu e que o mesmo a mentem a altos custos, financiados pelo seu esforço produtivo
  • 16. na vivência do cotidiano. Se houvesse tal reconhecimento o mesmo estaria comprometido com a sua preservação, defendendo-a com zelo e dedicação, dentro das regras de convivências da escola estão as que orientam as relações interpessoais, baseados no respeito mutuo, na justiça, na solidariedade e no diálogo, são descritos os direitos e deveres de todos os participantes do contexto da escola. Os alunos geralmente demonstram saber seus direitos, mas não seus deveres. Aos alunos são dados o direito constitucional de acesso e permanência à educação fundamental, inclusive aos que não tiverem em idade própria. Conhece o regimento escolar, suas normas programas e horários, ser valorizado, ter oportunidade de expressar suas ideias, ser ouvidos com suas reclamações, participar ativamente das aulas e das atividades escolares, bem como ser respeitados os laços convicções religiosas e culturais, estudos de recuperação quando não atingir o desenvolvimento desejado. Tem tudo que eles como alunos deveria ter. Então porque não fazem a parte que cabe a eles e ainda quebram moveis que servirão para uso próprios. Falta-lhes aulas de valores morais e fundamentais BIBLIOGRAFIA GUIRRA; A importância do estágio na formação profissional.( 2005) LDB: Ranços e avanços. Campinas, SP: Papirus. 1997 Coleções) Magistério: (
  • 17. Formação e trabalhos pedagógicos) Estágio supervisionado: Curso de Ciências da Computação | UERR (UERR Universidade Estadual de Roraima) .
  • 18. . .