SlideShare uma empresa Scribd logo
A CONTRIBUIÇÃO DO ESTÁGIO
SUPERVISIONADO PARA O CURSO
DE PEDAGOGIA
PEDAGOGIA
09/10/2014
A CONTRIBUIÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA O CURSO DE
PEDAGOGIA.
Izabel Lúcia dos Santos Oliveira [1]
RESUMO
O presente artigo tem como objetivo analisar as contribuições do estágio supervisionado
para os acadêmicos do Curso de Pedagogia, no decorrer de sua formação universitária.
Além de verificar a relação existente entre teoria e prática, os princípios da pesquisa que
norteiam o processo ensino-aprendizagem, e os saberes que fundamentam a formação
do pedagogo. Ressalta-se que a pesquisa de campo foi realizada na Universidade Vale
do Acaraú/AP, com professores e acadêmicos do Curso de Pedagogia. As análises
conduziram para uma reflexão das vivências em estágio na formação e futura práxis
pedagógicas, buscando qualificar a produção dos saberes docentes na formação
profissional. Enfim, esta pesquisa conduziu para uma compreensão dos componentes
curriculares do Curso de Pedagogia.
Palavras-Chave: Estágio Supervisionado, Conhecimento, Pedagogia.
Introdução
A discussão atual no espaço da formação vem apontando para um novo paradigma que
insere o Estágio Supervisionado no centro do debate da formação de professores e
pedagogos, em que os saberes oriundos desta profissão são construídos pelos estagiários
buscando a superação da dicotomia entre teoria e prática. E mediante o Estágio
Supervisionado os conhecimentos são refletidos, analisados e reformulados.
Assim, este estudo constituiu-se em subsídios para reflexão de uma das questões que
apresenta-se como um verdadeiro desafio na universidade – a contribuição do Estágio
Supervisionado na formação do pedagogo, oferecido no Curso de Licenciatura Plena em
Pedagogia pela Universidade Vale do Acaraú, em Macapá/AP.
Nesta perspectiva, este artigo visa apresentar algumas reflexões e análises partindo do
pressuposto de que o estágio tem uma importante contribuição na formação dos futuros
pedagogos, partindo das experiências conquistadas pelos acadêmicos e professores
coordenadores no decorrer do desenvolvimento desta disciplina.
É valido enfatizar que o desejo de investigar o tema, “As Contribuições do Estágio
Supervisionado no Curso de Pedagogia da Universidade Vale do Acaraú" surgiu ao
final da disciplina Estágio Supervisionado, ministrada nessa universidade, em que foi
proposto um estágio norteado de novas vivências, pois nos desafia para o enfrentamento
da realidade da profissão docente do pedagogo, ao mesmo tempo em que nos incentiva
em apresentar uma nova ação docente, imersa de novos saberes, novos conhecimentos e
novas habilidades inerente ao ofício do professor e do pedagogo.
O Estágio Supervisionado em Pedagogia
A pedagogia é uma área de conhecimento, uma ciência que tem como objetivos
trabalhar em ação coletiva, considerando diferentes dimensões da sociedade, para
promover a construção da identidade dos envolvidos no processo ensino-aprendizagem.
Daí a importância de refletir criticamente, sobre os conteúdos estudados no Curso de
Pedagogia, se eles podem realmente auxiliar na prática pedagógica, bem como na
transformação da sociedade pelo papel relevante que o sistema educacional tem no
contexto social, econômico e cultural, e passa a considerar o professor como agente das
mudanças conjunturais.
É neste contexto que a Pedagogia apresenta-se como “um campo de conhecimentos que
investiga a natureza das finalidades da educação numa determinada sociedade”
(LIBÂNEO, 2005, p.24), e assim estando atrelada com a formação dos indivíduos e
suas intenções, visando prepará-los para a vida social e assim cumprir seu papel para a
melhoria da educação em sociedade.
Neste sentido, a Pedagogia é concebida como um campo do conhecimento que se ocupa
do estudo da educação, do ato educativo, da prática educativa, como parte da atividade
humana, e diz respeito a uma reflexão sistemática sobre o fenômeno educativo
(LIBÂNEO, 2005), que permeia toda a prática docente do profissional da educação.
É necessário salientar, ainda, que a Pedagogia não pode ser reduzida ao ensino e nem
somente as metodologias, é importante entendê-la como processo social sendo um
conjunto de diversas aprendizagens e práticas que permeiam a sociedade, devendo ser
observada e valorizada, por passar por diferentes âmbitos da materialidade profissional
e de por seus fenômenos educativos.
Portanto, a Pedagogia está ligada a vários ramos de estudos próprios e estudada nas
disciplinas curriculares do Curso de Pedagogia, por exemplo, a Didática e a Teoria da
Educação, que podem ajudar o futuro professor, a elaborar, articular, montar e aprender;
isto é capacitar o pedagogo para atuar em vários campos educativos atendendo assim
demandas sócio-educativas formais e informais decorrentes de novas realidades
(LIBÂNEO, 2005).
A partir desta perspectiva o pedagogo deve utilizar novas abordagens educativas
coerentes e coesas, a fim de garantir a aprendizagem em novas tecnologias, bem como
mudanças de ritmo de vida profissional, e ainda estar ciente dos acontecimentos globais
e desenvolvimento sustentável que contribuem na preservação ambiental e
socioeconômica entre outros.
Assim, pode ponderar que a formação do pedagogo é ampla dando suporte teórico e
prática para atuação e participar em vários setores na escola, podendo operar na gestão
escolar, supervisão e coordenação pedagógica no âmbito escolar, na pesquisa
educacional, na definição de políticas públicas educacionais, em movimentos sociais,
empresas, nos serviços de psicopedagogia e orientação educacional, nos programas
sociais e em outros setores educacionais, culturais e sociais. (LIBÂNEO, 2005).
Desse modo, entende-se que a função do pedagogo é muito rica no que diz
respeito à aquisição dos conhecimentos, saberes e atuação profissional cogitado no
interior das universidades mediante a matriz curricular do curso. E o Estágio
Supervisionado é um componente curricular essencial para realizar o confronto da teoria
ensinada na universidade com a prática vivenciada no cotidiano das escolas através do
Estágio Supervisionado. Visto que é neste momento que o futuro professor e pedagogo
irá refletir sobre a realidade escolar e consequentemente analisar as ligações existentes
entre a escola e as teorias pedagógicas estudadas no processo de formação acadêmica no
Curso de Pedagogia.
Elucida-se que o Estágio Supervisionado integra as inúmeras disciplinas que compõe
o currículo acadêmico, com caráter formador, crítico-analítico, que se constroem pontes
de conhecimentos elaborados durante o curso, pois propicia a complementação do
ensino-aprendizagem a serem planejados, acompanhados e avaliados, seguindo os
instrumentos curriculares, calendários escolares, e outros. (PIMENTA, 2004)
No decorrer do Estágio Supervisionado, podem-se elaborar novas experiências,
enfrentar desafios e descobrir a realidade do que é ser um professor e de como lidar com
situações adversas no âmbito da materialidade profissional, e a partir disso conseguir
analisar e reformular principais aspectos, entendimentos e alcançar a superação, já que
o estágio possibilita uma aproximação da realidade da sala de aula e da escola, sendo
que esta leva a uma reflexão teórica sobre a prática, sobre tudo o que observamos e
vivenciamos durante a mesma, propiciando ao aluno a oportunidade de aproximar-se da
realidade a qual atua ou, futuramente, atuará. (CABRAL; ANGELO, 2010, p.2).
Desta forma, o Estágio Supervisionado antecede a profissão de professor, e
possibilita compreender a carreira docente e decidir sobre ela voltando-se para uma
visão ampla do que é ser docente, aprendendo e ao mesmo tempo se descobrindo como
futuro professor, pois o
estágio é o lócus onde a identidade profissional do aluno é gerada, construída e referida;
volta-se para o desenvolvimento de uma ação vivenciada, reflexiva e critica e, por isso
deve ser planejada gradativa e sistematicamente (BURIOLLA, 1999, p13).
Nesta configuração, entende-se que o Estágio Supervisionado deve ser planejado
de forma gradativa e sistematizado, e precisar ser compreendido e analisado, num
processo de ação reflexiva e critica na formação do acadêmico e lhe dê condições de
vivenciar a prática profissional e possibilita conhecerem a realidade, aprendendo o que
esta sendo realizado, onde e como; o que não está e o por quê? (PIMENTA, 2009).
Assim, o Estágio Supervisionado pode ser considerado como
uma atividade em que o aluno revela sua criatividade, independência e caráter. (...) O
estágio Curricular Supervisionado é, durante os estudos, a disciplina que conduz à
descoberta de meios importantes para o preparo do trabalho a ser executado em
qualquer profissão. (BIANCHI, 2005, p.1).
Pondera-se que o Estágio Supervisionado é um momento de reconhecimento
profissional e de autoconhecimento da profissão docente, em que se podem aplicar
valores e sentimentos, visando à ação educativa e o processo pedagógico metódico e
intencional, proporcionando o aprendizado e produção de conhecimento, de forma
organizada e criativa.
Percebe-se assim, que se deve discutir o Estagio Supervisionado e o que surge de sua
prática pedagógica, vindo a surgir preocupações a respeito do estágio nos Cursos de
Licenciaturas em Pedagogia, e podendo ser criadas e instituídas leis e resoluções
visando sua regulamentação legal, a partir daí os Estágios Curriculares Supervisionados
passaram a ser regidos pelas Legislações listadas a seguir:
1. Lei n°. 9.394/96, de 20/12/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional;
2. Resolução CNE/CP n°1, de 15 de maio de 2006
Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia,
licenciatura.
1. Resolução CNE/CP n°2, de 19/02/2002 (D.O.U. 04/03/02) – institui a duração e
a carga horária do curso de licenciatura, de graduação plena de formação de
professores da Educação Básica em nível superior. (BRASIL, 1999)
As leis e resoluções do sistema educacional brasileiro mencionam a necessidade de se
haver um olhar amplo e um amparo para a formação de licenciados, que contribui para o
campo de trabalho e fornece informações que se articulam com a aprendizagem,
socialização e a construção de conhecimento. Sendo necessário que se compreenda e
desenvolvam-se competências e habilidades para o domínio da legislação educacional e
utilize em campo profissional.
Assim sendo, deve-se compreender que Estágio Supervisionado é um componente
curricular obrigatório no Curso de Pedagogia, que norteia os saberes teóricos e práticos,
que deve subsidiar a formação docente com práticas pedagógicas educativas conforme o
contexto social, cultural, econômico, educativo e real da sociedade, já que a
prática pedagógica é compreendida como trabalho por ter potencial de ensinar, de gerar
conhecimento, não necessariamente inédito, o que lhe confere valor social. Ela constitui
um espaço social que articula a ação com o pensamento, a teoria com a prática e
viabiliza a relação do profissional em educação com o mundo físico, social e politico,
apresentando-se, portanto, como ponto de partida e de chegada de um estudo
educacional critico e reflexivo e como um dos possíveis caminhos de aproximação do
processo educativo real (ARNONI, 2001, p.26).
Vale salientar que através do Estágio Supervisionado pode-se conhecer os fundamentos
e as práticas como se desenvolve o processos de ensino e aprendizagem, que se
caracteriza pelo ato de aprender a ensinar e de adquirir conhecimento, seguindo as leis e
resoluções nacionais que regem este processo, de forma consciente e organizado
oferecendo a oportunidade de executar tarefas relacionadas às suas áreas de interesse no
espaço escolar (IMBERNÓN, ), que valoriza e direciona o estagiário e apontar
diferentes caminhos para que alcance suas competências e desenvolvimento na
construção pessoal e social.
Segundo Pimenta (2004), a sociedade exige uma educação que possibilite a preparação
do cidadão social, técnica e cientificamente, e para o professor cabe à mediação entre
sociedade e os conhecimentos escolares trabalhados com os alunos, visando uma
educação de qualidade com profissionais competentes que respondam as necessidades
da sociedade contemporânea. E neste processo o professor é o mediador do
conhecimento que será compartilhado aos seus alunos, para isso deve estar preparado
para novas práticas educativas e do ensino.
O Estágio Supervisionado e os Saberes Docentes
As discussões existentes na área da formação do professor, e aqui em especial do
pedagogo, perpassam pelo eixo central da formação inicial de professores, e o
componente curricular do Estágio Supervisionado também é foco desta discussão por
constituí-se como um dos eixos articulares que agregar os saberes teóricos e práticos
dos profissionais da educação.
Neste contexto, o estágio assume um papel de grande relevância, não podendo ser
concebido como uma ação desvinculada co contexto da formação, ou seja, uma ação
orientada excepcionalmente em saberes teóricos dissociados da área educacional.
Porém, deve entendê-lo como uma área exclusiva dos cursos de formação de
professores, que contribui na construção de novos caminhos e os saberes teóricos e
práticos de acordo com vivências concretas do cotidiano do campo educacional.
(TARDIF, 2002)
Assim, a formação de professores necessita de constante reflexão baseadas em diversas
teorias que se encontram ligadas aos saberes dos aspectos políticos, econômicos e
sociais das Políticas Públicas para Educação e das disciplinas do currículo do curso de
formação de professor. (IMBERNÓN, 2005)
Tais pressupostos contribuem no processo de formação do futuro professor, que após
sua formação passará assumir um papel de mediador do conhecimento e do saber,
através do ato de educar ao construir conhecimentos e valorizar os saberes prévios seus
e dos seus alunos. Para isso, é importante entender que os saberes e as experiências
anteriores auxiliam o professor em suas ações educativas e compreendendo os anseios e
dificuldades de seus alunos. (PIMENTA, 2009)
É valido esclarecer que é na formação inicial de professores que estes adquirirem os
conhecimentos na universidade chamados de saber curricular que é organizado e
selecionado segundo as instituições de ensino e das disciplinas curriculares, e que irão
favorecer a atuação do acadêmico em Estágio Supervisionado, que contribuíram na
prática pedagógica dos futuros professores. (IMBERNÓN, 2005)
E neste contexto, destaca-se as considerações de Tardif (2002) no que refere-se aos
saberes os quais chama de saberes docentes classificando-os em saberes da formação
profissional, saberes pedagógicos, saberes disciplinares, saberes curriculares e saberes
experienciais. É necessário enfatizar que esses saberes encontram-se interagindo uns
com os outros em uma verdadeira sintonia que constituem os saberes da docência.
Pensa-se então, que os saberes estão presentes no Estágio Supervisionado por estarem
nas instituições de ensino através das disciplinas curriculares e que são
transmitidos mediante a formação do professor garantido uma prática pedagógica com
sucesso, em sala de aula. E isso implica dizer que contribui no momento do estágio e
que auxilia no desenvolvimento e fundamenta a ação docente do estagiário. (TARDIF,
2002)
Por fim, é valido considerar que os saberes amplamente discutidos e ressignificados no
momento do Estágio Supervisionado dão ênfase ao conhecimento e ao aprendizado do
futuro profissional da educação, e especificamente ao pedagogo, que se efetiva a partir
da realidade escolar. Portanto, é no momento da realização do estágio que o estagiário
se utiliza desses saberes para contribuir nas aulas, colaborando para a ação e a reflexão
docente e oportunizando que o professor titular reflita sua prática pedagógica.
O Estágio Supervisionado na Interação teoria e prática e a Pesquisa Educacional
no processo Formativo
No contexto da formação do profissional da educação é imprescindível discutir o
significado do Estágio Supervisionado no espaço de formação universitário por permitir
a assimilação dos saberes teóricos mediante ações visíveis de experiência em situações
diárias no ambiente escolar, que geram os saberes práticos.
Esse entendimento gera uma ação refletida por parte de professores universitários e
estagiários, resultando em uma ampliação da compreensão do papel do Estágio
Supervisionado, por possibilitar a construção de novos saberes, por meio da pesquisa
educacional. (PIMENTA, 2009)
Logo, o Estágio Supervisionado é um momento de aprendizagem e de pesquisas
em ensino, em que se questiona, constrói e prepara o acadêmico para ser um futuro
professor. E dentro da ótica da pesquisa pode-se perceber que o conhecimento tem que
ser adquirido e analisado teoricamente, pensando nisso, o pesquisar nos reporta a
ampliar e entender o que é a pesquisa e a sua importância no processo de formação de
professores. (DEMO, 2004)
Outro ponto essencial na prática da pesquisa em educação, diz respeito à
interação do ensino-aprendizado da prática e das temáticas abordadas em sala de aula,
não podendo desvincular da realidade deste contexto que propiciam novos temas de
pesquisa. E essa situação deve ser levada em conta pelos estagiários ao desenvolverem
suas atividades educacionais que perpassam pelo conhecimento teórico que fundamenta
a ação da pesquisa, isto é, não se pode realizar nenhuma prática sem conhecer a teoria.
(FAZENDA, 2007)
Assim, é evidente a importância da pesquisa na formação do profissional da educação e
para o campo educacional, no que concerne ao processo de ensino e aprendizado do
campo estágio, pois
ensinar exige pesquisa; Não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino. Esses que-
fazeres se encontram um no corpo do outro. Enquanto ensino continuo buscando,
reprocurando. Ensino porque busco, porque indaguei , porque indago e me indago.
Pesquiso para constatar, constatando, intervenho, intervindo educo e me educo.
Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar ou anunciar a novidade.
(FREIRE, 1996, p.29).
Portanto, é preciso ter a compreensão dos fundamentos teóricos e práticos da pesquisa,
pois ao iniciar o Estágio Supervisionado é preciso que o estagiário tenha o
conhecimento sobre a pesquisa para intervir na educação de forma estruturada e
planejada, e assim podendo realizar a pesquisa nas ações pedagógicas que possam
contribuir de forma significativa no processo de ensino e para a construção de novos
saberes para o desenvolvimento da sociedade.
Ressalta-se que no processo de formação do professor e do pedagogo a teoria e
prática para os futuros professores estão atreladas a ação da pesquisa, pois a relação do
estagiário com a pesquisa deve considerar o embasamento prático e teórico para realizar
suas ações, possibilitando uma capacidade de amadurecimento de se perceber e superar-
se, pois é inerente à prática e função docente. (DEMO, 2004)
E assim, a ação docente do futuro professor e do pedagogo deve ser contextualizada nos
cursos de formação, com uma reflexão sobre suas ações, e que as aulas têm a sua prática
a partir de uma fundamentação teórica, e que esta teoria se manifesta na prática e não
desvinculadas, pois de acordo com Pimenta (2004, p.37)
a prática pela prática e o emprego de técnicas sem a devida reflexão podem reforçar a
ilusão de que há uma prática sem teoria ou de uma teoria desvinculada da prática. Tanto
que, frequentemente, os alunos afirmam que ‘‘na minha prática a teoria é outra”. Neste
contexto, o estágio nos proporciona uma reflexão sobre o exercício profissional,
formação dos futuros professores e a didática aplicada.
Pensando desta forma, a prática pedagógica deve ser a forma de chegar ao
direcionamento das intervenções e os estagiários devem estar sempre conscientes de
suas ações pedagógicas alinhando teoria e prática, com uma prática reflexiva. Visando e
constituindo-se de caminhos a serem trilhados para a construção de uma prática
pedagógica consciente, cuidadosa, apurada em seus sentidos na formação de
professores. E ainda estabelecendo a pesquisa como sendo um momento de descoberta e
aquisição de valores em campo de estágio. (PIMENTA, 2009)
Enfim, pode-se concluir que o Estágio Supervisionado que transcorre por todo
período de formação do profissional da educação, busca coibir uma provável dicotomia
entre conhecimento teórico e prático mediante ao processo de pesquisa, ou seja, é a
junção da teoria com a prática para que os profissionais possam estar habilitados em
exercer a pesquisa e suas funções no cenário educacional. (PIMENTA, 2009)
Logo, o estágio passa ter um papel e uma ação fundamental no processo de
formação docente, pois deve permitir o intercâmbio entre as instituições formadoras e a
comunidade escolar, e assim situando no contexto social o curso de formação de
professores, tendo a pesquisa um dos pressupostos desta formação.
Análise das Informações Coletadas: O Estágio Supervisionado na Visão dos
Entrevistados.
Ao longo deste estudo percebeu-se categoricamente as possíveis contribuições que o
Estágio Supervisionado proporciona aos estagiários do Curso de Pedagogia, para isso
desenvolve-se uma pesquisa fundamentada na abordagem qualitativa, para se investigar
as contribuições do Estágio Supervisionado em Pedagogia. E segundo Gil (2002) ao se
formular e resolver problemas de aquisição objetiva do conhecimento é utilizado um
conjunto de abordagens, processos e técnicas de forma sistematizada pela ciência, e sua
organização varia de acordo com as peculiaridades da pesquisa.
E para isso, foi primeiramente realizada uma pesquisa bibliográfica, e em diversas obras
de diferentes teóricos que estudam a temática desta investigação como Pimenta,
Fazenda, Demo, Gil, Oliveira, Tardif e outros; bem como a realização da pesquisa de
campo, visando coletar informações vivencias pelos sujeitos desta investigação.
Ressalta-se que a coleta de dados, foi realizada mediante a utilização dos seguintes
instrumentos de pesquisa: a observação em campo e o questionário de entrevista que
“consiste num conjunto pré-elaborado, sistemático e sequencialmente, e disposto em
itens” (GIL, 2002, p.25), estruturado com 05 (cinco) perguntas, visando coletar
informações sobre a temática em questão.
Destaca-se que a coleta das informações no campo de investigação, nesta pesquisa,
realizou-se na Universidade Vale do Acaraú, no Estado do Amapá, e a escola por esta
universidade se deu por “oferecer o Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia e
proporcionar uma proposta de Estágio Supervisionado nas modalidades da Educação
Infantil, Ensino Fundamental e Gestão Escolar, organizada em três etapas, acontecendo
durante o curso”. (OLIVEIRA, 2011, p.25 .)
O que concerne à pesquisa de campo aplicou-se 05 (cinco) questionários aos estagiários
e 03 (três) aos professores de Pedagogia. Segundo Gil (2002) para elucidar a pesquisa
de campo é valido lembrar que os dados coletados devem ocorrer espontaneamente de
acordo com os fenômenos, sem interferência do pesquisador sobre os mesmos, e
objetiva-se adquirir informações e conhecimento sobre os problemas analisadas em
pesquisa, descobrindo novos fenômenos e relações entre eles.
É valido enfatizar alguns pontos essenciais da universidade campo desta pesquisa, e se
faz mediante os estudos de Oliveira (2011) que destaca que
Universidade Vale do Acaraú, com sede em Sobral, Estado do Ceará, foi instituída por
Lei Estadual n°. 10.933 de 10/10/1984, sendo reconhecida oficialmente reconhecida
pelo MEC do Ceará em 31/05/1994, e o estabelecimento da UVA no Estado do Amapá
se deu mediante um regime de colaboração ou compartilhamento de tarefa educacional
firmado pelos dispositivos legais Parecer n.° 579/2004 - CEE/CE e Parecer n.° 016/04 -
CEE/AP, os quais autorizam o funcionamento desta instituição fora de sua sede,
conforme determinação dos Conselhos Estaduais de Educação do Ceará e Amapá.
Ainda destaca-se que esta universidade instalou-se em Macapá em 2005, bem como em
outros municípios do Estado com a “missão ofertar o ensino superior de excelência, de
forma inclusiva, flexível e contextualizada, e buscar, por meio da pesquisa e extensão,
soluções que promovam a qualidade de vida” (OLIVEIRA, 2011, p.26). E assumiu o
papel de formar de acordo com a visão de futuro de “ser reconhecida por sua
competência na formação de professores para a educação básica, pela oferta de ensino
superior de qualidade, contribuindo na formação de professores” (OLIVEIRA, 2011,
p.27).
Ainda enfatiza-se, a respeito do Curso de Pedagogia oferecido pela Universidade
Vale do Acaraú, as considerações de Oliveira (2011, p.24) sobre a missão deste curso
por visar
qualificar, formar profissionais da educação que promovam o sucesso escolar,
possibilitando a apreensão de valores de uma sociedade democrática e da função social
da escola, além de enfocar a necessidade de romper com a dicotomia entre a teoria e
prática na construção do conhecimento.
Desta maneira, pode-se analisar a contribuição desta universidade na educação
amapaense, mediante as matrizes curriculares dos cursos de licenciaturas, e nesta
pesquisa em particular do Curso de Pedagogia destacando-se o componente curricular
do Estágio Supervisionado.
Assim, esta pesquisa tem a finalidade de coletar informações dos pontos de vista dos
estagiários de Pedagogia e professores coordenadores de estágios sobre a contribuição
do Estágio Supervisionado na formação do Pedagogo, a importância da pesquisa
educacional nesta formação, e os saberes docentes que norteiam esta formação e outros
diferentes pontos de vista.
A Compreensão dos Acadêmicos de Pedagogia da UVA/AP sobre o Estágio
Supervisionado.
O Estágio Supervisionado visto como requisito curricular obrigatório traz para
os acadêmicos um momento único, em que estes poderão colocar em prática o que
aprenderam na universidade. E nesta investigação ponderou-se a este respeito ao
perguntar aos acadêmicos entrevistados sobre “as contribuições do Estágio
Supervisionado na sua formação em pedagogia”, os quais responderam que este
componente curricular
contribui para a nossa formação através das práticas vivenciadas no contexto escolar e
que proporciona um melhor entendimento entre teoria e prática de forma a contribuir na
metodologia aplicada no processo de ensino e aprendizagem e que mostra a realidade
dentro do contexto escolar, a vivência do acadêmico com as situações do dia-a-dia
favorecendo na formação que se almeja e se realmente o acadêmico continuará no
curso.
Portanto, observa-se que o estágio contribui significativamente para a formação de
professores, na aquisição de novos conhecimentos e os saberes teóricos e práticos que
poderão ser avistados na profissão docentes (PIMENTA, 2004) e para que se consiga
entender a verdadeira vocação, amor pela docência e transformar a realidade da
educação, além de favorecer a compreensão do cotidiano escolar.
Sendo assim, a universidade tem como objetivo fortalecer os laços de sociais,
pedagógicos do estagiário com a escola, a fim de se construir e assegurar a formação e
passe a conhecer todo o contexto social da escola, com isso entende-se que o
estágio é uma atividade de aprendizagem social, profissional e cultural proporcionada
ao estudante pela participação em situações reais de vida e trabalho de seu meio, sendo
realizada na comunidade em geral (...) sob a responsabilidade da Instituição de Ensino.
(BRASIL, 1997).
E diante disso, o estágio deve está próximo do contexto social para que seus estagiários
participem das situações reais de sua profissão e tenha o apoio de toda a comunidade
escolar, pois o estágio direciona sua formação profissional, e proporciona uma vasta
experiência do cotidiano escolar na da vida real.
Assim, perguntou-se para os acadêmicos se estes acham que “o Estágio Supervisionado
proporciona a relação entre teoria e prática” e os entrevistados responderam de forma
unânime que
o estágio é uma ferramenta que promove a união entre teoria e prática, estudada a partir
de conteúdos e disciplinas da instituição de ensino e vivenciadas em estágio, agregando
seus conhecimentos à experiências adquiridas na escola.
Com isso, verifica-se que o Estágio Supervisionado articula a teoria e prática, pois
Pimenta (2009) diz que a prática seria a educação em relacionamentos práticos e a teoria
a Ciência da Educação, a teoria investiga a prática sobre a qual retroage mediante
conhecimentos adquiridos, e a prática o ponto de partida do conhecimento, a base da
teoria e, por efeito desta, torna-se prática orientada consciente.
No decorrer da pesquisa de campo, percebeu-se a autonomia dos acadêmicos em
responder as perguntas levantadas. Por isso, perguntou-se, “o estágio supervisionado
possibilita desenvolver o ato da pesquisa” e os entrevistados justificaram de forma geral
que
o ato da pesquisa se dá em campo de estágio através das observações da realidade, onde
todos estão envolvidos, onde possa verificar os pontos positivos e negativos e assim
articular uma intervenção de pesquisa adequada para as problemáticas. Sendo que é
através da pesquisa realizada na escola campo que pode-se ver a dinâmica no processo
ensino-aprendizagem e colaborar para sua melhoria.
Diante do exposto, percebe-se a dimensão que o Estágio Supervisionado alcança, assim
como a influência social da pesquisa para o exercício profissional dos acadêmicos, por
isso torna-se essencial que o professor tenha obtido um estágio orientado para (re)
construção de novos conhecimentos através da pesquisa proporcionado pelo estágio.
E segundo Demo (2004) o professor é, necessariamente, pesquisador, ou seja,
profissional da reconstrução do conhecimento, tanto no horizonte da pesquisa como
princípio científico e educativo, pois o professor é o “eterno aprendiz”, e só será se
souber pesquisar.
Assim, perguntou-se aos acadêmicos se o “Estágio Supervisionado favorece a
construção dos saberes que norteiam a prática do pedagogo” e os entrevistados afirmam
que
podemos adquirir conhecimentos na Universidade, escola e em outros campos de
estágio a partir do momento em que mantemos um primeiro contato com os
educandários, favorecendo a construção de saberes que norteiam a atuação docente.
A construção de saberes docentes é algo ilimitado, pois é fato dizer que o
conhecimento não tem limites, sempre existe algo para aprender, por isso, é importante
que os profissionais da educação sempre estejam atualizados para suprir as necessidades
dos acadêmicos em termos de orientação do estágio supervisionado (TARDIF, 2002),
pois os saberes da docência observados no momento do estágio contribuem
expressivamente para reconhecer e compreender novas organizações de conhecimento
em diversos contextos educacionais, e assim, possibilitando a melhora no processo
ensino-aprendizagem, bem como a formação profissional do professor e do pedagogo.
(IMBERNÓN, 2004)
Segundo Morin (2000) o conhecimento é multidimensional, dessa forma o ser humano é
ao mesmo tempo biológico, psíquico, social, afetivo e racional. E precisa entender a
condição do mundo humano, para que o modo de pensar seja globalizado,
contextualizado sendo consciente da unidade/diversidade da condição humana, pois
educar para este pensamento é a finalidade da educação do futuro.
Perante isso, o conhecimento deve ser multidimensional e o professor deve adquirir
novos saberes que contribuam em sua formação, e proporcione ao aluno um mundo
diversificado de conhecimentos, visando uma educação transformadora da realidade.
Isso nos faz pensar que para se realizar um estágio de qualidade é necessário que se
tenha uma preocupação com o saber do aluno, conhecer suas dificuldades, erros e
acertos, e que isso se faça perceber nas ações dos alunos e do professor orientador deste
estágio, ou seja, que o aluno perceba-se e reflita sobre seus atos, pois o
curso de formação de professores é determinado pela práxis dos professores,
coordenadores etc., pela práxis dos alunos enquanto alunos e pela práxis dos professores
das escolas-campo. (...) possibilitar que se “veja” o processo de ensino-aprendizagem –
núcleo do trabalho do professor – (...) a contradição aponta não só o que pode ser
mudado, mas também para onde o que está mudando pode ser direcionado. (PIMENTA,
2010, p.184).
Nesse sentido, o professor coordenação do estágio deve estar presentes no processo de
supervisão, facilitando o entendimento do estagiário à respeito dos momentos do
estágio, e que contribuam mediando o processo educacional nas escolas-campo,
proporcionando mudanças que direcionem para um ensino de qualidade.
Sendo que é importante discutir sobre o estágio, pois contribui para o melhor
desempenho e aquisição de experiência para a futura profissão, sendo que as opiniões
dos estagiários são importantes para engrandecer a prática ensino na formação docente.
A Compreensão dos Professores de Pedagogia da Universidade Vale do
Acaraú/AP sobre o Estágio Supervisionado.
Durante a vida acadêmica passa-se por diversas disciplinas, todas importantes e
relevantes, e dentre elas o Estágio Supervisionado, e como disciplina curricular é
imprescindível o acompanhamento de um professor da universidade que irá orientar e
preparar para a futura atuação docente, a fim de proporcionar uma prática reflexiva
sobre as ações pedagógicas dos estagiários, desenvolvidas no decorrer do estágio.
E para o desenvolvimento da prática educativa é necessário aproximar a universidade
através do Estágio Supervisionado e a escola, e assim permitindo a aproximação da
realidade cotidiana e de situações educativas concretas. Então, o professor orientador do
estágio tem um papel importante neste processo de integração entre os estagiários e a
escola campo de estágio, ou seja, este professor assume a função de mediador entre
escola e sociedade no que concernem as questões de ensino da prática e informar os
estagiários a partir do enfrentamento das questões culturais e sociais.
Nessa perspectiva, perguntou-se aos professores coordenadores de Estágio
Supervisionado, a respeito da “contribuição do Estágio Supervisionado na formação do
pedagogo”, estes responderam que o
estágio contribui na formação acadêmica e profissional, por possibilitar a junção entre
os saberes universitários e acadêmicos, facilitando a compreensão da profissão, assim
como relacionado conceitos teóricos e práticos a situações práticas, e também
proporcionando noção/idéia do funcionamento da sala de aula.
Nota-se então, que os supervisores realmente concordam que o estágio é
importante e que prepara o estagiário para a vida futura de professor e amplia a
formação acadêmica, pois favorece o dialogo entre os diferentes saberes que norteiam a
ação docente (PIMENTA, 2009), além de possibilitar a reflexão na ação. Diante do
exposto, verifica-se a necessidade de alinhar os saberes da prática e da teoria na
formação do profissional da educação.
É mister salientar que, a reflexão sobre a ação e durante a ação, estando o
conhecimento implícito na prática do estagiário, o que possibilita a ressignificação,
reconstrução e a elaboração de novas compreensões deste conhecimento que será
utilizado quando a situação cotidiana escolar exigir. Esta reflexão na ação profissional
constitui os princípios fundamentais do professor reflexivo. (PIMENTA, 2002)
Outra questão feita aos professores coordenadores de estágio diz respeito ao o
estágio supervisionado “como eixo central da relação entre teoria e prática”, e todos
responderam de forma geral que
sim, o estágio proporciona a relação entre teoria e prática, nas vivências de situações
trabalhadas nas disciplinas da Universidade e no ambiente escolar em sala de aula, e que
fará parte de sua futura profissão.
No âmbito escolar pode-se reconhecer que é necessário relacionar a prática e teoria nas
ações docentes, e por isso os professores orientadores consideram que essa relação deve
ser desenvolvida nas disciplinas da universidade e nas práticas pedagógicas.
E compreende-se que nas práticas pedagógicas desenvolvidas esse alinhamento
perpassa por conhecimentos teóricos que envolvem a pesquisa, pois em sua realização
profissional e acadêmico é preciso ter conhecimento sobre o assunto estudado, para
depois ser transmitido aos alunos, já que no desenrolar de sua prática docente, o
professor inventa um jeito próprio que lhe permite enfrentar a complexibilidade e a
singularidade do cotidiano escolar. (NOVÓA, 1997)
Por isso, indagou-se aos orientadores se “o estágio supervisionado possibilita
desenvolver o ato da pesquisa”. E as respostas levaram as seguintes informações, que o
estagiário defronta-se com situações reais que o levam a questionar e refletir sobre os
acontecimentos, e buscando possíveis respostas através da pesquisa, sendo necessário
uma fundamentação teórica. Assim, compreenderá e visualizará as mudanças no
contexto educativo, produzindo saberes em campo de estágio, que são frutos do ato de
pesquisar.
E sem dúvida, os professores coordenadores de estágio entrevistados concordam que a
pesquisa é facilitadora do processo ensino-aprendizagem, por indicar o caminho do
conhecimento e por gerar novos conhecimentos através dos desafios que situações
problemas apresentados no cotidiano escolar.
E nesse sentido, houve a preocupação em verificar se acontece a construção de saberes,
então perguntou-se, “o estágio favorece na construção dos saberes que norteiam a
prática do pedagogo”, e logo informaram que
sim, a prática docente é constituída pelos diferentes saberes que fundamentam a ação
docente e, a partir das vivências que o estagiário irá adquirir a base para a construção de
conhecimento estruturado.
Isso nos remete dizer que os estagiários adquirem novos saberes em estágio e os
professores coordenadores orientam e direcionam através do planejamento da disciplina
para que essa aquisição de novos saberes docentes realmente aconteça no momento do
estágio. Percebe-se então que o estágio favorece a construção do saber docente e,
permite também, a construção do saber do professor orientador, enquanto mediador do
processo de ensino. (TARDIF, 2002)
Então, a disciplina de estágio para os professores coordenadores tem grande
contribuição na vida acadêmica em vários âmbitos da aprendizagem e do conhecimento
e por isso, teve-se interesse em indagar á respeito da matriz curricular e seu andamento
em estágio, e fez-se a seguinte pergunta aos entrevistados, como “observa a disciplina
Estágio Supervisionado oferecida na matriz curricular do Curso de Pedagogia, pela
UVA/AP”, e teve como resposta comum que
esta disciplina é de suma importância na Matriz Curricular do Curso de Pedagogia, ao
possibilitar a compreensão da profissão de forma teórica e prática, mediante a vivência,
que segundo os orientadores é um período de tempo muito curto para a prática
pedagógica, causando deficiência para a construção sólida do conhecimento.
Assim, vale ressaltar que os professores coordenadores de estágio acreditam ser
importante às oportunidades de se vivenciar a docência no estágio, daí a disciplina
constar na Matriz Curricular deste curso, pois apóia na futura formação profissional. E
sendo necessário que existam reflexões e discussões sobre a carga horária permitida e o
estágio em si, para que se façam mudanças necessárias na construção de um
conhecimento consistente, e que o estágio pode-se ser melhorado cada vez mais com o
apoio da instituição.
Por fim, os conhecimentos acadêmicos e profissionais adquiridos no momento do
estagio carecem constantemente de reconstrução e de adaptação a situações singulares e
novas que “exigem do profissional reflexão e discernimento para que possa não só
compreender o problema como também organizar e esclarecer os objetivos almejados e
os meios a serem usados para atingi-los” (TARDIF, 2002, p. 42). Assim, o professor
coordenador de estagio assume o papel de mediador, pois deve criar de espaços de
reflexão em sala de aula, que ampliem os domínios desta formação no sentido de
explorar conteúdos/temas vistos no estagio, para que o estagiário tenha possibilidade de
se desenvolver para além das questões técnico-didáticas.
Considerações Finais
É sabido que a formação de professores e do pedagogo perpassa também pela formação
de identidade profissional, que se efetiva mediante a matriz curricular do curso
universitário, e aqui em especial do Curso de Pedagogia oferecido pela Universidade
Vale do Acaraú, que trabalha com conhecimentos teóricos e práticos que fundamental
essa formação.
Desta forma, durante a vida acadêmica pode-se adquirir novos conhecimentos e
aprender com os que já existem, e o Estágio Supervisionado colabora aquisição de
novos conhecimentos e para formação docente.
E de acordo com o levantamento bibliográfico e a pesquisa campo realizada constatou-
se, neste estudo, através da análise das informações coletadas em ambas as pesquisas,
que o estágio contribui significativamente para a formação de professor e em especial
dos pedagogos, por proporcionar novas experiências, novos conhecimentos e saberes da
profissão mediante os princípios norteadores da pesquisa; além de contribuir com o seu
desenvolvimento crítico, cultural e social, por perceber a profissão de forma
contextualizada.
Logo, pode-se também constatar que a hipótese desta pesquisa também foi confirma na
pesquisa bibliográfica e na de campo na medida em que através do Estágio
Supervisionados proporciona o conhecimento do cotidiano escolar, e também a
redescoberta deste espaço pelo estagiário, que interage com a complexidade deste
ambiente e redimensiona os conhecimentos adquiridos no espaço de formação. E esta é
a grandiosa contribuição do estágio que confirma a hipótese deste estudo.
Destaca-se que este processo de formação do professor e do pedagogo deve considerar a
relação existente entre teoria e prática é de reciprocidade, onde uma complementa a
outra como uma atitude crítica que orienta o desenvolvimento das competências
profissionais, configurando-se em todo o processo educacional, partindo do pressuposto
de que a construção do conhecimento não ocorre só na prática como também só na
teoria, mas na conexão de ambos os saberes mediante o ato de aprender a aprender no
exercício da profissão, visando uma ação transformadora. (NÓVOA, 1997)
Além disso, o acadêmico desenvolve seu pensar em relação aos princípios da pesquisa,
pois segundo os professores coordenadores do estágio as situações reais levam o
estagiário a refletir e buscar fundamentação para responder as suas dúvidas, e os
acadêmicos acreditam ser importante em seu amadurecimento profissional.
Por isso, o professor crie novos espaços de formação e deve estimular o estagiário a
buscar novos saberes, pois os acadêmicos e professores dizem que os saberes são
necessários em estágio, por permitir fundamentar suas ações docentes como futuros
professores e pedagogos, e assim desenvolvam as competências relacionadas aos seus
instrumentos de trabalho, em articulação com seus fundamentos pedagógicos.
Sendo que, a Universidade e os professores coordenadores devem manter um olhar
aguçado e participativo nas questões educacionais e de ensino e aprendizagem;
buscando disseminar conhecimentos para que os acadêmicos compreendam realmente
sua futura prática pedagógica, e passe a manter a reflexão sobre suas futuras ações.
Partindo desta premissa, pode-se considerar que a prática docente e do pedagogo
reflete uma concepção pedagógica, evidenciando as influências da teoria que prevalece
no contexto social de forma consciente, mesmo apresentando algumas contradições na
ação, que devem ser trabalhadas em sala de aula pelo professor orientador do estágio.
Portanto, o estágio é realmente de suma importância na Matriz Curricular do Curso de
Pedagogia, pois a compreensão da realidade educacional e ao ato de reflexão da
profissão de professor e contribuindo com ensino de qualidade para a sociedade
Referências Bibliográficas
ARNONI, M. E. A prática do estagiando no magistério na perspectiva da práxis
educativa: do estágio supervisionado do CEFAM de JALES. 2001. Tese – Faculdade
de Campinas, 2001. Disponivel em www.unicamp.com.br. Acesso em 31 maio de 2012.
BARROS, Welaine Sales. Estágio Supervisionado em Educação Física: Um Relato
de Experiência da Prática Pedagógica Desenvolvida no Colégio de Aplicação da
UFMA. São Luiz, 2006. 49 p. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal
do Maranhão.
BIANCHI, Anna Cecilia de Moraes; ALVARENGA, Marina; BIANCHI, Roberto.
Orientação para Estágio em Licenciatura. São Paulo: Pioneira Thomson, 2005.
BORSSOI, B. L. O Estágio na Formação Docente: da teoria a prática, ação-reflexão.
Trabalho Apresentado no I Simpósio Nacional de Educação da UNIOESTE. Cascavel-
PR, nov.2008.
Disponível em: www.unioeste.br/cursos/cascavel/pedagogia
BURIOLLA, M. A. F. Estágio Supervisionado. São Paulo: Cortez, 1999.
BRASIL. Decreto n. 87.497, de 18 de agosto de 1982. Regulamenta a lei n. 6.494, de 7
de dezembro de 1977, que dispõe sobre o estágio de estudantes de estabelecimentos de
ensino superior e de ensino profissionalizante do 2°grau e supletivo, nos limites que
especifica e dá outras providências, Brasilia: MEC, 1997.
CABRAL, V.L.A; ANGELO, C.B. Reflexões sobre a Importância do Estágio
Supervisionado na Prática Docente. Pernambuco, nov. 2010.
Disponível em: http://www.sbempb.com.br/epbem. Acesso em: 07 maio 2012.
CORTESÃO, Luíza. Ser professor: um ofício em risco de extinção? Porto Alegre:
Editora Afrontamento, 2002.
CHALITA, Gabriel. Os atores do processo educacional: A Solução está no Afeto. São
Paulo: Gente, 17° ed. 2004.
DELORS, Jacques (org). Educação: Um Tesouro a Descobrir. 8° ed. São Paulo:
Cortez; Brasília, DF: MEC: UNESCO, 2003.
DEMO, Pedro. Professor do Futuro e Reconstrução do Conhecimento. RJ: Editora
Vozes, 2004, 4° edição.
EADCON (Faculdade Educacional da Lapa (FAEL)). Curitiba, 2008, 570p.
DADOS INCOMPLETOS- não consta no interior do texto.
FAZENDA, I. C. A. Stela C. B. P. (Coord). A prática da pesquisa na educação.
Campinas/SP: Papirus, 14ª Ed, 2007.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa.
São Paulo: Paz e Terra, 1996.
GIL, Antônio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.
IMBERNÓN, Francisco. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança
e a incerteza. 5° ed. São Paulo: Cortez, 2005.
ISKANDAR, Jamil Ibrahim. Normas da ABNT: Comentadas para Trabalhos
Científicos. 4° ed. (ano 2009), 2°reimpr./Curitiba: Juruá, 2011.
LIBANEO, J.C. Pedagogia e Pedagogos, para quê? 8°ed. São Paulo: Cortez, 2005.
MORIN, Edgar. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. São Paulo:
Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2000.
NÓVOA, António. Formação de professores e profissão docente In: António Nóvoa
(coord.). Os Professores e a sua Formação. 3ª ed. Lisboa (Portugal): Publicações Dom
Quixote. 1997, p.15-33.
OLIVEIRA, Izabel Lúcia dos Santos. Formação Inicial de Pedagogos: a construção
dos saberes no âmbito do estágio supervisionado. Évora, 2011, 155 p. Dissertação em
Mestrado em Educação com ênfase em Avaliação Escolar. Universidade de Évora.
Portugal/Lisboa.
PIMENTA, S.G; GHEDIN, E. (orgs.). Professor Reflexivo no Brasil: Gênese e Crítica
de um Conceito. São Paulo, Cortez, 2002.
PIMENTA, Selma. O Estágio na Formação de Professores: Unidade Teoria e
Prática? São Paulo: Cortez, 2004.
PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. 4ª ed.
São Paulo: Cortez, 2009.
SOBRAL, Domiciano dos Santos (org.). Pedagogia Contemporânea: a Ressignificação
Profissional do Pedagogo no Município de Macapá. Macapá, 2004, 111 p. Trabalho
de Conclusão de Curso Universidade Federal do Amapá.
TARDIF, Maurice. Saberes Docentes e Formação Profissional. Petrópolis, RJ.
Editoras Vozes, 2002.
[1] IProfa Mestra em Educação pela Universidade de Évora, vinculada as Secretarias de
Educação Estadual e Municipal do Estado do Amapá.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estágio e docência
Estágio e docênciaEstágio e docência
Estágio e docência
Nadia Biavati
 
1.9 quadro sintese das tendências pedagógicas (1)
1.9 quadro sintese das tendências pedagógicas (1)1.9 quadro sintese das tendências pedagógicas (1)
1.9 quadro sintese das tendências pedagógicas (1)
Eduardo Lopes
 
Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2
Joao Balbi
 
Reunião pedagógica rosane gorges
Reunião pedagógica   rosane gorgesReunião pedagógica   rosane gorges
Reunião pedagógica rosane gorges
luannagorges
 
Supervisor Escolar
Supervisor EscolarSupervisor Escolar
Supervisor Escolar
Graciane Volotao
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
Magda Marques
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
Joao Balbi
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professor
carmemlima
 
Caracterização da escola 2
Caracterização da escola 2Caracterização da escola 2
Caracterização da escola 2
Superestagio
 
Planejamento Educacional
Planejamento EducacionalPlanejamento Educacional
Planejamento Educacional
Simone Lucas
 
Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem
carmensilva723002
 
Slides da reunião com professores
Slides da reunião com professoresSlides da reunião com professores
Slides da reunião com professores
driminas
 
Introdução a Pedagogia
Introdução a PedagogiaIntrodução a Pedagogia
Introdução a Pedagogia
Eduardo Fernando
 
Avaliação institucional
Avaliação institucionalAvaliação institucional
Avaliação institucional
Rosemary Batista
 
PPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores CoordenadoresPPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores Coordenadores
Giani de Cássia Santana
 
03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar
Joao Balbi
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Arivaldom
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
Profissão Professor
 
Avaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolarAvaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolar
Maria Bárbara Floriano
 
Janete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenadorJanete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenador
Nethy Marques
 

Mais procurados (20)

Estágio e docência
Estágio e docênciaEstágio e docência
Estágio e docência
 
1.9 quadro sintese das tendências pedagógicas (1)
1.9 quadro sintese das tendências pedagógicas (1)1.9 quadro sintese das tendências pedagógicas (1)
1.9 quadro sintese das tendências pedagógicas (1)
 
Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2
 
Reunião pedagógica rosane gorges
Reunião pedagógica   rosane gorgesReunião pedagógica   rosane gorges
Reunião pedagógica rosane gorges
 
Supervisor Escolar
Supervisor EscolarSupervisor Escolar
Supervisor Escolar
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professor
 
Caracterização da escola 2
Caracterização da escola 2Caracterização da escola 2
Caracterização da escola 2
 
Planejamento Educacional
Planejamento EducacionalPlanejamento Educacional
Planejamento Educacional
 
Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem
 
Slides da reunião com professores
Slides da reunião com professoresSlides da reunião com professores
Slides da reunião com professores
 
Introdução a Pedagogia
Introdução a PedagogiaIntrodução a Pedagogia
Introdução a Pedagogia
 
Avaliação institucional
Avaliação institucionalAvaliação institucional
Avaliação institucional
 
PPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores CoordenadoresPPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores Coordenadores
 
03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
 
Avaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolarAvaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolar
 
Janete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenadorJanete projeto do coordenador
Janete projeto do coordenador
 

Semelhante a A contribuição do estágio supervisionado para o curso de pedagogia

A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
ProfessorPrincipiante
 
Artigo gilberto 06
Artigo gilberto 06Artigo gilberto 06
Artigo gilberto 06
Fatima Oliveira M. Castro
 
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdf
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdfArtigo_Ensino_Fundamental II.pdf
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdf
ZoraideMenezes1
 
DIÁLOGOS ENTRE OS SABERES DA PRÁTICA E A TEORIA: O QUE DIZEM OS (AS) ACADÊMIC...
DIÁLOGOS ENTRE OS SABERES DA PRÁTICA E A TEORIA: O QUE DIZEM OS (AS) ACADÊMIC...DIÁLOGOS ENTRE OS SABERES DA PRÁTICA E A TEORIA: O QUE DIZEM OS (AS) ACADÊMIC...
DIÁLOGOS ENTRE OS SABERES DA PRÁTICA E A TEORIA: O QUE DIZEM OS (AS) ACADÊMIC...
ProfessorPrincipiante
 
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdfTEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
DrikaSato
 
CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA COLABORATIVA PARA A FORMAÇÃO E A PRÁTICA DE FUTUROS...
CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA COLABORATIVA PARA A FORMAÇÃO E A PRÁTICA DE FUTUROS...CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA COLABORATIVA PARA A FORMAÇÃO E A PRÁTICA DE FUTUROS...
CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA COLABORATIVA PARA A FORMAÇÃO E A PRÁTICA DE FUTUROS...
ProfessorPrincipiante
 
Estágio supervisionado
Estágio supervisionadoEstágio supervisionado
Estágio supervisionado
Marcelo Rony
 
~UM PROGRAMA DE FORMAÇÃO-INVESTIGAÇÃO ONLINE NA (RE) CONSTRUÇÃO DE INDICADORE...
~UM PROGRAMA DE FORMAÇÃO-INVESTIGAÇÃO ONLINE NA (RE) CONSTRUÇÃO DE INDICADORE...~UM PROGRAMA DE FORMAÇÃO-INVESTIGAÇÃO ONLINE NA (RE) CONSTRUÇÃO DE INDICADORE...
~UM PROGRAMA DE FORMAÇÃO-INVESTIGAÇÃO ONLINE NA (RE) CONSTRUÇÃO DE INDICADORE...
ProfessorPrincipiante
 
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTEPROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
ProfessorPrincipiante
 
Professor como protagonista
Professor como protagonistaProfessor como protagonista
Professor como protagonista
Jovina Aguiar
 
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
ProfessorPrincipiante
 
Material complementar disciplina pós thiago felício]
Material complementar  disciplina pós    thiago felício]Material complementar  disciplina pós    thiago felício]
Material complementar disciplina pós thiago felício]
TiagoFel1
 
TÍTULO DO TRABALHO: O PAPEL DA ATIVIDADE DE ENSINO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PRO...
TÍTULO DO TRABALHO: O PAPEL DA ATIVIDADE DE ENSINO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PRO...TÍTULO DO TRABALHO: O PAPEL DA ATIVIDADE DE ENSINO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PRO...
TÍTULO DO TRABALHO: O PAPEL DA ATIVIDADE DE ENSINO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PRO...
ProfessorPrincipiante
 
Texto 1 ewerton1
Texto 1 ewerton1Texto 1 ewerton1
Texto 1 ewerton1
Hermes Thorvalden
 
Coordenacao pedagogica 6
Coordenacao pedagogica 6Coordenacao pedagogica 6
Coordenacao pedagogica 6
Liberty Ensino
 
10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf
10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf
10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf
VinniciusFerreira2
 
O estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docenteO estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docente
Eberson Luz
 
11502 42453-1-pb
11502 42453-1-pb11502 42453-1-pb
11502 42453-1-pb
Dilma Maria Lucena Álvares
 
PROFESSORES SUPERVISORES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DO...
PROFESSORES SUPERVISORES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DO...PROFESSORES SUPERVISORES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DO...
PROFESSORES SUPERVISORES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DO...
ProfessorPrincipiante
 
A18
A18A18

Semelhante a A contribuição do estágio supervisionado para o curso de pedagogia (20)

A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
 
Artigo gilberto 06
Artigo gilberto 06Artigo gilberto 06
Artigo gilberto 06
 
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdf
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdfArtigo_Ensino_Fundamental II.pdf
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdf
 
DIÁLOGOS ENTRE OS SABERES DA PRÁTICA E A TEORIA: O QUE DIZEM OS (AS) ACADÊMIC...
DIÁLOGOS ENTRE OS SABERES DA PRÁTICA E A TEORIA: O QUE DIZEM OS (AS) ACADÊMIC...DIÁLOGOS ENTRE OS SABERES DA PRÁTICA E A TEORIA: O QUE DIZEM OS (AS) ACADÊMIC...
DIÁLOGOS ENTRE OS SABERES DA PRÁTICA E A TEORIA: O QUE DIZEM OS (AS) ACADÊMIC...
 
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdfTEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
 
CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA COLABORATIVA PARA A FORMAÇÃO E A PRÁTICA DE FUTUROS...
CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA COLABORATIVA PARA A FORMAÇÃO E A PRÁTICA DE FUTUROS...CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA COLABORATIVA PARA A FORMAÇÃO E A PRÁTICA DE FUTUROS...
CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA COLABORATIVA PARA A FORMAÇÃO E A PRÁTICA DE FUTUROS...
 
Estágio supervisionado
Estágio supervisionadoEstágio supervisionado
Estágio supervisionado
 
~UM PROGRAMA DE FORMAÇÃO-INVESTIGAÇÃO ONLINE NA (RE) CONSTRUÇÃO DE INDICADORE...
~UM PROGRAMA DE FORMAÇÃO-INVESTIGAÇÃO ONLINE NA (RE) CONSTRUÇÃO DE INDICADORE...~UM PROGRAMA DE FORMAÇÃO-INVESTIGAÇÃO ONLINE NA (RE) CONSTRUÇÃO DE INDICADORE...
~UM PROGRAMA DE FORMAÇÃO-INVESTIGAÇÃO ONLINE NA (RE) CONSTRUÇÃO DE INDICADORE...
 
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTEPROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
 
Professor como protagonista
Professor como protagonistaProfessor como protagonista
Professor como protagonista
 
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
 
Material complementar disciplina pós thiago felício]
Material complementar  disciplina pós    thiago felício]Material complementar  disciplina pós    thiago felício]
Material complementar disciplina pós thiago felício]
 
TÍTULO DO TRABALHO: O PAPEL DA ATIVIDADE DE ENSINO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PRO...
TÍTULO DO TRABALHO: O PAPEL DA ATIVIDADE DE ENSINO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PRO...TÍTULO DO TRABALHO: O PAPEL DA ATIVIDADE DE ENSINO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PRO...
TÍTULO DO TRABALHO: O PAPEL DA ATIVIDADE DE ENSINO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PRO...
 
Texto 1 ewerton1
Texto 1 ewerton1Texto 1 ewerton1
Texto 1 ewerton1
 
Coordenacao pedagogica 6
Coordenacao pedagogica 6Coordenacao pedagogica 6
Coordenacao pedagogica 6
 
10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf
10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf
10753-Texto do artigo-31858-1-10-20180514.pdf
 
O estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docenteO estágio supervisionado na formação continuada docente
O estágio supervisionado na formação continuada docente
 
11502 42453-1-pb
11502 42453-1-pb11502 42453-1-pb
11502 42453-1-pb
 
PROFESSORES SUPERVISORES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DO...
PROFESSORES SUPERVISORES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DO...PROFESSORES SUPERVISORES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DO...
PROFESSORES SUPERVISORES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DO...
 
A18
A18A18
A18
 

Último

JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 

Último (20)

JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 

A contribuição do estágio supervisionado para o curso de pedagogia

  • 1. A CONTRIBUIÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA O CURSO DE PEDAGOGIA PEDAGOGIA 09/10/2014 A CONTRIBUIÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. Izabel Lúcia dos Santos Oliveira [1] RESUMO O presente artigo tem como objetivo analisar as contribuições do estágio supervisionado para os acadêmicos do Curso de Pedagogia, no decorrer de sua formação universitária. Além de verificar a relação existente entre teoria e prática, os princípios da pesquisa que norteiam o processo ensino-aprendizagem, e os saberes que fundamentam a formação do pedagogo. Ressalta-se que a pesquisa de campo foi realizada na Universidade Vale
  • 2. do Acaraú/AP, com professores e acadêmicos do Curso de Pedagogia. As análises conduziram para uma reflexão das vivências em estágio na formação e futura práxis pedagógicas, buscando qualificar a produção dos saberes docentes na formação profissional. Enfim, esta pesquisa conduziu para uma compreensão dos componentes curriculares do Curso de Pedagogia. Palavras-Chave: Estágio Supervisionado, Conhecimento, Pedagogia. Introdução A discussão atual no espaço da formação vem apontando para um novo paradigma que insere o Estágio Supervisionado no centro do debate da formação de professores e pedagogos, em que os saberes oriundos desta profissão são construídos pelos estagiários buscando a superação da dicotomia entre teoria e prática. E mediante o Estágio Supervisionado os conhecimentos são refletidos, analisados e reformulados. Assim, este estudo constituiu-se em subsídios para reflexão de uma das questões que apresenta-se como um verdadeiro desafio na universidade – a contribuição do Estágio Supervisionado na formação do pedagogo, oferecido no Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Vale do Acaraú, em Macapá/AP. Nesta perspectiva, este artigo visa apresentar algumas reflexões e análises partindo do pressuposto de que o estágio tem uma importante contribuição na formação dos futuros pedagogos, partindo das experiências conquistadas pelos acadêmicos e professores coordenadores no decorrer do desenvolvimento desta disciplina. É valido enfatizar que o desejo de investigar o tema, “As Contribuições do Estágio Supervisionado no Curso de Pedagogia da Universidade Vale do Acaraú" surgiu ao final da disciplina Estágio Supervisionado, ministrada nessa universidade, em que foi proposto um estágio norteado de novas vivências, pois nos desafia para o enfrentamento da realidade da profissão docente do pedagogo, ao mesmo tempo em que nos incentiva em apresentar uma nova ação docente, imersa de novos saberes, novos conhecimentos e novas habilidades inerente ao ofício do professor e do pedagogo. O Estágio Supervisionado em Pedagogia A pedagogia é uma área de conhecimento, uma ciência que tem como objetivos trabalhar em ação coletiva, considerando diferentes dimensões da sociedade, para promover a construção da identidade dos envolvidos no processo ensino-aprendizagem. Daí a importância de refletir criticamente, sobre os conteúdos estudados no Curso de Pedagogia, se eles podem realmente auxiliar na prática pedagógica, bem como na transformação da sociedade pelo papel relevante que o sistema educacional tem no
  • 3. contexto social, econômico e cultural, e passa a considerar o professor como agente das mudanças conjunturais. É neste contexto que a Pedagogia apresenta-se como “um campo de conhecimentos que investiga a natureza das finalidades da educação numa determinada sociedade” (LIBÂNEO, 2005, p.24), e assim estando atrelada com a formação dos indivíduos e suas intenções, visando prepará-los para a vida social e assim cumprir seu papel para a melhoria da educação em sociedade. Neste sentido, a Pedagogia é concebida como um campo do conhecimento que se ocupa do estudo da educação, do ato educativo, da prática educativa, como parte da atividade humana, e diz respeito a uma reflexão sistemática sobre o fenômeno educativo (LIBÂNEO, 2005), que permeia toda a prática docente do profissional da educação. É necessário salientar, ainda, que a Pedagogia não pode ser reduzida ao ensino e nem somente as metodologias, é importante entendê-la como processo social sendo um conjunto de diversas aprendizagens e práticas que permeiam a sociedade, devendo ser observada e valorizada, por passar por diferentes âmbitos da materialidade profissional e de por seus fenômenos educativos. Portanto, a Pedagogia está ligada a vários ramos de estudos próprios e estudada nas disciplinas curriculares do Curso de Pedagogia, por exemplo, a Didática e a Teoria da Educação, que podem ajudar o futuro professor, a elaborar, articular, montar e aprender; isto é capacitar o pedagogo para atuar em vários campos educativos atendendo assim demandas sócio-educativas formais e informais decorrentes de novas realidades (LIBÂNEO, 2005). A partir desta perspectiva o pedagogo deve utilizar novas abordagens educativas coerentes e coesas, a fim de garantir a aprendizagem em novas tecnologias, bem como mudanças de ritmo de vida profissional, e ainda estar ciente dos acontecimentos globais e desenvolvimento sustentável que contribuem na preservação ambiental e socioeconômica entre outros. Assim, pode ponderar que a formação do pedagogo é ampla dando suporte teórico e prática para atuação e participar em vários setores na escola, podendo operar na gestão escolar, supervisão e coordenação pedagógica no âmbito escolar, na pesquisa educacional, na definição de políticas públicas educacionais, em movimentos sociais, empresas, nos serviços de psicopedagogia e orientação educacional, nos programas sociais e em outros setores educacionais, culturais e sociais. (LIBÂNEO, 2005). Desse modo, entende-se que a função do pedagogo é muito rica no que diz respeito à aquisição dos conhecimentos, saberes e atuação profissional cogitado no interior das universidades mediante a matriz curricular do curso. E o Estágio Supervisionado é um componente curricular essencial para realizar o confronto da teoria ensinada na universidade com a prática vivenciada no cotidiano das escolas através do Estágio Supervisionado. Visto que é neste momento que o futuro professor e pedagogo irá refletir sobre a realidade escolar e consequentemente analisar as ligações existentes entre a escola e as teorias pedagógicas estudadas no processo de formação acadêmica no Curso de Pedagogia.
  • 4. Elucida-se que o Estágio Supervisionado integra as inúmeras disciplinas que compõe o currículo acadêmico, com caráter formador, crítico-analítico, que se constroem pontes de conhecimentos elaborados durante o curso, pois propicia a complementação do ensino-aprendizagem a serem planejados, acompanhados e avaliados, seguindo os instrumentos curriculares, calendários escolares, e outros. (PIMENTA, 2004) No decorrer do Estágio Supervisionado, podem-se elaborar novas experiências, enfrentar desafios e descobrir a realidade do que é ser um professor e de como lidar com situações adversas no âmbito da materialidade profissional, e a partir disso conseguir analisar e reformular principais aspectos, entendimentos e alcançar a superação, já que o estágio possibilita uma aproximação da realidade da sala de aula e da escola, sendo que esta leva a uma reflexão teórica sobre a prática, sobre tudo o que observamos e vivenciamos durante a mesma, propiciando ao aluno a oportunidade de aproximar-se da realidade a qual atua ou, futuramente, atuará. (CABRAL; ANGELO, 2010, p.2). Desta forma, o Estágio Supervisionado antecede a profissão de professor, e possibilita compreender a carreira docente e decidir sobre ela voltando-se para uma visão ampla do que é ser docente, aprendendo e ao mesmo tempo se descobrindo como futuro professor, pois o estágio é o lócus onde a identidade profissional do aluno é gerada, construída e referida; volta-se para o desenvolvimento de uma ação vivenciada, reflexiva e critica e, por isso deve ser planejada gradativa e sistematicamente (BURIOLLA, 1999, p13). Nesta configuração, entende-se que o Estágio Supervisionado deve ser planejado de forma gradativa e sistematizado, e precisar ser compreendido e analisado, num processo de ação reflexiva e critica na formação do acadêmico e lhe dê condições de vivenciar a prática profissional e possibilita conhecerem a realidade, aprendendo o que esta sendo realizado, onde e como; o que não está e o por quê? (PIMENTA, 2009). Assim, o Estágio Supervisionado pode ser considerado como uma atividade em que o aluno revela sua criatividade, independência e caráter. (...) O estágio Curricular Supervisionado é, durante os estudos, a disciplina que conduz à descoberta de meios importantes para o preparo do trabalho a ser executado em qualquer profissão. (BIANCHI, 2005, p.1).
  • 5. Pondera-se que o Estágio Supervisionado é um momento de reconhecimento profissional e de autoconhecimento da profissão docente, em que se podem aplicar valores e sentimentos, visando à ação educativa e o processo pedagógico metódico e intencional, proporcionando o aprendizado e produção de conhecimento, de forma organizada e criativa. Percebe-se assim, que se deve discutir o Estagio Supervisionado e o que surge de sua prática pedagógica, vindo a surgir preocupações a respeito do estágio nos Cursos de Licenciaturas em Pedagogia, e podendo ser criadas e instituídas leis e resoluções visando sua regulamentação legal, a partir daí os Estágios Curriculares Supervisionados passaram a ser regidos pelas Legislações listadas a seguir: 1. Lei n°. 9.394/96, de 20/12/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional; 2. Resolução CNE/CP n°1, de 15 de maio de 2006 Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. 1. Resolução CNE/CP n°2, de 19/02/2002 (D.O.U. 04/03/02) – institui a duração e a carga horária do curso de licenciatura, de graduação plena de formação de professores da Educação Básica em nível superior. (BRASIL, 1999) As leis e resoluções do sistema educacional brasileiro mencionam a necessidade de se haver um olhar amplo e um amparo para a formação de licenciados, que contribui para o campo de trabalho e fornece informações que se articulam com a aprendizagem, socialização e a construção de conhecimento. Sendo necessário que se compreenda e desenvolvam-se competências e habilidades para o domínio da legislação educacional e utilize em campo profissional. Assim sendo, deve-se compreender que Estágio Supervisionado é um componente curricular obrigatório no Curso de Pedagogia, que norteia os saberes teóricos e práticos, que deve subsidiar a formação docente com práticas pedagógicas educativas conforme o contexto social, cultural, econômico, educativo e real da sociedade, já que a prática pedagógica é compreendida como trabalho por ter potencial de ensinar, de gerar conhecimento, não necessariamente inédito, o que lhe confere valor social. Ela constitui um espaço social que articula a ação com o pensamento, a teoria com a prática e viabiliza a relação do profissional em educação com o mundo físico, social e politico, apresentando-se, portanto, como ponto de partida e de chegada de um estudo educacional critico e reflexivo e como um dos possíveis caminhos de aproximação do processo educativo real (ARNONI, 2001, p.26). Vale salientar que através do Estágio Supervisionado pode-se conhecer os fundamentos e as práticas como se desenvolve o processos de ensino e aprendizagem, que se
  • 6. caracteriza pelo ato de aprender a ensinar e de adquirir conhecimento, seguindo as leis e resoluções nacionais que regem este processo, de forma consciente e organizado oferecendo a oportunidade de executar tarefas relacionadas às suas áreas de interesse no espaço escolar (IMBERNÓN, ), que valoriza e direciona o estagiário e apontar diferentes caminhos para que alcance suas competências e desenvolvimento na construção pessoal e social. Segundo Pimenta (2004), a sociedade exige uma educação que possibilite a preparação do cidadão social, técnica e cientificamente, e para o professor cabe à mediação entre sociedade e os conhecimentos escolares trabalhados com os alunos, visando uma educação de qualidade com profissionais competentes que respondam as necessidades da sociedade contemporânea. E neste processo o professor é o mediador do conhecimento que será compartilhado aos seus alunos, para isso deve estar preparado para novas práticas educativas e do ensino. O Estágio Supervisionado e os Saberes Docentes As discussões existentes na área da formação do professor, e aqui em especial do pedagogo, perpassam pelo eixo central da formação inicial de professores, e o componente curricular do Estágio Supervisionado também é foco desta discussão por constituí-se como um dos eixos articulares que agregar os saberes teóricos e práticos dos profissionais da educação. Neste contexto, o estágio assume um papel de grande relevância, não podendo ser concebido como uma ação desvinculada co contexto da formação, ou seja, uma ação orientada excepcionalmente em saberes teóricos dissociados da área educacional. Porém, deve entendê-lo como uma área exclusiva dos cursos de formação de professores, que contribui na construção de novos caminhos e os saberes teóricos e práticos de acordo com vivências concretas do cotidiano do campo educacional. (TARDIF, 2002) Assim, a formação de professores necessita de constante reflexão baseadas em diversas teorias que se encontram ligadas aos saberes dos aspectos políticos, econômicos e sociais das Políticas Públicas para Educação e das disciplinas do currículo do curso de formação de professor. (IMBERNÓN, 2005) Tais pressupostos contribuem no processo de formação do futuro professor, que após sua formação passará assumir um papel de mediador do conhecimento e do saber, através do ato de educar ao construir conhecimentos e valorizar os saberes prévios seus e dos seus alunos. Para isso, é importante entender que os saberes e as experiências anteriores auxiliam o professor em suas ações educativas e compreendendo os anseios e dificuldades de seus alunos. (PIMENTA, 2009) É valido esclarecer que é na formação inicial de professores que estes adquirirem os conhecimentos na universidade chamados de saber curricular que é organizado e selecionado segundo as instituições de ensino e das disciplinas curriculares, e que irão
  • 7. favorecer a atuação do acadêmico em Estágio Supervisionado, que contribuíram na prática pedagógica dos futuros professores. (IMBERNÓN, 2005) E neste contexto, destaca-se as considerações de Tardif (2002) no que refere-se aos saberes os quais chama de saberes docentes classificando-os em saberes da formação profissional, saberes pedagógicos, saberes disciplinares, saberes curriculares e saberes experienciais. É necessário enfatizar que esses saberes encontram-se interagindo uns com os outros em uma verdadeira sintonia que constituem os saberes da docência. Pensa-se então, que os saberes estão presentes no Estágio Supervisionado por estarem nas instituições de ensino através das disciplinas curriculares e que são transmitidos mediante a formação do professor garantido uma prática pedagógica com sucesso, em sala de aula. E isso implica dizer que contribui no momento do estágio e que auxilia no desenvolvimento e fundamenta a ação docente do estagiário. (TARDIF, 2002) Por fim, é valido considerar que os saberes amplamente discutidos e ressignificados no momento do Estágio Supervisionado dão ênfase ao conhecimento e ao aprendizado do futuro profissional da educação, e especificamente ao pedagogo, que se efetiva a partir da realidade escolar. Portanto, é no momento da realização do estágio que o estagiário se utiliza desses saberes para contribuir nas aulas, colaborando para a ação e a reflexão docente e oportunizando que o professor titular reflita sua prática pedagógica. O Estágio Supervisionado na Interação teoria e prática e a Pesquisa Educacional no processo Formativo No contexto da formação do profissional da educação é imprescindível discutir o significado do Estágio Supervisionado no espaço de formação universitário por permitir a assimilação dos saberes teóricos mediante ações visíveis de experiência em situações diárias no ambiente escolar, que geram os saberes práticos. Esse entendimento gera uma ação refletida por parte de professores universitários e estagiários, resultando em uma ampliação da compreensão do papel do Estágio Supervisionado, por possibilitar a construção de novos saberes, por meio da pesquisa educacional. (PIMENTA, 2009) Logo, o Estágio Supervisionado é um momento de aprendizagem e de pesquisas em ensino, em que se questiona, constrói e prepara o acadêmico para ser um futuro professor. E dentro da ótica da pesquisa pode-se perceber que o conhecimento tem que ser adquirido e analisado teoricamente, pensando nisso, o pesquisar nos reporta a ampliar e entender o que é a pesquisa e a sua importância no processo de formação de professores. (DEMO, 2004) Outro ponto essencial na prática da pesquisa em educação, diz respeito à interação do ensino-aprendizado da prática e das temáticas abordadas em sala de aula, não podendo desvincular da realidade deste contexto que propiciam novos temas de
  • 8. pesquisa. E essa situação deve ser levada em conta pelos estagiários ao desenvolverem suas atividades educacionais que perpassam pelo conhecimento teórico que fundamenta a ação da pesquisa, isto é, não se pode realizar nenhuma prática sem conhecer a teoria. (FAZENDA, 2007) Assim, é evidente a importância da pesquisa na formação do profissional da educação e para o campo educacional, no que concerne ao processo de ensino e aprendizado do campo estágio, pois ensinar exige pesquisa; Não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino. Esses que- fazeres se encontram um no corpo do outro. Enquanto ensino continuo buscando, reprocurando. Ensino porque busco, porque indaguei , porque indago e me indago. Pesquiso para constatar, constatando, intervenho, intervindo educo e me educo. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar ou anunciar a novidade. (FREIRE, 1996, p.29). Portanto, é preciso ter a compreensão dos fundamentos teóricos e práticos da pesquisa, pois ao iniciar o Estágio Supervisionado é preciso que o estagiário tenha o conhecimento sobre a pesquisa para intervir na educação de forma estruturada e planejada, e assim podendo realizar a pesquisa nas ações pedagógicas que possam contribuir de forma significativa no processo de ensino e para a construção de novos saberes para o desenvolvimento da sociedade. Ressalta-se que no processo de formação do professor e do pedagogo a teoria e prática para os futuros professores estão atreladas a ação da pesquisa, pois a relação do estagiário com a pesquisa deve considerar o embasamento prático e teórico para realizar suas ações, possibilitando uma capacidade de amadurecimento de se perceber e superar- se, pois é inerente à prática e função docente. (DEMO, 2004) E assim, a ação docente do futuro professor e do pedagogo deve ser contextualizada nos cursos de formação, com uma reflexão sobre suas ações, e que as aulas têm a sua prática a partir de uma fundamentação teórica, e que esta teoria se manifesta na prática e não desvinculadas, pois de acordo com Pimenta (2004, p.37) a prática pela prática e o emprego de técnicas sem a devida reflexão podem reforçar a ilusão de que há uma prática sem teoria ou de uma teoria desvinculada da prática. Tanto que, frequentemente, os alunos afirmam que ‘‘na minha prática a teoria é outra”. Neste contexto, o estágio nos proporciona uma reflexão sobre o exercício profissional, formação dos futuros professores e a didática aplicada. Pensando desta forma, a prática pedagógica deve ser a forma de chegar ao direcionamento das intervenções e os estagiários devem estar sempre conscientes de suas ações pedagógicas alinhando teoria e prática, com uma prática reflexiva. Visando e constituindo-se de caminhos a serem trilhados para a construção de uma prática pedagógica consciente, cuidadosa, apurada em seus sentidos na formação de
  • 9. professores. E ainda estabelecendo a pesquisa como sendo um momento de descoberta e aquisição de valores em campo de estágio. (PIMENTA, 2009) Enfim, pode-se concluir que o Estágio Supervisionado que transcorre por todo período de formação do profissional da educação, busca coibir uma provável dicotomia entre conhecimento teórico e prático mediante ao processo de pesquisa, ou seja, é a junção da teoria com a prática para que os profissionais possam estar habilitados em exercer a pesquisa e suas funções no cenário educacional. (PIMENTA, 2009) Logo, o estágio passa ter um papel e uma ação fundamental no processo de formação docente, pois deve permitir o intercâmbio entre as instituições formadoras e a comunidade escolar, e assim situando no contexto social o curso de formação de professores, tendo a pesquisa um dos pressupostos desta formação. Análise das Informações Coletadas: O Estágio Supervisionado na Visão dos Entrevistados. Ao longo deste estudo percebeu-se categoricamente as possíveis contribuições que o Estágio Supervisionado proporciona aos estagiários do Curso de Pedagogia, para isso desenvolve-se uma pesquisa fundamentada na abordagem qualitativa, para se investigar as contribuições do Estágio Supervisionado em Pedagogia. E segundo Gil (2002) ao se formular e resolver problemas de aquisição objetiva do conhecimento é utilizado um conjunto de abordagens, processos e técnicas de forma sistematizada pela ciência, e sua organização varia de acordo com as peculiaridades da pesquisa. E para isso, foi primeiramente realizada uma pesquisa bibliográfica, e em diversas obras de diferentes teóricos que estudam a temática desta investigação como Pimenta, Fazenda, Demo, Gil, Oliveira, Tardif e outros; bem como a realização da pesquisa de campo, visando coletar informações vivencias pelos sujeitos desta investigação. Ressalta-se que a coleta de dados, foi realizada mediante a utilização dos seguintes instrumentos de pesquisa: a observação em campo e o questionário de entrevista que “consiste num conjunto pré-elaborado, sistemático e sequencialmente, e disposto em itens” (GIL, 2002, p.25), estruturado com 05 (cinco) perguntas, visando coletar informações sobre a temática em questão. Destaca-se que a coleta das informações no campo de investigação, nesta pesquisa, realizou-se na Universidade Vale do Acaraú, no Estado do Amapá, e a escola por esta universidade se deu por “oferecer o Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia e proporcionar uma proposta de Estágio Supervisionado nas modalidades da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Gestão Escolar, organizada em três etapas, acontecendo durante o curso”. (OLIVEIRA, 2011, p.25 .) O que concerne à pesquisa de campo aplicou-se 05 (cinco) questionários aos estagiários e 03 (três) aos professores de Pedagogia. Segundo Gil (2002) para elucidar a pesquisa de campo é valido lembrar que os dados coletados devem ocorrer espontaneamente de acordo com os fenômenos, sem interferência do pesquisador sobre os mesmos, e
  • 10. objetiva-se adquirir informações e conhecimento sobre os problemas analisadas em pesquisa, descobrindo novos fenômenos e relações entre eles. É valido enfatizar alguns pontos essenciais da universidade campo desta pesquisa, e se faz mediante os estudos de Oliveira (2011) que destaca que Universidade Vale do Acaraú, com sede em Sobral, Estado do Ceará, foi instituída por Lei Estadual n°. 10.933 de 10/10/1984, sendo reconhecida oficialmente reconhecida pelo MEC do Ceará em 31/05/1994, e o estabelecimento da UVA no Estado do Amapá se deu mediante um regime de colaboração ou compartilhamento de tarefa educacional firmado pelos dispositivos legais Parecer n.° 579/2004 - CEE/CE e Parecer n.° 016/04 - CEE/AP, os quais autorizam o funcionamento desta instituição fora de sua sede, conforme determinação dos Conselhos Estaduais de Educação do Ceará e Amapá. Ainda destaca-se que esta universidade instalou-se em Macapá em 2005, bem como em outros municípios do Estado com a “missão ofertar o ensino superior de excelência, de forma inclusiva, flexível e contextualizada, e buscar, por meio da pesquisa e extensão, soluções que promovam a qualidade de vida” (OLIVEIRA, 2011, p.26). E assumiu o papel de formar de acordo com a visão de futuro de “ser reconhecida por sua competência na formação de professores para a educação básica, pela oferta de ensino superior de qualidade, contribuindo na formação de professores” (OLIVEIRA, 2011, p.27). Ainda enfatiza-se, a respeito do Curso de Pedagogia oferecido pela Universidade Vale do Acaraú, as considerações de Oliveira (2011, p.24) sobre a missão deste curso por visar qualificar, formar profissionais da educação que promovam o sucesso escolar, possibilitando a apreensão de valores de uma sociedade democrática e da função social da escola, além de enfocar a necessidade de romper com a dicotomia entre a teoria e prática na construção do conhecimento. Desta maneira, pode-se analisar a contribuição desta universidade na educação amapaense, mediante as matrizes curriculares dos cursos de licenciaturas, e nesta pesquisa em particular do Curso de Pedagogia destacando-se o componente curricular do Estágio Supervisionado. Assim, esta pesquisa tem a finalidade de coletar informações dos pontos de vista dos estagiários de Pedagogia e professores coordenadores de estágios sobre a contribuição do Estágio Supervisionado na formação do Pedagogo, a importância da pesquisa educacional nesta formação, e os saberes docentes que norteiam esta formação e outros diferentes pontos de vista.
  • 11. A Compreensão dos Acadêmicos de Pedagogia da UVA/AP sobre o Estágio Supervisionado. O Estágio Supervisionado visto como requisito curricular obrigatório traz para os acadêmicos um momento único, em que estes poderão colocar em prática o que aprenderam na universidade. E nesta investigação ponderou-se a este respeito ao perguntar aos acadêmicos entrevistados sobre “as contribuições do Estágio Supervisionado na sua formação em pedagogia”, os quais responderam que este componente curricular contribui para a nossa formação através das práticas vivenciadas no contexto escolar e que proporciona um melhor entendimento entre teoria e prática de forma a contribuir na metodologia aplicada no processo de ensino e aprendizagem e que mostra a realidade dentro do contexto escolar, a vivência do acadêmico com as situações do dia-a-dia favorecendo na formação que se almeja e se realmente o acadêmico continuará no curso. Portanto, observa-se que o estágio contribui significativamente para a formação de professores, na aquisição de novos conhecimentos e os saberes teóricos e práticos que poderão ser avistados na profissão docentes (PIMENTA, 2004) e para que se consiga entender a verdadeira vocação, amor pela docência e transformar a realidade da educação, além de favorecer a compreensão do cotidiano escolar. Sendo assim, a universidade tem como objetivo fortalecer os laços de sociais, pedagógicos do estagiário com a escola, a fim de se construir e assegurar a formação e passe a conhecer todo o contexto social da escola, com isso entende-se que o estágio é uma atividade de aprendizagem social, profissional e cultural proporcionada ao estudante pela participação em situações reais de vida e trabalho de seu meio, sendo realizada na comunidade em geral (...) sob a responsabilidade da Instituição de Ensino. (BRASIL, 1997). E diante disso, o estágio deve está próximo do contexto social para que seus estagiários participem das situações reais de sua profissão e tenha o apoio de toda a comunidade escolar, pois o estágio direciona sua formação profissional, e proporciona uma vasta experiência do cotidiano escolar na da vida real.
  • 12. Assim, perguntou-se para os acadêmicos se estes acham que “o Estágio Supervisionado proporciona a relação entre teoria e prática” e os entrevistados responderam de forma unânime que o estágio é uma ferramenta que promove a união entre teoria e prática, estudada a partir de conteúdos e disciplinas da instituição de ensino e vivenciadas em estágio, agregando seus conhecimentos à experiências adquiridas na escola. Com isso, verifica-se que o Estágio Supervisionado articula a teoria e prática, pois Pimenta (2009) diz que a prática seria a educação em relacionamentos práticos e a teoria a Ciência da Educação, a teoria investiga a prática sobre a qual retroage mediante conhecimentos adquiridos, e a prática o ponto de partida do conhecimento, a base da teoria e, por efeito desta, torna-se prática orientada consciente. No decorrer da pesquisa de campo, percebeu-se a autonomia dos acadêmicos em responder as perguntas levantadas. Por isso, perguntou-se, “o estágio supervisionado possibilita desenvolver o ato da pesquisa” e os entrevistados justificaram de forma geral que o ato da pesquisa se dá em campo de estágio através das observações da realidade, onde todos estão envolvidos, onde possa verificar os pontos positivos e negativos e assim articular uma intervenção de pesquisa adequada para as problemáticas. Sendo que é através da pesquisa realizada na escola campo que pode-se ver a dinâmica no processo ensino-aprendizagem e colaborar para sua melhoria. Diante do exposto, percebe-se a dimensão que o Estágio Supervisionado alcança, assim como a influência social da pesquisa para o exercício profissional dos acadêmicos, por isso torna-se essencial que o professor tenha obtido um estágio orientado para (re) construção de novos conhecimentos através da pesquisa proporcionado pelo estágio. E segundo Demo (2004) o professor é, necessariamente, pesquisador, ou seja, profissional da reconstrução do conhecimento, tanto no horizonte da pesquisa como princípio científico e educativo, pois o professor é o “eterno aprendiz”, e só será se souber pesquisar. Assim, perguntou-se aos acadêmicos se o “Estágio Supervisionado favorece a construção dos saberes que norteiam a prática do pedagogo” e os entrevistados afirmam que
  • 13. podemos adquirir conhecimentos na Universidade, escola e em outros campos de estágio a partir do momento em que mantemos um primeiro contato com os educandários, favorecendo a construção de saberes que norteiam a atuação docente. A construção de saberes docentes é algo ilimitado, pois é fato dizer que o conhecimento não tem limites, sempre existe algo para aprender, por isso, é importante que os profissionais da educação sempre estejam atualizados para suprir as necessidades dos acadêmicos em termos de orientação do estágio supervisionado (TARDIF, 2002), pois os saberes da docência observados no momento do estágio contribuem expressivamente para reconhecer e compreender novas organizações de conhecimento em diversos contextos educacionais, e assim, possibilitando a melhora no processo ensino-aprendizagem, bem como a formação profissional do professor e do pedagogo. (IMBERNÓN, 2004) Segundo Morin (2000) o conhecimento é multidimensional, dessa forma o ser humano é ao mesmo tempo biológico, psíquico, social, afetivo e racional. E precisa entender a condição do mundo humano, para que o modo de pensar seja globalizado, contextualizado sendo consciente da unidade/diversidade da condição humana, pois educar para este pensamento é a finalidade da educação do futuro. Perante isso, o conhecimento deve ser multidimensional e o professor deve adquirir novos saberes que contribuam em sua formação, e proporcione ao aluno um mundo diversificado de conhecimentos, visando uma educação transformadora da realidade. Isso nos faz pensar que para se realizar um estágio de qualidade é necessário que se tenha uma preocupação com o saber do aluno, conhecer suas dificuldades, erros e acertos, e que isso se faça perceber nas ações dos alunos e do professor orientador deste estágio, ou seja, que o aluno perceba-se e reflita sobre seus atos, pois o curso de formação de professores é determinado pela práxis dos professores, coordenadores etc., pela práxis dos alunos enquanto alunos e pela práxis dos professores das escolas-campo. (...) possibilitar que se “veja” o processo de ensino-aprendizagem – núcleo do trabalho do professor – (...) a contradição aponta não só o que pode ser mudado, mas também para onde o que está mudando pode ser direcionado. (PIMENTA, 2010, p.184). Nesse sentido, o professor coordenação do estágio deve estar presentes no processo de supervisão, facilitando o entendimento do estagiário à respeito dos momentos do estágio, e que contribuam mediando o processo educacional nas escolas-campo, proporcionando mudanças que direcionem para um ensino de qualidade. Sendo que é importante discutir sobre o estágio, pois contribui para o melhor desempenho e aquisição de experiência para a futura profissão, sendo que as opiniões dos estagiários são importantes para engrandecer a prática ensino na formação docente.
  • 14. A Compreensão dos Professores de Pedagogia da Universidade Vale do Acaraú/AP sobre o Estágio Supervisionado. Durante a vida acadêmica passa-se por diversas disciplinas, todas importantes e relevantes, e dentre elas o Estágio Supervisionado, e como disciplina curricular é imprescindível o acompanhamento de um professor da universidade que irá orientar e preparar para a futura atuação docente, a fim de proporcionar uma prática reflexiva sobre as ações pedagógicas dos estagiários, desenvolvidas no decorrer do estágio. E para o desenvolvimento da prática educativa é necessário aproximar a universidade através do Estágio Supervisionado e a escola, e assim permitindo a aproximação da realidade cotidiana e de situações educativas concretas. Então, o professor orientador do estágio tem um papel importante neste processo de integração entre os estagiários e a escola campo de estágio, ou seja, este professor assume a função de mediador entre escola e sociedade no que concernem as questões de ensino da prática e informar os estagiários a partir do enfrentamento das questões culturais e sociais. Nessa perspectiva, perguntou-se aos professores coordenadores de Estágio Supervisionado, a respeito da “contribuição do Estágio Supervisionado na formação do pedagogo”, estes responderam que o estágio contribui na formação acadêmica e profissional, por possibilitar a junção entre os saberes universitários e acadêmicos, facilitando a compreensão da profissão, assim como relacionado conceitos teóricos e práticos a situações práticas, e também proporcionando noção/idéia do funcionamento da sala de aula. Nota-se então, que os supervisores realmente concordam que o estágio é importante e que prepara o estagiário para a vida futura de professor e amplia a formação acadêmica, pois favorece o dialogo entre os diferentes saberes que norteiam a ação docente (PIMENTA, 2009), além de possibilitar a reflexão na ação. Diante do exposto, verifica-se a necessidade de alinhar os saberes da prática e da teoria na formação do profissional da educação. É mister salientar que, a reflexão sobre a ação e durante a ação, estando o conhecimento implícito na prática do estagiário, o que possibilita a ressignificação, reconstrução e a elaboração de novas compreensões deste conhecimento que será utilizado quando a situação cotidiana escolar exigir. Esta reflexão na ação profissional constitui os princípios fundamentais do professor reflexivo. (PIMENTA, 2002) Outra questão feita aos professores coordenadores de estágio diz respeito ao o estágio supervisionado “como eixo central da relação entre teoria e prática”, e todos responderam de forma geral que
  • 15. sim, o estágio proporciona a relação entre teoria e prática, nas vivências de situações trabalhadas nas disciplinas da Universidade e no ambiente escolar em sala de aula, e que fará parte de sua futura profissão. No âmbito escolar pode-se reconhecer que é necessário relacionar a prática e teoria nas ações docentes, e por isso os professores orientadores consideram que essa relação deve ser desenvolvida nas disciplinas da universidade e nas práticas pedagógicas. E compreende-se que nas práticas pedagógicas desenvolvidas esse alinhamento perpassa por conhecimentos teóricos que envolvem a pesquisa, pois em sua realização profissional e acadêmico é preciso ter conhecimento sobre o assunto estudado, para depois ser transmitido aos alunos, já que no desenrolar de sua prática docente, o professor inventa um jeito próprio que lhe permite enfrentar a complexibilidade e a singularidade do cotidiano escolar. (NOVÓA, 1997) Por isso, indagou-se aos orientadores se “o estágio supervisionado possibilita desenvolver o ato da pesquisa”. E as respostas levaram as seguintes informações, que o estagiário defronta-se com situações reais que o levam a questionar e refletir sobre os acontecimentos, e buscando possíveis respostas através da pesquisa, sendo necessário uma fundamentação teórica. Assim, compreenderá e visualizará as mudanças no contexto educativo, produzindo saberes em campo de estágio, que são frutos do ato de pesquisar. E sem dúvida, os professores coordenadores de estágio entrevistados concordam que a pesquisa é facilitadora do processo ensino-aprendizagem, por indicar o caminho do conhecimento e por gerar novos conhecimentos através dos desafios que situações problemas apresentados no cotidiano escolar. E nesse sentido, houve a preocupação em verificar se acontece a construção de saberes, então perguntou-se, “o estágio favorece na construção dos saberes que norteiam a prática do pedagogo”, e logo informaram que sim, a prática docente é constituída pelos diferentes saberes que fundamentam a ação docente e, a partir das vivências que o estagiário irá adquirir a base para a construção de conhecimento estruturado. Isso nos remete dizer que os estagiários adquirem novos saberes em estágio e os professores coordenadores orientam e direcionam através do planejamento da disciplina para que essa aquisição de novos saberes docentes realmente aconteça no momento do
  • 16. estágio. Percebe-se então que o estágio favorece a construção do saber docente e, permite também, a construção do saber do professor orientador, enquanto mediador do processo de ensino. (TARDIF, 2002) Então, a disciplina de estágio para os professores coordenadores tem grande contribuição na vida acadêmica em vários âmbitos da aprendizagem e do conhecimento e por isso, teve-se interesse em indagar á respeito da matriz curricular e seu andamento em estágio, e fez-se a seguinte pergunta aos entrevistados, como “observa a disciplina Estágio Supervisionado oferecida na matriz curricular do Curso de Pedagogia, pela UVA/AP”, e teve como resposta comum que esta disciplina é de suma importância na Matriz Curricular do Curso de Pedagogia, ao possibilitar a compreensão da profissão de forma teórica e prática, mediante a vivência, que segundo os orientadores é um período de tempo muito curto para a prática pedagógica, causando deficiência para a construção sólida do conhecimento. Assim, vale ressaltar que os professores coordenadores de estágio acreditam ser importante às oportunidades de se vivenciar a docência no estágio, daí a disciplina constar na Matriz Curricular deste curso, pois apóia na futura formação profissional. E sendo necessário que existam reflexões e discussões sobre a carga horária permitida e o estágio em si, para que se façam mudanças necessárias na construção de um conhecimento consistente, e que o estágio pode-se ser melhorado cada vez mais com o apoio da instituição. Por fim, os conhecimentos acadêmicos e profissionais adquiridos no momento do estagio carecem constantemente de reconstrução e de adaptação a situações singulares e novas que “exigem do profissional reflexão e discernimento para que possa não só compreender o problema como também organizar e esclarecer os objetivos almejados e os meios a serem usados para atingi-los” (TARDIF, 2002, p. 42). Assim, o professor coordenador de estagio assume o papel de mediador, pois deve criar de espaços de reflexão em sala de aula, que ampliem os domínios desta formação no sentido de explorar conteúdos/temas vistos no estagio, para que o estagiário tenha possibilidade de se desenvolver para além das questões técnico-didáticas. Considerações Finais É sabido que a formação de professores e do pedagogo perpassa também pela formação de identidade profissional, que se efetiva mediante a matriz curricular do curso universitário, e aqui em especial do Curso de Pedagogia oferecido pela Universidade Vale do Acaraú, que trabalha com conhecimentos teóricos e práticos que fundamental essa formação.
  • 17. Desta forma, durante a vida acadêmica pode-se adquirir novos conhecimentos e aprender com os que já existem, e o Estágio Supervisionado colabora aquisição de novos conhecimentos e para formação docente. E de acordo com o levantamento bibliográfico e a pesquisa campo realizada constatou- se, neste estudo, através da análise das informações coletadas em ambas as pesquisas, que o estágio contribui significativamente para a formação de professor e em especial dos pedagogos, por proporcionar novas experiências, novos conhecimentos e saberes da profissão mediante os princípios norteadores da pesquisa; além de contribuir com o seu desenvolvimento crítico, cultural e social, por perceber a profissão de forma contextualizada. Logo, pode-se também constatar que a hipótese desta pesquisa também foi confirma na pesquisa bibliográfica e na de campo na medida em que através do Estágio Supervisionados proporciona o conhecimento do cotidiano escolar, e também a redescoberta deste espaço pelo estagiário, que interage com a complexidade deste ambiente e redimensiona os conhecimentos adquiridos no espaço de formação. E esta é a grandiosa contribuição do estágio que confirma a hipótese deste estudo. Destaca-se que este processo de formação do professor e do pedagogo deve considerar a relação existente entre teoria e prática é de reciprocidade, onde uma complementa a outra como uma atitude crítica que orienta o desenvolvimento das competências profissionais, configurando-se em todo o processo educacional, partindo do pressuposto de que a construção do conhecimento não ocorre só na prática como também só na teoria, mas na conexão de ambos os saberes mediante o ato de aprender a aprender no exercício da profissão, visando uma ação transformadora. (NÓVOA, 1997) Além disso, o acadêmico desenvolve seu pensar em relação aos princípios da pesquisa, pois segundo os professores coordenadores do estágio as situações reais levam o estagiário a refletir e buscar fundamentação para responder as suas dúvidas, e os acadêmicos acreditam ser importante em seu amadurecimento profissional. Por isso, o professor crie novos espaços de formação e deve estimular o estagiário a buscar novos saberes, pois os acadêmicos e professores dizem que os saberes são necessários em estágio, por permitir fundamentar suas ações docentes como futuros professores e pedagogos, e assim desenvolvam as competências relacionadas aos seus instrumentos de trabalho, em articulação com seus fundamentos pedagógicos. Sendo que, a Universidade e os professores coordenadores devem manter um olhar aguçado e participativo nas questões educacionais e de ensino e aprendizagem; buscando disseminar conhecimentos para que os acadêmicos compreendam realmente sua futura prática pedagógica, e passe a manter a reflexão sobre suas futuras ações. Partindo desta premissa, pode-se considerar que a prática docente e do pedagogo reflete uma concepção pedagógica, evidenciando as influências da teoria que prevalece no contexto social de forma consciente, mesmo apresentando algumas contradições na ação, que devem ser trabalhadas em sala de aula pelo professor orientador do estágio.
  • 18. Portanto, o estágio é realmente de suma importância na Matriz Curricular do Curso de Pedagogia, pois a compreensão da realidade educacional e ao ato de reflexão da profissão de professor e contribuindo com ensino de qualidade para a sociedade Referências Bibliográficas ARNONI, M. E. A prática do estagiando no magistério na perspectiva da práxis educativa: do estágio supervisionado do CEFAM de JALES. 2001. Tese – Faculdade de Campinas, 2001. Disponivel em www.unicamp.com.br. Acesso em 31 maio de 2012. BARROS, Welaine Sales. Estágio Supervisionado em Educação Física: Um Relato de Experiência da Prática Pedagógica Desenvolvida no Colégio de Aplicação da UFMA. São Luiz, 2006. 49 p. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Maranhão. BIANCHI, Anna Cecilia de Moraes; ALVARENGA, Marina; BIANCHI, Roberto. Orientação para Estágio em Licenciatura. São Paulo: Pioneira Thomson, 2005. BORSSOI, B. L. O Estágio na Formação Docente: da teoria a prática, ação-reflexão. Trabalho Apresentado no I Simpósio Nacional de Educação da UNIOESTE. Cascavel- PR, nov.2008. Disponível em: www.unioeste.br/cursos/cascavel/pedagogia BURIOLLA, M. A. F. Estágio Supervisionado. São Paulo: Cortez, 1999. BRASIL. Decreto n. 87.497, de 18 de agosto de 1982. Regulamenta a lei n. 6.494, de 7 de dezembro de 1977, que dispõe sobre o estágio de estudantes de estabelecimentos de ensino superior e de ensino profissionalizante do 2°grau e supletivo, nos limites que especifica e dá outras providências, Brasilia: MEC, 1997. CABRAL, V.L.A; ANGELO, C.B. Reflexões sobre a Importância do Estágio Supervisionado na Prática Docente. Pernambuco, nov. 2010. Disponível em: http://www.sbempb.com.br/epbem. Acesso em: 07 maio 2012. CORTESÃO, Luíza. Ser professor: um ofício em risco de extinção? Porto Alegre: Editora Afrontamento, 2002. CHALITA, Gabriel. Os atores do processo educacional: A Solução está no Afeto. São Paulo: Gente, 17° ed. 2004.
  • 19. DELORS, Jacques (org). Educação: Um Tesouro a Descobrir. 8° ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: MEC: UNESCO, 2003. DEMO, Pedro. Professor do Futuro e Reconstrução do Conhecimento. RJ: Editora Vozes, 2004, 4° edição. EADCON (Faculdade Educacional da Lapa (FAEL)). Curitiba, 2008, 570p. DADOS INCOMPLETOS- não consta no interior do texto. FAZENDA, I. C. A. Stela C. B. P. (Coord). A prática da pesquisa na educação. Campinas/SP: Papirus, 14ª Ed, 2007. FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. GIL, Antônio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002. IMBERNÓN, Francisco. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 5° ed. São Paulo: Cortez, 2005. ISKANDAR, Jamil Ibrahim. Normas da ABNT: Comentadas para Trabalhos Científicos. 4° ed. (ano 2009), 2°reimpr./Curitiba: Juruá, 2011. LIBANEO, J.C. Pedagogia e Pedagogos, para quê? 8°ed. São Paulo: Cortez, 2005. MORIN, Edgar. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2000.
  • 20. NÓVOA, António. Formação de professores e profissão docente In: António Nóvoa (coord.). Os Professores e a sua Formação. 3ª ed. Lisboa (Portugal): Publicações Dom Quixote. 1997, p.15-33. OLIVEIRA, Izabel Lúcia dos Santos. Formação Inicial de Pedagogos: a construção dos saberes no âmbito do estágio supervisionado. Évora, 2011, 155 p. Dissertação em Mestrado em Educação com ênfase em Avaliação Escolar. Universidade de Évora. Portugal/Lisboa. PIMENTA, S.G; GHEDIN, E. (orgs.). Professor Reflexivo no Brasil: Gênese e Crítica de um Conceito. São Paulo, Cortez, 2002. PIMENTA, Selma. O Estágio na Formação de Professores: Unidade Teoria e Prática? São Paulo: Cortez, 2004. PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. 4ª ed. São Paulo: Cortez, 2009. SOBRAL, Domiciano dos Santos (org.). Pedagogia Contemporânea: a Ressignificação Profissional do Pedagogo no Município de Macapá. Macapá, 2004, 111 p. Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal do Amapá. TARDIF, Maurice. Saberes Docentes e Formação Profissional. Petrópolis, RJ. Editoras Vozes, 2002. [1] IProfa Mestra em Educação pela Universidade de Évora, vinculada as Secretarias de Educação Estadual e Municipal do Estado do Amapá.