SlideShare uma empresa Scribd logo
TURISMO FLUVIAL EM
PORTUGAL
Disciplina de Organização e Negociação
Trabalho
individual de
Albertina Lima –
N.º 1 – 1º Ano -
TAV
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
1
ÍNDICE
1. Introdução................................................................................................................................ 02
2. O que é o Turismo Fluvial......................................................................................................... 03
3. Turismo Fluvial em Portugal .................................................................................................... 04
a. Praias fluviais Aldeias de Xisto - mapa ...................................................................... 05
b. Praias fluviais centro de Portugal - mapa.................................................................. 06
c. Turismo fluvial no Douro........................................................................................... 07
d. Turismo fluvial no Alqueva........................................................................................ 08
4. Conclusão................................................................................................................................. 10
5. Webgrafia consultada .............................................................................................................. 11
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
2
Este trabalho tem como objetivo retratar o Turismo Fluvial e como o mesmo se
desenvolve em Portugal.
Refere as principais praias fluviais, as quais têm sido objeto de aposta por parte de
algumas entidades públicas, assim como de empresas turísticas.
Por fim é mencionado dois destinos turísticos desenvolvidos num rio e seus afluentes e
numa barragem, respetivamente, mostrando as suas principais atividades
desenvolvidas e o que esses destinos têm para oferecer aos turistas que os procuram.
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
3
Turismo Fluvial é um conceito pouco conhecido e pouco desenvolvido em Portugal,
enquanto que, em alguns países da Europa, nomeadamente França, Alemanha, Irlanda
ou Holanda, este tipo de turismo está bastante desenvolvido, potenciando rios, canais
e lagos, como vias de comunicação que ligam destinos.
O Turismo Fluvial é mais do que embarcações cheias de passageiros que navegam nos
rios para disfrutar de paisagens, é também a promoção do contacto com o meio
envolvente, seja a natureza ou as povoações ribeirinhas, que poderão ser simples
aldeias ou grandes cidades.
Nem todos os rios, lagos ou barragens têm potencialidades para a prática do turismo
fluvial, embora possam possuir uma boa qualidade de água, sejam tranquilos e
possuidores de um clima ameno, poderão não constituir um destino de eleição, sendo
necessário estarem associados outros aspetos que possam interessar o turista,
nomeadamente:
 O património histórico (edificado ou não);
 O património arqueológico, associado a vias de comunicação e informação
adequadas;
 Gastronomia regional, com atividade de restauração e hotelaria de fácil acesso
a partir da água;
 Caminhadas em contacto com a natureza;
 Geocatching, que consiste em esconder objetos “caches” num determinado
espaço, dos quais são reveladas as coordenadas de onde se encontram
escondidos, com o objetivo dos participantes os encontrarem. Para praticar
este desporto é necessário um mapa, um GPS e muito espírito de aventura;
 Caça;
 Pesca;
 Canoagem;
 Vela;
 Ocorrência de eventos como regatas ou outras competições náuticas.
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
4
Em Portugal existe uma variedade
(mais de 100) de praias fluviais, um
pouco por todo o país, localizando-se as
mesmas junto a rios, ribeiras e
albufeiras, em várias cidades e vilas de
norte a sul do país.
Algumas praias fluviais são vigiadas por
nadadores salvadores, tendo sido
atribuída, em 2012, a BANDEIRA AZUL a
diversas praias fluviais:
NORTE
 Fraga da Pegada, em Bragança;
 Albufeira do Azibo, em
Bragança;
 Congida, em Freixo de Espada à
Cinta;
CENTRO
 Aldeia do Mato, em Abrantes;
 Louçainha, em Penela;
 Carvoeiro, em Mação
 Quinta do Barco, Sever do Vouga
 Valheiras, Guarda
 Sandomil, Loriga, Seia
 Palheiros Zorro, Coimbra
ALENTEJO
 Albufeira da Tapada Grande, Mértola
ALGARVE
 Pego Fundo, Alcoutim
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
5
PRAIAS FLUVIAIS DAS ALDEIAS DO XISTO
1 - ORTIGA
2 - ALDEIA RUIVA
3 - RIBEIRA GRANDE
4 - MALHADAL
5 - FRÓIA
6 - FRAGAS DE S.
SIMÃO
7- ANA DE AVIZ
8 - MOSTEIRO
9 - AÇUDE PINTO
10 - CAMBAS
11- LOUÇAINHA
12 - ROCAS
13 - POÇO CORGA
14 - SRª DA PIEDADE
15 - SRª DA GRAÇA
16 - BOGUEIRA
17 - PENEDA
18 - CANAVEIAS
19 - SECARIAS
20 - POMARES
21 - PIÓDÃO
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
6
PRAIAS FLUVIAIS DA REGIÃO CENTRO
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
7
TURISMO FLUVIAL NO RIO DOURO
O Vale do Douro, que atravessa um dos
Patrimónios Mundiais classificados pela
UNESCO, é fruto das maravilhas da
natureza, mas também da energia
despendida pelo homem na sua
transformação, nomeadamente no
que se refere à vinha que gera as
castas do célebre Vinho do Porto,
onde durante séculos o homem
desventrou a terra, removeu o xisto
maciço, moldando os muros e patamares
de socalcos para amparar as videiras, que
deram lugar à primeira Região Demarcada do
mundo, título conferido por Marquês de Pombal, no século XVIII.
Dispondo a região do Douro de vários recursos e produtos turísticos, o Rio é sem dúvida um
recurso bastante atrativo, por diversos fatores:
 Rio navegável com diversos afluentes;
 Dotado de fortes atrativos paisagísticos;
 Provido de atividades de animação turístico-fluvial;
 Com condições ideias para a prática de desportos náuticos, nomeadamente:
o Regatas
o Canoagem
o Hidrospeed
o Rafting
o Cannoying
o Remo
o Vela
o Pesca desportiva
 Existência de diversas empresas que operam na via navegável do Douro, com barcos-
hotel, com uma clara tendência de crescimento do seu número.
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
8
Um dos recentes atrativos é o barco das
comemorações dos 60 anos de reinado
da rainha de Inglaterra, Isabel II - "Spirit
of Chartwell", o qual irá estar ao serviço
do turismo do Douro no próximo mês
de março de 2013.
Esta luxuosa embarcação foi comprada
por uma empresa de cruzeiros fluviais
(Douro Azul) e é direcionada para
turistas com bastante poder de compra,
uma vez que uma semana de férias na
real embarcação custará mais de cinco
mil euros.
TURISMO FLUVIAL NO ALQUEVA
O Grande Lago do Alqueva, situa-se no Alentejo. É
o maior lago artificial da Europa, com 250 Km2
de
área e 1.160 Km de perímetro, possuindo mais de
150 Km de vias navegáveis.
Este empreendimento tem como objetivo principal
o fornecimento de água às populações, a irrigação
agrícola e a produção de energia elétrica, contudo
o seu aproveitamento turístico é sem dúvida
bastante interessante.
 A criação do Grande Lago permitiu que um
conjunto de povoações (oito no lado português e
duas no lado espanhol), se tornassem mais
próximas e acessíveis a partir da água, munidas de
estruturas fluviais que permitem a atracagem de
embarcações, nomeadamente:
 Monsaraz - património mundial particularmente bem conservado e vila de onde se
avista uma paisagem de grande beleza natural;
 Mourão - vila com mais de 3000 habitantes, fortificada;
 Juromenha – vila fortificada no extremo norte da zona navegável;
 Pequenas e pitorescas aldeias, de casario branco, com gastronomia e artesanato
regional, como:
o Amieira
o Campinho
o Estrela
o Alqueva
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
9
A qualidade das águas proporcionou uma nova e crescente fauna específica desta zona,
atestando que as alterações provocadas deliberadamente pelo homem, causaram uma
resposta positiva da natureza, ressaltando-se múltiplas espécies de aves e peixes.
Os “Barcos-Casa” constituem um elo de ligação entre as
povoações, considerados alojamentos amigos da natureza,
ideais para explorar todos os pontos de interesse do
Grande Lago. Estes barcos, de dimensões variáveis, são
perfeitamente autónomos, permitindo alojamento e
liberdade de navegar pela barragem do Alqueva, não
sendo necessário possuir carta de marinheiro.
São embarcações confortáveis, possuindo a bordo
tudo o que possa ser necessário para uma estadia mais
ou menos prolongada, sendo o ideal uma semana, podendo ainda ser
transportadas canoas e bicicletas, permitindo deste modo chegar a todo o lado.
Outra forma de passar o tempo é a pesca, para os apreciadores desta modalidade, existindo
ainda outras atividades, nomeadamente:
 O aluguer de cavalos;
 O aluguer de moto4 ou outros veículos de TT;
 Os passeios de charrete e de balão de ar quente;
 As provas de vinho nas adegas da região;
 O esqui náutico e o wakebord;
 Os “ateliers” de olaria e tecelagem;
 As múltiplas atividades de “team building”, “paintball”, “geocatching”;
 O banho e o mergulho.
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
10
Com este trabalho retratei de um modo geral, as potencialidades existentes nos rios
portugueses, e o que eles nos podem oferecer em termos turísticos, nomeadamente as praias
fluviais que se encontram em grande desenvolvimento.
Referenciei ainda dois destinos de turismo fluvial distintos, um bastante desenvolvido e outro
em vias de desenvolvimento.
O Turismo Fluvial em Portugal é uma atividade em crescente expansão, sendo uma aposta a
considerar num futuro muito próximo!
ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA
Turismo Fluvial em Portugal
OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano
11
http://blog.toprural.pt/geocaching-o-que-e-como-e-onde-pratica-lo-em-portugal/
http://www.praiasfluviais.com/praias.asp
http://www.online24.pt/praias-fluviais/
http://fugas.publico.pt/Noticias/298570_turismo-fluvial-no-douro-tera-mais-quatro-barcos-
hotel-ate-2014
http://www1.ionline.pt/conteudo/32168-douro-sobrevive--crise-turismo-fluvial-cresce-9
http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=I
nterior&content_id=2652883
http://www.expotur.eu/o-turismo-fluvial-e-o-turismo-rural-e-natureza/
http://www.douro-turismo.pt/
http://www.ccr-norte.pt/fotos/editor2/imported/www.ccr-
norte.pt/regnorte/pdtvd_2007_2013.pdf

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Indústria e desenvolvimento rural 11 4
Indústria e desenvolvimento rural 11 4Indústria e desenvolvimento rural 11 4
Indústria e desenvolvimento rural 11 4
Joao Paulo Curto
 
Turismo fluvial em portugal
Turismo fluvial em portugalTurismo fluvial em portugal
Turismo fluvial em portugal
Tina Lima
 
Infra-estruturas Portuarias
Infra-estruturas PortuariasInfra-estruturas Portuarias
Infra-estruturas Portuarias
POL9
 
Indústria e desenvolvimento rural 11ºse
Indústria e desenvolvimento rural 11ºseIndústria e desenvolvimento rural 11ºse
Indústria e desenvolvimento rural 11ºse
mariajosantos
 
Turismo nos espaços rurais se
Turismo nos espaços rurais seTurismo nos espaços rurais se
Turismo nos espaços rurais se
mariajosantos
 

Mais procurados (20)

Turismo em espaço rural
Turismo em espaço ruralTurismo em espaço rural
Turismo em espaço rural
 
Turismo Cinegético
Turismo CinegéticoTurismo Cinegético
Turismo Cinegético
 
Indústria e desenvolvimento rural 11 4
Indústria e desenvolvimento rural 11 4Indústria e desenvolvimento rural 11 4
Indústria e desenvolvimento rural 11 4
 
Turismo fluvial em portugal
Turismo fluvial em portugalTurismo fluvial em portugal
Turismo fluvial em portugal
 
turismo
turismoturismo
turismo
 
Regioes agrarias
Regioes agrariasRegioes agrarias
Regioes agrarias
 
Infra-estruturas Portuarias
Infra-estruturas PortuariasInfra-estruturas Portuarias
Infra-estruturas Portuarias
 
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e MinhoAs regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
 
Indústria e desenvolvimento rural 11ºse
Indústria e desenvolvimento rural 11ºseIndústria e desenvolvimento rural 11ºse
Indústria e desenvolvimento rural 11ºse
 
Turismo nos espaços rurais se
Turismo nos espaços rurais seTurismo nos espaços rurais se
Turismo nos espaços rurais se
 
Perfil Do Turista
Perfil Do TuristaPerfil Do Turista
Perfil Do Turista
 
Características da população agrícola
Características da população agrícolaCaracterísticas da população agrícola
Características da população agrícola
 
Algarve - Região Agrária
Algarve - Região Agrária Algarve - Região Agrária
Algarve - Região Agrária
 
A Agricultura
A AgriculturaA Agricultura
A Agricultura
 
Procura e oferta turística
Procura e oferta turísticaProcura e oferta turística
Procura e oferta turística
 
A Atividade Piscatória
A Atividade PiscatóriaA Atividade Piscatória
A Atividade Piscatória
 
Módulo 8
Módulo 8Módulo 8
Módulo 8
 
Produção agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- AlentejoProdução agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- Alentejo
 
Agricultura 11º ano (exceto PAC)
Agricultura 11º ano (exceto PAC)Agricultura 11º ano (exceto PAC)
Agricultura 11º ano (exceto PAC)
 
O turismo-geografia
O turismo-geografiaO turismo-geografia
O turismo-geografia
 

Semelhante a Turismo fluvial

Turismo fluvial em portugal
Turismo fluvial em portugalTurismo fluvial em portugal
Turismo fluvial em portugal
Tina Lima
 
Transportes fluviais
Transportes fluviaisTransportes fluviais
Transportes fluviais
Lena Ferreira
 
AP_BARCO EVORA 1931-2015
AP_BARCO EVORA 1931-2015AP_BARCO EVORA 1931-2015
AP_BARCO EVORA 1931-2015
Ana Higgs
 
Transportes marítimos
Transportes marítimosTransportes marítimos
Transportes marítimos
chave1999
 
Turismo marítimo
Turismo marítimoTurismo marítimo
Turismo marítimo
chave1999
 
Turismo marítimo
Turismo marítimoTurismo marítimo
Turismo marítimo
chave1999
 
Transportes fluviais
Transportes fluviaisTransportes fluviais
Transportes fluviais
Mayjö .
 
Setubal Tecnicos de Turismo
Setubal Tecnicos de TurismoSetubal Tecnicos de Turismo
Setubal Tecnicos de Turismo
amesgeo
 

Semelhante a Turismo fluvial (20)

Turismo fluvial em portugal
Turismo fluvial em portugalTurismo fluvial em portugal
Turismo fluvial em portugal
 
Turimo fluvial e energia hídrica
Turimo fluvial e energia hídricaTurimo fluvial e energia hídrica
Turimo fluvial e energia hídrica
 
1838
18381838
1838
 
Transportes fluviais
Transportes fluviaisTransportes fluviais
Transportes fluviais
 
Rio Guadiana
Rio GuadianaRio Guadiana
Rio Guadiana
 
AP_BARCO EVORA 1931-2015
AP_BARCO EVORA 1931-2015AP_BARCO EVORA 1931-2015
AP_BARCO EVORA 1931-2015
 
Relatório final
Relatório finalRelatório final
Relatório final
 
Região da estremadura
Região da estremaduraRegião da estremadura
Região da estremadura
 
Transportes marítimos
Transportes marítimosTransportes marítimos
Transportes marítimos
 
Turismo marítimo
Turismo marítimoTurismo marítimo
Turismo marítimo
 
Turismo marítimo
Turismo marítimoTurismo marítimo
Turismo marítimo
 
Relatório final
Relatório finalRelatório final
Relatório final
 
Transportes fluviais
Transportes fluviaisTransportes fluviais
Transportes fluviais
 
Fam trip omíada vila do bispo
Fam trip omíada vila do bispoFam trip omíada vila do bispo
Fam trip omíada vila do bispo
 
Alqueva PORTUGAL turismo
Alqueva PORTUGAL turismoAlqueva PORTUGAL turismo
Alqueva PORTUGAL turismo
 
Rota do Românico
Rota do RomânicoRota do Românico
Rota do Românico
 
Why Portugal ? +351 926 333 599
Why Portugal ? +351 926 333 599Why Portugal ? +351 926 333 599
Why Portugal ? +351 926 333 599
 
Portugal
PortugalPortugal
Portugal
 
Setubal Tecnicos de Turismo
Setubal Tecnicos de TurismoSetubal Tecnicos de Turismo
Setubal Tecnicos de Turismo
 
Guia transalentejo pt
Guia transalentejo ptGuia transalentejo pt
Guia transalentejo pt
 

Mais de Tina Lima

Meios de comunicação no trabalho
Meios de comunicação no trabalhoMeios de comunicação no trabalho
Meios de comunicação no trabalho
Tina Lima
 
Mass média manipulação
Mass média manipulaçãoMass média manipulação
Mass média manipulação
Tina Lima
 
Má arquitetura
Má arquiteturaMá arquitetura
Má arquitetura
Tina Lima
 
Formação profissional
Formação profissionalFormação profissional
Formação profissional
Tina Lima
 
Expressão de vivências para entregar
Expressão de vivências para entregarExpressão de vivências para entregar
Expressão de vivências para entregar
Tina Lima
 
Elementos do processo de comunicação texto
Elementos do processo de comunicação textoElementos do processo de comunicação texto
Elementos do processo de comunicação texto
Tina Lima
 
Co incineração na arrábida
Co incineração na arrábidaCo incineração na arrábida
Co incineração na arrábida
Tina Lima
 
Portugal um retrato social nós e os outros
Portugal um retrato social   nós e os outrosPortugal um retrato social   nós e os outros
Portugal um retrato social nós e os outros
Tina Lima
 
O realismo na literatura oitocentista
O realismo na literatura oitocentistaO realismo na literatura oitocentista
O realismo na literatura oitocentista
Tina Lima
 
Memórias e diário opinião sobre anne frank
Memórias e diário opinião sobre anne frankMemórias e diário opinião sobre anne frank
Memórias e diário opinião sobre anne frank
Tina Lima
 
Lendas síntese
Lendas sínteseLendas síntese
Lendas síntese
Tina Lima
 
Definições de arte pergunta resposta
Definições de arte pergunta respostaDefinições de arte pergunta resposta
Definições de arte pergunta resposta
Tina Lima
 
Batalha de estalinegrado
Batalha de estalinegradoBatalha de estalinegrado
Batalha de estalinegrado
Tina Lima
 
Arte tendências literárias pergunta resposta
Arte tendências literárias pergunta respostaArte tendências literárias pergunta resposta
Arte tendências literárias pergunta resposta
Tina Lima
 
Progresso ciêntifico no séc. xix
Progresso ciêntifico no séc. xixProgresso ciêntifico no séc. xix
Progresso ciêntifico no séc. xix
Tina Lima
 
Castelo de marialva cartolina
Castelo de marialva cartolinaCastelo de marialva cartolina
Castelo de marialva cartolina
Tina Lima
 
Trabalho grupo clc certificado
Trabalho grupo clc certificadoTrabalho grupo clc certificado
Trabalho grupo clc certificado
Tina Lima
 
Preferências portugueses nas férias
Preferências portugueses nas fériasPreferências portugueses nas férias
Preferências portugueses nas férias
Tina Lima
 

Mais de Tina Lima (20)

Meios de comunicação no trabalho
Meios de comunicação no trabalhoMeios de comunicação no trabalho
Meios de comunicação no trabalho
 
Mass média manipulação
Mass média manipulaçãoMass média manipulação
Mass média manipulação
 
Má arquitetura
Má arquiteturaMá arquitetura
Má arquitetura
 
Formação profissional
Formação profissionalFormação profissional
Formação profissional
 
Expressão de vivências para entregar
Expressão de vivências para entregarExpressão de vivências para entregar
Expressão de vivências para entregar
 
Elementos do processo de comunicação texto
Elementos do processo de comunicação textoElementos do processo de comunicação texto
Elementos do processo de comunicação texto
 
Diário
DiárioDiário
Diário
 
Co incineração na arrábida
Co incineração na arrábidaCo incineração na arrábida
Co incineração na arrábida
 
Portugal um retrato social nós e os outros
Portugal um retrato social   nós e os outrosPortugal um retrato social   nós e os outros
Portugal um retrato social nós e os outros
 
O realismo na literatura oitocentista
O realismo na literatura oitocentistaO realismo na literatura oitocentista
O realismo na literatura oitocentista
 
Memórias e diário opinião sobre anne frank
Memórias e diário opinião sobre anne frankMemórias e diário opinião sobre anne frank
Memórias e diário opinião sobre anne frank
 
Lendas síntese
Lendas sínteseLendas síntese
Lendas síntese
 
Definições de arte pergunta resposta
Definições de arte pergunta respostaDefinições de arte pergunta resposta
Definições de arte pergunta resposta
 
Batalha de estalinegrado
Batalha de estalinegradoBatalha de estalinegrado
Batalha de estalinegrado
 
Arte tendências literárias pergunta resposta
Arte tendências literárias pergunta respostaArte tendências literárias pergunta resposta
Arte tendências literárias pergunta resposta
 
áBaco
áBacoáBaco
áBaco
 
Progresso ciêntifico no séc. xix
Progresso ciêntifico no séc. xixProgresso ciêntifico no séc. xix
Progresso ciêntifico no séc. xix
 
Castelo de marialva cartolina
Castelo de marialva cartolinaCastelo de marialva cartolina
Castelo de marialva cartolina
 
Trabalho grupo clc certificado
Trabalho grupo clc certificadoTrabalho grupo clc certificado
Trabalho grupo clc certificado
 
Preferências portugueses nas férias
Preferências portugueses nas fériasPreferências portugueses nas férias
Preferências portugueses nas férias
 

Turismo fluvial

  • 1. TURISMO FLUVIAL EM PORTUGAL Disciplina de Organização e Negociação Trabalho individual de Albertina Lima – N.º 1 – 1º Ano - TAV
  • 2. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 1 ÍNDICE 1. Introdução................................................................................................................................ 02 2. O que é o Turismo Fluvial......................................................................................................... 03 3. Turismo Fluvial em Portugal .................................................................................................... 04 a. Praias fluviais Aldeias de Xisto - mapa ...................................................................... 05 b. Praias fluviais centro de Portugal - mapa.................................................................. 06 c. Turismo fluvial no Douro........................................................................................... 07 d. Turismo fluvial no Alqueva........................................................................................ 08 4. Conclusão................................................................................................................................. 10 5. Webgrafia consultada .............................................................................................................. 11
  • 3. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 2 Este trabalho tem como objetivo retratar o Turismo Fluvial e como o mesmo se desenvolve em Portugal. Refere as principais praias fluviais, as quais têm sido objeto de aposta por parte de algumas entidades públicas, assim como de empresas turísticas. Por fim é mencionado dois destinos turísticos desenvolvidos num rio e seus afluentes e numa barragem, respetivamente, mostrando as suas principais atividades desenvolvidas e o que esses destinos têm para oferecer aos turistas que os procuram.
  • 4. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 3 Turismo Fluvial é um conceito pouco conhecido e pouco desenvolvido em Portugal, enquanto que, em alguns países da Europa, nomeadamente França, Alemanha, Irlanda ou Holanda, este tipo de turismo está bastante desenvolvido, potenciando rios, canais e lagos, como vias de comunicação que ligam destinos. O Turismo Fluvial é mais do que embarcações cheias de passageiros que navegam nos rios para disfrutar de paisagens, é também a promoção do contacto com o meio envolvente, seja a natureza ou as povoações ribeirinhas, que poderão ser simples aldeias ou grandes cidades. Nem todos os rios, lagos ou barragens têm potencialidades para a prática do turismo fluvial, embora possam possuir uma boa qualidade de água, sejam tranquilos e possuidores de um clima ameno, poderão não constituir um destino de eleição, sendo necessário estarem associados outros aspetos que possam interessar o turista, nomeadamente:  O património histórico (edificado ou não);  O património arqueológico, associado a vias de comunicação e informação adequadas;  Gastronomia regional, com atividade de restauração e hotelaria de fácil acesso a partir da água;  Caminhadas em contacto com a natureza;  Geocatching, que consiste em esconder objetos “caches” num determinado espaço, dos quais são reveladas as coordenadas de onde se encontram escondidos, com o objetivo dos participantes os encontrarem. Para praticar este desporto é necessário um mapa, um GPS e muito espírito de aventura;  Caça;  Pesca;  Canoagem;  Vela;  Ocorrência de eventos como regatas ou outras competições náuticas.
  • 5. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 4 Em Portugal existe uma variedade (mais de 100) de praias fluviais, um pouco por todo o país, localizando-se as mesmas junto a rios, ribeiras e albufeiras, em várias cidades e vilas de norte a sul do país. Algumas praias fluviais são vigiadas por nadadores salvadores, tendo sido atribuída, em 2012, a BANDEIRA AZUL a diversas praias fluviais: NORTE  Fraga da Pegada, em Bragança;  Albufeira do Azibo, em Bragança;  Congida, em Freixo de Espada à Cinta; CENTRO  Aldeia do Mato, em Abrantes;  Louçainha, em Penela;  Carvoeiro, em Mação  Quinta do Barco, Sever do Vouga  Valheiras, Guarda  Sandomil, Loriga, Seia  Palheiros Zorro, Coimbra ALENTEJO  Albufeira da Tapada Grande, Mértola ALGARVE  Pego Fundo, Alcoutim
  • 6. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 5 PRAIAS FLUVIAIS DAS ALDEIAS DO XISTO 1 - ORTIGA 2 - ALDEIA RUIVA 3 - RIBEIRA GRANDE 4 - MALHADAL 5 - FRÓIA 6 - FRAGAS DE S. SIMÃO 7- ANA DE AVIZ 8 - MOSTEIRO 9 - AÇUDE PINTO 10 - CAMBAS 11- LOUÇAINHA 12 - ROCAS 13 - POÇO CORGA 14 - SRª DA PIEDADE 15 - SRª DA GRAÇA 16 - BOGUEIRA 17 - PENEDA 18 - CANAVEIAS 19 - SECARIAS 20 - POMARES 21 - PIÓDÃO
  • 7. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 6 PRAIAS FLUVIAIS DA REGIÃO CENTRO
  • 8. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 7 TURISMO FLUVIAL NO RIO DOURO O Vale do Douro, que atravessa um dos Patrimónios Mundiais classificados pela UNESCO, é fruto das maravilhas da natureza, mas também da energia despendida pelo homem na sua transformação, nomeadamente no que se refere à vinha que gera as castas do célebre Vinho do Porto, onde durante séculos o homem desventrou a terra, removeu o xisto maciço, moldando os muros e patamares de socalcos para amparar as videiras, que deram lugar à primeira Região Demarcada do mundo, título conferido por Marquês de Pombal, no século XVIII. Dispondo a região do Douro de vários recursos e produtos turísticos, o Rio é sem dúvida um recurso bastante atrativo, por diversos fatores:  Rio navegável com diversos afluentes;  Dotado de fortes atrativos paisagísticos;  Provido de atividades de animação turístico-fluvial;  Com condições ideias para a prática de desportos náuticos, nomeadamente: o Regatas o Canoagem o Hidrospeed o Rafting o Cannoying o Remo o Vela o Pesca desportiva  Existência de diversas empresas que operam na via navegável do Douro, com barcos- hotel, com uma clara tendência de crescimento do seu número.
  • 9. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 8 Um dos recentes atrativos é o barco das comemorações dos 60 anos de reinado da rainha de Inglaterra, Isabel II - "Spirit of Chartwell", o qual irá estar ao serviço do turismo do Douro no próximo mês de março de 2013. Esta luxuosa embarcação foi comprada por uma empresa de cruzeiros fluviais (Douro Azul) e é direcionada para turistas com bastante poder de compra, uma vez que uma semana de férias na real embarcação custará mais de cinco mil euros. TURISMO FLUVIAL NO ALQUEVA O Grande Lago do Alqueva, situa-se no Alentejo. É o maior lago artificial da Europa, com 250 Km2 de área e 1.160 Km de perímetro, possuindo mais de 150 Km de vias navegáveis. Este empreendimento tem como objetivo principal o fornecimento de água às populações, a irrigação agrícola e a produção de energia elétrica, contudo o seu aproveitamento turístico é sem dúvida bastante interessante.  A criação do Grande Lago permitiu que um conjunto de povoações (oito no lado português e duas no lado espanhol), se tornassem mais próximas e acessíveis a partir da água, munidas de estruturas fluviais que permitem a atracagem de embarcações, nomeadamente:  Monsaraz - património mundial particularmente bem conservado e vila de onde se avista uma paisagem de grande beleza natural;  Mourão - vila com mais de 3000 habitantes, fortificada;  Juromenha – vila fortificada no extremo norte da zona navegável;  Pequenas e pitorescas aldeias, de casario branco, com gastronomia e artesanato regional, como: o Amieira o Campinho o Estrela o Alqueva
  • 10. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 9 A qualidade das águas proporcionou uma nova e crescente fauna específica desta zona, atestando que as alterações provocadas deliberadamente pelo homem, causaram uma resposta positiva da natureza, ressaltando-se múltiplas espécies de aves e peixes. Os “Barcos-Casa” constituem um elo de ligação entre as povoações, considerados alojamentos amigos da natureza, ideais para explorar todos os pontos de interesse do Grande Lago. Estes barcos, de dimensões variáveis, são perfeitamente autónomos, permitindo alojamento e liberdade de navegar pela barragem do Alqueva, não sendo necessário possuir carta de marinheiro. São embarcações confortáveis, possuindo a bordo tudo o que possa ser necessário para uma estadia mais ou menos prolongada, sendo o ideal uma semana, podendo ainda ser transportadas canoas e bicicletas, permitindo deste modo chegar a todo o lado. Outra forma de passar o tempo é a pesca, para os apreciadores desta modalidade, existindo ainda outras atividades, nomeadamente:  O aluguer de cavalos;  O aluguer de moto4 ou outros veículos de TT;  Os passeios de charrete e de balão de ar quente;  As provas de vinho nas adegas da região;  O esqui náutico e o wakebord;  Os “ateliers” de olaria e tecelagem;  As múltiplas atividades de “team building”, “paintball”, “geocatching”;  O banho e o mergulho.
  • 11. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 10 Com este trabalho retratei de um modo geral, as potencialidades existentes nos rios portugueses, e o que eles nos podem oferecer em termos turísticos, nomeadamente as praias fluviais que se encontram em grande desenvolvimento. Referenciei ainda dois destinos de turismo fluvial distintos, um bastante desenvolvido e outro em vias de desenvolvimento. O Turismo Fluvial em Portugal é uma atividade em crescente expansão, sendo uma aposta a considerar num futuro muito próximo!
  • 12. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Turismo Fluvial em Portugal OEN - Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano 11 http://blog.toprural.pt/geocaching-o-que-e-como-e-onde-pratica-lo-em-portugal/ http://www.praiasfluviais.com/praias.asp http://www.online24.pt/praias-fluviais/ http://fugas.publico.pt/Noticias/298570_turismo-fluvial-no-douro-tera-mais-quatro-barcos- hotel-ate-2014 http://www1.ionline.pt/conteudo/32168-douro-sobrevive--crise-turismo-fluvial-cresce-9 http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=I nterior&content_id=2652883 http://www.expotur.eu/o-turismo-fluvial-e-o-turismo-rural-e-natureza/ http://www.douro-turismo.pt/ http://www.ccr-norte.pt/fotos/editor2/imported/www.ccr- norte.pt/regnorte/pdtvd_2007_2013.pdf