3º trimestre 2015 lição 12 adultos

381 visualizações

Publicada em

“...Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade...“ (Tt 2.7)

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
381
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3º trimestre 2015 lição 12 adultos

  1. 1. MODELO
  2. 2. VERDADE PRÁTICA • A Palavra de Deus tem exortações de grande valor para todos os crentes, em todos os lugares.
  3. 3. LEITURA DIÁRIA • Segunda - Tg 1.19 Sejamos prontos para ouvir e tardios para falar • Terça - Tg 2.12 Integridade do obreiro no falar e no proceder • Quarta - 1 Tm 2.9 As mulheres crentes devem se vestir com trajes honestos • Quinta - Pv 14.1 A mulher sábia edifica a sua casa e será louvada por sua família • Sexta - 1 Jo 2.14 Os jovens são fortes, pois vivem segundo a Palavra de Deus • Sábado - Mt 22.21 Devemos dar a Deus tudo aquilo que lhe pertence
  4. 4. OBJETIVO GERAL • Mostrar que o ideal bíblico é que o pastor local seja um exemplo de vida.
  5. 5. OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Explicitar: Que o líder precisa falar de acordo com sã doutrina. • Explicar: Os quatro conselhos no tratamento de Tito com os idosos, as mulheres, os jovens e os servos. • Conscientizar: A classe de que o líder deve ser bom exemplo em tudo.
  6. 6. ESBOÇO DA LIÇÃO • I. O MODO CORRETO DE FALAR DO LÍDER 1."Fala o que convém à sã doutrina" (v. 1). 2.Saber falar e saber ouvir. 3.Integridade no falar. • II. EXORTAÇÕES AOS IDOSOS, AOS JOVENS E SERVOS 1.Como os idosos devem portar-se. 2.As mulheres idosas devem ser exemplo para as mais novas. 3.Os jovens cristãos (v. 6). 4.O comportamento dos servos cristãos (vv. 9,10). • III. O BOM EXEMPLO EM TUDO 1.Bom exemplo (vv. 7,8). 2.Incorrupção da doutrina. 3.Gravidade e sinceridade.
  7. 7. PONTO CENTRAL • O apóstolo exortou a Tito como tratar as pessoas em suas diversas faixas etárias.
  8. 8. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Tito 2.1-8 1 - Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina. 2 - Os velhos que sejam sóbrios, graves, prudentes, sãos na fé, no amor e na paciência. 3 - As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem,
  9. 9. 4 - para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos, 5 - a serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seu marido, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada. 6 - Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados. 7 - Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, 8 - linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós.
  10. 10. TEXTO ÁUREO • “...Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade...“ (Tt 2.7)
  11. 11. INTRODUÇÃO • Nesta lição estudaremos o segundo capítulo da epístola de Tito. • Veremos os vários conselhos práticos de Paulo a respeito dos idosos, das mulheres, jovens e servos. • Veremos também que o pastor deve ser um exemplo de viver íntegro na igreja.
  12. 12. I. O MODO CORRETO DE FALAR DO LÍDER 1."Fala o que convém à sã doutrina" (v. 1). 2.Saber falar e saber ouvir. 3.Integridade no falar.
  13. 13. • O líder deve ter a sua fala sempre fundamentada na Palavra de Deus, e para isso precisa conhecê-la e nela meditar diariamente. • Precisa reconhecer e valorizar a Bíblia, sabendo que ela é especial para a formação de um caráter cristão. • O estudo bíblico contribui para que o pastor e o obreiro tenham sempre uma boa mensagem. • Jesus certa vez afirmou que falamos do que há em abundância em nosso coração (Mt 12.34). • Então um coração cheio da Palavra de Deus vai sempre falar o que convém. 1- "Fala o que convém à sã doutrina" (v. 1).
  14. 14. • “...Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade..." 2 Tm 2.15 • Pessoas são convidadas, nomeadas, consagradas com bastante freqüência em muitas igrejas hoje, acabam assumindo responsabilidades sem ter condições de cumpri-las por falta de investimento em seu preparo, seja ele: Dirigentes de Órgãos em geral, Professores na área de ensino geral, Obreiros e Pastores. • Ensinamento errado, sem base adequada nas Escrituras, pode ser eternamente fatal.
  15. 15. • Várias parábolas de Jesus ensinam a importância da preparação para serviço na sua obra. • Talvez a mais conhecida seja a das dez moças que esperavam o noivo chegar à festa de casamento (Mateus 25:1-13). As moças insensatas, que não se prepararam adequadamente, não entraram na festa. As prudentes se equiparam para esperar o tempo necessário, e tiveram a alegria de participar da festa.
  16. 16. • Além de suas parábolas, Jesus ensinou sobre a preparação na prática. • Alguns dos seus discípulos o acompanharam constantemente, aprendendo com o Mestre. • Desses, ele escolheu os doze apóstolos que tiveram um treinamento mais intensivo ainda. • Quando procuraram alguém para tomar o lugar de Judas Iscariotes, escolheram entre os homens que acompanharam a Jesus durante todo o seu ministério (Atos 1:21-22), acompanhar não reflete a experiência necessária para “um obreiro (a)”. • Os apóstolos foram especialmente qualificados para falarem de Jesus (Hebreus 2:3-4)
  17. 17. • Quem se apresentou diante de Deus, disposto a servir, precisa entender que o Senhor nos chamou para fazer a Sua obra e anunciar o Seu evangelho. • Nesta carta a Timóteo, o apóstolo Paulo recomenda que o obreiro “se apresente aprovado”. • Sem motivo para se envergonhar, e que “se dedique ao estudo da palavra”. • Manejar bem a palavra de Deus faz toda a diferença.
  18. 18. • Vejamos o que significa Manejar bem a palavra na linguagem do apóstolo Paulo, o obreiro do Senhor que interpreta a Bíblia terá que interpretá-la corretamente, não deturpar! • “Manejar bem” significa usar as faculdades racionais, a inteligência, como em Isaias 1:18, onde Deus convoca o seu povo “...Vinde, pois e argüi-me, diz o Senhor...”
  19. 19. • “...Procura apresentar-te a Deus aprovado,...” • A palavra “procura” (no original Grego, “spoudason”) significa “apressar-se, se diligente“. • Paulo avisa contra o perigo de fraude nas interpretações das escrituras em II Co. 4:2, dizendo “...Rejeita as coisas que por vergonha, se ocultam, não andando com a astúcia nem falsificando a Palavra de Deus...”.
  20. 20. • Todo o trabalho do Reino exige “Comprometimento”, “dedicação” e “qualidade!”. • Deus requer o melhor, pois Ele é merecedor do nosso melhor, e por mais que façamos bem feito ainda é muito pouco para o que Ele merece! • Ele requer de cada um de nós um Ministério com Excelência! • Um Obreiro Aprovado, com sabedoria, capacitado para toda a boa obra; que se esmere, se aperfeiçoe e aprenda a cada dia a fazer melhor o que faz, pois é para Ele.
  21. 21. • Tiago, apóstolo de Jesus, deixou precioso ensino sobre o saber falar: “...Sabeis isto, meus amados irmãos; mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar..." (Tg 1.19). Há pessoas, nas igrejas, que falam demais. E dizem o que não deveriam, causando problemas de relacionamentos. Ser "tardio para falar" e "pronto para ouvir" é sinal de sabedoria, de maturidade emocional e espiritual. Quem lidera tem que desenvolver a capacidade de escutar as pessoas, ainda que não concorde com elas. 2- Saber falar e saber ouvir.
  22. 22. A Arte do ouvir • “...Responder antes de ouvir é estultícia e vergonha..." (Provérbios 18:13). • As lições sugeridas por ele devem ser do interesse de todos os que querem servir a Deus e ajudar a humanidade. • Às vezes, quando duas pessoas estão tentando discutir pontos de vista opostos, uma delas demonstra grosseria interrompendo a outra repetidamente. • Esta descortesia reflete um problema simples: Há um desejo maior de replicar a outra pessoa do que ouvir o seu lado da matéria.
  23. 23. • Esta lição reflete quanto a julgamentos precipitados que são feitos com relação a assuntos e problemas que deveriam ser ponderados e estudados cuidadosamente. • É um triste fato que muitas pessoas sejam ligeiras para tirar conclusões antes de investigar.
  24. 24. • Algumas pessoas são rápidas para falar sobre coisas a respeito das quais conhecem nada de nada, e a criticar os motivos de outros. • Tiago disse, “...Sabeis estas cousas, meus amados irmãos. Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar..." (Tiago 1:19). • A sabedoria deste caminho deve ser evidente por si mesma.
  25. 25. • Por que algumas pessoas respondem antes de ouvir? 1. Orgulho. • Auto-estima desordenada faz com que certos indivíduos sejam teimosos e persistentes nos seus pontos de vista errados. • Elas podem enganar-se acreditando que estão pensando quando estão apenas reorganizando seus preconceitos para apoiar seu ego.
  26. 26. 2. Impaciência. • Algumas "mentes não conseguem suportar nada que exija atenção fixada e sustentada por longo tempo. • Elas ficam inquietas, irritadas e agitadas; e estão sempre ansiosas por pegar uma oportunidade para abreviar a matéria e acabar com ela“. (Ralph Wardlaw). 3. Parcialidade. • Uma pessoa que é parcial quanto a um ponto de vista particular é tentada a pesar os fatos com seu polegar nas balanças! Algumas não são realmente honestas em seu manuseio das Escrituras, em certos pontos. • Elas tendem a dobrar e torcer a palavra de Deus para fazê-la dizer o que desejam ouvir.
  27. 27. A arte de ouvir • "Um ouvido atento leva direto ao entendimento do coração" (Andrew W. Blackwood, Jr.). • Nenhum caso pode ser decidido corretamente sem a verdade, e toda a verdade. • Devemos estar prontos a ouvir todos os lados de uma questão. • Procurar os fatos é exercício muito melhor do que saltar para as conclusões. Depois do "descobrir os fatos" vem o "encarar os fatos." • A verdade nua pode ser embaraçosa, mas precisamos desenvolver a arte de ouvir antes de falar.
  28. 28. • Nicodemos disse aos outros fariseus, “...Acaso a nossa lei julga um homem, sem primeiro ouvi-lo e saber o que ele fez?..." (João 7:51). • Muitos dos líderes judeus estavam mais interessados em condenar Jesus do que ouvir o seu caso. A Bíblia na Linguagem de Hoje traduz este provérbio assim: “...Quem responde antes de ouvir mostra que é tolo e passa vergonha..."
  29. 29. • Há pessoas, nas igrejas, que falam demais. E dizem o que não deveriam dizer, causando problemas de relacionamento. Ser “tardio para falar” e “pronto para ouvir” é sinal de sabedoria. O falar do crente em Jesus, e mais ainda do obreiro, deve ser sério e de acordo com os ditames da Palavra de Deus. Monologia (quem fala só)
  30. 30. • O obreiro deve ter uma linguagem sempre sã e irrepreensível (Tt 2.8). • Jesus ensinou: “...Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não, porque o que passa disso é de procedência maligna..." (Mt 5.37). • Quando alguém, na igreja local, diz uma coisa e faz outra ou, quando mente, torce a mensagem, por motivos pessoais ou para agradar alguém, está sendo usado pelo maligno. É "de procedência maligna". Isso não convém à sã doutrina. Integridade é fazer o que diz (Tg 2.12). O que falamos deve contribuir para edificação de vidas (Ef 4.29). 3- Integridade no falar.
  31. 31. • Através da Bíblia temos a oportunidade de conhecer o caráter, os princípios e os valores de Deus. • Uma das coisas que Ele mais valoriza é a sua Palavra. • Com o passar dos tempos, as pessoas tem deixado de dar importância às suas palavras. • Cada vez mais, fazem uso de mentiras para conseguir promoções, status ou benefícios. • Assim, acabam seguindo um curso totalmente contrário daquele desejado por Deus para nós. • Deus zela e valoriza sua palavra
  32. 32. • “...Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados...” (Ef 5.1). • Ser imitador de Deus é muito mais do que dizer “sou crente” ou simplesmente ir ao culto de domingo. • Ser imitador de Deus é ter exatamente as mesmas atitudes que Ele tem mediante as mais diversas circunstâncias.
  33. 33. • Ainda que tudo mude à nossa volta, seja na área financeira, emocional ou espiritual, segundo o exemplo que Deus nos deu, devemos honrar cada uma das nossas palavras. • Cumprir as nossas palavras não depende da fidelidade das outras pessoas, e sim da nossa, pois Deus, independente da nossa infidelidade, sempre permanecerá fiel para conosco. • “…se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a Si mesmo...” (2Tm 2.13). • IMITANDO DEUS.
  34. 34. • É inconcebível alguém ler esses tópicos e não ver que Paulo considerava a escravidão como algo normal, corriqueira, e conseqüentemente, natural, correta. • O único conselho de Paulo aos senhores escravistas é que tratassem bem seus escravos. • Para Paulo, um cristão podia ter escravos e ainda assim ir para o céu. • Bastava uma palavra, uma única palavra para libertar os escravos, e toda a história do mundo ocidental poderia ter sido diferente.
  35. 35. II – EXORTAÇÕES AOS IDOSOS, AOS JOVENS E SERVOS 1.Como os idosos devem portar-se. 2.As mulheres idosas devem ser exemplo para as mais novas. 3.Os jovens cristãos (v. 6). 4.O comportamento dos servos cristãos (vv. 9,10).
  36. 36. • "Os velhos que sejam sóbrios, graves, prudentes, sãos na fé, na caridade e na paciência" (v. 2). • O crente deve permanecer fiel ao Senhor e dar um bom testemunho até os últimos dias de sua vida. • Muitos acreditam que, pelo fato de já terem passado dos sessenta anos, podem fazer e falar o que bem entenderem na igreja. 1. Como os idosos devem portar-se.
  37. 37. • Os mais idosos devem ser exemplo para os mais jovens, por isso, Paulo diz que estes devem ser moderados, sérios, prudentes, firmes na fé, no amor e na esperança. • Acerca dos velhos crentes, disse o salmista: • "Os que estão plantados na Casa do Senhor florescerão nos átrios do nosso Deus. • Na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e florescentes, para anunciarem que o Senhor é reto; ele é a minha rocha, e nele não há injustiça" (Sl 92.13-15). • Os mais jovens precisam aprender com os mais idosos, por isso, estes precisam ser exemplo em tudo.
  38. 38. • “...Os velhos que sejam sóbrios, graves, prudentes, sãos na fé, na caridade e na paciência...” (Tt 2.2). • A vivência com diversas igrejas, o contato com vários grupos de pessoas, fez com que Paulo tivesse experiência suficiente para exortar aos anciãos, às pessoas que, hoje, fazem parte da “Terceira Idade”, ou da “Melhor Idade”.
  39. 39. • Em nosso país, pessoa idosa é quem está com mais de 60 anos. • Idade em que as experiências já se acumularam, ao longo da jornada. (muitos nesses casos ficam o sentimento de impotência). • Mas há muitos que tiveram uma formação familiar e espiritual deficiente, e causam transtornos em casa e na igreja.
  40. 40. • Uma das coisas mais constrangedoras é ver uma pessoa idosa agindo de modo ridículo ou inconveniente. • Os velhos crentes, conforme esse ensino, devem ser “sóbrios”, isto é, simples, modestos, sem exageros. • Alguns, por causa de sua formação deficiente, comportam-se de modo contrário à sã doutrina. • Mas os idosos devem ser “graves”, ou seja, respeitosos, sérios e decentes. • Isso não quer dizer que o idoso crente deve ser uma pessoa de “cara fechada”, ranzinza, intolerante.
  41. 41. • Mas devem saber relacionar-se com todos, especialmente com os de menos idade. • Os velhos crentes devem ser “prudentes”, sinônimo de cautelosos; devem ser “sãos na fé”. • O que significa que devem ter segurança na sua maneira de crer e de ver as verdades e práticas cristãs. • Devem, ainda, ser “sãos” “na caridade e na paciência”. Por vezes, a velhice torna-se inconveniente para algumas pessoas. • Falta-lhes a paciência no relacionamento com os outros.
  42. 42. • As doenças, os distúrbios próprios da idade avançada provocam alterações psicológicas ou emocionais, que tornam os velhos intolerantes, grosseiros ou até agressivos. Mas é preciso saber administrar esse importante estado da vida humana. • As pessoas mais novas, na igreja ou na família, precisam saber tratar com os idosos, que têm problemas emocionais ou físicos.
  43. 43. • Acerca dos velhos crentes, disse o salmista: • “...Os que estão plantados na Casa do Senhor florescerão nos átrios do nosso Deus. Na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e florescentes, para anunciarem que o Senhor é reto; ele é a minha rocha, e nele não há injustiça...” (SI 92.13-15).
  44. 44. • "As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem" (v. 3). • Mulher idosa tem vivência e experiência, seja como mãe e esposa, seja como serva de Deus, por isso podem ensinar as irmãs mais novas. Devem ser mulheres santas, "sérias no viver", que não andem com atitudes e maus exemplos, na igreja, ou fora dela. Não devem ser caluniadoras (gr. diabolos), ou que se dêem a costumes carnais de falar dos outros, de criticar, ou murmurar. 2. As mulheres idosas devem ser exemplo para as mais novas.
  45. 45. 1) As mulheres idosas • No parágrafo anterior, vimos que os homens idosos devem ser exemplo em seu comportamento. • Nesta seção, Paulo dá ensinamento sobre as mulheres de mais idade: “...As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem...” (Tt 2.3). • Mulheres idosas, com mais de 60 anos, são pessoas que têm vivência e experiências de grande valor para serem exemplo para as gerações mais novas. • A santidade que se requer de todos os crentes impõe que sejam “...sérias no viver...”.
  46. 46. • Devem ser mulheres santas, que não andem com atitudes e maus exemplos, na igreja ou fora dela. COADALPE - PARATIBE
  47. 47. • Não devem ser caluniadoras (gr. diabolos), “não dadas a muito vinho”, o que indica que, na época de Paulo, o tomar vinho não era condenável, desde que fosse de forma moderada, “social”, como se diz atualmente. • Mas: Moderadas, crentes, fiéis e exemplar. COADALPE – PAU AMARELO
  48. 48. 2) As mulheres mais novas • O que mais chama a atenção quanto ao comportamento a ser vivido pelas mulheres cristãs idosas é que devem ser “...mestras do bem...”. • Sim, elas devem ser “...mestras...” para as mulheres mais novas. • Estas devem ter comportamento exemplar, à altura de quem é nova criatura, e vive em conformidade com os princípios cristãos. “...para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos, a serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seu marido, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada” (Tt 2.4,5).
  49. 49. • As mulheres devem ser moderadas, castas, ou seja, puras, que demonstrem comportamento cristão sério, e não carnal ou impuro; boas donas de casa. • Qualidade de grande valor para uma esposa cristã, que deve saber administrar bem o seu lar (Pv 14.1). COADALPE - CABO CENTRO
  50. 50. • Paulo chama a atenção para o comportamento juvenil, exortando os jovens a serem "moderados", ou seja, controlados. • O jovem cristão precisa ser moderado no falar, no agir e em todas as áreas da sua vida, procurando em tudo exaltar e glorificar o nome do Senhor. 3. Os jovens cristãos (v. 6).
  51. 51. • “Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados” (Tt 2.6). Certamente, à época de Paulo, não havia diferenciação entre jovens e adolescentes. Todos os solteiros, em geral, eram considerados “jovens”.
  52. 52. • Nessa carta, a Tito, Paulo chama a atenção para o comportamento juvenil, exortando os jovens a serem “moderados”, ou comedidos, prudentes, sem exageros em seu comportamento.
  53. 53. • o excesso de liberdades que lhes é concedido nos tempos atuais, não devem prejudicar o foco do jovem. • De forma alguma, a disciplina, o respeito às normas e a obediência eram ensinados de forma zelosa, no próprio lar (Dt 11.18,19).
  54. 54. • O apóstolo João, escrevendo sobre os jovens cristãos, mostra o perfil de um jovem salvo, que decide ser fiel a Deus: “... Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno” (1 Jo 2.14).
  55. 55. • Paulo escreveu em uma época onde havia a escravidão humana. • Em Creta, assim como em todo o império romano, havia muitos escravos. • Na igreja existia senhores e escravos que se converteram a Cristo, por isso, Paulo mostra como devia ser o relacionamento, a conduta dos servos e dos senhores. 4. O comportamento dos servos cristãos (vv. 9,10).
  56. 56. • O apóstolo mostra que os servos deveriam agradar seus senhores "em tudo", pois um senhor crente não daria ordens que fossem incompatíveis com a fé cristã e com a Palavra de Deus. • Os escravos que tinham senhores crentes deveriam manter uma atitude de submissão.
  57. 57. • Nesta parte da carta a Tito, Paulo passa dos ensinamentos, levando em conta sexo e idade, para a condição social dos servos cristãos. • Aquela época, havia a escravidão.
  58. 58. • Como não podia eliminar tal tipo de relação entre patrão e empregados, Paulo procura disciplinar essa relação de trabalho e de condição social. • A Tito, ele refere-se apenas ao comportamento dos servos perante seus senhores (patrão e empregados). (Tt 2.9,10).
  59. 59. • É preciso pontuar o assunto, e questionar com sabedoria. • Se um patrão quer que uma serva cristã aceite adulterar ou prostituir-se com ele, ela deve aceitar? • De forma alguma; o apóstolo ensina que os servos não devem contradizer ou defraudar seus senhores. Aqui, há dois aspectos. • Se for necessário, e em defesa de sua fé, um servo ou serva cristã pode contradizer exigências descabidas de qualquer patrão; não deve contradizer ou se contrapor às exigências normais e legais da relação trabalhista; no aspecto da não defraudação, ele está plenamente correto, pois “defraudar” é sinônimo de “roubar”, “surrupiar” o que é alheio.
  60. 60. • E, segundo Paulo, os servos crentes devem comportar- se nesse padrão, • “...para que, em tudo, sejam ornamento da doutrina de Deus, nosso Salvador...”.
  61. 61. • Nos dias atuais, os pastores devem orientar os servos, empregados ou funcionários, na igreja, a saberem conduzir-se perante patrões, empresários, diretores ou presidentes, nas empresas, entidades ou órgãos públicos sempre levando em conta sua condição de “filhos de Deus”, e servos do “Rei dos reis e Senhor dos senhores” (Ap 19.16).
  62. 62. III – O BOM EXEMPLO EM TUDO 1.Bom exemplo (vv. 7,8). 2.Incorrupção da doutrina. 3.Gravidade e sinceridade.
  63. 63. • Concluindo essa seção da carta a Tito, Paulo dá um conselho pastoral bem pessoal, dirigido ao obreiro. • “...Em tudo, te dá, por exemplo, de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós...” (Tt 2.7,8). • E discrimina sete atitudes que servem de exemplo para os obreiros em todos os tempos.
  64. 64. • O líder precisa ser exemplo. • Se Deus lhe confiou a autoridade e a responsabilidade de um rebanho, você precisa ter uma vida irrepreensível. • Ser irrepreensível não significa ser perfeito, dessa forma nenhum ser humano poderia assumir tal posição. • Ser irrepreensível significa ter um padrão de conduta elevado e maduro, segundo os princípios bíblicos. • A conduta do líder não pode minar a confiança do rebanho. 1. Bom exemplo (vv. 7,8).
  65. 65. • “...Em tudo, te dá por exemplo de boas obras...” Ser exemplo é uma responsabilidade enorme para um cristão, especialmente para um obreiro. • E ser exemplo “em tudo” é mais difícil ainda. • As limitações humanas, as falhas próprias de cada um são fatores que dificultam essa condição especial. • Mas Paulo como que desafiava Tito a ser esse padrão de comportamento, na prática de “boas obras”.
  66. 66. • A salvação é pela graça (Ef 2.8,9), mas as boas obras fazem parte da vida cristã: “...Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas...” (Ef 2.10).
  67. 67. • O crente é salvo, independentemente das obras da lei, como diz Paulo (Rm 3.20), perante Deus, mas a fé sem as obras, ou seja, sem testemunho, não tem valor perante os homens. • Paulo aconselha Tito a ser “em tudo”, “exemplo de boas obras”.
  68. 68. • Tito deveria ter muito cuidado com a doutrina, para que sua pregação e ensino fossem de modo correto, com fundamento na Palavra de Deus, na "doutrina dos apóstolos" (At 2.42). • Jesus advertiu seus discípulos a se resguardarem da "doutrina dos fariseus" (Mt 16.6,12). • Hoje, temos visto igrejas que "vendem" bênçãos por dinheiro; utilizam manipulação psicológica para arrecadar mais recursos das pessoas; fazem "curas" e milagres, em troca do vil metal. 2. Incorrupção da doutrina.
  69. 69. • Assim como em Éfeso, em Creta, havia os falsos mestres, ensinadores de doutrinas corrompidas, eivadas (portador de vírus) de mistura com o gnosticismo e outras heresias dos primeiros tempos da igreja cristã.
  70. 70. • Se ao apóstolo Paulo fosse dado o direito de ressuscitar, hoje, no século XXI, ele ficaria estarrecido com tanta corrupção doutrinária tomando conta de púlpitos, escolas, seminários, ditos cristãos; em programas através da mídia falada, escrita ou televisada, e, nossas “cátedras” lhe seria um “Impropério”. .
  71. 71. • Ele veria a corrupção doutrinária no mercantilismo que invadiu muitas igrejas ditas neopentecostais, que “vendem” bênçãos por dinheiro; que utilizam manipulação psicológica para arrecadar mais recursos das pessoas em troca de elementos místicos ou “mágicos”, supostamente oriundos do “Rio Jordão”, do “Monte Sinai”, do “Monte Carmelo”, água “ungida”, lenço “ungido” e tantos outros ensinos e práticas que não têm fundamento na Palavra de Deus. • Nunca na Bíblia as curas, ou milagres, sinais e maravilhas foram operadas, por Jesus ou por seus apóstolos, em troca de dinheiro.
  72. 72. • Isso é “simonia – Simão o mago”, reprovada na mensagem dos apóstolos (At 8.20,21).
  73. 73. • São atitudes que equivalem à seriedade. • Um obreiro deve ser sério, honesto, com postura que honre a Deus e ao seu ministério. • Completando a lista de recomendações, Paulo diz que Tito deve ter “...linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer...". • É conduta exemplar, exigida de todos os que querem ser obreiros, dedicados à obra do Senhor. 3. Gravidade e sinceridade
  74. 74. • São atitudes que equivalem a seriedade. • Um obreiro deve ser sério, honesto, com postura que honre a Deus e ao seu ministério. • Muitos escândalos têm perturbado a Igreja do Senhor Jesus, ao longo da história, por causa de comportamento irresponsável, frívolo e vulgar de alguns obreiros. • Completando a lista de recomendações, Paulo diz que Tito deve ter “...linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós...”. • E conduta exemplar, exigida de todos os que querem ser obreiros, dedicados à obra do Senhor.

×