Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***

206 visualizações

Publicada em

INTERPRETANDO AS ESCRITURAS
*Igreja Cristã Inclusiva Ministério Vida**

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
206
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***

  1. 1. “Nunca se deve estudar a Bíblia sem oração. Somente o Espírito Santo nos pode fazer compreender a importância das coisas fáceis de se perceberem, ou impedir-nos de torcer verdades difíceis de serem entendidas” Verdade Aplicada: O mesmo Espírito que inspirou as escrituras nos capacita a compreender suas verdades.
  2. 2. Para interpretar as escrituras as Igrejas Inclusivas baseiam-se primeiramente: no texto bíblico (hermenêutica), depois no momento histórico, cultural, social e linguístico que o envolve (exegese). O significado é obtido ao haver INTERPRETAÇÃO do que o autor quis dizer. Cada texto da Bíblia possui apenas um significado: aquele que o autor quis dizer, inspirado por Deus. Significância do texto bíblico é a APLICAÇÃO que podemos fazer do texto, de forma prática, para nossas vidas. O mesmo texto pode ter mais de uma aplicação.
  3. 3. Esse método interpretativo se faz necessário devido ao nosso distanciamento dos autógrafos bíblicos nos aspectos de tempo, espaço, língua e cultura.
  4. 4. O estudo dos princípios e procedimentos básicos para interpretar a Bíblia de maneira fiel e precisa chama-se hermenêutica bíblica. A tarefa dessa disciplina é compreender o que pretenderam comunicar os escritores humanos e o Autor divino da Escritura, bem como a maneira correta de aplicar a mensagem bíblica a nós hoje. Lucas 24:27 “expunha-lhes” = gr. diermēneuō [interpretava]
  5. 5. Isaías 8:20 1. A BÍBLIA INTERPRETA A SI MESMA a) Interpretar a Escritura pela própria Escritura b) A Bíblia se auto interpreta : REGRA DE OURO
  6. 6. Gênesis 6.12 2. Tomar as palavras em seu sentido usual. a) Buscar seu sentido original, sentido que, muitas vezes pode não fazer parte de nossa cultura.
  7. 7. Gálatas 1.23 3. Tomar o sentido das palavras conforme as sentenças em que estão inseridas. a) Jamais atribuir sentido às palavras fora do seu contexto.
  8. 8. Efésios 3.4 4. Considerar as palavras pelo seu contexto. a) Os versos que precedem e seguem o trecho em estudo
  9. 9. Gálatas 6. 17 2 Co 4.10 5. Consultar passagens paralelas a) Consultar passagens que abordem o mesmo tema ou tema semelhante.
  10. 10. 2 Timóteo 2:15 1. O cristão deve ser um profundo conhecedor das Escrituras João 14:26 2. O Espírito Santo é o nosso maior professor das Escrituras Atos 8:30-31 3. Precisamos aprender para conseguirmos explicar
  11. 11. Estudo sistemático das Escrituras com a finalidade de descobrir o sentido original das mensagens bíblicas. A Exegese considera os aspectos socioculturais, históricos e linguísticos dos escritores e seus destinatários aliados às regras hermenêuticas. É estudo do significado das palavras à luz do tempo e do lugar onde originalmente foram escritas. Exegese
  12. 12. Enquanto a exegese consiste em extrair o significado de um texto qualquer, mediante legítimos métodos de interpretação, a Eisegese consiste em injetar em um texto, alguma coisa que o intérprete quer que esteja ali, mas que na verdade não faz parte do mesmo. Sendo assim, a Eisegese consiste em manipular o texto para dizer o que ele não diz. Jamais confunda Exegese com Eisegese. ex: Romanos 1.26 O inimigo da Exegese: A Eisegese
  13. 13. • Existem de fato três tipos de argumentos quanto a interpretação bíblica, que podem revelar a presença da eisegese: Argumento bíblico, extra bíblico e antibíblico.
  14. 14. O Argumento bíblico Surge quando se considera o que realmente está escrito, ou seja, a interpretação é baseada justamente no que está registrado, sem acréscimo ou extração. Como exemplo podemos usar a passagem de Mateus 14. 25 onde registra “Jesus andando sobre o Mar”. O argumento bíblico é aquele que afirma que Jesus não correu sobre o mar, bem menos que ele se arrastou sobre o mar, mas conforme está escrito “andou”. Não encontramos aqui nenhuma possibilidade para a influência da eisegese
  15. 15. O Argumento extra bíblico É aquilo que não está escrito, mas que também está coerente com o que está registrado. Vamos usar o mesmo exemplo. O pregador poderia dizer “Jesus andou sobre o mar e o vento balançava suas vestes”. Se considerado o argumento bíblico essa frase está totalmente errada, pois o texto não diz que o vento balançava as vestes do Mestre. Mas usando a lógica na interpretação veremos que em auto-mar é comum o agir do vento, principalmente em meio a uma tempestade, como detalha o versículo anterior: “o vento era contrário” (v. 24).
  16. 16. Argumento Antibíblico Como o nome já diz, se trata de uma argumentação que fere a doutrina bíblica e os fundamentos da Palavra. Usando o mesmo texto ficaria assim: “Jesus andou sobre ao mar e quase que afundou”. Talvez não veríamos problema algum em entender que Jesus poderia ter quase afundado visto que o mar estava muito agitado. Seria até uma tentativa extra bíblica. Mas a grande verdade é que, se Jesus quase afundou isso significa que ele não teve tanto poder assim para andar sobre o mar. E se ele não teve poder suficiente para andar sobre o mar, muito menos posso questionar sua autoridade para acalmar uma tempestade como registra outros relatos. Sendo assim esse argumento é herético, antibíblico. Eis aí uma raiz da eisegese.
  17. 17. Muitas Bíblias no mercado não podem ser chamadas de tradução, mas paráfrase. Tradução e paráfrase Tradução consiste em passar um texto de uma língua para outra. A boa tradução preserva as ideias originais.
  18. 18. A paráfrase consiste na tradução de ideias, não de palavras, expressões ou orações. As paráfrases refletem a visão particular de um autor. Tradução e paráfrase
  19. 19. Vejamos alguns dos absurdos - que vão desde a discriminação a assassinatos - que a interpretação literalista e fundamentalista das Escrituras pode gerar. Há muitos outros exemplos, listaremos apenas 5 deles. A Bíblia e os Perigos da Interpretação Literal!
  20. 20. A Bíblia e os Perigos da Interpretação Literal!
  21. 21. ATÉ A PRÓXIMA AULA

×