SlideShare uma empresa Scribd logo
LITERATURA
Professora: Valeria Nunes
O que é Literatura?
Gêneros literários
Texto literário x não-literário
Estilos
LITERATURA É A ARTE DA
LINGUAGEM ESCRITA, QUE EXPLORA
TODAS AS POTENCIALIDADES DE
COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO E É
CAPAZ DE TRANSPOR LIMITES DE
TEMPO E ESPAÇO.
 
DIFERENÇAS ENTRE UM TEXTO
LITERÁRIO E UM NÃO-LITERÁRIO:
 
TEXTO LITERÁRIO:TEXTO LITERÁRIO:
 
ênfase na expressão;
linguagem conotativa (figurada);
linguagem mais pessoal, emotiva;
recriação da realidade;
ambigüidade – recurso criativo.
Texto 1:
 
“Uma nuvem colossal em forma de cogumelo sobre a
cidade japonesa de Hiroxima assinala a morte de 80
mil de seus habitantes – vítimas do primeiro ataque
nuclear do mundo, em 6 de agosto de 1945. O
lançamento da bomba, uma das duas únicas do
arsenal americano, foi feito para forçar os japoneses
à rendição. Como não houve resposta imediata, os
americanos lançaram outro “artefato” remanescente
sobre Nagasaqui e os russos empreenderam a
prometida invasão à Manchúria. Uma semana depois,
o governo japonês concordou com os termos da
rendição e a capitulação formal foi assinada em 2 de
setembro.” (“A sombra dos ditadores”, História dos
ditadores, 1993, p.88)
Texto 2
A ROSA DE HIROXIMA
(Vinícius de Moraes) 
Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
como rosas cálidas
 
mas oh não se esqueçam
Da rosa, da rosa
Da rosa de Hiroxima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada.
CLASSIFICAÇÃO DAS ESTROFES:
•DÍSTICOSDÍSTICOS = 2 versos
Ex. Canção do exílio (José Paulo Paes) 
Um dia segui viagem
Sem olhar sobre o meu ombro
 
Não vi terras de passagem
Não vi glórias nem escombros.
 
Guardei no fundo da mala
Um raminho de alecrim.
(...)
•TERCETOSTERCETOS = estrofes com 3 versos
Ex. Os Lírios (Henriqueta Lisboa)
 
Certa madrugada fria
Irei de cabelos soltos
Ver como nascem os lírios.
 
Quero saber como crescem
Simples e belos – perfeitos! –
Ao abandono dos campos.
(...)
•QUARTETOSQUARTETOS = 4 versos
Ex. Infinito presente (Helena Kolody)
No movimento veloz
De nossa viagem,
Embala-nos a ilusão
Da fuga do tempo.
 
Poeira esparsa no vento,
Apenas passamos nós.
O tempo é mar que se alarga
Num infinito presente.
•OITAVASOITAVAS = 8 versos
Ex. Os Lusíadas (Canto primeiro) -
Camões
 
As armas e os barões assinalados
Que, da Ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca dantes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo reino, que tanto sublimaram.
CLASSIFICAÇÃO DAS ESTROFES:
•DÍSTICOSDÍSTICOS = 2 versos
•TERCETOSTERCETOS = estrofes com 3
versos
•QUARTETOSQUARTETOS = 4 versos
•OITAVASOITAVAS = 8 versos
•DÉCIMASDÉCIMAS = 10 versos
1. RIMAS: coincidência de sons (total ou parcial)
entre palavras no final ou no meio dos versos.
Classificação das rimas:Classificação das rimas: Quanto à categoria
gramatical:
 POBRESPOBRES: as palavras que rimam
pertencem à mesma classe
gramatical.
 
Exemplo:
.........situado (adjetivo)
.........cresce (verbo)
..........parece (verbo)
........quebrado (adjetivo)
RICAS: as palavras que rimam
pertencem a classes gramaticais
distintas.
 
Exemplo:
.............arde (verbo)
.............distante (advérbio)
..............diamante
(substantivo)
..............tarde (substantivo)
•Quanto à disposição ao longo do
poema:
 ALTERNADAS ou
CRUZADAS:
 
Incendeia A
Coração B
Passeia A
Paixão B
PARALELAS ou
EMPARELHADAS
 
Aniquilar A
Olhar A
Montanhas B
Entranhas B
INTERPOLADAS ou
OPOSTAS
 
Espelho A
Disfarce B
Disfarçar-se B
Conselho? A
VERSOS BRANCOSVERSOS BRANCOS sãosão
os que não apresentamos que não apresentam
rimarima
1. MÉTRICA: É o número de sílabas poéticas do verso. 
Na contagem das sílabas métricas (escansão),
observam-se, geralmente, as seguintes normas:
• A leitura de um verso deve ser caracterizada pelo
ritmo;
• Faz-se a contagem de sílabas até a sílaba tônica da
última palavra;
• Acomodar as sílabas seguindo a entonação. Elisão =
supressão de sons ou a sinalefa = acomodação de
vários sons a uma única sílaba métrica).
Exemplos:
 
Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
 
Ou – vi – ram – do – I – pi – ran – ga – as – mar – gens – plá – ci –
das = 14 sílabas gramaticais
 
Ou – vi – ram – doI – pi – ran – gaAs – mar – gens – plá = 10
sílabas poéticas
De um povo heróico o brado retumbante
 
De – um – po – vo – he – rói – co – o - bra – do – re – tum – ban –
te = 14 sil. gramaticais
 
Deum – po – vohe – rói – coo- bra – do – re – tum – ban = 10 sil.
Poéticas
 
TAIS VERSOS SÃO “DECASSILÁBICOS” = 10 VERSOSTAIS VERSOS SÃO “DECASSILÁBICOS” = 10 VERSOS
A) _______(__sílabas)
 
E agora, José?
A festa acabou,
A luz apagou,
O povo sumiu.
(...)
B) __________(___ sílabas)
 
Como são belos os dias
Do despontar da existência
(...)
 
C) __________(___ sílabas)
 Tu choraste em presença da
morte?
Na presença de estranhos
choraste?
(...)
D) __________(___ sílabas)
 
Olhai! O sol descamba...A tarde harmoniosa
Envolve luminosa a Grécia em frouxo véu,
Na estrada ao som da vaga, ao suspirar do vento,
De um marco poeirento um velho então se ergueu.
RITMORITMO: a musicalidade implícita ou explícita no poema.
A Banda (Chico Buarque)
Estava à toa na vida,
O meu amor me chamou,
Pra ver a banda passar
Cantando coisas de amor. (...)
 
GÊNERO DRAMÁTICO: textos para serem representados
no palco.
• TRAGÉDIATRAGÉDIA: fato trágico que provoca reação de medo ou
compaixão. Ex. “Édipo Rei”, de Sófocles.
• COMÉDIACOMÉDIA: satirização dos costumes sociais. Ex. “O
Rei da Vela”, de Oswald de Andrade.
• DRAMADRAMA: envolve a tragédia e a comédia. Ex. “Eles não
usam black-tie”, de G. Guarnieri.
• FARSAFARSA: pequena peça que critica a sociedade e seus
costumes. Ex. A Farsa de Inês Pereira”, de Gil Vicente.
• AUTOAUTO: peça breve, de tema religioso ou profano, de
aspecto moralista. Ex. Auto da Barca da Glória, de Gil
Vicente.
 
Gênero Dramático
O Pagador de Promessas - Dias Gomes
• “...Padre — Na porta? Por que ele não entrava? Não é católico?
• Zé do Burro — Tendo uma alma tão boa, Nicolau não pode deixar de ser
católico. Mas não é por isso que ele não entra na igreja. É porque o
vigário não deixa. (Com grande tristeza) Nicolau teve o azar de nascer
burro, de quatro patas.
• Padre — Burro?! Então esse... que você chama de Nicolau, é um burro?!
Um animal?!
• Zé do Burro — Meu burro, sim senhor.
• Padre — E foi por ele, por um burro, que fez essa promessa?... “
• O Gênero Dramático tem função apelativa e desde a antiguidade
clássica, teve grande importância, pois, tanto em suas origens gregas e
latinas como medievais, esteve sempre associado à problemática
religiosa e seus rituais.
Gênero Épico
• A palavra épico vem do grego épos –
narrativa, recitação (ação/espaço/tempo) -
tem função referencial ou informativa
• As Epopéias exaltam heróis e contam os
grandes feitos dos povos.
 Eneida, de Virgílio
 Homero e Virgílio
Os Lusíadas
Gênero Épico
Os Lusíadas - Luís de Camões
... “Vereis amor da pátria, não movido
De prémio vil, mas alto e quási eterno;
Que não é prémio vil ser conhecido
Por um pregão do ninho meu paterno.
Ouvi: vereis o nome engrandecido
Daqueles de quem sois senhor superno,
E julgareis qual é mais excelente,
Se ser do mundo Rei, se de tal gente.... “
ESCOLAS LITERÁRIAS: (OU ESTILOS DE ÉPOCA)
•Quinhentismo – (1500 – 1601)
•Barroco – (1601 – 1768)
•Arcadismo – (1768 – 1836)
•Romantismo – (1836 – 1881)
•Realismo/Naturalismo/Parnasianismo – ( 1881 – 1922)
•Simbolismo – (1893 – 1922)
•Pré-modernismo – (1902 – 1922)
•1ª geração. Modernista – (1922 – 1930)
•2ª geração. Modernista – (1930 – 1945)
•3ª geração. Modernista – (1945 – 1960)
•Literatura contemporânea – (1960 – até nossos dias)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
ma.no.el.ne.ves
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Fernando Ribeiro
 
Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0
José Ricardo Lima
 
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
Val Valença
 
Ultrarromantismo
UltrarromantismoUltrarromantismo
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
Fernando Henning
 
ROMANTISMO
ROMANTISMOROMANTISMO
ROMANTISMO
Marcimária Xavier
 
Romance regionalista
Romance regionalistaRomance regionalista
Romance regionalista
Renata Silva Nunes Ribeiro
 
introdução aos estudos da Literatura
introdução aos estudos da Literaturaintrodução aos estudos da Literatura
introdução aos estudos da Literatura
elenir duarte dias
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
Ana Batista
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Francis Paula
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
Colégio Santa Luzia
 
Melhores poemas de gonçalves dias
Melhores poemas de gonçalves diasMelhores poemas de gonçalves dias
Melhores poemas de gonçalves dias
ma.no.el.ne.ves
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Aula 06 naturalismo e realismo
Aula 06 naturalismo e realismoAula 06 naturalismo e realismo
Aula 06 naturalismo e realismo
Marcio Duarte
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
Juliana Lannes
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
marlospg
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
Natália Moura
 

Mais procurados (20)

Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0
 
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
 
Ultrarromantismo
UltrarromantismoUltrarromantismo
Ultrarromantismo
 
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
 
ROMANTISMO
ROMANTISMOROMANTISMO
ROMANTISMO
 
Romance regionalista
Romance regionalistaRomance regionalista
Romance regionalista
 
introdução aos estudos da Literatura
introdução aos estudos da Literaturaintrodução aos estudos da Literatura
introdução aos estudos da Literatura
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
Melhores poemas de gonçalves dias
Melhores poemas de gonçalves diasMelhores poemas de gonçalves dias
Melhores poemas de gonçalves dias
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
 
Aula 06 naturalismo e realismo
Aula 06 naturalismo e realismoAula 06 naturalismo e realismo
Aula 06 naturalismo e realismo
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
 

Destaque

Teoria literária
Teoria literáriaTeoria literária
Teoria literária
Claudia Ribeiro
 
Elementos da versificação
Elementos da versificaçãoElementos da versificação
Elementos da versificação
tamandarealfamanha
 
Metrificação e escansão
Metrificação e escansãoMetrificação e escansão
Metrificação e escansão
Flavio Maia Custodio
 
Cefet mg-2011-1-prova-completa-c-gabarito (1)
Cefet mg-2011-1-prova-completa-c-gabarito (1)Cefet mg-2011-1-prova-completa-c-gabarito (1)
Cefet mg-2011-1-prova-completa-c-gabarito (1)
LAURA BARROS
 
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Cristina Ramos
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
ISJ
 
Ppt texto literário e texto não literário
Ppt texto literário e texto não literárioPpt texto literário e texto não literário
Ppt texto literário e texto não literário
Eugénia Soares
 
NoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãONoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãO
guestacbec3
 
Versificacao
VersificacaoVersificacao
Versificacao
guestb20a74
 
Noções de versificação
Noções de versificaçãoNoções de versificação
Noções de versificação
Maria Oliveira
 

Destaque (10)

Teoria literária
Teoria literáriaTeoria literária
Teoria literária
 
Elementos da versificação
Elementos da versificaçãoElementos da versificação
Elementos da versificação
 
Metrificação e escansão
Metrificação e escansãoMetrificação e escansão
Metrificação e escansão
 
Cefet mg-2011-1-prova-completa-c-gabarito (1)
Cefet mg-2011-1-prova-completa-c-gabarito (1)Cefet mg-2011-1-prova-completa-c-gabarito (1)
Cefet mg-2011-1-prova-completa-c-gabarito (1)
 
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
Ppt texto literário e texto não literário
Ppt texto literário e texto não literárioPpt texto literário e texto não literário
Ppt texto literário e texto não literário
 
NoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãONoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãO
 
Versificacao
VersificacaoVersificacao
Versificacao
 
Noções de versificação
Noções de versificaçãoNoções de versificação
Noções de versificação
 

Semelhante a Topicos em literatura

Teoria literária
Teoria literáriaTeoria literária
Teoria literária
rosangelajoao
 
Teoria LiteráRia Ensino MéDio
Teoria LiteráRia Ensino MéDioTeoria LiteráRia Ensino MéDio
Teoria LiteráRia Ensino MéDio
Doutora em Linguística Aplicada pela PUC-SP
 
Gêneros literários 3º ano
Gêneros literários  3º anoGêneros literários  3º ano
Gêneros literários 3º ano
terceiromotivo2012
 
1ano-teoria-da-literatura.ppt
1ano-teoria-da-literatura.ppt1ano-teoria-da-literatura.ppt
1ano-teoria-da-literatura.ppt
VeraGarcia17
 
Teoria-da-literatura (4).pptx
Teoria-da-literatura (4).pptxTeoria-da-literatura (4).pptx
Teoria-da-literatura (4).pptx
ProfFlavioJuniorLing
 
O que é a literatura?
O que é a literatura?O que é a literatura?
O que é a literatura?
Luci Cruz
 
21032023085321Gêneros Literários Completo.ppt
21032023085321Gêneros Literários Completo.ppt21032023085321Gêneros Literários Completo.ppt
21032023085321Gêneros Literários Completo.ppt
lluiscarlosdassilva
 
21032023085321Gêneros Literários Completo (1).ppt
21032023085321Gêneros Literários Completo (1).ppt21032023085321Gêneros Literários Completo (1).ppt
21032023085321Gêneros Literários Completo (1).ppt
CAMILADELMONDES3
 
Gêneros Literários Completo com exercícios
Gêneros Literários Completo com exercíciosGêneros Literários Completo com exercícios
Gêneros Literários Completo com exercícios
MaiteFerreira4
 
1c2ba-teoria-da-literatura.ppt
1c2ba-teoria-da-literatura.ppt1c2ba-teoria-da-literatura.ppt
1c2ba-teoria-da-literatura.ppt
WandersonBarros16
 
1c2ba-teoria-da-literaturaaaaaaaaaaa.ppt
1c2ba-teoria-da-literaturaaaaaaaaaaa.ppt1c2ba-teoria-da-literaturaaaaaaaaaaa.ppt
1c2ba-teoria-da-literaturaaaaaaaaaaa.ppt
DECIOMAURINARAMOS
 
Terceira geração da poesia romântica
Terceira geração da poesia românticaTerceira geração da poesia romântica
Terceira geração da poesia romântica
ma.no.el.ne.ves
 
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptxGENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
Marlene Cunhada
 
Espumas flutuantes, de castro alves
Espumas flutuantes, de castro alvesEspumas flutuantes, de castro alves
Espumas flutuantes, de castro alves
ma.no.el.ne.ves
 
Análise de o desertor, de silva alvarenga
Análise de o desertor, de silva alvarengaAnálise de o desertor, de silva alvarenga
Análise de o desertor, de silva alvarenga
ma.no.el.ne.ves
 
Navio Negreiro Castro Alves
Navio Negreiro   Castro AlvesNavio Negreiro   Castro Alves
Navio Negreiro Castro Alves
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Literatura.pdf
Literatura.pdfLiteratura.pdf
Literatura.pdf
JohnJeffersonAlves1
 
A poesia de castro alves
A poesia de castro alvesA poesia de castro alves
A poesia de castro alves
ma.no.el.ne.ves
 
Simulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 okSimulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 ok
Shislaine Mary Carvalho
 
Introdução aos gêneros do discurso e literários
Introdução aos gêneros do discurso e literáriosIntrodução aos gêneros do discurso e literários
Introdução aos gêneros do discurso e literários
Fabricio Souza
 

Semelhante a Topicos em literatura (20)

Teoria literária
Teoria literáriaTeoria literária
Teoria literária
 
Teoria LiteráRia Ensino MéDio
Teoria LiteráRia Ensino MéDioTeoria LiteráRia Ensino MéDio
Teoria LiteráRia Ensino MéDio
 
Gêneros literários 3º ano
Gêneros literários  3º anoGêneros literários  3º ano
Gêneros literários 3º ano
 
1ano-teoria-da-literatura.ppt
1ano-teoria-da-literatura.ppt1ano-teoria-da-literatura.ppt
1ano-teoria-da-literatura.ppt
 
Teoria-da-literatura (4).pptx
Teoria-da-literatura (4).pptxTeoria-da-literatura (4).pptx
Teoria-da-literatura (4).pptx
 
O que é a literatura?
O que é a literatura?O que é a literatura?
O que é a literatura?
 
21032023085321Gêneros Literários Completo.ppt
21032023085321Gêneros Literários Completo.ppt21032023085321Gêneros Literários Completo.ppt
21032023085321Gêneros Literários Completo.ppt
 
21032023085321Gêneros Literários Completo (1).ppt
21032023085321Gêneros Literários Completo (1).ppt21032023085321Gêneros Literários Completo (1).ppt
21032023085321Gêneros Literários Completo (1).ppt
 
Gêneros Literários Completo com exercícios
Gêneros Literários Completo com exercíciosGêneros Literários Completo com exercícios
Gêneros Literários Completo com exercícios
 
1c2ba-teoria-da-literatura.ppt
1c2ba-teoria-da-literatura.ppt1c2ba-teoria-da-literatura.ppt
1c2ba-teoria-da-literatura.ppt
 
1c2ba-teoria-da-literaturaaaaaaaaaaa.ppt
1c2ba-teoria-da-literaturaaaaaaaaaaa.ppt1c2ba-teoria-da-literaturaaaaaaaaaaa.ppt
1c2ba-teoria-da-literaturaaaaaaaaaaa.ppt
 
Terceira geração da poesia romântica
Terceira geração da poesia românticaTerceira geração da poesia romântica
Terceira geração da poesia romântica
 
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptxGENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
GENEROS_LITERARIOS_ANGELICA_SOARES_1.pptx
 
Espumas flutuantes, de castro alves
Espumas flutuantes, de castro alvesEspumas flutuantes, de castro alves
Espumas flutuantes, de castro alves
 
Análise de o desertor, de silva alvarenga
Análise de o desertor, de silva alvarengaAnálise de o desertor, de silva alvarenga
Análise de o desertor, de silva alvarenga
 
Navio Negreiro Castro Alves
Navio Negreiro   Castro AlvesNavio Negreiro   Castro Alves
Navio Negreiro Castro Alves
 
Literatura.pdf
Literatura.pdfLiteratura.pdf
Literatura.pdf
 
A poesia de castro alves
A poesia de castro alvesA poesia de castro alves
A poesia de castro alves
 
Simulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 okSimulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 ok
 
Introdução aos gêneros do discurso e literários
Introdução aos gêneros do discurso e literáriosIntrodução aos gêneros do discurso e literários
Introdução aos gêneros do discurso e literários
 

Mais de Valeria Nunes

2. Surdez e identidade
2. Surdez e identidade 2. Surdez e identidade
2. Surdez e identidade
Valeria Nunes
 
2. Linguagem e identidade
2. Linguagem e identidade2. Linguagem e identidade
2. Linguagem e identidade
Valeria Nunes
 
2. Alfabeto manual
2. Alfabeto manual2. Alfabeto manual
2. Alfabeto manual
Valeria Nunes
 
1. Sentimentos e características pessoais
1. Sentimentos e características pessoais1. Sentimentos e características pessoais
1. Sentimentos e características pessoais
Valeria Nunes
 
1. curiosidades sobre a libras
1. curiosidades sobre a libras1. curiosidades sobre a libras
1. curiosidades sobre a libras
Valeria Nunes
 
1. cumprimentos
1. cumprimentos1. cumprimentos
1. cumprimentos
Valeria Nunes
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
Valeria Nunes
 
Musicas
MusicasMusicas
Musicas
Valeria Nunes
 
New york
New yorkNew york
New york
Valeria Nunes
 
Copa musica
Copa musicaCopa musica
Copa musica
Valeria Nunes
 
New york city
New york cityNew york city
New york city
Valeria Nunes
 
Datas
DatasDatas
Por que
Por quePor que
Por que
Valeria Nunes
 
Quinhentismo e barroco
Quinhentismo e barrocoQuinhentismo e barroco
Quinhentismo e barroco
Valeria Nunes
 
Texto descritivo e conjunção
Texto descritivo e conjunçãoTexto descritivo e conjunção
Texto descritivo e conjunção
Valeria Nunes
 
Acordo ortografico
Acordo ortograficoAcordo ortografico
Acordo ortografico
Valeria Nunes
 
Prosa x poema x soneto
Prosa x poema x sonetoProsa x poema x soneto
Prosa x poema x soneto
Valeria Nunes
 
Pronome s
Pronome sPronome s
Pronome s
Valeria Nunes
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Valeria Nunes
 
Currículo
CurrículoCurrículo
Currículo
Valeria Nunes
 

Mais de Valeria Nunes (20)

2. Surdez e identidade
2. Surdez e identidade 2. Surdez e identidade
2. Surdez e identidade
 
2. Linguagem e identidade
2. Linguagem e identidade2. Linguagem e identidade
2. Linguagem e identidade
 
2. Alfabeto manual
2. Alfabeto manual2. Alfabeto manual
2. Alfabeto manual
 
1. Sentimentos e características pessoais
1. Sentimentos e características pessoais1. Sentimentos e características pessoais
1. Sentimentos e características pessoais
 
1. curiosidades sobre a libras
1. curiosidades sobre a libras1. curiosidades sobre a libras
1. curiosidades sobre a libras
 
1. cumprimentos
1. cumprimentos1. cumprimentos
1. cumprimentos
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Musicas
MusicasMusicas
Musicas
 
New york
New yorkNew york
New york
 
Copa musica
Copa musicaCopa musica
Copa musica
 
New york city
New york cityNew york city
New york city
 
Datas
DatasDatas
Datas
 
Por que
Por quePor que
Por que
 
Quinhentismo e barroco
Quinhentismo e barrocoQuinhentismo e barroco
Quinhentismo e barroco
 
Texto descritivo e conjunção
Texto descritivo e conjunçãoTexto descritivo e conjunção
Texto descritivo e conjunção
 
Acordo ortografico
Acordo ortograficoAcordo ortografico
Acordo ortografico
 
Prosa x poema x soneto
Prosa x poema x sonetoProsa x poema x soneto
Prosa x poema x soneto
 
Pronome s
Pronome sPronome s
Pronome s
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Currículo
CurrículoCurrículo
Currículo
 

Último

O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 

Último (20)

O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 

Topicos em literatura

  • 1. LITERATURA Professora: Valeria Nunes O que é Literatura? Gêneros literários Texto literário x não-literário Estilos
  • 2.
  • 3. LITERATURA É A ARTE DA LINGUAGEM ESCRITA, QUE EXPLORA TODAS AS POTENCIALIDADES DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO E É CAPAZ DE TRANSPOR LIMITES DE TEMPO E ESPAÇO.  
  • 4. DIFERENÇAS ENTRE UM TEXTO LITERÁRIO E UM NÃO-LITERÁRIO:   TEXTO LITERÁRIO:TEXTO LITERÁRIO:   ênfase na expressão; linguagem conotativa (figurada); linguagem mais pessoal, emotiva; recriação da realidade; ambigüidade – recurso criativo.
  • 5.
  • 6. Texto 1:   “Uma nuvem colossal em forma de cogumelo sobre a cidade japonesa de Hiroxima assinala a morte de 80 mil de seus habitantes – vítimas do primeiro ataque nuclear do mundo, em 6 de agosto de 1945. O lançamento da bomba, uma das duas únicas do arsenal americano, foi feito para forçar os japoneses à rendição. Como não houve resposta imediata, os americanos lançaram outro “artefato” remanescente sobre Nagasaqui e os russos empreenderam a prometida invasão à Manchúria. Uma semana depois, o governo japonês concordou com os termos da rendição e a capitulação formal foi assinada em 2 de setembro.” (“A sombra dos ditadores”, História dos ditadores, 1993, p.88)
  • 7. Texto 2 A ROSA DE HIROXIMA (Vinícius de Moraes)  Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas como rosas cálidas  
  • 8. mas oh não se esqueçam Da rosa, da rosa Da rosa de Hiroxima A rosa hereditária A rosa radioativa Estúpida e inválida A rosa com cirrose A anti-rosa atômica Sem cor sem perfume Sem rosa sem nada.
  • 9.
  • 10. CLASSIFICAÇÃO DAS ESTROFES: •DÍSTICOSDÍSTICOS = 2 versos Ex. Canção do exílio (José Paulo Paes)  Um dia segui viagem Sem olhar sobre o meu ombro   Não vi terras de passagem Não vi glórias nem escombros.   Guardei no fundo da mala Um raminho de alecrim. (...)
  • 11. •TERCETOSTERCETOS = estrofes com 3 versos Ex. Os Lírios (Henriqueta Lisboa)   Certa madrugada fria Irei de cabelos soltos Ver como nascem os lírios.   Quero saber como crescem Simples e belos – perfeitos! – Ao abandono dos campos. (...)
  • 12. •QUARTETOSQUARTETOS = 4 versos Ex. Infinito presente (Helena Kolody) No movimento veloz De nossa viagem, Embala-nos a ilusão Da fuga do tempo.   Poeira esparsa no vento, Apenas passamos nós. O tempo é mar que se alarga Num infinito presente.
  • 13. •OITAVASOITAVAS = 8 versos Ex. Os Lusíadas (Canto primeiro) - Camões   As armas e os barões assinalados Que, da Ocidental praia Lusitana, Por mares nunca dantes navegados Passaram ainda além da Taprobana, Em perigos e guerras esforçados Mais do que prometia a força humana, E entre gente remota edificaram Novo reino, que tanto sublimaram.
  • 14.
  • 15. CLASSIFICAÇÃO DAS ESTROFES: •DÍSTICOSDÍSTICOS = 2 versos •TERCETOSTERCETOS = estrofes com 3 versos •QUARTETOSQUARTETOS = 4 versos •OITAVASOITAVAS = 8 versos •DÉCIMASDÉCIMAS = 10 versos
  • 16. 1. RIMAS: coincidência de sons (total ou parcial) entre palavras no final ou no meio dos versos. Classificação das rimas:Classificação das rimas: Quanto à categoria gramatical:  POBRESPOBRES: as palavras que rimam pertencem à mesma classe gramatical.   Exemplo: .........situado (adjetivo) .........cresce (verbo) ..........parece (verbo) ........quebrado (adjetivo) RICAS: as palavras que rimam pertencem a classes gramaticais distintas.   Exemplo: .............arde (verbo) .............distante (advérbio) ..............diamante (substantivo) ..............tarde (substantivo)
  • 17. •Quanto à disposição ao longo do poema:  ALTERNADAS ou CRUZADAS:   Incendeia A Coração B Passeia A Paixão B PARALELAS ou EMPARELHADAS   Aniquilar A Olhar A Montanhas B Entranhas B INTERPOLADAS ou OPOSTAS   Espelho A Disfarce B Disfarçar-se B Conselho? A VERSOS BRANCOSVERSOS BRANCOS sãosão os que não apresentamos que não apresentam rimarima
  • 18. 1. MÉTRICA: É o número de sílabas poéticas do verso.  Na contagem das sílabas métricas (escansão), observam-se, geralmente, as seguintes normas: • A leitura de um verso deve ser caracterizada pelo ritmo; • Faz-se a contagem de sílabas até a sílaba tônica da última palavra; • Acomodar as sílabas seguindo a entonação. Elisão = supressão de sons ou a sinalefa = acomodação de vários sons a uma única sílaba métrica).
  • 19.
  • 20. Exemplos:   Ouviram do Ipiranga as margens plácidas   Ou – vi – ram – do – I – pi – ran – ga – as – mar – gens – plá – ci – das = 14 sílabas gramaticais   Ou – vi – ram – doI – pi – ran – gaAs – mar – gens – plá = 10 sílabas poéticas
  • 21. De um povo heróico o brado retumbante   De – um – po – vo – he – rói – co – o - bra – do – re – tum – ban – te = 14 sil. gramaticais   Deum – po – vohe – rói – coo- bra – do – re – tum – ban = 10 sil. Poéticas   TAIS VERSOS SÃO “DECASSILÁBICOS” = 10 VERSOSTAIS VERSOS SÃO “DECASSILÁBICOS” = 10 VERSOS
  • 22. A) _______(__sílabas)   E agora, José? A festa acabou, A luz apagou, O povo sumiu. (...) B) __________(___ sílabas)   Como são belos os dias Do despontar da existência (...)   C) __________(___ sílabas)  Tu choraste em presença da morte? Na presença de estranhos choraste? (...)
  • 23. D) __________(___ sílabas)   Olhai! O sol descamba...A tarde harmoniosa Envolve luminosa a Grécia em frouxo véu, Na estrada ao som da vaga, ao suspirar do vento, De um marco poeirento um velho então se ergueu.
  • 24. RITMORITMO: a musicalidade implícita ou explícita no poema. A Banda (Chico Buarque) Estava à toa na vida, O meu amor me chamou, Pra ver a banda passar Cantando coisas de amor. (...)
  • 25.
  • 26.
  • 27.   GÊNERO DRAMÁTICO: textos para serem representados no palco. • TRAGÉDIATRAGÉDIA: fato trágico que provoca reação de medo ou compaixão. Ex. “Édipo Rei”, de Sófocles. • COMÉDIACOMÉDIA: satirização dos costumes sociais. Ex. “O Rei da Vela”, de Oswald de Andrade. • DRAMADRAMA: envolve a tragédia e a comédia. Ex. “Eles não usam black-tie”, de G. Guarnieri. • FARSAFARSA: pequena peça que critica a sociedade e seus costumes. Ex. A Farsa de Inês Pereira”, de Gil Vicente. • AUTOAUTO: peça breve, de tema religioso ou profano, de aspecto moralista. Ex. Auto da Barca da Glória, de Gil Vicente.  
  • 28. Gênero Dramático O Pagador de Promessas - Dias Gomes • “...Padre — Na porta? Por que ele não entrava? Não é católico? • Zé do Burro — Tendo uma alma tão boa, Nicolau não pode deixar de ser católico. Mas não é por isso que ele não entra na igreja. É porque o vigário não deixa. (Com grande tristeza) Nicolau teve o azar de nascer burro, de quatro patas. • Padre — Burro?! Então esse... que você chama de Nicolau, é um burro?! Um animal?! • Zé do Burro — Meu burro, sim senhor. • Padre — E foi por ele, por um burro, que fez essa promessa?... “ • O Gênero Dramático tem função apelativa e desde a antiguidade clássica, teve grande importância, pois, tanto em suas origens gregas e latinas como medievais, esteve sempre associado à problemática religiosa e seus rituais.
  • 29. Gênero Épico • A palavra épico vem do grego épos – narrativa, recitação (ação/espaço/tempo) - tem função referencial ou informativa • As Epopéias exaltam heróis e contam os grandes feitos dos povos.  Eneida, de Virgílio  Homero e Virgílio Os Lusíadas
  • 30. Gênero Épico Os Lusíadas - Luís de Camões ... “Vereis amor da pátria, não movido De prémio vil, mas alto e quási eterno; Que não é prémio vil ser conhecido Por um pregão do ninho meu paterno. Ouvi: vereis o nome engrandecido Daqueles de quem sois senhor superno, E julgareis qual é mais excelente, Se ser do mundo Rei, se de tal gente.... “
  • 31.
  • 32. ESCOLAS LITERÁRIAS: (OU ESTILOS DE ÉPOCA) •Quinhentismo – (1500 – 1601) •Barroco – (1601 – 1768) •Arcadismo – (1768 – 1836) •Romantismo – (1836 – 1881) •Realismo/Naturalismo/Parnasianismo – ( 1881 – 1922) •Simbolismo – (1893 – 1922) •Pré-modernismo – (1902 – 1922) •1ª geração. Modernista – (1922 – 1930) •2ª geração. Modernista – (1930 – 1945) •3ª geração. Modernista – (1945 – 1960) •Literatura contemporânea – (1960 – até nossos dias)