SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
EVOLUÇÃO DO TEATRO AO LONGO DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE
O QUE É TEATRO? A = Ator B = Personagem C = Público A que representa B na frente de C
ORIGEM O teatroteve a sua origem no século VI a.C., na Grécia, surgindo das festas dionisíacas realizadas em homenagem ao deus Dionísio, deus do vinho, do teatro e da fertilidade. Essas festas, que eram rituais sagrados, procissões e recitais que duravam dias seguidos, aconteciam uma vez por ano na Primavera, períodos em que se fazia a colheita do vinho naquela região.
SEMPRE FIZEMOS TEATRO? Não, no início as sociedades primitivas faziam rituais, misturando dança, música e teatro. O ritual tinha uma função social: ajudar na caça, na agricultura, na cura de doenças...
Ritual dos índios da Amazônia
COMO ERAM OS TEATROS GREGOS? Encravados  numa colina, onde a platéia ficava na arquibancada ou barranco e o palco tinha ao fundo três portas. À frente do palco ficava o côro, onde atualmente fica o proscênio ou a orquestra .
Teatro em Atenas – Três portas ao fundo e coro a frente
PRIMEIRO ACTOR DA HISTÓRIA DO TEATRO Quando um participante desse ritual sagrado resolve vestir uma máscara humana, ornada com cachos de uvas, sobe ao seu tablado na praça pública e diz: “Eu sou Dionísio!”. Este homem chamava-se Téspis, considerado o primeiro actor da história do teatro ocidental.
PREDIO TEATRAL GREGO Paralelos a este acontecimento sociocultural, vão surgindo os prédios teatrais gregos, que eram construções ao ar livre, formadas em encostas para facilitar o escalonamento das arquibancadas. O prédio teatral grego era formado, basicamente, da seguinte estrutura: arquibancada, orquestra, thumelê, proscénio e palco.
                   Vista da platéia do Teatro de Delfos
Teatro de Arena em Atenas – Período Romano
TEATRO PRIMITIVO   O teatro primitivo era uma espécie de danças dramáticas colectivas que abordavam as questões do seu dia-a-dia, uma espécie de rito de celebração, agradecimento ou perda. Estas pequenas evoluções deram-se com o passar de vários anos, e muitas vezes as peças  eram representadas apenas por um só personagem que metia uma máscara para fazer as várias figuras, e não entravam mulheres.
TEATRO NA GRÉCIA Na Grécia sim, surge o teatro. Surge o “ditirambo”, um tipo de procissão informal que servia para homenagear o deus Dionísio (deus do Vinho). Mais tarde o “ditirambo” evoluiu, tinha um coro formado por coreutas e pelo corifeu, eles cantavam, dançavam, contavam histórias e mitos relacionados a Deus..
Teatro de Dióniso – Ruínas
PRIMEIROS TEXTOS TEATRAIS Surgem  os primeiros textos teatrais. No inicio fazia-se teatro nas ruas, depois tornou-se necessário um lugar. Muitas das tragédias escritas perderam-se e na actualidade são três Tragediógrafos conhecidos e considerados importantes: Ésquilo, Sófocles e Eurípedes.
Ésquilo(525 a 456 aC aproximadamente) – Principal texto: Prometeu Acorrentado. Tema principal que tratava: Contava fatos sobre os deuses e os Mitos.  Sófocles(496 a 406 a.C.aproximadamente) – Principal texto: Édipo Rei. Tema principal que tratava: das grandes figuras Reais. Eurípides(484 a 406 a.C.aproximadamente) – Principal texto: As Troianas – Tema principal que tratava: dos renegados, dos vencidos (Pai do Drama Ocidental)
DRAMATURGO E FILÓSOFO Aristófanes e a Comédia: Dramaturgo grego (445 a 386 a.C.) É considerado o maior representante da comédia antiga.  Para Aristóteles, a tragédia não era vista com pessimismo pelos gregos e sim como educativa. Tinha a função de ensinar as pessoas. Era o filósofo que tinha a função principal da tragédia porque era descrita por ele.
TEATRO  Na Espanha, no século XVII, as representações nas cortes espanholas encontravam-se fortemente influenciadas pelas encenações italiana. Foi mais notadamente na Itália que o teatro renascentista rompeu com as tradições do teatro medieval. Houve uma verdadeira recriação das estruturas teatrais na Itália, através das representações do chamado teatro humanista.
TEATRO SÉCULO XVII No século XVII, o teatro italiano experimentou grandes evoluções cénicas, muitas das quais já eram  estruturadas como o teatro é actualmente.  Foi a partir do século XVII que as mulheres passaram a fazer parte das actuações teatrais na Inglaterra a na França.
TEATRO FRANCÊS O interior do Comédie-Française  em Paris, (França), onde se pode ver o palco, os camarotes  galerias e fosso da orquestra, a partir de uma aguarela do século XVIII.
TEATRO BRASIL No Brasil, o teatro tem a sua origem com as representações de catequização dos índios.  Uma origem do teatro no Brasil  deve - se à Companhia de Jesus, ordem que se encarregou da expansão da crença pelos países colonizados. Os autores do teatro nesse período foram o Padre José de Anchieta e o Padre António Vieira.
SÉCULO XIX No século XIXhavia uma preocupação obsessiva com a autenticidade de cenários. Até mesmo cavalos vivos subiam ao palco. O desenvolvimento tecnológico modificou todo o aparato técnico que cercava o espectáculo: luzes, cenários, som e efeitos especiais diversos.
EM PORTUGAL A Idade Média também tinha "teatro"cómico, com as farsas. Em Portugal, surgiu, em finais do século XV. O teatro de Gil Vicente, de gosto medieval mas, de certa forma, de temática profana já renascentista. O teatro do século XX caracteriza-se pelo ecletismo e pela grande quebra de antigas tradições.
Trabalho realizado por: Conceição MartinsMarco AraújoMicaela Fernandes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Arte Romana
Arte RomanaArte Romana
Arte Romana
 
Artes cênicas
Artes cênicasArtes cênicas
Artes cênicas
 
Dança
DançaDança
Dança
 
História da dança
História da dançaHistória da dança
História da dança
 
Teatro
TeatroTeatro
Teatro
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Jogos Teatrais
Jogos TeatraisJogos Teatrais
Jogos Teatrais
 
Teatro - definição, história e reflexões
Teatro - definição, história e reflexõesTeatro - definição, história e reflexões
Teatro - definição, história e reflexões
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
 
Dança
DançaDança
Dança
 
Teatro e [1]..
Teatro e [1]..Teatro e [1]..
Teatro e [1]..
 
Teatro Grego - Prof. Altair Aguilar
Teatro Grego - Prof. Altair AguilarTeatro Grego - Prof. Altair Aguilar
Teatro Grego - Prof. Altair Aguilar
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
 
A origem do teatro
A origem do teatroA origem do teatro
A origem do teatro
 
A Origem Da DançA
A Origem Da DançAA Origem Da DançA
A Origem Da DançA
 
O teatro na grécia antiga
O teatro na grécia antigaO teatro na grécia antiga
O teatro na grécia antiga
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
 

Destaque (20)

A Origem Do Teatro
A Origem Do TeatroA Origem Do Teatro
A Origem Do Teatro
 
O Teatro Na GréCia
O Teatro Na GréCiaO Teatro Na GréCia
O Teatro Na GréCia
 
Resumão historia do teatro
Resumão historia do teatroResumão historia do teatro
Resumão historia do teatro
 
Teatro origem e evolução
Teatro  origem e evoluçãoTeatro  origem e evolução
Teatro origem e evolução
 
Breve história do teatro
Breve história do teatroBreve história do teatro
Breve história do teatro
 
Teatro grego - Origem
Teatro grego - OrigemTeatro grego - Origem
Teatro grego - Origem
 
História do teatro no brasil
História do teatro no brasilHistória do teatro no brasil
História do teatro no brasil
 
Evolução da Arte
Evolução da ArteEvolução da Arte
Evolução da Arte
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
Teatro Grego
Teatro GregoTeatro Grego
Teatro Grego
 
Samba Choro
Samba ChoroSamba Choro
Samba Choro
 
Chorinho brasileiro
Chorinho brasileiroChorinho brasileiro
Chorinho brasileiro
 
Máscaras
MáscarasMáscaras
Máscaras
 
Hipocrisia na bíblia
Hipocrisia na bíblia Hipocrisia na bíblia
Hipocrisia na bíblia
 
Token Ring
Token RingToken Ring
Token Ring
 
Token Ring
Token RingToken Ring
Token Ring
 
Token ring
Token ringToken ring
Token ring
 
ApresentaçãO I
ApresentaçãO IApresentaçãO I
ApresentaçãO I
 
HIPOCRISIA
HIPOCRISIAHIPOCRISIA
HIPOCRISIA
 
Token ring
Token ringToken ring
Token ring
 

Semelhante a EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da

6982397 Origem E Evol Do Teatro
6982397  Origem E  Evol  Do  Teatro6982397  Origem E  Evol  Do  Teatro
6982397 Origem E Evol Do TeatroRicardo Araujo
 
O que é Teatro.docx
O que é Teatro.docxO que é Teatro.docx
O que é Teatro.docxRogrioMelo22
 
Slide - A gênese ritual do Teatro na pre-história.ppt
Slide - A gênese ritual do Teatro na pre-história.pptSlide - A gênese ritual do Teatro na pre-história.ppt
Slide - A gênese ritual do Teatro na pre-história.pptroberthysouza1
 
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.Hca Faro
 
2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatro2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatroO Ciclista
 
Historia_do_Teatro.ppt
Historia_do_Teatro.pptHistoria_do_Teatro.ppt
Historia_do_Teatro.pptElizeu filho
 
A-História-do-Teatro-3A-Lara-ppt.ppt
A-História-do-Teatro-3A-Lara-ppt.pptA-História-do-Teatro-3A-Lara-ppt.ppt
A-História-do-Teatro-3A-Lara-ppt.pptOCorponoMundoGlobali
 
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.pptTEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.pptSuzy De Abreu Santana
 
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.pptTEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.pptJoaoAlves319493
 
Gêneros dramáticos
Gêneros dramáticosGêneros dramáticos
Gêneros dramáticosAline Raposo
 
HistóRia Do Teatro LíNgua Portuguesa
HistóRia Do Teatro   LíNgua PortuguesaHistóRia Do Teatro   LíNgua Portuguesa
HistóRia Do Teatro LíNgua PortuguesaTeresa Pombo
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesGeo Honório
 

Semelhante a EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da (20)

6982397 Origem E Evol Do Teatro
6982397  Origem E  Evol  Do  Teatro6982397  Origem E  Evol  Do  Teatro
6982397 Origem E Evol Do Teatro
 
O que é Teatro.docx
O que é Teatro.docxO que é Teatro.docx
O que é Teatro.docx
 
Slide - A gênese ritual do Teatro na pre-história.ppt
Slide - A gênese ritual do Teatro na pre-história.pptSlide - A gênese ritual do Teatro na pre-história.ppt
Slide - A gênese ritual do Teatro na pre-história.ppt
 
Documento
DocumentoDocumento
Documento
 
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.
 
2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatro2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatro
 
Historia_do_Teatro.ppt
Historia_do_Teatro.pptHistoria_do_Teatro.ppt
Historia_do_Teatro.ppt
 
Cor na teatro
Cor na teatroCor na teatro
Cor na teatro
 
A-História-do-Teatro-3A-Lara-ppt.ppt
A-História-do-Teatro-3A-Lara-ppt.pptA-História-do-Teatro-3A-Lara-ppt.ppt
A-História-do-Teatro-3A-Lara-ppt.ppt
 
A-História-do-Teatro-3A-Lara.ppt
A-História-do-Teatro-3A-Lara.pptA-História-do-Teatro-3A-Lara.ppt
A-História-do-Teatro-3A-Lara.ppt
 
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.pptTEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
 
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.pptTEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
 
Teatro
TeatroTeatro
Teatro
 
Teatro
TeatroTeatro
Teatro
 
Gêneros dramáticos
Gêneros dramáticosGêneros dramáticos
Gêneros dramáticos
 
História m. do teatro m.berthold 102 137
História m. do teatro m.berthold 102 137História m. do teatro m.berthold 102 137
História m. do teatro m.berthold 102 137
 
HistóRia Do Teatro LíNgua Portuguesa
HistóRia Do Teatro   LíNgua PortuguesaHistóRia Do Teatro   LíNgua Portuguesa
HistóRia Do Teatro LíNgua Portuguesa
 
Atividades sobre teatro novinho rsr
Atividades sobre teatro novinho rsrAtividades sobre teatro novinho rsr
Atividades sobre teatro novinho rsr
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
 
Atividades sobre teatro novinho rsr
Atividades sobre teatro novinho rsrAtividades sobre teatro novinho rsr
Atividades sobre teatro novinho rsr
 

Mais de mega

Reflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 MarcoReflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 Marcomega
 
Deasafio contame uma história
Deasafio contame uma históriaDeasafio contame uma história
Deasafio contame uma históriamega
 
Reflexão
ReflexãoReflexão
Reflexãomega
 
Reflexão 13 Meses
Reflexão 13 MesesReflexão 13 Meses
Reflexão 13 Mesesmega
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosmega
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosmega
 
M 37 Anima Tu
M 37 Anima TuM 37 Anima Tu
M 37 Anima Tumega
 
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo MarcoKuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marcomega
 
ReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJoReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJomega
 
marco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidariomarco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidariomega
 
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]mega
 
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRioM 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRiomega
 
M 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao MarcoM 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao Marcomega
 
Ng5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 MarcoNg5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 Marcomega
 
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4MarcoCartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marcomega
 
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJoMudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJomega
 
Decalogo M 32
Decalogo M 32Decalogo M 32
Decalogo M 32mega
 
Ritmos & Blues
Ritmos & BluesRitmos & Blues
Ritmos & Bluesmega
 
Origem Blues
Origem BluesOrigem Blues
Origem Bluesmega
 
ReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marcoReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marcomega
 

Mais de mega (20)

Reflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 MarcoReflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 Marco
 
Deasafio contame uma história
Deasafio contame uma históriaDeasafio contame uma história
Deasafio contame uma história
 
Reflexão
ReflexãoReflexão
Reflexão
 
Reflexão 13 Meses
Reflexão 13 MesesReflexão 13 Meses
Reflexão 13 Meses
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anos
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anos
 
M 37 Anima Tu
M 37 Anima TuM 37 Anima Tu
M 37 Anima Tu
 
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo MarcoKuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
 
ReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJoReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJo
 
marco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidariomarco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidario
 
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
 
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRioM 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
 
M 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao MarcoM 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao Marco
 
Ng5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 MarcoNg5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 Marco
 
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4MarcoCartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
 
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJoMudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
 
Decalogo M 32
Decalogo M 32Decalogo M 32
Decalogo M 32
 
Ritmos & Blues
Ritmos & BluesRitmos & Blues
Ritmos & Blues
 
Origem Blues
Origem BluesOrigem Blues
Origem Blues
 
ReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marcoReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marco
 

Último

"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 

Último (20)

"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 

EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da

  • 1. EVOLUÇÃO DO TEATRO AO LONGO DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE
  • 2. O QUE É TEATRO? A = Ator B = Personagem C = Público A que representa B na frente de C
  • 3. ORIGEM O teatroteve a sua origem no século VI a.C., na Grécia, surgindo das festas dionisíacas realizadas em homenagem ao deus Dionísio, deus do vinho, do teatro e da fertilidade. Essas festas, que eram rituais sagrados, procissões e recitais que duravam dias seguidos, aconteciam uma vez por ano na Primavera, períodos em que se fazia a colheita do vinho naquela região.
  • 4.
  • 5. SEMPRE FIZEMOS TEATRO? Não, no início as sociedades primitivas faziam rituais, misturando dança, música e teatro. O ritual tinha uma função social: ajudar na caça, na agricultura, na cura de doenças...
  • 6. Ritual dos índios da Amazônia
  • 7. COMO ERAM OS TEATROS GREGOS? Encravados numa colina, onde a platéia ficava na arquibancada ou barranco e o palco tinha ao fundo três portas. À frente do palco ficava o côro, onde atualmente fica o proscênio ou a orquestra .
  • 8. Teatro em Atenas – Três portas ao fundo e coro a frente
  • 9. PRIMEIRO ACTOR DA HISTÓRIA DO TEATRO Quando um participante desse ritual sagrado resolve vestir uma máscara humana, ornada com cachos de uvas, sobe ao seu tablado na praça pública e diz: “Eu sou Dionísio!”. Este homem chamava-se Téspis, considerado o primeiro actor da história do teatro ocidental.
  • 10. PREDIO TEATRAL GREGO Paralelos a este acontecimento sociocultural, vão surgindo os prédios teatrais gregos, que eram construções ao ar livre, formadas em encostas para facilitar o escalonamento das arquibancadas. O prédio teatral grego era formado, basicamente, da seguinte estrutura: arquibancada, orquestra, thumelê, proscénio e palco.
  • 11. Vista da platéia do Teatro de Delfos
  • 12. Teatro de Arena em Atenas – Período Romano
  • 13. TEATRO PRIMITIVO   O teatro primitivo era uma espécie de danças dramáticas colectivas que abordavam as questões do seu dia-a-dia, uma espécie de rito de celebração, agradecimento ou perda. Estas pequenas evoluções deram-se com o passar de vários anos, e muitas vezes as peças eram representadas apenas por um só personagem que metia uma máscara para fazer as várias figuras, e não entravam mulheres.
  • 14. TEATRO NA GRÉCIA Na Grécia sim, surge o teatro. Surge o “ditirambo”, um tipo de procissão informal que servia para homenagear o deus Dionísio (deus do Vinho). Mais tarde o “ditirambo” evoluiu, tinha um coro formado por coreutas e pelo corifeu, eles cantavam, dançavam, contavam histórias e mitos relacionados a Deus..
  • 15. Teatro de Dióniso – Ruínas
  • 16. PRIMEIROS TEXTOS TEATRAIS Surgem os primeiros textos teatrais. No inicio fazia-se teatro nas ruas, depois tornou-se necessário um lugar. Muitas das tragédias escritas perderam-se e na actualidade são três Tragediógrafos conhecidos e considerados importantes: Ésquilo, Sófocles e Eurípedes.
  • 17. Ésquilo(525 a 456 aC aproximadamente) – Principal texto: Prometeu Acorrentado. Tema principal que tratava: Contava fatos sobre os deuses e os Mitos. Sófocles(496 a 406 a.C.aproximadamente) – Principal texto: Édipo Rei. Tema principal que tratava: das grandes figuras Reais. Eurípides(484 a 406 a.C.aproximadamente) – Principal texto: As Troianas – Tema principal que tratava: dos renegados, dos vencidos (Pai do Drama Ocidental)
  • 18. DRAMATURGO E FILÓSOFO Aristófanes e a Comédia: Dramaturgo grego (445 a 386 a.C.) É considerado o maior representante da comédia antiga.  Para Aristóteles, a tragédia não era vista com pessimismo pelos gregos e sim como educativa. Tinha a função de ensinar as pessoas. Era o filósofo que tinha a função principal da tragédia porque era descrita por ele.
  • 19. TEATRO Na Espanha, no século XVII, as representações nas cortes espanholas encontravam-se fortemente influenciadas pelas encenações italiana. Foi mais notadamente na Itália que o teatro renascentista rompeu com as tradições do teatro medieval. Houve uma verdadeira recriação das estruturas teatrais na Itália, através das representações do chamado teatro humanista.
  • 20. TEATRO SÉCULO XVII No século XVII, o teatro italiano experimentou grandes evoluções cénicas, muitas das quais já eram estruturadas como o teatro é actualmente. Foi a partir do século XVII que as mulheres passaram a fazer parte das actuações teatrais na Inglaterra a na França.
  • 21. TEATRO FRANCÊS O interior do Comédie-Française em Paris, (França), onde se pode ver o palco, os camarotes galerias e fosso da orquestra, a partir de uma aguarela do século XVIII.
  • 22. TEATRO BRASIL No Brasil, o teatro tem a sua origem com as representações de catequização dos índios. Uma origem do teatro no Brasil deve - se à Companhia de Jesus, ordem que se encarregou da expansão da crença pelos países colonizados. Os autores do teatro nesse período foram o Padre José de Anchieta e o Padre António Vieira.
  • 23. SÉCULO XIX No século XIXhavia uma preocupação obsessiva com a autenticidade de cenários. Até mesmo cavalos vivos subiam ao palco. O desenvolvimento tecnológico modificou todo o aparato técnico que cercava o espectáculo: luzes, cenários, som e efeitos especiais diversos.
  • 24. EM PORTUGAL A Idade Média também tinha "teatro"cómico, com as farsas. Em Portugal, surgiu, em finais do século XV. O teatro de Gil Vicente, de gosto medieval mas, de certa forma, de temática profana já renascentista. O teatro do século XX caracteriza-se pelo ecletismo e pela grande quebra de antigas tradições.
  • 25. Trabalho realizado por: Conceição MartinsMarco AraújoMicaela Fernandes