SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade de Lisboa — Faculdade de Belas Artes  Ano lectivo 2008-2009 Teste de avaliação de  História da Arte Contemporânea II Duração da prova: 120 minutos Responda  apenas a   duas  das seguintes questões (no caso de resposta a todas serão consideradas apenas as duas primeiras) 1.  «(…) as cores eram para nós como cartuchos de dinamite. Tinham que descarregar luz» (André Derain, cit. Walter Hess, Documentos para a compreensão da Arte Moderna);  «Gostaria muito que a minha obra brotasse do material, onde não há regras fixas (...). Pintando, quis sempre que as cores, através de mim como pintor, se propagassem na tela com a mesma naturalidade com que a natureza cria as suas próprias figuras (...)» (Emil Nolde, (Nolde, in Cartas dos anos 1894-1926, Berlim, 1927; Anos de Luta, Berlim, 1934, cit. Walter Hess, Documentos para a compreensão da Arte Moderna)   Confronte e posicione o  fauvismo  francês e o Grupo alemão  Die Brücke , relativamente à emergência do  expressionismo  no âmbito das primeiras vanguardas   2.  «(…), tratava-se de analisar os objectos e de criar as condições espaciais dessa análise de maneira que o acto pictural os decompusesse ideograficamente, isto é, não através da visão imediata deles mas de memória como visão mediata, guardada do que deles o pintor sabia. O poder memorizante do pintor impressionista estivera subordinado à sensação experimentada; o do pintor cubista funcionava agora em termos perceptuais de conceptualização». ( José-Augusto França,  História da Arte Ocidental 1780-1980, modos de emprego ) Problematize as questões colocadas pelo  cubismo  perante a tradição representativa da pintura. 3.  «De facto, [o ready-made] limita-se a separar o objecto do contexto que lhe é habitual e em que desempenha uma função prática: tira-o do seu ambiente, desloca-o. Retirando-o de um contexto em que tudo é utilitário, e nada pode ser estético, situa-o numa dimensão em que, nada sendo utilitário, tudo pode ser estético. O que determina o valor estético, por conseguinte, já não é um processo técnico, um trabalho, mas um puro acto mental, uma atitude diferente perante a realidade»  (Guilio Carlo Argan,  A Arte Moderna. Do Iluminismo aos Movimentos Contemporâneos ) Avalie a importância dos primeiros  ready-made de Marcel Duchamp , como provocação da noção e do valor da obra de arte, e como defesa de uma arte que ultrapasse a tradição retiniana da cultura ocidental. O docente: Fernando Paulo Rosa Dias Marcel Duchamp,  Fonte , 1917, ready made: urinol de porcelana [fotografia do  original ] André Derain (1880-1954),  A Ponte de Waterloo , 1906 Karl Schmidt-Rottluff,  Quatro Banhistas na Praia [Vier Badende am Strande] , 1913 Pablo Picasso,  Menina com Bandolim , princípios de 1910.
Universidade de Lisboa — Faculdade de Belas Artes  Ano lectivo 2007-2008 Teste de avaliação de  História da Arte Contemporânea II Duração da prova: 120 minutos Responda  apenas a   duas  das seguintes questões (no caso de resposta a todas serão consideradas apenas as duas primeiras) 1.  «Mas é outra coisa estar no movimento ou olhá-lo do exterior. O futurismo decompunha o movimento, o cubismo apresentava o objecto em todas as suas faces» ( Jacques Villon,  Arts, 26 Abril 1961 ).  Relativamente à questão do  tempo  representado, confronte os princípios do  cubismo  com os do  futurismo .  2.   «(…) a escolha dos  ready-mades  nunca me foi ditada por qualquer deleite estético. A escolha é fundada por uma reacção de indiferença visual, combinado ao mesmo tempo com uma ausência total de bom ou mau gosto. De facto, uma anestesia completa» (Marcel Duchamp,  Duchamp du signe ) Considerando a frase de Marcel Duchamp, problematize o « ready-made » enquanto  gesto  artístico.  3.  «O Mundo está repleto de ressonâncias. Ele constitui um cosmos de seres que exercem uma acção espiritual. A matéria morta é espírito vivo» (Wassily Kandinsky, in «Sobre o problema da forma», in Der Blaue Reiter, 1912, reed. in Gramática da Criação) «Por meio da abstracção atinge-se a expressão pura abstracta. Desnaturalizar é aprofundar» (Piet Mondrian, cit. France Farago, Arte) Diferencie os projectos de  pintura abstracta  propostos por Kandinsky e por Mondrian. O docente: Fernando Paulo Rosa Dias Marcel Duchamp,  Fonte , 1917, ready made: urinol de porcelana [fotografia do  original ] Giacomo Balla,  Bambina multipliato balcone (Rapariga correndo ao longo de um balcão) , 1912 Pablo Picasso,  Menina com Bandolim , princípios de 1910 Wassily Kandinsky,  (Primeira Aguarela Abstracta),  1910/1913 Piet Mondrian,  Composição em Vermelho, Azul e Amarelo ,  1930
Universidade de Lisboa — Faculdade de Belas Artes  Ano lectivo 2006-2007 Teste de avaliação de  História da Arte Contemporânea II Duração da prova: 120 minutos Responda  apenas a   duas  das seguintes questões (no caso de resposta a todas serão consideradas apenas as duas primeiras) 1.  «A acção vanguardista do primeiro expressionismo alemão no início do século XX foi um acto moral sobre a história, procurando a unidade perdida (sujeito/mundo) através do retorno a um princípio pré-civilizacional, ao paraíso perdido do primitivismo, ou enfatizando a acção intuitiva do sujeito, depurada na própria agudização impulsiva das suas profundezas irracionais. (…). Se a beleza significava o resultado de um progresso e sofisticação da história, a obra mais pura e sincera requeria não a sua manifestação, mas a brutalidade e energia que só uma estética do feio (…) e uma praxis tosca podiam sustentar e legitimar».   ( Fernando Rosa Dias, “Introdução ao Expressionismo”, in  Actas das Conferências «Ciências das Artes», nº1 , Faculdade de Belas Artes, 2007).  Posicione e esclareça o sentido do  expressionismo  enquanto manifestação das primeiras vanguardas no âmbito das artes plásticas.  2.  «Dada foi um protesto extremo contra o lado físico da pintura. Era uma atitude metafísica»   (Marcel Duchamp, 1946) Avalie, através de exemplos pertinentes, a importância de  Dada  na arte do século XX.  3.  «Uma acção não é uma questão de gosto»  (Harold Rosenberg) Referindo exemplos, problematize a importância da «pintura de acção» ( action painting ) norte americana no segundo pós-Guerra. O docente: Fernando Paulo Rosa Dias

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Módulo 10 - Contexto Histórico Profissional
Módulo 10 - Contexto Histórico ProfissionalMódulo 10 - Contexto Histórico Profissional
Módulo 10 - Contexto Histórico Profissional
Carla Freitas
 
Módulo 8 contextualização histórica
Módulo 8   contextualização históricaMódulo 8   contextualização histórica
Módulo 8 contextualização histórica
Carla Freitas
 
Módulo 9 HCA contexto
Módulo 9 HCA contextoMódulo 9 HCA contexto
Módulo 9 HCA contexto
cattonia
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura
Ruptura e inovação nas artes e na literaturaRuptura e inovação nas artes e na literatura
Ruptura e inovação nas artes e na literatura
Jorge Almeida
 
Modulo 10 contexto
Modulo 10   contextoModulo 10   contexto
Modulo 10 contexto
cattonia
 
A arte abstrata depois da 2ª guerra
A arte abstrata depois da 2ª guerraA arte abstrata depois da 2ª guerra
A arte abstrata depois da 2ª guerra
Ana Barreiros
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
Ana Barreiros
 
Coca cola
Coca colaCoca cola
Coca cola
cattonia
 
As grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xxAs grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xx
Ana Barreiros
 
05 regresso ao mundo visível
05 regresso ao mundo visível05 regresso ao mundo visível
05 regresso ao mundo visível
Vítor Santos
 
A cultura do cinema
A cultura do cinemaA cultura do cinema
A cultura do cinema
Tekas1967
 
07 arte portuguesa
07 arte portuguesa07 arte portuguesa
07 arte portuguesa
Vítor Santos
 
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaCorrecao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Ana Barreiros
 
Expressionismo abstrato (1)
Expressionismo abstrato (1)Expressionismo abstrato (1)
Expressionismo abstrato (1)
sheilabeca
 
Cultura do espaço virtual
Cultura do espaço virtual Cultura do espaço virtual
Cultura do espaço virtual
Ana Barreiros
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
Ana Barreiros
 
Módulo 9 arte
Módulo 9   arteMódulo 9   arte
Módulo 9 arte
cattonia
 
A arte do século XIX
A arte do século XIX   A arte do século XIX
A arte do século XIX
becresforte
 
O romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaO romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pintura
Carlos Pinheiro
 
O Conceito De Arte Ao Longo Dos Tempos
O Conceito De Arte Ao Longo Dos TemposO Conceito De Arte Ao Longo Dos Tempos
O Conceito De Arte Ao Longo Dos Tempos
RaposoEFA
 

Mais procurados (20)

Módulo 10 - Contexto Histórico Profissional
Módulo 10 - Contexto Histórico ProfissionalMódulo 10 - Contexto Histórico Profissional
Módulo 10 - Contexto Histórico Profissional
 
Módulo 8 contextualização histórica
Módulo 8   contextualização históricaMódulo 8   contextualização histórica
Módulo 8 contextualização histórica
 
Módulo 9 HCA contexto
Módulo 9 HCA contextoMódulo 9 HCA contexto
Módulo 9 HCA contexto
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura
Ruptura e inovação nas artes e na literaturaRuptura e inovação nas artes e na literatura
Ruptura e inovação nas artes e na literatura
 
Modulo 10 contexto
Modulo 10   contextoModulo 10   contexto
Modulo 10 contexto
 
A arte abstrata depois da 2ª guerra
A arte abstrata depois da 2ª guerraA arte abstrata depois da 2ª guerra
A arte abstrata depois da 2ª guerra
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
 
Coca cola
Coca colaCoca cola
Coca cola
 
As grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xxAs grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xx
 
05 regresso ao mundo visível
05 regresso ao mundo visível05 regresso ao mundo visível
05 regresso ao mundo visível
 
A cultura do cinema
A cultura do cinemaA cultura do cinema
A cultura do cinema
 
07 arte portuguesa
07 arte portuguesa07 arte portuguesa
07 arte portuguesa
 
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaCorrecao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
 
Expressionismo abstrato (1)
Expressionismo abstrato (1)Expressionismo abstrato (1)
Expressionismo abstrato (1)
 
Cultura do espaço virtual
Cultura do espaço virtual Cultura do espaço virtual
Cultura do espaço virtual
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Módulo 9 arte
Módulo 9   arteMódulo 9   arte
Módulo 9 arte
 
A arte do século XIX
A arte do século XIX   A arte do século XIX
A arte do século XIX
 
O romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaO romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pintura
 
O Conceito De Arte Ao Longo Dos Tempos
O Conceito De Arte Ao Longo Dos TemposO Conceito De Arte Ao Longo Dos Tempos
O Conceito De Arte Ao Longo Dos Tempos
 

Semelhante a Teste história da arte 2

O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
António Silva
 
Introdução à arte
Introdução à arteIntrodução à arte
Introdução à arte
Ellen_A
 
O que é a arte (1)
O que é a arte (1)O que é a arte (1)
O que é a arte (1)
Vasco L
 
Apostila arte contemporanea
Apostila arte contemporaneaApostila arte contemporanea
Apostila arte contemporanea
daniel bertholdo
 
Apostila de-arte-contemporc3a2nea
Apostila de-arte-contemporc3a2neaApostila de-arte-contemporc3a2nea
Apostila de-arte-contemporc3a2nea
Juju Ornelas
 
Introdução à arte moderna2012
Introdução à arte moderna2012Introdução à arte moderna2012
Introdução à arte moderna2012
Adriana Guimarães Manaro
 
Estética e Arte Contemporânea - Aulas 1 e 2
Estética e Arte Contemporânea - Aulas 1 e 2Estética e Arte Contemporânea - Aulas 1 e 2
Estética e Arte Contemporânea - Aulas 1 e 2
Fernando Alves
 
Arte
ArteArte
Práticas artísticas contemporâneas algumas questões
Práticas artísticas contemporâneas algumas questõesPráticas artísticas contemporâneas algumas questões
Práticas artísticas contemporâneas algumas questões
Armando Oliveira
 
Vanguardas artísticas cubismo abst. futur., dadaismo e surre.
Vanguardas artísticas   cubismo   abst. futur., dadaismo e surre.Vanguardas artísticas   cubismo   abst. futur., dadaismo e surre.
Vanguardas artísticas cubismo abst. futur., dadaismo e surre.
Elsa Minck
 
Introdução à arte moderna2013
Introdução à arte moderna2013Introdução à arte moderna2013
Introdução à arte moderna2013
Adriana Guimarães Manaro
 
História do conceito de arte
História do conceito de arteHistória do conceito de arte
História do conceito de arte
Cristiano Canguçu
 
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneoRevisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
CLEBER LUIS DAMACENO
 
A o que é arte
A o que é arteA o que é arte
A o que é arte
António Silva
 
As experiências das vanguardas
As experiências das vanguardasAs experiências das vanguardas
As experiências das vanguardas
Professores História
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
Professores História
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
Professores História
 
Arte abstrata 2019
Arte abstrata 2019Arte abstrata 2019
Arte abstrata 2019
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
Inês Filipa
 

Semelhante a Teste história da arte 2 (20)

O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
 
Introdução à arte
Introdução à arteIntrodução à arte
Introdução à arte
 
O que é a arte (1)
O que é a arte (1)O que é a arte (1)
O que é a arte (1)
 
Apostila arte contemporanea
Apostila arte contemporaneaApostila arte contemporanea
Apostila arte contemporanea
 
Apostila de-arte-contemporc3a2nea
Apostila de-arte-contemporc3a2neaApostila de-arte-contemporc3a2nea
Apostila de-arte-contemporc3a2nea
 
Introdução à arte moderna2012
Introdução à arte moderna2012Introdução à arte moderna2012
Introdução à arte moderna2012
 
Estética e Arte Contemporânea - Aulas 1 e 2
Estética e Arte Contemporânea - Aulas 1 e 2Estética e Arte Contemporânea - Aulas 1 e 2
Estética e Arte Contemporânea - Aulas 1 e 2
 
Arte
ArteArte
Arte
 
Práticas artísticas contemporâneas algumas questões
Práticas artísticas contemporâneas algumas questõesPráticas artísticas contemporâneas algumas questões
Práticas artísticas contemporâneas algumas questões
 
Vanguardas artísticas cubismo abst. futur., dadaismo e surre.
Vanguardas artísticas   cubismo   abst. futur., dadaismo e surre.Vanguardas artísticas   cubismo   abst. futur., dadaismo e surre.
Vanguardas artísticas cubismo abst. futur., dadaismo e surre.
 
Introdução à arte moderna2013
Introdução à arte moderna2013Introdução à arte moderna2013
Introdução à arte moderna2013
 
História do conceito de arte
História do conceito de arteHistória do conceito de arte
História do conceito de arte
 
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
 
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneoRevisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
 
A o que é arte
A o que é arteA o que é arte
A o que é arte
 
As experiências das vanguardas
As experiências das vanguardasAs experiências das vanguardas
As experiências das vanguardas
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
 
Arte abstrata 2019
Arte abstrata 2019Arte abstrata 2019
Arte abstrata 2019
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 

Mais de FBAUL História da arte contemporânea II

Apresentação programa
Apresentação programaApresentação programa
8 dadaísmo
8 dadaísmo8 dadaísmo
7 neoplasticismo e bauhaus
7 neoplasticismo e bauhaus7 neoplasticismo e bauhaus
7 neoplasticismo e bauhaus
FBAUL História da arte contemporânea II
 
6 suprematismo e construtivismo
6 suprematismo e construtivismo6 suprematismo e construtivismo
6 suprematismo e construtivismo
FBAUL História da arte contemporânea II
 
5 o futurismo italiano
5 o futurismo italiano5 o futurismo italiano
4 cubismo
4 cubismo4 cubismo
3 expressionismo - der blaue reiter
3 expressionismo - der blaue reiter3 expressionismo - der blaue reiter
3 expressionismo - der blaue reiter
FBAUL História da arte contemporânea II
 
2 expressionismo - die brucke
2 expressionismo - die brucke2 expressionismo - die brucke
2 expressionismo - die brucke
FBAUL História da arte contemporânea II
 
1 fauvismo
1 fauvismo1 fauvismo

Mais de FBAUL História da arte contemporânea II (9)

Apresentação programa
Apresentação programaApresentação programa
Apresentação programa
 
8 dadaísmo
8 dadaísmo8 dadaísmo
8 dadaísmo
 
7 neoplasticismo e bauhaus
7 neoplasticismo e bauhaus7 neoplasticismo e bauhaus
7 neoplasticismo e bauhaus
 
6 suprematismo e construtivismo
6 suprematismo e construtivismo6 suprematismo e construtivismo
6 suprematismo e construtivismo
 
5 o futurismo italiano
5 o futurismo italiano5 o futurismo italiano
5 o futurismo italiano
 
4 cubismo
4 cubismo4 cubismo
4 cubismo
 
3 expressionismo - der blaue reiter
3 expressionismo - der blaue reiter3 expressionismo - der blaue reiter
3 expressionismo - der blaue reiter
 
2 expressionismo - die brucke
2 expressionismo - die brucke2 expressionismo - die brucke
2 expressionismo - die brucke
 
1 fauvismo
1 fauvismo1 fauvismo
1 fauvismo
 

Teste história da arte 2

  • 1. Universidade de Lisboa — Faculdade de Belas Artes Ano lectivo 2008-2009 Teste de avaliação de História da Arte Contemporânea II Duração da prova: 120 minutos Responda apenas a duas das seguintes questões (no caso de resposta a todas serão consideradas apenas as duas primeiras) 1. «(…) as cores eram para nós como cartuchos de dinamite. Tinham que descarregar luz» (André Derain, cit. Walter Hess, Documentos para a compreensão da Arte Moderna); «Gostaria muito que a minha obra brotasse do material, onde não há regras fixas (...). Pintando, quis sempre que as cores, através de mim como pintor, se propagassem na tela com a mesma naturalidade com que a natureza cria as suas próprias figuras (...)» (Emil Nolde, (Nolde, in Cartas dos anos 1894-1926, Berlim, 1927; Anos de Luta, Berlim, 1934, cit. Walter Hess, Documentos para a compreensão da Arte Moderna) Confronte e posicione o fauvismo francês e o Grupo alemão Die Brücke , relativamente à emergência do expressionismo no âmbito das primeiras vanguardas 2. «(…), tratava-se de analisar os objectos e de criar as condições espaciais dessa análise de maneira que o acto pictural os decompusesse ideograficamente, isto é, não através da visão imediata deles mas de memória como visão mediata, guardada do que deles o pintor sabia. O poder memorizante do pintor impressionista estivera subordinado à sensação experimentada; o do pintor cubista funcionava agora em termos perceptuais de conceptualização». ( José-Augusto França, História da Arte Ocidental 1780-1980, modos de emprego ) Problematize as questões colocadas pelo cubismo perante a tradição representativa da pintura. 3. «De facto, [o ready-made] limita-se a separar o objecto do contexto que lhe é habitual e em que desempenha uma função prática: tira-o do seu ambiente, desloca-o. Retirando-o de um contexto em que tudo é utilitário, e nada pode ser estético, situa-o numa dimensão em que, nada sendo utilitário, tudo pode ser estético. O que determina o valor estético, por conseguinte, já não é um processo técnico, um trabalho, mas um puro acto mental, uma atitude diferente perante a realidade» (Guilio Carlo Argan, A Arte Moderna. Do Iluminismo aos Movimentos Contemporâneos ) Avalie a importância dos primeiros ready-made de Marcel Duchamp , como provocação da noção e do valor da obra de arte, e como defesa de uma arte que ultrapasse a tradição retiniana da cultura ocidental. O docente: Fernando Paulo Rosa Dias Marcel Duchamp, Fonte , 1917, ready made: urinol de porcelana [fotografia do original ] André Derain (1880-1954), A Ponte de Waterloo , 1906 Karl Schmidt-Rottluff, Quatro Banhistas na Praia [Vier Badende am Strande] , 1913 Pablo Picasso, Menina com Bandolim , princípios de 1910.
  • 2. Universidade de Lisboa — Faculdade de Belas Artes Ano lectivo 2007-2008 Teste de avaliação de História da Arte Contemporânea II Duração da prova: 120 minutos Responda apenas a duas das seguintes questões (no caso de resposta a todas serão consideradas apenas as duas primeiras) 1. «Mas é outra coisa estar no movimento ou olhá-lo do exterior. O futurismo decompunha o movimento, o cubismo apresentava o objecto em todas as suas faces» ( Jacques Villon, Arts, 26 Abril 1961 ). Relativamente à questão do tempo representado, confronte os princípios do cubismo com os do futurismo . 2. «(…) a escolha dos ready-mades nunca me foi ditada por qualquer deleite estético. A escolha é fundada por uma reacção de indiferença visual, combinado ao mesmo tempo com uma ausência total de bom ou mau gosto. De facto, uma anestesia completa» (Marcel Duchamp, Duchamp du signe ) Considerando a frase de Marcel Duchamp, problematize o « ready-made » enquanto gesto artístico. 3. «O Mundo está repleto de ressonâncias. Ele constitui um cosmos de seres que exercem uma acção espiritual. A matéria morta é espírito vivo» (Wassily Kandinsky, in «Sobre o problema da forma», in Der Blaue Reiter, 1912, reed. in Gramática da Criação) «Por meio da abstracção atinge-se a expressão pura abstracta. Desnaturalizar é aprofundar» (Piet Mondrian, cit. France Farago, Arte) Diferencie os projectos de pintura abstracta propostos por Kandinsky e por Mondrian. O docente: Fernando Paulo Rosa Dias Marcel Duchamp, Fonte , 1917, ready made: urinol de porcelana [fotografia do original ] Giacomo Balla, Bambina multipliato balcone (Rapariga correndo ao longo de um balcão) , 1912 Pablo Picasso, Menina com Bandolim , princípios de 1910 Wassily Kandinsky, (Primeira Aguarela Abstracta), 1910/1913 Piet Mondrian, Composição em Vermelho, Azul e Amarelo , 1930
  • 3. Universidade de Lisboa — Faculdade de Belas Artes Ano lectivo 2006-2007 Teste de avaliação de História da Arte Contemporânea II Duração da prova: 120 minutos Responda apenas a duas das seguintes questões (no caso de resposta a todas serão consideradas apenas as duas primeiras) 1. «A acção vanguardista do primeiro expressionismo alemão no início do século XX foi um acto moral sobre a história, procurando a unidade perdida (sujeito/mundo) através do retorno a um princípio pré-civilizacional, ao paraíso perdido do primitivismo, ou enfatizando a acção intuitiva do sujeito, depurada na própria agudização impulsiva das suas profundezas irracionais. (…). Se a beleza significava o resultado de um progresso e sofisticação da história, a obra mais pura e sincera requeria não a sua manifestação, mas a brutalidade e energia que só uma estética do feio (…) e uma praxis tosca podiam sustentar e legitimar». ( Fernando Rosa Dias, “Introdução ao Expressionismo”, in Actas das Conferências «Ciências das Artes», nº1 , Faculdade de Belas Artes, 2007). Posicione e esclareça o sentido do expressionismo enquanto manifestação das primeiras vanguardas no âmbito das artes plásticas. 2. «Dada foi um protesto extremo contra o lado físico da pintura. Era uma atitude metafísica» (Marcel Duchamp, 1946) Avalie, através de exemplos pertinentes, a importância de Dada na arte do século XX. 3. «Uma acção não é uma questão de gosto» (Harold Rosenberg) Referindo exemplos, problematize a importância da «pintura de acção» ( action painting ) norte americana no segundo pós-Guerra. O docente: Fernando Paulo Rosa Dias