SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
1
Tema – O que é Didática e por que ela é importante para o
sucesso do trabalho docente?
Projeto Pós-graduação
Curso Alfabetização e Letramento
Disciplina Metodologia do Ensino
Tema
O que é Didática e por que ela é importante para o
sucesso do trabalho docente?
Professor Inge Renate Fröse Suhr
Introdução
Hoje, iniciaremos o estudo sobre o que é Didática e a sua importância
para o trabalho docente. No decorrer deste tema, você será levado a refletir
sobre a importância da formação teórico-prática do professor, evitando tanto o
teoricismo quanto o praticismo. Além disso, estudaremos o papel da Didática
como área do conhecimento que fundamenta a ação docente, alertando para o
fato de a Didática não ser um conjunto de técnicas, e sim uma área do
conhecimento que procura fazer a mediação entre a teoria educacional e a
prática em sala de aula.
Assista ao vídeo a seguir, disponível no seu material digital, no qual a
professora Inge apresentará os objetivos e subdivisões deste tema.
Problematização
Laís e Fábia estão no ensino médio. Elas se reuniram para estudar para
as provas que se aproximam e decidiram começar o estudo por Biologia, que
ambas “adoram”.
Nas aulas de Biologia, elas se sentem motivadas, pois percebem que o
professor ama o que faz. Fábia diz: “é incrível como ele consegue fazer a gente
entender, como junta as coisas da vida com as coisas da disciplina”. Já Laís
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
2
acha que esse professor “tem o dom, já nasceu para lecionar!”.
As aulas desse professor são organizadas, é possível perceber que ele
as planeja. Além disso, ele varia as estratégias dependendo do conteúdo e tem
facilidade para ouvir os alunos. Outra qualidade desse professor é que “não se
estressa por bobagem”. Quando ocorre algum problema, tipo indisciplina, ele
ouve, reflete e age, mas sem fazer escândalo.
Comparando o professor de Biologia com o de Química, as alunas
chegaram à conclusão de que a matéria também ajuda. Dito de outro modo,
elas acham que Química é chata mesmo, não tem como fazer uma aula legal,
interessante, pois o que elas vivenciam nessa disciplina é leitura do conteúdo
do livro e posterior resolução individual de exercícios. A maior reclamação das
duas alunas é que, quando têm dúvidas, o professor não responde de um
modo que elas entendam, e sim repete o que está no livro, sem mudar nada.
Laís acha até que o professor de Química não sabe a matéria.
Vamos analisar a ação desses dois professores. Ensinar é um dom que
já nasce com a pessoa e não há como desenvolver essa habilidade? A
disciplina (ou o conteúdo) realmente é tão decisiva que não há como fazer
aulas interessantes em algumas áreas?
Antes de responder a esses questionamentos, acompanhe o
conteúdo apresentado a seguir e reflita sobre a melhor resposta. Essa
situação será apresentada novamente adiante.
O Trabalho Docente: entre o Desenvolvimento da Prática e o
Aprofundamento Teórico
O trabalho docente se faz na interface entre o desenvolvimento da
prática (conhecimento tácito) e o aprofundamento teórico. Por isso, é
equivocada a posição, muito difundida na atualidade, de que a prática basta ao
bom professor. O aprofundamento teórico é essencial para uma ação reflexiva,
de qualidade superior, e é preciso cuidado para não cair em nenhum dos
extremos: o praticismo e o teoricismo.
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
3
 Praticismo: é a “prática pela prática”, distanciada da compreensão
teórica acerca das razões que levam à determinada ação.
 Teoricismo: é o seu oposto, ou seja, a teoria deslocada da realidade,
como se fosse “a verdade” a ser aprendida e depois aplicada na prática.
Tanto o praticismo quanto o teoricismo são equivocados, pois a teoria e
a prática se articulam o tempo todo, embora nem sempre as percebamos.
Exemplifiquemos: mesmo que um médico tenha muita experiência e baseie
seus diagnósticos e formas de tratamento sugeridos nessa mesma experiência,
ela foi construída a partir do domínio teórico. Nenhum de nós confiaria em um
médico que não tenha conhecimento de fisiologia, anatomia, etc.
Na área da educação, a Didática é uma área essencial para o
aprofundamento teórico. Ela é “uma área que tem como especificidade o
estudo da prática pedagógica” e se ocupa do processo ensino-aprendizagem.
No vídeo a seguir, disponível no seu material digital, a professora Inge
irá abordar a importância da formação docente. Ela também irá falar sobre o
fato de que o professor deve ir além do domínio de conteúdo e sobre o papel
da Didática nisso.
Definição de Didática
A Didática é uma disciplina teórico-prática que pretende subsidiar o
professor “em todos os elementos constitutivos da dinâmica escolar, quais
sejam: a reflexão pedagógica necessária à implementação de um projeto
educativo, com suas concepções explicitadas através de seus planejamentos e
efetivadas através de sua dinâmica cotidiana” (MELO; URBANETZ, 2008, p.
152).
Dito de outro modo, o estudo da Didática é essencial ao professor e
objetiva que ele compreenda o fenômeno educativo de maneira ampliada e
possa tomar decisões adequadas aos propósitos que ele defende.
Por isso mesmo, reduzir a formação do professor apenas à prática é
negar-lhe a possibilidade de ser um intelectual da educação e colocá-lo apenas
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
4
no papel de executor de atividades pensadas e programadas por sistemas de
ensino, leis, autores, etc.
O professor é e precisa ser um intelectual da educação, saber o que e
como fazer, assim como as possíveis consequências de seus atos!
Para se aprofundar mais nessa reflexão, assista à fala do filósofo Mario
S. Cortella sobre como ser um bom professor. Para isso, acesse o link a seguir:
<http://www.youtube.com/watch?v=dz4lMxhVTEI>.
Entendendo Melhor o que é a Didática
Há várias concepções de Didática que foram sendo construídas no
decorrer dos tempos e de acordo com as necessidades e condições da
sociedade em cada época.
Você poderá passear pela história da constituição da Didática assistindo
ao vídeo a seguir: <http://www.youtube.com/watch?v=UC7XZOSo5uo>.
Inicialmente, na Grécia antiga, a Didática foi caracterizada como a “arte
de ensinar”, que seria inata em algumas pessoas. Contudo, hoje sabemos que
a capacidade de ensinar não é inata, pode ser aprendida.
Leia o artigo a seguir, que explora o papel da Didática na formação do
professor. Com essa leitura, você terá uma visão geral sobre como surgiu a
Didática, as suas diversas concepções e as suas dimensões.
<http://www.slideshare.net/VinciusSilva5/conhecendo-a-didtica>.
No entanto, até chegar a esse ponto vários pensadores foram
construindo diferentes concepções sobre a Didática. São eles: Sócrates,
Comenius, Herbart, Dewey, entre outros. Esses autores são os clássicos da
Didática e servem de referência para os pesquisadores da área na atualidade.
Você quer saber mais a respeito desses pensadores? Então acesse os
links a seguir:
Sócrates:
<http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/socrates-
306963.shtml?utm_campaign=redesabril_educar>.
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
5
Herbart: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/jf-herbart-
307401.shtml>.
Comenius:
<http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/comenio-307077.shtml>.
Dewey: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/john-
dewey-307892.shtml>.
Você conseguiu compreender o que é Didática? Então, para saber mais
sobre a sua definição, assista ao vídeo com a professora Inge, que está
disponível em seu material digital.
Alguns autores caracterizaram a Didática como o conjunto de técnicas a
serem utilizadas para garantir o sucesso do ensino e da aprendizagem.
Contudo, essa é uma concepção restrita, sendo refutada pelos autores que
hoje tratam do tema.
Para esses autores, dentre os quais citamos Vera Candau, Ilma Veiga,
José Carlos Libâneo, entre outros, a Didática vai muito além de uma listagem
de técnicas de ensino.
Caso você queira saber mais sobre esses pensadores, que são
referência na área de Didática, acesse os links a seguir:
José Carlos Libâneo: <http://letrasunifacsead.blogspot.com.br/p/jose-
carlos-libaneo-biografia.html>.
Vera Candau:
<http://www.dhnet.org.br/direitos/militantes/veracandau/textos.htm>.
Ilma Veiga: <http://escola-ensino-aprendizagem.blogspot.com.br/p/ilma-
veiga.html>.
É verdade que a Didática se ocupa do “como ensinar”, mas essa
questão está sempre relacionada a outras duas: “para que ensinar?” e “por que
ensinar”? Dito de outro modo, não há técnica neutra, que sirva para todos os
momentos e todas as situações.
A opção metodológica (que é o objeto da Didática) se relaciona a outras
dimensões, importantíssimas:
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
6
 Quem são os alunos?
 Qual é a realidade na qual se encontram?
 Que tipo de pessoa desejamos formar?
 Para que tipo de sociedade?
A Didática é um conjunto de técnicas? Assista ao vídeo a seguir,
disponível em seu material digital, para saber mais sobre essa questão.
A decisão sobre o encaminhamento do processo ensino-aprendizagem,
para além de ser técnica, é uma decisão política. Quando pensamos sobre os
pontos citados anteriormente, não organizamos as atividades de um curso ou
disciplina de maneira neutra, pois o modo de realizar o processo pedagógico
tem efeitos para além da aprendizagem do conteúdo especificamente.
Exemplificando: se desejo desenvolver a autonomia intelectual em todos
os conteúdos, deverei organizar as aulas de modo que os alunos se sintam
parte do processo, que exerçam níveis crescentes de decisão e assumam as
consequências dos seus atos. Não adianta fazer um discurso em prol da
autonomia intelectual e definir absolutamente tudo no dia a dia da escola e das
aulas, impedindo que os alunos reflitam e se sintam sujeitos do seu próprio
aprendizado.
O fato de o professor ter um papel político não significa que deva fazer
doutrinação em sua disciplina. Na verdade, para cumprir bem o papel político o
professor deve cumprir o seu papel técnico, ou seja, organizar a disciplina de
modo que favoreça a aprendizagem significativa dos alunos, indiferente da sua
origem de classe, sexo, raça, entre outros pontos.
Por isso mesmo, a Didática é uma atividade mediadora entre a teoria
educacional e a prática em sala de aula. O domínio de seus elementos
constituintes permite ao professor decidir de maneira autônoma e consciente
quais serão os procedimentos a serem adotados e por quê.
Essa é a razão pela qual a Didática tem a aula como foco, mas não fica
restrita a ela. A aula é a manifestação do processo educativo como um todo,
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
7
mas este é mais amplo. Na verdade, a aula apenas indica todas as relações
(legais, sociais, políticas, econômicas, interpessoais, psicológicas etc.) que
acontecem no decorrer do processo ensino-aprendizagem.
Aprofunde-se neste conteúdo estudando o capítulo 4 do livro:
“Fundamentos de Didática” de Melo e Urbanetz, que está disponível no link a
seguir:
<http://uninter.bv3.digitalpages.com.br/users/publications/9788578380205/page
s/_1>.
Para aprofundar os seus conhecimentos a respeito da importância da Didática
para a prática educativa, leia o material disponível no link a seguir:
<http://www.unicerp.edu.br/index.php/pesquisas/athos-ethos/445-7-a-
importancia-da-didatica-enquanto-ferramenta-pedagogica-na-pratica-educativa-
e-na-formacao-do-educador>.
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
8
Revendo a Problematização
Muito bem! Acredito que já tenhamos tido tempo suficiente para refletir
sobre o caso apresentado no início dos estudos deste tema. Caso queira, leia o
caso novamente antes de responder. Caso contrário, analise as alternativas a
seguir e dê a sua resposta. Depois de ter assistido ao vídeo com o caso e ter
lido o conteúdo teórico, responda à questão:
a. Bons professores têm o dom, já nascem com facilidade para se
comunicar com as pessoas e influenciá-las.
b. A diferença entre professores que encantam e outros que são maçantes
está na disciplina lecionada, pois alguns temas são extremamente áridos
e desagradáveis, por mais que o professor se esforce.
c. A habilidade do professor depende do domínio de sua disciplina e
também do conhecimento de como os grupos funcionam, das técnicas e
dos procedimentos adequados para cada conteúdo.
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
9
Feedback
a. Atualmente sabemos que, para além das habilidades individuais, é
possível aprender e desenvolver conhecimentos e habilidades que nos
levem a ser um professor que encanta.
b. Os conteúdos realmente são diferentes entre si, mas isso não significa
que haja alguns temas desagradáveis por si só. O domínio da Didática
pode contribuir significativamente para o sucesso do ensino-
aprendizagem.
c. Realmente, é possível aprender a ser um bom professor, mediante o
aprofundamento na metodologia de ensino. Tanto a experiência quanto
o estudo oferecem ao professor condições para que melhore a sua
prática.
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
10
Síntese
No decorrer deste estudo vimos que a formação do professor precisa ser
teórico-prática e que devemos evitar o teoricismo e também o praticismo.
Sendo assim, o professor precisa compreender o fenômeno educativo para
além do que acontece na sala de aula. Vimos, também, que a Didática é a área
do conhecimento que fundamenta a ação do professor, e que negar a ele o
acesso ao conhecimento teórico é mantê-lo no papel de executor de projetos
decididos por outrem.
Além disso, aprendemos que a Didática não é uma listagem de técnicas
de ensino, e sim uma área do conhecimento que procura fazer a mediação
entre a teoria educacional e a prática em sala de aula. Aprendemos, também,
que o objeto de estudo da Didática realmente é o “como fazer”, mas essa
questão está sempre relacionada ao “para que fazer” e ao “por que fazer”. Por
fim, vimos que a escolha do encaminhamento na sala de aula é, ao mesmo
tempo, técnica e política.
Agora, assista ao vídeo da síntese com a professora Inge. Não deixe de
conferir!
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
11
Referências
CANDAU, V. A Didática em questão. Petrópolis: Vozes, 1984.
MARTINS, P. L. Didática. Curitiba: Ibpex, 2008.
MASETO, M. Didática: a aula como centro. São Paulo: FTD, 1997.
MELO, A.; URBANETZ, S. Fundamentos de Didática. Curitiba: Ibpex, 2008.
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
12
Atividades
Há várias concepções de Didática, mas nesta disciplina enfatizamos1.
uma delas. Qual?
a. Didática é o conjunto de técnicas de ensino que permitem ao professor
desempenhar a sua atividade com maior assertividade.
b. Didática é sinônimo de Pedagogia, ciência que estuda o fenômeno
educativo em sua totalidade.
c. Didática é uma área de estudos que se ocupa do como ensinar, mas
sempre em relação ao “por que ensinar”.
d. Didática é a ciência que determina a melhor metodologia para cada tipo
de conteúdo.
A decisão sobre o encaminhamento do processo ensino-aprendizagem,2.
para além de ser técnica, é uma decisão política. Isso significa que:
a. Não existe ensino neutro. Sempre é preciso analisar quem são os
alunos, que objetivos pretendemos alcançar, quais as nossas condições
concretas, dentre outros fatores.
b. As políticas educacionais de determinada gestão definem o
encaminhamento metodológico a ser adotado nas escolas, indiferente
das opções da escola.
c. Todo ensino é interessado, sempre temos objetivos (explícitos ou não)
em relação ao ensino. Por isso, a dimensão técnica se sobrepõe à
dimensão política quando da escolha do encaminhamento metodológico.
d. O processo educacional deve ser neutro, ou seja, precisa atingir a todos
e a todas, sem distinção de classe, credo, raça ou cor. O uso de uma ou
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
13
outra metodologia se deve apenas às preferências do professor.
Estudamos que a Didática é uma atividade mediadora entre a teoria3.
educacional e a prática em sala de aula. Assinale a alternativa que
explica corretamente essa afirmativa:
a. A Didática estuda os melhores encaminhamentos propostos pelas
teorias da educação e tem o papel de convencer os professores a usá-
los e, com isso, promover o sucesso do processo ensino-aprendizagem.
b. Toda didática surge da prática. Cada professor acaba desenvolvendo
um conhecimento tácito que lhe permite agir de maneira autônoma e
consciente no seu dia a dia.
c. Mediar significa “estar entre”, portanto a Didática busca referencial na
teoria para compreender e orientar a prática docente. Ao mesmo tempo,
é do dia a dia que ela retira os principais elementos a serem estudados
pela teoria.
d. A atividade mediadora desempenhada pela Didática é ensinar aos
professores, a partir da ciência da educação, qual o melhor
encaminhamento metodológico em sala, indiferente de suas
preferências pessoais e/ou da realidade da escola.
O foco da Didática é a sala de aula, mas não fica restrita a ela, pois a4.
aula é a manifestação do processo educativo como um todo, que é mais
amplo. De acordo com isso, assinale a alternativa que cita corretamente
os principais elementos que definem a realidade da sala de aula:
a. O que acontece em sala de aula é fruto de decisões internas da
mantenedora, interesses dos alunos e desejos dos professores. Os
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico
14
aspectos macrossociais não têm interferência.
b. A sala de aula é fruto das relações interpessoais que se estabelecem
entre professor e alunos, pois elas definem a disciplina, o ritmo, a
motivação e o envolvimento dos sujeitos envolvidos.
c. O que acontece em sala de aula é consequência de várias relações,
dentre as quais podemos citar: legais, políticas, sociais, econômicas,
interpessoais e psicológicas.
d. A sala de aula reflete a ideologia dominante, seja na posição dos alunos
ou dos professores. Essa ideologia é transmitida pelos meios de
comunicação de massa e influi diretamente no trabalho do professor.
Atualmente, algumas pessoas têm dito que basta a prática para que o5.
professor se torne competente. Em direção diversa, nossa disciplina
defende a formação teórico-prática. Por quê?
a. A formação teórico-prática é a base de qualquer curso de graduação,
definida por lei, não há como fazer diferente.
b. A teoria é a única ferramenta capaz de oferecer segurança ao professor.
c. A formação prática é insuficiente e estereotipada, levando à repetição
exaustiva de uma mesma prática, seja ela adequada ou não.
d. Negar ao professor o acesso ao conhecimento teórico é mantê-lo no
papel de executor de projetos decididos por outrem.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O uso de oficinas como mediação na relação ensino aprendizagem em ciências na...
O uso de oficinas como mediação na relação ensino aprendizagem em ciências na...O uso de oficinas como mediação na relação ensino aprendizagem em ciências na...
O uso de oficinas como mediação na relação ensino aprendizagem em ciências na...
bio_fecli
 
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
ANGRAD
 
Andragogia a aprendizagem nos adultos
Andragogia a aprendizagem nos adultosAndragogia a aprendizagem nos adultos
Andragogia a aprendizagem nos adultos
Vicentana
 
O Papel Do Professor
O Papel Do ProfessorO Papel Do Professor
O Papel Do Professor
Mary Carneiro
 
2º encontro presencial
2º encontro presencial2º encontro presencial
2º encontro presencial
anamariadis
 
Metacognição e apoio a aprendizagem
Metacognição e apoio a aprendizagemMetacognição e apoio a aprendizagem
Metacognição e apoio a aprendizagem
SUPORTE EDUCACIONAL
 
Apresentação níveis de conhecimento
Apresentação níveis de conhecimentoApresentação níveis de conhecimento
Apresentação níveis de conhecimento
Albuquerque Ribeiro
 
Educ cientifica gasparin
Educ cientifica   gasparinEduc cientifica   gasparin
Educ cientifica gasparin
ryanfilho
 

Mais procurados (19)

O uso de oficinas como mediação na relação ensino aprendizagem em ciências na...
O uso de oficinas como mediação na relação ensino aprendizagem em ciências na...O uso de oficinas como mediação na relação ensino aprendizagem em ciências na...
O uso de oficinas como mediação na relação ensino aprendizagem em ciências na...
 
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
 
Didatica i u4
Didatica i u4Didatica i u4
Didatica i u4
 
Andragogia a aprendizagem nos adultos
Andragogia a aprendizagem nos adultosAndragogia a aprendizagem nos adultos
Andragogia a aprendizagem nos adultos
 
O Papel Do Professor
O Papel Do ProfessorO Papel Do Professor
O Papel Do Professor
 
Uso de Recursos Tecnológicos e Metodologias Ativas: Compartilhando Experiências
Uso de Recursos Tecnológicos e Metodologias Ativas: Compartilhando ExperiênciasUso de Recursos Tecnológicos e Metodologias Ativas: Compartilhando Experiências
Uso de Recursos Tecnológicos e Metodologias Ativas: Compartilhando Experiências
 
METODOLOGIAS ATIVAS, TECNOLOGIAS DA WEB 2.0 E FORMAÇÃO DO PROFESSOR UNIVERSIT...
METODOLOGIAS ATIVAS, TECNOLOGIAS DA WEB 2.0 E FORMAÇÃO DO PROFESSOR UNIVERSIT...METODOLOGIAS ATIVAS, TECNOLOGIAS DA WEB 2.0 E FORMAÇÃO DO PROFESSOR UNIVERSIT...
METODOLOGIAS ATIVAS, TECNOLOGIAS DA WEB 2.0 E FORMAÇÃO DO PROFESSOR UNIVERSIT...
 
Andragogia: nova arte de formação
Andragogia: nova arte de formaçãoAndragogia: nova arte de formação
Andragogia: nova arte de formação
 
Como potencializar as habilidades e competências
Como potencializar as habilidades e competênciasComo potencializar as habilidades e competências
Como potencializar as habilidades e competências
 
Conhecer para ensin ar ensinando para conhecer (2)
Conhecer para ensin ar ensinando para conhecer (2)Conhecer para ensin ar ensinando para conhecer (2)
Conhecer para ensin ar ensinando para conhecer (2)
 
Andragogia
AndragogiaAndragogia
Andragogia
 
2º encontro presencial
2º encontro presencial2º encontro presencial
2º encontro presencial
 
Tecnologias no construtivismo
Tecnologias no construtivismoTecnologias no construtivismo
Tecnologias no construtivismo
 
O jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempree
O jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempreeO jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempree
O jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempree
 
Metacognição e apoio a aprendizagem
Metacognição e apoio a aprendizagemMetacognição e apoio a aprendizagem
Metacognição e apoio a aprendizagem
 
Apresentação níveis de conhecimento
Apresentação níveis de conhecimentoApresentação níveis de conhecimento
Apresentação níveis de conhecimento
 
Educ cientifica gasparin
Educ cientifica   gasparinEduc cientifica   gasparin
Educ cientifica gasparin
 
Estudo dirigido didatica
Estudo dirigido didaticaEstudo dirigido didatica
Estudo dirigido didatica
 
Contributos de skinner e bloom
Contributos de skinner e bloomContributos de skinner e bloom
Contributos de skinner e bloom
 

Destaque

jupiter-ascending-movie-poster-1
jupiter-ascending-movie-poster-1jupiter-ascending-movie-poster-1
jupiter-ascending-movie-poster-1
Tom Fletcher
 
TURBULENCE IN THE EAST AFRICAN FAMILY
TURBULENCE IN THE EAST AFRICAN FAMILYTURBULENCE IN THE EAST AFRICAN FAMILY
TURBULENCE IN THE EAST AFRICAN FAMILY
Frederick Owino Oyaro
 
子どものチカラを信じよう Long version
子どものチカラを信じよう Long version子どものチカラを信じよう Long version
子どものチカラを信じよう Long version
Takayuki Kawashima
 
Laboratory of carnival masks
Laboratory of carnival   masksLaboratory of carnival   masks
Laboratory of carnival masks
margolcina
 

Destaque (20)

Pràctica 1
Pràctica 1Pràctica 1
Pràctica 1
 
jupiter-ascending-movie-poster-1
jupiter-ascending-movie-poster-1jupiter-ascending-movie-poster-1
jupiter-ascending-movie-poster-1
 
Exadata - BULK DATA LOAD Testing on Database Machine
Exadata - BULK DATA LOAD Testing on Database Machine Exadata - BULK DATA LOAD Testing on Database Machine
Exadata - BULK DATA LOAD Testing on Database Machine
 
2.3. Java cracking random_utils
2.3. Java cracking random_utils2.3. Java cracking random_utils
2.3. Java cracking random_utils
 
TURBULENCE IN THE EAST AFRICAN FAMILY
TURBULENCE IN THE EAST AFRICAN FAMILYTURBULENCE IN THE EAST AFRICAN FAMILY
TURBULENCE IN THE EAST AFRICAN FAMILY
 
子どものチカラを信じよう Long version
子どものチカラを信じよう Long version子どものチカラを信じよう Long version
子どものチカラを信じよう Long version
 
Matemàtiques - Problèmes
Matemàtiques - ProblèmesMatemàtiques - Problèmes
Matemàtiques - Problèmes
 
Punto 2 y 3
Punto 2 y 3Punto 2 y 3
Punto 2 y 3
 
Comelit 3311/4W Data Sheet
Comelit 3311/4W Data SheetComelit 3311/4W Data Sheet
Comelit 3311/4W Data Sheet
 
Cómo crear ahora una cartera de fondos
Cómo crear ahora una cartera de fondosCómo crear ahora una cartera de fondos
Cómo crear ahora una cartera de fondos
 
Pitch link blog
Pitch link blogPitch link blog
Pitch link blog
 
Comelit 3312/2 Data Sheet
Comelit 3312/2 Data SheetComelit 3312/2 Data Sheet
Comelit 3312/2 Data Sheet
 
Comelit 3312/3 Data Sheet
Comelit 3312/3 Data SheetComelit 3312/3 Data Sheet
Comelit 3312/3 Data Sheet
 
PDHPE Rationale
PDHPE Rationale PDHPE Rationale
PDHPE Rationale
 
The coventry times maliha
The coventry times malihaThe coventry times maliha
The coventry times maliha
 
Comelit 3312/1 Data Sheet
Comelit 3312/1 Data SheetComelit 3312/1 Data Sheet
Comelit 3312/1 Data Sheet
 
Königspassage Lübeck - Entwicklung eines Revitalisierungs- und Markenkonzept ...
Königspassage Lübeck - Entwicklung eines Revitalisierungs- und Markenkonzept ...Königspassage Lübeck - Entwicklung eines Revitalisierungs- und Markenkonzept ...
Königspassage Lübeck - Entwicklung eines Revitalisierungs- und Markenkonzept ...
 
Who is who?
Who is who?Who is who?
Who is who?
 
Laboratory of carnival masks
Laboratory of carnival   masksLaboratory of carnival   masks
Laboratory of carnival masks
 
¿Cuándo dejamos de ser personas para convertirnos en organizaciones?
¿Cuándo dejamos de ser personas para convertirnos en organizaciones?¿Cuándo dejamos de ser personas para convertirnos en organizaciones?
¿Cuándo dejamos de ser personas para convertirnos en organizaciones?
 

Semelhante a Tema 3a

Grupo de Referência Jaboticabal
Grupo de Referência JaboticabalGrupo de Referência Jaboticabal
Grupo de Referência Jaboticabal
camilaperez25
 
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
Giba Canto
 
DIDÁTICA-PRÁTICA-NA-ESCOLA-DOMINICAL.pdf
DIDÁTICA-PRÁTICA-NA-ESCOLA-DOMINICAL.pdfDIDÁTICA-PRÁTICA-NA-ESCOLA-DOMINICAL.pdf
DIDÁTICA-PRÁTICA-NA-ESCOLA-DOMINICAL.pdf
Mizael10
 
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
Cristina Ferreira
 

Semelhante a Tema 3a (20)

Planejamento anual sociologia completo
Planejamento anual sociologia completoPlanejamento anual sociologia completo
Planejamento anual sociologia completo
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
 
Apostila da ed_de_didatica
Apostila da ed_de_didaticaApostila da ed_de_didatica
Apostila da ed_de_didatica
 
Grupo de Referência Jaboticabal
Grupo de Referência JaboticabalGrupo de Referência Jaboticabal
Grupo de Referência Jaboticabal
 
Masetto docencia universitaria
Masetto   docencia universitariaMasetto   docencia universitaria
Masetto docencia universitaria
 
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
 
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
Aula 2 didatica do ensino supeior   copiaAula 2 didatica do ensino supeior   copia
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
 
DIDATICA _ objeto estudo _texto.pdf
DIDATICA _ objeto estudo _texto.pdfDIDATICA _ objeto estudo _texto.pdf
DIDATICA _ objeto estudo _texto.pdf
 
Apostila didatica
Apostila didaticaApostila didatica
Apostila didatica
 
Dez importantes questoes a considerar
Dez importantes questoes a considerarDez importantes questoes a considerar
Dez importantes questoes a considerar
 
Guia da disciplina Didática
Guia da disciplina DidáticaGuia da disciplina Didática
Guia da disciplina Didática
 
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdfEO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
EO - 8 Estudos_1ºBimestre - 6º ANOS.pdf
 
DIDÁTICA-PRÁTICA-NA-ESCOLA-DOMINICAL.pdf
DIDÁTICA-PRÁTICA-NA-ESCOLA-DOMINICAL.pdfDIDÁTICA-PRÁTICA-NA-ESCOLA-DOMINICAL.pdf
DIDÁTICA-PRÁTICA-NA-ESCOLA-DOMINICAL.pdf
 
DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aula
 
Didã¡tica iii
Didã¡tica iiiDidã¡tica iii
Didã¡tica iii
 
conhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
conhecendoadidtica_um estudo inicial.pptconhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
conhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
 
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
 
Progestão modulo 4
Progestão modulo 4Progestão modulo 4
Progestão modulo 4
 
Trabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogica
Trabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogicaTrabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogica
Trabalho de conclusão de curso pós coordenação pedagogica
 
TEXTO 3: O PROFESSOR NA PRÁTICA DA DISCIPLINA NO MOODLE
TEXTO 3: O PROFESSOR NA  PRÁTICA DA DISCIPLINA NO MOODLE TEXTO 3: O PROFESSOR NA  PRÁTICA DA DISCIPLINA NO MOODLE
TEXTO 3: O PROFESSOR NA PRÁTICA DA DISCIPLINA NO MOODLE
 

Último

atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 

Último (20)

Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 

Tema 3a

  • 1. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 1 Tema – O que é Didática e por que ela é importante para o sucesso do trabalho docente? Projeto Pós-graduação Curso Alfabetização e Letramento Disciplina Metodologia do Ensino Tema O que é Didática e por que ela é importante para o sucesso do trabalho docente? Professor Inge Renate Fröse Suhr Introdução Hoje, iniciaremos o estudo sobre o que é Didática e a sua importância para o trabalho docente. No decorrer deste tema, você será levado a refletir sobre a importância da formação teórico-prática do professor, evitando tanto o teoricismo quanto o praticismo. Além disso, estudaremos o papel da Didática como área do conhecimento que fundamenta a ação docente, alertando para o fato de a Didática não ser um conjunto de técnicas, e sim uma área do conhecimento que procura fazer a mediação entre a teoria educacional e a prática em sala de aula. Assista ao vídeo a seguir, disponível no seu material digital, no qual a professora Inge apresentará os objetivos e subdivisões deste tema. Problematização Laís e Fábia estão no ensino médio. Elas se reuniram para estudar para as provas que se aproximam e decidiram começar o estudo por Biologia, que ambas “adoram”. Nas aulas de Biologia, elas se sentem motivadas, pois percebem que o professor ama o que faz. Fábia diz: “é incrível como ele consegue fazer a gente entender, como junta as coisas da vida com as coisas da disciplina”. Já Laís
  • 2. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 2 acha que esse professor “tem o dom, já nasceu para lecionar!”. As aulas desse professor são organizadas, é possível perceber que ele as planeja. Além disso, ele varia as estratégias dependendo do conteúdo e tem facilidade para ouvir os alunos. Outra qualidade desse professor é que “não se estressa por bobagem”. Quando ocorre algum problema, tipo indisciplina, ele ouve, reflete e age, mas sem fazer escândalo. Comparando o professor de Biologia com o de Química, as alunas chegaram à conclusão de que a matéria também ajuda. Dito de outro modo, elas acham que Química é chata mesmo, não tem como fazer uma aula legal, interessante, pois o que elas vivenciam nessa disciplina é leitura do conteúdo do livro e posterior resolução individual de exercícios. A maior reclamação das duas alunas é que, quando têm dúvidas, o professor não responde de um modo que elas entendam, e sim repete o que está no livro, sem mudar nada. Laís acha até que o professor de Química não sabe a matéria. Vamos analisar a ação desses dois professores. Ensinar é um dom que já nasce com a pessoa e não há como desenvolver essa habilidade? A disciplina (ou o conteúdo) realmente é tão decisiva que não há como fazer aulas interessantes em algumas áreas? Antes de responder a esses questionamentos, acompanhe o conteúdo apresentado a seguir e reflita sobre a melhor resposta. Essa situação será apresentada novamente adiante. O Trabalho Docente: entre o Desenvolvimento da Prática e o Aprofundamento Teórico O trabalho docente se faz na interface entre o desenvolvimento da prática (conhecimento tácito) e o aprofundamento teórico. Por isso, é equivocada a posição, muito difundida na atualidade, de que a prática basta ao bom professor. O aprofundamento teórico é essencial para uma ação reflexiva, de qualidade superior, e é preciso cuidado para não cair em nenhum dos extremos: o praticismo e o teoricismo.
  • 3. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 3  Praticismo: é a “prática pela prática”, distanciada da compreensão teórica acerca das razões que levam à determinada ação.  Teoricismo: é o seu oposto, ou seja, a teoria deslocada da realidade, como se fosse “a verdade” a ser aprendida e depois aplicada na prática. Tanto o praticismo quanto o teoricismo são equivocados, pois a teoria e a prática se articulam o tempo todo, embora nem sempre as percebamos. Exemplifiquemos: mesmo que um médico tenha muita experiência e baseie seus diagnósticos e formas de tratamento sugeridos nessa mesma experiência, ela foi construída a partir do domínio teórico. Nenhum de nós confiaria em um médico que não tenha conhecimento de fisiologia, anatomia, etc. Na área da educação, a Didática é uma área essencial para o aprofundamento teórico. Ela é “uma área que tem como especificidade o estudo da prática pedagógica” e se ocupa do processo ensino-aprendizagem. No vídeo a seguir, disponível no seu material digital, a professora Inge irá abordar a importância da formação docente. Ela também irá falar sobre o fato de que o professor deve ir além do domínio de conteúdo e sobre o papel da Didática nisso. Definição de Didática A Didática é uma disciplina teórico-prática que pretende subsidiar o professor “em todos os elementos constitutivos da dinâmica escolar, quais sejam: a reflexão pedagógica necessária à implementação de um projeto educativo, com suas concepções explicitadas através de seus planejamentos e efetivadas através de sua dinâmica cotidiana” (MELO; URBANETZ, 2008, p. 152). Dito de outro modo, o estudo da Didática é essencial ao professor e objetiva que ele compreenda o fenômeno educativo de maneira ampliada e possa tomar decisões adequadas aos propósitos que ele defende. Por isso mesmo, reduzir a formação do professor apenas à prática é negar-lhe a possibilidade de ser um intelectual da educação e colocá-lo apenas
  • 4. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 4 no papel de executor de atividades pensadas e programadas por sistemas de ensino, leis, autores, etc. O professor é e precisa ser um intelectual da educação, saber o que e como fazer, assim como as possíveis consequências de seus atos! Para se aprofundar mais nessa reflexão, assista à fala do filósofo Mario S. Cortella sobre como ser um bom professor. Para isso, acesse o link a seguir: <http://www.youtube.com/watch?v=dz4lMxhVTEI>. Entendendo Melhor o que é a Didática Há várias concepções de Didática que foram sendo construídas no decorrer dos tempos e de acordo com as necessidades e condições da sociedade em cada época. Você poderá passear pela história da constituição da Didática assistindo ao vídeo a seguir: <http://www.youtube.com/watch?v=UC7XZOSo5uo>. Inicialmente, na Grécia antiga, a Didática foi caracterizada como a “arte de ensinar”, que seria inata em algumas pessoas. Contudo, hoje sabemos que a capacidade de ensinar não é inata, pode ser aprendida. Leia o artigo a seguir, que explora o papel da Didática na formação do professor. Com essa leitura, você terá uma visão geral sobre como surgiu a Didática, as suas diversas concepções e as suas dimensões. <http://www.slideshare.net/VinciusSilva5/conhecendo-a-didtica>. No entanto, até chegar a esse ponto vários pensadores foram construindo diferentes concepções sobre a Didática. São eles: Sócrates, Comenius, Herbart, Dewey, entre outros. Esses autores são os clássicos da Didática e servem de referência para os pesquisadores da área na atualidade. Você quer saber mais a respeito desses pensadores? Então acesse os links a seguir: Sócrates: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/socrates- 306963.shtml?utm_campaign=redesabril_educar>.
  • 5. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 5 Herbart: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/jf-herbart- 307401.shtml>. Comenius: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/comenio-307077.shtml>. Dewey: <http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/john- dewey-307892.shtml>. Você conseguiu compreender o que é Didática? Então, para saber mais sobre a sua definição, assista ao vídeo com a professora Inge, que está disponível em seu material digital. Alguns autores caracterizaram a Didática como o conjunto de técnicas a serem utilizadas para garantir o sucesso do ensino e da aprendizagem. Contudo, essa é uma concepção restrita, sendo refutada pelos autores que hoje tratam do tema. Para esses autores, dentre os quais citamos Vera Candau, Ilma Veiga, José Carlos Libâneo, entre outros, a Didática vai muito além de uma listagem de técnicas de ensino. Caso você queira saber mais sobre esses pensadores, que são referência na área de Didática, acesse os links a seguir: José Carlos Libâneo: <http://letrasunifacsead.blogspot.com.br/p/jose- carlos-libaneo-biografia.html>. Vera Candau: <http://www.dhnet.org.br/direitos/militantes/veracandau/textos.htm>. Ilma Veiga: <http://escola-ensino-aprendizagem.blogspot.com.br/p/ilma- veiga.html>. É verdade que a Didática se ocupa do “como ensinar”, mas essa questão está sempre relacionada a outras duas: “para que ensinar?” e “por que ensinar”? Dito de outro modo, não há técnica neutra, que sirva para todos os momentos e todas as situações. A opção metodológica (que é o objeto da Didática) se relaciona a outras dimensões, importantíssimas:
  • 6. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 6  Quem são os alunos?  Qual é a realidade na qual se encontram?  Que tipo de pessoa desejamos formar?  Para que tipo de sociedade? A Didática é um conjunto de técnicas? Assista ao vídeo a seguir, disponível em seu material digital, para saber mais sobre essa questão. A decisão sobre o encaminhamento do processo ensino-aprendizagem, para além de ser técnica, é uma decisão política. Quando pensamos sobre os pontos citados anteriormente, não organizamos as atividades de um curso ou disciplina de maneira neutra, pois o modo de realizar o processo pedagógico tem efeitos para além da aprendizagem do conteúdo especificamente. Exemplificando: se desejo desenvolver a autonomia intelectual em todos os conteúdos, deverei organizar as aulas de modo que os alunos se sintam parte do processo, que exerçam níveis crescentes de decisão e assumam as consequências dos seus atos. Não adianta fazer um discurso em prol da autonomia intelectual e definir absolutamente tudo no dia a dia da escola e das aulas, impedindo que os alunos reflitam e se sintam sujeitos do seu próprio aprendizado. O fato de o professor ter um papel político não significa que deva fazer doutrinação em sua disciplina. Na verdade, para cumprir bem o papel político o professor deve cumprir o seu papel técnico, ou seja, organizar a disciplina de modo que favoreça a aprendizagem significativa dos alunos, indiferente da sua origem de classe, sexo, raça, entre outros pontos. Por isso mesmo, a Didática é uma atividade mediadora entre a teoria educacional e a prática em sala de aula. O domínio de seus elementos constituintes permite ao professor decidir de maneira autônoma e consciente quais serão os procedimentos a serem adotados e por quê. Essa é a razão pela qual a Didática tem a aula como foco, mas não fica restrita a ela. A aula é a manifestação do processo educativo como um todo,
  • 7. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 7 mas este é mais amplo. Na verdade, a aula apenas indica todas as relações (legais, sociais, políticas, econômicas, interpessoais, psicológicas etc.) que acontecem no decorrer do processo ensino-aprendizagem. Aprofunde-se neste conteúdo estudando o capítulo 4 do livro: “Fundamentos de Didática” de Melo e Urbanetz, que está disponível no link a seguir: <http://uninter.bv3.digitalpages.com.br/users/publications/9788578380205/page s/_1>. Para aprofundar os seus conhecimentos a respeito da importância da Didática para a prática educativa, leia o material disponível no link a seguir: <http://www.unicerp.edu.br/index.php/pesquisas/athos-ethos/445-7-a- importancia-da-didatica-enquanto-ferramenta-pedagogica-na-pratica-educativa- e-na-formacao-do-educador>.
  • 8. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 8 Revendo a Problematização Muito bem! Acredito que já tenhamos tido tempo suficiente para refletir sobre o caso apresentado no início dos estudos deste tema. Caso queira, leia o caso novamente antes de responder. Caso contrário, analise as alternativas a seguir e dê a sua resposta. Depois de ter assistido ao vídeo com o caso e ter lido o conteúdo teórico, responda à questão: a. Bons professores têm o dom, já nascem com facilidade para se comunicar com as pessoas e influenciá-las. b. A diferença entre professores que encantam e outros que são maçantes está na disciplina lecionada, pois alguns temas são extremamente áridos e desagradáveis, por mais que o professor se esforce. c. A habilidade do professor depende do domínio de sua disciplina e também do conhecimento de como os grupos funcionam, das técnicas e dos procedimentos adequados para cada conteúdo.
  • 9. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 9 Feedback a. Atualmente sabemos que, para além das habilidades individuais, é possível aprender e desenvolver conhecimentos e habilidades que nos levem a ser um professor que encanta. b. Os conteúdos realmente são diferentes entre si, mas isso não significa que haja alguns temas desagradáveis por si só. O domínio da Didática pode contribuir significativamente para o sucesso do ensino- aprendizagem. c. Realmente, é possível aprender a ser um bom professor, mediante o aprofundamento na metodologia de ensino. Tanto a experiência quanto o estudo oferecem ao professor condições para que melhore a sua prática.
  • 10. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 10 Síntese No decorrer deste estudo vimos que a formação do professor precisa ser teórico-prática e que devemos evitar o teoricismo e também o praticismo. Sendo assim, o professor precisa compreender o fenômeno educativo para além do que acontece na sala de aula. Vimos, também, que a Didática é a área do conhecimento que fundamenta a ação do professor, e que negar a ele o acesso ao conhecimento teórico é mantê-lo no papel de executor de projetos decididos por outrem. Além disso, aprendemos que a Didática não é uma listagem de técnicas de ensino, e sim uma área do conhecimento que procura fazer a mediação entre a teoria educacional e a prática em sala de aula. Aprendemos, também, que o objeto de estudo da Didática realmente é o “como fazer”, mas essa questão está sempre relacionada ao “para que fazer” e ao “por que fazer”. Por fim, vimos que a escolha do encaminhamento na sala de aula é, ao mesmo tempo, técnica e política. Agora, assista ao vídeo da síntese com a professora Inge. Não deixe de conferir!
  • 11. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 11 Referências CANDAU, V. A Didática em questão. Petrópolis: Vozes, 1984. MARTINS, P. L. Didática. Curitiba: Ibpex, 2008. MASETO, M. Didática: a aula como centro. São Paulo: FTD, 1997. MELO, A.; URBANETZ, S. Fundamentos de Didática. Curitiba: Ibpex, 2008.
  • 12. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 12 Atividades Há várias concepções de Didática, mas nesta disciplina enfatizamos1. uma delas. Qual? a. Didática é o conjunto de técnicas de ensino que permitem ao professor desempenhar a sua atividade com maior assertividade. b. Didática é sinônimo de Pedagogia, ciência que estuda o fenômeno educativo em sua totalidade. c. Didática é uma área de estudos que se ocupa do como ensinar, mas sempre em relação ao “por que ensinar”. d. Didática é a ciência que determina a melhor metodologia para cada tipo de conteúdo. A decisão sobre o encaminhamento do processo ensino-aprendizagem,2. para além de ser técnica, é uma decisão política. Isso significa que: a. Não existe ensino neutro. Sempre é preciso analisar quem são os alunos, que objetivos pretendemos alcançar, quais as nossas condições concretas, dentre outros fatores. b. As políticas educacionais de determinada gestão definem o encaminhamento metodológico a ser adotado nas escolas, indiferente das opções da escola. c. Todo ensino é interessado, sempre temos objetivos (explícitos ou não) em relação ao ensino. Por isso, a dimensão técnica se sobrepõe à dimensão política quando da escolha do encaminhamento metodológico. d. O processo educacional deve ser neutro, ou seja, precisa atingir a todos e a todas, sem distinção de classe, credo, raça ou cor. O uso de uma ou
  • 13. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 13 outra metodologia se deve apenas às preferências do professor. Estudamos que a Didática é uma atividade mediadora entre a teoria3. educacional e a prática em sala de aula. Assinale a alternativa que explica corretamente essa afirmativa: a. A Didática estuda os melhores encaminhamentos propostos pelas teorias da educação e tem o papel de convencer os professores a usá- los e, com isso, promover o sucesso do processo ensino-aprendizagem. b. Toda didática surge da prática. Cada professor acaba desenvolvendo um conhecimento tácito que lhe permite agir de maneira autônoma e consciente no seu dia a dia. c. Mediar significa “estar entre”, portanto a Didática busca referencial na teoria para compreender e orientar a prática docente. Ao mesmo tempo, é do dia a dia que ela retira os principais elementos a serem estudados pela teoria. d. A atividade mediadora desempenhada pela Didática é ensinar aos professores, a partir da ciência da educação, qual o melhor encaminhamento metodológico em sala, indiferente de suas preferências pessoais e/ou da realidade da escola. O foco da Didática é a sala de aula, mas não fica restrita a ela, pois a4. aula é a manifestação do processo educativo como um todo, que é mais amplo. De acordo com isso, assinale a alternativa que cita corretamente os principais elementos que definem a realidade da sala de aula: a. O que acontece em sala de aula é fruto de decisões internas da mantenedora, interesses dos alunos e desejos dos professores. Os
  • 14. CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 14 aspectos macrossociais não têm interferência. b. A sala de aula é fruto das relações interpessoais que se estabelecem entre professor e alunos, pois elas definem a disciplina, o ritmo, a motivação e o envolvimento dos sujeitos envolvidos. c. O que acontece em sala de aula é consequência de várias relações, dentre as quais podemos citar: legais, políticas, sociais, econômicas, interpessoais e psicológicas. d. A sala de aula reflete a ideologia dominante, seja na posição dos alunos ou dos professores. Essa ideologia é transmitida pelos meios de comunicação de massa e influi diretamente no trabalho do professor. Atualmente, algumas pessoas têm dito que basta a prática para que o5. professor se torne competente. Em direção diversa, nossa disciplina defende a formação teórico-prática. Por quê? a. A formação teórico-prática é a base de qualquer curso de graduação, definida por lei, não há como fazer diferente. b. A teoria é a única ferramenta capaz de oferecer segurança ao professor. c. A formação prática é insuficiente e estereotipada, levando à repetição exaustiva de uma mesma prática, seja ela adequada ou não. d. Negar ao professor o acesso ao conhecimento teórico é mantê-lo no papel de executor de projetos decididos por outrem.