SlideShare uma empresa Scribd logo
O que é saneamento básico?Saneamento básico
Charline Barbosa
Denise Felicetti
Maiara Vissoto
Tatiana Palinski
Nenhum município doNenhum município do
Sudoeste tem 100% deSudoeste tem 100% de
rede coletora de esgotorede coletora de esgoto
Publicado em: 04/09/2010 - 09:00 | Atualizado em: 18/02/2013 - 08:36
http://www.jornaldebeltrao.com.br/geral/nenhum-municipio-do-sudoeste-tem-100-de-rede-coletora-de-esgoto-54542/
“Consumir água tratada é o primeiro passo para
inibir doenças, principalmente de veiculação hídrica.
Ter o esgoto da casa afastado do imóvel e
devidamente tratado impede que as pessoas sejam
contaminadas por uma série de agentes causadores
de moléstias. Para a Organização Mundial da Saúde
(OMS) é impossível pensar em promoção da saúde
sem a população ter acesso a serviços de
abastecimento de água, esgotamento sanitário e
destino adequado dos resíduos”.
“[…] de acordo com o presidente da Sanepar,
Hudson Calefe, é indispensável que os governos
façam o possível para destinar recursos
financeiros ao setor de saneamento básico”.
“Em algumas cidades já ultrapassamos o índice
recomendado pela OMS, de 60% em atendimento
com coleta e tratamento do esgoto. Nas grandes
cidades paranaenses temos índices de mais de
90%”.
“Segundo o prefeito de Realeza e presidente da Amsop,
Eduardo Gaieviski (PT), o investimento é muito importante,
porque ainda há cidades que não têm rede de esgoto. “O problema
do esgoto é grande, mas felizmente em Realeza a rede de
abastecimento começará a ser implantada nos próximos meses””.
No município, as obras na ETE Sarandi acabam ainda neste ano
e a finalização dos trabalhos permitirá que os cerca de 40
quilômetros de rede coletora sejam usufruídos pela população,
chegando ao índice de atendimento de 65%. O investimento em
Realeza deve chegar a R$ 5 milhões, mas o prefeito alega que o
ganho em qualidade de vida vale o aquisição. “Com rede de esgoto
as pessoas ficam menos doentes, e se estão menos doentes vivem
mais saudáveis.”A obra ficará pronta em breve, depois de quatro
anos.
________________________________________________________
“Em Ampere também estão em andamento obras de
ampliação da rede coletora e na Estação de Tratamento
de Esgoto (ETE), com investimentos de cerca de R$
1,9 milhão. Os trabalhos consistem na implantação de
mais 2,5 mil metros da rede coleta do esgoto e a
liberação de mais 136 ligações”.
“Atualmente oito municípios possuem rede coletora de
esgoto em toda regional –Marmeleiro (43,74%),
Renascença (89,22%), Ampere (35,98%), Dois
Vizinhos (56,61%), Pranchita (14,39%), Santo Antônio
do Sudoeste (62,54%) e Capanema (32,41%)”.
“Em toda regional de Francisco
Beltrão, desde 2003, a Sanepar já
investiu aproximadamente R$ 37
milhões em obras de saneamento,
beneficiando municípios como
Capanema, Santo Antônio do
Sudoeste, Francisco Beltrão, Dois
Vizinhos e Ampere”.
“No momento, mais de
R$ 2 milhões estão
aplicados em obras em
andamento na região e
ainda R$ 28 milhões
em recursos
assegurados para
novos investimentos
em saneamento na
região”.
Aprovação do PlanoAprovação do Plano
Nacional de SaneamentoNacional de Saneamento
Básico prevê investimentoBásico prevê investimento
de R$ 508,5 bide R$ 508,5 bi
10/06/2013 12:10 - Portal Brasil
Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2013/06/10/aprovacao-do-plano-nacional-de-
saneamento-basico-preve-investimento-de-r-508-5-bi>. Acesso: em 18 de jul de 2013.
“Foi aprovado na última sexta-feira (7), pelo
Conselho das Cidades, o Plano Nacional de
Saneamento Básico (Plansab), que prevê
investimento de R$ 508,5 bilhões, para
abastecimento de água potável, coleta e tratamento
de esgoto e lixo e ações de drenagem. O documento
consiste em um grande guia que possibilita o
planejamento com visão futura, para desenvolver
ações nos próximos 20 anos, a partir de 2014. A
previsão é investir de R$ 10 bilhões a R$ 12 bilhões
por ano, até 2030”.
Na lei 11.445/07, em seu art. 52, é atribuído ao
Governo Federal, sob a coordenação do Ministério
das Cidades, a responsabilidade pela elaboração do
Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab)”.
Diretrizes Estaduais paraDiretrizes Estaduais para
Saneamento BásicoSaneamento Básico
Mas, o que é
saneamento
básico?
Onde ele é
encontrado?
Já ouviu palavras como:
● Fossa;
● Caixa de gordura;
● Caixa séptica;
● Cano coletor;
● Filtro;
● ETE;
● Rede de esgoto;
E como fica o
acesso ao
saneamento
básico?
O que se faz
necessário para
haver saneamento
básico?
... Toda
população tem
acesso ao
saneamento
básico?
Art. 29º. “Os serviços públicos de saneamento básico
terão a sustentabilidade econômico-financeira
assegurada, sempre que possível, mediante
remuneração pela cobrança de serviços de saneamento
básico poderá levar em consideração os seguintes
fatores”
BRASIL. Presidente da Republica. Casa Civil. Diretrizes Nacionais para o Saneamento Básico. Lei nº 11.445, de 5
de janeiro de 2007.
Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11445.htm>, acessado em 18 de julho
de 2013.
Saneamento básico requerSaneamento básico requer
investimentos?investimentos?
E quem não possui
saneamento
BÁSICO?
Maior população,
necessidade de
mais
investimentos?
Menor população,
menos
investimentos,
menor
necessidade?
…
O que acontece?
A rede de esgoto
propicia alguma
melhoras ou pioras em
uma cidade?
Todos têm condições de
instalar os pontos de
interligação do imóvel
com com a rede de
esgoto?
E como ficam aqueles
que não possuem
condições financeiras
pra instalar o que é
necessário?
E esgotamento
sanitário,
você sabe o que é?
Já ouviu falar em
Estação de
Tratamento de
Esgoto – ETE?
Qual a influência da
existência de uma
Estação de
Tratamento de
Esgoto?
Estação de
Tratamento de
Esgoto, de Curitiba
Belém - /PR
Qual a implicação
em ter um local
apropriado para o
tratamento do
esgoto?
Qual a implicação
em despejar na
natureza efluentes
finais, provenientes
do tratamento de
esgoto?
A partir destas
problemáticas, quais
as consequências
que você observa?
Segundo Silva et al. (2010, p. 4) “de acordo
com BARROSO (2002), em 1997, foram
gastos R$ 400 milhões por problemas
decorrentes de doenças respiratórias,
infecciosas e parasitárias, que poderiam ser
reduzidas substancialmente através de
medidas de saneamento básico”.
“Em todo o mundo, aproximadamente 2 mil crianças
com menos de 5 anos morrem diariamente devido a
doenças diarreicas e cerca de 1.800 dessas mortes estão
ligadas à água, ao saneamento e à higiene”.
CAPCAE - Área da Criança e do Adolescente.
27/03/2013, Nova Iorque, 22 de março de 2013.
Fonte: UNICEF – 22/03/2013.
Disponível em: <http://www.crianca.caop.mp.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=398>
UNICEF - Crianças morremUNICEF - Crianças morrem
diariamente devido à falta de águadiariamente devido à falta de água
potávelpotável
“Quase 90% das mortes de crianças por
doenças diarreicas estão diretamente ligadas
à água contaminada, à falta de saneamento
ou à higiene inadequada. Apesar da redução
significativa dessas mortes durante a última
década, de 1,2 milhão de mortes por ano em
2000 para cerca de 760 mil por ano em
2011, o UNICEF ressalta que esse número
ainda é muito alto”.
Qual a relação que podemos
estabelecer entre os
temas/conceitos/informações
apresentados?
AFINAL
Saneamento básico,
para que?
Saneamento básico,
para quem?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Saneamento Básico
Saneamento BásicoSaneamento Básico
Saneamento Básico
Letras Mágicas
 
Saneamento Básico
Saneamento BásicoSaneamento Básico
Saneamento Básico
andre barbosa
 
Saneamento básico power point
Saneamento básico power pointSaneamento básico power point
Saneamento básico power point
Danielle Santos
 
Saneamento básico
Saneamento básicoSaneamento básico
Saneamento básico
PhoenixSportFitness
 
Palestra Saneamento
Palestra SaneamentoPalestra Saneamento
Palestra Saneamento
JoseSimas
 
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
saneamentobelford
 
Saneamento básico prof. Maria Teresa
Saneamento básico prof. Maria TeresaSaneamento básico prof. Maria Teresa
Saneamento básico prof. Maria Teresa
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Problemas com relação ao saneamento básico pronto!
Problemas com relação ao saneamento básico pronto!Problemas com relação ao saneamento básico pronto!
Problemas com relação ao saneamento básico pronto!
Dayane Almeida
 
Saneamento Ambiental
Saneamento AmbientalSaneamento Ambiental
Saneamento Ambiental
Sergilainematos
 
Esgoto Sanitário
Esgoto SanitárioEsgoto Sanitário
Esgoto Sanitário
Sandra Roldão
 
Aula 3 saneamento ambiental
Aula 3   saneamento ambientalAula 3   saneamento ambiental
Aula 3 saneamento ambiental
Marines Bomfim
 
A História do Saneamento Básico
A História do Saneamento BásicoA História do Saneamento Básico
A História do Saneamento Básico
eloambiental
 
Apresentacao ppt cfe 2016
Apresentacao ppt cfe 2016Apresentacao ppt cfe 2016
Apresentacao ppt cfe 2016
Diego Fruscalso
 
Saneamento basico e a reciclagem
Saneamento basico e a reciclagemSaneamento basico e a reciclagem
Saneamento basico e a reciclagem
uniaocivica
 
Saneamento Básico no Brasil - Paraná
Saneamento Básico no Brasil - ParanáSaneamento Básico no Brasil - Paraná
Saneamento Básico no Brasil - Paraná
Gabriel Hubner
 
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo HellerO direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
CBH Rio das Velhas
 
Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...
Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...
Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...
Semasa - Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André
 
Diferentes perspectivas para a problematização do direito a água na Bacia do ...
Diferentes perspectivas para a problematização do direito a água na Bacia do ...Diferentes perspectivas para a problematização do direito a água na Bacia do ...
Diferentes perspectivas para a problematização do direito a água na Bacia do ...
CBH Rio das Velhas
 
Sistema Hídrico
Sistema HídricoSistema Hídrico
Sistema Hídrico
Adriana Heloisa
 
Informativo insp 26
Informativo insp   26Informativo insp   26
Informativo insp 26
Douglas Siqueira
 

Mais procurados (20)

Saneamento Básico
Saneamento BásicoSaneamento Básico
Saneamento Básico
 
Saneamento Básico
Saneamento BásicoSaneamento Básico
Saneamento Básico
 
Saneamento básico power point
Saneamento básico power pointSaneamento básico power point
Saneamento básico power point
 
Saneamento básico
Saneamento básicoSaneamento básico
Saneamento básico
 
Palestra Saneamento
Palestra SaneamentoPalestra Saneamento
Palestra Saneamento
 
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
 
Saneamento básico prof. Maria Teresa
Saneamento básico prof. Maria TeresaSaneamento básico prof. Maria Teresa
Saneamento básico prof. Maria Teresa
 
Problemas com relação ao saneamento básico pronto!
Problemas com relação ao saneamento básico pronto!Problemas com relação ao saneamento básico pronto!
Problemas com relação ao saneamento básico pronto!
 
Saneamento Ambiental
Saneamento AmbientalSaneamento Ambiental
Saneamento Ambiental
 
Esgoto Sanitário
Esgoto SanitárioEsgoto Sanitário
Esgoto Sanitário
 
Aula 3 saneamento ambiental
Aula 3   saneamento ambientalAula 3   saneamento ambiental
Aula 3 saneamento ambiental
 
A História do Saneamento Básico
A História do Saneamento BásicoA História do Saneamento Básico
A História do Saneamento Básico
 
Apresentacao ppt cfe 2016
Apresentacao ppt cfe 2016Apresentacao ppt cfe 2016
Apresentacao ppt cfe 2016
 
Saneamento basico e a reciclagem
Saneamento basico e a reciclagemSaneamento basico e a reciclagem
Saneamento basico e a reciclagem
 
Saneamento Básico no Brasil - Paraná
Saneamento Básico no Brasil - ParanáSaneamento Básico no Brasil - Paraná
Saneamento Básico no Brasil - Paraná
 
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo HellerO direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
 
Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...
Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...
Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...
 
Diferentes perspectivas para a problematização do direito a água na Bacia do ...
Diferentes perspectivas para a problematização do direito a água na Bacia do ...Diferentes perspectivas para a problematização do direito a água na Bacia do ...
Diferentes perspectivas para a problematização do direito a água na Bacia do ...
 
Sistema Hídrico
Sistema HídricoSistema Hídrico
Sistema Hídrico
 
Informativo insp 26
Informativo insp   26Informativo insp   26
Informativo insp 26
 

Destaque

Consumo consciente da ã gua (1)
Consumo consciente da ã gua (1)Consumo consciente da ã gua (1)
Consumo consciente da ã gua (1)
Elzarssantos
 
Água = Vida
Água = VidaÁgua = Vida
Água = Vida
Grazi Grazi
 
Uso racional da água aula
Uso racional da água aulaUso racional da água aula
Uso racional da água aula
profgon
 
Apresentação - Saneamento básico: Capacidades e percepções sobre o exercício ...
Apresentação - Saneamento básico: Capacidades e percepções sobre o exercício ...Apresentação - Saneamento básico: Capacidades e percepções sobre o exercício ...
Apresentação - Saneamento básico: Capacidades e percepções sobre o exercício ...
SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República
 
Thalia a.pptx sustentabilidades thalia e mariana
Thalia a.pptx sustentabilidades thalia e marianaThalia a.pptx sustentabilidades thalia e mariana
Thalia a.pptx sustentabilidades thalia e mariana
norivalfp
 
Estudo Trata Brasil: Relatório da primeira fase do Projeto Trata Brasil na Co...
Estudo Trata Brasil: Relatório da primeira fase do Projeto Trata Brasil na Co...Estudo Trata Brasil: Relatório da primeira fase do Projeto Trata Brasil na Co...
Estudo Trata Brasil: Relatório da primeira fase do Projeto Trata Brasil na Co...
Instituto Trata Brasil
 
Estudo Trata Brasil: A percepção do brasileiro quanto ao saneamento básico e...
Estudo Trata Brasil:  A percepção do brasileiro quanto ao saneamento básico e...Estudo Trata Brasil:  A percepção do brasileiro quanto ao saneamento básico e...
Estudo Trata Brasil: A percepção do brasileiro quanto ao saneamento básico e...
Instituto Trata Brasil
 
Seminário Saneamento | Apresentação Ministério das Cidades
Seminário Saneamento | Apresentação Ministério das CidadesSeminário Saneamento | Apresentação Ministério das Cidades
Seminário Saneamento | Apresentação Ministério das Cidades
Confederação Nacional da Indústria
 
Johnny Ferreira - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de ...
Johnny Ferreira - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de ...Johnny Ferreira - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de ...
Johnny Ferreira - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de ...
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Saúde ambiental
Saúde ambientalSaúde ambiental
Saúde ambiental
SMEdeItabaianinha
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentávelDesenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentável
norivalfp
 
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambienteSaúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
Maria Ludes Maria
 
Regulação dos serviços públicos de saneamento básico e o papel da Agersa
Regulação dos serviços públicos de saneamento básico e o papel da AgersaRegulação dos serviços públicos de saneamento básico e o papel da Agersa
Regulação dos serviços públicos de saneamento básico e o papel da Agersa
SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República
 
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz /...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz /...Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz /...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz /...
CBH Rio das Velhas
 
Tratamento de esgoto e saneamento básico
Tratamento de esgoto e saneamento básicoTratamento de esgoto e saneamento básico
Tratamento de esgoto e saneamento básico
Luan Furtado
 
Pp ps e saneamento básico brasil
Pp ps e saneamento básico brasilPp ps e saneamento básico brasil
Saudeambientalenf (1)
Saudeambientalenf (1)Saudeambientalenf (1)
Saudeambientalenf (1)
karensuelen
 
Projeto fossa biodigestora
Projeto fossa biodigestoraProjeto fossa biodigestora
Projeto fossa biodigestora
Joyce Inocencia
 
Saúde pública!
Saúde pública!Saúde pública!
Saúde pública!
Joemille Leal
 
Conceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricio
Conceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricioConceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricio
Conceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricio
João Siqueira da Mata
 

Destaque (20)

Consumo consciente da ã gua (1)
Consumo consciente da ã gua (1)Consumo consciente da ã gua (1)
Consumo consciente da ã gua (1)
 
Água = Vida
Água = VidaÁgua = Vida
Água = Vida
 
Uso racional da água aula
Uso racional da água aulaUso racional da água aula
Uso racional da água aula
 
Apresentação - Saneamento básico: Capacidades e percepções sobre o exercício ...
Apresentação - Saneamento básico: Capacidades e percepções sobre o exercício ...Apresentação - Saneamento básico: Capacidades e percepções sobre o exercício ...
Apresentação - Saneamento básico: Capacidades e percepções sobre o exercício ...
 
Thalia a.pptx sustentabilidades thalia e mariana
Thalia a.pptx sustentabilidades thalia e marianaThalia a.pptx sustentabilidades thalia e mariana
Thalia a.pptx sustentabilidades thalia e mariana
 
Estudo Trata Brasil: Relatório da primeira fase do Projeto Trata Brasil na Co...
Estudo Trata Brasil: Relatório da primeira fase do Projeto Trata Brasil na Co...Estudo Trata Brasil: Relatório da primeira fase do Projeto Trata Brasil na Co...
Estudo Trata Brasil: Relatório da primeira fase do Projeto Trata Brasil na Co...
 
Estudo Trata Brasil: A percepção do brasileiro quanto ao saneamento básico e...
Estudo Trata Brasil:  A percepção do brasileiro quanto ao saneamento básico e...Estudo Trata Brasil:  A percepção do brasileiro quanto ao saneamento básico e...
Estudo Trata Brasil: A percepção do brasileiro quanto ao saneamento básico e...
 
Seminário Saneamento | Apresentação Ministério das Cidades
Seminário Saneamento | Apresentação Ministério das CidadesSeminário Saneamento | Apresentação Ministério das Cidades
Seminário Saneamento | Apresentação Ministério das Cidades
 
Johnny Ferreira - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de ...
Johnny Ferreira - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de ...Johnny Ferreira - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de ...
Johnny Ferreira - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de ...
 
Saúde ambiental
Saúde ambientalSaúde ambiental
Saúde ambiental
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentávelDesenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentável
 
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambienteSaúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
 
Regulação dos serviços públicos de saneamento básico e o papel da Agersa
Regulação dos serviços públicos de saneamento básico e o papel da AgersaRegulação dos serviços públicos de saneamento básico e o papel da Agersa
Regulação dos serviços públicos de saneamento básico e o papel da Agersa
 
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz /...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz /...Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz /...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz /...
 
Tratamento de esgoto e saneamento básico
Tratamento de esgoto e saneamento básicoTratamento de esgoto e saneamento básico
Tratamento de esgoto e saneamento básico
 
Pp ps e saneamento básico brasil
Pp ps e saneamento básico brasilPp ps e saneamento básico brasil
Pp ps e saneamento básico brasil
 
Saudeambientalenf (1)
Saudeambientalenf (1)Saudeambientalenf (1)
Saudeambientalenf (1)
 
Projeto fossa biodigestora
Projeto fossa biodigestoraProjeto fossa biodigestora
Projeto fossa biodigestora
 
Saúde pública!
Saúde pública!Saúde pública!
Saúde pública!
 
Conceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricio
Conceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricioConceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricio
Conceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricio
 

Semelhante a Situacao-problema

Saneamento básico - conceitos gerais.ppt
Saneamento básico - conceitos gerais.pptSaneamento básico - conceitos gerais.ppt
Saneamento básico - conceitos gerais.ppt
andreluiznascimento4
 
Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
Rafael Levy
 
Relatório de Atividades 2018 - 2019
Relatório de Atividades 2018 - 2019Relatório de Atividades 2018 - 2019
Relatório de Atividades 2018 - 2019
Tubarão Saneamento
 
5 -PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL DE BELFORD ROXO - ANEXO IX
5 -PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL DE BELFORD ROXO - ANEXO IX5 -PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL DE BELFORD ROXO - ANEXO IX
5 -PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL DE BELFORD ROXO - ANEXO IX
saneamentobelford
 
5 an ix cartilha do ministéri
5   an ix cartilha do ministéri5   an ix cartilha do ministéri
5 an ix cartilha do ministéri
saneamentobelford
 
Revista Geraes de Minas - Edição 01
Revista Geraes de Minas - Edição 01Revista Geraes de Minas - Edição 01
Revista Geraes de Minas - Edição 01
Revista Geraes de Minas
 
Informativo insp 54
Informativo insp   54Informativo insp   54
Informativo insp 54
Douglas Siqueira
 
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptxsaneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
ricardosantossilva4
 
Anexo 4 Cartilha do Ministério das Cidades
Anexo 4 Cartilha do Ministério das CidadesAnexo 4 Cartilha do Ministério das Cidades
Anexo 4 Cartilha do Ministério das Cidades
saneamentocastelodopiaui
 
As 10 cidades com a melhor qualidade de
As 10 cidades com a melhor qualidade deAs 10 cidades com a melhor qualidade de
As 10 cidades com a melhor qualidade de
Helder Ferreira
 
1º aula
1º aula1º aula
1º aula
Ras Junior
 
Cartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestorasCartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestoras
Alexandre Panerai
 
Cartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestorasCartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestoras
João Siqueira da Mata
 
Cartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestorasCartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestoras
Reginaldo Carmo
 
Análise de critérios de prioridade para seleção de propostas de ações em sane...
Análise de critérios de prioridade para seleção de propostas de ações em sane...Análise de critérios de prioridade para seleção de propostas de ações em sane...
Análise de critérios de prioridade para seleção de propostas de ações em sane...
http://bvsalud.org/
 
Anexo vii pd e anexo vii cartilha ministerios
Anexo vii pd e anexo vii cartilha ministeriosAnexo vii pd e anexo vii cartilha ministerios
Anexo vii pd e anexo vii cartilha ministerios
saneamentovisconde
 
Edison Carlos - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de Ab...
Edison Carlos - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de Ab...Edison Carlos - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de Ab...
Edison Carlos - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de Ab...
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Apresentação esgoto itapajé
Apresentação esgoto itapajéApresentação esgoto itapajé
Apresentação esgoto itapajé
Inácio Tabosa
 
Mais de 600 pequenos municípios receberão quase r
Mais de 600 pequenos municípios receberão quase rMais de 600 pequenos municípios receberão quase r
Mais de 600 pequenos municípios receberão quase r
Carlos França
 
Aula - Saneamento Básico.pptx
Aula  - Saneamento Básico.pptxAula  - Saneamento Básico.pptx
Aula - Saneamento Básico.pptx
SILVIACARLAHAITHERGO
 

Semelhante a Situacao-problema (20)

Saneamento básico - conceitos gerais.ppt
Saneamento básico - conceitos gerais.pptSaneamento básico - conceitos gerais.ppt
Saneamento básico - conceitos gerais.ppt
 
Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
 
Relatório de Atividades 2018 - 2019
Relatório de Atividades 2018 - 2019Relatório de Atividades 2018 - 2019
Relatório de Atividades 2018 - 2019
 
5 -PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL DE BELFORD ROXO - ANEXO IX
5 -PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL DE BELFORD ROXO - ANEXO IX5 -PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL DE BELFORD ROXO - ANEXO IX
5 -PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL DE BELFORD ROXO - ANEXO IX
 
5 an ix cartilha do ministéri
5   an ix cartilha do ministéri5   an ix cartilha do ministéri
5 an ix cartilha do ministéri
 
Revista Geraes de Minas - Edição 01
Revista Geraes de Minas - Edição 01Revista Geraes de Minas - Edição 01
Revista Geraes de Minas - Edição 01
 
Informativo insp 54
Informativo insp   54Informativo insp   54
Informativo insp 54
 
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptxsaneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
 
Anexo 4 Cartilha do Ministério das Cidades
Anexo 4 Cartilha do Ministério das CidadesAnexo 4 Cartilha do Ministério das Cidades
Anexo 4 Cartilha do Ministério das Cidades
 
As 10 cidades com a melhor qualidade de
As 10 cidades com a melhor qualidade deAs 10 cidades com a melhor qualidade de
As 10 cidades com a melhor qualidade de
 
1º aula
1º aula1º aula
1º aula
 
Cartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestorasCartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestoras
 
Cartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestorasCartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestoras
 
Cartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestorasCartilha fossas septicas biodigestoras
Cartilha fossas septicas biodigestoras
 
Análise de critérios de prioridade para seleção de propostas de ações em sane...
Análise de critérios de prioridade para seleção de propostas de ações em sane...Análise de critérios de prioridade para seleção de propostas de ações em sane...
Análise de critérios de prioridade para seleção de propostas de ações em sane...
 
Anexo vii pd e anexo vii cartilha ministerios
Anexo vii pd e anexo vii cartilha ministeriosAnexo vii pd e anexo vii cartilha ministerios
Anexo vii pd e anexo vii cartilha ministerios
 
Edison Carlos - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de Ab...
Edison Carlos - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de Ab...Edison Carlos - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de Ab...
Edison Carlos - Seminário Saneamento e Tratamento da Água nos Processos de Ab...
 
Apresentação esgoto itapajé
Apresentação esgoto itapajéApresentação esgoto itapajé
Apresentação esgoto itapajé
 
Mais de 600 pequenos municípios receberão quase r
Mais de 600 pequenos municípios receberão quase rMais de 600 pequenos municípios receberão quase r
Mais de 600 pequenos municípios receberão quase r
 
Aula - Saneamento Básico.pptx
Aula  - Saneamento Básico.pptxAula  - Saneamento Básico.pptx
Aula - Saneamento Básico.pptx
 

Último

UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 

Último (20)

UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 

Situacao-problema

  • 1. O que é saneamento básico?Saneamento básico Charline Barbosa Denise Felicetti Maiara Vissoto Tatiana Palinski
  • 2.
  • 3. Nenhum município doNenhum município do Sudoeste tem 100% deSudoeste tem 100% de rede coletora de esgotorede coletora de esgoto Publicado em: 04/09/2010 - 09:00 | Atualizado em: 18/02/2013 - 08:36 http://www.jornaldebeltrao.com.br/geral/nenhum-municipio-do-sudoeste-tem-100-de-rede-coletora-de-esgoto-54542/
  • 4. “Consumir água tratada é o primeiro passo para inibir doenças, principalmente de veiculação hídrica. Ter o esgoto da casa afastado do imóvel e devidamente tratado impede que as pessoas sejam contaminadas por uma série de agentes causadores de moléstias. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) é impossível pensar em promoção da saúde sem a população ter acesso a serviços de abastecimento de água, esgotamento sanitário e destino adequado dos resíduos”.
  • 5. “[…] de acordo com o presidente da Sanepar, Hudson Calefe, é indispensável que os governos façam o possível para destinar recursos financeiros ao setor de saneamento básico”. “Em algumas cidades já ultrapassamos o índice recomendado pela OMS, de 60% em atendimento com coleta e tratamento do esgoto. Nas grandes cidades paranaenses temos índices de mais de 90%”.
  • 6. “Segundo o prefeito de Realeza e presidente da Amsop, Eduardo Gaieviski (PT), o investimento é muito importante, porque ainda há cidades que não têm rede de esgoto. “O problema do esgoto é grande, mas felizmente em Realeza a rede de abastecimento começará a ser implantada nos próximos meses””. No município, as obras na ETE Sarandi acabam ainda neste ano e a finalização dos trabalhos permitirá que os cerca de 40 quilômetros de rede coletora sejam usufruídos pela população, chegando ao índice de atendimento de 65%. O investimento em Realeza deve chegar a R$ 5 milhões, mas o prefeito alega que o ganho em qualidade de vida vale o aquisição. “Com rede de esgoto as pessoas ficam menos doentes, e se estão menos doentes vivem mais saudáveis.”A obra ficará pronta em breve, depois de quatro anos. ________________________________________________________
  • 7. “Em Ampere também estão em andamento obras de ampliação da rede coletora e na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), com investimentos de cerca de R$ 1,9 milhão. Os trabalhos consistem na implantação de mais 2,5 mil metros da rede coleta do esgoto e a liberação de mais 136 ligações”. “Atualmente oito municípios possuem rede coletora de esgoto em toda regional –Marmeleiro (43,74%), Renascença (89,22%), Ampere (35,98%), Dois Vizinhos (56,61%), Pranchita (14,39%), Santo Antônio do Sudoeste (62,54%) e Capanema (32,41%)”.
  • 8. “Em toda regional de Francisco Beltrão, desde 2003, a Sanepar já investiu aproximadamente R$ 37 milhões em obras de saneamento, beneficiando municípios como Capanema, Santo Antônio do Sudoeste, Francisco Beltrão, Dois Vizinhos e Ampere”.
  • 9. “No momento, mais de R$ 2 milhões estão aplicados em obras em andamento na região e ainda R$ 28 milhões em recursos assegurados para novos investimentos em saneamento na região”.
  • 10.
  • 11. Aprovação do PlanoAprovação do Plano Nacional de SaneamentoNacional de Saneamento Básico prevê investimentoBásico prevê investimento de R$ 508,5 bide R$ 508,5 bi 10/06/2013 12:10 - Portal Brasil Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2013/06/10/aprovacao-do-plano-nacional-de- saneamento-basico-preve-investimento-de-r-508-5-bi>. Acesso: em 18 de jul de 2013.
  • 12. “Foi aprovado na última sexta-feira (7), pelo Conselho das Cidades, o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), que prevê investimento de R$ 508,5 bilhões, para abastecimento de água potável, coleta e tratamento de esgoto e lixo e ações de drenagem. O documento consiste em um grande guia que possibilita o planejamento com visão futura, para desenvolver ações nos próximos 20 anos, a partir de 2014. A previsão é investir de R$ 10 bilhões a R$ 12 bilhões por ano, até 2030”.
  • 13. Na lei 11.445/07, em seu art. 52, é atribuído ao Governo Federal, sob a coordenação do Ministério das Cidades, a responsabilidade pela elaboração do Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab)”. Diretrizes Estaduais paraDiretrizes Estaduais para Saneamento BásicoSaneamento Básico
  • 14. Mas, o que é saneamento básico?
  • 15.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20. Já ouviu palavras como: ● Fossa; ● Caixa de gordura; ● Caixa séptica; ● Cano coletor; ● Filtro; ● ETE; ● Rede de esgoto;
  • 21. E como fica o acesso ao saneamento básico?
  • 22. O que se faz necessário para haver saneamento básico?
  • 23. ... Toda população tem acesso ao saneamento básico?
  • 24. Art. 29º. “Os serviços públicos de saneamento básico terão a sustentabilidade econômico-financeira assegurada, sempre que possível, mediante remuneração pela cobrança de serviços de saneamento básico poderá levar em consideração os seguintes fatores” BRASIL. Presidente da Republica. Casa Civil. Diretrizes Nacionais para o Saneamento Básico. Lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11445.htm>, acessado em 18 de julho de 2013. Saneamento básico requerSaneamento básico requer investimentos?investimentos?
  • 25.
  • 26. E quem não possui saneamento BÁSICO?
  • 27. Maior população, necessidade de mais investimentos? Menor população, menos investimentos, menor necessidade?
  • 29. A rede de esgoto propicia alguma melhoras ou pioras em uma cidade?
  • 30. Todos têm condições de instalar os pontos de interligação do imóvel com com a rede de esgoto?
  • 31.
  • 32.
  • 33. E como ficam aqueles que não possuem condições financeiras pra instalar o que é necessário?
  • 34.
  • 36.
  • 37. Já ouviu falar em Estação de Tratamento de Esgoto – ETE?
  • 38. Qual a influência da existência de uma Estação de Tratamento de Esgoto?
  • 39. Estação de Tratamento de Esgoto, de Curitiba Belém - /PR
  • 40. Qual a implicação em ter um local apropriado para o tratamento do esgoto?
  • 41.
  • 42. Qual a implicação em despejar na natureza efluentes finais, provenientes do tratamento de esgoto?
  • 43. A partir destas problemáticas, quais as consequências que você observa?
  • 44. Segundo Silva et al. (2010, p. 4) “de acordo com BARROSO (2002), em 1997, foram gastos R$ 400 milhões por problemas decorrentes de doenças respiratórias, infecciosas e parasitárias, que poderiam ser reduzidas substancialmente através de medidas de saneamento básico”.
  • 45.
  • 46. “Em todo o mundo, aproximadamente 2 mil crianças com menos de 5 anos morrem diariamente devido a doenças diarreicas e cerca de 1.800 dessas mortes estão ligadas à água, ao saneamento e à higiene”. CAPCAE - Área da Criança e do Adolescente. 27/03/2013, Nova Iorque, 22 de março de 2013. Fonte: UNICEF – 22/03/2013. Disponível em: <http://www.crianca.caop.mp.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=398> UNICEF - Crianças morremUNICEF - Crianças morrem diariamente devido à falta de águadiariamente devido à falta de água potávelpotável
  • 47. “Quase 90% das mortes de crianças por doenças diarreicas estão diretamente ligadas à água contaminada, à falta de saneamento ou à higiene inadequada. Apesar da redução significativa dessas mortes durante a última década, de 1,2 milhão de mortes por ano em 2000 para cerca de 760 mil por ano em 2011, o UNICEF ressalta que esse número ainda é muito alto”.
  • 48. Qual a relação que podemos estabelecer entre os temas/conceitos/informações apresentados?