SlideShare uma empresa Scribd logo
Geografia – Professor Ms. Roberto
Sustentabilidade 
Sustentabilidade é um conceito relacionado 
com a continuidade dos aspectos econômicos, 
sociais, culturais e ambientais da sociedade 
humana”. 
Podemos dizer então, que esse conceito de 
sustentabilidade significa promover e saber 
que a exploração de áreas ou o uso de 
recursos planetários (naturais ou não) deve 
prejudicar o menos possível o equilíbrio entre 
o meio ambiente e os humanos e toda a 
biosfera que dele dependem para existir.
Uma fonte de saúde e bem-estar
Todos os dias toneladas de lixo 
são produzidas nas grandes cidades e 
grande parte desse acaba nas ruas, 
esgotos e rios além dos litros de 
materiais tóxicos ou poluentes que são 
despejados na água por empresas e 
fábricas. Isso contribui para a 
deterioração da qualidade vida e saúde 
pública da população urbana.
• É o conjunto de políticas adotadas em uma região 
que visam proporcionar uma boa qualidade de vida 
(higiene, saúde) para seus habitantes. 
• Está diretamente ligada à saúde da população. 
• Envolve o conjunto de serviços, infraestruturas e 
instalações operacionais: abastecimento de água 
potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana, 
manejo de resíduos sólidos e a drenagem e o 
manejo das águas pluviais. 
 Constituição: todo cidadão tem direito a S.B. de 
qualidade.
• Tratamento de água; 
• Canalização e tratamento de esgotos; 
• Limpeza pública de ruas e avenidas; 
• Coleta e tratamento de resíduos orgânicos e 
materiais, ou seja, o tratamento e destinação do lixo 
em geral. 
• Obs ETE, aterros sanitários regularizados, 
usinas de incineração, compostagem e reciclagem; 
além de programas de medidas de educação da 
população em geral e conservação ambiental.
 As metrópoles são centros 
populacionais de grande importância que 
concentram inúmeros serviços, empresas, 
trabalho, um número elevado de veículos, 
sendo palco de graves problemas em 
grandes proporções, como doenças, lixo, 
trânsito, entre muitos outros. Isso pede a 
atenção especial do governo para investir 
em procedimentos como o saneamento 
básico nessas metrópoles.
 I- universalização do acesso; 
 II- Realização integral dos procedimentos. 
 III- abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza 
urbana e manejo dos resíduos sólidos realizados de formas 
adequadas à saúde pública e à proteção do meio ambiente; 
 IV- eficiência e sustentabilidade econômica 
 V- articulação com as políticas de desenvolvimento 
urbano, habitação, combate à pobreza, proteção ambiental, 
de promoção da saúde e outras de relevante interesse social 
voltadas para a melhoria da qualidade de vida, para as quais 
o saneamento básico seja fator determinante; 
 VI- controle social - integração das infraestruturas e 
serviços com a gestão eficiente dos recursos hídricos.
Então, como determina a lei, em todas as cidades todos os 
habitantes teriam direito ao acesso ao saneamento básico, o que remete a 
uma boa qualidade de vida. No entanto a gestão do saneamento básico no 
Brasil é irregular e nem todos os municípios possuem esse serviço: eles 
sofrem com a ausência de estrutura sanitária eficiente. Além disso, as 
grandes metrópoles enfrentam a batalha causada pelo desordenamento 
urbano, que dissemina a população. Há ainda a influência política-econômica 
e a desorganização social como fatores que atrasam o desenvolvimento do 
saneamento adequado. 
OU SEJA, A PROPOSTA É BONITA NO PAPEL MAS E A 
REALIDADE? 
Vídeo - Charge 
http://charges.uol.com.br/2007/01/23/cotidiano-hit-de-todos-os-veroes/
• Cerca de 8,6 milhões (17,5%) dos 49,1 milhões de domicílios no Brasil em 2003 
não eram atendidos por rede geral de abastecimento de água. 
• Segundo dados do Governo Federal apenas 28,2% do esgoto sanitário coletado 
nos domicílios brasileiros recebe tratamento e só uma pequena parcela tem 
destinação final sanitariamente adequado no meio ambiente 
• 15 crianças de 0 a 4 anos morrem por dia no Brasil em decorrência da falta de 
saneamento básico, principalmente de esgoto sanitário (FUNASA – FSP 16/7/00) 
• 1 bilhão de pessoas não dispõem de água potável e 1,8 bilhão não têm acesso a 
sanitários e esgoto 
• Algumas doenças relacionadas à falta de rede de esgotos: hepatite A, diarréias, 
disenterias, dengue, febre amarela, malária e leptospirose. 
• Para cada R$ 1,00 real investido em saneamento economiza-se R$ 4,00 na área 
de medicina curativa
DESTINAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS E A DIGNIDADE HUMANA
Vetores e Dengue
Poluição das águas e Saúde 
pública
SSaaúúddee hhuummaannaa ee aammbbiieennttaall
POLUIÇÃO POR AGROTÓXICOS
OCUPAÇÃO DE ENCOSTAS NO DOMÍNIO DOS MARES DE MORROS
Novo Código Florestal, enchentes e saúde pública
ENOS ou El Niño Oscilação Sul: fenômeno de interação atmosfera-oceano, associado 
a alterações dos padrões normais da Temperatura da Superfície do Mar (TSM) e dos 
ventos alísios na região do Pacífico Equatorial, entre a Costa Peruana e no Pacifico 
oeste próximo à Austrália.
APP - RESERVA LEGAL
Pesquisador diz que saneamento básico ainda é “um verdadeiro buraco” 
para o Brasil 
3 July, 2009 - 13:16h Délcio Rocha 
[...]Segundo o pesquisador, a questão do saneamento básico deveria 
ser uma das prioridades em políticas públicas, já que a sua ausência traz muitos 
impactos negativos na vida das pessoas. "A falta de saneamento implica pior 
desenvolvimento humano em todas as dimensões, em particular na saúde. A falta 
de saneamento rouba a vida e mata crianças, principalmente de 1 a 6 anos de 
idade, e também gera consequências futuras para aqueles que sobrevivem às 
doenças do saneamento.“[...] 
http://brasilatual.com.br/sistema/?p=2608
Jornal nacional, saneamento básico (2008) 
http://www.youtube.com/watch?v=6mg7P24G-1Q
OBESIDADE: da banalização do 
passado ao drama do presente
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente 
Dimensão do problema 
A mais grave epidemia, não reconhecida 
como de saúde pública, dos tempos 
atuais (final do século XX até o 
momento).
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente 
Causas da banalização 
Ao longo da história da civilização a obesidade foi vista de diversas 
formas erradas, determinadas pelo desconhecimento ou por 
interesses. 
– Manifestação de poder e força 
– Manifestação de status social elevado ou ascensão social 
– Fertilidade e beleza 
– Deficiência de caráter (Japão medieval) 
– Castigo devido a gula (Igreja) 
– Descaso de pessoal e órgãos da saúde 
De Qualquer Forma Foi Estigmatizada E Assim Continua Em 
Nossos Dias 
Jacob, JLB – 11/2010-2012
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente 
História da Obesidade 
• Mais antigas enfermidades: 
– Há 25000 anos: a Vênus de Willendorf, no Museu de 
História Natural de Viena é a mais antiga representação 
artística do problema 
– 10000 anos aC: deusas eram admiradas por 
seus quadris, coxas e seios volumosos. 
– Civilizações surgem há 15000 anos 
– Necessidade de armazenamento de energia sob a forma de gordura: caçadores coletores 
– Alimentos: raízes, plantas e frutos
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente 
Século XX 
• O grande salto tecnológico: tendo como objetivo 
básico o poder econômico, acarretando entre os 
inúmeros avanços, três que interessam ao assunto: 
– Produção desmedida e sem controle de alimentos 
industrializados, cujo consumo refletia status social e poder 
– paralelamente ocorreu um aumento exponencial no 
consumo de carnes.
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente 
Branca de Neve Cinderela Jasmin A Bela
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente 
• Ocorre uma enorme desproporção entre ingesta 
calórica (consumo) e gasto energético 
(sedentarismo) 
• Por isso, a partir dos anos 70 do século XX a 
obesidade ganhava um crescimento progressivo, 
que se tornou assustador dos anos 80 até os dias 
atuais, independentemente de sexo, raça, idade e 
classe social!!!
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente 
GEOGRAFIA DA OBESIDADE : 
• EUA = 30% (2007) - 50% - 75% (2030) 
• Canadá = 36% (2008) 
• Europa = 20% (2007) – Previsão de 150.000.000 de obesos em 2010 
• Japão = 20% (2007) 
• China = 15% (2007) - 20% 
• Brasil = 16% (2012) 
– 51% sobrepeso no homem (2010) 
– 48% sobrepeso na mulher (2010) 
• Austrália > 50% - 60% (2012) 
Congresso em Sydney 2008: Mundo = 1.000.000.000 obesos X 
800.000.000 de desnutridos. Obesos superam subnutridos inclusive 
na África. 
• África (Egito =35,7%, África do Sul=27,4%, Suazilândia=23,1%, Mauritânia=16,4%, 
Namíbia=11,7% e Botsuana=20,3%)
OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente 
Consequências 
Esses dados e as perspectivas pouco alentadoras de 
remissão desse quadro geral, transformou-a no MAIOR 
PROBLEMA CONTEMPORÂNEO DE SAÚDE, QUE 
PASSOU A SER ENCARADO COMO ENFERMIDADE 
QUANDO SURGIRAM EVIDÊNCIAS IRREFUTÁVEIS DE 
MORBIDADE E MORTALIDADE
DISCIPLINA: GEOGRAFIA 
• HIDROSFERA: CAMINHO 
DAS ÁGUAS
Toda a água existente no planeta Terra compõe a 
hidrosfera.Ela pode ser encontrada na natureza em seus três 
estados físicos:gasoso, sólido e líquido.
IMPORTÂNCIA DOS 
OCEANOS 
• Devido a sua capacidade de 
armazenar energia solar, as 
águas dos oceanos são 
responsáveis pela distribuição 
de chuvas no planeta e pelo 
controle do calor na atmosfera. 
• As águas dos mares são 
também grande fonte de 
recursos, de onde se obtêm 
alimentos como o peixe, 
camarão , lagosta...e produtos 
minerais como o sal.São 
também importantes vias de 
transporte.
A DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA NO 
PLANETA • Além das águas oceânicas, 
restam 2,43% de água 
doce.Desse volume , três 
quartos encontram-se 
congelados nas geleiras e 
calotas polares; outra parte é 
constituída pelas águas 
subterrâneas; e apenas uma 
porção muito pequena desse 
total está nos rios e 
lagos.Vale lembrar que a 
distribuição dessa água não é 
igual em toda a Terra, tem 
áreas do planeta que sofrem 
com a escassez desse 
recurso.
DESERTO DO ATACAMA NO CHILE, UMA DAS ÁREAS MAIS SECAS DO 
PLANETA
CICLO HIDROLÓGICO
O CONJUNTO DE TERRAS DRENADAS POR RIOS FORMA UMA UNIDADE 
GEOGRÁFICA CONHECIDA COMO BACIA HIDROGRÁFICA QUE GRALMENTE, 
RECEBE O NOME DO RIO PRINCIPAL(RIO AMAZONAS, BACIA AMAZÔNICA).
Meandros do Rio Una , na Estação Ecológica da Jureia- 
Itatins, no litoral sul paulista.
ÁGUA :RECURSO PARA AS SOCIEDADES 
HUMANAS 
Rio Nilo, na África . Heródoto , pensador grego do séc.V a.C , 
afirmou que o Egito era uma dádiva do Nilo, pois as suas águas 
traziam fertilidade ao solo, abasteciam a população e eram 
utilizadas para a irrigação.
.
A construção de barragens representou um passo muito importante para a 
sociedade moderna, pois com elas, os seres humanos puderam controlar a vazão 
das águas, formar reservatórios para o abastecimento e, fundamentalmente, 
gerar energia elétrica, artigo indispensável atualmente.
Bacia do rio São Francisco 
A bacia do São Francisco leva o nome de seu rio principal.O rio São 
Francisco nasce no sul de Minas Gerais, atravessa o sertão nordestino 
e deságua no oceano Atlântico.Ele é utilizado como via de transporte , 
para irrigação, abastecimento e geração de energia elétrica
ÁGUA:POLUIÇÃO E IMPACTOS 
AMBIENTAIS • Apesar de ser um importante 
recurso natural, a água se tornou 
um dos principais destinos do lixo 
produzido pelas sociedades 
humanas. 
• A poluição das águas gerada por 
agentes químicos ou orgânicos , 
afeta o equilíbrio ecológico, 
intoxica os organismos e favorece 
a proliferação de doenças.A 
poluição química é provocada 
principalmente pelos agrotóxicos, 
resíduos industriais e de atividade 
de mineração.A poluição orgânica 
(fezes e restos de alimentos) tem 
sua origem no despejo de esgotos 
sem tratamento
http://www.snis.gov.br/Arquivos_PMSS/7_PUBLICACOES/7.6_Palestras/2instit 
ucional/pac_saneamento_assemaeSP_29032007.pdf 
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Lei/L11445.htm 
http://revistadasaguas.pgr.mpf.gov.br/edicoes-da-revista/edicao-06/edicoes-da- 
revista/edicao-06/materias/a-beleza 
http://www.revistaforum.com.br/sitefinal/EdicaoNoticiaIntegra.asp? 
id_artigo=719 
http://tierra.rediris.es/hidrored/congresos/psevilla/dilma1po.html 
Livros: 
1. CAVINATTO, Vilma Maria. - Saneamento Básico; Fonte de saúde e bem-estar. 
2. DIAS, Genebaldo Freire. – Ecopercepção; um resumo didático dos 
desafios sociambientais.
“ Agora vamos fazer os seres humanos. (...) Eles 
terão poder sobre os peixes, aves, sobre os animais 
domésticos e os selvagens. (...) e dirigindo-se a esses 
disse-lhes: tenham muitos e muitos filhos, 
espalhem-se sobre a Terra e dominem.” 
Gênesis, 1,26-28 – Bíblia Sagrada

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de HábitosEducação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
carlosbidu
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
PIBID Joel Job
 
Impactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambienteImpactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambiente
laiszanatta
 
Tratamento de água e esgoto
Tratamento de água e esgotoTratamento de água e esgoto
Tratamento de água e esgoto
Grazi Grazi
 
Saneamento Básico
Saneamento BásicoSaneamento Básico
Saneamento Básico
andre barbosa
 
Aula 3 saneamento ambiental
Aula 3   saneamento ambientalAula 3   saneamento ambiental
Aula 3 saneamento ambiental
Marines Bomfim
 
Saúde e qualidade de vida
Saúde e qualidade de vidaSaúde e qualidade de vida
Saúde e qualidade de vida
mainamgar
 
Higiene Individual e Coletiva!!!
Higiene Individual e Coletiva!!!Higiene Individual e Coletiva!!!
Higiene Individual e Coletiva!!!
Patricia Souza
 
Aula 3 indicadores de saúde
Aula 3   indicadores de saúdeAula 3   indicadores de saúde
Aula 3 indicadores de saúde
Ricardo Alexandre
 
A História do Saneamento Básico
A História do Saneamento BásicoA História do Saneamento Básico
A História do Saneamento Básico
eloambiental
 
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Roney Gusmão
 
Aula residuos de serviços da saúde
Aula   residuos de serviços da saúdeAula   residuos de serviços da saúde
Aula residuos de serviços da saúde
santhdalcin
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Karynne Alves do Nascimento
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
lucasvinicius98
 
Aula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humanoAula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humano
Ana Filadelfi
 
Impactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivoImpactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivo
BIOLOGIA Associação Pré-FEDERAL
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
Killer Max
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
Renata Magalhães
 
Educação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidadeEducação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidade
Vitor Vieira Vasconcelos
 
gestão ambiental
gestão ambientalgestão ambiental
gestão ambiental
Neilany Sousa
 

Mais procurados (20)

Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de HábitosEducação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Impactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambienteImpactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambiente
 
Tratamento de água e esgoto
Tratamento de água e esgotoTratamento de água e esgoto
Tratamento de água e esgoto
 
Saneamento Básico
Saneamento BásicoSaneamento Básico
Saneamento Básico
 
Aula 3 saneamento ambiental
Aula 3   saneamento ambientalAula 3   saneamento ambiental
Aula 3 saneamento ambiental
 
Saúde e qualidade de vida
Saúde e qualidade de vidaSaúde e qualidade de vida
Saúde e qualidade de vida
 
Higiene Individual e Coletiva!!!
Higiene Individual e Coletiva!!!Higiene Individual e Coletiva!!!
Higiene Individual e Coletiva!!!
 
Aula 3 indicadores de saúde
Aula 3   indicadores de saúdeAula 3   indicadores de saúde
Aula 3 indicadores de saúde
 
A História do Saneamento Básico
A História do Saneamento BásicoA História do Saneamento Básico
A História do Saneamento Básico
 
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
 
Aula residuos de serviços da saúde
Aula   residuos de serviços da saúdeAula   residuos de serviços da saúde
Aula residuos de serviços da saúde
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
 
Aula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humanoAula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humano
 
Impactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivoImpactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivo
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
 
Educação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidadeEducação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidade
 
gestão ambiental
gestão ambientalgestão ambiental
gestão ambiental
 

Semelhante a Saneamento basico

Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
Rafael Levy
 
Palestra Saneamento
Palestra SaneamentoPalestra Saneamento
Palestra Saneamento
JoseSimas
 
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo HellerO direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
CBH Rio das Velhas
 
Apresentacao ppt cfe 2016
Apresentacao ppt cfe 2016Apresentacao ppt cfe 2016
Apresentacao ppt cfe 2016
Diego Fruscalso
 
A habitação9.4
A habitação9.4A habitação9.4
A habitação9.4
Mayjö .
 
Populacao sartre
Populacao sartrePopulacao sartre
Populacao sartre
Ademir Aquino
 
Populacao, desenvolvimento economico e meio ambiente
Populacao, desenvolvimento economico e meio ambientePopulacao, desenvolvimento economico e meio ambiente
Populacao, desenvolvimento economico e meio ambiente
Ione Rocha
 
Estudo Trata Brasil: Esgotamento Sanitário Inadequado e Impactos na Saúde da ...
Estudo Trata Brasil: Esgotamento Sanitário Inadequado e Impactos na Saúde da ...Estudo Trata Brasil: Esgotamento Sanitário Inadequado e Impactos na Saúde da ...
Estudo Trata Brasil: Esgotamento Sanitário Inadequado e Impactos na Saúde da ...
Instituto Trata Brasil
 
Cidadania e meio ambiente
Cidadania e meio ambienteCidadania e meio ambiente
Cidadania e meio ambiente
Luis Araujo
 
Agua saude 2001 (opas)
Agua saude 2001 (opas)Agua saude 2001 (opas)
Agua saude 2001 (opas)
SANTANA, José Francisco de
 
Pap012919 tecnologias vivas aplicadas ao saneamento rural - xx sbrh
Pap012919   tecnologias vivas aplicadas ao saneamento rural - xx sbrhPap012919   tecnologias vivas aplicadas ao saneamento rural - xx sbrh
Pap012919 tecnologias vivas aplicadas ao saneamento rural - xx sbrh
Evandro Sanguinetto
 
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptxsaneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
ricardosantossilva4
 
Interfaces Da Gestão De Recursos Hídricos e Saúde Pública
Interfaces Da Gestão De Recursos Hídricos e Saúde PúblicaInterfaces Da Gestão De Recursos Hídricos e Saúde Pública
Interfaces Da Gestão De Recursos Hídricos e Saúde Pública
ProjetoBr
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
brunadeorce
 
Seminario saneamento básico Lei 11.445/2007
Seminario saneamento básico Lei 11.445/2007Seminario saneamento básico Lei 11.445/2007
Seminario saneamento básico Lei 11.445/2007
Nathy Oliveira
 
Vulnerabilidade social no Brasil – parte 1.pptx
Vulnerabilidade social no Brasil – parte 1.pptxVulnerabilidade social no Brasil – parte 1.pptx
Vulnerabilidade social no Brasil – parte 1.pptx
CarolineDeSandiDeHol
 
O estado preocupante do saneamento no Rio de Janeiro
O estado preocupante do saneamento no Rio de JaneiroO estado preocupante do saneamento no Rio de Janeiro
O estado preocupante do saneamento no Rio de Janeiro
André Felipe
 
Caderno justia_pelas_guasweb
Caderno  justia_pelas_guaswebCaderno  justia_pelas_guasweb
1º aula
1º aula1º aula
1º aula
Ras Junior
 
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento UrbanoUrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
vallmachado
 

Semelhante a Saneamento basico (20)

Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
Saneamento Básico Maceió - FAU - UFAL - 2019
 
Palestra Saneamento
Palestra SaneamentoPalestra Saneamento
Palestra Saneamento
 
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo HellerO direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
O direito humano à água e ao esgotamento sanitário - Leo Heller
 
Apresentacao ppt cfe 2016
Apresentacao ppt cfe 2016Apresentacao ppt cfe 2016
Apresentacao ppt cfe 2016
 
A habitação9.4
A habitação9.4A habitação9.4
A habitação9.4
 
Populacao sartre
Populacao sartrePopulacao sartre
Populacao sartre
 
Populacao, desenvolvimento economico e meio ambiente
Populacao, desenvolvimento economico e meio ambientePopulacao, desenvolvimento economico e meio ambiente
Populacao, desenvolvimento economico e meio ambiente
 
Estudo Trata Brasil: Esgotamento Sanitário Inadequado e Impactos na Saúde da ...
Estudo Trata Brasil: Esgotamento Sanitário Inadequado e Impactos na Saúde da ...Estudo Trata Brasil: Esgotamento Sanitário Inadequado e Impactos na Saúde da ...
Estudo Trata Brasil: Esgotamento Sanitário Inadequado e Impactos na Saúde da ...
 
Cidadania e meio ambiente
Cidadania e meio ambienteCidadania e meio ambiente
Cidadania e meio ambiente
 
Agua saude 2001 (opas)
Agua saude 2001 (opas)Agua saude 2001 (opas)
Agua saude 2001 (opas)
 
Pap012919 tecnologias vivas aplicadas ao saneamento rural - xx sbrh
Pap012919   tecnologias vivas aplicadas ao saneamento rural - xx sbrhPap012919   tecnologias vivas aplicadas ao saneamento rural - xx sbrh
Pap012919 tecnologias vivas aplicadas ao saneamento rural - xx sbrh
 
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptxsaneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
saneamentobsico-121110125149-phpapp01.pptx
 
Interfaces Da Gestão De Recursos Hídricos e Saúde Pública
Interfaces Da Gestão De Recursos Hídricos e Saúde PúblicaInterfaces Da Gestão De Recursos Hídricos e Saúde Pública
Interfaces Da Gestão De Recursos Hídricos e Saúde Pública
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Seminario saneamento básico Lei 11.445/2007
Seminario saneamento básico Lei 11.445/2007Seminario saneamento básico Lei 11.445/2007
Seminario saneamento básico Lei 11.445/2007
 
Vulnerabilidade social no Brasil – parte 1.pptx
Vulnerabilidade social no Brasil – parte 1.pptxVulnerabilidade social no Brasil – parte 1.pptx
Vulnerabilidade social no Brasil – parte 1.pptx
 
O estado preocupante do saneamento no Rio de Janeiro
O estado preocupante do saneamento no Rio de JaneiroO estado preocupante do saneamento no Rio de Janeiro
O estado preocupante do saneamento no Rio de Janeiro
 
Caderno justia_pelas_guasweb
Caderno  justia_pelas_guaswebCaderno  justia_pelas_guasweb
Caderno justia_pelas_guasweb
 
1º aula
1º aula1º aula
1º aula
 
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento UrbanoUrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
 

Último

2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
FlorAzaleia1
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MnicaPereira739219
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
jenneferbarbosa21
 
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
MelissaSouza39
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
cleidianevieira7
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
FERNANDACAROLINEPONT
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
jenneferbarbosa21
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
jenneferbarbosa21
 

Último (8)

2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
 
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
 

Saneamento basico

  • 2. Sustentabilidade Sustentabilidade é um conceito relacionado com a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana”. Podemos dizer então, que esse conceito de sustentabilidade significa promover e saber que a exploração de áreas ou o uso de recursos planetários (naturais ou não) deve prejudicar o menos possível o equilíbrio entre o meio ambiente e os humanos e toda a biosfera que dele dependem para existir.
  • 3. Uma fonte de saúde e bem-estar
  • 4. Todos os dias toneladas de lixo são produzidas nas grandes cidades e grande parte desse acaba nas ruas, esgotos e rios além dos litros de materiais tóxicos ou poluentes que são despejados na água por empresas e fábricas. Isso contribui para a deterioração da qualidade vida e saúde pública da população urbana.
  • 5. • É o conjunto de políticas adotadas em uma região que visam proporcionar uma boa qualidade de vida (higiene, saúde) para seus habitantes. • Está diretamente ligada à saúde da população. • Envolve o conjunto de serviços, infraestruturas e instalações operacionais: abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos e a drenagem e o manejo das águas pluviais.  Constituição: todo cidadão tem direito a S.B. de qualidade.
  • 6. • Tratamento de água; • Canalização e tratamento de esgotos; • Limpeza pública de ruas e avenidas; • Coleta e tratamento de resíduos orgânicos e materiais, ou seja, o tratamento e destinação do lixo em geral. • Obs ETE, aterros sanitários regularizados, usinas de incineração, compostagem e reciclagem; além de programas de medidas de educação da população em geral e conservação ambiental.
  • 7.
  • 8.
  • 9.  As metrópoles são centros populacionais de grande importância que concentram inúmeros serviços, empresas, trabalho, um número elevado de veículos, sendo palco de graves problemas em grandes proporções, como doenças, lixo, trânsito, entre muitos outros. Isso pede a atenção especial do governo para investir em procedimentos como o saneamento básico nessas metrópoles.
  • 10.
  • 11.  I- universalização do acesso;  II- Realização integral dos procedimentos.  III- abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos realizados de formas adequadas à saúde pública e à proteção do meio ambiente;  IV- eficiência e sustentabilidade econômica  V- articulação com as políticas de desenvolvimento urbano, habitação, combate à pobreza, proteção ambiental, de promoção da saúde e outras de relevante interesse social voltadas para a melhoria da qualidade de vida, para as quais o saneamento básico seja fator determinante;  VI- controle social - integração das infraestruturas e serviços com a gestão eficiente dos recursos hídricos.
  • 12. Então, como determina a lei, em todas as cidades todos os habitantes teriam direito ao acesso ao saneamento básico, o que remete a uma boa qualidade de vida. No entanto a gestão do saneamento básico no Brasil é irregular e nem todos os municípios possuem esse serviço: eles sofrem com a ausência de estrutura sanitária eficiente. Além disso, as grandes metrópoles enfrentam a batalha causada pelo desordenamento urbano, que dissemina a população. Há ainda a influência política-econômica e a desorganização social como fatores que atrasam o desenvolvimento do saneamento adequado. OU SEJA, A PROPOSTA É BONITA NO PAPEL MAS E A REALIDADE? Vídeo - Charge http://charges.uol.com.br/2007/01/23/cotidiano-hit-de-todos-os-veroes/
  • 13.
  • 14. • Cerca de 8,6 milhões (17,5%) dos 49,1 milhões de domicílios no Brasil em 2003 não eram atendidos por rede geral de abastecimento de água. • Segundo dados do Governo Federal apenas 28,2% do esgoto sanitário coletado nos domicílios brasileiros recebe tratamento e só uma pequena parcela tem destinação final sanitariamente adequado no meio ambiente • 15 crianças de 0 a 4 anos morrem por dia no Brasil em decorrência da falta de saneamento básico, principalmente de esgoto sanitário (FUNASA – FSP 16/7/00) • 1 bilhão de pessoas não dispõem de água potável e 1,8 bilhão não têm acesso a sanitários e esgoto • Algumas doenças relacionadas à falta de rede de esgotos: hepatite A, diarréias, disenterias, dengue, febre amarela, malária e leptospirose. • Para cada R$ 1,00 real investido em saneamento economiza-se R$ 4,00 na área de medicina curativa
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18. DESTINAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS E A DIGNIDADE HUMANA
  • 20. Poluição das águas e Saúde pública
  • 21. SSaaúúddee hhuummaannaa ee aammbbiieennttaall
  • 22.
  • 24.
  • 25. OCUPAÇÃO DE ENCOSTAS NO DOMÍNIO DOS MARES DE MORROS
  • 26. Novo Código Florestal, enchentes e saúde pública
  • 27.
  • 28. ENOS ou El Niño Oscilação Sul: fenômeno de interação atmosfera-oceano, associado a alterações dos padrões normais da Temperatura da Superfície do Mar (TSM) e dos ventos alísios na região do Pacífico Equatorial, entre a Costa Peruana e no Pacifico oeste próximo à Austrália.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32. APP - RESERVA LEGAL
  • 33. Pesquisador diz que saneamento básico ainda é “um verdadeiro buraco” para o Brasil 3 July, 2009 - 13:16h Délcio Rocha [...]Segundo o pesquisador, a questão do saneamento básico deveria ser uma das prioridades em políticas públicas, já que a sua ausência traz muitos impactos negativos na vida das pessoas. "A falta de saneamento implica pior desenvolvimento humano em todas as dimensões, em particular na saúde. A falta de saneamento rouba a vida e mata crianças, principalmente de 1 a 6 anos de idade, e também gera consequências futuras para aqueles que sobrevivem às doenças do saneamento.“[...] http://brasilatual.com.br/sistema/?p=2608
  • 34. Jornal nacional, saneamento básico (2008) http://www.youtube.com/watch?v=6mg7P24G-1Q
  • 35. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente
  • 36. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente Dimensão do problema A mais grave epidemia, não reconhecida como de saúde pública, dos tempos atuais (final do século XX até o momento).
  • 37. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente Causas da banalização Ao longo da história da civilização a obesidade foi vista de diversas formas erradas, determinadas pelo desconhecimento ou por interesses. – Manifestação de poder e força – Manifestação de status social elevado ou ascensão social – Fertilidade e beleza – Deficiência de caráter (Japão medieval) – Castigo devido a gula (Igreja) – Descaso de pessoal e órgãos da saúde De Qualquer Forma Foi Estigmatizada E Assim Continua Em Nossos Dias Jacob, JLB – 11/2010-2012
  • 38. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente História da Obesidade • Mais antigas enfermidades: – Há 25000 anos: a Vênus de Willendorf, no Museu de História Natural de Viena é a mais antiga representação artística do problema – 10000 anos aC: deusas eram admiradas por seus quadris, coxas e seios volumosos. – Civilizações surgem há 15000 anos – Necessidade de armazenamento de energia sob a forma de gordura: caçadores coletores – Alimentos: raízes, plantas e frutos
  • 39. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente
  • 40. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente
  • 41. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente Século XX • O grande salto tecnológico: tendo como objetivo básico o poder econômico, acarretando entre os inúmeros avanços, três que interessam ao assunto: – Produção desmedida e sem controle de alimentos industrializados, cujo consumo refletia status social e poder – paralelamente ocorreu um aumento exponencial no consumo de carnes.
  • 42. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente
  • 43. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente Branca de Neve Cinderela Jasmin A Bela
  • 44. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente • Ocorre uma enorme desproporção entre ingesta calórica (consumo) e gasto energético (sedentarismo) • Por isso, a partir dos anos 70 do século XX a obesidade ganhava um crescimento progressivo, que se tornou assustador dos anos 80 até os dias atuais, independentemente de sexo, raça, idade e classe social!!!
  • 45. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente GEOGRAFIA DA OBESIDADE : • EUA = 30% (2007) - 50% - 75% (2030) • Canadá = 36% (2008) • Europa = 20% (2007) – Previsão de 150.000.000 de obesos em 2010 • Japão = 20% (2007) • China = 15% (2007) - 20% • Brasil = 16% (2012) – 51% sobrepeso no homem (2010) – 48% sobrepeso na mulher (2010) • Austrália > 50% - 60% (2012) Congresso em Sydney 2008: Mundo = 1.000.000.000 obesos X 800.000.000 de desnutridos. Obesos superam subnutridos inclusive na África. • África (Egito =35,7%, África do Sul=27,4%, Suazilândia=23,1%, Mauritânia=16,4%, Namíbia=11,7% e Botsuana=20,3%)
  • 46. OBESIDADE: da banalização do passado ao drama do presente Consequências Esses dados e as perspectivas pouco alentadoras de remissão desse quadro geral, transformou-a no MAIOR PROBLEMA CONTEMPORÂNEO DE SAÚDE, QUE PASSOU A SER ENCARADO COMO ENFERMIDADE QUANDO SURGIRAM EVIDÊNCIAS IRREFUTÁVEIS DE MORBIDADE E MORTALIDADE
  • 47. DISCIPLINA: GEOGRAFIA • HIDROSFERA: CAMINHO DAS ÁGUAS
  • 48. Toda a água existente no planeta Terra compõe a hidrosfera.Ela pode ser encontrada na natureza em seus três estados físicos:gasoso, sólido e líquido.
  • 49. IMPORTÂNCIA DOS OCEANOS • Devido a sua capacidade de armazenar energia solar, as águas dos oceanos são responsáveis pela distribuição de chuvas no planeta e pelo controle do calor na atmosfera. • As águas dos mares são também grande fonte de recursos, de onde se obtêm alimentos como o peixe, camarão , lagosta...e produtos minerais como o sal.São também importantes vias de transporte.
  • 50. A DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA NO PLANETA • Além das águas oceânicas, restam 2,43% de água doce.Desse volume , três quartos encontram-se congelados nas geleiras e calotas polares; outra parte é constituída pelas águas subterrâneas; e apenas uma porção muito pequena desse total está nos rios e lagos.Vale lembrar que a distribuição dessa água não é igual em toda a Terra, tem áreas do planeta que sofrem com a escassez desse recurso.
  • 51. DESERTO DO ATACAMA NO CHILE, UMA DAS ÁREAS MAIS SECAS DO PLANETA
  • 52.
  • 53.
  • 55. O CONJUNTO DE TERRAS DRENADAS POR RIOS FORMA UMA UNIDADE GEOGRÁFICA CONHECIDA COMO BACIA HIDROGRÁFICA QUE GRALMENTE, RECEBE O NOME DO RIO PRINCIPAL(RIO AMAZONAS, BACIA AMAZÔNICA).
  • 56. Meandros do Rio Una , na Estação Ecológica da Jureia- Itatins, no litoral sul paulista.
  • 57. ÁGUA :RECURSO PARA AS SOCIEDADES HUMANAS Rio Nilo, na África . Heródoto , pensador grego do séc.V a.C , afirmou que o Egito era uma dádiva do Nilo, pois as suas águas traziam fertilidade ao solo, abasteciam a população e eram utilizadas para a irrigação.
  • 58. .
  • 59. A construção de barragens representou um passo muito importante para a sociedade moderna, pois com elas, os seres humanos puderam controlar a vazão das águas, formar reservatórios para o abastecimento e, fundamentalmente, gerar energia elétrica, artigo indispensável atualmente.
  • 60.
  • 61. Bacia do rio São Francisco A bacia do São Francisco leva o nome de seu rio principal.O rio São Francisco nasce no sul de Minas Gerais, atravessa o sertão nordestino e deságua no oceano Atlântico.Ele é utilizado como via de transporte , para irrigação, abastecimento e geração de energia elétrica
  • 62. ÁGUA:POLUIÇÃO E IMPACTOS AMBIENTAIS • Apesar de ser um importante recurso natural, a água se tornou um dos principais destinos do lixo produzido pelas sociedades humanas. • A poluição das águas gerada por agentes químicos ou orgânicos , afeta o equilíbrio ecológico, intoxica os organismos e favorece a proliferação de doenças.A poluição química é provocada principalmente pelos agrotóxicos, resíduos industriais e de atividade de mineração.A poluição orgânica (fezes e restos de alimentos) tem sua origem no despejo de esgotos sem tratamento
  • 63.
  • 64.
  • 65. http://www.snis.gov.br/Arquivos_PMSS/7_PUBLICACOES/7.6_Palestras/2instit ucional/pac_saneamento_assemaeSP_29032007.pdf http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Lei/L11445.htm http://revistadasaguas.pgr.mpf.gov.br/edicoes-da-revista/edicao-06/edicoes-da- revista/edicao-06/materias/a-beleza http://www.revistaforum.com.br/sitefinal/EdicaoNoticiaIntegra.asp? id_artigo=719 http://tierra.rediris.es/hidrored/congresos/psevilla/dilma1po.html Livros: 1. CAVINATTO, Vilma Maria. - Saneamento Básico; Fonte de saúde e bem-estar. 2. DIAS, Genebaldo Freire. – Ecopercepção; um resumo didático dos desafios sociambientais.
  • 66. “ Agora vamos fazer os seres humanos. (...) Eles terão poder sobre os peixes, aves, sobre os animais domésticos e os selvagens. (...) e dirigindo-se a esses disse-lhes: tenham muitos e muitos filhos, espalhem-se sobre a Terra e dominem.” Gênesis, 1,26-28 – Bíblia Sagrada