SlideShare uma empresa Scribd logo
SINTOMAS PRECURSORES
DA MEDIUNIDADE
MEDIUNIDADE COMO PROVA
...E a um deu cinco talentos, e a outro
dois, e a outro um, a cada um segundo a
sua capacidade, e ausentou-se logo para
longe.
Mateus, 25:15
2
“Conquanto cada um traga em si o germe
das qualidades necessárias para tornar-se
médium, essas qualidades existem em graus muito
diferentes e seu desempenho depende de causas
que não dependem de ninguém fazê-las nascer à
vontade.”
O LIVRO DOS MÉDIUNS - Allan Kardec - Introdução
3
Alterações do organismo de uma pessoa que podem ser
percebidas através do exame médico ou medidas em exames
complementares. Não é necessário que o paciente relate o sinal, pois
outra pessoa pode identificá-lo. É uma característica objetiva da
doença. Um sinal pode também ser um sintoma. Ex.: edema (inchaço),
coloração da pele, arritmia. É relatada pelo paciente durante uma
consulta (sintoma) e comprovada através do exame físico (sinal).
SINAIS
Alterações do organismo relatadas pelo próprio paciente, de acordo
com sua percepção de sua saúde. Apenas a pessoa consegue
identificá-los, não sendo possível outra pessoa diagnosticar. É uma
característica subjetiva, pois depende da interpretação do próprio
paciente. Ex.: dor, fome ou sede excessiva, fraqueza.
SINTOMAS
4
SINTOMAS E SINAIS
159. Toda pessoa que sente (percebe fisicamente) num
grau qualquer a influência dos Espíritos (...). Essa
faculdade é inerente às pessoas e consequentemente
não constitui privilégio exclusivo de ninguém; por isso
mesmo, poucas são as pessoas que não possuem algum
rudimento dela. (...)
O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec - cap. XIV
5
MÉDIUM
(...) o homem do futuro, pelo avanço da mentalidade do
mundo, verá alargar-se a janela acanhada dos seus cinco
sentidos.
Na atualidade, (...) no campo imenso das
potencialidades psíquicas do homem, existem os médiuns com
tarefa definida, precursores das novas aquisições humanas. É
certo que essas tarefas reclamam sacrifícios e se constituem,
muitas vezes, de provações ásperas; (...)
O CONSOLADOR, Emmanuel por Chico Xavier – pergunta 383
6
Espontânea, surge em qualquer idade, posição
social, denominação religiosa ou cepticismo no qual se
encontre o indivíduo.
Normalmente chama a atenção pelos fenômenos
insólitos (raro, incomum, anormal) de que se faz portadora,
produzindo efeitos físicos e intelectuais, bem como
manifestações na área visual, auditiva (...)
MÉDIUNS E MEDIUNIDADES
Cap. 7, Vianna de Carvalho / Divaldo P. Franco
2. O afloramento da mediunidade tem época para
acontecer?
7
QUALIDADE NA PRÁTICA MEDIÚNICA
Projeto Manoel Philomeno de Miranda
3. De que modo a faculdade se manifesta?
Explodindo com relativa violência em determinados
indivíduos, graças a cuja manifestação surgem
perturbações de vária ordem, noutros aparece sutilmente,
favorecendo a penetração em mais amplas faixas
vibratórias, aquelas de onde se procede antes do corpo e
para cujo círculo se retorna depois do desgaste carnal.
MOMENTOS DE CONSCIÊNCIA
Cap. 19, Joanna de Ângelis / Divaldo P. Franco
8
QUALIDADE NA PRÁTICA MEDIÚNICA
Projeto Manoel Philomeno de Miranda
200. (...) Não há, infelizmente, até o
momento presente, nenhuma maneira de
diagnosticar, ainda que
aproximadamente, se alguém possui
essa faculdade. Os sinais físicos, em que
algumas pessoas julgam ver indícios, não
devem ser considerados.
O LIVRO DOS MÉDIUNS - cap. XVII
12
Ela se manifesta nas crianças, nos velhos, entre os homens e
as mulheres, quaisquer que sejam o temperamento, estado de
saúde ou o grau de desenvolvimento intelectual e moral. Há
apenas um meio de lhe constatar a existência: experimentar.
SINTOMAS NA PSICOGRAFIA
210. O primeiro indício de uma disposição para escrever é um
formigamento no braço e na mão; pouco a pouco, a mão é
arrastada por um impulso que ela não pode dominar. Muitas
vezes, traça inicialmente riscos insignificantes; depois, os
caracteres se desenham cada vez mais claramente, até que a
escrita acaba por adquirir a rapidez da escrita corrente. Em
todos os casos, é preciso soltar a mão ao seu movimento
natural e não oferecer resistência nem impulsão.
O LIVRO DOS MÉDIUNS - cap. XVII
MÉDIUNS MECÂNICOS E SEMIMECÂNICOS
13
SINTOMAS NA PSICOGRAFIA
(...) Não poucas vezes, é detectada por características
especiais que podem ser confundidas com síndromes de
algumas psicopatologias (...)
(...) Sutis ou vigorosos, alguns desses sintomas permanecem
em determinadas ocasiões gerando:
mal-estar e dissabor
inquietação
transtorno depressivo
exaltação da personalidade
sensações desagradáveis no organismo
antipatias injustificáveis
animosidades mal disfarçadas
decorrência da assistência espiritual de que se é objeto.
SINTOMAS DE MEDIUNIDADE
Manoel Philomeno de Miranda
(alguns trechos)
15
Muitas enfermidades de diagnose difícil, pela variedade da
sintomatologia, têm suas raízes em distúrbios da mediunidade de
prova, isto é, aquela que se manifesta com a finalidade de
convidar o Espírito a resgates aflitivos de comportamentos
perversos ou doentios mantidos em existências passadas. Por
exemplo, na área física:
dores no corpo, sem causa orgânica;
cefalalgia periódica, sem razão biológica;
insônia, pesadelos, pavores noturnos com sudorese;
taquicardias, sem motivo justo;
colapso periférico sem nenhuma disfunção circulatória,
constituindo todos eles ou apenas alguns, perturbações
defluentes de mediunidade em surgimento e com sintonia
desequilibrada.
16
SINTOMAS DE MEDIUNIDADE
Manoel Philomeno de Miranda
(alguns trechos)
No comportamento psicológico, ainda apresentam-se:
ansiedade fobias variadas
perturbações emocionais inquietação íntima
pessimismo desconfianças generalizadas
sensações de presenças imateriais - sombras e vultos,
vozes e toques,
que surgem inesperadamente, tanto quanto desaparecem sem
qualquer medicação, representando distúrbios mediúnicos
inconscientes, que decorrem da captação de ondas mentais e
vibrações que sincronizam com o perispírito do enfermo,
procedentes de Entidades sofredoras ou vingadoras, atraídas
pela necessidade de refazimento dos conflitos em que ambos -
encarnado e desencarnado - se viram envolvidos.
17
SINTOMAS DE MEDIUNIDADE
Manoel Philomeno de Miranda
(alguns trechos)
Esses sintomas, geralmente pertencentes ao capítulo das
obsessões simples, revelam presença de faculdade mediúnica
em desdobramento, requerendo os cuidados pertinentes à sua
educação e prática.
Nem todos os indivíduos, no entanto, que se apresentam
com sintomas de tal porte, necessitam de exercer a faculdade
de que são portadores. Após a conveniente terapia que é
ensejada pelo estudo do Espiritismo e pela transformação moral
do paciente, que se fazem indispensáveis ao equilíbrio pessoal,
recuperam a harmonia física, emocional e psíquica,
prosseguindo, no entanto, com outra visão da vida e diferente
comportamento, para que não lhe aconteça nada pior, conforme
elucidava Jesus após o atendimento e a recuperação daqueles
que O buscavam e tinham o quadro de sofrimentos revertido.
18
SINTOMAS DE MEDIUNIDADE
Manoel Philomeno de Miranda
(alguns trechos)
Grande número, porém, de portadores de mediunidade,
tem compromisso com a tarefa específica, que lhe exige
conhecimento, exercício, abnegação, sentimento de amor e
caridade, a fim de atrair os Espíritos Nobres, que se
encarregarão de auxiliar a cada um na desincumbência do
mister iluminativo.
(...) Quando, porém, os distúrbios permanecerem durante
o tratamento espiritual, convém que seja levada em conta a
psicoterapia consciente, através de especialistas próprios,
com o fim de auxiliar o paciente-médium a realizar o
autodescobrimento, liberando-se de conflitos e complexos
perturbadores, que são decorrentes das experiências infelizes
de ontem como de hoje.
19
SINTOMAS DE MEDIUNIDADE
Manoel Philomeno de Miranda
(alguns trechos)
(...) A mediunidade, portanto, não é um transtorno do
organismo. O seu desconhecimento, a falta de atendimento
aos seus impositivos, geram distúrbios que podem ser
evitados ou, quando se apresentam, receberem a
conveniente orientação para que sejam corrigidos.
(...) Nesse capítulo, não poucas enfermidades se originam
desse intercâmbio, quando procedem as vibrações de
Entidades doentias ou perversas, que perturbam o sistema
nervoso dos médiuns incipientes (iniciante), produzindo
distúrbios no sistema glandular e até mesmo afetando o
imunológico, facultando campo para a instalação de bactérias
e vírus destrutivos.
20
SINTOMAS DE MEDIUNIDADE
Manoel Philomeno de Miranda
(alguns trechos)
A correta educação das forças mediúnicas proporciona
equilíbrio emocional e fisiológico, ensejando saúde integral
ao seu portador. É óbvio que não impedirá a manifestação
dos fenômenos decorrentes da Lei de Causa e Efeito, de
que necessita o Espírito no seu processo evolutivo, mas
facultará a tranquila condução dos mesmos sem danos para
a existência, que prosseguirá em clima de harmonia e
saudável, embora os acontecimentos impostos pela
necessidade da evolução pessoal.
21
SINTOMAS DE MEDIUNIDADE
Manoel Philomeno de Miranda
(alguns trechos)
Superados, portanto, os sintomas de apresentação da
mediunidade, surgem as responsabilidades diante dos novos
deveres que irão constituir o clima psíquico ditoso do
indivíduo que, compreendendo a magnitude da ocorrência,
crescerá interiormente no rumo do Bem e de Deus.
Psicografada pelo médium Divaldo P. Franco
no dia 10 de julho de 2000, em Paramirim, Bahia
22
SINTOMAS DE MEDIUNIDADE
Manoel Philomeno de Miranda
(alguns trechos)
OS SINTOMAS NUMA VISÃO CIENTÍFICA
A transformação de pensamento em alterações
orgânicas, comportamentais e sintomas teve sua
evidenciação com a médica italiana Rita Levi, ganhadora do
Prêmio Nobel de Medicina na década de 80. Ela demonstrou
a origem da depressão (um tipo de transtorno de humor)
Na mediunidade desequilibrada, pelo fato dos sintomas
serem semelhantes ao do estresse, há uma elaboração
maior de cortisol e adrenalina, tornando as células mais
propensas à ocorrência de uma lesão.
23
O CAMINHO DA DEPRESSÃO E DO ESTRESSE NO CORPO - por influência espiritual
EMOÇÃO NEGATIVA
CAPTADA DE UMA
FONTE EXTERNA
(impulso eletromagnético
recebido através do chacra
coronário - perispírito) ESTES HORMÔNIOS
ATINGEM TODO O
CORPO, AS GL.
ENDÓCRINAS E SIST.
IMUNOLÓGICO
O HIPOTÁLAMO
SECRETA O
HORMÔNIO LIBERADOR
DE CORTICOTROFINA
( CRH )
ESTE HORMÔNIO
AGE NA HIPÓFISE
ESTIMULANDO-A
AS GLÂNDULAS
ADRENAIS SECRETAM
OS HORMÔNIOS
CORTISOL E
ADRENALINA
(esse hormônios agem em
várias partes do corpo
através da corrente
sanguínea gerando o
ESTRESSE). Não havendo
controle emocional,
poderão ocorrer doenças.
G. PINEAL
(imp. neuroquímico)
24
A HIPÓFISE (adeno) PASSA A
GERENCIAR ESTE IMPULSO
E SECRETA HORMÔNIOS
COMO O
ACTH (corticotrofina)
(hormônio estimulador das
glândulas adrenais)
ESTIMULA O
SISTEMA LÍMBICO
(percepção da emoção)
O TIMO
(sist. Imunológico)
LANÇA OS LINFÓCITOS T
(responsáveis pela imunidade
celular)
A EMOÇÃO CAPTADA
NÃO É MATERIAL, É
ABSTRATA; É UM
IMPULSO
OCORRE TAQUICARDIA,
SUDORESE
(instinto do corpo para manter-
se protegido)
CORTISOL
Isso determina o aparecimento da doença depressão,
tanto os sintomas somáticos (mau funcionamento dos
órgãos) como os psíquicos (tristeza, desânimo, dificuldades
variadas).
A persistência de níveis elevados de cortisol no sangue,
como ocorre no estresse crônico, deprime o sistema
imunitário, ou seja, diminui a produção de INTERLEUCINAS,
que são substâncias do sistema imunológico necessárias ao
seu bom funcionamento, tornando o organismo mais
suscetível às infecções, contribuindo no aparecimento de
úlceras, hipertensão e arteriosclerose. (3)
25
ADRENALINA
Quanto à sua inervação, a pineal recebe fibras nervosas
principalmente do tipo adrenérgico, isto é, cujo
neurotransmissor é a adrenalina. Portanto, os sintomas de
transe mediúnico decorrente da superexcitação da pineal e
dessas fibras nervosas serão aqueles mediados pela
adrenalina. (estresse)
 Traz à tona forças extras para o corpo humano desviando o
sangue para os músculos, retirando-o das vísceras e da pele
(fica branca com as extremidades frias – vasoconstrição cutânea);
 Aumenta a pressão arterial, principalmente a sistólica
(quando o coração se contrai) podendo ocasionar tonturas;
 Aumento das pupilas;
26
 Aumento da frequência cardíaca. Na mediunidade,
algumas pessoas interpretam isso como um desconforto
ou presença desagradável. Na realidade, há esse sintoma
independentemente do Espírito comunicante.
 Aumento do fluxo sanguíneo cerebral (possíveis dores de
cabeça) sem alterar a resistência vascular. O cérebro passa
a funcionar mais intensamente;
27
ADRENALINA
 Aumento do metabolismo (produção de calor) e, por
consequência, aumento no consumo de oxigênio. O
médium tem uma sensação de calor.
 Aumento da sudorese (intensa) e os pelos ficam eriçados. A
pessoa sente arrepios não relacionados com o frio. Trata-se
de uma reação normal à descarga de adrenalina que ocorre
no transe mediúnico e não pela presença de algum Espírito.
 Estimulação da secreção de lágrimas e de uma secreção
mucosa escassa das glândulas salivares. O médium pode
chorar sem necessariamente sentir tristeza.
28
ADRENALINA
A MEDIUNIDADE
COMO PROVA
29
A NATUREZA OU ORIGEM DA MEDIUNIDADE
NATURAL
As capacidades do médium se desenvolveram ao
longo de diversas existências, devido aos esforços de
aprendizado e na busca de harmonia. Isto promoveu a
sutilização das próprias sensibilidades psíquicas, dando
acesso a níveis de vida além da matéria. Nesta situação,
(...) a capacidade adquirida é um patrimônio do indivíduo
como espírito imortal. Ele sempre renascerá com a
característica conquistada, devendo, com o tempo, torná-la
ainda mais eficiente em seus resultados.
http://www.harmonianet.org
30
PROVAÇÃO ou TRABALHO
Quando o Espírito, antes de reencarnar, recebe a
condição mediúnica como atributo que deverá exercer na
Terra, a fim de melhorar a si, enquanto beneficia aos
semelhantes. É uma grande oportunidade do médium para
reequilibrar suas ações errôneas pretéritas diante da
Justiça Divina. O indivíduo ainda pode usar seu livre-
arbítrio de forma ampla, recusando-se a cumprir à tarefa
agendada previamente consigo mesmo e com a
Espiritualidade. Desta forma, quando o espírito retorna ao
Mundo Espiritual, terá percebido que postergou a sua
harmonização perante a si e a outras consciências, o que
o leva a sentir-se um tanto fracassado e pesaroso.
31
A NATUREZA OU ORIGEM DA MEDIUNIDADE
EXPIAÇÃO
Se origina em gravíssimos erros sucessivos do
indivíduo, em uma ou mais vidas pregressas. As suas
faculdades afloram inesperadamente, muitas vezes até na
fase da infância, independentemente da vontade da pessoa
em desenvolver sua sensibilidade mediúnica. Esta
mediunidade é consequência da Lei de “Ação e Reação”,
sendo que o livre-arbítrio do ser fica em segundo plano. É
caracterizada também por determinados sofrimentos
psicológicos, que podem ser acompanhados por problemas
físicos, sendo, ambos, passíveis de amenização ou eliminação
conforme o médium exerça o trabalho mediúnico com
consciência, amor e dedicação.
32
A NATUREZA OU ORIGEM DA MEDIUNIDADE
MISSIONÁRIA
Esta caracteriza-se pela finalidade de trazer
grandes benefícios à humanidade, de uma forma geral, e
tem como origem dimensões elevadas da Espiritualidade.
É de lá que vem o médium missionário, espírito de
profundo saber e com uma Mediunidade Natural bastante
desenvolvida, para servir de instrumento à harmonização
dos homens. Os médiuns missionários ainda são raros
neste planeta.
33
A NATUREZA OU ORIGEM DA MEDIUNIDADE
ATUAÇÃO DOS
HORMÔNIOS
SECRETADOS
PELA GLÂNDULA
HIPÓFISE NO CORPO
FÍSICO
 Localizado no centro do topo da cabeça.
 Sede dominante da consciência.
 Por ele passa a energia cósmica.
 É o mais importante dos centros de força.
 Relacionada com a glândula pineal, situada no cérebro na
região do Epitálamo.
CENTRO DE FORÇA CORONÁRIO
EM DESEQUILÍBRIO:
 alienação, depressão, falta de inspiração, dores de cabeça.
SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:
 Como se a cabeça crescesse ou uma certa pressão sobre ela;
 Uma espécie de redemoinho, tontura
 Ideia diferentes.
 Quando as interligações etéreas entre o coronário e o centro
frontal estão abertas e ativas, sugere fortemente um grau de
clarividência.
 Localizado entre os supercílios.
 Ligado fluidicamente à glândula endócrina hipófise ou
pituitária.
EM DESEQUILÍBRIO:
 Alguns distúrbios da visão, da audição, enxaquecas,
vertigens.
 Pode gerar fragilidade mental ou emocional, resultando em
instabilidade na vida e falta de opiniões definidas.
 Falta de concentração, medo, pesadelos e tensão.
SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:
 Ouvidos sensíveis demais, turvação, cores, lágrimas, odores
desagradáveis ou perfumes, mãos e pés frios ou suarentos,
impulso para escrever, salivação excessiva, gosto diferente na
boca ou boca seca.
CENTRO DE FORÇA FRONTAL
 Na altura da garganta. Controla as glândulas tireoide,
paratireoide, o aparelho respiratório e aparelho fonador com
influência também sobre os intestinos.
SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:
 língua dormente, saliva grossa ou excessiva, dormência nos
lábios ou em todo o aparelho fonador.
EM DESEQUILÍBRIO:
 Doenças como perda da voz, (laringite), nódulo na garganta,
bronquite, asmas, enfisemas, sinusites, úlceras bucais (aftas),
herpes, feridas nas gengivas, são sinais de resistência às
mudanças, a criatividade.
CENTRO DE FORÇA LARÍNGEO
 Está relacionado fluidicamente ao plexo cardíaco e a glândula
timo. Também aos pulmões, coração e a circulação sanguínea.
EM DESEQUILÍBRIO:
 É o centro mais afetado pelos desequilíbrios emocionais.
Bloqueado, pode gerar sentimentos de egoísmo, dores no
peito, raiva, irritação, ódio, depressão, angústia, bronquite,
asma, distúrbios circulatórios e de pressão.
 Baixa-estima, frieza, sentimento de inferioridade, radicalismo,
incapacidade de se emocionar.
SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:
 taquicardia
 pressão no peito
 respiração profunda e rápida
 falta de ar
 sensação de doação fluídica nesse centro de força.
CENTRO DE FORÇA CARDÍACO
 Relacionado com o plexo mesentérico e o baço. Regula a
distribuição e a circulação dos recursos vitais e também a
formação e a reposição das defesas orgânicas através do
sangue.
EM DESEQUILÍBRIO:
 Ansiedade, preocupação, indecisão, negligência, mentira,
insegurança, inferioridade o prejudica.
 As pessoas tornam-se sugadoras das energias alheias.
 Em casos de obsessão (vampirismo), esse é o centro mais
afetado pela vitalidade que absorve podendo gerar anemias,
leucemias.
SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:
 mal-estar na barriga
 tremor e arrepios
 pernas enfraquecidas e doloridas.
CENTRO DE FORÇA ESPLÊNICO
 Relacionado fluidicamente ao plexo solar, sistema digestivo
mais diretamente ao pâncreas.
 É atuante nos órgãos do abdômen como estômago, fígado,
intestinos, rins, a exceção do baço.
EM DESEQUILÍBRIO:
 causa enjoo - medo ou irritação
Está relacionado com doenças ligadas ao metabolismo, de fundo
emocional:
 diabetes,
 pedra nos rins e na vesícula,
 hipotensão e hipertensão,
 gastrite e úlceras estomacais.
SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:
 enjoo ou náusea, dores, gases que provocam arroto, quenturas
ou friagens.
CENTRO DE FORÇA GÁSTRICO
 Localiza-se na região dos órgãos genitais (plexos hipogástrico
e sacral). Relaciona-se com as glândulas sexuais, ovários e
testículos, as trompas, útero, e próstata, supervisionando a
reprodução, os órgãos genitais e a energia sexual - a libido.
EM DESEQUILÍBRIO:
 Hérnia discal, dores lombares, doenças relacionadas com o
aparelho reprodutivo, colites, irritabilidade nos intestinos.
 Influenciado pela ação de obsessores, leva seus obsidiados a
desregramentos podendo provocar falta de sensibilidade,
causando frigidez nas mulheres ou impotência nos homens (os
hormônios são afetados). Tais Espíritos se ligam às “vítimas” na
busca de sensações, no uso desregrado do sexo, aumentando
a sua insatisfação.
SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:
 Vibração no baixo ventre, dores nos membros inferiores.
CENTRO DE FORÇA GENÉSICO:
PESQUISA:
• O Novo Testamento
• O Livro dos Médiuns, Allan Kardec
• Qualidade na Prática Mediúnica, Projeto Manoel Philomeno de Miranda
• O Consolador, Emmanuel por Chico Xavier
• Metafísica da Saúde, Valcapelli & Gasparetto vol. 1 e 3
• Mediunidade – Coleção Estudos e Cursos, Therezinha Oliveira
• Sintomas de Mediunidade, Dr. Sérgio Felipe de Oliveira
- http://renatapinheiro.com
- http://portaldocoracao.uol.com.br
- http://www.sobiologia.com.br (3)
elaborado por Júlio César Evadro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibração
Louis Oliver
 
Mistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismoMistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismo
jcevadro
 
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMOMEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
Jorge Luiz dos Santos
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
duadv
 
Mediunidade efeitos físicos e intelectuais
Mediunidade efeitos físicos e intelectuaisMediunidade efeitos físicos e intelectuais
Mediunidade efeitos físicos e intelectuais
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
OS MÉDIUNS
OS MÉDIUNSOS MÉDIUNS
7ª aula desenvolvimento mediunico - coem
7ª aula   desenvolvimento mediunico - coem7ª aula   desenvolvimento mediunico - coem
7ª aula desenvolvimento mediunico - coem
Wagner Quadros
 
Lei de destruição
Lei de destruiçãoLei de destruição
Lei de destruição
Izabel Cristina Fonseca
 
Centros de Força
Centros de ForçaCentros de Força
Centros de Força
Marcelo Gomez Brito Junior
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Leonardo Pereira
 
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
Marta Gomes
 
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
Lar Irmã Zarabatana
 
A2. MEP1 - Mod 1 - Tema2
A2. MEP1 - Mod 1 - Tema2A2. MEP1 - Mod 1 - Tema2
A2. MEP1 - Mod 1 - Tema2
Poliana Bellan
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XV - Vampirismo Espiritua...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XV - Vampirismo Espiritua...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XV - Vampirismo Espiritua...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XV - Vampirismo Espiritua...
Cynthia Castro
 
Elementos gerais do universo
Elementos gerais do universoElementos gerais do universo
Elementos gerais do universo
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
Jorge Luiz dos Santos
 
Transparências corrente magnética--concafras-2012-final
Transparências corrente magnética--concafras-2012-finalTransparências corrente magnética--concafras-2012-final
Transparências corrente magnética--concafras-2012-final
edpinhal
 
Sintomas da mediunidade
Sintomas da mediunidadeSintomas da mediunidade
Sintomas da mediunidade
Comprador DVD Blu ray P1600
 
O homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a EvoluçãoO homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a Evolução
Ceile Bernardo
 

Mais procurados (20)

Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibração
 
Mistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismoMistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismo
 
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMOMEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
 
Mediunidade efeitos físicos e intelectuais
Mediunidade efeitos físicos e intelectuaisMediunidade efeitos físicos e intelectuais
Mediunidade efeitos físicos e intelectuais
 
OS MÉDIUNS
OS MÉDIUNSOS MÉDIUNS
OS MÉDIUNS
 
7ª aula desenvolvimento mediunico - coem
7ª aula   desenvolvimento mediunico - coem7ª aula   desenvolvimento mediunico - coem
7ª aula desenvolvimento mediunico - coem
 
Lei de destruição
Lei de destruiçãoLei de destruição
Lei de destruição
 
Centros de Força
Centros de ForçaCentros de Força
Centros de Força
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
 
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
 
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
 
A2. MEP1 - Mod 1 - Tema2
A2. MEP1 - Mod 1 - Tema2A2. MEP1 - Mod 1 - Tema2
A2. MEP1 - Mod 1 - Tema2
 
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XV - Vampirismo Espiritua...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XV - Vampirismo Espiritua...Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XV - Vampirismo Espiritua...
Evolução em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XV - Vampirismo Espiritua...
 
Elementos gerais do universo
Elementos gerais do universoElementos gerais do universo
Elementos gerais do universo
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
 
Transparências corrente magnética--concafras-2012-final
Transparências corrente magnética--concafras-2012-finalTransparências corrente magnética--concafras-2012-final
Transparências corrente magnética--concafras-2012-final
 
Sintomas da mediunidade
Sintomas da mediunidadeSintomas da mediunidade
Sintomas da mediunidade
 
O homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a EvoluçãoO homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a Evolução
 

Semelhante a Sintomas precursores da mediunidade

Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)
Fatima Carvalho
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para MocidadeMediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Resenha espirita on line 152
Resenha espirita on line 152Resenha espirita on line 152
Resenha espirita on line 152
MRS
 
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICASDOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
23 apostila [23] mediunidade e obsessão
23 apostila [23] mediunidade e obsessão23 apostila [23] mediunidade e obsessão
23 apostila [23] mediunidade e obsessão
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Medicina e o Espiritismo
Medicina e o EspiritismoMedicina e o Espiritismo
Medicina e o Espiritismo
Fernando Vieira Filho
 
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Alberto Barth
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
Ana Cristina Lima
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O Espiritismo
AndySans 2008
 
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMOELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
guest9002b0
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
Arnaldo Carvalho
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
Izabel Cristina Fonseca
 
Medicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismoMedicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismo
Izabel Cristina Fonseca
 
A obsessão - uma pandemia invisível
A obsessão - uma pandemia invisívelA obsessão - uma pandemia invisível
A obsessão - uma pandemia invisível
ADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O Espiritismo
Anelise Mastella
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
122693669 apometria
122693669 apometria122693669 apometria
Medicina E Espiritismo
Medicina E EspiritismoMedicina E Espiritismo
Medicina E Espiritismo
Grupo Espírita Cristão
 
Animismo x Mediunidade
Animismo x MediunidadeAnimismo x Mediunidade
Animismo x Mediunidade
igmateus
 

Semelhante a Sintomas precursores da mediunidade (20)

Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para MocidadeMediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
 
Resenha espirita on line 152
Resenha espirita on line 152Resenha espirita on line 152
Resenha espirita on line 152
 
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICASDOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
 
23 apostila [23] mediunidade e obsessão
23 apostila [23] mediunidade e obsessão23 apostila [23] mediunidade e obsessão
23 apostila [23] mediunidade e obsessão
 
Medicina e o Espiritismo
Medicina e o EspiritismoMedicina e o Espiritismo
Medicina e o Espiritismo
 
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O Espiritismo
 
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMOELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
 
Medicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismoMedicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismo
 
A obsessão - uma pandemia invisível
A obsessão - uma pandemia invisívelA obsessão - uma pandemia invisível
A obsessão - uma pandemia invisível
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O Espiritismo
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O Espiritismo
 
122693669 apometria
122693669 apometria122693669 apometria
122693669 apometria
 
Medicina E Espiritismo
Medicina E EspiritismoMedicina E Espiritismo
Medicina E Espiritismo
 
Animismo x Mediunidade
Animismo x MediunidadeAnimismo x Mediunidade
Animismo x Mediunidade
 

Mais de jcevadro

O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucuraO processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
jcevadro
 
Conceito,causas e graus da obsessão
Conceito,causas e graus da obsessãoConceito,causas e graus da obsessão
Conceito,causas e graus da obsessão
jcevadro
 
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismoA audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
jcevadro
 
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuaisA psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
jcevadro
 
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografiaA categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
jcevadro
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
jcevadro
 
Desobsessão-profilaxia e terapêutica
Desobsessão-profilaxia e terapêuticaDesobsessão-profilaxia e terapêutica
Desobsessão-profilaxia e terapêutica
jcevadro
 
18 transe - conceito e tipos
18   transe - conceito e tipos18   transe - conceito e tipos
18 transe - conceito e tipos
jcevadro
 
04 A categoria de médiuns de efeitos físicos
04   A categoria de médiuns de efeitos físicos04   A categoria de médiuns de efeitos físicos
04 A categoria de médiuns de efeitos físicos
jcevadro
 
07 sono e sonhos
07   sono e sonhos07   sono e sonhos
07 sono e sonhos
jcevadro
 
16 o passe, responsabilidade do médium e assistidos
16   o  passe, responsabilidade do médium e assistidos16   o  passe, responsabilidade do médium e assistidos
16 o passe, responsabilidade do médium e assistidos
jcevadro
 
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
jcevadro
 
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
jcevadro
 
08 o ectoplasma
08   o ectoplasma08   o ectoplasma
08 o ectoplasma
jcevadro
 
11 centros vitais frontal e laríngeo
11   centros vitais frontal e laríngeo11   centros vitais frontal e laríngeo
11 centros vitais frontal e laríngeo
jcevadro
 
18 transe. conceito - tipos
18   transe. conceito - tipos18   transe. conceito - tipos
18 transe. conceito - tipos
jcevadro
 
14 atividade espiritual no centro espírita
14   atividade espiritual no centro espírita14   atividade espiritual no centro espírita
14 atividade espiritual no centro espírita
jcevadro
 
06 perispírito
06   perispírito06   perispírito
06 perispírito
jcevadro
 
07 perispírito e doenças
07   perispírito e doenças07   perispírito e doenças
07 perispírito e doenças
jcevadro
 
Aula 8 o ectoplasma
Aula 8 o  ectoplasmaAula 8 o  ectoplasma
Aula 8 o ectoplasma
jcevadro
 

Mais de jcevadro (20)

O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucuraO processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
 
Conceito,causas e graus da obsessão
Conceito,causas e graus da obsessãoConceito,causas e graus da obsessão
Conceito,causas e graus da obsessão
 
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismoA audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
 
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuaisA psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
 
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografiaA categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
 
Desobsessão-profilaxia e terapêutica
Desobsessão-profilaxia e terapêuticaDesobsessão-profilaxia e terapêutica
Desobsessão-profilaxia e terapêutica
 
18 transe - conceito e tipos
18   transe - conceito e tipos18   transe - conceito e tipos
18 transe - conceito e tipos
 
04 A categoria de médiuns de efeitos físicos
04   A categoria de médiuns de efeitos físicos04   A categoria de médiuns de efeitos físicos
04 A categoria de médiuns de efeitos físicos
 
07 sono e sonhos
07   sono e sonhos07   sono e sonhos
07 sono e sonhos
 
16 o passe, responsabilidade do médium e assistidos
16   o  passe, responsabilidade do médium e assistidos16   o  passe, responsabilidade do médium e assistidos
16 o passe, responsabilidade do médium e assistidos
 
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
 
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
 
08 o ectoplasma
08   o ectoplasma08   o ectoplasma
08 o ectoplasma
 
11 centros vitais frontal e laríngeo
11   centros vitais frontal e laríngeo11   centros vitais frontal e laríngeo
11 centros vitais frontal e laríngeo
 
18 transe. conceito - tipos
18   transe. conceito - tipos18   transe. conceito - tipos
18 transe. conceito - tipos
 
14 atividade espiritual no centro espírita
14   atividade espiritual no centro espírita14   atividade espiritual no centro espírita
14 atividade espiritual no centro espírita
 
06 perispírito
06   perispírito06   perispírito
06 perispírito
 
07 perispírito e doenças
07   perispírito e doenças07   perispírito e doenças
07 perispírito e doenças
 
Aula 8 o ectoplasma
Aula 8 o  ectoplasmaAula 8 o  ectoplasma
Aula 8 o ectoplasma
 

Último

21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 

Último (12)

21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 

Sintomas precursores da mediunidade

  • 2. ...E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe. Mateus, 25:15 2
  • 3. “Conquanto cada um traga em si o germe das qualidades necessárias para tornar-se médium, essas qualidades existem em graus muito diferentes e seu desempenho depende de causas que não dependem de ninguém fazê-las nascer à vontade.” O LIVRO DOS MÉDIUNS - Allan Kardec - Introdução 3
  • 4. Alterações do organismo de uma pessoa que podem ser percebidas através do exame médico ou medidas em exames complementares. Não é necessário que o paciente relate o sinal, pois outra pessoa pode identificá-lo. É uma característica objetiva da doença. Um sinal pode também ser um sintoma. Ex.: edema (inchaço), coloração da pele, arritmia. É relatada pelo paciente durante uma consulta (sintoma) e comprovada através do exame físico (sinal). SINAIS Alterações do organismo relatadas pelo próprio paciente, de acordo com sua percepção de sua saúde. Apenas a pessoa consegue identificá-los, não sendo possível outra pessoa diagnosticar. É uma característica subjetiva, pois depende da interpretação do próprio paciente. Ex.: dor, fome ou sede excessiva, fraqueza. SINTOMAS 4 SINTOMAS E SINAIS
  • 5. 159. Toda pessoa que sente (percebe fisicamente) num grau qualquer a influência dos Espíritos (...). Essa faculdade é inerente às pessoas e consequentemente não constitui privilégio exclusivo de ninguém; por isso mesmo, poucas são as pessoas que não possuem algum rudimento dela. (...) O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec - cap. XIV 5 MÉDIUM
  • 6. (...) o homem do futuro, pelo avanço da mentalidade do mundo, verá alargar-se a janela acanhada dos seus cinco sentidos. Na atualidade, (...) no campo imenso das potencialidades psíquicas do homem, existem os médiuns com tarefa definida, precursores das novas aquisições humanas. É certo que essas tarefas reclamam sacrifícios e se constituem, muitas vezes, de provações ásperas; (...) O CONSOLADOR, Emmanuel por Chico Xavier – pergunta 383 6
  • 7. Espontânea, surge em qualquer idade, posição social, denominação religiosa ou cepticismo no qual se encontre o indivíduo. Normalmente chama a atenção pelos fenômenos insólitos (raro, incomum, anormal) de que se faz portadora, produzindo efeitos físicos e intelectuais, bem como manifestações na área visual, auditiva (...) MÉDIUNS E MEDIUNIDADES Cap. 7, Vianna de Carvalho / Divaldo P. Franco 2. O afloramento da mediunidade tem época para acontecer? 7 QUALIDADE NA PRÁTICA MEDIÚNICA Projeto Manoel Philomeno de Miranda
  • 8. 3. De que modo a faculdade se manifesta? Explodindo com relativa violência em determinados indivíduos, graças a cuja manifestação surgem perturbações de vária ordem, noutros aparece sutilmente, favorecendo a penetração em mais amplas faixas vibratórias, aquelas de onde se procede antes do corpo e para cujo círculo se retorna depois do desgaste carnal. MOMENTOS DE CONSCIÊNCIA Cap. 19, Joanna de Ângelis / Divaldo P. Franco 8 QUALIDADE NA PRÁTICA MEDIÚNICA Projeto Manoel Philomeno de Miranda
  • 9. 200. (...) Não há, infelizmente, até o momento presente, nenhuma maneira de diagnosticar, ainda que aproximadamente, se alguém possui essa faculdade. Os sinais físicos, em que algumas pessoas julgam ver indícios, não devem ser considerados. O LIVRO DOS MÉDIUNS - cap. XVII 12 Ela se manifesta nas crianças, nos velhos, entre os homens e as mulheres, quaisquer que sejam o temperamento, estado de saúde ou o grau de desenvolvimento intelectual e moral. Há apenas um meio de lhe constatar a existência: experimentar. SINTOMAS NA PSICOGRAFIA
  • 10. 210. O primeiro indício de uma disposição para escrever é um formigamento no braço e na mão; pouco a pouco, a mão é arrastada por um impulso que ela não pode dominar. Muitas vezes, traça inicialmente riscos insignificantes; depois, os caracteres se desenham cada vez mais claramente, até que a escrita acaba por adquirir a rapidez da escrita corrente. Em todos os casos, é preciso soltar a mão ao seu movimento natural e não oferecer resistência nem impulsão. O LIVRO DOS MÉDIUNS - cap. XVII MÉDIUNS MECÂNICOS E SEMIMECÂNICOS 13 SINTOMAS NA PSICOGRAFIA
  • 11. (...) Não poucas vezes, é detectada por características especiais que podem ser confundidas com síndromes de algumas psicopatologias (...) (...) Sutis ou vigorosos, alguns desses sintomas permanecem em determinadas ocasiões gerando: mal-estar e dissabor inquietação transtorno depressivo exaltação da personalidade sensações desagradáveis no organismo antipatias injustificáveis animosidades mal disfarçadas decorrência da assistência espiritual de que se é objeto. SINTOMAS DE MEDIUNIDADE Manoel Philomeno de Miranda (alguns trechos) 15
  • 12. Muitas enfermidades de diagnose difícil, pela variedade da sintomatologia, têm suas raízes em distúrbios da mediunidade de prova, isto é, aquela que se manifesta com a finalidade de convidar o Espírito a resgates aflitivos de comportamentos perversos ou doentios mantidos em existências passadas. Por exemplo, na área física: dores no corpo, sem causa orgânica; cefalalgia periódica, sem razão biológica; insônia, pesadelos, pavores noturnos com sudorese; taquicardias, sem motivo justo; colapso periférico sem nenhuma disfunção circulatória, constituindo todos eles ou apenas alguns, perturbações defluentes de mediunidade em surgimento e com sintonia desequilibrada. 16 SINTOMAS DE MEDIUNIDADE Manoel Philomeno de Miranda (alguns trechos)
  • 13. No comportamento psicológico, ainda apresentam-se: ansiedade fobias variadas perturbações emocionais inquietação íntima pessimismo desconfianças generalizadas sensações de presenças imateriais - sombras e vultos, vozes e toques, que surgem inesperadamente, tanto quanto desaparecem sem qualquer medicação, representando distúrbios mediúnicos inconscientes, que decorrem da captação de ondas mentais e vibrações que sincronizam com o perispírito do enfermo, procedentes de Entidades sofredoras ou vingadoras, atraídas pela necessidade de refazimento dos conflitos em que ambos - encarnado e desencarnado - se viram envolvidos. 17 SINTOMAS DE MEDIUNIDADE Manoel Philomeno de Miranda (alguns trechos)
  • 14. Esses sintomas, geralmente pertencentes ao capítulo das obsessões simples, revelam presença de faculdade mediúnica em desdobramento, requerendo os cuidados pertinentes à sua educação e prática. Nem todos os indivíduos, no entanto, que se apresentam com sintomas de tal porte, necessitam de exercer a faculdade de que são portadores. Após a conveniente terapia que é ensejada pelo estudo do Espiritismo e pela transformação moral do paciente, que se fazem indispensáveis ao equilíbrio pessoal, recuperam a harmonia física, emocional e psíquica, prosseguindo, no entanto, com outra visão da vida e diferente comportamento, para que não lhe aconteça nada pior, conforme elucidava Jesus após o atendimento e a recuperação daqueles que O buscavam e tinham o quadro de sofrimentos revertido. 18 SINTOMAS DE MEDIUNIDADE Manoel Philomeno de Miranda (alguns trechos)
  • 15. Grande número, porém, de portadores de mediunidade, tem compromisso com a tarefa específica, que lhe exige conhecimento, exercício, abnegação, sentimento de amor e caridade, a fim de atrair os Espíritos Nobres, que se encarregarão de auxiliar a cada um na desincumbência do mister iluminativo. (...) Quando, porém, os distúrbios permanecerem durante o tratamento espiritual, convém que seja levada em conta a psicoterapia consciente, através de especialistas próprios, com o fim de auxiliar o paciente-médium a realizar o autodescobrimento, liberando-se de conflitos e complexos perturbadores, que são decorrentes das experiências infelizes de ontem como de hoje. 19 SINTOMAS DE MEDIUNIDADE Manoel Philomeno de Miranda (alguns trechos)
  • 16. (...) A mediunidade, portanto, não é um transtorno do organismo. O seu desconhecimento, a falta de atendimento aos seus impositivos, geram distúrbios que podem ser evitados ou, quando se apresentam, receberem a conveniente orientação para que sejam corrigidos. (...) Nesse capítulo, não poucas enfermidades se originam desse intercâmbio, quando procedem as vibrações de Entidades doentias ou perversas, que perturbam o sistema nervoso dos médiuns incipientes (iniciante), produzindo distúrbios no sistema glandular e até mesmo afetando o imunológico, facultando campo para a instalação de bactérias e vírus destrutivos. 20 SINTOMAS DE MEDIUNIDADE Manoel Philomeno de Miranda (alguns trechos)
  • 17. A correta educação das forças mediúnicas proporciona equilíbrio emocional e fisiológico, ensejando saúde integral ao seu portador. É óbvio que não impedirá a manifestação dos fenômenos decorrentes da Lei de Causa e Efeito, de que necessita o Espírito no seu processo evolutivo, mas facultará a tranquila condução dos mesmos sem danos para a existência, que prosseguirá em clima de harmonia e saudável, embora os acontecimentos impostos pela necessidade da evolução pessoal. 21 SINTOMAS DE MEDIUNIDADE Manoel Philomeno de Miranda (alguns trechos)
  • 18. Superados, portanto, os sintomas de apresentação da mediunidade, surgem as responsabilidades diante dos novos deveres que irão constituir o clima psíquico ditoso do indivíduo que, compreendendo a magnitude da ocorrência, crescerá interiormente no rumo do Bem e de Deus. Psicografada pelo médium Divaldo P. Franco no dia 10 de julho de 2000, em Paramirim, Bahia 22 SINTOMAS DE MEDIUNIDADE Manoel Philomeno de Miranda (alguns trechos)
  • 19. OS SINTOMAS NUMA VISÃO CIENTÍFICA A transformação de pensamento em alterações orgânicas, comportamentais e sintomas teve sua evidenciação com a médica italiana Rita Levi, ganhadora do Prêmio Nobel de Medicina na década de 80. Ela demonstrou a origem da depressão (um tipo de transtorno de humor) Na mediunidade desequilibrada, pelo fato dos sintomas serem semelhantes ao do estresse, há uma elaboração maior de cortisol e adrenalina, tornando as células mais propensas à ocorrência de uma lesão. 23
  • 20. O CAMINHO DA DEPRESSÃO E DO ESTRESSE NO CORPO - por influência espiritual EMOÇÃO NEGATIVA CAPTADA DE UMA FONTE EXTERNA (impulso eletromagnético recebido através do chacra coronário - perispírito) ESTES HORMÔNIOS ATINGEM TODO O CORPO, AS GL. ENDÓCRINAS E SIST. IMUNOLÓGICO O HIPOTÁLAMO SECRETA O HORMÔNIO LIBERADOR DE CORTICOTROFINA ( CRH ) ESTE HORMÔNIO AGE NA HIPÓFISE ESTIMULANDO-A AS GLÂNDULAS ADRENAIS SECRETAM OS HORMÔNIOS CORTISOL E ADRENALINA (esse hormônios agem em várias partes do corpo através da corrente sanguínea gerando o ESTRESSE). Não havendo controle emocional, poderão ocorrer doenças. G. PINEAL (imp. neuroquímico) 24 A HIPÓFISE (adeno) PASSA A GERENCIAR ESTE IMPULSO E SECRETA HORMÔNIOS COMO O ACTH (corticotrofina) (hormônio estimulador das glândulas adrenais) ESTIMULA O SISTEMA LÍMBICO (percepção da emoção) O TIMO (sist. Imunológico) LANÇA OS LINFÓCITOS T (responsáveis pela imunidade celular) A EMOÇÃO CAPTADA NÃO É MATERIAL, É ABSTRATA; É UM IMPULSO OCORRE TAQUICARDIA, SUDORESE (instinto do corpo para manter- se protegido)
  • 21. CORTISOL Isso determina o aparecimento da doença depressão, tanto os sintomas somáticos (mau funcionamento dos órgãos) como os psíquicos (tristeza, desânimo, dificuldades variadas). A persistência de níveis elevados de cortisol no sangue, como ocorre no estresse crônico, deprime o sistema imunitário, ou seja, diminui a produção de INTERLEUCINAS, que são substâncias do sistema imunológico necessárias ao seu bom funcionamento, tornando o organismo mais suscetível às infecções, contribuindo no aparecimento de úlceras, hipertensão e arteriosclerose. (3) 25
  • 22. ADRENALINA Quanto à sua inervação, a pineal recebe fibras nervosas principalmente do tipo adrenérgico, isto é, cujo neurotransmissor é a adrenalina. Portanto, os sintomas de transe mediúnico decorrente da superexcitação da pineal e dessas fibras nervosas serão aqueles mediados pela adrenalina. (estresse)  Traz à tona forças extras para o corpo humano desviando o sangue para os músculos, retirando-o das vísceras e da pele (fica branca com as extremidades frias – vasoconstrição cutânea);  Aumenta a pressão arterial, principalmente a sistólica (quando o coração se contrai) podendo ocasionar tonturas;  Aumento das pupilas; 26
  • 23.  Aumento da frequência cardíaca. Na mediunidade, algumas pessoas interpretam isso como um desconforto ou presença desagradável. Na realidade, há esse sintoma independentemente do Espírito comunicante.  Aumento do fluxo sanguíneo cerebral (possíveis dores de cabeça) sem alterar a resistência vascular. O cérebro passa a funcionar mais intensamente; 27 ADRENALINA  Aumento do metabolismo (produção de calor) e, por consequência, aumento no consumo de oxigênio. O médium tem uma sensação de calor.
  • 24.  Aumento da sudorese (intensa) e os pelos ficam eriçados. A pessoa sente arrepios não relacionados com o frio. Trata-se de uma reação normal à descarga de adrenalina que ocorre no transe mediúnico e não pela presença de algum Espírito.  Estimulação da secreção de lágrimas e de uma secreção mucosa escassa das glândulas salivares. O médium pode chorar sem necessariamente sentir tristeza. 28 ADRENALINA
  • 26. A NATUREZA OU ORIGEM DA MEDIUNIDADE NATURAL As capacidades do médium se desenvolveram ao longo de diversas existências, devido aos esforços de aprendizado e na busca de harmonia. Isto promoveu a sutilização das próprias sensibilidades psíquicas, dando acesso a níveis de vida além da matéria. Nesta situação, (...) a capacidade adquirida é um patrimônio do indivíduo como espírito imortal. Ele sempre renascerá com a característica conquistada, devendo, com o tempo, torná-la ainda mais eficiente em seus resultados. http://www.harmonianet.org 30
  • 27. PROVAÇÃO ou TRABALHO Quando o Espírito, antes de reencarnar, recebe a condição mediúnica como atributo que deverá exercer na Terra, a fim de melhorar a si, enquanto beneficia aos semelhantes. É uma grande oportunidade do médium para reequilibrar suas ações errôneas pretéritas diante da Justiça Divina. O indivíduo ainda pode usar seu livre- arbítrio de forma ampla, recusando-se a cumprir à tarefa agendada previamente consigo mesmo e com a Espiritualidade. Desta forma, quando o espírito retorna ao Mundo Espiritual, terá percebido que postergou a sua harmonização perante a si e a outras consciências, o que o leva a sentir-se um tanto fracassado e pesaroso. 31 A NATUREZA OU ORIGEM DA MEDIUNIDADE
  • 28. EXPIAÇÃO Se origina em gravíssimos erros sucessivos do indivíduo, em uma ou mais vidas pregressas. As suas faculdades afloram inesperadamente, muitas vezes até na fase da infância, independentemente da vontade da pessoa em desenvolver sua sensibilidade mediúnica. Esta mediunidade é consequência da Lei de “Ação e Reação”, sendo que o livre-arbítrio do ser fica em segundo plano. É caracterizada também por determinados sofrimentos psicológicos, que podem ser acompanhados por problemas físicos, sendo, ambos, passíveis de amenização ou eliminação conforme o médium exerça o trabalho mediúnico com consciência, amor e dedicação. 32 A NATUREZA OU ORIGEM DA MEDIUNIDADE
  • 29. MISSIONÁRIA Esta caracteriza-se pela finalidade de trazer grandes benefícios à humanidade, de uma forma geral, e tem como origem dimensões elevadas da Espiritualidade. É de lá que vem o médium missionário, espírito de profundo saber e com uma Mediunidade Natural bastante desenvolvida, para servir de instrumento à harmonização dos homens. Os médiuns missionários ainda são raros neste planeta. 33 A NATUREZA OU ORIGEM DA MEDIUNIDADE
  • 31.  Localizado no centro do topo da cabeça.  Sede dominante da consciência.  Por ele passa a energia cósmica.  É o mais importante dos centros de força.  Relacionada com a glândula pineal, situada no cérebro na região do Epitálamo. CENTRO DE FORÇA CORONÁRIO EM DESEQUILÍBRIO:  alienação, depressão, falta de inspiração, dores de cabeça. SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:  Como se a cabeça crescesse ou uma certa pressão sobre ela;  Uma espécie de redemoinho, tontura  Ideia diferentes.  Quando as interligações etéreas entre o coronário e o centro frontal estão abertas e ativas, sugere fortemente um grau de clarividência.
  • 32.  Localizado entre os supercílios.  Ligado fluidicamente à glândula endócrina hipófise ou pituitária. EM DESEQUILÍBRIO:  Alguns distúrbios da visão, da audição, enxaquecas, vertigens.  Pode gerar fragilidade mental ou emocional, resultando em instabilidade na vida e falta de opiniões definidas.  Falta de concentração, medo, pesadelos e tensão. SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:  Ouvidos sensíveis demais, turvação, cores, lágrimas, odores desagradáveis ou perfumes, mãos e pés frios ou suarentos, impulso para escrever, salivação excessiva, gosto diferente na boca ou boca seca. CENTRO DE FORÇA FRONTAL
  • 33.  Na altura da garganta. Controla as glândulas tireoide, paratireoide, o aparelho respiratório e aparelho fonador com influência também sobre os intestinos. SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:  língua dormente, saliva grossa ou excessiva, dormência nos lábios ou em todo o aparelho fonador. EM DESEQUILÍBRIO:  Doenças como perda da voz, (laringite), nódulo na garganta, bronquite, asmas, enfisemas, sinusites, úlceras bucais (aftas), herpes, feridas nas gengivas, são sinais de resistência às mudanças, a criatividade. CENTRO DE FORÇA LARÍNGEO
  • 34.  Está relacionado fluidicamente ao plexo cardíaco e a glândula timo. Também aos pulmões, coração e a circulação sanguínea. EM DESEQUILÍBRIO:  É o centro mais afetado pelos desequilíbrios emocionais. Bloqueado, pode gerar sentimentos de egoísmo, dores no peito, raiva, irritação, ódio, depressão, angústia, bronquite, asma, distúrbios circulatórios e de pressão.  Baixa-estima, frieza, sentimento de inferioridade, radicalismo, incapacidade de se emocionar. SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:  taquicardia  pressão no peito  respiração profunda e rápida  falta de ar  sensação de doação fluídica nesse centro de força. CENTRO DE FORÇA CARDÍACO
  • 35.  Relacionado com o plexo mesentérico e o baço. Regula a distribuição e a circulação dos recursos vitais e também a formação e a reposição das defesas orgânicas através do sangue. EM DESEQUILÍBRIO:  Ansiedade, preocupação, indecisão, negligência, mentira, insegurança, inferioridade o prejudica.  As pessoas tornam-se sugadoras das energias alheias.  Em casos de obsessão (vampirismo), esse é o centro mais afetado pela vitalidade que absorve podendo gerar anemias, leucemias. SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:  mal-estar na barriga  tremor e arrepios  pernas enfraquecidas e doloridas. CENTRO DE FORÇA ESPLÊNICO
  • 36.  Relacionado fluidicamente ao plexo solar, sistema digestivo mais diretamente ao pâncreas.  É atuante nos órgãos do abdômen como estômago, fígado, intestinos, rins, a exceção do baço. EM DESEQUILÍBRIO:  causa enjoo - medo ou irritação Está relacionado com doenças ligadas ao metabolismo, de fundo emocional:  diabetes,  pedra nos rins e na vesícula,  hipotensão e hipertensão,  gastrite e úlceras estomacais. SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:  enjoo ou náusea, dores, gases que provocam arroto, quenturas ou friagens. CENTRO DE FORÇA GÁSTRICO
  • 37.  Localiza-se na região dos órgãos genitais (plexos hipogástrico e sacral). Relaciona-se com as glândulas sexuais, ovários e testículos, as trompas, útero, e próstata, supervisionando a reprodução, os órgãos genitais e a energia sexual - a libido. EM DESEQUILÍBRIO:  Hérnia discal, dores lombares, doenças relacionadas com o aparelho reprodutivo, colites, irritabilidade nos intestinos.  Influenciado pela ação de obsessores, leva seus obsidiados a desregramentos podendo provocar falta de sensibilidade, causando frigidez nas mulheres ou impotência nos homens (os hormônios são afetados). Tais Espíritos se ligam às “vítimas” na busca de sensações, no uso desregrado do sexo, aumentando a sua insatisfação. SENSAÇÕES NO MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO:  Vibração no baixo ventre, dores nos membros inferiores. CENTRO DE FORÇA GENÉSICO:
  • 38. PESQUISA: • O Novo Testamento • O Livro dos Médiuns, Allan Kardec • Qualidade na Prática Mediúnica, Projeto Manoel Philomeno de Miranda • O Consolador, Emmanuel por Chico Xavier • Metafísica da Saúde, Valcapelli & Gasparetto vol. 1 e 3 • Mediunidade – Coleção Estudos e Cursos, Therezinha Oliveira • Sintomas de Mediunidade, Dr. Sérgio Felipe de Oliveira - http://renatapinheiro.com - http://portaldocoracao.uol.com.br - http://www.sobiologia.com.br (3) elaborado por Júlio César Evadro