SlideShare uma empresa Scribd logo
EM TRÂNSITO
Movimentos e Forças
Prevenção e Segurança Rodoviária
CFQ – 9ºAno
Docente: Flávia Freitas
A importância da SEGURANÇA e da PREVENÇÃO
no dia-a-dia
2
A SEGURANÇA e a PREVENÇÃO deverão estar sempre presentes
em qualquer situação que possa envolver o risco de acidente.
Em Portugal, morrem em
média, 3 pessoas por semana
em acidentes de trabalho.
Em Portugal, em média, morrem duas
pessoas por dia e 10 ficam gravemente
feridas, vítimas de acidentes
rodoviários. É a principal causa de
morte entre os jovens.
A importância da SEGURANÇA e da PREVENÇÃO
no dia-a-dia
3
No dia-a-dia necessitamos de uma organização eficaz para que
possamos viver de forma segura.
O não cumprimento das regras de segurança e de prevenção pode ter
consequências trágicas.
Controlo do
cumprimento dos
limites de velocidade.
Normas rígidas de
segurança nos
aeroportos.
Tratamento das águas
por questões de saúde
pública.
Organização de
corporações de bombeiros
para assistir a população.
4
www.Car-Accidents.com
A Prevenção Rodoviária
Os acidentes rodoviários
são uma das principais
causas de morte em todo
o mundo.
5
Variação anual do número de mortes e feridos graves nas estradas portuguesas
(ANSR).
A Prevenção Rodoviária
6
Fatores que favorecem os acidentes
rodoviários
A maioria dos acidentes rodoviários devem-se a ERRO HUMANO!
Velocidade excessiva relativamente à aconselhada para a via e
para as condições atmosféricas;
Manobras perigosas;
Condução sob o efeito do álcool e/ou outras drogas;
Distância insuficiente relativamente ao veículo da frente;
Desrespeito pela sinalização.
etc.
O que fazer para mudar esta realidade?
7
Cabe a vós, como futuros condutores, alterar a situação
atual!!!
O que fazer para mudar esta realidade?
8
 Respeitar a sinalização existente;
 Cumprir os limites de velocidade impostos por lei;
 Utilizar sempre o cinto de segurança;
 Conduzir com atenção e precaução, principalmente dentro das
cidades;
 Moderar a velocidade quando as condições climatéricas não forem
favoráveis à condução;
 Evitar o consumo de substâncias que possam afetar a capacidade
de condução, como o álcool e/ou as drogas;
 Evitar a fadiga em viagens longas, fazendo paragens de 2 em 2
horas;
 Sinalizar devidamente o veículo em caso de avaria;
 etc.
A Segurança Rodoviária
9
A segurança rodoviária inclui um conjunto de regras que se aplicam a
condutores, passageiros e peões:
Grandezas físicas associadas à segurança
rodoviária
10
ttravagem
dtravagem
treacção
dreacção
50 km/h diminuindo
 TEMPO DE REAÇÃO: intervalo de tempo que decorre entre a
identificação de determinada situação e a atuação do condutor.
 DISTÂNCIA DE REAÇÃO: distância percorrida pelo veículo durante
o tempo de reação.
 TEMPO DE TRAVAGEM: intervalo de tempo que decorre entre o
inicio da travagem até à completa imobilização do veículo.
 DISTÂNCIA DE TRAVAGEM: distância percorrida pelo veículo
durante a travagem.
Grandezas físicas associadas à segurança
rodoviária
11
ttravagem
dtravagem
treacção
dreacção
dSR = dreação + dtravagem
DISTÂNCIA DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA: distância necessária
para imobilizar o veículo em segurança.
12
Nas auto-estradas existem marcas que permitem ao condutor
controlar a distância de segurança face ao veículo da frente.
Grandezas físicas associadas à segurança
rodoviária
13
EXEMPLOS
A- Distância de reação percorrida pelo condutor A.
B- Distância de travagem efetiva percorrida pelo condutor A.
C- Distância de segurança para o condutor A.
D- Distância de segurança para o condutor B. 96 m
53 m
38 m
15 m
Grandezas físicas associadas à segurança
rodoviária
Fatores que actuam durante a reação
14
O TEMPO DE REAÇÃO depende essencialmente do condutor:
 FADIGA: identifica-se pela dificuldade de concentração e de
manutenção dos olhos abertos; provoca a diminuição da capacidade
de decisão e dificuldade de manutenção da trajetória do veículo;
 ÁLCOOL, DROGAS E ALGUNS MEDICAMENTOS: atuam a nível
do sistema nervoso, alterando as capacidades de atenção e
vigilância, as reações motoras do condutor e a sua visão periférica;
 USO DO TELEMÓVEL: quando se executam duas tarefas distintas
em simultâneo, o nosso cérebro poderá não dispensar a atenção
necessária a cada uma delas.
Fatores que atuam durante a travagem
15
O TEMPO DE TRAVAGEM depende, essencialmente:
 da VELOCIDADE de circulação;
 do ESTADO DO VEÍCULO: as inspeções periódicas são obrigatórias
para todos os veículos que circulam na estrada e têm como objetivo
garantir a segurança de cada veículo;
 do ESTADO DO TEMPO: o estado do tempo influência a visibilidade e
o estado de aderência à estrada;
 do ESTADO E SINALIZAÇÃO DAS ESTRADAS: o estado de uma
estrada deverá influenciar a forma de condução; a sinalização
existente nas estradas dá indicações sobre a forma de condução a
praticar e deverá ser sempre cumprida.
Fatores que afectam a distância de
segurança
16
Variação da distância de segurança com a velocidade e com as
condições atmosféricas (Brisa).
Quer a distância de reação, quer a distância de travagem são tanto
maiores quanto maior for a velocidade. Consequentemente, maior é a
distância de segurança.
17
A distância de travagem e, consequentemente, a distância de
segurança, é maior quando o piso está molhado.
Fatores que afectam a distância de
segurança
18
As características do veículo também influem no tempo de travagem, por
exemplo, a utilização de sistemas de ABS permite uma travagem
próxima do ideal.
Fatores que afectam a distância de
segurança
19
Alguns acidentes ocorrem devido à falta de equilíbrio, principalmente
com bicicletas, motos e camiões de carga.
Equilíbrio e Segurança
20
O equilíbrio de um veículo depende da localização de um ponto
designado centro de gravidade (CG) ou centro de massa (CM):
 nos corpos regulares coincide com o seu centro geométrico;
 nos corpos irregulares depende da forma como se distribui a massa,
ficando mais próximo de onde exista maior massa.
Corpos regulares Corpo irregular
Equilíbrio e Segurança
- Centro de massa
21
Um corpo é mais estável quanto:
 maior for a sua base de sustentação;
 mais próximo do solo estiver o seu centro de massa (CM).
Equilíbrio e Segurança
O primeiro camião é o mais estável.
22
O equilíbrio de um corpo pode ser estável, instável ou indiferente.
Equilíbrio e Segurança
23
No transporte de cargas é importante fixá-las para que não ocorram
mudanças no centro de massa (CM).
Equilíbrio e Segurança

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Riscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºanoRiscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºano
Gabriela Vasconcelos
 
A física dos capacetes
A física dos capacetesA física dos capacetes
A física dos capacetes
MatildeGodinho
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
Michele Pó
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
Susana Sobrenome
 
Trabalho 25 de abril 2
Trabalho 25 de abril   2 Trabalho 25 de abril   2
Trabalho 25 de abril 2
Joana Algodão Doce
 
Transportes Ferroviários
Transportes Ferroviários Transportes Ferroviários
Transportes Ferroviários
Viviana Macário
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - Resumo
Gijasilvelitz 2
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
Ana Arminda Moreira
 
Transportes e Telecomunicações
Transportes e TelecomunicaçõesTransportes e Telecomunicações
Transportes e Telecomunicações
Geografia .
 
Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
Rosária Zamith
 
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º AnoOs transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
713773
 
Trabalho para geografia transportes tubulares. iva leão. 9º g.
Trabalho para geografia   transportes tubulares. iva leão. 9º g.Trabalho para geografia   transportes tubulares. iva leão. 9º g.
Trabalho para geografia transportes tubulares. iva leão. 9º g.
Iva Leão
 
Transportes ferroviários
Transportes ferroviáriosTransportes ferroviários
Transportes ferroviários
Mayjö .
 
As secas
As secasAs secas
As secas
Mayjö .
 
Vantagens e desvantagens dos meios de transporte
Vantagens e desvantagens dos meios de transporteVantagens e desvantagens dos meios de transporte
Vantagens e desvantagens dos meios de transporte
Eduardo Bruna Evelyn
 
O fidalgo
O fidalgoO fidalgo
O fidalgo
annapasilva
 
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenasAuto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Claudia Lazarini
 
Apresentação Sobre o Livro A lua de joana
Apresentação Sobre o Livro A lua de joanaApresentação Sobre o Livro A lua de joana
Apresentação Sobre o Livro A lua de joana
Eduduardo Oliveira
 
Transportes aéreos- Geografia A
Transportes aéreos- Geografia ATransportes aéreos- Geografia A
Transportes aéreos- Geografia A
Ana Catarina
 
Meios de Transportes - 9 ano
Meios de Transportes - 9 anoMeios de Transportes - 9 ano
Meios de Transportes - 9 ano
Jonatãs Demétrio
 

Mais procurados (20)

Riscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºanoRiscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºano
 
A física dos capacetes
A física dos capacetesA física dos capacetes
A física dos capacetes
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
 
Trabalho 25 de abril 2
Trabalho 25 de abril   2 Trabalho 25 de abril   2
Trabalho 25 de abril 2
 
Transportes Ferroviários
Transportes Ferroviários Transportes Ferroviários
Transportes Ferroviários
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - Resumo
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Transportes e Telecomunicações
Transportes e TelecomunicaçõesTransportes e Telecomunicações
Transportes e Telecomunicações
 
Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
 
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º AnoOs transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
 
Trabalho para geografia transportes tubulares. iva leão. 9º g.
Trabalho para geografia   transportes tubulares. iva leão. 9º g.Trabalho para geografia   transportes tubulares. iva leão. 9º g.
Trabalho para geografia transportes tubulares. iva leão. 9º g.
 
Transportes ferroviários
Transportes ferroviáriosTransportes ferroviários
Transportes ferroviários
 
As secas
As secasAs secas
As secas
 
Vantagens e desvantagens dos meios de transporte
Vantagens e desvantagens dos meios de transporteVantagens e desvantagens dos meios de transporte
Vantagens e desvantagens dos meios de transporte
 
O fidalgo
O fidalgoO fidalgo
O fidalgo
 
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenasAuto da-barca-do-inferno-analise-cenas
Auto da-barca-do-inferno-analise-cenas
 
Apresentação Sobre o Livro A lua de joana
Apresentação Sobre o Livro A lua de joanaApresentação Sobre o Livro A lua de joana
Apresentação Sobre o Livro A lua de joana
 
Transportes aéreos- Geografia A
Transportes aéreos- Geografia ATransportes aéreos- Geografia A
Transportes aéreos- Geografia A
 
Meios de Transportes - 9 ano
Meios de Transportes - 9 anoMeios de Transportes - 9 ano
Meios de Transportes - 9 ano
 

Destaque

Educação Rodoviária
Educação RodoviáriaEducação Rodoviária
Educação Rodoviária
Ana Lúcia Francisco
 
Educação rodoviária
Educação rodoviáriaEducação rodoviária
Educação rodoviária
Teresa Ramos
 
EducaçãO E PrevençãO Meu Pwp
EducaçãO E PrevençãO Meu PwpEducaçãO E PrevençãO Meu Pwp
EducaçãO E PrevençãO Meu Pwp
cigm1
 
Prevenção rodoviária versão global
Prevenção rodoviária  versão globalPrevenção rodoviária  versão global
Prevenção rodoviária versão global
Seomara
 
Distancia de seg aula 8,9 9ano
Distancia de  seg aula 8,9  9anoDistancia de  seg aula 8,9  9ano
Distancia de seg aula 8,9 9ano
Pedro Barata
 
Acp kids
Acp kidsAcp kids
Msuobrasrev1
Msuobrasrev1Msuobrasrev1
Msuobrasrev1
Egas Zandona Ceccato
 
Segurança rodoviária- minhas pesquisas
Segurança rodoviária- minhas pesquisasSegurança rodoviária- minhas pesquisas
Segurança rodoviária- minhas pesquisas
franciscaf
 
Segurança..
Segurança..Segurança..
Segurança..
Diogo
 
Sistema esquelético
Sistema esqueléticoSistema esquelético
Sistema esquelético
Douglas Almeida da Cruz
 
C:\fakepath\segurança e prevenção rodoviária
C:\fakepath\segurança e prevenção rodoviáriaC:\fakepath\segurança e prevenção rodoviária
C:\fakepath\segurança e prevenção rodoviária
cesar152
 
Prev Seg Rodov
Prev Seg RodovPrev Seg Rodov
Prev Seg Rodov
eufisica
 
Manual sinalizacao vol_ii
Manual sinalizacao vol_iiManual sinalizacao vol_ii
Manual sinalizacao vol_ii
tamiimada
 
Segurançao e prevençao
Segurançao e prevençaoSegurançao e prevençao
Segurançao e prevençao
Vera Teixeira
 
Tabela para conversão de múltiplos e submúltiplos
Tabela para conversão de múltiplos e submúltiplosTabela para conversão de múltiplos e submúltiplos
Tabela para conversão de múltiplos e submúltiplos
Alessandro Sirlei Garcia
 
Chegou o outono[1]
Chegou o outono[1]Chegou o outono[1]
Chegou o outono[1]
Teresa Ramos
 
Rapidez e velocidade médias
Rapidez e velocidade médiasRapidez e velocidade médias
Rapidez e velocidade médias
Piedade Alves
 
Apresentação de segurança rodoviária slides
Apresentação de segurança rodoviária slidesApresentação de segurança rodoviária slides
Apresentação de segurança rodoviária slides
fergwen
 
Arquimedes - Trabalho F.Q
Arquimedes - Trabalho F.QArquimedes - Trabalho F.Q
Arquimedes - Trabalho F.Q
Melissa Matos
 
Educação Rodoviária - Sinais de Trânsito
Educação Rodoviária - Sinais de TrânsitoEducação Rodoviária - Sinais de Trânsito
Educação Rodoviária - Sinais de Trânsito
fvilao
 

Destaque (20)

Educação Rodoviária
Educação RodoviáriaEducação Rodoviária
Educação Rodoviária
 
Educação rodoviária
Educação rodoviáriaEducação rodoviária
Educação rodoviária
 
EducaçãO E PrevençãO Meu Pwp
EducaçãO E PrevençãO Meu PwpEducaçãO E PrevençãO Meu Pwp
EducaçãO E PrevençãO Meu Pwp
 
Prevenção rodoviária versão global
Prevenção rodoviária  versão globalPrevenção rodoviária  versão global
Prevenção rodoviária versão global
 
Distancia de seg aula 8,9 9ano
Distancia de  seg aula 8,9  9anoDistancia de  seg aula 8,9  9ano
Distancia de seg aula 8,9 9ano
 
Acp kids
Acp kidsAcp kids
Acp kids
 
Msuobrasrev1
Msuobrasrev1Msuobrasrev1
Msuobrasrev1
 
Segurança rodoviária- minhas pesquisas
Segurança rodoviária- minhas pesquisasSegurança rodoviária- minhas pesquisas
Segurança rodoviária- minhas pesquisas
 
Segurança..
Segurança..Segurança..
Segurança..
 
Sistema esquelético
Sistema esqueléticoSistema esquelético
Sistema esquelético
 
C:\fakepath\segurança e prevenção rodoviária
C:\fakepath\segurança e prevenção rodoviáriaC:\fakepath\segurança e prevenção rodoviária
C:\fakepath\segurança e prevenção rodoviária
 
Prev Seg Rodov
Prev Seg RodovPrev Seg Rodov
Prev Seg Rodov
 
Manual sinalizacao vol_ii
Manual sinalizacao vol_iiManual sinalizacao vol_ii
Manual sinalizacao vol_ii
 
Segurançao e prevençao
Segurançao e prevençaoSegurançao e prevençao
Segurançao e prevençao
 
Tabela para conversão de múltiplos e submúltiplos
Tabela para conversão de múltiplos e submúltiplosTabela para conversão de múltiplos e submúltiplos
Tabela para conversão de múltiplos e submúltiplos
 
Chegou o outono[1]
Chegou o outono[1]Chegou o outono[1]
Chegou o outono[1]
 
Rapidez e velocidade médias
Rapidez e velocidade médiasRapidez e velocidade médias
Rapidez e velocidade médias
 
Apresentação de segurança rodoviária slides
Apresentação de segurança rodoviária slidesApresentação de segurança rodoviária slides
Apresentação de segurança rodoviária slides
 
Arquimedes - Trabalho F.Q
Arquimedes - Trabalho F.QArquimedes - Trabalho F.Q
Arquimedes - Trabalho F.Q
 
Educação Rodoviária - Sinais de Trânsito
Educação Rodoviária - Sinais de TrânsitoEducação Rodoviária - Sinais de Trânsito
Educação Rodoviária - Sinais de Trânsito
 

Semelhante a Seguranca e prevenção- 9º ano

Direção Defensiva Preventiva.pptx
Direção Defensiva Preventiva.pptxDireção Defensiva Preventiva.pptx
Direção Defensiva Preventiva.pptx
Carlos Demétrius Rolim Figueiredo
 
Direção Defensiva Satélite.pptx
Direção Defensiva Satélite.pptxDireção Defensiva Satélite.pptx
Direção Defensiva Satélite.pptx
RafaelYFernandaSilva
 
O tema é direção defensiva
O tema é direção defensivaO tema é direção defensiva
O tema é direção defensiva
HeleniceGonalves1
 
Treinamento direcao preventiva
Treinamento direcao preventivaTreinamento direcao preventiva
Treinamento direcao preventiva
claudinei Nascimento
 
NOVO DIREÇÃO DEFENSIVA 2023.pdf
NOVO DIREÇÃO DEFENSIVA 2023.pdfNOVO DIREÇÃO DEFENSIVA 2023.pdf
NOVO DIREÇÃO DEFENSIVA 2023.pdf
ElioenaiAlmeida1
 
Objetivos Fisica e Quimica (parte 1) 1ºperíodo - 1ºteste
Objetivos Fisica e Quimica (parte 1)   1ºperíodo - 1ºtesteObjetivos Fisica e Quimica (parte 1)   1ºperíodo - 1ºteste
Objetivos Fisica e Quimica (parte 1) 1ºperíodo - 1ºteste
Maria Freitas
 
Condutor, motociclista e peões
Condutor, motociclista e peõesCondutor, motociclista e peões
Condutor, motociclista e peões
Pedro Pereira
 
APRESENTACAO%20DIRECAO%20DEFENSIVA[1].ppt
APRESENTACAO%20DIRECAO%20DEFENSIVA[1].pptAPRESENTACAO%20DIRECAO%20DEFENSIVA[1].ppt
APRESENTACAO%20DIRECAO%20DEFENSIVA[1].ppt
Damianemendes
 
Direcao_Defensiva.pptx
Direcao_Defensiva.pptxDirecao_Defensiva.pptx
Direcao_Defensiva.pptx
Clinaldo Guedes
 
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do TrabalhoEstatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Márcio Roberto de Mattos
 
Direção defensiva
Direção defensivaDireção defensiva
Direção defensiva
Mauricio Moura
 
Segurança e prevenção rodoviária
Segurança e prevenção rodoviáriaSegurança e prevenção rodoviária
Segurança e prevenção rodoviária
José Gonçalves
 
Pag 2 e 3 cópia
Pag 2 e 3   cópiaPag 2 e 3   cópia
Pag 2 e 3 cópia
Paulo Vitor Carneiro
 
Direcao Preventiva Slide.ppt
Direcao Preventiva Slide.pptDirecao Preventiva Slide.ppt
Direcao Preventiva Slide.ppt
SESMTVermontMinerao
 
Direção Defensiva.pptx
Direção Defensiva.pptxDireção Defensiva.pptx
Direção Defensiva.pptx
Marcela75599
 
Apostila de direção defensiva
Apostila de direção defensivaApostila de direção defensiva
Apostila de direção defensiva
bi0648
 
Direcao defensiva ou_preventiva_simone
Direcao defensiva ou_preventiva_simoneDirecao defensiva ou_preventiva_simone
Direcao defensiva ou_preventiva_simone
DAVID NOVAES
 
Cap 03 direcao-defensiva
Cap 03 direcao-defensivaCap 03 direcao-defensiva
Cap 03 direcao-defensiva
Prof Silvio Rosa
 
Cartilha de Direção Defensiva - Instituto Nordeste Cidadania
Cartilha de Direção Defensiva - Instituto Nordeste CidadaniaCartilha de Direção Defensiva - Instituto Nordeste Cidadania
Cartilha de Direção Defensiva - Instituto Nordeste Cidadania
Marcus Vinicius Sampaio
 
Cartilha detran direcao_defensiva
Cartilha detran direcao_defensivaCartilha detran direcao_defensiva
Cartilha detran direcao_defensiva
didaque
 

Semelhante a Seguranca e prevenção- 9º ano (20)

Direção Defensiva Preventiva.pptx
Direção Defensiva Preventiva.pptxDireção Defensiva Preventiva.pptx
Direção Defensiva Preventiva.pptx
 
Direção Defensiva Satélite.pptx
Direção Defensiva Satélite.pptxDireção Defensiva Satélite.pptx
Direção Defensiva Satélite.pptx
 
O tema é direção defensiva
O tema é direção defensivaO tema é direção defensiva
O tema é direção defensiva
 
Treinamento direcao preventiva
Treinamento direcao preventivaTreinamento direcao preventiva
Treinamento direcao preventiva
 
NOVO DIREÇÃO DEFENSIVA 2023.pdf
NOVO DIREÇÃO DEFENSIVA 2023.pdfNOVO DIREÇÃO DEFENSIVA 2023.pdf
NOVO DIREÇÃO DEFENSIVA 2023.pdf
 
Objetivos Fisica e Quimica (parte 1) 1ºperíodo - 1ºteste
Objetivos Fisica e Quimica (parte 1)   1ºperíodo - 1ºtesteObjetivos Fisica e Quimica (parte 1)   1ºperíodo - 1ºteste
Objetivos Fisica e Quimica (parte 1) 1ºperíodo - 1ºteste
 
Condutor, motociclista e peões
Condutor, motociclista e peõesCondutor, motociclista e peões
Condutor, motociclista e peões
 
APRESENTACAO%20DIRECAO%20DEFENSIVA[1].ppt
APRESENTACAO%20DIRECAO%20DEFENSIVA[1].pptAPRESENTACAO%20DIRECAO%20DEFENSIVA[1].ppt
APRESENTACAO%20DIRECAO%20DEFENSIVA[1].ppt
 
Direcao_Defensiva.pptx
Direcao_Defensiva.pptxDirecao_Defensiva.pptx
Direcao_Defensiva.pptx
 
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do TrabalhoEstatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
 
Direção defensiva
Direção defensivaDireção defensiva
Direção defensiva
 
Segurança e prevenção rodoviária
Segurança e prevenção rodoviáriaSegurança e prevenção rodoviária
Segurança e prevenção rodoviária
 
Pag 2 e 3 cópia
Pag 2 e 3   cópiaPag 2 e 3   cópia
Pag 2 e 3 cópia
 
Direcao Preventiva Slide.ppt
Direcao Preventiva Slide.pptDirecao Preventiva Slide.ppt
Direcao Preventiva Slide.ppt
 
Direção Defensiva.pptx
Direção Defensiva.pptxDireção Defensiva.pptx
Direção Defensiva.pptx
 
Apostila de direção defensiva
Apostila de direção defensivaApostila de direção defensiva
Apostila de direção defensiva
 
Direcao defensiva ou_preventiva_simone
Direcao defensiva ou_preventiva_simoneDirecao defensiva ou_preventiva_simone
Direcao defensiva ou_preventiva_simone
 
Cap 03 direcao-defensiva
Cap 03 direcao-defensivaCap 03 direcao-defensiva
Cap 03 direcao-defensiva
 
Cartilha de Direção Defensiva - Instituto Nordeste Cidadania
Cartilha de Direção Defensiva - Instituto Nordeste CidadaniaCartilha de Direção Defensiva - Instituto Nordeste Cidadania
Cartilha de Direção Defensiva - Instituto Nordeste Cidadania
 
Cartilha detran direcao_defensiva
Cartilha detran direcao_defensivaCartilha detran direcao_defensiva
Cartilha detran direcao_defensiva
 

Mais de Yolanda Maria

Tabela de aditivos alimentares
Tabela de aditivos alimentaresTabela de aditivos alimentares
Tabela de aditivos alimentares
Yolanda Maria
 
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v19 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
Yolanda Maria
 
organismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Natureza
organismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Naturezaorganismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Natureza
organismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Natureza
Yolanda Maria
 
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da NaturezaSistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
Yolanda Maria
 
Circuitos electricos 9º ano, Fisica
Circuitos electricos 9º ano, FisicaCircuitos electricos 9º ano, Fisica
Circuitos electricos 9º ano, Fisica
Yolanda Maria
 
Ex mat a635-f1-2015-v2
Ex mat a635-f1-2015-v2Ex mat a635-f1-2015-v2
Ex mat a635-f1-2015-v2
Yolanda Maria
 
Ex mat a635-f1-2015-v1
Ex mat a635-f1-2015-v1Ex mat a635-f1-2015-v1
Ex mat a635-f1-2015-v1
Yolanda Maria
 
Pf mat92-f1-2015-cad2
Pf mat92-f1-2015-cad2Pf mat92-f1-2015-cad2
Pf mat92-f1-2015-cad2
Yolanda Maria
 
Pf mat92-f1-2015-cad1
Pf mat92-f1-2015-cad1Pf mat92-f1-2015-cad1
Pf mat92-f1-2015-cad1
Yolanda Maria
 
Pf port91-f1-2015
Pf port91-f1-2015Pf port91-f1-2015
Pf port91-f1-2015
Yolanda Maria
 
2015 prova c1
2015 prova c12015 prova c1
2015 prova c1
Yolanda Maria
 
2015 prova c2
2015 prova c22015 prova c2
2015 prova c2
Yolanda Maria
 
Ti port2 mai2015_cad1_ext
Ti port2 mai2015_cad1_extTi port2 mai2015_cad1_ext
Ti port2 mai2015_cad1_ext
Yolanda Maria
 
Ti port2 mai2015_cad2_ext
Ti port2 mai2015_cad2_extTi port2 mai2015_cad2_ext
Ti port2 mai2015_cad2_ext
Yolanda Maria
 
Ti mat2-jun2011-cad2
Ti mat2-jun2011-cad2Ti mat2-jun2011-cad2
Ti mat2-jun2011-cad2
Yolanda Maria
 
Ti mat2-jun2011-cad1
Ti mat2-jun2011-cad1Ti mat2-jun2011-cad1
Ti mat2-jun2011-cad1
Yolanda Maria
 
Ti mat2-jun2012-cad2
Ti mat2-jun2012-cad2Ti mat2-jun2012-cad2
Ti mat2-jun2012-cad2
Yolanda Maria
 
Ti mat2-jun2012-cad1
Ti mat2-jun2012-cad1Ti mat2-jun2012-cad1
Ti mat2-jun2012-cad1
Yolanda Maria
 
Ti mat2 mai2013_cad2
Ti mat2 mai2013_cad2Ti mat2 mai2013_cad2
Ti mat2 mai2013_cad2
Yolanda Maria
 
Ti mat2 mai2013_cad1
Ti mat2 mai2013_cad1Ti mat2 mai2013_cad1
Ti mat2 mai2013_cad1
Yolanda Maria
 

Mais de Yolanda Maria (20)

Tabela de aditivos alimentares
Tabela de aditivos alimentaresTabela de aditivos alimentares
Tabela de aditivos alimentares
 
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v19 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
 
organismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Natureza
organismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Naturezaorganismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Natureza
organismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Natureza
 
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da NaturezaSistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
 
Circuitos electricos 9º ano, Fisica
Circuitos electricos 9º ano, FisicaCircuitos electricos 9º ano, Fisica
Circuitos electricos 9º ano, Fisica
 
Ex mat a635-f1-2015-v2
Ex mat a635-f1-2015-v2Ex mat a635-f1-2015-v2
Ex mat a635-f1-2015-v2
 
Ex mat a635-f1-2015-v1
Ex mat a635-f1-2015-v1Ex mat a635-f1-2015-v1
Ex mat a635-f1-2015-v1
 
Pf mat92-f1-2015-cad2
Pf mat92-f1-2015-cad2Pf mat92-f1-2015-cad2
Pf mat92-f1-2015-cad2
 
Pf mat92-f1-2015-cad1
Pf mat92-f1-2015-cad1Pf mat92-f1-2015-cad1
Pf mat92-f1-2015-cad1
 
Pf port91-f1-2015
Pf port91-f1-2015Pf port91-f1-2015
Pf port91-f1-2015
 
2015 prova c1
2015 prova c12015 prova c1
2015 prova c1
 
2015 prova c2
2015 prova c22015 prova c2
2015 prova c2
 
Ti port2 mai2015_cad1_ext
Ti port2 mai2015_cad1_extTi port2 mai2015_cad1_ext
Ti port2 mai2015_cad1_ext
 
Ti port2 mai2015_cad2_ext
Ti port2 mai2015_cad2_extTi port2 mai2015_cad2_ext
Ti port2 mai2015_cad2_ext
 
Ti mat2-jun2011-cad2
Ti mat2-jun2011-cad2Ti mat2-jun2011-cad2
Ti mat2-jun2011-cad2
 
Ti mat2-jun2011-cad1
Ti mat2-jun2011-cad1Ti mat2-jun2011-cad1
Ti mat2-jun2011-cad1
 
Ti mat2-jun2012-cad2
Ti mat2-jun2012-cad2Ti mat2-jun2012-cad2
Ti mat2-jun2012-cad2
 
Ti mat2-jun2012-cad1
Ti mat2-jun2012-cad1Ti mat2-jun2012-cad1
Ti mat2-jun2012-cad1
 
Ti mat2 mai2013_cad2
Ti mat2 mai2013_cad2Ti mat2 mai2013_cad2
Ti mat2 mai2013_cad2
 
Ti mat2 mai2013_cad1
Ti mat2 mai2013_cad1Ti mat2 mai2013_cad1
Ti mat2 mai2013_cad1
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 

Seguranca e prevenção- 9º ano

  • 1. EM TRÂNSITO Movimentos e Forças Prevenção e Segurança Rodoviária CFQ – 9ºAno Docente: Flávia Freitas
  • 2. A importância da SEGURANÇA e da PREVENÇÃO no dia-a-dia 2 A SEGURANÇA e a PREVENÇÃO deverão estar sempre presentes em qualquer situação que possa envolver o risco de acidente. Em Portugal, morrem em média, 3 pessoas por semana em acidentes de trabalho. Em Portugal, em média, morrem duas pessoas por dia e 10 ficam gravemente feridas, vítimas de acidentes rodoviários. É a principal causa de morte entre os jovens.
  • 3. A importância da SEGURANÇA e da PREVENÇÃO no dia-a-dia 3 No dia-a-dia necessitamos de uma organização eficaz para que possamos viver de forma segura. O não cumprimento das regras de segurança e de prevenção pode ter consequências trágicas. Controlo do cumprimento dos limites de velocidade. Normas rígidas de segurança nos aeroportos. Tratamento das águas por questões de saúde pública. Organização de corporações de bombeiros para assistir a população.
  • 4. 4 www.Car-Accidents.com A Prevenção Rodoviária Os acidentes rodoviários são uma das principais causas de morte em todo o mundo.
  • 5. 5 Variação anual do número de mortes e feridos graves nas estradas portuguesas (ANSR). A Prevenção Rodoviária
  • 6. 6 Fatores que favorecem os acidentes rodoviários A maioria dos acidentes rodoviários devem-se a ERRO HUMANO! Velocidade excessiva relativamente à aconselhada para a via e para as condições atmosféricas; Manobras perigosas; Condução sob o efeito do álcool e/ou outras drogas; Distância insuficiente relativamente ao veículo da frente; Desrespeito pela sinalização. etc.
  • 7. O que fazer para mudar esta realidade? 7 Cabe a vós, como futuros condutores, alterar a situação atual!!!
  • 8. O que fazer para mudar esta realidade? 8  Respeitar a sinalização existente;  Cumprir os limites de velocidade impostos por lei;  Utilizar sempre o cinto de segurança;  Conduzir com atenção e precaução, principalmente dentro das cidades;  Moderar a velocidade quando as condições climatéricas não forem favoráveis à condução;  Evitar o consumo de substâncias que possam afetar a capacidade de condução, como o álcool e/ou as drogas;  Evitar a fadiga em viagens longas, fazendo paragens de 2 em 2 horas;  Sinalizar devidamente o veículo em caso de avaria;  etc.
  • 9. A Segurança Rodoviária 9 A segurança rodoviária inclui um conjunto de regras que se aplicam a condutores, passageiros e peões:
  • 10. Grandezas físicas associadas à segurança rodoviária 10 ttravagem dtravagem treacção dreacção 50 km/h diminuindo  TEMPO DE REAÇÃO: intervalo de tempo que decorre entre a identificação de determinada situação e a atuação do condutor.  DISTÂNCIA DE REAÇÃO: distância percorrida pelo veículo durante o tempo de reação.  TEMPO DE TRAVAGEM: intervalo de tempo que decorre entre o inicio da travagem até à completa imobilização do veículo.  DISTÂNCIA DE TRAVAGEM: distância percorrida pelo veículo durante a travagem.
  • 11. Grandezas físicas associadas à segurança rodoviária 11 ttravagem dtravagem treacção dreacção dSR = dreação + dtravagem DISTÂNCIA DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA: distância necessária para imobilizar o veículo em segurança.
  • 12. 12 Nas auto-estradas existem marcas que permitem ao condutor controlar a distância de segurança face ao veículo da frente. Grandezas físicas associadas à segurança rodoviária
  • 13. 13 EXEMPLOS A- Distância de reação percorrida pelo condutor A. B- Distância de travagem efetiva percorrida pelo condutor A. C- Distância de segurança para o condutor A. D- Distância de segurança para o condutor B. 96 m 53 m 38 m 15 m Grandezas físicas associadas à segurança rodoviária
  • 14. Fatores que actuam durante a reação 14 O TEMPO DE REAÇÃO depende essencialmente do condutor:  FADIGA: identifica-se pela dificuldade de concentração e de manutenção dos olhos abertos; provoca a diminuição da capacidade de decisão e dificuldade de manutenção da trajetória do veículo;  ÁLCOOL, DROGAS E ALGUNS MEDICAMENTOS: atuam a nível do sistema nervoso, alterando as capacidades de atenção e vigilância, as reações motoras do condutor e a sua visão periférica;  USO DO TELEMÓVEL: quando se executam duas tarefas distintas em simultâneo, o nosso cérebro poderá não dispensar a atenção necessária a cada uma delas.
  • 15. Fatores que atuam durante a travagem 15 O TEMPO DE TRAVAGEM depende, essencialmente:  da VELOCIDADE de circulação;  do ESTADO DO VEÍCULO: as inspeções periódicas são obrigatórias para todos os veículos que circulam na estrada e têm como objetivo garantir a segurança de cada veículo;  do ESTADO DO TEMPO: o estado do tempo influência a visibilidade e o estado de aderência à estrada;  do ESTADO E SINALIZAÇÃO DAS ESTRADAS: o estado de uma estrada deverá influenciar a forma de condução; a sinalização existente nas estradas dá indicações sobre a forma de condução a praticar e deverá ser sempre cumprida.
  • 16. Fatores que afectam a distância de segurança 16 Variação da distância de segurança com a velocidade e com as condições atmosféricas (Brisa). Quer a distância de reação, quer a distância de travagem são tanto maiores quanto maior for a velocidade. Consequentemente, maior é a distância de segurança.
  • 17. 17 A distância de travagem e, consequentemente, a distância de segurança, é maior quando o piso está molhado. Fatores que afectam a distância de segurança
  • 18. 18 As características do veículo também influem no tempo de travagem, por exemplo, a utilização de sistemas de ABS permite uma travagem próxima do ideal. Fatores que afectam a distância de segurança
  • 19. 19 Alguns acidentes ocorrem devido à falta de equilíbrio, principalmente com bicicletas, motos e camiões de carga. Equilíbrio e Segurança
  • 20. 20 O equilíbrio de um veículo depende da localização de um ponto designado centro de gravidade (CG) ou centro de massa (CM):  nos corpos regulares coincide com o seu centro geométrico;  nos corpos irregulares depende da forma como se distribui a massa, ficando mais próximo de onde exista maior massa. Corpos regulares Corpo irregular Equilíbrio e Segurança - Centro de massa
  • 21. 21 Um corpo é mais estável quanto:  maior for a sua base de sustentação;  mais próximo do solo estiver o seu centro de massa (CM). Equilíbrio e Segurança O primeiro camião é o mais estável.
  • 22. 22 O equilíbrio de um corpo pode ser estável, instável ou indiferente. Equilíbrio e Segurança
  • 23. 23 No transporte de cargas é importante fixá-las para que não ocorram mudanças no centro de massa (CM). Equilíbrio e Segurança