SlideShare uma empresa Scribd logo
RENASCIMENTOChama-se Renascimento o movimento cultural desenvolvido na Europa entre 1300 e 1650 – portanto, no final da Idade Média e na Idade Moderna;O humanismo (valorização do homem e da natureza, em oposição ao divino e ao sobrenatural) pode ser considerado o espírito do Renascimento;Chamou-se "Renascimento" em virtude da redescoberta e revalorização das referências culturais da antiguidade clássica. O termo foi registrado pela primeira vez por Giorgio Vasari , no séc XVI.O homem vitruvianode Leonardo da Vinci,1490.Lápis e tinta sobre papel, 34x24 cm.GalleriedellÁccademia
Características gerais: Ideal Humanista ;
Reutilização das artes greco-romana ;
Racionalidade ;
Rigor Científico ;
Dignidade do Ser Humano. Fases do Renascimento:Trecento;
Quattrocento;
Alta Renascença;
O Cinquecento.Retrato de Erasmode Roterdão 1523, por Hans Holbein, o Jovem (FrickCollection)
O Trecento representa a preparação para o Renascimento e é um fenômeno basicamente italiano, mais especificamente da cidade de Florença, pólo político, econômico e cultural da região, conduzindo a transfomação do modelo medieval para o moderno.O chamado Quattrocento (séc XV)viu o Renascimento atingir sua era dourada. O Humanismo amadurecia e se espalhava pela Europa através de Ficino, Erasmo, Mirandola e Thomas More. Foi o século dos Medici, quando o interesse pela arte se difundia para círculos cada vez maiores.A Alta Renascença cronologicamente engloba os anos finais do Quattrocento e as primeiras décadas do Cinquecento, sendo delimitada aproximadamente pelas obras de maturidade de Da Vince (a partir de 1480) e o Saque de Roma em 1527. Nesse período se cristalizaram ideais que caracterizam todo o movimento renascentista: o Humanismo, a noção de autonomia da arte, a emancipação do artista de sua condição de artesão e equiparação ao cientista e ao erudito, a busca pela fidelidade à natureza, e o conceito de gênio, tão perfeitamente encarnado em Da Vinci, Rafael Sanzio e Michelangelo.O Cinquecento (séc XVI) é a derradeira fase da Renascença, quando o movimento se transforma, se expande para outras partes da Europa e Roma, dando frutos em especial na França, Espanha e Alemanha, tingidos pelos históricos locais específicos
ARQUITETURAPrincipais características: Ordens Arquitetônicas Arcos de Volta-Perfeita implicidade na construção A escultura e a pintura se desprendem da arquitetura e passam a ser autônomas Construçõesde palácios, igrejas, vilas (casa de descanso fora da cidade), fortalezas (funções  militares).FilippoBrunelleschié considerado o principal arquiteto renascentista.  Foi um artista completo - era pintor, escultor e arquiteto. Dominava conhecimentos de Matemática, Geometria e era grande conhecedor da poesia de Dante. Porém, foi  como construtor que realizou seus mais importantes trabalhos, entre eles a cúpula da catedral de Florença e a Capela Pazzi.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Jorge Marcos Oliveira
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
Claudenilson da Silva
 
ESCRAVIDÃO
ESCRAVIDÃOESCRAVIDÃO
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
joana71
 
Independência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da BahiaIndependência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da Bahia
Aulas de História
 
Cruzadas da história
Cruzadas da históriaCruzadas da história
Cruzadas da história
Adilour Souto
 
Paisagem, espaço e lugar
Paisagem, espaço e lugarPaisagem, espaço e lugar
Paisagem, espaço e lugar
André Luiz Marques
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade culturalHistória do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
Edenilson Morais
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Professor de História
 
Sociedade Mineradora
Sociedade MineradoraSociedade Mineradora
Sociedade Mineradora
jessycalafaiete
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Valéria Shoujofan
 
Escravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasilEscravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasil
Fatima Freitas
 
Pré história- Os primeros povoadores da terra
Pré história- Os primeros povoadores da terraPré história- Os primeros povoadores da terra
Pré história- Os primeros povoadores da terra
Geronimo barbosa Costa
 
Os portugueses e os primeiros contatos com os indígenas.
Os portugueses e os primeiros contatos com os indígenas.Os portugueses e os primeiros contatos com os indígenas.
Os portugueses e os primeiros contatos com os indígenas.
Dalton Lopes Reis Jr.
 
Aula 10 renascimento e humanismo
Aula 10   renascimento e humanismoAula 10   renascimento e humanismo
Aula 10 renascimento e humanismo
Profdaltonjunior
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
Paulo Alexandre
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
Aulas de História
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais procurados (20)

Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
 
ESCRAVIDÃO
ESCRAVIDÃOESCRAVIDÃO
ESCRAVIDÃO
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Independência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da BahiaIndependência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da Bahia
 
Cruzadas da história
Cruzadas da históriaCruzadas da história
Cruzadas da história
 
Paisagem, espaço e lugar
Paisagem, espaço e lugarPaisagem, espaço e lugar
Paisagem, espaço e lugar
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
 
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade culturalHistória do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Sociedade Mineradora
Sociedade MineradoraSociedade Mineradora
Sociedade Mineradora
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Escravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasilEscravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasil
 
Pré história- Os primeros povoadores da terra
Pré história- Os primeros povoadores da terraPré história- Os primeros povoadores da terra
Pré história- Os primeros povoadores da terra
 
Os portugueses e os primeiros contatos com os indígenas.
Os portugueses e os primeiros contatos com os indígenas.Os portugueses e os primeiros contatos com os indígenas.
Os portugueses e os primeiros contatos com os indígenas.
 
Aula 10 renascimento e humanismo
Aula 10   renascimento e humanismoAula 10   renascimento e humanismo
Aula 10 renascimento e humanismo
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 

Destaque

Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
guestee073a
 
Free CCNA1 Instructor Training (Feb to July 2017)
Free CCNA1 Instructor Training (Feb to July 2017)Free CCNA1 Instructor Training (Feb to July 2017)
Free CCNA1 Instructor Training (Feb to July 2017)
Andrew Smith
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
Marco Antunes
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
PROFºWILTONREIS
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
João Lima
 
Razão e Fé
Razão e FéRazão e Fé
Razão e Fé
somdeste
 
Panorama da Arquitetura Ocidental cap 2
Panorama da Arquitetura Ocidental cap 2Panorama da Arquitetura Ocidental cap 2
Panorama da Arquitetura Ocidental cap 2
Carlos Elson Cunha
 
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
Samuel Henriques
 
Pintores y obras del quatrocento
Pintores y obras del quatrocentoPintores y obras del quatrocento
Pintores y obras del quatrocento
Olgui Ortiz Barón
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
historiamurialdo
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Matheus Andrade
 
A arte do renascimento texto resumido
A arte do renascimento  texto resumidoA arte do renascimento  texto resumido
A arte do renascimento texto resumido
Elcielle .
 
O renascimento cientifico e cultural
O renascimento cientifico e culturalO renascimento cientifico e cultural
O renascimento cientifico e cultural
E.E. Prof. João Magiano Pinto
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
Fátima da História
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Jornal O Diário
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
Nilmar Galvão
 
Renascimento rafael sanzio
Renascimento   rafael sanzioRenascimento   rafael sanzio
Renascimento rafael sanzio
Gilberto Ribeiro Pinto Júnior
 
A arte renascentista power-point de história. iva leão.
A arte renascentista   power-point de história. iva leão.A arte renascentista   power-point de história. iva leão.
A arte renascentista power-point de história. iva leão.
Iva Leão
 
Trabalho de história, renascimento trecentro
Trabalho de história, renascimento trecentroTrabalho de história, renascimento trecentro
Trabalho de história, renascimento trecentro
Juninho Martuscelli
 
Renascimento cultural e cientifico
Renascimento cultural e cientificoRenascimento cultural e cientifico
Renascimento cultural e cientifico
Whanderson Candido
 

Destaque (20)

Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Free CCNA1 Instructor Training (Feb to July 2017)
Free CCNA1 Instructor Training (Feb to July 2017)Free CCNA1 Instructor Training (Feb to July 2017)
Free CCNA1 Instructor Training (Feb to July 2017)
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 
Razão e Fé
Razão e FéRazão e Fé
Razão e Fé
 
Panorama da Arquitetura Ocidental cap 2
Panorama da Arquitetura Ocidental cap 2Panorama da Arquitetura Ocidental cap 2
Panorama da Arquitetura Ocidental cap 2
 
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
 
Pintores y obras del quatrocento
Pintores y obras del quatrocentoPintores y obras del quatrocento
Pintores y obras del quatrocento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
A arte do renascimento texto resumido
A arte do renascimento  texto resumidoA arte do renascimento  texto resumido
A arte do renascimento texto resumido
 
O renascimento cientifico e cultural
O renascimento cientifico e culturalO renascimento cientifico e cultural
O renascimento cientifico e cultural
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Renascimento rafael sanzio
Renascimento   rafael sanzioRenascimento   rafael sanzio
Renascimento rafael sanzio
 
A arte renascentista power-point de história. iva leão.
A arte renascentista   power-point de história. iva leão.A arte renascentista   power-point de história. iva leão.
A arte renascentista power-point de história. iva leão.
 
Trabalho de história, renascimento trecentro
Trabalho de história, renascimento trecentroTrabalho de história, renascimento trecentro
Trabalho de história, renascimento trecentro
 
Renascimento cultural e cientifico
Renascimento cultural e cientificoRenascimento cultural e cientifico
Renascimento cultural e cientifico
 

Semelhante a Renascimento

Renascimento EM 2015
Renascimento EM 2015Renascimento EM 2015
Renascimento EM 2015
Adriana Guimarães Manaro
 
RENASCIMENTO ITALIANO- 7ª ANO
RENASCIMENTO ITALIANO- 7ª ANO RENASCIMENTO ITALIANO- 7ª ANO
RENASCIMENTO ITALIANO- 7ª ANO
Luzia de Fatima LayolaNunes
 
Renascimento pintura
Renascimento   pinturaRenascimento   pintura
Renascimento pintura
Luis Henrique Gallina
 
Características do renascimento cultural josué lima
Características do renascimento cultural josué limaCaracterísticas do renascimento cultural josué lima
Características do renascimento cultural josué lima
Josué Bezerra de Lima
 
7o. ano renascimento na itália
7o. ano  renascimento na itália7o. ano  renascimento na itália
7o. ano renascimento na itália
ArtesElisa
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
Damião Fagundes
 
Resnascimento cultural cientifico
Resnascimento cultural cientificoResnascimento cultural cientifico
Resnascimento cultural cientifico
Suzan Karolaine Paixao
 
Renascimento 120628154736-phpapp01
Renascimento 120628154736-phpapp01Renascimento 120628154736-phpapp01
Renascimento 120628154736-phpapp01
marlete andrade
 
Revista forma
Revista formaRevista forma
Revista forma
Aline Soares e Silva
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
DeaaSouza
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
alexandroschmitt
 
Renascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
Renascimento Cultural - Prof. Altair AguilarRenascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
Renascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
André Manel
 
Renascimento e a nova mentalidade
Renascimento e a nova mentalidadeRenascimento e a nova mentalidade
Renascimento e a nova mentalidade
ceufaias
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
Ana Beatriz Cargnin
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Ellen_Assad
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
catlencunha
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
7 de Setembro
 
Renascimento Cultural.ppt.pptx
Renascimento Cultural.ppt.pptxRenascimento Cultural.ppt.pptx
Renascimento Cultural.ppt.pptx
CarlosHenriqueAveiro1
 
7º ano - Renascimento
7º ano - Renascimento7º ano - Renascimento
7º ano - Renascimento
Janaína Bindá
 

Semelhante a Renascimento (20)

Renascimento EM 2015
Renascimento EM 2015Renascimento EM 2015
Renascimento EM 2015
 
RENASCIMENTO ITALIANO- 7ª ANO
RENASCIMENTO ITALIANO- 7ª ANO RENASCIMENTO ITALIANO- 7ª ANO
RENASCIMENTO ITALIANO- 7ª ANO
 
Renascimento pintura
Renascimento   pinturaRenascimento   pintura
Renascimento pintura
 
Características do renascimento cultural josué lima
Características do renascimento cultural josué limaCaracterísticas do renascimento cultural josué lima
Características do renascimento cultural josué lima
 
7o. ano renascimento na itália
7o. ano  renascimento na itália7o. ano  renascimento na itália
7o. ano renascimento na itália
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
 
Resnascimento cultural cientifico
Resnascimento cultural cientificoResnascimento cultural cientifico
Resnascimento cultural cientifico
 
Renascimento 120628154736-phpapp01
Renascimento 120628154736-phpapp01Renascimento 120628154736-phpapp01
Renascimento 120628154736-phpapp01
 
Revista forma
Revista formaRevista forma
Revista forma
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Renascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
Renascimento Cultural - Prof. Altair AguilarRenascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
Renascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento e a nova mentalidade
Renascimento e a nova mentalidadeRenascimento e a nova mentalidade
Renascimento e a nova mentalidade
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
 
Renascimento Cultural.ppt.pptx
Renascimento Cultural.ppt.pptxRenascimento Cultural.ppt.pptx
Renascimento Cultural.ppt.pptx
 
7º ano - Renascimento
7º ano - Renascimento7º ano - Renascimento
7º ano - Renascimento
 

Mais de Lu Rebordosa

Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Lu Rebordosa
 
Fovismo
FovismoFovismo
Fovismo
Lu Rebordosa
 
Fovismo
FovismoFovismo
Fovismo
Lu Rebordosa
 
Pré HistóRia
Pré  HistóRiaPré  HistóRia
Pré HistóRia
Lu Rebordosa
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
Lu Rebordosa
 
O Que é Filosofia? 1º Ano!
O Que é Filosofia? 1º Ano!O Que é Filosofia? 1º Ano!
O Que é Filosofia? 1º Ano!
Lu Rebordosa
 
Arte Conceitual E Hiperealismo - 9º ano!
Arte Conceitual E Hiperealismo - 9º ano!Arte Conceitual E Hiperealismo - 9º ano!
Arte Conceitual E Hiperealismo - 9º ano!
Lu Rebordosa
 
Op Art, Minimalismo E Instalação - 9º ano
Op Art, Minimalismo E Instalação - 9º anoOp Art, Minimalismo E Instalação - 9º ano
Op Art, Minimalismo E Instalação - 9º ano
Lu Rebordosa
 
Pop Art - 9º ano!
Pop Art - 9º ano!Pop Art - 9º ano!
Pop Art - 9º ano!
Lu Rebordosa
 
Performace e Happening - 9º ano
Performace e Happening - 9º anoPerformace e Happening - 9º ano
Performace e Happening - 9º ano
Lu Rebordosa
 
Logotipo, Publicidade e Propaganda - 9º Ano!
Logotipo, Publicidade e Propaganda - 9º Ano!Logotipo, Publicidade e Propaganda - 9º Ano!
Logotipo, Publicidade e Propaganda - 9º Ano!
Lu Rebordosa
 
Expressionismo - 8º
Expressionismo - 8ºExpressionismo - 8º
Expressionismo - 8º
Lu Rebordosa
 
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
Lu Rebordosa
 
Surrealismo - 7º ano!
Surrealismo - 7º ano!Surrealismo - 7º ano!
Surrealismo - 7º ano!
Lu Rebordosa
 
DadaíSmo - 7º ano!
DadaíSmo - 7º ano!DadaíSmo - 7º ano!
DadaíSmo - 7º ano!
Lu Rebordosa
 
Ecleticismo a Art deco - 8 º ano!
Ecleticismo a Art deco - 8 º ano!Ecleticismo a Art deco - 8 º ano!
Ecleticismo a Art deco - 8 º ano!
Lu Rebordosa
 
Abstracionismo - 7º ano!
Abstracionismo - 7º ano!Abstracionismo - 7º ano!
Abstracionismo - 7º ano!
Lu Rebordosa
 
Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!
Lu Rebordosa
 
Império Bizantino - 6º ano
Império Bizantino - 6º anoImpério Bizantino - 6º ano
Império Bizantino - 6º ano
Lu Rebordosa
 

Mais de Lu Rebordosa (20)

Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Fovismo
FovismoFovismo
Fovismo
 
Fovismo
FovismoFovismo
Fovismo
 
Cores
CoresCores
Cores
 
Pré HistóRia
Pré  HistóRiaPré  HistóRia
Pré HistóRia
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 
O Que é Filosofia? 1º Ano!
O Que é Filosofia? 1º Ano!O Que é Filosofia? 1º Ano!
O Que é Filosofia? 1º Ano!
 
Arte Conceitual E Hiperealismo - 9º ano!
Arte Conceitual E Hiperealismo - 9º ano!Arte Conceitual E Hiperealismo - 9º ano!
Arte Conceitual E Hiperealismo - 9º ano!
 
Op Art, Minimalismo E Instalação - 9º ano
Op Art, Minimalismo E Instalação - 9º anoOp Art, Minimalismo E Instalação - 9º ano
Op Art, Minimalismo E Instalação - 9º ano
 
Pop Art - 9º ano!
Pop Art - 9º ano!Pop Art - 9º ano!
Pop Art - 9º ano!
 
Performace e Happening - 9º ano
Performace e Happening - 9º anoPerformace e Happening - 9º ano
Performace e Happening - 9º ano
 
Logotipo, Publicidade e Propaganda - 9º Ano!
Logotipo, Publicidade e Propaganda - 9º Ano!Logotipo, Publicidade e Propaganda - 9º Ano!
Logotipo, Publicidade e Propaganda - 9º Ano!
 
Expressionismo - 8º
Expressionismo - 8ºExpressionismo - 8º
Expressionismo - 8º
 
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
Ecleticismo a Art Deco - 8º ano!
 
Surrealismo - 7º ano!
Surrealismo - 7º ano!Surrealismo - 7º ano!
Surrealismo - 7º ano!
 
DadaíSmo - 7º ano!
DadaíSmo - 7º ano!DadaíSmo - 7º ano!
DadaíSmo - 7º ano!
 
Ecleticismo a Art deco - 8 º ano!
Ecleticismo a Art deco - 8 º ano!Ecleticismo a Art deco - 8 º ano!
Ecleticismo a Art deco - 8 º ano!
 
Abstracionismo - 7º ano!
Abstracionismo - 7º ano!Abstracionismo - 7º ano!
Abstracionismo - 7º ano!
 
Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!
 
Império Bizantino - 6º ano
Império Bizantino - 6º anoImpério Bizantino - 6º ano
Império Bizantino - 6º ano
 

Último

controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 

Último (20)

controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 

Renascimento

  • 1. RENASCIMENTOChama-se Renascimento o movimento cultural desenvolvido na Europa entre 1300 e 1650 – portanto, no final da Idade Média e na Idade Moderna;O humanismo (valorização do homem e da natureza, em oposição ao divino e ao sobrenatural) pode ser considerado o espírito do Renascimento;Chamou-se "Renascimento" em virtude da redescoberta e revalorização das referências culturais da antiguidade clássica. O termo foi registrado pela primeira vez por Giorgio Vasari , no séc XVI.O homem vitruvianode Leonardo da Vinci,1490.Lápis e tinta sobre papel, 34x24 cm.GalleriedellÁccademia
  • 3. Reutilização das artes greco-romana ;
  • 6. Dignidade do Ser Humano. Fases do Renascimento:Trecento;
  • 9. O Cinquecento.Retrato de Erasmode Roterdão 1523, por Hans Holbein, o Jovem (FrickCollection)
  • 10. O Trecento representa a preparação para o Renascimento e é um fenômeno basicamente italiano, mais especificamente da cidade de Florença, pólo político, econômico e cultural da região, conduzindo a transfomação do modelo medieval para o moderno.O chamado Quattrocento (séc XV)viu o Renascimento atingir sua era dourada. O Humanismo amadurecia e se espalhava pela Europa através de Ficino, Erasmo, Mirandola e Thomas More. Foi o século dos Medici, quando o interesse pela arte se difundia para círculos cada vez maiores.A Alta Renascença cronologicamente engloba os anos finais do Quattrocento e as primeiras décadas do Cinquecento, sendo delimitada aproximadamente pelas obras de maturidade de Da Vince (a partir de 1480) e o Saque de Roma em 1527. Nesse período se cristalizaram ideais que caracterizam todo o movimento renascentista: o Humanismo, a noção de autonomia da arte, a emancipação do artista de sua condição de artesão e equiparação ao cientista e ao erudito, a busca pela fidelidade à natureza, e o conceito de gênio, tão perfeitamente encarnado em Da Vinci, Rafael Sanzio e Michelangelo.O Cinquecento (séc XVI) é a derradeira fase da Renascença, quando o movimento se transforma, se expande para outras partes da Europa e Roma, dando frutos em especial na França, Espanha e Alemanha, tingidos pelos históricos locais específicos
  • 11. ARQUITETURAPrincipais características: Ordens Arquitetônicas Arcos de Volta-Perfeita implicidade na construção A escultura e a pintura se desprendem da arquitetura e passam a ser autônomas Construçõesde palácios, igrejas, vilas (casa de descanso fora da cidade), fortalezas (funções  militares).FilippoBrunelleschié considerado o principal arquiteto renascentista. Foi um artista completo - era pintor, escultor e arquiteto. Dominava conhecimentos de Matemática, Geometria e era grande conhecedor da poesia de Dante. Porém, foi  como construtor que realizou seus mais importantes trabalhos, entre eles a cúpula da catedral de Florença e a Capela Pazzi.
  • 12. PINTURAPrincipais características: Uso da Perspectiva;Uso do claro-escuro: pintar algumas áreas iluminadas e outras na sombra, esse jogo de contrastes reforça a sugestão de volume dos corpos;Realismo: o artistas do Renascimento não vê mais o homem como simples observador do mundo que expressa a grandeza de Deus, mas como a expressão mais grandiosa do próprio Deus. E o mundo é pensado como uma realidade a ser compreendida cientificamente, e não apenas admirada; Inicia-se o uso da tela e da tinta à óleo;Tanto a pintura como a escultura que antes apareciam quase que exclusivamente como detalhes de obras arquitetônicas, tornam-se manifestações independentes;Surgimento de artistas com um estilo pessoal, diferente dos demais.La Gioconda, 1503-1507. óleo sobre madeira de álamo. 77x 53 cm. Museu do Louvre
  • 13. Leonardo da VinciÉ uma das figuras mais importantes do Alto Renascimento, que se destacou como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. É ainda conhecido como o precursor da aviação e da balística.Dominou com sabedoria um jogo expressivo de luz e sombra, gerador de uma atmosfera que parte da realidade mas estimula a imaginação do observador. Foi possuidor de um espírito versátil que o tornou capaz de pesquisar e realizar trabalhos em diversos campos do conhecimento humano.Desenvolveu a pintura a óleo e com ela o chiaroscuro e o aperfeiçoamento do sfumato.Provável autoretrato de Leonardo da Vinci, cerca de 1512 a 1515
  • 14. Donato di BettoBardi -DonatelloVoltado para a representação da figura humana, Donatello levou a escultura renascentista à máxima expressividade e plasmou em suas obras os ideais de beleza então em voga. Foi o mais importante escultor florentino do século XV e um dos grandes mestres do Renascimento na Itália.A ele se deve a elaboração do tipo do putto, uma espécie de gênio com forma de criança pequena, alado ou não, que se tornou um motivo decorativo de sucesso imediato e vasta disseminação. Detalhe da Santa Maria Madalena penitente, 1455. Museodell'OperadelDuomo, Florença.
  • 15. BotticelliOs temas de seus quadros foram escolhidos segundo a possibilidade que lhe proporcionavam de expressar seu ideal de beleza. Para ele, a beleza estava associada ao ideal cristão. Por isso, as figuras humanas de seus quadros são belas porque manifestam a graça divina, e, ao mesmo tempo, melancólicas porque supõem que perderam esse dom de Deus. A Primavera,1478. Têmpera sobre madeira O Nascimento de Vênus , 1483. Têmpera sobre tela. 172,5 × 278,5 cm. GalleriadegliUffizi (Florença)
  • 16. Michelangelo BuonarrotiPietà, 1499. Basílica de São Pedro, Vaticano.A criação de Adão. Capela SistinaPintor, escultor, poeta e arquiteto italiano, considerado um dos maiores criadores da história da arte do ocidente;Desenvolveu o seu trabalho artístico por mais de 70 anos entre Florença e Roma, onde viveram seus grandes mecenas, os Medici e vários papas;Sua carreira se desenvolveu na transição do Renascimento para o maneirismo, e seu estilo sintetizou influências da arte da antiguidade clássica, do primeiro Renascimento, dos ideais do humanismo e do Neoplatonismo, centrado na representação da figura humana e em especial no nu masculino;Entre 1508 e 1512 trabalhou na pintura do teto da Capela Sistina, no Vaticano. Para essa capela, concebeu e realizou grande número de cenas do Antigo Testamento. Dentre tantas que expressam a genialidade do artista, uma particularmente representativa é a criação do homem. 
  • 17. Rafael SanzioFoi um mestre da pintura e da arquitetura da escola de Florença durante o Renascimento italiano, celebrado pela perfeição e suavidade de suas obras;Era pesquisador interessado na antiguidade clássica e seu primeiro trabalho arquitetônico foi a posição de arquiteto da nova Basílica de São Pedro, cuja construção começou em 1506.Suas obras comunicam ao observador um sentimento de ordem e segurança, pois os elementos que compõem seus quadros são dispostos em espaços amplo, claros e de acordo com uma simetria equilibrada. Foi considerado grande pintor de “Madonas”. Sua última obra foi Transfiguração -- > (1518/20, Museu do Vaticano);Morreu em Roma no seu aniversário de 37 anos, e foi enterrado no Panteão, o mais honorável mausoléu da Itália.Escola de Atenas. 1506-1510. Afresco. 500 x 700 cm.Palácio Apostólico, Vaticano
  • 18. No geral, temos como representantes do renascimento cultural, no campo:Das artes plásticas: Sandro Botticelli ( 1444-1510), Leonardo da Vinci ( 1452- 1519), Michelangelo Buonarroti ( 1475- 1564) e Rafael Sanzio ( 1483- 1520)Na literatura: Dante Alighieri ( 1265-1321), Giovanni Boccaccio (1313-1 375), François Rabelais (1494 – 1553 ), Luís de Camões (1524 – 1580), Miguel de Cervantes (1524 – 1580), William Shakespeare ( 1564-1616) Seus pensadores: Erasmo de Roterdã (data incerta), Nicolau Maquiavel ( 1469- 1527), Thomas Morus (1480 – 1535)