SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 36
171
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5ª Parte
Protocolo IP
172
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.1 - Comunicação virtual entre camadas
Protocolos de Aplicações
173
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.1 - Comunicação virtual entre camadas
174
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.1 - Comunicação virtual entre camadas
175
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.1 - Comunicação virtual entre camadas
176
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.1 - Comunicação virtual entre camadas
Suporte a novos serviços: VoIP (Voice Over IP)
• Desempenho imprevisível na internet
• Desempenho bom em redes de operadores
• Melhor controlo da ocupação da rede
• IP possibilita um serviço mais económico e flexível (PS: Packet
Switch) do que redes tradicionais (CS: Circuit Switch)
177
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.2 - Protocolo IP e a criação de uma internet
178
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Protocolo IP (Internet Protocol - RFC 791):
* Comutação de pacotes (datagramas):
* Encaminhamento de pacotes entre redes heterogéneas
* Suporte a comunicação entre quaisquer computadores/redes
* Endereçamento Universal
* Não orientado à ligação:
* Diferentes pacotes podem fazer diferentes caminhos
* Não fiável
* Não detecta nem recupera erros
* Não garante QoS (IP v4) Best Effort
5.2 - Protocolo IP e a criação de uma internet
179
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte
Cabeçalho IP
180
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Pacote IP
Versão Comprimento Total (bytes)
32 bits
IHL Tipo de serviço
Identificação Offset do fragmento
D
F
M
F
Tempo de vida Checksum do cabeçalho
Protocolo
Endereço IP de Origem
Endereço IP de Destino
Opções (se existentes)
Dados
5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte
181
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
* Versão - Garantir compatibilidade entre diferentes versões
* IHL (IP Header Length) - Tamanho do cabeçalho
* Min. = 5 ; Max.= 15 (words de 32 bits)
* Tipo de serviço - Possibilitar definição de diferentes requisitos de:
* Velocidade/Atraso de pacote
* Dimensão total - Inclui cabeçalho e mensagem (máximo = 64K)
* Identificação - Identificador de pacote a que pertence este fragmento
* DF (Don’t Fragment) - Se estiver a ‘1’ informa router que não deve
fragmentar o pacote, pois o destino não saberá reconstruí-lo
* MF (More fragments) - Se estiver a ‘1’ indica que não é ainda o último
fragmento (do pacote)
* Offset do fragmento - Posição no pacote deste fragmento (x 8 bytes)
* 13 bits máximo = 8192 fragmentos por pacote (excepto último)
* 8192*8 bytes = 64K, tamanho dinamica/ variável, em função de
aplicação + MTU da rede
5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte
182
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
* Tempo de vida - Contador de tempo de vida de pacote
* Decrementado em cada transmissão entre routers
* Previne possibilidade de pacotes se “perderem” na rede
* Erros nas tabelas de routing
* Endereço corrompido
* Quando atinge o valor 0 o fragmento é destruído e enviada uma
mensagem a notificar a sua origem.
* Valor máximo = 255
* Protocolo - Especifica o protocolo de camada superior: TCP, UDP
* Checksum – Controlo de erros do cabeçalho do pacote
* Opções - Possibilitar actualização no protocolo (futuras versões)
* Ex. poder especificar caminhos pretendidos, pedir aos routers
que marquem o seu endereço e data/hora de passagem, etc
5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte
183
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte
184
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.4 - Fragmentação de Datagramas IP
Variável para
cada rede
185
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte
Fragmentação
186
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.4 - Estrutura de Endereços IP
Limite Teórico: ~4,3
biliões de endereços
Limite Prático: ~250
milhões de endereços
(RFC 3194: Esquema de
alocação de endereços)
187
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.4 - Estrutura de Endereços IP
Permite atribuir
~67 biliões de endereços
por cm2 do planeta
188
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.5 - Unicidade de Endereços IP
ISOC: Internet SOCiety
IANA - Internet Assigned Numbers Authorithy
189
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.6 - Representação dos Endereços IP
190
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
Data de
esgotamento de
atribuição de
Endereços IP v4 a
RIRs (Regional
Internet Registry)
APNIC: Asia Pacific NW Information Center
RIPENCC: RIPE NW Coordination Center
ARIN: American Registery for Interner Nbrs
LACNIC: Latin America and Caribbean NIC
AFRINIC: African Network Information Center
Data estimada para
esgotamento de
atribuição de
Endereços IP v4 por
RIRs
5.7 - Atribuição de Endereços IP
191
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
5.7 - Atribuição de Endereços IP
192
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Endereços IP
* Todos os elementos de rede (Computadores/Routers) possuem um
endereço IP unívoco, atribuído por entidade coordenadora:
* IANA - Internet Assigned Numbers Authorithy, que delega em:
* Europa: RIPE - Reseaux IP Européens (RIR: Regional Internet Registry)
* Portugal: FCCN – Fundação para Computação Cientifica Nacional
* Todos os endereços IP (v4) possuem um comprimento de 32 bits,
divididos em 3 campos:
* Identificador de classe de endereço
* Número de identificação de Rede
* Numero de identificação de Host (Elemento Terminal de Rede)
• Ex: 00000001 00000010 00001111 11111111 = 1.2.15.255 d
0 Rede Terminal (Host)
7 bits 24 bits
5.7 - Classes de Endereços IP
Considerar apenas campo “Rede”
para simplificar
193
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Endereços IP
* Representação de redes de diferentes dimensões:
Definição de classes de endereços
* Definidos 5 tipos de formato, distinguidos pelo tamanho:
• Classe A - 127 redes com ~16 milhões de terminais cada
• Classe B - ~16 mil redes com ~65 mil terminais cada
• Classe C - ~2 milhões de redes com 254 terminais cada
• Classe D - Endereços para multicasting
• Classe E - Reservado para uso futuro
5.7 - Classes de Endereços IP
194
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
Classe
E
32 bits
Gama de endereços
A 0 Rede (7 bits) Terminal (24 bits)
1.0.0.0 a
127.255.255.255
1 0
B Rede (14 bits) Terminal (16 bits)
128.0.0.0 a
191.255.255.255
1 1 0
C Rede (21 bits) Terminal (8 bits)
192.0.0.0 a
223.255.255.255
1 1 1 0
D Multicast - Grupo de Terminais (28 bits )
225.0.0.0 a
239.255.255.255
1 1 1 1 0 Reservado para uso futuro
240.0.0.0 a
247.255.255.255
5.7 - Classes de Endereços IP
195
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Endereço
desconhecido (boot)
 Endereços IP especiais
0 0 0 . . . 0 0 0 Terminal na própria rede
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Broadcast na rede local
Broadcast em rede remota
0 1 1 1 1 1 1 1 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x Teste de loopback
127.xx.yy.zz
Terminal
Rede 1 1 1 . . . 1 1 1
32 bits
5.7 - Classes de Endereços IP
196
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Endereços IP
* Problemas do endereçamento IP v4:
* Capacidade disponível cada vez menor
* Tabelas de Routing com dimensão limitada
* Soluções Temporárias:
* Subnets - Segmentação e redefinição de campo “Terminal”
* Supernets - Agregação de endereços
* NAT - Conversão de endereços Públicos/Privados
* Endereços Dinâmicos
* Solução Efectiva:
* IP v6 - nova versão com endereços de 128 bits
5.7 - Classes de Endereços IP
197
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Subnets
* Facilitar gestão de redes (autónomas)
* Definição de segmentos e de Terminais/Segmento
* Redução/Separação de tráfego (por Subnet) Melhor Desempenho
* Simplificação de tabelas de Routers da rede interna (empresa)
* Router c ligação a Subnet k
Conhecer (apenas) terminais de Subnet k
Tabelas ARP: Conversão Endereços IP/MAC +Reduzidas
* Invisível para redes exteriores
* Facilitar controlo de acessos Subnet define domínio de broadcat
* Divisão de campo Nº Terminal, em 2:
* Nº Subnet + Nº Terminal
* Determinação de Subnet (para encaminhamento de pacotes):
* Máscara “1’s” bits de Rede e Subnet, “0’s” bits de Terminal
* Cálculo de Subnet “Endereço de Pacote” AND “Máscara”
5.8 - Subnets
Uso de Máscara:
Retirar endereço
de Rede+Subnet
198
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Subnets
* Nº de Terminais ou Subnets (SN)= 2 n - 2, n = nº de bits
* n = 2 => 4 - 2 = 2 Terminais ou Subnets (00, 01, 10, 11)
* 00 - todo o segmento ; 11 - broadcast e multicast reservados
* Ex. Classe B = 16 mil redes com 64 mil terminais, numa LAN
Se 6 bits de Subnet 16 mil redes/62 SNs/1022 terminais
1 0
B Rede Terminal (10 bits)
Subnet (6 bits)
32 bits
5.8 - Subnets
199
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 VLSM - Variable Lenght Subnet Mask:
* Possibilidade de criar vários níveis hierárquicos de subnets de
dimensão variável dentro de uma mesma rede. Exemplo:
* Nível 1 (SNN1): 2 bits de Subnet 2 SNs/8190 terminais
* Nível 2 (SNN2): 2 LANs, com 4 bits de Subnet 14 subnets/1022
terminais
5.8 - Subnets
B
B
1 0 Rede Terminal (14 bits)
2 bits
32 bits
1 0 Rede Terminal (10 bits)
4 bits
SNN1
SNN1 SNN2
200
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Exemplo de Subnet
INTERNET
Subnet 5: 130.50.5.0 Subnet 8: 130.50.8.0
* Empresa com Endereço de Rede = 130.50.0.0 (Classe B)
* 254 Subnets => 8 bits para representar Subnet => Subnet Mask = 255.255.255.0
* Cálculo de Subnet destino por Router: Ex. pacote c endereço = 130.50.5.1
130.50.5.1 AND 255.255.255.0 = 130.50.5.0 => Destino = Subnet 5
Router
130.50.5.1
130.50.5.254
* * * * * *
130.50.8.254
130.50.8.1
5.8 - Subnets
Operador lógico AND:
0 1 1 0
AND 1 0 1 0
0 0 1 0
201
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
C Terminal (8 +1 bits)
 Supernets (CIDR - Classless Inter-Domain Routing)
* Solução para ultrapassar falta de endereços de classe B
* Utilização de múltiplos endereços de classe C, contínuos e pares
* Ex. Rede com 500 terminais
* Sem CIDR Endereço classe B desperdício de ~65 mil End.
* Com CIDR Agregação de 2 endereços classe C, contínuos
* Ex. 200.1.128.0 e 200.1.129.0
* Encaminhamento deixa de ser feito com base em classes
Utilizada máscara (semelhante a subnet) de 32 bits sem respeitar
fronteiras (8,16,24 bits) “1’s” bits de Rede, “0’s” bits de Terminal
* Facilitar tabelas de routing 1 só entrada para endereços agregados
* Melhor utilização de espaço de endereçamento
1 0 1 Rede (21 - 1 bits)
32 bits
5.9 - Supernets
Uso de Máscara:
Retirar endereço
Supernet
202
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Supernets
*Compatibilidade com Subnets
* Notação CIDR (Prefixo IP):
* a.b.c.d / x
* x = nº de bits que identificam rede
* a.b.c.d = bits comuns para identificação de endereço de rede
* Exemplos:
* Classe C: 192.168.0.0 a 192.168.255.255 216 endereços Ter.
Supernet c 254 Redes: 192.168.0.0/16, Máscara = 255.255.0.0
* Classe C: 200.1.128.0 a 200.1.129.255 29 endereços Terminal
Supernet c 2 Redes = 200.1.128.0/23 , Máscara = 255.255.254.0
1 1 0
C Rede Terminal (9 bits)
32 bits
5.10 - Supernets
203
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Exemplo de Supernet
INTERNET
Subnet 2: 200.1.129.0 Subnet 1: 200.1.128.128
Router 2
200.1.129.126
Router 1
SuperNet: 200.1.128.0/23
* * * * * *
200.1.129.1 200.1.128.254
200.1.128.129
INTERNET
* Empresa com Endereço de Rede = 200.1.128.0/23 (2 endereços classe C)
* 9 bits para representar Terminais => Net Mask = 255.255.254.0
* Cálculo de SuperNet destino por Router 1: Ex. pacote c endereço = 200.1.129.126
200.1.129.126 AND 255.255.254.0 = 200.1.128.0 = Rede Destino
* SuperNet com 2 SubNets => 2 bits para SubNet => SubNet Mask = 255.255.255.128
* Cálculo de SubNet destino por Router 2: Ex. pacote c endereço = 200.1.129.126
200.1.129.126 AND 255.255.255.128 = 200.1.129.0 => Destino = Subnet 2
5.10 - Supernets
204
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 NAT - Network Address Translation
* Conversão de endereços privados (não públicos) em endereços públicos
* Ex. máquinas de intranets ligadas ao exterior por firewalls
* Comunicação interna (maior tráfego):
* Utilização de endereços privados
* IANA recomenda: 10.x.x.x, 172.[16..31].x.x, 192.168.x.x
* Comunicação para exterior (menor tráfego):
* Mapeamento de endereço privado em endereço público
* Endereço privado  Endereço público / Porto TCP/UDP
* Possibilidade de utilizar apenas um endereço público (PAT)
* Conversão de endereço privado<->público efetuado em Router/Proxy
* Maior segurança utilização de endereços privados para mascarar
identidade de rede/terminais
5.11 - NAT
205
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 PAT - Port AddressTranslation:
* Possibilitar que vários terminais de uma rede partilhem endereços IP
públicos, sendo identificados pelo porto TCP/UDP
5.11 - NAT
Servidor WEB
End. Público
205.134.98.123
Internet
Router/Proxy
NAT/PAT
Cliente
End. Privado
10.0.0.1
Rede 192.157.137.0
1)
2)
3)
4)
1) Pedido de terminal Cliente para se ligar a Servidor WEB:
Source Address = 10.0.0.1 / Source Port = 1250
Destination Address = 205.134.98.123 / Desination Port =80
2) Router converte endereço/porto privado de Cliente em publico
Source Address = 192.157.137.5 / Source Port = 5128
Dest. Address = 205.134.98.123 / Destination Port =80
3) Resposta de Servidor a pedido de Cliente:
Source Address = 205.134.98.123 / Source Port =80
Destination Address = 192.157.137.5 / Destination Port = 5128
4) Routerconsulta tabela de PAT e converte endereço/porto publico de Cliente em privado
Source Address = 205.134.98.123 / Source Port =80
Destination Address = 10.0.0.1 / Destination Port = 1250
Porto
Público
Porto
Privado
IP
Privado
Tabela de PAT em Router:
206
R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15
 Endereços Dinâmicos
* Objetivo Poupança de endereços, quando:
* Nº total de users > Nº endereços IP > Nº total de users activos
* Utilizado por ISP’s
* Usa protocolo DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol / RFC 2131)
* Facilitar gestão de atribuição de endereços em redes IP
* Acesso a Internet
* Clientes requisitam endereço variável e temporário (lease time) a
servidor DHCP do ISP
* Endereço atribuído corresponde a gama de endereços do ISP
* No fim do acesso (ou expiração de lease time) o endereço é
libertado para outros clientes (se lease time expirar com cliente
ainda ligado lease time renovado e endereço mantido)
* Endereço variável maior segurança contra planos de ataques
* Cliente não disponibilizar serviços públicos (ex. Web Server)
* Necessário atualização de DNS
5.12 - Endereços Dinâmicos

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a R&c 05 14_1 - Protocolo IP (Parte 1)

Capítulo 20 camada de rede - internet protocol
Capítulo 20   camada de rede - internet protocolCapítulo 20   camada de rede - internet protocol
Capítulo 20 camada de rede - internet protocol
Faculdade Mater Christi
 
Aula 03 configuração da topologia ppp
Aula 03   configuração da topologia pppAula 03   configuração da topologia ppp
Aula 03 configuração da topologia ppp
Carlos Veiga
 
Módulo 08 o que é tcp-ip
Módulo 08   o que é tcp-ipMódulo 08   o que é tcp-ip
Módulo 08 o que é tcp-ip
Marília Simões
 
Ccnafinalexamptbr
CcnafinalexamptbrCcnafinalexamptbr
Ccnafinalexamptbr
Luiz Souza
 

Semelhante a R&c 05 14_1 - Protocolo IP (Parte 1) (20)

Rede
Rede Rede
Rede
 
Euteulsat eloi bc day 2012
Euteulsat eloi bc day 2012Euteulsat eloi bc day 2012
Euteulsat eloi bc day 2012
 
10. camada de rede
10. camada de rede10. camada de rede
10. camada de rede
 
Capítulo 20 camada de rede - internet protocol
Capítulo 20   camada de rede - internet protocolCapítulo 20   camada de rede - internet protocol
Capítulo 20 camada de rede - internet protocol
 
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IPCCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
CCNA - Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP
 
Aula 03 configuração da topologia ppp
Aula 03   configuração da topologia pppAula 03   configuração da topologia ppp
Aula 03 configuração da topologia ppp
 
Administração de Redes Linux - III
Administração de Redes Linux - IIIAdministração de Redes Linux - III
Administração de Redes Linux - III
 
Introdução ao VoIP
Introdução ao VoIPIntrodução ao VoIP
Introdução ao VoIP
 
Redes De Computadores Internet
Redes De Computadores   InternetRedes De Computadores   Internet
Redes De Computadores Internet
 
R&c 03 14_1 - Protocolos (Parte 1)
R&c 03 14_1 - Protocolos (Parte 1)R&c 03 14_1 - Protocolos (Parte 1)
R&c 03 14_1 - Protocolos (Parte 1)
 
Aula 5 - Serviços e protocolos da camada de rede e transporte (1).pptx
Aula 5 - Serviços e protocolos da camada de rede e transporte (1).pptxAula 5 - Serviços e protocolos da camada de rede e transporte (1).pptx
Aula 5 - Serviços e protocolos da camada de rede e transporte (1).pptx
 
Sem-IP.ppt
Sem-IP.pptSem-IP.ppt
Sem-IP.ppt
 
Sem-IP.ppt
Sem-IP.pptSem-IP.ppt
Sem-IP.ppt
 
Tecnologia de redes protocolo Ethernet.pdf
Tecnologia de redes protocolo Ethernet.pdfTecnologia de redes protocolo Ethernet.pdf
Tecnologia de redes protocolo Ethernet.pdf
 
Redes sem FIO
Redes sem FIORedes sem FIO
Redes sem FIO
 
Módulo 08 o que é tcp-ip
Módulo 08   o que é tcp-ipMódulo 08   o que é tcp-ip
Módulo 08 o que é tcp-ip
 
Camada de enlace parte2
Camada de enlace   parte2Camada de enlace   parte2
Camada de enlace parte2
 
Ccnafinalexamptbr
CcnafinalexamptbrCcnafinalexamptbr
Ccnafinalexamptbr
 
Apresentação i pv6
Apresentação i pv6Apresentação i pv6
Apresentação i pv6
 
Rota Estática / Link State / Vetor de Distância
Rota Estática / Link State / Vetor de DistânciaRota Estática / Link State / Vetor de Distância
Rota Estática / Link State / Vetor de Distância
 

Mais de Mariana Hiyori

Mais de Mariana Hiyori (20)

Templo de Zeus Olímpico
Templo de Zeus OlímpicoTemplo de Zeus Olímpico
Templo de Zeus Olímpico
 
Base de Dados - Normalização e Desenho de Base de Dados Relacionais
 Base de Dados - Normalização e Desenho de Base de Dados Relacionais Base de Dados - Normalização e Desenho de Base de Dados Relacionais
Base de Dados - Normalização e Desenho de Base de Dados Relacionais
 
Base de Dados - Álgebra Relacional
Base de Dados - Álgebra RelacionalBase de Dados - Álgebra Relacional
Base de Dados - Álgebra Relacional
 
Base de Dados - Conversão E-A para Esquema Relacional
Base de Dados - Conversão E-A para Esquema RelacionalBase de Dados - Conversão E-A para Esquema Relacional
Base de Dados - Conversão E-A para Esquema Relacional
 
Base de Dados - Diagramas E-A (cont.)
Base de Dados - Diagramas E-A (cont.)Base de Dados - Diagramas E-A (cont.)
Base de Dados - Diagramas E-A (cont.)
 
Base de Dados - Introdução
Base de Dados - IntroduçãoBase de Dados - Introdução
Base de Dados - Introdução
 
Base de Dados - Apresentação da Unidade Curricular
Base de Dados - Apresentação da Unidade CurricularBase de Dados - Apresentação da Unidade Curricular
Base de Dados - Apresentação da Unidade Curricular
 
Arquitectura de Computadores
Arquitectura de ComputadoresArquitectura de Computadores
Arquitectura de Computadores
 
Redes e Comunicações 2
Redes e Comunicações 2Redes e Comunicações 2
Redes e Comunicações 2
 
Redes e Comunicações 2 - Resumo
Redes e Comunicações 2 - ResumoRedes e Comunicações 2 - Resumo
Redes e Comunicações 2 - Resumo
 
R&c 01 14_1 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 1)
R&c 01 14_1 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 1)R&c 01 14_1 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 1)
R&c 01 14_1 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 1)
 
R&c 01 14_2 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 2)
R&c 01 14_2 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 2)R&c 01 14_2 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 2)
R&c 01 14_2 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 2)
 
R&c 01 14_3 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 3)
R&c 01 14_3 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 3)R&c 01 14_3 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 3)
R&c 01 14_3 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 3)
 
R&c 02 14_1 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 1)
R&c 02 14_1 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 1)R&c 02 14_1 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 1)
R&c 02 14_1 - A Internet e Conceitos Basicos (Parte 1)
 
R&c 02 14_2 - Protocolos (Parte 2)
R&c 02 14_2 - Protocolos (Parte 2)R&c 02 14_2 - Protocolos (Parte 2)
R&c 02 14_2 - Protocolos (Parte 2)
 
R&c 05 14_3 - Protocolo IP (Parte 3)
R&c 05 14_3 - Protocolo IP (Parte 3)R&c 05 14_3 - Protocolo IP (Parte 3)
R&c 05 14_3 - Protocolo IP (Parte 3)
 
Resumo - Memorial do Convento
Resumo - Memorial do ConventoResumo - Memorial do Convento
Resumo - Memorial do Convento
 
SQL - Operações Relacionais
SQL - Operações RelacionaisSQL - Operações Relacionais
SQL - Operações Relacionais
 
Dinheiros & Direitos - Julho/Agosto 2011
Dinheiros & Direitos - Julho/Agosto 2011Dinheiros & Direitos - Julho/Agosto 2011
Dinheiros & Direitos - Julho/Agosto 2011
 
Deco Proteste - Viver em Condomínio
Deco Proteste - Viver em CondomínioDeco Proteste - Viver em Condomínio
Deco Proteste - Viver em Condomínio
 

Último

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
LindinhaSilva1
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 

Último (20)

Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 

R&c 05 14_1 - Protocolo IP (Parte 1)

  • 1. 171 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5ª Parte Protocolo IP
  • 2. 172 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.1 - Comunicação virtual entre camadas Protocolos de Aplicações
  • 3. 173 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.1 - Comunicação virtual entre camadas
  • 4. 174 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.1 - Comunicação virtual entre camadas
  • 5. 175 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.1 - Comunicação virtual entre camadas
  • 6. 176 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.1 - Comunicação virtual entre camadas Suporte a novos serviços: VoIP (Voice Over IP) • Desempenho imprevisível na internet • Desempenho bom em redes de operadores • Melhor controlo da ocupação da rede • IP possibilita um serviço mais económico e flexível (PS: Packet Switch) do que redes tradicionais (CS: Circuit Switch)
  • 7. 177 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.2 - Protocolo IP e a criação de uma internet
  • 8. 178 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Protocolo IP (Internet Protocol - RFC 791): * Comutação de pacotes (datagramas): * Encaminhamento de pacotes entre redes heterogéneas * Suporte a comunicação entre quaisquer computadores/redes * Endereçamento Universal * Não orientado à ligação: * Diferentes pacotes podem fazer diferentes caminhos * Não fiável * Não detecta nem recupera erros * Não garante QoS (IP v4) Best Effort 5.2 - Protocolo IP e a criação de uma internet
  • 9. 179 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte Cabeçalho IP
  • 10. 180 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Pacote IP Versão Comprimento Total (bytes) 32 bits IHL Tipo de serviço Identificação Offset do fragmento D F M F Tempo de vida Checksum do cabeçalho Protocolo Endereço IP de Origem Endereço IP de Destino Opções (se existentes) Dados 5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte
  • 11. 181 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 * Versão - Garantir compatibilidade entre diferentes versões * IHL (IP Header Length) - Tamanho do cabeçalho * Min. = 5 ; Max.= 15 (words de 32 bits) * Tipo de serviço - Possibilitar definição de diferentes requisitos de: * Velocidade/Atraso de pacote * Dimensão total - Inclui cabeçalho e mensagem (máximo = 64K) * Identificação - Identificador de pacote a que pertence este fragmento * DF (Don’t Fragment) - Se estiver a ‘1’ informa router que não deve fragmentar o pacote, pois o destino não saberá reconstruí-lo * MF (More fragments) - Se estiver a ‘1’ indica que não é ainda o último fragmento (do pacote) * Offset do fragmento - Posição no pacote deste fragmento (x 8 bytes) * 13 bits máximo = 8192 fragmentos por pacote (excepto último) * 8192*8 bytes = 64K, tamanho dinamica/ variável, em função de aplicação + MTU da rede 5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte
  • 12. 182 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 * Tempo de vida - Contador de tempo de vida de pacote * Decrementado em cada transmissão entre routers * Previne possibilidade de pacotes se “perderem” na rede * Erros nas tabelas de routing * Endereço corrompido * Quando atinge o valor 0 o fragmento é destruído e enviada uma mensagem a notificar a sua origem. * Valor máximo = 255 * Protocolo - Especifica o protocolo de camada superior: TCP, UDP * Checksum – Controlo de erros do cabeçalho do pacote * Opções - Possibilitar actualização no protocolo (futuras versões) * Ex. poder especificar caminhos pretendidos, pedir aos routers que marquem o seu endereço e data/hora de passagem, etc 5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte
  • 13. 183 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte
  • 14. 184 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.4 - Fragmentação de Datagramas IP Variável para cada rede
  • 15. 185 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.3 - Datagramas IP e os protocolos de transporte Fragmentação
  • 16. 186 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.4 - Estrutura de Endereços IP Limite Teórico: ~4,3 biliões de endereços Limite Prático: ~250 milhões de endereços (RFC 3194: Esquema de alocação de endereços)
  • 17. 187 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.4 - Estrutura de Endereços IP Permite atribuir ~67 biliões de endereços por cm2 do planeta
  • 18. 188 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.5 - Unicidade de Endereços IP ISOC: Internet SOCiety IANA - Internet Assigned Numbers Authorithy
  • 19. 189 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.6 - Representação dos Endereços IP
  • 20. 190 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 Data de esgotamento de atribuição de Endereços IP v4 a RIRs (Regional Internet Registry) APNIC: Asia Pacific NW Information Center RIPENCC: RIPE NW Coordination Center ARIN: American Registery for Interner Nbrs LACNIC: Latin America and Caribbean NIC AFRINIC: African Network Information Center Data estimada para esgotamento de atribuição de Endereços IP v4 por RIRs 5.7 - Atribuição de Endereços IP
  • 21. 191 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 5.7 - Atribuição de Endereços IP
  • 22. 192 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Endereços IP * Todos os elementos de rede (Computadores/Routers) possuem um endereço IP unívoco, atribuído por entidade coordenadora: * IANA - Internet Assigned Numbers Authorithy, que delega em: * Europa: RIPE - Reseaux IP Européens (RIR: Regional Internet Registry) * Portugal: FCCN – Fundação para Computação Cientifica Nacional * Todos os endereços IP (v4) possuem um comprimento de 32 bits, divididos em 3 campos: * Identificador de classe de endereço * Número de identificação de Rede * Numero de identificação de Host (Elemento Terminal de Rede) • Ex: 00000001 00000010 00001111 11111111 = 1.2.15.255 d 0 Rede Terminal (Host) 7 bits 24 bits 5.7 - Classes de Endereços IP Considerar apenas campo “Rede” para simplificar
  • 23. 193 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Endereços IP * Representação de redes de diferentes dimensões: Definição de classes de endereços * Definidos 5 tipos de formato, distinguidos pelo tamanho: • Classe A - 127 redes com ~16 milhões de terminais cada • Classe B - ~16 mil redes com ~65 mil terminais cada • Classe C - ~2 milhões de redes com 254 terminais cada • Classe D - Endereços para multicasting • Classe E - Reservado para uso futuro 5.7 - Classes de Endereços IP
  • 24. 194 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 Classe E 32 bits Gama de endereços A 0 Rede (7 bits) Terminal (24 bits) 1.0.0.0 a 127.255.255.255 1 0 B Rede (14 bits) Terminal (16 bits) 128.0.0.0 a 191.255.255.255 1 1 0 C Rede (21 bits) Terminal (8 bits) 192.0.0.0 a 223.255.255.255 1 1 1 0 D Multicast - Grupo de Terminais (28 bits ) 225.0.0.0 a 239.255.255.255 1 1 1 1 0 Reservado para uso futuro 240.0.0.0 a 247.255.255.255 5.7 - Classes de Endereços IP
  • 25. 195 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Endereço desconhecido (boot)  Endereços IP especiais 0 0 0 . . . 0 0 0 Terminal na própria rede 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Broadcast na rede local Broadcast em rede remota 0 1 1 1 1 1 1 1 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x Teste de loopback 127.xx.yy.zz Terminal Rede 1 1 1 . . . 1 1 1 32 bits 5.7 - Classes de Endereços IP
  • 26. 196 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Endereços IP * Problemas do endereçamento IP v4: * Capacidade disponível cada vez menor * Tabelas de Routing com dimensão limitada * Soluções Temporárias: * Subnets - Segmentação e redefinição de campo “Terminal” * Supernets - Agregação de endereços * NAT - Conversão de endereços Públicos/Privados * Endereços Dinâmicos * Solução Efectiva: * IP v6 - nova versão com endereços de 128 bits 5.7 - Classes de Endereços IP
  • 27. 197 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Subnets * Facilitar gestão de redes (autónomas) * Definição de segmentos e de Terminais/Segmento * Redução/Separação de tráfego (por Subnet) Melhor Desempenho * Simplificação de tabelas de Routers da rede interna (empresa) * Router c ligação a Subnet k Conhecer (apenas) terminais de Subnet k Tabelas ARP: Conversão Endereços IP/MAC +Reduzidas * Invisível para redes exteriores * Facilitar controlo de acessos Subnet define domínio de broadcat * Divisão de campo Nº Terminal, em 2: * Nº Subnet + Nº Terminal * Determinação de Subnet (para encaminhamento de pacotes): * Máscara “1’s” bits de Rede e Subnet, “0’s” bits de Terminal * Cálculo de Subnet “Endereço de Pacote” AND “Máscara” 5.8 - Subnets Uso de Máscara: Retirar endereço de Rede+Subnet
  • 28. 198 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Subnets * Nº de Terminais ou Subnets (SN)= 2 n - 2, n = nº de bits * n = 2 => 4 - 2 = 2 Terminais ou Subnets (00, 01, 10, 11) * 00 - todo o segmento ; 11 - broadcast e multicast reservados * Ex. Classe B = 16 mil redes com 64 mil terminais, numa LAN Se 6 bits de Subnet 16 mil redes/62 SNs/1022 terminais 1 0 B Rede Terminal (10 bits) Subnet (6 bits) 32 bits 5.8 - Subnets
  • 29. 199 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  VLSM - Variable Lenght Subnet Mask: * Possibilidade de criar vários níveis hierárquicos de subnets de dimensão variável dentro de uma mesma rede. Exemplo: * Nível 1 (SNN1): 2 bits de Subnet 2 SNs/8190 terminais * Nível 2 (SNN2): 2 LANs, com 4 bits de Subnet 14 subnets/1022 terminais 5.8 - Subnets B B 1 0 Rede Terminal (14 bits) 2 bits 32 bits 1 0 Rede Terminal (10 bits) 4 bits SNN1 SNN1 SNN2
  • 30. 200 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Exemplo de Subnet INTERNET Subnet 5: 130.50.5.0 Subnet 8: 130.50.8.0 * Empresa com Endereço de Rede = 130.50.0.0 (Classe B) * 254 Subnets => 8 bits para representar Subnet => Subnet Mask = 255.255.255.0 * Cálculo de Subnet destino por Router: Ex. pacote c endereço = 130.50.5.1 130.50.5.1 AND 255.255.255.0 = 130.50.5.0 => Destino = Subnet 5 Router 130.50.5.1 130.50.5.254 * * * * * * 130.50.8.254 130.50.8.1 5.8 - Subnets Operador lógico AND: 0 1 1 0 AND 1 0 1 0 0 0 1 0
  • 31. 201 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15 C Terminal (8 +1 bits)  Supernets (CIDR - Classless Inter-Domain Routing) * Solução para ultrapassar falta de endereços de classe B * Utilização de múltiplos endereços de classe C, contínuos e pares * Ex. Rede com 500 terminais * Sem CIDR Endereço classe B desperdício de ~65 mil End. * Com CIDR Agregação de 2 endereços classe C, contínuos * Ex. 200.1.128.0 e 200.1.129.0 * Encaminhamento deixa de ser feito com base em classes Utilizada máscara (semelhante a subnet) de 32 bits sem respeitar fronteiras (8,16,24 bits) “1’s” bits de Rede, “0’s” bits de Terminal * Facilitar tabelas de routing 1 só entrada para endereços agregados * Melhor utilização de espaço de endereçamento 1 0 1 Rede (21 - 1 bits) 32 bits 5.9 - Supernets Uso de Máscara: Retirar endereço Supernet
  • 32. 202 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Supernets *Compatibilidade com Subnets * Notação CIDR (Prefixo IP): * a.b.c.d / x * x = nº de bits que identificam rede * a.b.c.d = bits comuns para identificação de endereço de rede * Exemplos: * Classe C: 192.168.0.0 a 192.168.255.255 216 endereços Ter. Supernet c 254 Redes: 192.168.0.0/16, Máscara = 255.255.0.0 * Classe C: 200.1.128.0 a 200.1.129.255 29 endereços Terminal Supernet c 2 Redes = 200.1.128.0/23 , Máscara = 255.255.254.0 1 1 0 C Rede Terminal (9 bits) 32 bits 5.10 - Supernets
  • 33. 203 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Exemplo de Supernet INTERNET Subnet 2: 200.1.129.0 Subnet 1: 200.1.128.128 Router 2 200.1.129.126 Router 1 SuperNet: 200.1.128.0/23 * * * * * * 200.1.129.1 200.1.128.254 200.1.128.129 INTERNET * Empresa com Endereço de Rede = 200.1.128.0/23 (2 endereços classe C) * 9 bits para representar Terminais => Net Mask = 255.255.254.0 * Cálculo de SuperNet destino por Router 1: Ex. pacote c endereço = 200.1.129.126 200.1.129.126 AND 255.255.254.0 = 200.1.128.0 = Rede Destino * SuperNet com 2 SubNets => 2 bits para SubNet => SubNet Mask = 255.255.255.128 * Cálculo de SubNet destino por Router 2: Ex. pacote c endereço = 200.1.129.126 200.1.129.126 AND 255.255.255.128 = 200.1.129.0 => Destino = Subnet 2 5.10 - Supernets
  • 34. 204 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  NAT - Network Address Translation * Conversão de endereços privados (não públicos) em endereços públicos * Ex. máquinas de intranets ligadas ao exterior por firewalls * Comunicação interna (maior tráfego): * Utilização de endereços privados * IANA recomenda: 10.x.x.x, 172.[16..31].x.x, 192.168.x.x * Comunicação para exterior (menor tráfego): * Mapeamento de endereço privado em endereço público * Endereço privado  Endereço público / Porto TCP/UDP * Possibilidade de utilizar apenas um endereço público (PAT) * Conversão de endereço privado<->público efetuado em Router/Proxy * Maior segurança utilização de endereços privados para mascarar identidade de rede/terminais 5.11 - NAT
  • 35. 205 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  PAT - Port AddressTranslation: * Possibilitar que vários terminais de uma rede partilhem endereços IP públicos, sendo identificados pelo porto TCP/UDP 5.11 - NAT Servidor WEB End. Público 205.134.98.123 Internet Router/Proxy NAT/PAT Cliente End. Privado 10.0.0.1 Rede 192.157.137.0 1) 2) 3) 4) 1) Pedido de terminal Cliente para se ligar a Servidor WEB: Source Address = 10.0.0.1 / Source Port = 1250 Destination Address = 205.134.98.123 / Desination Port =80 2) Router converte endereço/porto privado de Cliente em publico Source Address = 192.157.137.5 / Source Port = 5128 Dest. Address = 205.134.98.123 / Destination Port =80 3) Resposta de Servidor a pedido de Cliente: Source Address = 205.134.98.123 / Source Port =80 Destination Address = 192.157.137.5 / Destination Port = 5128 4) Routerconsulta tabela de PAT e converte endereço/porto publico de Cliente em privado Source Address = 205.134.98.123 / Source Port =80 Destination Address = 10.0.0.1 / Destination Port = 1250 Porto Público Porto Privado IP Privado Tabela de PAT em Router:
  • 36. 206 R&C+R&I 1 / ISTEC – 14/15  Endereços Dinâmicos * Objetivo Poupança de endereços, quando: * Nº total de users > Nº endereços IP > Nº total de users activos * Utilizado por ISP’s * Usa protocolo DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol / RFC 2131) * Facilitar gestão de atribuição de endereços em redes IP * Acesso a Internet * Clientes requisitam endereço variável e temporário (lease time) a servidor DHCP do ISP * Endereço atribuído corresponde a gama de endereços do ISP * No fim do acesso (ou expiração de lease time) o endereço é libertado para outros clientes (se lease time expirar com cliente ainda ligado lease time renovado e endereço mantido) * Endereço variável maior segurança contra planos de ataques * Cliente não disponibilizar serviços públicos (ex. Web Server) * Necessário atualização de DNS 5.12 - Endereços Dinâmicos