SlideShare uma empresa Scribd logo
Projetos Sociais
Ao alcance de todos

Eri Brasil
2

PROJETOS SOCIAIS
AO ALCANCE DE TODOS

A importância das organizações não governamentais para a construção
de espaços democráticos e alternativas para uma vida mais digna,
cooperação e produção solidária é um fato concreto .
O chamado terceiro setor vem demonstrando que a sociedade brasileira
tem criado mecanismos de participação,cidadania, trabalho e renda;
promovendo concretamente a pessoa humana e abrindo clareiras para
uma verdadeira inclusão social dentro de parâmetros tais como :
Solidariedade, Fraternidade e Justiça Social .
As milhares de entidades sociais: Associações comunitárias,cooperativas
de pequenos produtores, centros e institutos de assessoria existentes
no país compõem uma teia de resistência e formação de verdadeiros
cidadãos/ãs que através do trabalho coletivo contribuem, mesmo que
anonimamente, para um Brasil melhor para todos .
Essa publicação elaborada de maneira simples é direcionada às entidades
comunitárias e/ou as pessoas envolvidas ou com pretensão de um
futuro envolvimento/engajamento nas causas/movimentos sociais
e estão buscando informações básicas sobre o tema.
ERI BRASIL
José Erivando Brasil, mais conhecido como Eri Brasil,
é Eng° Agrônomo, “metido a poeta“, com vários cursos em elaboração
e pedagogia de projetos.Tem uma ampla experiência vivida no dia–a–dia,
na elaboração e gestão de projetos sociais, tanto na área urbana, bem
como rural; ora como assessor/facilitador e a maioria das vezes, como
participante ativo nos diversos movimentos sociais de base.

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
3

O QUE É UM PROJETO SOCIAL ?
-

Só casar, quando tiver uma casa para morar;

- Ter uma cooperativa para beneficiar o leite produzido
pelas vacas dos pequenos agricultores;
-

Conseguir educação básica para as crianças da comunidade;
- Realizar torneios esportivos com jovens estudantes
das escolas públicas existente na comunidade;
-

Fazer exercícios físicos – malhação para ficar com
o corpo em forma – sarado

SERÁ QUE TODAS ESSAS IDÉIAS OU AÇÕES
PENSADAS/DESEJADAS SÃO PROJETOS SOCIAIS ?

DEFINIÇÃO SIMPLIFICADA
O QUE, COM CERTEZA, NÃO É UM PROJETO SOCIAL
O que visa beneficiar individualmente ou que não tem uma
importância maior e duradoura para a comunidade como um todo
ou grande parte dela, não pode ser considerado um projeto social .
É sim, uma iniciativa isolada ou de um pequeno grupo sem qualquer
compromisso ou responsabilidade social; sendo um fim em si mesmo,
e não contribuindo como um meio para a construção de uma sociedade
mais igualitária, solidária, justa e melhor para todos .
Exemplo: Quatro pessoas formam um grupo para fazer
pão na comunidade. O grupo tem responsabilidade social
com a comunidade ou é apenas mais uma pequena padaria ?
A que preço serão vendidos os pães produzidos ? Como será
dividido o lucro ? Se alguém sair do grupo ? Caso o grupo
acabe,com faremos com as máquinas e equipamentos
comprados pelo grupo ? etc,etc,etc.
PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
4

CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO SOCIAL

-

Deve contribuir concretamente para provocar mudanças
quantitativas e/ou qualitativas nas pessoas
e/ou comunidades envolvidas;

Ser um instrumento para a construção de elos de solidariedade,
promoção humana e autonomia das pessoas e/ou comunidades;
- Possibilitar o surgimento de oportunidades, espaços de inclusão
social e valorização das pessoas ;

-

-

Ter uma visão ampla, contribuir para o despertar de uma
consciência crítica e provocar mudanças de atitudes
por parte das pessoas .

PENSANDO ALTO
.

Temos visto na prática , que muitos projetos “ tidos como
comunitários/sociais” , de “produção coletiva de bens,
assessoria técnica ou prestação de serviços”, sofrem as mais
diferentes distorções de suas finalidades.

As instituições sociais/entidades comunitárias têm nas suas
declarações de missão e na visão de futuro , as frases mais lindas ,
dignas da beleza de São Francisco de Assis , mas na verdade ,
muitas vezes, o que ocorre é muito pior que em muitas empresas
particulares.Vivem da miséria e exploração, não querem nunca que
a sociedade seja igualitária, solidária e justa (não cumprimento da
legislação trabalhista , desrespeito a pessoa humana; na verdade
são propriedades privadas de uma pessoa ou de um pequeno grupo
que manipulam de todas as maneiras e se eternizam no poder com
objetivos os mais condenáveis possíveis: Exploração econômica,
”prestígio”, trampolim para cargos políticos , etc ) .
É claro, que a grande maioria das entidades sem fins
lucrativos, para felicidade nossa, são sérias e cumprem de forma
positiva com as suas missões, defendendo a construção de uma
sociedade melhor, mais humana e justa socialmente.

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
5

DIAGNÓSTICO – SITUAÇÃO ATUAL

TEM COMO OBJETIVOS :
-

Conhecer o maior número de informações sobre a realidade vivida
na comunidade e/ou assentamento rural. É importante saber
também sobre a vizinhança, o município , o Estado, o País e o
mundo ( obter informações diretamente com as pessoas da
comunidade ou por meio de fontes indiretas : IBGE - Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística, SEPLAN – Secretaria de
Planejamento, INCRA-Instituto Nacional de Colonização e Reforma
Agrária, Secretaria de Ação Social , Pesquisas em jornais,
livros/revistas e através de um valioso recurso que é a Internet
que a cada dia mais se faz presente em nossa vida) .
-

Levantar os principais problemas, relacionando suas causas
e seus efeitos(ver a correlação de forças
quem pode ajudar ou atrapalhar).

PENSANDO ALTO
É fundamental e democrático, que se tenha sempre um pequeno grupo
ou equipe responsável para levantar as informações. Dados gerais
interessantes de se conhecer:Número de habitantes ( homens/mulheres
crianças ), escolaridade das pessoas, tipos de atividades desenvolvidas:
por homens/mulheres/crianças, renda familiar, taxa de mortalidade
(quantos morrem por ano), taxa de natalidade (quantos nascem por
ano), principais doenças ,tipo de serviços médicos oferecidos ,
saneamento básico (se tem água tratada para beber, se tem serviço de
esgoto, aparelho sanitário,etc). Em projetos na área rural é bom observar:
Quadra invernosa – regime das chuvas, tempo e tipos de plantio, quais as
técnicas de plantio e cuidados com os animais criados, como vendem a
produção excedente,se a estrada é boa e trafegável o ano inteiro, se tem
prédio escolar, posto de saúde, quadra de esporte e/ou campo de futebol,
serviços de telefonia, tem capela e/ou igreja evangélica,as manifestações
artísticas e culturais e outros aspectos que considerarmos relevantes .
PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
6

PUBLICO ALVO – CLIENTELA

-

Identificar quem são as pessoas para quem estamos priorizando
as nossas energias e recursos : crianças e/ou adolescentes em
situação de risco pessoal e social, mulheres trabalhadoras rurais,
desempregados nas cidades, idosos, remanescentes indígenas,
deficientes físicos, negros - quilombolas , etc.
- Definir o segmento de público a ser trabalhado , de acordo com
o planejamento estratégico da entidade – missão da entidade, para
o qual iremos desenvolver os serviços/ações sociais e que será
beneficiado direta ou indiretamente pelas ações do projeto.

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
7

PENSANDO ALTO
O público alvo ou a clientela do projeto deverá ser bem
definido e de acordo com a capacidade gerencial/operacional
da entidade ou do grupo organizado .
Infelizmente temos milhares de trabalhadores desempregados
nas cidades e no campo. Como uma pequena iniciativa local de uma
comunidade da periferia das grandes cidades ou da zona rural poderia
ser a solução do desemprego de todos ?
E as crianças que vivem e/ou moram nas ruas das grandes/médias
cidades, como simplesmente um projeto de uma instituição não
governamental ou de um grupo organizado poderia sozinho
resolver esse problema ?
É preciso saber claramente qual a nossa contribuição ,
mesmo que pontual (uma gota d’água dentro do oceano),
mas de um significado muito importante, pois mostra que
não estamos omissos , só reclamando e esperando “soluções
vindas de salvadores e benfeitores do povo “ ,
estamos fazendo a nossa parte.
EXEMPLOS DE PÚBLICO ALVO – CLIENTELA DO PROJETO
1 – Em um projeto de incentivo a Exploração da Apicultura
( Produção racional e econômica de mel ). Podemos ter
como exemplo de público alvo para o referido projeto :
Comunidades, associações e produtores rurais.
2 – Já em um projeto de educação e cultura , o público alvo
pode ser jovens de 14 a 17 anos que vivem em
situação de risco pessoal e social.
3 – Projeto de Reforço Escolar, o público alvo poderia ser:
Menores de 7 a 14 anos , estudantes de escola pública .

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
8

FOCO DO PROJETO

Definir o foco de atuação - área específica de intervenção social
do projeto, de acordo com o segmento de público trabalhado:
Esporte, Educação, Geração de trabalho e renda
Saúde, sexualidade, capacitação profissional, Assessoria técnica na
área jurídica ou agroecológica , Arte e cultura ,etc .

PENSANDO ALTO
- Não seja apressado/a e querer resolver todos os problemas
da comunidade com a realização de um projeto somente .
-

-

É recomendável, e a experiência prática tem nos mostrado que é
preferível concentrarmos nossos esforços e energias, quando da
implantação de um projeto de intervenção social em uma única área
de carência da comunidade (problema), assim teremos melhores
condições de aproveitamento de nossos limitados recursos,
e com certeza, o retorno em resultados quantitativos e qualitativos
serão mais visíveis e eficientes .
É sempre bom lembrarmos que estamos falando de projetos sociais
relativamente pequenos realizados por grupos organizados nas
comunidades e associações comunitárias .

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
9

VIABILIDADE DO PROJETO
OU DEVEMOS IR EM FRENTE ?

-

Definir as alternativas para desenvolvermos as ações/atividades do
projeto e quais são os recursos necessários :
humano , material , econômico , tecnológico, etc .

-

Definir quais são os prováveis parceiros aliados e quais terão seus
interesses contrariados : Ver a correlação de força .

- Definir o potencial da instituição responsável pela execução do projeto
(o tamanho do passo que as nossas pernas podem dar ).
- Ver as questões legais – se a entidade responsável pela projeto está
com toda a documentação legal em dia .
- As questões sociais/econômicas - Se o projeto realmente beneficiará
as pessoas mais vulneráveis da comunidade ? Se a participação das
pessoas de fato acontecerá ? Se economicamente o projeto tem
possibilidade de melhorar a renda das pessoas envolvidas ?
- Ver a questão Ecológica - Se o projeto não causará danos ambientais
e prejudicará a saúde das pessoas ou causará divisão e/ou transtornos
na comunidade ? Enfim , vale ou não a pena se realizar o projeto ?

PENSANDO ALTO
1 – O fato de se começar a refletir nas reuniões da associação
ou no grupo que seria bom que a gente fizesse um projeto para ...
isso não significa que o mesmo é viável e que devemos tentar
colocá – lo em prática a qualquer custo ;
2 – Na hora de definir todos os pontos positivos e os pontos
negativos , as nossas fortalezas e fraquezas é bom ser honesto consigo
mesmo e não sair arranjando justificativas para esconder as nossas
fragilidades, capacidade organizacional e operativa (devemos ser o mais
realista possível, não se deixar levar somente pelas boas intenções
ou empolgação momentânea) .
PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
10

JUSTIFICATIVA
DEFESA DO PROJETO

Argumentar de forma direta e clara sobre a importância da realização
do projeto apresentado. Aproveitar os dados coletados no diagnóstico .
Não usar de sentimentalismo ou “apelos dramáticos ” colocando as
pessoas como “ coitadinhas” e como meras merecedoras da “caridade,
do favor, da ajuda e da esmola”. O povo simples, humilde e excluído
social/politicamente, merece/deve também ser respeitado.
Demonstrar que se está propondo uma parceria para um trabalho
solidário e sério e que trará benefícios para todos os envolvidos:
público – alvo , comunidade, entidade parceira: agências de cooperação ,
Fundações , instituições religiosas ou governamentais.

PENSANDO ALTO
1 – A regra básica é não mentir, não dramatizar e ficar dando voltas para
dizer a mesma coisa, ser curto e realista . um projeto social à nível de
comunidade ou pequenos grupos associativos não deve ter, no seu todo,
mais que 10 páginas ( quantidade , não significa qualidade, isto é, muitas
informações, às vezes , só confunde e atrapalha ) .
2 – Aproveitar as informações obtidas no diagnóstico – a fotografia em
preto e branco (não serve colorida) da situação atual, sem projeto .
só assim poderemos no futuro compararmos se houve mudanças para
melhor ou pior depois da realização do projeto (temos visto que em
algumas comunidades, determinados projetos que são implantados,
só servem para dividir,colocar uns contra os outros , gerando
desconfiança, criando inimizades e piorando a situação).

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
11

– EXEMPLO ILUSTRATIVO DE UMA JUSTIFICATIVA DE UM PROJETO
CULTURAL QUE TEM COMO PÚBLICO ALVO – CLIENTELA , CRIANÇAS
E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE RISCO PESSOAL E SOCIAL
EM UMA FAVELA DE FORTALEZA.
A realidade brasileira nos mostra que temos uma sociedade de
exclusão, injustiças e miséria. De acordo com dados oficiais do IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística , no Brasil ,50 milhões de
pessoas, o correspondente a 29% da população , estão abaixo da linha
de pobreza.
No nordeste brasileiro ,com quase 30% da população do país,esse
quadro é mais agravante onde o analfabetismo tem um índice, em
média, de 30% e a fome já atinge 47% da população.
O Pirambu , uma dentre as mais de 600 favelas existente na
5ª cidade do Brasil, Fortaleza ,com mais de 2,50 milhões de pessoas;
a realidade Vivida é o reflexo dessas desigualdades e a falta de
compromisso político.
O Bairro/favela do Pirambu é Formado por uma população
composta por migrantes do interior do estado, os fugidos da seca
e do latifúndio, os expulsos da terra .
O bairro do Pirambu nos seus 151,10 hectares de terra
desapropriado para fins sociais, em janeiro de 1962 pelo Governo
Federal,com quase 250 mil habitantes, ainda continua, infelizmente,
conhecido pela sua miséria, fome, violência, drogas ,
prostituição infantil,etc,etc...
Nas periferia das grande cidades , os jovens e adolescentes têm
poucas oportunidades e espaços disponíveis para desenvolverem o seu
potencial artístico e cultural em contradição há um número expressivo
de artistas populares dentro das comunidades pobres e excluídas das
políticas sociais e culturais ...

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
12

OBJETIVOS

SITUAÇÃ0 DESEJADA

Determinam onde se quer chegar com a realização do projeto.
Devem contribuir para que haja mudanças quantitativas e/ou
qualitativas : Conhecimento sobre os direitos fundamentais para
o exercício pleno da cidadania, melhoria nas condições de saúde,
capacitação profissional dos jovens , etc .
Não confundir com atividades ou serviços tais como :
construção de um prédio para funcionar uma escola ,
um posto de saúde; fazer uma quadra
esportiva, um campo de futebol, um açude , etc .
OS OBJETIVOS SÃO CLASSIFICADOS EM :
OBJETIVOS GERAIS - mais amplos, associados diretamente
ao planejamento estratégico da entidade – ligados a razão
de ser da instituição .
OBJETIVOS ESPECÍFICOS ou do projeto propriamente
dito – São os relacionados diretamente a proposta de intervenção
social apresentada pelo projeto que será executado por sua
entidade ou grupo organizado .

PENSANDO ALTO
1 – Exemplos de OBJETIVOS GERAIS : A - promover atividades
artísticas e culturais que possam melhorar a imagem do bairro do Pirambu
junto a sociedade fortalezense e ao mesmo tempo valorizar os diversos
artistas locais . B - Em um projeto de incentivo a piscicultura (criação de
peixe) : Gerar fonte de renda e alimentação
nos açudes públicos e privados .
2 – Exemplos de OBJETIVOS ESPECÍFICOS Para o projeto A :
- Promover um festival de música com artistas do bairro ;
- Realizar 02 oficinas de teatro popular.
Para o Projeto B : - Tornar a atividade economicamente
viável; Aumentar a oferta de peixes para a população do município.

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
13

METAS

RESULTADOS OU PRODUTOS

Alvo, fim, intenção, propósito, etc . Podem ser
quantitativas ou qualitativas e estão ligadas
diretamente aos objetivos específicos.
EXEMPLOS :
- Beneficiar 300 famílias de pescadores;
- Organizar os pescadores e proporcionar a venda de
peixe a um menor preço aos consumidores;
- Formação de uma rede solidária de , pelo menos,
12 grupos musicais no bairro do Pirambu;
- Maior participação dos pais na vida da escola

PLANO DE AÇÃO
CRONOGRAMA DE ATIVIDADES
PLANO DE TRABALHO
É como e quando vamos realizar as ações/atividades
para que os objetivos propostos possam ser atingidos.
É bom também definirmos os responsáveis .
As atividades devem ser colocadas de forma crescente de
dificuldade e ordenadas de acordo com a sua realização.
Cada objetivo específico deve ser associado com as suas atividades
para que possa ser plenamente alcançado .

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
14

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

EXEMPLO DE UM PLANO DE TRABALHO
PROJETO: ESPORTE É VIDA
OBJETIVO DO PROJETO :
INCENTIVAR A PRÁTICA ESPORTIVA COM ESTUDANTES
DAS ESCOLAS PÚBLICAS DO BAIRRO DO PIRAMBU
MESES
ATIVIDADES
Discussão nas escolas
e aprovação do projeto
Seleção de voluntários
Captação de
recursos/parcerias
Aquisição dos materiais
e equipamentos
Inscrições dos alunos
Exame médico dos inscritos
Início das práticas
esportivas
Avaliações

RESPONSÁVEIS
equipe/profes
sores
Equipe
Equipe

1

2

3 4 5

X

X
X
X

X X

Equipe

7

8

X

Escolas
Clínica
equipe/voluntá
rios/escolas
equipe/
assessoria

6

X X
X X
X
x

x

X
X

X

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
15

PENSANDO ALTO
1 – O mais recomendável em projetos sociais é que o mesmo tenha um
único objetivo geral ;
2 – Para que possamos concretizar o objetivo geral , o mesmo é detalhado
em alguns objetivos específicos ou objetivos do projeto ;
3 – Em cada objetivo especifico deverá ser discriminado o seu conjunto de
atividades, de acordo com a sua execução , bem como os seus
responsáveis e os recursos necessários ;
4 – Em todos os níveis,desde o objetivo geral, objetivos específicos,
resultados e as ações/atividades é de suma importância se definir alguns
INDICADORES para melhor compreendemos a evolução do projeto
proposto e fazermos as correções necessárias .
- Os INDICADORES são avisos, alertas para que possamos saber se o que
estamos querendo realizar está dando certo.
Os indicadores podem ser descritos de maneira simples tais como:
1 – Número de produtores rurais participantes da cooperativa
de beneficiamento de leite ;
2 – Índice de aprovação dos alunos;
3 – Taxa de mortalidade infantil;
4 – Consumo residencial médio de energia elétrica; 5 – Nível de formação
de professores do ensino fundamental das escolas do bairro;
6 – Proporção de gestantes assistidas no 1° trimestre de gravidez;
7 – Proporção da população coberta pelo programa saúde da família;
8 – Quantidade de crianças integradas em práticas esportivas nas escolas
públicas do bairro e 9 – Auto estima melhorada, etc .

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
16

METODOLOGIA
COMO SERÁ FEITO

QUAIS OS CAMINHOS ? AS MANEIRAS ?
As formas que serão utilizadas para que as ações/atividades
possam ser realizadas de maneira econômica e com êxito
e assim contribuam para alcançar os objetivos
propostos no projeto ?
- As reuniões serão somente com os adolescentes ?
- Os pais participarão das discussões com os adolescentes ?
- Faremos um seminário aberto ao público para que o mesmo
tenha conhecimento do projeto ?
-

As pessoas que trabalharão no projeto serão todas voluntárias ?
- Teremos um jornalzinho comunitário para divulgação
daquilo que estamos fazendo?
- As 02 avaliações do projeto serão realizadas por
assessores externos ou teremos uma equipe mista ?

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
17

RECURSOS NECESSÁRIOS
ORÇAMENTO

- Para cada atividade a ser realizada deveremos estimar
o seu custo correspondente. Colocar não somente as necessidades
em dinheiro, também especificar os recursos humanos,
materiais , tecnológico , etc.
- Valorizar o que podemos colocar como recursos do próprio grupo
ou comunidade: trabalho voluntário,um galpão ou uma máquina já
existente . É a chamada contrapartida local, o que já se tem para
começar, isso é muito importante na hora de buscarmos
parcerias para a realização do projeto dentro ou fora da comunidade.
- Sempre que for comprar máquinas e equipamentos , ter a proposta de
venda, de no mínimo, 3 empresas sérias e conceituadas no mercado.
- É sempre bom , no final convertermos o valor total solicitado em
parceria e o valor da contrapartida local em dólares , já que é
uma moeda mais estável e aceita no mundo inteiro
( colocar o valor do dólar do dia ).

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
18

EXEMPLO DE UM ORÇAMENTO
PROJETO : FÁBRICA DE GELO SÃO PEDRO
VALORES Em RS 1,00
DISCRIMINAÇÃO
I – MÁQUINAS E
EQUIPAMENTOS
- Fabricador de gelo
com capacidade ...
- Máquina eletrônica
para fabricar gelo
- Freezer horizontal
com capacidade/250l
- Seladora para saco
II – ADAPTAÇÃO DO
IMÓVEL E
INSTALAÇÕES
III – Recursos
Humanos/anual
- Gerente
- Encarregados de
produção
- Vendedores
- Assessoria/avaliação
IV – DESPESAS
ADMINISTRATIVA
- Energia elétrica
- Água
- Embalagem
Propaganda
- Honorário do
contador
CUSTO TOTAL
EM REAIS
CUSTO TOTAL
EM DÓLARES

QUANTID
VALOR
VALOR ENTIDADE
ADE
UNITÁRIO TOTAL PARCEIRA
27.640
20.000

RECURSOS
PRÓPRIOS
7.640

01

10.000 10.000

9.000

1.000

01

15.000 15.000

13.000

2.000

1.400

700

03

700

2.100

01

240

240

VE
Valor
Estimado

1.000
16.800

01
03

1.000
6.800

10.000

8.000
8.000

4.000
4.000

30.000

24.000

6.000

10.000

8.000

2.000

6.000 6.000
3.600 10.800

03
02

VE
VE
VE
VE
VE

12.000
12.000
2.500
1.200

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
19

ACOMPANHAMENTO
&
AVALIAÇÃO
Se ficar só no ativismo, de ir realizando ações/atividades sem
ter um acompanhamento e não fazendo avaliações constante para
que se tenha informações reais se o que estamos fazendo está sendo
feito de forma correta e dando os resultados que foram planejados
na proposta de trabalho, é mesmo que perder
tempo e jogar dinheiro fora .
As avaliações devem ocorrer em vários momentos da vida
do projeto e não somente no encerramento do mesmo
(às vezes, quase como uma obrigação, somente para
produzir o “famoso”relatório institucional ”) .
A participação dos beneficiários diretos e da comunidade
como um todo deve ser assegurada em todos os momentos
do projeto, principalmente nas avaliações onde serão
refletidas se as ações ou atividades desenvolvidas pelo
projeto estão atingido seus objetivos e quais as prováveis
correções de rota que devem ser feitas no mesmo .

PENSANDO ALTO
1 – É muito importante que se faça, no mínimo, toda semana, uma
reunião interna da equipe de trabalho do projeto , para reavivar a
memória e dar uma olhadinha no cronograma de atividades e ao mesmo
tempo fazer uma avaliação informal sobre o que foi realizado na semana
anterior e ver o que precisa ser feito na semana seguinte ;
2 – AVALIAR, à grosso modo , é o mesmo que medir , comparar,
pesar, dar valor ; enfim, é julgar. Para que façamos avaliações boas,
devemos ter ferramentas, instrumentos e meio para medirmos,
pesarmos e compararmos.
- Quando queremos confirmar que uma pessoa está com
febre,usamos um instrumento chamado termômetro;
- Quando queremos medir a altura de uma criança ,
recorremos a fita métrica , isto é, lançamos mão de indicadores.
3 – Os INDICADORES definem uma relação entre dois pontos,
uma medida para demonstrar a modificação ou um resultado
de uma atividade ou projeto e sinaliza a maior ou menor
probabilidade de se atingir as metas estabelecidas.
PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
20

COMO APRESENTAR O PROJETO
ROTEIRO BÁSICO
Antes de ir preenchendo os formulários e/ou questionários das
instituições (futuras parcerias), a maioria delas têm o seu modelo próprio;
é muito bom fazermos o nosso próprio rascunho da proposta de trabalho
social que queremos realizar e em seguida é só realizarmos as
adaptações necessárias. É muito importante, faz bem a saúde de todos ,
e a tão falada democracia agradece, que tenhamos a participação das
pessoas da comunidade em todas as fases do projeto .
SUGESTÃO PARA ROTEIRO BÁSICO DE UM PROJETO
01 – Capa : Título do Projeto e timbre da entidade solicitante (logotipo ou
símbolo, Endereço , etc) -02 – Sumário: Resumo do Projeto - 03 – Índice
04 – Introdução :Resumo do diagnóstico - 05 – Justificativa
06 – Objetivos : Geral e Específicos - 07 – Metas ou Resultados – Plano
de Trabalho ou Cronograma de Atividades 08 – Metodologia
09 – Orçamento -10 – Acompanhamento & Avaliação -11 – Continuidade
do projeto após a sua implantação - a famosa sustentabilidade
12 – Apresentação da organização responsável pelo projeto :
responsável legal , endereço ,data de fundação , documentação legal
(colocar em anexo ),principais realizações e parcerias -13 – Equipe de
trabalho : técnicos e/ou voluntários -14 – Anexos : Reportagens de
jornais , fotos, cópia do estatuto social e da ata de fundação e a atual,
registro do C.N.P.J - da Receita Federal, registro no conselho nacional de
serviço social, Certidão de utilidade pública,
Atestado de funcionamento, etc.

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
21

PARA SABER MAIS SOBRE O ASSUNTO
Existem várias publicações e informações na internet
onde podemos ter informações sobre o trabalho desenvolvido pelas
ONGs – Organizações Não Governamentais. É fundamental que a gente
sempre esteja atualizado/a para não ficarmos por fora e assim termos
também oportunidades de melhorarmos o nosso trabalho e
concretizarmos novas parcerias;as mais diversas possíveis, pois a
entidade que fica isolada se torna muito mais difícil ampliar o seu
trabalho e obter resultados mais expressivos .

PUBLICAÇÕES SOBRE O TEMA :
Acompanhamento e Avaliação de Projetos. Autor :
Hamilton Leite Cruz.Edição do autor , Brasília, 1999.
- Como Elaborar Projetos – Guia Prático para elaboração e Gestão de
Projetos Sociais , Domingos Armani - Porto Alegre - Tomo Editoral ,2000.
-

-

Elaboração de Projetos Sociais , Aneliese Nascimento.
Fundação Nacional do Meio Ambiente – FNMA , Brasília , 2001.
Elaboração de projetos e propostas para organizações da sociedade
civil - Coleção gestão e sustentabilidade .Instituto fonte . Autora :
Rosana Kisil, São Paulo: Global Editora , 2001.
- Elaboração de Projetos Comunitários
Abordagem Prática. Tenório, Fernando Guilherme (Org.) Bertho,
Helena & Carvalho, Helenice Feijó.
Editora Loyola/CEDAC, São Paulo, 1995.
- Guia para elaboração de projetos sociais.
Luís Stephanou;Lúcia Helena Muller & Isabel Cristina de Moura
Carvalho. São Leopoldo – RS : Sinodal, Porto Alegre/RS.
Fundação Luterana de Diaconia , 2003.
Modelo de Gerência com indicadores . Giovenardi,
Eugênio & Luna, Lígia,INCRA/PNUD – Programa
de Capacitação em Apoio à Reforma Agrária , Brasília, 1997.
-

- Manual de Avaliação de projetos sociais .
Eduardo Marino . 2ª Edição, São Paulo: Saraiva/
Instituto Ayrton Senna, 2003.
- Monitoria e Avaliação de Projetos
Tradução e adaptação de Markus Blose ,
GTZ/Alemanha, Recife,1993.

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
22

-

-

Manual de Implantação de Projetos- Schubert,
Pedro. Editora : Livros Técnicos e Científicos Ltda,
Rio de Janeiro, 1989.

No Caminho da Organização – Projetos , Recursos
Cooperação . Autores ; Lorenzo Zanetti e
Cléia Silveira, FASE/SAAP
- Projeto Sociais – Como elaborar – Nova América/
Paulinas,São Paulo, 1998
-

Como fundar uma ONG – SEM FINS LUCRATIVOS
GRUDE - Grupo de Defesa Ecológica – Centro de
Referência Em Educação Ambiental

- Novo Código Civil Brasileiro atualizado
IBC – Instituto Brasileiro de Cultura - Editora : On Line,
São Paulo/SP , 2003.
Podemos ter informações em várias páginas na internet
sobre o trabalho das organizações não governamentais
sem fins lucrativos , é só colocar, em qualquer
buscador de pesquisa, a sigla - ong
Pesquisa/texto/Design gráfico : Eri Brasil

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
23

ANEXO
O QUE DIZ A LEI SOBRE AS ORGANIZAÇÕES
NÃO GOVERNAMENTAIS - SEM FINS LUCRATIVOS
É claro que para se realizar ações concretas para melhoria da
Comunidade e/ou do assentamento rural, através de projetos sociais
em parceria com os órgãos públicos , instituições privados, agências
cooperantes governamentais ou não , necessariamente o obstáculo
maior não será o fato de não se ter uma associação, um conselho ou
centro social comunitário legalizado como manda a lei, tudo de acordo
com as formalidades (instituições ou entidades formais que
indiretamente representam os seus associados/as ou filiados/as) .
Existem inúmeros exemplos de grupos ou movimentos informais onde as
coisas acontecem de maneira solidária e organizada . Ocorre que o fato de
não se ter uma documentação formal , como o Estatuto social , inscrição
na Receita Federal, o famoso CNPJ (cadastro Nacional de Pessoa Jurídica )
muitas vezes dificulta e até inviabilizar a concretização de parcerias e
prestação de contas - como obter nota fiscal sem o CNPJ ?) .
Entendemos que ORGANIZAÇÃO vem da união de duas palavras :
ORGANIZAR + AÇÃO ( ou seja,organizar para a ação ) e o fato de se ter
uma instituição registrada , toda documentada , não significa que a
comunidade esteja realmente organizada e unida para agir em favor de
todos (é muito fácil e rápido se” criar “ uma organização não
governamental – SEM FINS LUCRATIVOS , existem modelos de Estatuto
Social já pronto, de acordo com o “ gosto do freguês “. Não precisa
refletir, ver as necessidades , elaborar o Estatuto em reunião , etc.
É só pegar meia dúzia de “ amigos “ e pronto , em seguida ir no cartório ,
pagar uma pequena taxa e sair com a documentação debaixo do braço se
arrogando de “ liderança” e fazendo negócios ” .São as distorções,
muitas vezes, incentivadas pelas “supostas facilidades” - vantagens :
se lembram da lei do Gersom ? – “gosto de levar vantagens em tudo..”
São os interesses particulares e as manipulações políticas/eleitoreiras,
o proselitismo religioso ( conquista de adeptos para determinadas seitas) .
Como já dissemos , felizmente, existem na sua grande maioria,
as entidades comunitárias sérias e verdadeiramente representativas
dos anseios da coletividade que ela representa.São essas que
devemos reforçar e dar todo o nosso apoio.

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
24

De acordo com as leis vigente em nosso país, especificamente
o NOVO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO , de janeiro de 2003 em sua PARTE
GERAL , LIVRO I , NO TÍTULO II que trata das PESSOAS JÚRIDICAS ,
no CAPÍTULO I e II – DAS ASSOCIAÇÕES (Arts. 44 ; 53° a 61°)
temos as seguintes disposições :
Art. 44 – São pessoas jurídicas de direito privado :
I – as associações;
II - As sociedades;
III – as fundações
Art . 53° - Constituem-se as associações pela união de pessoas que se
organizem para fins não econômicos.
Parágrafo único – Não há, entre os associados,
direitos e obrigações recíprocos.
Art. 54° - Sob pena de nulidade, o estatuto das associações conterá :
I – a denominação, os fins e a sede da associação;
II – os requisitos para a admissão, demissão e exclusão do associados;
III – os direitos e deveres dos associados;
IV – as fontes de recursos para sua manutenção;
V – o modo de constituição e funcionamento do órgãos
deliberativos e administrativos;
VI – as condições para alteração das disposições
estatutárias e para a dissolução.
Art. 55° - Os associados devem ter iguais direitos, mas o estatuto poderá
instituir categorias com vantagens especiais.
Art.56° - A qualidade de associado é intransmissível se o estatuto
não dispor ao contrário.
Parágrafo único – Se o associado for titular da quota ou fração ideal do
patrimônio da associação, a transferência daquela não importará, de per
si, da qualidade de associado ao adquirente ou ao herdeiro, salvo
disposição diversa do estatuto.
Art. 57° - A exclusão do associado só é admissível havendo justa causa,
obedecido o disposto no estatuto; sendo este omisso, poderá também
ocorrer, se for reconhecida a existência de motivos graves, em
deliberação fundamentada, pela maioria absoluta dos presentes à
assembléia geral especialmente convocada para esse fim .

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
25

Art. 58 – Nenhum associado poderá ser impedido de exercer
direito ou função que lhe tenha sido legitimamente conferido,
a não ser nos casos e pela forma previstos na lei ou no estatuto.
Art. 59 – Compete privativamente à assembléia geral :
I – eleger os administradores;
II – destituir os administradores;
III – aprovar as contas;
IV – alterar o estatuto
Parágrafo único – Para as deliberações a que se referem os
incisos II e IV é exigido o voto concorde de dois terços dos
presentes à assembléia especificamente convocada para esse
fim, não podendo ela deliberar, em primeira
convocação,sem a maioria absoluta dos associados,
ou com menos de um terço nas convocações seguintes.
Art.60 – A convocação da assembléia geral far-se-á na
forma do estatuto, garantido a um quinto dos associados
o direito de promovê-la.
Art. 61 – Dissolvida a associação, o remanescente de seu patrimônio
líquido, depois de deduzidas, se for o caso, as quotas ou frações
ideais referidas no parágrafo único do art.56, será destinado
à entidade de fins não econômicos designada no estatuto,
ou, omisso este, por deliberação dos associados, à instituição
municipal, estadual ou federal, de fins idênticos ou semelhantes .
Parágrafo primeiro – por cláusula do estatuto ou, no seu silêncio,
por deliberação dos associados, podem estes, antes, da destinação
do remanescente referida neste artigo, receber em restituição,
atualizado o respectivo valor,as contribuições que tiveram
prestado ao patrimônio da associação .
Parágrafo segundo – Não existindo no Município, no Estado,
no Distrito Federal ou no Território, em que a associação tiver sede,
instituição nas condições indicadas neste artigo, o que remanescer
do seu patrimônio se devolverá à Fazenda do Estado,
do Distrito Federal ou da União.

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil
26

PROJETOS SOCIAIS
AO ALCANCE DE TODOS
ERI BRASIL
ASSUNTOS ABORDADOS
O que é um projeto social ?
Características de um projeto social ?
Diagnóstico – Levantamento da situação atual
Público alvo – beneficiários – clientela do projeto
Foco da atuação do projeto
Viabilidade do projeto
Justificativa – defesa do projeto
Objetivos – situação desejada
Metas – produtos ou resultados esperados
Plano de trabalho – cronograma de atividades
Metodologia – como fazer ?
Recursos necessários – orçamento do projeto
Exemplo de orçamento de um projeto social
Acompanhamento & Avaliação do projeto
Definição dos indicadores de resultados
Como apresentar – elaborar um projeto
Bibliografia - Para saber mais sobre o assunto
Anexo : o que diz a lei - código civil brasileiro
Sobre as organizações não governamentais,
As entidades sem fins lucrativos
Dicas sobre estatutos sociais/atualização

e-mail:erigorbrasil@bol.com.br

PROJETOS SOCIAIS
Ao alcance de todos
Eri Brasil

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto familia na escola
Projeto familia na escolaProjeto familia na escola
Projeto familia na escola
Eduardojr-professor
 
Como Elaborar Projetos Sociais
Como Elaborar Projetos SociaisComo Elaborar Projetos Sociais
Como Elaborar Projetos Sociais
Rosane Domingues
 
Relatório final de estágio
Relatório final de estágio Relatório final de estágio
Relatório final de estágio
Monique Elen Rodrigues de Araújo Oliveira
 
Projeto didático valores humanos
Projeto didático valores humanosProjeto didático valores humanos
Projeto didático valores humanos
Marcio Haubricht
 
Aulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil efAulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil ef
Marina da Costa Lima
 
Nttps p 2_ano _planos_de_aula
Nttps p 2_ano _planos_de_aulaNttps p 2_ano _planos_de_aula
Nttps p 2_ano _planos_de_aula
davyaraujo1
 
Modelo parecer social
Modelo  parecer socialModelo  parecer social
Modelo parecer social
Rosane Domingues
 
Plano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloPlano de ação - Modelo
Plano de ação - Modelo
Daniel Santos
 
Suas 13 estudos de caso para debate
Suas  13 estudos de caso para debateSuas  13 estudos de caso para debate
Suas 13 estudos de caso para debate
Rosane Domingues
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
Andreza Oliveira
 
Projeto jornal escolar
Projeto jornal escolarProjeto jornal escolar
Projeto jornal escolar
Aridiane Santos
 
Modelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógicoModelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógico
Elicio Lima
 
Texto Reflexivo: Plante um Futuro
Texto Reflexivo: Plante um FuturoTexto Reflexivo: Plante um Futuro
Texto Reflexivo: Plante um Futuro
Adilson P Motta Motta
 
Protagonismo juvenil
Protagonismo juvenilProtagonismo juvenil
Cultura de paz e o cotidiano escolar
Cultura de paz e o cotidiano escolarCultura de paz e o cotidiano escolar
Cultura de paz e o cotidiano escolar
Guaraciara Lopes
 
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
Habilidades sociais oficina   apostila-pdfHabilidades sociais oficina   apostila-pdf
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
Anaí Peña
 
10 dinâmicas divertidas e envolventes
10 dinâmicas divertidas e envolventes10 dinâmicas divertidas e envolventes
10 dinâmicas divertidas e envolventes
Seduc MT
 
Guia para Elaboração do Relatório Social - Portal SeloSocial.com
Guia para Elaboração do Relatório Social - Portal SeloSocial.comGuia para Elaboração do Relatório Social - Portal SeloSocial.com
Guia para Elaboração do Relatório Social - Portal SeloSocial.com
Instituto Abaçaí
 
Elaboração de projetos sociais
Elaboração de projetos sociaisElaboração de projetos sociais
Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
Silvio Medeiros
 

Mais procurados (20)

Projeto familia na escola
Projeto familia na escolaProjeto familia na escola
Projeto familia na escola
 
Como Elaborar Projetos Sociais
Como Elaborar Projetos SociaisComo Elaborar Projetos Sociais
Como Elaborar Projetos Sociais
 
Relatório final de estágio
Relatório final de estágio Relatório final de estágio
Relatório final de estágio
 
Projeto didático valores humanos
Projeto didático valores humanosProjeto didático valores humanos
Projeto didático valores humanos
 
Aulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil efAulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil ef
 
Nttps p 2_ano _planos_de_aula
Nttps p 2_ano _planos_de_aulaNttps p 2_ano _planos_de_aula
Nttps p 2_ano _planos_de_aula
 
Modelo parecer social
Modelo  parecer socialModelo  parecer social
Modelo parecer social
 
Plano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloPlano de ação - Modelo
Plano de ação - Modelo
 
Suas 13 estudos de caso para debate
Suas  13 estudos de caso para debateSuas  13 estudos de caso para debate
Suas 13 estudos de caso para debate
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Projeto jornal escolar
Projeto jornal escolarProjeto jornal escolar
Projeto jornal escolar
 
Modelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógicoModelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógico
 
Texto Reflexivo: Plante um Futuro
Texto Reflexivo: Plante um FuturoTexto Reflexivo: Plante um Futuro
Texto Reflexivo: Plante um Futuro
 
Protagonismo juvenil
Protagonismo juvenilProtagonismo juvenil
Protagonismo juvenil
 
Cultura de paz e o cotidiano escolar
Cultura de paz e o cotidiano escolarCultura de paz e o cotidiano escolar
Cultura de paz e o cotidiano escolar
 
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
Habilidades sociais oficina   apostila-pdfHabilidades sociais oficina   apostila-pdf
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
 
10 dinâmicas divertidas e envolventes
10 dinâmicas divertidas e envolventes10 dinâmicas divertidas e envolventes
10 dinâmicas divertidas e envolventes
 
Guia para Elaboração do Relatório Social - Portal SeloSocial.com
Guia para Elaboração do Relatório Social - Portal SeloSocial.comGuia para Elaboração do Relatório Social - Portal SeloSocial.com
Guia para Elaboração do Relatório Social - Portal SeloSocial.com
 
Elaboração de projetos sociais
Elaboração de projetos sociaisElaboração de projetos sociais
Elaboração de projetos sociais
 
Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
 

Destaque

Como Elaborar Projetos Sociais
Como Elaborar Projetos SociaisComo Elaborar Projetos Sociais
Como Elaborar Projetos Sociais
afp.leite
 
Projeto pronto
Projeto prontoProjeto pronto
Projeto pronto
Construtoa LEAL FERREIRA
 
Projeto Social
Projeto SocialProjeto Social
Projeto Social
Luanalu
 
Apostila Completa - Elaboração de Projetos
Apostila Completa - Elaboração de ProjetosApostila Completa - Elaboração de Projetos
Apostila Completa - Elaboração de Projetos
Portal Voluntários Online
 
ELABORAÇÃO DE PROJETOS
ELABORAÇÃO DE PROJETOSELABORAÇÃO DE PROJETOS
ELABORAÇÃO DE PROJETOS
proinfoundimeparaiba
 
Como elaborar projetos sociais
Como elaborar projetos sociaisComo elaborar projetos sociais
Como elaborar projetos sociais
danielastieh
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
Felipe Pereira
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
José Antonio Ferreira da Silva
 
Projeto Esporte Social
Projeto Esporte SocialProjeto Esporte Social
Projeto Esporte Social
MBA_CEMPRESARIAL2014
 
Meu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara naraMeu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara nara
joiramara
 
Trabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aulaTrabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aula
Greisomar
 
Roteiro para escrever projetos
Roteiro para escrever projetosRoteiro para escrever projetos
Elaboração de projetos sociais objetivos
Elaboração de projetos sociais objetivosElaboração de projetos sociais objetivos
Elaboração de projetos sociais objetivos
José Adriano M C Marinho
 
Modelo projeto didático rose
Modelo projeto didático  roseModelo projeto didático  rose
Modelo projeto didático rose
Janete Garcia de Freitas
 
Pré-projeto de Mestrado
Pré-projeto de MestradoPré-projeto de Mestrado
Pré-projeto de Mestrado
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia
Joao Balbi
 
Os projetos didáticos
Os projetos didáticosOs projetos didáticos
Os projetos didáticos
marisa liotti
 
Como elaborar projetos sociais - Instituto Fonte
Como elaborar projetos sociais - Instituto FonteComo elaborar projetos sociais - Instituto Fonte
Como elaborar projetos sociais - Instituto Fonte
Fundação Abrinq
 
Projeto ong
Projeto ongProjeto ong
Projeto ong
alphaju
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
marildabacana
 

Destaque (20)

Como Elaborar Projetos Sociais
Como Elaborar Projetos SociaisComo Elaborar Projetos Sociais
Como Elaborar Projetos Sociais
 
Projeto pronto
Projeto prontoProjeto pronto
Projeto pronto
 
Projeto Social
Projeto SocialProjeto Social
Projeto Social
 
Apostila Completa - Elaboração de Projetos
Apostila Completa - Elaboração de ProjetosApostila Completa - Elaboração de Projetos
Apostila Completa - Elaboração de Projetos
 
ELABORAÇÃO DE PROJETOS
ELABORAÇÃO DE PROJETOSELABORAÇÃO DE PROJETOS
ELABORAÇÃO DE PROJETOS
 
Como elaborar projetos sociais
Como elaborar projetos sociaisComo elaborar projetos sociais
Como elaborar projetos sociais
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
 
Projeto Esporte Social
Projeto Esporte SocialProjeto Esporte Social
Projeto Esporte Social
 
Meu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara naraMeu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara nara
 
Trabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aulaTrabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aula
 
Roteiro para escrever projetos
Roteiro para escrever projetosRoteiro para escrever projetos
Roteiro para escrever projetos
 
Elaboração de projetos sociais objetivos
Elaboração de projetos sociais objetivosElaboração de projetos sociais objetivos
Elaboração de projetos sociais objetivos
 
Modelo projeto didático rose
Modelo projeto didático  roseModelo projeto didático  rose
Modelo projeto didático rose
 
Pré-projeto de Mestrado
Pré-projeto de MestradoPré-projeto de Mestrado
Pré-projeto de Mestrado
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia
 
Os projetos didáticos
Os projetos didáticosOs projetos didáticos
Os projetos didáticos
 
Como elaborar projetos sociais - Instituto Fonte
Como elaborar projetos sociais - Instituto FonteComo elaborar projetos sociais - Instituto Fonte
Como elaborar projetos sociais - Instituto Fonte
 
Projeto ong
Projeto ongProjeto ong
Projeto ong
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
 

Semelhante a PROJETO SOCIAIS

Mais Cidadania, Melhor Sociedade
Mais Cidadania, Melhor SociedadeMais Cidadania, Melhor Sociedade
Mais Cidadania, Melhor Sociedade
JSD Distrital de Lisboa
 
Manual do Candidato do PSDB 2016
Manual do Candidato do PSDB 2016Manual do Candidato do PSDB 2016
Manual do Candidato do PSDB 2016
Paulo Veras
 
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
CETUR
 
52356417 assistencia-social
52356417 assistencia-social52356417 assistencia-social
52356417 assistencia-social
Josiane Coelho da Silva
 
Compacto relatorio estagio
Compacto relatorio estagioCompacto relatorio estagio
Compacto relatorio estagio
Andressa Gomes
 
Apresentação projeto social.pptx
Apresentação projeto social.pptxApresentação projeto social.pptx
Apresentação projeto social.pptx
FranciscaKeilaSilvad
 
Curso para Gestores de Cidades Socialistas - Módulo 1 Aula 6
Curso para Gestores de Cidades Socialistas - Módulo 1 Aula 6Curso para Gestores de Cidades Socialistas - Módulo 1 Aula 6
Curso para Gestores de Cidades Socialistas - Módulo 1 Aula 6
CETUR
 
trabalho de revisao da materia direito economico
trabalho de revisao da materia direito economicotrabalho de revisao da materia direito economico
trabalho de revisao da materia direito economico
JonasNeves14
 
Manual do Voluntário
Manual do VoluntárioManual do Voluntário
Manual do Voluntário
Aghata Gonsalves
 
MESA REDONDA 2019 1ª e 2ª discussão.pptx
MESA REDONDA 2019 1ª e 2ª discussão.pptxMESA REDONDA 2019 1ª e 2ª discussão.pptx
MESA REDONDA 2019 1ª e 2ª discussão.pptx
JUCIVANDEARAUJOJUCIV
 
O papel dos jornais é perene
O papel dos jornais é perene O papel dos jornais é perene
O papel dos jornais é perene
Luciana Moherdaui
 
Proposta governo1471287194332
Proposta governo1471287194332Proposta governo1471287194332
Proposta governo1471287194332
blogdoelvis
 
Aula Terceiro Setor no Brasil
Aula Terceiro Setor no BrasilAula Terceiro Setor no Brasil
Aula Terceiro Setor no Brasil
Cleide Magáli dos Santos
 
APRESENTAÇÃO DO PROJETO HORTA-"PLANTANDO E CUIDANDO DE VIDAS".
APRESENTAÇÃO DO PROJETO HORTA-"PLANTANDO E CUIDANDO DE VIDAS".APRESENTAÇÃO DO PROJETO HORTA-"PLANTANDO E CUIDANDO DE VIDAS".
APRESENTAÇÃO DO PROJETO HORTA-"PLANTANDO E CUIDANDO DE VIDAS".
BRANDAO.ILSON
 
Retratos da deficiencia no brasil
Retratos da deficiencia no brasilRetratos da deficiencia no brasil
Retratos da deficiencia no brasil
Rosane Domingues
 
Módulo 1 - O Trabalho Voluntário
Módulo 1 - O Trabalho VoluntárioMódulo 1 - O Trabalho Voluntário
Módulo 1 - O Trabalho Voluntário
Portal Voluntários Online
 
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos verArtigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
Marianne Costa
 
governança solidária local
governança solidária localgovernança solidária local
governança solidária local
jandira feijó
 
(1 12 2009 09 26 33) artigo (1)
(1 12 2009 09 26 33) artigo (1)(1 12 2009 09 26 33) artigo (1)
(1 12 2009 09 26 33) artigo (1)
Kamila Santos
 

Semelhante a PROJETO SOCIAIS (20)

Mais Cidadania, Melhor Sociedade
Mais Cidadania, Melhor SociedadeMais Cidadania, Melhor Sociedade
Mais Cidadania, Melhor Sociedade
 
Manual do Candidato do PSDB 2016
Manual do Candidato do PSDB 2016Manual do Candidato do PSDB 2016
Manual do Candidato do PSDB 2016
 
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
 
52356417 assistencia-social
52356417 assistencia-social52356417 assistencia-social
52356417 assistencia-social
 
Compacto relatorio estagio
Compacto relatorio estagioCompacto relatorio estagio
Compacto relatorio estagio
 
Apresentação projeto social.pptx
Apresentação projeto social.pptxApresentação projeto social.pptx
Apresentação projeto social.pptx
 
Curso para Gestores de Cidades Socialistas - Módulo 1 Aula 6
Curso para Gestores de Cidades Socialistas - Módulo 1 Aula 6Curso para Gestores de Cidades Socialistas - Módulo 1 Aula 6
Curso para Gestores de Cidades Socialistas - Módulo 1 Aula 6
 
trabalho de revisao da materia direito economico
trabalho de revisao da materia direito economicotrabalho de revisao da materia direito economico
trabalho de revisao da materia direito economico
 
Manual do Voluntário
Manual do VoluntárioManual do Voluntário
Manual do Voluntário
 
MESA REDONDA 2019 1ª e 2ª discussão.pptx
MESA REDONDA 2019 1ª e 2ª discussão.pptxMESA REDONDA 2019 1ª e 2ª discussão.pptx
MESA REDONDA 2019 1ª e 2ª discussão.pptx
 
O papel dos jornais é perene
O papel dos jornais é perene O papel dos jornais é perene
O papel dos jornais é perene
 
Proposta governo1471287194332
Proposta governo1471287194332Proposta governo1471287194332
Proposta governo1471287194332
 
Aula Terceiro Setor no Brasil
Aula Terceiro Setor no BrasilAula Terceiro Setor no Brasil
Aula Terceiro Setor no Brasil
 
APRESENTAÇÃO DO PROJETO HORTA-"PLANTANDO E CUIDANDO DE VIDAS".
APRESENTAÇÃO DO PROJETO HORTA-"PLANTANDO E CUIDANDO DE VIDAS".APRESENTAÇÃO DO PROJETO HORTA-"PLANTANDO E CUIDANDO DE VIDAS".
APRESENTAÇÃO DO PROJETO HORTA-"PLANTANDO E CUIDANDO DE VIDAS".
 
Retratos da deficiencia no brasil
Retratos da deficiencia no brasilRetratos da deficiencia no brasil
Retratos da deficiencia no brasil
 
Módulo 1 - O Trabalho Voluntário
Módulo 1 - O Trabalho VoluntárioMódulo 1 - O Trabalho Voluntário
Módulo 1 - O Trabalho Voluntário
 
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
 
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos verArtigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
Artigo: As empresas sociais e a mudança que queremos ver
 
governança solidária local
governança solidária localgovernança solidária local
governança solidária local
 
(1 12 2009 09 26 33) artigo (1)
(1 12 2009 09 26 33) artigo (1)(1 12 2009 09 26 33) artigo (1)
(1 12 2009 09 26 33) artigo (1)
 

Mais de E1R2I3

ENTENDENDO COMO FUNCIONA A SOCIEDADE
ENTENDENDO COMO FUNCIONA A SOCIEDADEENTENDENDO COMO FUNCIONA A SOCIEDADE
ENTENDENDO COMO FUNCIONA A SOCIEDADE
E1R2I3
 
PROJETO ESTAÇÃO JUVENTUDE DE CAUCAIA - PONTUAÇÃO FINAL
PROJETO ESTAÇÃO JUVENTUDE DE CAUCAIA - PONTUAÇÃO FINALPROJETO ESTAÇÃO JUVENTUDE DE CAUCAIA - PONTUAÇÃO FINAL
PROJETO ESTAÇÃO JUVENTUDE DE CAUCAIA - PONTUAÇÃO FINAL
E1R2I3
 
ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS
ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAISELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS
ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS
E1R2I3
 
ESCOLA VIDA E CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
ESCOLA VIDA E CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRAESCOLA VIDA E CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
ESCOLA VIDA E CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
E1R2I3
 
ESCOLA VIDA & CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
ESCOLA VIDA & CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRAESCOLA VIDA & CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
ESCOLA VIDA & CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
E1R2I3
 
Escola Vida & Cadania - Mestre Oliveira
Escola Vida & Cadania - Mestre OliveiraEscola Vida & Cadania - Mestre Oliveira
Escola Vida & Cadania - Mestre Oliveira
E1R2I3
 
Caucaiadobem
CaucaiadobemCaucaiadobem
Caucaiadobem
E1R2I3
 
Caucaiadobem
CaucaiadobemCaucaiadobem
Caucaiadobem
E1R2I3
 
Caucaiadobem
CaucaiadobemCaucaiadobem
Caucaiadobem
E1R2I3
 
Caucaiaredesolidariaobjetivoseresultados1
Caucaiaredesolidariaobjetivoseresultados1Caucaiaredesolidariaobjetivoseresultados1
Caucaiaredesolidariaobjetivoseresultados1
E1R2I3
 

Mais de E1R2I3 (10)

ENTENDENDO COMO FUNCIONA A SOCIEDADE
ENTENDENDO COMO FUNCIONA A SOCIEDADEENTENDENDO COMO FUNCIONA A SOCIEDADE
ENTENDENDO COMO FUNCIONA A SOCIEDADE
 
PROJETO ESTAÇÃO JUVENTUDE DE CAUCAIA - PONTUAÇÃO FINAL
PROJETO ESTAÇÃO JUVENTUDE DE CAUCAIA - PONTUAÇÃO FINALPROJETO ESTAÇÃO JUVENTUDE DE CAUCAIA - PONTUAÇÃO FINAL
PROJETO ESTAÇÃO JUVENTUDE DE CAUCAIA - PONTUAÇÃO FINAL
 
ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS
ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAISELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS
ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS
 
ESCOLA VIDA E CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
ESCOLA VIDA E CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRAESCOLA VIDA E CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
ESCOLA VIDA E CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
 
ESCOLA VIDA & CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
ESCOLA VIDA & CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRAESCOLA VIDA & CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
ESCOLA VIDA & CIDADANIA - MESTRE OLIVEIRA
 
Escola Vida & Cadania - Mestre Oliveira
Escola Vida & Cadania - Mestre OliveiraEscola Vida & Cadania - Mestre Oliveira
Escola Vida & Cadania - Mestre Oliveira
 
Caucaiadobem
CaucaiadobemCaucaiadobem
Caucaiadobem
 
Caucaiadobem
CaucaiadobemCaucaiadobem
Caucaiadobem
 
Caucaiadobem
CaucaiadobemCaucaiadobem
Caucaiadobem
 
Caucaiaredesolidariaobjetivoseresultados1
Caucaiaredesolidariaobjetivoseresultados1Caucaiaredesolidariaobjetivoseresultados1
Caucaiaredesolidariaobjetivoseresultados1
 

PROJETO SOCIAIS

  • 1. Projetos Sociais Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 2. 2 PROJETOS SOCIAIS AO ALCANCE DE TODOS A importância das organizações não governamentais para a construção de espaços democráticos e alternativas para uma vida mais digna, cooperação e produção solidária é um fato concreto . O chamado terceiro setor vem demonstrando que a sociedade brasileira tem criado mecanismos de participação,cidadania, trabalho e renda; promovendo concretamente a pessoa humana e abrindo clareiras para uma verdadeira inclusão social dentro de parâmetros tais como : Solidariedade, Fraternidade e Justiça Social . As milhares de entidades sociais: Associações comunitárias,cooperativas de pequenos produtores, centros e institutos de assessoria existentes no país compõem uma teia de resistência e formação de verdadeiros cidadãos/ãs que através do trabalho coletivo contribuem, mesmo que anonimamente, para um Brasil melhor para todos . Essa publicação elaborada de maneira simples é direcionada às entidades comunitárias e/ou as pessoas envolvidas ou com pretensão de um futuro envolvimento/engajamento nas causas/movimentos sociais e estão buscando informações básicas sobre o tema. ERI BRASIL José Erivando Brasil, mais conhecido como Eri Brasil, é Eng° Agrônomo, “metido a poeta“, com vários cursos em elaboração e pedagogia de projetos.Tem uma ampla experiência vivida no dia–a–dia, na elaboração e gestão de projetos sociais, tanto na área urbana, bem como rural; ora como assessor/facilitador e a maioria das vezes, como participante ativo nos diversos movimentos sociais de base. PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 3. 3 O QUE É UM PROJETO SOCIAL ? - Só casar, quando tiver uma casa para morar; - Ter uma cooperativa para beneficiar o leite produzido pelas vacas dos pequenos agricultores; - Conseguir educação básica para as crianças da comunidade; - Realizar torneios esportivos com jovens estudantes das escolas públicas existente na comunidade; - Fazer exercícios físicos – malhação para ficar com o corpo em forma – sarado SERÁ QUE TODAS ESSAS IDÉIAS OU AÇÕES PENSADAS/DESEJADAS SÃO PROJETOS SOCIAIS ? DEFINIÇÃO SIMPLIFICADA O QUE, COM CERTEZA, NÃO É UM PROJETO SOCIAL O que visa beneficiar individualmente ou que não tem uma importância maior e duradoura para a comunidade como um todo ou grande parte dela, não pode ser considerado um projeto social . É sim, uma iniciativa isolada ou de um pequeno grupo sem qualquer compromisso ou responsabilidade social; sendo um fim em si mesmo, e não contribuindo como um meio para a construção de uma sociedade mais igualitária, solidária, justa e melhor para todos . Exemplo: Quatro pessoas formam um grupo para fazer pão na comunidade. O grupo tem responsabilidade social com a comunidade ou é apenas mais uma pequena padaria ? A que preço serão vendidos os pães produzidos ? Como será dividido o lucro ? Se alguém sair do grupo ? Caso o grupo acabe,com faremos com as máquinas e equipamentos comprados pelo grupo ? etc,etc,etc. PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 4. 4 CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO SOCIAL - Deve contribuir concretamente para provocar mudanças quantitativas e/ou qualitativas nas pessoas e/ou comunidades envolvidas; Ser um instrumento para a construção de elos de solidariedade, promoção humana e autonomia das pessoas e/ou comunidades; - Possibilitar o surgimento de oportunidades, espaços de inclusão social e valorização das pessoas ; - - Ter uma visão ampla, contribuir para o despertar de uma consciência crítica e provocar mudanças de atitudes por parte das pessoas . PENSANDO ALTO . Temos visto na prática , que muitos projetos “ tidos como comunitários/sociais” , de “produção coletiva de bens, assessoria técnica ou prestação de serviços”, sofrem as mais diferentes distorções de suas finalidades. As instituições sociais/entidades comunitárias têm nas suas declarações de missão e na visão de futuro , as frases mais lindas , dignas da beleza de São Francisco de Assis , mas na verdade , muitas vezes, o que ocorre é muito pior que em muitas empresas particulares.Vivem da miséria e exploração, não querem nunca que a sociedade seja igualitária, solidária e justa (não cumprimento da legislação trabalhista , desrespeito a pessoa humana; na verdade são propriedades privadas de uma pessoa ou de um pequeno grupo que manipulam de todas as maneiras e se eternizam no poder com objetivos os mais condenáveis possíveis: Exploração econômica, ”prestígio”, trampolim para cargos políticos , etc ) . É claro, que a grande maioria das entidades sem fins lucrativos, para felicidade nossa, são sérias e cumprem de forma positiva com as suas missões, defendendo a construção de uma sociedade melhor, mais humana e justa socialmente. PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 5. 5 DIAGNÓSTICO – SITUAÇÃO ATUAL TEM COMO OBJETIVOS : - Conhecer o maior número de informações sobre a realidade vivida na comunidade e/ou assentamento rural. É importante saber também sobre a vizinhança, o município , o Estado, o País e o mundo ( obter informações diretamente com as pessoas da comunidade ou por meio de fontes indiretas : IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, SEPLAN – Secretaria de Planejamento, INCRA-Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, Secretaria de Ação Social , Pesquisas em jornais, livros/revistas e através de um valioso recurso que é a Internet que a cada dia mais se faz presente em nossa vida) . - Levantar os principais problemas, relacionando suas causas e seus efeitos(ver a correlação de forças quem pode ajudar ou atrapalhar). PENSANDO ALTO É fundamental e democrático, que se tenha sempre um pequeno grupo ou equipe responsável para levantar as informações. Dados gerais interessantes de se conhecer:Número de habitantes ( homens/mulheres crianças ), escolaridade das pessoas, tipos de atividades desenvolvidas: por homens/mulheres/crianças, renda familiar, taxa de mortalidade (quantos morrem por ano), taxa de natalidade (quantos nascem por ano), principais doenças ,tipo de serviços médicos oferecidos , saneamento básico (se tem água tratada para beber, se tem serviço de esgoto, aparelho sanitário,etc). Em projetos na área rural é bom observar: Quadra invernosa – regime das chuvas, tempo e tipos de plantio, quais as técnicas de plantio e cuidados com os animais criados, como vendem a produção excedente,se a estrada é boa e trafegável o ano inteiro, se tem prédio escolar, posto de saúde, quadra de esporte e/ou campo de futebol, serviços de telefonia, tem capela e/ou igreja evangélica,as manifestações artísticas e culturais e outros aspectos que considerarmos relevantes . PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 6. 6 PUBLICO ALVO – CLIENTELA - Identificar quem são as pessoas para quem estamos priorizando as nossas energias e recursos : crianças e/ou adolescentes em situação de risco pessoal e social, mulheres trabalhadoras rurais, desempregados nas cidades, idosos, remanescentes indígenas, deficientes físicos, negros - quilombolas , etc. - Definir o segmento de público a ser trabalhado , de acordo com o planejamento estratégico da entidade – missão da entidade, para o qual iremos desenvolver os serviços/ações sociais e que será beneficiado direta ou indiretamente pelas ações do projeto. PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 7. 7 PENSANDO ALTO O público alvo ou a clientela do projeto deverá ser bem definido e de acordo com a capacidade gerencial/operacional da entidade ou do grupo organizado . Infelizmente temos milhares de trabalhadores desempregados nas cidades e no campo. Como uma pequena iniciativa local de uma comunidade da periferia das grandes cidades ou da zona rural poderia ser a solução do desemprego de todos ? E as crianças que vivem e/ou moram nas ruas das grandes/médias cidades, como simplesmente um projeto de uma instituição não governamental ou de um grupo organizado poderia sozinho resolver esse problema ? É preciso saber claramente qual a nossa contribuição , mesmo que pontual (uma gota d’água dentro do oceano), mas de um significado muito importante, pois mostra que não estamos omissos , só reclamando e esperando “soluções vindas de salvadores e benfeitores do povo “ , estamos fazendo a nossa parte. EXEMPLOS DE PÚBLICO ALVO – CLIENTELA DO PROJETO 1 – Em um projeto de incentivo a Exploração da Apicultura ( Produção racional e econômica de mel ). Podemos ter como exemplo de público alvo para o referido projeto : Comunidades, associações e produtores rurais. 2 – Já em um projeto de educação e cultura , o público alvo pode ser jovens de 14 a 17 anos que vivem em situação de risco pessoal e social. 3 – Projeto de Reforço Escolar, o público alvo poderia ser: Menores de 7 a 14 anos , estudantes de escola pública . PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 8. 8 FOCO DO PROJETO Definir o foco de atuação - área específica de intervenção social do projeto, de acordo com o segmento de público trabalhado: Esporte, Educação, Geração de trabalho e renda Saúde, sexualidade, capacitação profissional, Assessoria técnica na área jurídica ou agroecológica , Arte e cultura ,etc . PENSANDO ALTO - Não seja apressado/a e querer resolver todos os problemas da comunidade com a realização de um projeto somente . - - É recomendável, e a experiência prática tem nos mostrado que é preferível concentrarmos nossos esforços e energias, quando da implantação de um projeto de intervenção social em uma única área de carência da comunidade (problema), assim teremos melhores condições de aproveitamento de nossos limitados recursos, e com certeza, o retorno em resultados quantitativos e qualitativos serão mais visíveis e eficientes . É sempre bom lembrarmos que estamos falando de projetos sociais relativamente pequenos realizados por grupos organizados nas comunidades e associações comunitárias . PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 9. 9 VIABILIDADE DO PROJETO OU DEVEMOS IR EM FRENTE ? - Definir as alternativas para desenvolvermos as ações/atividades do projeto e quais são os recursos necessários : humano , material , econômico , tecnológico, etc . - Definir quais são os prováveis parceiros aliados e quais terão seus interesses contrariados : Ver a correlação de força . - Definir o potencial da instituição responsável pela execução do projeto (o tamanho do passo que as nossas pernas podem dar ). - Ver as questões legais – se a entidade responsável pela projeto está com toda a documentação legal em dia . - As questões sociais/econômicas - Se o projeto realmente beneficiará as pessoas mais vulneráveis da comunidade ? Se a participação das pessoas de fato acontecerá ? Se economicamente o projeto tem possibilidade de melhorar a renda das pessoas envolvidas ? - Ver a questão Ecológica - Se o projeto não causará danos ambientais e prejudicará a saúde das pessoas ou causará divisão e/ou transtornos na comunidade ? Enfim , vale ou não a pena se realizar o projeto ? PENSANDO ALTO 1 – O fato de se começar a refletir nas reuniões da associação ou no grupo que seria bom que a gente fizesse um projeto para ... isso não significa que o mesmo é viável e que devemos tentar colocá – lo em prática a qualquer custo ; 2 – Na hora de definir todos os pontos positivos e os pontos negativos , as nossas fortalezas e fraquezas é bom ser honesto consigo mesmo e não sair arranjando justificativas para esconder as nossas fragilidades, capacidade organizacional e operativa (devemos ser o mais realista possível, não se deixar levar somente pelas boas intenções ou empolgação momentânea) . PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 10. 10 JUSTIFICATIVA DEFESA DO PROJETO Argumentar de forma direta e clara sobre a importância da realização do projeto apresentado. Aproveitar os dados coletados no diagnóstico . Não usar de sentimentalismo ou “apelos dramáticos ” colocando as pessoas como “ coitadinhas” e como meras merecedoras da “caridade, do favor, da ajuda e da esmola”. O povo simples, humilde e excluído social/politicamente, merece/deve também ser respeitado. Demonstrar que se está propondo uma parceria para um trabalho solidário e sério e que trará benefícios para todos os envolvidos: público – alvo , comunidade, entidade parceira: agências de cooperação , Fundações , instituições religiosas ou governamentais. PENSANDO ALTO 1 – A regra básica é não mentir, não dramatizar e ficar dando voltas para dizer a mesma coisa, ser curto e realista . um projeto social à nível de comunidade ou pequenos grupos associativos não deve ter, no seu todo, mais que 10 páginas ( quantidade , não significa qualidade, isto é, muitas informações, às vezes , só confunde e atrapalha ) . 2 – Aproveitar as informações obtidas no diagnóstico – a fotografia em preto e branco (não serve colorida) da situação atual, sem projeto . só assim poderemos no futuro compararmos se houve mudanças para melhor ou pior depois da realização do projeto (temos visto que em algumas comunidades, determinados projetos que são implantados, só servem para dividir,colocar uns contra os outros , gerando desconfiança, criando inimizades e piorando a situação). PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 11. 11 – EXEMPLO ILUSTRATIVO DE UMA JUSTIFICATIVA DE UM PROJETO CULTURAL QUE TEM COMO PÚBLICO ALVO – CLIENTELA , CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE RISCO PESSOAL E SOCIAL EM UMA FAVELA DE FORTALEZA. A realidade brasileira nos mostra que temos uma sociedade de exclusão, injustiças e miséria. De acordo com dados oficiais do IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística , no Brasil ,50 milhões de pessoas, o correspondente a 29% da população , estão abaixo da linha de pobreza. No nordeste brasileiro ,com quase 30% da população do país,esse quadro é mais agravante onde o analfabetismo tem um índice, em média, de 30% e a fome já atinge 47% da população. O Pirambu , uma dentre as mais de 600 favelas existente na 5ª cidade do Brasil, Fortaleza ,com mais de 2,50 milhões de pessoas; a realidade Vivida é o reflexo dessas desigualdades e a falta de compromisso político. O Bairro/favela do Pirambu é Formado por uma população composta por migrantes do interior do estado, os fugidos da seca e do latifúndio, os expulsos da terra . O bairro do Pirambu nos seus 151,10 hectares de terra desapropriado para fins sociais, em janeiro de 1962 pelo Governo Federal,com quase 250 mil habitantes, ainda continua, infelizmente, conhecido pela sua miséria, fome, violência, drogas , prostituição infantil,etc,etc... Nas periferia das grande cidades , os jovens e adolescentes têm poucas oportunidades e espaços disponíveis para desenvolverem o seu potencial artístico e cultural em contradição há um número expressivo de artistas populares dentro das comunidades pobres e excluídas das políticas sociais e culturais ... PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 12. 12 OBJETIVOS SITUAÇÃ0 DESEJADA Determinam onde se quer chegar com a realização do projeto. Devem contribuir para que haja mudanças quantitativas e/ou qualitativas : Conhecimento sobre os direitos fundamentais para o exercício pleno da cidadania, melhoria nas condições de saúde, capacitação profissional dos jovens , etc . Não confundir com atividades ou serviços tais como : construção de um prédio para funcionar uma escola , um posto de saúde; fazer uma quadra esportiva, um campo de futebol, um açude , etc . OS OBJETIVOS SÃO CLASSIFICADOS EM : OBJETIVOS GERAIS - mais amplos, associados diretamente ao planejamento estratégico da entidade – ligados a razão de ser da instituição . OBJETIVOS ESPECÍFICOS ou do projeto propriamente dito – São os relacionados diretamente a proposta de intervenção social apresentada pelo projeto que será executado por sua entidade ou grupo organizado . PENSANDO ALTO 1 – Exemplos de OBJETIVOS GERAIS : A - promover atividades artísticas e culturais que possam melhorar a imagem do bairro do Pirambu junto a sociedade fortalezense e ao mesmo tempo valorizar os diversos artistas locais . B - Em um projeto de incentivo a piscicultura (criação de peixe) : Gerar fonte de renda e alimentação nos açudes públicos e privados . 2 – Exemplos de OBJETIVOS ESPECÍFICOS Para o projeto A : - Promover um festival de música com artistas do bairro ; - Realizar 02 oficinas de teatro popular. Para o Projeto B : - Tornar a atividade economicamente viável; Aumentar a oferta de peixes para a população do município. PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 13. 13 METAS RESULTADOS OU PRODUTOS Alvo, fim, intenção, propósito, etc . Podem ser quantitativas ou qualitativas e estão ligadas diretamente aos objetivos específicos. EXEMPLOS : - Beneficiar 300 famílias de pescadores; - Organizar os pescadores e proporcionar a venda de peixe a um menor preço aos consumidores; - Formação de uma rede solidária de , pelo menos, 12 grupos musicais no bairro do Pirambu; - Maior participação dos pais na vida da escola PLANO DE AÇÃO CRONOGRAMA DE ATIVIDADES PLANO DE TRABALHO É como e quando vamos realizar as ações/atividades para que os objetivos propostos possam ser atingidos. É bom também definirmos os responsáveis . As atividades devem ser colocadas de forma crescente de dificuldade e ordenadas de acordo com a sua realização. Cada objetivo específico deve ser associado com as suas atividades para que possa ser plenamente alcançado . PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 14. 14 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES EXEMPLO DE UM PLANO DE TRABALHO PROJETO: ESPORTE É VIDA OBJETIVO DO PROJETO : INCENTIVAR A PRÁTICA ESPORTIVA COM ESTUDANTES DAS ESCOLAS PÚBLICAS DO BAIRRO DO PIRAMBU MESES ATIVIDADES Discussão nas escolas e aprovação do projeto Seleção de voluntários Captação de recursos/parcerias Aquisição dos materiais e equipamentos Inscrições dos alunos Exame médico dos inscritos Início das práticas esportivas Avaliações RESPONSÁVEIS equipe/profes sores Equipe Equipe 1 2 3 4 5 X X X X X X Equipe 7 8 X Escolas Clínica equipe/voluntá rios/escolas equipe/ assessoria 6 X X X X X x x X X X PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 15. 15 PENSANDO ALTO 1 – O mais recomendável em projetos sociais é que o mesmo tenha um único objetivo geral ; 2 – Para que possamos concretizar o objetivo geral , o mesmo é detalhado em alguns objetivos específicos ou objetivos do projeto ; 3 – Em cada objetivo especifico deverá ser discriminado o seu conjunto de atividades, de acordo com a sua execução , bem como os seus responsáveis e os recursos necessários ; 4 – Em todos os níveis,desde o objetivo geral, objetivos específicos, resultados e as ações/atividades é de suma importância se definir alguns INDICADORES para melhor compreendemos a evolução do projeto proposto e fazermos as correções necessárias . - Os INDICADORES são avisos, alertas para que possamos saber se o que estamos querendo realizar está dando certo. Os indicadores podem ser descritos de maneira simples tais como: 1 – Número de produtores rurais participantes da cooperativa de beneficiamento de leite ; 2 – Índice de aprovação dos alunos; 3 – Taxa de mortalidade infantil; 4 – Consumo residencial médio de energia elétrica; 5 – Nível de formação de professores do ensino fundamental das escolas do bairro; 6 – Proporção de gestantes assistidas no 1° trimestre de gravidez; 7 – Proporção da população coberta pelo programa saúde da família; 8 – Quantidade de crianças integradas em práticas esportivas nas escolas públicas do bairro e 9 – Auto estima melhorada, etc . PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 16. 16 METODOLOGIA COMO SERÁ FEITO QUAIS OS CAMINHOS ? AS MANEIRAS ? As formas que serão utilizadas para que as ações/atividades possam ser realizadas de maneira econômica e com êxito e assim contribuam para alcançar os objetivos propostos no projeto ? - As reuniões serão somente com os adolescentes ? - Os pais participarão das discussões com os adolescentes ? - Faremos um seminário aberto ao público para que o mesmo tenha conhecimento do projeto ? - As pessoas que trabalharão no projeto serão todas voluntárias ? - Teremos um jornalzinho comunitário para divulgação daquilo que estamos fazendo? - As 02 avaliações do projeto serão realizadas por assessores externos ou teremos uma equipe mista ? PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 17. 17 RECURSOS NECESSÁRIOS ORÇAMENTO - Para cada atividade a ser realizada deveremos estimar o seu custo correspondente. Colocar não somente as necessidades em dinheiro, também especificar os recursos humanos, materiais , tecnológico , etc. - Valorizar o que podemos colocar como recursos do próprio grupo ou comunidade: trabalho voluntário,um galpão ou uma máquina já existente . É a chamada contrapartida local, o que já se tem para começar, isso é muito importante na hora de buscarmos parcerias para a realização do projeto dentro ou fora da comunidade. - Sempre que for comprar máquinas e equipamentos , ter a proposta de venda, de no mínimo, 3 empresas sérias e conceituadas no mercado. - É sempre bom , no final convertermos o valor total solicitado em parceria e o valor da contrapartida local em dólares , já que é uma moeda mais estável e aceita no mundo inteiro ( colocar o valor do dólar do dia ). PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 18. 18 EXEMPLO DE UM ORÇAMENTO PROJETO : FÁBRICA DE GELO SÃO PEDRO VALORES Em RS 1,00 DISCRIMINAÇÃO I – MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS - Fabricador de gelo com capacidade ... - Máquina eletrônica para fabricar gelo - Freezer horizontal com capacidade/250l - Seladora para saco II – ADAPTAÇÃO DO IMÓVEL E INSTALAÇÕES III – Recursos Humanos/anual - Gerente - Encarregados de produção - Vendedores - Assessoria/avaliação IV – DESPESAS ADMINISTRATIVA - Energia elétrica - Água - Embalagem Propaganda - Honorário do contador CUSTO TOTAL EM REAIS CUSTO TOTAL EM DÓLARES QUANTID VALOR VALOR ENTIDADE ADE UNITÁRIO TOTAL PARCEIRA 27.640 20.000 RECURSOS PRÓPRIOS 7.640 01 10.000 10.000 9.000 1.000 01 15.000 15.000 13.000 2.000 1.400 700 03 700 2.100 01 240 240 VE Valor Estimado 1.000 16.800 01 03 1.000 6.800 10.000 8.000 8.000 4.000 4.000 30.000 24.000 6.000 10.000 8.000 2.000 6.000 6.000 3.600 10.800 03 02 VE VE VE VE VE 12.000 12.000 2.500 1.200 PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 19. 19 ACOMPANHAMENTO & AVALIAÇÃO Se ficar só no ativismo, de ir realizando ações/atividades sem ter um acompanhamento e não fazendo avaliações constante para que se tenha informações reais se o que estamos fazendo está sendo feito de forma correta e dando os resultados que foram planejados na proposta de trabalho, é mesmo que perder tempo e jogar dinheiro fora . As avaliações devem ocorrer em vários momentos da vida do projeto e não somente no encerramento do mesmo (às vezes, quase como uma obrigação, somente para produzir o “famoso”relatório institucional ”) . A participação dos beneficiários diretos e da comunidade como um todo deve ser assegurada em todos os momentos do projeto, principalmente nas avaliações onde serão refletidas se as ações ou atividades desenvolvidas pelo projeto estão atingido seus objetivos e quais as prováveis correções de rota que devem ser feitas no mesmo . PENSANDO ALTO 1 – É muito importante que se faça, no mínimo, toda semana, uma reunião interna da equipe de trabalho do projeto , para reavivar a memória e dar uma olhadinha no cronograma de atividades e ao mesmo tempo fazer uma avaliação informal sobre o que foi realizado na semana anterior e ver o que precisa ser feito na semana seguinte ; 2 – AVALIAR, à grosso modo , é o mesmo que medir , comparar, pesar, dar valor ; enfim, é julgar. Para que façamos avaliações boas, devemos ter ferramentas, instrumentos e meio para medirmos, pesarmos e compararmos. - Quando queremos confirmar que uma pessoa está com febre,usamos um instrumento chamado termômetro; - Quando queremos medir a altura de uma criança , recorremos a fita métrica , isto é, lançamos mão de indicadores. 3 – Os INDICADORES definem uma relação entre dois pontos, uma medida para demonstrar a modificação ou um resultado de uma atividade ou projeto e sinaliza a maior ou menor probabilidade de se atingir as metas estabelecidas. PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 20. 20 COMO APRESENTAR O PROJETO ROTEIRO BÁSICO Antes de ir preenchendo os formulários e/ou questionários das instituições (futuras parcerias), a maioria delas têm o seu modelo próprio; é muito bom fazermos o nosso próprio rascunho da proposta de trabalho social que queremos realizar e em seguida é só realizarmos as adaptações necessárias. É muito importante, faz bem a saúde de todos , e a tão falada democracia agradece, que tenhamos a participação das pessoas da comunidade em todas as fases do projeto . SUGESTÃO PARA ROTEIRO BÁSICO DE UM PROJETO 01 – Capa : Título do Projeto e timbre da entidade solicitante (logotipo ou símbolo, Endereço , etc) -02 – Sumário: Resumo do Projeto - 03 – Índice 04 – Introdução :Resumo do diagnóstico - 05 – Justificativa 06 – Objetivos : Geral e Específicos - 07 – Metas ou Resultados – Plano de Trabalho ou Cronograma de Atividades 08 – Metodologia 09 – Orçamento -10 – Acompanhamento & Avaliação -11 – Continuidade do projeto após a sua implantação - a famosa sustentabilidade 12 – Apresentação da organização responsável pelo projeto : responsável legal , endereço ,data de fundação , documentação legal (colocar em anexo ),principais realizações e parcerias -13 – Equipe de trabalho : técnicos e/ou voluntários -14 – Anexos : Reportagens de jornais , fotos, cópia do estatuto social e da ata de fundação e a atual, registro do C.N.P.J - da Receita Federal, registro no conselho nacional de serviço social, Certidão de utilidade pública, Atestado de funcionamento, etc. PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 21. 21 PARA SABER MAIS SOBRE O ASSUNTO Existem várias publicações e informações na internet onde podemos ter informações sobre o trabalho desenvolvido pelas ONGs – Organizações Não Governamentais. É fundamental que a gente sempre esteja atualizado/a para não ficarmos por fora e assim termos também oportunidades de melhorarmos o nosso trabalho e concretizarmos novas parcerias;as mais diversas possíveis, pois a entidade que fica isolada se torna muito mais difícil ampliar o seu trabalho e obter resultados mais expressivos . PUBLICAÇÕES SOBRE O TEMA : Acompanhamento e Avaliação de Projetos. Autor : Hamilton Leite Cruz.Edição do autor , Brasília, 1999. - Como Elaborar Projetos – Guia Prático para elaboração e Gestão de Projetos Sociais , Domingos Armani - Porto Alegre - Tomo Editoral ,2000. - - Elaboração de Projetos Sociais , Aneliese Nascimento. Fundação Nacional do Meio Ambiente – FNMA , Brasília , 2001. Elaboração de projetos e propostas para organizações da sociedade civil - Coleção gestão e sustentabilidade .Instituto fonte . Autora : Rosana Kisil, São Paulo: Global Editora , 2001. - Elaboração de Projetos Comunitários Abordagem Prática. Tenório, Fernando Guilherme (Org.) Bertho, Helena & Carvalho, Helenice Feijó. Editora Loyola/CEDAC, São Paulo, 1995. - Guia para elaboração de projetos sociais. Luís Stephanou;Lúcia Helena Muller & Isabel Cristina de Moura Carvalho. São Leopoldo – RS : Sinodal, Porto Alegre/RS. Fundação Luterana de Diaconia , 2003. Modelo de Gerência com indicadores . Giovenardi, Eugênio & Luna, Lígia,INCRA/PNUD – Programa de Capacitação em Apoio à Reforma Agrária , Brasília, 1997. - - Manual de Avaliação de projetos sociais . Eduardo Marino . 2ª Edição, São Paulo: Saraiva/ Instituto Ayrton Senna, 2003. - Monitoria e Avaliação de Projetos Tradução e adaptação de Markus Blose , GTZ/Alemanha, Recife,1993. PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 22. 22 - - Manual de Implantação de Projetos- Schubert, Pedro. Editora : Livros Técnicos e Científicos Ltda, Rio de Janeiro, 1989. No Caminho da Organização – Projetos , Recursos Cooperação . Autores ; Lorenzo Zanetti e Cléia Silveira, FASE/SAAP - Projeto Sociais – Como elaborar – Nova América/ Paulinas,São Paulo, 1998 - Como fundar uma ONG – SEM FINS LUCRATIVOS GRUDE - Grupo de Defesa Ecológica – Centro de Referência Em Educação Ambiental - Novo Código Civil Brasileiro atualizado IBC – Instituto Brasileiro de Cultura - Editora : On Line, São Paulo/SP , 2003. Podemos ter informações em várias páginas na internet sobre o trabalho das organizações não governamentais sem fins lucrativos , é só colocar, em qualquer buscador de pesquisa, a sigla - ong Pesquisa/texto/Design gráfico : Eri Brasil PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 23. 23 ANEXO O QUE DIZ A LEI SOBRE AS ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS - SEM FINS LUCRATIVOS É claro que para se realizar ações concretas para melhoria da Comunidade e/ou do assentamento rural, através de projetos sociais em parceria com os órgãos públicos , instituições privados, agências cooperantes governamentais ou não , necessariamente o obstáculo maior não será o fato de não se ter uma associação, um conselho ou centro social comunitário legalizado como manda a lei, tudo de acordo com as formalidades (instituições ou entidades formais que indiretamente representam os seus associados/as ou filiados/as) . Existem inúmeros exemplos de grupos ou movimentos informais onde as coisas acontecem de maneira solidária e organizada . Ocorre que o fato de não se ter uma documentação formal , como o Estatuto social , inscrição na Receita Federal, o famoso CNPJ (cadastro Nacional de Pessoa Jurídica ) muitas vezes dificulta e até inviabilizar a concretização de parcerias e prestação de contas - como obter nota fiscal sem o CNPJ ?) . Entendemos que ORGANIZAÇÃO vem da união de duas palavras : ORGANIZAR + AÇÃO ( ou seja,organizar para a ação ) e o fato de se ter uma instituição registrada , toda documentada , não significa que a comunidade esteja realmente organizada e unida para agir em favor de todos (é muito fácil e rápido se” criar “ uma organização não governamental – SEM FINS LUCRATIVOS , existem modelos de Estatuto Social já pronto, de acordo com o “ gosto do freguês “. Não precisa refletir, ver as necessidades , elaborar o Estatuto em reunião , etc. É só pegar meia dúzia de “ amigos “ e pronto , em seguida ir no cartório , pagar uma pequena taxa e sair com a documentação debaixo do braço se arrogando de “ liderança” e fazendo negócios ” .São as distorções, muitas vezes, incentivadas pelas “supostas facilidades” - vantagens : se lembram da lei do Gersom ? – “gosto de levar vantagens em tudo..” São os interesses particulares e as manipulações políticas/eleitoreiras, o proselitismo religioso ( conquista de adeptos para determinadas seitas) . Como já dissemos , felizmente, existem na sua grande maioria, as entidades comunitárias sérias e verdadeiramente representativas dos anseios da coletividade que ela representa.São essas que devemos reforçar e dar todo o nosso apoio. PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 24. 24 De acordo com as leis vigente em nosso país, especificamente o NOVO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO , de janeiro de 2003 em sua PARTE GERAL , LIVRO I , NO TÍTULO II que trata das PESSOAS JÚRIDICAS , no CAPÍTULO I e II – DAS ASSOCIAÇÕES (Arts. 44 ; 53° a 61°) temos as seguintes disposições : Art. 44 – São pessoas jurídicas de direito privado : I – as associações; II - As sociedades; III – as fundações Art . 53° - Constituem-se as associações pela união de pessoas que se organizem para fins não econômicos. Parágrafo único – Não há, entre os associados, direitos e obrigações recíprocos. Art. 54° - Sob pena de nulidade, o estatuto das associações conterá : I – a denominação, os fins e a sede da associação; II – os requisitos para a admissão, demissão e exclusão do associados; III – os direitos e deveres dos associados; IV – as fontes de recursos para sua manutenção; V – o modo de constituição e funcionamento do órgãos deliberativos e administrativos; VI – as condições para alteração das disposições estatutárias e para a dissolução. Art. 55° - Os associados devem ter iguais direitos, mas o estatuto poderá instituir categorias com vantagens especiais. Art.56° - A qualidade de associado é intransmissível se o estatuto não dispor ao contrário. Parágrafo único – Se o associado for titular da quota ou fração ideal do patrimônio da associação, a transferência daquela não importará, de per si, da qualidade de associado ao adquirente ou ao herdeiro, salvo disposição diversa do estatuto. Art. 57° - A exclusão do associado só é admissível havendo justa causa, obedecido o disposto no estatuto; sendo este omisso, poderá também ocorrer, se for reconhecida a existência de motivos graves, em deliberação fundamentada, pela maioria absoluta dos presentes à assembléia geral especialmente convocada para esse fim . PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 25. 25 Art. 58 – Nenhum associado poderá ser impedido de exercer direito ou função que lhe tenha sido legitimamente conferido, a não ser nos casos e pela forma previstos na lei ou no estatuto. Art. 59 – Compete privativamente à assembléia geral : I – eleger os administradores; II – destituir os administradores; III – aprovar as contas; IV – alterar o estatuto Parágrafo único – Para as deliberações a que se referem os incisos II e IV é exigido o voto concorde de dois terços dos presentes à assembléia especificamente convocada para esse fim, não podendo ela deliberar, em primeira convocação,sem a maioria absoluta dos associados, ou com menos de um terço nas convocações seguintes. Art.60 – A convocação da assembléia geral far-se-á na forma do estatuto, garantido a um quinto dos associados o direito de promovê-la. Art. 61 – Dissolvida a associação, o remanescente de seu patrimônio líquido, depois de deduzidas, se for o caso, as quotas ou frações ideais referidas no parágrafo único do art.56, será destinado à entidade de fins não econômicos designada no estatuto, ou, omisso este, por deliberação dos associados, à instituição municipal, estadual ou federal, de fins idênticos ou semelhantes . Parágrafo primeiro – por cláusula do estatuto ou, no seu silêncio, por deliberação dos associados, podem estes, antes, da destinação do remanescente referida neste artigo, receber em restituição, atualizado o respectivo valor,as contribuições que tiveram prestado ao patrimônio da associação . Parágrafo segundo – Não existindo no Município, no Estado, no Distrito Federal ou no Território, em que a associação tiver sede, instituição nas condições indicadas neste artigo, o que remanescer do seu patrimônio se devolverá à Fazenda do Estado, do Distrito Federal ou da União. PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil
  • 26. 26 PROJETOS SOCIAIS AO ALCANCE DE TODOS ERI BRASIL ASSUNTOS ABORDADOS O que é um projeto social ? Características de um projeto social ? Diagnóstico – Levantamento da situação atual Público alvo – beneficiários – clientela do projeto Foco da atuação do projeto Viabilidade do projeto Justificativa – defesa do projeto Objetivos – situação desejada Metas – produtos ou resultados esperados Plano de trabalho – cronograma de atividades Metodologia – como fazer ? Recursos necessários – orçamento do projeto Exemplo de orçamento de um projeto social Acompanhamento & Avaliação do projeto Definição dos indicadores de resultados Como apresentar – elaborar um projeto Bibliografia - Para saber mais sobre o assunto Anexo : o que diz a lei - código civil brasileiro Sobre as organizações não governamentais, As entidades sem fins lucrativos Dicas sobre estatutos sociais/atualização e-mail:erigorbrasil@bol.com.br PROJETOS SOCIAIS Ao alcance de todos Eri Brasil