SlideShare uma empresa Scribd logo
Da psicologia à neurologia
                                              simbólica no estudo da drogadição
  Prefácio
                                                        Carlos Amadeu Botelho Byington




    Este livro, além do mérito de publicar os re-    psicológica para símbolo e função estruturantes,
sultados das pesquisas dos autores e de seus co-     que incluem a parte concreta junto com os
legas convidados, tem ainda um outro, que é a        significados de todas as coisas e forças que as
coragem de confrontar na Neurologia a                operam. Os símbolos estruturantes são elabora-
dissociação mente-corpo, que domina as Ciên-         dos pelas funções estruturantes, coordenadas
cias Naturais e a Medicina desde o final do          por arquétipos, e os significados produzidos por
século dezoito. Esta dissociação dificulta o         sua elaboração formam a identidade do Ego e
estudo conjunto da neurofisiologia e dos fatores     do Objeto (o Outro) na Consciência. Concebe-
ideativos-emocionais, individuais e culturais        se, assim, a Ciência Simbólica, que descreve o
que compõem o distúrbio da droga-adição.             Processo de Humanização do Cosmos e que
     Quando a Ciência tomou o poder na Uni-          inclui a Medicina Simbólica e, por conseguinte,
versidade e daí expulsou a Inquisição, ela           também a Neurologia simbólica. Este processo,
passou a subordinar a verdade exclusivamente         formulado na obra de Teilhard de Chardin,
à objetividade, e dela excluiu a subjetividade e     descreve a formação da Consciência a partir da
a totalidade subjetivo-objetivo. Apesar de hoje      evolução da vida e da complexificação progres-
a filosofia da pesquisa científica buscar resgatar   siva do Sistema Nervoso das espécies.
esse subjetivo banido, como por exemplo, na              A Neurologia simbólica continua a idéia de
Fenomenologia de Husserl e de Heidegger, e           Freud esboçada no Projeto para uma Psicolo-
nas Ciências Sociais de um modo geral, falta         gia Científica, de 1895: “A finalidade deste
ainda a formulação da dimensão subjetivo-            projeto é estruturar uma psicologia que seja
objetivo para formar a consciência a partir da       uma ciência natural, isto é, que represente os
coisa-em-si, que no caso do sistema nervoso          processos      psíquicos     como      estados
inclui neurônios, neurotransmissores e tudo          quantitativamente determinados de partículas
mais que o compõe, inclusive a dimensão              materiais especificáveis, dando assim a esses
ideativa-emocional, individual e cultural.           processos um caráter concreto e inequívoco”. O
    Para perceber os achados neurológicos            conceito de Psicologia proposto pelo Projeto de
anatômicos e fisiológicos junto com seus com-        Freud é a Neurologia simbólica aqui
ponentes ideativos-emocionais, ampliei os con-       conceituada.
ceitos tradicionais de símbolo e de função
18                               Carlos Amadeu Botelho Byington


    No caso das droga-adições, a Neurologia        quirido durante os séculos dezenove e vinte,
que se atém à físico-química se limita ao estudo   tem dele se afastado.
da dependência emocional e orgânica principal-         Para conceituar a Neurologia simbólica, ba-
mente em função do que ocorre com os               seada nos conceitos de símbolo e de função
neurotransmissores do paciente em virtude do       estruturantes, é necessário reconhecer e incluir
consumo da droga. Já uma Neurologia simbóli-       no conhecimento do Sistema Nervoso todas as
ca necessita incluir na compreensão da droga-      descobertas da Psicologia e da Psiquiatria. É
adição o significado emocional das vivências       preciso romper o paradigma positivista,
individuais, familiares e socioculturais que       segundo o qual aquilo que ainda não foi
acompanham o uso da droga e o papel que elas       constatado pela neurofisiologia não deve ser
desempenham no desenvolvimento da                  incluído na Neurologia.
personalidade e da cultura. Não se trata de dar        A Psicologia Simbólica reconhece o Proces-
exclusividade dos significados simbólicos para     so de Elaboração Simbólica para formar a
a Psiquiatria ou para a Psicologia, e sim, ao      Consciência como o centro e a finalidade
contrário, de compreendê-los e estudá-los          última de toda a atividade neurológica e
dentro do Sistema Nervoso, junto com o funci-      biológica. Sua coordenação é feita pelo
onamento dos neurotransmissores.                   Quatérnio Arquetípico Regente composto pelos
    A Neurologia simbólica propõe a analogia       Arquétipos Matriarcal, Patriarcal, de Alteridade
das estruturas do Sistema Nervoso com os           e de Totalidade, que operam através da
hardwares dos computadores, e o programa dos       atividade criativa e centralizadora do Arquétipo
softwares com as reações cognitivas e emocio-      Central. O Arquétipo Matriarcal, matriz coorde-
nais adquiridas. Estabelecemos assim uma           nadora do desejo e da sensualidade, opera prin-
inclusão da Cultura na Neurologia, ao              cipalmente através do sistema neurovegetativo.
percebermos que o Sistema Nervoso incorpora        O Arquétipo Patriarcal, que coordena a organi-
progressivamente, desde o nascimento, o            zação psíquica e a execução de tarefas, se
aprendizado realizado nas gerações passadas.       exerce principalmente através do sistema
Trata-se, portanto, de um Sistema Nervoso          cérebro-espinhal. O Arquétipo de Alteridade,
intensamente “recheado de significados simbó-      que coordena a interação das polaridades,
licos, pois reconhece e assume tudo o que é e      inclusive da grande polaridade matriarcal-
tem”.                                              patriarcal, ou seja, neurovegetativa cérebro-es-
    A divisão entre a Psiquiatria e a Psicologia   pinhal, funciona através das interações das
de um lado, e a Neurologia de outro, preservou     lateralidades, como por exemplo, da decussação
nesta, indevidamente, o predomínio da              das pirâmides, do Corpo Caloso e dos inúmeros
organicidade em detrimento da psicodinâmica.       circuitos associativos. Restam o Arquétipo da
Infelizmente, a Psiquiatria, hoje, ao se           Totalidade, que rege a Consciência
reaproximar da Neurologia pelo maior conheci-      contemplativa do Todo e o Arquétipo Central,
mento dos neurotransmissores, ao invés de tra-     que coordena a relação dos eventos existenciais
zer consigo o conhecimento psicodinâmico ad-       com o desenvolvimento prospectivo da persona-
Da psicologia à neurologia simbólica no estudo da drogadição                 19


lidade, como bem descreveu Jung ao enfatizar           No entanto, para se compreender fisiológica
em toda a sua obra que o principal instinto       e emocionalmente as droga-adições, o maior
humano é o Instinto da Individuação.              desafio da Neurologia simbólica é saber a loca-
    O desafio médico e humanista da Neurolo-      lização e o funcionamento do Arquétipo Cen-
gia simbólica é assumir e pesquisar estas gran-   tral no Sistema Nervoso. É que os símbolos e
des descobertas da Psicologia. No processo de     funções estruturantes que os droga-aditos
globalização, que favorece a integração plane-    denominam “barato”, e que buscam para
tária do conhecimento, a setorização da           produzir o estado alterado de Consciência que
Neurologia dentro de uma torre de marfim          os vicia, referem-se a um estado de euforia,
neurofisiológica é cada vez mais inadmissível.    bem-estar, paz, totalidade, auto-realização e
Dentro do Humanismo Simbólico, que relaciona      felicidade, a uma sensação de que tudo está no
toda e qualquer parte com o Todo através de       seu lugar, de que o mundo é coerente, de se
seus significados, a setorização do saber tem     estar encarnado em si mesmo e no Cosmos:
cada vez menos lugar por propiciar a alienação    exatamente os símbolos e funções estruturantes
do Ser.                                           que trazem à Consciência a noção da existência
    O assunto se complica extraordinariamente     e do funcionamento centralizado e sistêmico do
quando tentamos compreender o fenômeno da         Arquétipo Central. A droga propicia à
Sombra pela Neurologia simbólica, seguindo a      Consciência a vivência que as pessoas muito
intenção de Freud quando buscou uma explica-      diferenciadas conquistam após um grande es-
ção neurológica para a defesa da repressão (in-   forço de amadurecimento.
consciente reprimido) no Projeto.                     O ser humano tem necessidade de Deus.
    Segundo a Psicologia Simbólica, a Sombra      Funda tantas religiões porque, para realizar o
se forma com suas defesas inconscientes pela      potencial da sua plenitude, projeta no Universo
fixação da elaboração de determinados símbolos    o Arquétipo Central do Self, descoberto por
e funções estruturantes, que passarão a ser ex-   Jung, e que coordena o funcionamento da
pressos inconscientemente pela compulsão de       Psique e, por conseguinte, do Sistema Nervoso.
repetição descoberta por Freud. Embasar o             Não se trata de “reduzir” Deus ao cérebro,
fenômeno da fixação ao lado da elaboração         mas sim de embasar as características todo-po-
criativa dos símbolos no funcionamento dos        derosas de ubiqüidade, atribuídas às divindades
neurotransmissores é hoje um grande desafio,      em todas as culturas, a um arquétipo que
principalmente quando nos damos conta que a       coordena todo o Processo de Elaboração
fixação, além de ser responsável pelas adições,   Simbólica. Para o droga-adito, a droga é o seu
é a sede do crime e do mal na personalidade.      salvo-conduto para a presença mágica da
Pesquisar neurofisiologicamente o fenômeno da     transcendência e da divindade. Para ajudá-lo é
fixação simbólica significa, por conseguinte,     necessário admitir que esse arquétipo existe e
abrir a Neurologia para estudar a função          buscar o seu funcionamento no Sistema
estruturante da ética.                            Nervoso através dos neurotransmissores. O
                                                  terapeuta que quer tratar da droga-adição e que
20                               Carlos Amadeu Botelho Byington


não sabe como relacionar as pessoas com a To-          A dimensão familiar do Arquétipo Central
talidade está em grande desvantagem para com-      permite à Neurologia simbólica relacionar a re-
petir com o poder simbólico das drogas. Não é      ação química dos neurotransmissores com a cri-
por acaso que tantas religiões conseguem a cura    se de adolescência e o consumo de drogas,
de droga-aditos pela conversão. É importante       como uma arma poderosa na polarização com a
para o neurologista saber que isto não ocorreu     família. Só assim podemos compreender que a
porque a cura “caiu do céu”, e sim porque, ao      mesma arma usada para fortalecer a auto-estima
estabelecer a religação da Consciência com o       e a formação da identidade da maioria dos ado-
Arquétipo Central através do símbolo da            lescentes pode se transformar no vício que a al-
divindade, o sacerdote deu ao paciente o           guns escraviza e destrói.
significado existencial que a droga química            Dentro do Self Cultural, a compreensão
magicamente lhe proporciona. Só quem tem           simbólica das drogas também nos permite en-
essa relação simbólica com a vida e a              tender a busca mágica da ligação da Consciên-
Totalidade pode dizer a um droga-adito: “Lar-      cia com o Arquétipo Central dentro da ideolo-
gue o que você sente com a droga para buscar       gia da cultura materialista e imediatista de
essa mesma vivência no trabalho e na relação       consumo, condicionada pela ideologia de mer-
com as pessoas que você preza.”                    cado neoliberal que, por sua desumanização,
    Para entender a droga-adição além da           desqualifica a dignidade do trabalho, ao mesmo
neurofisiologia, é necessário compreender o        tempo em que corrompe valores culturais que
funcionamento dos símbolos dentro da persona-      promovem a beleza e o sentido da vida.
lidade, da família, da cultura e do Planeta como        Outro ponto importante a ser destacado é a
Sistemas de Totalidade representativos do Ar-      compreensão que a Neurologia simbólica pode ter
quétipo Central do Self. Esses sistemas são        e, através dela, esclarecer a Medicina e Cultura
afetados de uma forma ou de outra pelas            sobre o gravíssimo e crescente problema gerado
drogas, que também são símbolos que alteram        pela receita indiscriminada de antidepressivos. Se,
a Consciência e a Sombra, formando-as e            por um lado, a pesquisa neurofisiológica tem pro-
transformando-as nas várias dimensões              duzido drogas prodigiosas que tornaram as indús-
humanas.                                           trias de medicamentos mais lucrativas que as in-
    As duas grandes funções simbólicas que di-     dústrias de armamentos, por outro, ela apresenta
rigem o Arquétipo Central na coordenação           uma terrível Sombra que aproxima a emblemática
neuro-endócrina do organismo são o amor e o        imagem do médico à figura hedionda do
poder. O amor rege a interação afetiva com as      narcotraficante, pelo fato de fomentar o
pessoas, o corpo e a natureza, e o poder coorde-   embotamento da Consciência e a alienação que,
na a busca de um lugar ao sol pelo esforço do      tal como a droga-adição, inibe pela dependência
crescimento de cada um. A droga-adição             de psicofármacos o potencial de auto-realização
substitui magicamente estas duas funções           do Ser.
feridas, cujo conhecimento simbólico é
necessário para a sua reparação.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e JungPalestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
tacio111
 
Freud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoFreud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método Psicanalítico
John Wainwright
 
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
guest2e3f5d
 
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologiaAula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Artur Mamed
 
Psiconeuroimunologia - Seminário de pesquisa - ALUBRAT - Campinas, 2012
Psiconeuroimunologia - Seminário de pesquisa - ALUBRAT - Campinas, 2012Psiconeuroimunologia - Seminário de pesquisa - ALUBRAT - Campinas, 2012
Psiconeuroimunologia - Seminário de pesquisa - ALUBRAT - Campinas, 2012
Sergio Holtz
 
O que é transpesoal
O que é transpesoalO que é transpesoal
O que é transpesoal
Mani Alvarez
 
Freud, o Inconsciente e Edward Hopper
Freud, o Inconsciente e Edward HopperFreud, o Inconsciente e Edward Hopper
Freud, o Inconsciente e Edward Hopper
Zelia Lopes
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
Paulo Gomes
 
Caso wundt aula 1
Caso wundt aula 1Caso wundt aula 1
Contribuições da Psicanálise para a Psicopedagogia
Contribuições da Psicanálise para a PsicopedagogiaContribuições da Psicanálise para a Psicopedagogia
Contribuições da Psicanálise para a Psicopedagogia
Sergio Luis dos Santos Lima
 
Psicanalise sobre os autores
Psicanalise sobre os autoresPsicanalise sobre os autores
Psicanalise sobre os autores
lelilana
 
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTESO LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
ProfessorPrincipiante
 
Trabalho de personalidade ii pdf
Trabalho de personalidade ii pdfTrabalho de personalidade ii pdf
Trabalho de personalidade ii pdf
Psicologia_2015
 
Piscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifaPiscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifa
27101992
 
Aula 11 A Psicologia espírita por Joanna de Angelis
Aula 11  A Psicologia espírita por Joanna de AngelisAula 11  A Psicologia espírita por Joanna de Angelis
Aula 11 A Psicologia espírita por Joanna de Angelis
Prof. Paulo Ratki
 
5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise
faculdadeteologica
 
( Espiritismo) # - adenauer m f novaes - complexos
( Espiritismo)   # - adenauer m f novaes - complexos( Espiritismo)   # - adenauer m f novaes - complexos
( Espiritismo) # - adenauer m f novaes - complexos
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Psicoses
PsicosesPsicoses
Introdução à psicanálise
Introdução à psicanáliseIntrodução à psicanálise
Introdução à psicanálise
Aline Stechitti
 
Aula - O que é o inconsciente
Aula - O que é o inconscienteAula - O que é o inconsciente
Aula - O que é o inconsciente
Joao António Fernandes
 

Mais procurados (20)

Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e JungPalestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
 
Freud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoFreud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método Psicanalítico
 
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
 
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologiaAula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
 
Psiconeuroimunologia - Seminário de pesquisa - ALUBRAT - Campinas, 2012
Psiconeuroimunologia - Seminário de pesquisa - ALUBRAT - Campinas, 2012Psiconeuroimunologia - Seminário de pesquisa - ALUBRAT - Campinas, 2012
Psiconeuroimunologia - Seminário de pesquisa - ALUBRAT - Campinas, 2012
 
O que é transpesoal
O que é transpesoalO que é transpesoal
O que é transpesoal
 
Freud, o Inconsciente e Edward Hopper
Freud, o Inconsciente e Edward HopperFreud, o Inconsciente e Edward Hopper
Freud, o Inconsciente e Edward Hopper
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
Caso wundt aula 1
Caso wundt aula 1Caso wundt aula 1
Caso wundt aula 1
 
Contribuições da Psicanálise para a Psicopedagogia
Contribuições da Psicanálise para a PsicopedagogiaContribuições da Psicanálise para a Psicopedagogia
Contribuições da Psicanálise para a Psicopedagogia
 
Psicanalise sobre os autores
Psicanalise sobre os autoresPsicanalise sobre os autores
Psicanalise sobre os autores
 
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTESO LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
 
Trabalho de personalidade ii pdf
Trabalho de personalidade ii pdfTrabalho de personalidade ii pdf
Trabalho de personalidade ii pdf
 
Piscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifaPiscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifa
 
Aula 11 A Psicologia espírita por Joanna de Angelis
Aula 11  A Psicologia espírita por Joanna de AngelisAula 11  A Psicologia espírita por Joanna de Angelis
Aula 11 A Psicologia espírita por Joanna de Angelis
 
5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise
 
( Espiritismo) # - adenauer m f novaes - complexos
( Espiritismo)   # - adenauer m f novaes - complexos( Espiritismo)   # - adenauer m f novaes - complexos
( Espiritismo) # - adenauer m f novaes - complexos
 
Psicoses
PsicosesPsicoses
Psicoses
 
Introdução à psicanálise
Introdução à psicanáliseIntrodução à psicanálise
Introdução à psicanálise
 
Aula - O que é o inconsciente
Aula - O que é o inconscienteAula - O que é o inconsciente
Aula - O que é o inconsciente
 

Destaque

Katherine urbina mapa_conceptual_unidad_v_psicologia_social
Katherine urbina mapa_conceptual_unidad_v_psicologia_socialKatherine urbina mapa_conceptual_unidad_v_psicologia_social
Katherine urbina mapa_conceptual_unidad_v_psicologia_social
katherineurbina
 
Ya terminado
Ya terminadoYa terminado
Ya terminado
Wilfer Piedrahita
 
La mision
La misionLa mision
energias
energiasenergias
energias
helenabenfica
 
Sobre História e Histórias da Arte
Sobre História e Histórias da ArteSobre História e Histórias da Arte
Sobre História e Histórias da Arte
Bianca Giannotti
 
Equipos reflexologicos y productos belleza
Equipos reflexologicos  y  productos bellezaEquipos reflexologicos  y  productos belleza
Equipos reflexologicos y productos belleza
Tiens de Colombia
 
Cómo quemar grasa en el vientre.
Cómo quemar grasa en el vientre.Cómo quemar grasa en el vientre.
Cómo quemar grasa en el vientre.
Profesor Perez
 
Sobre Arte, Ciência e Clínica
Sobre Arte, Ciência e ClínicaSobre Arte, Ciência e Clínica
Sobre Arte, Ciência e Clínica
Bianca Giannotti
 
Slideshare
Slideshare Slideshare
Slideshare
CETICS
 
Proyecto Así es mi pueblo
Proyecto Así es mi puebloProyecto Así es mi pueblo
Proyecto Así es mi pueblo
guadaconquista
 
Actividades 2013 - INMED Andes
Actividades 2013 - INMED AndesActividades 2013 - INMED Andes
Actividades 2013 - INMED Andes
unfpaperu
 
Power point psicologia de desenvolvimento
Power point psicologia de desenvolvimentoPower point psicologia de desenvolvimento
Power point psicologia de desenvolvimento
uab
 
Apresentação
Apresentação Apresentação
Apresentação
tvf
 
Morbidade puerperal curto
Morbidade puerperal curtoMorbidade puerperal curto
Morbidade puerperal curto
tvf
 
Sobre o Estudo da Morte
Sobre o Estudo da MorteSobre o Estudo da Morte
Sobre o Estudo da Morte
Bianca Giannotti
 
Hotelaria
HotelariaHotelaria
Hotelaria
maria
 
Pathfinder International
Pathfinder InternationalPathfinder International
Pathfinder International
unfpaperu
 
Plan de auditoria convivencia
Plan de auditoria convivenciaPlan de auditoria convivencia
Plan de auditoria convivencia
Andrea Londoño
 
Ap.gestante dep quimica
Ap.gestante dep quimicaAp.gestante dep quimica
Ap.gestante dep quimica
tvf
 

Destaque (20)

Katherine urbina mapa_conceptual_unidad_v_psicologia_social
Katherine urbina mapa_conceptual_unidad_v_psicologia_socialKatherine urbina mapa_conceptual_unidad_v_psicologia_social
Katherine urbina mapa_conceptual_unidad_v_psicologia_social
 
Ya terminado
Ya terminadoYa terminado
Ya terminado
 
La mision
La misionLa mision
La mision
 
energias
energiasenergias
energias
 
Sobre História e Histórias da Arte
Sobre História e Histórias da ArteSobre História e Histórias da Arte
Sobre História e Histórias da Arte
 
Equipos reflexologicos y productos belleza
Equipos reflexologicos  y  productos bellezaEquipos reflexologicos  y  productos belleza
Equipos reflexologicos y productos belleza
 
Cómo quemar grasa en el vientre.
Cómo quemar grasa en el vientre.Cómo quemar grasa en el vientre.
Cómo quemar grasa en el vientre.
 
Sobre Arte, Ciência e Clínica
Sobre Arte, Ciência e ClínicaSobre Arte, Ciência e Clínica
Sobre Arte, Ciência e Clínica
 
Galileo
GalileoGalileo
Galileo
 
Slideshare
Slideshare Slideshare
Slideshare
 
Proyecto Así es mi pueblo
Proyecto Así es mi puebloProyecto Así es mi pueblo
Proyecto Así es mi pueblo
 
Actividades 2013 - INMED Andes
Actividades 2013 - INMED AndesActividades 2013 - INMED Andes
Actividades 2013 - INMED Andes
 
Power point psicologia de desenvolvimento
Power point psicologia de desenvolvimentoPower point psicologia de desenvolvimento
Power point psicologia de desenvolvimento
 
Apresentação
Apresentação Apresentação
Apresentação
 
Morbidade puerperal curto
Morbidade puerperal curtoMorbidade puerperal curto
Morbidade puerperal curto
 
Sobre o Estudo da Morte
Sobre o Estudo da MorteSobre o Estudo da Morte
Sobre o Estudo da Morte
 
Hotelaria
HotelariaHotelaria
Hotelaria
 
Pathfinder International
Pathfinder InternationalPathfinder International
Pathfinder International
 
Plan de auditoria convivencia
Plan de auditoria convivenciaPlan de auditoria convivencia
Plan de auditoria convivencia
 
Ap.gestante dep quimica
Ap.gestante dep quimicaAp.gestante dep quimica
Ap.gestante dep quimica
 

Semelhante a Byington - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na Dependência de Drogas

O modelo estrutural de freud e o cerebro
O modelo estrutural de freud e o cerebroO modelo estrutural de freud e o cerebro
O modelo estrutural de freud e o cerebro
UNICEP
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagemPsicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
Luiz Maciel
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagemPsicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
Luiz Maciel
 
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
guest2e3f5d
 
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
Valdeck Oliveira
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leituraINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
DouglasVasconcelosMa
 
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdfIntrodução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
ALFREDOGALLONETO
 
Introdução psicopatologia
Introdução psicopatologiaIntrodução psicopatologia
Introdução psicopatologia
lucasvazdelima
 
Curso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das Neuroses
Curso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das NeurosesCurso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das Neuroses
Curso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das Neuroses
Tacio Aguiar
 
Fundamentos de psicopatologia
Fundamentos de psicopatologiaFundamentos de psicopatologia
Fundamentos de psicopatologia
UNICEP
 
Psicologia conceitos
Psicologia   conceitosPsicologia   conceitos
Psicologia conceitos
Liliane Ennes
 
FREUD - Obras Completas
FREUD -   Obras CompletasFREUD -   Obras Completas
FREUD - Obras Completas
Carlos Burke
 
Psicologia da personalidade AULA 2.pdf
Psicologia da personalidade  AULA 2.pdfPsicologia da personalidade  AULA 2.pdf
Psicologia da personalidade AULA 2.pdf
ElionayFigueiredo1
 
Unidade 01 psicologia (1)
Unidade 01   psicologia (1)Unidade 01   psicologia (1)
Unidade 01 psicologia (1)
Suellen Souza Machado
 
06 psicologia pastoral
06 psicologia pastoral06 psicologia pastoral
06 psicologia pastoral
CursosTeologicos
 
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
27101992
 
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
guest83661f
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
Filipe Rhuan
 
Logoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdfLogoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdf
ANTÔNIO CARLOS G. BENTES
 
Psicologia 1850 a 1950 foucault
Psicologia 1850 a 1950 foucaultPsicologia 1850 a 1950 foucault
Psicologia 1850 a 1950 foucault
Fluminense Federal University
 

Semelhante a Byington - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na Dependência de Drogas (20)

O modelo estrutural de freud e o cerebro
O modelo estrutural de freud e o cerebroO modelo estrutural de freud e o cerebro
O modelo estrutural de freud e o cerebro
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagemPsicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagemPsicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
 
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
 
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leituraINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
 
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdfIntrodução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
 
Introdução psicopatologia
Introdução psicopatologiaIntrodução psicopatologia
Introdução psicopatologia
 
Curso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das Neuroses
Curso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das NeurosesCurso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das Neuroses
Curso O Desenvolvimento Infantil - Módulo A Etiologia das Neuroses
 
Fundamentos de psicopatologia
Fundamentos de psicopatologiaFundamentos de psicopatologia
Fundamentos de psicopatologia
 
Psicologia conceitos
Psicologia   conceitosPsicologia   conceitos
Psicologia conceitos
 
FREUD - Obras Completas
FREUD -   Obras CompletasFREUD -   Obras Completas
FREUD - Obras Completas
 
Psicologia da personalidade AULA 2.pdf
Psicologia da personalidade  AULA 2.pdfPsicologia da personalidade  AULA 2.pdf
Psicologia da personalidade AULA 2.pdf
 
Unidade 01 psicologia (1)
Unidade 01   psicologia (1)Unidade 01   psicologia (1)
Unidade 01 psicologia (1)
 
06 psicologia pastoral
06 psicologia pastoral06 psicologia pastoral
06 psicologia pastoral
 
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
 
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
 
Logoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdfLogoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdf
 
Psicologia 1850 a 1950 foucault
Psicologia 1850 a 1950 foucaultPsicologia 1850 a 1950 foucault
Psicologia 1850 a 1950 foucault
 

Mais de Bianca Giannotti

Drogadição Revisitada
Drogadição RevisitadaDrogadição Revisitada
Drogadição Revisitada
Bianca Giannotti
 
Cartilhas
CartilhasCartilhas
Cartilhas
Bianca Giannotti
 
Saramago - Vida e Obra
Saramago - Vida e ObraSaramago - Vida e Obra
Saramago - Vida e Obra
Bianca Giannotti
 
Falando sobre...
Falando sobre...Falando sobre...
Falando sobre...
Bianca Giannotti
 
Trabalhando com Sonhos
Trabalhando com SonhosTrabalhando com Sonhos
Trabalhando com Sonhos
Bianca Giannotti
 
Você sabia...
Você sabia...Você sabia...
Você sabia...
Bianca Giannotti
 
Projeto Ascender
Projeto AscenderProjeto Ascender
Projeto Ascender
Bianca Giannotti
 
Reflexões...
Reflexões...Reflexões...
Reflexões...
Bianca Giannotti
 
Crônicas do dia-a-dia
Crônicas do dia-a-diaCrônicas do dia-a-dia
Crônicas do dia-a-dia
Bianca Giannotti
 
É possível sistematizar a formulação psicodinâmica de caso?
É possível sistematizar a formulação psicodinâmica de caso?É possível sistematizar a formulação psicodinâmica de caso?
É possível sistematizar a formulação psicodinâmica de caso?
Bianca Giannotti
 
Bertolucci - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na ...
Bertolucci - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na ...Bertolucci - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na ...
Bertolucci - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na ...
Bianca Giannotti
 
Elaboração do Luto
Elaboração do LutoElaboração do Luto
Elaboração do Luto
Bianca Giannotti
 

Mais de Bianca Giannotti (12)

Drogadição Revisitada
Drogadição RevisitadaDrogadição Revisitada
Drogadição Revisitada
 
Cartilhas
CartilhasCartilhas
Cartilhas
 
Saramago - Vida e Obra
Saramago - Vida e ObraSaramago - Vida e Obra
Saramago - Vida e Obra
 
Falando sobre...
Falando sobre...Falando sobre...
Falando sobre...
 
Trabalhando com Sonhos
Trabalhando com SonhosTrabalhando com Sonhos
Trabalhando com Sonhos
 
Você sabia...
Você sabia...Você sabia...
Você sabia...
 
Projeto Ascender
Projeto AscenderProjeto Ascender
Projeto Ascender
 
Reflexões...
Reflexões...Reflexões...
Reflexões...
 
Crônicas do dia-a-dia
Crônicas do dia-a-diaCrônicas do dia-a-dia
Crônicas do dia-a-dia
 
É possível sistematizar a formulação psicodinâmica de caso?
É possível sistematizar a formulação psicodinâmica de caso?É possível sistematizar a formulação psicodinâmica de caso?
É possível sistematizar a formulação psicodinâmica de caso?
 
Bertolucci - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na ...
Bertolucci - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na ...Bertolucci - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na ...
Bertolucci - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na ...
 
Elaboração do Luto
Elaboração do LutoElaboração do Luto
Elaboração do Luto
 

Último

A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 

Byington - Prefácio do Livro: Cérebro, Inteligência e Vínculo Emocional na Dependência de Drogas

  • 1. Da psicologia à neurologia simbólica no estudo da drogadição Prefácio Carlos Amadeu Botelho Byington Este livro, além do mérito de publicar os re- psicológica para símbolo e função estruturantes, sultados das pesquisas dos autores e de seus co- que incluem a parte concreta junto com os legas convidados, tem ainda um outro, que é a significados de todas as coisas e forças que as coragem de confrontar na Neurologia a operam. Os símbolos estruturantes são elabora- dissociação mente-corpo, que domina as Ciên- dos pelas funções estruturantes, coordenadas cias Naturais e a Medicina desde o final do por arquétipos, e os significados produzidos por século dezoito. Esta dissociação dificulta o sua elaboração formam a identidade do Ego e estudo conjunto da neurofisiologia e dos fatores do Objeto (o Outro) na Consciência. Concebe- ideativos-emocionais, individuais e culturais se, assim, a Ciência Simbólica, que descreve o que compõem o distúrbio da droga-adição. Processo de Humanização do Cosmos e que Quando a Ciência tomou o poder na Uni- inclui a Medicina Simbólica e, por conseguinte, versidade e daí expulsou a Inquisição, ela também a Neurologia simbólica. Este processo, passou a subordinar a verdade exclusivamente formulado na obra de Teilhard de Chardin, à objetividade, e dela excluiu a subjetividade e descreve a formação da Consciência a partir da a totalidade subjetivo-objetivo. Apesar de hoje evolução da vida e da complexificação progres- a filosofia da pesquisa científica buscar resgatar siva do Sistema Nervoso das espécies. esse subjetivo banido, como por exemplo, na A Neurologia simbólica continua a idéia de Fenomenologia de Husserl e de Heidegger, e Freud esboçada no Projeto para uma Psicolo- nas Ciências Sociais de um modo geral, falta gia Científica, de 1895: “A finalidade deste ainda a formulação da dimensão subjetivo- projeto é estruturar uma psicologia que seja objetivo para formar a consciência a partir da uma ciência natural, isto é, que represente os coisa-em-si, que no caso do sistema nervoso processos psíquicos como estados inclui neurônios, neurotransmissores e tudo quantitativamente determinados de partículas mais que o compõe, inclusive a dimensão materiais especificáveis, dando assim a esses ideativa-emocional, individual e cultural. processos um caráter concreto e inequívoco”. O Para perceber os achados neurológicos conceito de Psicologia proposto pelo Projeto de anatômicos e fisiológicos junto com seus com- Freud é a Neurologia simbólica aqui ponentes ideativos-emocionais, ampliei os con- conceituada. ceitos tradicionais de símbolo e de função
  • 2. 18 Carlos Amadeu Botelho Byington No caso das droga-adições, a Neurologia quirido durante os séculos dezenove e vinte, que se atém à físico-química se limita ao estudo tem dele se afastado. da dependência emocional e orgânica principal- Para conceituar a Neurologia simbólica, ba- mente em função do que ocorre com os seada nos conceitos de símbolo e de função neurotransmissores do paciente em virtude do estruturantes, é necessário reconhecer e incluir consumo da droga. Já uma Neurologia simbóli- no conhecimento do Sistema Nervoso todas as ca necessita incluir na compreensão da droga- descobertas da Psicologia e da Psiquiatria. É adição o significado emocional das vivências preciso romper o paradigma positivista, individuais, familiares e socioculturais que segundo o qual aquilo que ainda não foi acompanham o uso da droga e o papel que elas constatado pela neurofisiologia não deve ser desempenham no desenvolvimento da incluído na Neurologia. personalidade e da cultura. Não se trata de dar A Psicologia Simbólica reconhece o Proces- exclusividade dos significados simbólicos para so de Elaboração Simbólica para formar a a Psiquiatria ou para a Psicologia, e sim, ao Consciência como o centro e a finalidade contrário, de compreendê-los e estudá-los última de toda a atividade neurológica e dentro do Sistema Nervoso, junto com o funci- biológica. Sua coordenação é feita pelo onamento dos neurotransmissores. Quatérnio Arquetípico Regente composto pelos A Neurologia simbólica propõe a analogia Arquétipos Matriarcal, Patriarcal, de Alteridade das estruturas do Sistema Nervoso com os e de Totalidade, que operam através da hardwares dos computadores, e o programa dos atividade criativa e centralizadora do Arquétipo softwares com as reações cognitivas e emocio- Central. O Arquétipo Matriarcal, matriz coorde- nais adquiridas. Estabelecemos assim uma nadora do desejo e da sensualidade, opera prin- inclusão da Cultura na Neurologia, ao cipalmente através do sistema neurovegetativo. percebermos que o Sistema Nervoso incorpora O Arquétipo Patriarcal, que coordena a organi- progressivamente, desde o nascimento, o zação psíquica e a execução de tarefas, se aprendizado realizado nas gerações passadas. exerce principalmente através do sistema Trata-se, portanto, de um Sistema Nervoso cérebro-espinhal. O Arquétipo de Alteridade, intensamente “recheado de significados simbó- que coordena a interação das polaridades, licos, pois reconhece e assume tudo o que é e inclusive da grande polaridade matriarcal- tem”. patriarcal, ou seja, neurovegetativa cérebro-es- A divisão entre a Psiquiatria e a Psicologia pinhal, funciona através das interações das de um lado, e a Neurologia de outro, preservou lateralidades, como por exemplo, da decussação nesta, indevidamente, o predomínio da das pirâmides, do Corpo Caloso e dos inúmeros organicidade em detrimento da psicodinâmica. circuitos associativos. Restam o Arquétipo da Infelizmente, a Psiquiatria, hoje, ao se Totalidade, que rege a Consciência reaproximar da Neurologia pelo maior conheci- contemplativa do Todo e o Arquétipo Central, mento dos neurotransmissores, ao invés de tra- que coordena a relação dos eventos existenciais zer consigo o conhecimento psicodinâmico ad- com o desenvolvimento prospectivo da persona-
  • 3. Da psicologia à neurologia simbólica no estudo da drogadição 19 lidade, como bem descreveu Jung ao enfatizar No entanto, para se compreender fisiológica em toda a sua obra que o principal instinto e emocionalmente as droga-adições, o maior humano é o Instinto da Individuação. desafio da Neurologia simbólica é saber a loca- O desafio médico e humanista da Neurolo- lização e o funcionamento do Arquétipo Cen- gia simbólica é assumir e pesquisar estas gran- tral no Sistema Nervoso. É que os símbolos e des descobertas da Psicologia. No processo de funções estruturantes que os droga-aditos globalização, que favorece a integração plane- denominam “barato”, e que buscam para tária do conhecimento, a setorização da produzir o estado alterado de Consciência que Neurologia dentro de uma torre de marfim os vicia, referem-se a um estado de euforia, neurofisiológica é cada vez mais inadmissível. bem-estar, paz, totalidade, auto-realização e Dentro do Humanismo Simbólico, que relaciona felicidade, a uma sensação de que tudo está no toda e qualquer parte com o Todo através de seu lugar, de que o mundo é coerente, de se seus significados, a setorização do saber tem estar encarnado em si mesmo e no Cosmos: cada vez menos lugar por propiciar a alienação exatamente os símbolos e funções estruturantes do Ser. que trazem à Consciência a noção da existência O assunto se complica extraordinariamente e do funcionamento centralizado e sistêmico do quando tentamos compreender o fenômeno da Arquétipo Central. A droga propicia à Sombra pela Neurologia simbólica, seguindo a Consciência a vivência que as pessoas muito intenção de Freud quando buscou uma explica- diferenciadas conquistam após um grande es- ção neurológica para a defesa da repressão (in- forço de amadurecimento. consciente reprimido) no Projeto. O ser humano tem necessidade de Deus. Segundo a Psicologia Simbólica, a Sombra Funda tantas religiões porque, para realizar o se forma com suas defesas inconscientes pela potencial da sua plenitude, projeta no Universo fixação da elaboração de determinados símbolos o Arquétipo Central do Self, descoberto por e funções estruturantes, que passarão a ser ex- Jung, e que coordena o funcionamento da pressos inconscientemente pela compulsão de Psique e, por conseguinte, do Sistema Nervoso. repetição descoberta por Freud. Embasar o Não se trata de “reduzir” Deus ao cérebro, fenômeno da fixação ao lado da elaboração mas sim de embasar as características todo-po- criativa dos símbolos no funcionamento dos derosas de ubiqüidade, atribuídas às divindades neurotransmissores é hoje um grande desafio, em todas as culturas, a um arquétipo que principalmente quando nos damos conta que a coordena todo o Processo de Elaboração fixação, além de ser responsável pelas adições, Simbólica. Para o droga-adito, a droga é o seu é a sede do crime e do mal na personalidade. salvo-conduto para a presença mágica da Pesquisar neurofisiologicamente o fenômeno da transcendência e da divindade. Para ajudá-lo é fixação simbólica significa, por conseguinte, necessário admitir que esse arquétipo existe e abrir a Neurologia para estudar a função buscar o seu funcionamento no Sistema estruturante da ética. Nervoso através dos neurotransmissores. O terapeuta que quer tratar da droga-adição e que
  • 4. 20 Carlos Amadeu Botelho Byington não sabe como relacionar as pessoas com a To- A dimensão familiar do Arquétipo Central talidade está em grande desvantagem para com- permite à Neurologia simbólica relacionar a re- petir com o poder simbólico das drogas. Não é ação química dos neurotransmissores com a cri- por acaso que tantas religiões conseguem a cura se de adolescência e o consumo de drogas, de droga-aditos pela conversão. É importante como uma arma poderosa na polarização com a para o neurologista saber que isto não ocorreu família. Só assim podemos compreender que a porque a cura “caiu do céu”, e sim porque, ao mesma arma usada para fortalecer a auto-estima estabelecer a religação da Consciência com o e a formação da identidade da maioria dos ado- Arquétipo Central através do símbolo da lescentes pode se transformar no vício que a al- divindade, o sacerdote deu ao paciente o guns escraviza e destrói. significado existencial que a droga química Dentro do Self Cultural, a compreensão magicamente lhe proporciona. Só quem tem simbólica das drogas também nos permite en- essa relação simbólica com a vida e a tender a busca mágica da ligação da Consciên- Totalidade pode dizer a um droga-adito: “Lar- cia com o Arquétipo Central dentro da ideolo- gue o que você sente com a droga para buscar gia da cultura materialista e imediatista de essa mesma vivência no trabalho e na relação consumo, condicionada pela ideologia de mer- com as pessoas que você preza.” cado neoliberal que, por sua desumanização, Para entender a droga-adição além da desqualifica a dignidade do trabalho, ao mesmo neurofisiologia, é necessário compreender o tempo em que corrompe valores culturais que funcionamento dos símbolos dentro da persona- promovem a beleza e o sentido da vida. lidade, da família, da cultura e do Planeta como Outro ponto importante a ser destacado é a Sistemas de Totalidade representativos do Ar- compreensão que a Neurologia simbólica pode ter quétipo Central do Self. Esses sistemas são e, através dela, esclarecer a Medicina e Cultura afetados de uma forma ou de outra pelas sobre o gravíssimo e crescente problema gerado drogas, que também são símbolos que alteram pela receita indiscriminada de antidepressivos. Se, a Consciência e a Sombra, formando-as e por um lado, a pesquisa neurofisiológica tem pro- transformando-as nas várias dimensões duzido drogas prodigiosas que tornaram as indús- humanas. trias de medicamentos mais lucrativas que as in- As duas grandes funções simbólicas que di- dústrias de armamentos, por outro, ela apresenta rigem o Arquétipo Central na coordenação uma terrível Sombra que aproxima a emblemática neuro-endócrina do organismo são o amor e o imagem do médico à figura hedionda do poder. O amor rege a interação afetiva com as narcotraficante, pelo fato de fomentar o pessoas, o corpo e a natureza, e o poder coorde- embotamento da Consciência e a alienação que, na a busca de um lugar ao sol pelo esforço do tal como a droga-adição, inibe pela dependência crescimento de cada um. A droga-adição de psicofármacos o potencial de auto-realização substitui magicamente estas duas funções do Ser. feridas, cujo conhecimento simbólico é necessário para a sua reparação.