SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
Políticas Públicas Temáticas
e Desafios da Inclusão Digital
Alexandre Barbosa – Cetic.br
São Paulo | 21 de agosto de 2015
Agenda de Pesquisas vs. Agenda
de Políticas Públicas
o Produção de dados para políticas públicas
o As pesquisas TIC do CGI.br
o Cenário Brasileiro de Inclusão Digital
Agenda de
Pesquisa
Agenda de
Políticas
Públicas
Como estabelecer uma agenda de
pesquisa que possa maximizar a
sua contribuição para a agenda de
políticas públicas?
Agenda de
Pesquisa
Agenda de
políticas
públicas
…para melhores políticas
Evidence-based
policymakingDados confiáveis…
e políticas efetivas.
 Confiável
 Relevante
 Oportuna para tomada de decisões
 Acessível à todos os stakeholders
 Baixo custo
 Suficientemente Interdisciplinar para
tratar a transversalidade das TIC
Medição: Indicadores e
estatísticas TIC
Indicadores e estatísticas para
POLÍTICAS PÚBLICAS
Conhecer
O contexto
nacional
Apoiar
a formulação
de políticas
públicas
PRODUÇÃO DE
ESTATÍSTICAS
Importância da
MEDIÇÃO DAS TIC
Proporcionar
insumos para a
indústria
Refletir
sobre as
necessidades
da população
Comparação
entre diferentes
países e
regiões
Monitoramento
de objetivos
de políticas
públicas
Importância da
MEDIÇÃO DAS TIC
PRODUÇÃO DE
ESTATÍSTICAS
Comparação
entre diferentes
países e
regiões
Monitoramento
de objetivos
de políticas
públicas
Importância da
MEDIÇÃO DAS TIC
PRODUÇÃO DE
ESTATÍSTICAS
Comparação
entre diferentes
países e
regiões
Monitoramento
de objetivos
de políticas
públicas
Importância da
MEDIÇÃO DAS TIC
PRODUÇÃO DE
ESTATÍSTICAS
Qual é o papel do CETIC.br no
provimento de dados e estatísticas
para políticas públicas?
Contribuição para as políticas públicas
PESQUISAS TIC
Domicílios
Kids Online
Empresas
Educação
Saúde
Governo
Eletrônico
OSFIL
Provedores
Telecentros
Pesquisas TIC do CGI.br
Referências metodológicas
internacionais
Monitoramento
de metas
 Pesquisas amostrais
 Estudos qualitativos
 Estudos setoriais
 Visualização de dados
Produção de dados
relevantes e confiáveis
para políticas públicas
e pesquisas
científicas:
Contribuição para as políticas públicas
PESQUISAS TIC
o Desenho amostral
o Coleta de dados
o Processamento de dados
o Disseminação
Gestores
públicos
o Infraestrutura
o Acesso e uso
o Habilidades
o Atividades online
o Barreiras e
motivações
PRODUÇÃO DE
ESTATÍSTICAS TIC
CAPACITAÇÃO
Estatísticas
TIC4D
Indicadores
TIC
Dados
comparáveis
Dados
relevantes
para políticas
Contribuição para as políticas públicas
PESQUISAS TIC
2005
Pesquisas TIC para o monitoramento do
desenvolvimento da sociedade da informação
http://www.cetic.br/publicacoes/indice/
2012
Medição da inclusão digital
ÁREAS DE INVESTIGAÇÃO
http://www.cetic.br/publicacoes/2012/t
ic-domicilios-2012.pdf
http://www.itu.int/en/ITU-
D/Statistics/Documents/publications/wsi
sreview2014/WSIS2014_review.pdf
http://www.itu.int/dms_pub/itu-
d/opb/ind/D-IND-ITCMEAS-2014-
PDF-E.pdf
Padrões metodológicos,
definições e indicadores
Medição Avaliação
Importância dos padrões
REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS
DOMICÍLIOS
EMPRESAS
EDUCAÇÃO
SAÚDE
 Metodologia, definições, indicadores e questionários
Medição da inclusão digital
ÁREAS DE INVESTIGAÇÃO
GOVERNO
ELETRÔNICO
KIDS ONLINE
 Metodologia, definições, indicadores e questionários
Medição da inclusão digital
ÁREAS DE INVESTIGAÇÃO
CETIC.br: Arranjos institucionais,
projetos de pesquisa e rede de
cooperação.
Países da América
Latina e PALOPs
20121995 2005
Criação do Centro aprovada na 36a.
Conferência Geral da UNESCO Nov.2011
Acordo de cooperação assinado com o Governo
Brasileiro em Mar.2012
Trajetória do
CETIC.br
Escopo de atuação:
América Latina e Países
lusófonos da África.
Missão: Contribuir para a construção
de sociedades do conhecimento
inclusivas por meio das tecnologias de
informação e comunicação.
Linhas de Ação:
Cooperação regional
CETIC.br
Manual de
procedimentos
Instrumentos de
coleta de dados:
questionários,
roteiros
entrevistas, etc.
Relatório
metodológico
Dados coletados
(tabelas e
transcrições)
Dados brutos
Publicação (Análise e Indicadores TIC)
CETIC.br Website
Relatório
preliminar de
análise de dados Livro
1 2 43 5
PLANEJAMENTO
PESQUISAS TIC
(Objetivos, escopo,
desenho da amostra,
indicadores,
questionário)
EXECUÇÃO DA
PESQUISA EM
CAMPO
(coleta de dados:
PAPI, CATI, eForm
Web)
PROCESSAMENTO
DE DADOS
(Consolidação, análise
de dados e validação
dos resultados)
DISSEMINAÇÃO
DE DADOS,
PUBLICAÇÃO
DAS PESQUISAS
(Série histórica de
Indicadores)
ANÁLISE E
APRESENTAÇÃO
DE DADOS
(Elaboração dos
relatórios finais de
análise)
Expert Group:
q Academic researchers
q Government
Survey Procedures
Manual
Data collection
instruments:
questionnaires,
interview scripts, etc.
Methodological
Report
Collected data
(tables &
transcripts)
Raw data tables
Publication (Analysis and ICT Indicators)
Website CETIC.br
Preliminary Data
Analysis Report
DATA ANALYSIS
AND DATA
PRESENTATION
ICT SURVEY
PLANNING
(Objectives, survey frame,
sample design, indicators,
questionnaire design)
FIELD DATA
COLLECTION
(PAPI & CATI)
DATA PROCESSING
(Data consolidation,
validation and coding)
DATA
DISSEMINATION
(ICT indicators and
historical data)
1 2 43 5
Book
q Non-gov’t organizations
q Research institutes
Field Control
Report
Relatório de
controle de
campo
o Governo e Org. Internacionais
o Academia
o Institutos de pesquisas
o Organizações não governamentais
Grupo de
Especialistas
Abordagens
quali & quanti
Processo de pesquisas
CETIC.br
Organizações
acadêmicas
Governo e organismos
Internacionais
Organizações sem fins
lucrativos
 Ministério das Comunicações
 Ministério da Educação
 Ministério da Justiça
 Ministério do Planejamento, Orçamento e
Gestão
 Ministério de Relações Exteriores
 Ministério da Saúde- DATASUS
 Casa Civil
 Controladoria Geral da União (CGU)
 Tribunal de Contas da União (TCU)
 ANATEL- Agência Nacional de
Telecomunicações
 ANS- Agência Nacional de Saúde Suplementar
 SGP/SP- Secretaria de Gestão Pública
 IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística
 IBICT- Instituto Brasileiro de Informação em
Ciência e Tecnologia
 IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica
Aplicada
 INEP - Instituto Nacional de Estudos e
Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
 UNESCO / UIS
 UNICEF
 CEPAL
 OECD
 ENCE
 FGV-EAESP
 FGV-RJ
 FJP
 PUC-SP
 PUC-PR
 PUC-RJ
 UFBA
 UFC
 UFMG
 UFPR
 UFRGS
 UFRJ
 UFSC
 UFSM
 Unicamp
 Unifesp
 USP
 Argentina: FLACSO
 Canadá: HEC Montreal
 UK: LSE
 Portugal: UNL/FCSH
Cooperação
internacional
 Abcid
 Abong
 Abril Educação
 ABNT
 Cenpec
 Fiesp
 Fundação Padre Anchieta
 Fundação Victor Civita
 Gife
 Instituto Ayrton Senna
 Instituto Paulo Montenegro
 Intercom
 Laboratório Brasileiro de Cultura
Digital
 Safernet Brasil
 SBIS
 Sebrae
 Senac
 Softex
Grupo de Especialistas – Cetic.br
Workshops em metodologia de pesquisa: da produção de dados à ação nas
políticas públicas e pesquisas acadêmicas.
Brasil América Latina África
Engajamento de atores-chave
CETIC.br
Debates públicos e
reuniões: governo,
especialistas e sociedade.
Reuniões de especialistas.
Workshops de
Metodologia de Pesquisa:
Brasil, AL e PALOPs
Pesquisas TIC
Indicadores e Estatísticas
Estudos Setoriais
Panorama Setorial da
Internet & Estudos
comparativos
Capacitação em
metodologias de pesquisa
Cooperação Internacional
(Unesco, UIS, ITU, Cepal,
Unctad e OCDE)
Visualização de
Dados
CONSTRUÇÃO
Governo
Políticas Públicas
Academia
Pesquisa acadêmica /
BRICS Internet studies
research group
UTILIZAÇÃO
Produção e análise de dados
COMPARTILHAMENTO
Dimensões dos projetos
CETIC.br
Cenário Brasileiro de Inclusão Digital
População: 202,6 milhões
85% em áreas urbanas
5.570 municípios
5o. maior território no mundo
Fonte: IBGE 2014
Fonte: IBGE 2012
PIB: USD 2,22 Trilhões
PIB/Capita: USD 10.965
Fonte: CGI.br, Pesquisa TIC Domicílios 2013
Domicílios com computador 53% 21%
Domicílios com acesso à Internet 48% 15%
População usuária de Internet 56% 21%
População usuária de celular 87% 73%
Acesso e uso das TIC (domicílios e população): Urbano Rural
Cenário Brasileiro de Inclusão Digital
TIC DOMICÍLIOS
95 93
88
77
70
63
10 14
23
41
50
57
2 4
12
0
20
40
60
80
100
2008 2009 2010 2011 2012 2013
Computador de
mesa (Desktop / PC)
Computador Portátil
(laptop, notebook)
Tablet
Domicílios com
COMPUTADOR
51%dos indivíduos
de 10 anos ou
mais são
usuários de
Internet
25
32 35
43 46 49
0
20
40
60
80
100
2008 2009 2010 2011 2012 2013
32%
34%
49%
57%
58%
Aumento da presença
de dispositivos portáteis
(notebook e tablet)
30,6
milhões de domicílios
com computador
51%dos indivíduos
de 10 anos ou
mais são
usuários de
Internet
18
24 27
36 40 43
0
20
40
60
80
100
2008 2009 2010 2011 2012 2013
26%
30%
44%
51%
51%
27,2
milhões de domicílios
com acesso à Internet
Proporção mais do que
dobrou, mas as
desigualdades persistem
Domicílios com
INTERNET
51%dos indivíduos
de 10 anos ou
mais são
usuários de
Internet
91 90 90 97 97 98
58
64 65
73
78 80
16
21 24
33 36 39
1
3 3 4 6 8
0
20
40
60
80
100
2008 2009 2010 2011 2012 2013
A
B
C
D/E
20
27
31
40
44 48
4 6 6 8 10
15
0
20
40
60
80
100
2008 2009 2010 2011 2012 2013
Urbana
Rural
22%
dos domicílios com
acesso à Internet
têm conexão por
modem 3G
42%
dos domicílios com
acesso à Internet têm
velocidade até 2 MBps
Domicílios com
INTERNET
Domicílios com acesso à Internet, por
renda familiar - proporção e estimativa
(milhões)
Proporção (%) Estimativa (milhões)
Sim Não Sim Não
Até 1 SM 11 89 1,3 9,9
Mais de 1 SM até 2 SM 27 73 5,2 14,3
Mais de 2 SM até 3 SM 52 48 6,4 5,9
Mais de 3 SM até 5 SM 70 30 4,9 2,1
Mais de 5 SM até 10 SM 84 16 3,1 0,6
Mais de 10 SM 91 9 2,0 0,2
Domicílios com acesso à Internet, por
área - proporção e estimativa (milhões)
Proporção (%)
Estimativa
(milhões)
Sim Não Sim Não
Urbana 48 52 25,9 28,1
Rural 15 85 1,3 7,5
Domicílios com acesso à Internet, por
região - proporção e estimativa (milhões)
Proporção (%)
Estimativa
(milhões)
Sim Não Sim Não
Sudeste 51 49 14,1 13,3
Nordeste 30 70 4,9 11,5
Sul 51 49 4,9 4,7
Norte 26 74 1,2 3,4
Centro-Oeste 44 56 2,1 2,7
24,2
milhões de domicílios de
renda até 2 salários mínimos
não têm acesso à Internet
7,5
milhões de domicílios da
área Rural não têm acesso à
Internet
13,3
milhões de domicílios do
Sudeste não têm acesso à
Internet
Domicílios sem Internet
ESTIMATIVAS
12
8
27
7
12 9
38
8
14 12 9
17 16 15
9
13 11 14
0
20
40
60
80
100
Urbana
Rural
Sudeste
Nordeste
Sul
Norte
Centro-Oeste
Até1SM
Maisde1SMaté2SM
Maisde2SMaté3SM
Maisde3SMaté5SM
Maisde5SMaté10SM
Maisde10SM
A
B
C
DE
TOTAL Área Região Renda familiar Classe social
Falta de disponibilidade do serviço na área
Domicílios sem Internet
MOTIVOS
Usuários de
INTERNET
51%dos indivíduos
de 10 anos ou
mais são
usuários de
Internet
34
39 41
46 49 51
0
20
40
60
80
100
2008 2009 2010 2011 2012 2013
39%
42%
58%
56%
56%
85,9
milhões de usuários de
Internet
Além do fator geográfico e
do socioeconômico, uso
também difere por idade
51
56
21
49
53
75 77
66
47
33
11
17
49
78
97
0
20
40
60
80
100
Urbana
Rural
Masculino
Feminino
De10a15anos
De16a24anos
De25a34anos
De35a44anos
De45a59anos
60anosoumais
DE
C
B
A
TOTAL Área Sexo Faixa etária Classe social
Internet não é utilizada por
metade da população entre
35 e 44 anos
4 em cada 5 moradores de
setores rurais não são
usuários de Internet
Usuários de
INTERNET
51%dos indivíduos
de 10 anos ou
mais são
usuários de
Internet
Telefone celular
USO E POSSE
67
75
79
82 84 85
52
59
64
76
80 82
0
20
40
60
80
100
2008 2009 2010 2011 2012 2013
Uso
Posse
143
milhões de usuários de
telefone celular
10%
de diferença entre uso e
posse na classe DE
Posse de telefone celular
cresceu 30 pontos
percentuais entre 2008 e
2013
51%dos indivíduos
de 10 anos ou
mais são
usuários de
Internet
Uso da Internet no
CELULAR
52,5
milhões de usuários
de Internet no celular
4 4 4
15
20
31
0
20
40
60
80
100
2008 2009 2010 2011 2012 2013
11
29
48
69
3
11
25
44
61
45
0 20 40 60 80 100
DE
C
B
A
60 anos ou mais
De 45 a 59 anos
De 35 a 44 anos
De 25 a 34 anos
De 16 a 24 anos
De 10 a 15 anos
ClassesocialFaixaetária
51%dos indivíduos
de 10 anos ou
mais são
usuários de
Internet
Internet no celular cresce
mais rápido do que o uso
da Internet em geral
Internet no celular cresce
entre quem já tem acesso
no domicílio
15
20
31
10
14
21
5 6
10
0
20
40
60
2011 2012 2013
Total
Tem Internet no domicílio
Não tem Internet no domicílio
0
20
40
60
2008 2009 2010 2011 2012 2013
Usuários de Internet
Usuários de Internet no celular
Uso da Internet no
CELULAR
POLÍTICAS
PÚBLICAS
BENCHMARKING
ESTUDOS
COMPARATIVOS
 Envolvimento de stakeholders
 Taxonomia e definições
 Definição de indicadores
 Coleta de dados
 Continuidade
 Referências metodológicas
 Disseminação de dados e
comunicação com stakeholders
OportunidadesDesafios
Alinhando a agenda de pesquisa com
NECESSIDADES POLÍTICAS
Obrigado!
www.cetic.br
alexandre@nic.br @ComuNICbr Facebook.com/nic.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

inclusão digital
inclusão digitalinclusão digital
inclusão digitalIsis Lima
 
Inclusão digital adilson vinhote
Inclusão digital adilson vinhoteInclusão digital adilson vinhote
Inclusão digital adilson vinhoteAdilson Vinhote
 
Inclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no BrasilInclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no BrasilIasp
 
Inclusão digital
Inclusão digital Inclusão digital
Inclusão digital homnia
 
1. o impacto socio economico da banda larga
1. o impacto socio economico da banda larga1. o impacto socio economico da banda larga
1. o impacto socio economico da banda largaFlavia Nascimento
 
Benefícios da inclusão digital - POSTIC - UFAC
Benefícios da inclusão digital - POSTIC - UFACBenefícios da inclusão digital - POSTIC - UFAC
Benefícios da inclusão digital - POSTIC - UFACDarci Jaeger
 
Alinhando o Cobit® com a Governança de TI no Setor Público Brasileiro nos Dia...
Alinhando o Cobit® com a Governança de TI no Setor Público Brasileiro nos Dia...Alinhando o Cobit® com a Governança de TI no Setor Público Brasileiro nos Dia...
Alinhando o Cobit® com a Governança de TI no Setor Público Brasileiro nos Dia...Ana Carolina Gracioso
 
Tics para o desenvolvimento social
Tics para o desenvolvimento socialTics para o desenvolvimento social
Tics para o desenvolvimento socialGorete Figueiredo
 
Observatório de Cultura Digital - Conexões Científicas 2013: "O estado da art...
Observatório de Cultura Digital - Conexões Científicas 2013: "O estado da art...Observatório de Cultura Digital - Conexões Científicas 2013: "O estado da art...
Observatório de Cultura Digital - Conexões Científicas 2013: "O estado da art...AcessaSP
 
Inclusão Digital
Inclusão DigitalInclusão Digital
Inclusão Digitalrobertokz
 
Inclusão digital meu slide
Inclusão digital meu slideInclusão digital meu slide
Inclusão digital meu slidecidaeed
 
Alagoas Digital 2010 Oficial
Alagoas Digital 2010   OficialAlagoas Digital 2010   Oficial
Alagoas Digital 2010 OficialThiago Avila, Msc
 

Mais procurados (20)

inclusão digital
inclusão digitalinclusão digital
inclusão digital
 
Inclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no BrasilInclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no Brasil
 
Inclusão digital adilson vinhote
Inclusão digital adilson vinhoteInclusão digital adilson vinhote
Inclusão digital adilson vinhote
 
Nit virtual ssi_jaiio_2010
Nit virtual  ssi_jaiio_2010Nit virtual  ssi_jaiio_2010
Nit virtual ssi_jaiio_2010
 
Inclusão Digital
Inclusão DigitalInclusão Digital
Inclusão Digital
 
Inclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no BrasilInclusão Digital no Brasil
Inclusão Digital no Brasil
 
Inclusão Digital
Inclusão DigitalInclusão Digital
Inclusão Digital
 
Inclusão digital
Inclusão digital Inclusão digital
Inclusão digital
 
Slide De InclusãO Digital..
Slide De InclusãO Digital..Slide De InclusãO Digital..
Slide De InclusãO Digital..
 
1. o impacto socio economico da banda larga
1. o impacto socio economico da banda larga1. o impacto socio economico da banda larga
1. o impacto socio economico da banda larga
 
Aula 2 - Governança da Internet
Aula 2 - Governança da InternetAula 2 - Governança da Internet
Aula 2 - Governança da Internet
 
Benefícios da inclusão digital - POSTIC - UFAC
Benefícios da inclusão digital - POSTIC - UFACBenefícios da inclusão digital - POSTIC - UFAC
Benefícios da inclusão digital - POSTIC - UFAC
 
Alinhando o Cobit® com a Governança de TI no Setor Público Brasileiro nos Dia...
Alinhando o Cobit® com a Governança de TI no Setor Público Brasileiro nos Dia...Alinhando o Cobit® com a Governança de TI no Setor Público Brasileiro nos Dia...
Alinhando o Cobit® com a Governança de TI no Setor Público Brasileiro nos Dia...
 
bp48_pt
bp48_ptbp48_pt
bp48_pt
 
Tics para o desenvolvimento social
Tics para o desenvolvimento socialTics para o desenvolvimento social
Tics para o desenvolvimento social
 
Observatório de Cultura Digital - Conexões Científicas 2013: "O estado da art...
Observatório de Cultura Digital - Conexões Científicas 2013: "O estado da art...Observatório de Cultura Digital - Conexões Científicas 2013: "O estado da art...
Observatório de Cultura Digital - Conexões Científicas 2013: "O estado da art...
 
Inclusão Digital
Inclusão DigitalInclusão Digital
Inclusão Digital
 
Inclusão digital meu slide
Inclusão digital meu slideInclusão digital meu slide
Inclusão digital meu slide
 
Alagoas Digital 2010 Oficial
Alagoas Digital 2010   OficialAlagoas Digital 2010   Oficial
Alagoas Digital 2010 Oficial
 
CONGEP 2009 - 8 Dez
CONGEP 2009 - 8 DezCONGEP 2009 - 8 Dez
CONGEP 2009 - 8 Dez
 

Semelhante a Políticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão Digital

Cenário brasileiro de Inclusão Digital
Cenário brasileiro de Inclusão DigitalCenário brasileiro de Inclusão Digital
Cenário brasileiro de Inclusão DigitalLeonardo Diogo Silva
 
Pesquisa sobre Governo Eletrônico
Pesquisa sobre Governo Eletrônico  Pesquisa sobre Governo Eletrônico
Pesquisa sobre Governo Eletrônico Colaborativismo
 
Palestra na Unirio - Tese de Doutorado
Palestra na Unirio - Tese de DoutoradoPalestra na Unirio - Tese de Doutorado
Palestra na Unirio - Tese de DoutoradoLuiz Agner
 
O Novo em Governo
O Novo em GovernoO Novo em Governo
O Novo em GovernoinovaDay .
 
Cristiano Heckert - Alicerce dos Negócios
Cristiano Heckert - Alicerce dos NegóciosCristiano Heckert - Alicerce dos Negócios
Cristiano Heckert - Alicerce dos NegóciosBrasscom
 
PLANO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA GESAC
PLANO  NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA GESACPLANO  NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA GESAC
PLANO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA GESACGESAC
 
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...Roberto C. S. Pacheco
 
Fabio petic strategic portal versão para aula do prof rogerio
Fabio petic strategic portal versão para aula do prof rogerioFabio petic strategic portal versão para aula do prof rogerio
Fabio petic strategic portal versão para aula do prof rogerioUniversidade Tiradentes
 
Apresentacao conexaocultura cgi
Apresentacao conexaocultura cgiApresentacao conexaocultura cgi
Apresentacao conexaocultura cgiraiobrasil
 
Tic centros-publicos-de-acesso-2013-12112014
Tic centros-publicos-de-acesso-2013-12112014Tic centros-publicos-de-acesso-2013-12112014
Tic centros-publicos-de-acesso-2013-12112014Alessandro Maia
 
A Ciência Cidadã no contexto brasileiro dos Dados Governamentais Abertos
A Ciência Cidadã no contexto brasileiro dos Dados Governamentais AbertosA Ciência Cidadã no contexto brasileiro dos Dados Governamentais Abertos
A Ciência Cidadã no contexto brasileiro dos Dados Governamentais AbertosProjeto RCAAP
 
Smart Cities Brazil 2017 - Internet das Coisas: Plano de ação para o Brasil -...
Smart Cities Brazil 2017 - Internet das Coisas: Plano de ação para o Brasil -...Smart Cities Brazil 2017 - Internet das Coisas: Plano de ação para o Brasil -...
Smart Cities Brazil 2017 - Internet das Coisas: Plano de ação para o Brasil -...Bernardo Scheinkman
 
Consad 2015 apresentação - desafios da abertura de dados e da colaboração c...
Consad 2015   apresentação - desafios da abertura de dados e da colaboração c...Consad 2015   apresentação - desafios da abertura de dados e da colaboração c...
Consad 2015 apresentação - desafios da abertura de dados e da colaboração c...SPUK
 
Palestra dados abertos - Case Recife
Palestra dados abertos - Case RecifePalestra dados abertos - Case Recife
Palestra dados abertos - Case RecifeBreno
 
Proposta 3 f_apresentacao_pesquisa_avalia_gesac_12abril2010 (cópia)
Proposta 3  f_apresentacao_pesquisa_avalia_gesac_12abril2010 (cópia)Proposta 3  f_apresentacao_pesquisa_avalia_gesac_12abril2010 (cópia)
Proposta 3 f_apresentacao_pesquisa_avalia_gesac_12abril2010 (cópia)Benedito Medeiros Neto
 
Métricas - Lidec - Escola do Futuro
Métricas - Lidec - Escola do FuturoMétricas - Lidec - Escola do Futuro
Métricas - Lidec - Escola do FuturoDrica Guzzi
 

Semelhante a Políticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão Digital (20)

Cenário brasileiro de Inclusão Digital
Cenário brasileiro de Inclusão DigitalCenário brasileiro de Inclusão Digital
Cenário brasileiro de Inclusão Digital
 
Transparência e a Lei de Acesso à informação nos Municípios
Transparência e a Lei de Acesso à informação nos MunicípiosTransparência e a Lei de Acesso à informação nos Municípios
Transparência e a Lei de Acesso à informação nos Municípios
 
Pesquisa sobre Governo Eletrônico
Pesquisa sobre Governo Eletrônico  Pesquisa sobre Governo Eletrônico
Pesquisa sobre Governo Eletrônico
 
Palestra na Unirio - Tese de Doutorado
Palestra na Unirio - Tese de DoutoradoPalestra na Unirio - Tese de Doutorado
Palestra na Unirio - Tese de Doutorado
 
O Novo Em Governo Governo 2.0
O Novo Em Governo   Governo 2.0O Novo Em Governo   Governo 2.0
O Novo Em Governo Governo 2.0
 
O Novo em Governo
O Novo em GovernoO Novo em Governo
O Novo em Governo
 
Cristiano Heckert - Alicerce dos Negócios
Cristiano Heckert - Alicerce dos NegóciosCristiano Heckert - Alicerce dos Negócios
Cristiano Heckert - Alicerce dos Negócios
 
PLANO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA GESAC
PLANO  NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA GESACPLANO  NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA GESAC
PLANO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA GESAC
 
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
 
Fabio petic strategic portal versão para aula do prof rogerio
Fabio petic strategic portal versão para aula do prof rogerioFabio petic strategic portal versão para aula do prof rogerio
Fabio petic strategic portal versão para aula do prof rogerio
 
Apresentacao conexaocultura cgi
Apresentacao conexaocultura cgiApresentacao conexaocultura cgi
Apresentacao conexaocultura cgi
 
Tic centros-publicos-de-acesso-2013-12112014
Tic centros-publicos-de-acesso-2013-12112014Tic centros-publicos-de-acesso-2013-12112014
Tic centros-publicos-de-acesso-2013-12112014
 
A Ciência Cidadã no contexto brasileiro dos Dados Governamentais Abertos
A Ciência Cidadã no contexto brasileiro dos Dados Governamentais AbertosA Ciência Cidadã no contexto brasileiro dos Dados Governamentais Abertos
A Ciência Cidadã no contexto brasileiro dos Dados Governamentais Abertos
 
Smart Cities Brazil 2017 - Internet das Coisas: Plano de ação para o Brasil -...
Smart Cities Brazil 2017 - Internet das Coisas: Plano de ação para o Brasil -...Smart Cities Brazil 2017 - Internet das Coisas: Plano de ação para o Brasil -...
Smart Cities Brazil 2017 - Internet das Coisas: Plano de ação para o Brasil -...
 
Consad 2015 apresentação - desafios da abertura de dados e da colaboração c...
Consad 2015   apresentação - desafios da abertura de dados e da colaboração c...Consad 2015   apresentação - desafios da abertura de dados e da colaboração c...
Consad 2015 apresentação - desafios da abertura de dados e da colaboração c...
 
Pesquisas IBICT
Pesquisas IBICTPesquisas IBICT
Pesquisas IBICT
 
Palestra dados abertos - Case Recife
Palestra dados abertos - Case RecifePalestra dados abertos - Case Recife
Palestra dados abertos - Case Recife
 
Proposta 3 f_apresentacao_pesquisa_avalia_gesac_12abril2010 (cópia)
Proposta 3  f_apresentacao_pesquisa_avalia_gesac_12abril2010 (cópia)Proposta 3  f_apresentacao_pesquisa_avalia_gesac_12abril2010 (cópia)
Proposta 3 f_apresentacao_pesquisa_avalia_gesac_12abril2010 (cópia)
 
Métricas - Lidec - Escola do Futuro
Métricas - Lidec - Escola do FuturoMétricas - Lidec - Escola do Futuro
Métricas - Lidec - Escola do Futuro
 
Apresentação de Jefferson de Oliveira
Apresentação de Jefferson de OliveiraApresentação de Jefferson de Oliveira
Apresentação de Jefferson de Oliveira
 

Mais de Escola de Governança da Internet no Brasil

Economia Política na era da Informação: Propriedade Intelectual x Livre Compa...
Economia Política na era da Informação: Propriedade Intelectual x Livre Compa...Economia Política na era da Informação: Propriedade Intelectual x Livre Compa...
Economia Política na era da Informação: Propriedade Intelectual x Livre Compa...Escola de Governança da Internet no Brasil
 

Mais de Escola de Governança da Internet no Brasil (20)

Liberdade de Expressão, Privacidade e Proteção de Dados Pessoais
Liberdade de Expressão, Privacidade e Proteção de Dados PessoaisLiberdade de Expressão, Privacidade e Proteção de Dados Pessoais
Liberdade de Expressão, Privacidade e Proteção de Dados Pessoais
 
Economia Política na era da Informação: Propriedade Intelectual x Livre Compa...
Economia Política na era da Informação: Propriedade Intelectual x Livre Compa...Economia Política na era da Informação: Propriedade Intelectual x Livre Compa...
Economia Política na era da Informação: Propriedade Intelectual x Livre Compa...
 
Economia de Telecomunicações para o Provimento de Acesso à Internet
Economia de Telecomunicações para o Provimento de Acesso à InternetEconomia de Telecomunicações para o Provimento de Acesso à Internet
Economia de Telecomunicações para o Provimento de Acesso à Internet
 
Liberdade liberal e a liberdade na rede
Liberdade liberal e a liberdade na redeLiberdade liberal e a liberdade na rede
Liberdade liberal e a liberdade na rede
 
Marco Civil da Internet
Marco Civil da InternetMarco Civil da Internet
Marco Civil da Internet
 
Setor de Provimento de Serviços Internet
Setor de Provimento de Serviços InternetSetor de Provimento de Serviços Internet
Setor de Provimento de Serviços Internet
 
Panorama do setor de Provimento de Internet
Panorama do setor de Provimento de InternetPanorama do setor de Provimento de Internet
Panorama do setor de Provimento de Internet
 
Marco Civil da Internet e Direitos dos cidadãos e consumidores
Marco Civil da Internet e Direitos dos cidadãos e consumidoresMarco Civil da Internet e Direitos dos cidadãos e consumidores
Marco Civil da Internet e Direitos dos cidadãos e consumidores
 
Atividade - Recursos Críticos de Internet
Atividade - Recursos Críticos de InternetAtividade - Recursos Críticos de Internet
Atividade - Recursos Críticos de Internet
 
Marco Civil da Internet
Marco Civil da InternetMarco Civil da Internet
Marco Civil da Internet
 
Recursos Críticos de Internet
Recursos Críticos de InternetRecursos Críticos de Internet
Recursos Críticos de Internet
 
Internet, Conceitos e Evolução
Internet, Conceitos e EvoluçãoInternet, Conceitos e Evolução
Internet, Conceitos e Evolução
 
Como funciona a Internet
Como funciona a InternetComo funciona a Internet
Como funciona a Internet
 
Fundamentos de Segurança da Informação
Fundamentos de Segurança da InformaçãoFundamentos de Segurança da Informação
Fundamentos de Segurança da Informação
 
Fundamentos de Segurança da Informação
Fundamentos de Segurança da InformaçãoFundamentos de Segurança da Informação
Fundamentos de Segurança da Informação
 
Introduction to Internet Governance
Introduction to Internet GovernanceIntroduction to Internet Governance
Introduction to Internet Governance
 
Internet e Web NÃO SÃO as mesmas coisas
Internet e Web NÃO SÃO as mesmas coisasInternet e Web NÃO SÃO as mesmas coisas
Internet e Web NÃO SÃO as mesmas coisas
 
Marco Civil da Internet e seus aspectos estruturantes
Marco Civil da Internet e seus aspectos estruturantesMarco Civil da Internet e seus aspectos estruturantes
Marco Civil da Internet e seus aspectos estruturantes
 
O desafio da regulamentação
O desafio da regulamentaçãoO desafio da regulamentação
O desafio da regulamentação
 
Setor de telecomunicações
Setor de telecomunicaçõesSetor de telecomunicações
Setor de telecomunicações
 

Políticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão Digital

  • 1. Políticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão Digital Alexandre Barbosa – Cetic.br São Paulo | 21 de agosto de 2015
  • 2. Agenda de Pesquisas vs. Agenda de Políticas Públicas o Produção de dados para políticas públicas o As pesquisas TIC do CGI.br o Cenário Brasileiro de Inclusão Digital
  • 3. Agenda de Pesquisa Agenda de Políticas Públicas Como estabelecer uma agenda de pesquisa que possa maximizar a sua contribuição para a agenda de políticas públicas?
  • 4. Agenda de Pesquisa Agenda de políticas públicas …para melhores políticas Evidence-based policymakingDados confiáveis… e políticas efetivas.
  • 5.  Confiável  Relevante  Oportuna para tomada de decisões  Acessível à todos os stakeholders  Baixo custo  Suficientemente Interdisciplinar para tratar a transversalidade das TIC Medição: Indicadores e estatísticas TIC Indicadores e estatísticas para POLÍTICAS PÚBLICAS
  • 6. Conhecer O contexto nacional Apoiar a formulação de políticas públicas PRODUÇÃO DE ESTATÍSTICAS Importância da MEDIÇÃO DAS TIC Proporcionar insumos para a indústria Refletir sobre as necessidades da população
  • 7. Comparação entre diferentes países e regiões Monitoramento de objetivos de políticas públicas Importância da MEDIÇÃO DAS TIC PRODUÇÃO DE ESTATÍSTICAS
  • 8. Comparação entre diferentes países e regiões Monitoramento de objetivos de políticas públicas Importância da MEDIÇÃO DAS TIC PRODUÇÃO DE ESTATÍSTICAS
  • 9. Comparação entre diferentes países e regiões Monitoramento de objetivos de políticas públicas Importância da MEDIÇÃO DAS TIC PRODUÇÃO DE ESTATÍSTICAS
  • 10. Qual é o papel do CETIC.br no provimento de dados e estatísticas para políticas públicas?
  • 11. Contribuição para as políticas públicas PESQUISAS TIC Domicílios Kids Online Empresas Educação Saúde Governo Eletrônico OSFIL Provedores Telecentros Pesquisas TIC do CGI.br Referências metodológicas internacionais Monitoramento de metas
  • 12.  Pesquisas amostrais  Estudos qualitativos  Estudos setoriais  Visualização de dados Produção de dados relevantes e confiáveis para políticas públicas e pesquisas científicas: Contribuição para as políticas públicas PESQUISAS TIC
  • 13. o Desenho amostral o Coleta de dados o Processamento de dados o Disseminação Gestores públicos o Infraestrutura o Acesso e uso o Habilidades o Atividades online o Barreiras e motivações PRODUÇÃO DE ESTATÍSTICAS TIC CAPACITAÇÃO Estatísticas TIC4D Indicadores TIC Dados comparáveis Dados relevantes para políticas Contribuição para as políticas públicas PESQUISAS TIC
  • 14. 2005 Pesquisas TIC para o monitoramento do desenvolvimento da sociedade da informação http://www.cetic.br/publicacoes/indice/ 2012 Medição da inclusão digital ÁREAS DE INVESTIGAÇÃO
  • 16. DOMICÍLIOS EMPRESAS EDUCAÇÃO SAÚDE  Metodologia, definições, indicadores e questionários Medição da inclusão digital ÁREAS DE INVESTIGAÇÃO
  • 17. GOVERNO ELETRÔNICO KIDS ONLINE  Metodologia, definições, indicadores e questionários Medição da inclusão digital ÁREAS DE INVESTIGAÇÃO
  • 18. CETIC.br: Arranjos institucionais, projetos de pesquisa e rede de cooperação.
  • 19. Países da América Latina e PALOPs 20121995 2005 Criação do Centro aprovada na 36a. Conferência Geral da UNESCO Nov.2011 Acordo de cooperação assinado com o Governo Brasileiro em Mar.2012 Trajetória do CETIC.br
  • 20. Escopo de atuação: América Latina e Países lusófonos da África. Missão: Contribuir para a construção de sociedades do conhecimento inclusivas por meio das tecnologias de informação e comunicação. Linhas de Ação: Cooperação regional CETIC.br
  • 21. Manual de procedimentos Instrumentos de coleta de dados: questionários, roteiros entrevistas, etc. Relatório metodológico Dados coletados (tabelas e transcrições) Dados brutos Publicação (Análise e Indicadores TIC) CETIC.br Website Relatório preliminar de análise de dados Livro 1 2 43 5 PLANEJAMENTO PESQUISAS TIC (Objetivos, escopo, desenho da amostra, indicadores, questionário) EXECUÇÃO DA PESQUISA EM CAMPO (coleta de dados: PAPI, CATI, eForm Web) PROCESSAMENTO DE DADOS (Consolidação, análise de dados e validação dos resultados) DISSEMINAÇÃO DE DADOS, PUBLICAÇÃO DAS PESQUISAS (Série histórica de Indicadores) ANÁLISE E APRESENTAÇÃO DE DADOS (Elaboração dos relatórios finais de análise) Expert Group: q Academic researchers q Government Survey Procedures Manual Data collection instruments: questionnaires, interview scripts, etc. Methodological Report Collected data (tables & transcripts) Raw data tables Publication (Analysis and ICT Indicators) Website CETIC.br Preliminary Data Analysis Report DATA ANALYSIS AND DATA PRESENTATION ICT SURVEY PLANNING (Objectives, survey frame, sample design, indicators, questionnaire design) FIELD DATA COLLECTION (PAPI & CATI) DATA PROCESSING (Data consolidation, validation and coding) DATA DISSEMINATION (ICT indicators and historical data) 1 2 43 5 Book q Non-gov’t organizations q Research institutes Field Control Report Relatório de controle de campo o Governo e Org. Internacionais o Academia o Institutos de pesquisas o Organizações não governamentais Grupo de Especialistas Abordagens quali & quanti Processo de pesquisas CETIC.br
  • 22. Organizações acadêmicas Governo e organismos Internacionais Organizações sem fins lucrativos  Ministério das Comunicações  Ministério da Educação  Ministério da Justiça  Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão  Ministério de Relações Exteriores  Ministério da Saúde- DATASUS  Casa Civil  Controladoria Geral da União (CGU)  Tribunal de Contas da União (TCU)  ANATEL- Agência Nacional de Telecomunicações  ANS- Agência Nacional de Saúde Suplementar  SGP/SP- Secretaria de Gestão Pública  IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística  IBICT- Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia  IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada  INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira  UNESCO / UIS  UNICEF  CEPAL  OECD  ENCE  FGV-EAESP  FGV-RJ  FJP  PUC-SP  PUC-PR  PUC-RJ  UFBA  UFC  UFMG  UFPR  UFRGS  UFRJ  UFSC  UFSM  Unicamp  Unifesp  USP  Argentina: FLACSO  Canadá: HEC Montreal  UK: LSE  Portugal: UNL/FCSH Cooperação internacional  Abcid  Abong  Abril Educação  ABNT  Cenpec  Fiesp  Fundação Padre Anchieta  Fundação Victor Civita  Gife  Instituto Ayrton Senna  Instituto Paulo Montenegro  Intercom  Laboratório Brasileiro de Cultura Digital  Safernet Brasil  SBIS  Sebrae  Senac  Softex Grupo de Especialistas – Cetic.br
  • 23. Workshops em metodologia de pesquisa: da produção de dados à ação nas políticas públicas e pesquisas acadêmicas. Brasil América Latina África Engajamento de atores-chave CETIC.br Debates públicos e reuniões: governo, especialistas e sociedade. Reuniões de especialistas.
  • 24. Workshops de Metodologia de Pesquisa: Brasil, AL e PALOPs Pesquisas TIC Indicadores e Estatísticas Estudos Setoriais Panorama Setorial da Internet & Estudos comparativos Capacitação em metodologias de pesquisa Cooperação Internacional (Unesco, UIS, ITU, Cepal, Unctad e OCDE) Visualização de Dados CONSTRUÇÃO Governo Políticas Públicas Academia Pesquisa acadêmica / BRICS Internet studies research group UTILIZAÇÃO Produção e análise de dados COMPARTILHAMENTO Dimensões dos projetos CETIC.br
  • 25. Cenário Brasileiro de Inclusão Digital
  • 26. População: 202,6 milhões 85% em áreas urbanas 5.570 municípios 5o. maior território no mundo Fonte: IBGE 2014 Fonte: IBGE 2012 PIB: USD 2,22 Trilhões PIB/Capita: USD 10.965 Fonte: CGI.br, Pesquisa TIC Domicílios 2013 Domicílios com computador 53% 21% Domicílios com acesso à Internet 48% 15% População usuária de Internet 56% 21% População usuária de celular 87% 73% Acesso e uso das TIC (domicílios e população): Urbano Rural Cenário Brasileiro de Inclusão Digital TIC DOMICÍLIOS
  • 27. 95 93 88 77 70 63 10 14 23 41 50 57 2 4 12 0 20 40 60 80 100 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Computador de mesa (Desktop / PC) Computador Portátil (laptop, notebook) Tablet Domicílios com COMPUTADOR 51%dos indivíduos de 10 anos ou mais são usuários de Internet 25 32 35 43 46 49 0 20 40 60 80 100 2008 2009 2010 2011 2012 2013 32% 34% 49% 57% 58% Aumento da presença de dispositivos portáteis (notebook e tablet) 30,6 milhões de domicílios com computador
  • 28. 51%dos indivíduos de 10 anos ou mais são usuários de Internet 18 24 27 36 40 43 0 20 40 60 80 100 2008 2009 2010 2011 2012 2013 26% 30% 44% 51% 51% 27,2 milhões de domicílios com acesso à Internet Proporção mais do que dobrou, mas as desigualdades persistem Domicílios com INTERNET
  • 29. 51%dos indivíduos de 10 anos ou mais são usuários de Internet 91 90 90 97 97 98 58 64 65 73 78 80 16 21 24 33 36 39 1 3 3 4 6 8 0 20 40 60 80 100 2008 2009 2010 2011 2012 2013 A B C D/E 20 27 31 40 44 48 4 6 6 8 10 15 0 20 40 60 80 100 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Urbana Rural 22% dos domicílios com acesso à Internet têm conexão por modem 3G 42% dos domicílios com acesso à Internet têm velocidade até 2 MBps Domicílios com INTERNET
  • 30. Domicílios com acesso à Internet, por renda familiar - proporção e estimativa (milhões) Proporção (%) Estimativa (milhões) Sim Não Sim Não Até 1 SM 11 89 1,3 9,9 Mais de 1 SM até 2 SM 27 73 5,2 14,3 Mais de 2 SM até 3 SM 52 48 6,4 5,9 Mais de 3 SM até 5 SM 70 30 4,9 2,1 Mais de 5 SM até 10 SM 84 16 3,1 0,6 Mais de 10 SM 91 9 2,0 0,2 Domicílios com acesso à Internet, por área - proporção e estimativa (milhões) Proporção (%) Estimativa (milhões) Sim Não Sim Não Urbana 48 52 25,9 28,1 Rural 15 85 1,3 7,5 Domicílios com acesso à Internet, por região - proporção e estimativa (milhões) Proporção (%) Estimativa (milhões) Sim Não Sim Não Sudeste 51 49 14,1 13,3 Nordeste 30 70 4,9 11,5 Sul 51 49 4,9 4,7 Norte 26 74 1,2 3,4 Centro-Oeste 44 56 2,1 2,7 24,2 milhões de domicílios de renda até 2 salários mínimos não têm acesso à Internet 7,5 milhões de domicílios da área Rural não têm acesso à Internet 13,3 milhões de domicílios do Sudeste não têm acesso à Internet Domicílios sem Internet ESTIMATIVAS
  • 31. 12 8 27 7 12 9 38 8 14 12 9 17 16 15 9 13 11 14 0 20 40 60 80 100 Urbana Rural Sudeste Nordeste Sul Norte Centro-Oeste Até1SM Maisde1SMaté2SM Maisde2SMaté3SM Maisde3SMaté5SM Maisde5SMaté10SM Maisde10SM A B C DE TOTAL Área Região Renda familiar Classe social Falta de disponibilidade do serviço na área Domicílios sem Internet MOTIVOS
  • 32. Usuários de INTERNET 51%dos indivíduos de 10 anos ou mais são usuários de Internet 34 39 41 46 49 51 0 20 40 60 80 100 2008 2009 2010 2011 2012 2013 39% 42% 58% 56% 56% 85,9 milhões de usuários de Internet Além do fator geográfico e do socioeconômico, uso também difere por idade
  • 33. 51 56 21 49 53 75 77 66 47 33 11 17 49 78 97 0 20 40 60 80 100 Urbana Rural Masculino Feminino De10a15anos De16a24anos De25a34anos De35a44anos De45a59anos 60anosoumais DE C B A TOTAL Área Sexo Faixa etária Classe social Internet não é utilizada por metade da população entre 35 e 44 anos 4 em cada 5 moradores de setores rurais não são usuários de Internet Usuários de INTERNET
  • 34. 51%dos indivíduos de 10 anos ou mais são usuários de Internet Telefone celular USO E POSSE 67 75 79 82 84 85 52 59 64 76 80 82 0 20 40 60 80 100 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Uso Posse 143 milhões de usuários de telefone celular 10% de diferença entre uso e posse na classe DE Posse de telefone celular cresceu 30 pontos percentuais entre 2008 e 2013
  • 35. 51%dos indivíduos de 10 anos ou mais são usuários de Internet Uso da Internet no CELULAR 52,5 milhões de usuários de Internet no celular 4 4 4 15 20 31 0 20 40 60 80 100 2008 2009 2010 2011 2012 2013 11 29 48 69 3 11 25 44 61 45 0 20 40 60 80 100 DE C B A 60 anos ou mais De 45 a 59 anos De 35 a 44 anos De 25 a 34 anos De 16 a 24 anos De 10 a 15 anos ClassesocialFaixaetária
  • 36. 51%dos indivíduos de 10 anos ou mais são usuários de Internet Internet no celular cresce mais rápido do que o uso da Internet em geral Internet no celular cresce entre quem já tem acesso no domicílio 15 20 31 10 14 21 5 6 10 0 20 40 60 2011 2012 2013 Total Tem Internet no domicílio Não tem Internet no domicílio 0 20 40 60 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Usuários de Internet Usuários de Internet no celular Uso da Internet no CELULAR
  • 37. POLÍTICAS PÚBLICAS BENCHMARKING ESTUDOS COMPARATIVOS  Envolvimento de stakeholders  Taxonomia e definições  Definição de indicadores  Coleta de dados  Continuidade  Referências metodológicas  Disseminação de dados e comunicação com stakeholders OportunidadesDesafios Alinhando a agenda de pesquisa com NECESSIDADES POLÍTICAS