SlideShare uma empresa Scribd logo
ORGANIZAÇÃO:
ELYSTEFANE MENDES CRP 22/3150 - JULIANA GOES CRP 22/ 03113
SAMARA SOUSA - VILCIELE DAMASCENO
Introdução
 Este trabalho surgiu da observação do acelerado
crescimento de demandas escolares a partir de uma roda
de conversa promovida por Psicólogos, a convite das
residentes do curso de Ciências Biológicas da
Universidade Federal do Maranhão, como forma de
fomentar o diálogo sobre assuntos tão atuais que em sua
maioria são vivenciados diariamente por adolescentes e
jovens em idade escolar.
O que é o Plantão Psicológico?
 O plantão psicológico caracteriza-se como um serviço que
é oferecido por profissionais e ou estudantes de psicologia
que se disponibilizam a realizar atendimentos a um
determinado grupo social podendo estes procurar
espontaneamente o plantão nos dias, local e horários pré-
estabelecidos a partir de uma demanda emergente ou
quase emergente vivenciada e que originou tal
necessidade (BEZERRA, 2014).
O que é o Plantão Psicológico?
 O plantão psicológico pode ser realizado em diversas
instituições, escolas, hospitais, clinicas, empresas, igrejas.
 E é voltado para situações que causam desequilíbrio
momentâneo e necessitam de uma ação interventiva
imediata, onde a principal ação é acolher a demanda do
individuo que sofre, e de acordo com cada necessidade
oferecer as orientações e encaminhamentos cabíveis,
baseados na integridade da pessoa acolhida Estevão,
Pacheco e Ferreira (2013).
Justificativa
 A necessidade de um espaço de fala e de acolhimento
técnico-profissional tem sido cada vez mais latente no
ambiente escolar devido aos vários conflitos e dificuldades
enfrentadas pelos adolescentes e jovens em idade escolar.
 Em virtude da crescente demanda entre adolescente e jovem
em idade escolar, este projeto visa oferecer acolhimento e
escuta a fim de auxiliar esses sujeitos, de acordo com suas
demandas, a encontrarem a forma mais adaptada de lidar ou
solucionar questões advindas do emocional e psicológico.
 Nessa perspectiva, o projeto visa promover e prevenir
situações ligadas a essa temática.
Objetivos
 Oferecer um espaço de fala a adolescentes e jovens em
idade escolar, a fim de acolher, escutar e encaminhar
questões ligadas à saúde mental;
 Acolher o outro através da escuta qualificada;
 Promover saúde mental através de plantão psicológico na
escola;
 Encaminhar os casos necessários para devido serviço.
Geral
Específicos
Cronograma de atividades
 25/09 Apresentação do Projeto “Acolher”
Reunir com o corpo docente da escola no intuito de
promover esclarecimentos acerca do projeto assim
como datas, tempo de duração e objetivos;
 09/10
Início do Plantão Psicológico na unidade de ensino
Promover saúde mental através de escuta e
aconselhamento psicológico;
 16/10
Atendimento Psicológico na unidade de ensino
Promover saúde mental através de escuta e
aconselhamento psicológico;
Cronograma de atividades
 23/10
Atendimento Psicológico na unidade de ensino Promover
saúde mental através de escuta e aconselhamento
psicológico;
 30/10
Avaliação das demandas apresentadas pelos alunos
Reunir com os plantonistas para discussão dos casos;
 06/11
Devolutiva para escola
Apresentar resultado bem como encaminhar os casos
necessários para o devido serviço.
Referências
 AMARANTE, Paulo. Saúde mental e atenção psicossocial.
Rio de Janeiro: Fiocruz, 2007.
 BEZERRA, E. N. Plantão Psicológico Como Modalidade de
Atendimento em Psicologia Escolar: Limites e
Possibilidades. Estudos e Pesquisas em Psicologia versão On-
line ISSN 1808-4281. Estud. pesqui. psicol. vol.14 no.1 Rio de
Janeiro abr. 2014.
 ESTEVÃO, A. M; PACHECO, B. R. FERREIRA, A. C. L.
Plantão Psicológico na Escola. Centro universitário de Minas
Gerias, 2013.
Referências
 LOPES, Daniele et al. O adolescente e o plantão psicológico
escolar. Disponível em
https://www.psicologia.pt/artigos/textos/TL0399.pdf. Acessado em:
20/09/2019.
 MAHFOUD, Miguel et al. Plantão Psicológico: novos horizontes,
2ª edição, revista e ampliada. São Paulo: Companhia Ilimitada, 2012.
 TASSINARI, M. A. (1999). Plantão psicológico centrado na
pessoa como promoção de saúde no contexto escolar.
Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro,
Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
 VENDRAMEL, Mayra. a importância do plantão psicológico no
ambiente escolar. Disponível
em:https://www.psicologia.pt/artigos/textos/TL0398.pdf. Acessado
em 20/09/2019.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A terapia cognitivo comportamental
A terapia cognitivo comportamentalA terapia cognitivo comportamental
A terapia cognitivo comportamental
Ana Larissa Perissini
 
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva ComportamentalTCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
Glaucia Lima de Magalhaes
 
Teorias do desenvolvimento
Teorias do desenvolvimentoTeorias do desenvolvimento
Teorias do desenvolvimento
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
José Salomão
 
Aspectos históricos, teóricos e terapêuticos da Gestalt-Terapia
Aspectos históricos, teóricos e terapêuticos da Gestalt-TerapiaAspectos históricos, teóricos e terapêuticos da Gestalt-Terapia
Aspectos históricos, teóricos e terapêuticos da Gestalt-Terapia
Fábio Nogueira, PhD
 
Introdução à psicopatologia
Introdução à psicopatologiaIntrodução à psicopatologia
Introdução à psicopatologia
Caio Maximino
 
Identificando e mudando as crenças intermediárias - TCC
Identificando e mudando as crenças intermediárias - TCCIdentificando e mudando as crenças intermediárias - TCC
Identificando e mudando as crenças intermediárias - TCC
Sarah Karenina
 
Funções psíquicas
Funções psíquicas Funções psíquicas
Funções psíquicas
thaissamaia
 
A Psicologia como ciência e profissão.ppt
A Psicologia como ciência e profissão.pptA Psicologia como ciência e profissão.ppt
A Psicologia como ciência e profissão.ppt
SadeMental13RS
 
Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Psicopatologia 1
Psicopatologia 1Psicopatologia 1
Psicopatologia 1
Victor Nóbrega
 
Princípios da neuropsicologia
Princípios da neuropsicologiaPrincípios da neuropsicologia
Princípios da neuropsicologia
Gisele Cortoni Calia
 
GESTALT
GESTALTGESTALT
Dsenvolvimento psicossocial do adulto jovem certo
Dsenvolvimento psicossocial do adulto jovem certoDsenvolvimento psicossocial do adulto jovem certo
Dsenvolvimento psicossocial do adulto jovem certo
Viviane Pasqualeto
 
Introdução psicopatologia
Introdução psicopatologiaIntrodução psicopatologia
Introdução psicopatologia
lucasvazdelima
 
Gerir emoções
Gerir emoçõesGerir emoções
Gerir emoções
Oficina Psicologia
 
Definições e conceitos básicos em análise do comportamento
Definições e conceitos básicos em análise do comportamentoDefinições e conceitos básicos em análise do comportamento
Definições e conceitos básicos em análise do comportamento
Nilson Dias Castelano
 
ESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICA
ESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICAESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICA
saude mental
saude mental saude mental
saude mental
IsabeldaCosta5
 
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
Vida Mental Consultoria de Saúde Mental e Nutricional
 

Mais procurados (20)

A terapia cognitivo comportamental
A terapia cognitivo comportamentalA terapia cognitivo comportamental
A terapia cognitivo comportamental
 
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva ComportamentalTCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
 
Teorias do desenvolvimento
Teorias do desenvolvimentoTeorias do desenvolvimento
Teorias do desenvolvimento
 
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
 
Aspectos históricos, teóricos e terapêuticos da Gestalt-Terapia
Aspectos históricos, teóricos e terapêuticos da Gestalt-TerapiaAspectos históricos, teóricos e terapêuticos da Gestalt-Terapia
Aspectos históricos, teóricos e terapêuticos da Gestalt-Terapia
 
Introdução à psicopatologia
Introdução à psicopatologiaIntrodução à psicopatologia
Introdução à psicopatologia
 
Identificando e mudando as crenças intermediárias - TCC
Identificando e mudando as crenças intermediárias - TCCIdentificando e mudando as crenças intermediárias - TCC
Identificando e mudando as crenças intermediárias - TCC
 
Funções psíquicas
Funções psíquicas Funções psíquicas
Funções psíquicas
 
A Psicologia como ciência e profissão.ppt
A Psicologia como ciência e profissão.pptA Psicologia como ciência e profissão.ppt
A Psicologia como ciência e profissão.ppt
 
Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1
 
Psicopatologia 1
Psicopatologia 1Psicopatologia 1
Psicopatologia 1
 
Princípios da neuropsicologia
Princípios da neuropsicologiaPrincípios da neuropsicologia
Princípios da neuropsicologia
 
GESTALT
GESTALTGESTALT
GESTALT
 
Dsenvolvimento psicossocial do adulto jovem certo
Dsenvolvimento psicossocial do adulto jovem certoDsenvolvimento psicossocial do adulto jovem certo
Dsenvolvimento psicossocial do adulto jovem certo
 
Introdução psicopatologia
Introdução psicopatologiaIntrodução psicopatologia
Introdução psicopatologia
 
Gerir emoções
Gerir emoçõesGerir emoções
Gerir emoções
 
Definições e conceitos básicos em análise do comportamento
Definições e conceitos básicos em análise do comportamentoDefinições e conceitos básicos em análise do comportamento
Definições e conceitos básicos em análise do comportamento
 
ESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICA
ESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICAESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICA
ESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICA
 
saude mental
saude mental saude mental
saude mental
 
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
 

Semelhante a Plantão Psicologico (1).pptx

Artigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarArtigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolar
Patricia Rodrigues
 
01. manual do psi. escolar
01. manual do psi. escolar01. manual do psi. escolar
01. manual do psi. escolar
Rosenira Dantas II
 
Anais Fórum Saúde Mental Infantojuveni
Anais  Fórum Saúde Mental InfantojuveniAnais  Fórum Saúde Mental Infantojuveni
Anais Fórum Saúde Mental Infantojuveni
CENAT Cursos
 
Projeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escolaProjeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escola
Patricia Bampi
 
Kleiner Instituto - Rough
Kleiner Instituto - RoughKleiner Instituto - Rough
Kleiner Instituto - Rough
FilipeAoki
 
Introdução à psicologia capa
Introdução à psicologia capaIntrodução à psicologia capa
Introdução à psicologia capa
Francisco Martins
 
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxMemorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Rafael408221
 
Artigo[1]
Artigo[1]Artigo[1]
Artigo[1]
suclaudete
 
Parceria CAPPE Universidade Estácio de Sá 2013 - 2014
Parceria CAPPE Universidade Estácio de Sá 2013 - 2014Parceria CAPPE Universidade Estácio de Sá 2013 - 2014
Parceria CAPPE Universidade Estácio de Sá 2013 - 2014
Kelly Moreira
 
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
Elisângela Feitosa
 
Manual de Educação Sexual
Manual de Educação SexualManual de Educação Sexual
Manual de Educação Sexual
Teresa Pedras
 
Psicopedagogia, introodução, o que é como seguir
Psicopedagogia, introodução, o que é como seguirPsicopedagogia, introodução, o que é como seguir
Psicopedagogia, introodução, o que é como seguir
DouglasVasconcelosMa
 
Ser+ apf
Ser+ apfSer+ apf
Ser+ apf
LugaraoAfecto
 
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
Bene1979
 
Há rotinas “mais importantes” na educação de infância?
Há rotinas “mais importantes” na educação de infância?Há rotinas “mais importantes” na educação de infância?
Há rotinas “mais importantes” na educação de infância?
Henrique Santos
 
Psicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacionalPsicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacional
Thiago de Almeida
 
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamentalO desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
Colégio Municipal Profª Enedina Costa De Macêdo
 
02.psicologia escolar e educacional
02.psicologia escolar e educacional02.psicologia escolar e educacional
02.psicologia escolar e educacional
Rosenira Dantas II
 
cartilha-ifce-saude-mental_orientacoes-psicologicas-para-docentes.pdf
cartilha-ifce-saude-mental_orientacoes-psicologicas-para-docentes.pdfcartilha-ifce-saude-mental_orientacoes-psicologicas-para-docentes.pdf
cartilha-ifce-saude-mental_orientacoes-psicologicas-para-docentes.pdf
MarceloInacio18
 
Bicastiradentes saudeii higieneesaude
Bicastiradentes saudeii higieneesaudeBicastiradentes saudeii higieneesaude
Bicastiradentes saudeii higieneesaude
temastransversais
 

Semelhante a Plantão Psicologico (1).pptx (20)

Artigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarArtigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolar
 
01. manual do psi. escolar
01. manual do psi. escolar01. manual do psi. escolar
01. manual do psi. escolar
 
Anais Fórum Saúde Mental Infantojuveni
Anais  Fórum Saúde Mental InfantojuveniAnais  Fórum Saúde Mental Infantojuveni
Anais Fórum Saúde Mental Infantojuveni
 
Projeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escolaProjeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escola
 
Kleiner Instituto - Rough
Kleiner Instituto - RoughKleiner Instituto - Rough
Kleiner Instituto - Rough
 
Introdução à psicologia capa
Introdução à psicologia capaIntrodução à psicologia capa
Introdução à psicologia capa
 
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxMemorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
 
Artigo[1]
Artigo[1]Artigo[1]
Artigo[1]
 
Parceria CAPPE Universidade Estácio de Sá 2013 - 2014
Parceria CAPPE Universidade Estácio de Sá 2013 - 2014Parceria CAPPE Universidade Estácio de Sá 2013 - 2014
Parceria CAPPE Universidade Estácio de Sá 2013 - 2014
 
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
DISCALCULIA NO ENSINO MÉDIO: DAS CONDIÇÕES DE CONTORNAR O DISTÚRBIO - Relatório
 
Manual de Educação Sexual
Manual de Educação SexualManual de Educação Sexual
Manual de Educação Sexual
 
Psicopedagogia, introodução, o que é como seguir
Psicopedagogia, introodução, o que é como seguirPsicopedagogia, introodução, o que é como seguir
Psicopedagogia, introodução, o que é como seguir
 
Ser+ apf
Ser+ apfSer+ apf
Ser+ apf
 
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
Artigo edinalva aimportância do psicopedagogo nos anos iniciais do ensino fun...
 
Há rotinas “mais importantes” na educação de infância?
Há rotinas “mais importantes” na educação de infância?Há rotinas “mais importantes” na educação de infância?
Há rotinas “mais importantes” na educação de infância?
 
Psicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacionalPsicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacional
 
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamentalO desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
O desenvolvimento da aprendizagem de uma jovem adulta no ensino fundamental
 
02.psicologia escolar e educacional
02.psicologia escolar e educacional02.psicologia escolar e educacional
02.psicologia escolar e educacional
 
cartilha-ifce-saude-mental_orientacoes-psicologicas-para-docentes.pdf
cartilha-ifce-saude-mental_orientacoes-psicologicas-para-docentes.pdfcartilha-ifce-saude-mental_orientacoes-psicologicas-para-docentes.pdf
cartilha-ifce-saude-mental_orientacoes-psicologicas-para-docentes.pdf
 
Bicastiradentes saudeii higieneesaude
Bicastiradentes saudeii higieneesaudeBicastiradentes saudeii higieneesaude
Bicastiradentes saudeii higieneesaude
 

Mais de Vilciele

Cópia de apresentação medidas avaliacao.pptx
Cópia de apresentação medidas avaliacao.pptxCópia de apresentação medidas avaliacao.pptx
Cópia de apresentação medidas avaliacao.pptx
Vilciele
 
História da psicologia no Brasil.pptx
História da psicologia no Brasil.pptxHistória da psicologia no Brasil.pptx
História da psicologia no Brasil.pptx
Vilciele
 
Linguagem e Pensamento slide.pdf
Linguagem e Pensamento slide.pdfLinguagem e Pensamento slide.pdf
Linguagem e Pensamento slide.pdf
Vilciele
 
Portfólio Historia da Psicologia.pdf
Portfólio Historia da Psicologia.pdfPortfólio Historia da Psicologia.pdf
Portfólio Historia da Psicologia.pdf
Vilciele
 
Fundamentos psicicométricos e construção de instrumentos_alunos.pdf
Fundamentos psicicométricos e construção de instrumentos_alunos.pdfFundamentos psicicométricos e construção de instrumentos_alunos.pdf
Fundamentos psicicométricos e construção de instrumentos_alunos.pdf
Vilciele
 
emoção slide.pdf
emoção slide.pdfemoção slide.pdf
emoção slide.pdf
Vilciele
 
a_gestalt_2.pdf
a_gestalt_2.pdfa_gestalt_2.pdf
a_gestalt_2.pdf
Vilciele
 
Aula 1.pptx
Aula 1.pptxAula 1.pptx
Aula 1.pptx
Vilciele
 
Aula_Contribuições da fisiologia para a nova psicologia.pptx
Aula_Contribuições da fisiologia para  a nova psicologia.pptxAula_Contribuições da fisiologia para  a nova psicologia.pptx
Aula_Contribuições da fisiologia para a nova psicologia.pptx
Vilciele
 

Mais de Vilciele (9)

Cópia de apresentação medidas avaliacao.pptx
Cópia de apresentação medidas avaliacao.pptxCópia de apresentação medidas avaliacao.pptx
Cópia de apresentação medidas avaliacao.pptx
 
História da psicologia no Brasil.pptx
História da psicologia no Brasil.pptxHistória da psicologia no Brasil.pptx
História da psicologia no Brasil.pptx
 
Linguagem e Pensamento slide.pdf
Linguagem e Pensamento slide.pdfLinguagem e Pensamento slide.pdf
Linguagem e Pensamento slide.pdf
 
Portfólio Historia da Psicologia.pdf
Portfólio Historia da Psicologia.pdfPortfólio Historia da Psicologia.pdf
Portfólio Historia da Psicologia.pdf
 
Fundamentos psicicométricos e construção de instrumentos_alunos.pdf
Fundamentos psicicométricos e construção de instrumentos_alunos.pdfFundamentos psicicométricos e construção de instrumentos_alunos.pdf
Fundamentos psicicométricos e construção de instrumentos_alunos.pdf
 
emoção slide.pdf
emoção slide.pdfemoção slide.pdf
emoção slide.pdf
 
a_gestalt_2.pdf
a_gestalt_2.pdfa_gestalt_2.pdf
a_gestalt_2.pdf
 
Aula 1.pptx
Aula 1.pptxAula 1.pptx
Aula 1.pptx
 
Aula_Contribuições da fisiologia para a nova psicologia.pptx
Aula_Contribuições da fisiologia para  a nova psicologia.pptxAula_Contribuições da fisiologia para  a nova psicologia.pptx
Aula_Contribuições da fisiologia para a nova psicologia.pptx
 

Plantão Psicologico (1).pptx

  • 1. ORGANIZAÇÃO: ELYSTEFANE MENDES CRP 22/3150 - JULIANA GOES CRP 22/ 03113 SAMARA SOUSA - VILCIELE DAMASCENO
  • 2. Introdução  Este trabalho surgiu da observação do acelerado crescimento de demandas escolares a partir de uma roda de conversa promovida por Psicólogos, a convite das residentes do curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Maranhão, como forma de fomentar o diálogo sobre assuntos tão atuais que em sua maioria são vivenciados diariamente por adolescentes e jovens em idade escolar.
  • 3. O que é o Plantão Psicológico?  O plantão psicológico caracteriza-se como um serviço que é oferecido por profissionais e ou estudantes de psicologia que se disponibilizam a realizar atendimentos a um determinado grupo social podendo estes procurar espontaneamente o plantão nos dias, local e horários pré- estabelecidos a partir de uma demanda emergente ou quase emergente vivenciada e que originou tal necessidade (BEZERRA, 2014).
  • 4. O que é o Plantão Psicológico?  O plantão psicológico pode ser realizado em diversas instituições, escolas, hospitais, clinicas, empresas, igrejas.  E é voltado para situações que causam desequilíbrio momentâneo e necessitam de uma ação interventiva imediata, onde a principal ação é acolher a demanda do individuo que sofre, e de acordo com cada necessidade oferecer as orientações e encaminhamentos cabíveis, baseados na integridade da pessoa acolhida Estevão, Pacheco e Ferreira (2013).
  • 5. Justificativa  A necessidade de um espaço de fala e de acolhimento técnico-profissional tem sido cada vez mais latente no ambiente escolar devido aos vários conflitos e dificuldades enfrentadas pelos adolescentes e jovens em idade escolar.  Em virtude da crescente demanda entre adolescente e jovem em idade escolar, este projeto visa oferecer acolhimento e escuta a fim de auxiliar esses sujeitos, de acordo com suas demandas, a encontrarem a forma mais adaptada de lidar ou solucionar questões advindas do emocional e psicológico.  Nessa perspectiva, o projeto visa promover e prevenir situações ligadas a essa temática.
  • 6. Objetivos  Oferecer um espaço de fala a adolescentes e jovens em idade escolar, a fim de acolher, escutar e encaminhar questões ligadas à saúde mental;  Acolher o outro através da escuta qualificada;  Promover saúde mental através de plantão psicológico na escola;  Encaminhar os casos necessários para devido serviço. Geral Específicos
  • 7. Cronograma de atividades  25/09 Apresentação do Projeto “Acolher” Reunir com o corpo docente da escola no intuito de promover esclarecimentos acerca do projeto assim como datas, tempo de duração e objetivos;  09/10 Início do Plantão Psicológico na unidade de ensino Promover saúde mental através de escuta e aconselhamento psicológico;  16/10 Atendimento Psicológico na unidade de ensino Promover saúde mental através de escuta e aconselhamento psicológico;
  • 8. Cronograma de atividades  23/10 Atendimento Psicológico na unidade de ensino Promover saúde mental através de escuta e aconselhamento psicológico;  30/10 Avaliação das demandas apresentadas pelos alunos Reunir com os plantonistas para discussão dos casos;  06/11 Devolutiva para escola Apresentar resultado bem como encaminhar os casos necessários para o devido serviço.
  • 9. Referências  AMARANTE, Paulo. Saúde mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2007.  BEZERRA, E. N. Plantão Psicológico Como Modalidade de Atendimento em Psicologia Escolar: Limites e Possibilidades. Estudos e Pesquisas em Psicologia versão On- line ISSN 1808-4281. Estud. pesqui. psicol. vol.14 no.1 Rio de Janeiro abr. 2014.  ESTEVÃO, A. M; PACHECO, B. R. FERREIRA, A. C. L. Plantão Psicológico na Escola. Centro universitário de Minas Gerias, 2013.
  • 10. Referências  LOPES, Daniele et al. O adolescente e o plantão psicológico escolar. Disponível em https://www.psicologia.pt/artigos/textos/TL0399.pdf. Acessado em: 20/09/2019.  MAHFOUD, Miguel et al. Plantão Psicológico: novos horizontes, 2ª edição, revista e ampliada. São Paulo: Companhia Ilimitada, 2012.  TASSINARI, M. A. (1999). Plantão psicológico centrado na pessoa como promoção de saúde no contexto escolar. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.  VENDRAMEL, Mayra. a importância do plantão psicológico no ambiente escolar. Disponível em:https://www.psicologia.pt/artigos/textos/TL0398.pdf. Acessado em 20/09/2019.