SlideShare uma empresa Scribd logo
INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA
DA SAÚDE
Para a psicologia da saúde, os princípios e
pesquisas se aplicam para a melhoria,
tratamento e prevenção de doenças.
 Suas áreas de interesse incluem:
Condições sociais (como a disponibilidade de serviços
de saúde)
Fatores biológicos (como a longevidade da família e
as vulnerabilidades hereditárias a certas doenças)
Traços da personalidade (como o otimismo)
SAÚDE E PSICOLOGIA DA SAÚDE
 De que maneira a sua capacidade de se relacionar bem com
outras pessoas influencia a sua saúde?
 De que maneira suas atitudes, crenças, autoconfiança e
personalidade geral afetam a sua saúde?
 Será que a acupuntura, a homeopatia, os tratamentos com ervas
e outras formas de medicina alternativa realmente funcionam?
 Até que ponto as características específicas do seu ambiente,
incluindo arquitetura, nível de ruído e presença de sol estão
associados à saúde?
 Pode a doença ser causada por hábitos pessoais?
 Por que a pobreza é uma ameaça potencialmente séria para a
saúde?
 A psicologia da saúde é a ciência que busca responder a estas e
outras questões a respeito da forma como seu bem-estar é
afetado pelo que você pensa, sente e faz.
Algumas das questões que os psicólogos da
saúde buscam responder:
 A palavra Saúde vem de uma antiga palavra da língua alemã
que é representada, em inglês, pelas palavras hale ou whole,
as quais se referem a um estado de "integridade do corpo".
Os linguistas observam que essas palavras derivam dos
campos de batalha medievais, em que a perda de haleness,
ou saúde, normalmente resultava de um grave ferimento.
 Atualmente, somos mais propensos a pensar na saúde como a
ausência de doença, em vez de ausência de ferimento
debilitante obtido no campo de batalha. Como tal definição
concentra-se apenas na ausência de um estado negativo, ela
é incompleta.
 A saúde não se limita ao nosso bem-estar físico.
O QUE É SAÚDE?
 Reconhecendo como inadequada e limitada
a definição de saúde, a Organização das
Nações Unidas estabelece a Organização
Mundial da Saúde.
 A OMS afirma que é um estado positivo e
multidimensional que envolve três
domínios: Saúde física, saúde psicológica e
saúde social.
 A saúde física implica um corpo vigoroso e
livre de doenças, com um bom desempenho
cardiovascular, sentidos aguçados, sistema
imunológico vital e capacidade de resistir a
ferimentos físicos.
 A saúde psicológica significa ser capaz de
pensar de forma clara, ter uma boa
autoestima e um senso geral de bem-estar.
 A saúde social envolve ter boas habilidades
interpessoais, relacionamentos
significativos com amigos e família, e apoio
social em épocas de crise.
OS TRÊS DOMÍNIOS DA SAÚDE
 Visões antigas – Medicina pré-histórica
 Mesmo que todas as civilizações tenham sido afetadas por
doenças, cada uma delas compreendia e tratava a doença de
formas diferentes.
 Os esforços de nossos ancestrais para curar doenças podem
ser traçados até 20 mil anos atrás.
 Em religiões que se baseiam em uma crença de espíritos bons
e maus, somente um xamã pode influenciar esses espíritos.
 Para homens e mulheres pré-industriais, que enfrentavam as
forças frequentes hostis de seu ambiente, a sobrevivência
baseava-se na vigilância constante contra misteriosas forças
do mal.
 Aproximadamente 4 mil anos atrás, algumas pessoas notaram
que a higiene também desempenhava um papel na saúde e na
doença e fizeram tentativas de melhorar a higiene pública.
SAÚDE E DOENÇA: LIÇÕES DO PASSADO
Introdução à psicologia da saúde
 Séculos VI e V a.C.
 Roma: Cloaca Maxima
 Os Aediles controlavam o
suprimento de alimentos
 Grécia: Hipócrates (cerca de 460
a 377 a.C) estabeleceu as raízes
da medicina ocidental quando se
rebelou contra o antigo foco do
misticismo e na superstição.
 Teoria humoral Um corpo e
uma mente saudáveis resultam
do equilíbrio entre quatro fluidos
corporais: sangue, Bile amarela,
bile negra e fleuma.
MEDICINA GREGA E ROMANA
 Personalidade sanguínea (excesso de sangue): Alegre e otimista,
porém, mais suscetível a epilepsia, angina, desentria e artrite.
 Tratamento: Flebotomia, banhos frios e enemas.
 Personalidade fleumática: Triste, lânguida e lenta. Propensa a dores de
cabeça, resfriados e acidentes vasculares cerebrais.
 Tratamento: banhos quentes, diuréticos e ervas que induziam a náusea.
 Personalidade colérica (excesso de bile amarela): temperamento
ardente. Necessitava de um tratamento para úlceras na boca, icterícia
e distúrbios estomacais
 Tratamento: Sangria, dietas liquidas, enemas e banhos
refrescantes.
 Personalidade melancólica (excesso de bile negra): Disposição triste e
sorumbática. Suscetível a ocorrência de úlceras e hepatite
 Tratamento: dietas especiais, banhos quente, eméticos e queima
de tecido corporal com ferro quente.
 Claudius Galeno:
 Grego por nascimento, passou
muitos anos em Roma, conduzindo
estudos de dissecação de animais e
tratando ferimentos graves por
gladiadores romanos.
 Escreveu volumes a respeito da
anatomia, higiene e dieta,
construídos sobre as bases da
explicação racional e da descrição
cuidadosa dos sintomas dos
sintomas físicos de cada paciente.
 Expandiu a teoria humoral.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Psicologia em saúde
Psicologia em saúdePsicologia em saúde
Psicologia em saúde
Vinicius Vieira
 
Aula 1 introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Aula 1   introdução à psicologia aplicada ao cuidadoAula 1   introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Aula 1 introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Aula reforma psiquiátrica
Aula reforma psiquiátricaAula reforma psiquiátrica
Aula reforma psiquiátrica
Aroldo Gavioli
 
Apresentação saude mental 1
Apresentação saude mental 1Apresentação saude mental 1
Apresentação saude mental 1
Alinebrauna Brauna
 
Aula Saúde Mental
Aula Saúde MentalAula Saúde Mental
Aula Saúde Mental
Simone Elisa Heitor
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
Andressa Macena
 
psicologia social
psicologia socialpsicologia social
psicologia social
faculdadeteologica
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
Maria Dias
 
Aula 05 curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
Aula 05   curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricasAula 05   curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
Aula 05 curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
Lampsi
 
O que é a psicologia
O que é a psicologiaO que é a psicologia
O que é a psicologia
psicologiaazambuja
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
Jose Roberto
 
Saúde mental
Saúde mentalSaúde mental
Saúde mental
Alinebrauna Brauna
 
Saude mental aula 3
Saude mental aula 3Saude mental aula 3
Saude mental aula 3
Aroldo Gavioli
 
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e PsiquiatriaO papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
Aliny Lima
 
Introdução à psicopatologia
Introdução à psicopatologiaIntrodução à psicopatologia
Introdução à psicopatologia
Caio Maximino
 
Aula saúde mental I e II
Aula   saúde mental I e II Aula   saúde mental I e II
Aula saúde mental I e II
DaianeCampos19
 
DoençAs PsicossomáTicas
DoençAs PsicossomáTicasDoençAs PsicossomáTicas
DoençAs PsicossomáTicas
enfermagem
 
As reações das crianças hospitalizadas e as intervenções de enfermagem
As reações das crianças hospitalizadas e as intervenções de enfermagemAs reações das crianças hospitalizadas e as intervenções de enfermagem
As reações das crianças hospitalizadas e as intervenções de enfermagem
universitária
 
História da psiquiatria aula 1
História da psiquiatria   aula 1História da psiquiatria   aula 1
História da psiquiatria aula 1
Shirley Kellen Ferreira
 
Reforma Psiquiatrica
Reforma PsiquiatricaReforma Psiquiatrica
Reforma Psiquiatrica
fabiolarrossa
 

Mais procurados (20)

Psicologia em saúde
Psicologia em saúdePsicologia em saúde
Psicologia em saúde
 
Aula 1 introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Aula 1   introdução à psicologia aplicada ao cuidadoAula 1   introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Aula 1 introdução à psicologia aplicada ao cuidado
 
Aula reforma psiquiátrica
Aula reforma psiquiátricaAula reforma psiquiátrica
Aula reforma psiquiátrica
 
Apresentação saude mental 1
Apresentação saude mental 1Apresentação saude mental 1
Apresentação saude mental 1
 
Aula Saúde Mental
Aula Saúde MentalAula Saúde Mental
Aula Saúde Mental
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
psicologia social
psicologia socialpsicologia social
psicologia social
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
 
Aula 05 curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
Aula 05   curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricasAula 05   curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
Aula 05 curso de psicopatologia - síndromes psiquiátricas
 
O que é a psicologia
O que é a psicologiaO que é a psicologia
O que é a psicologia
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
 
Saúde mental
Saúde mentalSaúde mental
Saúde mental
 
Saude mental aula 3
Saude mental aula 3Saude mental aula 3
Saude mental aula 3
 
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e PsiquiatriaO papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
 
Introdução à psicopatologia
Introdução à psicopatologiaIntrodução à psicopatologia
Introdução à psicopatologia
 
Aula saúde mental I e II
Aula   saúde mental I e II Aula   saúde mental I e II
Aula saúde mental I e II
 
DoençAs PsicossomáTicas
DoençAs PsicossomáTicasDoençAs PsicossomáTicas
DoençAs PsicossomáTicas
 
As reações das crianças hospitalizadas e as intervenções de enfermagem
As reações das crianças hospitalizadas e as intervenções de enfermagemAs reações das crianças hospitalizadas e as intervenções de enfermagem
As reações das crianças hospitalizadas e as intervenções de enfermagem
 
História da psiquiatria aula 1
História da psiquiatria   aula 1História da psiquiatria   aula 1
História da psiquiatria aula 1
 
Reforma Psiquiatrica
Reforma PsiquiatricaReforma Psiquiatrica
Reforma Psiquiatrica
 

Destaque

Noçõe de psicologia - téc enfermagem 1ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem  1ª aulaNoçõe de psicologia - téc enfermagem  1ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 1ª aula
Gabriel Jefferson Oliveira
 
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 2ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem  2ª aulaNoçõe de psicologia - téc enfermagem  2ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 2ª aula
Gabriel Jefferson Oliveira
 
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 3ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 3ª aulaNoçõe de psicologia - téc enfermagem 3ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 3ª aula
Gabriel Jefferson Oliveira
 
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 5º aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 5º aulaNoçõe de psicologia - téc enfermagem 5º aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 5º aula
Gabriel Jefferson Oliveira
 
Reação à Doença e à Hospitalização
Reação à Doença e à HospitalizaçãoReação à Doença e à Hospitalização
Reação à Doença e à Hospitalização
danielahanashiro
 
Modulo I – psicologia no contexto da humanização
Modulo I – psicologia no contexto da humanizaçãoModulo I – psicologia no contexto da humanização
Modulo I – psicologia no contexto da humanização
Artur Mamed
 
Psicologia introdução
Psicologia introduçãoPsicologia introdução
Psicologia introdução
Chrys Souza
 
Aula 1 introdução a psicologia (vitor)
Aula 1   introdução a psicologia (vitor)Aula 1   introdução a psicologia (vitor)
Aula 1 introdução a psicologia (vitor)
José Vitor Alves
 
Aula 1 - Introdução à Psicologia
Aula 1 - Introdução à PsicologiaAula 1 - Introdução à Psicologia
Aula 1 - Introdução à Psicologia
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Intervenções psicológicas em saúde pública
Intervenções psicológicas em saúde públicaIntervenções psicológicas em saúde pública
Intervenções psicológicas em saúde pública
Núcleo Pró-Creare - Psicologia - Assistência & Ensino
 
slides da história da psicologia
slides da história da psicologiaslides da história da psicologia
slides da história da psicologia
joaovitorinopolacimatos
 
Psicologia hospitalar
Psicologia hospitalarPsicologia hospitalar
Psicologia hospitalar
GEDRBRASIL_ESTUDANDORARAS
 
Aula III A psicologia hospitalar e a
Aula III    A psicologia hospitalar e aAula III    A psicologia hospitalar e a
Aula III A psicologia hospitalar e a
Artur Mamed
 
Psicologia aula 6 psicologia aplicada à enfermagem
Psicologia aula 6 psicologia aplicada à enfermagemPsicologia aula 6 psicologia aplicada à enfermagem
Psicologia aula 6 psicologia aplicada à enfermagem
Cintia Colotoni
 
psicologia hospitalar x psicologia da saúde
 psicologia hospitalar x psicologia da saúde psicologia hospitalar x psicologia da saúde
psicologia hospitalar x psicologia da saúde
UNIME
 
Psicologia e Políticas Públicas
Psicologia e Políticas PúblicasPsicologia e Políticas Públicas
Psicologia e Políticas Públicas
Arie Storch
 
Psicologia hospitalar
Psicologia hospitalarPsicologia hospitalar
Psicologia hospitalar
Luiz Vicente
 
Senhoras e senhores gestores da saúde, como a psicologia pode contribuir pata...
Senhoras e senhores gestores da saúde, como a psicologia pode contribuir pata...Senhoras e senhores gestores da saúde, como a psicologia pode contribuir pata...
Senhoras e senhores gestores da saúde, como a psicologia pode contribuir pata...
marinaap
 
Manual de psicologia hospitalar
Manual de psicologia hospitalarManual de psicologia hospitalar
Manual de psicologia hospitalar
Sonya Frade
 
Teorias da psicologia
Teorias da  psicologiaTeorias da  psicologia
Teorias da psicologia
guest277152fb
 

Destaque (20)

Noçõe de psicologia - téc enfermagem 1ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem  1ª aulaNoçõe de psicologia - téc enfermagem  1ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 1ª aula
 
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 2ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem  2ª aulaNoçõe de psicologia - téc enfermagem  2ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 2ª aula
 
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 3ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 3ª aulaNoçõe de psicologia - téc enfermagem 3ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 3ª aula
 
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 5º aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 5º aulaNoçõe de psicologia - téc enfermagem 5º aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 5º aula
 
Reação à Doença e à Hospitalização
Reação à Doença e à HospitalizaçãoReação à Doença e à Hospitalização
Reação à Doença e à Hospitalização
 
Modulo I – psicologia no contexto da humanização
Modulo I – psicologia no contexto da humanizaçãoModulo I – psicologia no contexto da humanização
Modulo I – psicologia no contexto da humanização
 
Psicologia introdução
Psicologia introduçãoPsicologia introdução
Psicologia introdução
 
Aula 1 introdução a psicologia (vitor)
Aula 1   introdução a psicologia (vitor)Aula 1   introdução a psicologia (vitor)
Aula 1 introdução a psicologia (vitor)
 
Aula 1 - Introdução à Psicologia
Aula 1 - Introdução à PsicologiaAula 1 - Introdução à Psicologia
Aula 1 - Introdução à Psicologia
 
Intervenções psicológicas em saúde pública
Intervenções psicológicas em saúde públicaIntervenções psicológicas em saúde pública
Intervenções psicológicas em saúde pública
 
slides da história da psicologia
slides da história da psicologiaslides da história da psicologia
slides da história da psicologia
 
Psicologia hospitalar
Psicologia hospitalarPsicologia hospitalar
Psicologia hospitalar
 
Aula III A psicologia hospitalar e a
Aula III    A psicologia hospitalar e aAula III    A psicologia hospitalar e a
Aula III A psicologia hospitalar e a
 
Psicologia aula 6 psicologia aplicada à enfermagem
Psicologia aula 6 psicologia aplicada à enfermagemPsicologia aula 6 psicologia aplicada à enfermagem
Psicologia aula 6 psicologia aplicada à enfermagem
 
psicologia hospitalar x psicologia da saúde
 psicologia hospitalar x psicologia da saúde psicologia hospitalar x psicologia da saúde
psicologia hospitalar x psicologia da saúde
 
Psicologia e Políticas Públicas
Psicologia e Políticas PúblicasPsicologia e Políticas Públicas
Psicologia e Políticas Públicas
 
Psicologia hospitalar
Psicologia hospitalarPsicologia hospitalar
Psicologia hospitalar
 
Senhoras e senhores gestores da saúde, como a psicologia pode contribuir pata...
Senhoras e senhores gestores da saúde, como a psicologia pode contribuir pata...Senhoras e senhores gestores da saúde, como a psicologia pode contribuir pata...
Senhoras e senhores gestores da saúde, como a psicologia pode contribuir pata...
 
Manual de psicologia hospitalar
Manual de psicologia hospitalarManual de psicologia hospitalar
Manual de psicologia hospitalar
 
Teorias da psicologia
Teorias da  psicologiaTeorias da  psicologia
Teorias da psicologia
 

Semelhante a Introdução à psicologia da saúde

Texto 1 introdução à psicologia da saúde
Texto 1 introdução à psicologia da saúdeTexto 1 introdução à psicologia da saúde
Texto 1 introdução à psicologia da saúde
Psicologia_2015
 
Campanha da fraternidade na escola
Campanha da fraternidade na escolaCampanha da fraternidade na escola
Campanha da fraternidade na escola
Pablo Nascimento
 
Medicina E Espiritismo
Medicina E EspiritismoMedicina E Espiritismo
Medicina E Espiritismo
Grupo Espírita Cristão
 
1192977739 1192920299 saude
1192977739 1192920299 saude1192977739 1192920299 saude
1192977739 1192920299 saude
Pelo Siro
 
DISTÚRBIOS MENTAIS E SUAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO, VISÃO HOLÍSTICA DO SER HUMANO...
DISTÚRBIOS MENTAIS E SUAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO, VISÃO HOLÍSTICA DO SER HUMANO...DISTÚRBIOS MENTAIS E SUAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO, VISÃO HOLÍSTICA DO SER HUMANO...
DISTÚRBIOS MENTAIS E SUAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO, VISÃO HOLÍSTICA DO SER HUMANO...
Joice Lima
 
Espiritualidade baseada em evidencias
Espiritualidade baseada em evidenciasEspiritualidade baseada em evidencias
Espiritualidade baseada em evidencias
Cristine Studart
 
Psicologia da saude_aula_1_2019
Psicologia da saude_aula_1_2019Psicologia da saude_aula_1_2019
Psicologia da saude_aula_1_2019
LaraLopes42
 
SAUDE E DOENÇA.pptx
SAUDE E DOENÇA.pptxSAUDE E DOENÇA.pptx
SAUDE E DOENÇA.pptx
SobeMaria1
 
aula1-introduoapsicologiavitor-150312140502-conversion-gate01.pptx
aula1-introduoapsicologiavitor-150312140502-conversion-gate01.pptxaula1-introduoapsicologiavitor-150312140502-conversion-gate01.pptx
aula1-introduoapsicologiavitor-150312140502-conversion-gate01.pptx
AndriellyFernandadeS
 
1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
FeridoZitoJonas
 
Recebe a cura interior hoje mesmo!
Recebe a cura interior  hoje mesmo! Recebe a cura interior  hoje mesmo!
Recebe a cura interior hoje mesmo!
11091961
 
Osc II 1. a saúde e a odontologia
Osc II  1. a saúde e a odontologiaOsc II  1. a saúde e a odontologia
Osc II 1. a saúde e a odontologia
Adélia Correia
 
Integração entre Medicina e Espiritualidade
Integração entre Medicina e EspiritualidadeIntegração entre Medicina e Espiritualidade
Integração entre Medicina e Espiritualidade
GSArt Web Solutions
 
Saude integral
Saude integralSaude integral
Saude integral
Andre Luiz Campos
 
Apresentação ma 1
Apresentação ma 1Apresentação ma 1
Autocuidado, alimentação e saúde integrais
Autocuidado, alimentação e saúde integraisAutocuidado, alimentação e saúde integrais
Autocuidado, alimentação e saúde integrais
Sandro Friedland
 
Medicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismoMedicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismo
siaromjo
 
Aula 5- ser biopsicossocial.pptx
Aula 5- ser biopsicossocial.pptxAula 5- ser biopsicossocial.pptx
Aula 5- ser biopsicossocial.pptx
CarlaAlves362153
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
Jesiele Spindler
 
1ºquestaõ geradora
1ºquestaõ geradora1ºquestaõ geradora
1ºquestaõ geradora
turmainformaticadegestao
 

Semelhante a Introdução à psicologia da saúde (20)

Texto 1 introdução à psicologia da saúde
Texto 1 introdução à psicologia da saúdeTexto 1 introdução à psicologia da saúde
Texto 1 introdução à psicologia da saúde
 
Campanha da fraternidade na escola
Campanha da fraternidade na escolaCampanha da fraternidade na escola
Campanha da fraternidade na escola
 
Medicina E Espiritismo
Medicina E EspiritismoMedicina E Espiritismo
Medicina E Espiritismo
 
1192977739 1192920299 saude
1192977739 1192920299 saude1192977739 1192920299 saude
1192977739 1192920299 saude
 
DISTÚRBIOS MENTAIS E SUAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO, VISÃO HOLÍSTICA DO SER HUMANO...
DISTÚRBIOS MENTAIS E SUAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO, VISÃO HOLÍSTICA DO SER HUMANO...DISTÚRBIOS MENTAIS E SUAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO, VISÃO HOLÍSTICA DO SER HUMANO...
DISTÚRBIOS MENTAIS E SUAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO, VISÃO HOLÍSTICA DO SER HUMANO...
 
Espiritualidade baseada em evidencias
Espiritualidade baseada em evidenciasEspiritualidade baseada em evidencias
Espiritualidade baseada em evidencias
 
Psicologia da saude_aula_1_2019
Psicologia da saude_aula_1_2019Psicologia da saude_aula_1_2019
Psicologia da saude_aula_1_2019
 
SAUDE E DOENÇA.pptx
SAUDE E DOENÇA.pptxSAUDE E DOENÇA.pptx
SAUDE E DOENÇA.pptx
 
aula1-introduoapsicologiavitor-150312140502-conversion-gate01.pptx
aula1-introduoapsicologiavitor-150312140502-conversion-gate01.pptxaula1-introduoapsicologiavitor-150312140502-conversion-gate01.pptx
aula1-introduoapsicologiavitor-150312140502-conversion-gate01.pptx
 
1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
 
Recebe a cura interior hoje mesmo!
Recebe a cura interior  hoje mesmo! Recebe a cura interior  hoje mesmo!
Recebe a cura interior hoje mesmo!
 
Osc II 1. a saúde e a odontologia
Osc II  1. a saúde e a odontologiaOsc II  1. a saúde e a odontologia
Osc II 1. a saúde e a odontologia
 
Integração entre Medicina e Espiritualidade
Integração entre Medicina e EspiritualidadeIntegração entre Medicina e Espiritualidade
Integração entre Medicina e Espiritualidade
 
Saude integral
Saude integralSaude integral
Saude integral
 
Apresentação ma 1
Apresentação ma 1Apresentação ma 1
Apresentação ma 1
 
Autocuidado, alimentação e saúde integrais
Autocuidado, alimentação e saúde integraisAutocuidado, alimentação e saúde integrais
Autocuidado, alimentação e saúde integrais
 
Medicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismoMedicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismo
 
Aula 5- ser biopsicossocial.pptx
Aula 5- ser biopsicossocial.pptxAula 5- ser biopsicossocial.pptx
Aula 5- ser biopsicossocial.pptx
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
 
1ºquestaõ geradora
1ºquestaõ geradora1ºquestaõ geradora
1ºquestaõ geradora
 

Último

(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 

Último (20)

(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 

Introdução à psicologia da saúde

  • 2. Para a psicologia da saúde, os princípios e pesquisas se aplicam para a melhoria, tratamento e prevenção de doenças.  Suas áreas de interesse incluem: Condições sociais (como a disponibilidade de serviços de saúde) Fatores biológicos (como a longevidade da família e as vulnerabilidades hereditárias a certas doenças) Traços da personalidade (como o otimismo) SAÚDE E PSICOLOGIA DA SAÚDE
  • 3.  De que maneira a sua capacidade de se relacionar bem com outras pessoas influencia a sua saúde?  De que maneira suas atitudes, crenças, autoconfiança e personalidade geral afetam a sua saúde?  Será que a acupuntura, a homeopatia, os tratamentos com ervas e outras formas de medicina alternativa realmente funcionam?  Até que ponto as características específicas do seu ambiente, incluindo arquitetura, nível de ruído e presença de sol estão associados à saúde?  Pode a doença ser causada por hábitos pessoais?  Por que a pobreza é uma ameaça potencialmente séria para a saúde?  A psicologia da saúde é a ciência que busca responder a estas e outras questões a respeito da forma como seu bem-estar é afetado pelo que você pensa, sente e faz. Algumas das questões que os psicólogos da saúde buscam responder:
  • 4.  A palavra Saúde vem de uma antiga palavra da língua alemã que é representada, em inglês, pelas palavras hale ou whole, as quais se referem a um estado de "integridade do corpo". Os linguistas observam que essas palavras derivam dos campos de batalha medievais, em que a perda de haleness, ou saúde, normalmente resultava de um grave ferimento.  Atualmente, somos mais propensos a pensar na saúde como a ausência de doença, em vez de ausência de ferimento debilitante obtido no campo de batalha. Como tal definição concentra-se apenas na ausência de um estado negativo, ela é incompleta.  A saúde não se limita ao nosso bem-estar físico. O QUE É SAÚDE?
  • 5.  Reconhecendo como inadequada e limitada a definição de saúde, a Organização das Nações Unidas estabelece a Organização Mundial da Saúde.  A OMS afirma que é um estado positivo e multidimensional que envolve três domínios: Saúde física, saúde psicológica e saúde social.  A saúde física implica um corpo vigoroso e livre de doenças, com um bom desempenho cardiovascular, sentidos aguçados, sistema imunológico vital e capacidade de resistir a ferimentos físicos.  A saúde psicológica significa ser capaz de pensar de forma clara, ter uma boa autoestima e um senso geral de bem-estar.  A saúde social envolve ter boas habilidades interpessoais, relacionamentos significativos com amigos e família, e apoio social em épocas de crise. OS TRÊS DOMÍNIOS DA SAÚDE
  • 6.  Visões antigas – Medicina pré-histórica  Mesmo que todas as civilizações tenham sido afetadas por doenças, cada uma delas compreendia e tratava a doença de formas diferentes.  Os esforços de nossos ancestrais para curar doenças podem ser traçados até 20 mil anos atrás.  Em religiões que se baseiam em uma crença de espíritos bons e maus, somente um xamã pode influenciar esses espíritos.  Para homens e mulheres pré-industriais, que enfrentavam as forças frequentes hostis de seu ambiente, a sobrevivência baseava-se na vigilância constante contra misteriosas forças do mal.  Aproximadamente 4 mil anos atrás, algumas pessoas notaram que a higiene também desempenhava um papel na saúde e na doença e fizeram tentativas de melhorar a higiene pública. SAÚDE E DOENÇA: LIÇÕES DO PASSADO
  • 8.  Séculos VI e V a.C.  Roma: Cloaca Maxima  Os Aediles controlavam o suprimento de alimentos  Grécia: Hipócrates (cerca de 460 a 377 a.C) estabeleceu as raízes da medicina ocidental quando se rebelou contra o antigo foco do misticismo e na superstição.  Teoria humoral Um corpo e uma mente saudáveis resultam do equilíbrio entre quatro fluidos corporais: sangue, Bile amarela, bile negra e fleuma. MEDICINA GREGA E ROMANA
  • 9.  Personalidade sanguínea (excesso de sangue): Alegre e otimista, porém, mais suscetível a epilepsia, angina, desentria e artrite.  Tratamento: Flebotomia, banhos frios e enemas.  Personalidade fleumática: Triste, lânguida e lenta. Propensa a dores de cabeça, resfriados e acidentes vasculares cerebrais.  Tratamento: banhos quentes, diuréticos e ervas que induziam a náusea.  Personalidade colérica (excesso de bile amarela): temperamento ardente. Necessitava de um tratamento para úlceras na boca, icterícia e distúrbios estomacais  Tratamento: Sangria, dietas liquidas, enemas e banhos refrescantes.  Personalidade melancólica (excesso de bile negra): Disposição triste e sorumbática. Suscetível a ocorrência de úlceras e hepatite  Tratamento: dietas especiais, banhos quente, eméticos e queima de tecido corporal com ferro quente.
  • 10.  Claudius Galeno:  Grego por nascimento, passou muitos anos em Roma, conduzindo estudos de dissecação de animais e tratando ferimentos graves por gladiadores romanos.  Escreveu volumes a respeito da anatomia, higiene e dieta, construídos sobre as bases da explicação racional e da descrição cuidadosa dos sintomas dos sintomas físicos de cada paciente.  Expandiu a teoria humoral.