SlideShare uma empresa Scribd logo
Parcelamento e aquisição por preço
global de grupo de itens
Ao escolher a modalidade de licitação que será utilizada para a aquisição de produto ou
serviço pela Administração Pública, o gestor deve estar atento a alguns requisitos essenciais para a
adequada contratação. É preciso avaliar o assunto a partir de dois critérios: o quantitativo e o qualitativo.
O primeiro leva em conta o preço estimado do futuro contrato, e o segundo considera a natureza do
objeto a ser contratado.
De posse do valor global da obra, compra ou serviço, deve o administrador considerar a
possibilidade ou não de parcelamento desta. A Lei nº 8.666/1993, em seu art. 23, § 1º, dispõe:
[...] as obras, serviços e compras efetuadas pela Administração serão divididas em tantas
parcelas quantas se comprovarem técnica e economicamente viáveis, procedendo-se à licitação com
vistas ao melhor aproveitamento dos recursos disponíveis no mercado e à ampliação da competitividade
sem perda da economia de escala.
A regra busca garantir a participação de empresas de menor porte em procedimentos
licitatórios e baratear o preço das contratações, quando assim for possível. De forma imperativa, o
parcelamento é a regra, embora somente seja obrigatório se houver vantagem para a Administração.
Há determinadas situações em que a licitação para as aquisições públicas são realizadas por
meio da competição por grupo de itens. Nesses casos, é importante registrar que não se pode confundir
o parcelamento mencionado acima com a divisão do objeto em partes economicamente inviáveis.
Aliás, é lamentavelmente comum esse equívoco. Em várias licitações os gestores confundem
dividir em itens com dividir em produtos. Ocorre então de surgirem itens em que o custo do
procedimento da aquisição é superior ao próprio objeto.
O correto é elaborar itens com tantos produtos quantos sejam necessários para tornar viável
a competição e a aquisição. Item não é sinônimo de produto, mas de reunião do que for técnica e
economicamente viável. Diante de tal situação, recentemente o Ministério do Planejamento expediu
orientação acerca da aquisição de preço global de grupos de itens. Assim orientou o órgão, por meio de
sua Secretaria de Gestão:
No âmbito das licitações realizadas sob o critério de aquisição por preço global de grupo de
itens, somente será admitida as seguintes hipóteses:
a) aquisição da totalidade dos itens de grupo, respeitadas as proporções de quantitativos
definidos no certame; ou
b) aquisição de item isolado para o qual o preço unitário adjudicado ao vencedor seja o
menor preço válido ofertado para o mesmo item na fase de lances.
O texto destaca que constitui irregularidade a aquisição de item de grupo adjudicado por
preço global, de forma isolada, “quando o preço unitário adjudicado ao vencedor do lote não for o
menor lance válido ofertado na disputa relativo ao item”. Há, porém, uma exceção: “quando,
justificadamente, ficar demonstrado que é inexequível ou inviável, dentro do modelo de execução do
contrato, a demanda proporcional ou total de todos os itens do respectivo grupo”, conclui a orientação
do Ministério do Planejamento.
Para a consolidação desta orientação, a Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento,
Desenvolvimento e Gestão observou as decisões emanadas pelos acórdãos nos 2.977/2012 – Plenário,
2.695/2013 – Plenário, 343/2014 – Plenário, 4.205/2014 – 1ª Câmara, 757/2015 – Plenário, 588/2016 –
Plenário, 2.901/2016 – Plenário e 3.081/2016 – Plenário, conforme informa reportagem1 publicada no
Portal de Compras do Governo Federal.
Fonte: Secretaria de Gestão orienta sobre aquisição por preço global de grupos de itens. Portal de
Compras do Governo Federal. Disponível em:
<https://www.comprasgovernamentais.gov.br/index.php/noticias/862-global>. Acesso em: 21 fev. 2018.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Parcelamento e aquisição por preço global de grupo de itens

Compras Públicas - Parte IV - Contratos Administrativos
Compras Públicas - Parte IV - Contratos AdministrativosCompras Públicas - Parte IV - Contratos Administrativos
Compras Públicas - Parte IV - Contratos Administrativos
Rafael Lisboa
 
Compras Públicas - Parte II - Modalidades da Licitação
Compras Públicas - Parte II - Modalidades da LicitaçãoCompras Públicas - Parte II - Modalidades da Licitação
Compras Públicas - Parte II - Modalidades da Licitação
Rafael Lisboa
 
Jurisprudências do tcu maio 2015
Jurisprudências do tcu   maio 2015Jurisprudências do tcu   maio 2015
Jurisprudências do tcu maio 2015
Licitações Publicas
 
04 licitacoes e_contratos_2
04 licitacoes e_contratos_204 licitacoes e_contratos_2
04 licitacoes e_contratos_2
Corel Multimidias
 
Workshop Compras Públicas
Workshop   Compras PúblicasWorkshop   Compras Públicas
Workshop Compras Públicas
EloGroup
 
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
J. Barbato
 
Consulta aos tribunais de contas
Consulta aos tribunais de contasConsulta aos tribunais de contas
Consulta aos tribunais de contas
Alveni Lisboa
 
Contribuição conapra 018 cnap
Contribuição conapra 018   cnapContribuição conapra 018   cnap
Contribuição conapra 018 cnap
Federação Nacional de Práticos
 
LICITAÇÃO.pptx
LICITAÇÃO.pptxLICITAÇÃO.pptx
LICITAÇÃO.pptx
AmarildoJosMorett
 
Jurisprudências do TCU - Setembro/2014
Jurisprudências do TCU - Setembro/2014Jurisprudências do TCU - Setembro/2014
Jurisprudências do TCU - Setembro/2014
Licitações Publicas
 
Jurisprudências TCU 1º Semestre de 2015
Jurisprudências TCU 1º Semestre de 2015 Jurisprudências TCU 1º Semestre de 2015
Jurisprudências TCU 1º Semestre de 2015
Licitações Publicas
 
Cartilha bdi internet
Cartilha bdi internetCartilha bdi internet
Cartilha bdi internet
Ana Nascimento
 
Jurisprudências do TCU - Junho 2015
Jurisprudências do TCU - Junho 2015Jurisprudências do TCU - Junho 2015
Jurisprudências do TCU - Junho 2015
Licitações Publicas
 

Semelhante a Parcelamento e aquisição por preço global de grupo de itens (13)

Compras Públicas - Parte IV - Contratos Administrativos
Compras Públicas - Parte IV - Contratos AdministrativosCompras Públicas - Parte IV - Contratos Administrativos
Compras Públicas - Parte IV - Contratos Administrativos
 
Compras Públicas - Parte II - Modalidades da Licitação
Compras Públicas - Parte II - Modalidades da LicitaçãoCompras Públicas - Parte II - Modalidades da Licitação
Compras Públicas - Parte II - Modalidades da Licitação
 
Jurisprudências do tcu maio 2015
Jurisprudências do tcu   maio 2015Jurisprudências do tcu   maio 2015
Jurisprudências do tcu maio 2015
 
04 licitacoes e_contratos_2
04 licitacoes e_contratos_204 licitacoes e_contratos_2
04 licitacoes e_contratos_2
 
Workshop Compras Públicas
Workshop   Compras PúblicasWorkshop   Compras Públicas
Workshop Compras Públicas
 
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
 
Consulta aos tribunais de contas
Consulta aos tribunais de contasConsulta aos tribunais de contas
Consulta aos tribunais de contas
 
Contribuição conapra 018 cnap
Contribuição conapra 018   cnapContribuição conapra 018   cnap
Contribuição conapra 018 cnap
 
LICITAÇÃO.pptx
LICITAÇÃO.pptxLICITAÇÃO.pptx
LICITAÇÃO.pptx
 
Jurisprudências do TCU - Setembro/2014
Jurisprudências do TCU - Setembro/2014Jurisprudências do TCU - Setembro/2014
Jurisprudências do TCU - Setembro/2014
 
Jurisprudências TCU 1º Semestre de 2015
Jurisprudências TCU 1º Semestre de 2015 Jurisprudências TCU 1º Semestre de 2015
Jurisprudências TCU 1º Semestre de 2015
 
Cartilha bdi internet
Cartilha bdi internetCartilha bdi internet
Cartilha bdi internet
 
Jurisprudências do TCU - Junho 2015
Jurisprudências do TCU - Junho 2015Jurisprudências do TCU - Junho 2015
Jurisprudências do TCU - Junho 2015
 

Mais de Alveni Lisboa

Desenvolvimento de Software
Desenvolvimento de SoftwareDesenvolvimento de Software
Desenvolvimento de Software
Alveni Lisboa
 
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCUAlterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
Alveni Lisboa
 
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economiaSlides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
Alveni Lisboa
 
Slides - Modernização do Controle Interno
Slides - Modernização do Controle InternoSlides - Modernização do Controle Interno
Slides - Modernização do Controle Interno
Alveni Lisboa
 
Plano Anual de Contratações
Plano Anual de ContrataçõesPlano Anual de Contratações
Plano Anual de Contratações
Alveni Lisboa
 
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitaçãoCarta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
Alveni Lisboa
 
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICASEFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
Alveni Lisboa
 
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
Alveni Lisboa
 
Portaria AGU - Precatorios
Portaria AGU - PrecatoriosPortaria AGU - Precatorios
Portaria AGU - Precatorios
Alveni Lisboa
 
Simples Nacional - Desburocratização para o pequeno empresário
Simples Nacional  - Desburocratização para o pequeno empresárioSimples Nacional  - Desburocratização para o pequeno empresário
Simples Nacional - Desburocratização para o pequeno empresário
Alveni Lisboa
 
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
Alveni Lisboa
 
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
Alveni Lisboa
 
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
Alveni Lisboa
 
Sigilo da proposta no Pregão
Sigilo da proposta no PregãoSigilo da proposta no Pregão
Sigilo da proposta no Pregão
Alveni Lisboa
 
Novas regras para distribuição de processos no TCU
Novas regras para distribuição de processos no TCUNovas regras para distribuição de processos no TCU
Novas regras para distribuição de processos no TCU
Alveni Lisboa
 
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediataTCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
Alveni Lisboa
 
Empréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade Fiscal
Empréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade FiscalEmpréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade Fiscal
Empréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade Fiscal
Alveni Lisboa
 
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestãoPlano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
Alveni Lisboa
 
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
Alveni Lisboa
 
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
Alveni Lisboa
 

Mais de Alveni Lisboa (20)

Desenvolvimento de Software
Desenvolvimento de SoftwareDesenvolvimento de Software
Desenvolvimento de Software
 
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCUAlterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
 
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economiaSlides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
 
Slides - Modernização do Controle Interno
Slides - Modernização do Controle InternoSlides - Modernização do Controle Interno
Slides - Modernização do Controle Interno
 
Plano Anual de Contratações
Plano Anual de ContrataçõesPlano Anual de Contratações
Plano Anual de Contratações
 
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitaçãoCarta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
 
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICASEFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
 
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
 
Portaria AGU - Precatorios
Portaria AGU - PrecatoriosPortaria AGU - Precatorios
Portaria AGU - Precatorios
 
Simples Nacional - Desburocratização para o pequeno empresário
Simples Nacional  - Desburocratização para o pequeno empresárioSimples Nacional  - Desburocratização para o pequeno empresário
Simples Nacional - Desburocratização para o pequeno empresário
 
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
 
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
 
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
 
Sigilo da proposta no Pregão
Sigilo da proposta no PregãoSigilo da proposta no Pregão
Sigilo da proposta no Pregão
 
Novas regras para distribuição de processos no TCU
Novas regras para distribuição de processos no TCUNovas regras para distribuição de processos no TCU
Novas regras para distribuição de processos no TCU
 
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediataTCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
 
Empréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade Fiscal
Empréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade FiscalEmpréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade Fiscal
Empréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade Fiscal
 
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestãoPlano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
 
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
 
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
 

Parcelamento e aquisição por preço global de grupo de itens

  • 1. Parcelamento e aquisição por preço global de grupo de itens
  • 2. Ao escolher a modalidade de licitação que será utilizada para a aquisição de produto ou serviço pela Administração Pública, o gestor deve estar atento a alguns requisitos essenciais para a adequada contratação. É preciso avaliar o assunto a partir de dois critérios: o quantitativo e o qualitativo. O primeiro leva em conta o preço estimado do futuro contrato, e o segundo considera a natureza do objeto a ser contratado. De posse do valor global da obra, compra ou serviço, deve o administrador considerar a possibilidade ou não de parcelamento desta. A Lei nº 8.666/1993, em seu art. 23, § 1º, dispõe: [...] as obras, serviços e compras efetuadas pela Administração serão divididas em tantas parcelas quantas se comprovarem técnica e economicamente viáveis, procedendo-se à licitação com vistas ao melhor aproveitamento dos recursos disponíveis no mercado e à ampliação da competitividade sem perda da economia de escala. A regra busca garantir a participação de empresas de menor porte em procedimentos licitatórios e baratear o preço das contratações, quando assim for possível. De forma imperativa, o parcelamento é a regra, embora somente seja obrigatório se houver vantagem para a Administração.
  • 3. Há determinadas situações em que a licitação para as aquisições públicas são realizadas por meio da competição por grupo de itens. Nesses casos, é importante registrar que não se pode confundir o parcelamento mencionado acima com a divisão do objeto em partes economicamente inviáveis. Aliás, é lamentavelmente comum esse equívoco. Em várias licitações os gestores confundem dividir em itens com dividir em produtos. Ocorre então de surgirem itens em que o custo do procedimento da aquisição é superior ao próprio objeto. O correto é elaborar itens com tantos produtos quantos sejam necessários para tornar viável a competição e a aquisição. Item não é sinônimo de produto, mas de reunião do que for técnica e economicamente viável. Diante de tal situação, recentemente o Ministério do Planejamento expediu orientação acerca da aquisição de preço global de grupos de itens. Assim orientou o órgão, por meio de sua Secretaria de Gestão: No âmbito das licitações realizadas sob o critério de aquisição por preço global de grupo de itens, somente será admitida as seguintes hipóteses:
  • 4. a) aquisição da totalidade dos itens de grupo, respeitadas as proporções de quantitativos definidos no certame; ou b) aquisição de item isolado para o qual o preço unitário adjudicado ao vencedor seja o menor preço válido ofertado para o mesmo item na fase de lances. O texto destaca que constitui irregularidade a aquisição de item de grupo adjudicado por preço global, de forma isolada, “quando o preço unitário adjudicado ao vencedor do lote não for o menor lance válido ofertado na disputa relativo ao item”. Há, porém, uma exceção: “quando, justificadamente, ficar demonstrado que é inexequível ou inviável, dentro do modelo de execução do contrato, a demanda proporcional ou total de todos os itens do respectivo grupo”, conclui a orientação do Ministério do Planejamento. Para a consolidação desta orientação, a Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão observou as decisões emanadas pelos acórdãos nos 2.977/2012 – Plenário, 2.695/2013 – Plenário, 343/2014 – Plenário, 4.205/2014 – 1ª Câmara, 757/2015 – Plenário, 588/2016 – Plenário, 2.901/2016 – Plenário e 3.081/2016 – Plenário, conforme informa reportagem1 publicada no Portal de Compras do Governo Federal.
  • 5. Fonte: Secretaria de Gestão orienta sobre aquisição por preço global de grupos de itens. Portal de Compras do Governo Federal. Disponível em: <https://www.comprasgovernamentais.gov.br/index.php/noticias/862-global>. Acesso em: 21 fev. 2018.