SlideShare uma empresa Scribd logo
A Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF surgiu no ordenamento jurídico brasileiro
com o claro objetivo de fornecer balizas para os gastos públicos, promovendo, por meio de
regras aos gestores, o equilíbrio fiscal necessário para a boa gestão financeira e orçamentária
dos entes federados. A LRF, inclusive, é bastante clara ao estabelecer, de modo conceitual, o
seguinte:
Art. 1º [...]
§ 1º A responsabilidade na gestão fiscal pressupõe a ação planejada e transparente, em que
se previnem riscos e corrigem desvios capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas,
mediante o cumprimento de metas de resultados entre receitas e despesas e a obediência a
limites e condições no que tange a renúncia de receita, geração de despesas com pessoal, da
seguridade social e outras, dívidas consolidada e mobiliária, operações de crédito, inclusive
por antecipação de receita, concessão de garantia e inscrição em Restos a Pagar.
Nesse sentido, os gastos promovidos pela Administração Pública ou a concessão de
empréstimos ou garantias aos entes federados depende da observância aos ditames da LRF. Em relação
às operações de crédito de cada ente da federação, a LRF reserva os arts. 32 e seguintes para tratar do
tema. Assim estabelece:
Art. 32. O Ministério da Fazenda verificará o cumprimento dos limites e condições relativos à realização
de operações de crédito de cada ente da Federação, inclusive das empresas por eles controladas, direta
ou indiretamente.
§ 1º O ente interessado formalizará seu pleito fundamentando-o em parecer de seus órgãos técnicos e
jurídicos, demonstrando a relação custo-benefício, o interesse econômico e social da operação e o
atendimento das seguintes condições:
I – existência de prévia e expressa autorização para a contratação, no texto da lei orçamentária, em
créditos adicionais ou lei específica;
II – inclusão no orçamento ou em créditos adicionais dos recursos provenientes da operação,
exceto no caso de operações por antecipação de receita;
III – observância dos limites e condições fixados pelo Senado Federal;
Um projeto de lei que tramita atualmente na Câmara dos Deputados pretende deixar mais difíceis
eventuais alterações no objeto das operações de crédito. Assim, pretende incluir mais um parágrafo ao
art. 32 da LRF, com a seguinte redação: “Ressalvada a hipótese de redução do valor financeiro, também
depende da existência de prévia e expressa autorização, no texto da lei orçamentária, em créditos
adicionais ou lei específica, qualquer modificação qualitativa ou quantitativa do objeto de operação de
crédito anteriormente autorizada pelo Poder Legislativo”.
Na justificativa da proposta, o autor do projeto, deputado Hildo Rocha, destaca que a legislação
brasileira é silente sobre a eventual alteração qualitativa ou quantitativa das operações de crédito
autorizadas. “Tendo sido zeloso quanto à expressa e prévia existência de lei para a contratação, o
ordenamento não menciona eventuais alterações qualitativas ou quantitativas em relação às operações
autorizadas”, destaca o autor da proposta.
A medida, segundo o seu autor, busca evitar episódios de modificação do objeto, levados a
efeito de modo unilateral e mediante desconsideração dos termos da autorização recebida. Com a
proposta, a expectativa é que se mantenha a força do controle reservado ao Poder Legislativo sobre a
gestão orçamentária, conforme estabelecido na própria Constituição Federal.
O texto foi aprovado recentemente na Comissão de Finanças e Tributação e deverá ser analisado em
breve pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Após, seguirá para o Plenário da Câmara
dos Deputados.
Fonte: BRASIL. Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas
voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Disponível em:
<www.planalto.gov.br>. Acesso em: 18 jul. 2018. CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei
Complementar nº 342/2017. Autor: Hildo Rocha. Disponível em:
<http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2124393>.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual do refis da crise v2 - atualizado
Manual do refis da crise v2 - atualizadoManual do refis da crise v2 - atualizado
Manual do refis da crise v2 - atualizado
tributarioOLM
 
Siconv recursos governamentais para cultura 2
Siconv   recursos governamentais para cultura 2Siconv   recursos governamentais para cultura 2
Siconv recursos governamentais para cultura 2
Michel Freller
 
Informativo Tributário - Maio 2016
Informativo Tributário - Maio 2016Informativo Tributário - Maio 2016
Informativo Tributário - Maio 2016
Renato Lopes da Rocha
 
Caixa modelo lei autorizativa
Caixa   modelo lei autorizativaCaixa   modelo lei autorizativa
Caixa modelo lei autorizativa
poponapolitica
 
Vinculação de Receitas no Brasil
Vinculação de Receitas no Brasil  Vinculação de Receitas no Brasil
Vinculação de Receitas no Brasil
Lucas Souza
 
Anistia
Anistia  Anistia
Anistia
Carlo Lorusso
 
As parcerias público privadas (ppps) e a
As parcerias público privadas (ppps) e aAs parcerias público privadas (ppps) e a
As parcerias público privadas (ppps) e a
Washingtonkenned1
 
Apostila siconv
Apostila siconvApostila siconv
Apostila siconv
Zilton Dacio
 
Apontamentos Acerca do Parcelamento Tributário
Apontamentos Acerca do Parcelamento TributárioApontamentos Acerca do Parcelamento Tributário
Apontamentos Acerca do Parcelamento Tributário
Fabiano Desidério
 
Sentença favorável do fgts inpc - pouso alegre - mg
Sentença favorável do fgts   inpc - pouso alegre - mgSentença favorável do fgts   inpc - pouso alegre - mg
Sentença favorável do fgts inpc - pouso alegre - mg
PETICIONAR SOLUÇÕES PARA ADVOGADOS
 
Fgts sentença pa
Fgts sentença paFgts sentença pa
Fgts sentença pa
fabiomotta747
 
Sentença favorável
Sentença favorávelSentença favorável
Sentença favorável
alfajr1000
 
Regulamentação das cooperativas de crédito
Regulamentação das cooperativas de créditoRegulamentação das cooperativas de crédito
Regulamentação das cooperativas de crédito
CRA - MG
 
Entidades imunes e isentas
Entidades imunes e isentasEntidades imunes e isentas
Entidades imunes e isentas
Monitoria Contabil S/C
 
El - 2001 - localização industrial e incentivos tributários
El - 2001 - localização industrial e incentivos tributáriosEl - 2001 - localização industrial e incentivos tributários
El - 2001 - localização industrial e incentivos tributários
Delta Economics & Finance
 
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
Madalena Barros Rodrigues
 
Projeto de Lei Transferências - Tadeu Alencar
Projeto de Lei Transferências - Tadeu AlencarProjeto de Lei Transferências - Tadeu Alencar
Projeto de Lei Transferências - Tadeu Alencar
Anna Tiago
 
Confusões conceituais no sistema tributário
Confusões conceituais no sistema tributárioConfusões conceituais no sistema tributário
Confusões conceituais no sistema tributário
Roberto Goldstajn
 
Alerta Tributário - Regulamentação do PERT
Alerta Tributário - Regulamentação do PERTAlerta Tributário - Regulamentação do PERT
Alerta Tributário - Regulamentação do PERT
Renato Lopes da Rocha
 
Autarquias federais – conselhos de classe características - aluna cileide c...
Autarquias federais – conselhos de classe   características - aluna cileide c...Autarquias federais – conselhos de classe   características - aluna cileide c...
Autarquias federais – conselhos de classe características - aluna cileide c...
José Rogério de Sousa Mendes Júnior
 

Mais procurados (20)

Manual do refis da crise v2 - atualizado
Manual do refis da crise v2 - atualizadoManual do refis da crise v2 - atualizado
Manual do refis da crise v2 - atualizado
 
Siconv recursos governamentais para cultura 2
Siconv   recursos governamentais para cultura 2Siconv   recursos governamentais para cultura 2
Siconv recursos governamentais para cultura 2
 
Informativo Tributário - Maio 2016
Informativo Tributário - Maio 2016Informativo Tributário - Maio 2016
Informativo Tributário - Maio 2016
 
Caixa modelo lei autorizativa
Caixa   modelo lei autorizativaCaixa   modelo lei autorizativa
Caixa modelo lei autorizativa
 
Vinculação de Receitas no Brasil
Vinculação de Receitas no Brasil  Vinculação de Receitas no Brasil
Vinculação de Receitas no Brasil
 
Anistia
Anistia  Anistia
Anistia
 
As parcerias público privadas (ppps) e a
As parcerias público privadas (ppps) e aAs parcerias público privadas (ppps) e a
As parcerias público privadas (ppps) e a
 
Apostila siconv
Apostila siconvApostila siconv
Apostila siconv
 
Apontamentos Acerca do Parcelamento Tributário
Apontamentos Acerca do Parcelamento TributárioApontamentos Acerca do Parcelamento Tributário
Apontamentos Acerca do Parcelamento Tributário
 
Sentença favorável do fgts inpc - pouso alegre - mg
Sentença favorável do fgts   inpc - pouso alegre - mgSentença favorável do fgts   inpc - pouso alegre - mg
Sentença favorável do fgts inpc - pouso alegre - mg
 
Fgts sentença pa
Fgts sentença paFgts sentença pa
Fgts sentença pa
 
Sentença favorável
Sentença favorávelSentença favorável
Sentença favorável
 
Regulamentação das cooperativas de crédito
Regulamentação das cooperativas de créditoRegulamentação das cooperativas de crédito
Regulamentação das cooperativas de crédito
 
Entidades imunes e isentas
Entidades imunes e isentasEntidades imunes e isentas
Entidades imunes e isentas
 
El - 2001 - localização industrial e incentivos tributários
El - 2001 - localização industrial e incentivos tributáriosEl - 2001 - localização industrial e incentivos tributários
El - 2001 - localização industrial e incentivos tributários
 
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
 
Projeto de Lei Transferências - Tadeu Alencar
Projeto de Lei Transferências - Tadeu AlencarProjeto de Lei Transferências - Tadeu Alencar
Projeto de Lei Transferências - Tadeu Alencar
 
Confusões conceituais no sistema tributário
Confusões conceituais no sistema tributárioConfusões conceituais no sistema tributário
Confusões conceituais no sistema tributário
 
Alerta Tributário - Regulamentação do PERT
Alerta Tributário - Regulamentação do PERTAlerta Tributário - Regulamentação do PERT
Alerta Tributário - Regulamentação do PERT
 
Autarquias federais – conselhos de classe características - aluna cileide c...
Autarquias federais – conselhos de classe   características - aluna cileide c...Autarquias federais – conselhos de classe   características - aluna cileide c...
Autarquias federais – conselhos de classe características - aluna cileide c...
 

Semelhante a Empréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade Fiscal

Os Incentivos Fiscais Do Icms E A Renuncia De Receita
Os Incentivos Fiscais Do Icms E A Renuncia De ReceitaOs Incentivos Fiscais Do Icms E A Renuncia De Receita
Os Incentivos Fiscais Do Icms E A Renuncia De Receita
marcosurl
 
LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal.
LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal.LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal.
LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal.
Guy Valerio Barros dos Santos
 
Cart lei responsabilidade_fiscal
Cart lei responsabilidade_fiscalCart lei responsabilidade_fiscal
Cart lei responsabilidade_fiscal
Cristiano Silva
 
Finanas pblicas aula_03
Finanas pblicas aula_03Finanas pblicas aula_03
Finanas pblicas aula_03
Cesar Rabelo
 
Dir. financeiro lfg
Dir. financeiro   lfg Dir. financeiro   lfg
Dir. financeiro lfg
Julianoobrito
 
Administracao Financeita e Orcamentaria --CNU---Aula-5.pdf
Administracao Financeita e Orcamentaria --CNU---Aula-5.pdfAdministracao Financeita e Orcamentaria --CNU---Aula-5.pdf
Administracao Financeita e Orcamentaria --CNU---Aula-5.pdf
lupitopirento
 
Projeto pune com prisão quem deixar de repassar contribuições ao fgts
Projeto pune com prisão quem deixar de repassar contribuições ao fgtsProjeto pune com prisão quem deixar de repassar contribuições ao fgts
Projeto pune com prisão quem deixar de repassar contribuições ao fgts
José Ripardo
 
Tcu direito economico_e_financeiro
Tcu direito economico_e_financeiroTcu direito economico_e_financeiro
Tcu direito economico_e_financeiro
mel melo
 
Artigo 359 e do cpc
Artigo 359 e do cpcArtigo 359 e do cpc
Artigo 359 e do cpc
Rochelly Santos
 
Apresentação oab cédula crédito
Apresentação oab cédula  créditoApresentação oab cédula  crédito
Apresentação oab cédula crédito
DeSordi
 
Inconsistências do pls 2042016 Carmen Bressane resultado_1473683588060
Inconsistências do pls 2042016 Carmen Bressane resultado_1473683588060Inconsistências do pls 2042016 Carmen Bressane resultado_1473683588060
Inconsistências do pls 2042016 Carmen Bressane resultado_1473683588060
Daniel Reis Duarte Pousa
 
Parecer Inconstitucionalidade LCE-MG nº 131/2013
Parecer Inconstitucionalidade LCE-MG nº 131/2013Parecer Inconstitucionalidade LCE-MG nº 131/2013
Parecer Inconstitucionalidade LCE-MG nº 131/2013
Ricardo Souza
 
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC 2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
Consultor JRSantana
 
Diário Oficial
Diário OficialDiário Oficial
Diário Oficial
PortalMaceio
 
Prot. 0745 15 pl 009-2015 - dá nova redação aos arts. 11 e 13, e acrescenta...
Prot. 0745 15   pl 009-2015 - dá nova redação aos arts. 11 e 13, e acrescenta...Prot. 0745 15   pl 009-2015 - dá nova redação aos arts. 11 e 13, e acrescenta...
Prot. 0745 15 pl 009-2015 - dá nova redação aos arts. 11 e 13, e acrescenta...
Claudio Figueiredo
 
LEXPress - Voto múltiplo e alteração da nova Lei
LEXPress - Voto múltiplo e alteração da nova LeiLEXPress - Voto múltiplo e alteração da nova Lei
LEXPress - Voto múltiplo e alteração da nova Lei
Machado Meyer Sendacz Opice
 
Aula dr. argos campos simões 10-11-14
Aula dr. argos campos simões   10-11-14Aula dr. argos campos simões   10-11-14
Aula dr. argos campos simões 10-11-14
Fernanda Moreira
 
Convênios
ConvêniosConvênios
Entendendo lrf
Entendendo lrfEntendendo lrf
Entendendo lrf
Alessandra Cabral
 
Contribuições previdenciárias: diretrizes para a elaboração de um plano de PL...
Contribuições previdenciárias: diretrizes para a elaboração de um plano de PL...Contribuições previdenciárias: diretrizes para a elaboração de um plano de PL...
Contribuições previdenciárias: diretrizes para a elaboração de um plano de PL...
Sacha Calmon Misabel Derzi - Consultores e Advogados
 

Semelhante a Empréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade Fiscal (20)

Os Incentivos Fiscais Do Icms E A Renuncia De Receita
Os Incentivos Fiscais Do Icms E A Renuncia De ReceitaOs Incentivos Fiscais Do Icms E A Renuncia De Receita
Os Incentivos Fiscais Do Icms E A Renuncia De Receita
 
LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal.
LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal.LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal.
LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal.
 
Cart lei responsabilidade_fiscal
Cart lei responsabilidade_fiscalCart lei responsabilidade_fiscal
Cart lei responsabilidade_fiscal
 
Finanas pblicas aula_03
Finanas pblicas aula_03Finanas pblicas aula_03
Finanas pblicas aula_03
 
Dir. financeiro lfg
Dir. financeiro   lfg Dir. financeiro   lfg
Dir. financeiro lfg
 
Administracao Financeita e Orcamentaria --CNU---Aula-5.pdf
Administracao Financeita e Orcamentaria --CNU---Aula-5.pdfAdministracao Financeita e Orcamentaria --CNU---Aula-5.pdf
Administracao Financeita e Orcamentaria --CNU---Aula-5.pdf
 
Projeto pune com prisão quem deixar de repassar contribuições ao fgts
Projeto pune com prisão quem deixar de repassar contribuições ao fgtsProjeto pune com prisão quem deixar de repassar contribuições ao fgts
Projeto pune com prisão quem deixar de repassar contribuições ao fgts
 
Tcu direito economico_e_financeiro
Tcu direito economico_e_financeiroTcu direito economico_e_financeiro
Tcu direito economico_e_financeiro
 
Artigo 359 e do cpc
Artigo 359 e do cpcArtigo 359 e do cpc
Artigo 359 e do cpc
 
Apresentação oab cédula crédito
Apresentação oab cédula  créditoApresentação oab cédula  crédito
Apresentação oab cédula crédito
 
Inconsistências do pls 2042016 Carmen Bressane resultado_1473683588060
Inconsistências do pls 2042016 Carmen Bressane resultado_1473683588060Inconsistências do pls 2042016 Carmen Bressane resultado_1473683588060
Inconsistências do pls 2042016 Carmen Bressane resultado_1473683588060
 
Parecer Inconstitucionalidade LCE-MG nº 131/2013
Parecer Inconstitucionalidade LCE-MG nº 131/2013Parecer Inconstitucionalidade LCE-MG nº 131/2013
Parecer Inconstitucionalidade LCE-MG nº 131/2013
 
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC 2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
 
Diário Oficial
Diário OficialDiário Oficial
Diário Oficial
 
Prot. 0745 15 pl 009-2015 - dá nova redação aos arts. 11 e 13, e acrescenta...
Prot. 0745 15   pl 009-2015 - dá nova redação aos arts. 11 e 13, e acrescenta...Prot. 0745 15   pl 009-2015 - dá nova redação aos arts. 11 e 13, e acrescenta...
Prot. 0745 15 pl 009-2015 - dá nova redação aos arts. 11 e 13, e acrescenta...
 
LEXPress - Voto múltiplo e alteração da nova Lei
LEXPress - Voto múltiplo e alteração da nova LeiLEXPress - Voto múltiplo e alteração da nova Lei
LEXPress - Voto múltiplo e alteração da nova Lei
 
Aula dr. argos campos simões 10-11-14
Aula dr. argos campos simões   10-11-14Aula dr. argos campos simões   10-11-14
Aula dr. argos campos simões 10-11-14
 
Convênios
ConvêniosConvênios
Convênios
 
Entendendo lrf
Entendendo lrfEntendendo lrf
Entendendo lrf
 
Contribuições previdenciárias: diretrizes para a elaboração de um plano de PL...
Contribuições previdenciárias: diretrizes para a elaboração de um plano de PL...Contribuições previdenciárias: diretrizes para a elaboração de um plano de PL...
Contribuições previdenciárias: diretrizes para a elaboração de um plano de PL...
 

Mais de Alveni Lisboa

Desenvolvimento de Software
Desenvolvimento de SoftwareDesenvolvimento de Software
Desenvolvimento de Software
Alveni Lisboa
 
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCUAlterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
Alveni Lisboa
 
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economiaSlides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
Alveni Lisboa
 
Slides - Modernização do Controle Interno
Slides - Modernização do Controle InternoSlides - Modernização do Controle Interno
Slides - Modernização do Controle Interno
Alveni Lisboa
 
Plano Anual de Contratações
Plano Anual de ContrataçõesPlano Anual de Contratações
Plano Anual de Contratações
Alveni Lisboa
 
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitaçãoCarta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
Alveni Lisboa
 
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICASEFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
Alveni Lisboa
 
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
Alveni Lisboa
 
Portaria AGU - Precatorios
Portaria AGU - PrecatoriosPortaria AGU - Precatorios
Portaria AGU - Precatorios
Alveni Lisboa
 
Simples Nacional - Desburocratização para o pequeno empresário
Simples Nacional  - Desburocratização para o pequeno empresárioSimples Nacional  - Desburocratização para o pequeno empresário
Simples Nacional - Desburocratização para o pequeno empresário
Alveni Lisboa
 
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
Alveni Lisboa
 
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
Alveni Lisboa
 
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
Alveni Lisboa
 
Sigilo da proposta no Pregão
Sigilo da proposta no PregãoSigilo da proposta no Pregão
Sigilo da proposta no Pregão
Alveni Lisboa
 
Novas regras para distribuição de processos no TCU
Novas regras para distribuição de processos no TCUNovas regras para distribuição de processos no TCU
Novas regras para distribuição de processos no TCU
Alveni Lisboa
 
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediataTCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
Alveni Lisboa
 
Parcelamento e aquisição por preço global de grupo de itens
Parcelamento e aquisição por preço global de grupo de itensParcelamento e aquisição por preço global de grupo de itens
Parcelamento e aquisição por preço global de grupo de itens
Alveni Lisboa
 
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestãoPlano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
Alveni Lisboa
 
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
Alveni Lisboa
 
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
Alveni Lisboa
 

Mais de Alveni Lisboa (20)

Desenvolvimento de Software
Desenvolvimento de SoftwareDesenvolvimento de Software
Desenvolvimento de Software
 
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCUAlterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
Alterações consensuais nos contratos administrativos e os limites do TCU
 
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economiaSlides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
Slides lei-anticorrupcao-ministerio-da-economia
 
Slides - Modernização do Controle Interno
Slides - Modernização do Controle InternoSlides - Modernização do Controle Interno
Slides - Modernização do Controle Interno
 
Plano Anual de Contratações
Plano Anual de ContrataçõesPlano Anual de Contratações
Plano Anual de Contratações
 
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitaçãoCarta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
Carta de exclusividade - Inexibilidade de licitação
 
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICASEFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
EFICIÊNCIA NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS
 
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
IRPF incidente no contrato deve integrar receita municipal?
 
Portaria AGU - Precatorios
Portaria AGU - PrecatoriosPortaria AGU - Precatorios
Portaria AGU - Precatorios
 
Simples Nacional - Desburocratização para o pequeno empresário
Simples Nacional  - Desburocratização para o pequeno empresárioSimples Nacional  - Desburocratização para o pequeno empresário
Simples Nacional - Desburocratização para o pequeno empresário
 
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
 
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
O edital deve estabelecer preço máximo para a licitação?
 
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
Pregão com apenas uma empresa interessada presente?
 
Sigilo da proposta no Pregão
Sigilo da proposta no PregãoSigilo da proposta no Pregão
Sigilo da proposta no Pregão
 
Novas regras para distribuição de processos no TCU
Novas regras para distribuição de processos no TCUNovas regras para distribuição de processos no TCU
Novas regras para distribuição de processos no TCU
 
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediataTCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
TCU admite dispensa de contrato para aquisições com entrega imediata
 
Parcelamento e aquisição por preço global de grupo de itens
Parcelamento e aquisição por preço global de grupo de itensParcelamento e aquisição por preço global de grupo de itens
Parcelamento e aquisição por preço global de grupo de itens
 
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestãoPlano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
Plano Anual de Contratações – Instrumento de gestão
 
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
TCU pode ou não determinar o bloqueio de bens?
 
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
O governo pode comprar exclusivamente produtos de agricultura familiar?
 

Empréstimos a entes federados e submissão à Lei de Responsabilidade Fiscal

  • 1. A Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF surgiu no ordenamento jurídico brasileiro com o claro objetivo de fornecer balizas para os gastos públicos, promovendo, por meio de regras aos gestores, o equilíbrio fiscal necessário para a boa gestão financeira e orçamentária dos entes federados. A LRF, inclusive, é bastante clara ao estabelecer, de modo conceitual, o seguinte: Art. 1º [...] § 1º A responsabilidade na gestão fiscal pressupõe a ação planejada e transparente, em que se previnem riscos e corrigem desvios capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas, mediante o cumprimento de metas de resultados entre receitas e despesas e a obediência a limites e condições no que tange a renúncia de receita, geração de despesas com pessoal, da seguridade social e outras, dívidas consolidada e mobiliária, operações de crédito, inclusive por antecipação de receita, concessão de garantia e inscrição em Restos a Pagar.
  • 2. Nesse sentido, os gastos promovidos pela Administração Pública ou a concessão de empréstimos ou garantias aos entes federados depende da observância aos ditames da LRF. Em relação às operações de crédito de cada ente da federação, a LRF reserva os arts. 32 e seguintes para tratar do tema. Assim estabelece: Art. 32. O Ministério da Fazenda verificará o cumprimento dos limites e condições relativos à realização de operações de crédito de cada ente da Federação, inclusive das empresas por eles controladas, direta ou indiretamente. § 1º O ente interessado formalizará seu pleito fundamentando-o em parecer de seus órgãos técnicos e jurídicos, demonstrando a relação custo-benefício, o interesse econômico e social da operação e o atendimento das seguintes condições: I – existência de prévia e expressa autorização para a contratação, no texto da lei orçamentária, em créditos adicionais ou lei específica;
  • 3. II – inclusão no orçamento ou em créditos adicionais dos recursos provenientes da operação, exceto no caso de operações por antecipação de receita; III – observância dos limites e condições fixados pelo Senado Federal; Um projeto de lei que tramita atualmente na Câmara dos Deputados pretende deixar mais difíceis eventuais alterações no objeto das operações de crédito. Assim, pretende incluir mais um parágrafo ao art. 32 da LRF, com a seguinte redação: “Ressalvada a hipótese de redução do valor financeiro, também depende da existência de prévia e expressa autorização, no texto da lei orçamentária, em créditos adicionais ou lei específica, qualquer modificação qualitativa ou quantitativa do objeto de operação de crédito anteriormente autorizada pelo Poder Legislativo”. Na justificativa da proposta, o autor do projeto, deputado Hildo Rocha, destaca que a legislação brasileira é silente sobre a eventual alteração qualitativa ou quantitativa das operações de crédito autorizadas. “Tendo sido zeloso quanto à expressa e prévia existência de lei para a contratação, o ordenamento não menciona eventuais alterações qualitativas ou quantitativas em relação às operações autorizadas”, destaca o autor da proposta.
  • 4. A medida, segundo o seu autor, busca evitar episódios de modificação do objeto, levados a efeito de modo unilateral e mediante desconsideração dos termos da autorização recebida. Com a proposta, a expectativa é que se mantenha a força do controle reservado ao Poder Legislativo sobre a gestão orçamentária, conforme estabelecido na própria Constituição Federal. O texto foi aprovado recentemente na Comissão de Finanças e Tributação e deverá ser analisado em breve pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Após, seguirá para o Plenário da Câmara dos Deputados. Fonte: BRASIL. Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Disponível em: <www.planalto.gov.br>. Acesso em: 18 jul. 2018. CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei Complementar nº 342/2017. Autor: Hildo Rocha. Disponível em: <http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2124393>.