SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
“OS CONCEITOS COMO BLOCOS INTEGRANTES DAS TEORIAS E
ELEMENTOS BÁSICOS DO MÉTODO CIENTÍFICO”
Exercício 2
Resumo do texto de Joaquim Araújo (2012)
Trabalho elaborado por:
Nome: Bárbara Morim
Nº de aluno: A83540
Email: a83540@alunos.uminho.pt
Data: 02/10/2017
1º ano - Relações Internacionais – Metodologia da Ciência Política
“Os conceitos… proporcionam o sistema conceptual e uma linguagem
que permitem ao investigador comunicar com os seus pares de forma
rigorosa, exata e informativa.”
Araújo, J. (2012)
“A investigação em ciências sociais tem como principal preocupação
encontrar explicações científicas para os fenómenos identificando-os,
aprofundando o conhecimento dos mesmo para que este seja
transmissível empírico e geral.”
Araújo, J. (2012)
1. INTRODUÇÃO
A Ciência é a procura de explicações para fenómenos reais, interpretando a realidade em estudo através de
um processo abstrato do pensamento.
A análise da realidade é realizada através de teorias que utilizam CONCEITOS próprios e definidos.
Conceitos
São representações mentais de
observações, experiências e ideias.
Facilitam a comunicação entre
pessoas na mesma área cientifica.
As ciências exatas utilizam
símbolos (λ: comprimento de
onda). As CSH utilizam palavras
(aristocracia).
Realidade
Conceitos
Sistema conceptual
Investigação científica
Teorias
Ciência
Fig.1 Sequência de obtenção de conhecimento
2. CONCEITO NA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA
Cada área científica cria e recorre aos seus próprios conceitos que a delimitam e identificam. Na
investigação científica, a definição conceptual é primordial na medida que o investigador recorre a
conceitos na observação e análise de fenómenos para delinear os resultados da investigação.
Definição de conceitos
concisos e claros sobre o
fenómeno
Explicação do fenómeno
em estudo
Hipóteses a testar
Operacionalização das
Hipóteses
Questão ou problema
Desenvolvimento
Criação de
Fig. 2. Esquema do Processo inicial de Investigação
2. CONCEITO NA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA (CONT.)
Requisitos da investigação científica que os conceitos têm de obedecer:
• Exatidão;
• Rigor;
• Conteúdo informativo;
• Representação de elementos do fenómeno;
• Identificação e delimitação das áreas científicas do estudo;
• A Relação entre os mesmos, estabelece hipóteses;…
A definição exata dos conceitos é indispensável para o trabalho científico pois influencia o conhecimento
(resultados) obtido na investigação. O conceito depende da:
• Definição imposta pelo investigador;
• Sistema teórico em que esta inserido;
2. CONCEITO NA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA (CONT.)
Exemplo: Estudo do aumento da comunidade comunista entre os Jovens.
1º estabelecer a definição precisa de ser comunista. Sendo a definição de comunista complexa pois envolve várias
características, por isso o conceito de ser ”comunista” tem de ser bem definido.
2º definir o intervalo de idades e regiões dessa amostra Jovem; etc…
A definição de conceitos e a sua clarificação precisa são vitais para as CSH visto que existem muitos
conceitos nesta área que são abstratos.
Recurso a conceitos cuja definição é partilhada por outros investigadores
Por isso, os investigadores enveredam pelo
Aceitação da elaboração e justificação do conceito pela comunidade científica
Leva à
Razões que levam à falta de clareza de conceitos:
● Conceitos desenvolvidos com linguagem não inteligível (traduções);
● Conceitos similares utilizados em diferentes áreas científicas, que podem
levar a conceitos que definam outros fenómenos; ou conceitos diferentes que
correspondem ao mesmo fenómeno…
Aprender uma teoria e conceitos = aprender uma língua
3. CLARIFICAÇÃO DE CONCEITOS - RECONCEPTUALIZAÇÃO
Principal objetivo dos conceitos é facilitar a troca de informação (comunicação).
Numa investigação científica, é necessário que o conceito se adeque à realidade.
Se esse parâmetro não ficar estabelecido realiza-se uma:
RECONCEPTUALIZAÇÃO: processo de explicitação dos conceitos chaves, definindo com rigor o
significado de cada termo, de modo a definir claramente o projeto de estudo.
DEFINIÇÕES DA RECONCEPTUALIZAÇÃO
OperacionalReal Nominal
Não especificidade sobre o
significado do conceito.
Ex.: Reforma, pode ter vários
significados, mudança, alteração
eou vencimento de aposentação
Reificação: confundir
fenómeno com conceito.
Ex.: A Assembleia da República
vetou uma lei, quem realmente
vetou a lei foram os Deputados
Especificação exata do
objeto de estudo, do
processo de investigação e
das interpretações das
observações. Utilizada
para a medição de
conceitos
3.1.RECONCEPTUALIZAÇÃO – OPERACIONALIZAÇÃO
1.Proposições analíticas:
relação de causalidade
entre conceitos, tem função
operativa
Proposições sintéticas:
conjuntos de ideias que
explicam o fenómeno
real
2. Hipóteses de investigação:
identificação do conceito que
influencia outro conceito
Problemática teórica:
escolha de teorias e
conceitos, elaboração
hipóteses
Resultam
Fig. 3. Esquema do Processo de Operacionalização de Conceitos
Transformação dos conceitos em variáveis mensuráveis a nível empírico, sendo que a variável é um conceito que se altera
em valor ou qualidade.
Definições operacionais: indicam ao investigador o fenómeno em estudo e os aspetos relevantes para a investigação,
correspondem aos conceitos-chave em estudo. São a última etapa da operacionalização.
Elaboração de Desenvolvimento
3.1.1.OPERACIONALIZAÇÃO: PROPOSIÇÕES ANALÍTICAS
Nestas proposições identificam-se dois tipos de conceitos: CAUSA e o EFEITO = RELAÇÃO DE CAUSALIDADE
Estes conceitos advêm da observação do aspeto da realidade em estudo
ConstructosObservações diretas Observações indiretas
Realidade subentendida a partir
de factos observados. Requer ma
observação mais cuidada.
Ex.: Análise de Relatórios de
violações aos Direitos Humanos
pela Amnistia Internacional
Realidade observada
diretamente pelo investigador:
factos visíveis.
Ex.: Aumento do número de
soldados nas ruas da cidade.
Criações teóricas de
relação entre conceitos,
mas que não se pode
observar diretamente ou
indiretamente.
Ex.: Aliança Geopolítica
entre países.
3.1.2.OPERACIONALIZAÇÃO: HIPÓTESES DE INVESTIGAÇÃO
Depois da delineação dos conceitos nas proposições analíticas, desenvolve-se uma hipótese onde se verifique
uma relação de causalidade entre os conceitos.
HIPÓTESES: afirmações explícitas que explicam um determinado fenómeno e indicam a relação de dependência
entre os conceitos
Caracterização do CONCEITO:
• INDEPENDENTE: conceito que produz a mudança, a causa, que atua sobre algo;
• DEPENDENTE: conceito do efeito ou consequência
Ex.: Instabilidade económica
nacional provoca a descida
do investimento estrangeiro
em Portugal.
Hipótese de investigação
Conceito independente: Instabilidade económica
Conceito dependente: investimento estrangeiro
4. CONCEPTUALIZAÇÃO NA INVESTIGAÇÃO QUANTITATIVA
INVESTIGAÇÃO QUANTITATIVA: medição de fenómenos, através da definição concreta e rigorosa de conceitos, lida
essencialmente com variáveis. O principal objetivo é desenvolver definições claras que permitem obter resultados precisos
e corretos. O investigador inicia o processo com uma teoria e conceitos já definidos, pelo que essa definição concentra-se
na identificação dos conceitos relativos a esse fenómeno (separar o “ruído”) → Operacionalização.
Relação entre conceitos nas hipóteses de investigação Quantitativa:
• Direcional: estabelece uma relação direta
entre conceitos, existe sempre uma
proporcionalidade, quer direta, quer indireta
entre os conceitos. Ex.: Aumento de
popularidade dos partidos de extrema
direita é conjugado com o aumento de
sentimentos xenófobas na população.
• Causalidade: estabelece uma relação de
causa-efeito entre conceitos. Ex.: As medidas
económicas rigorosas do Governo,
provocaram descida do poder de compra da
população.
• Correlação: estabelece ligação entre dois
conceitos, mas essa ligação não é
esclarecida. Ex.: Existe relação entre a
Democracia e Burocracia .
• Hipótese nula: não há relação entre os
conceitos
5. CONCEPTUALIZAÇÃO NA INVESTIGAÇÃO QUALITATIVA
INVESTIGAÇÃO QUALITATIVA: obtenção de descrições pormenorizadas de um fenómeno real que proporciona a interpretação e
explicação de uma situação. A teoria é o resultado final da investigação, pelo que os conceitos-chave do estudo são
definidos no decorrer da investigação, uma vez que são estes que o ajudam a compreender o tema, e a formar a teoria.
Construção da teoria:
• 1. Recolha de exemplos experiências → entrevistas exploratórias a uma amostra da população ou observação direta
• 2. Recolha de conceitos e assuntos a abordar.
• 3. Entrevistas suplementares de forma a analisar os temas e explicações preliminares
• 4. Elaboração de Teoria (hipótese) testada em entrevistas posteriores.
→ Formação da teoria:
1º análise cuidada das ideias e temas abordados nas descrições dos fenómenos;
2º compreensão das realidades etiquetadas → Definição Real;
3º associação de cada etiqueta a conceitos → Definição Nominal;
4º conjugar todos os elementos conceptuais, formando uma explicação descritiva do fenómeno.
6. CONCEPTUALIZAÇÃO: CONCLUSÃO
• A etapa da clarificação do conceito é vital numa investigação científica, independentemente do tipo de
epistemologia metodológica ( investigação quantitativa ou investigação qualitativa).
• Na investigação quantitativa, a operacionalização é o processo de reconceptualização usado, uma vez que o
estudo baseia-se em variáveis mensuráveis.
• Na investigação qualitativa, espera-se compreender como algo recebe uma definição, por isso é sobretudo
utilizado o processo de reconceptualização real e nominal.
7. BIBLIOGRAFIA
Araújo, Joaquim F. (2012) Os conceitos como os blocos integrantes das teorias e elementos básicos do método científico.
Cap. IV, pp. 63-78

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto de Conclusão de Curso - Justificativas, Objetivos, Resumos, Esquemas,...
Projeto de Conclusão de Curso - Justificativas, Objetivos, Resumos, Esquemas,...Projeto de Conclusão de Curso - Justificativas, Objetivos, Resumos, Esquemas,...
Projeto de Conclusão de Curso - Justificativas, Objetivos, Resumos, Esquemas,...Pedro Neto
 
Estudo de caso planejamento e m robert k. yin
Estudo de caso planejamento e m   robert k. yinEstudo de caso planejamento e m   robert k. yin
Estudo de caso planejamento e m robert k. yinRose Cabral Para Sempre
 
2 metodostec-aula-02--tipos de pesquisa e método cientifico
2 metodostec-aula-02--tipos de pesquisa e método cientifico2 metodostec-aula-02--tipos de pesquisa e método cientifico
2 metodostec-aula-02--tipos de pesquisa e método cientificoMaria Luiza Morais
 
Metodologias e métodos de investigação
Metodologias e métodos de investigaçãoMetodologias e métodos de investigação
Metodologias e métodos de investigaçãoDavid Lamas
 
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisaAlvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisaAndré de Oliveira
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisamarildabacana
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa Miryam Mastrella
 
Template projeto de pesquisa s i 2018
Template projeto de pesquisa  s i  2018Template projeto de pesquisa  s i  2018
Template projeto de pesquisa s i 2018009007system
 
Metodologia de Pesquisa: Estudo de Caso para Yin e para STAKE (comparativo)
Metodologia de Pesquisa: Estudo de Caso para Yin e para STAKE (comparativo)Metodologia de Pesquisa: Estudo de Caso para Yin e para STAKE (comparativo)
Metodologia de Pesquisa: Estudo de Caso para Yin e para STAKE (comparativo)Nayara Duarte
 
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De PesquisaAula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De PesquisaJonathas Carvalho
 
“TEORIAS, HIPÓTESES E A REVISÃO DA LITERATURA” Silvia M. Mendes
“TEORIAS, HIPÓTESES E A REVISÃO DA LITERATURA” Silvia M. Mendes“TEORIAS, HIPÓTESES E A REVISÃO DA LITERATURA” Silvia M. Mendes
“TEORIAS, HIPÓTESES E A REVISÃO DA LITERATURA” Silvia M. MendesBárbara Morim
 
Concurso Professor Cariri Pesquisa
Concurso Professor Cariri   PesquisaConcurso Professor Cariri   Pesquisa
Concurso Professor Cariri PesquisaJonathas Carvalho
 
(2011) - “METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS: TEORIA E...
(2011) - “METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS: TEORIA E...(2011) - “METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS: TEORIA E...
(2011) - “METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS: TEORIA E...Bárbara Morim
 
Como analisar um estudo de caso
Como analisar um estudo de casoComo analisar um estudo de caso
Como analisar um estudo de casoJheine Bessa
 
Metodologia e Regras de Apresentação de Trabalhos Científicos
Metodologia e Regras de Apresentação de Trabalhos CientíficosMetodologia e Regras de Apresentação de Trabalhos Científicos
Metodologia e Regras de Apresentação de Trabalhos CientíficosHamilton Nobrega
 
MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA
MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISAMÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA
MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISAJadde Caroline
 
Fenomenologia & Grounded Theory
Fenomenologia & Grounded TheoryFenomenologia & Grounded Theory
Fenomenologia & Grounded Theorysullamyteja
 

Mais procurados (20)

Projeto de Conclusão de Curso - Justificativas, Objetivos, Resumos, Esquemas,...
Projeto de Conclusão de Curso - Justificativas, Objetivos, Resumos, Esquemas,...Projeto de Conclusão de Curso - Justificativas, Objetivos, Resumos, Esquemas,...
Projeto de Conclusão de Curso - Justificativas, Objetivos, Resumos, Esquemas,...
 
Estudo de caso planejamento e m robert k. yin
Estudo de caso planejamento e m   robert k. yinEstudo de caso planejamento e m   robert k. yin
Estudo de caso planejamento e m robert k. yin
 
2 metodostec-aula-02--tipos de pesquisa e método cientifico
2 metodostec-aula-02--tipos de pesquisa e método cientifico2 metodostec-aula-02--tipos de pesquisa e método cientifico
2 metodostec-aula-02--tipos de pesquisa e método cientifico
 
Metodologias e métodos de investigação
Metodologias e métodos de investigaçãoMetodologias e métodos de investigação
Metodologias e métodos de investigação
 
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisaAlvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
 
Template projeto de pesquisa s i 2018
Template projeto de pesquisa  s i  2018Template projeto de pesquisa  s i  2018
Template projeto de pesquisa s i 2018
 
Nomotética e ideografica
Nomotética e ideograficaNomotética e ideografica
Nomotética e ideografica
 
Metodologia de Pesquisa: Estudo de Caso para Yin e para STAKE (comparativo)
Metodologia de Pesquisa: Estudo de Caso para Yin e para STAKE (comparativo)Metodologia de Pesquisa: Estudo de Caso para Yin e para STAKE (comparativo)
Metodologia de Pesquisa: Estudo de Caso para Yin e para STAKE (comparativo)
 
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De PesquisaAula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
 
Yin estudo de caso
Yin estudo de casoYin estudo de caso
Yin estudo de caso
 
“TEORIAS, HIPÓTESES E A REVISÃO DA LITERATURA” Silvia M. Mendes
“TEORIAS, HIPÓTESES E A REVISÃO DA LITERATURA” Silvia M. Mendes“TEORIAS, HIPÓTESES E A REVISÃO DA LITERATURA” Silvia M. Mendes
“TEORIAS, HIPÓTESES E A REVISÃO DA LITERATURA” Silvia M. Mendes
 
Concurso Professor Cariri Pesquisa
Concurso Professor Cariri   PesquisaConcurso Professor Cariri   Pesquisa
Concurso Professor Cariri Pesquisa
 
(2011) - “METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS: TEORIA E...
(2011) - “METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS: TEORIA E...(2011) - “METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS: TEORIA E...
(2011) - “METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS: TEORIA E...
 
Projetos de pesquisa
Projetos de pesquisaProjetos de pesquisa
Projetos de pesquisa
 
Como analisar um estudo de caso
Como analisar um estudo de casoComo analisar um estudo de caso
Como analisar um estudo de caso
 
Metodologia e Regras de Apresentação de Trabalhos Científicos
Metodologia e Regras de Apresentação de Trabalhos CientíficosMetodologia e Regras de Apresentação de Trabalhos Científicos
Metodologia e Regras de Apresentação de Trabalhos Científicos
 
MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA
MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISAMÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA
MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA
 
Fenomenologia & Grounded Theory
Fenomenologia & Grounded TheoryFenomenologia & Grounded Theory
Fenomenologia & Grounded Theory
 

Semelhante a OS CONCEITOS COMO BLOCO SINTEGRANTES DAS TEORIAS E ELEMENTOS BÁSICOS DO MÉTODO CIENTÍFICO” (2012)

Tecnicas de pesquisa 3
Tecnicas de pesquisa 3Tecnicas de pesquisa 3
Tecnicas de pesquisa 3Leonardo Poth
 
20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisaJoao Balbi
 
20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisaJoao Balbi
 
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.pptPALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.pptPauloHenriqueMartins51
 
Pesquisa na graduacao
Pesquisa na graduacaoPesquisa na graduacao
Pesquisa na graduacaoben
 
Metologia científica tcc pós
Metologia científica   tcc pósMetologia científica   tcc pós
Metologia científica tcc pósAntonio Lobosco
 
Cap 03 Fatos Leis Teorias
Cap 03 Fatos Leis TeoriasCap 03 Fatos Leis Teorias
Cap 03 Fatos Leis TeoriasCésar França
 
Estudo de caso planejamento e método
Estudo de caso  planejamento e métodoEstudo de caso  planejamento e método
Estudo de caso planejamento e métodoRosane Domingues
 
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoPesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoMara Salvucci
 
Aula online pesquisa em serviço social iii
Aula online pesquisa em serviço social iiiAula online pesquisa em serviço social iii
Aula online pesquisa em serviço social iiijeancff84
 
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveisProjecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveisMrioRondinho
 
METODOLOGIA CEEP ALUNOS DO ENSINO MEDIO.pptx
METODOLOGIA CEEP ALUNOS DO ENSINO MEDIO.pptxMETODOLOGIA CEEP ALUNOS DO ENSINO MEDIO.pptx
METODOLOGIA CEEP ALUNOS DO ENSINO MEDIO.pptxabnermoraes2
 
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdf
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdfESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdf
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdfREVISTA CIENTIFICA TCHIEZA
 
Metodologia do Trabalho cientifico
Metodologia do Trabalho cientificoMetodologia do Trabalho cientifico
Metodologia do Trabalho cientificorenatacopi
 
Estruturade um projecto de pesquisa
Estruturade um projecto de pesquisaEstruturade um projecto de pesquisa
Estruturade um projecto de pesquisaUEM/Mozambique
 

Semelhante a OS CONCEITOS COMO BLOCO SINTEGRANTES DAS TEORIAS E ELEMENTOS BÁSICOS DO MÉTODO CIENTÍFICO” (2012) (20)

Tecnicas de pesquisa 3
Tecnicas de pesquisa 3Tecnicas de pesquisa 3
Tecnicas de pesquisa 3
 
20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa
 
20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa
 
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.pptPALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
 
Pesquisa na graduacao
Pesquisa na graduacaoPesquisa na graduacao
Pesquisa na graduacao
 
Metologia científica tcc pós
Metologia científica   tcc pósMetologia científica   tcc pós
Metologia científica tcc pós
 
Cap 03 Fatos Leis Teorias
Cap 03 Fatos Leis TeoriasCap 03 Fatos Leis Teorias
Cap 03 Fatos Leis Teorias
 
Apostila seminário i
Apostila seminário iApostila seminário i
Apostila seminário i
 
Processo cientifico
Processo cientificoProcesso cientifico
Processo cientifico
 
Estudo de caso planejamento e método
Estudo de caso  planejamento e métodoEstudo de caso  planejamento e método
Estudo de caso planejamento e método
 
Estudo de Caso
Estudo de CasoEstudo de Caso
Estudo de Caso
 
1. metodologia
1. metodologia1. metodologia
1. metodologia
 
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoPesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
 
Aula online pesquisa em serviço social iii
Aula online pesquisa em serviço social iiiAula online pesquisa em serviço social iii
Aula online pesquisa em serviço social iii
 
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveisProjecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
 
Pesquisa
PesquisaPesquisa
Pesquisa
 
METODOLOGIA CEEP ALUNOS DO ENSINO MEDIO.pptx
METODOLOGIA CEEP ALUNOS DO ENSINO MEDIO.pptxMETODOLOGIA CEEP ALUNOS DO ENSINO MEDIO.pptx
METODOLOGIA CEEP ALUNOS DO ENSINO MEDIO.pptx
 
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdf
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdfESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdf
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdf
 
Metodologia do Trabalho cientifico
Metodologia do Trabalho cientificoMetodologia do Trabalho cientifico
Metodologia do Trabalho cientifico
 
Estruturade um projecto de pesquisa
Estruturade um projecto de pesquisaEstruturade um projecto de pesquisa
Estruturade um projecto de pesquisa
 

Mais de Bárbara Morim

Influência cultural em Negociação - NAFTA 1991
Influência cultural em Negociação - NAFTA 1991Influência cultural em Negociação - NAFTA 1991
Influência cultural em Negociação - NAFTA 1991Bárbara Morim
 
Teste Global sobre Logística
Teste Global sobre LogísticaTeste Global sobre Logística
Teste Global sobre LogísticaBárbara Morim
 
Essay sobre PEP e CPLP
Essay sobre PEP e CPLPEssay sobre PEP e CPLP
Essay sobre PEP e CPLPBárbara Morim
 
MEDIÇÃO: PROPRIEDADE E PROBLEMAS” Silvia M. Mendes & Pedro J. Camões
MEDIÇÃO: PROPRIEDADE E PROBLEMAS” Silvia M. Mendes & Pedro J. CamõesMEDIÇÃO: PROPRIEDADE E PROBLEMAS” Silvia M. Mendes & Pedro J. Camões
MEDIÇÃO: PROPRIEDADE E PROBLEMAS” Silvia M. Mendes & Pedro J. CamõesBárbara Morim
 
REVISÃO CRÍTICA DA BIBLIOGRAFIA
REVISÃO CRÍTICA DA BIBLIOGRAFIAREVISÃO CRÍTICA DA BIBLIOGRAFIA
REVISÃO CRÍTICA DA BIBLIOGRAFIABárbara Morim
 
OS CRITÉRIOS DE UMA BOA PERGUNTA DE PARTIDA”
OS CRITÉRIOS DE UMA BOA PERGUNTA DE PARTIDA”OS CRITÉRIOS DE UMA BOA PERGUNTA DE PARTIDA”
OS CRITÉRIOS DE UMA BOA PERGUNTA DE PARTIDA”Bárbara Morim
 
“A ÁREA, O TEMA E O PROBLEMA DE PESQUISA COMO FATORES DETERMINANTES NO PROCES...
“A ÁREA, O TEMA E O PROBLEMA DE PESQUISA COMO FATORES DETERMINANTES NO PROCES...“A ÁREA, O TEMA E O PROBLEMA DE PESQUISA COMO FATORES DETERMINANTES NO PROCES...
“A ÁREA, O TEMA E O PROBLEMA DE PESQUISA COMO FATORES DETERMINANTES NO PROCES...Bárbara Morim
 
Resumo de Narrativas Estratégicas e Identidade de Grande Potência de Laura Ro...
Resumo de Narrativas Estratégicas e Identidade de Grande Potência de Laura Ro...Resumo de Narrativas Estratégicas e Identidade de Grande Potência de Laura Ro...
Resumo de Narrativas Estratégicas e Identidade de Grande Potência de Laura Ro...Bárbara Morim
 
Resumo do Artigo de Aidan Hehir (2019) – “Soberania como responsabilidade: O ...
Resumo do Artigo de Aidan Hehir (2019) – “Soberania como responsabilidade: O ...Resumo do Artigo de Aidan Hehir (2019) – “Soberania como responsabilidade: O ...
Resumo do Artigo de Aidan Hehir (2019) – “Soberania como responsabilidade: O ...Bárbara Morim
 
Segurança Energética – Caso Áustria
Segurança Energética – Caso ÁustriaSegurança Energética – Caso Áustria
Segurança Energética – Caso ÁustriaBárbara Morim
 
Resumo dos 40º Colóquios das Relações Internacionais 2019
Resumo dos 40º Colóquios das Relações Internacionais 2019Resumo dos 40º Colóquios das Relações Internacionais 2019
Resumo dos 40º Colóquios das Relações Internacionais 2019Bárbara Morim
 

Mais de Bárbara Morim (11)

Influência cultural em Negociação - NAFTA 1991
Influência cultural em Negociação - NAFTA 1991Influência cultural em Negociação - NAFTA 1991
Influência cultural em Negociação - NAFTA 1991
 
Teste Global sobre Logística
Teste Global sobre LogísticaTeste Global sobre Logística
Teste Global sobre Logística
 
Essay sobre PEP e CPLP
Essay sobre PEP e CPLPEssay sobre PEP e CPLP
Essay sobre PEP e CPLP
 
MEDIÇÃO: PROPRIEDADE E PROBLEMAS” Silvia M. Mendes & Pedro J. Camões
MEDIÇÃO: PROPRIEDADE E PROBLEMAS” Silvia M. Mendes & Pedro J. CamõesMEDIÇÃO: PROPRIEDADE E PROBLEMAS” Silvia M. Mendes & Pedro J. Camões
MEDIÇÃO: PROPRIEDADE E PROBLEMAS” Silvia M. Mendes & Pedro J. Camões
 
REVISÃO CRÍTICA DA BIBLIOGRAFIA
REVISÃO CRÍTICA DA BIBLIOGRAFIAREVISÃO CRÍTICA DA BIBLIOGRAFIA
REVISÃO CRÍTICA DA BIBLIOGRAFIA
 
OS CRITÉRIOS DE UMA BOA PERGUNTA DE PARTIDA”
OS CRITÉRIOS DE UMA BOA PERGUNTA DE PARTIDA”OS CRITÉRIOS DE UMA BOA PERGUNTA DE PARTIDA”
OS CRITÉRIOS DE UMA BOA PERGUNTA DE PARTIDA”
 
“A ÁREA, O TEMA E O PROBLEMA DE PESQUISA COMO FATORES DETERMINANTES NO PROCES...
“A ÁREA, O TEMA E O PROBLEMA DE PESQUISA COMO FATORES DETERMINANTES NO PROCES...“A ÁREA, O TEMA E O PROBLEMA DE PESQUISA COMO FATORES DETERMINANTES NO PROCES...
“A ÁREA, O TEMA E O PROBLEMA DE PESQUISA COMO FATORES DETERMINANTES NO PROCES...
 
Resumo de Narrativas Estratégicas e Identidade de Grande Potência de Laura Ro...
Resumo de Narrativas Estratégicas e Identidade de Grande Potência de Laura Ro...Resumo de Narrativas Estratégicas e Identidade de Grande Potência de Laura Ro...
Resumo de Narrativas Estratégicas e Identidade de Grande Potência de Laura Ro...
 
Resumo do Artigo de Aidan Hehir (2019) – “Soberania como responsabilidade: O ...
Resumo do Artigo de Aidan Hehir (2019) – “Soberania como responsabilidade: O ...Resumo do Artigo de Aidan Hehir (2019) – “Soberania como responsabilidade: O ...
Resumo do Artigo de Aidan Hehir (2019) – “Soberania como responsabilidade: O ...
 
Segurança Energética – Caso Áustria
Segurança Energética – Caso ÁustriaSegurança Energética – Caso Áustria
Segurança Energética – Caso Áustria
 
Resumo dos 40º Colóquios das Relações Internacionais 2019
Resumo dos 40º Colóquios das Relações Internacionais 2019Resumo dos 40º Colóquios das Relações Internacionais 2019
Resumo dos 40º Colóquios das Relações Internacionais 2019
 

Último

APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.FLAVIA LEZAN
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 

Último (20)

APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 

OS CONCEITOS COMO BLOCO SINTEGRANTES DAS TEORIAS E ELEMENTOS BÁSICOS DO MÉTODO CIENTÍFICO” (2012)

  • 1. “OS CONCEITOS COMO BLOCOS INTEGRANTES DAS TEORIAS E ELEMENTOS BÁSICOS DO MÉTODO CIENTÍFICO” Exercício 2 Resumo do texto de Joaquim Araújo (2012) Trabalho elaborado por: Nome: Bárbara Morim Nº de aluno: A83540 Email: a83540@alunos.uminho.pt Data: 02/10/2017 1º ano - Relações Internacionais – Metodologia da Ciência Política
  • 2. “Os conceitos… proporcionam o sistema conceptual e uma linguagem que permitem ao investigador comunicar com os seus pares de forma rigorosa, exata e informativa.” Araújo, J. (2012) “A investigação em ciências sociais tem como principal preocupação encontrar explicações científicas para os fenómenos identificando-os, aprofundando o conhecimento dos mesmo para que este seja transmissível empírico e geral.” Araújo, J. (2012)
  • 3. 1. INTRODUÇÃO A Ciência é a procura de explicações para fenómenos reais, interpretando a realidade em estudo através de um processo abstrato do pensamento. A análise da realidade é realizada através de teorias que utilizam CONCEITOS próprios e definidos. Conceitos São representações mentais de observações, experiências e ideias. Facilitam a comunicação entre pessoas na mesma área cientifica. As ciências exatas utilizam símbolos (λ: comprimento de onda). As CSH utilizam palavras (aristocracia). Realidade Conceitos Sistema conceptual Investigação científica Teorias Ciência Fig.1 Sequência de obtenção de conhecimento
  • 4. 2. CONCEITO NA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA Cada área científica cria e recorre aos seus próprios conceitos que a delimitam e identificam. Na investigação científica, a definição conceptual é primordial na medida que o investigador recorre a conceitos na observação e análise de fenómenos para delinear os resultados da investigação. Definição de conceitos concisos e claros sobre o fenómeno Explicação do fenómeno em estudo Hipóteses a testar Operacionalização das Hipóteses Questão ou problema Desenvolvimento Criação de Fig. 2. Esquema do Processo inicial de Investigação
  • 5. 2. CONCEITO NA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA (CONT.) Requisitos da investigação científica que os conceitos têm de obedecer: • Exatidão; • Rigor; • Conteúdo informativo; • Representação de elementos do fenómeno; • Identificação e delimitação das áreas científicas do estudo; • A Relação entre os mesmos, estabelece hipóteses;… A definição exata dos conceitos é indispensável para o trabalho científico pois influencia o conhecimento (resultados) obtido na investigação. O conceito depende da: • Definição imposta pelo investigador; • Sistema teórico em que esta inserido;
  • 6. 2. CONCEITO NA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA (CONT.) Exemplo: Estudo do aumento da comunidade comunista entre os Jovens. 1º estabelecer a definição precisa de ser comunista. Sendo a definição de comunista complexa pois envolve várias características, por isso o conceito de ser ”comunista” tem de ser bem definido. 2º definir o intervalo de idades e regiões dessa amostra Jovem; etc… A definição de conceitos e a sua clarificação precisa são vitais para as CSH visto que existem muitos conceitos nesta área que são abstratos. Recurso a conceitos cuja definição é partilhada por outros investigadores Por isso, os investigadores enveredam pelo Aceitação da elaboração e justificação do conceito pela comunidade científica Leva à
  • 7. Razões que levam à falta de clareza de conceitos: ● Conceitos desenvolvidos com linguagem não inteligível (traduções); ● Conceitos similares utilizados em diferentes áreas científicas, que podem levar a conceitos que definam outros fenómenos; ou conceitos diferentes que correspondem ao mesmo fenómeno… Aprender uma teoria e conceitos = aprender uma língua
  • 8. 3. CLARIFICAÇÃO DE CONCEITOS - RECONCEPTUALIZAÇÃO Principal objetivo dos conceitos é facilitar a troca de informação (comunicação). Numa investigação científica, é necessário que o conceito se adeque à realidade. Se esse parâmetro não ficar estabelecido realiza-se uma: RECONCEPTUALIZAÇÃO: processo de explicitação dos conceitos chaves, definindo com rigor o significado de cada termo, de modo a definir claramente o projeto de estudo. DEFINIÇÕES DA RECONCEPTUALIZAÇÃO OperacionalReal Nominal Não especificidade sobre o significado do conceito. Ex.: Reforma, pode ter vários significados, mudança, alteração eou vencimento de aposentação Reificação: confundir fenómeno com conceito. Ex.: A Assembleia da República vetou uma lei, quem realmente vetou a lei foram os Deputados Especificação exata do objeto de estudo, do processo de investigação e das interpretações das observações. Utilizada para a medição de conceitos
  • 9. 3.1.RECONCEPTUALIZAÇÃO – OPERACIONALIZAÇÃO 1.Proposições analíticas: relação de causalidade entre conceitos, tem função operativa Proposições sintéticas: conjuntos de ideias que explicam o fenómeno real 2. Hipóteses de investigação: identificação do conceito que influencia outro conceito Problemática teórica: escolha de teorias e conceitos, elaboração hipóteses Resultam Fig. 3. Esquema do Processo de Operacionalização de Conceitos Transformação dos conceitos em variáveis mensuráveis a nível empírico, sendo que a variável é um conceito que se altera em valor ou qualidade. Definições operacionais: indicam ao investigador o fenómeno em estudo e os aspetos relevantes para a investigação, correspondem aos conceitos-chave em estudo. São a última etapa da operacionalização. Elaboração de Desenvolvimento
  • 10. 3.1.1.OPERACIONALIZAÇÃO: PROPOSIÇÕES ANALÍTICAS Nestas proposições identificam-se dois tipos de conceitos: CAUSA e o EFEITO = RELAÇÃO DE CAUSALIDADE Estes conceitos advêm da observação do aspeto da realidade em estudo ConstructosObservações diretas Observações indiretas Realidade subentendida a partir de factos observados. Requer ma observação mais cuidada. Ex.: Análise de Relatórios de violações aos Direitos Humanos pela Amnistia Internacional Realidade observada diretamente pelo investigador: factos visíveis. Ex.: Aumento do número de soldados nas ruas da cidade. Criações teóricas de relação entre conceitos, mas que não se pode observar diretamente ou indiretamente. Ex.: Aliança Geopolítica entre países.
  • 11. 3.1.2.OPERACIONALIZAÇÃO: HIPÓTESES DE INVESTIGAÇÃO Depois da delineação dos conceitos nas proposições analíticas, desenvolve-se uma hipótese onde se verifique uma relação de causalidade entre os conceitos. HIPÓTESES: afirmações explícitas que explicam um determinado fenómeno e indicam a relação de dependência entre os conceitos Caracterização do CONCEITO: • INDEPENDENTE: conceito que produz a mudança, a causa, que atua sobre algo; • DEPENDENTE: conceito do efeito ou consequência Ex.: Instabilidade económica nacional provoca a descida do investimento estrangeiro em Portugal. Hipótese de investigação Conceito independente: Instabilidade económica Conceito dependente: investimento estrangeiro
  • 12. 4. CONCEPTUALIZAÇÃO NA INVESTIGAÇÃO QUANTITATIVA INVESTIGAÇÃO QUANTITATIVA: medição de fenómenos, através da definição concreta e rigorosa de conceitos, lida essencialmente com variáveis. O principal objetivo é desenvolver definições claras que permitem obter resultados precisos e corretos. O investigador inicia o processo com uma teoria e conceitos já definidos, pelo que essa definição concentra-se na identificação dos conceitos relativos a esse fenómeno (separar o “ruído”) → Operacionalização. Relação entre conceitos nas hipóteses de investigação Quantitativa: • Direcional: estabelece uma relação direta entre conceitos, existe sempre uma proporcionalidade, quer direta, quer indireta entre os conceitos. Ex.: Aumento de popularidade dos partidos de extrema direita é conjugado com o aumento de sentimentos xenófobas na população. • Causalidade: estabelece uma relação de causa-efeito entre conceitos. Ex.: As medidas económicas rigorosas do Governo, provocaram descida do poder de compra da população. • Correlação: estabelece ligação entre dois conceitos, mas essa ligação não é esclarecida. Ex.: Existe relação entre a Democracia e Burocracia . • Hipótese nula: não há relação entre os conceitos
  • 13. 5. CONCEPTUALIZAÇÃO NA INVESTIGAÇÃO QUALITATIVA INVESTIGAÇÃO QUALITATIVA: obtenção de descrições pormenorizadas de um fenómeno real que proporciona a interpretação e explicação de uma situação. A teoria é o resultado final da investigação, pelo que os conceitos-chave do estudo são definidos no decorrer da investigação, uma vez que são estes que o ajudam a compreender o tema, e a formar a teoria. Construção da teoria: • 1. Recolha de exemplos experiências → entrevistas exploratórias a uma amostra da população ou observação direta • 2. Recolha de conceitos e assuntos a abordar. • 3. Entrevistas suplementares de forma a analisar os temas e explicações preliminares • 4. Elaboração de Teoria (hipótese) testada em entrevistas posteriores. → Formação da teoria: 1º análise cuidada das ideias e temas abordados nas descrições dos fenómenos; 2º compreensão das realidades etiquetadas → Definição Real; 3º associação de cada etiqueta a conceitos → Definição Nominal; 4º conjugar todos os elementos conceptuais, formando uma explicação descritiva do fenómeno.
  • 14. 6. CONCEPTUALIZAÇÃO: CONCLUSÃO • A etapa da clarificação do conceito é vital numa investigação científica, independentemente do tipo de epistemologia metodológica ( investigação quantitativa ou investigação qualitativa). • Na investigação quantitativa, a operacionalização é o processo de reconceptualização usado, uma vez que o estudo baseia-se em variáveis mensuráveis. • Na investigação qualitativa, espera-se compreender como algo recebe uma definição, por isso é sobretudo utilizado o processo de reconceptualização real e nominal.
  • 15. 7. BIBLIOGRAFIA Araújo, Joaquim F. (2012) Os conceitos como os blocos integrantes das teorias e elementos básicos do método científico. Cap. IV, pp. 63-78