SlideShare uma empresa Scribd logo
DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO
(ODM)
PARA OS
OBJETIVOS DE
DESENVOLVIMENTO
SUSTENTÁVEL
(ODS)
...2
MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS
A Organização das Nações Unidas (ONU)
está conduzindo um amplo debate entre governos
sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
(ODS) para suceder os ODM após 2015. Já é um
diferencial importante em relação aos ODM, surgidos
em 2000, na medida em que houve poucas consultas
aos governos e à sociedade.
Na definição dos ODS, há canais diretos
ou indiretos para as opiniões. A ONU e alguns
governos estão realizando diferentes modalidades
de consultas. A chance de refletir os anseios da
sociedade é maior nessa etapa. É uma oportunidade
rara dos cidadãos apontarem o caminho que
querem que seus governos sigam. Na Assembleia
Geral da ONU, que irá ocorrer em setembro desse
ano, é possível que se obtenha uma definição do
conteúdo dos prováveis ODS.Após novas consultas
aos governos nacionais e à sociedade, pode haver
uma decisão final e consensuada entre os países,
em setembro de 2015, especialmente quanto às
formas de implementação dos ODS, para vigorar a
partir de 2016.
O Movimento Nacional pela Cidadania e
Solidariedade (MNCS), pelo seu compromisso
comprovado de 10 anos de envolvimento voluntário
com os ODM, pela legitimidade de integrar e
parcerizar com o Programa das Nações Unidas
para o Desenvolvimento (PUNUD/ONU), com
os governos – federal, estaduais e municipais -,
empresas e organizações da sociedade civil, tem a
responsabilidade de expor seu ponto de vista sobre
os ODS.
INTRODUÇÃO
...3
MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS
QUEM SOMOS
O Movimento Nacional pela Cidadania
e Solidariedade visa alcançar os Objetivos
de Desenvolvimento do Milênio no Brasil.
Criado em 2004, tem caráter apartidário,
ecumênico e plural. Reúne empresas,
governos e organizações sociais que
desenvolvem ações para o cumprimento, até
2015, dos 8 Objetivos de Desenvolvimento
do Milênio (ODM), estabelecidos em 2000
pela Organização das Nações Unidas
(ONU), em conjunto com 191 países,
inclusive o Brasil.
www.nospodemos.org.br
Os valores
que nos unem
A construção de um mundo
melhor, socialmente
inclusivo, ambientalmente
sustentável e economica-
mente equilibrado, formam
a base dos valores que
nos unem. Os Objetivos de
Desenvolvimento do Milênio
estão entre as ações institu-
cionais mais importantes
para a humanidade. Soli-
dariedade, transparência,
cidadania, cooperação,
ética, inovação socioambi-
ental, direito de expressão,
diversidade cultural, mais do
que palavras, precisam ser
práticas.
Distribuição de organizações que atuam em prol dos ODM (2012)
...4
MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS
ODM, mas avançou sobretudo em uma forma de
envolvimento dos atores em prol dos ODM, que
reforça o poder da articulação aberta e institucion-
alizada dos diferentes setores, como vem sendo
promovida pelo MNCS.
Municipalizar os ODM: infelizmente os bons
resultados do Brasil em termos de alcance dos
ODM não se refletem do mesmo modo em alguns
estados e principalmente nos municípios. Por
isso, priorizamos levar os ODM para os municí-
pios, objetivando elevar os indicadores locais, no
mínimo aos patamares que o Brasil alcançou. Esta
prioridade é uma ação de longo prazo, que deve
ser estendida e ampliada na etapa que vai vigorar
os ODS.
Outro ponto positivo é que os ODM são uma agen-
da que mais integrou países no mundo, em nome
de melhorar a vida no planeta. Trouxe uma visão
mais integradora entre temas, entendendo que
melhorar a saúde das pessoas implicaria também
em retirá-las da condição de extrema pobreza.
As pessoas com mais renda tem mais acesso à
educação e saúde, ao lazer e à cultura.
A lógica definida de ter objetivos com respec-
tivas metas a serem alcançadas num período
trouxe melhores resultados e proporcionou que a
sociedade monitorasse os progressos por meio
de indicadores em cada ODM. Esta lógica deve
permanecer na etapa dos ODS.
Breve Avaliação dos
OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO
DO MILÊNIO (ODM)
Os ODM surgidos em 2000 proporcionaram
diversos avanços em termos de melhoria das
condições de vida da população global e no Brasil.
Entre 1990 e 2010 a extrema pobreza foi reduzida
de 47% para 22% da população. A meta foi atingi-
da. Entretanto, 1,2 bilhão de pessoas ainda estão
na extrema pobreza no mundo (recebem menos
de US$ 1,2 /dia). O acesso à educação e à saúde
melhorou no mundo todo, assim como avança as
ações de proteção ao meio ambiente.
No Brasil os resultados dos ODM são extrema-
mente positivos. Vamos alcançar ou superar as
metas em quase todos. Um exemplo marcante é a
redução da extrema pobreza, que caiu de 25,6%
da população em 1990 para 3,5% em 2012. Per-
manece como desafio principalmente o do ODM
– 5: reduzir a mortalidade materna, que precisaria
baixar de 64 para 35 óbitos/ 100 mil nascidos
vivos até 2015. Sem dúvida que o Brasil foi um
dos países que mais contribuiu para o alcance
das Metas em âmbito global. Fruto de escolhas de
políticas públicas acertadas e da forte participação
da sociedade, que se mobilizou pelos ODM em
todos os estados do país.
O MNCS conseguiu avançar não só nos ODM,
mas também na articulação dos três setores,
criando uma estrutura organizativa de mobilização
permanente e inovadora nos 26 Estados (+ Distrito
Federal) e em centenas de municípios do país. O
Brasil melhorou nos indicadores e nas metas do
...5
MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS
Os ODM têm uma série de virtudes e alguns lim-
ites. A agenda Pós-2015 oferece a oportunidade de
ressaltar as virtudes e minimizar as debilidades. A
primeira virtude é que os ODM conseguiram unir o
global ao local. A segunda é que os ODM lograram
promover uma união entre o social, ambiental e
econômico. Os ODM são uma porta de entrada ao
desenvolvimento sustentável.O terceiro ponto é que
os ODM possuem objetivos, metas e indicadores
claros e precisos. A estrutura é muito boa para o
comprometimento dos gestores públicos e especial-
mente para otimizar o uso dos recursos financeiros.
Uma debilidade dos ODM é que ele foi feito de cima
para baixo. Agora está sendo mais de baixo para
cima, ouvindo os atores - o que é uma diferença
substantiva. Não obstante os avanços conquista-
dos, há inúmeros e novos desafios a serem ven-
cidos e incorporados na dinâmica de decisão dos
ODS. Alguns países desenvolvidos não abraçaram
os ODM e não cumpriram suas obrigações em ter-
mos de cooperação financeira para viabilizar os
ODM nos países em desenvolvimento. Os desafios
da mobilidade urbana, entre outros enfrentados pe-
los municípios, devem ser incluídos na agenda dos
Desafios e oportunidades
Os Objetivos do Desenvolvimento
Sustentável (ODS) que queremos
ODS.
No mesmo sentido, os ODM não conseguiram di-
minuir as desigualdades de renda no mundo. Os
1% da população mais rica controla 40% da riqueza
mundial, enquanto a metade mais pobre da popu-
lação mundial só é dona de 1% da riqueza. No Bra-
sil, entre 1990 e 2012, a diferença dos 20% mais
pobres com os 20% mais ricos era de 30 vezes e
agora caiu para 17. Porém, hoje os 20% mais ricos
controlam 57,1% da renda nacional, bem acima
dos padrões internacionais. A desigualdade social
deve ser colocada como meio e fim estratégico da
Agenda Pós-2015.
Em tempo de profundas mudanças climáticas que
estão trazendo enormes consequências econômi-
cas, sociais e ambientais, é mais do que necessário,
é imprescindível repensar o modelo de produção e
consumo vigente. O planeta não suporta mais o uso
intensivo dos recursos naturais insustentáveis. Os
ODS precisam indicar concretamente o caminho
em direção a um modelo de desenvolvimento sus-
tentável, partindo dos consensos estabelecidos en-
tre os países na Conferência pelo Desenvolvimento
Sustentável ocorrida em 2012, a Rio+ 20.
Face à crise econômica e financeira de
2008, os fatores domésticos deverão ter forte
influência na agenda prioritária dos países
desenvolvidos. Portanto, somente uma forte
articulação global da sociedade civil poderá
ter efeito interno adicional em cada país para
que os governos assumam compromissos
globais. A Conferência Rio+20 demonstrou o
forte poder de influência da sociedade civil.
O MNCS conclama todos os atores sociais
e empresariais a reforçarem suas ações e
parcerias em prol de ODS que tenham metas
e indicadores para diminuir as desigualdades
sociais e promovam a inclusão social, a
erradicação da pobreza, a promoção da
igualdade entre gêneros e racial, a proteção
ambiental, a valorização da educação e
saúde, a promoção das energias renováveis
em direção ao desenvolvimento sustentável.
...6
MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS
1.Acabar com a fome e a extrema pobreza, gar-
antindo a segurança alimentar e a boa nutrição
2.Promover a igualdade de gênero, racial e a val-
orização das etnias em todos os níveis
3.Proporcionar a educação de qualidade em todos
os níveis
4.Garantir uma vida saudável e serviços de saúde
para todos
5.Alcançar acesso universal a água, saneamento e
moradia de qualidade
6.Assegurar energia sustentável voltada à pro-
moção de um novo padrão de produção
7.Criar empregos decentes, modos de vida susten-
táveis e crescimento equitativo
8.Promover e viabilizar condições para os municí-
pios sustentáveis e para enfrentar às mudanças
climáticas, e valorização dos espaços públicos à
qualidade de vida
9.Administrar e promover recursos naturais sus-
tentáveis e ações no sentido da redução das emis-
sões e radiações na atmosfera
10.Garantir boa governança, transparência e insti-
tuições eficazes na governança: espaços para a
participação social, em especial da juventude
11.Garantir sociedades pacíficas, a redução da
violência e dos investimentos em armas
12.Criar um ambiente global favorável ao finan-
ciamento para o desenvolvimento sustentável de
longo prazo
Para esta etapa de negociação
dos ODS indicamos
Temos a clara noção de que os ODS
precisam ser pactuados entre diferentes
países. Por isso, sabemos que precisam
ser concisos e fortes o suficiente para
serem abraçados pelo conjunto da comu-
nidade internacional. Precisam também
levar em conta diferentes realidades de
condições de cada país, ou seja, responsa-
bilidades diferentes e compartilhadas entre
países. Neste sentido, apresentamos um
conjunto de temas para serem incorpora-
dos aos ODS em escala global. Após este
processo, o Brasil – governo e sociedade
- podem e devem ter, adicionalmente, os
nossos ODS que reflitam nossas necessi-
dades e condições próprias.
Acreditamos também que mais cidadania
para as pessoas e mais solidariedade são
temas permanentes, independente do
resultado final das negociações internac-
ionais dos ODS. Por isso, o MNCS as-
sume o compromisso de dar continuidade
à afirmação da cidadania e solidariedade,
como essenciais para um mundo mais
justo e fraterno para todos. Desde o início,
o MNCS compartilhou solidariedade, recur-
sos humanos e materiais em prol de uma
causa social da maior importância para a
sociedade. Construímos um modelo novo
e inédito de parceria entre os governos,
empresas e sociedade civil, agora, mais do
que nunca vamos prosseguir: juntos nós
podemos !
A Negociação Internacional na ONU
e a Agenda Brasil
...7
MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS
Histórico
A história do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós Podemos: em fatos marcantes
Ano 2000 - “Eliminar a fome e a extrema miséria do planeta até 2015”: desafio assumido na Cúpula do
Milênio, em Nova Iorque, por líderes de 191 países
Ano 2004: Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade e Campanha Nacional Nós Podemos: 8
jeitos de mudar o mundo
Ano 2005: 1ª Edição do Prêmio ODM Brasil . Difusão dos ODM no Brasil
Ano 2006: Início do processo de criação dos Núcleos ODM Estaduais - 1º Núcleo: Movimento Nós
Podemos Paraná
Ano 2007: 2ª Edição do Prêmio ODM Brasil. Disseminação do ODM e organização de núcleos
Ano 2008: Disseminação do ODM e organização de núcleos
Ano 2009: Portal ODM e Núcleos ODM Estaduais. 3ª Edição do Prêmio ODM Brasil.
Ano 2009: 1º Seminário de Planejamento - Definição de 15 macroações . 3ª Edição do Prêmio ODM
Brasil.
Ano 2010: Assinatura do Memorando de Entendimento com o PNUD (Projeto ODM Brasil 2015) Priori-
dade à municipalização dos ODM. Disseminação do ODM e organização de núcleos estaduais e munici-
pais. Estabelecimento de parcerias com Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Caixa, Eletrobrás/Furnas,
Sesi/PR, Petrobras, Sebrae.
Ano 2011: 4ª Edição do Prêmio ODM Brasil. Disseminação do ODM e organização de núcleos
Ano 2012: 2º Encontro Nacional. Eleição do Colegiado Nacional. Disseminação do ODM e organização
de núcleos estaduais
Ano 2013: 5ª Edição do Prêmio ODM Brasil. Termo de Adesão ao MNCS e apoio técnico e financeiro
aos Núcleos ODM Estaduais (Projeto ODM Brasil 2015). 3º Encontro Nacional e eleição do Colegiado
Nacional. Organização dos Colegiados Estaduais. Discussão sobre a Agenda Pós-2015 e os Objetivos
de Desenvolvimento Sustentável (ODS)
Ano 2014: Municipalização dos ODM. Organização dos Núcleos Estaduais. Planos de Ação Estaduais,
capacitação nacional e nas Macrorregiões. Discussão sobre a Agenda Pós-2015 e os Objetivos de De-
senvolvimento Sustentável (ODS).
Nossa visão
O Brasil como referência mundial no alcance dos ODM,
com a participação integrada de governos, empresas e
sociedade civil.
Nossa missão
Mobilização e articulação. A participação social articu-
lada com os ODM é um fator estratégico para cumprir-
mos as metas do milênio.
...8
MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aspectos e Impactos
Aspectos e Impactos  Aspectos e Impactos
Aula 1 desenvolvimento sustentável
Aula 1 desenvolvimento sustentávelAula 1 desenvolvimento sustentável
Aula 1 desenvolvimento sustentável
Carlos Priante
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
lucasvinicius98
 
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvelMeio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
janeibe
 
Aula: Consumismo e sustentabilidade
Aula: Consumismo e sustentabilidadeAula: Consumismo e sustentabilidade
Aula: Consumismo e sustentabilidade
Elisane Almeida Pires
 
Agenda 2030 e os ODS
Agenda 2030 e os ODSAgenda 2030 e os ODS
Agenda 2030 e os ODS
Isabela Espíndola
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
Jane Mary Lima Castro
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Mariana Pinto
 
Odm ods 2015_odilon_faccio_meet_upflorian_2015
Odm ods 2015_odilon_faccio_meet_upflorian_2015Odm ods 2015_odilon_faccio_meet_upflorian_2015
Odm ods 2015_odilon_faccio_meet_upflorian_2015
Movimento Nós Podemos Santa Catarina
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Mariana Cordeiro
 
Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambiental
fefemrc
 
Apresentação aterro sanitário.
Apresentação aterro sanitário.Apresentação aterro sanitário.
Apresentação aterro sanitário.
Carlos Elson Cunha
 
Aula SUSTENTABILIDADE
Aula SUSTENTABILIDADEAula SUSTENTABILIDADE
Aula SUSTENTABILIDADE
DAIANE AZOLINI
 
As cidades sustentáveis
As cidades sustentáveisAs cidades sustentáveis
As cidades sustentáveis
CriatividadeTechno
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Prof.Paulo/geografia
 
Educação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidadeEducação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidade
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Desenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelDesenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento Sustentavel
Rui Raul
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental
andreresende22051997
 
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de HábitosEducação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
carlosbidu
 
Impactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivoImpactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivo
BIOLOGIA Associação Pré-FEDERAL
 

Mais procurados (20)

Aspectos e Impactos
Aspectos e Impactos  Aspectos e Impactos
Aspectos e Impactos
 
Aula 1 desenvolvimento sustentável
Aula 1 desenvolvimento sustentávelAula 1 desenvolvimento sustentável
Aula 1 desenvolvimento sustentável
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
 
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvelMeio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
 
Aula: Consumismo e sustentabilidade
Aula: Consumismo e sustentabilidadeAula: Consumismo e sustentabilidade
Aula: Consumismo e sustentabilidade
 
Agenda 2030 e os ODS
Agenda 2030 e os ODSAgenda 2030 e os ODS
Agenda 2030 e os ODS
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
Odm ods 2015_odilon_faccio_meet_upflorian_2015
Odm ods 2015_odilon_faccio_meet_upflorian_2015Odm ods 2015_odilon_faccio_meet_upflorian_2015
Odm ods 2015_odilon_faccio_meet_upflorian_2015
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambiental
 
Apresentação aterro sanitário.
Apresentação aterro sanitário.Apresentação aterro sanitário.
Apresentação aterro sanitário.
 
Aula SUSTENTABILIDADE
Aula SUSTENTABILIDADEAula SUSTENTABILIDADE
Aula SUSTENTABILIDADE
 
As cidades sustentáveis
As cidades sustentáveisAs cidades sustentáveis
As cidades sustentáveis
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Educação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidadeEducação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidade
 
Desenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelDesenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento Sustentavel
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental
 
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de HábitosEducação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
 
Impactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivoImpactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivo
 

Destaque

Objectivos Do MiléNio
Objectivos Do MiléNioObjectivos Do MiléNio
Objectivos Do MiléNio
luisant
 
Palestra Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Márcia Magalhães
Palestra Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Márcia MagalhãesPalestra Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Márcia Magalhães
Palestra Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Márcia Magalhães
MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal
 
Os objetivos do milênio da ONU
Os objetivos do milênio da ONUOs objetivos do milênio da ONU
Os objetivos do milênio da ONU
paulotmo
 
OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UMA AGENDA URGENTE E DE IMPORTANC...
OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL:  UMA AGENDA URGENTE E DE  IMPORTANC...OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL:  UMA AGENDA URGENTE E DE  IMPORTANC...
OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UMA AGENDA URGENTE E DE IMPORTANC...
forumsustentar
 
Objetivos do Milênio
Objetivos do MilênioObjetivos do Milênio
Objetivos do Milênio
Laisa Cabral Caetano
 
Metas do Milênio
Metas do MilênioMetas do Milênio
Slides 2º ano idh e objetivos do milênio
Slides 2º ano idh e objetivos do milênioSlides 2º ano idh e objetivos do milênio
Slides 2º ano idh e objetivos do milênio
Oberlania Alves
 
Apresentação hma fórum de sustentabilidade
Apresentação hma fórum de sustentabilidadeApresentação hma fórum de sustentabilidade
Apresentação hma fórum de sustentabilidade
Pró-Saúde Araucária
 
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo PedronMinas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
forumsustentar
 
Agenda pos 2015-e_os_ods_salvador
Agenda pos 2015-e_os_ods_salvadorAgenda pos 2015-e_os_ods_salvador
Agenda pos 2015-e_os_ods_salvador
Mauro Nunes
 
Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio pelo Brasil metas da saude
Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio pelo Brasil   metas da saudeAlcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio pelo Brasil   metas da saude
Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio pelo Brasil metas da saude
Helenice Alexandrino
 
Marcia muchagata 4
Marcia muchagata 4Marcia muchagata 4
Marcia muchagata 4
forumsustentar
 
Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável - Claudio Boechat
Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável - Claudio BoechatObjetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável - Claudio Boechat
Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável - Claudio Boechat
forumsustentar
 
Agenda 2030 Subsidios Iniciais do Sistema das Nações Unidas no Brasil
Agenda 2030 Subsidios Iniciais do Sistema das Nações Unidas no BrasilAgenda 2030 Subsidios Iniciais do Sistema das Nações Unidas no Brasil
Agenda 2030 Subsidios Iniciais do Sistema das Nações Unidas no Brasil
EMERGING MARKETS RESEARCH & CONSULTING
 
ODM - Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: relatório 2014
ODM - Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: relatório 2014ODM - Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: relatório 2014
ODM - Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: relatório 2014
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Orientações para o Trabalho - Direitos Humanos
Orientações para o Trabalho - Direitos HumanosOrientações para o Trabalho - Direitos Humanos
Orientações para o Trabalho - Direitos Humanos
paulotmo
 
Apresentação - Governança Organizacional
Apresentação - Governança OrganizacionalApresentação - Governança Organizacional
Apresentação - Governança Organizacional
ciespjacarei
 
Introdução a obra de melanie klein (hanna segal) (1)
Introdução a obra de melanie klein (hanna segal) (1)Introdução a obra de melanie klein (hanna segal) (1)
Introdução a obra de melanie klein (hanna segal) (1)
Daniela Euclides
 
O papel dos membros da ISO como parceiros locais estratégicos para fortalecer...
O papel dos membros da ISO como parceiros locais estratégicos para fortalecer...O papel dos membros da ISO como parceiros locais estratégicos para fortalecer...
O papel dos membros da ISO como parceiros locais estratégicos para fortalecer...
Humanidade2012
 
Visão geral da ABNT NBR ISO 26000
Visão geral da ABNT NBR ISO 26000Visão geral da ABNT NBR ISO 26000
Visão geral da ABNT NBR ISO 26000
Sistema FIEB
 

Destaque (20)

Objectivos Do MiléNio
Objectivos Do MiléNioObjectivos Do MiléNio
Objectivos Do MiléNio
 
Palestra Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Márcia Magalhães
Palestra Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Márcia MagalhãesPalestra Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Márcia Magalhães
Palestra Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Márcia Magalhães
 
Os objetivos do milênio da ONU
Os objetivos do milênio da ONUOs objetivos do milênio da ONU
Os objetivos do milênio da ONU
 
OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UMA AGENDA URGENTE E DE IMPORTANC...
OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL:  UMA AGENDA URGENTE E DE  IMPORTANC...OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL:  UMA AGENDA URGENTE E DE  IMPORTANC...
OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UMA AGENDA URGENTE E DE IMPORTANC...
 
Objetivos do Milênio
Objetivos do MilênioObjetivos do Milênio
Objetivos do Milênio
 
Metas do Milênio
Metas do MilênioMetas do Milênio
Metas do Milênio
 
Slides 2º ano idh e objetivos do milênio
Slides 2º ano idh e objetivos do milênioSlides 2º ano idh e objetivos do milênio
Slides 2º ano idh e objetivos do milênio
 
Apresentação hma fórum de sustentabilidade
Apresentação hma fórum de sustentabilidadeApresentação hma fórum de sustentabilidade
Apresentação hma fórum de sustentabilidade
 
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo PedronMinas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
Minas Gerais e os Objetivos do Milênio - Ronaldo Pedron
 
Agenda pos 2015-e_os_ods_salvador
Agenda pos 2015-e_os_ods_salvadorAgenda pos 2015-e_os_ods_salvador
Agenda pos 2015-e_os_ods_salvador
 
Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio pelo Brasil metas da saude
Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio pelo Brasil   metas da saudeAlcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio pelo Brasil   metas da saude
Alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio pelo Brasil metas da saude
 
Marcia muchagata 4
Marcia muchagata 4Marcia muchagata 4
Marcia muchagata 4
 
Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável - Claudio Boechat
Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável - Claudio BoechatObjetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável - Claudio Boechat
Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável - Claudio Boechat
 
Agenda 2030 Subsidios Iniciais do Sistema das Nações Unidas no Brasil
Agenda 2030 Subsidios Iniciais do Sistema das Nações Unidas no BrasilAgenda 2030 Subsidios Iniciais do Sistema das Nações Unidas no Brasil
Agenda 2030 Subsidios Iniciais do Sistema das Nações Unidas no Brasil
 
ODM - Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: relatório 2014
ODM - Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: relatório 2014ODM - Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: relatório 2014
ODM - Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: relatório 2014
 
Orientações para o Trabalho - Direitos Humanos
Orientações para o Trabalho - Direitos HumanosOrientações para o Trabalho - Direitos Humanos
Orientações para o Trabalho - Direitos Humanos
 
Apresentação - Governança Organizacional
Apresentação - Governança OrganizacionalApresentação - Governança Organizacional
Apresentação - Governança Organizacional
 
Introdução a obra de melanie klein (hanna segal) (1)
Introdução a obra de melanie klein (hanna segal) (1)Introdução a obra de melanie klein (hanna segal) (1)
Introdução a obra de melanie klein (hanna segal) (1)
 
O papel dos membros da ISO como parceiros locais estratégicos para fortalecer...
O papel dos membros da ISO como parceiros locais estratégicos para fortalecer...O papel dos membros da ISO como parceiros locais estratégicos para fortalecer...
O papel dos membros da ISO como parceiros locais estratégicos para fortalecer...
 
Visão geral da ABNT NBR ISO 26000
Visão geral da ABNT NBR ISO 26000Visão geral da ABNT NBR ISO 26000
Visão geral da ABNT NBR ISO 26000
 

Semelhante a OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)

8 Jeitos de Mudar o Mundo - Selo Social de Sorocaba
8 Jeitos de Mudar o Mundo - Selo Social de Sorocaba8 Jeitos de Mudar o Mundo - Selo Social de Sorocaba
8 Jeitos de Mudar o Mundo - Selo Social de Sorocaba
Instituto Abaçaí
 
Programa das nações unidas para o desenvolvimento
Programa das nações unidas para o desenvolvimentoPrograma das nações unidas para o desenvolvimento
Programa das nações unidas para o desenvolvimento
Carina Cipolat
 
Mesa redonda - Lucia Stumpf (Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico ...
Mesa redonda - Lucia Stumpf (Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico ...Mesa redonda - Lucia Stumpf (Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico ...
Mesa redonda - Lucia Stumpf (Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico ...
SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República
 
Revista do V CBJA
Revista do V CBJARevista do V CBJA
Revista do V CBJA
Beth Fernandes
 
Marina silva plano de governo vesão ampliada
Marina silva   plano de governo vesão ampliadaMarina silva   plano de governo vesão ampliada
Marina silva plano de governo vesão ampliada
paulo langrov
 
Diretrizes versao ampliada
Diretrizes versao ampliadaDiretrizes versao ampliada
Diretrizes versao ampliada
Diego Silva Lemelle
 
Festival 2018 - Organizações comunitárias podem mobilizar seus próprios recur...
Festival 2018 - Organizações comunitárias podem mobilizar seus próprios recur...Festival 2018 - Organizações comunitárias podem mobilizar seus próprios recur...
Festival 2018 - Organizações comunitárias podem mobilizar seus próprios recur...
ABCR
 
APRESENTAÇÂO - ODM.pdf
APRESENTAÇÂO - ODM.pdfAPRESENTAÇÂO - ODM.pdf
APRESENTAÇÂO - ODM.pdf
AllisonHaley5
 
“O Estado de Santa Catarina e o Brasil em relação aos Objetivos de Desenvolvi...
“O Estado de Santa Catarina e o Brasil em relação aos Objetivos de Desenvolvi...“O Estado de Santa Catarina e o Brasil em relação aos Objetivos de Desenvolvi...
“O Estado de Santa Catarina e o Brasil em relação aos Objetivos de Desenvolvi...
Movimento Nós Podemos Santa Catarina
 
As desigualdades do mundo globalizado (desevolvimento sustentável)
As desigualdades do mundo globalizado (desevolvimento sustentável)As desigualdades do mundo globalizado (desevolvimento sustentável)
As desigualdades do mundo globalizado (desevolvimento sustentável)
CatarinaNeivas
 
esaf-rn-maisgestaomunicipal-pptx.pptx
esaf-rn-maisgestaomunicipal-pptx.pptxesaf-rn-maisgestaomunicipal-pptx.pptx
esaf-rn-maisgestaomunicipal-pptx.pptx
JeffersonPereira360732
 
Relatório do Painel de Nível de Pessoas Eminentes para a Agenda de Desenvolvi...
Relatório do Painel de Nível de Pessoas Eminentes para a Agenda de Desenvolvi...Relatório do Painel de Nível de Pessoas Eminentes para a Agenda de Desenvolvi...
Relatório do Painel de Nível de Pessoas Eminentes para a Agenda de Desenvolvi...
Fundação Dom Cabral - FDC
 
Fatores condicionantes do progresso econômico e social
Fatores condicionantes do progresso econômico e  socialFatores condicionantes do progresso econômico e  social
Fatores condicionantes do progresso econômico e social
Fernando Alcoforado
 
ENCOAD 2017 - O Desenvolvimento Sustentável e o Administrador do Futuro
ENCOAD 2017 - O Desenvolvimento Sustentável e o Administrador do FuturoENCOAD 2017 - O Desenvolvimento Sustentável e o Administrador do Futuro
ENCOAD 2017 - O Desenvolvimento Sustentável e o Administrador do Futuro
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Cartilha PNUD
Cartilha PNUDCartilha PNUD
Cartilha PNUD
miriammorata
 
rio+20 - joao borges e caio piredda
rio+20 - joao borges e caio pireddario+20 - joao borges e caio piredda
rio+20 - joao borges e caio piredda
transformice
 
ALGUNS INDICADORES SOCIAIS
ALGUNS INDICADORES SOCIAISALGUNS INDICADORES SOCIAIS
ALGUNS INDICADORES SOCIAIS
Conceição Fontolan
 
Pandemia e modelos de desenvolvimento
Pandemia e modelos de desenvolvimentoPandemia e modelos de desenvolvimento
Pandemia e modelos de desenvolvimento
AMATER Cooperativa de Trabalho
 
Pacto Global da ONU e a Contribuição empresarial para os Objetivos de Desenvo...
Pacto Global da ONU e a Contribuição empresarial para os Objetivos de Desenvo...Pacto Global da ONU e a Contribuição empresarial para os Objetivos de Desenvo...
Pacto Global da ONU e a Contribuição empresarial para os Objetivos de Desenvo...
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
Development Workshop Angola
 

Semelhante a OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) (20)

8 Jeitos de Mudar o Mundo - Selo Social de Sorocaba
8 Jeitos de Mudar o Mundo - Selo Social de Sorocaba8 Jeitos de Mudar o Mundo - Selo Social de Sorocaba
8 Jeitos de Mudar o Mundo - Selo Social de Sorocaba
 
Programa das nações unidas para o desenvolvimento
Programa das nações unidas para o desenvolvimentoPrograma das nações unidas para o desenvolvimento
Programa das nações unidas para o desenvolvimento
 
Mesa redonda - Lucia Stumpf (Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico ...
Mesa redonda - Lucia Stumpf (Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico ...Mesa redonda - Lucia Stumpf (Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico ...
Mesa redonda - Lucia Stumpf (Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico ...
 
Revista do V CBJA
Revista do V CBJARevista do V CBJA
Revista do V CBJA
 
Marina silva plano de governo vesão ampliada
Marina silva   plano de governo vesão ampliadaMarina silva   plano de governo vesão ampliada
Marina silva plano de governo vesão ampliada
 
Diretrizes versao ampliada
Diretrizes versao ampliadaDiretrizes versao ampliada
Diretrizes versao ampliada
 
Festival 2018 - Organizações comunitárias podem mobilizar seus próprios recur...
Festival 2018 - Organizações comunitárias podem mobilizar seus próprios recur...Festival 2018 - Organizações comunitárias podem mobilizar seus próprios recur...
Festival 2018 - Organizações comunitárias podem mobilizar seus próprios recur...
 
APRESENTAÇÂO - ODM.pdf
APRESENTAÇÂO - ODM.pdfAPRESENTAÇÂO - ODM.pdf
APRESENTAÇÂO - ODM.pdf
 
“O Estado de Santa Catarina e o Brasil em relação aos Objetivos de Desenvolvi...
“O Estado de Santa Catarina e o Brasil em relação aos Objetivos de Desenvolvi...“O Estado de Santa Catarina e o Brasil em relação aos Objetivos de Desenvolvi...
“O Estado de Santa Catarina e o Brasil em relação aos Objetivos de Desenvolvi...
 
As desigualdades do mundo globalizado (desevolvimento sustentável)
As desigualdades do mundo globalizado (desevolvimento sustentável)As desigualdades do mundo globalizado (desevolvimento sustentável)
As desigualdades do mundo globalizado (desevolvimento sustentável)
 
esaf-rn-maisgestaomunicipal-pptx.pptx
esaf-rn-maisgestaomunicipal-pptx.pptxesaf-rn-maisgestaomunicipal-pptx.pptx
esaf-rn-maisgestaomunicipal-pptx.pptx
 
Relatório do Painel de Nível de Pessoas Eminentes para a Agenda de Desenvolvi...
Relatório do Painel de Nível de Pessoas Eminentes para a Agenda de Desenvolvi...Relatório do Painel de Nível de Pessoas Eminentes para a Agenda de Desenvolvi...
Relatório do Painel de Nível de Pessoas Eminentes para a Agenda de Desenvolvi...
 
Fatores condicionantes do progresso econômico e social
Fatores condicionantes do progresso econômico e  socialFatores condicionantes do progresso econômico e  social
Fatores condicionantes do progresso econômico e social
 
ENCOAD 2017 - O Desenvolvimento Sustentável e o Administrador do Futuro
ENCOAD 2017 - O Desenvolvimento Sustentável e o Administrador do FuturoENCOAD 2017 - O Desenvolvimento Sustentável e o Administrador do Futuro
ENCOAD 2017 - O Desenvolvimento Sustentável e o Administrador do Futuro
 
Cartilha PNUD
Cartilha PNUDCartilha PNUD
Cartilha PNUD
 
rio+20 - joao borges e caio piredda
rio+20 - joao borges e caio pireddario+20 - joao borges e caio piredda
rio+20 - joao borges e caio piredda
 
ALGUNS INDICADORES SOCIAIS
ALGUNS INDICADORES SOCIAISALGUNS INDICADORES SOCIAIS
ALGUNS INDICADORES SOCIAIS
 
Pandemia e modelos de desenvolvimento
Pandemia e modelos de desenvolvimentoPandemia e modelos de desenvolvimento
Pandemia e modelos de desenvolvimento
 
Pacto Global da ONU e a Contribuição empresarial para os Objetivos de Desenvo...
Pacto Global da ONU e a Contribuição empresarial para os Objetivos de Desenvo...Pacto Global da ONU e a Contribuição empresarial para os Objetivos de Desenvo...
Pacto Global da ONU e a Contribuição empresarial para os Objetivos de Desenvo...
 
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
20170714 DW Debate:População e Desenvolvimento na SADC: Um olhar Específico p...
 

Mais de ObsDrFurb

Informativo janeiro/fevereiro 2016
Informativo janeiro/fevereiro 2016Informativo janeiro/fevereiro 2016
Informativo janeiro/fevereiro 2016
ObsDrFurb
 
Informativo Observatório de Desenvolvimento Regional - PPGDR 09/2015
Informativo Observatório de Desenvolvimento Regional - PPGDR 09/2015Informativo Observatório de Desenvolvimento Regional - PPGDR 09/2015
Informativo Observatório de Desenvolvimento Regional - PPGDR 09/2015
ObsDrFurb
 
Observatório do Desenvolvimento Regional FURB - Informativo Março 2015
Observatório do Desenvolvimento Regional FURB - Informativo Março 2015Observatório do Desenvolvimento Regional FURB - Informativo Março 2015
Observatório do Desenvolvimento Regional FURB - Informativo Março 2015
ObsDrFurb
 
Informativo Mensal - Janeiro/Fevereiro 2015
Informativo Mensal - Janeiro/Fevereiro 2015Informativo Mensal - Janeiro/Fevereiro 2015
Informativo Mensal - Janeiro/Fevereiro 2015
ObsDrFurb
 
Informativo Mensal Observatório - Dezembro 2014
Informativo Mensal Observatório  - Dezembro 2014Informativo Mensal Observatório  - Dezembro 2014
Informativo Mensal Observatório - Dezembro 2014
ObsDrFurb
 
Ppgdr
PpgdrPpgdr
Ppgdr
ObsDrFurb
 
Informativo Mensal - Novembro - Observatório do Desenvolvimento Regional
Informativo Mensal - Novembro - Observatório do Desenvolvimento RegionalInformativo Mensal - Novembro - Observatório do Desenvolvimento Regional
Informativo Mensal - Novembro - Observatório do Desenvolvimento Regional
ObsDrFurb
 
Informativo Mensal - Novembro 2014
Informativo Mensal - Novembro 2014Informativo Mensal - Novembro 2014
Informativo Mensal - Novembro 2014
ObsDrFurb
 
Informativo mensal do mês de Outubro de 2014
Informativo  mensal do mês de Outubro de 2014Informativo  mensal do mês de Outubro de 2014
Informativo mensal do mês de Outubro de 2014
ObsDrFurb
 
Concurso para docentes - UFSM
Concurso para docentes - UFSMConcurso para docentes - UFSM
Concurso para docentes - UFSM
ObsDrFurb
 
Informativo Observatório do Desenvolvimento Regional - Setembro 2014
Informativo Observatório do Desenvolvimento Regional - Setembro 2014Informativo Observatório do Desenvolvimento Regional - Setembro 2014
Informativo Observatório do Desenvolvimento Regional - Setembro 2014
ObsDrFurb
 
Informativo Agosto
Informativo AgostoInformativo Agosto
Informativo Agosto
ObsDrFurb
 
Informativo Mensal Mês de Julho - Observatório do Desenvolvimento Regional
Informativo Mensal Mês de Julho - Observatório do Desenvolvimento RegionalInformativo Mensal Mês de Julho - Observatório do Desenvolvimento Regional
Informativo Mensal Mês de Julho - Observatório do Desenvolvimento Regional
ObsDrFurb
 
Informativo Mês de Junho de 2014 - Observatório do Desenvolvimento Regional.
Informativo Mês de Junho de 2014 - Observatório do Desenvolvimento Regional.Informativo Mês de Junho de 2014 - Observatório do Desenvolvimento Regional.
Informativo Mês de Junho de 2014 - Observatório do Desenvolvimento Regional.
ObsDrFurb
 
Informativo Nós Podemos Santa Catarina - 2014
Informativo Nós Podemos Santa Catarina - 2014Informativo Nós Podemos Santa Catarina - 2014
Informativo Nós Podemos Santa Catarina - 2014
ObsDrFurb
 
Informativo mensal - Junho 2013
Informativo mensal - Junho 2013Informativo mensal - Junho 2013
Informativo mensal - Junho 2013
ObsDrFurb
 
Informativo mensal - Maio 2013
Informativo mensal - Maio 2013Informativo mensal - Maio 2013
Informativo mensal - Maio 2013
ObsDrFurb
 
Informativo mensal - ABRIL 2013
Informativo mensal - ABRIL 2013Informativo mensal - ABRIL 2013
Informativo mensal - ABRIL 2013
ObsDrFurb
 

Mais de ObsDrFurb (18)

Informativo janeiro/fevereiro 2016
Informativo janeiro/fevereiro 2016Informativo janeiro/fevereiro 2016
Informativo janeiro/fevereiro 2016
 
Informativo Observatório de Desenvolvimento Regional - PPGDR 09/2015
Informativo Observatório de Desenvolvimento Regional - PPGDR 09/2015Informativo Observatório de Desenvolvimento Regional - PPGDR 09/2015
Informativo Observatório de Desenvolvimento Regional - PPGDR 09/2015
 
Observatório do Desenvolvimento Regional FURB - Informativo Março 2015
Observatório do Desenvolvimento Regional FURB - Informativo Março 2015Observatório do Desenvolvimento Regional FURB - Informativo Março 2015
Observatório do Desenvolvimento Regional FURB - Informativo Março 2015
 
Informativo Mensal - Janeiro/Fevereiro 2015
Informativo Mensal - Janeiro/Fevereiro 2015Informativo Mensal - Janeiro/Fevereiro 2015
Informativo Mensal - Janeiro/Fevereiro 2015
 
Informativo Mensal Observatório - Dezembro 2014
Informativo Mensal Observatório  - Dezembro 2014Informativo Mensal Observatório  - Dezembro 2014
Informativo Mensal Observatório - Dezembro 2014
 
Ppgdr
PpgdrPpgdr
Ppgdr
 
Informativo Mensal - Novembro - Observatório do Desenvolvimento Regional
Informativo Mensal - Novembro - Observatório do Desenvolvimento RegionalInformativo Mensal - Novembro - Observatório do Desenvolvimento Regional
Informativo Mensal - Novembro - Observatório do Desenvolvimento Regional
 
Informativo Mensal - Novembro 2014
Informativo Mensal - Novembro 2014Informativo Mensal - Novembro 2014
Informativo Mensal - Novembro 2014
 
Informativo mensal do mês de Outubro de 2014
Informativo  mensal do mês de Outubro de 2014Informativo  mensal do mês de Outubro de 2014
Informativo mensal do mês de Outubro de 2014
 
Concurso para docentes - UFSM
Concurso para docentes - UFSMConcurso para docentes - UFSM
Concurso para docentes - UFSM
 
Informativo Observatório do Desenvolvimento Regional - Setembro 2014
Informativo Observatório do Desenvolvimento Regional - Setembro 2014Informativo Observatório do Desenvolvimento Regional - Setembro 2014
Informativo Observatório do Desenvolvimento Regional - Setembro 2014
 
Informativo Agosto
Informativo AgostoInformativo Agosto
Informativo Agosto
 
Informativo Mensal Mês de Julho - Observatório do Desenvolvimento Regional
Informativo Mensal Mês de Julho - Observatório do Desenvolvimento RegionalInformativo Mensal Mês de Julho - Observatório do Desenvolvimento Regional
Informativo Mensal Mês de Julho - Observatório do Desenvolvimento Regional
 
Informativo Mês de Junho de 2014 - Observatório do Desenvolvimento Regional.
Informativo Mês de Junho de 2014 - Observatório do Desenvolvimento Regional.Informativo Mês de Junho de 2014 - Observatório do Desenvolvimento Regional.
Informativo Mês de Junho de 2014 - Observatório do Desenvolvimento Regional.
 
Informativo Nós Podemos Santa Catarina - 2014
Informativo Nós Podemos Santa Catarina - 2014Informativo Nós Podemos Santa Catarina - 2014
Informativo Nós Podemos Santa Catarina - 2014
 
Informativo mensal - Junho 2013
Informativo mensal - Junho 2013Informativo mensal - Junho 2013
Informativo mensal - Junho 2013
 
Informativo mensal - Maio 2013
Informativo mensal - Maio 2013Informativo mensal - Maio 2013
Informativo mensal - Maio 2013
 
Informativo mensal - ABRIL 2013
Informativo mensal - ABRIL 2013Informativo mensal - ABRIL 2013
Informativo mensal - ABRIL 2013
 

Último

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 

Último (20)

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)

  • 1. DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) PARA OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)
  • 2. ...2 MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS A Organização das Nações Unidas (ONU) está conduzindo um amplo debate entre governos sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para suceder os ODM após 2015. Já é um diferencial importante em relação aos ODM, surgidos em 2000, na medida em que houve poucas consultas aos governos e à sociedade. Na definição dos ODS, há canais diretos ou indiretos para as opiniões. A ONU e alguns governos estão realizando diferentes modalidades de consultas. A chance de refletir os anseios da sociedade é maior nessa etapa. É uma oportunidade rara dos cidadãos apontarem o caminho que querem que seus governos sigam. Na Assembleia Geral da ONU, que irá ocorrer em setembro desse ano, é possível que se obtenha uma definição do conteúdo dos prováveis ODS.Após novas consultas aos governos nacionais e à sociedade, pode haver uma decisão final e consensuada entre os países, em setembro de 2015, especialmente quanto às formas de implementação dos ODS, para vigorar a partir de 2016. O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade (MNCS), pelo seu compromisso comprovado de 10 anos de envolvimento voluntário com os ODM, pela legitimidade de integrar e parcerizar com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PUNUD/ONU), com os governos – federal, estaduais e municipais -, empresas e organizações da sociedade civil, tem a responsabilidade de expor seu ponto de vista sobre os ODS. INTRODUÇÃO
  • 3. ...3 MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS QUEM SOMOS O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade visa alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Brasil. Criado em 2004, tem caráter apartidário, ecumênico e plural. Reúne empresas, governos e organizações sociais que desenvolvem ações para o cumprimento, até 2015, dos 8 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), estabelecidos em 2000 pela Organização das Nações Unidas (ONU), em conjunto com 191 países, inclusive o Brasil. www.nospodemos.org.br Os valores que nos unem A construção de um mundo melhor, socialmente inclusivo, ambientalmente sustentável e economica- mente equilibrado, formam a base dos valores que nos unem. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio estão entre as ações institu- cionais mais importantes para a humanidade. Soli- dariedade, transparência, cidadania, cooperação, ética, inovação socioambi- ental, direito de expressão, diversidade cultural, mais do que palavras, precisam ser práticas. Distribuição de organizações que atuam em prol dos ODM (2012)
  • 4. ...4 MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS ODM, mas avançou sobretudo em uma forma de envolvimento dos atores em prol dos ODM, que reforça o poder da articulação aberta e institucion- alizada dos diferentes setores, como vem sendo promovida pelo MNCS. Municipalizar os ODM: infelizmente os bons resultados do Brasil em termos de alcance dos ODM não se refletem do mesmo modo em alguns estados e principalmente nos municípios. Por isso, priorizamos levar os ODM para os municí- pios, objetivando elevar os indicadores locais, no mínimo aos patamares que o Brasil alcançou. Esta prioridade é uma ação de longo prazo, que deve ser estendida e ampliada na etapa que vai vigorar os ODS. Outro ponto positivo é que os ODM são uma agen- da que mais integrou países no mundo, em nome de melhorar a vida no planeta. Trouxe uma visão mais integradora entre temas, entendendo que melhorar a saúde das pessoas implicaria também em retirá-las da condição de extrema pobreza. As pessoas com mais renda tem mais acesso à educação e saúde, ao lazer e à cultura. A lógica definida de ter objetivos com respec- tivas metas a serem alcançadas num período trouxe melhores resultados e proporcionou que a sociedade monitorasse os progressos por meio de indicadores em cada ODM. Esta lógica deve permanecer na etapa dos ODS. Breve Avaliação dos OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) Os ODM surgidos em 2000 proporcionaram diversos avanços em termos de melhoria das condições de vida da população global e no Brasil. Entre 1990 e 2010 a extrema pobreza foi reduzida de 47% para 22% da população. A meta foi atingi- da. Entretanto, 1,2 bilhão de pessoas ainda estão na extrema pobreza no mundo (recebem menos de US$ 1,2 /dia). O acesso à educação e à saúde melhorou no mundo todo, assim como avança as ações de proteção ao meio ambiente. No Brasil os resultados dos ODM são extrema- mente positivos. Vamos alcançar ou superar as metas em quase todos. Um exemplo marcante é a redução da extrema pobreza, que caiu de 25,6% da população em 1990 para 3,5% em 2012. Per- manece como desafio principalmente o do ODM – 5: reduzir a mortalidade materna, que precisaria baixar de 64 para 35 óbitos/ 100 mil nascidos vivos até 2015. Sem dúvida que o Brasil foi um dos países que mais contribuiu para o alcance das Metas em âmbito global. Fruto de escolhas de políticas públicas acertadas e da forte participação da sociedade, que se mobilizou pelos ODM em todos os estados do país. O MNCS conseguiu avançar não só nos ODM, mas também na articulação dos três setores, criando uma estrutura organizativa de mobilização permanente e inovadora nos 26 Estados (+ Distrito Federal) e em centenas de municípios do país. O Brasil melhorou nos indicadores e nas metas do
  • 5. ...5 MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS Os ODM têm uma série de virtudes e alguns lim- ites. A agenda Pós-2015 oferece a oportunidade de ressaltar as virtudes e minimizar as debilidades. A primeira virtude é que os ODM conseguiram unir o global ao local. A segunda é que os ODM lograram promover uma união entre o social, ambiental e econômico. Os ODM são uma porta de entrada ao desenvolvimento sustentável.O terceiro ponto é que os ODM possuem objetivos, metas e indicadores claros e precisos. A estrutura é muito boa para o comprometimento dos gestores públicos e especial- mente para otimizar o uso dos recursos financeiros. Uma debilidade dos ODM é que ele foi feito de cima para baixo. Agora está sendo mais de baixo para cima, ouvindo os atores - o que é uma diferença substantiva. Não obstante os avanços conquista- dos, há inúmeros e novos desafios a serem ven- cidos e incorporados na dinâmica de decisão dos ODS. Alguns países desenvolvidos não abraçaram os ODM e não cumpriram suas obrigações em ter- mos de cooperação financeira para viabilizar os ODM nos países em desenvolvimento. Os desafios da mobilidade urbana, entre outros enfrentados pe- los municípios, devem ser incluídos na agenda dos Desafios e oportunidades Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) que queremos ODS. No mesmo sentido, os ODM não conseguiram di- minuir as desigualdades de renda no mundo. Os 1% da população mais rica controla 40% da riqueza mundial, enquanto a metade mais pobre da popu- lação mundial só é dona de 1% da riqueza. No Bra- sil, entre 1990 e 2012, a diferença dos 20% mais pobres com os 20% mais ricos era de 30 vezes e agora caiu para 17. Porém, hoje os 20% mais ricos controlam 57,1% da renda nacional, bem acima dos padrões internacionais. A desigualdade social deve ser colocada como meio e fim estratégico da Agenda Pós-2015. Em tempo de profundas mudanças climáticas que estão trazendo enormes consequências econômi- cas, sociais e ambientais, é mais do que necessário, é imprescindível repensar o modelo de produção e consumo vigente. O planeta não suporta mais o uso intensivo dos recursos naturais insustentáveis. Os ODS precisam indicar concretamente o caminho em direção a um modelo de desenvolvimento sus- tentável, partindo dos consensos estabelecidos en- tre os países na Conferência pelo Desenvolvimento Sustentável ocorrida em 2012, a Rio+ 20. Face à crise econômica e financeira de 2008, os fatores domésticos deverão ter forte influência na agenda prioritária dos países desenvolvidos. Portanto, somente uma forte articulação global da sociedade civil poderá ter efeito interno adicional em cada país para que os governos assumam compromissos globais. A Conferência Rio+20 demonstrou o forte poder de influência da sociedade civil. O MNCS conclama todos os atores sociais e empresariais a reforçarem suas ações e parcerias em prol de ODS que tenham metas e indicadores para diminuir as desigualdades sociais e promovam a inclusão social, a erradicação da pobreza, a promoção da igualdade entre gêneros e racial, a proteção ambiental, a valorização da educação e saúde, a promoção das energias renováveis em direção ao desenvolvimento sustentável.
  • 6. ...6 MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS 1.Acabar com a fome e a extrema pobreza, gar- antindo a segurança alimentar e a boa nutrição 2.Promover a igualdade de gênero, racial e a val- orização das etnias em todos os níveis 3.Proporcionar a educação de qualidade em todos os níveis 4.Garantir uma vida saudável e serviços de saúde para todos 5.Alcançar acesso universal a água, saneamento e moradia de qualidade 6.Assegurar energia sustentável voltada à pro- moção de um novo padrão de produção 7.Criar empregos decentes, modos de vida susten- táveis e crescimento equitativo 8.Promover e viabilizar condições para os municí- pios sustentáveis e para enfrentar às mudanças climáticas, e valorização dos espaços públicos à qualidade de vida 9.Administrar e promover recursos naturais sus- tentáveis e ações no sentido da redução das emis- sões e radiações na atmosfera 10.Garantir boa governança, transparência e insti- tuições eficazes na governança: espaços para a participação social, em especial da juventude 11.Garantir sociedades pacíficas, a redução da violência e dos investimentos em armas 12.Criar um ambiente global favorável ao finan- ciamento para o desenvolvimento sustentável de longo prazo Para esta etapa de negociação dos ODS indicamos Temos a clara noção de que os ODS precisam ser pactuados entre diferentes países. Por isso, sabemos que precisam ser concisos e fortes o suficiente para serem abraçados pelo conjunto da comu- nidade internacional. Precisam também levar em conta diferentes realidades de condições de cada país, ou seja, responsa- bilidades diferentes e compartilhadas entre países. Neste sentido, apresentamos um conjunto de temas para serem incorpora- dos aos ODS em escala global. Após este processo, o Brasil – governo e sociedade - podem e devem ter, adicionalmente, os nossos ODS que reflitam nossas necessi- dades e condições próprias. Acreditamos também que mais cidadania para as pessoas e mais solidariedade são temas permanentes, independente do resultado final das negociações internac- ionais dos ODS. Por isso, o MNCS as- sume o compromisso de dar continuidade à afirmação da cidadania e solidariedade, como essenciais para um mundo mais justo e fraterno para todos. Desde o início, o MNCS compartilhou solidariedade, recur- sos humanos e materiais em prol de uma causa social da maior importância para a sociedade. Construímos um modelo novo e inédito de parceria entre os governos, empresas e sociedade civil, agora, mais do que nunca vamos prosseguir: juntos nós podemos ! A Negociação Internacional na ONU e a Agenda Brasil
  • 7. ...7 MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS Histórico A história do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós Podemos: em fatos marcantes Ano 2000 - “Eliminar a fome e a extrema miséria do planeta até 2015”: desafio assumido na Cúpula do Milênio, em Nova Iorque, por líderes de 191 países Ano 2004: Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade e Campanha Nacional Nós Podemos: 8 jeitos de mudar o mundo Ano 2005: 1ª Edição do Prêmio ODM Brasil . Difusão dos ODM no Brasil Ano 2006: Início do processo de criação dos Núcleos ODM Estaduais - 1º Núcleo: Movimento Nós Podemos Paraná Ano 2007: 2ª Edição do Prêmio ODM Brasil. Disseminação do ODM e organização de núcleos Ano 2008: Disseminação do ODM e organização de núcleos Ano 2009: Portal ODM e Núcleos ODM Estaduais. 3ª Edição do Prêmio ODM Brasil. Ano 2009: 1º Seminário de Planejamento - Definição de 15 macroações . 3ª Edição do Prêmio ODM Brasil. Ano 2010: Assinatura do Memorando de Entendimento com o PNUD (Projeto ODM Brasil 2015) Priori- dade à municipalização dos ODM. Disseminação do ODM e organização de núcleos estaduais e munici- pais. Estabelecimento de parcerias com Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Caixa, Eletrobrás/Furnas, Sesi/PR, Petrobras, Sebrae. Ano 2011: 4ª Edição do Prêmio ODM Brasil. Disseminação do ODM e organização de núcleos Ano 2012: 2º Encontro Nacional. Eleição do Colegiado Nacional. Disseminação do ODM e organização de núcleos estaduais Ano 2013: 5ª Edição do Prêmio ODM Brasil. Termo de Adesão ao MNCS e apoio técnico e financeiro aos Núcleos ODM Estaduais (Projeto ODM Brasil 2015). 3º Encontro Nacional e eleição do Colegiado Nacional. Organização dos Colegiados Estaduais. Discussão sobre a Agenda Pós-2015 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Ano 2014: Municipalização dos ODM. Organização dos Núcleos Estaduais. Planos de Ação Estaduais, capacitação nacional e nas Macrorregiões. Discussão sobre a Agenda Pós-2015 e os Objetivos de De- senvolvimento Sustentável (ODS). Nossa visão O Brasil como referência mundial no alcance dos ODM, com a participação integrada de governos, empresas e sociedade civil. Nossa missão Mobilização e articulação. A participação social articu- lada com os ODM é um fator estratégico para cumprir- mos as metas do milênio.
  • 8. ...8 MNCS – Texto n. 1 sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS