SlideShare uma empresa Scribd logo
1
MOLAS E COXINS DE BORRACHA
PARTE II
CARACTERÍSTICAS DE CONSTRUÇÃO, TIPOS DE
SOLICITAÇÃO E MONTAGEM
2
Conteúdo
Emprego e Vantagens de Molas de Borracha...........................................3
Forma de Obtenção e Fabricação........................................................3
Adesão de Borracha a Substratos...........................................................3
Moldes para Confecção de Molas de Borracha.........................................5
Montagem das Molas de Borracha..........................................................6
Tipos de Solicitação em Molas de Borracha.............................................6
Solicitações Compostas..........................................................................8
3
Emprego e Vantagens de Molas de Borracha
É crescente, a cada ano, a utilização e o emprego de peças de borracha
em suspensão de veículos e apoio de máquinas, principalmente como peças
destinadas a amortecer choques, vibrações e ruídos.
O emprego de Molas e Coxins de Borracha é de certo vantajoso, porque,
uma vez devidamente dimensionadas e dispostas, na montagem, permitem que
se obtenha graus de liberdade em várias direções, o que possibilita uma
perfeita combinação de molejo e amortecimento, sem a necessidade de
utilização de amortecedores adicionais.
Forma de Obtenção e Fabricação
Sendo a borracha facilmente moldável, esta permite ao engenheiro
desenvolver formas geométricas, das mais diversas possíveis nas peças, de
maneira que a mola ou qualquer outro artefato, atenda tanto no formato
quanto no tipo de borracha, a função a que se destina.
Normalmente, um molde de aço que contenha a forma negativa da peça
que se deseja, alimentado com o tipo de borracha definida, submetido à
pressão e temperatura adequada, em uma prensa apropriada, confecciona-se a
peça desejada.
Adesão de Borracha a Substratos
A possibilidade de unir-se diretamente por via química (adesão), da
borracha a outros materiais, tais como: aço, vidro, madeira, etc..., dão origem a
uma grande e notável simplificação na construção de elementos de máquinas
feitas com borracha.
Na construção de molas de borracha, em combinação com partes
metálicas, consegue-se uma união na adesão de valores que chegam até 8,0
Mpa, quando a solicitação é de cisalhamento.
A grande resistência que se consegue na adesão por meio de vulcanização
da borracha a substratos metálicos, possibilita a construção de molas e coxins
4
que admitem grandes solicitações de compressão e cisalhamento,
simultaneamente. Tais substratos metálicos constituem-se de: placas, buchas,
anéis, pinos, parafusos, etc..., conforme ilustrado nas figuras 1a, 1b, 1c e 1d,
nos quais é aderida e vulcanizada a borracha.
Figuras 1a ; 1b; 1c; 1d – Substratos metálicos aderidos e
vulcanizados em conjunto com a borracha.
5
Moldes para Confecção de Molas de Borracha
Quando da confecção de Molas e Coxins de Borracha aderidas ao metal
por meio de vulcanização, devemos sempre ter em conta as observações
abaixo:
a) No projeto de molas de borracha, deve-se observar que a construção
do molde não formem cavidades ou protuberâncias no corpo de trabalho da
mola.
b) Observar a perfeita disposição dos Substratos metálicos que integrarão
a mola, e serão unidos pela vulcanização à borracha, de forma a permitir certa
facilidade ao se extrair a peça do molde.
c) É de boa prática, sempre colocar primeiro o substrato metálico na
cavidade do molde, e em seguida alimentar com borracha para prensagem e
vulcanização; nunca proceder ao contrário.
d) Os substratos metálicos que integrarão a mola de borracha, não
deverão apresentar nenhuma aresta cortante, que venham provocar cortes à
borracha quando deste conjunto em funcionamento.
e) O molde deverá ser projetado e construído de tal forma que, no ato da
prensagem e vulcanização, não penetre borracha nas roscas ou partes que
comprometa a desmoldagem da peça pronta.
f) No projeto de uma Mola ou Coxim de Borracha, não se deve impedir a
contração natural que ocorre no resfriamento da peça após vulcanização, pois,
caso contrário, podem ocorrer elevadas tensões internas, que comprometam o
bom desempenho da mola ou coxim em seu funcionamento.
6
Montagem das Molas de Borracha
Como a borracha é praticamente incompressível, o volume físico
pertencente à mola, deverá ter espaço livre para movimentar-se, pois, caso
contrário, se esta for limitada de seus movimentos em todos os lados,
praticamente atuará como corpo rígido perdendo assim completamente a
função a que se destina; ver fig. 2 a e 2 b, abaixo.
Tipos de Solicitação em Molas de Borracha
Geralmente as molas e coxins de borracha são mais empregadas quando
as solicitações são de compreensão, torção e cisalhamento, ver figuras 3 a , 3 b
e 3 c, abaixo.
7
Solicitação de tração em molas de borracha, raramente acontecem,
somente em casos extremamente especiais, e de menor responsabilidade
técnica, nesses casos usa-se normalmente cordões trançados de borracha.
8
Solicitações Compostas
É muito comum, em molas e coxins de borracha, acontecerem em
montagem, diversos tipos de solicitações simultaneamente, por exemplo,
solicitação de compressão e torção, ao mesmo tempo; chamamos a este
fenômeno de solicitações compostas, ver fig. 4.
Geralmente as solicitações componentes de uma solicitação composta,
apresentam valores distintos de tensão na borracha, onde, é comum e de boa
prática, o Tecnologista de Borracha e o Engenheiro da mola, partir sempre o
dimensionamento pela carga solicitante de maior intensidade, seja a que mais
severamente atuará sobre o conjunto.
Toda tensão de solicitação aplicada à mola ou coxim de borracha,
corresponderá a curvas características diferentes, estas dependem das
variações da secção transversal da mola, das resistências opostas às
deformações pelo atrito ou pelas fixações da borracha ao substrato (adesão e
vulcanização).
As curvas características correspondentes ao descarregamento da tensão
aplicada, apresentam menores ordenadas, que as correspondente ao
9
carregamento, isto se dá devido aos atritos internos das moléculas da borracha,
e à diferença de energia é chamada de HISTERESE, veremos adiante.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Neoprene
NeopreneNeoprene
Neoprene
Borrachas
 
Vulcanização
VulcanizaçãoVulcanização
Vulcanização
Borrachas
 
Moldagem de borracha
Moldagem de borrachaMoldagem de borracha
Moldagem de borracha
Borrachas
 
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borrachaTabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
Borrachas
 
Borrachas nitrílicas
Borrachas nitrílicasBorrachas nitrílicas
Borrachas nitrílicas
Borrachas
 
Tabela comparativa entre algumas propriedades de diversos tipos de borrachas
Tabela comparativa entre algumas propriedades de diversos tipos de borrachasTabela comparativa entre algumas propriedades de diversos tipos de borrachas
Tabela comparativa entre algumas propriedades de diversos tipos de borrachas
Borrachas
 
11 mistura em banbury
11   mistura em banbury11   mistura em banbury
11 mistura em banbury
Borrachas
 
Borrachas de estireno
Borrachas de estirenoBorrachas de estireno
Borrachas de estireno
Borrachas
 
Aceleradores para a indústria da borracha
Aceleradores para a indústria da borrachaAceleradores para a indústria da borracha
Aceleradores para a indústria da borracha
Borrachas
 
Curso de Tecnologia da Borracha
Curso de Tecnologia da BorrachaCurso de Tecnologia da Borracha
Curso de Tecnologia da Borracha
CENNE
 
Aditivos anti-degradantes para compostos elastoméricos
Aditivos anti-degradantes para compostos elastoméricosAditivos anti-degradantes para compostos elastoméricos
Aditivos anti-degradantes para compostos elastoméricos
Borrachas
 
Eficiencia acoplamento silano
Eficiencia acoplamento silanoEficiencia acoplamento silano
Eficiencia acoplamento silano
Borrachas
 
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 1
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 1Auxiliares no processamento da borracha - Parte 1
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 1
Borrachas
 
Borrachas de silicone
Borrachas de siliconeBorrachas de silicone
Borrachas de silicone
Borrachas
 
Borracha de polietileno cloro sulfonado - Hypalon
Borracha de polietileno cloro sulfonado - HypalonBorracha de polietileno cloro sulfonado - Hypalon
Borracha de polietileno cloro sulfonado - Hypalon
Borrachas
 
Introdução aos artefatos de borracha
Introdução aos artefatos de borrachaIntrodução aos artefatos de borracha
Introdução aos artefatos de borracha
Borrachas
 
Performance
PerformancePerformance
Performance
Borrachas
 
Cargas aplicadas à indústria da borracha
Cargas aplicadas à indústria da borrachaCargas aplicadas à indústria da borracha
Cargas aplicadas à indústria da borracha
Borrachas
 
Elastomeros alta performance
Elastomeros alta performanceElastomeros alta performance
Elastomeros alta performance
Borrachas
 
Materiais e Design - Compósitos e Processos.
Materiais e Design - Compósitos e Processos.Materiais e Design - Compósitos e Processos.
Materiais e Design - Compósitos e Processos.
HUMBERTO COSTA
 

Mais procurados (20)

Neoprene
NeopreneNeoprene
Neoprene
 
Vulcanização
VulcanizaçãoVulcanização
Vulcanização
 
Moldagem de borracha
Moldagem de borrachaMoldagem de borracha
Moldagem de borracha
 
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borrachaTabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
Tabelas de ingredientes diversos para compostos de borracha
 
Borrachas nitrílicas
Borrachas nitrílicasBorrachas nitrílicas
Borrachas nitrílicas
 
Tabela comparativa entre algumas propriedades de diversos tipos de borrachas
Tabela comparativa entre algumas propriedades de diversos tipos de borrachasTabela comparativa entre algumas propriedades de diversos tipos de borrachas
Tabela comparativa entre algumas propriedades de diversos tipos de borrachas
 
11 mistura em banbury
11   mistura em banbury11   mistura em banbury
11 mistura em banbury
 
Borrachas de estireno
Borrachas de estirenoBorrachas de estireno
Borrachas de estireno
 
Aceleradores para a indústria da borracha
Aceleradores para a indústria da borrachaAceleradores para a indústria da borracha
Aceleradores para a indústria da borracha
 
Curso de Tecnologia da Borracha
Curso de Tecnologia da BorrachaCurso de Tecnologia da Borracha
Curso de Tecnologia da Borracha
 
Aditivos anti-degradantes para compostos elastoméricos
Aditivos anti-degradantes para compostos elastoméricosAditivos anti-degradantes para compostos elastoméricos
Aditivos anti-degradantes para compostos elastoméricos
 
Eficiencia acoplamento silano
Eficiencia acoplamento silanoEficiencia acoplamento silano
Eficiencia acoplamento silano
 
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 1
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 1Auxiliares no processamento da borracha - Parte 1
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 1
 
Borrachas de silicone
Borrachas de siliconeBorrachas de silicone
Borrachas de silicone
 
Borracha de polietileno cloro sulfonado - Hypalon
Borracha de polietileno cloro sulfonado - HypalonBorracha de polietileno cloro sulfonado - Hypalon
Borracha de polietileno cloro sulfonado - Hypalon
 
Introdução aos artefatos de borracha
Introdução aos artefatos de borrachaIntrodução aos artefatos de borracha
Introdução aos artefatos de borracha
 
Performance
PerformancePerformance
Performance
 
Cargas aplicadas à indústria da borracha
Cargas aplicadas à indústria da borrachaCargas aplicadas à indústria da borracha
Cargas aplicadas à indústria da borracha
 
Elastomeros alta performance
Elastomeros alta performanceElastomeros alta performance
Elastomeros alta performance
 
Materiais e Design - Compósitos e Processos.
Materiais e Design - Compósitos e Processos.Materiais e Design - Compósitos e Processos.
Materiais e Design - Compósitos e Processos.
 

Destaque

Molas coxins - Dimensionamento Estático
Molas coxins - Dimensionamento EstáticoMolas coxins - Dimensionamento Estático
Molas coxins - Dimensionamento Estático
Borrachas
 
Copolímeros butadieno acrilonitrila - NBR
Copolímeros butadieno acrilonitrila - NBRCopolímeros butadieno acrilonitrila - NBR
Copolímeros butadieno acrilonitrila - NBR
Borrachas
 
Agentes anti-degradantes
Agentes anti-degradantesAgentes anti-degradantes
Agentes anti-degradantes
Borrachas
 
Borracha de polibutadieno
Borracha de polibutadienoBorracha de polibutadieno
Borracha de polibutadieno
Borrachas
 
Policloropreno
PolicloroprenoPolicloropreno
Policloropreno
Borrachas
 
Borrachas etileno propileno
Borrachas etileno propilenoBorrachas etileno propileno
Borrachas etileno propileno
Borrachas
 
Molas coxins - Dimensionamento dinâmico
Molas coxins - Dimensionamento dinâmicoMolas coxins - Dimensionamento dinâmico
Molas coxins - Dimensionamento dinâmico
Borrachas
 
Custos e preço de vendas na indústria de artefatos de borracha
Custos e preço de vendas na indústria de artefatos de borrachaCustos e preço de vendas na indústria de artefatos de borracha
Custos e preço de vendas na indústria de artefatos de borracha
Borrachas
 
Guia de resistência química de alguns tipos de borrachas
Guia de resistência química de alguns tipos de borrachasGuia de resistência química de alguns tipos de borrachas
Guia de resistência química de alguns tipos de borrachas
Borrachas
 
Molas coxins - Cálculos
Molas coxins - CálculosMolas coxins - Cálculos
Molas coxins - Cálculos
Borrachas
 
Tabela de abreviaturas para compostos de plásticos e borrachas
Tabela de abreviaturas para compostos de plásticos e borrachasTabela de abreviaturas para compostos de plásticos e borrachas
Tabela de abreviaturas para compostos de plásticos e borrachas
Borrachas
 
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 2
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 2Auxiliares no processamento da borracha - Parte 2
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 2
Borrachas
 

Destaque (12)

Molas coxins - Dimensionamento Estático
Molas coxins - Dimensionamento EstáticoMolas coxins - Dimensionamento Estático
Molas coxins - Dimensionamento Estático
 
Copolímeros butadieno acrilonitrila - NBR
Copolímeros butadieno acrilonitrila - NBRCopolímeros butadieno acrilonitrila - NBR
Copolímeros butadieno acrilonitrila - NBR
 
Agentes anti-degradantes
Agentes anti-degradantesAgentes anti-degradantes
Agentes anti-degradantes
 
Borracha de polibutadieno
Borracha de polibutadienoBorracha de polibutadieno
Borracha de polibutadieno
 
Policloropreno
PolicloroprenoPolicloropreno
Policloropreno
 
Borrachas etileno propileno
Borrachas etileno propilenoBorrachas etileno propileno
Borrachas etileno propileno
 
Molas coxins - Dimensionamento dinâmico
Molas coxins - Dimensionamento dinâmicoMolas coxins - Dimensionamento dinâmico
Molas coxins - Dimensionamento dinâmico
 
Custos e preço de vendas na indústria de artefatos de borracha
Custos e preço de vendas na indústria de artefatos de borrachaCustos e preço de vendas na indústria de artefatos de borracha
Custos e preço de vendas na indústria de artefatos de borracha
 
Guia de resistência química de alguns tipos de borrachas
Guia de resistência química de alguns tipos de borrachasGuia de resistência química de alguns tipos de borrachas
Guia de resistência química de alguns tipos de borrachas
 
Molas coxins - Cálculos
Molas coxins - CálculosMolas coxins - Cálculos
Molas coxins - Cálculos
 
Tabela de abreviaturas para compostos de plásticos e borrachas
Tabela de abreviaturas para compostos de plásticos e borrachasTabela de abreviaturas para compostos de plásticos e borrachas
Tabela de abreviaturas para compostos de plásticos e borrachas
 
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 2
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 2Auxiliares no processamento da borracha - Parte 2
Auxiliares no processamento da borracha - Parte 2
 

Semelhante a Molas coxins

Trabalho fundição
Trabalho fundiçãoTrabalho fundição
Trabalho fundição
Miguel Roel
 
Estrutura de concreto armado imprimir
Estrutura de concreto armado   imprimirEstrutura de concreto armado   imprimir
Estrutura de concreto armado imprimir
Book LOver Writer
 
Verdade sobre-pneus 3-fabricacao
Verdade sobre-pneus 3-fabricacaoVerdade sobre-pneus 3-fabricacao
Verdade sobre-pneus 3-fabricacao
Fabricio Santos Ferreira
 
2404 5813-2-pb
2404 5813-2-pb2404 5813-2-pb
2404 5813-2-pb
Noel Felix Melo
 
Analise de fratura (1)
Analise de fratura (1)Analise de fratura (1)
Analise de fratura (1)
Douglas Birkheuer
 
Apostila engenharia civil concreto armado recomendacoes
Apostila engenharia civil concreto armado recomendacoesApostila engenharia civil concreto armado recomendacoes
Apostila engenharia civil concreto armado recomendacoes
Edson D. Vizentin
 
Tecnologia de Mecânica III Aula04.pdf
Tecnologia de Mecânica III    Aula04.pdfTecnologia de Mecânica III    Aula04.pdf
Tecnologia de Mecânica III Aula04.pdf
mini1275e
 
Almofadas de apoio
Almofadas de apoioAlmofadas de apoio
Almofadas de apoio
Borrachas
 
apostiladeestrut.pdf
apostiladeestrut.pdfapostiladeestrut.pdf
apostiladeestrut.pdf
edlucenajp
 
Redutor parafuso sem fim
Redutor parafuso sem fimRedutor parafuso sem fim
Redutor parafuso sem fim
Fa_Cris
 
Redutor parafuso sem fim
Redutor parafuso sem fimRedutor parafuso sem fim
Redutor parafuso sem fim
Fa_Cris
 
Prova engenharia cespe
Prova engenharia cespeProva engenharia cespe
Prova engenharia cespe
CCBRJ
 
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de ConcretoMetodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
Edgar Pereira Filho
 
Ancoragem e Emenda de Armaduras
Ancoragem e Emenda de ArmadurasAncoragem e Emenda de Armaduras
Ancoragem e Emenda de Armaduras
GCL PORTAL
 
Apostila usinagem parte1
Apostila usinagem parte1Apostila usinagem parte1
Apostila usinagem parte1
Juliana Souza
 
Apostila usinagem parte1
Apostila usinagem parte1Apostila usinagem parte1
Apostila usinagem parte1
Guilherme Bezzon
 
Caracteristicas do Processo de Fundição
Caracteristicas do Processo de FundiçãoCaracteristicas do Processo de Fundição
Caracteristicas do Processo de Fundição
Franklin Arisson Rodrigues dos Santos
 
Forjamento
ForjamentoForjamento
Forjamento
IgorSeignemartin
 
02 fundição
02 fundição02 fundição
02 fundição
MATANO STONES BRAZIL
 
Tipos de concreto
Tipos de concretoTipos de concreto
Tipos de concreto
profNICODEMOS
 

Semelhante a Molas coxins (20)

Trabalho fundição
Trabalho fundiçãoTrabalho fundição
Trabalho fundição
 
Estrutura de concreto armado imprimir
Estrutura de concreto armado   imprimirEstrutura de concreto armado   imprimir
Estrutura de concreto armado imprimir
 
Verdade sobre-pneus 3-fabricacao
Verdade sobre-pneus 3-fabricacaoVerdade sobre-pneus 3-fabricacao
Verdade sobre-pneus 3-fabricacao
 
2404 5813-2-pb
2404 5813-2-pb2404 5813-2-pb
2404 5813-2-pb
 
Analise de fratura (1)
Analise de fratura (1)Analise de fratura (1)
Analise de fratura (1)
 
Apostila engenharia civil concreto armado recomendacoes
Apostila engenharia civil concreto armado recomendacoesApostila engenharia civil concreto armado recomendacoes
Apostila engenharia civil concreto armado recomendacoes
 
Tecnologia de Mecânica III Aula04.pdf
Tecnologia de Mecânica III    Aula04.pdfTecnologia de Mecânica III    Aula04.pdf
Tecnologia de Mecânica III Aula04.pdf
 
Almofadas de apoio
Almofadas de apoioAlmofadas de apoio
Almofadas de apoio
 
apostiladeestrut.pdf
apostiladeestrut.pdfapostiladeestrut.pdf
apostiladeestrut.pdf
 
Redutor parafuso sem fim
Redutor parafuso sem fimRedutor parafuso sem fim
Redutor parafuso sem fim
 
Redutor parafuso sem fim
Redutor parafuso sem fimRedutor parafuso sem fim
Redutor parafuso sem fim
 
Prova engenharia cespe
Prova engenharia cespeProva engenharia cespe
Prova engenharia cespe
 
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de ConcretoMetodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
 
Ancoragem e Emenda de Armaduras
Ancoragem e Emenda de ArmadurasAncoragem e Emenda de Armaduras
Ancoragem e Emenda de Armaduras
 
Apostila usinagem parte1
Apostila usinagem parte1Apostila usinagem parte1
Apostila usinagem parte1
 
Apostila usinagem parte1
Apostila usinagem parte1Apostila usinagem parte1
Apostila usinagem parte1
 
Caracteristicas do Processo de Fundição
Caracteristicas do Processo de FundiçãoCaracteristicas do Processo de Fundição
Caracteristicas do Processo de Fundição
 
Forjamento
ForjamentoForjamento
Forjamento
 
02 fundição
02 fundição02 fundição
02 fundição
 
Tipos de concreto
Tipos de concretoTipos de concreto
Tipos de concreto
 

Mais de Borrachas

Polietileno
PolietilenoPolietileno
Polietileno
Borrachas
 
Hidrolise
HidroliseHidrolise
Hidrolise
Borrachas
 
tratamento de cargas inorgânicas
tratamento de cargas inorgânicastratamento de cargas inorgânicas
tratamento de cargas inorgânicas
Borrachas
 
09 iniciador para poliolefinas
09   iniciador para poliolefinas09   iniciador para poliolefinas
09 iniciador para poliolefinas
Borrachas
 
08 escolha da borracha
08   escolha da borracha08   escolha da borracha
08 escolha da borracha
Borrachas
 
07 normas astm d 2000
07   normas astm d 200007   normas astm d 2000
07 normas astm d 2000
Borrachas
 
Introdução aos Polietilenos Reticulados – “XLPEs”
Introdução aos Polietilenos Reticulados – “XLPEs”Introdução aos Polietilenos Reticulados – “XLPEs”
Introdução aos Polietilenos Reticulados – “XLPEs”
Borrachas
 
Modificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
Modificação de Polipropileno com Peróxidos OrgânicosModificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
Modificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
Borrachas
 
XLPE em condutores elétricos
XLPE em condutores elétricosXLPE em condutores elétricos
XLPE em condutores elétricos
Borrachas
 
COMPOSTOS POLIMÉRICOS CONTENDO CARGAS INORGÂNICAS
COMPOSTOS POLIMÉRICOS CONTENDO CARGAS INORGÂNICASCOMPOSTOS POLIMÉRICOS CONTENDO CARGAS INORGÂNICAS
COMPOSTOS POLIMÉRICOS CONTENDO CARGAS INORGÂNICAS
Borrachas
 
Reciclagem da borracha
Reciclagem da borrachaReciclagem da borracha
Reciclagem da borracha
Borrachas
 
Correias transportadoras - Parte 4
Correias transportadoras - Parte 4Correias transportadoras - Parte 4
Correias transportadoras - Parte 4
Borrachas
 
Correias transportadoras - Parte 3
Correias transportadoras - Parte 3Correias transportadoras - Parte 3
Correias transportadoras - Parte 3
Borrachas
 
Correias transportadoras - Parte 2
Correias transportadoras - Parte 2Correias transportadoras - Parte 2
Correias transportadoras - Parte 2
Borrachas
 

Mais de Borrachas (14)

Polietileno
PolietilenoPolietileno
Polietileno
 
Hidrolise
HidroliseHidrolise
Hidrolise
 
tratamento de cargas inorgânicas
tratamento de cargas inorgânicastratamento de cargas inorgânicas
tratamento de cargas inorgânicas
 
09 iniciador para poliolefinas
09   iniciador para poliolefinas09   iniciador para poliolefinas
09 iniciador para poliolefinas
 
08 escolha da borracha
08   escolha da borracha08   escolha da borracha
08 escolha da borracha
 
07 normas astm d 2000
07   normas astm d 200007   normas astm d 2000
07 normas astm d 2000
 
Introdução aos Polietilenos Reticulados – “XLPEs”
Introdução aos Polietilenos Reticulados – “XLPEs”Introdução aos Polietilenos Reticulados – “XLPEs”
Introdução aos Polietilenos Reticulados – “XLPEs”
 
Modificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
Modificação de Polipropileno com Peróxidos OrgânicosModificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
Modificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
 
XLPE em condutores elétricos
XLPE em condutores elétricosXLPE em condutores elétricos
XLPE em condutores elétricos
 
COMPOSTOS POLIMÉRICOS CONTENDO CARGAS INORGÂNICAS
COMPOSTOS POLIMÉRICOS CONTENDO CARGAS INORGÂNICASCOMPOSTOS POLIMÉRICOS CONTENDO CARGAS INORGÂNICAS
COMPOSTOS POLIMÉRICOS CONTENDO CARGAS INORGÂNICAS
 
Reciclagem da borracha
Reciclagem da borrachaReciclagem da borracha
Reciclagem da borracha
 
Correias transportadoras - Parte 4
Correias transportadoras - Parte 4Correias transportadoras - Parte 4
Correias transportadoras - Parte 4
 
Correias transportadoras - Parte 3
Correias transportadoras - Parte 3Correias transportadoras - Parte 3
Correias transportadoras - Parte 3
 
Correias transportadoras - Parte 2
Correias transportadoras - Parte 2Correias transportadoras - Parte 2
Correias transportadoras - Parte 2
 

Molas coxins

  • 1. 1 MOLAS E COXINS DE BORRACHA PARTE II CARACTERÍSTICAS DE CONSTRUÇÃO, TIPOS DE SOLICITAÇÃO E MONTAGEM
  • 2. 2 Conteúdo Emprego e Vantagens de Molas de Borracha...........................................3 Forma de Obtenção e Fabricação........................................................3 Adesão de Borracha a Substratos...........................................................3 Moldes para Confecção de Molas de Borracha.........................................5 Montagem das Molas de Borracha..........................................................6 Tipos de Solicitação em Molas de Borracha.............................................6 Solicitações Compostas..........................................................................8
  • 3. 3 Emprego e Vantagens de Molas de Borracha É crescente, a cada ano, a utilização e o emprego de peças de borracha em suspensão de veículos e apoio de máquinas, principalmente como peças destinadas a amortecer choques, vibrações e ruídos. O emprego de Molas e Coxins de Borracha é de certo vantajoso, porque, uma vez devidamente dimensionadas e dispostas, na montagem, permitem que se obtenha graus de liberdade em várias direções, o que possibilita uma perfeita combinação de molejo e amortecimento, sem a necessidade de utilização de amortecedores adicionais. Forma de Obtenção e Fabricação Sendo a borracha facilmente moldável, esta permite ao engenheiro desenvolver formas geométricas, das mais diversas possíveis nas peças, de maneira que a mola ou qualquer outro artefato, atenda tanto no formato quanto no tipo de borracha, a função a que se destina. Normalmente, um molde de aço que contenha a forma negativa da peça que se deseja, alimentado com o tipo de borracha definida, submetido à pressão e temperatura adequada, em uma prensa apropriada, confecciona-se a peça desejada. Adesão de Borracha a Substratos A possibilidade de unir-se diretamente por via química (adesão), da borracha a outros materiais, tais como: aço, vidro, madeira, etc..., dão origem a uma grande e notável simplificação na construção de elementos de máquinas feitas com borracha. Na construção de molas de borracha, em combinação com partes metálicas, consegue-se uma união na adesão de valores que chegam até 8,0 Mpa, quando a solicitação é de cisalhamento. A grande resistência que se consegue na adesão por meio de vulcanização da borracha a substratos metálicos, possibilita a construção de molas e coxins
  • 4. 4 que admitem grandes solicitações de compressão e cisalhamento, simultaneamente. Tais substratos metálicos constituem-se de: placas, buchas, anéis, pinos, parafusos, etc..., conforme ilustrado nas figuras 1a, 1b, 1c e 1d, nos quais é aderida e vulcanizada a borracha. Figuras 1a ; 1b; 1c; 1d – Substratos metálicos aderidos e vulcanizados em conjunto com a borracha.
  • 5. 5 Moldes para Confecção de Molas de Borracha Quando da confecção de Molas e Coxins de Borracha aderidas ao metal por meio de vulcanização, devemos sempre ter em conta as observações abaixo: a) No projeto de molas de borracha, deve-se observar que a construção do molde não formem cavidades ou protuberâncias no corpo de trabalho da mola. b) Observar a perfeita disposição dos Substratos metálicos que integrarão a mola, e serão unidos pela vulcanização à borracha, de forma a permitir certa facilidade ao se extrair a peça do molde. c) É de boa prática, sempre colocar primeiro o substrato metálico na cavidade do molde, e em seguida alimentar com borracha para prensagem e vulcanização; nunca proceder ao contrário. d) Os substratos metálicos que integrarão a mola de borracha, não deverão apresentar nenhuma aresta cortante, que venham provocar cortes à borracha quando deste conjunto em funcionamento. e) O molde deverá ser projetado e construído de tal forma que, no ato da prensagem e vulcanização, não penetre borracha nas roscas ou partes que comprometa a desmoldagem da peça pronta. f) No projeto de uma Mola ou Coxim de Borracha, não se deve impedir a contração natural que ocorre no resfriamento da peça após vulcanização, pois, caso contrário, podem ocorrer elevadas tensões internas, que comprometam o bom desempenho da mola ou coxim em seu funcionamento.
  • 6. 6 Montagem das Molas de Borracha Como a borracha é praticamente incompressível, o volume físico pertencente à mola, deverá ter espaço livre para movimentar-se, pois, caso contrário, se esta for limitada de seus movimentos em todos os lados, praticamente atuará como corpo rígido perdendo assim completamente a função a que se destina; ver fig. 2 a e 2 b, abaixo. Tipos de Solicitação em Molas de Borracha Geralmente as molas e coxins de borracha são mais empregadas quando as solicitações são de compreensão, torção e cisalhamento, ver figuras 3 a , 3 b e 3 c, abaixo.
  • 7. 7 Solicitação de tração em molas de borracha, raramente acontecem, somente em casos extremamente especiais, e de menor responsabilidade técnica, nesses casos usa-se normalmente cordões trançados de borracha.
  • 8. 8 Solicitações Compostas É muito comum, em molas e coxins de borracha, acontecerem em montagem, diversos tipos de solicitações simultaneamente, por exemplo, solicitação de compressão e torção, ao mesmo tempo; chamamos a este fenômeno de solicitações compostas, ver fig. 4. Geralmente as solicitações componentes de uma solicitação composta, apresentam valores distintos de tensão na borracha, onde, é comum e de boa prática, o Tecnologista de Borracha e o Engenheiro da mola, partir sempre o dimensionamento pela carga solicitante de maior intensidade, seja a que mais severamente atuará sobre o conjunto. Toda tensão de solicitação aplicada à mola ou coxim de borracha, corresponderá a curvas características diferentes, estas dependem das variações da secção transversal da mola, das resistências opostas às deformações pelo atrito ou pelas fixações da borracha ao substrato (adesão e vulcanização). As curvas características correspondentes ao descarregamento da tensão aplicada, apresentam menores ordenadas, que as correspondente ao
  • 9. 9 carregamento, isto se dá devido aos atritos internos das moléculas da borracha, e à diferença de energia é chamada de HISTERESE, veremos adiante.