SlideShare uma empresa Scribd logo
Síntese da Malveína (Corantes)
Síntese da Malveína (Corantes)
Em 1856, o jovem químico inglês William Henry Perkin, que
era assistente do famoso químico alemão August Wilhelm von
Hofmann, assistiu a uma palestra de Hofmann na qual ele
comentava como seria importante sintetizar o quinino, uma vez que
essa droga (a única capaz de combater a malária) tinha de ser
extraída da casca da quina, que crescia nas índias Orientais.
A partir de 1865, depois que Kekulé desvendou a estrutura do
benzeno, houve um rápido desenvolvimento na indústria de
corantes.

A Grã-Bretanha deteve por algum tempo a iniciativa mundial
no campo de corantes, situação que se modificou quando a
Alemanha, por volta de 1915, alcançou 87% da produção mundial.
Até cerca de 1850, todos os corantes
alimentícios provinham de fontes naturais, como
cenoura (corante laranja), beterraba (vermelho), casca
de uva escura (preto), ácido carmínico (vermelho),
açafrão (ocre); caramelo ou açúcar queimado (marrom)
etc.
Vale destacar também que em 1897 já eram
fabricados inúmeros corantes sintéticos, que passaram
a ser utilizados também pela indústria alimentícia.
Atualmente a Comunidade Econômica Europeia
autoriza 11 corantes sintéticos para alimentos,
principalmente em função das vantagens que
apresentam em relação aos naturais.
Em geral, os corantes naturais são sensíveis à
luz, ao calor, ao oxigênio ou à ação de bactérias, ou
seja, não são estáveis.
Os sintéticos são mais estáveis, têm durabilidade
maior e propiciam cores mais intensas.
A exploração da cor nunca
esteve tão evidente como nos dias de
hoje, e muitas indústrias são agora
direta ou indiretamente dependentes da
disponibilidade de corantes artificiais.
As indústrias fabricantes e as
usuárias
de
corantes
contribuem
grandemente para a economia de
qualquer país industrializado.
Do ponto de vista comercial,
considerável interesse vem sendo
demonstrado na avaliação teórica e
empírica das relações entre cor e
estrutura molecular. Este interesse tem
sido acentuado por áreas em expansão
onde as cores e os corantes agora
adentram, e as relações cor-estrutura
são valiosas mesmo para cientistas
trabalhando em áreas aparentemente
não relacionadas.
Corantes vat: é um composto azul altamente insolúvel e vastamente
conhecido desde a antiguidade. Possuía um preço tão elevado, que apenas
a realeza podia compra-lo!
Corantes diretos: podem ser aplicados, em solução aquosa, diretamente
sobre as fibras. Este processo é especialmente aplicável à lã e à seda. Estas
fibras são constituídas por proteínas, que possuem tanto grupos ácidos
como básicos que combinam com corantes básicos e ácidos,
respectivamente. Um exemplo é a malva, o corante que iniciou a síntese
industrial de corantes - então conhecido como malveína, mas que
atualmente não é mais utilizado.

Corantes dispersos: apresentam limitações importantes - freqüentemente
não apresentam resistência à lavagem (fastness), tendem a sublimar e
estão sujeitos a desaparecer com NO2 ou ozônio atmosférico, uma condição
conhecida como branqueamento gasoso.
Corantes azo: constituem a classe mais importante de substâncias que
promovem cor. A versatilidade desta classe deve-se grandemente à
facilidade com que os compostos azo podem ser sintetizados, e de fato
quase todas as aminas aromáticas diazotizadas podem ser acopladas com
qualquer sistema nucleofílico insaturado para fornecer o produto azo
colorido.
Corantes trifenilmetilênicos: são derivados do cátion trifenilmetílico. São
corantes
básicos
para
lã,
seda
ou
algodão,
quando
são
utilizados mordentes adequados.
- Mordentes são metais de transição que possuem capacidade de se complexar com
grupos característicos presentes nas estruturas das fibras, facilitando ou
possibilitando a fixação dos corantes.

Ftalocianinas: são utilizadas como pigmentos ao invés de corantes
propriamente ditos. Um membro importante desta classe é a ftalocianina
de cobre, um pigmento azul brilhante que pode ser preparado pelo
aquecimento de ftalonitrila com íons cobre.
“Os corantes são substâncias
que alteram ou intensificam as cores
dos alimentos e ouros produtos para
melhorar seu aspecto e sua aceitação
junto ao consumidor. Um refrigerante
sabor laranja sem o corante ficaria
com a aparência de água com gás,
dificultando sua aceitação, pois
primeiro comemos com os olhos”
Síntese da Malveína (Corantes)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
emanuel
 
teoria evolucionista Darwin e Lamarck
teoria evolucionista Darwin e Lamarckteoria evolucionista Darwin e Lamarck
teoria evolucionista Darwin e Lamarck
Darlla Sb
 
Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)
Bio
 
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
Luiz Lázaro Leal de Albuquerque
 
Eutrofização
EutrofizaçãoEutrofização
Eutrofização
geografianaserpapinto
 
Composto organico
Composto organicoComposto organico
Composto organico
João Siqueira da Mata
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
Ajudar Pessoas
 
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Mari Rodrigues
 
Aula sobre células
Aula sobre célulasAula sobre células
Aula sobre células
cienciasdinamica
 
Herança Quantitativa
Herança QuantitativaHerança Quantitativa
Herança Quantitativa
Rodrigo Vianna
 
Petróleo
PetróleoPetróleo
Petróleo
Felipe Dias
 
Trabalhando com a química dos sabões e detergentes
Trabalhando  com a  química dos sabões  e detergentesTrabalhando  com a  química dos sabões  e detergentes
Trabalhando com a química dos sabões e detergentes
Adrianne Mendonça
 
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
Nataliana Cabral
 
Quimica polimeros
Quimica polimerosQuimica polimeros
Quimica polimeros
alexcueio
 
IV.1 O ar - Composição e Propriedades
IV.1 O ar - Composição e PropriedadesIV.1 O ar - Composição e Propriedades
IV.1 O ar - Composição e Propriedades
Rebeca Vale
 
Revisão Metabolismo Energetico Questoes abertas 1
Revisão Metabolismo Energetico Questoes abertas 1Revisão Metabolismo Energetico Questoes abertas 1
Revisão Metabolismo Energetico Questoes abertas 1
Fabio Magalhães
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Ronaldo Santana
 
Albinismo 2
Albinismo 2Albinismo 2
Albinismo 2
tiafer96
 
Polímeros
PolímerosPolímeros

Mais procurados (20)

Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
 
teoria evolucionista Darwin e Lamarck
teoria evolucionista Darwin e Lamarckteoria evolucionista Darwin e Lamarck
teoria evolucionista Darwin e Lamarck
 
Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)
 
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
 
Eutrofização
EutrofizaçãoEutrofização
Eutrofização
 
Composto organico
Composto organicoComposto organico
Composto organico
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
 
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
 
Aula sobre células
Aula sobre célulasAula sobre células
Aula sobre células
 
Herança Quantitativa
Herança QuantitativaHerança Quantitativa
Herança Quantitativa
 
Petróleo
PetróleoPetróleo
Petróleo
 
Trabalhando com a química dos sabões e detergentes
Trabalhando  com a  química dos sabões  e detergentesTrabalhando  com a  química dos sabões  e detergentes
Trabalhando com a química dos sabões e detergentes
 
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
 
Quimica polimeros
Quimica polimerosQuimica polimeros
Quimica polimeros
 
IV.1 O ar - Composição e Propriedades
IV.1 O ar - Composição e PropriedadesIV.1 O ar - Composição e Propriedades
IV.1 O ar - Composição e Propriedades
 
Revisão Metabolismo Energetico Questoes abertas 1
Revisão Metabolismo Energetico Questoes abertas 1Revisão Metabolismo Energetico Questoes abertas 1
Revisão Metabolismo Energetico Questoes abertas 1
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
 
Albinismo 2
Albinismo 2Albinismo 2
Albinismo 2
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 

Destaque

Corantes
CorantesCorantes
Corantes
Alberto Rocha
 
Sangue curiosidades
Sangue curiosidadesSangue curiosidades
Sangue curiosidades
Manuel Carrola
 
Slides corantes
Slides  corantes  Slides  corantes
Slides corantes
val_kiria_quimica
 
Pigmentos
PigmentosPigmentos
Pigmentos
Ricardo Stefani
 
Tecido Sanguineo
Tecido SanguineoTecido Sanguineo
Tecido Sanguineo
rdsantos
 
Aditivos Quimicos
Aditivos QuimicosAditivos Quimicos
Aditivos Quimicos
Isabel Vitória
 
Aditivos quimicos
Aditivos quimicosAditivos quimicos
Aditivos quimicos
pamelarayelle
 
Aula de Pintura
Aula de PinturaAula de Pintura
Aula de Pintura
pibidchampagnat
 
Bioquímica dos alimentos aula 1 conservantes
Bioquímica dos alimentos aula 1 conservantesBioquímica dos alimentos aula 1 conservantes
Bioquímica dos alimentos aula 1 conservantes
joelbadboy
 
O que são produtos industrializados
O que são produtos industrializadosO que são produtos industrializados
O que são produtos industrializados
Janaina Lombardi Nascimento Nunes
 
Consumo de alimentos industrializados
Consumo de alimentos industrializadosConsumo de alimentos industrializados
Consumo de alimentos industrializados
Luanna Delfino
 
Alimentos industrializados
Alimentos industrializadosAlimentos industrializados
Alimentos industrializados
Valeria Yesenia
 

Destaque (12)

Corantes
CorantesCorantes
Corantes
 
Sangue curiosidades
Sangue curiosidadesSangue curiosidades
Sangue curiosidades
 
Slides corantes
Slides  corantes  Slides  corantes
Slides corantes
 
Pigmentos
PigmentosPigmentos
Pigmentos
 
Tecido Sanguineo
Tecido SanguineoTecido Sanguineo
Tecido Sanguineo
 
Aditivos Quimicos
Aditivos QuimicosAditivos Quimicos
Aditivos Quimicos
 
Aditivos quimicos
Aditivos quimicosAditivos quimicos
Aditivos quimicos
 
Aula de Pintura
Aula de PinturaAula de Pintura
Aula de Pintura
 
Bioquímica dos alimentos aula 1 conservantes
Bioquímica dos alimentos aula 1 conservantesBioquímica dos alimentos aula 1 conservantes
Bioquímica dos alimentos aula 1 conservantes
 
O que são produtos industrializados
O que são produtos industrializadosO que são produtos industrializados
O que são produtos industrializados
 
Consumo de alimentos industrializados
Consumo de alimentos industrializadosConsumo de alimentos industrializados
Consumo de alimentos industrializados
 
Alimentos industrializados
Alimentos industrializadosAlimentos industrializados
Alimentos industrializados
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 

Síntese da Malveína (Corantes)

  • 3. Em 1856, o jovem químico inglês William Henry Perkin, que era assistente do famoso químico alemão August Wilhelm von Hofmann, assistiu a uma palestra de Hofmann na qual ele comentava como seria importante sintetizar o quinino, uma vez que essa droga (a única capaz de combater a malária) tinha de ser extraída da casca da quina, que crescia nas índias Orientais.
  • 4. A partir de 1865, depois que Kekulé desvendou a estrutura do benzeno, houve um rápido desenvolvimento na indústria de corantes. A Grã-Bretanha deteve por algum tempo a iniciativa mundial no campo de corantes, situação que se modificou quando a Alemanha, por volta de 1915, alcançou 87% da produção mundial.
  • 5. Até cerca de 1850, todos os corantes alimentícios provinham de fontes naturais, como cenoura (corante laranja), beterraba (vermelho), casca de uva escura (preto), ácido carmínico (vermelho), açafrão (ocre); caramelo ou açúcar queimado (marrom) etc. Vale destacar também que em 1897 já eram fabricados inúmeros corantes sintéticos, que passaram a ser utilizados também pela indústria alimentícia.
  • 6. Atualmente a Comunidade Econômica Europeia autoriza 11 corantes sintéticos para alimentos, principalmente em função das vantagens que apresentam em relação aos naturais. Em geral, os corantes naturais são sensíveis à luz, ao calor, ao oxigênio ou à ação de bactérias, ou seja, não são estáveis. Os sintéticos são mais estáveis, têm durabilidade maior e propiciam cores mais intensas.
  • 7. A exploração da cor nunca esteve tão evidente como nos dias de hoje, e muitas indústrias são agora direta ou indiretamente dependentes da disponibilidade de corantes artificiais. As indústrias fabricantes e as usuárias de corantes contribuem grandemente para a economia de qualquer país industrializado.
  • 8. Do ponto de vista comercial, considerável interesse vem sendo demonstrado na avaliação teórica e empírica das relações entre cor e estrutura molecular. Este interesse tem sido acentuado por áreas em expansão onde as cores e os corantes agora adentram, e as relações cor-estrutura são valiosas mesmo para cientistas trabalhando em áreas aparentemente não relacionadas.
  • 9. Corantes vat: é um composto azul altamente insolúvel e vastamente conhecido desde a antiguidade. Possuía um preço tão elevado, que apenas a realeza podia compra-lo! Corantes diretos: podem ser aplicados, em solução aquosa, diretamente sobre as fibras. Este processo é especialmente aplicável à lã e à seda. Estas fibras são constituídas por proteínas, que possuem tanto grupos ácidos como básicos que combinam com corantes básicos e ácidos, respectivamente. Um exemplo é a malva, o corante que iniciou a síntese industrial de corantes - então conhecido como malveína, mas que atualmente não é mais utilizado. Corantes dispersos: apresentam limitações importantes - freqüentemente não apresentam resistência à lavagem (fastness), tendem a sublimar e estão sujeitos a desaparecer com NO2 ou ozônio atmosférico, uma condição conhecida como branqueamento gasoso.
  • 10. Corantes azo: constituem a classe mais importante de substâncias que promovem cor. A versatilidade desta classe deve-se grandemente à facilidade com que os compostos azo podem ser sintetizados, e de fato quase todas as aminas aromáticas diazotizadas podem ser acopladas com qualquer sistema nucleofílico insaturado para fornecer o produto azo colorido. Corantes trifenilmetilênicos: são derivados do cátion trifenilmetílico. São corantes básicos para lã, seda ou algodão, quando são utilizados mordentes adequados. - Mordentes são metais de transição que possuem capacidade de se complexar com grupos característicos presentes nas estruturas das fibras, facilitando ou possibilitando a fixação dos corantes. Ftalocianinas: são utilizadas como pigmentos ao invés de corantes propriamente ditos. Um membro importante desta classe é a ftalocianina de cobre, um pigmento azul brilhante que pode ser preparado pelo aquecimento de ftalonitrila com íons cobre.
  • 11. “Os corantes são substâncias que alteram ou intensificam as cores dos alimentos e ouros produtos para melhorar seu aspecto e sua aceitação junto ao consumidor. Um refrigerante sabor laranja sem o corante ficaria com a aparência de água com gás, dificultando sua aceitação, pois primeiro comemos com os olhos”