SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Processos Químicos Industriais Orgânicos
Profº: Luiz Henrique Viana
Aluno(a):
Plástico: [Do grego plástikos, „relativo às dobras de argila‟, pelo latim plastiku, „que
modela‟] Adjetivo.1. Relativo à plástica 2. Que tem propriedade de adquirir determinadas
formas sensíveis, por efeito de uma ação exterior: O barro é um material plástico.

Plástico: material cujo constituinte fundamental é um polímero, principalmente orgânico e
sintético, sólido em sua condição final (como produto acabado) e que em alguma fase de sua

produção foi transformado em fluido, adequado à moldagem por ação de calor e/ou pressão.
Os polímeros (a palavra tem origem grega: poli (muitas) e mero (partes)), são moléculas
muito grandes formadas pela conexão de muitas moléculas menores, denominadas
monômeros.
Qual é a matéria-prima para a obtenção dos plásticos?
As substâncias utilizadas como matéria-prima na preparação de plásticos são obtidas
principalmente a partir do petróleo e são denominadas monômeros.

O petróleo é constituído por uma mistura de compostos orgânicos, principalmente
hidrocarbonetos. Através do processo de destilação fracionada do óleo cru, que ocorre nas refinarias,
são obtidas várias frações (ver figura 5): o gás liquefeito, a nafta, a gasolina, o querosene, o óleo
diesel, as graxas parafínicas, os óleos lubrificantes, o piche.

A fração da qual são obtidos os monômeros é a nafta, que submetida a um processo de
craqueamento térmico (aquecimento na presença de catalisadores), dá origem a várias substâncias,
entre elas, etileno, propileno, butadieno, buteno, isobutileno, denominados petroquímicos básicos.
Estes, por sua vez, são transformados nos chamados petroquímicos finos, tais como polietileno,
polipropileno, policloreto de vinila etc. Na etapa subseqüente, os petroquímicos finos são

modificados quimicamente ou transformados em produtos de consumo.
Figura 5- Esquema de obtenção de plásticos a partir do petróleo.
Os plásticos são divididos em duas grandes categorias: termoplásticos e termofixos. Os
plásticos conhecidos como termoplasticos, podem ser aquecidos, conformados sem a
perda significativa de suas propriedades físicas, sendo passíveis de serem solubilizados
com solvente específicos. Dentre eles estão o poliestireno, polietileno, polipropileno,
acrílico, poliamidas, poli (cloreto de vinila), etc.
Os termofixos são solúveis e infusíveis. Os representantes mais conhecidos são a resina de
poliuretanos (PU) e o copolímero de etileno e acetato de vinila (EVA), que são utilizados em

solados para calçados; resinas fenólicas utilizadas em revestimento de móveis (melamínica);
poliésteres utilizados na fabricação de telhas reforçadas com fibras de vidro, entre outros.
Os termofixos ou termorrígidos representam 20% do total de plásticos consumidos no
Brasil, e são aqueles que uma vez conformados, por um dos processos usuais de
transformação, não se consegue mais reprocessa-los, por não “amolecerem” ou fundiremse mais, impedindo uma nova moldagem. Um exemplo clássico desta categoria é a
baquelita, aplicada, por exemplo, em cabos de panelas.
Os polímeros termoplásticos podem ter a sua cadeia molecular com ou sem ramificações.
Quando são do tipo sem ramificações, admitem conformação em ziguezague ou lineares, e
quando com ramificações apresentam uma estrutura irregular e entrelaçada, como um

novelo de lã.

Nos polímeros termofixos, as cadeias moleculares estão ligadas umas as outras por
ligações transversais (pontes ou cruzamentos), que também são conhecidas como pontos de
encadeamento. Esta estrutura pode apresentar tal complexidade que chega ao extremo da
formação de retículos, resultando no que se denomina polímero reticulado ou de ligações
cruzadas, ou ainda polímero tridimensional.

Como consequência imediata do tipo de cadeia do polímero, as propriedades físicas
apresentam-se diferentes no produto, especialmente em relação à fusibilidade e
solubilidade.
Representação de polímeros lineares, ramificados e reticulados.
A formação de retículos, devido às ligações cruzadas entre moléculas, “amarra” as
cadeias, impedindo o seu deslizamento umas sobre as outras, aumentando a resistência
mecânica, tornando o polímero infusível e insolúvel.
Uma prática bastante comum na indústria de polímeros é a adição de substâncias

denominadas aditivos, que conferem propriedades especiais à resina polimérica. As fibras
são matérias termoplásticas que possuem cadeias poliméricas posicionadas paralelamente
em sentido longitudinal. Elas apresentam alta resistência à deformação, mas podem sofrer
alongamentos. São comumente utilizadas na confecção de roupas. Ex.: raiom, nylon,

viscose, acetato de celulose etc.
Apresentação plastico
Moldando os plásticos para produzir
artefatos
Resina: termo atualmente empregado para designar qualquer matéria-prima polimérica no
estado termoplástico, sendo fusível, insolúvel em água, mas solúvel em outros meios
líquidos.

Os processos mais comuns estão descritos de forma resumida abaixo.
• Processo de vazamento: é um processo simples pelo qual a mistura é vertida ou vazada em
um molde, sob a forma de uma solução viscosa.
•Processo de fiação por fusão: a mistura fundida passa através de orifícios de uma placa
(fieira), formando filamentos viscosos que se solidificam e são enrolados em bobinas. É
indicado para obtenção de fios.
•Processo de compressão: consiste em comprimir a mistura aquecida dentro da cavidade de
um molde. Este processo é muito usado para termorrígidos.

Fonte: http://www.ctb.com.pt/?page_id=7684
• Processo de calandragem: consiste basicamente na passagem da mistura entre rolos
sucessivos e interligados em rotação. É indicado na produção de lâminas, folhas e filmes de
espessura regular.

Fonte: http: //www.solvayplastics.com/sites/solvayplastics/EN/vinyls/processing/
Pages/ vinyls-processing.aspx
•Processo de injeção: a mistura fundida é introduzida no molde por intermédio de pressão
exercida por um êmbolo.
•Processo de extrusão: a mistura polimérica passa através de uma matriz com o perfil do
objeto desejado e é resfriada tornando-se sólida. Processo bastante comum na fabricação de
tubos de poli(cloreto de vinila) e polietileno, tão utilizados em encanamento de
água, esgotos etc.
• Processo de sopro: ideal para obtenção de peças ocas pela insuflação de ar no interior
do molde. É muito usado na fabricação de frascos a partir de resinas termoplásticas.
•Existem vários tipos diferentes de processos de revestimento, tais como imersão,
mergulho formando, pulverização e co-extrusão. No processo de revestimento, a maior
parte de base, uma pasta de plástico muito fluida é espalhada sobre um material de base, ou
substrato (têxtil, papel, não-tecidos tecido) e, em seguida, passada através de um forno para
assegurar que a pasta forma um gel.

•No processo de imersão, a forma metálica é pré-aquecida antes de ser mergulhado em uma
plastisol (pasta líquida com base em PVC e plastificante). Este processo é muito
particularmente adequado para resinas PVC em pasta (processo de emulsão e micro-

suspensão), mas as misturas de pó-seco (processo de suspensão) pode também ser usado
para as necessidades específicas.
Apresentação plastico
•Filmes tubulares são criados através da alimentação de grânulos de plástico numa extrusora,
onde são fundidos e homogeneizado antes de ser bombeado através de uma fieira circular de
filme soprado. O plástico fundido forma um tubo contínuo, que é retirado do molde. Ele é
inflado e simultaneamente arrefecido por ar que se move rapidamente, para que o plástico
solidifica rapidamente.

•O tubo é então recolhido entre os rolos e enrolada num carretel. Películas fundidas começam
também a vida como grânulos de plástico alimentados numa extrusora, em que eles também
são derretidas. A diferença é que eles são alimentados através de uma matriz plana sobre um
rolo refrigerado de modo que eles arrefecer muito rapidamente. Uma vez que o plástico tenha

solidificado, é enrolada num carretel.
•Rotomoldagem, é um processo extremamente popular e bem utilizado para a produção de
itens que são geralmente oco. É mais frequentemente usado para grandes artigos que
normalmente são feitos em pequenas quantidades. Itens como brinquedos infantis, móveis
de jardim e postes de trânsito são fabricados por rotomoldagem. Rotomoldagem usa
polietileno na forma de pó, este é introduzido no molde juntamente com quaisquer

aditivos, tais como pigmentos ou de acabamento.
•O molde é fechado e, em seguida, centrifugado, vertical e horizontalmente e levado para
um forno. À medida que o pó começa a derreter e o molde continua em rotação, isto é

arremessado para as paredes do molde, por força centrífuga, forma-se uma
película. Depois de um período fixo, o molde é retirado do forno e deixado esfriar
cuidadosamente para evitar o encolhimento ou deformação do produto.
Apresentação plastico
• Termoformagem é um termo geral para o processo de fabricação de peças de plástico a
partir de uma folha plana de plástico por meio de pressão e temperatura. Na sua forma mais
sofisticada, termoformagem pode fornecer pequenas tolerâncias, detalhes nítidos e atender
às especificações muito rigorosas. Quando são utilizadas técnicas avançadas de
acabamento, de alta tecnologia termoformagem pode coincidir com os resultados obtidos

através de moldagem por injeção. Termoformagem é particularmente adequado para a
produção de grandes painéis, caixas, caixas e peças similares.
• Transferência de moldagem, ou lama de moldagem, é um processo no qual a resina
fundida é transferida a partir de um meltpot dentro de um molde, que é mais quente do
que o da resina. Isso é diferente de moldagem por injeção, onde o molde é mais frio. A
temperatura mais elevada é importante para o enchimento de moldes longos, a fim de
manter uma espessura de parede consistente e para compensar o encolhimento. Uma

vez que o molde tenha arrefecido e solidificado o plástico, o item é removido e a carga
seguinte é carregado.
Conhecendo as propriedades de alguns
plásticos
A seguir são apresentadas algumas das mais importantes famílias de plásticos existentes

atualmente:
Poliolefinas: polímeros derivados de hidrocarbonetos alifáticos que apresentam dupla
ligação, tais como o etileno e o propileno. É uma das mais importantes famílias de plásticos,
devido ao seu alto consumo mundial (são os plásticos mais baratos e mais populares).
Polietileno PE
É um dos plásticos mais conhecidos e utilizados. É obtido através da polimerização do
etileno, e dependendo das condições em que o processo é realizado, podem-se obter
macromoléculas muito grandes, que formam um sólido compacto com alta resistência
chamado PEAD, polietileno de alta densidade, muito usado na fabricação de canetas,
brinquedos, móveis de jardim etc., ou o PEBD, polietileno de baixa densidade, formado
por macromoléculas menores produzindo um material mais flexível, muito usado na
fabricação de sacolas e sacos.
Polipropileno PP
Produzido a partir da polimerização do gás propileno,
este plástico apresenta propriedades como excepcional
resistência a rupturas, boa resistência a impactos, boa

resistência química, boas propriedades elétricas, sendo
muito utilizado na fabricação de recipientes. A resina
polipropileno, quando reforçada com fibra de vidro,
torna-se mais resistente e é bastante utilizada na
indústria de autopeças.
Poliacrílicos
Poli(metacrilato de metila)
Os mais importantes poliacrílicos são derivados dos
ácidos

acrílico

e

metacrílico.

São

materiais

caracterizados pela transparência, brilho e alta
resistência ao impacto e às intempéries. O poli
(metacrilato de metila), PMMA, é muito conhecido
pelo nome comercial Plexiglas. As placas deste
polímero podem substituir o vidro por serem
transparentes e são muito resistentes a impactos e a
abrasão. São usadas na fabricação de janelas, painéis
de sinalização, objetos de decoração, lentes para
óculos e de contato etc.
Fluoroplásticos : devido à presença de átomos de flúor fortemente ligados a átomos de
carbono, estes polímeros apresentam propriedades como resistência térmica e elétrica, baixa
tensão superficial e não propagam chamas. Suas principais desvantagens são o alto custo e a
dificuldade de processamento.

Politetrafluoroetileno PTFE
Conhecido como teflon, este plástico apresenta como principais propriedades a inércia
química, isto é, não reage com facilidade, além de apresentar baixo coeficiente de atrito. O fato
de a maior parte das substâncias não aderir a uma superfície revestida de teflon tornou seu uso
bastante difundido na fabricação de frigideiras antiaderentes.
Poliamidas PA: são resinas obtidas pela policondensação de poliácidos e poliaminas.
Apresentam excepcional tenacidade e resistência ao desgaste, além de baixo coeficiente de
atrito, o que lhes possibilita numerosas aplicações.

Náilon ou Nylon
Existem vários polímeros que são denominados náilon. O tipo mais comum é obtido pela
reação de condensação do ácido adípico com a hexametilenodiamina. Este náilon, chamado
náilon-6,6, é uma poliamida que apresenta alta resistência, que pode ser moldado facilmente e
não propaga o fogo, tendo larga aplicação na confecção de fibras têxteis, maiôs, biquínis,
linha de pesca, velcros, pulseiras de relógio etc.
A invenção do náilon em 1938 foi um
sucesso, visto que suas propriedades permitiram
que substituísse a seda natural na fabricação de
meias para mulheres. As meias, além de mais
baratas que as de seda, não amassavam e

secavam rápido. Quando foram lançadas pela
primeira vez no comércio americano, 4 milhões
de pares de meias foram vendidos em apenas 5
horas! Depois desse início promissor, o náilon

passou a ser usado na fabricação de pára-quedas
para atender principalmente à indústria bélica.
Atualmente

este

polímero

é

utilizado

na

fabricação dos mais diferentes artigos como:
redes de pesca, roupas, sacolas etc.
Kevlar
Assim como o nylon, o polímero kevlar é uma poliamida. Por ser uma amida aromática, é
classificado como aramida. Destaca-se como um dos materiais sintéticos mais resistentes
conhecidos. Ele é um plástico com uma resistência tão grande, que cordas de kevlar têm
substituído às de aço em muitas aplicações.
São usados, em geral, na fabricação de produtos resistentes a chamas intensas (roupas para
bombeiros), resistentes ao calor (filmes de isolamento para motores), resistentes aos

impactos (coletes à prova de balas) etc. Seu elevado custo é um impedimento para maiores
aplicações.
Poliésteres
Os poliésteres, como o próprio nome indica, são polímeros que possuem a função éster.
Eles são classificados em saturados ou insaturados, dependendo da presença ou não de
duplas ligações em suas cadeias. A mistura de algodão (celulose) com poliéster origina um
tecido muito conhecido, chamado de tergal.

Quando nos machucamos ou após uma cirurgia, nossa pele e tecidos podem ser unidos por
linhas e fios, fechando cortes com “pontos”. Este processo é chamado de sutura. Após a
cicatrização, o fio usado é retirado. No entanto, quando a sutura é feita em regiões internas
de nosso corpo, é mais conveniente utilizar fios que possam ser absorvidos pelo organismo.
O dexon é um tipo de poliéster utilizado para este fim.
Poli (tereftalato de etileno)
PET
Poliéster de grande consumo no Brasil, principalmente devido ao seu uso na fabricação de
garrafas para refrigerantes. Características como excelente resistência ao ataque de
substâncias, resistência a deformações, baixo nível de absorção de umidade e baixo custo

tornaram o PET um dos plásticos mais consumidos no mundo.
Poliuretanas PU
Utilizadas como espumas macias na fabricação de colchões e estofados, ou
como espumas duras na fabricação de embalagens e pranchas de surfe, as

poliuretanas são produtos da reação de condensação de um diisocianato
orgânico com um poliálcool. Suas características dependerão dos compostos
de partida usados e da técnica de preparação.
Policarbonatos PC
Os policarbonatos reúnem propriedades dos metais leves, do vidro e dos plásticos, tais como
resistência a choques, à flexão etc. São semelhantes ao vidro por serem transparentes, com a
vantagem de serem mais resistentes a impactos. Por esta razão são utilizados na fabricação de
janelas de avião e nos chamados “vidros à prova de balas”. Podem ser usados na fabricação de

muitas outras peças, como por exemplo, compact discs (CDs), mamadeiras, lentes etc.
Silicones
Poli(dimetil siloxano)
Cada vez mais conhecidos por suas aplicações no domínio das cirurgias plásticas, os
silicones ou siliconas são polímeros contendo longas cadeias de silício e oxigênio. Eles
apresentam características importantes como: inércia química, estabilidade frente a variações

de temperatura e são atóxicos. Com massas moleculares relativamente pequenas, são obtidos
geralmente na forma de óleos, sendo empregados na impermeabilização de superfícies (ceras
em polimento de automóveis). Silicones com maiores massas moleculares têm consistência
de borracha e são usados na vedação de janelas e boxes de banheiro. Silicones com massas
moleculares muito grandes apresentam alta resistência térmica e são utilizados em objetos
esterilizáveis, como chupetas e bicos de mamadeiras.
Bibliografia
MANO, Eloísa B. Introdução a Polímeros. 1ª ed. São Paulo: Editora Edgard Blucher,
1985.
CANGEMI, José Marcelo; DOS SANTOS, Antonia Marli; CLARO NETO, Salvador.
Biodegradação: uma alternativa para minimizar os impactos decorrentes dos resíduos
plásticos Química Nova na Escola, n.22, p.17-21, nov. 2005.

Introdução a polimeros Eloisa Biasotto Mano Editora edgard Blucher ltda-2001

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plásticos
PlásticosPlásticos
Plásticos
luismonteiro1998
 
Efeito estufa
Efeito estufaEfeito estufa
Efeito estufa
Luiz Henrique Ferreira
 
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Plásticos Biodegradáveis
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Plásticos BiodegradáveisMini Curso Reciclagem de Plásticos - Plásticos Biodegradáveis
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Plásticos Biodegradáveis
Fernando Jose Novaes
 
Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambiental
fefemrc
 
trabalho sobre as consequências do descarte inadequado do plástico
trabalho sobre as consequências do descarte inadequado do plásticotrabalho sobre as consequências do descarte inadequado do plástico
trabalho sobre as consequências do descarte inadequado do plástico
djquimica
 
Meio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpointMeio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpoint
Margarida Santos
 
Produção do Papel e seus Impactos Ambientais
Produção do Papel e seus Impactos AmbientaisProdução do Papel e seus Impactos Ambientais
Produção do Papel e seus Impactos Ambientais
Marina Godoy
 
Poluição da Água
Poluição da ÁguaPoluição da Água
Poluição da Água
Petedanis
 
Aula 5 reciclagem
Aula 5  reciclagemAula 5  reciclagem
Aula 5 reciclagem
Giovanna Ortiz
 
Plástico - PP
Plástico - PPPlástico - PP
Plástico - PP
Ecodar
 
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Mari Rodrigues
 
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveisProcesso de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
Emanoel S. Carvalho
 
Plasticos
PlasticosPlasticos
Plasticos
pmcabrita
 
Polímeros e o plástico
Polímeros e o plásticoPolímeros e o plástico
Polímeros e o plástico
Rafael Nishikawa
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
Carlyle Camelo
 
Poluição da água
Poluição da águaPoluição da água
Poluição da água
Maria Paredes
 
Transformação da Materia
Transformação da MateriaTransformação da Materia
Transformação da Materia
Pedro Monteiro
 
Biopolímeros
BiopolímerosBiopolímeros
Biopolímeros
Jair Borges
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
Dheymia de Lima
 
Polimeros 3
Polimeros 3Polimeros 3
Polimeros 3
Sydney Dias
 

Mais procurados (20)

Plásticos
PlásticosPlásticos
Plásticos
 
Efeito estufa
Efeito estufaEfeito estufa
Efeito estufa
 
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Plásticos Biodegradáveis
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Plásticos BiodegradáveisMini Curso Reciclagem de Plásticos - Plásticos Biodegradáveis
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Plásticos Biodegradáveis
 
Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambiental
 
trabalho sobre as consequências do descarte inadequado do plástico
trabalho sobre as consequências do descarte inadequado do plásticotrabalho sobre as consequências do descarte inadequado do plástico
trabalho sobre as consequências do descarte inadequado do plástico
 
Meio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpointMeio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpoint
 
Produção do Papel e seus Impactos Ambientais
Produção do Papel e seus Impactos AmbientaisProdução do Papel e seus Impactos Ambientais
Produção do Papel e seus Impactos Ambientais
 
Poluição da Água
Poluição da ÁguaPoluição da Água
Poluição da Água
 
Aula 5 reciclagem
Aula 5  reciclagemAula 5  reciclagem
Aula 5 reciclagem
 
Plástico - PP
Plástico - PPPlástico - PP
Plástico - PP
 
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
 
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveisProcesso de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
 
Plasticos
PlasticosPlasticos
Plasticos
 
Polímeros e o plástico
Polímeros e o plásticoPolímeros e o plástico
Polímeros e o plástico
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
Poluição da água
Poluição da águaPoluição da água
Poluição da água
 
Transformação da Materia
Transformação da MateriaTransformação da Materia
Transformação da Materia
 
Biopolímeros
BiopolímerosBiopolímeros
Biopolímeros
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
Polimeros 3
Polimeros 3Polimeros 3
Polimeros 3
 

Destaque

Aula teórica fiação e Titulação
Aula teórica fiação e TitulaçãoAula teórica fiação e Titulação
Aula teórica fiação e Titulação
Marcel Jefferson Gonçalves
 
Borracha natural e sintética
Borracha natural e sintéticaBorracha natural e sintética
Borracha natural e sintética
Caio Passoni
 
Plásticos
PlásticosPlásticos
Plásticos
andreosurfista
 
Borracha natural
Borracha naturalBorracha natural
Borracha natural
Borrachas
 
1 ciclo da borracha
1 ciclo da borracha1 ciclo da borracha
1 ciclo da borracha
Raquel Almeida
 
Ciclo da borracha
Ciclo da borrachaCiclo da borracha
Ciclo da borracha
Anna Caroline
 
Ciclos Da Borracha Pdf
Ciclos Da Borracha PdfCiclos Da Borracha Pdf
Ciclos Da Borracha Pdf
eduardo.carneiro
 

Destaque (7)

Aula teórica fiação e Titulação
Aula teórica fiação e TitulaçãoAula teórica fiação e Titulação
Aula teórica fiação e Titulação
 
Borracha natural e sintética
Borracha natural e sintéticaBorracha natural e sintética
Borracha natural e sintética
 
Plásticos
PlásticosPlásticos
Plásticos
 
Borracha natural
Borracha naturalBorracha natural
Borracha natural
 
1 ciclo da borracha
1 ciclo da borracha1 ciclo da borracha
1 ciclo da borracha
 
Ciclo da borracha
Ciclo da borrachaCiclo da borracha
Ciclo da borracha
 
Ciclos Da Borracha Pdf
Ciclos Da Borracha PdfCiclos Da Borracha Pdf
Ciclos Da Borracha Pdf
 

Semelhante a Apresentação plastico

d6matPolimMod2.pdf
d6matPolimMod2.pdfd6matPolimMod2.pdf
d6matPolimMod2.pdf
Paulo Silva
 
Trabalho matrizes termoplásticas
Trabalho matrizes termoplásticasTrabalho matrizes termoplásticas
Trabalho matrizes termoplásticas
Andre Quendera
 
SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR
SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR
SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR
Edgardd Salvador
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
Marco Tulio
 
Conforma o de polimeros
Conforma  o de polimerosConforma  o de polimeros
Conforma o de polimeros
andreiafaion
 
Química dos polímeros - Ezequiel
Química dos polímeros - EzequielQuímica dos polímeros - Ezequiel
Química dos polímeros - Ezequiel
Ezequiel G
 
Opu transformações mecânicas dos plásticos
Opu   transformações mecânicas dos plásticosOpu   transformações mecânicas dos plásticos
Opu transformações mecânicas dos plásticos
Cristyan Ribeiro
 
Cap 7 resumo (1)
Cap 7   resumo (1)Cap 7   resumo (1)
Cap 7 resumo (1)
Manuel Carvalho
 
Polimeros
PolimerosPolimeros
Industrias+de+plasticos
Industrias+de+plasticosIndustrias+de+plasticos
Industrias+de+plasticos
Benedito Roberto de Alvarenga Junior
 
Plastico (2)
Plastico (2)Plastico (2)
Plastico (2)
ggmota93
 
Aula6 plsticos process_reciclagem
Aula6 plsticos process_reciclagemAula6 plsticos process_reciclagem
Aula6 plsticos process_reciclagem
Tatiana Petersen Gesteira
 
Polímeros Sintéticos
Polímeros SintéticosPolímeros Sintéticos
Polímeros Sintéticos
José Karllos
 
Aula Materiais não Metálicos.pptx
Aula Materiais não Metálicos.pptxAula Materiais não Metálicos.pptx
Aula Materiais não Metálicos.pptx
Miguel Jose
 
Resumo _ Planejativo.pdf
Resumo _ Planejativo.pdfResumo _ Planejativo.pdf
Resumo _ Planejativo.pdf
TulyhanderNascimento
 
Materiais poliméricos noções
Materiais poliméricos   noçõesMateriais poliméricos   noções
Materiais poliméricos noções
Manuel Bouzas
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
João Pereira
 
Apresentação 3a1
Apresentação 3a1Apresentação 3a1
Apresentação 3a1
EEB Francisco Mazzola
 
PET - Saiba mais
PET - Saiba maisPET - Saiba mais
PET - Saiba mais
CENNE
 

Semelhante a Apresentação plastico (20)

d6matPolimMod2.pdf
d6matPolimMod2.pdfd6matPolimMod2.pdf
d6matPolimMod2.pdf
 
Trabalho matrizes termoplásticas
Trabalho matrizes termoplásticasTrabalho matrizes termoplásticas
Trabalho matrizes termoplásticas
 
SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR
SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR
SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
Conforma o de polimeros
Conforma  o de polimerosConforma  o de polimeros
Conforma o de polimeros
 
Química dos polímeros - Ezequiel
Química dos polímeros - EzequielQuímica dos polímeros - Ezequiel
Química dos polímeros - Ezequiel
 
Opu transformações mecânicas dos plásticos
Opu   transformações mecânicas dos plásticosOpu   transformações mecânicas dos plásticos
Opu transformações mecânicas dos plásticos
 
Cap 7 resumo (1)
Cap 7   resumo (1)Cap 7   resumo (1)
Cap 7 resumo (1)
 
Polimeros
PolimerosPolimeros
Polimeros
 
Industrias+de+plasticos
Industrias+de+plasticosIndustrias+de+plasticos
Industrias+de+plasticos
 
Plastico (2)
Plastico (2)Plastico (2)
Plastico (2)
 
Aula6 plsticos process_reciclagem
Aula6 plsticos process_reciclagemAula6 plsticos process_reciclagem
Aula6 plsticos process_reciclagem
 
Polímeros Sintéticos
Polímeros SintéticosPolímeros Sintéticos
Polímeros Sintéticos
 
Aula Materiais não Metálicos.pptx
Aula Materiais não Metálicos.pptxAula Materiais não Metálicos.pptx
Aula Materiais não Metálicos.pptx
 
Resumo _ Planejativo.pdf
Resumo _ Planejativo.pdfResumo _ Planejativo.pdf
Resumo _ Planejativo.pdf
 
Materiais poliméricos noções
Materiais poliméricos   noçõesMateriais poliméricos   noções
Materiais poliméricos noções
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
 
Apresentação 3a1
Apresentação 3a1Apresentação 3a1
Apresentação 3a1
 
PET - Saiba mais
PET - Saiba maisPET - Saiba mais
PET - Saiba mais
 

Apresentação plastico

  • 1. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Processos Químicos Industriais Orgânicos Profº: Luiz Henrique Viana Aluno(a):
  • 2. Plástico: [Do grego plástikos, „relativo às dobras de argila‟, pelo latim plastiku, „que modela‟] Adjetivo.1. Relativo à plástica 2. Que tem propriedade de adquirir determinadas formas sensíveis, por efeito de uma ação exterior: O barro é um material plástico. Plástico: material cujo constituinte fundamental é um polímero, principalmente orgânico e sintético, sólido em sua condição final (como produto acabado) e que em alguma fase de sua produção foi transformado em fluido, adequado à moldagem por ação de calor e/ou pressão. Os polímeros (a palavra tem origem grega: poli (muitas) e mero (partes)), são moléculas muito grandes formadas pela conexão de muitas moléculas menores, denominadas monômeros.
  • 3. Qual é a matéria-prima para a obtenção dos plásticos? As substâncias utilizadas como matéria-prima na preparação de plásticos são obtidas principalmente a partir do petróleo e são denominadas monômeros. O petróleo é constituído por uma mistura de compostos orgânicos, principalmente hidrocarbonetos. Através do processo de destilação fracionada do óleo cru, que ocorre nas refinarias, são obtidas várias frações (ver figura 5): o gás liquefeito, a nafta, a gasolina, o querosene, o óleo diesel, as graxas parafínicas, os óleos lubrificantes, o piche. A fração da qual são obtidos os monômeros é a nafta, que submetida a um processo de craqueamento térmico (aquecimento na presença de catalisadores), dá origem a várias substâncias, entre elas, etileno, propileno, butadieno, buteno, isobutileno, denominados petroquímicos básicos. Estes, por sua vez, são transformados nos chamados petroquímicos finos, tais como polietileno, polipropileno, policloreto de vinila etc. Na etapa subseqüente, os petroquímicos finos são modificados quimicamente ou transformados em produtos de consumo.
  • 4. Figura 5- Esquema de obtenção de plásticos a partir do petróleo.
  • 5. Os plásticos são divididos em duas grandes categorias: termoplásticos e termofixos. Os plásticos conhecidos como termoplasticos, podem ser aquecidos, conformados sem a perda significativa de suas propriedades físicas, sendo passíveis de serem solubilizados com solvente específicos. Dentre eles estão o poliestireno, polietileno, polipropileno, acrílico, poliamidas, poli (cloreto de vinila), etc.
  • 6. Os termofixos são solúveis e infusíveis. Os representantes mais conhecidos são a resina de poliuretanos (PU) e o copolímero de etileno e acetato de vinila (EVA), que são utilizados em solados para calçados; resinas fenólicas utilizadas em revestimento de móveis (melamínica); poliésteres utilizados na fabricação de telhas reforçadas com fibras de vidro, entre outros.
  • 7. Os termofixos ou termorrígidos representam 20% do total de plásticos consumidos no Brasil, e são aqueles que uma vez conformados, por um dos processos usuais de transformação, não se consegue mais reprocessa-los, por não “amolecerem” ou fundiremse mais, impedindo uma nova moldagem. Um exemplo clássico desta categoria é a baquelita, aplicada, por exemplo, em cabos de panelas.
  • 8. Os polímeros termoplásticos podem ter a sua cadeia molecular com ou sem ramificações. Quando são do tipo sem ramificações, admitem conformação em ziguezague ou lineares, e quando com ramificações apresentam uma estrutura irregular e entrelaçada, como um novelo de lã. Nos polímeros termofixos, as cadeias moleculares estão ligadas umas as outras por ligações transversais (pontes ou cruzamentos), que também são conhecidas como pontos de encadeamento. Esta estrutura pode apresentar tal complexidade que chega ao extremo da formação de retículos, resultando no que se denomina polímero reticulado ou de ligações cruzadas, ou ainda polímero tridimensional. Como consequência imediata do tipo de cadeia do polímero, as propriedades físicas apresentam-se diferentes no produto, especialmente em relação à fusibilidade e solubilidade.
  • 9. Representação de polímeros lineares, ramificados e reticulados.
  • 10. A formação de retículos, devido às ligações cruzadas entre moléculas, “amarra” as cadeias, impedindo o seu deslizamento umas sobre as outras, aumentando a resistência mecânica, tornando o polímero infusível e insolúvel. Uma prática bastante comum na indústria de polímeros é a adição de substâncias denominadas aditivos, que conferem propriedades especiais à resina polimérica. As fibras são matérias termoplásticas que possuem cadeias poliméricas posicionadas paralelamente em sentido longitudinal. Elas apresentam alta resistência à deformação, mas podem sofrer alongamentos. São comumente utilizadas na confecção de roupas. Ex.: raiom, nylon, viscose, acetato de celulose etc.
  • 12. Moldando os plásticos para produzir artefatos Resina: termo atualmente empregado para designar qualquer matéria-prima polimérica no estado termoplástico, sendo fusível, insolúvel em água, mas solúvel em outros meios líquidos. Os processos mais comuns estão descritos de forma resumida abaixo. • Processo de vazamento: é um processo simples pelo qual a mistura é vertida ou vazada em um molde, sob a forma de uma solução viscosa.
  • 13. •Processo de fiação por fusão: a mistura fundida passa através de orifícios de uma placa (fieira), formando filamentos viscosos que se solidificam e são enrolados em bobinas. É indicado para obtenção de fios.
  • 14. •Processo de compressão: consiste em comprimir a mistura aquecida dentro da cavidade de um molde. Este processo é muito usado para termorrígidos. Fonte: http://www.ctb.com.pt/?page_id=7684
  • 15. • Processo de calandragem: consiste basicamente na passagem da mistura entre rolos sucessivos e interligados em rotação. É indicado na produção de lâminas, folhas e filmes de espessura regular. Fonte: http: //www.solvayplastics.com/sites/solvayplastics/EN/vinyls/processing/ Pages/ vinyls-processing.aspx
  • 16. •Processo de injeção: a mistura fundida é introduzida no molde por intermédio de pressão exercida por um êmbolo.
  • 17. •Processo de extrusão: a mistura polimérica passa através de uma matriz com o perfil do objeto desejado e é resfriada tornando-se sólida. Processo bastante comum na fabricação de tubos de poli(cloreto de vinila) e polietileno, tão utilizados em encanamento de água, esgotos etc.
  • 18. • Processo de sopro: ideal para obtenção de peças ocas pela insuflação de ar no interior do molde. É muito usado na fabricação de frascos a partir de resinas termoplásticas.
  • 19. •Existem vários tipos diferentes de processos de revestimento, tais como imersão, mergulho formando, pulverização e co-extrusão. No processo de revestimento, a maior parte de base, uma pasta de plástico muito fluida é espalhada sobre um material de base, ou substrato (têxtil, papel, não-tecidos tecido) e, em seguida, passada através de um forno para assegurar que a pasta forma um gel. •No processo de imersão, a forma metálica é pré-aquecida antes de ser mergulhado em uma plastisol (pasta líquida com base em PVC e plastificante). Este processo é muito particularmente adequado para resinas PVC em pasta (processo de emulsão e micro- suspensão), mas as misturas de pó-seco (processo de suspensão) pode também ser usado para as necessidades específicas.
  • 21. •Filmes tubulares são criados através da alimentação de grânulos de plástico numa extrusora, onde são fundidos e homogeneizado antes de ser bombeado através de uma fieira circular de filme soprado. O plástico fundido forma um tubo contínuo, que é retirado do molde. Ele é inflado e simultaneamente arrefecido por ar que se move rapidamente, para que o plástico solidifica rapidamente. •O tubo é então recolhido entre os rolos e enrolada num carretel. Películas fundidas começam também a vida como grânulos de plástico alimentados numa extrusora, em que eles também são derretidas. A diferença é que eles são alimentados através de uma matriz plana sobre um rolo refrigerado de modo que eles arrefecer muito rapidamente. Uma vez que o plástico tenha solidificado, é enrolada num carretel.
  • 22. •Rotomoldagem, é um processo extremamente popular e bem utilizado para a produção de itens que são geralmente oco. É mais frequentemente usado para grandes artigos que normalmente são feitos em pequenas quantidades. Itens como brinquedos infantis, móveis de jardim e postes de trânsito são fabricados por rotomoldagem. Rotomoldagem usa polietileno na forma de pó, este é introduzido no molde juntamente com quaisquer aditivos, tais como pigmentos ou de acabamento. •O molde é fechado e, em seguida, centrifugado, vertical e horizontalmente e levado para um forno. À medida que o pó começa a derreter e o molde continua em rotação, isto é arremessado para as paredes do molde, por força centrífuga, forma-se uma película. Depois de um período fixo, o molde é retirado do forno e deixado esfriar cuidadosamente para evitar o encolhimento ou deformação do produto.
  • 24. • Termoformagem é um termo geral para o processo de fabricação de peças de plástico a partir de uma folha plana de plástico por meio de pressão e temperatura. Na sua forma mais sofisticada, termoformagem pode fornecer pequenas tolerâncias, detalhes nítidos e atender às especificações muito rigorosas. Quando são utilizadas técnicas avançadas de acabamento, de alta tecnologia termoformagem pode coincidir com os resultados obtidos através de moldagem por injeção. Termoformagem é particularmente adequado para a produção de grandes painéis, caixas, caixas e peças similares.
  • 25. • Transferência de moldagem, ou lama de moldagem, é um processo no qual a resina fundida é transferida a partir de um meltpot dentro de um molde, que é mais quente do que o da resina. Isso é diferente de moldagem por injeção, onde o molde é mais frio. A temperatura mais elevada é importante para o enchimento de moldes longos, a fim de manter uma espessura de parede consistente e para compensar o encolhimento. Uma vez que o molde tenha arrefecido e solidificado o plástico, o item é removido e a carga seguinte é carregado.
  • 26. Conhecendo as propriedades de alguns plásticos A seguir são apresentadas algumas das mais importantes famílias de plásticos existentes atualmente: Poliolefinas: polímeros derivados de hidrocarbonetos alifáticos que apresentam dupla ligação, tais como o etileno e o propileno. É uma das mais importantes famílias de plásticos, devido ao seu alto consumo mundial (são os plásticos mais baratos e mais populares). Polietileno PE É um dos plásticos mais conhecidos e utilizados. É obtido através da polimerização do etileno, e dependendo das condições em que o processo é realizado, podem-se obter macromoléculas muito grandes, que formam um sólido compacto com alta resistência chamado PEAD, polietileno de alta densidade, muito usado na fabricação de canetas, brinquedos, móveis de jardim etc., ou o PEBD, polietileno de baixa densidade, formado por macromoléculas menores produzindo um material mais flexível, muito usado na fabricação de sacolas e sacos.
  • 27. Polipropileno PP Produzido a partir da polimerização do gás propileno, este plástico apresenta propriedades como excepcional resistência a rupturas, boa resistência a impactos, boa resistência química, boas propriedades elétricas, sendo muito utilizado na fabricação de recipientes. A resina polipropileno, quando reforçada com fibra de vidro, torna-se mais resistente e é bastante utilizada na indústria de autopeças.
  • 28. Poliacrílicos Poli(metacrilato de metila) Os mais importantes poliacrílicos são derivados dos ácidos acrílico e metacrílico. São materiais caracterizados pela transparência, brilho e alta resistência ao impacto e às intempéries. O poli (metacrilato de metila), PMMA, é muito conhecido pelo nome comercial Plexiglas. As placas deste polímero podem substituir o vidro por serem transparentes e são muito resistentes a impactos e a abrasão. São usadas na fabricação de janelas, painéis de sinalização, objetos de decoração, lentes para óculos e de contato etc.
  • 29. Fluoroplásticos : devido à presença de átomos de flúor fortemente ligados a átomos de carbono, estes polímeros apresentam propriedades como resistência térmica e elétrica, baixa tensão superficial e não propagam chamas. Suas principais desvantagens são o alto custo e a dificuldade de processamento. Politetrafluoroetileno PTFE Conhecido como teflon, este plástico apresenta como principais propriedades a inércia química, isto é, não reage com facilidade, além de apresentar baixo coeficiente de atrito. O fato de a maior parte das substâncias não aderir a uma superfície revestida de teflon tornou seu uso bastante difundido na fabricação de frigideiras antiaderentes.
  • 30. Poliamidas PA: são resinas obtidas pela policondensação de poliácidos e poliaminas. Apresentam excepcional tenacidade e resistência ao desgaste, além de baixo coeficiente de atrito, o que lhes possibilita numerosas aplicações. Náilon ou Nylon Existem vários polímeros que são denominados náilon. O tipo mais comum é obtido pela reação de condensação do ácido adípico com a hexametilenodiamina. Este náilon, chamado náilon-6,6, é uma poliamida que apresenta alta resistência, que pode ser moldado facilmente e não propaga o fogo, tendo larga aplicação na confecção de fibras têxteis, maiôs, biquínis, linha de pesca, velcros, pulseiras de relógio etc.
  • 31. A invenção do náilon em 1938 foi um sucesso, visto que suas propriedades permitiram que substituísse a seda natural na fabricação de meias para mulheres. As meias, além de mais baratas que as de seda, não amassavam e secavam rápido. Quando foram lançadas pela primeira vez no comércio americano, 4 milhões de pares de meias foram vendidos em apenas 5 horas! Depois desse início promissor, o náilon passou a ser usado na fabricação de pára-quedas para atender principalmente à indústria bélica. Atualmente este polímero é utilizado na fabricação dos mais diferentes artigos como: redes de pesca, roupas, sacolas etc.
  • 32. Kevlar Assim como o nylon, o polímero kevlar é uma poliamida. Por ser uma amida aromática, é classificado como aramida. Destaca-se como um dos materiais sintéticos mais resistentes conhecidos. Ele é um plástico com uma resistência tão grande, que cordas de kevlar têm substituído às de aço em muitas aplicações. São usados, em geral, na fabricação de produtos resistentes a chamas intensas (roupas para bombeiros), resistentes ao calor (filmes de isolamento para motores), resistentes aos impactos (coletes à prova de balas) etc. Seu elevado custo é um impedimento para maiores aplicações.
  • 33. Poliésteres Os poliésteres, como o próprio nome indica, são polímeros que possuem a função éster. Eles são classificados em saturados ou insaturados, dependendo da presença ou não de duplas ligações em suas cadeias. A mistura de algodão (celulose) com poliéster origina um tecido muito conhecido, chamado de tergal. Quando nos machucamos ou após uma cirurgia, nossa pele e tecidos podem ser unidos por linhas e fios, fechando cortes com “pontos”. Este processo é chamado de sutura. Após a cicatrização, o fio usado é retirado. No entanto, quando a sutura é feita em regiões internas de nosso corpo, é mais conveniente utilizar fios que possam ser absorvidos pelo organismo. O dexon é um tipo de poliéster utilizado para este fim.
  • 34. Poli (tereftalato de etileno) PET Poliéster de grande consumo no Brasil, principalmente devido ao seu uso na fabricação de garrafas para refrigerantes. Características como excelente resistência ao ataque de substâncias, resistência a deformações, baixo nível de absorção de umidade e baixo custo tornaram o PET um dos plásticos mais consumidos no mundo.
  • 35. Poliuretanas PU Utilizadas como espumas macias na fabricação de colchões e estofados, ou como espumas duras na fabricação de embalagens e pranchas de surfe, as poliuretanas são produtos da reação de condensação de um diisocianato orgânico com um poliálcool. Suas características dependerão dos compostos de partida usados e da técnica de preparação.
  • 36. Policarbonatos PC Os policarbonatos reúnem propriedades dos metais leves, do vidro e dos plásticos, tais como resistência a choques, à flexão etc. São semelhantes ao vidro por serem transparentes, com a vantagem de serem mais resistentes a impactos. Por esta razão são utilizados na fabricação de janelas de avião e nos chamados “vidros à prova de balas”. Podem ser usados na fabricação de muitas outras peças, como por exemplo, compact discs (CDs), mamadeiras, lentes etc.
  • 37. Silicones Poli(dimetil siloxano) Cada vez mais conhecidos por suas aplicações no domínio das cirurgias plásticas, os silicones ou siliconas são polímeros contendo longas cadeias de silício e oxigênio. Eles apresentam características importantes como: inércia química, estabilidade frente a variações de temperatura e são atóxicos. Com massas moleculares relativamente pequenas, são obtidos geralmente na forma de óleos, sendo empregados na impermeabilização de superfícies (ceras em polimento de automóveis). Silicones com maiores massas moleculares têm consistência de borracha e são usados na vedação de janelas e boxes de banheiro. Silicones com massas moleculares muito grandes apresentam alta resistência térmica e são utilizados em objetos esterilizáveis, como chupetas e bicos de mamadeiras.
  • 38. Bibliografia MANO, Eloísa B. Introdução a Polímeros. 1ª ed. São Paulo: Editora Edgard Blucher, 1985. CANGEMI, José Marcelo; DOS SANTOS, Antonia Marli; CLARO NETO, Salvador. Biodegradação: uma alternativa para minimizar os impactos decorrentes dos resíduos plásticos Química Nova na Escola, n.22, p.17-21, nov. 2005. Introdução a polimeros Eloisa Biasotto Mano Editora edgard Blucher ltda-2001