SlideShare uma empresa Scribd logo
Indicadores de Desempenho
Adm. Prof. Henrique Lacerda Nieddermeyer
Consultor Empresarial
Henrique Lacerda Nieddermeyer
1º. Tenente de Infantaria do Exército Brasileiro
Professor Universitário
Centro Universitário de Maringá – Unicesumar
Professor T40 – Depto Administração
Coordenador da Consultoria Júnior
Administrador de Empresas
MBA Executivo em Gestão Empresarial
Mestrando em Gestão do Conhecimento
Consultor de Negócios e Treinamentos
Área de Gestão Empresarial
EAD
3
Definição de Logística
“É o processo da cadeia de suprimentos responsável pelo
planejamento, implementação, controle do fluxo e
armazenagem eficientes e de baixo custo de matérias
primas, estoque em processo, produto acabado e
informações relacionadas, desde o ponto de origem até o
ponto de consumo, com objetivo de atender aos
requisitos do cliente.”
(Council of Logistics Management)
Atividades Chave da Logística
• Processamento de pedidos
• Serviço ao cliente
• Previsão e planejamento da demanda
• Inventário
• Compras
• Distribuição e Transporte
• Movimentação e Armazenagem
• Logística reversa
COMO VAI A
LOGÍSTICA DA
SUA EMPRESA?
“Para quem não sabe aonde vai não
há ventos favoráveis”
Nível de Serviço Logístico
É o resultado líquido de todos os esforços
logísticos da empresa;
É aquilo que o cliente percebe além do
produto/serviço em si.
Alguns Indicadores de
Desempenho
Nível de Serviço Logístico
O que querem os clientes?
 Que quando peçam, tenha (processamento de pedidos,
gestão de inventários, suprimentos)
 Que o que pediram, chegue a tempo (transporte,
distribuição e armazenagem)
O que é uma Empresa Líder em Logística?
É aquela que oferece maior agregação de valor aos seus
clientes em relação aos seus concorrentes a partir de uma
combinação harmônica de práticas logísticas capazes de
oferecer um melhor desempenho no mercado.
Modelo para Determinação de
Empresas Líderes em Logística
Definição dos
Indicadores
Coleta dos
dados do
conjunto de
empresas
Empresas
Líderes em
Logística
Classificação
dos valores
de cada
indicador
Aplicação
da
ferramenta
Definição dos
pesos dos
indicadores
15
Estratégias e Indicadores
Os sistemas de medição de desempenho
constituem os elos entre os objetivos
estratégicos e o alinhamento da execução
prática das atividades nas empresas.
Qual a relação entre um piloto de
avião e um gestor?
“Sem que sejam estabelecidas metas e objetivos
para o negócio, este caminha sem direção.”
Estratégias e Indicadores
Mas de nada adianta existirem os objetivos se
não houver formas de verificar o seu
atingimento. É por isso que se procura definir
indicadores, para auxiliar na medição da
extensão em que a empresa está conseguindo
realizar aquilo que se propõe.
Estratégias e Indicadores
19
“Gerenciar significa monitorar os valores
dos indicadores disponíveis, intervindo para
corrigir desvios de rumo, quando tais
indicadores não apontam para os
resultados pretendidos.”
Estratégias e Indicadores
20
Medidas de Desempenho
 Medidas de desempenho são sinais vitais da
organização.
 Elas comunicam a estratégia para baixo, os
resultados dos processos para cima e o controle e
melhoria dentro dos processos.
 É a quantificação de quão bem as atividades
dentro de um processo ou seu output atingem
uma meta especificada.
22
Indicadores de Desempenho
“Gerenciar é controlar e agir corretivamente. Sem indicadores,
não há medição. Sem medição não há controle. Sem controle
não há gerenciamento.”
Joseph M. JURAN.
23
Indicadores de Desempenho
POR QUE USAR INDICADORES?
– Objetividade de avaliação;
– Profissionalização das decisões;
– Compreensão de prioridades de atuação;
– Transparência com o término dos feudos internos;
– Possibilidade de acompanhamento histórico;
– Definição sobre papéis e responsabilidades;
– Permitir o AUTO-GERENCIAMENTO.
24
Indicadores de Desempenho
• Definição:
Normalmente representados por VALORES E
GRANDEZAS MENSURÁVEIS, absolutas ou
relacionadas, que variam no tempo e/ou
espaço.
25
Características dos indicadores
Os indicadores devem ser:
• Objetivos no sentido de serem obtidos os mesmos resultados,
caso duas pessoas distintas realizem a medição (a subjetividade
da opinião de cada uma não deve ter qualquer impacto sobre os
resultados obtidos).
• Comparáveis, indica que medições distintas devem apresentar as
mesmas unidades e escalas, podendo ser colocadas lado a lado
para uma avaliação comparativa de desempenho (utilidade).
• Acessíveis, significa que os dados necessários devem ser de fácil
obtenção, pelos próprios processos e sistemas de informações
(custo x benefício)
• Válidos, indica que as medições devem realmente se referir àquilo
que se propõem medir (reproduzíveis).
26
Planejamento da Medição de Desempenho
• Um sistema de indicadores deve ser congruente
com o Plano Estratégico, para mensurar o grau
de sua realização. (Para atingir a meta com
eficácia)
• Níveis de um Plano de Medidores:
• Estratégicos – Objetivos, metas e indicadores da
Empresa.
• Tático – Metas e Prazos das UN e seus indicadores.
• Operacional – alvos e metas de equipes e de
indivíduos e seus desempenhos.
Eficiência e Eficácia
Eficiência e Eficácia
29
Ferramenta de medição de desempenho
Sistemas de Informações Gerenciais
• Desempenho Geral da Organização/Empresa:
– Mercado/Clientes/Vendas
– Econômico/Financeiro
– Produção/ Produtividade Geral
– Inovação/Sustentação
• Desempenho dos Recursos Produtivos:
– Recursos Humanos: Capacitação, motivação, empreendedorismo
– Matéria-Prima, Insumos e Produtos: Qualidade, Produtividade
– Capital: Equipamentos, Infraestrutura, Rentabilidade, Lucratividade
– Informação: Mercado, Industria, Sociedade
30
Estratégias e Indicadores
• A manutenção da competitividade depende do alinhamento
da organização com a estratégia escolhida.
• O sistema de medição de desempenho deve induzir a
preocupação com os objetivos e estratégias que os
motivaram nos processos da empresa.
• Não basta escolher a rota; é preciso medir se estamos nela e
a quanto estamos.
Organizações estão percebendo que medir a performance ajuda a:
– Quantificar, e em alguns casos estimar os valores futuros
– Estimar os pontos fortes e fracos dos processos do negócio
– Monitorar a performance dos esforços de melhoria
– Tomar decisões estratégicas
Você não pode gerenciar o que você não pode
medir!
Por que medir o desempenho?
Porque Medir?
• Acompanhar o desempenho
• Dar suporte ao processo de tomada de decisão
• Agilidade no processo de tomada de decisão
• Linguagem comum
• Influência na criação da cultura de excelência de
desempenho
• Transparência na divulgação dos resultados
• Melhoria do desempenho
• Motivação da equipe
• Clareza e alinhamento do pensamento: senso de prioridade
MEDINDO SEMPRE
Saiba porque está
medindo
As expectativas
dos clientes
devem tornar-se
Indicadores
Realize revisão
dos indicadores
Utilize a medição
para alterar
comportamentos
Divulgue
Finalidade dos indicadores
Monitorar o
desempenho
Sinalizar as
prioridades
Alinhamento
estratégico
Análise
estruturada
dos
resultados
Gestão
baseada em
fatos e
dados
Características de um Bom Indicador
Testado
em campo
Econômico
Disponível
a tempo
Fácil
entendimento
Compatível
Ser importante
Composição de um Indicador
1. Nome do indicador
2. Descrição
3. Área responsável
4. Responsável pela medição
5. Métrica (fórmula)
6. Forma de coleta
7. Meta
8. Frequência da medição
9. Referencial comparativo (melhores práticas)
JÁ MEDI. E AGORA, O QUE FAZER?
Os indicadores devem ser utilizados como instrumentos de
gerenciamento da empresa, fornecendo subsídios para o
planejamento do negócio, para a tomada de decisões,
para os processos de prevenção e para a melhoria da
qualidade e produtividade.
Case: Consultoria
VENDAS
0
5000
10000
15000
20000
25000
30000
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
TOTAL
DE
PEDIDOS
Pontos Meta
TOTAL DE PEDIDOS EMITIDOS NO
MÊS
PRAZO MÉDIO DE ENTREGA
0
5
10
15
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
DIAS
Prazo médio Meta
PRAZO MÉDIO DE ENTREGA
DEFINIDO NA VENDA
EFICÁCIA VENDAS
PERCENTUAL DE ORÇAMENTOS FECHADOS NO MÊS = (ORÇAMENTOS
FECHADOS NO MÊS)/(TOTAL DE ORÇAMENTOS)
0%
20%
40%
60%
80%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Desempenho Meta
TAXA DE CONVERSÃO
TAXA DE CONVERSÃO DOS ORÇAMENTOS EM PEDIDOS
7.65% 5.85%
3.24%
0.65%
5.63%
11.96%
2.11%
48.96%
2.38% 2.91% CUSTO INVIÁVEL
PREÇO
CONCORRENTE
MENOR
80.06%
19.94%
FECHAD…
SATISFAÇÃO CLIENTE
0%
20%
40%
60%
80%
100%
120%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
%
DE
SATISFAÇÃO
Nota Final Meta
PERGUNTAS DE SATISFAÇÃO, PONTUADAS DE 0 A 5:
1-ATENDIMENTO
2-QUALIDADE ESPECIFICADA
3-PRAZO DE ENTREGA COMBINADO
4-PRAZO DE ACORDO COM NECESSIDADE
5-VOLTARIA A COMPRAR?
LEAD TIME DEPTO ENGENHARIA
-1.00%
1.00%
3.00%
5.00%
7.00%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Percentual Meta
% = (PEDIDOS ATRASADOS, DEFINIDOS
PELO PCP / TOTAL DE PEDIDOS DO MÊS)
ÍNDICE DE FALHAS DE DESENHO
0.00%
1.00%
2.00%
3.00%
4.00%
5.00%
6.00%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
ÍNDICE DE FALHAS (%) Meta
% = (DESENHOS COM FALHA / NUMERO
DE PEDIDOS)
HORAS EXTRAS DEPTO ENGENHARIA
0.00%
1.00%
2.00%
3.00%
4.00%
5.00%
6.00%
7.00%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Percentual Meta
% = (HORAS EXTRAS REALIZADAS) / (TOTAL DE
HORAS DISPONIVEIS)
ABSENTEÍSMO DEPTO ENGENHARIA
0.00%
1.00%
2.00%
3.00%
4.00%
5.00%
6.00%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Percentual Meta
% = (HORAS DE ABSENTEISMO /
HORAS TOTAIS)
% = (HORAS RAIO ON /
HORAS LASER)
66%
68%
70%
72%
74%
76%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Produtividade 3030 NEW Meta
PRODUTIVIDADE MÉDIA DO EQUIPAMENTO
0%
20%
40%
60%
80%
100%
120%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Capacidade produtiva Meta
% = (HORAS TRABALHADAS / HORAS
DISPONIVEIS)
CAPACIDADE PRODUTIVA DO EQUIPAMENTO
CAPACIDADE PRODUTIVA GUILHOTINA
0%
10%
20%
30%
40%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Capacidade Produtiva Meta
% = (HORAS TRABALHADAS / HORAS DISPONIVEIS)
PRAZO DE ENTREGA
0%
20%
40%
60%
80%
100%
120%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Desempenho Meta
10 (sem atraso)
8 (1 a 3 dias)
6 (4 a 7 dias)
0 (mais de 8 dias)
PONTUAÇÃO:
CUSTO NÃO QUALIDADE
R$ 0.00
R$ 2,000.00
R$ 4,000.00
R$ 6,000.00
R$ 8,000.00
R$ 10,000.00
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
CUSTO MENSAL Meta
CUSTO DA REPOSIÇÃO DA PEÇA, VALOR DE VENDA
INVESTIMENTOS
0%
5%
10%
15%
20%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Investimento Meta
% = CAPITAL INVESTIDO / FATURAMENTO
(EM PONTOS)
ROTATIVIDADE DOS COLABORADORES
0%
1%
2%
3%
4%
5%
6%
7%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Rotatividade Meta
% = ADMISSÕES + DEMISSÕES / 2 / No. FUNCIONÁRIOS NO
MÊS
TREINAMENTO
HORAS DE TREINAMENTO / No. FUNCIONÁRIOS
0
2
4
6
8
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
HORAS
Horas treinamento Meta
NOTAS CANCELADAS
0
2
4
6
8
10
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
NOTAS
CANCELADAS
NOTAS CANCELADAS Meta
QUANTIDADE DE NOTAS CANCELADAS
FATURAMENTO
0
5000
10000
15000
20000
25000
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
PONTOS
Pontos Meta
VALORES EM PONTUAÇÃO
MANUTENÇÃO
R$ 0.00
R$ 5,000.00
R$ 10,000.00
R$ 15,000.00
R$ 20,000.00
R$ 25,000.00
R$ 30,000.00
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Custo Mensal (R$) Meta (R$)
CUSTO DA MANUTENÇÃO
CONSOLIDAÇÃO DE CARGA
0.00%
20.00%
40.00%
60.00%
80.00%
100.00%
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
CONSOLIDAÇÃO META
% = PESO DA CARGA / CAPACIDADE DO
VEÍCULO
Cuidado com os gurus!
CONCORRÊNCIA
CLIENTES
“Para conseguir o que
nunca conseguiu, você
tem de ser alguém
que nunca foi”
É TEMPO DE
NOVAS
COPEMPETÊNCIAS.
Muito Obrigado!
(44) 9969-1562
nieddermeyer@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Indicadores de Desempenho.pptx

Indicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
Indicadores de Desempenho - Ferramenta da QualidadeIndicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
Indicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
Ideia Consultoria
 
Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP Recurso
Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP RecursoCap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP Recurso
Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP Recurso
EloGroup
 
Maratona CBOK 2012 - Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP...
Maratona CBOK 2012 - Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP...Maratona CBOK 2012 - Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP...
Maratona CBOK 2012 - Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP...
EloGroup
 
Aula 8 Avaliação de Desempenho.pdf
Aula 8 Avaliação de Desempenho.pdfAula 8 Avaliação de Desempenho.pdf
Aula 8 Avaliação de Desempenho.pdf
Z3tyyTV
 
FERRAMENTAS DIGITAIS PARA GESTÃO DE INDICADORES E RISCOS EM LOGÍSTICA.docx.pdf
FERRAMENTAS DIGITAIS PARA GESTÃO DE INDICADORES E RISCOS EM LOGÍSTICA.docx.pdfFERRAMENTAS DIGITAIS PARA GESTÃO DE INDICADORES E RISCOS EM LOGÍSTICA.docx.pdf
FERRAMENTAS DIGITAIS PARA GESTÃO DE INDICADORES E RISCOS EM LOGÍSTICA.docx.pdf
megaacaipb
 
MENSURAÇÃO DE INDICADORES LOGÍSTICOS
MENSURAÇÃO DE INDICADORES LOGÍSTICOS MENSURAÇÃO DE INDICADORES LOGÍSTICOS
MENSURAÇÃO DE INDICADORES LOGÍSTICOS
megaacaipb
 
Criação e gestão de indicadores processo 1a parte
Criação e gestão de indicadores processo   1a parteCriação e gestão de indicadores processo   1a parte
Criação e gestão de indicadores processo 1a parte
Priscila Nogueira
 
Indicadores de desempenho norte da manutenção
Indicadores de desempenho   norte da manutençãoIndicadores de desempenho   norte da manutenção
Indicadores de desempenho norte da manutenção
Petroreconcavo
 
Gestão de resultados ga telecom
Gestão de resultados   ga telecomGestão de resultados   ga telecom
Gestão de resultados ga telecom
Antonio Moreira
 
Gestão de resultados Pague Menos Farmácias
Gestão de resultados   Pague Menos FarmáciasGestão de resultados   Pague Menos Farmácias
Gestão de resultados Pague Menos Farmácias
Antonio Moreira
 
KPI\'s
KPI\'sKPI\'s
Ta10
Ta10Ta10
Aula05
Aula05Aula05
Indicadores kpi frb
Indicadores kpi frbIndicadores kpi frb
Indicadores kpi frb
Sandro Marcel Santos
 
Planejamento e Controle de Sucesso
Planejamento e Controle de SucessoPlanejamento e Controle de Sucesso
Planejamento e Controle de Sucesso
Bassetto, JL
 
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.pptcriaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Ebook Processos Poderosos de Negócios
Ebook Processos Poderosos de NegóciosEbook Processos Poderosos de Negócios
Ebook Processos Poderosos de Negócios
Ideia Consultoria
 
Resultados
ResultadosResultados
Resultados
Caio Marin
 
Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
Gestão da Qualidade Total - Modulo  2Gestão da Qualidade Total - Modulo  2
Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
Silvio Carlos Valentini
 
Keys Performance Indicators Aplicado ao Departamento de Compras em Unidade Ho...
Keys Performance Indicators Aplicado ao Departamento de Compras em Unidade Ho...Keys Performance Indicators Aplicado ao Departamento de Compras em Unidade Ho...
Keys Performance Indicators Aplicado ao Departamento de Compras em Unidade Ho...
Aloizio Ziareski
 

Semelhante a Indicadores de Desempenho.pptx (20)

Indicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
Indicadores de Desempenho - Ferramenta da QualidadeIndicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
Indicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
 
Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP Recurso
Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP RecursoCap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP Recurso
Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP Recurso
 
Maratona CBOK 2012 - Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP...
Maratona CBOK 2012 - Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP...Maratona CBOK 2012 - Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP...
Maratona CBOK 2012 - Cap 6 – Gerenciamento de desempenho – Nicir Chaves, CBPP...
 
Aula 8 Avaliação de Desempenho.pdf
Aula 8 Avaliação de Desempenho.pdfAula 8 Avaliação de Desempenho.pdf
Aula 8 Avaliação de Desempenho.pdf
 
FERRAMENTAS DIGITAIS PARA GESTÃO DE INDICADORES E RISCOS EM LOGÍSTICA.docx.pdf
FERRAMENTAS DIGITAIS PARA GESTÃO DE INDICADORES E RISCOS EM LOGÍSTICA.docx.pdfFERRAMENTAS DIGITAIS PARA GESTÃO DE INDICADORES E RISCOS EM LOGÍSTICA.docx.pdf
FERRAMENTAS DIGITAIS PARA GESTÃO DE INDICADORES E RISCOS EM LOGÍSTICA.docx.pdf
 
MENSURAÇÃO DE INDICADORES LOGÍSTICOS
MENSURAÇÃO DE INDICADORES LOGÍSTICOS MENSURAÇÃO DE INDICADORES LOGÍSTICOS
MENSURAÇÃO DE INDICADORES LOGÍSTICOS
 
Criação e gestão de indicadores processo 1a parte
Criação e gestão de indicadores processo   1a parteCriação e gestão de indicadores processo   1a parte
Criação e gestão de indicadores processo 1a parte
 
Indicadores de desempenho norte da manutenção
Indicadores de desempenho   norte da manutençãoIndicadores de desempenho   norte da manutenção
Indicadores de desempenho norte da manutenção
 
Gestão de resultados ga telecom
Gestão de resultados   ga telecomGestão de resultados   ga telecom
Gestão de resultados ga telecom
 
Gestão de resultados Pague Menos Farmácias
Gestão de resultados   Pague Menos FarmáciasGestão de resultados   Pague Menos Farmácias
Gestão de resultados Pague Menos Farmácias
 
KPI\'s
KPI\'sKPI\'s
KPI\'s
 
Ta10
Ta10Ta10
Ta10
 
Aula05
Aula05Aula05
Aula05
 
Indicadores kpi frb
Indicadores kpi frbIndicadores kpi frb
Indicadores kpi frb
 
Planejamento e Controle de Sucesso
Planejamento e Controle de SucessoPlanejamento e Controle de Sucesso
Planejamento e Controle de Sucesso
 
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.pptcriaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
 
Ebook Processos Poderosos de Negócios
Ebook Processos Poderosos de NegóciosEbook Processos Poderosos de Negócios
Ebook Processos Poderosos de Negócios
 
Resultados
ResultadosResultados
Resultados
 
Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
Gestão da Qualidade Total - Modulo  2Gestão da Qualidade Total - Modulo  2
Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
 
Keys Performance Indicators Aplicado ao Departamento de Compras em Unidade Ho...
Keys Performance Indicators Aplicado ao Departamento de Compras em Unidade Ho...Keys Performance Indicators Aplicado ao Departamento de Compras em Unidade Ho...
Keys Performance Indicators Aplicado ao Departamento de Compras em Unidade Ho...
 

Mais de HenriqueLacerdaNiedd

Os desafios da logística.pptx
Os desafios da logística.pptxOs desafios da logística.pptx
Os desafios da logística.pptx
HenriqueLacerdaNiedd
 
A Evolução da TV no Brasil.pptx
A Evolução da TV no Brasil.pptxA Evolução da TV no Brasil.pptx
A Evolução da TV no Brasil.pptx
HenriqueLacerdaNiedd
 
Atendimento ao cliente.ppt
 Atendimento ao cliente.ppt Atendimento ao cliente.ppt
Atendimento ao cliente.ppt
HenriqueLacerdaNiedd
 
Motivação no Ambiente de Trabalho.pptx
Motivação no Ambiente de Trabalho.pptxMotivação no Ambiente de Trabalho.pptx
Motivação no Ambiente de Trabalho.pptx
HenriqueLacerdaNiedd
 
Segurança no Trabalho.pptx
Segurança no Trabalho.pptxSegurança no Trabalho.pptx
Segurança no Trabalho.pptx
HenriqueLacerdaNiedd
 
Trabalho em Equipe.pptx
Trabalho em Equipe.pptxTrabalho em Equipe.pptx
Trabalho em Equipe.pptx
HenriqueLacerdaNiedd
 
POLÍTICAS PÚBLICAS E LIMITE ORÇAMENTÁRIO.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS E LIMITE ORÇAMENTÁRIO.pptxPOLÍTICAS PÚBLICAS E LIMITE ORÇAMENTÁRIO.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS E LIMITE ORÇAMENTÁRIO.pptx
HenriqueLacerdaNiedd
 
POLÍTICAS PÚBLICAS - DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL - APLS.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS -  DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL - APLS.pptxPOLÍTICAS PÚBLICAS -  DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL - APLS.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS - DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL - APLS.pptx
HenriqueLacerdaNiedd
 

Mais de HenriqueLacerdaNiedd (8)

Os desafios da logística.pptx
Os desafios da logística.pptxOs desafios da logística.pptx
Os desafios da logística.pptx
 
A Evolução da TV no Brasil.pptx
A Evolução da TV no Brasil.pptxA Evolução da TV no Brasil.pptx
A Evolução da TV no Brasil.pptx
 
Atendimento ao cliente.ppt
 Atendimento ao cliente.ppt Atendimento ao cliente.ppt
Atendimento ao cliente.ppt
 
Motivação no Ambiente de Trabalho.pptx
Motivação no Ambiente de Trabalho.pptxMotivação no Ambiente de Trabalho.pptx
Motivação no Ambiente de Trabalho.pptx
 
Segurança no Trabalho.pptx
Segurança no Trabalho.pptxSegurança no Trabalho.pptx
Segurança no Trabalho.pptx
 
Trabalho em Equipe.pptx
Trabalho em Equipe.pptxTrabalho em Equipe.pptx
Trabalho em Equipe.pptx
 
POLÍTICAS PÚBLICAS E LIMITE ORÇAMENTÁRIO.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS E LIMITE ORÇAMENTÁRIO.pptxPOLÍTICAS PÚBLICAS E LIMITE ORÇAMENTÁRIO.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS E LIMITE ORÇAMENTÁRIO.pptx
 
POLÍTICAS PÚBLICAS - DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL - APLS.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS -  DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL - APLS.pptxPOLÍTICAS PÚBLICAS -  DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL - APLS.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS - DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL - APLS.pptx
 

Indicadores de Desempenho.pptx

  • 1. Indicadores de Desempenho Adm. Prof. Henrique Lacerda Nieddermeyer Consultor Empresarial
  • 2. Henrique Lacerda Nieddermeyer 1º. Tenente de Infantaria do Exército Brasileiro Professor Universitário Centro Universitário de Maringá – Unicesumar Professor T40 – Depto Administração Coordenador da Consultoria Júnior Administrador de Empresas MBA Executivo em Gestão Empresarial Mestrando em Gestão do Conhecimento Consultor de Negócios e Treinamentos Área de Gestão Empresarial EAD
  • 3. 3
  • 4. Definição de Logística “É o processo da cadeia de suprimentos responsável pelo planejamento, implementação, controle do fluxo e armazenagem eficientes e de baixo custo de matérias primas, estoque em processo, produto acabado e informações relacionadas, desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com objetivo de atender aos requisitos do cliente.” (Council of Logistics Management)
  • 5. Atividades Chave da Logística • Processamento de pedidos • Serviço ao cliente • Previsão e planejamento da demanda • Inventário • Compras • Distribuição e Transporte • Movimentação e Armazenagem • Logística reversa
  • 6. COMO VAI A LOGÍSTICA DA SUA EMPRESA?
  • 7. “Para quem não sabe aonde vai não há ventos favoráveis”
  • 8. Nível de Serviço Logístico É o resultado líquido de todos os esforços logísticos da empresa; É aquilo que o cliente percebe além do produto/serviço em si.
  • 10. Nível de Serviço Logístico
  • 11. O que querem os clientes?  Que quando peçam, tenha (processamento de pedidos, gestão de inventários, suprimentos)  Que o que pediram, chegue a tempo (transporte, distribuição e armazenagem)
  • 12.
  • 13. O que é uma Empresa Líder em Logística? É aquela que oferece maior agregação de valor aos seus clientes em relação aos seus concorrentes a partir de uma combinação harmônica de práticas logísticas capazes de oferecer um melhor desempenho no mercado.
  • 14. Modelo para Determinação de Empresas Líderes em Logística Definição dos Indicadores Coleta dos dados do conjunto de empresas Empresas Líderes em Logística Classificação dos valores de cada indicador Aplicação da ferramenta Definição dos pesos dos indicadores
  • 15. 15 Estratégias e Indicadores Os sistemas de medição de desempenho constituem os elos entre os objetivos estratégicos e o alinhamento da execução prática das atividades nas empresas.
  • 16. Qual a relação entre um piloto de avião e um gestor?
  • 17. “Sem que sejam estabelecidas metas e objetivos para o negócio, este caminha sem direção.” Estratégias e Indicadores
  • 18. Mas de nada adianta existirem os objetivos se não houver formas de verificar o seu atingimento. É por isso que se procura definir indicadores, para auxiliar na medição da extensão em que a empresa está conseguindo realizar aquilo que se propõe. Estratégias e Indicadores
  • 19. 19 “Gerenciar significa monitorar os valores dos indicadores disponíveis, intervindo para corrigir desvios de rumo, quando tais indicadores não apontam para os resultados pretendidos.” Estratégias e Indicadores
  • 20. 20 Medidas de Desempenho  Medidas de desempenho são sinais vitais da organização.  Elas comunicam a estratégia para baixo, os resultados dos processos para cima e o controle e melhoria dentro dos processos.  É a quantificação de quão bem as atividades dentro de um processo ou seu output atingem uma meta especificada.
  • 21.
  • 22. 22 Indicadores de Desempenho “Gerenciar é controlar e agir corretivamente. Sem indicadores, não há medição. Sem medição não há controle. Sem controle não há gerenciamento.” Joseph M. JURAN.
  • 23. 23 Indicadores de Desempenho POR QUE USAR INDICADORES? – Objetividade de avaliação; – Profissionalização das decisões; – Compreensão de prioridades de atuação; – Transparência com o término dos feudos internos; – Possibilidade de acompanhamento histórico; – Definição sobre papéis e responsabilidades; – Permitir o AUTO-GERENCIAMENTO.
  • 24. 24 Indicadores de Desempenho • Definição: Normalmente representados por VALORES E GRANDEZAS MENSURÁVEIS, absolutas ou relacionadas, que variam no tempo e/ou espaço.
  • 25. 25 Características dos indicadores Os indicadores devem ser: • Objetivos no sentido de serem obtidos os mesmos resultados, caso duas pessoas distintas realizem a medição (a subjetividade da opinião de cada uma não deve ter qualquer impacto sobre os resultados obtidos). • Comparáveis, indica que medições distintas devem apresentar as mesmas unidades e escalas, podendo ser colocadas lado a lado para uma avaliação comparativa de desempenho (utilidade). • Acessíveis, significa que os dados necessários devem ser de fácil obtenção, pelos próprios processos e sistemas de informações (custo x benefício) • Válidos, indica que as medições devem realmente se referir àquilo que se propõem medir (reproduzíveis).
  • 26. 26 Planejamento da Medição de Desempenho • Um sistema de indicadores deve ser congruente com o Plano Estratégico, para mensurar o grau de sua realização. (Para atingir a meta com eficácia) • Níveis de um Plano de Medidores: • Estratégicos – Objetivos, metas e indicadores da Empresa. • Tático – Metas e Prazos das UN e seus indicadores. • Operacional – alvos e metas de equipes e de indivíduos e seus desempenhos.
  • 29. 29 Ferramenta de medição de desempenho Sistemas de Informações Gerenciais • Desempenho Geral da Organização/Empresa: – Mercado/Clientes/Vendas – Econômico/Financeiro – Produção/ Produtividade Geral – Inovação/Sustentação • Desempenho dos Recursos Produtivos: – Recursos Humanos: Capacitação, motivação, empreendedorismo – Matéria-Prima, Insumos e Produtos: Qualidade, Produtividade – Capital: Equipamentos, Infraestrutura, Rentabilidade, Lucratividade – Informação: Mercado, Industria, Sociedade
  • 30. 30 Estratégias e Indicadores • A manutenção da competitividade depende do alinhamento da organização com a estratégia escolhida. • O sistema de medição de desempenho deve induzir a preocupação com os objetivos e estratégias que os motivaram nos processos da empresa. • Não basta escolher a rota; é preciso medir se estamos nela e a quanto estamos.
  • 31. Organizações estão percebendo que medir a performance ajuda a: – Quantificar, e em alguns casos estimar os valores futuros – Estimar os pontos fortes e fracos dos processos do negócio – Monitorar a performance dos esforços de melhoria – Tomar decisões estratégicas Você não pode gerenciar o que você não pode medir! Por que medir o desempenho?
  • 32. Porque Medir? • Acompanhar o desempenho • Dar suporte ao processo de tomada de decisão • Agilidade no processo de tomada de decisão • Linguagem comum • Influência na criação da cultura de excelência de desempenho • Transparência na divulgação dos resultados • Melhoria do desempenho • Motivação da equipe • Clareza e alinhamento do pensamento: senso de prioridade
  • 33. MEDINDO SEMPRE Saiba porque está medindo As expectativas dos clientes devem tornar-se Indicadores Realize revisão dos indicadores Utilize a medição para alterar comportamentos Divulgue
  • 34. Finalidade dos indicadores Monitorar o desempenho Sinalizar as prioridades Alinhamento estratégico Análise estruturada dos resultados Gestão baseada em fatos e dados
  • 35. Características de um Bom Indicador Testado em campo Econômico Disponível a tempo Fácil entendimento Compatível Ser importante
  • 36. Composição de um Indicador 1. Nome do indicador 2. Descrição 3. Área responsável 4. Responsável pela medição 5. Métrica (fórmula) 6. Forma de coleta 7. Meta 8. Frequência da medição 9. Referencial comparativo (melhores práticas)
  • 37. JÁ MEDI. E AGORA, O QUE FAZER? Os indicadores devem ser utilizados como instrumentos de gerenciamento da empresa, fornecendo subsídios para o planejamento do negócio, para a tomada de decisões, para os processos de prevenção e para a melhoria da qualidade e produtividade.
  • 39. VENDAS 0 5000 10000 15000 20000 25000 30000 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ TOTAL DE PEDIDOS Pontos Meta TOTAL DE PEDIDOS EMITIDOS NO MÊS
  • 40. PRAZO MÉDIO DE ENTREGA 0 5 10 15 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ DIAS Prazo médio Meta PRAZO MÉDIO DE ENTREGA DEFINIDO NA VENDA
  • 41. EFICÁCIA VENDAS PERCENTUAL DE ORÇAMENTOS FECHADOS NO MÊS = (ORÇAMENTOS FECHADOS NO MÊS)/(TOTAL DE ORÇAMENTOS) 0% 20% 40% 60% 80% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Desempenho Meta
  • 42. TAXA DE CONVERSÃO TAXA DE CONVERSÃO DOS ORÇAMENTOS EM PEDIDOS 7.65% 5.85% 3.24% 0.65% 5.63% 11.96% 2.11% 48.96% 2.38% 2.91% CUSTO INVIÁVEL PREÇO CONCORRENTE MENOR 80.06% 19.94% FECHAD…
  • 43. SATISFAÇÃO CLIENTE 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ % DE SATISFAÇÃO Nota Final Meta PERGUNTAS DE SATISFAÇÃO, PONTUADAS DE 0 A 5: 1-ATENDIMENTO 2-QUALIDADE ESPECIFICADA 3-PRAZO DE ENTREGA COMBINADO 4-PRAZO DE ACORDO COM NECESSIDADE 5-VOLTARIA A COMPRAR?
  • 44. LEAD TIME DEPTO ENGENHARIA -1.00% 1.00% 3.00% 5.00% 7.00% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Percentual Meta % = (PEDIDOS ATRASADOS, DEFINIDOS PELO PCP / TOTAL DE PEDIDOS DO MÊS)
  • 45. ÍNDICE DE FALHAS DE DESENHO 0.00% 1.00% 2.00% 3.00% 4.00% 5.00% 6.00% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ÍNDICE DE FALHAS (%) Meta % = (DESENHOS COM FALHA / NUMERO DE PEDIDOS)
  • 46. HORAS EXTRAS DEPTO ENGENHARIA 0.00% 1.00% 2.00% 3.00% 4.00% 5.00% 6.00% 7.00% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Percentual Meta % = (HORAS EXTRAS REALIZADAS) / (TOTAL DE HORAS DISPONIVEIS)
  • 47. ABSENTEÍSMO DEPTO ENGENHARIA 0.00% 1.00% 2.00% 3.00% 4.00% 5.00% 6.00% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Percentual Meta % = (HORAS DE ABSENTEISMO / HORAS TOTAIS)
  • 48. % = (HORAS RAIO ON / HORAS LASER) 66% 68% 70% 72% 74% 76% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Produtividade 3030 NEW Meta PRODUTIVIDADE MÉDIA DO EQUIPAMENTO
  • 49. 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Capacidade produtiva Meta % = (HORAS TRABALHADAS / HORAS DISPONIVEIS) CAPACIDADE PRODUTIVA DO EQUIPAMENTO
  • 50. CAPACIDADE PRODUTIVA GUILHOTINA 0% 10% 20% 30% 40% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Capacidade Produtiva Meta % = (HORAS TRABALHADAS / HORAS DISPONIVEIS)
  • 51. PRAZO DE ENTREGA 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Desempenho Meta 10 (sem atraso) 8 (1 a 3 dias) 6 (4 a 7 dias) 0 (mais de 8 dias) PONTUAÇÃO:
  • 52. CUSTO NÃO QUALIDADE R$ 0.00 R$ 2,000.00 R$ 4,000.00 R$ 6,000.00 R$ 8,000.00 R$ 10,000.00 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ CUSTO MENSAL Meta CUSTO DA REPOSIÇÃO DA PEÇA, VALOR DE VENDA
  • 53. INVESTIMENTOS 0% 5% 10% 15% 20% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Investimento Meta % = CAPITAL INVESTIDO / FATURAMENTO (EM PONTOS)
  • 54. ROTATIVIDADE DOS COLABORADORES 0% 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Rotatividade Meta % = ADMISSÕES + DEMISSÕES / 2 / No. FUNCIONÁRIOS NO MÊS
  • 55. TREINAMENTO HORAS DE TREINAMENTO / No. FUNCIONÁRIOS 0 2 4 6 8 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ HORAS Horas treinamento Meta
  • 56. NOTAS CANCELADAS 0 2 4 6 8 10 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ NOTAS CANCELADAS NOTAS CANCELADAS Meta QUANTIDADE DE NOTAS CANCELADAS
  • 57. FATURAMENTO 0 5000 10000 15000 20000 25000 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ PONTOS Pontos Meta VALORES EM PONTUAÇÃO
  • 58. MANUTENÇÃO R$ 0.00 R$ 5,000.00 R$ 10,000.00 R$ 15,000.00 R$ 20,000.00 R$ 25,000.00 R$ 30,000.00 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Custo Mensal (R$) Meta (R$) CUSTO DA MANUTENÇÃO
  • 59. CONSOLIDAÇÃO DE CARGA 0.00% 20.00% 40.00% 60.00% 80.00% 100.00% JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ CONSOLIDAÇÃO META % = PESO DA CARGA / CAPACIDADE DO VEÍCULO
  • 60. Cuidado com os gurus!
  • 61.
  • 63. “Para conseguir o que nunca conseguiu, você tem de ser alguém que nunca foi” É TEMPO DE NOVAS COPEMPETÊNCIAS.