SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
HISTÓRIA DA INDUMENTÁRIA E MODA 
IDADE CONTEMPORÂNEA 
A ERA DAS REVOLUÇÕES 
PROF. ODAIR TUONO
REVOLUÇÃO FRANCESA 
O clero e a nobreza eram as clas-ses 
mais favorecidas na França do 
séc. XVIII, a insatisfação com as di-ferenças 
sociais e o excesso de 
privilégios desta hierarquia gerou 
uma revolta popular. 
Burgueses, trabalhadores urbanos e 
campesinos foram responsáveis pe-la 
transformação do sistema político 
que chegou ao séc. XIX com a mo-narquia 
Imperial. 
I. A liberdade guiando o povo, séc. 
XIX. Eugène Delacroix. Museu do 
Louvre, Paris.
NEOCLÁSSICO 
A Revolução Francesa de-cretou 
um ponto final nos ex-cessos, 
tornando as roupas 
práticas e confortáveis com 
influência da Inglaterra cam-pestre. 
O traje masculino adquiriu o 
caráter de sobriedade. O ca-saco 
inglês de caça; a calça 
justa de casimira, botas e go-las 
altas adornadas por len-ços 
amarrados garantiam um 
visual austero e sofisticado. 
I. Bonaparte no São Ber-nardo. 
Séc. XIX. Jacques- 
Louis David.
NEOCLÁSSICO 
A musseline ou cambraia eram os 
tecidos usados em vestidos de cin-tura 
alta, logo abaixo do seio. 
O aspecto greco-romano é valoriza-do 
influenciando a vestimenta e o ti-po 
de cabelo com aspecto despen-teado. 
Os complementos para o vestido 
império eram as luvas longas, o 
chapéu boneca, os sapatos baixos e 
o xale de cashemer. 
I. Mademoiselles Mollien , 1811. 
George Rouget. Louvre, Paris.
NEOCLÁSSICO 
A roupa feminina do período era o 
vestido império, enquanto o traje 
masculino foi influenciado pela cul-tura 
inglesa. 
O estilo que transparecia conforto e 
sobriedade foi difundido por toda 
Europa e suas classes dominantes. 
Em 1790 a palavra de ordem era 
despojamento perdurando até 1820 
quando o Romantismo entra em ce-na 
resgatando valores do passado 
para o traje feminino. 
I. Ilustração, John Peacock.
NEOCLÁSSICO 
Artistas do período neoclássico: 
• Angélica Kauffmann. 
• Élisabeth Vigée-Lebrun. 
• François Gérard. 
• Jacques-Louis David. 
• Jean Auguste Dominique Ingres. 
• John Martin. 
• Louis-Léopold Boilly. 
I. Madame. Devauça, séc. XIX. 
Jean-Auguste Dominique Ingres.
NEOCLÁSSICO 
• Entrevista com o Vampiro. (1994, 
EUA). 
• O Conde de Monte Cristo (2002, 
EUA). 
• Napoleão (2002, FRA). 
• Orgulho e Preconceito (2005, 
ING/FRA/EUA). 
• Razão e Sensibilidade (1995, 
EUA /ING). 
I. Madame Récamier. François 
Gérard, 1802.
ROMANTISMO 
I. Imperatiz Eugenia e suas damas 
de honra, 1855. François-Xavier 
Winterhalter.
ROMANTISMO 
No período romântico as mulheres 
resgatam os valores tradicionais de 
ostentação, os tecidos podiam exibir 
estampas de listras ou flores. 
A cintura voltou ao local adequado e 
as saias ganharam volume pelo uso 
da anáguas, o corpete ajudava no 
contorno da silhueta que se encami-nhava 
para uma ampulheta. 
O decote aparecia nas roupas para 
noite em forma de canoa revelando 
a fragilidade da mulher. 
I. Imperatriz Elisabeth da Áustria 
(Sissi), séc. XIX. François-Xavier 
Winterhalter.
ROMANTISMO 
As mangas bufantes podiam ser 
curtas ou longas como a manche 
gigot. 
As peças ornamentadas por laços, 
fitas, babados e flores. Jóias tipo 
relicários, cruzes, pulseiras, broches 
e o leque era indispensáveis. 
Os chapéus de palha ou cetim eram 
amarrados sob o queixo, fitas, flores 
e plumas completavam o acessório. 
A moda masculina mantinha sua 
austeridade e influência inglesa. 
I. Ilustração, John Peacock.
ROMANTISMO 
O inglês George Bryan Brummel 
(1778-1840) determinou um estilo 
de comportamento social que influ-enciou 
a vestimenta masculina origi-nando 
o dandismo. 
O refinamento na conduta social 
aliado e roupas justas conferiam o 
aspecto de arrogância característico 
do dandy. 
Casaco, colete, calça curta ou com-prida 
deveriam ser impecáveis e o 
pescoço sempre adornado com len-ço 
em nós sofisticados. 
I. Influência da roupa de caça ingle-sa.
ROMANTISMO 
Oscar Wilde (1854-1900). Drama-turgo, 
escritor e poeta irlandês. Ex-poente 
da literatura inglesa, tratava 
com ironia os costumes da época. 
"O mundo pode ser um palco, mas o 
elenco é um horror." 
"Viva depressa, morra jovem e seja 
um cadáver atraente." 
"Meus gostos são simples: prefiro o 
melhor de tudo." 
A Importância de ser prudente e O 
retrato de Dorian Gray fazem parte 
de suas celebres obras. 
I. Oscar Wilde, escritor dandy.
ROMANTISMO 
Artistas do período romântico: 
• Francisco Goya y Lucientes. 
• Eugène de Delacroix. 
• François-Xavier Winterhalter. 
• William Powell Frith 
I. Marquesa de Pontejo, c. 1786. 
Goya
ERA VITORIANA 
Na Era Vitoriana, a Inglaterra viveu o apo-geu 
da burguesia com as exportações, 
período da corte da Rainha Alexandrina 
Vitória que reinou na Inglaterra durante 
1837 a 1901. 
Foram criados rígidos códigos de postura, 
durante o reinado, a Inglaterra ficou co-nhecida 
pela rígida repressão das prá-ticas 
sexuais, acompanhadas de intensa 
valorização da vida familiar. 
A Rainha Vitória casou-se com o príncipe 
Albert em 1840, usando um vestido bran-co 
de renda sobre cetim, sendo a primeira 
mulher a casar de branco. Após a morte 
de seu marido, em 1861, a rainha lançou 
outra moda: passou quase dez anos ves-tindo 
somente o preto em sinal de luto.
ERA VITORIANA 
A Revolução Industrial, ascensão da 
burguesia e a prosperidade do 
consumo estabeleceram as regras a 
partir de 1850. 
O volume das saias eram ampliado 
pelo uso da crinolina feita com aros 
de metal e crina de cavalo. 
Os tecidos utilizados eram sofistica-dos 
como a seda, cetim, lã, tafetá, 
brocado, crepe entre outros. 
I. Mulheres no Jardim, 1866. Claude 
Monet. Museu do Louvre, Paris
ERA VITORIANA 
O vestuário masculino era comple-tamente 
oposto ao feminino, exe-cessos 
e extravagâncias foram dei-xados 
de lado pela roupa de traba-lho. 
O costume era acompanhado pela 
gravata, cartola e o relógio de bolso, 
cuja corrente pendia do colete. 
A sobriedade era completada pelo 
uso do bigode ou barba emolduran-do 
a face do homem de negócios. 
I. Londres final do século XVIII.
ERA VITORIANA 
No final da era vitoriana o volume 
das saias ganharam novas propor-ções, 
se tornando reto na frente e 
com volume na parte traseira. 
As anquinhas garantiam o volume 
as saias, a cintura era marcada pelo 
espartilho e muito se evidenciou os 
vestidos com cauda. 
A mulher refletia todo o poder e os-tentação 
do prospero homem volta-do 
para o trabalho e a indústria. 
I. Ilustração, John Peacock.
ERA VITORIANA 
• Adoráveis Mulheres (1994, EUA). 
• Drácula de Bram Stoker (1992, 
EUA). 
• ... E o Vento Levou (1939, EUA). 
• A Liga Extraordinária (2003, 
EUA). 
• Oliver Twist (2005, ING/FRA/IT). 
• Van Helsing (2004, EUA). 
• Wilde (1997, ING). 
I. Retrato de Angelica Schuyler 
Crosby. EUA.
ARTES – SÉCULO XIX 
Pintores do século XIX. 
• Gustave Coubert. 
• Édouard Manet. 
• Claude Monet. 
• Pierre Auguste Renoir. 
• Edgar Degas. 
• George Seurat. 
• Paul Signac. 
I. O Bar do Folies-Bergère, 
1882. Édouard Manet.
FILMES – SÉCULO XIX 
• Anna Karenina (1996, EUA). 
• Camille Claude (1988, FRA). 
• A Época da Inocência (1993, 
EUA) 
• Um Amor de Swann (1984, 
FRA/ALE) 
• Asas do Amor (1997, ING). 
• Titanic (1998, EUA). 
I. Cedo demais. James Tissot, 1873. 
Reine des Centfeuilles.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
ABRIL, Editora. Enciclopédia Multimídia da Arte Universal. São Paulo: 
Alphabetum Edições Multimídia, 1997. 
BRAGA, João. História da Moda: uma narrativa. São Paulo: Editora Anhembi 
Morumbi, 2004. 
BOUCHER, François. A History of Costume in the West. Nova York: Thames and 
Hudson Ltd., 1987. 
LAVER, James. A roupa e a moda uma história concisa. São Paulo: Companhia 
das Letras, 1996. 
PEACOCK, John. The Chronicle of Western Costume. Londres: Thames and 
Hudson Ltd., 1991.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ideologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xixIdeologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xixPrivada
 
Mapa conceitual absolutismo e mercantilismo - info historia
Mapa conceitual   absolutismo e mercantilismo - info historiaMapa conceitual   absolutismo e mercantilismo - info historia
Mapa conceitual absolutismo e mercantilismo - info historiaValdirene Sousa
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrialMarcos Azevedo
 
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismoSéc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismoDouglas Barraqui
 
Revolucão Francesa
Revolucão FrancesaRevolucão Francesa
Revolucão Francesaeiprofessor
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaEdenilson Morais
 
O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)Nefer19
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXdmflores21
 
Karl marx e as classes sociais
Karl marx e as classes sociaisKarl marx e as classes sociais
Karl marx e as classes sociaisItalo Colares
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. anoFatima Freitas
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXIsabel Aguiar
 

Mais procurados (20)

Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Ideologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xixIdeologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xix
 
Mapa conceitual absolutismo e mercantilismo - info historia
Mapa conceitual   absolutismo e mercantilismo - info historiaMapa conceitual   absolutismo e mercantilismo - info historia
Mapa conceitual absolutismo e mercantilismo - info historia
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
 
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismoSéc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
 
Revolucão Francesa
Revolucão FrancesaRevolucão Francesa
Revolucão Francesa
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
 
O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIALREVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIX
 
Karl marx e as classes sociais
Karl marx e as classes sociaisKarl marx e as classes sociais
Karl marx e as classes sociais
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A Revolução Russa
 

Destaque

Idade contemporânea a revolução francesa
Idade contemporânea   a revolução francesaIdade contemporânea   a revolução francesa
Idade contemporânea a revolução francesaRodrigo Cestari
 
Introdução Ao Mundo Contemporâneo
Introdução Ao Mundo Contemporâneo Introdução Ao Mundo Contemporâneo
Introdução Ao Mundo Contemporâneo wyliannemaia
 
Idade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas DescobertasIdade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas DescobertasOdair Tuono
 
Idade contemporânea e mundo no século xix
Idade contemporânea e mundo no século xixIdade contemporânea e mundo no século xix
Idade contemporânea e mundo no século xixGesner Santana
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade modernaPrivada
 
7º anos - Idade Moderna e suas transformações
7º anos - Idade Moderna e suas transformações7º anos - Idade Moderna e suas transformações
7º anos - Idade Moderna e suas transformaçõesHandel Ching
 
História Contemporânea I
História Contemporânea IHistória Contemporânea I
História Contemporânea IManu Moraes
 
As transformações do mundo contemporâneo
As transformações do mundo contemporâneoAs transformações do mundo contemporâneo
As transformações do mundo contemporâneoJoao Oliveira
 
Sociedade contemporânea e suas transformações
Sociedade contemporânea e suas transformaçõesSociedade contemporânea e suas transformações
Sociedade contemporânea e suas transformaçõesLuan Ismar
 
Sociedade contemporânea
Sociedade contemporâneaSociedade contemporânea
Sociedade contemporâneaLuan Ismar
 
Idade média e idade moderna
Idade média e idade modernaIdade média e idade moderna
Idade média e idade modernaRamiro Bicca
 
ENCONTROS ENTRE A ARTE E A MODA.
ENCONTROS ENTRE A ARTE E A MODA.ENCONTROS ENTRE A ARTE E A MODA.
ENCONTROS ENTRE A ARTE E A MODA.Odair Tuono
 
Grécia Antiga até a Idade Média
Grécia Antiga até a Idade MédiaGrécia Antiga até a Idade Média
Grécia Antiga até a Idade MédiaOdair Tuono
 
Os terremotos no brasil
Os terremotos no brasilOs terremotos no brasil
Os terremotos no brasilcrishmuler
 
MUNDO CONTEMPORANEO
MUNDO CONTEMPORANEOMUNDO CONTEMPORANEO
MUNDO CONTEMPORANEOAdemaSomar14
 

Destaque (20)

Idade contemporânea a revolução francesa
Idade contemporânea   a revolução francesaIdade contemporânea   a revolução francesa
Idade contemporânea a revolução francesa
 
História contemporânea
História contemporâneaHistória contemporânea
História contemporânea
 
Introdução Ao Mundo Contemporâneo
Introdução Ao Mundo Contemporâneo Introdução Ao Mundo Contemporâneo
Introdução Ao Mundo Contemporâneo
 
Idade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas DescobertasIdade Moderna - Novas Descobertas
Idade Moderna - Novas Descobertas
 
A Idade Moderna
A Idade ModernaA Idade Moderna
A Idade Moderna
 
Idade contemporânea e mundo no século xix
Idade contemporânea e mundo no século xixIdade contemporânea e mundo no século xix
Idade contemporânea e mundo no século xix
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
 
7º anos - Idade Moderna e suas transformações
7º anos - Idade Moderna e suas transformações7º anos - Idade Moderna e suas transformações
7º anos - Idade Moderna e suas transformações
 
História Contemporânea I
História Contemporânea IHistória Contemporânea I
História Contemporânea I
 
As transformações do mundo contemporâneo
As transformações do mundo contemporâneoAs transformações do mundo contemporâneo
As transformações do mundo contemporâneo
 
Sociedade contemporânea e suas transformações
Sociedade contemporânea e suas transformaçõesSociedade contemporânea e suas transformações
Sociedade contemporânea e suas transformações
 
Sociedade contemporânea
Sociedade contemporâneaSociedade contemporânea
Sociedade contemporânea
 
Idade média e idade moderna
Idade média e idade modernaIdade média e idade moderna
Idade média e idade moderna
 
ENCONTROS ENTRE A ARTE E A MODA.
ENCONTROS ENTRE A ARTE E A MODA.ENCONTROS ENTRE A ARTE E A MODA.
ENCONTROS ENTRE A ARTE E A MODA.
 
Introdução ao estudo da história pps
Introdução ao estudo da história ppsIntrodução ao estudo da história pps
Introdução ao estudo da história pps
 
Grécia Antiga até a Idade Média
Grécia Antiga até a Idade MédiaGrécia Antiga até a Idade Média
Grécia Antiga até a Idade Média
 
Sociedade Contemporanea
Sociedade ContemporaneaSociedade Contemporanea
Sociedade Contemporanea
 
Os terremotos no brasil
Os terremotos no brasilOs terremotos no brasil
Os terremotos no brasil
 
MUNDO CONTEMPORANEO
MUNDO CONTEMPORANEOMUNDO CONTEMPORANEO
MUNDO CONTEMPORANEO
 
Carta da terra
Carta da terraCarta da terra
Carta da terra
 

Semelhante a Idade Contemporânea - Revoluções e Novo Status Quo

PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIX
PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIXPS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIX
PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIXOdair Tuono
 
SÉCULO XX - 1900 BELLE ÉPOQUE + I GUERRA MUNDIAL
SÉCULO XX - 1900 BELLE ÉPOQUE + I GUERRA MUNDIALSÉCULO XX - 1900 BELLE ÉPOQUE + I GUERRA MUNDIAL
SÉCULO XX - 1900 BELLE ÉPOQUE + I GUERRA MUNDIALOdair Tuono
 
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40SÉCULO XX - ANOS 20 A 40
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40Odair Tuono
 
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTASPS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTASOdair Tuono
 
Revista de história barbara
Revista de história barbaraRevista de história barbara
Revista de história barbaraThomas Custodio
 
Rococó-Indumentária II
Rococó-Indumentária IIRococó-Indumentária II
Rococó-Indumentária IIfgfhfdhdf
 
Apontamentos sobre Moda
Apontamentos sobre ModaApontamentos sobre Moda
Apontamentos sobre Modammdaaraujo
 
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XVPesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XVNicolasSantos70
 
1 século xix império e romantismo
1  século xix   império e romantismo1  século xix   império e romantismo
1 século xix império e romantismoRyu Cenobita
 
Portifólio História da Moda Brasileira
Portifólio História da Moda BrasileiraPortifólio História da Moda Brasileira
Portifólio História da Moda BrasileiraCarolina Afiune
 

Semelhante a Idade Contemporânea - Revoluções e Novo Status Quo (20)

PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIX
PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIXPS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIX
PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIX
 
SÉCULO XX - 1900 BELLE ÉPOQUE + I GUERRA MUNDIAL
SÉCULO XX - 1900 BELLE ÉPOQUE + I GUERRA MUNDIALSÉCULO XX - 1900 BELLE ÉPOQUE + I GUERRA MUNDIAL
SÉCULO XX - 1900 BELLE ÉPOQUE + I GUERRA MUNDIAL
 
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40SÉCULO XX - ANOS 20 A 40
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40
 
2 a 1880 a 1919
2 a 1880 a 19192 a 1880 a 1919
2 a 1880 a 1919
 
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTASPS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
 
Revista de história barbara
Revista de história barbaraRevista de história barbara
Revista de história barbara
 
Rococó-Indumentária II
Rococó-Indumentária IIRococó-Indumentária II
Rococó-Indumentária II
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
14 romantismo
14 romantismo14 romantismo
14 romantismo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
9 romantismo 2020
9 romantismo 20209 romantismo 2020
9 romantismo 2020
 
Apontamentos sobre Moda
Apontamentos sobre ModaApontamentos sobre Moda
Apontamentos sobre Moda
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
ROMANTISMO
ROMANTISMOROMANTISMO
ROMANTISMO
 
Década de 20
Década de 20Década de 20
Década de 20
 
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XVPesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
Pesquisa Histórica - Vestuário Masculino e Acessórios dos Séculos XIII, XIV e XV
 
1 século xix império e romantismo
1  século xix   império e romantismo1  século xix   império e romantismo
1 século xix império e romantismo
 
Portifólio História da Moda Brasileira
Portifólio História da Moda BrasileiraPortifólio História da Moda Brasileira
Portifólio História da Moda Brasileira
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
 
1010
10101010
1010
 

Mais de Odair Tuono

ARQ - Coleção Ultra Voyage
ARQ - Coleção Ultra VoyageARQ - Coleção Ultra Voyage
ARQ - Coleção Ultra VoyageOdair Tuono
 
EHA 07 Wearable Art
EHA 07 Wearable ArtEHA 07 Wearable Art
EHA 07 Wearable ArtOdair Tuono
 
EHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte UrbanaEHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte UrbanaOdair Tuono
 
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIO
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIOOPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIO
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIOOdair Tuono
 
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃ
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃPS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃ
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃOdair Tuono
 
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGOPS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGOOdair Tuono
 
OPC 02 LINGUAGEM VISUAL
OPC 02 LINGUAGEM VISUALOPC 02 LINGUAGEM VISUAL
OPC 02 LINGUAGEM VISUALOdair Tuono
 
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVA
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVAOPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVA
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVAOdair Tuono
 
PS 01 IMAGEM ASSERTIVA
PS 01 IMAGEM ASSERTIVAPS 01 IMAGEM ASSERTIVA
PS 01 IMAGEM ASSERTIVAOdair Tuono
 
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIO
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIOCI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIO
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIOOdair Tuono
 
CI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIACI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIAOdair Tuono
 
LC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento PerceptivoLC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento PerceptivoOdair Tuono
 
CI 03 Imagem Social
CI 03 Imagem SocialCI 03 Imagem Social
CI 03 Imagem SocialOdair Tuono
 
LC 02 Métodos Criativos
LC 02 Métodos CriativosLC 02 Métodos Criativos
LC 02 Métodos CriativosOdair Tuono
 
CI 02 Moda e Cultura
CI 02 Moda e CulturaCI 02 Moda e Cultura
CI 02 Moda e CulturaOdair Tuono
 

Mais de Odair Tuono (20)

ARQ - Coleção Ultra Voyage
ARQ - Coleção Ultra VoyageARQ - Coleção Ultra Voyage
ARQ - Coleção Ultra Voyage
 
EHA 07 Wearable Art
EHA 07 Wearable ArtEHA 07 Wearable Art
EHA 07 Wearable Art
 
EHA 06 Freak
EHA 06 FreakEHA 06 Freak
EHA 06 Freak
 
EHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte UrbanaEHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte Urbana
 
EHA 04 Kitsch
EHA 04 KitschEHA 04 Kitsch
EHA 04 Kitsch
 
EHA 03 Cor
EHA 03 CorEHA 03 Cor
EHA 03 Cor
 
EHA 02 Sagrado
EHA 02 SagradoEHA 02 Sagrado
EHA 02 Sagrado
 
EHA01 Conceitos
EHA01 ConceitosEHA01 Conceitos
EHA01 Conceitos
 
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIO
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIOOPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIO
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIO
 
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃ
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃPS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃ
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃ
 
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGOPS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
 
OPC 02 LINGUAGEM VISUAL
OPC 02 LINGUAGEM VISUALOPC 02 LINGUAGEM VISUAL
OPC 02 LINGUAGEM VISUAL
 
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVA
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVAOPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVA
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVA
 
PS 01 IMAGEM ASSERTIVA
PS 01 IMAGEM ASSERTIVAPS 01 IMAGEM ASSERTIVA
PS 01 IMAGEM ASSERTIVA
 
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIO
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIOCI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIO
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIO
 
CI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIACI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIA
 
LC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento PerceptivoLC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento Perceptivo
 
CI 03 Imagem Social
CI 03 Imagem SocialCI 03 Imagem Social
CI 03 Imagem Social
 
LC 02 Métodos Criativos
LC 02 Métodos CriativosLC 02 Métodos Criativos
LC 02 Métodos Criativos
 
CI 02 Moda e Cultura
CI 02 Moda e CulturaCI 02 Moda e Cultura
CI 02 Moda e Cultura
 

Idade Contemporânea - Revoluções e Novo Status Quo

  • 1. HISTÓRIA DA INDUMENTÁRIA E MODA IDADE CONTEMPORÂNEA A ERA DAS REVOLUÇÕES PROF. ODAIR TUONO
  • 2. REVOLUÇÃO FRANCESA O clero e a nobreza eram as clas-ses mais favorecidas na França do séc. XVIII, a insatisfação com as di-ferenças sociais e o excesso de privilégios desta hierarquia gerou uma revolta popular. Burgueses, trabalhadores urbanos e campesinos foram responsáveis pe-la transformação do sistema político que chegou ao séc. XIX com a mo-narquia Imperial. I. A liberdade guiando o povo, séc. XIX. Eugène Delacroix. Museu do Louvre, Paris.
  • 3. NEOCLÁSSICO A Revolução Francesa de-cretou um ponto final nos ex-cessos, tornando as roupas práticas e confortáveis com influência da Inglaterra cam-pestre. O traje masculino adquiriu o caráter de sobriedade. O ca-saco inglês de caça; a calça justa de casimira, botas e go-las altas adornadas por len-ços amarrados garantiam um visual austero e sofisticado. I. Bonaparte no São Ber-nardo. Séc. XIX. Jacques- Louis David.
  • 4. NEOCLÁSSICO A musseline ou cambraia eram os tecidos usados em vestidos de cin-tura alta, logo abaixo do seio. O aspecto greco-romano é valoriza-do influenciando a vestimenta e o ti-po de cabelo com aspecto despen-teado. Os complementos para o vestido império eram as luvas longas, o chapéu boneca, os sapatos baixos e o xale de cashemer. I. Mademoiselles Mollien , 1811. George Rouget. Louvre, Paris.
  • 5. NEOCLÁSSICO A roupa feminina do período era o vestido império, enquanto o traje masculino foi influenciado pela cul-tura inglesa. O estilo que transparecia conforto e sobriedade foi difundido por toda Europa e suas classes dominantes. Em 1790 a palavra de ordem era despojamento perdurando até 1820 quando o Romantismo entra em ce-na resgatando valores do passado para o traje feminino. I. Ilustração, John Peacock.
  • 6. NEOCLÁSSICO Artistas do período neoclássico: • Angélica Kauffmann. • Élisabeth Vigée-Lebrun. • François Gérard. • Jacques-Louis David. • Jean Auguste Dominique Ingres. • John Martin. • Louis-Léopold Boilly. I. Madame. Devauça, séc. XIX. Jean-Auguste Dominique Ingres.
  • 7. NEOCLÁSSICO • Entrevista com o Vampiro. (1994, EUA). • O Conde de Monte Cristo (2002, EUA). • Napoleão (2002, FRA). • Orgulho e Preconceito (2005, ING/FRA/EUA). • Razão e Sensibilidade (1995, EUA /ING). I. Madame Récamier. François Gérard, 1802.
  • 8. ROMANTISMO I. Imperatiz Eugenia e suas damas de honra, 1855. François-Xavier Winterhalter.
  • 9. ROMANTISMO No período romântico as mulheres resgatam os valores tradicionais de ostentação, os tecidos podiam exibir estampas de listras ou flores. A cintura voltou ao local adequado e as saias ganharam volume pelo uso da anáguas, o corpete ajudava no contorno da silhueta que se encami-nhava para uma ampulheta. O decote aparecia nas roupas para noite em forma de canoa revelando a fragilidade da mulher. I. Imperatriz Elisabeth da Áustria (Sissi), séc. XIX. François-Xavier Winterhalter.
  • 10. ROMANTISMO As mangas bufantes podiam ser curtas ou longas como a manche gigot. As peças ornamentadas por laços, fitas, babados e flores. Jóias tipo relicários, cruzes, pulseiras, broches e o leque era indispensáveis. Os chapéus de palha ou cetim eram amarrados sob o queixo, fitas, flores e plumas completavam o acessório. A moda masculina mantinha sua austeridade e influência inglesa. I. Ilustração, John Peacock.
  • 11. ROMANTISMO O inglês George Bryan Brummel (1778-1840) determinou um estilo de comportamento social que influ-enciou a vestimenta masculina origi-nando o dandismo. O refinamento na conduta social aliado e roupas justas conferiam o aspecto de arrogância característico do dandy. Casaco, colete, calça curta ou com-prida deveriam ser impecáveis e o pescoço sempre adornado com len-ço em nós sofisticados. I. Influência da roupa de caça ingle-sa.
  • 12. ROMANTISMO Oscar Wilde (1854-1900). Drama-turgo, escritor e poeta irlandês. Ex-poente da literatura inglesa, tratava com ironia os costumes da época. "O mundo pode ser um palco, mas o elenco é um horror." "Viva depressa, morra jovem e seja um cadáver atraente." "Meus gostos são simples: prefiro o melhor de tudo." A Importância de ser prudente e O retrato de Dorian Gray fazem parte de suas celebres obras. I. Oscar Wilde, escritor dandy.
  • 13. ROMANTISMO Artistas do período romântico: • Francisco Goya y Lucientes. • Eugène de Delacroix. • François-Xavier Winterhalter. • William Powell Frith I. Marquesa de Pontejo, c. 1786. Goya
  • 14. ERA VITORIANA Na Era Vitoriana, a Inglaterra viveu o apo-geu da burguesia com as exportações, período da corte da Rainha Alexandrina Vitória que reinou na Inglaterra durante 1837 a 1901. Foram criados rígidos códigos de postura, durante o reinado, a Inglaterra ficou co-nhecida pela rígida repressão das prá-ticas sexuais, acompanhadas de intensa valorização da vida familiar. A Rainha Vitória casou-se com o príncipe Albert em 1840, usando um vestido bran-co de renda sobre cetim, sendo a primeira mulher a casar de branco. Após a morte de seu marido, em 1861, a rainha lançou outra moda: passou quase dez anos ves-tindo somente o preto em sinal de luto.
  • 15. ERA VITORIANA A Revolução Industrial, ascensão da burguesia e a prosperidade do consumo estabeleceram as regras a partir de 1850. O volume das saias eram ampliado pelo uso da crinolina feita com aros de metal e crina de cavalo. Os tecidos utilizados eram sofistica-dos como a seda, cetim, lã, tafetá, brocado, crepe entre outros. I. Mulheres no Jardim, 1866. Claude Monet. Museu do Louvre, Paris
  • 16. ERA VITORIANA O vestuário masculino era comple-tamente oposto ao feminino, exe-cessos e extravagâncias foram dei-xados de lado pela roupa de traba-lho. O costume era acompanhado pela gravata, cartola e o relógio de bolso, cuja corrente pendia do colete. A sobriedade era completada pelo uso do bigode ou barba emolduran-do a face do homem de negócios. I. Londres final do século XVIII.
  • 17. ERA VITORIANA No final da era vitoriana o volume das saias ganharam novas propor-ções, se tornando reto na frente e com volume na parte traseira. As anquinhas garantiam o volume as saias, a cintura era marcada pelo espartilho e muito se evidenciou os vestidos com cauda. A mulher refletia todo o poder e os-tentação do prospero homem volta-do para o trabalho e a indústria. I. Ilustração, John Peacock.
  • 18. ERA VITORIANA • Adoráveis Mulheres (1994, EUA). • Drácula de Bram Stoker (1992, EUA). • ... E o Vento Levou (1939, EUA). • A Liga Extraordinária (2003, EUA). • Oliver Twist (2005, ING/FRA/IT). • Van Helsing (2004, EUA). • Wilde (1997, ING). I. Retrato de Angelica Schuyler Crosby. EUA.
  • 19. ARTES – SÉCULO XIX Pintores do século XIX. • Gustave Coubert. • Édouard Manet. • Claude Monet. • Pierre Auguste Renoir. • Edgar Degas. • George Seurat. • Paul Signac. I. O Bar do Folies-Bergère, 1882. Édouard Manet.
  • 20. FILMES – SÉCULO XIX • Anna Karenina (1996, EUA). • Camille Claude (1988, FRA). • A Época da Inocência (1993, EUA) • Um Amor de Swann (1984, FRA/ALE) • Asas do Amor (1997, ING). • Titanic (1998, EUA). I. Cedo demais. James Tissot, 1873. Reine des Centfeuilles.
  • 21. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ABRIL, Editora. Enciclopédia Multimídia da Arte Universal. São Paulo: Alphabetum Edições Multimídia, 1997. BRAGA, João. História da Moda: uma narrativa. São Paulo: Editora Anhembi Morumbi, 2004. BOUCHER, François. A History of Costume in the West. Nova York: Thames and Hudson Ltd., 1987. LAVER, James. A roupa e a moda uma história concisa. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. PEACOCK, John. The Chronicle of Western Costume. Londres: Thames and Hudson Ltd., 1991.