SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Federal da Bahia
Instituto de Ciências da Saúde
ICSC48 – Bioterismo e Modelos Animais
Criação e Manejo de Cobaias
12:44 1
ORIGEM
• Cavia porcellus - cobaia, coelhinho,
porquinho da Índia
• Provenientes da América do Sul
• WAGNER, J. E. & MANNING, P. J. The
Biology of the Guinea Pig. New York:
Academic Press, 1976.
• De roedor nativo a animal de laboratório
• Vistos pela primeira vez pelos espanhóis no Peru (século XVII)
• Levados por marinheiros para a Europa com o propósito de domesticação e
exposição
• Primeiras tentativas de obtenção de germ-free na Alemaha (Nuttal &
Thierfelder, 1895)
• Reyniers (1946) obteve com sucesso a produção de GF
Posição taxonômica
• Classe: Mamífera
• Ordem: Rodentia
• Família: Cavidae
• Gênero: Cavia
• Cavia aperea – "Brazilian guinea pig" (preá), até os Andes
• Cavia fulgida – "shiny guinea pig", leste do Brasil
• Cavia intermedia – "intermediate guinea pig", Santa Catarina, Brasil, descrita em 1999
• Cavia magna – "greater guinea pig", Uruguay, sudeste do Brasil
• Cavia porcellus – "domestic guinea pig", sem ancestral exatamente conhecido
• Cavia anolaimae - considerado sinônimo de C. porcellus - Colombia
• Cavia guianae - considerado sinônimo de C. porcellus - Venezuela, Guiana, Brasil
• Cavia tschudii (C. cutleri)– "montane guinea pig", Peru, Chile e Argentina
• Cavia nana - considerado sinônimo de C. tschudii, Chile
Importância na experimentação
biológica
• Modelo animal para:
• Nutrição
• Farmacologia
• Imunologia / alergia
• Radiologia
• Obtenção de sistema
complemento
• Lavoiser, 1790
• Primeiras utilizações
experimentais
Algumas variedades
de C. porcellus
• Identificadas pelo tamanho e
pela direção dos pelos
• inglesa (Dunkin – Hartley, 1926)
- pêlo curto, liso e macio
• Mais comum em pesquisas.
• Abissínia (também inglesa)
• mutante de pêlos curtos e
ásperos em ‘rosetas’,
• Peruana - mutante de pêlos
longos e sedosos
• domesticação e de exposição
Comportamento
• Sociais, tímidos, dóceis e raramente mordem ou arranham
• Assustam-se facilmente
• Defecam e urinam nos comedouros e derramam sua alimentação pelo piso
da gaiola
• Adultos mordem as orelhas dos jovens e os machos podem brigar
violentamente
• Disputas por uma fêmea em estro até que se estabeleça a hierarquia do
grupo
• Extremamente susceptíveis a estímulos estressantes (alterações ambientais,
modificações na ração, no comedouro, na água e no bebedouro, barulho
intenso, movimentos bruscos)
• Miopatia de contenção!!!
• Cuidados com fêmeas gestantes
Características fisiológicas importantes
• Eritrócitos menos frágeis em
soluções eletrolíticas
• Protrombina - longo tempo
para sua conversão
• Escassa produção de
tromboplastina no pulmão
• Excelentes fontes de
complemento para ensaios
sorológicos
• Sistema linfático bem
desenvolvido e gânglios da
cabeça e do pescoço
facilmente acessíveis
• Maior formação de abscessos
bacterianos ( Ernst, 2012)
Relação com a fisiologia humana
• Metabolismo lipídico
• Altas concentrações de colesterol livre
• Maior parte do colesterol é LDL (alta proporção LDL/HDL)
• Possuem as lipoproteínas plasmáticas CETP, LCAT e LPL
• Reduzem TGs e LDL com exercícios e medicamentos e elevam HDL
Influência do colesterol dietético
• Outras influências dietéticas interessantes: fibras, gorduras,
carboidratos, deficiência de vitamina C
• Associação das respostas fisiológicas com gênero e status hormonal
• Modelo para estudos de aterosclerose e inflamação
Nutrição
• Fundamentalmente
herbívoros (grãos, verduras
e pasto)
• Rações comerciais são
peletizadas (max 5mm)
• Consumo médio diário: 40 g
/ adulto
• Validade das rações - 90 dias
• Dependentes de fontes
exógenas de ácido ascórbico
• 10 mg/kg para manutenção
de animais / 30 mg/kg
fêmeas gestantes
ICSC48 - Criação e manejo de cobaias
Sistema de reprodução
• Animal poliéstrico
• Estro - menos de 12 hs
• Ciclo estral completo de 13 a 25 dias (em média 16 dias)
• Filhotes por ninhada - 1 a 8
• Gestação - 59 a 72 dias (média 63 dias)
• Puberdade - entre 55 e 70 dias
• Filhotes nascem com pêlos, olhos abertos e dentição completa
• Precocidade e auto-suficiência – ingestão de alimentos sólidos 3-
5 dias Desmame - 14 – 21 dias (180g)
• Amamentam crias de outras fêmeas (do mesmo grupo)
• Peso ao nascer - 80 - 100 g
SISTEMA DE ACASALAMENTO
• Seleção por valores genéticos
• Fêmeas - três meses de idade (400 g - 500 g)
• Machos - quatro meses (500 g - 600 g)
• Primeiro parto - antes dos 6 meses de idade
• Calcificação da pelve – partos distócicos
• Acasalamento monogâmico – macho/fêmea acasalados durante toda
a vida reprodutiva
• Vantagem de fácil identificação dos filhotes e registros
• Acasalamento poligâmico – 1 macho / 5 a 12 fêmeas
• Espaço mínimo por animal (1200 cm2)
• Vantagem de maior número de animais produzidos em menos espaço
• Dificuldade para registro de crias e fêmeas inférteis
• Vida útil dos reprodutores na colônia - 24 a 30 meses idade
Desmame e sexagem
• Desmame - 180 g
• Separação por sexo e tamanho
• Machos e fêmeas apresentam o
orifício genital em igual distância
do ânus
• Machos - área arredondada com
sulco único e contínuo
• Fêmeas - sulco interrompido pela
membrana vaginal
Controle da consangüinidade na
colônia
• ANIMAIS CONSANGÜÍNEOS – INBRED
• acasalamento entre irmãos e/ou pais e filhos
• 20 gerações consecutivas
• 35 cepas inbred destinadas principalmente ao estudo do câncer
• ANIMAIS NÃO-CONSANGÜÍNEOS – OUTBRED
• constituição genética variada
• estado de heterozigose - Método Poiley
• Colônia 510 fêmeas e 102 machos
• Gaiolas para cada unidade reprodutiva (5 fêmeas x 1 macho)
• Colônia dividida em 6 grupos (cada grupo 85 fêmeas e 17 machos)
Produção mensal estimada em uma colônia
510 fêmeas / 102 machos
• Período médio de gestação = 63 dias
• Número médio de filhotes/parto = 2,75
• Taxa de mortalidade de lactente = 10%
• Número de filhotes desmamados/parto = 2,5
• Desmame = 21 dias de idade
• Acasalamento = média de 90 dias de idade
• Intervalo entre partos = 63 dias de gestação + 16 dias de ciclo estral = 79 dias
• 365 dias (ano): 79 dias (intervalo) = 4,6 partos/ano (arredonda 5 partos)
• 5 partos x 2,5 filhotes = 12,5 filhotes desmamados/ano/fêmea
• 12,5 desmamados/ano x 510 fêmeas = 6.375 desmamados/ano
• Ou seja, 531,25 desmamados/mês
• índice reprodutivo = 1 filhote/fêmea/mês.
Planejamento da reposição
• Filhotes desmamados: 50% fêmeas / 50% machos
• Reposição de 100% dos reprodutores - cada período de 24 meses
• Reposição mensal – 510 / 24 = 21,25 (fêmeas) e
• 102 / 24 = 4,25 (machos)
• Taxa de mortalidade dos reprodutores e animais em crescimento
= 3%
• Reserva mensal de 22 fêmeas e 5 machos de filhotes
desmamados para futuros reprodutores
Identificação dos animais e registro da
colônia de cobaia
• Tatuagem individual nas
orelhas
• Cada orelha - três letras ou
números
• Aplicação de corantes -
solução de ácido pícrico
(amarelo)
• Curta duração e deve ser
periodicamente renovado
• Registros dos eventos
ocorridos: data do
acasalamento, nascimento,
quantidade de filhotes
nascidos, mortos, desmame,
variações ambientais etc.
Contenção
• Mão sob o tórax e com a
outra apoiar a parte
posterior
• Suportar o peso do animal
• Deve ficar sentado sobre a
palma da mão
• Os anestésicos devem ser
utilizados sempre que
necessário, obtendo-se
maior facilidade e tempo de
• manipulação do animal.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Caso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
Caso Clínico Veterinário: Epilepsia CaninaCaso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
Caso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
Natália Borges
 
ICSC48 - Histórico do bioterismo
ICSC48 - Histórico do bioterismoICSC48 - Histórico do bioterismo
ICSC48 - Histórico do bioterismo
Ricardo Portela
 
Informativo brucelose zoonose
Informativo brucelose   zoonoseInformativo brucelose   zoonose
Informativo brucelose zoonose
Fmodri3
 
Programa Nacional de sanidade das aves
Programa Nacional de sanidade das avesPrograma Nacional de sanidade das aves
Programa Nacional de sanidade das aves
Marília Gomes
 
FELV atualizada 2022
FELV atualizada 2022FELV atualizada 2022
FELV atualizada 2022
Carolina Trochmann
 
Digestão nas diferentes espécies
Digestão nas diferentes espéciesDigestão nas diferentes espécies
Digestão nas diferentes espécies
Patrícia Oliver
 
Bioterismo
BioterismoBioterismo
Bioterismo
Herik Renato
 
FIV e FeLV
FIV e FeLVFIV e FeLV
FIV e FeLV
Carolina Trochmann
 
ICSC48 - Criação e manejo de primatas não humanos e cães
ICSC48 - Criação e manejo de primatas não humanos e cãesICSC48 - Criação e manejo de primatas não humanos e cães
ICSC48 - Criação e manejo de primatas não humanos e cães
Ricardo Portela
 
Modelo laudo de necropsia p alunos
Modelo laudo de necropsia p alunosModelo laudo de necropsia p alunos
Modelo laudo de necropsia p alunos
Jamile Vitória
 
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinosManejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
Killer Max
 
Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafiaTecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
Jacqueline Gomes
 
Sanidade e enfermidade de caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sanidade e enfermidade de caprinos e ovinos - caprinos e ovinosSanidade e enfermidade de caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sanidade e enfermidade de caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Marília Gomes
 
Sanidade de caprino e ovino
Sanidade de caprino e ovinoSanidade de caprino e ovino
Sanidade de caprino e ovino
adelmosantana
 
Bioclimatologia e comportamento animal
Bioclimatologia e comportamento animalBioclimatologia e comportamento animal
Bioclimatologia e comportamento animal
Vanderlei Holz Lermen
 
Bioterismo
BioterismoBioterismo
Bioterismo
Animais Amados
 
Protocolos de Vacinação e Vermifugação em Cães e Gatos
Protocolos de Vacinação e Vermifugação em Cães e GatosProtocolos de Vacinação e Vermifugação em Cães e Gatos
Protocolos de Vacinação e Vermifugação em Cães e Gatos
Leonora Mello
 
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfosProdução e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Evelyn Golin
 
Semiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagensSemiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagens
Marília Gomes
 
Mastite
MastiteMastite

Mais procurados (20)

Caso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
Caso Clínico Veterinário: Epilepsia CaninaCaso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
Caso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
 
ICSC48 - Histórico do bioterismo
ICSC48 - Histórico do bioterismoICSC48 - Histórico do bioterismo
ICSC48 - Histórico do bioterismo
 
Informativo brucelose zoonose
Informativo brucelose   zoonoseInformativo brucelose   zoonose
Informativo brucelose zoonose
 
Programa Nacional de sanidade das aves
Programa Nacional de sanidade das avesPrograma Nacional de sanidade das aves
Programa Nacional de sanidade das aves
 
FELV atualizada 2022
FELV atualizada 2022FELV atualizada 2022
FELV atualizada 2022
 
Digestão nas diferentes espécies
Digestão nas diferentes espéciesDigestão nas diferentes espécies
Digestão nas diferentes espécies
 
Bioterismo
BioterismoBioterismo
Bioterismo
 
FIV e FeLV
FIV e FeLVFIV e FeLV
FIV e FeLV
 
ICSC48 - Criação e manejo de primatas não humanos e cães
ICSC48 - Criação e manejo de primatas não humanos e cãesICSC48 - Criação e manejo de primatas não humanos e cães
ICSC48 - Criação e manejo de primatas não humanos e cães
 
Modelo laudo de necropsia p alunos
Modelo laudo de necropsia p alunosModelo laudo de necropsia p alunos
Modelo laudo de necropsia p alunos
 
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinosManejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
 
Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafiaTecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
 
Sanidade e enfermidade de caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sanidade e enfermidade de caprinos e ovinos - caprinos e ovinosSanidade e enfermidade de caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sanidade e enfermidade de caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
 
Sanidade de caprino e ovino
Sanidade de caprino e ovinoSanidade de caprino e ovino
Sanidade de caprino e ovino
 
Bioclimatologia e comportamento animal
Bioclimatologia e comportamento animalBioclimatologia e comportamento animal
Bioclimatologia e comportamento animal
 
Bioterismo
BioterismoBioterismo
Bioterismo
 
Protocolos de Vacinação e Vermifugação em Cães e Gatos
Protocolos de Vacinação e Vermifugação em Cães e GatosProtocolos de Vacinação e Vermifugação em Cães e Gatos
Protocolos de Vacinação e Vermifugação em Cães e Gatos
 
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfosProdução e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfos
 
Semiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagensSemiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagens
 
Mastite
MastiteMastite
Mastite
 

Destaque

ICSA17 - Fundamentos e Tipos de Vacinas
ICSA17 - Fundamentos e Tipos de VacinasICSA17 - Fundamentos e Tipos de Vacinas
ICSA17 - Fundamentos e Tipos de Vacinas
Ricardo Portela
 
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animalICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
Ricardo Portela
 
ICSA17 - Imunologia - Manual kit tr dpp sifilis hiv
ICSA17 - Imunologia - Manual kit tr dpp sifilis hivICSA17 - Imunologia - Manual kit tr dpp sifilis hiv
ICSA17 - Imunologia - Manual kit tr dpp sifilis hiv
Ricardo Portela
 
ICSA32 - Antigen discovery
ICSA32 - Antigen discoveryICSA32 - Antigen discovery
ICSA32 - Antigen discovery
Ricardo Portela
 
ICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inataICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inata
Ricardo Portela
 
ICSA32 - História da vacinologia
ICSA32 - História da vacinologiaICSA32 - História da vacinologia
ICSA32 - História da vacinologia
Ricardo Portela
 
ICSA17 - Tolerância
ICSA17 - TolerânciaICSA17 - Tolerância
ICSA17 - Tolerância
Ricardo Portela
 
ICSA17 Imunologia - Manual eletroforese
ICSA17 Imunologia - Manual eletroforeseICSA17 Imunologia - Manual eletroforese
ICSA17 Imunologia - Manual eletroforese
Ricardo Portela
 
ICSA29 - Proteínas plasmáticas
ICSA29 - Proteínas plasmáticasICSA29 - Proteínas plasmáticas
ICSA29 - Proteínas plasmáticas
Ricardo Portela
 
ICSA32 - Adjuvantes
ICSA32 - AdjuvantesICSA32 - Adjuvantes
ICSA32 - Adjuvantes
Ricardo Portela
 
ICSA32 - Fases de desenvolvimento de vacinas
ICSA32 - Fases de desenvolvimento de vacinasICSA32 - Fases de desenvolvimento de vacinas
ICSA32 - Fases de desenvolvimento de vacinas
Ricardo Portela
 
ICSA29 - Métodos de avaliação da resposta imune celular
ICSA29 - Métodos de avaliação da resposta imune celularICSA29 - Métodos de avaliação da resposta imune celular
ICSA29 - Métodos de avaliação da resposta imune celular
Ricardo Portela
 
ICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - HipersensibilidadesICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - Hipersensibilidades
Ricardo Portela
 
ICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
ICSA32 - Vias de Administração de VacinasICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
ICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
Ricardo Portela
 
ICSA32 - Produção e controle qualidade vacinas
ICSA32 - Produção e controle qualidade vacinasICSA32 - Produção e controle qualidade vacinas
ICSA32 - Produção e controle qualidade vacinas
Ricardo Portela
 
Midia Kit | O Camundongo
Midia Kit | O CamundongoMidia Kit | O Camundongo
Midia Kit | O Camundongo
O Camundongo
 
Arterias e veias rato
Arterias e veias ratoArterias e veias rato
Arterias e veias rato
Gustavo Farias
 
Camundongos
Camundongos Camundongos
Camundongos
Adila Trubat
 
Modelos animais como modelos pré-clínicos - ênfase em Virologia.
Modelos animais como modelos pré-clínicos - ênfase em Virologia. Modelos animais como modelos pré-clínicos - ênfase em Virologia.
Modelos animais como modelos pré-clínicos - ênfase em Virologia.
Wilia Diederichsen
 
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
Ana Isabel Nascimento
 

Destaque (20)

ICSA17 - Fundamentos e Tipos de Vacinas
ICSA17 - Fundamentos e Tipos de VacinasICSA17 - Fundamentos e Tipos de Vacinas
ICSA17 - Fundamentos e Tipos de Vacinas
 
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animalICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
ICSC48 - Aspectos éticos na experimentação animal
 
ICSA17 - Imunologia - Manual kit tr dpp sifilis hiv
ICSA17 - Imunologia - Manual kit tr dpp sifilis hivICSA17 - Imunologia - Manual kit tr dpp sifilis hiv
ICSA17 - Imunologia - Manual kit tr dpp sifilis hiv
 
ICSA32 - Antigen discovery
ICSA32 - Antigen discoveryICSA32 - Antigen discovery
ICSA32 - Antigen discovery
 
ICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inataICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inata
 
ICSA32 - História da vacinologia
ICSA32 - História da vacinologiaICSA32 - História da vacinologia
ICSA32 - História da vacinologia
 
ICSA17 - Tolerância
ICSA17 - TolerânciaICSA17 - Tolerância
ICSA17 - Tolerância
 
ICSA17 Imunologia - Manual eletroforese
ICSA17 Imunologia - Manual eletroforeseICSA17 Imunologia - Manual eletroforese
ICSA17 Imunologia - Manual eletroforese
 
ICSA29 - Proteínas plasmáticas
ICSA29 - Proteínas plasmáticasICSA29 - Proteínas plasmáticas
ICSA29 - Proteínas plasmáticas
 
ICSA32 - Adjuvantes
ICSA32 - AdjuvantesICSA32 - Adjuvantes
ICSA32 - Adjuvantes
 
ICSA32 - Fases de desenvolvimento de vacinas
ICSA32 - Fases de desenvolvimento de vacinasICSA32 - Fases de desenvolvimento de vacinas
ICSA32 - Fases de desenvolvimento de vacinas
 
ICSA29 - Métodos de avaliação da resposta imune celular
ICSA29 - Métodos de avaliação da resposta imune celularICSA29 - Métodos de avaliação da resposta imune celular
ICSA29 - Métodos de avaliação da resposta imune celular
 
ICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - HipersensibilidadesICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - Hipersensibilidades
 
ICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
ICSA32 - Vias de Administração de VacinasICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
ICSA32 - Vias de Administração de Vacinas
 
ICSA32 - Produção e controle qualidade vacinas
ICSA32 - Produção e controle qualidade vacinasICSA32 - Produção e controle qualidade vacinas
ICSA32 - Produção e controle qualidade vacinas
 
Midia Kit | O Camundongo
Midia Kit | O CamundongoMidia Kit | O Camundongo
Midia Kit | O Camundongo
 
Arterias e veias rato
Arterias e veias ratoArterias e veias rato
Arterias e veias rato
 
Camundongos
Camundongos Camundongos
Camundongos
 
Modelos animais como modelos pré-clínicos - ênfase em Virologia.
Modelos animais como modelos pré-clínicos - ênfase em Virologia. Modelos animais como modelos pré-clínicos - ênfase em Virologia.
Modelos animais como modelos pré-clínicos - ênfase em Virologia.
 
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
Manual de treinamento em manipulacao animal ufpr (1)
 

Semelhante a ICSC48 - Criação e manejo de cobaias

Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
helidaleao
 
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
helidaleao
 
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
helidaleao
 
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínosAnatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
Marília Gomes
 
Comportamento Parental de gatos domésticos
Comportamento Parental de gatos domésticosComportamento Parental de gatos domésticos
Comportamento Parental de gatos domésticos
Naylla Marcula
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Cristian Carla de Campos
 
Reprodução e manejo reprodutivo.pptx
Reprodução e manejo reprodutivo.pptxReprodução e manejo reprodutivo.pptx
Reprodução e manejo reprodutivo.pptx
ArquivosVeterinria
 
Aula manejo de animais.pptx
Aula manejo de animais.pptxAula manejo de animais.pptx
Aula manejo de animais.pptx
AlexandreNogueira82
 
Biotecnologia no melhoramento animal
Biotecnologia no melhoramento animalBiotecnologia no melhoramento animal
Biotecnologia no melhoramento animal
marcus92
 
Coelhos – pet ou animais de produção
Coelhos – pet ou animais de produçãoCoelhos – pet ou animais de produção
Coelhos – pet ou animais de produção
Evelyn Golin
 
Manejo de crias pbsm [modo de compatibilidade]
Manejo de crias pbsm [modo de compatibilidade]Manejo de crias pbsm [modo de compatibilidade]
Manejo de crias pbsm [modo de compatibilidade]
Pbsmal
 
Bubalinocultura
BubalinoculturaBubalinocultura
Bubalinocultura
Amanda Souza
 
Coelhos bioclimatologia
Coelhos bioclimatologiaCoelhos bioclimatologia
Coelhos bioclimatologia
Evelyn Golin
 
Ring Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.com
Ring Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.comRing Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.com
Ring Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.com
Antonio Silva
 
Gestação psf magno
Gestação psf magnoGestação psf magno
Gestação psf magno
Magno Rafael
 
Cobaias: Dados Biológicos, Comportamentais e Pesquisas
Cobaias: Dados Biológicos, Comportamentais e PesquisasCobaias: Dados Biológicos, Comportamentais e Pesquisas
Cartilha de Criação de Bezerras Leiteiras
Cartilha de Criação de Bezerras LeiteirasCartilha de Criação de Bezerras Leiteiras
Cartilha de Criação de Bezerras Leiteiras
RaquelMariaCury
 
Cartilha esalq bezerras leiteiras
Cartilha esalq    bezerras leiteirasCartilha esalq    bezerras leiteiras
Cartilha esalq bezerras leiteiras
Marcelo Cezar Soares
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
Dr Athayde
 
Aula 11 mamíferos evolução e caracteristicas gerais
Aula 11   mamíferos evolução e caracteristicas geraisAula 11   mamíferos evolução e caracteristicas gerais
Aula 11 mamíferos evolução e caracteristicas gerais
Hélio Dos Santos
 

Semelhante a ICSC48 - Criação e manejo de cobaias (20)

Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
 
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
 
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptxAula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
Aula3 - introdução e linhagens de suínos.pptx
 
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínosAnatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
Anatomofisiologia da reprodução e manejo reprodutivo de suínos
 
Comportamento Parental de gatos domésticos
Comportamento Parental de gatos domésticosComportamento Parental de gatos domésticos
Comportamento Parental de gatos domésticos
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
 
Reprodução e manejo reprodutivo.pptx
Reprodução e manejo reprodutivo.pptxReprodução e manejo reprodutivo.pptx
Reprodução e manejo reprodutivo.pptx
 
Aula manejo de animais.pptx
Aula manejo de animais.pptxAula manejo de animais.pptx
Aula manejo de animais.pptx
 
Biotecnologia no melhoramento animal
Biotecnologia no melhoramento animalBiotecnologia no melhoramento animal
Biotecnologia no melhoramento animal
 
Coelhos – pet ou animais de produção
Coelhos – pet ou animais de produçãoCoelhos – pet ou animais de produção
Coelhos – pet ou animais de produção
 
Manejo de crias pbsm [modo de compatibilidade]
Manejo de crias pbsm [modo de compatibilidade]Manejo de crias pbsm [modo de compatibilidade]
Manejo de crias pbsm [modo de compatibilidade]
 
Bubalinocultura
BubalinoculturaBubalinocultura
Bubalinocultura
 
Coelhos bioclimatologia
Coelhos bioclimatologiaCoelhos bioclimatologia
Coelhos bioclimatologia
 
Ring Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.com
Ring Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.comRing Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.com
Ring Neck Considerações Gerais - www.ringneckbr.blogspot.com
 
Gestação psf magno
Gestação psf magnoGestação psf magno
Gestação psf magno
 
Cobaias: Dados Biológicos, Comportamentais e Pesquisas
Cobaias: Dados Biológicos, Comportamentais e PesquisasCobaias: Dados Biológicos, Comportamentais e Pesquisas
Cobaias: Dados Biológicos, Comportamentais e Pesquisas
 
Cartilha de Criação de Bezerras Leiteiras
Cartilha de Criação de Bezerras LeiteirasCartilha de Criação de Bezerras Leiteiras
Cartilha de Criação de Bezerras Leiteiras
 
Cartilha esalq bezerras leiteiras
Cartilha esalq    bezerras leiteirasCartilha esalq    bezerras leiteiras
Cartilha esalq bezerras leiteiras
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Aula 11 mamíferos evolução e caracteristicas gerais
Aula 11   mamíferos evolução e caracteristicas geraisAula 11   mamíferos evolução e caracteristicas gerais
Aula 11 mamíferos evolução e caracteristicas gerais
 

Mais de Ricardo Portela

ICSA29 Imunodiagnostico - Criterios de validacao
ICSA29 Imunodiagnostico - Criterios de validacaoICSA29 Imunodiagnostico - Criterios de validacao
ICSA29 Imunodiagnostico - Criterios de validacao
Ricardo Portela
 
3 ways to make the research writing process easier
3 ways to make the research writing process easier3 ways to make the research writing process easier
3 ways to make the research writing process easier
Ricardo Portela
 
Twenty one suggestions
Twenty one suggestionsTwenty one suggestions
Twenty one suggestions
Ricardo Portela
 
ICSA32 - Antigen Discovery
ICSA32 - Antigen DiscoveryICSA32 - Antigen Discovery
ICSA32 - Antigen Discovery
Ricardo Portela
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Anticorpos monoclonais
ICSA17 Imunologia (Prática) - Anticorpos monoclonaisICSA17 Imunologia (Prática) - Anticorpos monoclonais
ICSA17 Imunologia (Prática) - Anticorpos monoclonais
Ricardo Portela
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoprecipitação
ICSA17 Imunologia (Prática) - ImunoprecipitaçãoICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoprecipitação
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoprecipitação
Ricardo Portela
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoaglutinação
ICSA17 Imunologia (Prática) - ImunoaglutinaçãoICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoaglutinação
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoaglutinação
Ricardo Portela
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunofluorescencia
ICSA17 Imunologia (Prática) - ImunofluorescenciaICSA17 Imunologia (Prática) - Imunofluorescencia
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunofluorescencia
Ricardo Portela
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Citometria de fluxo
ICSA17 Imunologia (Prática) - Citometria de fluxoICSA17 Imunologia (Prática) - Citometria de fluxo
ICSA17 Imunologia (Prática) - Citometria de fluxo
Ricardo Portela
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - ELISA
ICSA17 Imunologia (Prática) - ELISAICSA17 Imunologia (Prática) - ELISA
ICSA17 Imunologia (Prática) - ELISA
Ricardo Portela
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitosICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
Ricardo Portela
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunocromatografia
ICSA17 Imunologia (Prática) - ImunocromatografiaICSA17 Imunologia (Prática) - Imunocromatografia
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunocromatografia
Ricardo Portela
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Critérios de validação de ensaios de diagnóstico
ICSA17 Imunologia (Prática) - Critérios de validação de ensaios de diagnóstico ICSA17 Imunologia (Prática) - Critérios de validação de ensaios de diagnóstico
ICSA17 Imunologia (Prática) - Critérios de validação de ensaios de diagnóstico
Ricardo Portela
 
ICSA17 - Imunoterapia
ICSA17 - ImunoterapiaICSA17 - Imunoterapia
ICSA17 - Imunoterapia
Ricardo Portela
 
ICSA17 - Bula Dosagem Proteínas
 ICSA17 - Bula Dosagem Proteínas ICSA17 - Bula Dosagem Proteínas
ICSA17 - Bula Dosagem Proteínas
Ricardo Portela
 

Mais de Ricardo Portela (15)

ICSA29 Imunodiagnostico - Criterios de validacao
ICSA29 Imunodiagnostico - Criterios de validacaoICSA29 Imunodiagnostico - Criterios de validacao
ICSA29 Imunodiagnostico - Criterios de validacao
 
3 ways to make the research writing process easier
3 ways to make the research writing process easier3 ways to make the research writing process easier
3 ways to make the research writing process easier
 
Twenty one suggestions
Twenty one suggestionsTwenty one suggestions
Twenty one suggestions
 
ICSA32 - Antigen Discovery
ICSA32 - Antigen DiscoveryICSA32 - Antigen Discovery
ICSA32 - Antigen Discovery
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Anticorpos monoclonais
ICSA17 Imunologia (Prática) - Anticorpos monoclonaisICSA17 Imunologia (Prática) - Anticorpos monoclonais
ICSA17 Imunologia (Prática) - Anticorpos monoclonais
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoprecipitação
ICSA17 Imunologia (Prática) - ImunoprecipitaçãoICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoprecipitação
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoprecipitação
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoaglutinação
ICSA17 Imunologia (Prática) - ImunoaglutinaçãoICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoaglutinação
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunoaglutinação
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunofluorescencia
ICSA17 Imunologia (Prática) - ImunofluorescenciaICSA17 Imunologia (Prática) - Imunofluorescencia
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunofluorescencia
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Citometria de fluxo
ICSA17 Imunologia (Prática) - Citometria de fluxoICSA17 Imunologia (Prática) - Citometria de fluxo
ICSA17 Imunologia (Prática) - Citometria de fluxo
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - ELISA
ICSA17 Imunologia (Prática) - ELISAICSA17 Imunologia (Prática) - ELISA
ICSA17 Imunologia (Prática) - ELISA
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitosICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunocromatografia
ICSA17 Imunologia (Prática) - ImunocromatografiaICSA17 Imunologia (Prática) - Imunocromatografia
ICSA17 Imunologia (Prática) - Imunocromatografia
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Critérios de validação de ensaios de diagnóstico
ICSA17 Imunologia (Prática) - Critérios de validação de ensaios de diagnóstico ICSA17 Imunologia (Prática) - Critérios de validação de ensaios de diagnóstico
ICSA17 Imunologia (Prática) - Critérios de validação de ensaios de diagnóstico
 
ICSA17 - Imunoterapia
ICSA17 - ImunoterapiaICSA17 - Imunoterapia
ICSA17 - Imunoterapia
 
ICSA17 - Bula Dosagem Proteínas
 ICSA17 - Bula Dosagem Proteínas ICSA17 - Bula Dosagem Proteínas
ICSA17 - Bula Dosagem Proteínas
 

Último

Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 

Último (20)

Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 

ICSC48 - Criação e manejo de cobaias

  • 1. Universidade Federal da Bahia Instituto de Ciências da Saúde ICSC48 – Bioterismo e Modelos Animais Criação e Manejo de Cobaias 12:44 1
  • 2. ORIGEM • Cavia porcellus - cobaia, coelhinho, porquinho da Índia • Provenientes da América do Sul • WAGNER, J. E. & MANNING, P. J. The Biology of the Guinea Pig. New York: Academic Press, 1976. • De roedor nativo a animal de laboratório • Vistos pela primeira vez pelos espanhóis no Peru (século XVII) • Levados por marinheiros para a Europa com o propósito de domesticação e exposição • Primeiras tentativas de obtenção de germ-free na Alemaha (Nuttal & Thierfelder, 1895) • Reyniers (1946) obteve com sucesso a produção de GF
  • 3. Posição taxonômica • Classe: Mamífera • Ordem: Rodentia • Família: Cavidae • Gênero: Cavia • Cavia aperea – "Brazilian guinea pig" (preá), até os Andes • Cavia fulgida – "shiny guinea pig", leste do Brasil • Cavia intermedia – "intermediate guinea pig", Santa Catarina, Brasil, descrita em 1999 • Cavia magna – "greater guinea pig", Uruguay, sudeste do Brasil • Cavia porcellus – "domestic guinea pig", sem ancestral exatamente conhecido • Cavia anolaimae - considerado sinônimo de C. porcellus - Colombia • Cavia guianae - considerado sinônimo de C. porcellus - Venezuela, Guiana, Brasil • Cavia tschudii (C. cutleri)– "montane guinea pig", Peru, Chile e Argentina • Cavia nana - considerado sinônimo de C. tschudii, Chile
  • 4. Importância na experimentação biológica • Modelo animal para: • Nutrição • Farmacologia • Imunologia / alergia • Radiologia • Obtenção de sistema complemento • Lavoiser, 1790 • Primeiras utilizações experimentais
  • 5. Algumas variedades de C. porcellus • Identificadas pelo tamanho e pela direção dos pelos • inglesa (Dunkin – Hartley, 1926) - pêlo curto, liso e macio • Mais comum em pesquisas. • Abissínia (também inglesa) • mutante de pêlos curtos e ásperos em ‘rosetas’, • Peruana - mutante de pêlos longos e sedosos • domesticação e de exposição
  • 6. Comportamento • Sociais, tímidos, dóceis e raramente mordem ou arranham • Assustam-se facilmente • Defecam e urinam nos comedouros e derramam sua alimentação pelo piso da gaiola • Adultos mordem as orelhas dos jovens e os machos podem brigar violentamente • Disputas por uma fêmea em estro até que se estabeleça a hierarquia do grupo • Extremamente susceptíveis a estímulos estressantes (alterações ambientais, modificações na ração, no comedouro, na água e no bebedouro, barulho intenso, movimentos bruscos) • Miopatia de contenção!!! • Cuidados com fêmeas gestantes
  • 7. Características fisiológicas importantes • Eritrócitos menos frágeis em soluções eletrolíticas • Protrombina - longo tempo para sua conversão • Escassa produção de tromboplastina no pulmão • Excelentes fontes de complemento para ensaios sorológicos • Sistema linfático bem desenvolvido e gânglios da cabeça e do pescoço facilmente acessíveis • Maior formação de abscessos bacterianos ( Ernst, 2012)
  • 8. Relação com a fisiologia humana • Metabolismo lipídico • Altas concentrações de colesterol livre • Maior parte do colesterol é LDL (alta proporção LDL/HDL) • Possuem as lipoproteínas plasmáticas CETP, LCAT e LPL • Reduzem TGs e LDL com exercícios e medicamentos e elevam HDL
  • 9. Influência do colesterol dietético • Outras influências dietéticas interessantes: fibras, gorduras, carboidratos, deficiência de vitamina C • Associação das respostas fisiológicas com gênero e status hormonal • Modelo para estudos de aterosclerose e inflamação
  • 10. Nutrição • Fundamentalmente herbívoros (grãos, verduras e pasto) • Rações comerciais são peletizadas (max 5mm) • Consumo médio diário: 40 g / adulto • Validade das rações - 90 dias • Dependentes de fontes exógenas de ácido ascórbico • 10 mg/kg para manutenção de animais / 30 mg/kg fêmeas gestantes
  • 12. Sistema de reprodução • Animal poliéstrico • Estro - menos de 12 hs • Ciclo estral completo de 13 a 25 dias (em média 16 dias) • Filhotes por ninhada - 1 a 8 • Gestação - 59 a 72 dias (média 63 dias) • Puberdade - entre 55 e 70 dias • Filhotes nascem com pêlos, olhos abertos e dentição completa • Precocidade e auto-suficiência – ingestão de alimentos sólidos 3- 5 dias Desmame - 14 – 21 dias (180g) • Amamentam crias de outras fêmeas (do mesmo grupo) • Peso ao nascer - 80 - 100 g
  • 13. SISTEMA DE ACASALAMENTO • Seleção por valores genéticos • Fêmeas - três meses de idade (400 g - 500 g) • Machos - quatro meses (500 g - 600 g) • Primeiro parto - antes dos 6 meses de idade • Calcificação da pelve – partos distócicos • Acasalamento monogâmico – macho/fêmea acasalados durante toda a vida reprodutiva • Vantagem de fácil identificação dos filhotes e registros • Acasalamento poligâmico – 1 macho / 5 a 12 fêmeas • Espaço mínimo por animal (1200 cm2) • Vantagem de maior número de animais produzidos em menos espaço • Dificuldade para registro de crias e fêmeas inférteis • Vida útil dos reprodutores na colônia - 24 a 30 meses idade
  • 14. Desmame e sexagem • Desmame - 180 g • Separação por sexo e tamanho • Machos e fêmeas apresentam o orifício genital em igual distância do ânus • Machos - área arredondada com sulco único e contínuo • Fêmeas - sulco interrompido pela membrana vaginal
  • 15. Controle da consangüinidade na colônia • ANIMAIS CONSANGÜÍNEOS – INBRED • acasalamento entre irmãos e/ou pais e filhos • 20 gerações consecutivas • 35 cepas inbred destinadas principalmente ao estudo do câncer • ANIMAIS NÃO-CONSANGÜÍNEOS – OUTBRED • constituição genética variada • estado de heterozigose - Método Poiley • Colônia 510 fêmeas e 102 machos • Gaiolas para cada unidade reprodutiva (5 fêmeas x 1 macho) • Colônia dividida em 6 grupos (cada grupo 85 fêmeas e 17 machos)
  • 16. Produção mensal estimada em uma colônia 510 fêmeas / 102 machos • Período médio de gestação = 63 dias • Número médio de filhotes/parto = 2,75 • Taxa de mortalidade de lactente = 10% • Número de filhotes desmamados/parto = 2,5 • Desmame = 21 dias de idade • Acasalamento = média de 90 dias de idade • Intervalo entre partos = 63 dias de gestação + 16 dias de ciclo estral = 79 dias • 365 dias (ano): 79 dias (intervalo) = 4,6 partos/ano (arredonda 5 partos) • 5 partos x 2,5 filhotes = 12,5 filhotes desmamados/ano/fêmea • 12,5 desmamados/ano x 510 fêmeas = 6.375 desmamados/ano • Ou seja, 531,25 desmamados/mês • índice reprodutivo = 1 filhote/fêmea/mês.
  • 17. Planejamento da reposição • Filhotes desmamados: 50% fêmeas / 50% machos • Reposição de 100% dos reprodutores - cada período de 24 meses • Reposição mensal – 510 / 24 = 21,25 (fêmeas) e • 102 / 24 = 4,25 (machos) • Taxa de mortalidade dos reprodutores e animais em crescimento = 3% • Reserva mensal de 22 fêmeas e 5 machos de filhotes desmamados para futuros reprodutores
  • 18. Identificação dos animais e registro da colônia de cobaia • Tatuagem individual nas orelhas • Cada orelha - três letras ou números • Aplicação de corantes - solução de ácido pícrico (amarelo) • Curta duração e deve ser periodicamente renovado • Registros dos eventos ocorridos: data do acasalamento, nascimento, quantidade de filhotes nascidos, mortos, desmame, variações ambientais etc.
  • 19. Contenção • Mão sob o tórax e com a outra apoiar a parte posterior • Suportar o peso do animal • Deve ficar sentado sobre a palma da mão • Os anestésicos devem ser utilizados sempre que necessário, obtendo-se maior facilidade e tempo de • manipulação do animal.