SlideShare uma empresa Scribd logo
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Revolução Industrial
AO FINAL DESTA AULA SERÁ IMPORTANTE
                           ENTENDER:


 Porque a Inglaterra foi pioneira nesta Revolução;
 A função da agricultura, da indústria têxtil e da metalurgia;
 Como as novas tecnologias aceleraram o processo produtivo;
 As condições sociais geradas pela Revolução Industrial;
 A nova relação de trabalho gerada pela Revolução.
Passagem de um sistema de produção

Revolução Industrial       agrário e artesanal para outro sistema
                           marcadamente industrial dominado pela
                           fábrica e pela máquina



   O que significa dizer que o
trabalho deixou de ser somente
manual e passou a ser também
mecanizado.




                                  Fiandeira mecânica, criada em 1764
Este processo revolucionário para o mundo do trabalho iniciou-se
na Inglaterra no século XVIII. A Inglaterra passara por um eficiente
processo de acumulação primitiva do capital nos séculos anteriores
(XVI-XVII). Criando neste país as condições necessárias ao
capitalismo industrial e sua nova forma de conceber o trabalho (fabril
e assalariado) e a produção de manufaturados (em massa).


        Foi o processo de acumulação de
   riquezas pela burguesia desde a fase do
   capitalismo mercantil até a fase industrial.
   Este processo permitiu que a riqueza
   acumulada fosse investida na produção
   manufatureira,
CONDIÇÕES POLÍTICAS

  O processo de industrialização inglês foi viabilizado pela parceria de diferentes
grupos da sociedade:


 Nobreza rural com a criação de ovelhas e a mineração de ferro e carvão,
fornecedoras portanto, de importantes matérias-primas.
 Empresários do comércio e da indústria (membros da burguesia) que estavam
representados no parlamento e eram responsáveis pelas questões tributárias.
Neste caso foi possível acumular capital tendo em vista que a cobrança de
impostos para esta categoria foi amenizada.
 Monarquia parlamentar, que protegeu as indústrias da concorrência estrangeira
com taxas aduaneiras e fortaleceu as ligações com as colônias americanas
fornecedoras de matérias-primas.
O crescimento da indústria foi viabilizado pelo desenvolvimento de
tecnologias que serviram para acelerar o processo produtivo:




Máquinas modernas
O vapor como fonte de energia                      A tecnologia
                                                     acelerou o
Utilização de novas matérias-primas                  processo
                                                     produtivo.
AGRICULTURA
   O cercamento dos campos diminuiu a área cultivada para a subsistência e
aumentou os campos de pastagem de ovelhas para obtenção de lã utilizada como
matéria-prima nas manufaturas de tecido.
  Nas áreas de cultivo os grandes proprietários começavam a investir em novos
métodos de plantio, introduzindo melhorias técnicas que levaram à substituição do
trabalho manual pelo mecânico.
O cercamento dos campos e as melhorias técnicas ocasionaram a migração de
muitos trabalhadores para a cidade, onde se sujeitaram a baixos salários e a
condições de vida sub-humanas.
INDÚSTRIA TÊXTIL

  A produção de tecido antes da Revolução Industrial era um
processo longo e tinha caráter complementar à agricultura. No
entanto, o negócio dos tecidos de lã propiciou grandes lucros
aos comerciantes que aos poucos passaram a investir em
instalações e equipamentos.

    Estes investimentos possibilitaram a
especialização do trabalho, ou seja, cada
trabalhador passou a realizar apenas uma
etapa na elaboração do produto e não
mais todo o processo que ia da lã,
matéria-prima, ao tecido, produto final. A
especialização do trabalho acelerou a
produção e ampliou o sistema produtivo.
A mecanização do processo produtivo resultou numa
especialização   do   trabalho.   Em   que    medida   esta
mecanização alterou a dinâmica do trabalho?
A mecanização do processo produtivo transformou a relação do
homem com o trabalho em dois aspectos: primeiro antes da Revolução
Industrial o homem trabalhava somente pela subsistência após a
Revolução trabalha também para atender a lógica do consumo. Segundo
aspecto, a mecanização especializou o trabalho na medida em que cada
trabalhador ficou responsável por uma etapa da produção diferente do
que acontecia antes, quando cada trabalhador era responsável por todo
o processo produtivo.
O ALGODÃO SUBSTITUI A LÃ

 A produção também foi acelerada pela substituição da lã pelo algodão. Com o Ato
de Navegação de 1651 a Inglaterra garantiu a nova matéria prima e novas áreas
para comercializar seus produtos manufaturados. A Índia e as colônias de
exploração na América se tornaram grandes produtores de algodão e consumidores
dos tecidos fabricados na Inglaterra.


   O tecido de algodão era mais leve e mais barato fazendo os empresários
investirem mais na indústria de algodão do que na de lã. Estes tecidos eram mais
aceitos em regiões tropicais e podiam ser utilizados como pagamento na compra de
escravos.


  Como o mercado consumidor para este novo produto era grande os empresários
passaram a investir ainda mais em tecnologia para acelerar a produção.
METALURGIA


   A EXTRAÇÃO DE FERRO E CARVÃO E O PROCESSO DE FUNDIÇÃO de
ferro foram setores da economia que também auxiliaram a Revolução Industrial.
No século XVIII surgiu a tentativa de obter ferro fundido em grande escala e com
menos impurezas, aperfeiçoando o método até chegar ao aço. Este processo
auxiliou a construção de pontes, transportes e equipamentos para a industria
têxtil.




                                            Primeira locomotiva
Até agora vimos que a Revolução Industrial para acontecer
usou de novas matérias-primas (o carvão e o ferro fundido),
substituiu o trabalho manual pelo mecânico e efetuou a
especialização do trabalho.
Qual o principal efeito destas transformações?
O desenvolvimento de novas tecnologias e técnicas de
produção   permitiu   a   aceleração   da   produção   de
manufaturados.
A INDÚSTRIA


  A TRANSIÇÃO DO USO DE FERRAMENTAS E ENERGIA HUMANA, para o uso
das máquinas e da energia mecânica consolidou a indústria como nova unidade
produtiva em detrimento das oficinas artesanais. A mecanização:
 Agilizou o processo produtivo.
 Barateou o custo.
                                                                Navio a vapor,
 Substituiu a atividade global pela atividade especializada.
                                                                criado em 1807,
                                                                propiciou maior
Tear mecânico, criado              Descaroçador
                                                                integração dos
em 1785, movido a                  mecânico, criado
                                                                mercados
vapor permitia o fabrico           em 1792, separava

automático dos tecidos.            o caroço da fibra de
                                   algodão.
CONDIÇÕES SOCIAIS

  A Revolução Industrial gerou
condições        miseráveis   nas
cidades. Com a lógica do lucro
os empresários pagavam baixos
salários a seus funcionários e
exigiam uma longa jornada de
trabalho.   As     moradias   dos
operários também eram mal
conservadas        e     ofereciam
péssimas condições de higiene.
  Como forma de reação à degradação de suas condições de
vida e de trabalho, os operários iniciaram um movimento cujo
objetivo era destruir o maior número possível de máquinas.
Esta reação ficou conhecida como Movimento Ludita.
O desenvolvimento de novas tecnologias e o aumento dos
lucros favoreceram o crescimento econômico da Burguesia.
E para os trabalhadores, qual foi o maior impacto destas
transformações?
Os   operários,   como   ficaram   conhecidos   os
trabalhadores das fábricas, ganhavam mal pelo trabalho
prestado e acabou imerso em condições sub humanas de
vida.
O LEGADO DA REVOLUÇÃO


 A Revolução Industrial foi a integração internacional de capital, matérias-primas,
recursos naturais e mão-de-obra. Deixando uma nova articulação econômica entre
países industrializados e regiões menos desenvolvidas. Estes forneciam produtos
primários para as industrias ao mesmo tempo que se tornavam consumidores dos
produtos industrializados.
 Nos países onde a revolução se deu de forma mais efetiva o capital ficou
concentrado nas mãos da burguesia gerando miséria e pobreza entre a população. É
neste período que se sistematiza a diferença crescente entre ricos e pobres.
 A Revolução Industrial mudou as relações de trabalho a partir das transformações
técnicas e da produção em larga escala. Separa-se o trabalho do capital, ou seja, o
trabalhador tem apenas a força de trabalho como meio de sobrevivência e o
proprietário os meios de produção.
Questão 01: A respeito da Revolução Industrial Inglesa, assinale a alternativa
incorreta.


A) O processo da Revolução Industrial provocou profundas transformações
econômicas e sociais na sociedade inglesa.
B) A Inglaterra foi a primeira nação a se industrializar.
C) Um magnífico aumento da produtividade de cada trabalhador foi uma das
principais características da Revolução Industrial Inglesa.
D) A chamada Revolução Industrial Inglesa ocorreu na Idade Média e, por isso, é
também conhecida como A Revolução Industrial da Idade Média.
E) A indústria têxtil foi o ramo da produção em que a modernização ocorreu de
forma mais explícita
RESOLUÇÃO:


A) O processo da Revolução Industrial provocou profundas transformações
econômicas e sociais na sociedade inglesa.
B) A Inglaterra foi a primeira nação a se industrializar.
C) Um magnífico aumento da produtividade de cada trabalhador foi uma das
principais características da Revolução Industrial Inglesa.
D) A chamada Revolução Industrial Inglesa ocorreu na Idade Média e, por isso,
é também conhecida como A Revolução Industrial da Idade Média.
E) A indústria têxtil foi o ramo da produção em que a modernização ocorreu de
forma mais explícita
Questão 02: A Revolução Industrial ocorrida no final do século XVIII transformou as
relações do homem com o trabalho. As máquinas mudaram as formas de trabalhar,
e as fábricas concentraram-se em regiões próximas às matérias-primas e grandes
portos, originando vastas concentrações humanas. Muitos dos operários vinham da
área rural e cumpriam jornadas de trabalho de 12 a 14 horas, na maioria das vezes
em condições adversas. A legislação trabalhista surgiu muito lentamente ao longo
do século XIX e a diminuição da jornada de trabalho para oito horas diárias
concretizou-se no início do século XX.

    Pode-se afirmar que as conquistas no início deste século, decorrentes da
legislação trabalhista, estão relacionadas com:

(A) A expansão do capitalismo e a consolidação dos regimes monárquicos
constitucionais.
(B) A expressiva diminuição da oferta de mão-de-obra, devido à demanda por
trabalhadores especializados.
(C) A capacidade de mobilização dos trabalhadores em defesa dos seus interesses.
(D) O crescimento do Estado ao mesmo tempo que diminuía a representação
operária nos parlamentos.
(E) A vitória dos partidos comunistas nas eleições das principais capitais européias.
RESOLUÇÃO:

(A) a expansão do capitalismo e a consolidação dos regimes
monárquicos constitucionais.
(B) a expressiva diminuição da oferta de mão-de-obra, devido à
demanda por trabalhadores especializados.
(C) a capacidade de mobilização dos trabalhadores em defesa dos
seus interesses.
(D) o crescimento do Estado ao mesmo tempo que diminuía a
representação operária nos parlamentos.
(E) a vitória dos partidos comunistas nas eleições das principais
capitais européias.
Questão 03: “Coketown era uma cidade de tijolos vermelhos, ou melhor, de tijolos
que seriam vermelhos se a fumaça e as cinzas permitissem, cidade de máquinas e
de altas chaminés. Apresentava muitas ruas largas, todas iguais, e muitas
ruazinhas ainda mais iguais, cheias de pessoas também muito iguais, pois todas
saíam e entravam nas mesmas horas, andando com passo igual na mesma
calçada, para fazer o mesmo trabalho, e para elas cada dia era parecido com o da
véspera e com o dia seguinte.”
    CHARLES DICKENS In: ENDERS, Armelle e outros. História em Curso. Rio de Janeiro: FGV, 2008.



 A Revolução Industrial provocou grandes mudanças em algumas cidades inglesas
a partir de finais do século XVIII. O fragmento do romance Tempos difíceis,
publicado em 1854, apresenta sinais dessas transformações.
Apresente uma mudança causada pelo processo de industrialização nas cidades
inglesas e uma de suas consequências para as condições de vida do operariado.
RESOLUÇÃO:
Mudanças:
• Expansão, diversificação e maior complexidade da paisagem urbana;
• Alteração do espaço natural decorrente da concentração industrial em áreas
urbanas, causadora de efeitos poluentes e de degradação ambiental, associados
tanto à aplicação dos progressos tecnológicos na mecanização da produção quanto
aos processos de expansão e de concentração demográfica;
• Crescimento populacional decorrente da ampliação da demanda por mão de obra
e alimentado por feixes migratórios originários das áreas rurais.
Consequências:
• Crescente divisão do trabalho;
• Padronização dos ritmos de vida;
• Exploração da mão de obra infantil e feminina.
BIBLIOGRAFIA



PAZZINATO, Alceu L.; SENISE, Maria Helena V. Tempo de Chaminés. In.
“História Moderna e Contemporânea”. 14ª ed. Editora Ática, São Paulo:
2006.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revolucao industrial2014
Revolucao industrial2014Revolucao industrial2014
Revolucao industrial2014
Priscila Azeredo
 
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Marcelo Lillyan Montes
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
IiIlukinhaIiI
 
Revolucao Industrial
Revolucao IndustrialRevolucao Industrial
Revolucao Industrial
daniloeduardomiranda
 
Revoluçao industrial
Revoluçao industrialRevoluçao industrial
Revoluçao industrial
Paulo Alexandre
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Alessandra Marcon
 
Revolução industrial inglesa
Revolução industrial inglesaRevolução industrial inglesa
Revolução industrial inglesa
Ava Augustina
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Acessa Esterina
 
Slide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a faseSlide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a fase
Educador Lamarão
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Beatriz Xavier
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
TrabalhosdeEscola
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
NBrunoFS
 
A revolucao industrial
A revolucao industrialA revolucao industrial
A revolucao industrial
Adriano Santa Brígida
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Pérysson Nogueira
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Tavinho Koneski Westphal
 
1a RevoluçãO Industrial
1a RevoluçãO Industrial1a RevoluçãO Industrial
1a RevoluçãO Industrial
Sílvia Mendonça
 
ERA DA REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
ERA DA REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO INDUSTRIALERA DA REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
ERA DA REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
Diego Bian Filo Moreira
 
A revolução industrial fez com que economia e a noção dos valores humanos se ...
A revolução industrial fez com que economia e a noção dos valores humanos se ...A revolução industrial fez com que economia e a noção dos valores humanos se ...
A revolução industrial fez com que economia e a noção dos valores humanos se ...
Instituto Superior de Ciências da Administração
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Janaína Tavares
 

Mais procurados (20)

Revolucao industrial2014
Revolucao industrial2014Revolucao industrial2014
Revolucao industrial2014
 
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolucao Industrial
Revolucao IndustrialRevolucao Industrial
Revolucao Industrial
 
Revoluçao industrial
Revoluçao industrialRevoluçao industrial
Revoluçao industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial inglesa
Revolução industrial inglesaRevolução industrial inglesa
Revolução industrial inglesa
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Slide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a faseSlide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a fase
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
 
A revolucao industrial
A revolucao industrialA revolucao industrial
A revolucao industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
1a RevoluçãO Industrial
1a RevoluçãO Industrial1a RevoluçãO Industrial
1a RevoluçãO Industrial
 
ERA DA REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
ERA DA REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO INDUSTRIALERA DA REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
ERA DA REVOLUÇÕES - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 
A revolução industrial fez com que economia e a noção dos valores humanos se ...
A revolução industrial fez com que economia e a noção dos valores humanos se ...A revolução industrial fez com que economia e a noção dos valores humanos se ...
A revolução industrial fez com que economia e a noção dos valores humanos se ...
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 

Semelhante a www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revolução Industrial

Seguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalhoSeguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalho
Filipe Augusto Carvalho Silva
 
Seguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalhoSeguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalho
institutocarvalho
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
HitaloSantos8
 
Esquema 1: Revolução Industrial
Esquema 1: Revolução IndustrialEsquema 1: Revolução Industrial
Esquema 1: Revolução Industrial
ProfessoresColeguium
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
eduardodemiranda
 
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômicoA revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
Ricardo Diniz campos
 
Segurança no trabalho
Segurança no trabalhoSegurança no trabalho
Segurança no trabalho
Filipe Augusto Carvalho Silva
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Zeze Silva
 
Revolução industrial alceu
Revolução industrial alceuRevolução industrial alceu
Revolução industrial alceu
Íris Ferreira
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
Maria Joao Feio
 
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdfDO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
Henrique Pontes
 
13889_seguranca-no-trabalho.ppt
13889_seguranca-no-trabalho.ppt13889_seguranca-no-trabalho.ppt
13889_seguranca-no-trabalho.ppt
ProfWellingtonAleixo
 
RevoluçãO Industrial
RevoluçãO IndustrialRevoluçãO Industrial
RevoluçãO Industrial
Sílvia Mendonça
 
RevoluçãO Industrial
RevoluçãO IndustrialRevoluçãO Industrial
RevoluçãO Industrial
Sílvia Mendonça
 
O Arranque Industrial
O Arranque IndustrialO Arranque Industrial
O Arranque Industrial
Inês Alexandre
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Claudenilson da Silva
 
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDARevolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
artbio
 
Revisao historia
Revisao historiaRevisao historia
Revisao historia
Sarah Guimarães Portela
 
Revolução industrial ricardo carvalho
Revolução industrial   ricardo carvalhoRevolução industrial   ricardo carvalho
Revolução industrial ricardo carvalho
Cristiane81
 

Semelhante a www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revolução Industrial (20)

Seguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalhoSeguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalho
 
Seguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalhoSeguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalho
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
 
Esquema 1: Revolução Industrial
Esquema 1: Revolução IndustrialEsquema 1: Revolução Industrial
Esquema 1: Revolução Industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômicoA revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
 
Segurança no trabalho
Segurança no trabalhoSegurança no trabalho
Segurança no trabalho
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial alceu
Revolução industrial alceuRevolução industrial alceu
Revolução industrial alceu
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
 
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdfDO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
 
13889_seguranca-no-trabalho.ppt
13889_seguranca-no-trabalho.ppt13889_seguranca-no-trabalho.ppt
13889_seguranca-no-trabalho.ppt
 
RevoluçãO Industrial
RevoluçãO IndustrialRevoluçãO Industrial
RevoluçãO Industrial
 
RevoluçãO Industrial
RevoluçãO IndustrialRevoluçãO Industrial
RevoluçãO Industrial
 
O Arranque Industrial
O Arranque IndustrialO Arranque Industrial
O Arranque Industrial
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDARevolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
 
Revisao historia
Revisao historiaRevisao historia
Revisao historia
 
Revolução industrial ricardo carvalho
Revolução industrial   ricardo carvalhoRevolução industrial   ricardo carvalho
Revolução industrial ricardo carvalho
 

Mais de AulasDeHistoriaApoio

www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Unificação Italiana e Alemã
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Unificação Italiana e Alemãwww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Unificação Italiana e Alemã
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Unificação Italiana e Alemã
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A vinda da Corte
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A vinda da Cortewww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A vinda da Corte
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A vinda da Corte
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Iluminismo
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Iluminismowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Iluminismo
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Iluminismo
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Neo Afroasiático
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Neo Afroasiáticowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Neo Afroasiático
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Neo Afroasiático
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência dos EUA
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Idependência dos EUAwww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Idependência dos EUA
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência dos EUA
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência do Brasil
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Idependência do Brasilwww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Idependência do Brasil
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência do Brasil
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Primeira Guerra Mundial
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Primeira Guerra Mundialwww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Primeira Guerra Mundial
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Primeira Guerra Mundial
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Renascimento
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Renascimentowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Renascimento
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Renascimento
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Regência
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Regênciawww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Regência
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Regência
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revoltas Coloniais
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Revoltas Coloniaiswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Revoltas Coloniais
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revoltas Coloniais
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A formação dos estados nacionais
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A formação dos estados nacionaiswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A formação dos estados nacionais
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A formação dos estados nacionais
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - O Egito Antigo
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  O Egito Antigowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  O Egito Antigo
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - O Egito Antigo
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Crise do Feudalismo
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Crise do Feudalismowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Crise do Feudalismo
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Crise do Feudalismo
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Cruzadas
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Cruzadaswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Cruzadas
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Cruzadas
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas (Parte 2)
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargas (Parte 2)www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargas (Parte 2)
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas (Parte 2)
AulasDeHistoriaApoio
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargaswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargas
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas
AulasDeHistoriaApoio
 

Mais de AulasDeHistoriaApoio (16)

www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Unificação Italiana e Alemã
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Unificação Italiana e Alemãwww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Unificação Italiana e Alemã
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Unificação Italiana e Alemã
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A vinda da Corte
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A vinda da Cortewww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A vinda da Corte
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A vinda da Corte
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Iluminismo
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Iluminismowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Iluminismo
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Iluminismo
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Neo Afroasiático
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Neo Afroasiáticowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Neo Afroasiático
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Neo Afroasiático
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência dos EUA
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Idependência dos EUAwww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Idependência dos EUA
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência dos EUA
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência do Brasil
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Idependência do Brasilwww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Idependência do Brasil
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Idependência do Brasil
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Primeira Guerra Mundial
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Primeira Guerra Mundialwww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História - Primeira Guerra Mundial
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Primeira Guerra Mundial
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Renascimento
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Renascimentowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Renascimento
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Renascimento
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Regência
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Regênciawww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Regência
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Regência
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revoltas Coloniais
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Revoltas Coloniaiswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Revoltas Coloniais
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revoltas Coloniais
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A formação dos estados nacionais
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A formação dos estados nacionaiswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A formação dos estados nacionais
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A formação dos estados nacionais
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - O Egito Antigo
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  O Egito Antigowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  O Egito Antigo
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - O Egito Antigo
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Crise do Feudalismo
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Crise do Feudalismowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Crise do Feudalismo
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Crise do Feudalismo
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Cruzadas
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Cruzadaswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Cruzadas
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Cruzadas
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas (Parte 2)
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargas (Parte 2)www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargas (Parte 2)
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas (Parte 2)
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargaswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargas
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas
 

Último

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 

www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Revolução Industrial

  • 2. AO FINAL DESTA AULA SERÁ IMPORTANTE ENTENDER:  Porque a Inglaterra foi pioneira nesta Revolução;  A função da agricultura, da indústria têxtil e da metalurgia;  Como as novas tecnologias aceleraram o processo produtivo;  As condições sociais geradas pela Revolução Industrial;  A nova relação de trabalho gerada pela Revolução.
  • 3. Passagem de um sistema de produção Revolução Industrial agrário e artesanal para outro sistema marcadamente industrial dominado pela fábrica e pela máquina O que significa dizer que o trabalho deixou de ser somente manual e passou a ser também mecanizado. Fiandeira mecânica, criada em 1764
  • 4. Este processo revolucionário para o mundo do trabalho iniciou-se na Inglaterra no século XVIII. A Inglaterra passara por um eficiente processo de acumulação primitiva do capital nos séculos anteriores (XVI-XVII). Criando neste país as condições necessárias ao capitalismo industrial e sua nova forma de conceber o trabalho (fabril e assalariado) e a produção de manufaturados (em massa). Foi o processo de acumulação de riquezas pela burguesia desde a fase do capitalismo mercantil até a fase industrial. Este processo permitiu que a riqueza acumulada fosse investida na produção manufatureira,
  • 5. CONDIÇÕES POLÍTICAS O processo de industrialização inglês foi viabilizado pela parceria de diferentes grupos da sociedade:  Nobreza rural com a criação de ovelhas e a mineração de ferro e carvão, fornecedoras portanto, de importantes matérias-primas.  Empresários do comércio e da indústria (membros da burguesia) que estavam representados no parlamento e eram responsáveis pelas questões tributárias. Neste caso foi possível acumular capital tendo em vista que a cobrança de impostos para esta categoria foi amenizada.  Monarquia parlamentar, que protegeu as indústrias da concorrência estrangeira com taxas aduaneiras e fortaleceu as ligações com as colônias americanas fornecedoras de matérias-primas.
  • 6. O crescimento da indústria foi viabilizado pelo desenvolvimento de tecnologias que serviram para acelerar o processo produtivo: Máquinas modernas O vapor como fonte de energia A tecnologia acelerou o Utilização de novas matérias-primas processo produtivo.
  • 7. AGRICULTURA O cercamento dos campos diminuiu a área cultivada para a subsistência e aumentou os campos de pastagem de ovelhas para obtenção de lã utilizada como matéria-prima nas manufaturas de tecido. Nas áreas de cultivo os grandes proprietários começavam a investir em novos métodos de plantio, introduzindo melhorias técnicas que levaram à substituição do trabalho manual pelo mecânico. O cercamento dos campos e as melhorias técnicas ocasionaram a migração de muitos trabalhadores para a cidade, onde se sujeitaram a baixos salários e a condições de vida sub-humanas.
  • 8. INDÚSTRIA TÊXTIL A produção de tecido antes da Revolução Industrial era um processo longo e tinha caráter complementar à agricultura. No entanto, o negócio dos tecidos de lã propiciou grandes lucros aos comerciantes que aos poucos passaram a investir em instalações e equipamentos. Estes investimentos possibilitaram a especialização do trabalho, ou seja, cada trabalhador passou a realizar apenas uma etapa na elaboração do produto e não mais todo o processo que ia da lã, matéria-prima, ao tecido, produto final. A especialização do trabalho acelerou a produção e ampliou o sistema produtivo.
  • 9. A mecanização do processo produtivo resultou numa especialização do trabalho. Em que medida esta mecanização alterou a dinâmica do trabalho?
  • 10. A mecanização do processo produtivo transformou a relação do homem com o trabalho em dois aspectos: primeiro antes da Revolução Industrial o homem trabalhava somente pela subsistência após a Revolução trabalha também para atender a lógica do consumo. Segundo aspecto, a mecanização especializou o trabalho na medida em que cada trabalhador ficou responsável por uma etapa da produção diferente do que acontecia antes, quando cada trabalhador era responsável por todo o processo produtivo.
  • 11. O ALGODÃO SUBSTITUI A LÃ A produção também foi acelerada pela substituição da lã pelo algodão. Com o Ato de Navegação de 1651 a Inglaterra garantiu a nova matéria prima e novas áreas para comercializar seus produtos manufaturados. A Índia e as colônias de exploração na América se tornaram grandes produtores de algodão e consumidores dos tecidos fabricados na Inglaterra. O tecido de algodão era mais leve e mais barato fazendo os empresários investirem mais na indústria de algodão do que na de lã. Estes tecidos eram mais aceitos em regiões tropicais e podiam ser utilizados como pagamento na compra de escravos. Como o mercado consumidor para este novo produto era grande os empresários passaram a investir ainda mais em tecnologia para acelerar a produção.
  • 12. METALURGIA A EXTRAÇÃO DE FERRO E CARVÃO E O PROCESSO DE FUNDIÇÃO de ferro foram setores da economia que também auxiliaram a Revolução Industrial. No século XVIII surgiu a tentativa de obter ferro fundido em grande escala e com menos impurezas, aperfeiçoando o método até chegar ao aço. Este processo auxiliou a construção de pontes, transportes e equipamentos para a industria têxtil. Primeira locomotiva
  • 13. Até agora vimos que a Revolução Industrial para acontecer usou de novas matérias-primas (o carvão e o ferro fundido), substituiu o trabalho manual pelo mecânico e efetuou a especialização do trabalho. Qual o principal efeito destas transformações?
  • 14. O desenvolvimento de novas tecnologias e técnicas de produção permitiu a aceleração da produção de manufaturados.
  • 15. A INDÚSTRIA A TRANSIÇÃO DO USO DE FERRAMENTAS E ENERGIA HUMANA, para o uso das máquinas e da energia mecânica consolidou a indústria como nova unidade produtiva em detrimento das oficinas artesanais. A mecanização:  Agilizou o processo produtivo.  Barateou o custo. Navio a vapor,  Substituiu a atividade global pela atividade especializada. criado em 1807, propiciou maior Tear mecânico, criado Descaroçador integração dos em 1785, movido a mecânico, criado mercados vapor permitia o fabrico em 1792, separava automático dos tecidos. o caroço da fibra de algodão.
  • 16. CONDIÇÕES SOCIAIS A Revolução Industrial gerou condições miseráveis nas cidades. Com a lógica do lucro os empresários pagavam baixos salários a seus funcionários e exigiam uma longa jornada de trabalho. As moradias dos operários também eram mal conservadas e ofereciam péssimas condições de higiene. Como forma de reação à degradação de suas condições de vida e de trabalho, os operários iniciaram um movimento cujo objetivo era destruir o maior número possível de máquinas. Esta reação ficou conhecida como Movimento Ludita.
  • 17. O desenvolvimento de novas tecnologias e o aumento dos lucros favoreceram o crescimento econômico da Burguesia. E para os trabalhadores, qual foi o maior impacto destas transformações?
  • 18. Os operários, como ficaram conhecidos os trabalhadores das fábricas, ganhavam mal pelo trabalho prestado e acabou imerso em condições sub humanas de vida.
  • 19. O LEGADO DA REVOLUÇÃO  A Revolução Industrial foi a integração internacional de capital, matérias-primas, recursos naturais e mão-de-obra. Deixando uma nova articulação econômica entre países industrializados e regiões menos desenvolvidas. Estes forneciam produtos primários para as industrias ao mesmo tempo que se tornavam consumidores dos produtos industrializados.  Nos países onde a revolução se deu de forma mais efetiva o capital ficou concentrado nas mãos da burguesia gerando miséria e pobreza entre a população. É neste período que se sistematiza a diferença crescente entre ricos e pobres.  A Revolução Industrial mudou as relações de trabalho a partir das transformações técnicas e da produção em larga escala. Separa-se o trabalho do capital, ou seja, o trabalhador tem apenas a força de trabalho como meio de sobrevivência e o proprietário os meios de produção.
  • 20. Questão 01: A respeito da Revolução Industrial Inglesa, assinale a alternativa incorreta. A) O processo da Revolução Industrial provocou profundas transformações econômicas e sociais na sociedade inglesa. B) A Inglaterra foi a primeira nação a se industrializar. C) Um magnífico aumento da produtividade de cada trabalhador foi uma das principais características da Revolução Industrial Inglesa. D) A chamada Revolução Industrial Inglesa ocorreu na Idade Média e, por isso, é também conhecida como A Revolução Industrial da Idade Média. E) A indústria têxtil foi o ramo da produção em que a modernização ocorreu de forma mais explícita
  • 21. RESOLUÇÃO: A) O processo da Revolução Industrial provocou profundas transformações econômicas e sociais na sociedade inglesa. B) A Inglaterra foi a primeira nação a se industrializar. C) Um magnífico aumento da produtividade de cada trabalhador foi uma das principais características da Revolução Industrial Inglesa. D) A chamada Revolução Industrial Inglesa ocorreu na Idade Média e, por isso, é também conhecida como A Revolução Industrial da Idade Média. E) A indústria têxtil foi o ramo da produção em que a modernização ocorreu de forma mais explícita
  • 22. Questão 02: A Revolução Industrial ocorrida no final do século XVIII transformou as relações do homem com o trabalho. As máquinas mudaram as formas de trabalhar, e as fábricas concentraram-se em regiões próximas às matérias-primas e grandes portos, originando vastas concentrações humanas. Muitos dos operários vinham da área rural e cumpriam jornadas de trabalho de 12 a 14 horas, na maioria das vezes em condições adversas. A legislação trabalhista surgiu muito lentamente ao longo do século XIX e a diminuição da jornada de trabalho para oito horas diárias concretizou-se no início do século XX. Pode-se afirmar que as conquistas no início deste século, decorrentes da legislação trabalhista, estão relacionadas com: (A) A expansão do capitalismo e a consolidação dos regimes monárquicos constitucionais. (B) A expressiva diminuição da oferta de mão-de-obra, devido à demanda por trabalhadores especializados. (C) A capacidade de mobilização dos trabalhadores em defesa dos seus interesses. (D) O crescimento do Estado ao mesmo tempo que diminuía a representação operária nos parlamentos. (E) A vitória dos partidos comunistas nas eleições das principais capitais européias.
  • 23. RESOLUÇÃO: (A) a expansão do capitalismo e a consolidação dos regimes monárquicos constitucionais. (B) a expressiva diminuição da oferta de mão-de-obra, devido à demanda por trabalhadores especializados. (C) a capacidade de mobilização dos trabalhadores em defesa dos seus interesses. (D) o crescimento do Estado ao mesmo tempo que diminuía a representação operária nos parlamentos. (E) a vitória dos partidos comunistas nas eleições das principais capitais européias.
  • 24. Questão 03: “Coketown era uma cidade de tijolos vermelhos, ou melhor, de tijolos que seriam vermelhos se a fumaça e as cinzas permitissem, cidade de máquinas e de altas chaminés. Apresentava muitas ruas largas, todas iguais, e muitas ruazinhas ainda mais iguais, cheias de pessoas também muito iguais, pois todas saíam e entravam nas mesmas horas, andando com passo igual na mesma calçada, para fazer o mesmo trabalho, e para elas cada dia era parecido com o da véspera e com o dia seguinte.” CHARLES DICKENS In: ENDERS, Armelle e outros. História em Curso. Rio de Janeiro: FGV, 2008. A Revolução Industrial provocou grandes mudanças em algumas cidades inglesas a partir de finais do século XVIII. O fragmento do romance Tempos difíceis, publicado em 1854, apresenta sinais dessas transformações. Apresente uma mudança causada pelo processo de industrialização nas cidades inglesas e uma de suas consequências para as condições de vida do operariado.
  • 25. RESOLUÇÃO: Mudanças: • Expansão, diversificação e maior complexidade da paisagem urbana; • Alteração do espaço natural decorrente da concentração industrial em áreas urbanas, causadora de efeitos poluentes e de degradação ambiental, associados tanto à aplicação dos progressos tecnológicos na mecanização da produção quanto aos processos de expansão e de concentração demográfica; • Crescimento populacional decorrente da ampliação da demanda por mão de obra e alimentado por feixes migratórios originários das áreas rurais. Consequências: • Crescente divisão do trabalho; • Padronização dos ritmos de vida; • Exploração da mão de obra infantil e feminina.
  • 26. BIBLIOGRAFIA PAZZINATO, Alceu L.; SENISE, Maria Helena V. Tempo de Chaminés. In. “História Moderna e Contemporânea”. 14ª ed. Editora Ática, São Paulo: 2006.