SlideShare uma empresa Scribd logo
Primeira Revolução Industrial
: Podemos apresentar algumas razões fundamentais:
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
A análise de tantos feitos tecnológicos não poderia ficar carente das mudanças sociais ocorridas neste mesmo período. As empresas industriais perderam totalmente suas feições caseiras adquirindo uma nova forma. Grandes conglomerados econômicos, a crescente participação do setor financeiro na produção industrial - trustes, cartéis, holdings.  Ao lado de uma intensificação da exploração do trabalho operário, da urbanização desenfreada e sem planejamentos, das epidemias provocadas pelo acúmulo de populações nos grandes centros sem infra-estrutura, cresciam as fábricas cada vez mais poderosas e determinantes de um processo irreversível.
 O liberalismo de Adam Smith
[object Object],[object Object]
Movimentos Ludismo (1811-1812)
[object Object]
Anos depois os operários ingleses mais experientes adotaram métodos mais eficientes de luta, como a greve e o movimento sindical.,[object Object]
[object Object]
particularmente a limitação de oito horas para a jornada de trabalho
a regulamentação do trabalho feminino
a extinção do trabalho infantil
a folga semanal
o salário mínimo
Este movimento lutou ainda pelos direitos políticos, como o estabelecimento do sufrágio universal (apenas para os homens, nesta época) e extinção da exigência de propriedade para se integrar ao parlamento e o fim do voto censitário. Esse movimento se destacou por sua organização, e por sua forma de atuação, chegando a conquistar diversos direitos políticos para os trabalhadores.,[object Object]
[object Object],[object Object]
Até 1850, a Inglaterra continuou dominando o primeiro lugar entre os países industrializados. Embora outros países já contassem com fábricas e equipamentos modernos, esses eram considerados uma "miniatura de Inglaterra", como por exemplo os vales de Ruhr e Wupper na Alemanha, que eram bem desenvolvidos, porém não possuíam a tecnologia das fábricas inglesas.
De 1830 a 1929 : A Expansão pelo mundo
[object Object]
Na Alemanha com o resultado da Guerra Franco-prussiana em 1870, houve a Unificação Alemã que, liderada por Bismarck, impulsionou a Revolução Industrial no país que já estava ocorrendo desde 1815. Foi a partir dessa época que a produção de ferro fundido começou a aumentar de forma exponencial.,[object Object]
A partir da Revolução Industrial o volume de produção aumentou extraordinariamente: a produção de bens deixou de ser artesanal e passou a ser maquino faturada; as populações passaram a ter acesso a bens industrializados e deslocaram-se para os centros urbanos em busca de trabalho. As fábricas passaram a concentrar centenas de trabalhadores, que vendiam a sua força de trabalho em troca de um salário.
A industrialização no Brasil
O Brasil, como uma antiga colônia de uma nação européia, faz parte de um grupo de países de industrialização tardia
A industrialização em Portugal
Em Portugal, as reformas de Mouzinho da Silveira liquidam os resquícios das estruturas feudais e consolidam a burguesia no poder, modernizando o país. Na segunda metade do século XIX implanta-se a malha ferroviária no país em paralelo a um desenvolvimento industrial e do comércio, à dinâmica do colonialismo, e a uma grande emigração, principalmente em direção ao Brasil e aos Estados Unidos da América.
Historia Artesanato/Manufatura/ Maquinofatura
Artesanato ,[object Object]
Os primeiros artesãos surgiram no período neolítico (6.000 a.C) quando o homem aprendeu a polir a pedra, a fabricar a cerâmica e a tecer fibras de  animais e vegetais.
O artesanato foi primeira forma de produção, que voltou com força total no fim da Idade Média com o renascimento comercial e urbano e definiu-se pela produção independente: nisso o produtor possuía os meios de produção: instalações, ferramentas e matéria-prima. E fazia todo o trabalho em casa, sozinho ou com a família, onde o realizava todas as etapas da produção.,[object Object]
Com o aumento do consumo. O artesão  teve que produzir mais peças,só que ele demorava muito. Como resolução veio a manufatura[Revolução industrial].Que passou a ser um pouco mais rápido.
Manufatura
[object Object]
O trabalho que antes era somente manual passou a ser feito por máquinas, o que gerou uma maior produção em menor tempo.
Manufatura era um sistema de fabricação de grande quantidade de produtos de forma padronizada e em série. Isso quer dizer que era feito etapa por etapa, e era também especializado, cada trabalhador tinha sua especialização numa área.
Mais ainda existiam  muitas partes feitas a mão.,[object Object]
Assim a tecnologia foi melhorando e aumentando, ate que as maquinas assumiram todos os processos de fabricação que deu lugar a maquinofatura.
Maquinofatura
[object Object]
Com a Maquinofatura os trabalhadores já  estavam sub­metido ao regime de funcionamento da máquina e à gerência direta do empresário e dono.
O processo de produção já era feito todo por maquinas o homem só tinha que controlá-las.[Eram muito funcionários]
Os lucros também já era de enriquecimento.Que ai tudo pro Dono das industrias e sócios.,[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Maria Gomes
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Edenilson Morais
 
A segunda revolução industrial
A segunda revolução industrialA segunda revolução industrial
A segunda revolução industrial
Nelia Salles Nantes
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrial
Nelia Salles Nantes
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
historiamurialdo
 
Revolução industrial slide
Revolução industrial slideRevolução industrial slide
Revolução industrial slide
Hary Duarte
 
Imperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoImperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismo
Paulo Alexandre
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. MedeirosPrimeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
João Medeiros
 
3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
Marilia Pimentel
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Marcelo Lillyan Montes
 
Movimentos operários
Movimentos operáriosMovimentos operários
Movimentos operários
Jornal Ovale
 
America espanhola
America espanholaAmerica espanhola
America espanhola
joana71
 
A Revolução industrial
A Revolução industrialA Revolução industrial
A Revolução industrial
Carlos Pinheiro
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
joana71
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
Patrícia Costa Grigório
 
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução IndustrialRevoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
Nelson Faustino
 
Reforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra ReformaReforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra Reforma
Luiz Henrique Ferreira
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais procurados (20)

Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
A segunda revolução industrial
A segunda revolução industrialA segunda revolução industrial
A segunda revolução industrial
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial slide
Revolução industrial slideRevolução industrial slide
Revolução industrial slide
 
Imperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoImperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismo
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
 
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. MedeirosPrimeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
Primeira Revolução Industrial - Inglaterra - Século XVIII - Prof. Medeiros
 
3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Movimentos operários
Movimentos operáriosMovimentos operários
Movimentos operários
 
America espanhola
America espanholaAmerica espanhola
America espanhola
 
A Revolução industrial
A Revolução industrialA Revolução industrial
A Revolução industrial
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
 
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução IndustrialRevoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
 
Reforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra ReformaReforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra Reforma
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 

Destaque

Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Gabriel Moreno
 
Primeira revolução industrial
Primeira revolução industrialPrimeira revolução industrial
Primeira revolução industrial
Nilton Silva Jardim Junior
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Bianca Spaler
 
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Cultura da Espanha
Cultura da EspanhaCultura da Espanha
Cultura da Espanha
mateusmello17
 
Internet das coisas na terceira revolução industrial
Internet das coisas na terceira revolução industrialInternet das coisas na terceira revolução industrial
Internet das coisas na terceira revolução industrial
Diemesleno Souza Carvalho
 
Cultura Espanhola
Cultura EspanholaCultura Espanhola
Cultura Espanhola
EMEFEzequiel
 
A 2ª Revolução Industrial
A 2ª Revolução IndustrialA 2ª Revolução Industrial
A 2ª Revolução Industrial
João Machado
 
Os seres humanos povoam a américa
Os seres humanos povoam a américaOs seres humanos povoam a américa
Os seres humanos povoam a américa
RODRIGO Cicéro
 

Destaque (9)

Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Primeira revolução industrial
Primeira revolução industrialPrimeira revolução industrial
Primeira revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
Primeira Revolução Industrial - Prof.Altair Aguilar.
 
Cultura da Espanha
Cultura da EspanhaCultura da Espanha
Cultura da Espanha
 
Internet das coisas na terceira revolução industrial
Internet das coisas na terceira revolução industrialInternet das coisas na terceira revolução industrial
Internet das coisas na terceira revolução industrial
 
Cultura Espanhola
Cultura EspanholaCultura Espanhola
Cultura Espanhola
 
A 2ª Revolução Industrial
A 2ª Revolução IndustrialA 2ª Revolução Industrial
A 2ª Revolução Industrial
 
Os seres humanos povoam a américa
Os seres humanos povoam a américaOs seres humanos povoam a américa
Os seres humanos povoam a américa
 

Semelhante a 1ª Revolução Industrial

Revolucao
RevolucaoRevolucao
Revolucao
leonardocollyer
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
GabrielaLimaPereira
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Janaina Flavia Santos Azevedo
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
Maria Joao Feio
 
Revolução..,
Revolução..,Revolução..,
Revolução..,
Isabella Silva
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Acessa Esterina
 
Revolução industrial ricardo carvalho
Revolução industrial   ricardo carvalhoRevolução industrial   ricardo carvalho
Revolução industrial ricardo carvalho
Cristiane81
 
Revolução industrial atividade revisão
Revolução industrial   atividade revisãoRevolução industrial   atividade revisão
Revolução industrial atividade revisão
Carlos Zaranza
 
Aula 11 rev. industrial e socialismo
Aula 11   rev. industrial e socialismoAula 11   rev. industrial e socialismo
Aula 11 rev. industrial e socialismo
Jonatas Carlos
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Leolina Heloisa Silva Sales
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
Ana Batista
 
Revolucao industrial editado 2
Revolucao industrial editado 2Revolucao industrial editado 2
Revolucao industrial editado 2
Carla Prestes
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Claudenilson da Silva
 
Indústria
IndústriaIndústria
Indústria
Beach
 
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Seminário de historia  2ª Revolução industrial Seminário de historia  2ª Revolução industrial
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Wendell Junior
 
O movimento operário
O movimento operárioO movimento operário
O movimento operário
Scriba Digital
 
Historia jakeee
Historia jakeeeHistoria jakeee
Historia jakeee
Victorlucas2703
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
HitaloSantos8
 
A Civilização Industrial no século XIX
A Civilização Industrial no século XIXA Civilização Industrial no século XIX
A Civilização Industrial no século XIX
Nuno Eusébio
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Debora Barros
 

Semelhante a 1ª Revolução Industrial (20)

Revolucao
RevolucaoRevolucao
Revolucao
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
 
Revolução..,
Revolução..,Revolução..,
Revolução..,
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial ricardo carvalho
Revolução industrial   ricardo carvalhoRevolução industrial   ricardo carvalho
Revolução industrial ricardo carvalho
 
Revolução industrial atividade revisão
Revolução industrial   atividade revisãoRevolução industrial   atividade revisão
Revolução industrial atividade revisão
 
Aula 11 rev. industrial e socialismo
Aula 11   rev. industrial e socialismoAula 11   rev. industrial e socialismo
Aula 11 rev. industrial e socialismo
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
 
Revolucao industrial editado 2
Revolucao industrial editado 2Revolucao industrial editado 2
Revolucao industrial editado 2
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Indústria
IndústriaIndústria
Indústria
 
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Seminário de historia  2ª Revolução industrial Seminário de historia  2ª Revolução industrial
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
 
O movimento operário
O movimento operárioO movimento operário
O movimento operário
 
Historia jakeee
Historia jakeeeHistoria jakeee
Historia jakeee
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
 
A Civilização Industrial no século XIX
A Civilização Industrial no século XIXA Civilização Industrial no século XIX
A Civilização Industrial no século XIX
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 

1ª Revolução Industrial

  • 2. : Podemos apresentar algumas razões fundamentais:
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6. A análise de tantos feitos tecnológicos não poderia ficar carente das mudanças sociais ocorridas neste mesmo período. As empresas industriais perderam totalmente suas feições caseiras adquirindo uma nova forma. Grandes conglomerados econômicos, a crescente participação do setor financeiro na produção industrial - trustes, cartéis, holdings. Ao lado de uma intensificação da exploração do trabalho operário, da urbanização desenfreada e sem planejamentos, das epidemias provocadas pelo acúmulo de populações nos grandes centros sem infra-estrutura, cresciam as fábricas cada vez mais poderosas e determinantes de um processo irreversível.
  • 7. O liberalismo de Adam Smith
  • 8.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. particularmente a limitação de oito horas para a jornada de trabalho
  • 14. a regulamentação do trabalho feminino
  • 15. a extinção do trabalho infantil
  • 18.
  • 19.
  • 20. Até 1850, a Inglaterra continuou dominando o primeiro lugar entre os países industrializados. Embora outros países já contassem com fábricas e equipamentos modernos, esses eram considerados uma "miniatura de Inglaterra", como por exemplo os vales de Ruhr e Wupper na Alemanha, que eram bem desenvolvidos, porém não possuíam a tecnologia das fábricas inglesas.
  • 21. De 1830 a 1929 : A Expansão pelo mundo
  • 22.
  • 23.
  • 24. A partir da Revolução Industrial o volume de produção aumentou extraordinariamente: a produção de bens deixou de ser artesanal e passou a ser maquino faturada; as populações passaram a ter acesso a bens industrializados e deslocaram-se para os centros urbanos em busca de trabalho. As fábricas passaram a concentrar centenas de trabalhadores, que vendiam a sua força de trabalho em troca de um salário.
  • 26. O Brasil, como uma antiga colônia de uma nação européia, faz parte de um grupo de países de industrialização tardia
  • 28. Em Portugal, as reformas de Mouzinho da Silveira liquidam os resquícios das estruturas feudais e consolidam a burguesia no poder, modernizando o país. Na segunda metade do século XIX implanta-se a malha ferroviária no país em paralelo a um desenvolvimento industrial e do comércio, à dinâmica do colonialismo, e a uma grande emigração, principalmente em direção ao Brasil e aos Estados Unidos da América.
  • 30.
  • 31. Os primeiros artesãos surgiram no período neolítico (6.000 a.C) quando o homem aprendeu a polir a pedra, a fabricar a cerâmica e a tecer fibras de animais e vegetais.
  • 32.
  • 33. Com o aumento do consumo. O artesão teve que produzir mais peças,só que ele demorava muito. Como resolução veio a manufatura[Revolução industrial].Que passou a ser um pouco mais rápido.
  • 35.
  • 36. O trabalho que antes era somente manual passou a ser feito por máquinas, o que gerou uma maior produção em menor tempo.
  • 37. Manufatura era um sistema de fabricação de grande quantidade de produtos de forma padronizada e em série. Isso quer dizer que era feito etapa por etapa, e era também especializado, cada trabalhador tinha sua especialização numa área.
  • 38.
  • 39. Assim a tecnologia foi melhorando e aumentando, ate que as maquinas assumiram todos os processos de fabricação que deu lugar a maquinofatura.
  • 41.
  • 42. Com a Maquinofatura os trabalhadores já estavam sub­metido ao regime de funcionamento da máquina e à gerência direta do empresário e dono.
  • 43. O processo de produção já era feito todo por maquinas o homem só tinha que controlá-las.[Eram muito funcionários]
  • 44.
  • 45. Cronologia De alguns inventos.
  • 46.
  • 47. 1698 - Thomas Newcomen, em Staffordshire, na Grã-Bretanha, instala um motor a vapor para esgotar água em uma mina de carvão.
  • 49. 1708 - Jethro Tull (agricultor), em Berkshire, na Grã-Bretanha, inventa a primeira máquina de semear puxada a cavalo, permitindo a mecanização da agricultura.
  • 50. 1709 - Abraham Darby, em Coalbrookdale, Shropshire, na Grã-Bretanha, utiliza o carvão para baratear a produção do ferro.
  • 51. 1733 - John Kay, na Grã-Bretanha, inventa uma lançadeira volante para o tear, acelerando o processo de tecelagem.
  • 52. 1740 - Benjamin Huntsman, em Handsworth, na Grã-Bretanha, descobre a técnica do uso de cadinho para fabricação de aço.
  • 53. 1761 - Abertura do Canal de Bridgewater, na Grã-Bretanha, primeira via aquática inteiramente artificial.
  • 54. 1764 - James Hargreaves, na Grã-Bretanha, inventa a fiadora "spinning Jenny", uma máquina de fiar rotativa que permitia a um único artesão fiar oito fios de uma só vez[2].
  • 55.
  • 56. 1771 - Richard Arkwright, em Cromford, Derbyshire, na Grã-Bretanha, introduz o sistema fabril em sua tecelagem ao acionar a sua máquina - agora conhecida como "water-frame" - com a força de torrente de água nas pás de uma roda.
  • 57. 1776 - 1779 - John Wilkinson e Abraham Darby, em Ironbridge, Shrobsihire, na Grã-Bretanha, constroem a primeira ponte em ferro fundido.
  • 58. 1779 - Samuel Crompton, na Grã-Bretanha, inventa a "spinning mule", combinação da "water frame" com a "spinning jenny", permitindo produzir fios mais finos e resistentes. A mule era capaz de fabricar tanto tecido quanto duzentos trabalhadores, apenas utilizando alguns deles como mão-de-obra.
  • 59. 1780 - Edmund Cartwright, de Leicestershire, na Grã-Bretanha, patenteia o primeiro tear a vapor.
  • 60. 1793 - Eli Whitney, na Geórgia, Estados Unidos da América, inventa o descaroçador de algodão.
  • 61.