SlideShare uma empresa Scribd logo
A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
Prof.: Marcos Venicios
A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
Em meados do século XVIII, teve inicio na Inglaterra
a Revolução Industrial, que consistiu num conjunto de
mudanças tecnológicas profundas na economia,
prolongando-se pelo século XIX. A máquina foi
suplantando o trabalho humano e uma nova relação entre
trabalho e capital se impôs.
O grande desenvolvimento da indústria provocou
profundas transformações na vida do homem, nas
relações entre as nações e na estrutura das sociedades.
Muitas cidades surgiram com a indústria. Nelas as
fábricas concentravam a sua força de trabalho em troca de
um salário.
Máquina de fiar, que acelerou a fabricação de tecidos no início da
Revolução Industrial
técnicas.
Desenho mostra maquinário têxtil inglês: a automação crescente é
marca da Revolução Industrial
Ilustração de sapataria na época da Revolução Industrial:
Jornada de trabalho de mais de 12 horas.
Os operários viviam em condições miseráveis.
Homens. Mulheres e até crianças iniciavam de 14 a 16
horas, por dia. Dentro das fábricas havia muita umidade e
poeira, e o barulho era ensurdecedor. Mulheres e crianças
trabalhavam o mesmo número de horas e recebiam um
salário bem mais baixo que o dos homens.
As condições subumanas em que vivia o
trabalhador levavam-no a contrair muitas doenças:
tuberculose, varizes, úlceras, problemas de coluna etc.
Em razão principalmente do cansaço excessivo,
ocorriam muitos acidentes de trabalho, que provocavam
mutilações ou morte.
Os trabalhadores que sofriam acidentes eram
sumariamente demitidos e não havia nenhuma lei que os
protegesse.
As condições de trabalho e os abusos que sofriam levavam os
trabalhadores a lutar pela conquista de seus direitos.
A INGLATERRA E A PRIMEIRA REVOLUÇÃO
INDUSTRIAL
O primeiro país a ter condições favoráveis de
investir na utilização da máquina foi a Inglaterra. Por isso,
liderou a primeira Revolução Industrial. Dentre essas
condições, podem-se citar:
1. Acúmulo de capitais - provenientes da expansão
marítimo-comercial e da política mercantilista
adotada pela Inglaterra;
2. Supremacia marítima;
3. Reservas minerais – havia abundância de jazidas
de carvão e de ferro no solo inglês;
Acúmulo de capitais Reservas minerais - carvão
Supremacia marítima Produção capitalista da terra
4. Produção capitalista da terra – o acúmulo de
capitais viabilizou os investimentos na área rural;
5. Ampliação dos empréstimos a juros – Com a
criação do Banco da Inglaterra, em 1694;
6. Crescimento populacional e grande êxodo
rural - possibilitando grande oferta de
trabalhadores;
7. Revolução Gloriosa – Que transformou o
Parlamento britânico num efetivo órgão dirigente
do estado.
Ampliação dos empréstimos a juros Crescimento populacional e êxodo rural
Todos esses elementos foram decisivos para a
industrialização inglesa. Apareceram invenções que
revolucionaram a indústria. O grande consumo de
tecidos de lã e de algodão estimulou a criação da
máquina de fiar de Arkwright, do tear mecânico de
Cartwright, do descaroçador de algodão de Eli
Whitney, e deu origem às primeiras fábricas inglesas
de fiação e tecelagem. Outras invenções fizeram parte
da Revolução Industrial inglesas, dentre elas: a
máquina a vapor de James Watt, a locomotiva a vapor
de George Stephenson, o barco a vapor de Robert
Fulton.
Richard Arkwright
Máquina de fiar, que acelerou a
fabricação de tecidos no início da
Revolução Industrial.
Edmund Cartwright
Inventa o ter mecânico
Tear mecânico.
George Stephenson criou a
primeira locomotiva a vapor
Locomotiva a vapor de Stephenson
Descaroçador de algodão O
descaroçador, inventado em
1793 por Eli Whitney, separa a
fibra do algodão das sementes
Eli Whitney
James Watt
(1736 - 1819)
Máquina a Vapor - Em 1765 James Watt
inventa a máquina a vapor, é o começo
de uma era titânica que caracterizará as
sociedades modernas, ferindo a
produção artesanal com o estigma
econômico do subdesenvolvimento
Barco a vapor de Robrt Fulton
A SOCIEDADE INDUSTRIAL
A produção em larga escala, mediante a utilização
de meios mecânicos, exigiu a concentração de
trabalhadores em grandes unidades de produção, as
fábricas, onde eles realizavam um trabalho dirigido e em
conjunto. Na fábrica, consagrou-se e aperfeiçoou-se o
principio da divisão do trabalho: cada trabalhador
realizava apenas uma parte do processo de produção, na
qual se especializava.
O sistema fabril arruinou a pequena oficina
artesanal, tão característica do modo de produção feudal.
A maioria dessas oficinas, onde o operário fazia seu
trabalho manual com as próprias ferramentas e com
horário e ritmo de trabalho que ele mesmo determinava,
não puderam agüentar a concorrência imposta pelos
novos métodos fabris.
Os artesãos viram-se obrigados a abandonar suas
oficinas e a procurar trabalho nas fábricas, convertendo-
se em operários assalariados.
Com a Revolução Industrial, dois grupos sociais
se definiram: a burguesia industrial e o operariado,
também chamado de proletariado.
A BURGUESIA INDUSTRIAL E O OPERARIADO
A EXPANSÃO INDUSTRIAL: A SEGUNDA FASE
DA INDÚSTRIA
Por volta de 1830, a França e a Bélgica iniciaram a
sua industrialização utilizando o vapor como fonte
energética e o ferro como material industrial básico. Esses
dois países e a Inglaterra estavam centrados na indústria
têxtil.
A partir dessa época, começaram a ocorrer grandes
inovações técnicas. O aço e os sintéticos foram utilizados
como material industrial básico e as principais fontes de
energia eram a eletricidade e o petróleo. Os setores
industriais também se multiplicaram com o surgimento das
indústrias siderúrgicas. No século XIX, o petróleo e a
eletricidade substituíram o vapor enquanto o aço substituiu
o ferro. A indústria siderúrgica suplantou o setor têxtil.
Cilindro para coletar amostra de Petróleo
Pinos e buchas
Nacionalização de peças
Petróleo
A CONSOLIDAÇÃO DO CAPITALISMO
A ideologia burguesa, o liberalismo, fortaleceu-
se e foi responsável por reformas que tiravam à
economia do controle do Estado.
O sistema econômico capitalista consolidou-se
Esse sistema caracteriza-se pelo acúmulo de capital,
propriedade privada, obtenção de lucro e trabalho
assalariado.
A concentração de capital estimulou a livre
concorrência das empresas capitalistas. Os mais ricas
foram absorvendo os mais fracas. Os grandes grupos
financeiros aliaram-se para monopolizar o mercado
consumidor.
Ideologia burguesa
Sistema econômico
Concentração de capital
Empresas capitalistas
Sindicato
A burguesia rica
Capitalismo selvagem
Exploração do operariado
A concentração de capitais nas mãos da
burguesia acentuou a exploração do operariado
urbano. Com a segunda fase da Revolução
Industrial, ocorreu progressiva diminuição da
jornada de trabalho, bom como a regulamentação
do trabalho feminino e infantil. Nesse período, os
trabalhadores começaram a se organizar em
sindicatos e surgiu a primeira Organização
Internacional dos Trabalhadores, com o objetivo
de unificar a luta operária.
CAPITALISMO SELVAGEM
Prof.: Marcos Venicios

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Revolução industrial
A Revolução industrialA Revolução industrial
A Revolução industrial
Carlos Pinheiro
 
A segunda fase da revolução industrial
A segunda fase da revolução industrialA segunda fase da revolução industrial
A segunda fase da revolução industrial
Herminio Banze
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
Isabel Aguiar
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
IiIlukinhaIiI
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
NBrunoFS
 
3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
Marilia Pimentel
 
3º ano primeira guerra mundial
3º ano   primeira guerra mundial3º ano   primeira guerra mundial
3º ano primeira guerra mundial
Daniel Alves Bronstrup
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
Isaquel Silva
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrial
Nelia Salles Nantes
 
Expansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrialExpansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrial
maria40
 
Imperialismo: A Partilha da África
Imperialismo: A Partilha da ÁfricaImperialismo: A Partilha da África
Imperialismo: A Partilha da África
Carlos Benjoino Bidu
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
edna2
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
Daniel Alves Bronstrup
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIALREVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
Franciny Wagner da Silva
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Alan
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Valéria Shoujofan
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Edenilson Morais
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Professor de História
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Edenilson Morais
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Acessa Esterina
 

Mais procurados (20)

A Revolução industrial
A Revolução industrialA Revolução industrial
A Revolução industrial
 
A segunda fase da revolução industrial
A segunda fase da revolução industrialA segunda fase da revolução industrial
A segunda fase da revolução industrial
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
 
3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
 
3º ano primeira guerra mundial
3º ano   primeira guerra mundial3º ano   primeira guerra mundial
3º ano primeira guerra mundial
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrial
 
Expansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrialExpansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrial
 
Imperialismo: A Partilha da África
Imperialismo: A Partilha da ÁfricaImperialismo: A Partilha da África
Imperialismo: A Partilha da África
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIALREVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução Industrial
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 

Destaque

2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.
Daniel Alves Bronstrup
 
Revolucao Industrial
Revolucao IndustrialRevolucao Industrial
Revolucao Industrial
LianaSuzuki
 
Professora Vanúcia: As Fases do Capitalismo - 2º Ano
Professora Vanúcia: As Fases do Capitalismo - 2º AnoProfessora Vanúcia: As Fases do Capitalismo - 2º Ano
Professora Vanúcia: As Fases do Capitalismo - 2º Ano
Vanúcia Moreira
 
Diagnostica historia 8ano
Diagnostica historia 8anoDiagnostica historia 8ano
Diagnostica historia 8ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Mari Anny Souza
 
Sexo.carnaval
Sexo.carnavalSexo.carnaval
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Gabriel Moreno
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
Nelia Salles Nantes
 
O brasil tem bons motivos para celebrar o dia nacional de doação de órgãos e ...
O brasil tem bons motivos para celebrar o dia nacional de doação de órgãos e ...O brasil tem bons motivos para celebrar o dia nacional de doação de órgãos e ...
O brasil tem bons motivos para celebrar o dia nacional de doação de órgãos e ...
Atividades Diversas Cláudia
 
Ava historia 8ano
Ava historia 8anoAva historia 8ano
Ava historia 8ano
Atividades Diversas Cláudia
 
www.CentroApoio.com - História - Revolução Industrial - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - História - Revolução Industrial - Vídeo Aulawww.CentroApoio.com - História - Revolução Industrial - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - História - Revolução Industrial - Vídeo Aula
Vídeo Aulas Apoio
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Zeze Silva
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Anderson Torres
 
Classes sociais
Classes sociaisClasses sociais
Classes sociais
Helder Padilha
 
Atividade ensino religioso paz
Atividade ensino religioso pazAtividade ensino religioso paz
Atividade ensino religioso paz
Atividades Diversas Cláudia
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
eduardodemiranda
 
Atividades de ensino religioso perseverança
Atividades de ensino religioso perseverançaAtividades de ensino religioso perseverança
Atividades de ensino religioso perseverança
Atividades Diversas Cláudia
 
Revolução industrial pdf
Revolução industrial pdfRevolução industrial pdf
Revolução Industrial - Ensino Fundamental
Revolução Industrial - Ensino FundamentalRevolução Industrial - Ensino Fundamental
Revolução Industrial - Ensino Fundamental
Alinnie Moreira
 
revolução agrícola
revolução agrícolarevolução agrícola
revolução agrícola
Ana Batista
 

Destaque (20)

2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.
 
Revolucao Industrial
Revolucao IndustrialRevolucao Industrial
Revolucao Industrial
 
Professora Vanúcia: As Fases do Capitalismo - 2º Ano
Professora Vanúcia: As Fases do Capitalismo - 2º AnoProfessora Vanúcia: As Fases do Capitalismo - 2º Ano
Professora Vanúcia: As Fases do Capitalismo - 2º Ano
 
Diagnostica historia 8ano
Diagnostica historia 8anoDiagnostica historia 8ano
Diagnostica historia 8ano
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Sexo.carnaval
Sexo.carnavalSexo.carnaval
Sexo.carnaval
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
 
O brasil tem bons motivos para celebrar o dia nacional de doação de órgãos e ...
O brasil tem bons motivos para celebrar o dia nacional de doação de órgãos e ...O brasil tem bons motivos para celebrar o dia nacional de doação de órgãos e ...
O brasil tem bons motivos para celebrar o dia nacional de doação de órgãos e ...
 
Ava historia 8ano
Ava historia 8anoAva historia 8ano
Ava historia 8ano
 
www.CentroApoio.com - História - Revolução Industrial - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - História - Revolução Industrial - Vídeo Aulawww.CentroApoio.com - História - Revolução Industrial - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - História - Revolução Industrial - Vídeo Aula
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Classes sociais
Classes sociaisClasses sociais
Classes sociais
 
Atividade ensino religioso paz
Atividade ensino religioso pazAtividade ensino religioso paz
Atividade ensino religioso paz
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Atividades de ensino religioso perseverança
Atividades de ensino religioso perseverançaAtividades de ensino religioso perseverança
Atividades de ensino religioso perseverança
 
Revolução industrial pdf
Revolução industrial pdfRevolução industrial pdf
Revolução industrial pdf
 
Revolução Industrial - Ensino Fundamental
Revolução Industrial - Ensino FundamentalRevolução Industrial - Ensino Fundamental
Revolução Industrial - Ensino Fundamental
 
revolução agrícola
revolução agrícolarevolução agrícola
revolução agrícola
 

Semelhante a A revolução industrial

revolução industrial.pptx
revolução industrial.pptxrevolução industrial.pptx
revolução industrial.pptx
BetinaKleinAntunes1
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
HitaloSantos8
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Claudenilson da Silva
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Edenilson Morais
 
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Paulo Roberto
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
GabrielaLimaPereira
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Guilherme Drumond
 
rev. industrial Atividades e textos e mapas.docx
rev. industrial Atividades e textos e mapas.docxrev. industrial Atividades e textos e mapas.docx
rev. industrial Atividades e textos e mapas.docx
Juliane789084
 
1a RevoluçãO Industrial
1a RevoluçãO Industrial1a RevoluçãO Industrial
1a RevoluçãO Industrial
Sílvia Mendonça
 
Historia jakeee
Historia jakeeeHistoria jakeee
Historia jakeee
Victorlucas2703
 
Revolução industrial inglesa
Revolução industrial inglesaRevolução industrial inglesa
Revolução industrial inglesa
Ava Augustina
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
Patrícia Costa Grigório
 
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDARevolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
artbio
 
Revolução..,
Revolução..,Revolução..,
Revolução..,
Isabella Silva
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
Maria Joao Feio
 
Revolução industrial PIBID História UEPB Campus I
Revolução industrial PIBID História UEPB Campus IRevolução industrial PIBID História UEPB Campus I
Revolução industrial PIBID História UEPB Campus I
Naldo Stithi
 
Capitalismo Industrial
Capitalismo IndustrialCapitalismo Industrial
Capitalismo Industrial
Ivanilson Lima
 
Primeira revolução industrial
Primeira revolução industrialPrimeira revolução industrial
Primeira revolução industrial
Nilton Silva Jardim Junior
 
1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial
Laerciolns12
 
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrialUnidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Vítor Santos
 

Semelhante a A revolução industrial (20)

revolução industrial.pptx
revolução industrial.pptxrevolução industrial.pptx
revolução industrial.pptx
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
rev. industrial Atividades e textos e mapas.docx
rev. industrial Atividades e textos e mapas.docxrev. industrial Atividades e textos e mapas.docx
rev. industrial Atividades e textos e mapas.docx
 
1a RevoluçãO Industrial
1a RevoluçãO Industrial1a RevoluçãO Industrial
1a RevoluçãO Industrial
 
Historia jakeee
Historia jakeeeHistoria jakeee
Historia jakeee
 
Revolução industrial inglesa
Revolução industrial inglesaRevolução industrial inglesa
Revolução industrial inglesa
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
 
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDARevolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
Revolução Industrial - Jessica, Daiane e Eliel 2ºA CDA
 
Revolução..,
Revolução..,Revolução..,
Revolução..,
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
 
Revolução industrial PIBID História UEPB Campus I
Revolução industrial PIBID História UEPB Campus IRevolução industrial PIBID História UEPB Campus I
Revolução industrial PIBID História UEPB Campus I
 
Capitalismo Industrial
Capitalismo IndustrialCapitalismo Industrial
Capitalismo Industrial
 
Primeira revolução industrial
Primeira revolução industrialPrimeira revolução industrial
Primeira revolução industrial
 
1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial
 
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrialUnidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
 

A revolução industrial

  • 2.
  • 3. A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Em meados do século XVIII, teve inicio na Inglaterra a Revolução Industrial, que consistiu num conjunto de mudanças tecnológicas profundas na economia, prolongando-se pelo século XIX. A máquina foi suplantando o trabalho humano e uma nova relação entre trabalho e capital se impôs. O grande desenvolvimento da indústria provocou profundas transformações na vida do homem, nas relações entre as nações e na estrutura das sociedades. Muitas cidades surgiram com a indústria. Nelas as fábricas concentravam a sua força de trabalho em troca de um salário.
  • 4.
  • 5. Máquina de fiar, que acelerou a fabricação de tecidos no início da Revolução Industrial
  • 6. técnicas. Desenho mostra maquinário têxtil inglês: a automação crescente é marca da Revolução Industrial
  • 7. Ilustração de sapataria na época da Revolução Industrial: Jornada de trabalho de mais de 12 horas.
  • 8. Os operários viviam em condições miseráveis. Homens. Mulheres e até crianças iniciavam de 14 a 16 horas, por dia. Dentro das fábricas havia muita umidade e poeira, e o barulho era ensurdecedor. Mulheres e crianças trabalhavam o mesmo número de horas e recebiam um salário bem mais baixo que o dos homens. As condições subumanas em que vivia o trabalhador levavam-no a contrair muitas doenças: tuberculose, varizes, úlceras, problemas de coluna etc. Em razão principalmente do cansaço excessivo, ocorriam muitos acidentes de trabalho, que provocavam mutilações ou morte. Os trabalhadores que sofriam acidentes eram sumariamente demitidos e não havia nenhuma lei que os protegesse.
  • 9.
  • 10. As condições de trabalho e os abusos que sofriam levavam os trabalhadores a lutar pela conquista de seus direitos.
  • 11. A INGLATERRA E A PRIMEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL O primeiro país a ter condições favoráveis de investir na utilização da máquina foi a Inglaterra. Por isso, liderou a primeira Revolução Industrial. Dentre essas condições, podem-se citar: 1. Acúmulo de capitais - provenientes da expansão marítimo-comercial e da política mercantilista adotada pela Inglaterra; 2. Supremacia marítima; 3. Reservas minerais – havia abundância de jazidas de carvão e de ferro no solo inglês;
  • 12. Acúmulo de capitais Reservas minerais - carvão
  • 13. Supremacia marítima Produção capitalista da terra
  • 14. 4. Produção capitalista da terra – o acúmulo de capitais viabilizou os investimentos na área rural; 5. Ampliação dos empréstimos a juros – Com a criação do Banco da Inglaterra, em 1694; 6. Crescimento populacional e grande êxodo rural - possibilitando grande oferta de trabalhadores; 7. Revolução Gloriosa – Que transformou o Parlamento britânico num efetivo órgão dirigente do estado.
  • 15. Ampliação dos empréstimos a juros Crescimento populacional e êxodo rural
  • 16. Todos esses elementos foram decisivos para a industrialização inglesa. Apareceram invenções que revolucionaram a indústria. O grande consumo de tecidos de lã e de algodão estimulou a criação da máquina de fiar de Arkwright, do tear mecânico de Cartwright, do descaroçador de algodão de Eli Whitney, e deu origem às primeiras fábricas inglesas de fiação e tecelagem. Outras invenções fizeram parte da Revolução Industrial inglesas, dentre elas: a máquina a vapor de James Watt, a locomotiva a vapor de George Stephenson, o barco a vapor de Robert Fulton.
  • 17. Richard Arkwright Máquina de fiar, que acelerou a fabricação de tecidos no início da Revolução Industrial.
  • 18. Edmund Cartwright Inventa o ter mecânico Tear mecânico.
  • 19. George Stephenson criou a primeira locomotiva a vapor Locomotiva a vapor de Stephenson
  • 20. Descaroçador de algodão O descaroçador, inventado em 1793 por Eli Whitney, separa a fibra do algodão das sementes Eli Whitney
  • 21. James Watt (1736 - 1819) Máquina a Vapor - Em 1765 James Watt inventa a máquina a vapor, é o começo de uma era titânica que caracterizará as sociedades modernas, ferindo a produção artesanal com o estigma econômico do subdesenvolvimento
  • 22. Barco a vapor de Robrt Fulton
  • 23. A SOCIEDADE INDUSTRIAL A produção em larga escala, mediante a utilização de meios mecânicos, exigiu a concentração de trabalhadores em grandes unidades de produção, as fábricas, onde eles realizavam um trabalho dirigido e em conjunto. Na fábrica, consagrou-se e aperfeiçoou-se o principio da divisão do trabalho: cada trabalhador realizava apenas uma parte do processo de produção, na qual se especializava.
  • 24. O sistema fabril arruinou a pequena oficina artesanal, tão característica do modo de produção feudal. A maioria dessas oficinas, onde o operário fazia seu trabalho manual com as próprias ferramentas e com horário e ritmo de trabalho que ele mesmo determinava, não puderam agüentar a concorrência imposta pelos novos métodos fabris. Os artesãos viram-se obrigados a abandonar suas oficinas e a procurar trabalho nas fábricas, convertendo- se em operários assalariados. Com a Revolução Industrial, dois grupos sociais se definiram: a burguesia industrial e o operariado, também chamado de proletariado.
  • 25. A BURGUESIA INDUSTRIAL E O OPERARIADO
  • 26. A EXPANSÃO INDUSTRIAL: A SEGUNDA FASE DA INDÚSTRIA Por volta de 1830, a França e a Bélgica iniciaram a sua industrialização utilizando o vapor como fonte energética e o ferro como material industrial básico. Esses dois países e a Inglaterra estavam centrados na indústria têxtil. A partir dessa época, começaram a ocorrer grandes inovações técnicas. O aço e os sintéticos foram utilizados como material industrial básico e as principais fontes de energia eram a eletricidade e o petróleo. Os setores industriais também se multiplicaram com o surgimento das indústrias siderúrgicas. No século XIX, o petróleo e a eletricidade substituíram o vapor enquanto o aço substituiu o ferro. A indústria siderúrgica suplantou o setor têxtil.
  • 27. Cilindro para coletar amostra de Petróleo Pinos e buchas Nacionalização de peças Petróleo
  • 28. A CONSOLIDAÇÃO DO CAPITALISMO A ideologia burguesa, o liberalismo, fortaleceu- se e foi responsável por reformas que tiravam à economia do controle do Estado. O sistema econômico capitalista consolidou-se Esse sistema caracteriza-se pelo acúmulo de capital, propriedade privada, obtenção de lucro e trabalho assalariado. A concentração de capital estimulou a livre concorrência das empresas capitalistas. Os mais ricas foram absorvendo os mais fracas. Os grandes grupos financeiros aliaram-se para monopolizar o mercado consumidor.
  • 29. Ideologia burguesa Sistema econômico Concentração de capital Empresas capitalistas Sindicato A burguesia rica Capitalismo selvagem Exploração do operariado
  • 30. A concentração de capitais nas mãos da burguesia acentuou a exploração do operariado urbano. Com a segunda fase da Revolução Industrial, ocorreu progressiva diminuição da jornada de trabalho, bom como a regulamentação do trabalho feminino e infantil. Nesse período, os trabalhadores começaram a se organizar em sindicatos e surgiu a primeira Organização Internacional dos Trabalhadores, com o objetivo de unificar a luta operária.
  • 32.
  • 33.
  • 34.