SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
O que os profissionais recomendam?
Guia de Tratamento para Dependentes Químicos
Qual é o melhor procedimento para um bom tratamento?
Internação Voluntária ou Involuntária
Como fazer?Como decidir?
Tudo isso você vai saber agora neste Guia de
Tratamento para Dependentes Químicos
O que fazer para ajudar um dependente químico?
As etapas a seguir fazem parte do processo de abordagem,
orientação e acompanhamento profissional que mais traz
resultados na Recuperaçao dos Dependentes Químicos...
... em todo o PAÍS...
... Pela experiência de 20 anos de trabalho dos profissionais
que desenvolveram este guia.
Tratamento
Voluntário
Tratamento
Involuntário
Consultoria
Plano de
Tratamento
Opções de
Tratamento
Processo de Tratamento VOLUNTÁRIO e INVOLUNTÁRIO
Tratamento
Voluntário
Tratamento
Involuntário
Consultoria
Plano de
Tratamento
Opções de
Tratamento
Processo de Tratamento VOLUNTÁRIO e INVOLUNTÁRIO
Tratamento
Voluntário
Tratamento voluntário ou Internação voluntária é a modalidade
de tratamento para dependentes químicos recomendada para os
dependentes químicos que reconhecem e aceitam a
necessidade de se tratar.
Importante: Nem todo dependente químico que aceita
se tratar necessita de INTERNAÇÃO em uma clínica de
recuperação.
Tratamento
Voluntário
O diálogo com o seu familiar
dependente químico é a primeira
atitude que a família deve tomar. Um
diálogo sadio com o dependente e os
membros da família mais próximos e
tranquilos neste momento de conflito,
é a melhor solução para o início de um
tratamento voluntário.
O que fazer e como fazer?
O que fazer e como fazer para ajudar um dependente químico?
Tratamento
VOLUNTÁRIO
É muito importante fazer uma
consultoria em dependência química
antes de reunir os membros da família
para esta conversa.
O diálogo deve ser combinado com os
profissionais especializados em
dependência química, que irão
orientar como ajudar o dependente
químico neste momento, avaliando o
contexto familiar, ajudando na decisão
da família na escolha dos familiares e
do momento certo para se ter este
diálogo.
O que fazer e como fazer?
O que fazer e como fazer para ajudar um dependente químico?
Os membro da família devem ser os que tenham mais poder de
sensibilização e que estejam menos abalados emocionalmente
neste momento turbulento e de muitas dúvidas.
Tratamento
Voluntário
Tratamento
Involuntário
Consultoria
Plano de
Tratamento
Opções de
Tratamento
Processo de Tratamento VOLUNTÁRIO e INVOLUNTÁRIO
O Tratamento Involuntário é necessário quando o dependente
químico NÃO reconhece e não aceita a necessidade de se tratar.
Geralmente se inicia por um Internação Involuntária, para
posteriormente, se fazer um acompanhamento após o período da
internação involuntária.
Tratamento
Involuntário
• Não enxerga o grau da sua dependência;
• Não está em condições psíquicas para tomar decisões por si;
• Colocar em risco a sua própria vida e, muitas vezes, a de
terceiros;
• Minimiza a sua situação crítica, prometendo fazer terapias
diversas, frequentar religiões, entre outras, porém, nunca
continua os tratamentos que propõe;
• Recusa ou se esquiva de diálogos sobre o assunto;
• Entre outras.
Quando é necessário o Tratamento Involuntário?
Algumas características do dependente químico que necessita
de Intervenção Involuntária são:
Tratamento
Involuntário
A Internação Involuntária está prevista em lei , Lei 10.216/2001,
que permite a internação involuntária desde que solicitada por
escrito por um familiar ou responsável legal e aceito pelo médico
psiquiatra responsável.
É de responsabilidade da Clínica de Recuperação onde o paciente
iniciará o tratamento involuntário, informar a internação
involuntária ao Ministério Público do município onde a clínica é
localizada em até 72 horas, para não caracterizar Cárcere Privado. O
mesmo se deve fazer quando o paciente se desliga da clínica de
reabilitação, seja qual for o motivo.
Legislação para Internação Involuntária
Tratamento
Involuntário
Cuidados que deve-se tomar antes de decidir
pela Internação involuntária
Antes de mais nada, recomendamos enfaticamente uma CONSULTORIA
em Dependência Química especializada. Com ela você terá toda a
orientação e cuidados fundamentais para efetuar uma internação
involuntária que seja eficiente. Falaremos sobre a CONSULTORIA mais
adiante.
Para não se correr riscos numa internação involuntária seguem
algumas dicas:
Tratamento
Involuntário
Cuidados que deve-se tomar antes de decidir
pela Internação involuntária
 Faça a Consultoria em Dependência Química. Com ela, você e os
familiares e amigos mais próximos do dependente saberão
exatamente o que fazer.
 Na Consultoria, desenvolva um PLANO DE TRATAMENTO
estratégico para lidar com o dependente químico da melhor forma,
como qual abordagem será feita, se será contratada uma equipe de
Resgate e Remoção no caso de internação involuntária, se haverá
um primeiro (ou último) diálogo com o dependente para tentar
fazê-lo enxergar as opções que ele tem de tratamento, quem vai
participar desta abordagem, quais os membros da família que
precisam de mais auxílio quando o dependente estiver em
tratamento, quem é muito codependente (dependência afetiva) e
precisa de ajuda para entender que seu comportamento
inconsciente pode estar prejudicando o dependente químico
contribuindo com seu uso de drogas ao invés de contribuir com a
busca de ajuda para sua dependência química, entre outros fatores
de extrema importância.
Tratamento
Involuntário
Cuidados que deve-se tomar antes de decidir
pela Internação involuntária
 Não se deixe levar pelo momento de confusão e desespero.
Procure, consulte e pesquise profissionais especializados. Não caia
em argumentos persuasivos, aparentemente convincentes, sem
saber a procedência destes profissionais, seja uma clínica de
recuperação, um centro de encaminhamento e orientação,
ambulatório, ou outra instituição.
Ligue, faça uma visita, converse com os profissionais da instituição,
visite todos os ambientes de tratamento, inclusive as
acomodações, salas de reuniões, consultórios, cozinha. Veja se há
extintores de incêndio, placas para casos de emergência, lâmpadas
de emergência. Pergunte se o alvará de funcionamento da
instituição permite o exercício da atividade, pergubte como
funcionam as visitas e ligações para o paciente, qual o cronograma
de tratamento, regras de funcionamento, direitos e deveres, tanto
do paciente como da família, entre outros fatores importantes.
Falaremos mais sobre outros cuidados importantes mais adiante!
Tratamento
Voluntário
Tratamento
Involuntário
Consultoria
Plano de
Tratamento
Opções de
Tratamento
Processo de Tratamento VOLUNTÁRIO e INVOLUNTÁRIO
Por que a CONSULTORIA em dependência química é tão
importante para o tratamento dos dependentes químicos?
Consultoria
Consultoria em Dependência Química
É na Consultoria com os
profissionais especializados em
Dependência Química que os
familiares saberão o que fazer para
ajudar o dependente químico.
Serão orientados sobre como dialogar com o dependente químico,
qual o melhor momento para ter esta conversa, serão auxiliados na
escolha dos membros da família que participarão deste momento de
abordagem, e outras formas estratégicas para ajudar o dependente.
Mas...
Observação: A Consultoria pode ser feita com ou sem a presença do
familiar dependente químico, dependendo da aceitação do dependente e
das recomendações da equipe profissional de consultoria.
Consultoria
Consultoria em Dependência Química
...afinal, como é feita a Consultoria e...
... por que devo procurá-la...
Consultoria
Consultoria em Dependência Química
A Consultoria em Dependência
Química é feita por Psicólogos,
Médicos Psiquiatras, Assistentes
Sociais, Técnicos e Consultores
especializados em Dependência
Química, que dedicam as suas vidas
e profissão há anos para o melhor
tratamento para os dependentes
químicos.
Os profissionais irão analisar o caso de Dependência Química,
coletando informações como o histórico familiar, o histórico de uso de
drogas, tipos de drogas que o dependente usa, quais foram as
consequências das drogas, o comportamento do dependente e dos
familiares. É analisado também, se o paciente já passou por uma
clínica de reabilitação, como foi este tratamento, se foi internação
voluntária, internação involuntária ou internação compulsória. Qual
foi a principal droga usada pelo dependente, cocaína, maconha, crack,
álcool, drogas sintéticas, e/ou outras drogas, por quanto tempo o
dependente usou esta e/ou outras drogas, etc.
Consultoria
Consultoria em Dependência Química
Na Consultoria, é fundamental
saber também sobre a
codependência, que é a
dependência afetiva dos familiares
mais afetados pelos
comportamentos do dependente,
devido à sua rotina de uso de
drogas.
Geralmente, são os pais e as mães que mais sofrem com seus filhos
usuários de drogas, por não saberem que a dependência afetiva ou
codependência é uma consequência da dependência química, e que
deve ser tratada e orientada com muito carinho e profissionalismo. O
codependente precisará entender, mais cedo ou mais tarde, que
também necessita de ajuda e tratamento.
Mas e agora? O que fazer com todas estas informações...
...o PLANO DE TRATAMENTO para dependentes químicos...
Consultoria
Tratamento
Voluntário
Tratamento
Involuntário
Consultoria
Plano de
Tratamento
Opções de
Tratamento
Processo de Tratamento VOLUNTÁRIO e INVOLUNTÁRIO
O que é e qual a importância do PLANO DE
TRATAMENTO para dependentes químicos?
Plano de
Tratamento
PLANO DE TRATAMENTO para
Dependentes Químicos
Após feita a CONSULTORIA em Dependência
Química, no Plano de Tratamento para
Dependentes Químicos é definida toda a
estratégia de trabalho que será feita com o
paciente, ou seja, a abordagem, o tratamento
recomendado pelos profissionais, o
acompanhamento familiar e o tratamento Pós-
Internação. Tudo feito junto da família do
paciente.
São desenvolvidas as metas e os objetivos do
processo para o tratamento INDIVIDUALIZADO
do dependente químico, de acordo com o seu
perfil histórico de vida e de dependência
química.
...por que não internar de imediato numa clínica de
recuperação...
Não entendi...
Plano de
Tratamento
PLANO DE TRATAMENTO para
Dependentes Químicos
Não é recomendada a internação dos dependentes
químicos numa clínica de recuperação sem antes
passar por uma CONSULTORIA e elaborar um
PLANO DE TRATAMENTO.
São diversos os riscos que se corre numa internação
precipitada em clínica de reabilitação, como...
• A não continuidade da recuperação por parte do dependente;
• Aumento dos riscos de uma recaída e, consequentemente, a necessidade de outro
ou mais tratamentos posteriores;
• Traumas irreversíveis devido ao despreparo profissional, clínica de reabilitação
inapropriada, ou outro;
• Internação involuntária ou internação compulsória desnecessária ou mal
articulada;
Entre outras consequências...
Plano de
Tratamento
Entendi...
... mas qual é o melhor PLANO DE TRATAMENTO
para dependentes químicos?
Plano de
Tratamento
O melhor PLANO DE TRATAMENTO para dependentes químicos é
quando a família decide buscar uma CONSULTORIA em dependência
química, desenvolver a maneira como será feita a abordagem do
dependente químico junto com os profissionais especiliastas e, enfim,
elabora um PLANO DE TRATAMENTO criterioso, profissional e eficaz
que, com o amparo profissional, a família saberá exatamente o que
fazer e o que NÃO fazer para ajudar o dependente químico da
maneira mais adequada.
Vamos às OPÇÕES DE TRATAMENTO
Plano de
Tratamento
Tratamento
Voluntário
Tratamento
Involuntário
Consultoria
Plano de
Tratamento
Opções de
Tratamento
Processo de Tratamento VOLUNTÁRIO e INVOLUNTÁRIO
Tratamento
Ambulatorial
Internação em
Clínica de
Recuperação
Tratamento
Pós-Internação
Opções de
Tratamento
Tratamento Ambulatorial
O tratamento para dependentes químicos na
modalidade AMBULATORIAL, é a opção de
tratamento que oferece um conjunto de ações
sem a necessidade de internação em clínica para
dependentes químicos. Em muitos casos, é
recomendado o tratamento ambulatorial, como
em casos onde o dependente químico não está
com todas as suas faculdades mentais
comprometidas.
Nesta modalidade, o paciente será acompanhado por psicoterapias
individuais periódicas, psicoterapias em grupo, será orientado a tratar as
questões que envolvem o uso e abuso de substâncias químicas,
identificando os fatores de risco que o influenciam a usar álcool e/ou
outras drogas, reforçando os fatores de proteção, criando um conjunto de
metas e objetivos que o influenciarão na recuperação. Tudo com a
concordância do paciente em se tratar, se submetendo inclusive à exames
toxicológicos laboratoriais como mostra de seu comprometimento com o
tratamento, com a sua recuperação e com a ajuda de seus familiares.
Opções de
Tratamento
Internação em Clínica para Dependentes Químicos
Existem tres tipos de internação: a internação
voluntária, a internação involuntária e a internação
compulsória. Todos os 3 tipos de internação são
encaminhados para uma clínica de reabilitação,
porém, de maneiras diferentes.
Internação Voluntária: é quando o dependente químico reconhece e
aceita a necessidade de se tratar numa clínica para dependentes
químicos.
Internação Involuntária: é quando o dependente químico NÃO reconhece
ou NÃO aceita a necessidade de se tratar, colocando em risco a sua vida e
a vida de terceiros, além de não ter capacidade de decidir o que é melhor
para si mesmo.
Internação Compulsória: parecida com a internação involuntária, porém,
neste caso, a internação é determinada por um juiz, mediante
recomendação médica.
IMPORTANTE!...
Opções de
Tratamento
Internação Involuntária
É importante lembrar algumas práticas não recomendadas em uma
internação involuntária:
São diversas as clínicas para dependentes
químicos que oferecem a internação
involuntária como sendo a única forma de
abordagem e tratamento para os dependentes.
A realidade é bem diferente. Muitos
dependentes químicos tem conseguido se
manter em sobriedade contínua
Participando de tratamentos ambulatoriais, tratamentos nos CAPS AD,
Grupos de Apoio como Narcóticos Anônimos, Alcoólicos Anônimos, entre
outros. Nem todo caso é necessária a internação involuntária!
Vale enfatizar novamente a fundamental importância dos Grupos de
Apoio como Narcóticos Anônimos, Alcoólicos Anônimos, Amor Exigente, entre
outros. E da Consultoria profissional em dependência química e do Plano de
Tratamento para dependentes químicos e familiares.
Segue...
Opções de
Tratamento
São diversos os danos que podem ser causados por uma internação
involuntária desnecessária ou mal sucedida, seja por ingenuidade ou
desespero da família, seja por incapacidade profissional de muitas
empresas que prestam este tipo de serviço. Alguns riscos que se corre são:
 Maior probabilidade da necessidade de um segundo tratamento ou
mais;
 Agressões físicas ou psíquicas ao paciente;
 Maus tratos, ausência ou baixo número de profissionais especializados
na clínica de recuperação;
 Revolta ou ressentimentos da família e da equipe de trabalho da clínica
de recuperação por parte do paciente;
 Dificuldade para tratar do paciente depois da internação;
 Recaídas frequentes;
 Depressão;
 Diminuição da Auto-Estima do paciente;
 Entre outras inúmeras consequências.
PROCURE A CONSULTORIA EM DEPENDÊNCIA QUÍMICA!
Internação Involuntária
Opções de
Tratamento
Tratamento e Acompanhamento
Pós-Internação
Após uma internação, seja ela voluntária,
involuntária ou compulsória, é fundamental a
continuidade do tratamento que se iniciou na
clínica de reabilitação para dependentes químicos.
Na clínica de reabilitação, nas ligações para a
família, nas visitas e nas reuniões familiares, o
paciente e sua família foram orientado e instruído
sobre todas as ferramentas necessárias para que
todos continuem em recuperação.
Geralmente, o tratamento e os acompanhamentos pós-internação são
como no tratamento ambulatorial, podendo ser feito no próprio
ambulatório e/ou em consultórios e salas preparadas.
Esta etapa é muito importante, pois é nela que o paciente vai retornar ao
convívio familiar e social, vai se adequar aos ambientes sem o uso de
drogas, vai por em prática tudo o que lhe foi orientado na clínica de
reabilitação, com o amparo dos profissionais no Tratamento Pós-Internação
para enfrentar as dificuldades do dia-a-dia, pois, na maioria dos casos, o
dependente não enfrentava a vida sem o uso de drogas há anos. Segue...
Opções de
Tratamento
Tratamento e Acompanhamento
Pós-Internação
O tratamento Pós-Internação auxilia o dependente químico a desfrutar da
vida sem o uso de drogas. Mas para o dependente, se adequar, enfrentar
problemas pendentes, passar por situações nunca antes encaradas sem o
uso de drogas e, sobretudo, sentir as sensações causadas pela vida
comum, do cotidiano, é um trabalho que exige muita atenção,
introspecção, prática de quesitos mínimos, psicoterapias, tratamento
medicamentoso em diversos casos, frequência em grupos de apoio como
Narcóticos Anônimos, Alcoólicos Anônimos, estar próximo à pessoas em
recuperação e que lhe querem bem, evitar situações e lugares de risco,
etc.
Procure sempre se informar!
Opções de
Tratamento
Guia de Tratamento para Dependentes Químicos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Quem é o co dependente
Quem é o co dependenteQuem é o co dependente
Quem é o co dependente
blogdapsique
 
Prevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogasPrevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogas
Luiz Siles
 

Mais procurados (20)

Mpcda
MpcdaMpcda
Mpcda
 
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
 
Motivação no tratamento da dependência química
Motivação no tratamento da dependência químicaMotivação no tratamento da dependência química
Motivação no tratamento da dependência química
 
Quem é o co dependente
Quem é o co dependenteQuem é o co dependente
Quem é o co dependente
 
Pensamento destrutivo
Pensamento destrutivoPensamento destrutivo
Pensamento destrutivo
 
Palestra prevencao drogas
Palestra prevencao drogasPalestra prevencao drogas
Palestra prevencao drogas
 
Mudanças palestra para o CRAS
Mudanças palestra para o CRASMudanças palestra para o CRAS
Mudanças palestra para o CRAS
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Prevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogasPrevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogas
 
Um olhar sobre a dependência química.
Um olhar sobre a dependência química.Um olhar sobre a dependência química.
Um olhar sobre a dependência química.
 
Suicídio conhecer para prevenir
Suicídio conhecer para prevenirSuicídio conhecer para prevenir
Suicídio conhecer para prevenir
 
Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011
Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011
Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011
 
Rei bebê
Rei bebêRei bebê
Rei bebê
 
Cuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúde
Cuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúdeCuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúde
Cuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúde
 
Slide sobre drogas
Slide sobre drogasSlide sobre drogas
Slide sobre drogas
 
Alcoolismo
AlcoolismoAlcoolismo
Alcoolismo
 
Negação
NegaçãoNegação
Negação
 
Dependencia quimica
Dependencia quimicaDependencia quimica
Dependencia quimica
 
Ética - Drogas Lícitas e Ilícitas no Brasil e no mundo.
Ética - Drogas Lícitas e Ilícitas no Brasil e no mundo.Ética - Drogas Lícitas e Ilícitas no Brasil e no mundo.
Ética - Drogas Lícitas e Ilícitas no Brasil e no mundo.
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 

Semelhante a Guia de Tratamento para Dependentes Químicos

Aula PAR reumato
Aula PAR reumatoAula PAR reumato
Aula PAR reumato
Reumatoguia
 
Casa de recuperação teste
Casa de recuperação testeCasa de recuperação teste
Casa de recuperação teste
aprendaexiboo
 

Semelhante a Guia de Tratamento para Dependentes Químicos (20)

Recuperação
RecuperaçãoRecuperação
Recuperação
 
Atenção Básica e Saúde Mental
Atenção Básica e Saúde MentalAtenção Básica e Saúde Mental
Atenção Básica e Saúde Mental
 
slides.ppt
slides.pptslides.ppt
slides.ppt
 
Clínica de Recuperação em Mauá (1).pdf
Clínica de Recuperação em Mauá (1).pdfClínica de Recuperação em Mauá (1).pdf
Clínica de Recuperação em Mauá (1).pdf
 
Clínica de Recuperação em Campinas.pdf
Clínica de Recuperação em Campinas.pdfClínica de Recuperação em Campinas.pdf
Clínica de Recuperação em Campinas.pdf
 
Informativo.pdf
Informativo.pdfInformativo.pdf
Informativo.pdf
 
13 PRINCÍPIOS PARA TRATAMENTO EFICAZ DA SPA
13 PRINCÍPIOS PARA TRATAMENTO EFICAZ DA SPA13 PRINCÍPIOS PARA TRATAMENTO EFICAZ DA SPA
13 PRINCÍPIOS PARA TRATAMENTO EFICAZ DA SPA
 
13 Princípios de Tratamento Eficaz para SPA
13 Princípios de Tratamento Eficaz para SPA 13 Princípios de Tratamento Eficaz para SPA
13 Princípios de Tratamento Eficaz para SPA
 
Intervencao breve na ubs
Intervencao breve na ubsIntervencao breve na ubs
Intervencao breve na ubs
 
Clinica de Recuperacao Mogi Das Cruzes Sao Paulo.pdf
Clinica de Recuperacao Mogi Das Cruzes Sao Paulo.pdfClinica de Recuperacao Mogi Das Cruzes Sao Paulo.pdf
Clinica de Recuperacao Mogi Das Cruzes Sao Paulo.pdf
 
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de ProjectoDrogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
 
Vale a pena ajudar um fumante a deixar de fumar?
Vale a pena ajudar um fumante a deixar de fumar?Vale a pena ajudar um fumante a deixar de fumar?
Vale a pena ajudar um fumante a deixar de fumar?
 
Aula PAR reumato
Aula PAR reumatoAula PAR reumato
Aula PAR reumato
 
Toxico
ToxicoToxico
Toxico
 
Casa de recuperação teste
Casa de recuperação testeCasa de recuperação teste
Casa de recuperação teste
 
Centro de Recuperação II
Centro de Recuperação IICentro de Recuperação II
Centro de Recuperação II
 
Panfleto TCA
Panfleto TCAPanfleto TCA
Panfleto TCA
 
Clinica de Recuperacao em Sao Paulo SP.pdf
Clinica de Recuperacao em Sao Paulo SP.pdfClinica de Recuperacao em Sao Paulo SP.pdf
Clinica de Recuperacao em Sao Paulo SP.pdf
 
13 princpios nida
13 princpios nida13 princpios nida
13 princpios nida
 
Tratamento para-alcoolatras
Tratamento para-alcoolatrasTratamento para-alcoolatras
Tratamento para-alcoolatras
 

Mais de Nucleo Nacional

Doze passos elementos terapêuticos para codependência
Doze passos  elementos terapêuticos para codependênciaDoze passos  elementos terapêuticos para codependência
Doze passos elementos terapêuticos para codependência
Nucleo Nacional
 

Mais de Nucleo Nacional (20)

Terapiacognitiva mod 01 ao 08
Terapiacognitiva mod 01 ao 08Terapiacognitiva mod 01 ao 08
Terapiacognitiva mod 01 ao 08
 
Doze passos elementos terapêuticos para codependência
Doze passos  elementos terapêuticos para codependênciaDoze passos  elementos terapêuticos para codependência
Doze passos elementos terapêuticos para codependência
 
Primeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemindPrimeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemind
 
Primeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemindPrimeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemind
 
Terceira e-quarta-ferramentas-freemind
Terceira e-quarta-ferramentas-freemindTerceira e-quarta-ferramentas-freemind
Terceira e-quarta-ferramentas-freemind
 
Quinta e-sexta-ferramentas-freemind
Quinta e-sexta-ferramentas-freemindQuinta e-sexta-ferramentas-freemind
Quinta e-sexta-ferramentas-freemind
 
Setima e-oitava-ferramentas-freemind
Setima e-oitava-ferramentas-freemindSetima e-oitava-ferramentas-freemind
Setima e-oitava-ferramentas-freemind
 
Nona e-decima-ferramentas-freemind
Nona e-decima-ferramentas-freemindNona e-decima-ferramentas-freemind
Nona e-decima-ferramentas-freemind
 
Decima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemind
Decima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemindDecima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemind
Decima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemind
 
Relatorio inspecao-comunidades-terapeuticas
Relatorio inspecao-comunidades-terapeuticasRelatorio inspecao-comunidades-terapeuticas
Relatorio inspecao-comunidades-terapeuticas
 
Assertividade
AssertividadeAssertividade
Assertividade
 
Folheto explicativo sobre as drogas de abuso
Folheto explicativo sobre as drogas de abusoFolheto explicativo sobre as drogas de abuso
Folheto explicativo sobre as drogas de abuso
 
Permanecer sóbrio completo
Permanecer sóbrio completoPermanecer sóbrio completo
Permanecer sóbrio completo
 
Guia estratégico drogas
Guia estratégico drogasGuia estratégico drogas
Guia estratégico drogas
 
Livro co-dependencia
Livro co-dependenciaLivro co-dependencia
Livro co-dependencia
 
T.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVA
T.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVAT.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVA
T.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVA
 
Livro eletrônico anti drogas
Livro eletrônico anti drogasLivro eletrônico anti drogas
Livro eletrônico anti drogas
 
A arte de envelhecer com sabedoria
A arte de envelhecer com sabedoriaA arte de envelhecer com sabedoria
A arte de envelhecer com sabedoria
 
Apostila PPR
Apostila PPRApostila PPR
Apostila PPR
 
Defeitos e comportamentos
Defeitos e comportamentosDefeitos e comportamentos
Defeitos e comportamentos
 

Guia de Tratamento para Dependentes Químicos

  • 1. O que os profissionais recomendam? Guia de Tratamento para Dependentes Químicos Qual é o melhor procedimento para um bom tratamento? Internação Voluntária ou Involuntária Como fazer?Como decidir? Tudo isso você vai saber agora neste Guia de Tratamento para Dependentes Químicos O que fazer para ajudar um dependente químico?
  • 2. As etapas a seguir fazem parte do processo de abordagem, orientação e acompanhamento profissional que mais traz resultados na Recuperaçao dos Dependentes Químicos... ... em todo o PAÍS... ... Pela experiência de 20 anos de trabalho dos profissionais que desenvolveram este guia.
  • 5. Tratamento Voluntário Tratamento voluntário ou Internação voluntária é a modalidade de tratamento para dependentes químicos recomendada para os dependentes químicos que reconhecem e aceitam a necessidade de se tratar. Importante: Nem todo dependente químico que aceita se tratar necessita de INTERNAÇÃO em uma clínica de recuperação.
  • 6. Tratamento Voluntário O diálogo com o seu familiar dependente químico é a primeira atitude que a família deve tomar. Um diálogo sadio com o dependente e os membros da família mais próximos e tranquilos neste momento de conflito, é a melhor solução para o início de um tratamento voluntário. O que fazer e como fazer? O que fazer e como fazer para ajudar um dependente químico?
  • 7. Tratamento VOLUNTÁRIO É muito importante fazer uma consultoria em dependência química antes de reunir os membros da família para esta conversa. O diálogo deve ser combinado com os profissionais especializados em dependência química, que irão orientar como ajudar o dependente químico neste momento, avaliando o contexto familiar, ajudando na decisão da família na escolha dos familiares e do momento certo para se ter este diálogo. O que fazer e como fazer? O que fazer e como fazer para ajudar um dependente químico? Os membro da família devem ser os que tenham mais poder de sensibilização e que estejam menos abalados emocionalmente neste momento turbulento e de muitas dúvidas.
  • 9. O Tratamento Involuntário é necessário quando o dependente químico NÃO reconhece e não aceita a necessidade de se tratar. Geralmente se inicia por um Internação Involuntária, para posteriormente, se fazer um acompanhamento após o período da internação involuntária. Tratamento Involuntário • Não enxerga o grau da sua dependência; • Não está em condições psíquicas para tomar decisões por si; • Colocar em risco a sua própria vida e, muitas vezes, a de terceiros; • Minimiza a sua situação crítica, prometendo fazer terapias diversas, frequentar religiões, entre outras, porém, nunca continua os tratamentos que propõe; • Recusa ou se esquiva de diálogos sobre o assunto; • Entre outras. Quando é necessário o Tratamento Involuntário? Algumas características do dependente químico que necessita de Intervenção Involuntária são:
  • 10. Tratamento Involuntário A Internação Involuntária está prevista em lei , Lei 10.216/2001, que permite a internação involuntária desde que solicitada por escrito por um familiar ou responsável legal e aceito pelo médico psiquiatra responsável. É de responsabilidade da Clínica de Recuperação onde o paciente iniciará o tratamento involuntário, informar a internação involuntária ao Ministério Público do município onde a clínica é localizada em até 72 horas, para não caracterizar Cárcere Privado. O mesmo se deve fazer quando o paciente se desliga da clínica de reabilitação, seja qual for o motivo. Legislação para Internação Involuntária
  • 11. Tratamento Involuntário Cuidados que deve-se tomar antes de decidir pela Internação involuntária Antes de mais nada, recomendamos enfaticamente uma CONSULTORIA em Dependência Química especializada. Com ela você terá toda a orientação e cuidados fundamentais para efetuar uma internação involuntária que seja eficiente. Falaremos sobre a CONSULTORIA mais adiante. Para não se correr riscos numa internação involuntária seguem algumas dicas:
  • 12. Tratamento Involuntário Cuidados que deve-se tomar antes de decidir pela Internação involuntária  Faça a Consultoria em Dependência Química. Com ela, você e os familiares e amigos mais próximos do dependente saberão exatamente o que fazer.  Na Consultoria, desenvolva um PLANO DE TRATAMENTO estratégico para lidar com o dependente químico da melhor forma, como qual abordagem será feita, se será contratada uma equipe de Resgate e Remoção no caso de internação involuntária, se haverá um primeiro (ou último) diálogo com o dependente para tentar fazê-lo enxergar as opções que ele tem de tratamento, quem vai participar desta abordagem, quais os membros da família que precisam de mais auxílio quando o dependente estiver em tratamento, quem é muito codependente (dependência afetiva) e precisa de ajuda para entender que seu comportamento inconsciente pode estar prejudicando o dependente químico contribuindo com seu uso de drogas ao invés de contribuir com a busca de ajuda para sua dependência química, entre outros fatores de extrema importância.
  • 13. Tratamento Involuntário Cuidados que deve-se tomar antes de decidir pela Internação involuntária  Não se deixe levar pelo momento de confusão e desespero. Procure, consulte e pesquise profissionais especializados. Não caia em argumentos persuasivos, aparentemente convincentes, sem saber a procedência destes profissionais, seja uma clínica de recuperação, um centro de encaminhamento e orientação, ambulatório, ou outra instituição. Ligue, faça uma visita, converse com os profissionais da instituição, visite todos os ambientes de tratamento, inclusive as acomodações, salas de reuniões, consultórios, cozinha. Veja se há extintores de incêndio, placas para casos de emergência, lâmpadas de emergência. Pergunte se o alvará de funcionamento da instituição permite o exercício da atividade, pergubte como funcionam as visitas e ligações para o paciente, qual o cronograma de tratamento, regras de funcionamento, direitos e deveres, tanto do paciente como da família, entre outros fatores importantes. Falaremos mais sobre outros cuidados importantes mais adiante!
  • 15. Por que a CONSULTORIA em dependência química é tão importante para o tratamento dos dependentes químicos? Consultoria
  • 16. Consultoria em Dependência Química É na Consultoria com os profissionais especializados em Dependência Química que os familiares saberão o que fazer para ajudar o dependente químico. Serão orientados sobre como dialogar com o dependente químico, qual o melhor momento para ter esta conversa, serão auxiliados na escolha dos membros da família que participarão deste momento de abordagem, e outras formas estratégicas para ajudar o dependente. Mas... Observação: A Consultoria pode ser feita com ou sem a presença do familiar dependente químico, dependendo da aceitação do dependente e das recomendações da equipe profissional de consultoria. Consultoria
  • 17. Consultoria em Dependência Química ...afinal, como é feita a Consultoria e... ... por que devo procurá-la... Consultoria
  • 18. Consultoria em Dependência Química A Consultoria em Dependência Química é feita por Psicólogos, Médicos Psiquiatras, Assistentes Sociais, Técnicos e Consultores especializados em Dependência Química, que dedicam as suas vidas e profissão há anos para o melhor tratamento para os dependentes químicos. Os profissionais irão analisar o caso de Dependência Química, coletando informações como o histórico familiar, o histórico de uso de drogas, tipos de drogas que o dependente usa, quais foram as consequências das drogas, o comportamento do dependente e dos familiares. É analisado também, se o paciente já passou por uma clínica de reabilitação, como foi este tratamento, se foi internação voluntária, internação involuntária ou internação compulsória. Qual foi a principal droga usada pelo dependente, cocaína, maconha, crack, álcool, drogas sintéticas, e/ou outras drogas, por quanto tempo o dependente usou esta e/ou outras drogas, etc. Consultoria
  • 19. Consultoria em Dependência Química Na Consultoria, é fundamental saber também sobre a codependência, que é a dependência afetiva dos familiares mais afetados pelos comportamentos do dependente, devido à sua rotina de uso de drogas. Geralmente, são os pais e as mães que mais sofrem com seus filhos usuários de drogas, por não saberem que a dependência afetiva ou codependência é uma consequência da dependência química, e que deve ser tratada e orientada com muito carinho e profissionalismo. O codependente precisará entender, mais cedo ou mais tarde, que também necessita de ajuda e tratamento. Mas e agora? O que fazer com todas estas informações... ...o PLANO DE TRATAMENTO para dependentes químicos... Consultoria
  • 21. O que é e qual a importância do PLANO DE TRATAMENTO para dependentes químicos? Plano de Tratamento
  • 22. PLANO DE TRATAMENTO para Dependentes Químicos Após feita a CONSULTORIA em Dependência Química, no Plano de Tratamento para Dependentes Químicos é definida toda a estratégia de trabalho que será feita com o paciente, ou seja, a abordagem, o tratamento recomendado pelos profissionais, o acompanhamento familiar e o tratamento Pós- Internação. Tudo feito junto da família do paciente. São desenvolvidas as metas e os objetivos do processo para o tratamento INDIVIDUALIZADO do dependente químico, de acordo com o seu perfil histórico de vida e de dependência química. ...por que não internar de imediato numa clínica de recuperação... Não entendi... Plano de Tratamento
  • 23. PLANO DE TRATAMENTO para Dependentes Químicos Não é recomendada a internação dos dependentes químicos numa clínica de recuperação sem antes passar por uma CONSULTORIA e elaborar um PLANO DE TRATAMENTO. São diversos os riscos que se corre numa internação precipitada em clínica de reabilitação, como... • A não continuidade da recuperação por parte do dependente; • Aumento dos riscos de uma recaída e, consequentemente, a necessidade de outro ou mais tratamentos posteriores; • Traumas irreversíveis devido ao despreparo profissional, clínica de reabilitação inapropriada, ou outro; • Internação involuntária ou internação compulsória desnecessária ou mal articulada; Entre outras consequências... Plano de Tratamento
  • 24. Entendi... ... mas qual é o melhor PLANO DE TRATAMENTO para dependentes químicos? Plano de Tratamento
  • 25. O melhor PLANO DE TRATAMENTO para dependentes químicos é quando a família decide buscar uma CONSULTORIA em dependência química, desenvolver a maneira como será feita a abordagem do dependente químico junto com os profissionais especiliastas e, enfim, elabora um PLANO DE TRATAMENTO criterioso, profissional e eficaz que, com o amparo profissional, a família saberá exatamente o que fazer e o que NÃO fazer para ajudar o dependente químico da maneira mais adequada. Vamos às OPÇÕES DE TRATAMENTO Plano de Tratamento
  • 28. Tratamento Ambulatorial O tratamento para dependentes químicos na modalidade AMBULATORIAL, é a opção de tratamento que oferece um conjunto de ações sem a necessidade de internação em clínica para dependentes químicos. Em muitos casos, é recomendado o tratamento ambulatorial, como em casos onde o dependente químico não está com todas as suas faculdades mentais comprometidas. Nesta modalidade, o paciente será acompanhado por psicoterapias individuais periódicas, psicoterapias em grupo, será orientado a tratar as questões que envolvem o uso e abuso de substâncias químicas, identificando os fatores de risco que o influenciam a usar álcool e/ou outras drogas, reforçando os fatores de proteção, criando um conjunto de metas e objetivos que o influenciarão na recuperação. Tudo com a concordância do paciente em se tratar, se submetendo inclusive à exames toxicológicos laboratoriais como mostra de seu comprometimento com o tratamento, com a sua recuperação e com a ajuda de seus familiares. Opções de Tratamento
  • 29. Internação em Clínica para Dependentes Químicos Existem tres tipos de internação: a internação voluntária, a internação involuntária e a internação compulsória. Todos os 3 tipos de internação são encaminhados para uma clínica de reabilitação, porém, de maneiras diferentes. Internação Voluntária: é quando o dependente químico reconhece e aceita a necessidade de se tratar numa clínica para dependentes químicos. Internação Involuntária: é quando o dependente químico NÃO reconhece ou NÃO aceita a necessidade de se tratar, colocando em risco a sua vida e a vida de terceiros, além de não ter capacidade de decidir o que é melhor para si mesmo. Internação Compulsória: parecida com a internação involuntária, porém, neste caso, a internação é determinada por um juiz, mediante recomendação médica. IMPORTANTE!... Opções de Tratamento
  • 30. Internação Involuntária É importante lembrar algumas práticas não recomendadas em uma internação involuntária: São diversas as clínicas para dependentes químicos que oferecem a internação involuntária como sendo a única forma de abordagem e tratamento para os dependentes. A realidade é bem diferente. Muitos dependentes químicos tem conseguido se manter em sobriedade contínua Participando de tratamentos ambulatoriais, tratamentos nos CAPS AD, Grupos de Apoio como Narcóticos Anônimos, Alcoólicos Anônimos, entre outros. Nem todo caso é necessária a internação involuntária! Vale enfatizar novamente a fundamental importância dos Grupos de Apoio como Narcóticos Anônimos, Alcoólicos Anônimos, Amor Exigente, entre outros. E da Consultoria profissional em dependência química e do Plano de Tratamento para dependentes químicos e familiares. Segue... Opções de Tratamento
  • 31. São diversos os danos que podem ser causados por uma internação involuntária desnecessária ou mal sucedida, seja por ingenuidade ou desespero da família, seja por incapacidade profissional de muitas empresas que prestam este tipo de serviço. Alguns riscos que se corre são:  Maior probabilidade da necessidade de um segundo tratamento ou mais;  Agressões físicas ou psíquicas ao paciente;  Maus tratos, ausência ou baixo número de profissionais especializados na clínica de recuperação;  Revolta ou ressentimentos da família e da equipe de trabalho da clínica de recuperação por parte do paciente;  Dificuldade para tratar do paciente depois da internação;  Recaídas frequentes;  Depressão;  Diminuição da Auto-Estima do paciente;  Entre outras inúmeras consequências. PROCURE A CONSULTORIA EM DEPENDÊNCIA QUÍMICA! Internação Involuntária Opções de Tratamento
  • 32. Tratamento e Acompanhamento Pós-Internação Após uma internação, seja ela voluntária, involuntária ou compulsória, é fundamental a continuidade do tratamento que se iniciou na clínica de reabilitação para dependentes químicos. Na clínica de reabilitação, nas ligações para a família, nas visitas e nas reuniões familiares, o paciente e sua família foram orientado e instruído sobre todas as ferramentas necessárias para que todos continuem em recuperação. Geralmente, o tratamento e os acompanhamentos pós-internação são como no tratamento ambulatorial, podendo ser feito no próprio ambulatório e/ou em consultórios e salas preparadas. Esta etapa é muito importante, pois é nela que o paciente vai retornar ao convívio familiar e social, vai se adequar aos ambientes sem o uso de drogas, vai por em prática tudo o que lhe foi orientado na clínica de reabilitação, com o amparo dos profissionais no Tratamento Pós-Internação para enfrentar as dificuldades do dia-a-dia, pois, na maioria dos casos, o dependente não enfrentava a vida sem o uso de drogas há anos. Segue... Opções de Tratamento
  • 33. Tratamento e Acompanhamento Pós-Internação O tratamento Pós-Internação auxilia o dependente químico a desfrutar da vida sem o uso de drogas. Mas para o dependente, se adequar, enfrentar problemas pendentes, passar por situações nunca antes encaradas sem o uso de drogas e, sobretudo, sentir as sensações causadas pela vida comum, do cotidiano, é um trabalho que exige muita atenção, introspecção, prática de quesitos mínimos, psicoterapias, tratamento medicamentoso em diversos casos, frequência em grupos de apoio como Narcóticos Anônimos, Alcoólicos Anônimos, estar próximo à pessoas em recuperação e que lhe querem bem, evitar situações e lugares de risco, etc. Procure sempre se informar! Opções de Tratamento
  • 34. Guia de Tratamento para Dependentes Químicos