SlideShare uma empresa Scribd logo

PPR - Plano de Prevenção a Recaída

Esta página é exclusiva para orientação familiar e informação de acontecimentos sobre Dependência Química. Todos artigos publicados são de responsabilidade de seus autores

1 de 62
Baixar para ler offline
Baseado em Terence Gorski.
Estudioso e especialista na área de dependência química,
tanto alcoólica quanto outras drogas.
1. Estabilização
É UMA HORA DE CRISE PARA O DEPENDENTE E SUA FAMÍLIA.
A RECAÍDA QUEBROU SUA VIDA. É NORMAL QUE A PESSOA SE
SINTA ASSUSTADA, ZANGADA, DESAPONTADA E CULPADA.
O ADICTO PRECISA DE AJUDA.
SE FOR INCAPAZ DE MANTER UM CONTROLE CONSISTENTE DE
SEUS PENSAMENTOS, EMOÇÕES E COMPORTAMENTOS DEVE
CONSULTAR AJUDA PROFISSIONAL PARA CONSEGUIR SE
ESTABILIZAR.
ANTES DE FAZER O PLANO DE PREVENÇÃO DE RECAÍDA
DEVE-SE ESTAR NO CONTROLE DE SI MESMO.
ESTABILIZAÇÃO SIGNIFICA RECONQUISTAR
O CONTROLE DOS PENSAMENTOS, EMOÇÕES, MEMÓRIA,
JULGAMENTO E COMPORTAMENTOS.
ESTA INFORMAÇÃO FORNECERÁ INDÍCIOS DO
QUE FOI FEITO ERRADO E O QUE PODE SER
FEITO DIFERENTE PARA MELHORAR AS CHANCES
DE ABSTINÊNCIA PERMANENTE.
2. Avaliação
DESCOBRIR O QUE OCASIONOU A RECAÍDA. ISTO É FEITO REVISANDO A HISTORIA
DE USO DE QUÍMICOS, ASSIM COMO OS SINAIS DE AVISO ESPECÍFICOS E
SINTOMAS QUE OCORREM DURANTE TENTATIVAS DE CONSEGUIR ABSTINÊNCIA.
“O PASSADO PODE SER O NOSSO MELHOR PROFESSOR.
SE FALHARMOS EM APRENDER COM O PASSADO,
ESTAMOS CONDENADOS A REPETÍ-LO”.
PARA PREVENIR A RECAÍDA É PRECISO ENTENDÊ-LA.
QUANTO MAIS INFORMAÇÕES POSSUIR SOBRE ADICÇÃO,
RECUPERAÇÃO E RECAÍDA, MAIS FERRAMENTAS VOCÊ
TERÁ PARA MANTER A ABSTINÊNCIA.
3. Educação
DEVE FAMILIARIZAR-SE COM OS SINAIS DE AVISO
E SER CAPAZ DE DAR EXEMPLOS DELES E
COLOCÁ-LOS NAS PRÓPRIAS PALAVRAS PARA
TER CERTEZA DE ENTENDÊ-LOS.
ADICÇÃO É A DOENÇA DA NEGAÇÃO.
•problemas de saúde,
•problemas de pensamentos,
• problemas emocionais,
•de memória ou de julgamento,
•comportamento inadequado.
4. Identificação Dos Sinais De Aviso
Toda pessoa tem um conjunto pessoal e único de
sinais (internos e externos) que indicam que o
processo de recaída esta acontecendo.
Podem ser:
Como posso evitar que este problema aconteça?
Qualquer adicto em recuperação terá uma
tendência a experimentar problemas
ou sinais de aviso que podem
levá-lo de volta ao uso aditivo.
Para evitar a recaída é preciso ver todos os sinais
de aviso que experimentou no passado e formular
um plano para lidar com eles.
Como pode ser interrompida a síndrome de
recaída?
5. Administração Dos Sinais De Aviso
(É necessário lembrar que adição é uma doença com tendência á recaída)
Anúncio

Recomendados

A preveno da recada apostila
A preveno da recada apostila A preveno da recada apostila
A preveno da recada apostila Nucleo Nacional
 
Plano de prevenção à recaída
Plano de prevenção à recaídaPlano de prevenção à recaída
Plano de prevenção à recaídagiulliangel
 
Guia de Tratamento para Dependentes Químicos
Guia de Tratamento para Dependentes QuímicosGuia de Tratamento para Dependentes Químicos
Guia de Tratamento para Dependentes QuímicosNucleo Nacional
 
Pensamento destrutivo
Pensamento destrutivoPensamento destrutivo
Pensamento destrutivoAngela Brito
 
Apostila tratamento da dependência química
Apostila   tratamento da dependência químicaApostila   tratamento da dependência química
Apostila tratamento da dependência químicakarol_ribeiro
 
Guia de Tratamento para Dependentes Químicos
Guia de Tratamento para Dependentes QuímicosGuia de Tratamento para Dependentes Químicos
Guia de Tratamento para Dependentes QuímicosCITRAT
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

DEPENDENCIA QUIMICA- por: Lincoln Boldrini
DEPENDENCIA QUIMICA- por: Lincoln BoldriniDEPENDENCIA QUIMICA- por: Lincoln Boldrini
DEPENDENCIA QUIMICA- por: Lincoln BoldriniLincoln Boldrini
 
Dependência química tratamento mini curso
Dependência química tratamento mini cursoDependência química tratamento mini curso
Dependência química tratamento mini cursoGabriela Haack
 
T.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVA
T.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVAT.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVA
T.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVANucleo Nacional
 
Trabalhando com os pensamentos automáticos
Trabalhando com os pensamentos automáticosTrabalhando com os pensamentos automáticos
Trabalhando com os pensamentos automáticosSarah Karenina
 
O papel da família no tratamento da dependência
O papel da família no tratamento da dependênciaO papel da família no tratamento da dependência
O papel da família no tratamento da dependênciablogdapsique
 
Conceituação cognitiva
Conceituação cognitivaConceituação cognitiva
Conceituação cognitivaSarah Karenina
 
Método Socrático em Terapia Cognitiva-Comportamental
Método Socrático em Terapia Cognitiva-ComportamentalMétodo Socrático em Terapia Cognitiva-Comportamental
Método Socrático em Terapia Cognitiva-ComportamentalMarcelo da Rocha Carvalho
 
TCC - Terapia cognitivo-comportamental
TCC - Terapia cognitivo-comportamentalTCC - Terapia cognitivo-comportamental
TCC - Terapia cognitivo-comportamentalAntonino Silva
 
Transtorno depressivo - Sintomas da Depressão, Curso, Prognóstico e Tratamento
Transtorno depressivo - Sintomas da Depressão, Curso, Prognóstico e TratamentoTranstorno depressivo - Sintomas da Depressão, Curso, Prognóstico e Tratamento
Transtorno depressivo - Sintomas da Depressão, Curso, Prognóstico e TratamentoFelipe de Souza
 
Manejo clínico com o paciente dependente químico - slides
Manejo clínico com o paciente dependente químico - slidesManejo clínico com o paciente dependente químico - slides
Manejo clínico com o paciente dependente químico - slidesRenanMF
 
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...Marcelo da Rocha Carvalho
 

Mais procurados (20)

DEPENDENCIA QUIMICA- por: Lincoln Boldrini
DEPENDENCIA QUIMICA- por: Lincoln BoldriniDEPENDENCIA QUIMICA- por: Lincoln Boldrini
DEPENDENCIA QUIMICA- por: Lincoln Boldrini
 
Dependência química tratamento mini curso
Dependência química tratamento mini cursoDependência química tratamento mini curso
Dependência química tratamento mini curso
 
T.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVA
T.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVAT.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVA
T.R.E. TERAPIA RACIONAL EMOTIVA
 
Trabalhando com os pensamentos automáticos
Trabalhando com os pensamentos automáticosTrabalhando com os pensamentos automáticos
Trabalhando com os pensamentos automáticos
 
O papel da família no tratamento da dependência
O papel da família no tratamento da dependênciaO papel da família no tratamento da dependência
O papel da família no tratamento da dependência
 
Nossa recaídas
Nossa recaídasNossa recaídas
Nossa recaídas
 
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
Como Aplicar Técnicas de Dinâmicas de Grupo para Dependentes Químicos?
 
A estrutura da Primeira Sessão Padrão na TCC
A estrutura da Primeira Sessão Padrão na TCCA estrutura da Primeira Sessão Padrão na TCC
A estrutura da Primeira Sessão Padrão na TCC
 
O grupo e a psicoeducação
O grupo e a psicoeducaçãoO grupo e a psicoeducação
O grupo e a psicoeducação
 
Conceituação cognitiva
Conceituação cognitivaConceituação cognitiva
Conceituação cognitiva
 
Método Socrático em Terapia Cognitiva-Comportamental
Método Socrático em Terapia Cognitiva-ComportamentalMétodo Socrático em Terapia Cognitiva-Comportamental
Método Socrático em Terapia Cognitiva-Comportamental
 
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva ComportamentalTCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
 
TCC - Terapia cognitivo-comportamental
TCC - Terapia cognitivo-comportamentalTCC - Terapia cognitivo-comportamental
TCC - Terapia cognitivo-comportamental
 
Ansiedade estratégias de tratamento em TCC
Ansiedade estratégias de tratamento em TCCAnsiedade estratégias de tratamento em TCC
Ansiedade estratégias de tratamento em TCC
 
Transtorno depressivo - Sintomas da Depressão, Curso, Prognóstico e Tratamento
Transtorno depressivo - Sintomas da Depressão, Curso, Prognóstico e TratamentoTranstorno depressivo - Sintomas da Depressão, Curso, Prognóstico e Tratamento
Transtorno depressivo - Sintomas da Depressão, Curso, Prognóstico e Tratamento
 
Manejo clínico com o paciente dependente químico - slides
Manejo clínico com o paciente dependente químico - slidesManejo clínico com o paciente dependente químico - slides
Manejo clínico com o paciente dependente químico - slides
 
Conceitualização em Terapia Cognitiva
Conceitualização em Terapia CognitivaConceitualização em Terapia Cognitiva
Conceitualização em Terapia Cognitiva
 
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
 
TCC - Terapia Cognitivo Comportamental
TCC - Terapia Cognitivo ComportamentalTCC - Terapia Cognitivo Comportamental
TCC - Terapia Cognitivo Comportamental
 
O luto
O lutoO luto
O luto
 

Semelhante a PPR - Plano de Prevenção a Recaída

sessões mindfulness[30].pdf
sessões mindfulness[30].pdfsessões mindfulness[30].pdf
sessões mindfulness[30].pdfCCandeias
 
As 12 vulnerabilidades
As 12 vulnerabilidadesAs 12 vulnerabilidades
As 12 vulnerabilidadesVilma Longuini
 
Plano de prevenção à recaída
Plano de prevenção à recaídaPlano de prevenção à recaída
Plano de prevenção à recaídagiulliangel
 
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão pdf
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão   pdfSaiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão   pdf
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão pdfEderson Bezerra
 
Mindfulness Curso Prof. Paulo Antônio Almeida
Mindfulness Curso Prof. Paulo Antônio AlmeidaMindfulness Curso Prof. Paulo Antônio Almeida
Mindfulness Curso Prof. Paulo Antônio AlmeidaPaulo Antônio Almeida
 
Como dominar as suas emoções
Como dominar as suas emoçõesComo dominar as suas emoções
Como dominar as suas emoçõesEmanuel Francisco
 
Autocontrole Emocional Através de 7 Técnicas Milenares Que REvigoram REvitali...
Autocontrole Emocional Através de 7 Técnicas Milenares Que REvigoram REvitali...Autocontrole Emocional Através de 7 Técnicas Milenares Que REvigoram REvitali...
Autocontrole Emocional Através de 7 Técnicas Milenares Que REvigoram REvitali...Fabiano Benassi
 
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroyComo dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroyJanuário Zacarias
 
Ganhando controle sobre os seus pensamentos
Ganhando controle sobre os seus pensamentosGanhando controle sobre os seus pensamentos
Ganhando controle sobre os seus pensamentosIsabel Brandão
 
Cartilha Convivendo com o vitiligo
Cartilha   Convivendo com o vitiligoCartilha   Convivendo com o vitiligo
Cartilha Convivendo com o vitiligoKaryne Lira Correia
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocionalJosi Borges
 
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudosMindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudosPaulo Taveira
 
dicas-qualidade-de-vida-professor.pdf
dicas-qualidade-de-vida-professor.pdfdicas-qualidade-de-vida-professor.pdf
dicas-qualidade-de-vida-professor.pdfHeleniceGonalves1
 
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptxsaude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptxRaissaMarySilva1
 
PROGRAMA EMAGRECIMENTO.pptx
PROGRAMA EMAGRECIMENTO.pptxPROGRAMA EMAGRECIMENTO.pptx
PROGRAMA EMAGRECIMENTO.pptxHenrietterusso
 

Semelhante a PPR - Plano de Prevenção a Recaída (20)

A depresso impotencia para viver
A depresso   impotencia para viverA depresso   impotencia para viver
A depresso impotencia para viver
 
A depresso impotencia para viver
A depresso   impotencia para viverA depresso   impotencia para viver
A depresso impotencia para viver
 
sessões mindfulness[30].pdf
sessões mindfulness[30].pdfsessões mindfulness[30].pdf
sessões mindfulness[30].pdf
 
As 12 vulnerabilidades
As 12 vulnerabilidadesAs 12 vulnerabilidades
As 12 vulnerabilidades
 
Plano de prevenção à recaída
Plano de prevenção à recaídaPlano de prevenção à recaída
Plano de prevenção à recaída
 
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão pdf
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão   pdfSaiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão   pdf
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão pdf
 
A depressão
A depressãoA depressão
A depressão
 
Mindfulness Curso Prof. Paulo Antônio Almeida
Mindfulness Curso Prof. Paulo Antônio AlmeidaMindfulness Curso Prof. Paulo Antônio Almeida
Mindfulness Curso Prof. Paulo Antônio Almeida
 
Como dominar as suas emoções
Como dominar as suas emoçõesComo dominar as suas emoções
Como dominar as suas emoções
 
Autocontrole Emocional Através de 7 Técnicas Milenares Que REvigoram REvitali...
Autocontrole Emocional Através de 7 Técnicas Milenares Que REvigoram REvitali...Autocontrole Emocional Através de 7 Técnicas Milenares Que REvigoram REvitali...
Autocontrole Emocional Através de 7 Técnicas Milenares Que REvigoram REvitali...
 
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroyComo dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
 
Ganhando controle sobre os seus pensamentos
Ganhando controle sobre os seus pensamentosGanhando controle sobre os seus pensamentos
Ganhando controle sobre os seus pensamentos
 
Dominarsuas emocoes
Dominarsuas emocoesDominarsuas emocoes
Dominarsuas emocoes
 
Cartilha Convivendo com o vitiligo
Cartilha   Convivendo com o vitiligoCartilha   Convivendo com o vitiligo
Cartilha Convivendo com o vitiligo
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
 
Ir ao psicólogo é coisa de doidos?
Ir ao psicólogo é coisa de doidos?Ir ao psicólogo é coisa de doidos?
Ir ao psicólogo é coisa de doidos?
 
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudosMindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
 
dicas-qualidade-de-vida-professor.pdf
dicas-qualidade-de-vida-professor.pdfdicas-qualidade-de-vida-professor.pdf
dicas-qualidade-de-vida-professor.pdf
 
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptxsaude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
 
PROGRAMA EMAGRECIMENTO.pptx
PROGRAMA EMAGRECIMENTO.pptxPROGRAMA EMAGRECIMENTO.pptx
PROGRAMA EMAGRECIMENTO.pptx
 

Mais de Nucleo Nacional

Terapiacognitiva mod 01 ao 08
Terapiacognitiva mod 01 ao 08Terapiacognitiva mod 01 ao 08
Terapiacognitiva mod 01 ao 08Nucleo Nacional
 
Doze passos elementos terapêuticos para codependência
Doze passos  elementos terapêuticos para codependênciaDoze passos  elementos terapêuticos para codependência
Doze passos elementos terapêuticos para codependênciaNucleo Nacional
 
Primeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemindPrimeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemindNucleo Nacional
 
Primeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemindPrimeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemindNucleo Nacional
 
Terceira e-quarta-ferramentas-freemind
Terceira e-quarta-ferramentas-freemindTerceira e-quarta-ferramentas-freemind
Terceira e-quarta-ferramentas-freemindNucleo Nacional
 
Quinta e-sexta-ferramentas-freemind
Quinta e-sexta-ferramentas-freemindQuinta e-sexta-ferramentas-freemind
Quinta e-sexta-ferramentas-freemindNucleo Nacional
 
Setima e-oitava-ferramentas-freemind
Setima e-oitava-ferramentas-freemindSetima e-oitava-ferramentas-freemind
Setima e-oitava-ferramentas-freemindNucleo Nacional
 
Nona e-decima-ferramentas-freemind
Nona e-decima-ferramentas-freemindNona e-decima-ferramentas-freemind
Nona e-decima-ferramentas-freemindNucleo Nacional
 
Decima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemind
Decima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemindDecima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemind
Decima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemindNucleo Nacional
 
Relatorio inspecao-comunidades-terapeuticas
Relatorio inspecao-comunidades-terapeuticasRelatorio inspecao-comunidades-terapeuticas
Relatorio inspecao-comunidades-terapeuticasNucleo Nacional
 
Folheto explicativo sobre as drogas de abuso
Folheto explicativo sobre as drogas de abusoFolheto explicativo sobre as drogas de abuso
Folheto explicativo sobre as drogas de abusoNucleo Nacional
 
Permanecer sóbrio completo
Permanecer sóbrio completoPermanecer sóbrio completo
Permanecer sóbrio completoNucleo Nacional
 
Guia estratégico drogas
Guia estratégico drogasGuia estratégico drogas
Guia estratégico drogasNucleo Nacional
 
Livro eletrônico anti drogas
Livro eletrônico anti drogasLivro eletrônico anti drogas
Livro eletrônico anti drogasNucleo Nacional
 
A arte de envelhecer com sabedoria
A arte de envelhecer com sabedoriaA arte de envelhecer com sabedoria
A arte de envelhecer com sabedoriaNucleo Nacional
 
Defeitos e comportamentos
Defeitos e comportamentosDefeitos e comportamentos
Defeitos e comportamentosNucleo Nacional
 

Mais de Nucleo Nacional (20)

Terapiacognitiva mod 01 ao 08
Terapiacognitiva mod 01 ao 08Terapiacognitiva mod 01 ao 08
Terapiacognitiva mod 01 ao 08
 
Doze passos elementos terapêuticos para codependência
Doze passos  elementos terapêuticos para codependênciaDoze passos  elementos terapêuticos para codependência
Doze passos elementos terapêuticos para codependência
 
Primeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemindPrimeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemind
 
Primeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemindPrimeira e-segunda-ferramentas-freemind
Primeira e-segunda-ferramentas-freemind
 
Terceira e-quarta-ferramentas-freemind
Terceira e-quarta-ferramentas-freemindTerceira e-quarta-ferramentas-freemind
Terceira e-quarta-ferramentas-freemind
 
Quinta e-sexta-ferramentas-freemind
Quinta e-sexta-ferramentas-freemindQuinta e-sexta-ferramentas-freemind
Quinta e-sexta-ferramentas-freemind
 
Setima e-oitava-ferramentas-freemind
Setima e-oitava-ferramentas-freemindSetima e-oitava-ferramentas-freemind
Setima e-oitava-ferramentas-freemind
 
Nona e-decima-ferramentas-freemind
Nona e-decima-ferramentas-freemindNona e-decima-ferramentas-freemind
Nona e-decima-ferramentas-freemind
 
Decima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemind
Decima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemindDecima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemind
Decima primeira-e-decima-segunda-ferramentas-freemind
 
Relatorio inspecao-comunidades-terapeuticas
Relatorio inspecao-comunidades-terapeuticasRelatorio inspecao-comunidades-terapeuticas
Relatorio inspecao-comunidades-terapeuticas
 
Assertividade
AssertividadeAssertividade
Assertividade
 
13 princpios nida
13 princpios nida13 princpios nida
13 princpios nida
 
Folheto explicativo sobre as drogas de abuso
Folheto explicativo sobre as drogas de abusoFolheto explicativo sobre as drogas de abuso
Folheto explicativo sobre as drogas de abuso
 
Permanecer sóbrio completo
Permanecer sóbrio completoPermanecer sóbrio completo
Permanecer sóbrio completo
 
Guia estratégico drogas
Guia estratégico drogasGuia estratégico drogas
Guia estratégico drogas
 
Livro co-dependencia
Livro co-dependenciaLivro co-dependencia
Livro co-dependencia
 
Livro eletrônico anti drogas
Livro eletrônico anti drogasLivro eletrônico anti drogas
Livro eletrônico anti drogas
 
A arte de envelhecer com sabedoria
A arte de envelhecer com sabedoriaA arte de envelhecer com sabedoria
A arte de envelhecer com sabedoria
 
Apostila PPR
Apostila PPRApostila PPR
Apostila PPR
 
Defeitos e comportamentos
Defeitos e comportamentosDefeitos e comportamentos
Defeitos e comportamentos
 

PPR - Plano de Prevenção a Recaída

  • 1. Baseado em Terence Gorski. Estudioso e especialista na área de dependência química, tanto alcoólica quanto outras drogas.
  • 2. 1. Estabilização É UMA HORA DE CRISE PARA O DEPENDENTE E SUA FAMÍLIA. A RECAÍDA QUEBROU SUA VIDA. É NORMAL QUE A PESSOA SE SINTA ASSUSTADA, ZANGADA, DESAPONTADA E CULPADA. O ADICTO PRECISA DE AJUDA. SE FOR INCAPAZ DE MANTER UM CONTROLE CONSISTENTE DE SEUS PENSAMENTOS, EMOÇÕES E COMPORTAMENTOS DEVE CONSULTAR AJUDA PROFISSIONAL PARA CONSEGUIR SE ESTABILIZAR. ANTES DE FAZER O PLANO DE PREVENÇÃO DE RECAÍDA DEVE-SE ESTAR NO CONTROLE DE SI MESMO. ESTABILIZAÇÃO SIGNIFICA RECONQUISTAR O CONTROLE DOS PENSAMENTOS, EMOÇÕES, MEMÓRIA, JULGAMENTO E COMPORTAMENTOS.
  • 3. ESTA INFORMAÇÃO FORNECERÁ INDÍCIOS DO QUE FOI FEITO ERRADO E O QUE PODE SER FEITO DIFERENTE PARA MELHORAR AS CHANCES DE ABSTINÊNCIA PERMANENTE. 2. Avaliação DESCOBRIR O QUE OCASIONOU A RECAÍDA. ISTO É FEITO REVISANDO A HISTORIA DE USO DE QUÍMICOS, ASSIM COMO OS SINAIS DE AVISO ESPECÍFICOS E SINTOMAS QUE OCORREM DURANTE TENTATIVAS DE CONSEGUIR ABSTINÊNCIA. “O PASSADO PODE SER O NOSSO MELHOR PROFESSOR. SE FALHARMOS EM APRENDER COM O PASSADO, ESTAMOS CONDENADOS A REPETÍ-LO”.
  • 4. PARA PREVENIR A RECAÍDA É PRECISO ENTENDÊ-LA. QUANTO MAIS INFORMAÇÕES POSSUIR SOBRE ADICÇÃO, RECUPERAÇÃO E RECAÍDA, MAIS FERRAMENTAS VOCÊ TERÁ PARA MANTER A ABSTINÊNCIA. 3. Educação DEVE FAMILIARIZAR-SE COM OS SINAIS DE AVISO E SER CAPAZ DE DAR EXEMPLOS DELES E COLOCÁ-LOS NAS PRÓPRIAS PALAVRAS PARA TER CERTEZA DE ENTENDÊ-LOS. ADICÇÃO É A DOENÇA DA NEGAÇÃO.
  • 5. •problemas de saúde, •problemas de pensamentos, • problemas emocionais, •de memória ou de julgamento, •comportamento inadequado. 4. Identificação Dos Sinais De Aviso Toda pessoa tem um conjunto pessoal e único de sinais (internos e externos) que indicam que o processo de recaída esta acontecendo. Podem ser:
  • 6. Como posso evitar que este problema aconteça? Qualquer adicto em recuperação terá uma tendência a experimentar problemas ou sinais de aviso que podem levá-lo de volta ao uso aditivo. Para evitar a recaída é preciso ver todos os sinais de aviso que experimentou no passado e formular um plano para lidar com eles. Como pode ser interrompida a síndrome de recaída? 5. Administração Dos Sinais De Aviso (É necessário lembrar que adição é uma doença com tendência á recaída)
  • 7. 1- O primeiro deveria ser pela manhã. Abra um espaço de 5 a 10 minutos e faça um resumo de seus planos para o dia. Pergunte-se se você está preparado para este dia e o que você pode fazer que lhe ajude fisicamente e emocionalmente a enfrentar os desafios do dia e manter uma abstinência confortável. 2) - O segundo ritual deverá ocorrer à noite. Reveja as tarefas do dia, identifique o que você manuseou bem e o que precisa melhorar. 6. Treinamento Do Inventário Para um inventário diário se tornar um hábito, recomendamos que se estabeleça dois rituais.
  • 8. 8. Envolvimento Com Os Outros8. Envolvimento Com Os Outros O processo de recaída muitas vezes é um processo totalmente inconsciente e pode se não ver o que esta acontecendo. Por isso é importante envolver outras pessoas nos planos de prevenção de recaída (rede de intervenção). Membros da família, colegas de trabalho e companheiros de A.A/NA/AMOR EXIGENTE, podem ser muito úteis em ajudar a reconhecer sinais de aviso enquanto ainda é possível fazer algo sobre eles. Reúna as pessoas da sua rede de intervenção e explique para elas a lista de sinais de aviso pessoais e forme um” contrato” com cada uma sobre o que deverão fazer diante dos sintomas de recaída. O processo de recaída muitas vezes é um processo totalmente inconsciente e pode se não ver o que esta acontecendo. Por isso é importante envolver outras pessoas nos planos de prevenção de recaída (rede de intervenção). Membros da família, colegas de trabalho e companheiros de A.A/NA/AMOR EXIGENTE, podem ser muito úteis em ajudar a reconhecer sinais de aviso enquanto ainda é possível fazer algo sobre eles. Reúna as pessoas da sua rede de intervenção e explique para elas a lista de sinais de aviso pessoais e forme um” contrato” com cada uma sobre o que deverão fazer diante dos sintomas de recaída.
  • 9. Recuperação da adicção é uma maneira de vida. O plano de prevenção de recaída é parte da recuperação, precisa tornar-se uma maneira de vida, ser integrado em toda a vida e em todos os aspectos da sua recuperação de adicto. Precisa ser praticada até tornar-se um hábito Todos somos escravos de nossos hábitos. A única liberdade que podemos ter é escolher com cuidado os hábitos 9. Acompanhamento E Reforço É preciso revisar o plano de prevenção de recaída em intervalos regulares. Adicção não tem cura. Ela é uma doença crônica.
  • 10. O processo de recaída leva a pessoa em recuperação a sentir dor e desconforto sem o químico. Esta dor e desconforto ficam tão fortes que a pessoa em recuperação fica incapaz de viver normalmente quando não faz uso e sente que não pode ser pior que a dor de continuar sóbrio. As Fases E Sinais De Aviso Da Recaída (Sintomas da disfunção externa) A SEGUIR OS SINTOMAS MAIS COMUNS: FASE 1 - SINAIS DE AVISO DE RECAIDA INTERNOS. Nesta fase a pessoa em recuperação se sente incapaz de funcionar normalmente dentro de si mesma.
  • 11. 1.1 — Dificuldade De Pensar Com Clareza. •Às vezes sua mente age com pensamentos rígidos e repetitivos. • Outras vezes sua mente parece se fechar ou dar brancos •Dificuldades de se concentrar ou pensar logicamente por mais que alguns minutos. • Por isso nem sempre está seguro de como uma coisa se relaciona ou afeta outras coisas. •Dificuldade em decidir o que fazer a seguir para lidar com sua vida e recuperação. • Às vezes é incapaz de pensar claramente e tende a tomar decisões, que não tomaria se o pensamento estivesse normal
  • 12. Às vezes EXAGERA emocionalmente (ressente-se demais). Às vezes fica emocionalmente insensível (sente muito pouco) e não é capaz de saber o que está sentindo. Em outras vezes ainda, tem pensamentos estranhos e sem razão aparente e começa a pensar que vai ficar “louco”. 1.2— Dificuldades Em Lidar Com Sentimentos E Emoções
  • 13. Tem problemas de memória que o impede de apreender (reter) informações novas e habilidades, as coisas novas que apreende tende a se dissolver de sua mente. Às vezes lembra tudo claramente. Sente-se bloqueado, grudado ou desligados da memória. Às vezes a incapacidade de lembrar coisas leva a tomar decisões que não tomaria se sua memória estivesse funcionando bem 1.3 - Dificuldade Em Lembrar Coisas.
  • 14. • Não consegue reconhecer os menores sinais do estresse diário. • Quando reconhece o estresse é incapaz de relaxar. • Devido à tensão constante existem dias em que o esforço torna-se tão forte que é incapaz de funcionar normalmente e sente que vai ter um colapso físico ou emocional. 1.4- Dificuldade Em Lidar Com O Estresse.
  • 15. •Às vezes fica acordada até tarde devido à incapacidade de dormir e então dorme demais porque está cansada demais para se levantar de manhã. •Às vezes fica tão cansada que dorme por longos períodos, dormindo até um dia inteiro ou mais. •Às vezes fica acordada até tarde devido à incapacidade de dormir e então dorme demais porque está cansada demais para se levantar de manhã. •Às vezes fica tão cansada que dorme por longos períodos, dormindo até um dia inteiro ou mais. 1.5 — Dificuldade Em Dormir Tranqüilamente.
  • 16. •tonturas, •problemas de equilíbrio, •dificuldades de coordenação entre os olhos e as mãos, •reflexos fracos. Estes problemas criam propensão a acidentes que levam a outros problemas que não teriam se sua coordenação fosse normal. 1.6 — Dificuldades Com A Coordenação Física E Acidentes.
  • 17. Às vezes sente muita vergonha porque acha que está louco, perturbado emocionalmente, deficiente como pessoa, ou incapaz de ser ou sentir-se normal. A vergonha e a culpa leva-o a esconder os sinais de aviso e pára de falar honestamente com os outros sobre o que está experimentando. Quanto mais a pessoa mantém escondidos, mais fortes os sinais de aviso se tornam. Tenta lidar com estes sinais de aviso, mas falha. Começa a acreditar que não tem e não existe mais esperança. 1.7 - Vergonha, Culpa E Desesperança.
  • 18. 2.1 - Preocupação Sobre O Bem Estar. Os sinais de aviso internos leva a pessoa a sentir-se inquieta, assustada e ansiosa. Tem medo de não ser capaz de continuar abstinente. FASE 2 - Volta à negação Nesta, fase a pessoa não é capaz de reconhecer e falar honestamente aos outros o que está pensando ou sentido. Os sintomas mais comuns são:
  • 19. Para suportar estes períodos de preocupação, medo e ansiedade pode ignorar ou negar estes sentimentos, da mesma maneira que antes negava a adição. A negação pode ser tão forte que não tem consciência dela enquanto a mesma esta acontecendo. Mesmo quando está consciente dos sentimentos, a pessoa esquece logo e se vão. Somente quando pensa de volta na situação mais tarde é que é capaz de reconhecer os sentimentos de ansiedade e sua negação. 2.2 — Negação Da Preocupação.
  • 20. FASE 3 - Impedimentos E Comportamentos Defensivos Nesta fase a pessoa em recuperação não quer pensar sobre qualquer coisa que possa trazer de volta os sentimentos dolorosos e desconfortáveis. Por isso começa evitar tudo que possa forçá-la a uma honesta olhada em si mesma. Quando são feitas perguntas diretas sobre seu bem-estar, a pessoa tende a ficar na defensiva. Os sintomas mais comuns são:
  • 21. •A pessoa em recuperação se convence que nunca mais vai usar ou beber novamente. Algumas vezes fala isto a outras pessoas, mas geralmente mantêm isto só para si. •Pode ter medo de falar sobre isto para seu orientador ou psicoterapeuta ou para outras pessoas da sua convivência. •Quando acredita firmemente que nunca mais vai usar, a necessidade por um programa de recuperação diário parece menos importante. 3.1 — Acreditar Que Nunca Mais Vai Fazer Uso:
  • 22. Fica mais preocupada com a abstinência dos outros do que de com a sua recuperação pessoal. Não fala diretamente sobre esta preocupação, mas em particular julga - a maneira de adição dos amigos - assim como o programa de recuperação das outras pessoas. No A.A/NA,AMOR EXIGENTE, isto se chama trabalhando com o programa dos outros. 3.2 — Se Preocupa Com Os Outros E Não Consigo Mesmo.
  • 23. Pode ter uma tendência para se defender quando fala dos problemas pessoais ou de seu programa de recuperação mesmo quando nenhuma defesa é necessária. 3.3 — Ficar Na Defensiva
  • 24. Tende a trabalhar mais que o necessário, se envolve em muitas atividades e pode parecer um modelo de recuperação devido a um forte envolvimento no trabalho, pode ser um líder em aconselhar os grupos, representando um terapeuta. 3.4 — Comportamento Compulsivo (Pode tonar-se compulsivo (idéias fixas ou rígidas) na maneira como se comporta) •Tendência de fazer as mesmas coisas varias vezes, sem uma boa razão •Tendência de controlar conversas ou por falar demais, ou por não falar nada.
  • 25. Estruturas do comportamento compulsivo começa a ser interrompidas por reações impulsivas. Em muitos casos são reações a situações estressantes que duram bastante tempo e geralmente resultam em comportamento impulsivo. Muitas vezes estas super-reações ao estresse forma a base de decisões, que afetam áreas importantes da vida e compromissos para continuar o tratamento. 3.5 — Comportamento Impulsivo
  • 26. Começar a gastar mais tempo sozinho. Sempre tem boas razões e desculpas para ficar longe das pessoas. São períodos de isolamento sócio-afetivo 3.6 — Tendência À Solidão.
  • 27. Nesta fase começa a experimentar uma seqüência de problemas na vida causados pela negação de sentimentos pessoais, a se isolar e a negligenciar os problemas. Surgem dois problemas para substituir cada problema resolvido. Os sinais de aviso mais comuns que ocorrem neste período são: FASE 4 - Construindo A Crise
  • 28. A pessoa em recuperação vê a vida como sendo feita de partes separadas e sem relação. Pequenos problemas explodem e ficam fora de proporção. Quando isto acontece começa a acreditar que está sendo tratada injustamente e não tem poder para fazer nada sobre isto. 4.1- Visão De Túnel Visão de túnel é ver somente uma pequena parte da vida e não conseguir uma visão panorâmica.
  • 29. Sintomas de depressão começa a aparecer e a persistir. Pode sentir-se para baixo, triste, apático, vazio de sentimentos. Dormir demais se torna comum. 4.2 — Depressão Secundária (Leve).
  • 30. Pára de planejar cada dia e o seu futuro. Muitas vezes interpreta mal o lema: viva um dia de cada vez. Fica apático. Planos são baseados mais em fatos de que: •como gostaria que fossem as coisas 4.3 — Deixar De Planejar Construtivamente.
  • 31. Faz planos que não são realistas e sem prestar atenção em detalhes, e começam a falhar. Cada fracasso causa novos problemas na vida. Tipicamente incluem problemas conjugais, sociais e dinheiro. 4.4 — Planos Começam A Falhar.
  • 32. FASE 5 - Imobilização Nesta fase é incapaz de iniciar uma ação. Passa pelos movimentos da vida, mas é controlado em vez de controlar a vida. 5.1 - Devaneios e Ilusões Fica mais difícil se concentrar. Começa a ter fantasias de fuga ou de ser socorrida por algo improvável de acontecer.
  • 33. Um senso de fracasso começa a se desenvolver. O fracasso pode ser real ou imaginário. A crença de que fez o melhor que pôde, e a recuperação não esta funcionando começa a se desenvolver. 5.2 — Sentimentos De Que Nada Pode Ser Solucionado.
  • 34. Um vago desejo de ser feliz ou ter as coisas funcionando. Usa de um pensamento mágico. Deseja que as coisas melhorem sem fazer nada para melhorá- las. 5.3 — Desejo Imaturo De Ser Feliz.
  • 35. 6.1 — Período De Confusão Períodos de confusão tornão-se mais freqüentes, duram mais, e causam mais problemas. A pessoa em recuperação fica zangada consigo pela sua incapacidade de resolver as coisas. FASE 6 - CONFUSÃO E SUPER -REAÇÃO Neste período a pessoa em recuperação tem dificuldades em pensar claramente. Fica perturbada consigo própria e com as pessoas ao seu redor. Fica limitada e super-reagem às pequenas coisas. Os sinais de aviso mais comuns nesta fase são:
  • 36. As relações com os amigos e familiares ficam tensas. Pode se sentir ameaçada quando os outros falam sobre as mudanças que estão notando em seu comportamento e humor. Os conflitos aumentam, apesar de seus esforços para resolvê-los. 6.2 — Irritação Com Os Amigos.
  • 37. 6.3 — Irritado Facilmente. Pode experimentar episódios de raiva, frustração, ressentimentos e irritabilidade sem uma razão real, reação exagerada a pequenas coisas ficam freqüentes. O estresse e a ansiedade aumentam devido ao medo de que a super-reação, pode resultar em violência. O esforço para se controlar aumenta o estresse e a tensão.
  • 38. FASE 7 - Depressão Neste período a pessoa em recuperação fica tão deprimida que tem dificuldade de se manter na rotina diária. Às vezes pode ter pensamentos de suicídio, ou usar químicos como uma maneira de terminar com a depressão. A depressão é muito forte e persistente e não pode ser ignorada facilmente ou escondida dos outros. Os sinais de aviso mais comuns que ocorrem neste período são:
  • 39. 7.1 — Hábitos Alimentares Irregulares. Pára de ter refeições regulares e substitui uma dieta nutritiva e bem balanceada por comida ruim.
  • 40. Pode haver períodos em que é incapaz de iniciar ou de fazer qualquer coisa. Nestas horas é incapaz de se concentrar, sente- se ansiosa, medrosa e inquieta, e muitas vezes presa e sem saída. 7.2 – FALTA DE INICIATIVA
  • 41. 7.3 — Hábitos De Sono Irregulares. Pode ter dificuldades para dormir ou ficar inquieta e “caprichosa” quando quer dormir. O sono muitas vezes é marcado por sonhos estranhos e assustadores. Devidos ao cansaço pode dormir de 12 a 20 horas de cada vez.
  • 42. A rotina diária fica acidental. Deixa de se levantar e ir para a cama nas horas regulares. Os horários das refeições ficam irregulares. Fica mais difícil manter compromissos e planejar eventos sociais. Sente-se apressada e sobrecarregada, e em outras horas não tem nada a 7.4 — Perda Da Estrutura Diária.
  • 43. 7.5 — Período De Profunda Depressão. A depressão fica pior, dura mais e interfere com a vida, não podendo ser negada facilmente. Fadiga, fome e solidão tornam a depressão pior. Quando se sente deprimida, se separa das outras pessoas, fica irritada e zangada com os outros, e muitas vezes reclama que ninguém se preocupa e não entende o que está acontecendo com ela.
  • 44. 8.1 — Participação Irregular Nas Reuniões De Tratamento Para de participar e começa a perder as consultas marcadas para acompanhamento ou tratamento. Encontra desculpas para justificar, e não reconhece a importância do tratamento. Desenvolve uma atitude de que o aconselhamento não está fazendo com que se sinta melhor. FASE 8 - Perda Do Controle Do Comportamento. Nesta fase fica incapaz de controlar ou regular o comportamento pessoal e os horários do dia. Existe ainda uma negação forte e falta de uma consciência de estar fora de controle. Sua vida fica caótica e muitos problemas se criam em todas as áreas da vida e na recuperação. Os sinais de aviso mais comuns nesta fase são:
  • 45. Tenta agir como se não tivesse nada a ver com os problemas que estão acontecendo. Isto é para esconder sentimentos de desesperança, uma crescente falta de auto respeito e auto confiança. 8.2 — Desenvolvimento De Uma Atitude De Não Tenho Nada Com Isto.
  • 46. Desliga-se das pessoas que podem ajudar. Pode fazer isto tendo ataque de raiva que afastam as pessoas, criticando ou colocando os outros para baixo ou se afastando dos outros tranquilamente. 8.3 — Rejeição Aberta De Ajuda.
  • 47. 8.4 - Falta De Satisfação Com A Vida. Tudo parece tão mal que pensa em iniciar o uso de químicos, porque as coisas não podem ficar pior. A vida parece que ficou incontrolável desde que ficou abstinente.
  • 48. Tem dificuldade em começar as coisas, tem problema em pensar claramente, em se concentrar, e em pensar abstratamente: sente que não pode fazer nada e começar a acreditar que não há saída. 8.5 — Sentimentos De Impotência E Desesperança.
  • 49. FASE 9 - RECONHECIMENTO DA PERDA DE CONTROLE Sua negação quebra e de súbito reconhece como seus problemas são, como a vida ficou incontrolável e como a pessoa tem pouco poder e controle para resolver qualquer problema. Esta percepção é muito dolorosa e assustadora. Nesta hora está tão sozinha que parece não existir ninguém para pedir ajuda. Os sinais de aviso mais comuns que ocorrem
  • 50. 9.1 —Auto Piedade. Começa a sentir pena de si mesma e pode usar a auto piedade para conseguir atenção de todos ou dos membros da família.
  • 51. A pessoa acha que beber ou usar drogas iria ajudá-lo a se sentir melhor e começa a achar que pode beber ou usar normalmente e que pode se controlar. Pode começar a sentir que usar pode ser a única alternativa a ficar louco ou cometer suicídio. 9.2 — Pensamentos De Beber Socialmente.
  • 52. Começa a reconhecer as mentiras, negação e desculpas, mas não pode interrompê-las 9.3 —Mentiras Conscientes.
  • 53. Sente-se preso e vencido pela incapacidade de pensar claramente e agir. Este sentimento de impotência lhe causa a crença que é inútil e incompetente. Por isso acredita que não pode lidar com os vários pontos da sua vida. 9.4 — Perda Completa De Auto Confiança.
  • 54. Sente raiva por causa da incapacidade de comportar-se da maneira que deseja. Às vezes a raiva é com o mundo em geral, às vezes com alguém em particular, e às vezes consigo mesma. Sente-se presa pela dor e pela incapacidade de lidar com a vida. Os sinais de aviso mais comuns nesta fase são: Fase 10 – Redução De Opções 10.1 — Ressentimentos Insensatos
  • 55. 10.2 —Pára Todo O Tratamento Profissional Se está tomando medicação esquece de tomá-lo ou evita deliberadamente tomá- lo. Se um familiar ou pessoa que ajuda é parte do tratamento, desenvolve uma tensão e conflito tão fortes, que o relacionamento geralmente acaba. Pode retirar-se do aconselhamento profissional muito embora precisa de ajuda e saiba disto.
  • 56. Se sente totalmente esmagado. Existe fortes sentimentos de insanidade e sentimentos de desespero. 10.3 — Esmagadora Solidão, Frustração, Raiva E Tensão. Então parece haver apenas três saídas: insanidade, suicídio ou uso do químico.
  • 57. Experimenta cada vez mais dificuldades em controlar pensamentos, emoções, julgamentos e comportamentos. Esta progressiva e incapacitante perda de controle começa a causar problemas em todos as áreas de sua vida. Começa a afetar a saúde. Não importa quando tenta reconquistar o controle, é incapaz de conseguí-lo. 10.4 —Perda Do Controle Do Comportamento.
  • 58. Neste ponto a pessoa está por demais desesperada e se convence que é possível usar com controle. Planeja usar o químico por um curto período de tempo ou de uma maneira controlada. Começa a usar o químico com “a melhor das intenções”. Acredita não ter outra escolha. Fase 11 Volta Ao Uso Do Químico Ou Colapso Físico E Emocional.
  • 59. Culpa é o sentimento que é causado pelo próprio julgamento de que "Fiz alguma coisa errada“. Vergonha é o sentimento que resulta do próprio julgamento que é uma pessoa defeituosa. Sente como que sua recaída prova que é sem valor e que pode morrer como um adicto na ativa. 11.2—Vergonha e Culpa.
  • 60. O uso do químico leva aos poucos a perda de controle. Às vezes a perda de controle ocorre lentamente. A pessoa começa a usar tanto ou mais que antes. 11.3—Perda de Controle
  • 61. Começa a experimentar problemas severos: No casamento, no trabalho e a vida social são prejudicados seriamente. Finalmente sua saúde física sofre e se torna tão doente que precisa de tratamento profissional. 11.4— Problemas de Vida e de Saúde
  • 62. “AFINAL DE CONTAS, É UMA DAS CARACTERÍSTICAS DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA, RECAIR, RECAIR, ATÉ AMADURECER E CRIAR EM SI PRÓPRIO A ENERGIA PARA MANTER-SE EM ABSTINÊNCIA!”