SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 93
Exploração e Produção (Upstream)
Analise Sísmica Viabilidade técnica e econômica
Analise de Superfície.
A Descoberta (Sísmica) Tempo e Amplitude
Aquisição de Dados Terrestre Perfuração para colocação de explosivos
Aquisição em Zonas Alagadas
Aquisição em Desertos  e Selvas
Fontes, Receptores e Equipamentos de Registro e Armazenamento de Dados
Sismógrafo
Aquisição 3D no Mar Hidrofone
Aquisição 3D Navio com vários cabos adquirindo simultaneamente  várias linhas sísmicas num levantamento 3D  (extraído de Thomas, J., E., 2001).
Registro, Armazenamento e Processamento de Dados Sísmicos
Resposta acústica  Migração
Interpretação Sísmica Interpretação Sísmica:Impacto dos Softwares de Visualização 3D
Exploração até 9 anos, não prorrogáveis...
Levantamentos Sísmicos Terrestre  e Marítimo
Levantamentos Sísmicos Terrestre  e Marítimo
Levantamentos Sísmicos Terrestre  e Marítimo
Levantamentos Sísmicos Terrestre  e Marítimo pontos marcados
L.A ou LDA
Da Geologia  ao Petróleo
Tabela de Situação  de Operação
UNIDADES MARÍTIMAS DE PRODUÇÃO
SONDA MODULADA (SM) CARACTERÍSTICAS : * L.A. RASAS - APROXIMADAMENTE 100m.  * A JAQUETA É LANÇADA E ENCAIXADA  EM ESTACAS NO FUNDO DO MAR.   * EM SEGUIDA OS MÓDULOS SÃO COLOCADOS     SOBRE A JAQUETA.   * POÇOS PODEM SER PERFURADOS ANTES      OU DEPOIS DA INSTALAÇÃO DA JAQUETA.  * NÃO É NECESSÁRIO COMPENSADOR     DE MOVIMENTOS.
PLATAFORMA  AUTO-ELEVÁVEL (PA) CARACTERÍSTICAS : ,[object Object],    PERFURAÇÃO FIXA NÃO AFETADA PELAS      CONDIÇÕES DE TEMPO. ,[object Object],    RESTRIÇÕES NO FUNDO DO MAR.  ,[object Object]
 * PERFURA EM LÂMINA D´ÁGUA DE ATÉ 100m.
 * NÃO É NECESSÁRIO COMPENSADOR    DE MOVIMENTOS.
SONDA SEMI-SUBMERSÍVEL (SS) CARACTERÍSTICAS :  * PLATAFORMA ESTÁVEL: TRABALHA EM      CONDIÇÕES DE MAR E TEMPO MAIS      SEVEROS DO QUE OS NAVIOS.  ,[object Object],  POSICIONAMENTO DINÂMICO.  ,[object Object], DE MOVIMENTOS.
NAVIO SONDA (NS) CARACTERÍSTICAS :  * GRANDE CAPACIDADE DE      ARMAZENAGEM DE SUPRIMENTO      PARA PERFURAÇÃO.  * MENOS ESTÁVEL QUE A SONDA     SEMI-SUBMERSÍVEL (SS).  * PROPULSÃO PRÓPRIA.  * PODE SER ANCORADO OU DP.   * É NECESSÁRIO COMPENSADOR     DE MOVIMENTOS.
TLP  (TENSION LEG PLATFORM) CARACTERÍSTICAS :  * PLATAFORMA FLUTUANTE POSICIONADA NA  LOCAÇÃO POR TENDÕES VERTICAIS FIXADOS      NO FUNDO DO MAR POR ESTACAS.  * RAIO DE ANCORAGEM NULO.  * NÃO POSSUI COMPENSADOR DE MOVIMENTOS.  * UTILIZADAS COMO UEP´s COM OS POÇOS     EQUIPADOS COM ÁVORE DE NATAL SECA.
SPAR CARACTERÍSTICAS :  * PLATAFORMA FLUTUANTE DE CALADO PROFUNDO.  * O CASCO CILÍNDRICO É ANCORADO NO FUNDO DO MAR     COM SISTEMA CONVENCIONAL OU TAUTLEG. O RAIO DE     ANCORAGEM DEPENDE DO SISTEMA UTILIZADO.  * APÓS A ANCORAGEM A PLATAFORMA É MONTADA     SOBRE O CASCO.  * AS PAREDES DO CASCO  ABRIGAM TANQUES DE     LASTRO E DE CONSUMÍVEIS.  * POSSUI COMPENSADOR DE MOVIMENTOS.  * UTILIZADAS COMO UEP´s COM OS POÇOS EQUIPADOS     COM ÁRVORE DE NATAL SECA.
PLATAFORMA AUTO-ELEVÁVEL  (PA)
PLATAFORMA SUBMERSÍVEL
SUBMERSÍVEL
PLATAFORMA SEMI-SUBMERSÍVEL (SS)
SEMI-SUBMERSÍVEL
SEMI-SUBMERSÍVEL
SEMI-SUBMERSÍVEL
NAVIO SONDA
NAVIO SONDA
NAVIO SONDA(NS)
TLP – TENSION LEG PLATFORM
PLATAFORMA FIXA - SONDA MODULADA (SM)  SONDA MODULADA
SONDA MODULADA
SONDA MODULADA
SONDA MODULADA (SM)
SONDA MODULADA (SM)
SISTEMAS DE ANCORAGEM UNIDADES SUBMERSÍVEIS
SISTEMAS DE ANCORAGEM - UNIDADES SUBMERSÍVEIS
SISTEMAS DE ANCORAGEM UNIDADES SUBMERSÍVEIS
SONDAS TERRESTRES
UNIDADES DE PERFURAÇÃO SONDAS TERRESTRES
SONDAS TERRESTRES MÓVEIS
TÓPICOS A SEREM ABORDADOS O POÇO E OPERAÇÕES NORMAIS DE PERFURAÇÃO. (Alargamento –Circulação – Revestimento – Conexão - Cimentação –Perfilagem - Manobras) PRINCIPAIS COMPONENTES DE UMA SONDA DE PERFURAÇÃO. PRINCIPAIS COMPONENTES DA COLUNA DE PERFURAÇÃO. BROCAS.  FLUIDO DE PERFURAÇÃO. PERFURAÇÃO DIRECIONAL E PERFURAÇÃO MARITIMA.
O POÇO E OPERAÇÕES NORMAIS DE PERFURAÇÃO
Poço Elo de Ligação entre a Rocha Reservatório e a Superfície ou o Fundo do Mar
Classificação dos Poços Finalidade Exploração 1) Pioneiro – descobrir jazida com base em dados geológicos ou geofísicos 2) Estratigráfico – obter dados geológicos 3) Extensão – ampliar limites conhecidos da jazida 4) Pioneiro Adjacente – extensão que descobre novo campo 5) Jazida mais Rasa – dentro dos limites do campo para descobrir 6) Jazida mais Profunda – similar ao anterior Explotação 7) Desenvolvimento – drenar racionalmente HC 8) Injeção – de fluidos no reservatório para aumentar recuperação Especial (9) – sem o objetivo de procurar ou produzir HC
Classificação dos Poços Profundidade Final Rasos (Dados Referente a Posição do Intervenção (Tubo Vertical Direcional < 1500 m) Médios (1500 m < TVD < 2500 m) Profundos (TVD > 2500 m) Percurso Vertical Direcional Horizontal Multilateral Grande Afastamento Deslocamento > 2 X TVD Deslocamento > 4000 m
Seqüência de Perfuração Locação Terraplanagem Base para assentamento da sonda Ante-poço Revestimento Condutor de 20” Cravado a ±10 m
Seqüência de Perfuração Perfuração da Fase 12 ¼”  até ± 300 m Descida do Revestimento  De 9 5/8” Revestimento de Superfície
Seqüência de Perfuração Cimentação do Revestimento de 9 5/8” Cimentação de Superfície Instalação da Cabeça de Revestimento Aclopação para Equipamentos de Segurança do Poço.
Seqüência de Perfuração Perfuração da Fase 8 ½” até  ± 1000 m Descida do Revestimento de 7” Revestimento de Produção
Seqüência de Perfuração Cimentação do Revestimento de 7” Cimentação de Produção Revestimento de 7” é acunhado no Suspensor Poço típico no Campo de Fazenda Imbé na Bahia
Tabela Fases de Perfuração
PRINCIPAIS COMPONENTES DE UMA SONDA DE PERFURAÇÃO.
Sistemas das Sondas de Perfuração Rotativa Geração e Transmissão de Energia Sonda Mecânica Sonda Diesel-Elétrica Movimentação de Cargas Rotação Circulação Segurança de Poço Monitoração Sub-superfície
Sistema de Geração e Transmissão de Energia Sondas Mecânicas – os vários motores são ligados a “compounds” no qual são conectados os principais equipamentos de perfuração; usam-se ainda conversores de torque e embreagens.
Sistema de Geração e Transmissão de Energia Sondas Diesel-Elétricas – os motores diesel  são ligados a geradores de energia elétrica (o sistema mais usado é o AC-DC) onde a geração é feita em corrente alternada e a utilização nos equipamentos é feito em corrente contínua (retificação e controle de tensão em SCR’s).
Equipamentos BLOCO DE COROAMENTO (CROWN BLOCK) CATARINA (TRAVELLING BLOCK) GANCHO (HOOK) CABEÇA DE INJEÇÃO (SWIVEL) GUINCHO (DRAWWORK) MESA ROTATIVA (ROTARY TABLE) BOMBAS DE LAMA (MUD PUMP)
Movimentação de Cargas Guincho Tambor Principal Tambor Auxiliar 2 - Freios 2 – Molinete (Chave Flutuante – Cathead e Catline)
Equipamentos BLOCO DE COROAMENTO  (CROWN BLOCK)
Equipamentos CATARINA (TRAVELLING BLOCK)
Equipamentos GANCHO (HOOK)
Equipamentos CABEÇA DE INJEÇÃO (SWIVEL)
Movimentação de Cargas Catarina 4 m Swivel Bloco de Coroamento de  4 a 7 Polias Gancho
Movimentaçãode Cargas Compensador de Movimentos
Rotação Sistema Convencional Mesa Rotativa  Kelly (haste quadrada) Kelly bushing (bucha da haste quadrada) Top Drive
Movimentação de Cargas MESA ROTATIVA (ROTARY TABLE)
Rotação ,[object Object]
Hexagonal Marítima,[object Object]
Rotação Top Drive Perfura por Seção  Menor Número de Conexões Permite Retirada Da Coluna com Circulação e Rotação  Imprescindível em Poços Horizontais e com Grande Afastamento
Equipamentos BOMBAS DE LAMA (MUD PUMP) QUIMPLEX OU TRIPLEX
Circulação Bombas de Lama Tanques  Extração de Sólidos
Circulação Peneira
Circulação BOMBAS DE LAMA TANQUES DE LAMA
Circulação ,[object Object],DESGASEIFICADOR MUD CLEANER DESSILTADOR DESAREADOR PENEIRAS DE LAMA CENTRÍFUGA
Sedimentos e Processos Sedimentares  Os sedimentos são classificados de  acordo com o tamanho do grão em:  Cascalho 	matacão  	-	diâmetro > 256 mm 		bloco		-	256 a 64 mm 		seixo		-	64 a 4 mm  		grânulo	-	4 a 2 mm Areia 	- diâmetro variando de 2 mm (areia muito grossa) a 		0,062 mm (areia muito fina) Silte 	- diâmetro variando de 0,062 mm (silte grosso) a 		0,004 mm (silte muito fino) Argila 	- diâmetro da partícula < 0,004 mm.
Circulação
ACESSóRIOSde pERFURAÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Métodos de perfuração aula
Métodos de perfuração aulaMétodos de perfuração aula
Métodos de perfuração aula
PublicaTUDO
 
Engenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_complEngenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_compl
Sydney Dias
 
Trabalho prático #5 sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
Trabalho prático #5   sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...Trabalho prático #5   sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
Trabalho prático #5 sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
Sydney Dias
 
15 aula torres de perfuração e equipamentos
15 aula torres de perfuração e equipamentos15 aula torres de perfuração e equipamentos
15 aula torres de perfuração e equipamentos
Homero Alves de Lima
 
Lista de exercícios perfuração resolução
Lista de exercícios perfuração   resoluçãoLista de exercícios perfuração   resolução
Lista de exercícios perfuração resolução
Pedro Monteiro
 
Tubulões a céu aberto
Tubulões a céu abertoTubulões a céu aberto
Tubulões a céu aberto
Jupira Silva
 

Mais procurados (20)

Equipamentos de uma sonda de perfuração
Equipamentos de uma sonda de perfuraçãoEquipamentos de uma sonda de perfuração
Equipamentos de uma sonda de perfuração
 
Métodos de perfuração aula
Métodos de perfuração aulaMétodos de perfuração aula
Métodos de perfuração aula
 
Aula rev
Aula revAula rev
Aula rev
 
Abertura de poço
Abertura de poçoAbertura de poço
Abertura de poço
 
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e GásPerfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
Perfuração, Completação e Recuperação de Petróleo e Gás
 
Completação de Petróleo e Gás
Completação de Petróleo e GásCompletação de Petróleo e Gás
Completação de Petróleo e Gás
 
Apostila de sistemas de sonda
Apostila de sistemas de sondaApostila de sistemas de sonda
Apostila de sistemas de sonda
 
Engenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_complEngenharia de perfurao_e_compl
Engenharia de perfurao_e_compl
 
Trabalho prático #5 sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
Trabalho prático #5   sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...Trabalho prático #5   sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
Trabalho prático #5 sondas de perfuração e completação (henrique santana 74...
 
Perfuração de poços de petróleo - artigo
Perfuração de poços de petróleo - artigoPerfuração de poços de petróleo - artigo
Perfuração de poços de petróleo - artigo
 
15 aula torres de perfuração e equipamentos
15 aula torres de perfuração e equipamentos15 aula torres de perfuração e equipamentos
15 aula torres de perfuração e equipamentos
 
Operações especiais de perfuração
Operações especiais de perfuraçãoOperações especiais de perfuração
Operações especiais de perfuração
 
Lista de exercícios perfuração resolução
Lista de exercícios perfuração   resoluçãoLista de exercícios perfuração   resolução
Lista de exercícios perfuração resolução
 
LATEC - UFF. SAIBA COMO FUNCIONA SONDA DE PERFURAÇÃO TERRESTRE.
LATEC - UFF. SAIBA COMO FUNCIONA SONDA DE PERFURAÇÃO TERRESTRE.LATEC - UFF. SAIBA COMO FUNCIONA SONDA DE PERFURAÇÃO TERRESTRE.
LATEC - UFF. SAIBA COMO FUNCIONA SONDA DE PERFURAÇÃO TERRESTRE.
 
Aula de Abertura de Pista
Aula de Abertura de PistaAula de Abertura de Pista
Aula de Abertura de Pista
 
Aula de Abertura de Vala
Aula de Abertura de ValaAula de Abertura de Vala
Aula de Abertura de Vala
 
Descendo a bgft
Descendo a bgftDescendo a bgft
Descendo a bgft
 
Concreto para dutos terrestres
Concreto para dutos terrestresConcreto para dutos terrestres
Concreto para dutos terrestres
 
Máquinas e equipamentos de mineração
Máquinas e equipamentos de mineraçãoMáquinas e equipamentos de mineração
Máquinas e equipamentos de mineração
 
Tubulões a céu aberto
Tubulões a céu abertoTubulões a céu aberto
Tubulões a céu aberto
 

Destaque

1.5 "Environmental Concern and QA/QC in Shale Gas Drilling and Fracturing" - ...
1.5 "Environmental Concern and QA/QC in Shale Gas Drilling and Fracturing" - ...1.5 "Environmental Concern and QA/QC in Shale Gas Drilling and Fracturing" - ...
1.5 "Environmental Concern and QA/QC in Shale Gas Drilling and Fracturing" - ...
Pomcert
 
Aulas de instalaçoes submarinas
Aulas de instalaçoes submarinasAulas de instalaçoes submarinas
Aulas de instalaçoes submarinas
Sydney Dias
 
Fagan, a. an introduction to the petroleum industry
Fagan, a.   an introduction to the petroleum industryFagan, a.   an introduction to the petroleum industry
Fagan, a. an introduction to the petroleum industry
Cesar Bardales Alvarado
 
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação,  armazenagem e transporte de petróleApostila separação,  armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
Jhurengo Margon
 
Petróleo e gás natural - 10º D
Petróleo  e gás natural - 10º DPetróleo  e gás natural - 10º D
Petróleo e gás natural - 10º D
Física Química A
 

Destaque (20)

Geopolítica do petróleo uenf
Geopolítica do petróleo uenfGeopolítica do petróleo uenf
Geopolítica do petróleo uenf
 
1.5 "Environmental Concern and QA/QC in Shale Gas Drilling and Fracturing" - ...
1.5 "Environmental Concern and QA/QC in Shale Gas Drilling and Fracturing" - ...1.5 "Environmental Concern and QA/QC in Shale Gas Drilling and Fracturing" - ...
1.5 "Environmental Concern and QA/QC in Shale Gas Drilling and Fracturing" - ...
 
Geopolítica do Petróleo UENF - 30 AGO 2016
Geopolítica do Petróleo UENF - 30 AGO 2016Geopolítica do Petróleo UENF - 30 AGO 2016
Geopolítica do Petróleo UENF - 30 AGO 2016
 
Debate O xisto, a geopolítica energética e a sustentabilidade, 17/5/2013 - Ap...
Debate O xisto, a geopolítica energética e a sustentabilidade, 17/5/2013 - Ap...Debate O xisto, a geopolítica energética e a sustentabilidade, 17/5/2013 - Ap...
Debate O xisto, a geopolítica energética e a sustentabilidade, 17/5/2013 - Ap...
 
Plano Estratégico do Porto de Aveiro – Sumário executivo
Plano Estratégico do Porto de Aveiro – Sumário executivoPlano Estratégico do Porto de Aveiro – Sumário executivo
Plano Estratégico do Porto de Aveiro – Sumário executivo
 
Geopolítica do petróleo - Perspectivas Econômicas na Indústria Petrolífera
Geopolítica do petróleo - Perspectivas Econômicas na Indústria PetrolíferaGeopolítica do petróleo - Perspectivas Econômicas na Indústria Petrolífera
Geopolítica do petróleo - Perspectivas Econômicas na Indústria Petrolífera
 
Aula 02 - Atividades logisiticas e Modais de Transporte de P&G
Aula 02 - Atividades logisiticas e Modais de Transporte de P&GAula 02 - Atividades logisiticas e Modais de Transporte de P&G
Aula 02 - Atividades logisiticas e Modais de Transporte de P&G
 
Aulas de instalaçoes submarinas
Aulas de instalaçoes submarinasAulas de instalaçoes submarinas
Aulas de instalaçoes submarinas
 
Apostila de brocas
Apostila de brocasApostila de brocas
Apostila de brocas
 
Fagan, a. an introduction to the petroleum industry
Fagan, a.   an introduction to the petroleum industryFagan, a.   an introduction to the petroleum industry
Fagan, a. an introduction to the petroleum industry
 
Logistica do Petroleo - Aula 01
Logistica do Petroleo - Aula 01Logistica do Petroleo - Aula 01
Logistica do Petroleo - Aula 01
 
Inglês Técnico - Equipamentos de uma sonda de perfuração
Inglês Técnico - Equipamentos de uma sonda de perfuraçãoInglês Técnico - Equipamentos de uma sonda de perfuração
Inglês Técnico - Equipamentos de uma sonda de perfuração
 
Apresentacao institucional reduzida 6 slides
Apresentacao institucional reduzida 6 slidesApresentacao institucional reduzida 6 slides
Apresentacao institucional reduzida 6 slides
 
18 aula brocas
18 aula brocas18 aula brocas
18 aula brocas
 
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação,  armazenagem e transporte de petróleApostila separação,  armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
 
Logística do Petróleo
Logística do PetróleoLogística do Petróleo
Logística do Petróleo
 
Aula 3 logística do petróleo - transporte
Aula 3   logística do petróleo - transporteAula 3   logística do petróleo - transporte
Aula 3 logística do petróleo - transporte
 
16176745 drilling-rig-operations-a-to-z-rotary-drilling-rig-components
16176745 drilling-rig-operations-a-to-z-rotary-drilling-rig-components16176745 drilling-rig-operations-a-to-z-rotary-drilling-rig-components
16176745 drilling-rig-operations-a-to-z-rotary-drilling-rig-components
 
Petróleo e gás natural - 10º D
Petróleo  e gás natural - 10º DPetróleo  e gás natural - 10º D
Petróleo e gás natural - 10º D
 
Occupational hazards
Occupational hazardsOccupational hazards
Occupational hazards
 

Semelhante a Gestao de Petroleo e Gás - Amigos do Brasil

Aula escavacao rocha xerox
Aula escavacao rocha xeroxAula escavacao rocha xerox
Aula escavacao rocha xerox
Ely Barros
 
FUNDAÇÕES - TEORIA E PRÁTICA - PRIMEIRO MODULO.pptx
FUNDAÇÕES - TEORIA E PRÁTICA - PRIMEIRO MODULO.pptxFUNDAÇÕES - TEORIA E PRÁTICA - PRIMEIRO MODULO.pptx
FUNDAÇÕES - TEORIA E PRÁTICA - PRIMEIRO MODULO.pptx
AnaMachado812307
 
Aula escavacao rocha xerox
Aula escavacao rocha xeroxAula escavacao rocha xerox
Aula escavacao rocha xerox
Matheus Alves
 
Gb2011 flavio d’alambert_projeto alpha
Gb2011 flavio d’alambert_projeto alphaGb2011 flavio d’alambert_projeto alpha
Gb2011 flavio d’alambert_projeto alpha
Galvabrasil
 
Estudos topográficos introdução, conceitos e aplicações
Estudos topográficos   introdução, conceitos e aplicaçõesEstudos topográficos   introdução, conceitos e aplicações
Estudos topográficos introdução, conceitos e aplicações
Ricardo Neves
 
Seminário stab 2013 agrícola - 18. atividades do fundo de tecnologia sindaç...
Seminário stab 2013   agrícola - 18. atividades do fundo de tecnologia sindaç...Seminário stab 2013   agrícola - 18. atividades do fundo de tecnologia sindaç...
Seminário stab 2013 agrícola - 18. atividades do fundo de tecnologia sindaç...
STAB Setentrional
 

Semelhante a Gestao de Petroleo e Gás - Amigos do Brasil (20)

PedroDuarte_AguasPenacova.pdf
PedroDuarte_AguasPenacova.pdfPedroDuarte_AguasPenacova.pdf
PedroDuarte_AguasPenacova.pdf
 
Aula captação adutoras.rev
Aula captação adutoras.revAula captação adutoras.rev
Aula captação adutoras.rev
 
A geotecnia do Pré-Sal
A geotecnia do Pré-SalA geotecnia do Pré-Sal
A geotecnia do Pré-Sal
 
Bacia do Espírito Santo
Bacia do Espírito SantoBacia do Espírito Santo
Bacia do Espírito Santo
 
Aula 4 sedimentacao
Aula 4   sedimentacaoAula 4   sedimentacao
Aula 4 sedimentacao
 
Sedimentação
SedimentaçãoSedimentação
Sedimentação
 
Aula escavacao rocha xerox
Aula escavacao rocha xeroxAula escavacao rocha xerox
Aula escavacao rocha xerox
 
NAV DOPPLER
NAV DOPPLERNAV DOPPLER
NAV DOPPLER
 
Aula escolha do tipo de fundação - slides
Aula   escolha do tipo de  fundação - slidesAula   escolha do tipo de  fundação - slides
Aula escolha do tipo de fundação - slides
 
Aula 4 sedimentacao
Aula 4   sedimentacaoAula 4   sedimentacao
Aula 4 sedimentacao
 
Aula-Perfuração.ppt
Aula-Perfuração.pptAula-Perfuração.ppt
Aula-Perfuração.ppt
 
FUNDAÇÕES - TEORIA E PRÁTICA - PRIMEIRO MODULO.pptx
FUNDAÇÕES - TEORIA E PRÁTICA - PRIMEIRO MODULO.pptxFUNDAÇÕES - TEORIA E PRÁTICA - PRIMEIRO MODULO.pptx
FUNDAÇÕES - TEORIA E PRÁTICA - PRIMEIRO MODULO.pptx
 
Aula escavacao rocha xerox
Aula escavacao rocha xeroxAula escavacao rocha xerox
Aula escavacao rocha xerox
 
Aula pre sal 4 perfuração de poços
Aula pre sal 4 perfuração de poçosAula pre sal 4 perfuração de poços
Aula pre sal 4 perfuração de poços
 
Bacia Potiguar
Bacia PotiguarBacia Potiguar
Bacia Potiguar
 
Vortex
VortexVortex
Vortex
 
Gb2011 flavio d’alambert_projeto alpha
Gb2011 flavio d’alambert_projeto alphaGb2011 flavio d’alambert_projeto alpha
Gb2011 flavio d’alambert_projeto alpha
 
Estudos topográficos introdução, conceitos e aplicações
Estudos topográficos   introdução, conceitos e aplicaçõesEstudos topográficos   introdução, conceitos e aplicações
Estudos topográficos introdução, conceitos e aplicações
 
Seminário stab 2013 agrícola - 18. atividades do fundo de tecnologia sindaç...
Seminário stab 2013   agrícola - 18. atividades do fundo de tecnologia sindaç...Seminário stab 2013   agrícola - 18. atividades do fundo de tecnologia sindaç...
Seminário stab 2013 agrícola - 18. atividades do fundo de tecnologia sindaç...
 
Estacas
EstacasEstacas
Estacas
 

Mais de Josimar Nunes

GLobalização: O global e o regional, uma interação entre os meios
GLobalização: O global e o regional, uma interação entre os meiosGLobalização: O global e o regional, uma interação entre os meios
GLobalização: O global e o regional, uma interação entre os meios
Josimar Nunes
 
Fases do trabalho estatístico
Fases do trabalho estatísticoFases do trabalho estatístico
Fases do trabalho estatístico
Josimar Nunes
 

Mais de Josimar Nunes (12)

Professor da UFES é afastado
Professor da UFES é afastadoProfessor da UFES é afastado
Professor da UFES é afastado
 
Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina - Aníbal Quijano
Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina - Aníbal QuijanoColonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina - Aníbal Quijano
Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina - Aníbal Quijano
 
DINÂMICAS DO RELEVO: AGENTES MODELADORES
DINÂMICAS DO RELEVO:  AGENTES MODELADORESDINÂMICAS DO RELEVO:  AGENTES MODELADORES
DINÂMICAS DO RELEVO: AGENTES MODELADORES
 
Casos de Racismo no início da copa 2014
Casos de Racismo no início da copa 2014Casos de Racismo no início da copa 2014
Casos de Racismo no início da copa 2014
 
Europa: Geopolitica, Geofísica e Geoeconomia
Europa: Geopolitica, Geofísica e GeoeconomiaEuropa: Geopolitica, Geofísica e Geoeconomia
Europa: Geopolitica, Geofísica e Geoeconomia
 
Geografia no ensino básico: questões e propostas
Geografia no ensino básico: questões e propostasGeografia no ensino básico: questões e propostas
Geografia no ensino básico: questões e propostas
 
GLobalização: O global e o regional, uma interação entre os meios
GLobalização: O global e o regional, uma interação entre os meiosGLobalização: O global e o regional, uma interação entre os meios
GLobalização: O global e o regional, uma interação entre os meios
 
Politicas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociais
Politicas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociaisPoliticas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociais
Politicas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociais
 
Apostila Básica de Word
Apostila Básica de WordApostila Básica de Word
Apostila Básica de Word
 
Fases do trabalho estatístico
Fases do trabalho estatísticoFases do trabalho estatístico
Fases do trabalho estatístico
 
Gabarito, edital e Prova Completa CESAN PC2005
 Gabarito, edital e Prova Completa CESAN PC2005 Gabarito, edital e Prova Completa CESAN PC2005
Gabarito, edital e Prova Completa CESAN PC2005
 
Petroleo
PetroleoPetroleo
Petroleo
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 

Último (20)

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 

Gestao de Petroleo e Gás - Amigos do Brasil