Transporte no xilema

1.944 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.944
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
66
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Transporte no xilema

  1. 1. O TRANSPORTE NAS PLANTAS
  2. 2. Movimento da água e de solutos na raiz A Absorção de água e sais minerais ocorre ao nível das células epidérmicas da raiz e dos pêlos radiculares (aumentam a superfície de contacto com o solo capacidade de absorção)
  3. 3. Movimento da água e de solutos na raiz O meio intracelular das células da raiz é hipertónico relativamente ao meio exterior, logo a água tende a entrar na planta por osmose. A maioria dos sais minerais na raiz movimenta-se por transporte activo.
  4. 4. Passagem da solução, pelas sucessivas camadas da raiz até chegar aos vasos xilémicos Seiva Bruta ou Xilémica. Uma vez no interior do xilema, as substâncias dissolvidas na água ascendem até às folhas, por transporte passivo.
  5. 5. O percurso seguido pela água e solutos absorvidos pelas raízes até ao xilema, ainda não é totalmente conhecido, mas considera-se que existam 2 vias:  por via simplasto  por via apoplasto.
  6. 6. - O movimento ascendente da seiva xilémica para a parte superior da planta é bastante rápido e pode alcançar elevadas alturas. Actualmente existem duas hipóteses para explicar o movimento unidireccional da água no xilema desde a raiz até às folhas: •Hipótese da pressão radicular •Hipótese da Tensão-Coesão-Adesão
  7. 7. Resulta da diferença de concentração existente entre a solução do solo (muito diluída) e a seiva bruta (mais concentrada).
  8. 8. A pressão radicular é responsável pela exsudação de seiva xilémica em ramos de árvores recentemente cortadas e pela gutação (perda de água através da superfície da folha, que ocorre quando elevada). a pressão radicular é muito
  9. 9. Razões que não permitem que a pressão radicular não seja o mecanismo mais importante de transporte nas plantas: - Existem espécies em que o fenómeno nunca foi observado; - A grandeza de pressão desenvolvida nem sempre é suficiente para forçar a subida de água até às partes cimeiras das plantas relativamente pequenas); (excepto nas espécies
  10. 10. Razões que não permitem que a pressão radicular não seja o mecanismo mais importante de transporte nas plantas: - As pressões radiculares são, normalmente, pouco significativas nas regiões temperadas no Verão (a transpiração é muito rápida); - A taxa do movimento de água, resultante da pressão radicular que ocorre na maioria das espécies, não é suficiente para compensar as taxas de transpiração.
  11. 11. Teoria da Tensão - Coesão – Adesão A quantidade de vapor de água que sai das folhas, por transpiração, causa forças de Tensão na parte superior da planta, o que provoca a ascensão da água. As moléculas de água que saem das células das folhas são substituídas por novas moléculas de água no xilema da raiz. As propriedades de Coesão e de Adesão entre as moléculas de água, permitem formar colunas verticais de água, desde a raiz até às folhas (sentido ascendente), atingindo distâncias mais ou menos longas.
  12. 12. Coesão e Adesão entre as moléculas de água
  13. 13. Teoria da Tensão-Coesão-Adesão Tensão – é a força a que está submetida a coluna de água existente nos vasos xilémicos e é provocada pela transpiração, sendo manifestada como uma diferença de pressão osmótica. Coesão – é a força que mantém unidas as moléculas de água entre si através das pontes de hidrogénio. Adesão – é a força que atrai as moléculas de água às paredes dos elementos do vaso e que é acentuada pelo facto do lúmen dos vasos ser diminuto, o que é visualizado pelo efeito de capilaridade, para o qual contribui também a coesão.
  14. 14. ESTOMAS  Controlam a quantidade de CO2 que entra e de O2 que sai na planta.  Controlam a quantidade de H2O que se evapora pelas folhas, no processo de transpiração. Transpiração é a perda de água, nas plantas, sob a forma de vapor.
  15. 15. Factores que influenciam a transpiração: 1. Radiação solar 2. Temperatura do ar 3. Humidade 4. Vento 5. Conteúdo de água no solo 6. Concentração interna em CO2 A taxa de transpiração depende de factores intrínsecos e extrínsecos. FACTORES INTRÍNSECOS FACTORES EXTRÍNSECOS - Relacionados com as características das - Relacionados com o meio ambiente, folhas e das epidermes cutinizadas, como como por exemplo: a temperatura, a por exemplo, com o número de estomas, humidade, a intensidade da luz, etc... o espaço entre as células do mesófilo, a impermeabilidade da cutícula.
  16. 16. Movimento unidireccional da água no XILEMA Hipótese da Pressão Radicular A ascensão de água no xilema pode ser explicada pela existência de uma pressão exercida no xilema ao nível da raiz – pressão radicular. A entrada de sais nas células da raiz, por transporte activo, conduz a um aumento da sua concentração no meio intracelular. Este aumento provoca o movimento da água para o interior das células, gerando-se uma pressão que força a água a subir nos vasos xilémicos. - Os fenómenos de gutação e de exsudação caulinar constituem evidências deste processo. - A medição dos baixos valores desta pressão radicular e a sua inexistência em algumas plantas não permitem a aceitação deste fenómeno como causa fundamental do movimento de água no xilema. X Hipótese da Tensão- coesão - adesão Tensão – força resultante da transpiração, isto é, perda de água por evaporação resultante da exposição das folhas ao calor; Coesão – força que mantém unidas as moléculas de água; Adesão – força que atrai as moléculas de água às paredes do xilema.
  17. 17. Abril 2008

×