SlideShare uma empresa Scribd logo
Cap. XIV
Simbiose Espiritual
Cap. XV
Vampirismo Espiritual
Cap. XIII
Alma e Fluidos
Cap. XVI
Mecanismos Da Mente
A consciência que aprendera
a realizar complexas
transubstanciações de força
nas diversas linhas da
Natureza, em se adaptando
aos continentes da esfera
extrafísica, passa a
manobrar com os
fenômenos de mentação e
reflexão, de que o
pensamento é a base
fundamental
FLUIDO
Um corpo, cujas moléculas cedem invariavelmente à mínima pressão,
movendo-se entre si, quando retidas por um agente de contenção, ou
separando-se, quando entregues a si mesmas
▪ Fluidos Líquidos
▪ Fluidos Elásticos ou aeriformes
▪ Fluidos imponderáveis (Agentes dos fenômenos luminosos e caloríficos)
Subprodutos do FCU
Da alma do homem desencarnado nasce
um fluido vivo(Plasma mental), de
variadas formas, ardente, permanente...
Esse fluido... é seu próprio pensamento
contínuo, gerando potenciais energéticos
com que não havia sonhado
Subproduto do FCU – absorvido pela mente em processo
semelhante à respiração, a criatura assimila a força do Criador e
emana pelo Cosmo, transformando-a sob a própria
responsabilidade para influenciar na Criação.
➢Na nova esfera de ação encontra a
matéria conhecida no mundo, em
nova escala vibratória
➢Elementos atômicos mais
complicados e mais sutis
Através do perispírito ele não notará
diferença no mundo espiritual
relativamente ao mundo material,
pois o que há é adequação de
densidade e por conseqüência, de
percepções, num e noutro.
Leis da gravitação são as mesmas.
Dias e noites marcam a passagem do tempo
Estações do ano menos rigorosas e mais uniformes
Plantas e animais podem ser aclimatados e
aprimorados para que, regressando ao solo terrestre,
avançem na romagem evolutiva promovendo
mutações espontâneas
Plantas- configuração celular mais simples – reprodução
limitada no plano extra-físico
➢O mundo espiritual que orbita envolvendo a Terra é de
dimensões fantásticas e lá são encontrados núcleos de Espíritos
vivendo em condições de maior ou menor facilidade, segundo o
mérito de cada um.
➢Naquelas imensas paragens encontraremos também Espíritos
vivenciando condições infernais, evitando e detestando a luz,
buscando refúgio nas sombras...
Imediatamente
após o Plano físico
o Plano espiritual
está subdividido
em várias esferas.
Planos
ascendentes com
densidade moral
diferente
Das Esferas mais
densas às mais
elevadas –
Psicofesra
terrestre Da barisfera à
ionosfera
há múltiplas
camadas
Os continentes
flutuam sobre
massa basáltica de
espessura média
de 50 Km
“É nesse novo Plano, a dividir-
se em váriados setores de ação
e de luta, que a consciência
desencarnada, agora
relativamente responsável, vai
conhecer o resultado de suas
próprias criações na passagem
pelo campo carnal, através dos
reflexos respectivos em seu
pensamento”
O pensamento de cada Espírito é o
passaporte para a esfera espiritual à qual
aportará, ao desencarnar
Cada ser associa no cérebro o centro
coronário e o centro cerebral, os quais agem
sincrônicos e sintonizados
O centro coronário, pela mente, projeta a
forma espiritual e é responsável por grande
parte da administração da vida espiritual
O centro cerebral responde no córtex
encefálico pelo controle de sensações e
impressões da vida física
O pensamento
Fluindo da mente e impressionado
por secreções sutis, imprime ao
Espírito um halo
psíquico,denominado psicosfera
individual.
Esse halo é a resultante energética
da somatória dos pensamentos e
ações de cada ser, pode operar
maravilhosas combinações entre si,
com aplicação para determinados
fins
Tanto quanto o átomo é força viva,
embora sem ação própria, a matéria
mental que se derrama do Espírito,
formada de partículas de variadas
intensidades energéticas pode ter boa
ou má aplicação
A partícula do pensamento é
semelhante ao átomo, é pelo
sentimento do bem ou do mal que se
converte em raio da emoção ou raio
do desejo, ambos força criadora
A forma-pensamento dirigida contra
alguém pode ser igual a um torpedo
ou, ao contrário, a prece em favor dos
sofredores pode aliviar dores
Foi por esse mecanismo que , desde as
primeiras Eras da civilização as Mentes
Benfeitoras inspiraram os primeiros
homens a melhor forma de progredir
física e espiritualmente
• Berço da
Evolução
Plano Físico
• Aprimora
Plano
Extrafísico • Multiplica as
experiências
Reencarnação
• Subtrai as
parcelas inúteis
ao progresso do
Espírito
Desencarnação
Lenta evolução dos mecanismos de consolidação fluídica:
“Consolidada a incessante eclosão do fluido mental entre as duas
esferas, começa para o homem novo ciclo de cultura.”
Possibilidade da mente paleolítica
receber idéias renovadoras do Alto
o que propicia a
Inteligência Artesanal e a
instalação, no mundo, da indústria
do utensílio fundamental para a
evolução humana
“É pelo fluido mental com qualidades
magnéticas de indução que o
progresso se faz notavelmente
acelerado.”
“Pela troca de pensamentos de
cultura e beleza, descem das Esferas
Superiores e impressionaram a mente
do homem, renovando-lhe o corpo
espiritual e refletir-se no veículo físico
que, gradativamente, se acomoda a
novos hábitos.”
Com a difusão do plasma criador
oriundo da mente, em circuitos
contínuos, consolida-se a reflexão
avançada entre o céu e a Terra, e
os fluidos atuantes, no reino da
alma, imprimem radicais
transformações no veículo
fisiopsicossomático, associando e
desassociando civilizações para
construi-las de novo, em que o
homem, herdeiro da animalidade
instintiva, continua, até hoje, no
trabalho progressivo de sua própria
elevação aos verdadeiros atributos
da humanidade.”
SIMBIOSE
Relação vantajosa de pelo menos um dos
organismos vivos de espécies diferentes.
Na relação simbiótica, os organismos agem
ativamente não podendo ser separados um
do outro, o que causaria a morte de ambos.
O princípio inteligente,
na condição de
consciência humana
desencarnada, começa a
buscar novos meios de
exteriorização, em favor
do sustento próprio:
No mundo das plantas aprendeu a
fotossíntese absorvendo energia
luminosa para elaborar matérias
orgânicas
No mundo das bactérias aprendeu a
quimiossíntese aproveitando a
energia química haurida na
oxidação de corpos minerais
Entre os seres superiores consagrou-
se à biossíntese- novo câmbio de
substâncias
Já humano, o P.I. haure energias dos alimentos (anabolismo),
transformando-as em substâncias orgânicas. E assim garante a
permanente renovação celular e os reguladores orgânicos
• Detentor do pensamento contínuo inicia o processo
de mentossíntese: troca (emissão e recepção) de
fluidos mentais multiformes, emitindo as próprias
idéias e assimilando as idéias alheias
Mentossíntese
• Resultado: o que antes era anseio sexual com
desejo de posse agora se afigura como busca de
vivência afetiva constante.
Vivência afetiva
• As vidas sucessivas causam-lhe revolta pela
perda dos afins, aos quais busca fixar-se
Morte
“Arrebatado aos que mais ama e
ainda incapaz de entender a
transformação da paisagem
doméstica de que foi alijado,
revolta-se comumente contra as
novas lições da vida a que é
convocado, em plano diferente, e
permanece fluidicamente
algemado aos que se lhe afinam
com o sangue e com os desejos,
comungando-se a experiência
vulgar.”
M.L- Caso Ester e família - Vampirismo
recíproco – apego
Úteis Exploradoras
Microrganismos se albergam
no trato intestinal dos seus
hospedadores, apropriando-se
dos sucos nutritivos, mas
gerando substâncias úteis à
existência dos anfitriões.
Associação parasitária na qual
uma das partes, cria para si
mesma vantagens especiais,
com prejuízo para a outra, que
passa, em seguida, à condição
de vítima.
“A alma amedrontada diante da
morte vale-se da receptividade dos
que lhe choram a perda e demora-se
colada aos que mais ama”
Pode servir de proteção contra o
assalto de Espíritos ainda mais
deprimentes
Pode impedir o progresso que lhes
garantiria a renovação
Simbioses podem causar moléstias nervosas complexas:
Hístero-epilepsia e psiconeuroses
“Entidades espirituais vivem
entrosadas psiquicamente com
seus hospedeiros.
Atuam sobre o chacra coronário
do encarnado impondo-lhe a
substância dos próprios
pensamentos, que a vítima
utiliza normalmente como se
fossem seus próprios”
NDM – Caso Américo
O desencarnado, se mais sábio do que o
encarnado, que subjuga mentalmente, e do qual
furta energias, por temor ou inadaptação ao
Mundo Espiritual, e mais por egoísmo, pode
inspirá-lo a atividade progressiva que resulta em
benefício do meio a que se vincula
Vampirismo Espiritual o desencarnado que
cristaliza na mente o ódio contra a vítima
(encarnada) inocula nesta fluidos letais podendo
levar à morte
Entre a Terra e o Céu- Odila e Zulmira
“As raízes do problema prendem-se a própria
evolução do Princípio Inteligente que no
pretérito aprendeu, automaticamente, a
respirar e a viver, justaposto ao hausto e ao
calor alheios”
“Toda forma de vampirismo está vinculada à
mente deficitária, ociosa ou inerte, que se
rende às sugestões inferiores que a exploram
sem defensiva”
» Toda simbiose exploradora de longo curso,
principalmente a que se verifica no campo
interno, resulta de adaptação progressiva entre
o hospedador e o parasita, reagindo um sobre o
outro;
» Lentamente “acomodam-se” na sociedade em
que persistem (“acordo de tolerância”), sem
que o hospedador considere os riscos e perdas
a que se expõe, comprometendo não apenas a
própria vida, mas a existência da própria
espécie, interferindo nos princípios da
hereditariedade.
Temporária
Invasões periódicas. Ex.: Sanguessugas, insetos, etc.
Heteroxênica
Agem em hospedeiros intermediários até atingirem a forma
adulta no hospedeiro definitivo. Ex.:Tripanossoma Cruzi
Hiperparasitismo
Parasitas de outros parasitas.
Ocasional ou Pseudoparasitas
Surgindo oportunidade agem como parasitas.
Ex.: Morcegos
Permanente
Alojam-se em um hospedeiro exclusivo ao qual se ajustam
por laços indissolúveis. Ex.: Alguns vermes.
O parasitismo entre os animais não decorre de
uma condição natural, mas sim de uma
AUTÊNTICA ADAPTAÇÃO deles a modo particular
de comportamento.
Neste regime de adaptação experimenta
mutações de vulto – se exprime pelas alterações
na forma:
Ex: Degeneração do aparelho digestivo – nutrição
por osmose (perda dos intestinos/ orgãos bucais)
Fora do organismo – encistam-se, tempos
prolongados de sobrevivência.
Ex: Percevejo do leito- podem viver mais de 6
meses em completo jejum
Se os parasitas podem acusar expressivas
transformações, à face do novo regime de existência
a que se afeiçoam, os resultados de tais associações
sobre o hospedeiro são mais profundos, porque os
assaltantes, depois de instalados, se multiplicam,
ameaçadores, estabelecendo espoliações sobre as
províncias orgânicas da vítima, sugando-lhe a
vitalidade, traumatizando-lhe os tecidos, provocando
lesões parciais ou totais, com que, algumas vezes,
lhe apressam a morte.
Encarnados e
Desencarnados
Em processos
diferentes, mas
atendendo aos mesmos
princípios de simbiose
prejudicial,
encontramos os
circuitos de obsessão e
vampirismo entre:
RETRIBUEM
Golpe a golpe Mal a mal
DIANTE DA IMPOSSIBILIDADE DO PERDÃO
Que as dispensaria da cadeia de trevas Empenham-se em lutas atrozes
VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA, BRUTALIDADE, PERSEGUIÇÃO DISFARÇADA
Entram na faixa mental do ofensor
(encarnado)
Conhecem-lhe a enormidade das
faltas *
Justapõe-se à
aura das
criaturas que
lhes oferecem
passividade
criam doenças
fantasmas e
doenças reais
(ETC- Odila e Zulmira)
No Vampirismo espiritual os desencarnados sugam a
vitalidade dos encarnados, podendo determinar nos
hospedeiros doenças variadas e até mesmo a morte
prematura
Segregam (endoparasitas) produtos, dentro do quimismo
próprio, derramando-os sobre os pontos vulneráveis de suas
vítimas alterando-lhes o psiquismo (NDM- Caso do menino no corpo resgate)
Podem absorver (ectoparasitas), como mosquitos e ácaros,
emanações dos encarnados que se lhe afinam
Formas mentais monstruosas introduzidas pelos desencarnados
movidos por vingança
Os encarnados também produzem larvas mentais
que são vampirizadas pelos desencarnados.
A infecção fluídica é uma via de mão dupla
São fetos ou amebas mentais,
mobilizáveis por entidades perversas
ESFERAS
OVÓIDES
Espíritos que
perdem a forma
humana de
apresentação do
seu perispírito.
MONOIDEÍSMO
Resultam de idéia
fixa de vingança
ou apego, os
desencarnados
repetem
infinitamente
essas imagens e
acabam
transformando a
morfologia do
psicossoma.
PSICOSSOMA
Por falta de
função, os órgãos
do psicossoma
retraem surgindo
a forma ovóide.
➢ 1885: publicação do livro “O Espiritismo”
➢ Fenômenos espíritas são todos produzidos pela mente
➢ Explicação toda baseada nos conceitos do inconsciente
➢ Fenômenos ocorrem sem a interferência de desencarnados
Quando a decomposição do corpo
material não basta para consumar o
resgate, vítima e verdugo permanecem em
dolorosos painéis infernais até que
Misericórdia Divina promove a
reencarnação daquele Espírito.
➢ Criador do termo ANIMISMO
➢ Resposta ao livro “O Espiritismo” de Eduard von Hartmann
➢ 1890: Animismo e Espiritismo (2 volumes)
A gravidez decorrente trará enorme desconforto para
tal gestante. A criança que irá nascer padecerá, da
meninice à fase adulta, a influência do vingador até
que, venha a ser pai dele, obtendo assim, ambos,
sublime oportunidade de aparar as doloridas arestas
do passado.
Nesse processo, sendo muitos os vingadores
desencarnados, alguns deles poderão parasitar os
filhos e afins de quem odeiam, utilizando-os como
hospedeiros intermediários ( parasitas
heteroxênicos), infernizando, assim, os pais
( hospedeiros definitivos) podendo isso prosseguir
até a morte.
Assim como, há tratamento para parasitismo no mundo
orgânico, qualquer criatura encontra, NA APLICAÇÃO
VIVA DO BEM, eficiente remédio contra o parasitismo
da alma
Ninguém necessita aguardar
reencarnações futuras,
entretecidas de dor, em ligações
expiatórias, para diligenciar a paz
com os inimigos trazidos do
pretérito, porque, pelo
devotamento ao próximo e pela
humildade realmente praticada e
sentida, é possível atrair
simpatias valiosas, com
intervenções providenciais, em
nosso favor.
Para que o Espírito possa
cumprir a programação que
lhe está reservada no mundo
físico e que vai impulsionar a
sua evolução é necessário
que a correlação alma-corpo
se dê em harmonia.
O Espírito é o dirigente e o
corpo o instrumento que
obedece a sua direção
• Maioria dos
Espíritos
desencarnados
Alienação
mental*
• Entre a mente
e o veículo fisio-
psicossomático
Desarmonia • Retira de seu
próprio compor-
tamento o bem ou
o mal que, lançan-
do ao caminho,
impõe a si mesmo.
O Espírito
O sistema cerebral é o órgão centralizador e executor do
comando mental que parte do Espírito. A conduta do
corpo físico sofre os reflexos da conduta do corpo
espiritual que obedece ao comando do Espírito
Estes reflexos se operam por intermédio de feixes de
nervos, que funcionam como transmissores das ordens
do Espírito ao perispírito
Com a secção da medula ocorre interrupção dessa
transmissão, provocando o desligamento* das junções
fluídicas entre as regiões do perispírito, as partes do corpo
atingidas e o cérebro
Como se explica a insensibilidade provocada na partes do corpo
ligadas a nervos situados abaixo do corte ocorrido na medula?
Como se dá a recuperação dos reflexos prejudicados com a
interrupção do circuito nervoso?
A recuperação dos reflexos,
quando possível, se dá
gradativamente, através de
reajustamento organizado
instintivamente entre o Espírito
e o corpo.
O tempo que irá demorar essa
recuperação do paciente
dependerá do seu equilíbrio
fisiopsicossomático
Como o encéfalo influi nos processos de perda e recuperação dos
reflexos? Essa influência é igual em todos os seres?
A duração destas conseqüências é proporcional
ao grau de complexidade da encefalização de que
é dotado o organismo físico. Assim, a influência
do encéfalo é variável de ser para ser
Compreendendo-se que a
integração mente-corpo é cada
vez mais importante, à medida
em que se dilatam os valores
da encefalização,
reconheceremos que a
integração cortical é sempre
mais expressiva quão mais
amplo se faz o
desenvolvimento do sistema
nervoso
Quais as conseqüências da remoção do córtex encefálico?
Sendo diferente a influência do órgão encefálico na integração mente-corpo nas
diversas espécies animais e no homem, as conseqüências da sua eliminação
também é variável, conforme a espécie
Nos batráquios e os peixes, a remoção do córtex encefálico não interfere nos
reflexos nem em sua movimentação
Nas aves e no cão, as conseqüências são mais graves e traumáticas
No chimpanzé, como no homem, com organização encefálica mais complexa, a
extirpação do córtex pode levar à morte em pouco tempo
Quando parcial, acarreta modificações extensas e profundas no corpo físico
O córtex encefálico é responsável pelo
governo dos sentidos e das ações físicas do
ser, através da união centro cerebral do
perispírito ao centro coronário no corpo
físico.
Por meio de ligações energéticas com a
consciência, resultam as manifestações do
Espírito, governando os sentidos, os
automatismos e as sensações.
Através dos atos, pensamentos e
sentimentos que pratica, o Espírito define os
resultados dessas manifestações, refletidas
na saúde ou na enfermidade do corpo físico
Se a criatura encarnada pode cair em amnésia ou afasia
pela oclusão dos núcleos da memória ou da fala, sem
desequilíbrio integral da inteligência, a criatura
desencarnada pode arrojar-se a frustrações semelhantes,
sem perturbação total do pensamento, enquanto se
mantenha a distonia
Espírito
desencarnado
Contemplará tão
somente os
quadros terríficos
que lhe digam
respeito às culpas
contraídas.
Escutará
exclusivamente vozes
acusadoras que lhe
testemunhem os
compromissos
Recordará apenas
acontecimentos que se
lhe refiram aos
padecimentos morais
O pensamento , em
circuito viciado, age
coagulando ou
materializando
pesadelos.
Justapõe-se às
criaturas
desencarnadas e
estabelecem os
painéis apavorantes
em que a consciência
culpada expia
O pensamento é força criativa e aglutinante na criatura,
as imagens plasmadas pelo mal servem para a formação
das paisagens regenerativas em que a alma, alucinada
pelos remorsos, é detida na sua marcha, ilhando-se nas
consequências dos próprios delitos em lugares que se
transformam em continentes de angústia
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf

O homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a EvoluçãoO homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a Evolução
Ceile Bernardo
 
Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25
Candice Gunther
 
O poder do pensamento
O poder do pensamentoO poder do pensamento
O poder do pensamento
Francisco de Assis Alencar
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
jcevadro
 
Irradiação
IrradiaçãoIrradiação
Irradiação
Luciano Portilho
 
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptxCurso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
MarceloBorgesFigueir
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
Cynthia Castro
 
Liberdade responsabilidade e doenças mentais
Liberdade responsabilidade e doenças mentaisLiberdade responsabilidade e doenças mentais
Liberdade responsabilidade e doenças mentais
Ponte de Luz ASEC
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - perispirito i
( Espiritismo)   # - amag ramgis - perispirito i( Espiritismo)   # - amag ramgis - perispirito i
( Espiritismo) # - amag ramgis - perispirito i
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
Ceile Bernardo
 
Ave maria sugestão
Ave maria  sugestãoAve maria  sugestão
Ave maria sugestão
Fatoze
 
Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05
Leonardo Pereira
 
Desencarne
DesencarneDesencarne
Vibrações compensadas lar de amor
Vibrações compensadas   lar de amorVibrações compensadas   lar de amor
Vibrações compensadas lar de amor
Lorena Dias
 
Palestra de 22 agosto 2014 - A MORTE DÓI?
Palestra de 22 agosto 2014  - A MORTE DÓI?Palestra de 22 agosto 2014  - A MORTE DÓI?
Palestra de 22 agosto 2014 - A MORTE DÓI?
Lar Irmã Zarabatana
 
PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdfPENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
CleversonRoberto2
 
_CEEJA - Curso de Passe - Módulo II (1)_240409_233_240409_233815.pdf
_CEEJA - Curso de Passe - Módulo II (1)_240409_233_240409_233815.pdf_CEEJA - Curso de Passe - Módulo II (1)_240409_233_240409_233815.pdf
_CEEJA - Curso de Passe - Módulo II (1)_240409_233_240409_233815.pdf
VaniaQuintela2
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 09 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 09 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 09 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 09 doc
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
opoderdopensamento-160914205819.pdf
opoderdopensamento-160914205819.pdfopoderdopensamento-160914205819.pdf
opoderdopensamento-160914205819.pdf
DarcyPaschoal1
 
Larvas astrais ou formas
Larvas astrais ou formasLarvas astrais ou formas
Larvas astrais ou formas
Roberto Vallejo
 

Semelhante a EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf (20)

O homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a EvoluçãoO homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a Evolução
 
Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25Estudo do livro Roteiro, lição 25
Estudo do livro Roteiro, lição 25
 
O poder do pensamento
O poder do pensamentoO poder do pensamento
O poder do pensamento
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
 
Irradiação
IrradiaçãoIrradiação
Irradiação
 
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptxCurso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo II - Corpo Espiritual - 1...
 
Liberdade responsabilidade e doenças mentais
Liberdade responsabilidade e doenças mentaisLiberdade responsabilidade e doenças mentais
Liberdade responsabilidade e doenças mentais
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - perispirito i
( Espiritismo)   # - amag ramgis - perispirito i( Espiritismo)   # - amag ramgis - perispirito i
( Espiritismo) # - amag ramgis - perispirito i
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
 
Ave maria sugestão
Ave maria  sugestãoAve maria  sugestão
Ave maria sugestão
 
Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05
 
Desencarne
DesencarneDesencarne
Desencarne
 
Vibrações compensadas lar de amor
Vibrações compensadas   lar de amorVibrações compensadas   lar de amor
Vibrações compensadas lar de amor
 
Palestra de 22 agosto 2014 - A MORTE DÓI?
Palestra de 22 agosto 2014  - A MORTE DÓI?Palestra de 22 agosto 2014  - A MORTE DÓI?
Palestra de 22 agosto 2014 - A MORTE DÓI?
 
PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdfPENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
 
_CEEJA - Curso de Passe - Módulo II (1)_240409_233_240409_233815.pdf
_CEEJA - Curso de Passe - Módulo II (1)_240409_233_240409_233815.pdf_CEEJA - Curso de Passe - Módulo II (1)_240409_233_240409_233815.pdf
_CEEJA - Curso de Passe - Módulo II (1)_240409_233_240409_233815.pdf
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 09 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 09 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 09 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 09 doc
 
opoderdopensamento-160914205819.pdf
opoderdopensamento-160914205819.pdfopoderdopensamento-160914205819.pdf
opoderdopensamento-160914205819.pdf
 
Larvas astrais ou formas
Larvas astrais ou formasLarvas astrais ou formas
Larvas astrais ou formas
 

Mais de Francisco Baptista

Acautela-te a respeito de qualquer tipo de apego. Aprende a despojar-te de tu...
Acautela-te a respeito de qualquer tipo de apego. Aprende a despojar-te de tu...Acautela-te a respeito de qualquer tipo de apego. Aprende a despojar-te de tu...
Acautela-te a respeito de qualquer tipo de apego. Aprende a despojar-te de tu...
Francisco Baptista
 
Tentar tirar o foco de comportamentos nocivos, transferindo-o para hábitos sa...
Tentar tirar o foco de comportamentos nocivos, transferindo-o para hábitos sa...Tentar tirar o foco de comportamentos nocivos, transferindo-o para hábitos sa...
Tentar tirar o foco de comportamentos nocivos, transferindo-o para hábitos sa...
Francisco Baptista
 
O sexo como legado divino e o lar como refúgio santificante deixam clara a id...
O sexo como legado divino e o lar como refúgio santificante deixam clara a id...O sexo como legado divino e o lar como refúgio santificante deixam clara a id...
O sexo como legado divino e o lar como refúgio santificante deixam clara a id...
Francisco Baptista
 
O-Perdao-lei-de-Evolucao-e-Progresso-1-2048.pdf
O-Perdao-lei-de-Evolucao-e-Progresso-1-2048.pdfO-Perdao-lei-de-Evolucao-e-Progresso-1-2048.pdf
O-Perdao-lei-de-Evolucao-e-Progresso-1-2048.pdf
Francisco Baptista
 
Nascer-morrer-renascer-1-2048 (30 arquivos mesclados).pdf
Nascer-morrer-renascer-1-2048 (30 arquivos mesclados).pdfNascer-morrer-renascer-1-2048 (30 arquivos mesclados).pdf
Nascer-morrer-renascer-1-2048 (30 arquivos mesclados).pdf
Francisco Baptista
 
SETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS.pdf
SETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS.pdfSETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS.pdf
SETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS.pdf
Francisco Baptista
 
O amor-próprio é o caminho para a realização pessoal que, por sua vez, leva a...
O amor-próprio é o caminho para a realização pessoal que, por sua vez, leva a...O amor-próprio é o caminho para a realização pessoal que, por sua vez, leva a...
O amor-próprio é o caminho para a realização pessoal que, por sua vez, leva a...
Francisco Baptista
 
Maria Madalena, a figura mais difamada e incompreendida do cristianismo
Maria Madalena, a figura mais difamada e incompreendida do cristianismoMaria Madalena, a figura mais difamada e incompreendida do cristianismo
Maria Madalena, a figura mais difamada e incompreendida do cristianismo
Francisco Baptista
 
A ciência é capaz de comprovar a existência de Deus
A ciência é capaz de comprovar a existência de DeusA ciência é capaz de comprovar a existência de Deus
A ciência é capaz de comprovar a existência de Deus
Francisco Baptista
 
Somos hoje herdeiros positivos dos reflexos de nossas experiências de ontem,
Somos hoje herdeiros positivos dos reflexos de nossas experiências de ontem,Somos hoje herdeiros positivos dos reflexos de nossas experiências de ontem,
Somos hoje herdeiros positivos dos reflexos de nossas experiências de ontem,
Francisco Baptista
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Francisco Baptista
 
O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque,...
O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque,...O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque,...
O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque,...
Francisco Baptista
 
palavras_de_vida_eterna
  palavras_de_vida_eterna  palavras_de_vida_eterna
palavras_de_vida_eterna
Francisco Baptista
 
Fritjof capra-o-tao-da-fisisca
Fritjof capra-o-tao-da-fisiscaFritjof capra-o-tao-da-fisisca
Fritjof capra-o-tao-da-fisisca
Francisco Baptista
 
A forca espiritual jeronimo mendonca
A forca espiritual jeronimo mendoncaA forca espiritual jeronimo mendonca
A forca espiritual jeronimo mendonca
Francisco Baptista
 
A psicologia de c. g. jung um - jolande jacobi
A psicologia de c. g. jung   um - jolande jacobiA psicologia de c. g. jung   um - jolande jacobi
A psicologia de c. g. jung um - jolande jacobi
Francisco Baptista
 
A missao de jesus
A missao de jesusA missao de jesus
A missao de jesus
Francisco Baptista
 
Te encontrei a ti tagore
Te encontrei a ti tagoreTe encontrei a ti tagore
Te encontrei a ti tagore
Francisco Baptista
 
Solidao e jesus joanna de angelis
Solidao e jesus joanna de angelisSolidao e jesus joanna de angelis
Solidao e jesus joanna de angelis
Francisco Baptista
 
Prece de bezerra de menezes
Prece de bezerra de menezesPrece de bezerra de menezes
Prece de bezerra de menezes
Francisco Baptista
 

Mais de Francisco Baptista (20)

Acautela-te a respeito de qualquer tipo de apego. Aprende a despojar-te de tu...
Acautela-te a respeito de qualquer tipo de apego. Aprende a despojar-te de tu...Acautela-te a respeito de qualquer tipo de apego. Aprende a despojar-te de tu...
Acautela-te a respeito de qualquer tipo de apego. Aprende a despojar-te de tu...
 
Tentar tirar o foco de comportamentos nocivos, transferindo-o para hábitos sa...
Tentar tirar o foco de comportamentos nocivos, transferindo-o para hábitos sa...Tentar tirar o foco de comportamentos nocivos, transferindo-o para hábitos sa...
Tentar tirar o foco de comportamentos nocivos, transferindo-o para hábitos sa...
 
O sexo como legado divino e o lar como refúgio santificante deixam clara a id...
O sexo como legado divino e o lar como refúgio santificante deixam clara a id...O sexo como legado divino e o lar como refúgio santificante deixam clara a id...
O sexo como legado divino e o lar como refúgio santificante deixam clara a id...
 
O-Perdao-lei-de-Evolucao-e-Progresso-1-2048.pdf
O-Perdao-lei-de-Evolucao-e-Progresso-1-2048.pdfO-Perdao-lei-de-Evolucao-e-Progresso-1-2048.pdf
O-Perdao-lei-de-Evolucao-e-Progresso-1-2048.pdf
 
Nascer-morrer-renascer-1-2048 (30 arquivos mesclados).pdf
Nascer-morrer-renascer-1-2048 (30 arquivos mesclados).pdfNascer-morrer-renascer-1-2048 (30 arquivos mesclados).pdf
Nascer-morrer-renascer-1-2048 (30 arquivos mesclados).pdf
 
SETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS.pdf
SETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS.pdfSETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS.pdf
SETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS.pdf
 
O amor-próprio é o caminho para a realização pessoal que, por sua vez, leva a...
O amor-próprio é o caminho para a realização pessoal que, por sua vez, leva a...O amor-próprio é o caminho para a realização pessoal que, por sua vez, leva a...
O amor-próprio é o caminho para a realização pessoal que, por sua vez, leva a...
 
Maria Madalena, a figura mais difamada e incompreendida do cristianismo
Maria Madalena, a figura mais difamada e incompreendida do cristianismoMaria Madalena, a figura mais difamada e incompreendida do cristianismo
Maria Madalena, a figura mais difamada e incompreendida do cristianismo
 
A ciência é capaz de comprovar a existência de Deus
A ciência é capaz de comprovar a existência de DeusA ciência é capaz de comprovar a existência de Deus
A ciência é capaz de comprovar a existência de Deus
 
Somos hoje herdeiros positivos dos reflexos de nossas experiências de ontem,
Somos hoje herdeiros positivos dos reflexos de nossas experiências de ontem,Somos hoje herdeiros positivos dos reflexos de nossas experiências de ontem,
Somos hoje herdeiros positivos dos reflexos de nossas experiências de ontem,
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 
O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque,...
O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque,...O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque,...
O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque,...
 
palavras_de_vida_eterna
  palavras_de_vida_eterna  palavras_de_vida_eterna
palavras_de_vida_eterna
 
Fritjof capra-o-tao-da-fisisca
Fritjof capra-o-tao-da-fisiscaFritjof capra-o-tao-da-fisisca
Fritjof capra-o-tao-da-fisisca
 
A forca espiritual jeronimo mendonca
A forca espiritual jeronimo mendoncaA forca espiritual jeronimo mendonca
A forca espiritual jeronimo mendonca
 
A psicologia de c. g. jung um - jolande jacobi
A psicologia de c. g. jung   um - jolande jacobiA psicologia de c. g. jung   um - jolande jacobi
A psicologia de c. g. jung um - jolande jacobi
 
A missao de jesus
A missao de jesusA missao de jesus
A missao de jesus
 
Te encontrei a ti tagore
Te encontrei a ti tagoreTe encontrei a ti tagore
Te encontrei a ti tagore
 
Solidao e jesus joanna de angelis
Solidao e jesus joanna de angelisSolidao e jesus joanna de angelis
Solidao e jesus joanna de angelis
 
Prece de bezerra de menezes
Prece de bezerra de menezesPrece de bezerra de menezes
Prece de bezerra de menezes
 

Último

Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Janilson Noca
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
ESCRIBA DE CRISTO
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
ceciliafonseca16
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (16)

Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 

EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf

  • 1.
  • 2. Cap. XIV Simbiose Espiritual Cap. XV Vampirismo Espiritual Cap. XIII Alma e Fluidos Cap. XVI Mecanismos Da Mente
  • 3. A consciência que aprendera a realizar complexas transubstanciações de força nas diversas linhas da Natureza, em se adaptando aos continentes da esfera extrafísica, passa a manobrar com os fenômenos de mentação e reflexão, de que o pensamento é a base fundamental
  • 4. FLUIDO Um corpo, cujas moléculas cedem invariavelmente à mínima pressão, movendo-se entre si, quando retidas por um agente de contenção, ou separando-se, quando entregues a si mesmas ▪ Fluidos Líquidos ▪ Fluidos Elásticos ou aeriformes ▪ Fluidos imponderáveis (Agentes dos fenômenos luminosos e caloríficos) Subprodutos do FCU
  • 5. Da alma do homem desencarnado nasce um fluido vivo(Plasma mental), de variadas formas, ardente, permanente... Esse fluido... é seu próprio pensamento contínuo, gerando potenciais energéticos com que não havia sonhado Subproduto do FCU – absorvido pela mente em processo semelhante à respiração, a criatura assimila a força do Criador e emana pelo Cosmo, transformando-a sob a própria responsabilidade para influenciar na Criação.
  • 6. ➢Na nova esfera de ação encontra a matéria conhecida no mundo, em nova escala vibratória ➢Elementos atômicos mais complicados e mais sutis Através do perispírito ele não notará diferença no mundo espiritual relativamente ao mundo material, pois o que há é adequação de densidade e por conseqüência, de percepções, num e noutro.
  • 7. Leis da gravitação são as mesmas. Dias e noites marcam a passagem do tempo Estações do ano menos rigorosas e mais uniformes Plantas e animais podem ser aclimatados e aprimorados para que, regressando ao solo terrestre, avançem na romagem evolutiva promovendo mutações espontâneas Plantas- configuração celular mais simples – reprodução limitada no plano extra-físico
  • 8. ➢O mundo espiritual que orbita envolvendo a Terra é de dimensões fantásticas e lá são encontrados núcleos de Espíritos vivendo em condições de maior ou menor facilidade, segundo o mérito de cada um. ➢Naquelas imensas paragens encontraremos também Espíritos vivenciando condições infernais, evitando e detestando a luz, buscando refúgio nas sombras...
  • 9. Imediatamente após o Plano físico o Plano espiritual está subdividido em várias esferas. Planos ascendentes com densidade moral diferente Das Esferas mais densas às mais elevadas – Psicofesra terrestre Da barisfera à ionosfera há múltiplas camadas Os continentes flutuam sobre massa basáltica de espessura média de 50 Km
  • 10. “É nesse novo Plano, a dividir- se em váriados setores de ação e de luta, que a consciência desencarnada, agora relativamente responsável, vai conhecer o resultado de suas próprias criações na passagem pelo campo carnal, através dos reflexos respectivos em seu pensamento”
  • 11. O pensamento de cada Espírito é o passaporte para a esfera espiritual à qual aportará, ao desencarnar Cada ser associa no cérebro o centro coronário e o centro cerebral, os quais agem sincrônicos e sintonizados O centro coronário, pela mente, projeta a forma espiritual e é responsável por grande parte da administração da vida espiritual O centro cerebral responde no córtex encefálico pelo controle de sensações e impressões da vida física
  • 12. O pensamento Fluindo da mente e impressionado por secreções sutis, imprime ao Espírito um halo psíquico,denominado psicosfera individual. Esse halo é a resultante energética da somatória dos pensamentos e ações de cada ser, pode operar maravilhosas combinações entre si, com aplicação para determinados fins
  • 13. Tanto quanto o átomo é força viva, embora sem ação própria, a matéria mental que se derrama do Espírito, formada de partículas de variadas intensidades energéticas pode ter boa ou má aplicação A partícula do pensamento é semelhante ao átomo, é pelo sentimento do bem ou do mal que se converte em raio da emoção ou raio do desejo, ambos força criadora A forma-pensamento dirigida contra alguém pode ser igual a um torpedo ou, ao contrário, a prece em favor dos sofredores pode aliviar dores Foi por esse mecanismo que , desde as primeiras Eras da civilização as Mentes Benfeitoras inspiraram os primeiros homens a melhor forma de progredir física e espiritualmente
  • 14. • Berço da Evolução Plano Físico • Aprimora Plano Extrafísico • Multiplica as experiências Reencarnação • Subtrai as parcelas inúteis ao progresso do Espírito Desencarnação
  • 15. Lenta evolução dos mecanismos de consolidação fluídica: “Consolidada a incessante eclosão do fluido mental entre as duas esferas, começa para o homem novo ciclo de cultura.” Possibilidade da mente paleolítica receber idéias renovadoras do Alto o que propicia a Inteligência Artesanal e a instalação, no mundo, da indústria do utensílio fundamental para a evolução humana
  • 16. “É pelo fluido mental com qualidades magnéticas de indução que o progresso se faz notavelmente acelerado.” “Pela troca de pensamentos de cultura e beleza, descem das Esferas Superiores e impressionaram a mente do homem, renovando-lhe o corpo espiritual e refletir-se no veículo físico que, gradativamente, se acomoda a novos hábitos.”
  • 17. Com a difusão do plasma criador oriundo da mente, em circuitos contínuos, consolida-se a reflexão avançada entre o céu e a Terra, e os fluidos atuantes, no reino da alma, imprimem radicais transformações no veículo fisiopsicossomático, associando e desassociando civilizações para construi-las de novo, em que o homem, herdeiro da animalidade instintiva, continua, até hoje, no trabalho progressivo de sua própria elevação aos verdadeiros atributos da humanidade.”
  • 18. SIMBIOSE Relação vantajosa de pelo menos um dos organismos vivos de espécies diferentes. Na relação simbiótica, os organismos agem ativamente não podendo ser separados um do outro, o que causaria a morte de ambos.
  • 19. O princípio inteligente, na condição de consciência humana desencarnada, começa a buscar novos meios de exteriorização, em favor do sustento próprio: No mundo das plantas aprendeu a fotossíntese absorvendo energia luminosa para elaborar matérias orgânicas No mundo das bactérias aprendeu a quimiossíntese aproveitando a energia química haurida na oxidação de corpos minerais Entre os seres superiores consagrou- se à biossíntese- novo câmbio de substâncias Já humano, o P.I. haure energias dos alimentos (anabolismo), transformando-as em substâncias orgânicas. E assim garante a permanente renovação celular e os reguladores orgânicos
  • 20. • Detentor do pensamento contínuo inicia o processo de mentossíntese: troca (emissão e recepção) de fluidos mentais multiformes, emitindo as próprias idéias e assimilando as idéias alheias Mentossíntese • Resultado: o que antes era anseio sexual com desejo de posse agora se afigura como busca de vivência afetiva constante. Vivência afetiva • As vidas sucessivas causam-lhe revolta pela perda dos afins, aos quais busca fixar-se Morte
  • 21. “Arrebatado aos que mais ama e ainda incapaz de entender a transformação da paisagem doméstica de que foi alijado, revolta-se comumente contra as novas lições da vida a que é convocado, em plano diferente, e permanece fluidicamente algemado aos que se lhe afinam com o sangue e com os desejos, comungando-se a experiência vulgar.” M.L- Caso Ester e família - Vampirismo recíproco – apego
  • 22. Úteis Exploradoras Microrganismos se albergam no trato intestinal dos seus hospedadores, apropriando-se dos sucos nutritivos, mas gerando substâncias úteis à existência dos anfitriões. Associação parasitária na qual uma das partes, cria para si mesma vantagens especiais, com prejuízo para a outra, que passa, em seguida, à condição de vítima.
  • 23. “A alma amedrontada diante da morte vale-se da receptividade dos que lhe choram a perda e demora-se colada aos que mais ama” Pode servir de proteção contra o assalto de Espíritos ainda mais deprimentes Pode impedir o progresso que lhes garantiria a renovação
  • 24. Simbioses podem causar moléstias nervosas complexas: Hístero-epilepsia e psiconeuroses “Entidades espirituais vivem entrosadas psiquicamente com seus hospedeiros. Atuam sobre o chacra coronário do encarnado impondo-lhe a substância dos próprios pensamentos, que a vítima utiliza normalmente como se fossem seus próprios” NDM – Caso Américo
  • 25. O desencarnado, se mais sábio do que o encarnado, que subjuga mentalmente, e do qual furta energias, por temor ou inadaptação ao Mundo Espiritual, e mais por egoísmo, pode inspirá-lo a atividade progressiva que resulta em benefício do meio a que se vincula Vampirismo Espiritual o desencarnado que cristaliza na mente o ódio contra a vítima (encarnada) inocula nesta fluidos letais podendo levar à morte Entre a Terra e o Céu- Odila e Zulmira
  • 26. “As raízes do problema prendem-se a própria evolução do Princípio Inteligente que no pretérito aprendeu, automaticamente, a respirar e a viver, justaposto ao hausto e ao calor alheios”
  • 27. “Toda forma de vampirismo está vinculada à mente deficitária, ociosa ou inerte, que se rende às sugestões inferiores que a exploram sem defensiva”
  • 28. » Toda simbiose exploradora de longo curso, principalmente a que se verifica no campo interno, resulta de adaptação progressiva entre o hospedador e o parasita, reagindo um sobre o outro; » Lentamente “acomodam-se” na sociedade em que persistem (“acordo de tolerância”), sem que o hospedador considere os riscos e perdas a que se expõe, comprometendo não apenas a própria vida, mas a existência da própria espécie, interferindo nos princípios da hereditariedade.
  • 29. Temporária Invasões periódicas. Ex.: Sanguessugas, insetos, etc. Heteroxênica Agem em hospedeiros intermediários até atingirem a forma adulta no hospedeiro definitivo. Ex.:Tripanossoma Cruzi Hiperparasitismo Parasitas de outros parasitas. Ocasional ou Pseudoparasitas Surgindo oportunidade agem como parasitas. Ex.: Morcegos Permanente Alojam-se em um hospedeiro exclusivo ao qual se ajustam por laços indissolúveis. Ex.: Alguns vermes.
  • 30. O parasitismo entre os animais não decorre de uma condição natural, mas sim de uma AUTÊNTICA ADAPTAÇÃO deles a modo particular de comportamento. Neste regime de adaptação experimenta mutações de vulto – se exprime pelas alterações na forma: Ex: Degeneração do aparelho digestivo – nutrição por osmose (perda dos intestinos/ orgãos bucais) Fora do organismo – encistam-se, tempos prolongados de sobrevivência. Ex: Percevejo do leito- podem viver mais de 6 meses em completo jejum
  • 31. Se os parasitas podem acusar expressivas transformações, à face do novo regime de existência a que se afeiçoam, os resultados de tais associações sobre o hospedeiro são mais profundos, porque os assaltantes, depois de instalados, se multiplicam, ameaçadores, estabelecendo espoliações sobre as províncias orgânicas da vítima, sugando-lhe a vitalidade, traumatizando-lhe os tecidos, provocando lesões parciais ou totais, com que, algumas vezes, lhe apressam a morte.
  • 32. Encarnados e Desencarnados Em processos diferentes, mas atendendo aos mesmos princípios de simbiose prejudicial, encontramos os circuitos de obsessão e vampirismo entre:
  • 33. RETRIBUEM Golpe a golpe Mal a mal DIANTE DA IMPOSSIBILIDADE DO PERDÃO Que as dispensaria da cadeia de trevas Empenham-se em lutas atrozes VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA, BRUTALIDADE, PERSEGUIÇÃO DISFARÇADA Entram na faixa mental do ofensor (encarnado) Conhecem-lhe a enormidade das faltas *
  • 34. Justapõe-se à aura das criaturas que lhes oferecem passividade criam doenças fantasmas e doenças reais (ETC- Odila e Zulmira) No Vampirismo espiritual os desencarnados sugam a vitalidade dos encarnados, podendo determinar nos hospedeiros doenças variadas e até mesmo a morte prematura
  • 35. Segregam (endoparasitas) produtos, dentro do quimismo próprio, derramando-os sobre os pontos vulneráveis de suas vítimas alterando-lhes o psiquismo (NDM- Caso do menino no corpo resgate) Podem absorver (ectoparasitas), como mosquitos e ácaros, emanações dos encarnados que se lhe afinam Formas mentais monstruosas introduzidas pelos desencarnados movidos por vingança
  • 36. Os encarnados também produzem larvas mentais que são vampirizadas pelos desencarnados. A infecção fluídica é uma via de mão dupla
  • 37. São fetos ou amebas mentais, mobilizáveis por entidades perversas
  • 38. ESFERAS OVÓIDES Espíritos que perdem a forma humana de apresentação do seu perispírito. MONOIDEÍSMO Resultam de idéia fixa de vingança ou apego, os desencarnados repetem infinitamente essas imagens e acabam transformando a morfologia do psicossoma. PSICOSSOMA Por falta de função, os órgãos do psicossoma retraem surgindo a forma ovóide.
  • 39. ➢ 1885: publicação do livro “O Espiritismo” ➢ Fenômenos espíritas são todos produzidos pela mente ➢ Explicação toda baseada nos conceitos do inconsciente ➢ Fenômenos ocorrem sem a interferência de desencarnados Quando a decomposição do corpo material não basta para consumar o resgate, vítima e verdugo permanecem em dolorosos painéis infernais até que Misericórdia Divina promove a reencarnação daquele Espírito. ➢ Criador do termo ANIMISMO ➢ Resposta ao livro “O Espiritismo” de Eduard von Hartmann ➢ 1890: Animismo e Espiritismo (2 volumes) A gravidez decorrente trará enorme desconforto para tal gestante. A criança que irá nascer padecerá, da meninice à fase adulta, a influência do vingador até que, venha a ser pai dele, obtendo assim, ambos, sublime oportunidade de aparar as doloridas arestas do passado. Nesse processo, sendo muitos os vingadores desencarnados, alguns deles poderão parasitar os filhos e afins de quem odeiam, utilizando-os como hospedeiros intermediários ( parasitas heteroxênicos), infernizando, assim, os pais ( hospedeiros definitivos) podendo isso prosseguir até a morte.
  • 40. Assim como, há tratamento para parasitismo no mundo orgânico, qualquer criatura encontra, NA APLICAÇÃO VIVA DO BEM, eficiente remédio contra o parasitismo da alma
  • 41. Ninguém necessita aguardar reencarnações futuras, entretecidas de dor, em ligações expiatórias, para diligenciar a paz com os inimigos trazidos do pretérito, porque, pelo devotamento ao próximo e pela humildade realmente praticada e sentida, é possível atrair simpatias valiosas, com intervenções providenciais, em nosso favor.
  • 42. Para que o Espírito possa cumprir a programação que lhe está reservada no mundo físico e que vai impulsionar a sua evolução é necessário que a correlação alma-corpo se dê em harmonia. O Espírito é o dirigente e o corpo o instrumento que obedece a sua direção
  • 43. • Maioria dos Espíritos desencarnados Alienação mental* • Entre a mente e o veículo fisio- psicossomático Desarmonia • Retira de seu próprio compor- tamento o bem ou o mal que, lançan- do ao caminho, impõe a si mesmo. O Espírito
  • 44. O sistema cerebral é o órgão centralizador e executor do comando mental que parte do Espírito. A conduta do corpo físico sofre os reflexos da conduta do corpo espiritual que obedece ao comando do Espírito Estes reflexos se operam por intermédio de feixes de nervos, que funcionam como transmissores das ordens do Espírito ao perispírito Com a secção da medula ocorre interrupção dessa transmissão, provocando o desligamento* das junções fluídicas entre as regiões do perispírito, as partes do corpo atingidas e o cérebro Como se explica a insensibilidade provocada na partes do corpo ligadas a nervos situados abaixo do corte ocorrido na medula?
  • 45. Como se dá a recuperação dos reflexos prejudicados com a interrupção do circuito nervoso? A recuperação dos reflexos, quando possível, se dá gradativamente, através de reajustamento organizado instintivamente entre o Espírito e o corpo. O tempo que irá demorar essa recuperação do paciente dependerá do seu equilíbrio fisiopsicossomático
  • 46. Como o encéfalo influi nos processos de perda e recuperação dos reflexos? Essa influência é igual em todos os seres? A duração destas conseqüências é proporcional ao grau de complexidade da encefalização de que é dotado o organismo físico. Assim, a influência do encéfalo é variável de ser para ser
  • 47. Compreendendo-se que a integração mente-corpo é cada vez mais importante, à medida em que se dilatam os valores da encefalização, reconheceremos que a integração cortical é sempre mais expressiva quão mais amplo se faz o desenvolvimento do sistema nervoso
  • 48. Quais as conseqüências da remoção do córtex encefálico? Sendo diferente a influência do órgão encefálico na integração mente-corpo nas diversas espécies animais e no homem, as conseqüências da sua eliminação também é variável, conforme a espécie Nos batráquios e os peixes, a remoção do córtex encefálico não interfere nos reflexos nem em sua movimentação Nas aves e no cão, as conseqüências são mais graves e traumáticas No chimpanzé, como no homem, com organização encefálica mais complexa, a extirpação do córtex pode levar à morte em pouco tempo Quando parcial, acarreta modificações extensas e profundas no corpo físico
  • 49. O córtex encefálico é responsável pelo governo dos sentidos e das ações físicas do ser, através da união centro cerebral do perispírito ao centro coronário no corpo físico. Por meio de ligações energéticas com a consciência, resultam as manifestações do Espírito, governando os sentidos, os automatismos e as sensações. Através dos atos, pensamentos e sentimentos que pratica, o Espírito define os resultados dessas manifestações, refletidas na saúde ou na enfermidade do corpo físico
  • 50. Se a criatura encarnada pode cair em amnésia ou afasia pela oclusão dos núcleos da memória ou da fala, sem desequilíbrio integral da inteligência, a criatura desencarnada pode arrojar-se a frustrações semelhantes, sem perturbação total do pensamento, enquanto se mantenha a distonia
  • 51. Espírito desencarnado Contemplará tão somente os quadros terríficos que lhe digam respeito às culpas contraídas. Escutará exclusivamente vozes acusadoras que lhe testemunhem os compromissos Recordará apenas acontecimentos que se lhe refiram aos padecimentos morais O pensamento , em circuito viciado, age coagulando ou materializando pesadelos. Justapõe-se às criaturas desencarnadas e estabelecem os painéis apavorantes em que a consciência culpada expia
  • 52. O pensamento é força criativa e aglutinante na criatura, as imagens plasmadas pelo mal servem para a formação das paisagens regenerativas em que a alma, alucinada pelos remorsos, é detida na sua marcha, ilhando-se nas consequências dos próprios delitos em lugares que se transformam em continentes de angústia