SlideShare uma empresa Scribd logo
ORAÇÃO E JEJUM
1. – PORQUE JEJUAR E ORAR
 Por que motivo os cristãos devem
algumas vezes deixar a comida,
dormida, boas roupas, a vida em
família ou outros confortos para
dedicar-se somente à oração.
 1.1 - Homens e mulheres usados por
Deus em toda a Bíblia, jejuaram:
Moisés, Davi Esdras, Neemias,
Daniel, Paulo.
ORAÇÃO E JEJUM
1.2 - Jesus iniciou seu ministério com 40
dias de Jejum.
1.3 Não há uma ordem na Bíblia para se
jejuar, mas Jesus deixa claro que jejum é
parte da vida do cristão, ao dizer:
"Quando jejuardes..." (Mt. 6:16).
"naqueles dias jejuarão" (Lc. 5:34,35).
1.5 - A igreja primitiva conhecia a prática
do jejum (At.13:2,3).
2. O QUE E O JEJUM E ORAÇÃO?
2.1 - Não é uma simples abstinência de
alimento ou alguma coisa. Acima de tudo é
colocar Deus no lugar supremo. É colocar a
oração em primeiro lugar.
- Há momentos em que devemos comer e
beber com alegria e gratidão (SI.103:2, 5);
que devemos dormir (Sl. 127:2; 3:5); os
prazeres da família devem ser gozados (Hb.
13:4; Pv. 18:22). Toda bênção vem de Deus
(Tg. 1:7) e devo ser desfrutada, e por elas
Deus seja glorificado.
2. O QUE E O JEJUM E ORAÇÃO?
Mais há momentos quando devemos voltar as
costas para tudo isso e buscar a face do
Senhor por algum tempo.
 Para tanto somos levados a voltar toda a
nossa atenção e energia para o Senhor,
orando e esperando em Sua presença.
 2.1.1 – No jejum pode ser só de comida
(Mt.4:2).
2.2.2 – Há ocasiões em que o jejum é
completo, sem água nem comida (Ester 4: 16).
2. O QUE E O JEJUM E ORAÇÃO?
2.2.3 – Há jejuns parciais, em que se come
só o indispensável (Dn. 10:2,3).
2.2.4 - Às vezes há abstinência do
relacionamento sexual entre marido e mu-
lher (Ex. 19:14,15; I Co.7:5).
O espírito do jejum é um desejo ardente de
estar com Deus em oração, por alguma
razão específica, maior que qualquer desejo
normal, ou lícito.
2. O QUE E O JEJUM E ORAÇÃO?
2.2 - Jejum significa persistência em oração.
Podemos orar frequentemente, mas não
oramos muito. Separar um tempo para
jejum e oração é dispor-se a um sério
trabalho com uma persistência que não
aceitará uma negação.
- A oração persistente, que deixa tudo mais
e dá a Deus o devido lugar, frequentemente
envolve o jejum.
2. O QUE E O JEJUM E ORAÇÃO?
2.3 - Jejum é uma deliberação de remover
todo obstáculo à oração (Hb. 12:1,2).
Jejuar é simplesmente colocar de lado todo
peso e todo embaraço que impede nossas
orações.
2.4 - O jejum manifesta a intensidade de um
desejo, a grandeza de uma determinação e
da fé. O jejum, pois, revela o fervor e a
seriedade da busca da resposta a oração.
3. MOTIVOS QUE LEVARAM AS PESSOAS NA
BÍBLIA A JEJUAR - NO VELHO TESTAMENTO
3.1 - Busca de auxilio em tempo de aflição
(Sl. 50:15).
3.1.1 - Josué e os anciãos de Israel diante
da derrota em Ai (Js.7:b).
3.1.2 - As tribos de Israel quando a tribo de
Benjamim foi contra elas (Jz. 20:26).
3.1.3 - Ester, Mordecai e os judeus, quando
ameaçados de destruição ( Et.4: 16).
3.1.4 Esdras, quando temeu os inimigos no
deserto (Es. 8:21-23).
3.2 - Confissão de pecados (I Sm.7:6;
3. MOTIVOS QUE LEVARAM AS PESSOAS NA
BÍBLIA A JEJUAR - NO VELHO TESTAMENTO
3.1 - Busca de auxilio em tempo de aflição
(51. 50:15).
3.1.1 - Josué e os anciãos de Israel diante
da derrota em Ai (Js.7:b).
3.1.2 - As tribos de Israel quando a tribo de
Benjamim foi contra elas (Jz. 20:26).
3.1.3 - Ester, Mordecai e os judeus, quando
ameaçados de destruição ( Et.4: 16).
3.1.4 Esdras, quando temeu os inimigos no
deserto (Es. 8:21-23).
3. MOTIVOS QUE LEVARAM AS PESSOAS NA
BÍBLIA A JEJUAR - NO VELHO TESTAMENTO
3.2 - Confissão de pecados (I Sm.7:6;
Jn.3:5-8)
3.3 - Oração por cura (11 Sm. 12:16,21,22).
3.4 - Contrição e quebrantamento (I
Rs.21:27).
3.5 - Intercessão (Ne. 1:4; Dn.9:2,J-19).
3.6 - Por revelação (Dn. 10)
4. O JEJUM NO NOVO TESTAMENTO
 Não há uma única ordem no Novo
Testamento para a Igreja jejuar. Também não
há normas estabelecidas. No entanto parece
que o jejum é algo que faz parte da vida
normal do povo. Os judeus já eram dados ao
jejum semanal e os fariseus jejuavam duas
vezes por semana.
 4.1 – Jesus jejuou após o batismo (Mt.4:2;
Lc,4:2). Ele passava noites em oração e, ao
que parece, sem comer. Mas não praticava o
tipo de jejum dos fariseus ou mesmo de João
Batista. Ele deixou, contudo, ensinos sobre o
jejum.
4. O JEJUM NO NOVO TESTAMENTO
4.1.1 – Lucas 5:33-35 - Haveria um tempo,
depois da Sua partida, em discípulos
jejuariam. Há tempos em que o jejum não se
faz necessário. Ver ainda Mateus 17:21.
4.1.2 – O jejum deve ser ao Senhor, sem a
motivação de impressionar - Mt. 6: 16-18.
"Quando Jejuardes". Está implícito que jejum
era uma prática indiscutível. Talvez por essa
razão não haja nenhum mandamento para
que se jejue.
4. O JEJUM NO NOVO TESTAMENTO
4.2 – O jejum no livro de Atos
4.2.1 - Saulo jejuou após o encontro com
Cristo a caminho de Damasco (At. 9: 9).
Motivo: espera em Deus e busca de revelação.
4.2.2 - Cornélio jejuava quando o anjo lhe
trouxe a mensagem de Deus (At. 10:30).
Motivo: exercício espiritual diante do Senhor.
4.2.3 - Os profetas e mestres na igreja de
Antioquia (At. 13:1-3). Motivo: ministrar ao
Senhor, impor as mãos sobre os apóstolos e
enviá-los à obra missionária.
4. O JEJUM NO NOVO TESTAMENTO
4.2.4 – Paulo para a separação de
presbíteros (At. 14:23).
4.2.5 – As pessoas que viajavam com Paulo
para Roma (At. 27:9.33.34). Eram dias de
grande perigo.
4.3 - O Jejum nas cartas
4.3.1 - Paulo era dado à prática do jejum (11
Co.6:4,5).
4.3.2 – A única instrução sobre jejum e
oração nas cartas e no que se refere ao casal
- I Co. 7:4,5.
5. RAZÕES B1BLICAS PARA O CRISTÃO
JEJUAR
5.1 - O jejum põe a carne sob sujeição e
ajuda na disciplina. Mas ele nada altera a
Deus. Ele é o mesmo antes, durante e depois
do meu jejum. O beneficio do jejum e para
mim, pois ajuda-me a estar mais sensível ao
Espírito de Deus.
5.2 - Quando uma necessidade de esperar
mais em Deus surge e o Espírito Santo nos
impele a jejuar, esse é o tempo para tal. O
N.T. não estabelece um pro grama de jejum.
5. RAZÕES B1BLICAS PARA O CRISTÃO
JEJUAR
O cristão é "guiado pelo Espírito" (Rm. 8:16) e
é ele quem vai mostrar por quê como e
quando jejuar. Jejuar fora da liderança do
Espírito não passa de autopunição.
5.3 – Jejuar com o prop6sito de ministrar ao
Senhor. Um tempo de comunhão qualquer
interrupção (At.13:2).
5.4 – Para a imposição de mãos sobre
obreiros com o fim de enviá-los.
5. RAZÕES B1BLICAS PARA O CRISTÃO
JEJUAR
5.5 – Para aproximar-se de Deus em tempos
de perigo ou crise.
5.6 – Para fortalecimento espiritual a fim de
enfrentar batalhas no reino do Espírito.
5.7 – Por qualquer motivo que o Espírito levar
a fazê-lo.
6. CATEGORIAS DE JEJUM
 6.1 – O JEJUM PESSOAL. Jesus estabelece
princípios para o mesmo em (Mateus 6: 16-18)
- É importante salientar que no Novo
Testamento não há jejum como castigo ou
açoite. No Velho Testamento o arrependimento
era expresso pelo lamento e autopunição. No
Novo Testamento é dar uma volta, mudar a
mente. Deus nos disciplina (Hb. 12:6), mas não
com punição corporal. Sua disciplina é
exercida pela Palavra (Hb.12:9). Nosso castigo
Jesus sofreu, (ls. 53(5)
6. CATEGORIAS DE JEJUM
 6.2 – JEJUM PROCLAMADO (Joel 1:14) - Seu
objetivo é unir os cristãos em um lugar para
ouvirem de Deus.
 6.2.1 - Josafá enfrenta uma situação de guerra
(11 Cr. 20:1-6).
 O jejum proclamado coloca a mente do povo
numa mesma direção. Essa direção é Deus.
Toda sua atenção se volta para Ele e isso
provoca a manifestação de Sua presença.
 - Há um poder quando o povo de Deus se une
diante de Deus.
6. CATEGORIAS DE JEJUM
 6.2.2 - No Novo Testamento há exemplo de
jejum coletivo (At.13:1,2).
 - Nesse dia de jejum Deus separa os
missionários Saulo e 8arnabé.
 - O Jejum proclamado é valioso e efetivo
porque traz unidade e identidade de propósito.
É o mesmo princípio da oração de
concordância ou da oração coletiva. Produz
poder.
7. PRINCÍPIOS DE DEUS PARA O
JEJUM
 7.1 - O tipo de jejum que não agrada a Deus
- Is. 58:3-5
7.2 - O jejum que agrada a Deus – “...que
soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as
ataduras da servidão, deixes livres os
oprimidos e despedaça toso o "ugo" (ls.58:6).
1s. 10:27 diz que o jugo é desfeito por causa
da unção. É a única que quebra o jugo.
Quando você toma tempo para se humilhar,
jejuar, esperar em Deus, interceder e agonizar
em oração, você terá...
7. PRINCÍPIOS DE DEUS PARA O
JEJUM
... uma grande unção. Você será instrumento
de libertação do oprimido e do escravo
espiritual.
7.3 – Há uma recompensa para o jejum - Is.
58:8-11.
7.4 - O jejum deve ser um modo de vida.
Jejum está associado à oração. Uma vida de
jejum, pois, é orar e jejuar, gastar tempo com
a Palavra, ministrar ao Senhor e conservar-se
numa posição em que possa receber de
Deus.
7. PRINCÍPIOS DE DEUS PARA O
JEJUM
Quem vive a vida de jejum separa-se das
coisas só para estar com o Senhor. Se
alguém começa a viver esse tipo de vida, o
poder no Espírito começará a operar.
8. – ALGUNS PASSOS A TOMAR NO
JEJUM:
 Coloque-se numa posição em que possa
receber de Deus espiritualmente.
 8.1 Decida qual o propósito do jejum.
 8.2 - Proclame o jejum perante o Senhor.
 8.3 Creia que você recebe a recompensa
(Mt.6:18) antes do jejum. A recompensa
relacionada com o item 1.
 8.4 - Ministre ao Senhor (cl.3:16).
8. – ALGUNS PASSOS A TOMAR NO
JEJUM:
 8.5 Ministre a outros. Sempre ministre a outros
depois do jejum. Você precisa usar o poder
espiritual dentro de você para satisfazer a
necessidade de outros. Se você jejua de acordo
com a Palavra de Deus, estará edificado.
Ministre a outros durante o jejum apenas se for
orientado pelo Pai a fazê-lo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ceia do Senhor
Ceia do SenhorCeia do Senhor
Ceia do Senhor
Paulo Roberto
 
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de DeusLição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Éder Tomé
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
valmarques
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
Junior Cesar Santiago
 
Culto e Liturgia
Culto e LiturgiaCulto e Liturgia
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
Quenia Damata
 
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristãoO fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
Eduardo Sousa Gomes
 
Estudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e OfertasEstudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e Ofertas
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Manual do obreiro adrv 2019
Manual do obreiro adrv 2019Manual do obreiro adrv 2019
Manual do obreiro adrv 2019
Alice Costa
 
O que e Igreja
O que e IgrejaO que e Igreja
O que e Igreja
Pastor Wanderley
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Éder Tomé
 
Jejum
JejumJejum
Ensino bíblico sobre o jejum
Ensino bíblico sobre o jejumEnsino bíblico sobre o jejum
Ensino bíblico sobre o jejum
ADPC109
 
Pregação crescimento Espiritual
Pregação crescimento EspiritualPregação crescimento Espiritual
Pregação crescimento Espiritual
suzyanne2010
 
Homilética arte de pregar
Homilética   arte de pregar Homilética   arte de pregar
Homilética arte de pregar
Paulo Ferreira
 
O poder da oração
O poder da oraçãoO poder da oração
O poder da oração
Daniel de Carvalho Luz
 
Apostila de evangelismo marcos 16
Apostila de evangelismo marcos 16Apostila de evangelismo marcos 16
Apostila de evangelismo marcos 16
aldeirdb
 
LIBERTAÇÃO
LIBERTAÇÃOLIBERTAÇÃO
O espirito santo de deus
O  espirito  santo  de  deusO  espirito  santo  de  deus
O espirito santo de deus
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.
RODRIGO FERREIRA
 

Mais procurados (20)

Ceia do Senhor
Ceia do SenhorCeia do Senhor
Ceia do Senhor
 
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de DeusLição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
 
Culto e Liturgia
Culto e LiturgiaCulto e Liturgia
Culto e Liturgia
 
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
 
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristãoO fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
 
Estudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e OfertasEstudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e Ofertas
 
Manual do obreiro adrv 2019
Manual do obreiro adrv 2019Manual do obreiro adrv 2019
Manual do obreiro adrv 2019
 
O que e Igreja
O que e IgrejaO que e Igreja
O que e Igreja
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
 
Jejum
JejumJejum
Jejum
 
Ensino bíblico sobre o jejum
Ensino bíblico sobre o jejumEnsino bíblico sobre o jejum
Ensino bíblico sobre o jejum
 
Pregação crescimento Espiritual
Pregação crescimento EspiritualPregação crescimento Espiritual
Pregação crescimento Espiritual
 
Homilética arte de pregar
Homilética   arte de pregar Homilética   arte de pregar
Homilética arte de pregar
 
O poder da oração
O poder da oraçãoO poder da oração
O poder da oração
 
Apostila de evangelismo marcos 16
Apostila de evangelismo marcos 16Apostila de evangelismo marcos 16
Apostila de evangelismo marcos 16
 
LIBERTAÇÃO
LIBERTAÇÃOLIBERTAÇÃO
LIBERTAÇÃO
 
O espirito santo de deus
O  espirito  santo  de  deusO  espirito  santo  de  deus
O espirito santo de deus
 
hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.
 

Semelhante a Estudo 16 oração e jejum

estudo sobre jejum e oração.pptxxxxxxxxxxxxx
estudo sobre jejum e oração.pptxxxxxxxxxxxxxestudo sobre jejum e oração.pptxxxxxxxxxxxxx
estudo sobre jejum e oração.pptxxxxxxxxxxxxx
lindalva da cruz
 
Aula 8 oração e jejum
Aula 8   oração e jejumAula 8   oração e jejum
Aula 8 oração e jejum
magnao2
 
Vida devocional jejum
Vida devocional jejumVida devocional jejum
Vida devocional jejum
Dagmar Wendt
 
Consagracao
ConsagracaoConsagracao
Consagracao
Júnior Batista
 
Lição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem CessarLição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem Cessar
Éder Tomé
 
Estudo jejum e guerra espiritual Com Pastor Adiano
Estudo jejum e guerra espiritual Com Pastor AdianoEstudo jejum e guerra espiritual Com Pastor Adiano
Estudo jejum e guerra espiritual Com Pastor Adiano
Gabriel Bussolo
 
Meus esboços 1
Meus esboços 1Meus esboços 1
Meus esboços 1
Carlos Allvarenga
 
Licao 13 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
Licao 13 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptxLicao 13 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
Licao 13 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
AndreLuizMontanheiro
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a Deus
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a DeusEBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a Deus
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a Deus
Andre Nascimento
 
Curso bíblico discipulado(lições 1 2 3)
Curso bíblico discipulado(lições 1 2 3)Curso bíblico discipulado(lições 1 2 3)
Curso bíblico discipulado(lições 1 2 3)
Antonio Filho
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Vida do lider disciplinas espirituais
Vida do lider   disciplinas espirituaisVida do lider   disciplinas espirituais
Vida do lider disciplinas espirituais
miguelrmn
 
4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos
INOVAR CLUB
 
Oração com estilo de vida
Oração com estilo de vidaOração com estilo de vida
Mestre da palavra(devocional)
Mestre da palavra(devocional)Mestre da palavra(devocional)
Mestre da palavra(devocional)
Antonio Filho
 
[EBD Maranata] Lição 08 - O compromisso com a Palavra de Deus | Revista: Neem...
[EBD Maranata] Lição 08 - O compromisso com a Palavra de Deus | Revista: Neem...[EBD Maranata] Lição 08 - O compromisso com a Palavra de Deus | Revista: Neem...
[EBD Maranata] Lição 08 - O compromisso com a Palavra de Deus | Revista: Neem...
José Carlos Polozi
 
Lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãsLição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
Pr. Gerson Eller
 
Lição 7 - Deus Intervém através de Suas Ações
Lição 7 - Deus Intervém através de Suas AçõesLição 7 - Deus Intervém através de Suas Ações
Lição 7 - Deus Intervém através de Suas Ações
Éder Tomé
 
LIÇÃO%2010%20-%20JOVENS%20A%20ORAÇÃO%20E%20O%20JEJUM.pptx
LIÇÃO%2010%20-%20JOVENS%20A%20ORAÇÃO%20E%20O%20JEJUM.pptxLIÇÃO%2010%20-%20JOVENS%20A%20ORAÇÃO%20E%20O%20JEJUM.pptx
LIÇÃO%2010%20-%20JOVENS%20A%20ORAÇÃO%20E%20O%20JEJUM.pptx
OsielGomes3
 
Lição 6 - As nossas Armas Espirituais.pptx
Lição 6 - As nossas Armas Espirituais.pptxLição 6 - As nossas Armas Espirituais.pptx
Lição 6 - As nossas Armas Espirituais.pptx
Celso Napoleon
 

Semelhante a Estudo 16 oração e jejum (20)

estudo sobre jejum e oração.pptxxxxxxxxxxxxx
estudo sobre jejum e oração.pptxxxxxxxxxxxxxestudo sobre jejum e oração.pptxxxxxxxxxxxxx
estudo sobre jejum e oração.pptxxxxxxxxxxxxx
 
Aula 8 oração e jejum
Aula 8   oração e jejumAula 8   oração e jejum
Aula 8 oração e jejum
 
Vida devocional jejum
Vida devocional jejumVida devocional jejum
Vida devocional jejum
 
Consagracao
ConsagracaoConsagracao
Consagracao
 
Lição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem CessarLição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem Cessar
 
Estudo jejum e guerra espiritual Com Pastor Adiano
Estudo jejum e guerra espiritual Com Pastor AdianoEstudo jejum e guerra espiritual Com Pastor Adiano
Estudo jejum e guerra espiritual Com Pastor Adiano
 
Meus esboços 1
Meus esboços 1Meus esboços 1
Meus esboços 1
 
Licao 13 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
Licao 13 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptxLicao 13 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
Licao 13 - 1T - 2019 - CPAD 16x9.pptx
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a Deus
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a DeusEBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a Deus
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a Deus
 
Curso bíblico discipulado(lições 1 2 3)
Curso bíblico discipulado(lições 1 2 3)Curso bíblico discipulado(lições 1 2 3)
Curso bíblico discipulado(lições 1 2 3)
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
 
Vida do lider disciplinas espirituais
Vida do lider   disciplinas espirituaisVida do lider   disciplinas espirituais
Vida do lider disciplinas espirituais
 
4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos
 
Oração com estilo de vida
Oração com estilo de vidaOração com estilo de vida
Oração com estilo de vida
 
Mestre da palavra(devocional)
Mestre da palavra(devocional)Mestre da palavra(devocional)
Mestre da palavra(devocional)
 
[EBD Maranata] Lição 08 - O compromisso com a Palavra de Deus | Revista: Neem...
[EBD Maranata] Lição 08 - O compromisso com a Palavra de Deus | Revista: Neem...[EBD Maranata] Lição 08 - O compromisso com a Palavra de Deus | Revista: Neem...
[EBD Maranata] Lição 08 - O compromisso com a Palavra de Deus | Revista: Neem...
 
Lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãsLição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
 
Lição 7 - Deus Intervém através de Suas Ações
Lição 7 - Deus Intervém através de Suas AçõesLição 7 - Deus Intervém através de Suas Ações
Lição 7 - Deus Intervém através de Suas Ações
 
LIÇÃO%2010%20-%20JOVENS%20A%20ORAÇÃO%20E%20O%20JEJUM.pptx
LIÇÃO%2010%20-%20JOVENS%20A%20ORAÇÃO%20E%20O%20JEJUM.pptxLIÇÃO%2010%20-%20JOVENS%20A%20ORAÇÃO%20E%20O%20JEJUM.pptx
LIÇÃO%2010%20-%20JOVENS%20A%20ORAÇÃO%20E%20O%20JEJUM.pptx
 
Lição 6 - As nossas Armas Espirituais.pptx
Lição 6 - As nossas Armas Espirituais.pptxLição 6 - As nossas Armas Espirituais.pptx
Lição 6 - As nossas Armas Espirituais.pptx
 

Mais de Jaed Gomes

Estudo 17 plano de uma ora de oração
Estudo 17   plano de uma ora de oraçãoEstudo 17   plano de uma ora de oração
Estudo 17 plano de uma ora de oração
Jaed Gomes
 
Estudo 15 11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
Estudo 15  11 - aspectos importantes da oração bem sucedidaEstudo 15  11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
Estudo 15 11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
Jaed Gomes
 
Estudo 14 10 – arma contra as interferências em nossas orações.
Estudo 14  10 – arma contra as interferências em nossas orações.Estudo 14  10 – arma contra as interferências em nossas orações.
Estudo 14 10 – arma contra as interferências em nossas orações.
Jaed Gomes
 
Estudo 13 9 - recursos a serem usados nas orações
Estudo 13  9 - recursos a serem usados nas oraçõesEstudo 13  9 - recursos a serem usados nas orações
Estudo 13 9 - recursos a serem usados nas orações
Jaed Gomes
 
Estudo 12 8 - métodos ou formas de oração
Estudo 12   8 - métodos ou formas de oraçãoEstudo 12   8 - métodos ou formas de oração
Estudo 12 8 - métodos ou formas de oração
Jaed Gomes
 
Estudo 11 7 - intercessão
Estudo 11   7 - intercessãoEstudo 11   7 - intercessão
Estudo 11 7 - intercessão
Jaed Gomes
 
Estudo 10 6. entrega
Estudo 10   6. entregaEstudo 10   6. entrega
Estudo 10 6. entrega
Jaed Gomes
 
Estudo 09 5. consagração ou dedicação
Estudo 09  5. consagração ou dedicaçãoEstudo 09  5. consagração ou dedicação
Estudo 09 5. consagração ou dedicação
Jaed Gomes
 
Estudo 08 4. petição e súplica
Estudo 08   4. petição e súplicaEstudo 08   4. petição e súplica
Estudo 08 4. petição e súplica
Jaed Gomes
 
Estudo 07 3. oração de adoração
Estudo 07   3. oração de adoraçãoEstudo 07   3. oração de adoração
Estudo 07 3. oração de adoração
Jaed Gomes
 
Estudo 06 2 oração de louvor
Estudo 06   2 oração de louvorEstudo 06   2 oração de louvor
Estudo 06 2 oração de louvor
Jaed Gomes
 
Estudo 05 1 ações de graças
Estudo 05   1 ações de graçasEstudo 05   1 ações de graças
Estudo 05 1 ações de graças
Jaed Gomes
 
Estudo 04 inimigos da oração
Estudo 04   inimigos da oraçãoEstudo 04   inimigos da oração
Estudo 04 inimigos da oração
Jaed Gomes
 
Estudo 03 a vida pessoal do guerreiro de oração
Estudo 03   a vida pessoal do guerreiro de oraçãoEstudo 03   a vida pessoal do guerreiro de oração
Estudo 03 a vida pessoal do guerreiro de oração
Jaed Gomes
 
Estudo 02 porque orar
Estudo 02   porque orarEstudo 02   porque orar
Estudo 02 porque orar
Jaed Gomes
 
Estudo 01 tipos de oração geral
Estudo 01  tipos de oração geralEstudo 01  tipos de oração geral
Estudo 01 tipos de oração geral
Jaed Gomes
 

Mais de Jaed Gomes (16)

Estudo 17 plano de uma ora de oração
Estudo 17   plano de uma ora de oraçãoEstudo 17   plano de uma ora de oração
Estudo 17 plano de uma ora de oração
 
Estudo 15 11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
Estudo 15  11 - aspectos importantes da oração bem sucedidaEstudo 15  11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
Estudo 15 11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
 
Estudo 14 10 – arma contra as interferências em nossas orações.
Estudo 14  10 – arma contra as interferências em nossas orações.Estudo 14  10 – arma contra as interferências em nossas orações.
Estudo 14 10 – arma contra as interferências em nossas orações.
 
Estudo 13 9 - recursos a serem usados nas orações
Estudo 13  9 - recursos a serem usados nas oraçõesEstudo 13  9 - recursos a serem usados nas orações
Estudo 13 9 - recursos a serem usados nas orações
 
Estudo 12 8 - métodos ou formas de oração
Estudo 12   8 - métodos ou formas de oraçãoEstudo 12   8 - métodos ou formas de oração
Estudo 12 8 - métodos ou formas de oração
 
Estudo 11 7 - intercessão
Estudo 11   7 - intercessãoEstudo 11   7 - intercessão
Estudo 11 7 - intercessão
 
Estudo 10 6. entrega
Estudo 10   6. entregaEstudo 10   6. entrega
Estudo 10 6. entrega
 
Estudo 09 5. consagração ou dedicação
Estudo 09  5. consagração ou dedicaçãoEstudo 09  5. consagração ou dedicação
Estudo 09 5. consagração ou dedicação
 
Estudo 08 4. petição e súplica
Estudo 08   4. petição e súplicaEstudo 08   4. petição e súplica
Estudo 08 4. petição e súplica
 
Estudo 07 3. oração de adoração
Estudo 07   3. oração de adoraçãoEstudo 07   3. oração de adoração
Estudo 07 3. oração de adoração
 
Estudo 06 2 oração de louvor
Estudo 06   2 oração de louvorEstudo 06   2 oração de louvor
Estudo 06 2 oração de louvor
 
Estudo 05 1 ações de graças
Estudo 05   1 ações de graçasEstudo 05   1 ações de graças
Estudo 05 1 ações de graças
 
Estudo 04 inimigos da oração
Estudo 04   inimigos da oraçãoEstudo 04   inimigos da oração
Estudo 04 inimigos da oração
 
Estudo 03 a vida pessoal do guerreiro de oração
Estudo 03   a vida pessoal do guerreiro de oraçãoEstudo 03   a vida pessoal do guerreiro de oração
Estudo 03 a vida pessoal do guerreiro de oração
 
Estudo 02 porque orar
Estudo 02   porque orarEstudo 02   porque orar
Estudo 02 porque orar
 
Estudo 01 tipos de oração geral
Estudo 01  tipos de oração geralEstudo 01  tipos de oração geral
Estudo 01 tipos de oração geral
 

Último

Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 

Último (20)

Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 

Estudo 16 oração e jejum

  • 2. 1. – PORQUE JEJUAR E ORAR  Por que motivo os cristãos devem algumas vezes deixar a comida, dormida, boas roupas, a vida em família ou outros confortos para dedicar-se somente à oração.  1.1 - Homens e mulheres usados por Deus em toda a Bíblia, jejuaram: Moisés, Davi Esdras, Neemias, Daniel, Paulo.
  • 3. ORAÇÃO E JEJUM 1.2 - Jesus iniciou seu ministério com 40 dias de Jejum. 1.3 Não há uma ordem na Bíblia para se jejuar, mas Jesus deixa claro que jejum é parte da vida do cristão, ao dizer: "Quando jejuardes..." (Mt. 6:16). "naqueles dias jejuarão" (Lc. 5:34,35). 1.5 - A igreja primitiva conhecia a prática do jejum (At.13:2,3).
  • 4. 2. O QUE E O JEJUM E ORAÇÃO? 2.1 - Não é uma simples abstinência de alimento ou alguma coisa. Acima de tudo é colocar Deus no lugar supremo. É colocar a oração em primeiro lugar. - Há momentos em que devemos comer e beber com alegria e gratidão (SI.103:2, 5); que devemos dormir (Sl. 127:2; 3:5); os prazeres da família devem ser gozados (Hb. 13:4; Pv. 18:22). Toda bênção vem de Deus (Tg. 1:7) e devo ser desfrutada, e por elas Deus seja glorificado.
  • 5. 2. O QUE E O JEJUM E ORAÇÃO? Mais há momentos quando devemos voltar as costas para tudo isso e buscar a face do Senhor por algum tempo.  Para tanto somos levados a voltar toda a nossa atenção e energia para o Senhor, orando e esperando em Sua presença.  2.1.1 – No jejum pode ser só de comida (Mt.4:2). 2.2.2 – Há ocasiões em que o jejum é completo, sem água nem comida (Ester 4: 16).
  • 6. 2. O QUE E O JEJUM E ORAÇÃO? 2.2.3 – Há jejuns parciais, em que se come só o indispensável (Dn. 10:2,3). 2.2.4 - Às vezes há abstinência do relacionamento sexual entre marido e mu- lher (Ex. 19:14,15; I Co.7:5). O espírito do jejum é um desejo ardente de estar com Deus em oração, por alguma razão específica, maior que qualquer desejo normal, ou lícito.
  • 7. 2. O QUE E O JEJUM E ORAÇÃO? 2.2 - Jejum significa persistência em oração. Podemos orar frequentemente, mas não oramos muito. Separar um tempo para jejum e oração é dispor-se a um sério trabalho com uma persistência que não aceitará uma negação. - A oração persistente, que deixa tudo mais e dá a Deus o devido lugar, frequentemente envolve o jejum.
  • 8. 2. O QUE E O JEJUM E ORAÇÃO? 2.3 - Jejum é uma deliberação de remover todo obstáculo à oração (Hb. 12:1,2). Jejuar é simplesmente colocar de lado todo peso e todo embaraço que impede nossas orações. 2.4 - O jejum manifesta a intensidade de um desejo, a grandeza de uma determinação e da fé. O jejum, pois, revela o fervor e a seriedade da busca da resposta a oração.
  • 9. 3. MOTIVOS QUE LEVARAM AS PESSOAS NA BÍBLIA A JEJUAR - NO VELHO TESTAMENTO 3.1 - Busca de auxilio em tempo de aflição (Sl. 50:15). 3.1.1 - Josué e os anciãos de Israel diante da derrota em Ai (Js.7:b). 3.1.2 - As tribos de Israel quando a tribo de Benjamim foi contra elas (Jz. 20:26). 3.1.3 - Ester, Mordecai e os judeus, quando ameaçados de destruição ( Et.4: 16). 3.1.4 Esdras, quando temeu os inimigos no deserto (Es. 8:21-23). 3.2 - Confissão de pecados (I Sm.7:6;
  • 10. 3. MOTIVOS QUE LEVARAM AS PESSOAS NA BÍBLIA A JEJUAR - NO VELHO TESTAMENTO 3.1 - Busca de auxilio em tempo de aflição (51. 50:15). 3.1.1 - Josué e os anciãos de Israel diante da derrota em Ai (Js.7:b). 3.1.2 - As tribos de Israel quando a tribo de Benjamim foi contra elas (Jz. 20:26). 3.1.3 - Ester, Mordecai e os judeus, quando ameaçados de destruição ( Et.4: 16). 3.1.4 Esdras, quando temeu os inimigos no deserto (Es. 8:21-23).
  • 11. 3. MOTIVOS QUE LEVARAM AS PESSOAS NA BÍBLIA A JEJUAR - NO VELHO TESTAMENTO 3.2 - Confissão de pecados (I Sm.7:6; Jn.3:5-8) 3.3 - Oração por cura (11 Sm. 12:16,21,22). 3.4 - Contrição e quebrantamento (I Rs.21:27). 3.5 - Intercessão (Ne. 1:4; Dn.9:2,J-19). 3.6 - Por revelação (Dn. 10)
  • 12. 4. O JEJUM NO NOVO TESTAMENTO  Não há uma única ordem no Novo Testamento para a Igreja jejuar. Também não há normas estabelecidas. No entanto parece que o jejum é algo que faz parte da vida normal do povo. Os judeus já eram dados ao jejum semanal e os fariseus jejuavam duas vezes por semana.  4.1 – Jesus jejuou após o batismo (Mt.4:2; Lc,4:2). Ele passava noites em oração e, ao que parece, sem comer. Mas não praticava o tipo de jejum dos fariseus ou mesmo de João Batista. Ele deixou, contudo, ensinos sobre o jejum.
  • 13. 4. O JEJUM NO NOVO TESTAMENTO 4.1.1 – Lucas 5:33-35 - Haveria um tempo, depois da Sua partida, em discípulos jejuariam. Há tempos em que o jejum não se faz necessário. Ver ainda Mateus 17:21. 4.1.2 – O jejum deve ser ao Senhor, sem a motivação de impressionar - Mt. 6: 16-18. "Quando Jejuardes". Está implícito que jejum era uma prática indiscutível. Talvez por essa razão não haja nenhum mandamento para que se jejue.
  • 14. 4. O JEJUM NO NOVO TESTAMENTO 4.2 – O jejum no livro de Atos 4.2.1 - Saulo jejuou após o encontro com Cristo a caminho de Damasco (At. 9: 9). Motivo: espera em Deus e busca de revelação. 4.2.2 - Cornélio jejuava quando o anjo lhe trouxe a mensagem de Deus (At. 10:30). Motivo: exercício espiritual diante do Senhor. 4.2.3 - Os profetas e mestres na igreja de Antioquia (At. 13:1-3). Motivo: ministrar ao Senhor, impor as mãos sobre os apóstolos e enviá-los à obra missionária.
  • 15. 4. O JEJUM NO NOVO TESTAMENTO 4.2.4 – Paulo para a separação de presbíteros (At. 14:23). 4.2.5 – As pessoas que viajavam com Paulo para Roma (At. 27:9.33.34). Eram dias de grande perigo. 4.3 - O Jejum nas cartas 4.3.1 - Paulo era dado à prática do jejum (11 Co.6:4,5). 4.3.2 – A única instrução sobre jejum e oração nas cartas e no que se refere ao casal - I Co. 7:4,5.
  • 16. 5. RAZÕES B1BLICAS PARA O CRISTÃO JEJUAR 5.1 - O jejum põe a carne sob sujeição e ajuda na disciplina. Mas ele nada altera a Deus. Ele é o mesmo antes, durante e depois do meu jejum. O beneficio do jejum e para mim, pois ajuda-me a estar mais sensível ao Espírito de Deus. 5.2 - Quando uma necessidade de esperar mais em Deus surge e o Espírito Santo nos impele a jejuar, esse é o tempo para tal. O N.T. não estabelece um pro grama de jejum.
  • 17. 5. RAZÕES B1BLICAS PARA O CRISTÃO JEJUAR O cristão é "guiado pelo Espírito" (Rm. 8:16) e é ele quem vai mostrar por quê como e quando jejuar. Jejuar fora da liderança do Espírito não passa de autopunição. 5.3 – Jejuar com o prop6sito de ministrar ao Senhor. Um tempo de comunhão qualquer interrupção (At.13:2). 5.4 – Para a imposição de mãos sobre obreiros com o fim de enviá-los.
  • 18. 5. RAZÕES B1BLICAS PARA O CRISTÃO JEJUAR 5.5 – Para aproximar-se de Deus em tempos de perigo ou crise. 5.6 – Para fortalecimento espiritual a fim de enfrentar batalhas no reino do Espírito. 5.7 – Por qualquer motivo que o Espírito levar a fazê-lo.
  • 19. 6. CATEGORIAS DE JEJUM  6.1 – O JEJUM PESSOAL. Jesus estabelece princípios para o mesmo em (Mateus 6: 16-18) - É importante salientar que no Novo Testamento não há jejum como castigo ou açoite. No Velho Testamento o arrependimento era expresso pelo lamento e autopunição. No Novo Testamento é dar uma volta, mudar a mente. Deus nos disciplina (Hb. 12:6), mas não com punição corporal. Sua disciplina é exercida pela Palavra (Hb.12:9). Nosso castigo Jesus sofreu, (ls. 53(5)
  • 20. 6. CATEGORIAS DE JEJUM  6.2 – JEJUM PROCLAMADO (Joel 1:14) - Seu objetivo é unir os cristãos em um lugar para ouvirem de Deus.  6.2.1 - Josafá enfrenta uma situação de guerra (11 Cr. 20:1-6).  O jejum proclamado coloca a mente do povo numa mesma direção. Essa direção é Deus. Toda sua atenção se volta para Ele e isso provoca a manifestação de Sua presença.  - Há um poder quando o povo de Deus se une diante de Deus.
  • 21. 6. CATEGORIAS DE JEJUM  6.2.2 - No Novo Testamento há exemplo de jejum coletivo (At.13:1,2).  - Nesse dia de jejum Deus separa os missionários Saulo e 8arnabé.  - O Jejum proclamado é valioso e efetivo porque traz unidade e identidade de propósito. É o mesmo princípio da oração de concordância ou da oração coletiva. Produz poder.
  • 22. 7. PRINCÍPIOS DE DEUS PARA O JEJUM  7.1 - O tipo de jejum que não agrada a Deus - Is. 58:3-5 7.2 - O jejum que agrada a Deus – “...que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaça toso o "ugo" (ls.58:6). 1s. 10:27 diz que o jugo é desfeito por causa da unção. É a única que quebra o jugo. Quando você toma tempo para se humilhar, jejuar, esperar em Deus, interceder e agonizar em oração, você terá...
  • 23. 7. PRINCÍPIOS DE DEUS PARA O JEJUM ... uma grande unção. Você será instrumento de libertação do oprimido e do escravo espiritual. 7.3 – Há uma recompensa para o jejum - Is. 58:8-11. 7.4 - O jejum deve ser um modo de vida. Jejum está associado à oração. Uma vida de jejum, pois, é orar e jejuar, gastar tempo com a Palavra, ministrar ao Senhor e conservar-se numa posição em que possa receber de Deus.
  • 24. 7. PRINCÍPIOS DE DEUS PARA O JEJUM Quem vive a vida de jejum separa-se das coisas só para estar com o Senhor. Se alguém começa a viver esse tipo de vida, o poder no Espírito começará a operar.
  • 25. 8. – ALGUNS PASSOS A TOMAR NO JEJUM:  Coloque-se numa posição em que possa receber de Deus espiritualmente.  8.1 Decida qual o propósito do jejum.  8.2 - Proclame o jejum perante o Senhor.  8.3 Creia que você recebe a recompensa (Mt.6:18) antes do jejum. A recompensa relacionada com o item 1.  8.4 - Ministre ao Senhor (cl.3:16).
  • 26. 8. – ALGUNS PASSOS A TOMAR NO JEJUM:  8.5 Ministre a outros. Sempre ministre a outros depois do jejum. Você precisa usar o poder espiritual dentro de você para satisfazer a necessidade de outros. Se você jejua de acordo com a Palavra de Deus, estará edificado. Ministre a outros durante o jejum apenas se for orientado pelo Pai a fazê-lo.