SlideShare uma empresa Scribd logo
Pr. Jaed Vasconcelos Gomes
INIMIGOS DA
ORAÇÃO
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 “PARA QUE NÃO SE INTERROMPAM AS
VOSSAS ORAÇÕES" (I Pe. 3:7b).
 “...MAS AS VOSSAS INIQUIDADES FAZEM
SEPARAÇÃO ENTRE VÓS E O VOSSO
DEUS; E OS VOSSOS PECADOS
ENCOBREM O SEU ROSTO DE VÓS PARA
QUE VOS NÃO OUÇA" (1s.59:2).
 "PORQUE OS OLHOS DO SENHOR
REPOUSAM SOBRE OS JUSTOS E OS
SEUS. OUVIDOS ESTÃO ABERTOS ÀS
SUAS SOPLICAS; MAS O ROSTO DO
SENHOR ESTÁ CONTRA AQUELES QUE
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 "SE EU NO CORAÇÃO CONTEMPLARA A
VAIDADE, O SENHOR NÃO ME TERIA
OUVIDO" (51. 66: 18).
 O propósito de Deus é ouvir todas as
orações. Jesus disse: "GRAÇAS TE DOU
PORQUE SEMPRE ME OUVES" (Jo11:42).
Mas há obstáculos, problemas, inimigos que
se infiltram na vida de oração e impedem a
manifestação do poder de Deus. Veremos
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 1. RELACIONAMENTOS ERRADOS NA
FAM!LIA (1 Pe.3:7). “Maridos, vós, igualmente,
vivei a vida comum do lar, com discernimento; e,
tendo consideração para com a vossa mulher
como parte mais frágil, tratai-a com dignidade,
porque sois, juntamente, herdeiros da mesma
graça de vida, para que não se interrompam as
vossas orações.”
 O não cumprimento dos deveres dos cônjuges
um para com outro. A vida conjugal deve ser
posta diante de Deus, as orações não estão
sendo respondidas. Podem haver falhas no
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 2. ESPÍRITO NÃO PERDOADOR (Mc. 11:25).
“E, quando estiverdes orando, se tendes
alguma coisa contra alguém, perdoai, para
que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas
ofensas.”
 Nossas orações são ouvidas na base de que
nossos pecados estão perdoados; mas Deus
não pode tratar conosco sobre tal base de
perdão, enquanto nós guardamos o mal,o
espírito de animosidade ou de vingança
contra aqueles que nos ofenderam. Qualquer
que guarda espírito de rancor ou mágoa
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 3. CONTENDA (Tg.3:16) “Pois, onde há
inveja e sentimento faccioso, aí há confusão e
toda espécie de coisas ruins.”
 A contenda é simplesmente agir movido pela
falta de perdão. Paulo declara que por causa
de contendas Satanás pode tornar cristãos
prisioneiros de sua vontade.
 A ausência de contendas é a chave para
afastar a confusão e o mal. Dê a Deus a o-
portunidade de criar um sistema de harmonia
em volta de você e sua vida de oração
começará a funcionar.
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 4. MOTIVAÇÃO ERRADA (Tg.4:3)” Infiéis,
não compreendeis que a amizade do mundo
é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser
ser amigo do mundo constitui-se inimigo de
Deus.”
 Um sério obstáculo à oração é pedir a Deus
coisas que realmente não necessitamos, com
o propósito de satisfazer desejos egoístas.
Orar com uma motivação egoísta. "QUER
COMAIS, QUERBEBAIS, FAZEI TUDO PARA
A GLÓRIA DE DEUS" (I Co. 10:31).
 Podemos orar por coisas em linha com a
vontade de Deus, mas se o motivo for errado,
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 5. TODA A FORMA DE DESOBEDIÊNCIA A DEUS
(Is.59:1.2). Eis que a mão do SENHOR não está
encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o
seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas
iniquidades fazem separação entre vós e o vosso
Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto
de vós, para que vos não ouça.
 Uma atitude de rebeldia ou desobediência à Palavra
de Deus fecha os céus para nós. Qualquer pecado
inconfessado torna-se inimigo da oração. Uma vida
de obediência,porém, abre o caminho à resposta de
Deus "E AQUILO QUE PEDIMOS, DELE
RECEBEMOS, PORQUE GUARDAMOS OS SEUS
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 6. ÍDOLOS NO CORAÇÃO (Ez.l4:3) “Filho do
homem, estes homens levantaram os seus
ídolos dentro do seu coração, tropeço para a
iniqüidade que sempre têm eles diante de si;
acaso, permitirei que eles me interroguem?”
 Ídolo é toda e qualquer pessoa ou coisa que
toma o lugar de Deus navida de alguém. É
aquilo que se torna o objeto supremo da
afeição. Aquilo que mais ocupa nosso
pensamento. Deus deve ser supremo em
nossa vida.
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 7. FALTA DE GENEROSIDADE PARACOM
OS POBRES E O TRABALHO DE DEUS.
(Pv.21:13)” O que tapa o ouvido ao clamor do
pobre também clamará e não será ouvido.”
 A recusa de ajudar o que se encontra em
necessidade, quando podemos fazê-lo,
impede a resposta às nossas orações.
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 8. DÚVIDA E INCREDUALIDADE (Tg 1:5-7). “Se,
porém, algum de vós necessita de sabedoria,
peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e
nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida.
Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois
o que duvida é semelhante à onda do mar,
impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse
homem que alcançará do Senhor alguma coisa;”
 A dúvida é a ladra da benção de Deus. A dúvida
vem da ignorância da Palavra de Deus.
 A incredulidade é quando alguém sabe que há
um Deus que responde as orações, e ainda
assim não crê em Sua Palavra. E não crer nas
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 9. UMA DISPOSIÇÃO DE LER SOBRE
ORAÇÃO E SOBREA BÍBLIA, EM VEZ DE
ESTUDAR A PALAVRA E ENTRAR NA
ARENA DA ORAÇÃO.
 A oração é a maior e mais santa das
vocações. Saber sobre oração não garante
ares posta, mas o por a Palavra em operação
para receber de Deus aquilo que Ele prome-
teu.
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 10.FALTA DE ENTENDIMENTO DA NOSSA
POSIÇÃO EM CRISTO.
 Talvez esse seja o maior inimigo. Ignorância
quanto aos privilégios e direitos de redenção.
Daquilo que Cristo é em nós e do que somos
nEle. Um desconhecimento da extensão do
que "Ele fez por nós e direitos legais,
outorgados em Graça, diante do Trono.
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 11. UMA CONFISSÃOERRADA (Rm. 10:9). ” Se,
com a tua boca, confessares Jesus como Senhor
e, em teu coração, creres que Deus o res”
 O cristianismo e uma grande confissão.
Confissão e o reconhecimento verbal do que
Deus fez por nós em Cristo
 (Hb.3:1) “Por isso, santos irmãos, que participais
da vocação celestial, considerai atentamente o
Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão,
Jesus, ”
 (Hb 4:14). Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus,
como grande sumo sacerdote que penetrou os
INIMIGOS DA ORAÇÃO
 12. DEPENDER DA FÉ DO OUTRO.
 A cada crente Deus deu uma medida de fé.
Ela veio quando nos tornamos uma nova
criação em Cristo e recebemos a natureza de
Deus. Assim como desenvolvemos nossas
capacidades físicas e mentais pelo exercício,
desenvolvemos nossa fé pelo alimento da
Palavra de Deus (Jo 15:7).” Se
permanecerdes em mim, e as minhas
palavras permanecerem em vós, pedireis o
que quiserdes, e vos será feito.”

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento EspiritualLição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Éder Tomé
 
6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus
Moisés Sampaio
 
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
4.a vida de oração do cristão
4.a vida de oração do cristão4.a vida de oração do cristão
4.a vida de oração do cristão
talmidimted
 
Apostila completa seminario de cura e libertacao (1)
Apostila completa seminario de cura e libertacao (1)Apostila completa seminario de cura e libertacao (1)
Apostila completa seminario de cura e libertacao (1)
Eduardo Bispo Silva
 
Armadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do FimArmadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do Fim
Anderson Damasceno
 
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de DeusLição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Éder Tomé
 
Como dirigir um culto
Como dirigir um cultoComo dirigir um culto
Como dirigir um culto
Paulo Roberto
 
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Estudo Sobre o Espírito Santo
Estudo Sobre o Espírito SantoEstudo Sobre o Espírito Santo
Estudo Sobre o Espírito Santo
Rodrigo Bomfim
 
Meus esboços 1
Meus esboços 1Meus esboços 1
Meus esboços 1
Carlos Allvarenga
 
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãLição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Joanilson França Garcia
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Erberson Pinheiro
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologia
Alberto Nery
 
Lição 11 – Discernimento de Espíritos – Um Dom imprescindível
Lição 11 – Discernimento de Espíritos – Um Dom imprescindívelLição 11 – Discernimento de Espíritos – Um Dom imprescindível
Lição 11 – Discernimento de Espíritos – Um Dom imprescindível
Éder Tomé
 
Vida de oração
Vida de oraçãoVida de oração
Vida de oração
Márcio Melânia
 
Indo a Cruz
Indo a CruzIndo a Cruz
Indo a Cruz
Liliane Santos
 
Adolescentes Cristãos - Como devem ser?
Adolescentes Cristãos - Como devem ser?Adolescentes Cristãos - Como devem ser?
Adolescentes Cristãos - Como devem ser?Márcio Pereira
 
Jejum e oração
Jejum e oraçãoJejum e oração
Jejum e oração
marcelino025
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Moisés Sampaio
 

Mais procurados (20)

Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento EspiritualLição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
 
6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus
 
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
 
4.a vida de oração do cristão
4.a vida de oração do cristão4.a vida de oração do cristão
4.a vida de oração do cristão
 
Apostila completa seminario de cura e libertacao (1)
Apostila completa seminario de cura e libertacao (1)Apostila completa seminario de cura e libertacao (1)
Apostila completa seminario de cura e libertacao (1)
 
Armadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do FimArmadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do Fim
 
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de DeusLição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
 
Como dirigir um culto
Como dirigir um cultoComo dirigir um culto
Como dirigir um culto
 
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
 
Estudo Sobre o Espírito Santo
Estudo Sobre o Espírito SantoEstudo Sobre o Espírito Santo
Estudo Sobre o Espírito Santo
 
Meus esboços 1
Meus esboços 1Meus esboços 1
Meus esboços 1
 
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãLição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologia
 
Lição 11 – Discernimento de Espíritos – Um Dom imprescindível
Lição 11 – Discernimento de Espíritos – Um Dom imprescindívelLição 11 – Discernimento de Espíritos – Um Dom imprescindível
Lição 11 – Discernimento de Espíritos – Um Dom imprescindível
 
Vida de oração
Vida de oraçãoVida de oração
Vida de oração
 
Indo a Cruz
Indo a CruzIndo a Cruz
Indo a Cruz
 
Adolescentes Cristãos - Como devem ser?
Adolescentes Cristãos - Como devem ser?Adolescentes Cristãos - Como devem ser?
Adolescentes Cristãos - Como devem ser?
 
Jejum e oração
Jejum e oraçãoJejum e oração
Jejum e oração
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 

Destaque

Os 7 (sete) vermes da destruição
Os 7 (sete) vermes da destruiçãoOs 7 (sete) vermes da destruição
Os 7 (sete) vermes da destruição
Gaspar Neto
 
Estudo doutrinário 2 oração
Estudo doutrinário  2   oraçãoEstudo doutrinário  2   oração
Estudo doutrinário 2 oração
Ufabi Melo
 
Casados p sempre
Casados p sempreCasados p sempre
Casados p sempre
iceanapolis
 
Projeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para SempreProjeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para Sempre
Solinftec
 
As bases do casamento cristão
As bases do casamento cristãoAs bases do casamento cristão
As bases do casamento cristão
Moisés Sampaio
 
Apostila palestra para casais
Apostila   palestra para casaisApostila   palestra para casais
Apostila palestra para casais
Construção Edificações
 
Lição 11 | Vivendo pela fé | Escola Sabatina
Lição 11 | Vivendo pela fé | Escola SabatinaLição 11 | Vivendo pela fé | Escola Sabatina
Lição 11 | Vivendo pela fé | Escola Sabatina
jespadill
 
City Tours Celendin
City  Tours  CelendinCity  Tours  Celendin
City Tours Celendin
j_aspillaga
 
Observing the-everyday jay.doc (6)
Observing the-everyday jay.doc (6)Observing the-everyday jay.doc (6)
Observing the-everyday jay.doc (6)
Schani B
 
EAN Partner Summit 2011: EAN - The Road Ahead
EAN Partner Summit 2011: EAN - The Road AheadEAN Partner Summit 2011: EAN - The Road Ahead
EAN Partner Summit 2011: EAN - The Road Ahead
Expedia Affiliate Network
 
Guía de análisis de fuentes
Guía de análisis de fuentesGuía de análisis de fuentes
Guía de análisis de fuentes
Sgarcia137
 
Escravos da ignorância
Escravos da ignorânciaEscravos da ignorância
Escravos da ignorância
Luciano Vieira
 
From Design to Delivery
From Design to DeliveryFrom Design to Delivery
From Design to Delivery
Jeff Cortez
 
Action for Rural Rejuvenation
Action for Rural RejuvenationAction for Rural Rejuvenation
Action for Rural Rejuvenation
Isha Outreach
 
Measuring The Immeasurable - Visitor Engagement
Measuring The Immeasurable - Visitor EngagementMeasuring The Immeasurable - Visitor Engagement
Measuring The Immeasurable - Visitor Engagement
Leonardo Naressi
 
call outs thoughts style 2 powerpoint presentation templates
call outs thoughts style 2 powerpoint presentation templatescall outs thoughts style 2 powerpoint presentation templates
call outs thoughts style 2 powerpoint presentation templates
SlideTeam.net
 
Grupo de alimentos
Grupo de alimentosGrupo de alimentos
Grupo de alimentos
Hugo Cesar Monterrosa Garcia
 
Counting Clicks Auditing Your Web Site Activity
Counting Clicks   Auditing Your Web Site ActivityCounting Clicks   Auditing Your Web Site Activity
Counting Clicks Auditing Your Web Site Activity
Leonardo Naressi
 
Apresentacao Comite de Metricas IAB - Maio/2012
Apresentacao Comite de Metricas IAB - Maio/2012Apresentacao Comite de Metricas IAB - Maio/2012
Apresentacao Comite de Metricas IAB - Maio/2012
Leonardo Naressi
 

Destaque (20)

Os 7 (sete) vermes da destruição
Os 7 (sete) vermes da destruiçãoOs 7 (sete) vermes da destruição
Os 7 (sete) vermes da destruição
 
Estudo doutrinário 2 oração
Estudo doutrinário  2   oraçãoEstudo doutrinário  2   oração
Estudo doutrinário 2 oração
 
Casados p sempre
Casados p sempreCasados p sempre
Casados p sempre
 
Projeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para SempreProjeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para Sempre
 
As bases do casamento cristão
As bases do casamento cristãoAs bases do casamento cristão
As bases do casamento cristão
 
Apostila palestra para casais
Apostila   palestra para casaisApostila   palestra para casais
Apostila palestra para casais
 
Lição 11 | Vivendo pela fé | Escola Sabatina
Lição 11 | Vivendo pela fé | Escola SabatinaLição 11 | Vivendo pela fé | Escola Sabatina
Lição 11 | Vivendo pela fé | Escola Sabatina
 
City Tours Celendin
City  Tours  CelendinCity  Tours  Celendin
City Tours Celendin
 
Observing the-everyday jay.doc (6)
Observing the-everyday jay.doc (6)Observing the-everyday jay.doc (6)
Observing the-everyday jay.doc (6)
 
Опыт XML
Опыт XMLОпыт XML
Опыт XML
 
EAN Partner Summit 2011: EAN - The Road Ahead
EAN Partner Summit 2011: EAN - The Road AheadEAN Partner Summit 2011: EAN - The Road Ahead
EAN Partner Summit 2011: EAN - The Road Ahead
 
Guía de análisis de fuentes
Guía de análisis de fuentesGuía de análisis de fuentes
Guía de análisis de fuentes
 
Escravos da ignorância
Escravos da ignorânciaEscravos da ignorância
Escravos da ignorância
 
From Design to Delivery
From Design to DeliveryFrom Design to Delivery
From Design to Delivery
 
Action for Rural Rejuvenation
Action for Rural RejuvenationAction for Rural Rejuvenation
Action for Rural Rejuvenation
 
Measuring The Immeasurable - Visitor Engagement
Measuring The Immeasurable - Visitor EngagementMeasuring The Immeasurable - Visitor Engagement
Measuring The Immeasurable - Visitor Engagement
 
call outs thoughts style 2 powerpoint presentation templates
call outs thoughts style 2 powerpoint presentation templatescall outs thoughts style 2 powerpoint presentation templates
call outs thoughts style 2 powerpoint presentation templates
 
Grupo de alimentos
Grupo de alimentosGrupo de alimentos
Grupo de alimentos
 
Counting Clicks Auditing Your Web Site Activity
Counting Clicks   Auditing Your Web Site ActivityCounting Clicks   Auditing Your Web Site Activity
Counting Clicks Auditing Your Web Site Activity
 
Apresentacao Comite de Metricas IAB - Maio/2012
Apresentacao Comite de Metricas IAB - Maio/2012Apresentacao Comite de Metricas IAB - Maio/2012
Apresentacao Comite de Metricas IAB - Maio/2012
 

Semelhante a Estudo 04 inimigos da oração

Elementos para uma oraçao vitoriosa
Elementos para uma oraçao vitoriosaElementos para uma oraçao vitoriosa
Elementos para uma oraçao vitoriosa
Carlos Allvarenga
 
tema3 para encontro de casais viverem unidos.ppt
tema3 para encontro de casais viverem unidos.ppttema3 para encontro de casais viverem unidos.ppt
tema3 para encontro de casais viverem unidos.ppt
ValdineyRodriguesBez1
 
Propósito com a oração.
Propósito com a oração.Propósito com a oração.
Propósito com a oração.
Quenia Damata
 
Palestra Prece
Palestra PrecePalestra Prece
Palestra Prece
Grupo Espírita Cristão
 
O Poder da Oração - Autores diversos
O Poder da Oração - Autores diversosO Poder da Oração - Autores diversos
O Poder da Oração - Autores diversos
edbtr
 
Segredos de uma oração poderosa e eficaz
Segredos de uma oração poderosa e eficazSegredos de uma oração poderosa e eficaz
Segredos de uma oração poderosa e eficaz
Juraci Rocha
 
Porque muitas orações não são respondidas
Porque muitas orações não são respondidasPorque muitas orações não são respondidas
Porque muitas orações não são respondidas
Marcelo Joaquim Joa
 
Interpretando a Oração Pai Nosso
Interpretando a Oração Pai NossoInterpretando a Oração Pai Nosso
Interpretando a Oração Pai Nosso
Helio Cruz
 
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base .pdf
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base  .pdfIntercessão e batalha espiritual igreja escola base  .pdf
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base .pdf
DenivalSouza1
 
Chanuká 2011 - consagração
Chanuká   2011 - consagraçãoChanuká   2011 - consagração
Chanuká 2011 - consagração
Paulo De Tarso Fernandes
 
A Guerra Espiritual:Como Superar Nestes Tempos Difíceis!
A Guerra Espiritual:Como Superar Nestes Tempos Difíceis! A Guerra Espiritual:Como Superar Nestes Tempos Difíceis!
A Guerra Espiritual:Como Superar Nestes Tempos Difíceis!
Dennis Edwards
 
estudos 2.docx
estudos 2.docxestudos 2.docx
estudos 2.docx
sergio dos santos
 
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdf
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdfIntercessão e batalha espiritual Débora.pdf
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdf
DenivalSouza1
 
Interpretação da oração pai nosso
Interpretação da oração pai nossoInterpretação da oração pai nosso
Interpretação da oração pai nosso
Helio Cruz
 
Institutogamaliel.com 12 coisas-que_voc_precisa_saber_sobre_a_orao
Institutogamaliel.com 12 coisas-que_voc_precisa_saber_sobre_a_oraoInstitutogamaliel.com 12 coisas-que_voc_precisa_saber_sobre_a_orao
Institutogamaliel.com 12 coisas-que_voc_precisa_saber_sobre_a_orao
Instituto Teológico Gamaliel
 
A prece
A preceA prece
A prece
Mila Genç
 
opoderdaoração.ppt
opoderdaoração.pptopoderdaoração.ppt
opoderdaoração.ppt
erlanemuniz
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
pohlos
 
D 13 Preçe e Culto
D 13  Preçe e CultoD 13  Preçe e Culto
D 13 Preçe e Culto
JPS Junior
 
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Luiza Dayana
 

Semelhante a Estudo 04 inimigos da oração (20)

Elementos para uma oraçao vitoriosa
Elementos para uma oraçao vitoriosaElementos para uma oraçao vitoriosa
Elementos para uma oraçao vitoriosa
 
tema3 para encontro de casais viverem unidos.ppt
tema3 para encontro de casais viverem unidos.ppttema3 para encontro de casais viverem unidos.ppt
tema3 para encontro de casais viverem unidos.ppt
 
Propósito com a oração.
Propósito com a oração.Propósito com a oração.
Propósito com a oração.
 
Palestra Prece
Palestra PrecePalestra Prece
Palestra Prece
 
O Poder da Oração - Autores diversos
O Poder da Oração - Autores diversosO Poder da Oração - Autores diversos
O Poder da Oração - Autores diversos
 
Segredos de uma oração poderosa e eficaz
Segredos de uma oração poderosa e eficazSegredos de uma oração poderosa e eficaz
Segredos de uma oração poderosa e eficaz
 
Porque muitas orações não são respondidas
Porque muitas orações não são respondidasPorque muitas orações não são respondidas
Porque muitas orações não são respondidas
 
Interpretando a Oração Pai Nosso
Interpretando a Oração Pai NossoInterpretando a Oração Pai Nosso
Interpretando a Oração Pai Nosso
 
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base .pdf
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base  .pdfIntercessão e batalha espiritual igreja escola base  .pdf
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base .pdf
 
Chanuká 2011 - consagração
Chanuká   2011 - consagraçãoChanuká   2011 - consagração
Chanuká 2011 - consagração
 
A Guerra Espiritual:Como Superar Nestes Tempos Difíceis!
A Guerra Espiritual:Como Superar Nestes Tempos Difíceis! A Guerra Espiritual:Como Superar Nestes Tempos Difíceis!
A Guerra Espiritual:Como Superar Nestes Tempos Difíceis!
 
estudos 2.docx
estudos 2.docxestudos 2.docx
estudos 2.docx
 
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdf
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdfIntercessão e batalha espiritual Débora.pdf
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdf
 
Interpretação da oração pai nosso
Interpretação da oração pai nossoInterpretação da oração pai nosso
Interpretação da oração pai nosso
 
Institutogamaliel.com 12 coisas-que_voc_precisa_saber_sobre_a_orao
Institutogamaliel.com 12 coisas-que_voc_precisa_saber_sobre_a_oraoInstitutogamaliel.com 12 coisas-que_voc_precisa_saber_sobre_a_orao
Institutogamaliel.com 12 coisas-que_voc_precisa_saber_sobre_a_orao
 
A prece
A preceA prece
A prece
 
opoderdaoração.ppt
opoderdaoração.pptopoderdaoração.ppt
opoderdaoração.ppt
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
 
D 13 Preçe e Culto
D 13  Preçe e CultoD 13  Preçe e Culto
D 13 Preçe e Culto
 
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
 

Mais de Jaed Gomes

Estudo 17 plano de uma ora de oração
Estudo 17   plano de uma ora de oraçãoEstudo 17   plano de uma ora de oração
Estudo 17 plano de uma ora de oração
Jaed Gomes
 
Estudo 16 oração e jejum
Estudo 16   oração e jejumEstudo 16   oração e jejum
Estudo 16 oração e jejum
Jaed Gomes
 
Estudo 15 11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
Estudo 15  11 - aspectos importantes da oração bem sucedidaEstudo 15  11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
Estudo 15 11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
Jaed Gomes
 
Estudo 14 10 – arma contra as interferências em nossas orações.
Estudo 14  10 – arma contra as interferências em nossas orações.Estudo 14  10 – arma contra as interferências em nossas orações.
Estudo 14 10 – arma contra as interferências em nossas orações.
Jaed Gomes
 
Estudo 13 9 - recursos a serem usados nas orações
Estudo 13  9 - recursos a serem usados nas oraçõesEstudo 13  9 - recursos a serem usados nas orações
Estudo 13 9 - recursos a serem usados nas orações
Jaed Gomes
 
Estudo 12 8 - métodos ou formas de oração
Estudo 12   8 - métodos ou formas de oraçãoEstudo 12   8 - métodos ou formas de oração
Estudo 12 8 - métodos ou formas de oração
Jaed Gomes
 
Estudo 11 7 - intercessão
Estudo 11   7 - intercessãoEstudo 11   7 - intercessão
Estudo 11 7 - intercessão
Jaed Gomes
 
Estudo 10 6. entrega
Estudo 10   6. entregaEstudo 10   6. entrega
Estudo 10 6. entrega
Jaed Gomes
 
Estudo 09 5. consagração ou dedicação
Estudo 09  5. consagração ou dedicaçãoEstudo 09  5. consagração ou dedicação
Estudo 09 5. consagração ou dedicação
Jaed Gomes
 
Estudo 08 4. petição e súplica
Estudo 08   4. petição e súplicaEstudo 08   4. petição e súplica
Estudo 08 4. petição e súplica
Jaed Gomes
 
Estudo 07 3. oração de adoração
Estudo 07   3. oração de adoraçãoEstudo 07   3. oração de adoração
Estudo 07 3. oração de adoração
Jaed Gomes
 
Estudo 06 2 oração de louvor
Estudo 06   2 oração de louvorEstudo 06   2 oração de louvor
Estudo 06 2 oração de louvor
Jaed Gomes
 
Estudo 05 1 ações de graças
Estudo 05   1 ações de graçasEstudo 05   1 ações de graças
Estudo 05 1 ações de graças
Jaed Gomes
 
Estudo 03 a vida pessoal do guerreiro de oração
Estudo 03   a vida pessoal do guerreiro de oraçãoEstudo 03   a vida pessoal do guerreiro de oração
Estudo 03 a vida pessoal do guerreiro de oração
Jaed Gomes
 
Estudo 02 porque orar
Estudo 02   porque orarEstudo 02   porque orar
Estudo 02 porque orar
Jaed Gomes
 
Estudo 01 tipos de oração geral
Estudo 01  tipos de oração geralEstudo 01  tipos de oração geral
Estudo 01 tipos de oração geral
Jaed Gomes
 

Mais de Jaed Gomes (16)

Estudo 17 plano de uma ora de oração
Estudo 17   plano de uma ora de oraçãoEstudo 17   plano de uma ora de oração
Estudo 17 plano de uma ora de oração
 
Estudo 16 oração e jejum
Estudo 16   oração e jejumEstudo 16   oração e jejum
Estudo 16 oração e jejum
 
Estudo 15 11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
Estudo 15  11 - aspectos importantes da oração bem sucedidaEstudo 15  11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
Estudo 15 11 - aspectos importantes da oração bem sucedida
 
Estudo 14 10 – arma contra as interferências em nossas orações.
Estudo 14  10 – arma contra as interferências em nossas orações.Estudo 14  10 – arma contra as interferências em nossas orações.
Estudo 14 10 – arma contra as interferências em nossas orações.
 
Estudo 13 9 - recursos a serem usados nas orações
Estudo 13  9 - recursos a serem usados nas oraçõesEstudo 13  9 - recursos a serem usados nas orações
Estudo 13 9 - recursos a serem usados nas orações
 
Estudo 12 8 - métodos ou formas de oração
Estudo 12   8 - métodos ou formas de oraçãoEstudo 12   8 - métodos ou formas de oração
Estudo 12 8 - métodos ou formas de oração
 
Estudo 11 7 - intercessão
Estudo 11   7 - intercessãoEstudo 11   7 - intercessão
Estudo 11 7 - intercessão
 
Estudo 10 6. entrega
Estudo 10   6. entregaEstudo 10   6. entrega
Estudo 10 6. entrega
 
Estudo 09 5. consagração ou dedicação
Estudo 09  5. consagração ou dedicaçãoEstudo 09  5. consagração ou dedicação
Estudo 09 5. consagração ou dedicação
 
Estudo 08 4. petição e súplica
Estudo 08   4. petição e súplicaEstudo 08   4. petição e súplica
Estudo 08 4. petição e súplica
 
Estudo 07 3. oração de adoração
Estudo 07   3. oração de adoraçãoEstudo 07   3. oração de adoração
Estudo 07 3. oração de adoração
 
Estudo 06 2 oração de louvor
Estudo 06   2 oração de louvorEstudo 06   2 oração de louvor
Estudo 06 2 oração de louvor
 
Estudo 05 1 ações de graças
Estudo 05   1 ações de graçasEstudo 05   1 ações de graças
Estudo 05 1 ações de graças
 
Estudo 03 a vida pessoal do guerreiro de oração
Estudo 03   a vida pessoal do guerreiro de oraçãoEstudo 03   a vida pessoal do guerreiro de oração
Estudo 03 a vida pessoal do guerreiro de oração
 
Estudo 02 porque orar
Estudo 02   porque orarEstudo 02   porque orar
Estudo 02 porque orar
 
Estudo 01 tipos de oração geral
Estudo 01  tipos de oração geralEstudo 01  tipos de oração geral
Estudo 01 tipos de oração geral
 

Último

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 

Último (20)

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 

Estudo 04 inimigos da oração

  • 1. Pr. Jaed Vasconcelos Gomes INIMIGOS DA ORAÇÃO
  • 2. INIMIGOS DA ORAÇÃO  “PARA QUE NÃO SE INTERROMPAM AS VOSSAS ORAÇÕES" (I Pe. 3:7b).  “...MAS AS VOSSAS INIQUIDADES FAZEM SEPARAÇÃO ENTRE VÓS E O VOSSO DEUS; E OS VOSSOS PECADOS ENCOBREM O SEU ROSTO DE VÓS PARA QUE VOS NÃO OUÇA" (1s.59:2).  "PORQUE OS OLHOS DO SENHOR REPOUSAM SOBRE OS JUSTOS E OS SEUS. OUVIDOS ESTÃO ABERTOS ÀS SUAS SOPLICAS; MAS O ROSTO DO SENHOR ESTÁ CONTRA AQUELES QUE
  • 3. INIMIGOS DA ORAÇÃO  "SE EU NO CORAÇÃO CONTEMPLARA A VAIDADE, O SENHOR NÃO ME TERIA OUVIDO" (51. 66: 18).  O propósito de Deus é ouvir todas as orações. Jesus disse: "GRAÇAS TE DOU PORQUE SEMPRE ME OUVES" (Jo11:42). Mas há obstáculos, problemas, inimigos que se infiltram na vida de oração e impedem a manifestação do poder de Deus. Veremos
  • 4. INIMIGOS DA ORAÇÃO  1. RELACIONAMENTOS ERRADOS NA FAM!LIA (1 Pe.3:7). “Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações.”  O não cumprimento dos deveres dos cônjuges um para com outro. A vida conjugal deve ser posta diante de Deus, as orações não estão sendo respondidas. Podem haver falhas no
  • 5. INIMIGOS DA ORAÇÃO  2. ESPÍRITO NÃO PERDOADOR (Mc. 11:25). “E, quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas.”  Nossas orações são ouvidas na base de que nossos pecados estão perdoados; mas Deus não pode tratar conosco sobre tal base de perdão, enquanto nós guardamos o mal,o espírito de animosidade ou de vingança contra aqueles que nos ofenderam. Qualquer que guarda espírito de rancor ou mágoa
  • 6. INIMIGOS DA ORAÇÃO  3. CONTENDA (Tg.3:16) “Pois, onde há inveja e sentimento faccioso, aí há confusão e toda espécie de coisas ruins.”  A contenda é simplesmente agir movido pela falta de perdão. Paulo declara que por causa de contendas Satanás pode tornar cristãos prisioneiros de sua vontade.  A ausência de contendas é a chave para afastar a confusão e o mal. Dê a Deus a o- portunidade de criar um sistema de harmonia em volta de você e sua vida de oração começará a funcionar.
  • 7. INIMIGOS DA ORAÇÃO  4. MOTIVAÇÃO ERRADA (Tg.4:3)” Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.”  Um sério obstáculo à oração é pedir a Deus coisas que realmente não necessitamos, com o propósito de satisfazer desejos egoístas. Orar com uma motivação egoísta. "QUER COMAIS, QUERBEBAIS, FAZEI TUDO PARA A GLÓRIA DE DEUS" (I Co. 10:31).  Podemos orar por coisas em linha com a vontade de Deus, mas se o motivo for errado,
  • 8. INIMIGOS DA ORAÇÃO  5. TODA A FORMA DE DESOBEDIÊNCIA A DEUS (Is.59:1.2). Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.  Uma atitude de rebeldia ou desobediência à Palavra de Deus fecha os céus para nós. Qualquer pecado inconfessado torna-se inimigo da oração. Uma vida de obediência,porém, abre o caminho à resposta de Deus "E AQUILO QUE PEDIMOS, DELE RECEBEMOS, PORQUE GUARDAMOS OS SEUS
  • 9. INIMIGOS DA ORAÇÃO  6. ÍDOLOS NO CORAÇÃO (Ez.l4:3) “Filho do homem, estes homens levantaram os seus ídolos dentro do seu coração, tropeço para a iniqüidade que sempre têm eles diante de si; acaso, permitirei que eles me interroguem?”  Ídolo é toda e qualquer pessoa ou coisa que toma o lugar de Deus navida de alguém. É aquilo que se torna o objeto supremo da afeição. Aquilo que mais ocupa nosso pensamento. Deus deve ser supremo em nossa vida.
  • 10. INIMIGOS DA ORAÇÃO  7. FALTA DE GENEROSIDADE PARACOM OS POBRES E O TRABALHO DE DEUS. (Pv.21:13)” O que tapa o ouvido ao clamor do pobre também clamará e não será ouvido.”  A recusa de ajudar o que se encontra em necessidade, quando podemos fazê-lo, impede a resposta às nossas orações.
  • 11. INIMIGOS DA ORAÇÃO  8. DÚVIDA E INCREDUALIDADE (Tg 1:5-7). “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa;”  A dúvida é a ladra da benção de Deus. A dúvida vem da ignorância da Palavra de Deus.  A incredulidade é quando alguém sabe que há um Deus que responde as orações, e ainda assim não crê em Sua Palavra. E não crer nas
  • 12. INIMIGOS DA ORAÇÃO  9. UMA DISPOSIÇÃO DE LER SOBRE ORAÇÃO E SOBREA BÍBLIA, EM VEZ DE ESTUDAR A PALAVRA E ENTRAR NA ARENA DA ORAÇÃO.  A oração é a maior e mais santa das vocações. Saber sobre oração não garante ares posta, mas o por a Palavra em operação para receber de Deus aquilo que Ele prome- teu.
  • 13. INIMIGOS DA ORAÇÃO  10.FALTA DE ENTENDIMENTO DA NOSSA POSIÇÃO EM CRISTO.  Talvez esse seja o maior inimigo. Ignorância quanto aos privilégios e direitos de redenção. Daquilo que Cristo é em nós e do que somos nEle. Um desconhecimento da extensão do que "Ele fez por nós e direitos legais, outorgados em Graça, diante do Trono.
  • 14. INIMIGOS DA ORAÇÃO  11. UMA CONFISSÃOERRADA (Rm. 10:9). ” Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o res”  O cristianismo e uma grande confissão. Confissão e o reconhecimento verbal do que Deus fez por nós em Cristo  (Hb.3:1) “Por isso, santos irmãos, que participais da vocação celestial, considerai atentamente o Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão, Jesus, ”  (Hb 4:14). Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os
  • 15. INIMIGOS DA ORAÇÃO  12. DEPENDER DA FÉ DO OUTRO.  A cada crente Deus deu uma medida de fé. Ela veio quando nos tornamos uma nova criação em Cristo e recebemos a natureza de Deus. Assim como desenvolvemos nossas capacidades físicas e mentais pelo exercício, desenvolvemos nossa fé pelo alimento da Palavra de Deus (Jo 15:7).” Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito.”