SlideShare uma empresa Scribd logo
DE ACORDO COM GÊNERO, INFANTIL, JUVENIL ALTURA ESTIMADA; É
POSSÍVEL PROJETAR A PROVÁVEL ESTATURA ALVO GENÉTICA
CONSIDERANDO A ESTATURA MÉDIA DOS PAIS, MAS DEVEM-SE LEVAR
EM CONSIDERAÇÃO EVENTUAIS TRANSTORNOS HORMONAIS, FUNÇÕES
FISIOLÓGICAS E METABÓLICAS.
As variáveis inferidas no crescimento pondo-estatural longitudinal ou
linear em fetos, crianças neonatas, infantil, juvenil e mesmo pré-púberes
finalizado com a conclusão da puberdade são imensas, entretanto, é
possível estimarmos tais variáveis desde que consideremos os fatores
significativos que os compromete. Existe uma correlação positiva entre a
média de altura dos pais (média entre as estaturas de ambos os pais) e a
estatura de uma criança. Entretanto, considere que a terapêutica da
deficiência de crescimento com todas as variantes e incluindo as
idiopáticas só ocorreram após o ano de 1986 com o advento do GH-
hormônio de crescimento por DNA-recombinante e muito provavelmente
seus pais não fizeram uso da terapêutica correta que é recente, portanto,
avaliação estatural ou velocidade de crescimento só beneficiou nossos
filhos. A luta pela descoberta do hormônio de crescimento (GH) foi
prolongada e dura. O caminho tortuoso, a descoberta fascinante envolveu
uma série de médicos, químicos, fisiologistas e patologistas. O conto é
repleto de idéias incríveis, bem como erros impressionantes, acasos e
trabalhos sem sucesso, e os triunfos e derrotas. Os esforços para adquirir
pituitária GH para o tratamento de crianças com deficiência do hormônio
de crescimento-DGH iniciada em meados dos anos 1940. O trabalho inicial
foi em subprimates por quase uma década. Estes esforços levaram à
purificação de GH bovino por Li e Evans, da Universidade da Califórnia, em
Berkeley, e Fishman em Yale. E GH suína purificada por Raben e
Westermeyer, na Tufts. Mas nenhuma destas preparações mostrou uma
atividade bioquímica ou metabólica significativa porque o efeito de GH é
espécies específicas. O GH-hormônio do crescimento, primeiro foi isolado
a partir de glândula pituitária humana, em 1956, por ambos Li e Papkoff,
na Califórnia, e Raben, em Massachusetts, mas a sua estrutura bioquímica
não foi elucidada até 1972. Em 1960, a Agência de Pituitária Nacional
(NPA) foi formada para promover os objetivos de coordenar coleção e
extração de pituitária para apoiar tanto a pesquisa básica quanto a clínica.
Em 1985, EUA Food and Drug Administration (FDA dos EUA) recebeu
relatos de quatro jovens adultos nos Estados Unidos com o fatal, lento
viral (mediada por
príon) Creutzfeldt
Jakob (CJD), que
tinham sido tratados
com GH a partir do
NPA na década de
1960. A conexão foi
reconhecida na
revisão de dados
dentro de alguns
meses pelo FDA e
NIH. Em 19 de abril
de 1985, a distribuição de hipófise GH foi suspensa e uso de GH pituitária
humana rapidamente cessou. A identificação da estrutura bioquímica de
GH em 1972 tornou-se o catalisador para o desenvolvimento do
recombinante humano de GH derivado de DNA, o gene para o qual foi
clonado pela primeira vez em 1979. Genentech (San Francisco, Califórnia),
desenvolvido em 1981, o primeiro recombinante GH humano (rhGH), por
um processo de biossíntese. Mais tarde, um processo melhorado para
desenvolver o rhGH foi desenvolvido chamado tecnologia de secreção de
proteínas. Em que, o plasmídeo vetor é isolado a partir de uma estirpe de
E. coli e a cadeia de DNA a ser clonada é derivada a partir da fonte
apropriada. Tanto o plasmídeo e o filamento de DNA necessário são
clivados pelas enzimas de restrição, em seguida, juntaram-se e
reformaram para uma estrutura circular. O plasmídeo recombinante é
introduzido em E. coli, que é então transformado para sintetizar a
proteína desejada. Isto é atualmente o método mais comum usado para
sintetizar o rhGH, conhecido genericamente como somatotropina. Sem a
possibilidade do fator de rejeição do novo GH-hormônio de crescimento
por DNA recombinante foram descartados praticamente todos os efeitos
comprometedores do tratamento de correção ou complementação do
GH–hormônio de crescimento por DNA – recombinante para os milhares
de indivíduos que necessitam dessa substância revolucionária e de efeitos
negativos desprezíveis. A partir desse fato relevante podemos entender
melhor a terapêutica do DGH- deficiência do hormônio de crescimento
nas diversas indicações precisas e a evolução diagnóstica das disfunções
hormonais e metabólicas que as rodeiam. Existe uma correlação positiva
entre a média de altura dos pais (média entre as estaturas de ambos os
pais) e a estatura de uma criança.
Um dos modos de usar esta relação entre as estaturas dos pais e a
estatura dos filhos em uma
determinada família é por meio
do cálculo da altura estimada,
usando-se a estatura dos pais,
corrigindo-as de acordo com o
sexo da criança e colocando os
resultados em um gráfico de
crescimento. Existe uma
diferença média de 12 cm entre
homens e mulheres adultos (este parâmetro varia de acordo com a etnia,
por exemplo, nos EUA é valido, na região sudeste e sul do Brasil os
parâmetros são praticamente idênticos). Assim sendo, para meninos,
adicione 12 cm na estatura materna, some o resultado com a estatura do
pai e divida por dois. Esta é a estatura estimada e espera-se que os filhos
destes pais atinjam uma estatura dentro de 2 DP-desvios padrão deste
objetivo ou simplificando, 10 cm acima ou abaixo da altura estimada (2 cm
consistem em aproximadamente 1 DP-desvio padrão para a estatura
adulta). Este fato conhecide com as observações científicas atuais que
observam na atual geração uma diferença de 4 cm a 4,5 cm de estatura
mais elevada do que as estaturas sequenciais de seus ancestrais diretos.
Para meninas, subtraia 12 cm da estatura paterna e some o resultado com
a estatura materna e divida por dois, chegando-se deste modo à estatura
estimada para meninas. A média para meninas também será de 10 cm
acima ou abaixo desta estimativa. A altura estimada calculada
corresponde ao percentil 50 para a família, e os limites de 2 DP-desvios
padrão aproximam-se dos percentis 5 e 95 para a família. Este método é
útil na ausência de doenças que afetem o crescimento e sua predição é
mais valida quando os pais apresentam estaturas similares ao invés de
grande discrepância. Quando houver uma grande discrepância entre a
estatura da mãe e do pai, a predição da estatura estimada torna-se difícil.
Uma criança pode seguir o padrão de crescimento do pai ou da mãe mais
baixos mais concordantemente do que a estatura média dos pais.
Por exemplo, um menino pode seguir o padrão de crescimento da mãe
mais baixa do que o pai mais alto; ambos os pais interferem no
crescimento de uma criança para mais ou para menos. Existe um fator
importante que tem se firmado através de pesquisas, ou seja, em média
existe um alvo genético parental ou familial até aproximadamente 3 a 4
gerações, e mesmo assim observa-se que existe uma variação que
dificilmente consegue atingir o alvo genético de 100% ou raramente isto
ocorre, em sendo assim, o que se tem observado é que a frequência
estatural (altura) chega em média de 85 a 95% da altura alvo máxima, este
é o principal motivo de um grande número de pesquisadores sugerirem
que mesmo estando dentro do gráfico normal é aconselhável em caso de
pequenas defasagens tratar como possível deficiência e utilizar a
terapêutica adequada como o GH-hormônio de crescimento conseguindo
assim mais estatura que o esperado.
ESTIMATED HEIGHT; HEIGHT OF CHILD AND YOUTH ACCORDING TO
GENDER; RELATIONSHIP WITH THE AVERAGE HEIGHT OF PARENTS.
ACCORDING TO GENDER, CHILD AND YOUTH TIME ESTIMATED; IS
POSSIBLE TO DESIGN A POSSIBLE GENETIC TARGET HEIGHT GIVEN THE
AVERAGE HEIGHT OF FATHERS, BUT MUST TAKE INTO CONSIDERATION
POSSIBLE DISORDERS HORMONES, PHYSIOLOGICAL AND METABOLIC
FUNCTIONS; PHYSIOLOGY-ENDOCRINOLOGY-NEUROENDOCRINOLOGY-
GENETICS-ENDOCRINE-PEDIATRICS (SUBDIVISION OF ENDOCRINOLOGY):
DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO.
The inferred variables on growth and longitudinal or linear stature in
fetuses, neonates, children and adolescents and even pre-pubescent
finalized with the completion of puberty are immense, however children
can estimate such variables since we consider the significant factors that
compromise.
There is a positive correlation between average parental height (average
of the heights of both parents) and height of a child. However consider
that the treatment of growth failure with all variants including idiopathic
and only occurred after 1986 with the advent of the growth hormone-GH
by recombinant DNA and most likely their parents did not use the correct
therapy that is recent therefore review or rate of height growth only
benefited our children. The struggle for discovery of growth hormone (GH)
was prolonged and severe. The fascinating circuitous route discovery
involved a series of doctors, chemists, physiologists and pathologists. The
tale is filled with great ideas and stunning errors, random and jobs without
success, and the triumphs and defeats. Efforts to acquire pituitary GH for
the treatment of children with GH deficiency started in the mid-1940's.
Early work was in subprimates for almost a decade. These efforts led to
the purification of bovine GH by Li and Evans, University of California,
Berkeley, and Yale Fishman. And porcine GH was purified by Raben and
Westermeyer at Tufts. But none of these preparations showed a
significant metabolic or biochemical activity because the effect of GH is
species specific. The GH-growth hormone was first isolated from human
pituitary gland, in 1956, by both Li and Papkoff, Calif., and Raben, in
Massachusetts, but its biochemical structure was not elucidated until
1972. In 1960 National pituitary Agency (NPA) was formed to further the
goals of coordinating pituitary collection and extraction to support both
basic and clinical research. In 1985, U.S. Food and Drug Administration
(U.S. FDA) has received reports of four young adults in the United States
with the fatal slow virus (prion-mediated) Creutzfeldt Jakob Disease (CJD),
which had been treated with GH from the NPA in the 1960s. Connection
was recognized in the review of data within a few months by the FDA and
NIH. On April 19, 1985, the distribution of pituitary GH was suspended and
the use of human pituitary GH rapidly ceased.
Identification of biochemical structure of GH in 1972 became the catalyst
for the development of recombinant human GH-derived DNA, for which
the gene has been
cloned for the first time
in 1979. Genentech (San
Francisco, California)
developed in 1981, first
recombinant human GH
(rhGH), a process of
biosynthesis. Later, to
develop an improved
process has been
developed called rhGH protein secretion technology. Wherein the vector
plasmid is isolated from a strain of E. coli and DNA chain to be cloned is
derived from appropriate source. Both the plasmid and the DNA strand
needed are cleaved by restriction enzymes, then reformed and joined to a
circular structure. The recombinant plasmid is introduced into E. coli,
which is then transformed to synthesize the desired protein. This is
currently the most common method used to synthesize rhGH generally
known as somatotropin. Without the possibility of rejection factor of the
new growth hormone-GH by recombinant DNA were discarded virtually all
compromising treatment effects correction or supplementation of GH-
Growth Hormone by DNA-recombinant for the thousands of individuals
who need this revolutionary substance and negligible negative effects.
From that material fact can better understand the treatment of GHD
growth hormone deficiency in different directions and accurate diagnostic
evolution of hormonal and metabolic dysfunctions that surround them.
There is a positive correlation between average parental height (average
of the heights of both parents) and height of a child. One way to use this
relationship between stature the stature of the parents of the children in a
family is determined by calculating the estimated height, using the height
of the parents, correcting them according to the sex of the child and
placing results in a growth chart. There is an average difference of 12 cm
between adult men and women (This parameter varies according to
ethnicity, for example, in the U.S. is valid in the southeastern and southern
Brazil parameters are virtually identical).
Thus, for boys, add 12 cm in maternal height add the result to the parent’s
height and divide by two. This is the estimated height and it is expected
that the children of these parents reach a height within 2 SD-standard
deviation or simplifying this purpose, 10 cm above or below the estimated
height (2 cm consist of approximately 1 SD-standard deviation for adult
height). This fact conhecide with current scientific observations that
observed in the current generation a difference of 4 cm to 4.5 cm higher
than the height of his stature sequential direct ancestors. For girls,
subtract 12 cm of paternal height and add the result to maternal height
and divide by two, reaching thus the estimated height for girls. Mean Girls
also will be 10 cm above or below the estimate. The calculated estimated
height corresponds to the 50th percentile for the family, and the limits of
2 SD-standard deviations are close to the 5th and 95th percentiles for the
family. This method is useful in the absence of diseases that affect growth
and its prediction is more valid when parents have similar statures rather
large discrepancy. When there is a large discrepancy between the height
of the mother and father, the prediction of the estimated height becomes
difficult. A child can follow the growth pattern of the father and
accordingly more than the average height of the lower parent mother. For
example, a boy may follow the growth pattern of the lower parent than
the highest parent; both parents interfere with the growth of a child more
or less. There is an important factor that has been entrenched through
surveys I e, on average there is a parental or familial genetic target until
about 3-4 generations, and even then it is observed that there is a
variation that can hardly 100% of the target gene or rarely this occurs in
therefore what has been observed is that the height frequency (pitch)
reaches on average 85-95% of maximum target height, this is the main
reason a large number of researchers suggest that although within the
graph Normal is advisable in case of small lags treat disability as possible
and use the appropriate therapy as GH-growth hormone thus achieving
more stature than expected.
Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologia – Neuroendocrinologista
CRM 20611
Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930
Como saber mais:
1. O crescimento longitudinal ou linear à medida que a criança deixa a
infância e a velocidade de crescimento deve ser determinada em relação
aos padrões para a idade em um gráfico com indicações da posição da
criança (supina) ou ereta no momento da aferição, o que é especialmente
importante no momento em que a criança muda da posição supina para a
ereta...
http://hormoniocrescimentoadultos.blogspot.com
2. A falha no reconhecimento da mudança técnica pode sugerir
falsamente um distúrbio de crescimento...
http://longevidadefutura.blogspot.com
3. Elas continuam a crescer mesmo depois de a maioria de seus colegas
terem parado...
http://imcobesidade.blogspot.com
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS
AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.
Referências Bibliográficas:
Caio Jr, João Santos, Dr.; Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Caio,H. V., Dra. Endocrinologista,
Medicina Interna – Van Der Häägen Brazil, São Paulo, Brasil; Tanner JM. Auxologia. In: Kappy MS, a
Blizzard RM, Migeon CJ, eds. O diagnóstico e tratamento de doenças endócrinas na infância e
adolescência.4th ed. Springfield, IL: Charles C Thomas, 1995:137-92; Rogol AD, Lawton EL. Medidas
corporais. In: Lohr JA, ed. Procedimentos ambulatoriais pediátricos. Philadelphia: JB Lippincott, 1990:1-
9; Baumgartner RN, Roche AF, Himes JH. Tabelas crescimento incremental: suplementares para gráficos
publicados anteriormente. Am J Clin Nutr 1986; 43 : 711 -22; Tanner JM. Feto no homem: o crescimento
físico, desde a concepção até o vencimento. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1989;
Crescimento Sinclair D. humana após o nascimento. London: Oxford University Press, 1978; Smith DW.
Crescimento e seus distúrbios. Philadelphia: WB Saunders, 1977; Tanner JM, Healy MJR, Lockhart RD, et
al. Aberdeen Estudo Crescimento, I: a previsão de medição corpo adulto a partir de medições realizadas
a cada ano desde o nascimento até cinco anos. Arch Dis Child 1956 ; 31 : 372 ; Marshall WA, Tanner JM.
Variações nos padrões de mudanças da puberdade em meninas. Arch Dis Child 1969 ; 44 : 291 -303.;
Marshall WA, Tanner JM. Variações nos padrões de mudanças da puberdade em meninos. Arch Dis Child
1970 ; 45 : 13 -23; Berkey CS, Wang X, Dockery DW, Ferris B. Adolescente crescimento em altura das
crianças americanas Ann Hum Biol 1994 ; 21 : 435 -42.
Contato: Fones: 55 11 5087-4404 ou 96197-0305
Nextel: ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj. 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br
www.crescimentoinfoco.com
www.obesidadeinfoco.com.br
http://drcaiojr.site.med.br
http://dracaio.site.med.br
Joao Santos Caio Jr
http://google.com/+JoaoSantosCaioJr
Video
http://youtu.be/woonaiFJQwY
Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt
&sll=-23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie =UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t
= h&z=17

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fatores ambientais;influência no crescimento de infantil,juvenil com baixa es...
Fatores ambientais;influência no crescimento de infantil,juvenil com baixa es...Fatores ambientais;influência no crescimento de infantil,juvenil com baixa es...
Fatores ambientais;influência no crescimento de infantil,juvenil com baixa es...
Van Der Häägen Brazil
 
Baixa Estatura Constitucional Retardo Crescer não Consiste em Doença e sim Va...
Baixa Estatura Constitucional Retardo Crescer não Consiste em Doença e sim Va...Baixa Estatura Constitucional Retardo Crescer não Consiste em Doença e sim Va...
Baixa Estatura Constitucional Retardo Crescer não Consiste em Doença e sim Va...
Van Der Häägen Brazil
 
Crescer;Diagnóstico Baixa Estatura Patológica não deve ser Baseado em Única M...
Crescer;Diagnóstico Baixa Estatura Patológica não deve ser Baseado em Única M...Crescer;Diagnóstico Baixa Estatura Patológica não deve ser Baseado em Única M...
Crescer;Diagnóstico Baixa Estatura Patológica não deve ser Baseado em Única M...
Van Der Häägen Brazil
 
BAIXA ESTATURA E CRESCIMENTO LINEAR: UM LADO POSITIVO PARA O GH HUMANO
BAIXA ESTATURA E CRESCIMENTO LINEAR: UM LADO POSITIVO PARA O GH HUMANOBAIXA ESTATURA E CRESCIMENTO LINEAR: UM LADO POSITIVO PARA O GH HUMANO
BAIXA ESTATURA E CRESCIMENTO LINEAR: UM LADO POSITIVO PARA O GH HUMANO
Van Der Häägen Brazil
 
Criança Crescendo; Juvenil com Retardo Constitucional do Crescimento ou Be Ge...
Criança Crescendo; Juvenil com Retardo Constitucional do Crescimento ou Be Ge...Criança Crescendo; Juvenil com Retardo Constitucional do Crescimento ou Be Ge...
Criança Crescendo; Juvenil com Retardo Constitucional do Crescimento ou Be Ge...
Van Der Häägen Brazil
 
Diagnóstico de Deficiência de GH–em crianças infantil e juvenil;importância l...
Diagnóstico de Deficiência de GH–em crianças infantil e juvenil;importância l...Diagnóstico de Deficiência de GH–em crianças infantil e juvenil;importância l...
Diagnóstico de Deficiência de GH–em crianças infantil e juvenil;importância l...
Van Der Häägen Brazil
 
SÍNDROMES DE BAIXA ESTATURA; UM COMPROMETIMENTO SÉRIO DE CRESCIMENTO EM CRIAN...
SÍNDROMES DE BAIXA ESTATURA; UM COMPROMETIMENTO SÉRIO DE CRESCIMENTO EM CRIAN...SÍNDROMES DE BAIXA ESTATURA; UM COMPROMETIMENTO SÉRIO DE CRESCIMENTO EM CRIAN...
SÍNDROMES DE BAIXA ESTATURA; UM COMPROMETIMENTO SÉRIO DE CRESCIMENTO EM CRIAN...
Van Der Häägen Brazil
 
Fator de crescimento epidermal (egf) no crescimento fetal; tabagismo uma das ...
Fator de crescimento epidermal (egf) no crescimento fetal; tabagismo uma das ...Fator de crescimento epidermal (egf) no crescimento fetal; tabagismo uma das ...
Fator de crescimento epidermal (egf) no crescimento fetal; tabagismo uma das ...
Van Der Häägen Brazil
 
Crescimento Baixa Estatura (altura) Criança, Infantil, Juvenil Manejo Biopsic...
Crescimento Baixa Estatura (altura) Criança, Infantil, Juvenil Manejo Biopsic...Crescimento Baixa Estatura (altura) Criança, Infantil, Juvenil Manejo Biopsic...
Crescimento Baixa Estatura (altura) Criança, Infantil, Juvenil Manejo Biopsic...
Van Der Häägen Brazil
 
BAIXA ESTATURA E CRESCER INFANTIL E JUVENIL; ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS E SÍ...
BAIXA ESTATURA E CRESCER INFANTIL E JUVENIL; ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS E SÍ...BAIXA ESTATURA E CRESCER INFANTIL E JUVENIL; ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS E SÍ...
BAIXA ESTATURA E CRESCER INFANTIL E JUVENIL; ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS E SÍ...
Van Der Häägen Brazil
 
Baixa Estatura o Peso ao Nascer, Crescimento Infanto–Juvenil e Resistência à ...
Baixa Estatura o Peso ao Nascer, Crescimento Infanto–Juvenil e Resistência à ...Baixa Estatura o Peso ao Nascer, Crescimento Infanto–Juvenil e Resistência à ...
Baixa Estatura o Peso ao Nascer, Crescimento Infanto–Juvenil e Resistência à ...
Van Der Häägen Brazil
 
Deficiência Congênita de GH um desastre anunciado; Neonatal, Criança, Infanti...
Deficiência Congênita de GH um desastre anunciado; Neonatal, Criança, Infanti...Deficiência Congênita de GH um desastre anunciado; Neonatal, Criança, Infanti...
Deficiência Congênita de GH um desastre anunciado; Neonatal, Criança, Infanti...
Van Der Häägen Brazil
 
Apesar do Crescimento Infantil, Juvenil ou de Crianças ser Axiomático só foi ...
Apesar do Crescimento Infantil, Juvenil ou de Crianças ser Axiomático só foi ...Apesar do Crescimento Infantil, Juvenil ou de Crianças ser Axiomático só foi ...
Apesar do Crescimento Infantil, Juvenil ou de Crianças ser Axiomático só foi ...
Van Der Häägen Brazil
 
CRESCER E FECHAR EPÍFISES; FATORES ENDÓGENOS-EXÓGENOS PODEM ALTERAR IDADE PUB...
CRESCER E FECHAR EPÍFISES; FATORES ENDÓGENOS-EXÓGENOS PODEM ALTERAR IDADE PUB...CRESCER E FECHAR EPÍFISES; FATORES ENDÓGENOS-EXÓGENOS PODEM ALTERAR IDADE PUB...
CRESCER E FECHAR EPÍFISES; FATORES ENDÓGENOS-EXÓGENOS PODEM ALTERAR IDADE PUB...
Van Der Häägen Brazil
 
Deficiência GH determinantes da Resistência Óssea que podem ser afetados prin...
Deficiência GH determinantes da Resistência Óssea que podem ser afetados prin...Deficiência GH determinantes da Resistência Óssea que podem ser afetados prin...
Deficiência GH determinantes da Resistência Óssea que podem ser afetados prin...
Van Der Häägen Brazil
 
GH E HORMÔNIOS GONADAIS SÃO IMPORTANTES NO ESTIRÃO DE CRESCIMENTO PUBERAL, TR...
GH E HORMÔNIOS GONADAIS SÃO IMPORTANTES NO ESTIRÃO DE CRESCIMENTO PUBERAL, TR...GH E HORMÔNIOS GONADAIS SÃO IMPORTANTES NO ESTIRÃO DE CRESCIMENTO PUBERAL, TR...
GH E HORMÔNIOS GONADAIS SÃO IMPORTANTES NO ESTIRÃO DE CRESCIMENTO PUBERAL, TR...
Van Der Häägen Brazil
 
DIAGNÓSTICO DE BAIXA ESTATURA (ALTURA); DESDE O DESENCADEAMENTO NA FASE CRIAN...
DIAGNÓSTICO DE BAIXA ESTATURA (ALTURA); DESDE O DESENCADEAMENTO NA FASE CRIAN...DIAGNÓSTICO DE BAIXA ESTATURA (ALTURA); DESDE O DESENCADEAMENTO NA FASE CRIAN...
DIAGNÓSTICO DE BAIXA ESTATURA (ALTURA); DESDE O DESENCADEAMENTO NA FASE CRIAN...
Van Der Häägen Brazil
 
PARADOXO; PRECOCIDADE SEXUAL UM COMPROMETIMENTO CERTO NA BAIXA ESTATURA CRIAN...
PARADOXO; PRECOCIDADE SEXUAL UM COMPROMETIMENTO CERTO NA BAIXA ESTATURA CRIAN...PARADOXO; PRECOCIDADE SEXUAL UM COMPROMETIMENTO CERTO NA BAIXA ESTATURA CRIAN...
PARADOXO; PRECOCIDADE SEXUAL UM COMPROMETIMENTO CERTO NA BAIXA ESTATURA CRIAN...
Van Der Häägen Brazil
 
CRESCER COMPROMETIDO: CRIANÇA, INFANTIL E JUVENIL- AXIOMA EM FATORES GENÉTICO...
CRESCER COMPROMETIDO: CRIANÇA, INFANTIL E JUVENIL- AXIOMA EM FATORES GENÉTICO...CRESCER COMPROMETIDO: CRIANÇA, INFANTIL E JUVENIL- AXIOMA EM FATORES GENÉTICO...
CRESCER COMPROMETIDO: CRIANÇA, INFANTIL E JUVENIL- AXIOMA EM FATORES GENÉTICO...
Van Der Häägen Brazil
 
DIAGNÓSTICO DEFICIÊNCIA DE CRESCIMENTO
DIAGNÓSTICO DEFICIÊNCIA DE CRESCIMENTO DIAGNÓSTICO DEFICIÊNCIA DE CRESCIMENTO
DIAGNÓSTICO DEFICIÊNCIA DE CRESCIMENTO
Van Der Häägen Brazil
 

Mais procurados (20)

Fatores ambientais;influência no crescimento de infantil,juvenil com baixa es...
Fatores ambientais;influência no crescimento de infantil,juvenil com baixa es...Fatores ambientais;influência no crescimento de infantil,juvenil com baixa es...
Fatores ambientais;influência no crescimento de infantil,juvenil com baixa es...
 
Baixa Estatura Constitucional Retardo Crescer não Consiste em Doença e sim Va...
Baixa Estatura Constitucional Retardo Crescer não Consiste em Doença e sim Va...Baixa Estatura Constitucional Retardo Crescer não Consiste em Doença e sim Va...
Baixa Estatura Constitucional Retardo Crescer não Consiste em Doença e sim Va...
 
Crescer;Diagnóstico Baixa Estatura Patológica não deve ser Baseado em Única M...
Crescer;Diagnóstico Baixa Estatura Patológica não deve ser Baseado em Única M...Crescer;Diagnóstico Baixa Estatura Patológica não deve ser Baseado em Única M...
Crescer;Diagnóstico Baixa Estatura Patológica não deve ser Baseado em Única M...
 
BAIXA ESTATURA E CRESCIMENTO LINEAR: UM LADO POSITIVO PARA O GH HUMANO
BAIXA ESTATURA E CRESCIMENTO LINEAR: UM LADO POSITIVO PARA O GH HUMANOBAIXA ESTATURA E CRESCIMENTO LINEAR: UM LADO POSITIVO PARA O GH HUMANO
BAIXA ESTATURA E CRESCIMENTO LINEAR: UM LADO POSITIVO PARA O GH HUMANO
 
Criança Crescendo; Juvenil com Retardo Constitucional do Crescimento ou Be Ge...
Criança Crescendo; Juvenil com Retardo Constitucional do Crescimento ou Be Ge...Criança Crescendo; Juvenil com Retardo Constitucional do Crescimento ou Be Ge...
Criança Crescendo; Juvenil com Retardo Constitucional do Crescimento ou Be Ge...
 
Diagnóstico de Deficiência de GH–em crianças infantil e juvenil;importância l...
Diagnóstico de Deficiência de GH–em crianças infantil e juvenil;importância l...Diagnóstico de Deficiência de GH–em crianças infantil e juvenil;importância l...
Diagnóstico de Deficiência de GH–em crianças infantil e juvenil;importância l...
 
SÍNDROMES DE BAIXA ESTATURA; UM COMPROMETIMENTO SÉRIO DE CRESCIMENTO EM CRIAN...
SÍNDROMES DE BAIXA ESTATURA; UM COMPROMETIMENTO SÉRIO DE CRESCIMENTO EM CRIAN...SÍNDROMES DE BAIXA ESTATURA; UM COMPROMETIMENTO SÉRIO DE CRESCIMENTO EM CRIAN...
SÍNDROMES DE BAIXA ESTATURA; UM COMPROMETIMENTO SÉRIO DE CRESCIMENTO EM CRIAN...
 
Fator de crescimento epidermal (egf) no crescimento fetal; tabagismo uma das ...
Fator de crescimento epidermal (egf) no crescimento fetal; tabagismo uma das ...Fator de crescimento epidermal (egf) no crescimento fetal; tabagismo uma das ...
Fator de crescimento epidermal (egf) no crescimento fetal; tabagismo uma das ...
 
Crescimento Baixa Estatura (altura) Criança, Infantil, Juvenil Manejo Biopsic...
Crescimento Baixa Estatura (altura) Criança, Infantil, Juvenil Manejo Biopsic...Crescimento Baixa Estatura (altura) Criança, Infantil, Juvenil Manejo Biopsic...
Crescimento Baixa Estatura (altura) Criança, Infantil, Juvenil Manejo Biopsic...
 
BAIXA ESTATURA E CRESCER INFANTIL E JUVENIL; ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS E SÍ...
BAIXA ESTATURA E CRESCER INFANTIL E JUVENIL; ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS E SÍ...BAIXA ESTATURA E CRESCER INFANTIL E JUVENIL; ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS E SÍ...
BAIXA ESTATURA E CRESCER INFANTIL E JUVENIL; ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS E SÍ...
 
Baixa Estatura o Peso ao Nascer, Crescimento Infanto–Juvenil e Resistência à ...
Baixa Estatura o Peso ao Nascer, Crescimento Infanto–Juvenil e Resistência à ...Baixa Estatura o Peso ao Nascer, Crescimento Infanto–Juvenil e Resistência à ...
Baixa Estatura o Peso ao Nascer, Crescimento Infanto–Juvenil e Resistência à ...
 
Deficiência Congênita de GH um desastre anunciado; Neonatal, Criança, Infanti...
Deficiência Congênita de GH um desastre anunciado; Neonatal, Criança, Infanti...Deficiência Congênita de GH um desastre anunciado; Neonatal, Criança, Infanti...
Deficiência Congênita de GH um desastre anunciado; Neonatal, Criança, Infanti...
 
Apesar do Crescimento Infantil, Juvenil ou de Crianças ser Axiomático só foi ...
Apesar do Crescimento Infantil, Juvenil ou de Crianças ser Axiomático só foi ...Apesar do Crescimento Infantil, Juvenil ou de Crianças ser Axiomático só foi ...
Apesar do Crescimento Infantil, Juvenil ou de Crianças ser Axiomático só foi ...
 
CRESCER E FECHAR EPÍFISES; FATORES ENDÓGENOS-EXÓGENOS PODEM ALTERAR IDADE PUB...
CRESCER E FECHAR EPÍFISES; FATORES ENDÓGENOS-EXÓGENOS PODEM ALTERAR IDADE PUB...CRESCER E FECHAR EPÍFISES; FATORES ENDÓGENOS-EXÓGENOS PODEM ALTERAR IDADE PUB...
CRESCER E FECHAR EPÍFISES; FATORES ENDÓGENOS-EXÓGENOS PODEM ALTERAR IDADE PUB...
 
Deficiência GH determinantes da Resistência Óssea que podem ser afetados prin...
Deficiência GH determinantes da Resistência Óssea que podem ser afetados prin...Deficiência GH determinantes da Resistência Óssea que podem ser afetados prin...
Deficiência GH determinantes da Resistência Óssea que podem ser afetados prin...
 
GH E HORMÔNIOS GONADAIS SÃO IMPORTANTES NO ESTIRÃO DE CRESCIMENTO PUBERAL, TR...
GH E HORMÔNIOS GONADAIS SÃO IMPORTANTES NO ESTIRÃO DE CRESCIMENTO PUBERAL, TR...GH E HORMÔNIOS GONADAIS SÃO IMPORTANTES NO ESTIRÃO DE CRESCIMENTO PUBERAL, TR...
GH E HORMÔNIOS GONADAIS SÃO IMPORTANTES NO ESTIRÃO DE CRESCIMENTO PUBERAL, TR...
 
DIAGNÓSTICO DE BAIXA ESTATURA (ALTURA); DESDE O DESENCADEAMENTO NA FASE CRIAN...
DIAGNÓSTICO DE BAIXA ESTATURA (ALTURA); DESDE O DESENCADEAMENTO NA FASE CRIAN...DIAGNÓSTICO DE BAIXA ESTATURA (ALTURA); DESDE O DESENCADEAMENTO NA FASE CRIAN...
DIAGNÓSTICO DE BAIXA ESTATURA (ALTURA); DESDE O DESENCADEAMENTO NA FASE CRIAN...
 
PARADOXO; PRECOCIDADE SEXUAL UM COMPROMETIMENTO CERTO NA BAIXA ESTATURA CRIAN...
PARADOXO; PRECOCIDADE SEXUAL UM COMPROMETIMENTO CERTO NA BAIXA ESTATURA CRIAN...PARADOXO; PRECOCIDADE SEXUAL UM COMPROMETIMENTO CERTO NA BAIXA ESTATURA CRIAN...
PARADOXO; PRECOCIDADE SEXUAL UM COMPROMETIMENTO CERTO NA BAIXA ESTATURA CRIAN...
 
CRESCER COMPROMETIDO: CRIANÇA, INFANTIL E JUVENIL- AXIOMA EM FATORES GENÉTICO...
CRESCER COMPROMETIDO: CRIANÇA, INFANTIL E JUVENIL- AXIOMA EM FATORES GENÉTICO...CRESCER COMPROMETIDO: CRIANÇA, INFANTIL E JUVENIL- AXIOMA EM FATORES GENÉTICO...
CRESCER COMPROMETIDO: CRIANÇA, INFANTIL E JUVENIL- AXIOMA EM FATORES GENÉTICO...
 
DIAGNÓSTICO DEFICIÊNCIA DE CRESCIMENTO
DIAGNÓSTICO DEFICIÊNCIA DE CRESCIMENTO DIAGNÓSTICO DEFICIÊNCIA DE CRESCIMENTO
DIAGNÓSTICO DEFICIÊNCIA DE CRESCIMENTO
 

Destaque

Deficiência GH determinantes da resistência Óssea que podem ser afetados prin...
Deficiência GH determinantes da resistência Óssea que podem ser afetados prin...Deficiência GH determinantes da resistência Óssea que podem ser afetados prin...
Deficiência GH determinantes da resistência Óssea que podem ser afetados prin...
Van Der Häägen Brazil
 
Baixa Altura; Juvenil,Adolescente GHD tratados com rDNA não devem ter interru...
Baixa Altura; Juvenil,Adolescente GHD tratados com rDNA não devem ter interru...Baixa Altura; Juvenil,Adolescente GHD tratados com rDNA não devem ter interru...
Baixa Altura; Juvenil,Adolescente GHD tratados com rDNA não devem ter interru...
Van Der Häägen Brazil
 
Estatura Filhos Adotados;Criança,Infantil,Juvenil Cálculo Aproximado Reverso ...
Estatura Filhos Adotados;Criança,Infantil,Juvenil Cálculo Aproximado Reverso ...Estatura Filhos Adotados;Criança,Infantil,Juvenil Cálculo Aproximado Reverso ...
Estatura Filhos Adotados;Criança,Infantil,Juvenil Cálculo Aproximado Reverso ...
Van Der Häägen Brazil
 
A perfeição humana pode ser comprometida pela deficiência congênita de trh e ...
A perfeição humana pode ser comprometida pela deficiência congênita de trh e ...A perfeição humana pode ser comprometida pela deficiência congênita de trh e ...
A perfeição humana pode ser comprometida pela deficiência congênita de trh e ...
Van Der Häägen Brazil
 
Regulação da secreção de GH Hormônio do Crescimento Humano e seus Distúrbios,...
Regulação da secreção de GH Hormônio do Crescimento Humano e seus Distúrbios,...Regulação da secreção de GH Hormônio do Crescimento Humano e seus Distúrbios,...
Regulação da secreção de GH Hormônio do Crescimento Humano e seus Distúrbios,...
Van Der Häägen Brazil
 
AMINOÁCIDOS, ENZIMAS, VITAMINAS ESSENCIAIS, VITAMINAS PODEM SER CLASSIFICADAS...
AMINOÁCIDOS, ENZIMAS, VITAMINAS ESSENCIAIS, VITAMINAS PODEM SER CLASSIFICADAS...AMINOÁCIDOS, ENZIMAS, VITAMINAS ESSENCIAIS, VITAMINAS PODEM SER CLASSIFICADAS...
AMINOÁCIDOS, ENZIMAS, VITAMINAS ESSENCIAIS, VITAMINAS PODEM SER CLASSIFICADAS...
Van Der Häägen Brazil
 

Destaque (6)

Deficiência GH determinantes da resistência Óssea que podem ser afetados prin...
Deficiência GH determinantes da resistência Óssea que podem ser afetados prin...Deficiência GH determinantes da resistência Óssea que podem ser afetados prin...
Deficiência GH determinantes da resistência Óssea que podem ser afetados prin...
 
Baixa Altura; Juvenil,Adolescente GHD tratados com rDNA não devem ter interru...
Baixa Altura; Juvenil,Adolescente GHD tratados com rDNA não devem ter interru...Baixa Altura; Juvenil,Adolescente GHD tratados com rDNA não devem ter interru...
Baixa Altura; Juvenil,Adolescente GHD tratados com rDNA não devem ter interru...
 
Estatura Filhos Adotados;Criança,Infantil,Juvenil Cálculo Aproximado Reverso ...
Estatura Filhos Adotados;Criança,Infantil,Juvenil Cálculo Aproximado Reverso ...Estatura Filhos Adotados;Criança,Infantil,Juvenil Cálculo Aproximado Reverso ...
Estatura Filhos Adotados;Criança,Infantil,Juvenil Cálculo Aproximado Reverso ...
 
A perfeição humana pode ser comprometida pela deficiência congênita de trh e ...
A perfeição humana pode ser comprometida pela deficiência congênita de trh e ...A perfeição humana pode ser comprometida pela deficiência congênita de trh e ...
A perfeição humana pode ser comprometida pela deficiência congênita de trh e ...
 
Regulação da secreção de GH Hormônio do Crescimento Humano e seus Distúrbios,...
Regulação da secreção de GH Hormônio do Crescimento Humano e seus Distúrbios,...Regulação da secreção de GH Hormônio do Crescimento Humano e seus Distúrbios,...
Regulação da secreção de GH Hormônio do Crescimento Humano e seus Distúrbios,...
 
AMINOÁCIDOS, ENZIMAS, VITAMINAS ESSENCIAIS, VITAMINAS PODEM SER CLASSIFICADAS...
AMINOÁCIDOS, ENZIMAS, VITAMINAS ESSENCIAIS, VITAMINAS PODEM SER CLASSIFICADAS...AMINOÁCIDOS, ENZIMAS, VITAMINAS ESSENCIAIS, VITAMINAS PODEM SER CLASSIFICADAS...
AMINOÁCIDOS, ENZIMAS, VITAMINAS ESSENCIAIS, VITAMINAS PODEM SER CLASSIFICADAS...
 

Semelhante a Estatura Estimada de Criança, de Acordo com Genero Relação com Estatura Média Paisais

Crescimento insuficiente avaliação do estado psicossocial entre crianças infa...
Crescimento insuficiente avaliação do estado psicossocial entre crianças infa...Crescimento insuficiente avaliação do estado psicossocial entre crianças infa...
Crescimento insuficiente avaliação do estado psicossocial entre crianças infa...
Van Der Häägen Brazil
 
Confirmando a diferença positiva de criança, infantil,juvenil tratadas e não ...
Confirmando a diferença positiva de criança, infantil,juvenil tratadas e não ...Confirmando a diferença positiva de criança, infantil,juvenil tratadas e não ...
Confirmando a diferença positiva de criança, infantil,juvenil tratadas e não ...
Van Der Häägen Brazil
 
CRESCER KIDS ESTATURA
CRESCER KIDS ESTATURACRESCER KIDS ESTATURA
CRESCER KIDS ESTATURA
Van Der Häägen Brazil
 
BAIXA ESTATURA EM CRIANÇA/JUVENIL/ADOLESCENTE POR DGH UTILIZANDO GH-SOMATOTRO...
BAIXA ESTATURA EM CRIANÇA/JUVENIL/ADOLESCENTE POR DGH UTILIZANDO GH-SOMATOTRO...BAIXA ESTATURA EM CRIANÇA/JUVENIL/ADOLESCENTE POR DGH UTILIZANDO GH-SOMATOTRO...
BAIXA ESTATURA EM CRIANÇA/JUVENIL/ADOLESCENTE POR DGH UTILIZANDO GH-SOMATOTRO...
Van Der Häägen Brazil
 
Confirmando a diferença positiva de criana juvenil Tratadas e não tratadas co...
Confirmando a diferença positiva de criana juvenil Tratadas e não tratadas co...Confirmando a diferença positiva de criana juvenil Tratadas e não tratadas co...
Confirmando a diferença positiva de criana juvenil Tratadas e não tratadas co...
Van Der Häägen Brazil
 
Baixa estatura linear pode se apresentar de 2 formas diferentes em criança pr...
Baixa estatura linear pode se apresentar de 2 formas diferentes em criança pr...Baixa estatura linear pode se apresentar de 2 formas diferentes em criança pr...
Baixa estatura linear pode se apresentar de 2 formas diferentes em criança pr...
Van Der Häägen Brazil
 
Quando criança podem ter fatores que influenciam no tratar do crescer estatural.
Quando criança podem ter fatores que influenciam no tratar do crescer estatural.Quando criança podem ter fatores que influenciam no tratar do crescer estatural.
Quando criança podem ter fatores que influenciam no tratar do crescer estatural.
Van Der Häägen Brazil
 
Porque eu devo me preocupar com a baixa estatura dos meus filhos se eles terã...
Porque eu devo me preocupar com a baixa estatura dos meus filhos se eles terã...Porque eu devo me preocupar com a baixa estatura dos meus filhos se eles terã...
Porque eu devo me preocupar com a baixa estatura dos meus filhos se eles terã...
Van Der Häägen Brazil
 
Sobrepeso, Obesidade, Estilo de Vida e Função Sexual estão Intimamente Relaci...
Sobrepeso, Obesidade, Estilo de Vida e Função Sexual estão Intimamente Relaci...Sobrepeso, Obesidade, Estilo de Vida e Função Sexual estão Intimamente Relaci...
Sobrepeso, Obesidade, Estilo de Vida e Função Sexual estão Intimamente Relaci...
Van Der Häägen Brazil
 
SIM, CRESCER NORMAL É EXCELÊNCIA NA INDICAÇÃO QUALIDADE METABÓLICA.
SIM, CRESCER NORMAL É EXCELÊNCIA NA INDICAÇÃO QUALIDADE METABÓLICA. SIM, CRESCER NORMAL É EXCELÊNCIA NA INDICAÇÃO QUALIDADE METABÓLICA.
SIM, CRESCER NORMAL É EXCELÊNCIA NA INDICAÇÃO QUALIDADE METABÓLICA.
Van Der Häägen Brazil
 
O crescer em altura está no dna do ser humano tanto biologicamente como no se...
O crescer em altura está no dna do ser humano tanto biologicamente como no se...O crescer em altura está no dna do ser humano tanto biologicamente como no se...
O crescer em altura está no dna do ser humano tanto biologicamente como no se...
Van Der Häägen Brazil
 
Baixa estatura linear em meninos verdadeira obsessão, falsa noção pais escolh...
Baixa estatura linear em meninos verdadeira obsessão, falsa noção pais escolh...Baixa estatura linear em meninos verdadeira obsessão, falsa noção pais escolh...
Baixa estatura linear em meninos verdadeira obsessão, falsa noção pais escolh...
Van Der Häägen Brazil
 
BAIXA ESTATURA LINEAR: CRIANÇA, INFANTIL, JUVENIL RECEBERAM GRANDE PRESENTE E...
BAIXA ESTATURA LINEAR: CRIANÇA, INFANTIL, JUVENIL RECEBERAM GRANDE PRESENTE E...BAIXA ESTATURA LINEAR: CRIANÇA, INFANTIL, JUVENIL RECEBERAM GRANDE PRESENTE E...
BAIXA ESTATURA LINEAR: CRIANÇA, INFANTIL, JUVENIL RECEBERAM GRANDE PRESENTE E...
Van Der Häägen Brazil
 
Baixa estatura
Baixa estaturaBaixa estatura
Baixa estatura
Van Der Häägen Brazil
 
Quando criança infantil juvenil podem ter fatores que influenciam na otimizaç...
Quando criança infantil juvenil podem ter fatores que influenciam na otimizaç...Quando criança infantil juvenil podem ter fatores que influenciam na otimizaç...
Quando criança infantil juvenil podem ter fatores que influenciam na otimizaç...
Van Der Häägen Brazil
 
A DEFICIÊNCIA DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO-DGH EM CRIANÇAS CAUSAS ORGÂNICAS, ID...
A DEFICIÊNCIA DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO-DGH EM CRIANÇAS CAUSAS ORGÂNICAS, ID...A DEFICIÊNCIA DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO-DGH EM CRIANÇAS CAUSAS ORGÂNICAS, ID...
A DEFICIÊNCIA DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO-DGH EM CRIANÇAS CAUSAS ORGÂNICAS, ID...
Van Der Häägen Brazil
 
Análise Crítica do Consenso de Baixa Estatura Idiopática
Análise Crítica do Consenso de Baixa Estatura IdiopáticaAnálise Crítica do Consenso de Baixa Estatura Idiopática
Análise Crítica do Consenso de Baixa Estatura Idiopática
Van Der Häägen Brazil
 
Deficiencia de HGH
Deficiencia de HGHDeficiencia de HGH
Deficiencia de HGH
Van Der Häägen Brazil
 
Crescimento Infanto Juvenil
Crescimento Infanto JuvenilCrescimento Infanto Juvenil
Crescimento Infanto Juvenil
Van Der Häägen Brazil
 
PAPEL DO GH NA FISIOLOGIA DO OVÁRIO E INÍCIO DA PUBERDADE
PAPEL DO GH NA FISIOLOGIA DO OVÁRIO E INÍCIO DA PUBERDADEPAPEL DO GH NA FISIOLOGIA DO OVÁRIO E INÍCIO DA PUBERDADE
PAPEL DO GH NA FISIOLOGIA DO OVÁRIO E INÍCIO DA PUBERDADE
Van Der Häägen Brazil
 

Semelhante a Estatura Estimada de Criança, de Acordo com Genero Relação com Estatura Média Paisais (20)

Crescimento insuficiente avaliação do estado psicossocial entre crianças infa...
Crescimento insuficiente avaliação do estado psicossocial entre crianças infa...Crescimento insuficiente avaliação do estado psicossocial entre crianças infa...
Crescimento insuficiente avaliação do estado psicossocial entre crianças infa...
 
Confirmando a diferença positiva de criança, infantil,juvenil tratadas e não ...
Confirmando a diferença positiva de criança, infantil,juvenil tratadas e não ...Confirmando a diferença positiva de criança, infantil,juvenil tratadas e não ...
Confirmando a diferença positiva de criança, infantil,juvenil tratadas e não ...
 
CRESCER KIDS ESTATURA
CRESCER KIDS ESTATURACRESCER KIDS ESTATURA
CRESCER KIDS ESTATURA
 
BAIXA ESTATURA EM CRIANÇA/JUVENIL/ADOLESCENTE POR DGH UTILIZANDO GH-SOMATOTRO...
BAIXA ESTATURA EM CRIANÇA/JUVENIL/ADOLESCENTE POR DGH UTILIZANDO GH-SOMATOTRO...BAIXA ESTATURA EM CRIANÇA/JUVENIL/ADOLESCENTE POR DGH UTILIZANDO GH-SOMATOTRO...
BAIXA ESTATURA EM CRIANÇA/JUVENIL/ADOLESCENTE POR DGH UTILIZANDO GH-SOMATOTRO...
 
Confirmando a diferença positiva de criana juvenil Tratadas e não tratadas co...
Confirmando a diferença positiva de criana juvenil Tratadas e não tratadas co...Confirmando a diferença positiva de criana juvenil Tratadas e não tratadas co...
Confirmando a diferença positiva de criana juvenil Tratadas e não tratadas co...
 
Baixa estatura linear pode se apresentar de 2 formas diferentes em criança pr...
Baixa estatura linear pode se apresentar de 2 formas diferentes em criança pr...Baixa estatura linear pode se apresentar de 2 formas diferentes em criança pr...
Baixa estatura linear pode se apresentar de 2 formas diferentes em criança pr...
 
Quando criança podem ter fatores que influenciam no tratar do crescer estatural.
Quando criança podem ter fatores que influenciam no tratar do crescer estatural.Quando criança podem ter fatores que influenciam no tratar do crescer estatural.
Quando criança podem ter fatores que influenciam no tratar do crescer estatural.
 
Porque eu devo me preocupar com a baixa estatura dos meus filhos se eles terã...
Porque eu devo me preocupar com a baixa estatura dos meus filhos se eles terã...Porque eu devo me preocupar com a baixa estatura dos meus filhos se eles terã...
Porque eu devo me preocupar com a baixa estatura dos meus filhos se eles terã...
 
Sobrepeso, Obesidade, Estilo de Vida e Função Sexual estão Intimamente Relaci...
Sobrepeso, Obesidade, Estilo de Vida e Função Sexual estão Intimamente Relaci...Sobrepeso, Obesidade, Estilo de Vida e Função Sexual estão Intimamente Relaci...
Sobrepeso, Obesidade, Estilo de Vida e Função Sexual estão Intimamente Relaci...
 
SIM, CRESCER NORMAL É EXCELÊNCIA NA INDICAÇÃO QUALIDADE METABÓLICA.
SIM, CRESCER NORMAL É EXCELÊNCIA NA INDICAÇÃO QUALIDADE METABÓLICA. SIM, CRESCER NORMAL É EXCELÊNCIA NA INDICAÇÃO QUALIDADE METABÓLICA.
SIM, CRESCER NORMAL É EXCELÊNCIA NA INDICAÇÃO QUALIDADE METABÓLICA.
 
O crescer em altura está no dna do ser humano tanto biologicamente como no se...
O crescer em altura está no dna do ser humano tanto biologicamente como no se...O crescer em altura está no dna do ser humano tanto biologicamente como no se...
O crescer em altura está no dna do ser humano tanto biologicamente como no se...
 
Baixa estatura linear em meninos verdadeira obsessão, falsa noção pais escolh...
Baixa estatura linear em meninos verdadeira obsessão, falsa noção pais escolh...Baixa estatura linear em meninos verdadeira obsessão, falsa noção pais escolh...
Baixa estatura linear em meninos verdadeira obsessão, falsa noção pais escolh...
 
BAIXA ESTATURA LINEAR: CRIANÇA, INFANTIL, JUVENIL RECEBERAM GRANDE PRESENTE E...
BAIXA ESTATURA LINEAR: CRIANÇA, INFANTIL, JUVENIL RECEBERAM GRANDE PRESENTE E...BAIXA ESTATURA LINEAR: CRIANÇA, INFANTIL, JUVENIL RECEBERAM GRANDE PRESENTE E...
BAIXA ESTATURA LINEAR: CRIANÇA, INFANTIL, JUVENIL RECEBERAM GRANDE PRESENTE E...
 
Baixa estatura
Baixa estaturaBaixa estatura
Baixa estatura
 
Quando criança infantil juvenil podem ter fatores que influenciam na otimizaç...
Quando criança infantil juvenil podem ter fatores que influenciam na otimizaç...Quando criança infantil juvenil podem ter fatores que influenciam na otimizaç...
Quando criança infantil juvenil podem ter fatores que influenciam na otimizaç...
 
A DEFICIÊNCIA DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO-DGH EM CRIANÇAS CAUSAS ORGÂNICAS, ID...
A DEFICIÊNCIA DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO-DGH EM CRIANÇAS CAUSAS ORGÂNICAS, ID...A DEFICIÊNCIA DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO-DGH EM CRIANÇAS CAUSAS ORGÂNICAS, ID...
A DEFICIÊNCIA DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO-DGH EM CRIANÇAS CAUSAS ORGÂNICAS, ID...
 
Análise Crítica do Consenso de Baixa Estatura Idiopática
Análise Crítica do Consenso de Baixa Estatura IdiopáticaAnálise Crítica do Consenso de Baixa Estatura Idiopática
Análise Crítica do Consenso de Baixa Estatura Idiopática
 
Deficiencia de HGH
Deficiencia de HGHDeficiencia de HGH
Deficiencia de HGH
 
Crescimento Infanto Juvenil
Crescimento Infanto JuvenilCrescimento Infanto Juvenil
Crescimento Infanto Juvenil
 
PAPEL DO GH NA FISIOLOGIA DO OVÁRIO E INÍCIO DA PUBERDADE
PAPEL DO GH NA FISIOLOGIA DO OVÁRIO E INÍCIO DA PUBERDADEPAPEL DO GH NA FISIOLOGIA DO OVÁRIO E INÍCIO DA PUBERDADE
PAPEL DO GH NA FISIOLOGIA DO OVÁRIO E INÍCIO DA PUBERDADE
 

Mais de Van Der Häägen Brazil

OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEOBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
Van Der Häägen Brazil
 
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
Van Der Häägen Brazil
 
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
Van Der Häägen Brazil
 
GORDURA VISCERAL
GORDURA VISCERALGORDURA VISCERAL
GORDURA VISCERAL
Van Der Häägen Brazil
 
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
Van Der Häägen Brazil
 
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMOPODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
Van Der Häägen Brazil
 
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEOBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
Van Der Häägen Brazil
 
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
Van Der Häägen Brazil
 
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESONOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
Van Der Häägen Brazil
 
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTILOBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
Van Der Häägen Brazil
 
OBESIDADE E SUAS CAUSAS
OBESIDADE E SUAS CAUSASOBESIDADE E SUAS CAUSAS
OBESIDADE E SUAS CAUSAS
Van Der Häägen Brazil
 
OBESITY AND GENETICS
OBESITY AND GENETICSOBESITY AND GENETICS
OBESITY AND GENETICS
Van Der Häägen Brazil
 
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICAINTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
Van Der Häägen Brazil
 
GORDURA (ADIPÓCITO)
GORDURA (ADIPÓCITO)GORDURA (ADIPÓCITO)
GORDURA (ADIPÓCITO)
Van Der Häägen Brazil
 
GENEALOGIA
GENEALOGIAGENEALOGIA
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
Van Der Häägen Brazil
 
OBESIDADE ABDOMINAL
OBESIDADE ABDOMINAL OBESIDADE ABDOMINAL
OBESIDADE ABDOMINAL
Van Der Häägen Brazil
 
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
Van Der Häägen Brazil
 
GORDURA EM EXCESSO
GORDURA EM EXCESSOGORDURA EM EXCESSO
GORDURA EM EXCESSO
Van Der Häägen Brazil
 
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
Van Der Häägen Brazil
 

Mais de Van Der Häägen Brazil (20)

OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEOBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
 
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
 
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
 
GORDURA VISCERAL
GORDURA VISCERALGORDURA VISCERAL
GORDURA VISCERAL
 
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
 
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMOPODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
 
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEOBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
 
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
 
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESONOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
 
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTILOBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
 
OBESIDADE E SUAS CAUSAS
OBESIDADE E SUAS CAUSASOBESIDADE E SUAS CAUSAS
OBESIDADE E SUAS CAUSAS
 
OBESITY AND GENETICS
OBESITY AND GENETICSOBESITY AND GENETICS
OBESITY AND GENETICS
 
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICAINTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
 
GORDURA (ADIPÓCITO)
GORDURA (ADIPÓCITO)GORDURA (ADIPÓCITO)
GORDURA (ADIPÓCITO)
 
GENEALOGIA
GENEALOGIAGENEALOGIA
GENEALOGIA
 
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
 
OBESIDADE ABDOMINAL
OBESIDADE ABDOMINAL OBESIDADE ABDOMINAL
OBESIDADE ABDOMINAL
 
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
 
GORDURA EM EXCESSO
GORDURA EM EXCESSOGORDURA EM EXCESSO
GORDURA EM EXCESSO
 
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
 

Último

Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
rickriordan
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
DelcioVumbuca
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
CatieleAlmeida1
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
AmaroAlmeidaChimbala
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 

Último (8)

Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 

Estatura Estimada de Criança, de Acordo com Genero Relação com Estatura Média Paisais

  • 1. DE ACORDO COM GÊNERO, INFANTIL, JUVENIL ALTURA ESTIMADA; É POSSÍVEL PROJETAR A PROVÁVEL ESTATURA ALVO GENÉTICA CONSIDERANDO A ESTATURA MÉDIA DOS PAIS, MAS DEVEM-SE LEVAR EM CONSIDERAÇÃO EVENTUAIS TRANSTORNOS HORMONAIS, FUNÇÕES FISIOLÓGICAS E METABÓLICAS. As variáveis inferidas no crescimento pondo-estatural longitudinal ou linear em fetos, crianças neonatas, infantil, juvenil e mesmo pré-púberes finalizado com a conclusão da puberdade são imensas, entretanto, é possível estimarmos tais variáveis desde que consideremos os fatores significativos que os compromete. Existe uma correlação positiva entre a média de altura dos pais (média entre as estaturas de ambos os pais) e a estatura de uma criança. Entretanto, considere que a terapêutica da deficiência de crescimento com todas as variantes e incluindo as idiopáticas só ocorreram após o ano de 1986 com o advento do GH- hormônio de crescimento por DNA-recombinante e muito provavelmente seus pais não fizeram uso da terapêutica correta que é recente, portanto, avaliação estatural ou velocidade de crescimento só beneficiou nossos filhos. A luta pela descoberta do hormônio de crescimento (GH) foi prolongada e dura. O caminho tortuoso, a descoberta fascinante envolveu uma série de médicos, químicos, fisiologistas e patologistas. O conto é
  • 2. repleto de idéias incríveis, bem como erros impressionantes, acasos e trabalhos sem sucesso, e os triunfos e derrotas. Os esforços para adquirir pituitária GH para o tratamento de crianças com deficiência do hormônio de crescimento-DGH iniciada em meados dos anos 1940. O trabalho inicial foi em subprimates por quase uma década. Estes esforços levaram à purificação de GH bovino por Li e Evans, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, e Fishman em Yale. E GH suína purificada por Raben e Westermeyer, na Tufts. Mas nenhuma destas preparações mostrou uma atividade bioquímica ou metabólica significativa porque o efeito de GH é espécies específicas. O GH-hormônio do crescimento, primeiro foi isolado a partir de glândula pituitária humana, em 1956, por ambos Li e Papkoff, na Califórnia, e Raben, em Massachusetts, mas a sua estrutura bioquímica não foi elucidada até 1972. Em 1960, a Agência de Pituitária Nacional (NPA) foi formada para promover os objetivos de coordenar coleção e extração de pituitária para apoiar tanto a pesquisa básica quanto a clínica. Em 1985, EUA Food and Drug Administration (FDA dos EUA) recebeu relatos de quatro jovens adultos nos Estados Unidos com o fatal, lento viral (mediada por príon) Creutzfeldt Jakob (CJD), que tinham sido tratados com GH a partir do NPA na década de 1960. A conexão foi reconhecida na revisão de dados dentro de alguns meses pelo FDA e NIH. Em 19 de abril de 1985, a distribuição de hipófise GH foi suspensa e uso de GH pituitária humana rapidamente cessou. A identificação da estrutura bioquímica de GH em 1972 tornou-se o catalisador para o desenvolvimento do recombinante humano de GH derivado de DNA, o gene para o qual foi
  • 3. clonado pela primeira vez em 1979. Genentech (San Francisco, Califórnia), desenvolvido em 1981, o primeiro recombinante GH humano (rhGH), por um processo de biossíntese. Mais tarde, um processo melhorado para desenvolver o rhGH foi desenvolvido chamado tecnologia de secreção de proteínas. Em que, o plasmídeo vetor é isolado a partir de uma estirpe de E. coli e a cadeia de DNA a ser clonada é derivada a partir da fonte apropriada. Tanto o plasmídeo e o filamento de DNA necessário são clivados pelas enzimas de restrição, em seguida, juntaram-se e reformaram para uma estrutura circular. O plasmídeo recombinante é introduzido em E. coli, que é então transformado para sintetizar a proteína desejada. Isto é atualmente o método mais comum usado para sintetizar o rhGH, conhecido genericamente como somatotropina. Sem a possibilidade do fator de rejeição do novo GH-hormônio de crescimento por DNA recombinante foram descartados praticamente todos os efeitos comprometedores do tratamento de correção ou complementação do GH–hormônio de crescimento por DNA – recombinante para os milhares de indivíduos que necessitam dessa substância revolucionária e de efeitos negativos desprezíveis. A partir desse fato relevante podemos entender melhor a terapêutica do DGH- deficiência do hormônio de crescimento nas diversas indicações precisas e a evolução diagnóstica das disfunções hormonais e metabólicas que as rodeiam. Existe uma correlação positiva entre a média de altura dos pais (média entre as estaturas de ambos os pais) e a estatura de uma criança. Um dos modos de usar esta relação entre as estaturas dos pais e a estatura dos filhos em uma determinada família é por meio do cálculo da altura estimada, usando-se a estatura dos pais, corrigindo-as de acordo com o sexo da criança e colocando os resultados em um gráfico de crescimento. Existe uma diferença média de 12 cm entre
  • 4. homens e mulheres adultos (este parâmetro varia de acordo com a etnia, por exemplo, nos EUA é valido, na região sudeste e sul do Brasil os parâmetros são praticamente idênticos). Assim sendo, para meninos, adicione 12 cm na estatura materna, some o resultado com a estatura do pai e divida por dois. Esta é a estatura estimada e espera-se que os filhos destes pais atinjam uma estatura dentro de 2 DP-desvios padrão deste objetivo ou simplificando, 10 cm acima ou abaixo da altura estimada (2 cm consistem em aproximadamente 1 DP-desvio padrão para a estatura adulta). Este fato conhecide com as observações científicas atuais que observam na atual geração uma diferença de 4 cm a 4,5 cm de estatura mais elevada do que as estaturas sequenciais de seus ancestrais diretos. Para meninas, subtraia 12 cm da estatura paterna e some o resultado com a estatura materna e divida por dois, chegando-se deste modo à estatura estimada para meninas. A média para meninas também será de 10 cm acima ou abaixo desta estimativa. A altura estimada calculada corresponde ao percentil 50 para a família, e os limites de 2 DP-desvios padrão aproximam-se dos percentis 5 e 95 para a família. Este método é útil na ausência de doenças que afetem o crescimento e sua predição é mais valida quando os pais apresentam estaturas similares ao invés de grande discrepância. Quando houver uma grande discrepância entre a estatura da mãe e do pai, a predição da estatura estimada torna-se difícil. Uma criança pode seguir o padrão de crescimento do pai ou da mãe mais baixos mais concordantemente do que a estatura média dos pais. Por exemplo, um menino pode seguir o padrão de crescimento da mãe mais baixa do que o pai mais alto; ambos os pais interferem no
  • 5. crescimento de uma criança para mais ou para menos. Existe um fator importante que tem se firmado através de pesquisas, ou seja, em média existe um alvo genético parental ou familial até aproximadamente 3 a 4 gerações, e mesmo assim observa-se que existe uma variação que dificilmente consegue atingir o alvo genético de 100% ou raramente isto ocorre, em sendo assim, o que se tem observado é que a frequência estatural (altura) chega em média de 85 a 95% da altura alvo máxima, este é o principal motivo de um grande número de pesquisadores sugerirem que mesmo estando dentro do gráfico normal é aconselhável em caso de pequenas defasagens tratar como possível deficiência e utilizar a terapêutica adequada como o GH-hormônio de crescimento conseguindo assim mais estatura que o esperado. ESTIMATED HEIGHT; HEIGHT OF CHILD AND YOUTH ACCORDING TO GENDER; RELATIONSHIP WITH THE AVERAGE HEIGHT OF PARENTS. ACCORDING TO GENDER, CHILD AND YOUTH TIME ESTIMATED; IS POSSIBLE TO DESIGN A POSSIBLE GENETIC TARGET HEIGHT GIVEN THE AVERAGE HEIGHT OF FATHERS, BUT MUST TAKE INTO CONSIDERATION POSSIBLE DISORDERS HORMONES, PHYSIOLOGICAL AND METABOLIC FUNCTIONS; PHYSIOLOGY-ENDOCRINOLOGY-NEUROENDOCRINOLOGY- GENETICS-ENDOCRINE-PEDIATRICS (SUBDIVISION OF ENDOCRINOLOGY): DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO. The inferred variables on growth and longitudinal or linear stature in fetuses, neonates, children and adolescents and even pre-pubescent finalized with the completion of puberty are immense, however children can estimate such variables since we consider the significant factors that compromise.
  • 6. There is a positive correlation between average parental height (average of the heights of both parents) and height of a child. However consider that the treatment of growth failure with all variants including idiopathic and only occurred after 1986 with the advent of the growth hormone-GH by recombinant DNA and most likely their parents did not use the correct therapy that is recent therefore review or rate of height growth only benefited our children. The struggle for discovery of growth hormone (GH) was prolonged and severe. The fascinating circuitous route discovery involved a series of doctors, chemists, physiologists and pathologists. The tale is filled with great ideas and stunning errors, random and jobs without success, and the triumphs and defeats. Efforts to acquire pituitary GH for the treatment of children with GH deficiency started in the mid-1940's. Early work was in subprimates for almost a decade. These efforts led to the purification of bovine GH by Li and Evans, University of California, Berkeley, and Yale Fishman. And porcine GH was purified by Raben and Westermeyer at Tufts. But none of these preparations showed a significant metabolic or biochemical activity because the effect of GH is species specific. The GH-growth hormone was first isolated from human pituitary gland, in 1956, by both Li and Papkoff, Calif., and Raben, in Massachusetts, but its biochemical structure was not elucidated until
  • 7. 1972. In 1960 National pituitary Agency (NPA) was formed to further the goals of coordinating pituitary collection and extraction to support both basic and clinical research. In 1985, U.S. Food and Drug Administration (U.S. FDA) has received reports of four young adults in the United States with the fatal slow virus (prion-mediated) Creutzfeldt Jakob Disease (CJD), which had been treated with GH from the NPA in the 1960s. Connection was recognized in the review of data within a few months by the FDA and NIH. On April 19, 1985, the distribution of pituitary GH was suspended and the use of human pituitary GH rapidly ceased. Identification of biochemical structure of GH in 1972 became the catalyst for the development of recombinant human GH-derived DNA, for which the gene has been cloned for the first time in 1979. Genentech (San Francisco, California) developed in 1981, first recombinant human GH (rhGH), a process of biosynthesis. Later, to develop an improved process has been developed called rhGH protein secretion technology. Wherein the vector plasmid is isolated from a strain of E. coli and DNA chain to be cloned is derived from appropriate source. Both the plasmid and the DNA strand needed are cleaved by restriction enzymes, then reformed and joined to a circular structure. The recombinant plasmid is introduced into E. coli, which is then transformed to synthesize the desired protein. This is currently the most common method used to synthesize rhGH generally known as somatotropin. Without the possibility of rejection factor of the new growth hormone-GH by recombinant DNA were discarded virtually all compromising treatment effects correction or supplementation of GH- Growth Hormone by DNA-recombinant for the thousands of individuals who need this revolutionary substance and negligible negative effects.
  • 8. From that material fact can better understand the treatment of GHD growth hormone deficiency in different directions and accurate diagnostic evolution of hormonal and metabolic dysfunctions that surround them. There is a positive correlation between average parental height (average of the heights of both parents) and height of a child. One way to use this relationship between stature the stature of the parents of the children in a family is determined by calculating the estimated height, using the height of the parents, correcting them according to the sex of the child and placing results in a growth chart. There is an average difference of 12 cm between adult men and women (This parameter varies according to ethnicity, for example, in the U.S. is valid in the southeastern and southern Brazil parameters are virtually identical). Thus, for boys, add 12 cm in maternal height add the result to the parent’s height and divide by two. This is the estimated height and it is expected that the children of these parents reach a height within 2 SD-standard deviation or simplifying this purpose, 10 cm above or below the estimated height (2 cm consist of approximately 1 SD-standard deviation for adult height). This fact conhecide with current scientific observations that observed in the current generation a difference of 4 cm to 4.5 cm higher than the height of his stature sequential direct ancestors. For girls, subtract 12 cm of paternal height and add the result to maternal height and divide by two, reaching thus the estimated height for girls. Mean Girls
  • 9. also will be 10 cm above or below the estimate. The calculated estimated height corresponds to the 50th percentile for the family, and the limits of 2 SD-standard deviations are close to the 5th and 95th percentiles for the family. This method is useful in the absence of diseases that affect growth and its prediction is more valid when parents have similar statures rather large discrepancy. When there is a large discrepancy between the height of the mother and father, the prediction of the estimated height becomes difficult. A child can follow the growth pattern of the father and accordingly more than the average height of the lower parent mother. For example, a boy may follow the growth pattern of the lower parent than the highest parent; both parents interfere with the growth of a child more or less. There is an important factor that has been entrenched through surveys I e, on average there is a parental or familial genetic target until about 3-4 generations, and even then it is observed that there is a variation that can hardly 100% of the target gene or rarely this occurs in therefore what has been observed is that the height frequency (pitch) reaches on average 85-95% of maximum target height, this is the main reason a large number of researchers suggest that although within the graph Normal is advisable in case of small lags treat disability as possible and use the appropriate therapy as GH-growth hormone thus achieving more stature than expected. Dr. João Santos Caio Jr. Endocrinologia – Neuroendocrinologista CRM 20611 Dra. Henriqueta V. Caio Endocrinologista – Medicina Interna CRM 28930 Como saber mais: 1. O crescimento longitudinal ou linear à medida que a criança deixa a infância e a velocidade de crescimento deve ser determinada em relação
  • 10. aos padrões para a idade em um gráfico com indicações da posição da criança (supina) ou ereta no momento da aferição, o que é especialmente importante no momento em que a criança muda da posição supina para a ereta... http://hormoniocrescimentoadultos.blogspot.com 2. A falha no reconhecimento da mudança técnica pode sugerir falsamente um distúrbio de crescimento... http://longevidadefutura.blogspot.com 3. Elas continuam a crescer mesmo depois de a maioria de seus colegas terem parado... http://imcobesidade.blogspot.com AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. Referências Bibliográficas: Caio Jr, João Santos, Dr.; Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Caio,H. V., Dra. Endocrinologista, Medicina Interna – Van Der Häägen Brazil, São Paulo, Brasil; Tanner JM. Auxologia. In: Kappy MS, a Blizzard RM, Migeon CJ, eds. O diagnóstico e tratamento de doenças endócrinas na infância e adolescência.4th ed. Springfield, IL: Charles C Thomas, 1995:137-92; Rogol AD, Lawton EL. Medidas corporais. In: Lohr JA, ed. Procedimentos ambulatoriais pediátricos. Philadelphia: JB Lippincott, 1990:1- 9; Baumgartner RN, Roche AF, Himes JH. Tabelas crescimento incremental: suplementares para gráficos publicados anteriormente. Am J Clin Nutr 1986; 43 : 711 -22; Tanner JM. Feto no homem: o crescimento físico, desde a concepção até o vencimento. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1989; Crescimento Sinclair D. humana após o nascimento. London: Oxford University Press, 1978; Smith DW. Crescimento e seus distúrbios. Philadelphia: WB Saunders, 1977; Tanner JM, Healy MJR, Lockhart RD, et al. Aberdeen Estudo Crescimento, I: a previsão de medição corpo adulto a partir de medições realizadas a cada ano desde o nascimento até cinco anos. Arch Dis Child 1956 ; 31 : 372 ; Marshall WA, Tanner JM. Variações nos padrões de mudanças da puberdade em meninas. Arch Dis Child 1969 ; 44 : 291 -303.; Marshall WA, Tanner JM. Variações nos padrões de mudanças da puberdade em meninos. Arch Dis Child 1970 ; 45 : 13 -23; Berkey CS, Wang X, Dockery DW, Ferris B. Adolescente crescimento em altura das crianças americanas Ann Hum Biol 1994 ; 21 : 435 -42. Contato: Fones: 55 11 5087-4404 ou 96197-0305 Nextel: ID:111*101625
  • 11. Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj. 121/122 Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002 e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com Site Van Der Häägen Brazil www.vanderhaagenbrazil.com.br www.clinicavanderhaagen.com.br www.crescimentoinfoco.com www.obesidadeinfoco.com.br http://drcaiojr.site.med.br http://dracaio.site.med.br Joao Santos Caio Jr http://google.com/+JoaoSantosCaioJr Video http://youtu.be/woonaiFJQwY Google Maps: http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt &sll=-23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie =UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t = h&z=17