SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
 Separação liquido- vapor
 Volatilidades razoavelmente diferentes
 Grande diferencial em Industrias Químicas
 Pureza
Tipos de destilação
 Destilação integral
 Destilação diferencial
 Destilação fracionada
 Destilação extrativa
 Destilação azeotrópica
Destilação integral
 Também conhecida como flash
 1 Estágio
 Contato intimo do vapor com o liquido
 Produto retirado constantemente e carga introduzida
constantemente
 Comumente usada como operação auxiliar
Destilação Diferencial ( batelada)
 Vapor formado é retirado, liquido residual
permanece
 Composição do destilado e do resíduo variam com
o tempo
 Não há equilíbrio termodinâmico
Destilação fracionada
 Vários estágios
 Possibilidade de obter produtos mais ricos em
determinados componentes
 Pode se retirar no topo, laterais e no fundo
 Pontos de ebulição muito próximos
 Componente externo alterar a volatilidade
Destilação azeotrópica
 Componente externo forma um azeótropo com um ou
mais componentes de carga
 O azeotrópo formado é mais volátil que os
componentes
 Fabricação da Glicerina
 Refino do Petróleo
 Processo de produção Ácido Graxo e Sabões
 Processo produtivo Butadieno
 Fabricação do Álcool Industrial
Glicerina
 Definição
 Aplicação
 Fabricação
 Petróleo
• Fonte de matéria primas, ou seja, de substancias
reagentes para a preparação de novos produtos,
tais como:
• Plásticos
• Tintas
• Detergentes
• Fibras têxteis
• Medicamentos
 O petróleo bruto, aquele que sai do poço, deve
passar por uma separação de seus componentes
que é feita numa refinaria; sendo principal
processo da refinação é a destilação fracionada
• Os vapores restantes que tem ponto de ebulição mais
baixos que a temperatura da bandeja, borbulham o
liquido e passam pra bandeja superior onde o mesmo
processo se repete e outra fração é condensada e retirada,
isso ocorre continuamente ao longo de toda a coluna.
Seus intervalos de ebulição e composição química
representada pelos números de átomos carbono nas
moléculas constituintes de cada fração
 1ª Seção:
Destilação Extrativa
 2ª Seção:
Destilação Extrativa
3ª Seção:
Fracionamento
4ª Seção:
Purificação do Solvente
• O melaço é diluído e se transforma em mosto.
• È bombeado para uma dorna de fermentação onde é adicionado sal de
amônio e ácido sulfúrico para fornecer componentes nutritivos e
manter o pH.
• Depois que sai do fermentador sai o vinho do melaço e é enviado para a
coluna de destilação.
 O Vinho é bombeado para as seções superiores da coluna de
destilação depois de passar por diversos trocadores de calor.
 À medida que o vinho desce pela coluna vai perdendo os
seus componentes mais voláteis.
 O líquido descarregado pelo fundo da coluna por um trocador de calor
é o vinhoto ou vinhaça ,que é rico em nutrientes.
 O produto de topo contém água + álcool + aldeído. Este produto passa
por um trocador para o condensador parcial onde há a condensação dos
vapores restantes que passam no condensador, onde recolhe o álcool a
50% contendo voláteis e aldeídos.
 Este condensado (vinho concentrado) vai para a segunda
coluna de aldeídos onde são separados as impurezas
voláteis (aldeídos) que saem no produto do topo.
 O licor efluente da parte inferior da coluna de aldeído passa
para a coluna de retificação.
 O álcool é concentrado e purificado as seguinte forma:
 O vapor passa por um deflagmador e é parcialmente
condensado para manter o álcool mais concentrado na
coluna e fornece um refluxo para os pratos superiores.
 Os produtos voláteis que podem conter os aldeídos e parte
do álcool são totalmente condensados e retornam a parte
superior da coluna do aldeído.
 Nas vizinhanças do topo da coluna de retificação recolhe-
se o álcool de 95 a 95,6%, através de um condensador que
é estocado e comercializado.
 Mais para baixo da coluna faz a separação do óleo fúsel, de
ebulição mais elevada, através do resfriador e de um
separador, lançando-os depois em uma coluna especial,
onde é extraído o álcool que possa conter resíduo que
pode ser usado como solvente.
 O Resíduo final da coluna de retificação descarrega água.
As misturas de álcool e água são retificadas para
elevar a concentração do componentes alcoólico .
 Indústrias de processos químicos, 4ª edição; Sherve, R.
Norris; Brink Jr , Joseph A. ; Editora Guanabara.
 http://www.eq.ufc.br/TFC/TFC_2010_SilvaLima.pdf
 http://www.petrobras.com.br/pt/energia-e-
tecnologia/fontes-de-
energia/petroleo/?gclid=COaEpYnmq7QCFQ2znQod
MmUA2A

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Evaporação douglas e pedro augusto
Evaporação douglas e pedro augustoEvaporação douglas e pedro augusto
Evaporação douglas e pedro augustoDouglas Pul
 
FCC_Craqueamento Catalítico
FCC_Craqueamento CatalíticoFCC_Craqueamento Catalítico
FCC_Craqueamento Catalíticoanpets
 
Base da refinação de petróleo
Base da refinação de petróleoBase da refinação de petróleo
Base da refinação de petróleoJoaoSandoval
 
Módulo2 ppt-estática-dinâmicadefluidos
Módulo2 ppt-estática-dinâmicadefluidosMódulo2 ppt-estática-dinâmicadefluidos
Módulo2 ppt-estática-dinâmicadefluidosFersay
 
Processo de Refinação e Derivados do Petróleo
Processo de Refinação e Derivados do PetróleoProcesso de Refinação e Derivados do Petróleo
Processo de Refinação e Derivados do PetróleoKaíne Colodetti
 
Processo de refinação do petróleo
Processo de refinação do petróleoProcesso de refinação do petróleo
Processo de refinação do petróleoAjudar Pessoas
 
Aula 09 processos de conversão
Aula 09   processos de conversãoAula 09   processos de conversão
Aula 09 processos de conversãoAnderson Pontes
 
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação,  armazenagem e transporte de petróleApostila separação,  armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróleJhurengo Margon
 
Craqueamento catalítico
Craqueamento catalíticoCraqueamento catalítico
Craqueamento catalíticonata81
 
Palestra tratamento de águas1
Palestra   tratamento de águas1Palestra   tratamento de águas1
Palestra tratamento de águas1Rômulo Depollo
 
Processos de tratamento do petroleo
Processos de tratamento do petroleoProcessos de tratamento do petroleo
Processos de tratamento do petroleoLidiane Reis
 

Mais procurados (19)

Evaporação douglas e pedro augusto
Evaporação douglas e pedro augustoEvaporação douglas e pedro augusto
Evaporação douglas e pedro augusto
 
FCC_Craqueamento Catalítico
FCC_Craqueamento CatalíticoFCC_Craqueamento Catalítico
FCC_Craqueamento Catalítico
 
Base da refinação de petróleo
Base da refinação de petróleoBase da refinação de petróleo
Base da refinação de petróleo
 
Jean lucas 1a 3
Jean lucas   1a 3Jean lucas   1a 3
Jean lucas 1a 3
 
Módulo2 ppt-estática-dinâmicadefluidos
Módulo2 ppt-estática-dinâmicadefluidosMódulo2 ppt-estática-dinâmicadefluidos
Módulo2 ppt-estática-dinâmicadefluidos
 
11 aula refino do petróleo
11  aula refino do petróleo11  aula refino do petróleo
11 aula refino do petróleo
 
Cristalização
CristalizaçãoCristalização
Cristalização
 
Processo de Refinação e Derivados do Petróleo
Processo de Refinação e Derivados do PetróleoProcesso de Refinação e Derivados do Petróleo
Processo de Refinação e Derivados do Petróleo
 
Processo de refinação do petróleo
Processo de refinação do petróleoProcesso de refinação do petróleo
Processo de refinação do petróleo
 
Aula 09 processos de conversão
Aula 09   processos de conversãoAula 09   processos de conversão
Aula 09 processos de conversão
 
Aula de caldeiras
Aula de caldeirasAula de caldeiras
Aula de caldeiras
 
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação,  armazenagem e transporte de petróleApostila separação,  armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
 
Evaporacao
EvaporacaoEvaporacao
Evaporacao
 
Refino de Petróleo
Refino de PetróleoRefino de Petróleo
Refino de Petróleo
 
Craqueamento catalítico
Craqueamento catalíticoCraqueamento catalítico
Craqueamento catalítico
 
Booommmm petroleo
Booommmm petroleoBooommmm petroleo
Booommmm petroleo
 
Refinaria de Petróleo
Refinaria de Petróleo Refinaria de Petróleo
Refinaria de Petróleo
 
Palestra tratamento de águas1
Palestra   tratamento de águas1Palestra   tratamento de águas1
Palestra tratamento de águas1
 
Processos de tratamento do petroleo
Processos de tratamento do petroleoProcessos de tratamento do petroleo
Processos de tratamento do petroleo
 

Destaque

Destilação simples e fracionada
Destilação simples e fracionadaDestilação simples e fracionada
Destilação simples e fracionadaAngela Guerra
 
1 destilaçâo-tecnologia quimica
1 destilaçâo-tecnologia quimica1 destilaçâo-tecnologia quimica
1 destilaçâo-tecnologia quimicaFersay
 
Extração de óleo de coco utilizando extrator Soxhlet e determinação dos índi...
 Extração de óleo de coco utilizando extrator Soxhlet e determinação dos índi... Extração de óleo de coco utilizando extrator Soxhlet e determinação dos índi...
Extração de óleo de coco utilizando extrator Soxhlet e determinação dos índi...Daiana Freitas
 
Exercício projeto de reatores 19 05
Exercício projeto de reatores 19 05Exercício projeto de reatores 19 05
Exercício projeto de reatores 19 05Sabrina Amaral
 
Processamento industrial e produtos da mandioca
Processamento industrial e produtos da mandiocaProcessamento industrial e produtos da mandioca
Processamento industrial e produtos da mandiocaTiago Maboni Derlan
 
Destilação / Disttilation
Destilação / DisttilationDestilação / Disttilation
Destilação / DisttilationZara Hoffmann
 
Prh13 analise-de-desempenho-de-colunas-de-destilacao
Prh13 analise-de-desempenho-de-colunas-de-destilacaoPrh13 analise-de-desempenho-de-colunas-de-destilacao
Prh13 analise-de-desempenho-de-colunas-de-destilacaoFábio Alves
 
Equilibrio destilacao
Equilibrio destilacaoEquilibrio destilacao
Equilibrio destilacaomarina0207
 

Destaque (20)

Química - Destilação
Química - DestilaçãoQuímica - Destilação
Química - Destilação
 
Aula 02
Aula 02Aula 02
Aula 02
 
Aula 04
Aula 04Aula 04
Aula 04
 
Destilação
DestilaçãoDestilação
Destilação
 
Destilação simples e fracionada
Destilação simples e fracionadaDestilação simples e fracionada
Destilação simples e fracionada
 
destilação
destilaçãodestilação
destilação
 
1 destilaçâo-tecnologia quimica
1 destilaçâo-tecnologia quimica1 destilaçâo-tecnologia quimica
1 destilaçâo-tecnologia quimica
 
Destilação
DestilaçãoDestilação
Destilação
 
Extração de óleo de coco utilizando extrator Soxhlet e determinação dos índi...
 Extração de óleo de coco utilizando extrator Soxhlet e determinação dos índi... Extração de óleo de coco utilizando extrator Soxhlet e determinação dos índi...
Extração de óleo de coco utilizando extrator Soxhlet e determinação dos índi...
 
Exercício projeto de reatores 19 05
Exercício projeto de reatores 19 05Exercício projeto de reatores 19 05
Exercício projeto de reatores 19 05
 
Petróleo
PetróleoPetróleo
Petróleo
 
Cristalizacao
CristalizacaoCristalizacao
Cristalizacao
 
Processamento industrial e produtos da mandioca
Processamento industrial e produtos da mandiocaProcessamento industrial e produtos da mandioca
Processamento industrial e produtos da mandioca
 
Dengue 3º b
Dengue 3º bDengue 3º b
Dengue 3º b
 
Destilação / Disttilation
Destilação / DisttilationDestilação / Disttilation
Destilação / Disttilation
 
Destilação do vinho
Destilação do vinhoDestilação do vinho
Destilação do vinho
 
Separação de Materias
Separação de Materias Separação de Materias
Separação de Materias
 
Prh13 analise-de-desempenho-de-colunas-de-destilacao
Prh13 analise-de-desempenho-de-colunas-de-destilacaoPrh13 analise-de-desempenho-de-colunas-de-destilacao
Prh13 analise-de-desempenho-de-colunas-de-destilacao
 
Equilibrio destilacao
Equilibrio destilacaoEquilibrio destilacao
Equilibrio destilacao
 
Novo trabalho de quimica
Novo trabalho de quimicaNovo trabalho de quimica
Novo trabalho de quimica
 

Semelhante a Destilação

história produção do etanol 01_08.ppt
história produção do etanol 01_08.ppthistória produção do etanol 01_08.ppt
história produção do etanol 01_08.pptssuser2b53fe
 
Aula 08 tecnologia da engenharia química - operações unitárias i - 25.03.11
Aula 08   tecnologia da engenharia química - operações unitárias i - 25.03.11Aula 08   tecnologia da engenharia química - operações unitárias i - 25.03.11
Aula 08 tecnologia da engenharia química - operações unitárias i - 25.03.11Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
curso de açucar e alcool produção de etanol.ppt
curso de açucar e alcool produção de etanol.pptcurso de açucar e alcool produção de etanol.ppt
curso de açucar e alcool produção de etanol.pptssuser2b53fe
 
Consumo vapor destilacao_florenal_zarpelon_fz_consultoria
Consumo vapor destilacao_florenal_zarpelon_fz_consultoriaConsumo vapor destilacao_florenal_zarpelon_fz_consultoria
Consumo vapor destilacao_florenal_zarpelon_fz_consultoriaEzequiel Sabino
 
Aula 01 - Noções de Processamento Químico e Outros.pdf
Aula 01 - Noções de Processamento Químico e Outros.pdfAula 01 - Noções de Processamento Químico e Outros.pdf
Aula 01 - Noções de Processamento Químico e Outros.pdfcoteibras
 
10 Processamento
10 Processamento10 Processamento
10 ProcessamentoAlvaro
 
Trabalho sobre petróleo
Trabalho sobre petróleoTrabalho sobre petróleo
Trabalho sobre petróleoEduardo Chaves
 
Questões de tecnologia de produção de origem vegetal
Questões de tecnologia de produção de origem vegetalQuestões de tecnologia de produção de origem vegetal
Questões de tecnologia de produção de origem vegetalAndré Fontana Weber
 

Semelhante a Destilação (16)

história produção do etanol 01_08.ppt
história produção do etanol 01_08.ppthistória produção do etanol 01_08.ppt
história produção do etanol 01_08.ppt
 
6 refino-de-petrc3b3leo
6 refino-de-petrc3b3leo6 refino-de-petrc3b3leo
6 refino-de-petrc3b3leo
 
1a 3 eq 2 - decantacao
1a 3   eq 2 - decantacao1a 3   eq 2 - decantacao
1a 3 eq 2 - decantacao
 
DESTILAÇÃO ALCOOL
DESTILAÇÃO ALCOOLDESTILAÇÃO ALCOOL
DESTILAÇÃO ALCOOL
 
Aula 08 tecnologia da engenharia química - operações unitárias i - 25.03.11
Aula 08   tecnologia da engenharia química - operações unitárias i - 25.03.11Aula 08   tecnologia da engenharia química - operações unitárias i - 25.03.11
Aula 08 tecnologia da engenharia química - operações unitárias i - 25.03.11
 
Separação de Materias
Separação de Materias Separação de Materias
Separação de Materias
 
Trab quimica
Trab quimica Trab quimica
Trab quimica
 
curso de açucar e alcool produção de etanol.ppt
curso de açucar e alcool produção de etanol.pptcurso de açucar e alcool produção de etanol.ppt
curso de açucar e alcool produção de etanol.ppt
 
Consumo vapor destilacao_florenal_zarpelon_fz_consultoria
Consumo vapor destilacao_florenal_zarpelon_fz_consultoriaConsumo vapor destilacao_florenal_zarpelon_fz_consultoria
Consumo vapor destilacao_florenal_zarpelon_fz_consultoria
 
Aula 01 - Noções de Processamento Químico e Outros.pdf
Aula 01 - Noções de Processamento Químico e Outros.pdfAula 01 - Noções de Processamento Químico e Outros.pdf
Aula 01 - Noções de Processamento Químico e Outros.pdf
 
10 Processamento
10 Processamento10 Processamento
10 Processamento
 
Trabalho sobre petróleo
Trabalho sobre petróleoTrabalho sobre petróleo
Trabalho sobre petróleo
 
Aula petroleo-2010
Aula petroleo-2010Aula petroleo-2010
Aula petroleo-2010
 
50811.ppt
50811.ppt50811.ppt
50811.ppt
 
50811.ppt
50811.ppt50811.ppt
50811.ppt
 
Questões de tecnologia de produção de origem vegetal
Questões de tecnologia de produção de origem vegetalQuestões de tecnologia de produção de origem vegetal
Questões de tecnologia de produção de origem vegetal
 

Destilação

  • 1.
  • 2.  Separação liquido- vapor  Volatilidades razoavelmente diferentes  Grande diferencial em Industrias Químicas  Pureza
  • 3. Tipos de destilação  Destilação integral  Destilação diferencial  Destilação fracionada  Destilação extrativa  Destilação azeotrópica
  • 4. Destilação integral  Também conhecida como flash  1 Estágio  Contato intimo do vapor com o liquido  Produto retirado constantemente e carga introduzida constantemente  Comumente usada como operação auxiliar
  • 5. Destilação Diferencial ( batelada)  Vapor formado é retirado, liquido residual permanece  Composição do destilado e do resíduo variam com o tempo  Não há equilíbrio termodinâmico
  • 6. Destilação fracionada  Vários estágios  Possibilidade de obter produtos mais ricos em determinados componentes  Pode se retirar no topo, laterais e no fundo
  • 7.  Pontos de ebulição muito próximos  Componente externo alterar a volatilidade Destilação azeotrópica  Componente externo forma um azeótropo com um ou mais componentes de carga  O azeotrópo formado é mais volátil que os componentes
  • 8.  Fabricação da Glicerina  Refino do Petróleo  Processo de produção Ácido Graxo e Sabões  Processo produtivo Butadieno  Fabricação do Álcool Industrial
  • 9.
  • 12.
  • 14. • Fonte de matéria primas, ou seja, de substancias reagentes para a preparação de novos produtos, tais como: • Plásticos • Tintas • Detergentes • Fibras têxteis • Medicamentos
  • 15.  O petróleo bruto, aquele que sai do poço, deve passar por uma separação de seus componentes que é feita numa refinaria; sendo principal processo da refinação é a destilação fracionada
  • 16.
  • 17. • Os vapores restantes que tem ponto de ebulição mais baixos que a temperatura da bandeja, borbulham o liquido e passam pra bandeja superior onde o mesmo processo se repete e outra fração é condensada e retirada, isso ocorre continuamente ao longo de toda a coluna.
  • 18. Seus intervalos de ebulição e composição química representada pelos números de átomos carbono nas moléculas constituintes de cada fração
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.  1ª Seção: Destilação Extrativa  2ª Seção: Destilação Extrativa 3ª Seção: Fracionamento 4ª Seção: Purificação do Solvente
  • 24.
  • 25.
  • 26. • O melaço é diluído e se transforma em mosto. • È bombeado para uma dorna de fermentação onde é adicionado sal de amônio e ácido sulfúrico para fornecer componentes nutritivos e manter o pH. • Depois que sai do fermentador sai o vinho do melaço e é enviado para a coluna de destilação.
  • 27.  O Vinho é bombeado para as seções superiores da coluna de destilação depois de passar por diversos trocadores de calor.  À medida que o vinho desce pela coluna vai perdendo os seus componentes mais voláteis.
  • 28.  O líquido descarregado pelo fundo da coluna por um trocador de calor é o vinhoto ou vinhaça ,que é rico em nutrientes.  O produto de topo contém água + álcool + aldeído. Este produto passa por um trocador para o condensador parcial onde há a condensação dos vapores restantes que passam no condensador, onde recolhe o álcool a 50% contendo voláteis e aldeídos.
  • 29.  Este condensado (vinho concentrado) vai para a segunda coluna de aldeídos onde são separados as impurezas voláteis (aldeídos) que saem no produto do topo.  O licor efluente da parte inferior da coluna de aldeído passa para a coluna de retificação.
  • 30.  O álcool é concentrado e purificado as seguinte forma:  O vapor passa por um deflagmador e é parcialmente condensado para manter o álcool mais concentrado na coluna e fornece um refluxo para os pratos superiores.  Os produtos voláteis que podem conter os aldeídos e parte do álcool são totalmente condensados e retornam a parte superior da coluna do aldeído.
  • 31.  Nas vizinhanças do topo da coluna de retificação recolhe- se o álcool de 95 a 95,6%, através de um condensador que é estocado e comercializado.  Mais para baixo da coluna faz a separação do óleo fúsel, de ebulição mais elevada, através do resfriador e de um separador, lançando-os depois em uma coluna especial, onde é extraído o álcool que possa conter resíduo que pode ser usado como solvente.  O Resíduo final da coluna de retificação descarrega água.
  • 32. As misturas de álcool e água são retificadas para elevar a concentração do componentes alcoólico .
  • 33.  Indústrias de processos químicos, 4ª edição; Sherve, R. Norris; Brink Jr , Joseph A. ; Editora Guanabara.  http://www.eq.ufc.br/TFC/TFC_2010_SilvaLima.pdf  http://www.petrobras.com.br/pt/energia-e- tecnologia/fontes-de- energia/petroleo/?gclid=COaEpYnmq7QCFQ2znQod MmUA2A