SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
D. Sebastião “o desejado”
Quem foi D. Sebastião? ,[object Object]
 Quando o seu avô faleceu, o trono de Portugal  foi entregue a D. Catarina, sua avó, e depois ao Cardeal D. Henrique, seu tio-avô, que governaram o país como regentes.
Aos 14 anos, D. Sebastião subiu ao trono. Em 1578, quando tinha apenas 24 anos, decidiu reiniciar  as conquistas no norte de África.
Assim, partiu com o seu exército para Alcácer-Quibir onde os portugueses foram derrotados. D. Sebastião nunca mais voltou dessa batalha, tendo sido provavelmente morto, o que originou muitas lendas…,[object Object]
[object Object]
   Alguns elementos do povo ficaram indignados e  organizaram diversas revoltas.  Assim surgiram vários homens dizendo ser D. Sebastião.
Um dos mais conhecidos foi Mateus Álvares, da Ericeira. A população e o próprio rei Filipe II pensavam que o rei D. Sebastião tinha voltado, para recuperar o trono de Portugal. Este homem acabou por  ser morto a mando do rei espanhol.O falso D. Sebastião da Ericeira
Mateus Álvares D. Sebastião
D. SEBASTIÃO Rei de Portugal   Louco, sim, louco, porque quis grandeza Qual a Sorte a não dá. Não coube em mim minha certeza; Por isso onde o areal está Ficou meu ser que houve, não o que há.   Minha loucura, outros que me a tomem Com o que nela ia. Sem a loucura que é o homem Mais que a besta sadia, Cadáver adiado que procria?                         Fernando Pessoa Poema
Retratos de D. Sebastião D. Sebastião era muitas vezes retratado em quadros porque sua mãe vivia em Espanha e esta era uma forma de “matar saudades”.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
beonline5
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Vanda Sousa
 
Capítulo X - MC
Capítulo X - MCCapítulo X - MC
Capítulo X - MC
12anogolega
 

Mais procurados (20)

Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagem
 
"Mensagem" de Fernando Pessoa: Filipa de Lencastre
"Mensagem" de Fernando Pessoa: Filipa de Lencastre"Mensagem" de Fernando Pessoa: Filipa de Lencastre
"Mensagem" de Fernando Pessoa: Filipa de Lencastre
 
Os Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVIOs Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVI
 
"D. Sebastião, Rei de Portugal" - análise
"D. Sebastião, Rei de Portugal" - análise"D. Sebastião, Rei de Portugal" - análise
"D. Sebastião, Rei de Portugal" - análise
 
Nevoeiro
Nevoeiro   Nevoeiro
Nevoeiro
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
Os Maias estrutura
Os Maias estruturaOs Maias estrutura
Os Maias estrutura
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
 
Mensagem - Fernando Pessoa
Mensagem - Fernando Pessoa Mensagem - Fernando Pessoa
Mensagem - Fernando Pessoa
 
D. Fernando Infante de Portugal
D. Fernando Infante de PortugalD. Fernando Infante de Portugal
D. Fernando Infante de Portugal
 
Mensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
Mensagem - D. Sebastião Rei de PortugalMensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
Mensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
 
Capítulo X - MC
Capítulo X - MCCapítulo X - MC
Capítulo X - MC
 
Viriato
ViriatoViriato
Viriato
 
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemSebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
 
Power point "Frei Luís de Sousa"
Power point "Frei Luís de Sousa"Power point "Frei Luís de Sousa"
Power point "Frei Luís de Sousa"
 
Sinopses das obras- Projeto de leitura, 11ºAno.
Sinopses das obras- Projeto de leitura, 11ºAno. Sinopses das obras- Projeto de leitura, 11ºAno.
Sinopses das obras- Projeto de leitura, 11ºAno.
 

Destaque

Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexiaEstratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Magda Ferreira
 

Destaque (20)

Crise de sucessão
Crise de sucessão Crise de sucessão
Crise de sucessão
 
Deíticos
DeíticosDeíticos
Deíticos
 
União ibérica & restauração
União ibérica & restauraçãoUnião ibérica & restauração
União ibérica & restauração
 
Sapo apaixonado
Sapo apaixonadoSapo apaixonado
Sapo apaixonado
 
Calendário de setembro 2015
Calendário de setembro 2015Calendário de setembro 2015
Calendário de setembro 2015
 
Calendário de março (2015)
Calendário de março (2015)Calendário de março (2015)
Calendário de março (2015)
 
Calendário de janeiro com a contagem do tempo
Calendário de janeiro com a contagem do tempoCalendário de janeiro com a contagem do tempo
Calendário de janeiro com a contagem do tempo
 
Calendário do mês de fevereiro com o tempo
Calendário do mês de fevereiro com o tempoCalendário do mês de fevereiro com o tempo
Calendário do mês de fevereiro com o tempo
 
Apostila de atividades para o 1º ano
Apostila de atividades para o 1º anoApostila de atividades para o 1º ano
Apostila de atividades para o 1º ano
 
Que horas são?
Que horas são?Que horas são?
Que horas são?
 
Capa de 1º período
Capa de 1º períodoCapa de 1º período
Capa de 1º período
 
Descobre as diferenças.
Descobre as diferenças.Descobre as diferenças.
Descobre as diferenças.
 
Al il ol ul el
Al      il      ol        ul          elAl      il      ol        ul          el
Al il ol ul el
 
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexiaEstratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
 
Ficha de caso de leitura al,el,il, ol...
Ficha de caso de leitura  al,el,il, ol...Ficha de caso de leitura  al,el,il, ol...
Ficha de caso de leitura al,el,il, ol...
 
Capa separadora do 1º período
Capa separadora do 1º períodoCapa separadora do 1º período
Capa separadora do 1º período
 
Calendário do mês de outubro para preencher 2015
Calendário do mês de outubro para preencher 2015Calendário do mês de outubro para preencher 2015
Calendário do mês de outubro para preencher 2015
 
Capas separadoras de abril (2017)
Capas separadoras de abril (2017)Capas separadoras de abril (2017)
Capas separadoras de abril (2017)
 
Capa separadora do mês de março
Capa separadora do mês de marçoCapa separadora do mês de março
Capa separadora do mês de março
 
Capa de avaliação mensal de fevereiro (carnaval)
Capa de avaliação mensal de fevereiro (carnaval)Capa de avaliação mensal de fevereiro (carnaval)
Capa de avaliação mensal de fevereiro (carnaval)
 

Semelhante a D. Sebastião

10 curiosidades sobre a independência
10 curiosidades sobre a independência10 curiosidades sobre a independência
10 curiosidades sobre a independência
Lucas Reis
 
Rafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De DezembroRafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De Dezembro
guest9ca549
 
Rafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De DezembroRafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De Dezembro
guest9ca549
 
Rafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De DezembroRafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De Dezembro
guest9ca549
 
Revista de historia
Revista de historiaRevista de historia
Revista de historia
mahhhluiza
 
O mito do sebastianismo
O mito do sebastianismoO mito do sebastianismo
O mito do sebastianismo
davidjpereira
 
3.ª dinastia
3.ª dinastia3.ª dinastia
3.ª dinastia
blog-eic
 
Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2
Carmo Silva
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragança
Carmo Silva
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragança
Carmo Silva
 
1 de dezembro
1  de dezembro1  de dezembro
1 de dezembro
cresac
 
Ociclo do açúcar e o ciclo do ouro
Ociclo do açúcar e o ciclo do ouroOciclo do açúcar e o ciclo do ouro
Ociclo do açúcar e o ciclo do ouro
Anabela Sobral
 

Semelhante a D. Sebastião (20)

10 curiosidades sobre a independência
10 curiosidades sobre a independência10 curiosidades sobre a independência
10 curiosidades sobre a independência
 
Rafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De DezembroRafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De Dezembro
 
Rafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De DezembroRafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De Dezembro
 
Rafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De DezembroRafael 1 De Dezembro
Rafael 1 De Dezembro
 
Revista de historia
Revista de historiaRevista de historia
Revista de historia
 
D.sebastião
D.sebastiãoD.sebastião
D.sebastião
 
Restauração
RestauraçãoRestauração
Restauração
 
Slide rhanny
Slide rhannySlide rhanny
Slide rhanny
 
O mito do sebastianismo
O mito do sebastianismoO mito do sebastianismo
O mito do sebastianismo
 
3.ª dinastia
3.ª dinastia3.ª dinastia
3.ª dinastia
 
RestauraçãO Da IndependêNcia De Portugal
RestauraçãO Da IndependêNcia De PortugalRestauraçãO Da IndependêNcia De Portugal
RestauraçãO Da IndependêNcia De Portugal
 
1 De Dezembro De 1640
1 De Dezembro De 16401 De Dezembro De 1640
1 De Dezembro De 1640
 
Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragança
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragança
 
1 de dezembro
1  de dezembro1  de dezembro
1 de dezembro
 
D. Pedro I
D. Pedro ID. Pedro I
D. Pedro I
 
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º impérioUnidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
 
Ociclo do açúcar e o ciclo do ouro
Ociclo do açúcar e o ciclo do ouroOciclo do açúcar e o ciclo do ouro
Ociclo do açúcar e o ciclo do ouro
 
Biografia D[1]. Carlos
Biografia D[1]. CarlosBiografia D[1]. Carlos
Biografia D[1]. Carlos
 

Último

APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
lbgsouza
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
LindinhaSilva1
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
FLAVIA LEZAN
 

Último (20)

Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalBENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 

D. Sebastião

  • 1. D. Sebastião “o desejado”
  • 2.
  • 3. Quando o seu avô faleceu, o trono de Portugal foi entregue a D. Catarina, sua avó, e depois ao Cardeal D. Henrique, seu tio-avô, que governaram o país como regentes.
  • 4. Aos 14 anos, D. Sebastião subiu ao trono. Em 1578, quando tinha apenas 24 anos, decidiu reiniciar as conquistas no norte de África.
  • 5.
  • 6.
  • 7. Alguns elementos do povo ficaram indignados e organizaram diversas revoltas. Assim surgiram vários homens dizendo ser D. Sebastião.
  • 8. Um dos mais conhecidos foi Mateus Álvares, da Ericeira. A população e o próprio rei Filipe II pensavam que o rei D. Sebastião tinha voltado, para recuperar o trono de Portugal. Este homem acabou por ser morto a mando do rei espanhol.O falso D. Sebastião da Ericeira
  • 9. Mateus Álvares D. Sebastião
  • 10. D. SEBASTIÃO Rei de Portugal   Louco, sim, louco, porque quis grandeza Qual a Sorte a não dá. Não coube em mim minha certeza; Por isso onde o areal está Ficou meu ser que houve, não o que há.   Minha loucura, outros que me a tomem Com o que nela ia. Sem a loucura que é o homem Mais que a besta sadia, Cadáver adiado que procria?   Fernando Pessoa Poema
  • 11. Retratos de D. Sebastião D. Sebastião era muitas vezes retratado em quadros porque sua mãe vivia em Espanha e esta era uma forma de “matar saudades”.
  • 12.
  • 13. Escultura de D. Sebastião Rei D.Sebastião em Lagos. 1973 João Cutileiro
  • 14.
  • 15. EB 2,3 da Venda do Pinheiro Trabalho realizado no âmbito da disciplina de História Grupo de trabalho: Catarina Lapas Diogo Luís Joana Pereira Mafalda Serpa Patrícia Freitas 8º A Ano lectivo 2010/11