SlideShare uma empresa Scribd logo
POVO E CULTURA
Povos
• Povos e Comunidades tradicionais são grupos
culturalmente diferenciados, que possuem condições
sociais, culturais e econômicas próprias, mantendo
relações específicas com o território e com o meio
ambiente no qual estão inseridos.
• Respeitam também o princípio da sustentabilidade,
buscando a sobrevivência das gerações presentes sob
aspectos físico, culturais e econômicos, bem como
assegurando as mesmas possibilidades para as
próximas gerações.
• A Constituição Federal (1988) determina que o Estado
proteja as manifestações culturais populares, indígenas e
afro-brasileiras, e as de outros grupos participantes do
processo civilizatório nacional.
• Determina também que deve ser promovido e protegido
pelo Poder Público o patrimônio cultural brasileiro,
considerando tanto os bens de natureza material quanto
imaterial – o jeito de se expressar, ser e viver – dos
diferentes grupos formadores da sociedade brasileira
– indígenas, quilombolas, extrativistas, pescadores artesanais,
garaizeiros, veredeiros, vazanteiros etc
• De acordo com o Decreto 6040, de 7 de
fevereiro de 2007, que institui a Política
Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos
Povos e Comunidades Tradicionais, povos e
comunidades tradicionais podem ser definidos
como:
“Grupos culturalmente diferenciados e que se reconhecem
como tais, que possuem formas próprias de organização
social, que ocupam e usam territórios e recursos naturais
como condição para sua reprodução cultural, social, religiosa,
ancestral e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e
práticas gerados e transmitidos pela tradição”
Territórios Tradicionais
• As relações específicas que esses grupos estabelecem
com as terras tradicionalmente ocupadas e seus
recursos naturais fazem com que esses lugares sejam
mais do que terras, ou simples bem econômicos. Eles
assumem a qualificação de território tradicional.
• Nele estão enterrados os ancestrais e encontram-se os
sítios sagrados; o território é também apreendido e
vivenciado a partir dos sistemas de conhecimento
locais, ou seja, não há povo ou comunidade tradicional
que não conheça profundamente seu território.
Produção
• Normalmente está associada a relações de parentesco e
compadrio e são baseadas em relações de troca e
solidariedade entre famílias, grupos locais e comunidades
• Vender para o mercado não é o único fim; parte
considerável da produção é destinada ao consumo e às
práticas sociais (festas, ritos, procissões, folias de reis etc),
mantendo a unidade do grupo.
• Tais práticas estão ligadas normalmente à utilização de
recursos naturais renováveis e de tecnologias de baixo
impacto ambiental, explorando potencialidades e
respeitando limites.
Organização Social
• Os grupos sociais e questão têm como
característica a conformação de famílias
extensas ou ampliadas.
• É comum encontrarmos, numa única unidade
doméstica, dois, três ou mais núcleos
familiares.
Video Povos do Semi-árido
Povo e cultura
Povos e Comunidades
Tradicionais
Povos indígenas
• Os povos indígenas são os primeiros habitantes
conhecidos da Amazônia.
• Eles detém o conhecimento ancestral da floresta
e toda uma tecnologia de interatividade com a
natureza sem destruí-lo.
• 210 mil índios, 405 áreas que representam 20,5%
do território amazônico e 98,5% de todas as
terras indígenas do Brasil.
Povo e cultura
Povo e cultura
Povo e cultura
Povo e cultura
Ataques
• Ao revelarem que o Governo do Pará autorizou planos de manejo florestal
dentro de terra indígena, os Borari e Arapiuns foram acusados de serem
“falsos índios”.
• O grupo se arrisca para combater o desmatamento dentro de sua terra.
– Uma vez por mês, deixam suas casas e passam dias vasculhando os 42 mil
hectares da terra Maró em busca dos invasores
• Os funcionários das madeireiras não costumam responder com violência.
A reação vem depois.
– O segundo-cacique Odair José Souza Alves, conhecido como Dadá Borari, já
recebeu ofertas de dinheiro, ameaças, perseguições e sofreu um violento
atentado.
• “Primeiro foi uma oferta no valor de 30 mil. O madeireiro abriu a pasta na
minha frente e mostrou o dinheiro”, diz Dadá.
• Depois, vieram as ameaças. Até que a violência subiu de tom e, em
junho de 2007, Dadá foi sequestrado na cidade de Santarém (sede
do município onde fica a terra Maró). Ficou sete horas em cativeiro.
• Um inquérito foi aberto sobre o caso, mas os culpados nunca foram
encontrados. Como Dadá continuou a receber ameaças, foi incluído
no Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos, da
Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Há
sete anos convive com a escolta de policiais militares.
• Com as evidências colhidas pelos Borari e Arapiuns, as entidades de
apoio aos indígenas descobriram que Secretaria do Meio Ambiente
e Sustentabilidade do Pará autorizou a exploração da floresta
dentro da Terra Indígena.
É possível ver ao menos dez áreas dentro da terra indígena onde o governo do
estado autorizou o registro de Cadastros Ambientais Rurais.
Comunidades Remanescentes de
Quilombos
• Os remanescentes de quilombo são definidos como
grupos étnico-raciais que tenham também uma
trajetória histórica própria, dotado de relações
territoriais específicas, com presunção de
ancestralidade negra, e sua caracterização deve ser
dada segundo critérios de auto-atribuição atestada
pelas próprias comunidades
• O Território Remanescente de Comunidade Quilombola
é uma concretização das conquistas da comunidade
afro-descendente no Brasil e é destinada aos
quilombolas
Povo e cultura
Pescadores Artesanais
• Um em cada 200 brasileiros são pescadores artesanais.
• Uma das atividades econômicas mais tradicionais do
Brasil, a pesca artesanal é exercida por produtores
autônomos, em regime de economia familiar ou
individual, ou seja, contempla a obtenção de alimento
para as famílias dos pescadores ou para fins
exclusivamente comerciais.
• Aproximadamente 45% de toda a produção anual de
pescado desembarcada são oriundas da pesca
artesanal.
Povo e cultura
Video Comunidades Tradicionais Pesqueiras
Povo e cultura
Ribeirinhas
• A população tradicional que mora nas proximidades dos
rios e sobrevive da pesca artesanal, da caça, do roçado e do
extrativismo é denominada de ribeirinha (Vazanteiros)
• É na Amazônia que está a maior parte dessa população.
• Suas moradias são construídas utilizando a madeira como
principal alternativa de construção.
• O rio possui um papel fundamental na vida dos ribeirinhos.
– Transporte, alimentação, lazer etc
Povo e cultura
Video Povos Ribeirinhas
Povo e cultura
Comunidades de fundos de pasto da
Bahia
• Quando de Pasto é um modo tradicional de criar, viver e fazer em
que a gestão da terra e de outros recursos naturais articula terrenos
familiares e áreas de uso comum, onde se criam caprinos e ovinos à
solta e em pastagem nativa.
• Desenvolvido ao longo de gerações entre os povos e comunidades
tradicionais nas caatingas e cerrados nordestinos, constitui um
patrimônio cultural do povo brasileiro.
• Existem cerca de 300 de associações de fundos de pasto na Bahia,
totalizando 20 mil famílias, e mais de 100 mil sertanejos.
• Até o momento foram regularizadas cerca de 60 áreas.
Povo e cultura
Povo e cultura
Quebradeiras de coco Babaçu
• Entre a Caatinga e o Cerrado, nos estados do Maranhão, Piauí,
Tocantins e Pará, vivem as mulheres quebradeiras de coco babaçu.
• Elas somam mais de 300 mil mulheres trabalhadoras rurais que
vivem em função do extrativismo do babaçu.
• Até os dias atuais, as quebradeiras fazem mobilizações para garantir
o debate sobre alternativas de desenvolvimento para as regiões
onde existe o babaçu.
– O movimento é predominantemente das mulheres, e por isso reserva
aos homens um espaço somente nas danças e celebrações religiosas.
• Da árvore do babaçu, as mulheres extraem o seu sustento.
– Transformam as palhas das folhas em cestos, a casca do coco em
carvão e a castanha em azeite e sabão.
Povo e cultura
Povo e cultura
Comunidades Extrativistas
• São aquelas que vivem basicamente da pesca,
da caça, do plantio de mandioca e da coleta
de produtos da floresta, como fibras, cipós,
remédios, frutas, cascas, gomas e resinas.
• Conhecem profundamente a natureza e a
usam sem destruí-la, pois dependem dela
para sobreviver.
Povo e cultura
Cultura
Enciclopédia de Ervas e Plantas
Medicinais na Amazônia
• O povo Matsés do Brasil e do Peru criou uma enciclopédia de 500 páginas
para que sua medicina tradicional seja ainda mais notável.
• A enciclopédia, compilada por cinco xamãs com a ajuda do grupo de
conservação Acaté (Ong Norte-Americana que cuida da preservação da
Amazônia) detalha cada planta utilizada pelos Matsés como remédio para
curar uma enorme variedade de doenças.
• Os Matsés imprimiram sua enciclopédia só em sua língua nativa para
garantir que o conhecimento medicinal não seja roubado por empresas ou
pesquisadores, como já aconteceu no passado.
• Em vez disso, a enciclopédia pretende ser um guia para a formação de
jovens xamãs, para que eles possam obter o conhecimento dos xamãs que
viveram antes deles.
“Yvyra Poty e as árvores da floresta”
• Cartilha infantil elaborada em 2006, em duas
línguas, português e guarani, que conta uma
história revivendo a cultura indígena, destacando
a importância e a utilidade da floresta para as
comunidades tradicionais.
• Esta cartilha é voltada para estudantes do ensino
fundamental e procura além de estimular a
preservação e conservação ambiental, busca
também o respeito à diversidade étnico-cultural e
a identidade indígena.
Povo e cultura
Brincadeiras Regionais
• O curupira da brincadeira é aquele mesmo da
lenda popular, o guardião das plantas e dos
animais que ataca caçadores e lenhadores que
destroem as matas.
• "Ao ver as crianças brincando, sabemos que
nossa cultura está sendo preservada", comemora
Sandra Lúcia Lima de Souza, professora de
Educação Física do centro de Educação do Sesc,
em Manaus.
Video Norte
Povo e cultura
Video Nordeste
Povo e cultura

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
Prof. Noe Assunção
 
Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais
Isaquel Silva
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
Juliana Corvino de Araújo
 
Poder, Política e Estado.
Poder, Política e Estado.Poder, Política e Estado.
Poder, Política e Estado.
Paula Raphaela
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
Prof.Paulo/geografia
 
Sociologia Desigualdade Social
Sociologia Desigualdade SocialSociologia Desigualdade Social
Sociologia Desigualdade Social
Jefferson Medeiiros Araújo
 
Diversidade Cultural No Brasil
Diversidade Cultural No BrasilDiversidade Cultural No Brasil
Diversidade Cultural No Brasil
Joemille Leal
 
Povos e Comunidades Tradicionais
Povos e Comunidades TradicionaisPovos e Comunidades Tradicionais
Povos e Comunidades Tradicionais
Max M Piorsky Aires
 
Índios brasileiros
Índios brasileirosÍndios brasileiros
Índios brasileiros
Paulo Alexandre
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
Prof.Paulo/geografia
 
Minorias Sociais
Minorias SociaisMinorias Sociais
Minorias Sociais
Paulo Alexandre
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Cristina Gouveia
 
Aula 3 A construção da identidade nacional - 1º ano de Sociologia - Prof. ...
Aula 3    A construção da identidade nacional - 1º ano de Sociologia - Prof. ...Aula 3    A construção da identidade nacional - 1º ano de Sociologia - Prof. ...
Aula 3 A construção da identidade nacional - 1º ano de Sociologia - Prof. ...
Prof. Noe Assunção
 
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
ANDI - Comunicação e Direitos
 
Cultura indígena
Cultura indígenaCultura indígena
Cultura indígena
Karoline Rodrigues de Melo
 
Ciclos economicos brasil
Ciclos economicos brasilCiclos economicos brasil
Ciclos economicos brasil
Thiago Tavares
 
Industrialização brasileira alterações no espaço
Industrialização brasileira   alterações no espaçoIndustrialização brasileira   alterações no espaço
Industrialização brasileira alterações no espaço
Luciano Pessanha
 
Indígenas na américa
Indígenas na américaIndígenas na américa
Indígenas na américa
harlissoncarvalho
 
Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Agricultura mundial
Agricultura mundialAgricultura mundial
Agricultura mundial
Thamires Bragança
 

Mais procurados (20)

AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
 
Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Poder, Política e Estado.
Poder, Política e Estado.Poder, Política e Estado.
Poder, Política e Estado.
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
 
Sociologia Desigualdade Social
Sociologia Desigualdade SocialSociologia Desigualdade Social
Sociologia Desigualdade Social
 
Diversidade Cultural No Brasil
Diversidade Cultural No BrasilDiversidade Cultural No Brasil
Diversidade Cultural No Brasil
 
Povos e Comunidades Tradicionais
Povos e Comunidades TradicionaisPovos e Comunidades Tradicionais
Povos e Comunidades Tradicionais
 
Índios brasileiros
Índios brasileirosÍndios brasileiros
Índios brasileiros
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
 
Minorias Sociais
Minorias SociaisMinorias Sociais
Minorias Sociais
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Aula 3 A construção da identidade nacional - 1º ano de Sociologia - Prof. ...
Aula 3    A construção da identidade nacional - 1º ano de Sociologia - Prof. ...Aula 3    A construção da identidade nacional - 1º ano de Sociologia - Prof. ...
Aula 3 A construção da identidade nacional - 1º ano de Sociologia - Prof. ...
 
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
 
Cultura indígena
Cultura indígenaCultura indígena
Cultura indígena
 
Ciclos economicos brasil
Ciclos economicos brasilCiclos economicos brasil
Ciclos economicos brasil
 
Industrialização brasileira alterações no espaço
Industrialização brasileira   alterações no espaçoIndustrialização brasileira   alterações no espaço
Industrialização brasileira alterações no espaço
 
Indígenas na américa
Indígenas na américaIndígenas na américa
Indígenas na américa
 
Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)
 
Agricultura mundial
Agricultura mundialAgricultura mundial
Agricultura mundial
 

Destaque

Piauí, terra querida
Piauí, terra queridaPiauí, terra querida
Piauí, terra querida
Denise Compasso
 
Cultura dos povos - Resumo
Cultura dos povos - ResumoCultura dos povos - Resumo
Cultura dos povos - Resumo
Margit Didjurgeit
 
Territórios e nações do mundo
Territórios e nações do mundoTerritórios e nações do mundo
Territórios e nações do mundo
José Itapicuru
 
Capítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestres
Capítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestresCapítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestres
Capítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestres
Bruna Ribeiro Guedes
 
Estado nação - país - território - etnia - raça
Estado   nação - país - território - etnia - raçaEstado   nação - país - território - etnia - raça
Estado nação - país - território - etnia - raça
Julio Siqueira
 
Literatura Piauiense
Literatura PiauienseLiteratura Piauiense
Literatura Piauiense
Hildalene Pinheiro
 
Os nossos ancestrais africanos
Os nossos ancestrais africanosOs nossos ancestrais africanos
Os nossos ancestrais africanos
dbsbritto
 
Cultura e civilização
Cultura e civilização  Cultura e civilização
Cultura e civilização
Nome Sobrenome
 
Território
TerritórioTerritório
Território
Pedro Neves
 
Estado nação
Estado naçãoEstado nação
Estado nação
Fernanda Lopes
 
Estado nação, território e poder
Estado nação, território e poderEstado nação, território e poder
Estado nação, território e poder
Vinicius Coelho
 
Diferentes culturas do mundo
Diferentes culturas do mundoDiferentes culturas do mundo
Diferentes culturas do mundo
anocas_rita
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Carmem Rocha
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
Jhonatan Max
 
Apresentaçao final 1_p
Apresentaçao final 1_pApresentaçao final 1_p
Apresentaçao final 1_p
salvadores
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
Bruno Machado
 
A água e a vida
A água e a vidaA água e a vida
A água e a vida
fernandameneguzzo
 
Ensino de história e diversidade étnica cultural
Ensino de história e diversidade étnica culturalEnsino de história e diversidade étnica cultural
Ensino de história e diversidade étnica cultural
montorri
 
Escola e família
Escola e famíliaEscola e família
Escola e família
Arethusa Dantas
 
Piaui
PiauiPiaui

Destaque (20)

Piauí, terra querida
Piauí, terra queridaPiauí, terra querida
Piauí, terra querida
 
Cultura dos povos - Resumo
Cultura dos povos - ResumoCultura dos povos - Resumo
Cultura dos povos - Resumo
 
Territórios e nações do mundo
Territórios e nações do mundoTerritórios e nações do mundo
Territórios e nações do mundo
 
Capítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestres
Capítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestresCapítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestres
Capítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestres
 
Estado nação - país - território - etnia - raça
Estado   nação - país - território - etnia - raçaEstado   nação - país - território - etnia - raça
Estado nação - país - território - etnia - raça
 
Literatura Piauiense
Literatura PiauienseLiteratura Piauiense
Literatura Piauiense
 
Os nossos ancestrais africanos
Os nossos ancestrais africanosOs nossos ancestrais africanos
Os nossos ancestrais africanos
 
Cultura e civilização
Cultura e civilização  Cultura e civilização
Cultura e civilização
 
Território
TerritórioTerritório
Território
 
Estado nação
Estado naçãoEstado nação
Estado nação
 
Estado nação, território e poder
Estado nação, território e poderEstado nação, território e poder
Estado nação, território e poder
 
Diferentes culturas do mundo
Diferentes culturas do mundoDiferentes culturas do mundo
Diferentes culturas do mundo
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Apresentaçao final 1_p
Apresentaçao final 1_pApresentaçao final 1_p
Apresentaçao final 1_p
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
A água e a vida
A água e a vidaA água e a vida
A água e a vida
 
Ensino de história e diversidade étnica cultural
Ensino de história e diversidade étnica culturalEnsino de história e diversidade étnica cultural
Ensino de história e diversidade étnica cultural
 
Escola e família
Escola e famíliaEscola e família
Escola e família
 
Piaui
PiauiPiaui
Piaui
 

Semelhante a Povo e cultura

Os himba – povo das mulheres de vermelho
Os himba – povo das mulheres de vermelhoOs himba – povo das mulheres de vermelho
Os himba – povo das mulheres de vermelho
Maria Camila dos Santos Rocha
 
Povos originários (Certificado (paisagem)).pdf
Povos originários (Certificado (paisagem)).pdfPovos originários (Certificado (paisagem)).pdf
Povos originários (Certificado (paisagem)).pdf
GiselleAvila6
 
1 - Os índios.pptx
1 - Os índios.pptx1 - Os índios.pptx
1 - Os índios.pptx
benazech1
 
Apresentação sobre matrizes culturais do Brasil
Apresentação sobre matrizes culturais do BrasilApresentação sobre matrizes culturais do Brasil
Apresentação sobre matrizes culturais do Brasil
professoresquartoano
 
Cultura e manifestações artísticas
Cultura e manifestações artísticasCultura e manifestações artísticas
Cultura e manifestações artísticas
Bia Mattar
 
Desenvolvimento sustentável região norte
Desenvolvimento sustentável região norteDesenvolvimento sustentável região norte
Desenvolvimento sustentável região norte
Leidiana Oliveira
 
áFrica os encolhedores de cabeça
áFrica   os encolhedores de cabeçaáFrica   os encolhedores de cabeça
áFrica os encolhedores de cabeça
historiando
 
Plano de aula 1º ano [salvo automaticamente]
Plano de aula 1º ano [salvo automaticamente]Plano de aula 1º ano [salvo automaticamente]
Plano de aula 1º ano [salvo automaticamente]
Jefferson Nascimento
 
Povos indigenas brasil
Povos indigenas brasilPovos indigenas brasil
Povos indigenas brasil
Profgalao
 
Do coração da Amazônia para o topo do mundo
Do coração da Amazônia para o topo do mundoDo coração da Amazônia para o topo do mundo
Do coração da Amazônia para o topo do mundo
Erika Fernandes-Pinto
 
íNdios keynote
íNdios keynoteíNdios keynote
Bacia do Rio Tietê - Aula 3 - Versão Aluno
Bacia do Rio Tietê -  Aula 3 - Versão AlunoBacia do Rio Tietê -  Aula 3 - Versão Aluno
Bacia do Rio Tietê - Aula 3 - Versão Aluno
Erika Marion Robrahn-González
 
Bacia do Rio Pardo- Aula 3 - Versão Aluno
Bacia do Rio Pardo-  Aula 3 - Versão AlunoBacia do Rio Pardo-  Aula 3 - Versão Aluno
Bacia do Rio Pardo- Aula 3 - Versão Aluno
Erika Marion Robrahn-González
 
Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2
Profgalao
 
Lei 11.645
Lei 11.645Lei 11.645
Lei 11.645
natielemesquita
 
241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf
241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf
241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf
gisele picolli
 
Trabalho laura e thailine 1
Trabalho laura e thailine 1Trabalho laura e thailine 1
Trabalho laura e thailine 1
viajante2
 
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto baseCampanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
Antonio De Assis Ribeiro
 
2 ano - Geografia - Diversidade Cultural dos Povos.pptx
2 ano - Geografia - Diversidade Cultural dos Povos.pptx2 ano - Geografia - Diversidade Cultural dos Povos.pptx
2 ano - Geografia - Diversidade Cultural dos Povos.pptx
BillyRibas
 
QUEM SAO OS POVOS RIBEIRINHOS.docx
QUEM SAO OS POVOS RIBEIRINHOS.docxQUEM SAO OS POVOS RIBEIRINHOS.docx
QUEM SAO OS POVOS RIBEIRINHOS.docx
mara778510
 

Semelhante a Povo e cultura (20)

Os himba – povo das mulheres de vermelho
Os himba – povo das mulheres de vermelhoOs himba – povo das mulheres de vermelho
Os himba – povo das mulheres de vermelho
 
Povos originários (Certificado (paisagem)).pdf
Povos originários (Certificado (paisagem)).pdfPovos originários (Certificado (paisagem)).pdf
Povos originários (Certificado (paisagem)).pdf
 
1 - Os índios.pptx
1 - Os índios.pptx1 - Os índios.pptx
1 - Os índios.pptx
 
Apresentação sobre matrizes culturais do Brasil
Apresentação sobre matrizes culturais do BrasilApresentação sobre matrizes culturais do Brasil
Apresentação sobre matrizes culturais do Brasil
 
Cultura e manifestações artísticas
Cultura e manifestações artísticasCultura e manifestações artísticas
Cultura e manifestações artísticas
 
Desenvolvimento sustentável região norte
Desenvolvimento sustentável região norteDesenvolvimento sustentável região norte
Desenvolvimento sustentável região norte
 
áFrica os encolhedores de cabeça
áFrica   os encolhedores de cabeçaáFrica   os encolhedores de cabeça
áFrica os encolhedores de cabeça
 
Plano de aula 1º ano [salvo automaticamente]
Plano de aula 1º ano [salvo automaticamente]Plano de aula 1º ano [salvo automaticamente]
Plano de aula 1º ano [salvo automaticamente]
 
Povos indigenas brasil
Povos indigenas brasilPovos indigenas brasil
Povos indigenas brasil
 
Do coração da Amazônia para o topo do mundo
Do coração da Amazônia para o topo do mundoDo coração da Amazônia para o topo do mundo
Do coração da Amazônia para o topo do mundo
 
íNdios keynote
íNdios keynoteíNdios keynote
íNdios keynote
 
Bacia do Rio Tietê - Aula 3 - Versão Aluno
Bacia do Rio Tietê -  Aula 3 - Versão AlunoBacia do Rio Tietê -  Aula 3 - Versão Aluno
Bacia do Rio Tietê - Aula 3 - Versão Aluno
 
Bacia do Rio Pardo- Aula 3 - Versão Aluno
Bacia do Rio Pardo-  Aula 3 - Versão AlunoBacia do Rio Pardo-  Aula 3 - Versão Aluno
Bacia do Rio Pardo- Aula 3 - Versão Aluno
 
Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2
 
Lei 11.645
Lei 11.645Lei 11.645
Lei 11.645
 
241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf
241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf
241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf
 
Trabalho laura e thailine 1
Trabalho laura e thailine 1Trabalho laura e thailine 1
Trabalho laura e thailine 1
 
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto baseCampanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
 
2 ano - Geografia - Diversidade Cultural dos Povos.pptx
2 ano - Geografia - Diversidade Cultural dos Povos.pptx2 ano - Geografia - Diversidade Cultural dos Povos.pptx
2 ano - Geografia - Diversidade Cultural dos Povos.pptx
 
QUEM SAO OS POVOS RIBEIRINHOS.docx
QUEM SAO OS POVOS RIBEIRINHOS.docxQUEM SAO OS POVOS RIBEIRINHOS.docx
QUEM SAO OS POVOS RIBEIRINHOS.docx
 

Mais de Pedro Neves

Gênero e trangênero
Gênero e trangêneroGênero e trangênero
Gênero e trangênero
Pedro Neves
 
Sub regiões e suas especificidades
Sub regiões e suas especificidadesSub regiões e suas especificidades
Sub regiões e suas especificidades
Pedro Neves
 
Questão racial
Questão racialQuestão racial
Questão racial
Pedro Neves
 
Impactos socioambientais ne e n
Impactos socioambientais   ne e nImpactos socioambientais   ne e n
Impactos socioambientais ne e n
Pedro Neves
 
Colonialidade do poder, eurocentrismo e américa latina
Colonialidade do poder, eurocentrismo e américa latinaColonialidade do poder, eurocentrismo e américa latina
Colonialidade do poder, eurocentrismo e américa latina
Pedro Neves
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
Pedro Neves
 
Período entre guerras
Período entre guerrasPeríodo entre guerras
Período entre guerras
Pedro Neves
 
Terrestres maritimos e anfibios
Terrestres maritimos e anfibiosTerrestres maritimos e anfibios
Terrestres maritimos e anfibios
Pedro Neves
 
Política de desenvolvimento
Política de desenvolvimentoPolítica de desenvolvimento
Política de desenvolvimento
Pedro Neves
 
Classe social e estado
Classe social e estadoClasse social e estado
Classe social e estado
Pedro Neves
 
Migração
MigraçãoMigração
Migração
Pedro Neves
 
Território e poder
Território e poderTerritório e poder
Território e poder
Pedro Neves
 
Teorias do crescimento demográfico
Teorias do crescimento demográficoTeorias do crescimento demográfico
Teorias do crescimento demográfico
Pedro Neves
 
Fronteira
FronteiraFronteira
Fronteira
Pedro Neves
 
Espaço agrário
Espaço agrárioEspaço agrário
Espaço agrário
Pedro Neves
 
A dinâmica urbano industrial e demográfica
A dinâmica urbano industrial e demográficaA dinâmica urbano industrial e demográfica
A dinâmica urbano industrial e demográfica
Pedro Neves
 
Teóricos da geografia política
Teóricos da geografia políticaTeóricos da geografia política
Teóricos da geografia política
Pedro Neves
 
Geopolítica e geografia política
Geopolítica e geografia políticaGeopolítica e geografia política
Geopolítica e geografia política
Pedro Neves
 
Formação territorial do brasil
Formação territorial do brasilFormação territorial do brasil
Formação territorial do brasil
Pedro Neves
 
Discussões a cerca do conceito região
Discussões a cerca do conceito regiãoDiscussões a cerca do conceito região
Discussões a cerca do conceito região
Pedro Neves
 

Mais de Pedro Neves (20)

Gênero e trangênero
Gênero e trangêneroGênero e trangênero
Gênero e trangênero
 
Sub regiões e suas especificidades
Sub regiões e suas especificidadesSub regiões e suas especificidades
Sub regiões e suas especificidades
 
Questão racial
Questão racialQuestão racial
Questão racial
 
Impactos socioambientais ne e n
Impactos socioambientais   ne e nImpactos socioambientais   ne e n
Impactos socioambientais ne e n
 
Colonialidade do poder, eurocentrismo e américa latina
Colonialidade do poder, eurocentrismo e américa latinaColonialidade do poder, eurocentrismo e américa latina
Colonialidade do poder, eurocentrismo e américa latina
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
 
Período entre guerras
Período entre guerrasPeríodo entre guerras
Período entre guerras
 
Terrestres maritimos e anfibios
Terrestres maritimos e anfibiosTerrestres maritimos e anfibios
Terrestres maritimos e anfibios
 
Política de desenvolvimento
Política de desenvolvimentoPolítica de desenvolvimento
Política de desenvolvimento
 
Classe social e estado
Classe social e estadoClasse social e estado
Classe social e estado
 
Migração
MigraçãoMigração
Migração
 
Território e poder
Território e poderTerritório e poder
Território e poder
 
Teorias do crescimento demográfico
Teorias do crescimento demográficoTeorias do crescimento demográfico
Teorias do crescimento demográfico
 
Fronteira
FronteiraFronteira
Fronteira
 
Espaço agrário
Espaço agrárioEspaço agrário
Espaço agrário
 
A dinâmica urbano industrial e demográfica
A dinâmica urbano industrial e demográficaA dinâmica urbano industrial e demográfica
A dinâmica urbano industrial e demográfica
 
Teóricos da geografia política
Teóricos da geografia políticaTeóricos da geografia política
Teóricos da geografia política
 
Geopolítica e geografia política
Geopolítica e geografia políticaGeopolítica e geografia política
Geopolítica e geografia política
 
Formação territorial do brasil
Formação territorial do brasilFormação territorial do brasil
Formação territorial do brasil
 
Discussões a cerca do conceito região
Discussões a cerca do conceito regiãoDiscussões a cerca do conceito região
Discussões a cerca do conceito região
 

Último

P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 

Último (20)

P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 

Povo e cultura

  • 2. Povos • Povos e Comunidades tradicionais são grupos culturalmente diferenciados, que possuem condições sociais, culturais e econômicas próprias, mantendo relações específicas com o território e com o meio ambiente no qual estão inseridos. • Respeitam também o princípio da sustentabilidade, buscando a sobrevivência das gerações presentes sob aspectos físico, culturais e econômicos, bem como assegurando as mesmas possibilidades para as próximas gerações.
  • 3. • A Constituição Federal (1988) determina que o Estado proteja as manifestações culturais populares, indígenas e afro-brasileiras, e as de outros grupos participantes do processo civilizatório nacional. • Determina também que deve ser promovido e protegido pelo Poder Público o patrimônio cultural brasileiro, considerando tanto os bens de natureza material quanto imaterial – o jeito de se expressar, ser e viver – dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira – indígenas, quilombolas, extrativistas, pescadores artesanais, garaizeiros, veredeiros, vazanteiros etc
  • 4. • De acordo com o Decreto 6040, de 7 de fevereiro de 2007, que institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais, povos e comunidades tradicionais podem ser definidos como: “Grupos culturalmente diferenciados e que se reconhecem como tais, que possuem formas próprias de organização social, que ocupam e usam territórios e recursos naturais como condição para sua reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e práticas gerados e transmitidos pela tradição”
  • 5. Territórios Tradicionais • As relações específicas que esses grupos estabelecem com as terras tradicionalmente ocupadas e seus recursos naturais fazem com que esses lugares sejam mais do que terras, ou simples bem econômicos. Eles assumem a qualificação de território tradicional. • Nele estão enterrados os ancestrais e encontram-se os sítios sagrados; o território é também apreendido e vivenciado a partir dos sistemas de conhecimento locais, ou seja, não há povo ou comunidade tradicional que não conheça profundamente seu território.
  • 6. Produção • Normalmente está associada a relações de parentesco e compadrio e são baseadas em relações de troca e solidariedade entre famílias, grupos locais e comunidades • Vender para o mercado não é o único fim; parte considerável da produção é destinada ao consumo e às práticas sociais (festas, ritos, procissões, folias de reis etc), mantendo a unidade do grupo. • Tais práticas estão ligadas normalmente à utilização de recursos naturais renováveis e de tecnologias de baixo impacto ambiental, explorando potencialidades e respeitando limites.
  • 7. Organização Social • Os grupos sociais e questão têm como característica a conformação de famílias extensas ou ampliadas. • É comum encontrarmos, numa única unidade doméstica, dois, três ou mais núcleos familiares.
  • 8. Video Povos do Semi-árido
  • 11. Povos indígenas • Os povos indígenas são os primeiros habitantes conhecidos da Amazônia. • Eles detém o conhecimento ancestral da floresta e toda uma tecnologia de interatividade com a natureza sem destruí-lo. • 210 mil índios, 405 áreas que representam 20,5% do território amazônico e 98,5% de todas as terras indígenas do Brasil.
  • 16. Ataques • Ao revelarem que o Governo do Pará autorizou planos de manejo florestal dentro de terra indígena, os Borari e Arapiuns foram acusados de serem “falsos índios”. • O grupo se arrisca para combater o desmatamento dentro de sua terra. – Uma vez por mês, deixam suas casas e passam dias vasculhando os 42 mil hectares da terra Maró em busca dos invasores • Os funcionários das madeireiras não costumam responder com violência. A reação vem depois. – O segundo-cacique Odair José Souza Alves, conhecido como Dadá Borari, já recebeu ofertas de dinheiro, ameaças, perseguições e sofreu um violento atentado. • “Primeiro foi uma oferta no valor de 30 mil. O madeireiro abriu a pasta na minha frente e mostrou o dinheiro”, diz Dadá.
  • 17. • Depois, vieram as ameaças. Até que a violência subiu de tom e, em junho de 2007, Dadá foi sequestrado na cidade de Santarém (sede do município onde fica a terra Maró). Ficou sete horas em cativeiro. • Um inquérito foi aberto sobre o caso, mas os culpados nunca foram encontrados. Como Dadá continuou a receber ameaças, foi incluído no Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Há sete anos convive com a escolta de policiais militares. • Com as evidências colhidas pelos Borari e Arapiuns, as entidades de apoio aos indígenas descobriram que Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará autorizou a exploração da floresta dentro da Terra Indígena.
  • 18. É possível ver ao menos dez áreas dentro da terra indígena onde o governo do estado autorizou o registro de Cadastros Ambientais Rurais.
  • 19. Comunidades Remanescentes de Quilombos • Os remanescentes de quilombo são definidos como grupos étnico-raciais que tenham também uma trajetória histórica própria, dotado de relações territoriais específicas, com presunção de ancestralidade negra, e sua caracterização deve ser dada segundo critérios de auto-atribuição atestada pelas próprias comunidades • O Território Remanescente de Comunidade Quilombola é uma concretização das conquistas da comunidade afro-descendente no Brasil e é destinada aos quilombolas
  • 21. Pescadores Artesanais • Um em cada 200 brasileiros são pescadores artesanais. • Uma das atividades econômicas mais tradicionais do Brasil, a pesca artesanal é exercida por produtores autônomos, em regime de economia familiar ou individual, ou seja, contempla a obtenção de alimento para as famílias dos pescadores ou para fins exclusivamente comerciais. • Aproximadamente 45% de toda a produção anual de pescado desembarcada são oriundas da pesca artesanal.
  • 25. Ribeirinhas • A população tradicional que mora nas proximidades dos rios e sobrevive da pesca artesanal, da caça, do roçado e do extrativismo é denominada de ribeirinha (Vazanteiros) • É na Amazônia que está a maior parte dessa população. • Suas moradias são construídas utilizando a madeira como principal alternativa de construção. • O rio possui um papel fundamental na vida dos ribeirinhos. – Transporte, alimentação, lazer etc
  • 29. Comunidades de fundos de pasto da Bahia • Quando de Pasto é um modo tradicional de criar, viver e fazer em que a gestão da terra e de outros recursos naturais articula terrenos familiares e áreas de uso comum, onde se criam caprinos e ovinos à solta e em pastagem nativa. • Desenvolvido ao longo de gerações entre os povos e comunidades tradicionais nas caatingas e cerrados nordestinos, constitui um patrimônio cultural do povo brasileiro. • Existem cerca de 300 de associações de fundos de pasto na Bahia, totalizando 20 mil famílias, e mais de 100 mil sertanejos. • Até o momento foram regularizadas cerca de 60 áreas.
  • 32. Quebradeiras de coco Babaçu • Entre a Caatinga e o Cerrado, nos estados do Maranhão, Piauí, Tocantins e Pará, vivem as mulheres quebradeiras de coco babaçu. • Elas somam mais de 300 mil mulheres trabalhadoras rurais que vivem em função do extrativismo do babaçu. • Até os dias atuais, as quebradeiras fazem mobilizações para garantir o debate sobre alternativas de desenvolvimento para as regiões onde existe o babaçu. – O movimento é predominantemente das mulheres, e por isso reserva aos homens um espaço somente nas danças e celebrações religiosas. • Da árvore do babaçu, as mulheres extraem o seu sustento. – Transformam as palhas das folhas em cestos, a casca do coco em carvão e a castanha em azeite e sabão.
  • 35. Comunidades Extrativistas • São aquelas que vivem basicamente da pesca, da caça, do plantio de mandioca e da coleta de produtos da floresta, como fibras, cipós, remédios, frutas, cascas, gomas e resinas. • Conhecem profundamente a natureza e a usam sem destruí-la, pois dependem dela para sobreviver.
  • 38. Enciclopédia de Ervas e Plantas Medicinais na Amazônia • O povo Matsés do Brasil e do Peru criou uma enciclopédia de 500 páginas para que sua medicina tradicional seja ainda mais notável. • A enciclopédia, compilada por cinco xamãs com a ajuda do grupo de conservação Acaté (Ong Norte-Americana que cuida da preservação da Amazônia) detalha cada planta utilizada pelos Matsés como remédio para curar uma enorme variedade de doenças. • Os Matsés imprimiram sua enciclopédia só em sua língua nativa para garantir que o conhecimento medicinal não seja roubado por empresas ou pesquisadores, como já aconteceu no passado. • Em vez disso, a enciclopédia pretende ser um guia para a formação de jovens xamãs, para que eles possam obter o conhecimento dos xamãs que viveram antes deles.
  • 39. “Yvyra Poty e as árvores da floresta” • Cartilha infantil elaborada em 2006, em duas línguas, português e guarani, que conta uma história revivendo a cultura indígena, destacando a importância e a utilidade da floresta para as comunidades tradicionais. • Esta cartilha é voltada para estudantes do ensino fundamental e procura além de estimular a preservação e conservação ambiental, busca também o respeito à diversidade étnico-cultural e a identidade indígena.
  • 41. Brincadeiras Regionais • O curupira da brincadeira é aquele mesmo da lenda popular, o guardião das plantas e dos animais que ataca caçadores e lenhadores que destroem as matas. • "Ao ver as crianças brincando, sabemos que nossa cultura está sendo preservada", comemora Sandra Lúcia Lima de Souza, professora de Educação Física do centro de Educação do Sesc, em Manaus.