SlideShare uma empresa Scribd logo
Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo
Moita

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE
1.º CICLO

Ano Letivo 2013/2014
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO

AVALIAÇÃO NO 1º CICLO
“A avaliação, constituindo-se como um processo regulador do ensino, é orientadora do percurso
escolar e tem por objetivo a melhoria da qualidade do ensino através da aferição do grau de
cumprimento das metas curriculares globalmente fixadas para os níveis de ensino básico.”
In, Despacho normativo n.º 24-A/2012de 6 de dezembro, preâmbulo

I. INTRODUÇÃO
A avaliação é um elemento integrante e regulador de todo o processo de ensino/aprendizagem e
visa:
• Apoiar o processo educativo promovendo o sucesso escolar de cada aluno;
• Certificar as diversas competências adquiridas pelo aluno;
• Contribuir para melhorar a qualidade do sistema educativo.

A avaliação envolve interpretação, reflexão, informação e decisão sobre os processos de
ensino e aprendizagem.
É relevante na orientação e aconselhamento dos alunos, estimulando o seu desenvolvimento no
processo de aprendizagem, e na seleção e modificação de metodologias, conduzindo à
diferenciação pedagógica e ajustando-se às características pessoais e culturais.
A avaliação deve permitir o repensar sistemático do papel de todos os elementos nela
intervenientes e a permanente adequação das práticas, com vista ao desenvolvimento das
capacidades dos diferentes alunos.
Tendo em conta o seu caráter globalizante, não pode ser, meramente, entendida como
catalogadora do aluno numa determinada escala quantitativa ou qualitativa, mas, principalmente,
como meio de regulação da atividade pedagógica.
Os seus princípios deverão orientar-se sempre no sentido da aquisição progressiva de
conhecimentos, enquadrada pelo desenvolvimento de capacidades e de atitudes favoráveis à
aprendizagem.

II. ENQUADRAMENTO DA AVALIAÇÃO
A avaliação incide sobre as aprendizagens e competências definidas no currículo nacional e
nas metas de aprendizagem. É um processo contínuo e, a favor das diferenças de estilos de
Página 1 de 8
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO

aprendizagem e características de cada turma/criança, privilegia a diversidade de estratégias de
ensino/aprendizagem (para que os alunos realizem experiências de aprendizagem ativas,
significativas, diversificadas, integradoras e socializadoras).
A avaliação é contínua e processa-se através de diversos instrumentos de avaliação.
Por isso, a avaliação deve ter em conta e refletir a evolução do aluno.
As modalidades de avaliação em uso são aquelas que se encontram expressas nos diplomas legais
para o ensino básico:
Avaliação Diagnóstica – Tem particular importância no despiste de situações problemáticas e é
necessária para se organizarem mecanismos de recuperação e acompanhamento.
Avaliação Formativa – É a modalidade que permite regular as aprendizagens. Tem caráter
contínuo e interativo, recorrendo a uma variedade de instrumentos de recolha e análise de
informação, de acordo com a natureza das aprendizagens e dos contextos em que ocorrem.
Avaliação Sumativa – Consiste na formulação de um juízo globalizante sobre o
desenvolvimento das aprendizagens do aluno. Realiza-se no final de cada período letivo.
Autoavaliação – A realizar trimestralmente pelos alunos dos 3º e 4º anos de escolaridade.

III. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO
Sendo um processo contínuo e que privilegia a diversidade de estratégias e instrumentos, ao
longo de todo o 1º Ciclo a avaliação focalizar-se-á na evolução escolar do aluno, nas diferentes
áreas que o currículo integra.

Os Critérios Gerais de Avaliação aprovados no Conselho Pedagógico definem como princípios
orientadores da avaliação que 70% da classificação final incidirá sobre os saberes/aprendizagens
realizadas (Nível do Saber/Saber Fazer) e 30% sobre as atitudes/valores (Nível do Saber Ser).

Página 2 de 8
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO

No 1.º Ciclo, constituem instrumentos de avaliação individual do aluno:

Nível do Saber/Saber Fazer
(saberes e aprendizagens)
(70%)
Áreas Disciplinares

Instrumentos de avaliação

Valor

- Fichas Sumativas de Avaliação Escrita

30%

- Outros
• Fichas de Trabalho
• Resposta a questões formuladas na aula
• Trabalhos de Pesquisa
• Produção de Textos/Relatórios
• Trabalhos de Grupo
• Apresentações escritas/orais
• Manipulação correta de materiais específico.
(…)

40%

- Fichas Sumativas de Avaliação Escrita

40%

Outros
• Fichas de Trabalho
• Resposta a questões formuladas na
aula
• Trabalhos de Pesquisa
• Produção de Textos/Relatórios
• Trabalhos de Grupo
• Apresentações escritas/orais
• Manipulação correta de materiais específicos.
(…)

30%

Pesquisa, recolha e análise da informação

20%

Realização dos trabalhos propostos

25%

(1º, 2º, 3.º e 4.ºano)

Aptidões manuais e domínio das técnicas

25%

Expressão
Físico-motora

Aquisição e compreensão de saberes

20%

(1º, 2º, 3.º e 4.ºano)

Prestação motora, progressão e evolução

50%

Português
Matemática
Estudo do Meio
(1.º e 2.ºano)

Português
Matemática
Estudo do Meio
(3.º e 4.ºano)

Expressões
artísticas

Página 3 de 8
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO

Nível do Saber Ser (30%)
(atitudes e valores)
Áreas
Disciplinares

Domínios

Autonomia
Português

Matemática

Responsabilidade

Estudo do Meio
Participação

Expressões
artísticas
Sociabilidade

Expressão
físico-motora
Espírito crítico e
criatividade

Valor

Indicadores
• Realiza trabalhos voluntariamente.
• Tenta ultrapassar, sozinho, as dificuldades.
• Trabalha, sozinho, espontaneamente.
• Emite opinião sobre o que vê e ouve.
• Expõe dúvidas e solicita ajuda.
• É assíduo e pontual.
• Assume as suas atitudes.
• Aceita as regras de funcionamento da sala de aula.
• Leva o material necessário para a aula.
• É cuidadoso com os materiais.
• Manifesta empenho e persistência.
• Está atento.
• Questiona sobre os temas desenvolvidos.
• Responde corretamente.
• Pondera as respostas.
• Presta atenção às respostas dos outros.
• Realiza os trabalhos propostos.
• Aceita as observações/sugestões que lhe são feitas.
• Coopera na realização de trabalhos em equipa.
• Mostra respeito pelos outros.
• Respeita a opinião dos outros.
• Emite opiniões sobre o seu trabalho ou dos outros.
• Intervém oportunamente em situação de aula.
• Manifesta curiosidade intelectual.
• Imprime cunho pessoal à sua representação do
real.
• Realiza trabalhos originais.
• Revela expressividade.
• Revela espontaneidade.

6%

6%

6%

6%

6%

O Apoio ao estudo e a Oferta Complementar são atividades a desenvolver em articulação,
integrando ações que promovam, de forma transversal, a educação para a cidadania e
componentes de trabalho com as tecnologias de informação e comunicação (caso seja possível).
No Apoio ao Estudo irá proceder -se a um reforço das disciplinas de Português e de Matemática.
Devem ser avaliadas as competências referentes aos métodos e à capacidade de trabalho e estudo,
a capacidade de comunicação e a sua forma, a capacidade de utilizar de forma ordenada a
informação, a capacidade de resolver situações problemáticas do quotidiano, sabendo descer do

Página 4 de 8
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO

geral para o particular, assim como o relacionamento interpessoal com os colegas e com os
adultos.
A avaliação será expressa de forma descritiva no final de cada período letivo.

No 1º ciclo, na avaliação:
a) Deverão ser utilizados diversos métodos e estratégias de recolha de informação,
nomeadamente:


Observação (informal ou estruturada) do trabalho dos alunos;



Testes escritos;



Outras formas de produção escrita (relatórios, textos criativos, textos elaborados na
sequência de trabalhos de pesquisa, inquéritos e outros);



Comunicação oral (apresentações e discussões orais);



Projetos/trabalhos de campo;



Trabalhos práticos;



Grelhas de registo,



…

b) O grau de utilização de cada um destes métodos é variável de área curricular para área
curricular, de acordo com a natureza dos conhecimentos a adquirir e as capacidades a
desenvolver, sendo certo, também, que uma determinada aprendizagem/conhecimento pode ser
avaliada através de mais do que um método e, inversamente, um mesmo método pode servir para
avaliar diversas aprendizagens.
c) Deve ser aplicado, no mínimo, por período letivo, nas áreas curriculares de Português,
Matemática e Estudo do Meio, dois elementos de avaliação sumativa escrita com exceção do 3.º
período letivo em que apenas poderá ser aplicado um momento de avaliação.
d) As datas de realização das provas de avaliação sumativa escrita são comunicadas aos alunos e
encarregados de educação.
e) A prova de avaliação sumativa escrita de final de período será elaborada em Conselho de Ano.
f) A entrega das provas escritas de avaliação deve ser feita o mais rapidamente possível, sendo as
mesmas devidamente corrigidas, classificadas e analisadas antes da realização da prova seguinte,
para que os alunos compreendam o motivo de eventuais erros e como superá-los.
Página 5 de 8
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO

f) Os diferentes instrumentos de avaliação deverão ser concebidos atendendo aos seguintes
aspetos:
 Apresentação do enunciado/atividade de avaliação em texto impresso.
 Formulação clara das questões.
 Registo do resultado com menção apenas qualitativa da prova nos seguintes termos:

MENÇÃO QUALITATIVA

MENÇÃO QUANTITATIVA

Fraco

0% a 19%

Insuficiente

20% a 49%

Suficiente

50% a 69%

Bom

70% a 89%

Muito Bom

90% a 100%

Avaliação Sumativa Interna (Registos de Avaliação trimestral):
3.1. No final de cada período letivo, de cada ano letivo e de cada ciclo feita no Conselho de
Docentes.

3.2. A avaliação sumativa interna resulta de uma síntese das informações recolhidas durante um
período de tempo, relativamente ao desenvolvimento/aquisição das aprendizagens e das
capacidades definidos para cada área curricular, no âmbito do Plano de Turma.

3.3. A avaliação sumativa interna materializa-se de forma descritiva em todas as áreas
curriculares. No 4º ano de escolaridade nas disciplinas de Português e de Matemática a avaliação
sumativa interna expressa-se numa escala de 1 a 5.

3.4. Para efeitos de classificação final de período dever-se-á considerar os domínios cognitivo e
das atitudes, no processo de avaliação. Os critérios de avaliação serão expressos através de um
código de apreciação, de forma a possibilitar uma leitura global, clara e compreensiva dos vários
níveis de desempenho:
Página 6 de 8
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO

Capacidades e Aptidões

Atitudes e Valores

Não adquiriu as
aprendizagens
definidas.

Revela muitas dificuldades: na
expressão oral; na
compreensão/aquisição e aplicação
de conhecimentos; na interpretação
de enunciados (orais e escritos) e em
acompanhar raciocínios simples. Não
revela organização nem métodos de
trabalho.

Manifesta desinteresse e
falta de empenho na
aprendizagem.
Não interiorizou atitudes e
valores fundamentais a
uma correta socialização.

Revela grandes falhas ao nível da
compreensão, aplicação, análise e
autonomia.

Manifesta desinteresse e
falta de empenho na
aprendizagem.
Não interiorizou atitudes e
valores fundamentais a
uma correta socialização.

Revela ainda falhas
na aquisição das
Revela algumas falhas
aprendizagens
e/ou incorrecções na compreensão,
elementares a nível
aplicação, análise e autonomia.
de conceitos e
factos.
Adquiriu com
facilidade
as aprendizagens
elementares a nível
de conceitos e
fatos.

Muito Bom
(90% a 100%)

Suficiente
(50% a 69%)

Não adquiriu as
aprendizagens
definidas.

Bom
(70% a 89%)

Insuficiente
(20% a 49%)

Fraco
(0% a 19%)

Conhecimentos

Desenvolveu com
facilidade os
conhecimentos
adquiridos

Manifesta sentido de
responsabilidade, interesse
e empenho.
Apresenta um
comportamento regular.

Não revela dificuldades
a nível de compreensão,
aplicação, síntese e
autonomia.

Manifesta grande
interesse/empenho na vida
escolar assim como uma
socialização adequada.

Compreende e aplica com facilidade
e
originalidade os
conhecimentos a novas
situações.
Não revela dificuldades
a nível de análise, síntese e
autonomia.

Revela muito interesse e
empenho, demonstrando,
sempre, uma correta
socialização, espírito
crítico e de iniciativa.

Os alunos com Necessidades Educativas Especiais serão avaliados segundo os critérios,
modalidades e condições especiais de avaliação, de acordo com as dificuldades
diagnosticadas e respetivo Programa Educativo Individual.

Página 7 de 8
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO

CRITÉRIOS DE PROGRESSÃO/RETENÇÃO
A avaliação sumativa dá origem a uma tomada de decisão sobre a progressão ou retenção do
aluno expressa através das menções de Transitou ou Não Transitou no final de cada ano, e de
Aprovado ou Não Aprovado no final de cada ciclo.
a)- No 1º ano de escolaridade não há lugar a retenção
b)- Nos 2º e 3º anos o aluno não transita se encontrar numa das seguintes situações:
i)- Menção negativa nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática,
ii)- Três ou mais menções negativas independentemente das disciplinas,
c)- No 4º ano o aluno é considerado não aprovado se estiver numa das seguintes situações:
i) Níveis negativos em simultâneo nas disciplinas de Português e Matemática;
ii)- Níveis/menções negativas em três ou mais disciplinas.
RETENÇÃO REPETIDA
Em casos excecionais, se um aluno continuar a não revelar as competências definidas para o ano
em que está matriculado, depois de ter sido sujeito a uma retenção e aos respetivos planos de
intervenção previstos, deve o professor titular de turma ponderar nas vantagens de uma segunda
retenção, designadamente, se contribuirá para uma melhoria cognitiva, que lhe permita continuar
o seu percurso escolar. A retenção deverá ser submetida à aprovação do Conselho de Docentes.

P´lo Conselho de Docentes
A Coordenadora
_________________________
(Amélia Rouquinho)

Aprovados em reunião de Conselho Pedagógico de 25 /09 /2013

O Presidente do Conselho Pedagógico

O Diretor do Agrupamento

_________________________________

_______________________

(Manuel João Veva)

(Manuel João Veva

Página 8 de 8

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fichas estudo do meio
Fichas estudo do meioFichas estudo do meio
Fichas estudo do meio
Elisabete Freitas
 
Fa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiroFa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiro
lveiga
 
Relatorio auto avaliacao_filipe pires
Relatorio auto avaliacao_filipe piresRelatorio auto avaliacao_filipe pires
Relatorio auto avaliacao_filipe pires
Escola Básica e Secundária Professor Reynaldo dos Santos
 
Fichas 28 palavras
Fichas 28 palavrasFichas 28 palavras
Fichas 28 palavras
Celina Sousa
 
Pronomes ficha trabalho
Pronomes ficha trabalhoPronomes ficha trabalho
Pronomes ficha trabalho
Gabriela Costeira
 
Português: onomatopeias e palavras onomatopaicas
Português: onomatopeias e palavras onomatopaicasPortuguês: onomatopeias e palavras onomatopaicas
Português: onomatopeias e palavras onomatopaicas
A. Simoes
 
Grelha de observação da leitura anual 3º ciclo
Grelha de observação da leitura anual 3º cicloGrelha de observação da leitura anual 3º ciclo
Grelha de observação da leitura anual 3º ciclo
Viviana Azevedo
 
Fichas de Avaliação: A Grande Aventura_Estudo do Meio 3.º Ano
Fichas de Avaliação: A Grande Aventura_Estudo do Meio 3.º AnoFichas de Avaliação: A Grande Aventura_Estudo do Meio 3.º Ano
Fichas de Avaliação: A Grande Aventura_Estudo do Meio 3.º Ano
Sónia Pereira
 
Gramatica - Fichas
Gramatica - FichasGramatica - Fichas
Gramatica - Fichas
guest899e50
 
Ficha dos determinantes possessivos e demonstrativos
Ficha dos determinantes possessivos e demonstrativosFicha dos determinantes possessivos e demonstrativos
Ficha dos determinantes possessivos e demonstrativos
Inês Robalo
 
Ficha Portugues 2 ano
Ficha Portugues 2 anoFicha Portugues 2 ano
Ficha Portugues 2 ano
Maria José Silva
 
Ae estudo do meio - alfa
Ae   estudo do meio - alfaAe   estudo do meio - alfa
Ae estudo do meio - alfa
Sílvia Rocha
 
Matemática 3º ano - A grande Aventura - Fichas de Avaliação
Matemática 3º ano - A grande Aventura - Fichas de AvaliaçãoMatemática 3º ano - A grande Aventura - Fichas de Avaliação
Matemática 3º ano - A grande Aventura - Fichas de Avaliação
Madalena Silva
 
O diálogo
O diálogoO diálogo
O diálogo
AnaCalvario1972
 
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º anoFichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
Crescendo EAprendendo
 
Determinantes e pronomes (5.º ano)
Determinantes e pronomes (5.º ano)Determinantes e pronomes (5.º ano)
Determinantes e pronomes (5.º ano)
suzanamar
 
Ficha de avaliação diagnóstica Lp - Príncipe com Orelhas de Burro
Ficha de avaliação diagnóstica Lp  - Príncipe com Orelhas de BurroFicha de avaliação diagnóstica Lp  - Príncipe com Orelhas de Burro
Ficha de avaliação diagnóstica Lp - Príncipe com Orelhas de Burro
Central Didática
 
Fichas trabalho conteudos_ae_port
Fichas trabalho conteudos_ae_portFichas trabalho conteudos_ae_port
Fichas trabalho conteudos_ae_port
celina.lajoso
 
Matemática 4.º ano
Matemática 4.º anoMatemática 4.º ano
Matemática 4.º ano
Georgina Pinto
 
teste-avaliacao-portugues-5ano.pdf
teste-avaliacao-portugues-5ano.pdfteste-avaliacao-portugues-5ano.pdf
teste-avaliacao-portugues-5ano.pdf
Beatriz Gomes
 

Mais procurados (20)

Fichas estudo do meio
Fichas estudo do meioFichas estudo do meio
Fichas estudo do meio
 
Fa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiroFa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiro
 
Relatorio auto avaliacao_filipe pires
Relatorio auto avaliacao_filipe piresRelatorio auto avaliacao_filipe pires
Relatorio auto avaliacao_filipe pires
 
Fichas 28 palavras
Fichas 28 palavrasFichas 28 palavras
Fichas 28 palavras
 
Pronomes ficha trabalho
Pronomes ficha trabalhoPronomes ficha trabalho
Pronomes ficha trabalho
 
Português: onomatopeias e palavras onomatopaicas
Português: onomatopeias e palavras onomatopaicasPortuguês: onomatopeias e palavras onomatopaicas
Português: onomatopeias e palavras onomatopaicas
 
Grelha de observação da leitura anual 3º ciclo
Grelha de observação da leitura anual 3º cicloGrelha de observação da leitura anual 3º ciclo
Grelha de observação da leitura anual 3º ciclo
 
Fichas de Avaliação: A Grande Aventura_Estudo do Meio 3.º Ano
Fichas de Avaliação: A Grande Aventura_Estudo do Meio 3.º AnoFichas de Avaliação: A Grande Aventura_Estudo do Meio 3.º Ano
Fichas de Avaliação: A Grande Aventura_Estudo do Meio 3.º Ano
 
Gramatica - Fichas
Gramatica - FichasGramatica - Fichas
Gramatica - Fichas
 
Ficha dos determinantes possessivos e demonstrativos
Ficha dos determinantes possessivos e demonstrativosFicha dos determinantes possessivos e demonstrativos
Ficha dos determinantes possessivos e demonstrativos
 
Ficha Portugues 2 ano
Ficha Portugues 2 anoFicha Portugues 2 ano
Ficha Portugues 2 ano
 
Ae estudo do meio - alfa
Ae   estudo do meio - alfaAe   estudo do meio - alfa
Ae estudo do meio - alfa
 
Matemática 3º ano - A grande Aventura - Fichas de Avaliação
Matemática 3º ano - A grande Aventura - Fichas de AvaliaçãoMatemática 3º ano - A grande Aventura - Fichas de Avaliação
Matemática 3º ano - A grande Aventura - Fichas de Avaliação
 
O diálogo
O diálogoO diálogo
O diálogo
 
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º anoFichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
 
Determinantes e pronomes (5.º ano)
Determinantes e pronomes (5.º ano)Determinantes e pronomes (5.º ano)
Determinantes e pronomes (5.º ano)
 
Ficha de avaliação diagnóstica Lp - Príncipe com Orelhas de Burro
Ficha de avaliação diagnóstica Lp  - Príncipe com Orelhas de BurroFicha de avaliação diagnóstica Lp  - Príncipe com Orelhas de Burro
Ficha de avaliação diagnóstica Lp - Príncipe com Orelhas de Burro
 
Fichas trabalho conteudos_ae_port
Fichas trabalho conteudos_ae_portFichas trabalho conteudos_ae_port
Fichas trabalho conteudos_ae_port
 
Matemática 4.º ano
Matemática 4.º anoMatemática 4.º ano
Matemática 4.º ano
 
teste-avaliacao-portugues-5ano.pdf
teste-avaliacao-portugues-5ano.pdfteste-avaliacao-portugues-5ano.pdf
teste-avaliacao-portugues-5ano.pdf
 

Semelhante a Critérios de avaliação 1º ciclo

Critérios gerais de avaliação 2014 2015 visto ped1
Critérios gerais de avaliação 2014 2015 visto ped1Critérios gerais de avaliação 2014 2015 visto ped1
Critérios gerais de avaliação 2014 2015 visto ped1
Cesé Bragança
 
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e AplicarTécnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
João Paulo Freire
 
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdfTécnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
João Paulo Freire
 
Guia de elaboracao_%20_portugues_90527
Guia de elaboracao_%20_portugues_90527Guia de elaboracao_%20_portugues_90527
Guia de elaboracao_%20_portugues_90527
elannialins
 
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãOTéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
Messias Matusse
 
2014 imp-crit.aval-horta
2014 imp-crit.aval-horta2014 imp-crit.aval-horta
2014 imp-crit.aval-horta
etelvinacastro
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
2019 07.25.plan avaliacao_napne
2019 07.25.plan avaliacao_napne2019 07.25.plan avaliacao_napne
2019 07.25.plan avaliacao_napne
Mary Andrioli
 
[Upt] AvaliaçãO 18 De Julho De 2009
[Upt] AvaliaçãO   18 De Julho De 2009[Upt] AvaliaçãO   18 De Julho De 2009
[Upt] AvaliaçãO 18 De Julho De 2009
Pedro Pimenta
 
Avaliaã§ã£o em matemã¡tica
Avaliaã§ã£o em matemã¡ticaAvaliaã§ã£o em matemã¡tica
Avaliaã§ã£o em matemã¡tica
celular12
 
Portfolio Do Aluno Workshop
Portfolio Do Aluno WorkshopPortfolio Do Aluno Workshop
Portfolio Do Aluno Workshop
Antero
 
Critérios 2011 2012
Critérios 2011 2012Critérios 2011 2012
Critérios 2011 2012
eb1magida
 
UNIDADES CURRICULARES ELETIVAS
UNIDADES CURRICULARES ELETIVASUNIDADES CURRICULARES ELETIVAS
UNIDADES CURRICULARES ELETIVAS
AlexandrePanta2
 
Paula de oliveira operacionalização i
Paula de oliveira operacionalização iPaula de oliveira operacionalização i
Paula de oliveira operacionalização i
paulafernandadiogo
 
Avaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiorAvaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superior
mariamoura1788lulu
 
Avaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiorAvaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superior
mariamoura1788lulu
 
Guia de elaboracao_matematica_90527
Guia de elaboracao_matematica_90527Guia de elaboracao_matematica_90527
Guia de elaboracao_matematica_90527
elannialins
 
Matriz curricular-6-ano-marista
Matriz curricular-6-ano-maristaMatriz curricular-6-ano-marista
Matriz curricular-6-ano-marista
Argemiro ALVES
 
Avaliação em Contextos Inclusivos.pdf
Avaliação em Contextos Inclusivos.pdfAvaliação em Contextos Inclusivos.pdf
Avaliação em Contextos Inclusivos.pdf
ErmelindaPinheiro1
 
Projecto curricular de turma uma perspectiva ...
Projecto curricular de turma   uma perspectiva ...Projecto curricular de turma   uma perspectiva ...
Projecto curricular de turma uma perspectiva ...
Pedro França
 

Semelhante a Critérios de avaliação 1º ciclo (20)

Critérios gerais de avaliação 2014 2015 visto ped1
Critérios gerais de avaliação 2014 2015 visto ped1Critérios gerais de avaliação 2014 2015 visto ped1
Critérios gerais de avaliação 2014 2015 visto ped1
 
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e AplicarTécnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
 
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdfTécnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
 
Guia de elaboracao_%20_portugues_90527
Guia de elaboracao_%20_portugues_90527Guia de elaboracao_%20_portugues_90527
Guia de elaboracao_%20_portugues_90527
 
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãOTéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
 
2014 imp-crit.aval-horta
2014 imp-crit.aval-horta2014 imp-crit.aval-horta
2014 imp-crit.aval-horta
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
2019 07.25.plan avaliacao_napne
2019 07.25.plan avaliacao_napne2019 07.25.plan avaliacao_napne
2019 07.25.plan avaliacao_napne
 
[Upt] AvaliaçãO 18 De Julho De 2009
[Upt] AvaliaçãO   18 De Julho De 2009[Upt] AvaliaçãO   18 De Julho De 2009
[Upt] AvaliaçãO 18 De Julho De 2009
 
Avaliaã§ã£o em matemã¡tica
Avaliaã§ã£o em matemã¡ticaAvaliaã§ã£o em matemã¡tica
Avaliaã§ã£o em matemã¡tica
 
Portfolio Do Aluno Workshop
Portfolio Do Aluno WorkshopPortfolio Do Aluno Workshop
Portfolio Do Aluno Workshop
 
Critérios 2011 2012
Critérios 2011 2012Critérios 2011 2012
Critérios 2011 2012
 
UNIDADES CURRICULARES ELETIVAS
UNIDADES CURRICULARES ELETIVASUNIDADES CURRICULARES ELETIVAS
UNIDADES CURRICULARES ELETIVAS
 
Paula de oliveira operacionalização i
Paula de oliveira operacionalização iPaula de oliveira operacionalização i
Paula de oliveira operacionalização i
 
Avaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiorAvaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superior
 
Avaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiorAvaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superior
 
Guia de elaboracao_matematica_90527
Guia de elaboracao_matematica_90527Guia de elaboracao_matematica_90527
Guia de elaboracao_matematica_90527
 
Matriz curricular-6-ano-marista
Matriz curricular-6-ano-maristaMatriz curricular-6-ano-marista
Matriz curricular-6-ano-marista
 
Avaliação em Contextos Inclusivos.pdf
Avaliação em Contextos Inclusivos.pdfAvaliação em Contextos Inclusivos.pdf
Avaliação em Contextos Inclusivos.pdf
 
Projecto curricular de turma uma perspectiva ...
Projecto curricular de turma   uma perspectiva ...Projecto curricular de turma   uma perspectiva ...
Projecto curricular de turma uma perspectiva ...
 

Último

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 

Último (20)

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 

Critérios de avaliação 1º ciclo

  • 1. Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo Moita CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO Ano Letivo 2013/2014
  • 2. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO AVALIAÇÃO NO 1º CICLO “A avaliação, constituindo-se como um processo regulador do ensino, é orientadora do percurso escolar e tem por objetivo a melhoria da qualidade do ensino através da aferição do grau de cumprimento das metas curriculares globalmente fixadas para os níveis de ensino básico.” In, Despacho normativo n.º 24-A/2012de 6 de dezembro, preâmbulo I. INTRODUÇÃO A avaliação é um elemento integrante e regulador de todo o processo de ensino/aprendizagem e visa: • Apoiar o processo educativo promovendo o sucesso escolar de cada aluno; • Certificar as diversas competências adquiridas pelo aluno; • Contribuir para melhorar a qualidade do sistema educativo. A avaliação envolve interpretação, reflexão, informação e decisão sobre os processos de ensino e aprendizagem. É relevante na orientação e aconselhamento dos alunos, estimulando o seu desenvolvimento no processo de aprendizagem, e na seleção e modificação de metodologias, conduzindo à diferenciação pedagógica e ajustando-se às características pessoais e culturais. A avaliação deve permitir o repensar sistemático do papel de todos os elementos nela intervenientes e a permanente adequação das práticas, com vista ao desenvolvimento das capacidades dos diferentes alunos. Tendo em conta o seu caráter globalizante, não pode ser, meramente, entendida como catalogadora do aluno numa determinada escala quantitativa ou qualitativa, mas, principalmente, como meio de regulação da atividade pedagógica. Os seus princípios deverão orientar-se sempre no sentido da aquisição progressiva de conhecimentos, enquadrada pelo desenvolvimento de capacidades e de atitudes favoráveis à aprendizagem. II. ENQUADRAMENTO DA AVALIAÇÃO A avaliação incide sobre as aprendizagens e competências definidas no currículo nacional e nas metas de aprendizagem. É um processo contínuo e, a favor das diferenças de estilos de Página 1 de 8
  • 3. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO aprendizagem e características de cada turma/criança, privilegia a diversidade de estratégias de ensino/aprendizagem (para que os alunos realizem experiências de aprendizagem ativas, significativas, diversificadas, integradoras e socializadoras). A avaliação é contínua e processa-se através de diversos instrumentos de avaliação. Por isso, a avaliação deve ter em conta e refletir a evolução do aluno. As modalidades de avaliação em uso são aquelas que se encontram expressas nos diplomas legais para o ensino básico: Avaliação Diagnóstica – Tem particular importância no despiste de situações problemáticas e é necessária para se organizarem mecanismos de recuperação e acompanhamento. Avaliação Formativa – É a modalidade que permite regular as aprendizagens. Tem caráter contínuo e interativo, recorrendo a uma variedade de instrumentos de recolha e análise de informação, de acordo com a natureza das aprendizagens e dos contextos em que ocorrem. Avaliação Sumativa – Consiste na formulação de um juízo globalizante sobre o desenvolvimento das aprendizagens do aluno. Realiza-se no final de cada período letivo. Autoavaliação – A realizar trimestralmente pelos alunos dos 3º e 4º anos de escolaridade. III. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Sendo um processo contínuo e que privilegia a diversidade de estratégias e instrumentos, ao longo de todo o 1º Ciclo a avaliação focalizar-se-á na evolução escolar do aluno, nas diferentes áreas que o currículo integra. Os Critérios Gerais de Avaliação aprovados no Conselho Pedagógico definem como princípios orientadores da avaliação que 70% da classificação final incidirá sobre os saberes/aprendizagens realizadas (Nível do Saber/Saber Fazer) e 30% sobre as atitudes/valores (Nível do Saber Ser). Página 2 de 8
  • 4. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO No 1.º Ciclo, constituem instrumentos de avaliação individual do aluno: Nível do Saber/Saber Fazer (saberes e aprendizagens) (70%) Áreas Disciplinares Instrumentos de avaliação Valor - Fichas Sumativas de Avaliação Escrita 30% - Outros • Fichas de Trabalho • Resposta a questões formuladas na aula • Trabalhos de Pesquisa • Produção de Textos/Relatórios • Trabalhos de Grupo • Apresentações escritas/orais • Manipulação correta de materiais específico. (…) 40% - Fichas Sumativas de Avaliação Escrita 40% Outros • Fichas de Trabalho • Resposta a questões formuladas na aula • Trabalhos de Pesquisa • Produção de Textos/Relatórios • Trabalhos de Grupo • Apresentações escritas/orais • Manipulação correta de materiais específicos. (…) 30% Pesquisa, recolha e análise da informação 20% Realização dos trabalhos propostos 25% (1º, 2º, 3.º e 4.ºano) Aptidões manuais e domínio das técnicas 25% Expressão Físico-motora Aquisição e compreensão de saberes 20% (1º, 2º, 3.º e 4.ºano) Prestação motora, progressão e evolução 50% Português Matemática Estudo do Meio (1.º e 2.ºano) Português Matemática Estudo do Meio (3.º e 4.ºano) Expressões artísticas Página 3 de 8
  • 5. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO Nível do Saber Ser (30%) (atitudes e valores) Áreas Disciplinares Domínios Autonomia Português Matemática Responsabilidade Estudo do Meio Participação Expressões artísticas Sociabilidade Expressão físico-motora Espírito crítico e criatividade Valor Indicadores • Realiza trabalhos voluntariamente. • Tenta ultrapassar, sozinho, as dificuldades. • Trabalha, sozinho, espontaneamente. • Emite opinião sobre o que vê e ouve. • Expõe dúvidas e solicita ajuda. • É assíduo e pontual. • Assume as suas atitudes. • Aceita as regras de funcionamento da sala de aula. • Leva o material necessário para a aula. • É cuidadoso com os materiais. • Manifesta empenho e persistência. • Está atento. • Questiona sobre os temas desenvolvidos. • Responde corretamente. • Pondera as respostas. • Presta atenção às respostas dos outros. • Realiza os trabalhos propostos. • Aceita as observações/sugestões que lhe são feitas. • Coopera na realização de trabalhos em equipa. • Mostra respeito pelos outros. • Respeita a opinião dos outros. • Emite opiniões sobre o seu trabalho ou dos outros. • Intervém oportunamente em situação de aula. • Manifesta curiosidade intelectual. • Imprime cunho pessoal à sua representação do real. • Realiza trabalhos originais. • Revela expressividade. • Revela espontaneidade. 6% 6% 6% 6% 6% O Apoio ao estudo e a Oferta Complementar são atividades a desenvolver em articulação, integrando ações que promovam, de forma transversal, a educação para a cidadania e componentes de trabalho com as tecnologias de informação e comunicação (caso seja possível). No Apoio ao Estudo irá proceder -se a um reforço das disciplinas de Português e de Matemática. Devem ser avaliadas as competências referentes aos métodos e à capacidade de trabalho e estudo, a capacidade de comunicação e a sua forma, a capacidade de utilizar de forma ordenada a informação, a capacidade de resolver situações problemáticas do quotidiano, sabendo descer do Página 4 de 8
  • 6. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO geral para o particular, assim como o relacionamento interpessoal com os colegas e com os adultos. A avaliação será expressa de forma descritiva no final de cada período letivo. No 1º ciclo, na avaliação: a) Deverão ser utilizados diversos métodos e estratégias de recolha de informação, nomeadamente:  Observação (informal ou estruturada) do trabalho dos alunos;  Testes escritos;  Outras formas de produção escrita (relatórios, textos criativos, textos elaborados na sequência de trabalhos de pesquisa, inquéritos e outros);  Comunicação oral (apresentações e discussões orais);  Projetos/trabalhos de campo;  Trabalhos práticos;  Grelhas de registo,  … b) O grau de utilização de cada um destes métodos é variável de área curricular para área curricular, de acordo com a natureza dos conhecimentos a adquirir e as capacidades a desenvolver, sendo certo, também, que uma determinada aprendizagem/conhecimento pode ser avaliada através de mais do que um método e, inversamente, um mesmo método pode servir para avaliar diversas aprendizagens. c) Deve ser aplicado, no mínimo, por período letivo, nas áreas curriculares de Português, Matemática e Estudo do Meio, dois elementos de avaliação sumativa escrita com exceção do 3.º período letivo em que apenas poderá ser aplicado um momento de avaliação. d) As datas de realização das provas de avaliação sumativa escrita são comunicadas aos alunos e encarregados de educação. e) A prova de avaliação sumativa escrita de final de período será elaborada em Conselho de Ano. f) A entrega das provas escritas de avaliação deve ser feita o mais rapidamente possível, sendo as mesmas devidamente corrigidas, classificadas e analisadas antes da realização da prova seguinte, para que os alunos compreendam o motivo de eventuais erros e como superá-los. Página 5 de 8
  • 7. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO f) Os diferentes instrumentos de avaliação deverão ser concebidos atendendo aos seguintes aspetos:  Apresentação do enunciado/atividade de avaliação em texto impresso.  Formulação clara das questões.  Registo do resultado com menção apenas qualitativa da prova nos seguintes termos: MENÇÃO QUALITATIVA MENÇÃO QUANTITATIVA Fraco 0% a 19% Insuficiente 20% a 49% Suficiente 50% a 69% Bom 70% a 89% Muito Bom 90% a 100% Avaliação Sumativa Interna (Registos de Avaliação trimestral): 3.1. No final de cada período letivo, de cada ano letivo e de cada ciclo feita no Conselho de Docentes. 3.2. A avaliação sumativa interna resulta de uma síntese das informações recolhidas durante um período de tempo, relativamente ao desenvolvimento/aquisição das aprendizagens e das capacidades definidos para cada área curricular, no âmbito do Plano de Turma. 3.3. A avaliação sumativa interna materializa-se de forma descritiva em todas as áreas curriculares. No 4º ano de escolaridade nas disciplinas de Português e de Matemática a avaliação sumativa interna expressa-se numa escala de 1 a 5. 3.4. Para efeitos de classificação final de período dever-se-á considerar os domínios cognitivo e das atitudes, no processo de avaliação. Os critérios de avaliação serão expressos através de um código de apreciação, de forma a possibilitar uma leitura global, clara e compreensiva dos vários níveis de desempenho: Página 6 de 8
  • 8. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO Capacidades e Aptidões Atitudes e Valores Não adquiriu as aprendizagens definidas. Revela muitas dificuldades: na expressão oral; na compreensão/aquisição e aplicação de conhecimentos; na interpretação de enunciados (orais e escritos) e em acompanhar raciocínios simples. Não revela organização nem métodos de trabalho. Manifesta desinteresse e falta de empenho na aprendizagem. Não interiorizou atitudes e valores fundamentais a uma correta socialização. Revela grandes falhas ao nível da compreensão, aplicação, análise e autonomia. Manifesta desinteresse e falta de empenho na aprendizagem. Não interiorizou atitudes e valores fundamentais a uma correta socialização. Revela ainda falhas na aquisição das Revela algumas falhas aprendizagens e/ou incorrecções na compreensão, elementares a nível aplicação, análise e autonomia. de conceitos e factos. Adquiriu com facilidade as aprendizagens elementares a nível de conceitos e fatos. Muito Bom (90% a 100%) Suficiente (50% a 69%) Não adquiriu as aprendizagens definidas. Bom (70% a 89%) Insuficiente (20% a 49%) Fraco (0% a 19%) Conhecimentos Desenvolveu com facilidade os conhecimentos adquiridos Manifesta sentido de responsabilidade, interesse e empenho. Apresenta um comportamento regular. Não revela dificuldades a nível de compreensão, aplicação, síntese e autonomia. Manifesta grande interesse/empenho na vida escolar assim como uma socialização adequada. Compreende e aplica com facilidade e originalidade os conhecimentos a novas situações. Não revela dificuldades a nível de análise, síntese e autonomia. Revela muito interesse e empenho, demonstrando, sempre, uma correta socialização, espírito crítico e de iniciativa. Os alunos com Necessidades Educativas Especiais serão avaliados segundo os critérios, modalidades e condições especiais de avaliação, de acordo com as dificuldades diagnosticadas e respetivo Programa Educativo Individual. Página 7 de 8
  • 9. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 1.º CICLO CRITÉRIOS DE PROGRESSÃO/RETENÇÃO A avaliação sumativa dá origem a uma tomada de decisão sobre a progressão ou retenção do aluno expressa através das menções de Transitou ou Não Transitou no final de cada ano, e de Aprovado ou Não Aprovado no final de cada ciclo. a)- No 1º ano de escolaridade não há lugar a retenção b)- Nos 2º e 3º anos o aluno não transita se encontrar numa das seguintes situações: i)- Menção negativa nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, ii)- Três ou mais menções negativas independentemente das disciplinas, c)- No 4º ano o aluno é considerado não aprovado se estiver numa das seguintes situações: i) Níveis negativos em simultâneo nas disciplinas de Português e Matemática; ii)- Níveis/menções negativas em três ou mais disciplinas. RETENÇÃO REPETIDA Em casos excecionais, se um aluno continuar a não revelar as competências definidas para o ano em que está matriculado, depois de ter sido sujeito a uma retenção e aos respetivos planos de intervenção previstos, deve o professor titular de turma ponderar nas vantagens de uma segunda retenção, designadamente, se contribuirá para uma melhoria cognitiva, que lhe permita continuar o seu percurso escolar. A retenção deverá ser submetida à aprovação do Conselho de Docentes. P´lo Conselho de Docentes A Coordenadora _________________________ (Amélia Rouquinho) Aprovados em reunião de Conselho Pedagógico de 25 /09 /2013 O Presidente do Conselho Pedagógico O Diretor do Agrupamento _________________________________ _______________________ (Manuel João Veva) (Manuel João Veva Página 8 de 8