SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
Baixar para ler offline
+




    Sintaxe Visual

    Alfabetismo Visual
+
    Composição

    n    O processo de composição é o passo mais crucial na solução
          dos problemas visuais;

    n    Os resultados das decisões compositivas determinam o
          objetivo e o significado da manifestação visual;

    n    Implica fortemente no que é recebido pelo espectador.
+
    Composição

    n    É nessa etapa que o comunicador visual exerce o mais forte
          controle sobre seu trabalho e tem a maior oportunidade de
          expressar o estado de espírito que a obra se destina a transmitir.
+
    Sintaxe Visual

    n    Não há regras absolutas: o que existe é um alto grau de
          compreensão do que vai acontecer em termos de significado, se
          fizermos determinadas ordenações das partes que nos permitam
          organizar e orquestrar os meios visuais.
+
    Sintaxe Visual

    n    Na criação de mensagens visuais, o significado não se
          encontra apenas nos efeitos cumulativos da disposição dos
          elementos básicos, mas também no mecanismo perceptivo
          universalmente compartilhado pelo organismo humano.
+
    Sintaxe Visual

    n    Criamos um design a partir de inúmeras cores e formas, texturas,
          tons e proporções relativas; relacionamos interativamente esses
          elementos; temos em vista um significado;

    n    O resultado é a composição, a intenção do artista, do fotógrafo ou do
          designer;

    n    Input.
+
    Sintaxe Visual

    n    Ver é outro passo distinto da comunicação visual;

    n    É o processo de absorver informação no interior do sistema
          nervoso através da visão;

    n    Esse processo e essa capacidade são compartilhados por todas as
          pessoas.
+
    Sintaxe Visual

    n    O resultado final é a verdadeira manifestação do artista;

    n    O significado depende da resposta do espectador, que
          também a modifica e interpreta através da rede de seus
          critérios subjetivos;

    n    Um só fator é moeda corrente entre o artista e o público:
          n    O aparato sensorial através do qual vemos.
+
    Equilíbrio

    n    É a referência visual mais forte e firme do homem, sua base
          consciente e inconsciente para fazer avaliações visuais;

    n    O constructo horizontal-vertical constitui a relação básica do
          homem com seu meio ambiente;

    n    É tão fundamental na natureza quanto no homem;

    n    É o estado oposto ao colapso
+
    Equilíbrio: Eixo sentido




                    Eixo vertical




                  Eixo horizontal
+
+
    Tensão
+
    Tensão

    n    Fator de desorientação;

    n    É o meio visual mais eficaz para criar um efeito em resposta
          ao objetivo da mensagem.
+
    Tensão




         Repouso   Tensão
+
    Tensão
+
    Tensão

    n    Seu valor está no modo como reforça o significado, o propósito e a
          intenção;

    n    Como pode ser usado como base para a interpretação e a
          compreensão;

    n    A tensão, ou sua ausência, é o primeiro fator compositivo que pode
          ser usado sintaticamente na busca do alfabetismo visual;

    n    O olho busca o eixo sentido em qualquer fato visual, num processo
          interminável de estabelecimento do equilíbrio relativo.
+
+
    Nivelamento e Aguçamento

    n    Previsível vs. Surpresa.
+
    Nivelamento e Aguçamento
+
    Nivelamento e Aguçamento

    n    Há um terceiro estado da composição visual que não é nem o
          nivelado nem o aguçado;

    n    O olho precisa esforçar-se por analisar os componentes no
          que diz respeito a seu equilíbrio;

    n    A esse estado dá-se o nome de ambiguidade.
+
    Nivelamento e Aguçamento

    n    Ambiguidade.
+
    Nivelamento e Aguçamento

    n    A ambiguidade visual:
          n    Obscurece não apenas a intenção compositiva, mas também o
                significado;
          n    É totalmente indesejável;
          n    Frustra e confunde;

    n    Em termos ideais, as formas visuais não devem ser propositalmente
          obscuras;

    n    Devem harmonizar ou contrastar, atrair ou repelir, estabelecer
          relação ou entrar em conflito.
+ Preferência pelo ângulo inferior esquerdo


  n    O olho favorece a zona inferior esquerda de qualquer campo
        visual.




                                Padrão Primário
+ Preferência pelo ângulo inferior esquerdo




                    Padrão Secundário
+ Preferência pelo ângulo inferior esquerdo


  n    Influenciado pelo modo ocidental de imprimir e pelo forte
        condicionamento decorrente do fato de aprendermos a ler
        da esquerda para a direita.
+




           Composição nivelada




    Composição visual de tensão máxima
+ Preferência pelo ângulo inferior esquerdo
+
+
+
+
+
+
    Atração e Agrupamento


         Os dois pontos
            disputam a
        atenção em sua
     interação, criando
         manifestações
    comparativamente
    individuais devido
     à distância que os
          separa, e, em
    decorrência disso,
    dando a impressão
       de se repelirem
          mutuamente.
+
    Atração e Agrupamento


    Há uma interação
     imediata e mais
           intensa. Os
             pontos se
      harmonizam e,
          portanto, se
      atraem. Quanto
        maior for sua
        proximidade,
       maior será sua
              atração.
+
+
+
+
    Positivo e Negativo
+
    Positivo e Negativo


 O que domina o olho
na experiência visual
     seria visto como
  elemento positivo, e
      como elemento
             negativo
consideraríamos tudo
        aquilo que se
apresenta de maneira
        mais passiva.
+
    Positivo e Negativo
+
+
+
    Exercícios

    n    Em relação às imagens apresentadas:

    1.     Faça uma lista, avaliando sua funcionalidade, sua beleza estética,
           sua simbologia, seu valor comunicativo (o que ele faz para
           expandir o conhecimento do leitor sobre si mesmo, seu meio
           ambiente, o mundo, o passado e o presente) e seu valor
           decorativo ou de entretenimento.

    2.     Escreva o que você lhe aplicaria em termos da mensagem literal
           da imagem.

    3.     Escreva um parágrafo que descreva completamente o efeito da
           pintura e o que poderia ser usado em substituição à mesma.

    4.     Analise-os do ponto de vista da disposição compositiva básica.
+
Liberdade guiando o povo (Delacroix)
                                       +
A dama de Shallot (John William Waterhouse)
                                              +

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sintaxe da linguagem visual exercicios 1
Sintaxe da linguagem visual exercicios 1Sintaxe da linguagem visual exercicios 1
Sintaxe da linguagem visual exercicios 1Dhione Oliveira
 
Elementos visuais
Elementos visuaisElementos visuais
Elementos visuaisKeyla Dias
 
Aula - DONIS - Sintaxe da linguagem visual
Aula - DONIS - Sintaxe da linguagem visualAula - DONIS - Sintaxe da linguagem visual
Aula - DONIS - Sintaxe da linguagem visualKárita Garcia
 
Sixtaxe linguagem visual exercícios
Sixtaxe linguagem visual exercíciosSixtaxe linguagem visual exercícios
Sixtaxe linguagem visual exercíciosDhione Oliveira
 
Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual melzynhabessa
 
Aula 02 design gráfico na publicidade princípios de design
Aula 02   design gráfico na publicidade princípios de designAula 02   design gráfico na publicidade princípios de design
Aula 02 design gráfico na publicidade princípios de designElizeu Nascimento Silva
 
Artes visuais
Artes visuaisArtes visuais
Artes visuaisilcirene
 
LINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUAL
LINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUALLINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUAL
LINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUALAndrea Dalforno
 
Elementos visuais da forma
Elementos visuais da forma Elementos visuais da forma
Elementos visuais da forma Márcia Siqueira
 
Conceito de Ponto, Linha e Plano
Conceito de Ponto, Linha e PlanoConceito de Ponto, Linha e Plano
Conceito de Ponto, Linha e PlanoDébora Cseri
 
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das coresElementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das coresRaphael Lanzillotte
 
Design Digital Fundamentos do Design Equilibrio x Tensão
Design Digital Fundamentos do Design Equilibrio x TensãoDesign Digital Fundamentos do Design Equilibrio x Tensão
Design Digital Fundamentos do Design Equilibrio x TensãoDESIGN DIGITAL UNIARA 2012
 
Elementos básicos da comunicação visual
Elementos básicos da comunicação visualElementos básicos da comunicação visual
Elementos básicos da comunicação visualvivi_belon
 
Aula 3 - Comunicação Gráfica e Design
Aula 3 - Comunicação Gráfica e Design Aula 3 - Comunicação Gráfica e Design
Aula 3 - Comunicação Gráfica e Design Cíntia Dal Bello
 

Mais procurados (20)

Sintaxe da linguagem visual exercicios 1
Sintaxe da linguagem visual exercicios 1Sintaxe da linguagem visual exercicios 1
Sintaxe da linguagem visual exercicios 1
 
Elementos visuais
Elementos visuaisElementos visuais
Elementos visuais
 
Aula - DONIS - Sintaxe da linguagem visual
Aula - DONIS - Sintaxe da linguagem visualAula - DONIS - Sintaxe da linguagem visual
Aula - DONIS - Sintaxe da linguagem visual
 
Sixtaxe linguagem visual exercícios
Sixtaxe linguagem visual exercíciosSixtaxe linguagem visual exercícios
Sixtaxe linguagem visual exercícios
 
Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual
 
Elementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia Junior
Elementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia JuniorElementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia Junior
Elementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia Junior
 
Aula 02 design gráfico na publicidade princípios de design
Aula 02   design gráfico na publicidade princípios de designAula 02   design gráfico na publicidade princípios de design
Aula 02 design gráfico na publicidade princípios de design
 
Artes visuais
Artes visuaisArtes visuais
Artes visuais
 
LINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUAL
LINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUALLINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUAL
LINGUAGEM VISUAL | ELEMENTOS BÁSICOS DA COMUNICAÇÃO VISUAL
 
Elementos visuais da forma
Elementos visuais da forma Elementos visuais da forma
Elementos visuais da forma
 
Conceito de Ponto, Linha e Plano
Conceito de Ponto, Linha e PlanoConceito de Ponto, Linha e Plano
Conceito de Ponto, Linha e Plano
 
Leis Visuais Gestalt
Leis Visuais GestaltLeis Visuais Gestalt
Leis Visuais Gestalt
 
Elementos visuais I
Elementos visuais IElementos visuais I
Elementos visuais I
 
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das coresElementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
 
Aula 02 linguagem visual
Aula 02   linguagem visualAula 02   linguagem visual
Aula 02 linguagem visual
 
Design Digital Fundamentos do Design Equilibrio x Tensão
Design Digital Fundamentos do Design Equilibrio x TensãoDesign Digital Fundamentos do Design Equilibrio x Tensão
Design Digital Fundamentos do Design Equilibrio x Tensão
 
Elementos básicos da comunicação visual
Elementos básicos da comunicação visualElementos básicos da comunicação visual
Elementos básicos da comunicação visual
 
Cor e Propriedades
 Cor e  Propriedades Cor e  Propriedades
Cor e Propriedades
 
Aula 3 - Comunicação Gráfica e Design
Aula 3 - Comunicação Gráfica e Design Aula 3 - Comunicação Gráfica e Design
Aula 3 - Comunicação Gráfica e Design
 
AULAS 9, 10 E 11 - Fotografia
AULAS 9, 10 E 11 - FotografiaAULAS 9, 10 E 11 - Fotografia
AULAS 9, 10 E 11 - Fotografia
 

Semelhante a 3º - Sintaxe visual

Semelhante a 3º - Sintaxe visual (8)

OPC 02 LINGUAGEM VISUAL
OPC 02 LINGUAGEM VISUALOPC 02 LINGUAGEM VISUAL
OPC 02 LINGUAGEM VISUAL
 
ApresentaçãO Módulo 2 CGA
ApresentaçãO Módulo 2 CGAApresentaçãO Módulo 2 CGA
ApresentaçãO Módulo 2 CGA
 
Aula 3 - Direção de Arte
Aula 3  - Direção de ArteAula 3  - Direção de Arte
Aula 3 - Direção de Arte
 
Cpg Aula2
Cpg Aula2Cpg Aula2
Cpg Aula2
 
Leitura de imagens
Leitura de imagensLeitura de imagens
Leitura de imagens
 
Linhas
LinhasLinhas
Linhas
 
Artes teoria desenho (1)
Artes teoria desenho (1)Artes teoria desenho (1)
Artes teoria desenho (1)
 
Conteudos Módulo II
Conteudos Módulo IIConteudos Módulo II
Conteudos Módulo II
 

Mais de Caio Cæsar

Aula - Pós Moda
Aula - Pós ModaAula - Pós Moda
Aula - Pós ModaCaio Cæsar
 
Pós - Moda e Comunicação
Pós - Moda e ComunicaçãoPós - Moda e Comunicação
Pós - Moda e ComunicaçãoCaio Cæsar
 
A nova classe média brasileira
A nova classe média brasileiraA nova classe média brasileira
A nova classe média brasileiraCaio Cæsar
 
Criação Publicitária - Aula 02
Criação Publicitária - Aula 02Criação Publicitária - Aula 02
Criação Publicitária - Aula 02Caio Cæsar
 
Criação Públicitária - Aula 01
Criação Públicitária - Aula 01Criação Públicitária - Aula 01
Criação Públicitária - Aula 01Caio Cæsar
 
3º - Definição de arte
3º - Definição de arte3º - Definição de arte
3º - Definição de arteCaio Cæsar
 
3º - Estética (Ala 01)
3º - Estética (Ala 01)3º - Estética (Ala 01)
3º - Estética (Ala 01)Caio Cæsar
 
3º estética (hegel)
3º   estética (hegel)3º   estética (hegel)
3º estética (hegel)Caio Cæsar
 

Mais de Caio Cæsar (8)

Aula - Pós Moda
Aula - Pós ModaAula - Pós Moda
Aula - Pós Moda
 
Pós - Moda e Comunicação
Pós - Moda e ComunicaçãoPós - Moda e Comunicação
Pós - Moda e Comunicação
 
A nova classe média brasileira
A nova classe média brasileiraA nova classe média brasileira
A nova classe média brasileira
 
Criação Publicitária - Aula 02
Criação Publicitária - Aula 02Criação Publicitária - Aula 02
Criação Publicitária - Aula 02
 
Criação Públicitária - Aula 01
Criação Públicitária - Aula 01Criação Públicitária - Aula 01
Criação Públicitária - Aula 01
 
3º - Definição de arte
3º - Definição de arte3º - Definição de arte
3º - Definição de arte
 
3º - Estética (Ala 01)
3º - Estética (Ala 01)3º - Estética (Ala 01)
3º - Estética (Ala 01)
 
3º estética (hegel)
3º   estética (hegel)3º   estética (hegel)
3º estética (hegel)
 

Último

Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 

3º - Sintaxe visual

  • 1. + Sintaxe Visual Alfabetismo Visual
  • 2. + Composição n  O processo de composição é o passo mais crucial na solução dos problemas visuais; n  Os resultados das decisões compositivas determinam o objetivo e o significado da manifestação visual; n  Implica fortemente no que é recebido pelo espectador.
  • 3. + Composição n  É nessa etapa que o comunicador visual exerce o mais forte controle sobre seu trabalho e tem a maior oportunidade de expressar o estado de espírito que a obra se destina a transmitir.
  • 4. + Sintaxe Visual n  Não há regras absolutas: o que existe é um alto grau de compreensão do que vai acontecer em termos de significado, se fizermos determinadas ordenações das partes que nos permitam organizar e orquestrar os meios visuais.
  • 5. + Sintaxe Visual n  Na criação de mensagens visuais, o significado não se encontra apenas nos efeitos cumulativos da disposição dos elementos básicos, mas também no mecanismo perceptivo universalmente compartilhado pelo organismo humano.
  • 6. + Sintaxe Visual n  Criamos um design a partir de inúmeras cores e formas, texturas, tons e proporções relativas; relacionamos interativamente esses elementos; temos em vista um significado; n  O resultado é a composição, a intenção do artista, do fotógrafo ou do designer; n  Input.
  • 7. + Sintaxe Visual n  Ver é outro passo distinto da comunicação visual; n  É o processo de absorver informação no interior do sistema nervoso através da visão; n  Esse processo e essa capacidade são compartilhados por todas as pessoas.
  • 8. + Sintaxe Visual n  O resultado final é a verdadeira manifestação do artista; n  O significado depende da resposta do espectador, que também a modifica e interpreta através da rede de seus critérios subjetivos; n  Um só fator é moeda corrente entre o artista e o público: n  O aparato sensorial através do qual vemos.
  • 9. + Equilíbrio n  É a referência visual mais forte e firme do homem, sua base consciente e inconsciente para fazer avaliações visuais; n  O constructo horizontal-vertical constitui a relação básica do homem com seu meio ambiente; n  É tão fundamental na natureza quanto no homem; n  É o estado oposto ao colapso
  • 10. + Equilíbrio: Eixo sentido Eixo vertical Eixo horizontal
  • 11. +
  • 12. + Tensão
  • 13. + Tensão n  Fator de desorientação; n  É o meio visual mais eficaz para criar um efeito em resposta ao objetivo da mensagem.
  • 14. + Tensão Repouso Tensão
  • 15. + Tensão
  • 16. + Tensão n  Seu valor está no modo como reforça o significado, o propósito e a intenção; n  Como pode ser usado como base para a interpretação e a compreensão; n  A tensão, ou sua ausência, é o primeiro fator compositivo que pode ser usado sintaticamente na busca do alfabetismo visual; n  O olho busca o eixo sentido em qualquer fato visual, num processo interminável de estabelecimento do equilíbrio relativo.
  • 17. +
  • 18. + Nivelamento e Aguçamento n  Previsível vs. Surpresa.
  • 19. + Nivelamento e Aguçamento
  • 20. + Nivelamento e Aguçamento n  Há um terceiro estado da composição visual que não é nem o nivelado nem o aguçado; n  O olho precisa esforçar-se por analisar os componentes no que diz respeito a seu equilíbrio; n  A esse estado dá-se o nome de ambiguidade.
  • 21. + Nivelamento e Aguçamento n  Ambiguidade.
  • 22. + Nivelamento e Aguçamento n  A ambiguidade visual: n  Obscurece não apenas a intenção compositiva, mas também o significado; n  É totalmente indesejável; n  Frustra e confunde; n  Em termos ideais, as formas visuais não devem ser propositalmente obscuras; n  Devem harmonizar ou contrastar, atrair ou repelir, estabelecer relação ou entrar em conflito.
  • 23. + Preferência pelo ângulo inferior esquerdo n  O olho favorece a zona inferior esquerda de qualquer campo visual. Padrão Primário
  • 24. + Preferência pelo ângulo inferior esquerdo Padrão Secundário
  • 25. + Preferência pelo ângulo inferior esquerdo n  Influenciado pelo modo ocidental de imprimir e pelo forte condicionamento decorrente do fato de aprendermos a ler da esquerda para a direita.
  • 26. + Composição nivelada Composição visual de tensão máxima
  • 27. + Preferência pelo ângulo inferior esquerdo
  • 28. +
  • 29. +
  • 30. +
  • 31. +
  • 32. +
  • 33. + Atração e Agrupamento Os dois pontos disputam a atenção em sua interação, criando manifestações comparativamente individuais devido à distância que os separa, e, em decorrência disso, dando a impressão de se repelirem mutuamente.
  • 34. + Atração e Agrupamento Há uma interação imediata e mais intensa. Os pontos se harmonizam e, portanto, se atraem. Quanto maior for sua proximidade, maior será sua atração.
  • 35. +
  • 36. +
  • 37. +
  • 38. + Positivo e Negativo
  • 39. + Positivo e Negativo O que domina o olho na experiência visual seria visto como elemento positivo, e como elemento negativo consideraríamos tudo aquilo que se apresenta de maneira mais passiva.
  • 40. + Positivo e Negativo
  • 41. +
  • 42. +
  • 43. + Exercícios n  Em relação às imagens apresentadas: 1.  Faça uma lista, avaliando sua funcionalidade, sua beleza estética, sua simbologia, seu valor comunicativo (o que ele faz para expandir o conhecimento do leitor sobre si mesmo, seu meio ambiente, o mundo, o passado e o presente) e seu valor decorativo ou de entretenimento. 2.  Escreva o que você lhe aplicaria em termos da mensagem literal da imagem. 3.  Escreva um parágrafo que descreva completamente o efeito da pintura e o que poderia ser usado em substituição à mesma. 4.  Analise-os do ponto de vista da disposição compositiva básica.
  • 44. +
  • 45. Liberdade guiando o povo (Delacroix) +
  • 46. A dama de Shallot (John William Waterhouse) +