SlideShare uma empresa Scribd logo
CLASSIFICAÇÃO DAS CIRURGIAS
*De acordo com o atendimento
1.CIRURGIA DE EMERGÊNCIA: O paciente necessita de atenção imediata; o
distúrbio pode ser ameaçador à vida.
Indicação para a cirurgia: Sem demora.
Exemplos: Sangramento grave, obstrução vesical ou intestinal, fratura de
crânio, feridas por armas de fogo ou branca, queimaduras extensas.
2.CIRURGIA DE URGÊNCIA: O paciente precisa de atenção rápida.
Indicação para a cirurgia: Dentro de 24 a 30h.
Exemplos: Infecção aguda da vesícula, cálculos renais ou uretrais.
3.CIRURGIA ELETIVA: O paciente pode ser operado.
Indicação para a cirurgia: A não realização da cirurgia não é catastrófica.
Exemplos: Reparação de cicatrizes, hérnia simples, reparação vaginal,
mamoplastia, gastrectomia.
*De acordo com o objetivo ou por afinidade do tratamento
- Cirurgias paleativas: Tem a finalidade de atenuar ou buscar uma alternativa
para aliviar o mal, mas não cura a doença. Ex. Gastrostomia, paracentese,
colostomia.
- Cirurgias radicais/Cirurgia Curativa: Tem por objetivo extirpar ou corrigir a
causa da doença, devolvendo a saúde ao paciente. Para essa finalidade é
necessário às vezes a retirada parcial ou total de um órgão. Este tipo de
cirurgia tem uma significação menos otimista quando se trata de câncer, neste
caso, a operação curativa é aquela que permite uma sobrevida de alguns anos.
Ex. Apendicectomia, mastectomia total.
-Cirurgias reparadoras: Reconstitui artificialmente uma parte do corpo lesada
por enfermidade ou traumatismo. Ex. enxerto de pele em queimados.
- Cirurgias reconstrutoras (plásticas): Realizada com objetivos estéticos ou
reparadores, para fins de embelezamento. Ex. Rinoplastia, mamoplastia, etc.
-Cirurgias para diagnóstico: Realizada com o objetivo de ajudar no
esclarecimento da doença. Ex. laparotomia exploradora, cateterismo cardíaco;
biópsias
*Risco Cardiológico
As cirurgias podem ainda ser classificadas quanto ao porte cirúrgico ou risco
cardiológico (pequeno, médio ou grande porte), ou seja, a probabilidade de
perda de fluidos e sangue durante sua realização.
-Cirurgias de Porte I (Com pequena probabilidade de perda de fluido e sangue):
Cirurgias oftálmicas e otorrinolaringológicas
-Cirurgias de Porte II (Média perda de líquidos, eletrólitos e sangue):
Histerectomia, Prostatectomia.
-Cirurgias de Porte III (Grande perda de líquidos, eletrólitos e sangue):
Transplantes, cirurgias cardíacas, cirurgias neurológicas.
*Duração do procedimento
-Cirurgias de Porte I (Até 2h): Cesariana, curetagem uterine, amigdalectomia
-Cirurgias de Porte II (De 2 a 4h):Histerectomia, colecistectomia
-Cirurgias de Porte III (De 4 a 6h):Revascularização cardíaca
-Cirurgias de Porte IV (+ de 6h): Transplantes, gastroduodenopancreatectomia
*Potencial de contaminação
1.CIRURGIA LIMPA: São aquelas realizadas em tecidos estéreis ou passíveis
de descontaminação, na ausência do processo infeccioso e inflamatório local
ou falhas técnicas grosseiras; cirurgias eletivas atraumáticas com cicatrização
de 1ª intenção e sem drenagem. Cirurgias em que não ocorre penetração nos
tratos digestivo, respiratório e urinário.
Ex: Artroplastia do quadril, C.Cardíaca, Herniorrafia, Neurocirurgias,
Procedimento cirúrgico ortopédico, Anastomose portocava e esplenorrenal,
Ortoplastia, Mastectomia, Enxertos cutâneos, Ooforectomia.
2.CIRURGIA POTENCIALMENTE CONTAMINADA: São aquelas realizadas
em tecidos colonizados por flora microbiana pouco numerosa ou em tecido de
difícil descontaminação, na ausência de processo infeccioso e inflamatório e
com falhas técnicas discretas no transoperatórios. Cirurgias limpas com
drenagem. Quando ocorre penetração nos tratos digestivos, respiratórios ou
urinário sem contaminação significativa.
Ex: Histerectomia abdominal, C. Intestino delgado (eletiva), C. das vias biliares
sem estase ou obstrução biliar, C. gástrica ou duodenal, Feridas traumáticas
limpas (até 10h após o trauma), Colecistectomia, C. Cardíacas prolongadas
com circulação extracorpórea.
3.CIRURGIA CONTAMINADA: São aquelas realizadas em tecidos
traumatizados recentemente e abertos, colonizados por flora bacteriana
abundante, cuja descontaminação é difícil ou impossível, bem como todas
aquelas em que tenham ocorrido falhas técnicas grosseiras, na ausência de
supuração local. Presença de inflamação aguda na incisão e cicatrização de 2ª
intenção, grande contaminação a partir do trato digestivo. Obstrução biliar ou
urinária.
Ex: Cirurgia do cólon, Debridamento de queimados, C. bucal e dentária,
Fraturas expostas (10h após o ocorrido), C. da orofaringe, C. gástrica, Câncer,
Úlcera gástrica e C. por obstrução duodenal.
4.CIRURGIA INFECTADA: São intervenções cirúrgicas realizadas em qualquer
tecido ou órgão, em presença do processo infeccioso(supuração local),Tecido
necrótico, Corpos estranhos e Feridas de origem suja. Ex: C. do reto e ânus
com exsudato, C. abdominal com presença de exsudato e conteúdo de cólon,
Nefrectomia com presença de infecção, Presença de vísceras perfuradas,
Colecistectomia por colecistite aguda com empiema.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
Conceição Quirino
 
Clínica cirúrgica aula teôrica 1 powerpoint data show
Clínica cirúrgica aula teôrica 1  powerpoint data showClínica cirúrgica aula teôrica 1  powerpoint data show
Clínica cirúrgica aula teôrica 1 powerpoint data show
César Müller
 
Assistencia enfermagem-cirurgica-1
Assistencia enfermagem-cirurgica-1Assistencia enfermagem-cirurgica-1
Assistencia enfermagem-cirurgica-1
Heraldo Maia
 
Aula tempos cirurgicos
Aula tempos cirurgicosAula tempos cirurgicos
Aula tempos cirurgicos
Cacilda Peixoto
 
Cirurgias gástricas
Cirurgias gástricasCirurgias gástricas
Cirurgias gástricas
Cintia da Cruz Silva
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
Will Nunes
 
Sala de recuperação
Sala de recuperaçãoSala de recuperação
Sala de recuperação
Wylla Katherine
 
Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1
Aline Bandeira
 
Terminologia cirúrgica
Terminologia cirúrgicaTerminologia cirúrgica
Terminologia cirúrgica
Fernando de Oliveira Dutra
 
Pós Operatório e Complicações Cirúrgicas
Pós Operatório e Complicações CirúrgicasPós Operatório e Complicações Cirúrgicas
Pós Operatório e Complicações Cirúrgicas
Francisco Doria
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
Gilson Betta Sevilha
 
SONDAGENS E LAVAGENS
SONDAGENS E LAVAGENSSONDAGENS E LAVAGENS
SONDAGENS E LAVAGENS
Ivanilson Gomes
 
Centro cirurgico
Centro cirurgico Centro cirurgico
Centro cirurgico
Alexandre Reis
 
Pré e Pós Operatório em Cirurgia
Pré e Pós Operatório em CirurgiaPré e Pós Operatório em Cirurgia
Pré e Pós Operatório em Cirurgia
Aillyn F. Bianchi, Faculdade de Medicina - UNIC
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Aline Bandeira
 
Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
Viviane da Silva
 
Centro cirurgico
Centro cirurgicoCentro cirurgico
Centro cirurgico
shaxa
 
Centro Cirúrgico
Centro Cirúrgico  Centro Cirúrgico
Centro Cirúrgico
Eduardo Gomes
 
Assistencia enfermagem-cirurgica
Assistencia enfermagem-cirurgicaAssistencia enfermagem-cirurgica
Assistencia enfermagem-cirurgica
FatianeSantos
 
Curativos e coberturas
Curativos e coberturasCurativos e coberturas
Curativos e coberturas
Janaína Lassala
 

Mais procurados (20)

Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
 
Clínica cirúrgica aula teôrica 1 powerpoint data show
Clínica cirúrgica aula teôrica 1  powerpoint data showClínica cirúrgica aula teôrica 1  powerpoint data show
Clínica cirúrgica aula teôrica 1 powerpoint data show
 
Assistencia enfermagem-cirurgica-1
Assistencia enfermagem-cirurgica-1Assistencia enfermagem-cirurgica-1
Assistencia enfermagem-cirurgica-1
 
Aula tempos cirurgicos
Aula tempos cirurgicosAula tempos cirurgicos
Aula tempos cirurgicos
 
Cirurgias gástricas
Cirurgias gástricasCirurgias gástricas
Cirurgias gástricas
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
 
Sala de recuperação
Sala de recuperaçãoSala de recuperação
Sala de recuperação
 
Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1
 
Terminologia cirúrgica
Terminologia cirúrgicaTerminologia cirúrgica
Terminologia cirúrgica
 
Pós Operatório e Complicações Cirúrgicas
Pós Operatório e Complicações CirúrgicasPós Operatório e Complicações Cirúrgicas
Pós Operatório e Complicações Cirúrgicas
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
 
SONDAGENS E LAVAGENS
SONDAGENS E LAVAGENSSONDAGENS E LAVAGENS
SONDAGENS E LAVAGENS
 
Centro cirurgico
Centro cirurgico Centro cirurgico
Centro cirurgico
 
Pré e Pós Operatório em Cirurgia
Pré e Pós Operatório em CirurgiaPré e Pós Operatório em Cirurgia
Pré e Pós Operatório em Cirurgia
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
 
Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
 
Centro cirurgico
Centro cirurgicoCentro cirurgico
Centro cirurgico
 
Centro Cirúrgico
Centro Cirúrgico  Centro Cirúrgico
Centro Cirúrgico
 
Assistencia enfermagem-cirurgica
Assistencia enfermagem-cirurgicaAssistencia enfermagem-cirurgica
Assistencia enfermagem-cirurgica
 
Curativos e coberturas
Curativos e coberturasCurativos e coberturas
Curativos e coberturas
 

Destaque

Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatoriosCuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Eduardo Bernardino
 
Instrumental cirurgico
Instrumental cirurgicoInstrumental cirurgico
Instrumental cirurgico
UPA Fortaleza
 
Slidesclinicacirurgica2
Slidesclinicacirurgica2Slidesclinicacirurgica2
Slidesclinicacirurgica2
Leidiãne Rocha
 
Terminologias cirurgicas
Terminologias cirurgicasTerminologias cirurgicas
Terminologias cirurgicas
enfermagemnaveia
 
Aula 7 posições cirúrgicas
Aula 7 posições cirúrgicasAula 7 posições cirúrgicas
Aula 7 posições cirúrgicas
Marci Oliveira
 
Clínica cirúrgica
Clínica cirúrgicaClínica cirúrgica
Clínica cirúrgica
Raniery Penha
 
Diérese, hemostasia e síntese
Diérese, hemostasia e sínteseDiérese, hemostasia e síntese
Diérese, hemostasia e síntese
Danilo Modesto
 
instrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgicainstrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgica
Guilherme Sicuto
 
Atividades no pré e trans operatório
Atividades no pré e trans operatórioAtividades no pré e trans operatório
Atividades no pré e trans operatório
Silvânia Galdino
 
Aula centro-cirurgico
Aula centro-cirurgicoAula centro-cirurgico
Aula centro-cirurgico
4523ppp
 
Cuidados de Enfermagem em Cirurgia Ortopédica no Pré, Trans e pós Operatório
Cuidados de Enfermagem em Cirurgia Ortopédica no Pré, Trans e pós OperatórioCuidados de Enfermagem em Cirurgia Ortopédica no Pré, Trans e pós Operatório
Cuidados de Enfermagem em Cirurgia Ortopédica no Pré, Trans e pós Operatório
Karolina Azevedo
 
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticosAula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
SMS - Petrópolis
 
Estratificação de Risco Cirúrgico e Anestésico - Dra. Cláudia Marquez Simões
Estratificação de Risco Cirúrgico e Anestésico - Dra. Cláudia Marquez SimõesEstratificação de Risco Cirúrgico e Anestésico - Dra. Cláudia Marquez Simões
Estratificação de Risco Cirúrgico e Anestésico - Dra. Cláudia Marquez Simões
SMA - Serviços Médicos de Anestesia
 
Nefrectomia
Nefrectomia Nefrectomia
Nefrectomia
Sonara Pereira
 
Mesa e Material Cirurgico
Mesa e Material CirurgicoMesa e Material Cirurgico
Mesa e Material Cirurgico
Fernando de Oliveira Dutra
 
Terminologia cirurgica
Terminologia cirurgicaTerminologia cirurgica
Terminologia cirurgica
Rutheford
 
Exercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgicaExercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgica
joselene beatriz
 
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e EquipeAula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
Débora Ramos Marcinichen
 
Aula cirurgia cardiaca 2013
Aula cirurgia cardiaca 2013Aula cirurgia cardiaca 2013
Aula cirurgia cardiaca 2013
91271579
 

Destaque (19)

Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatoriosCuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
 
Instrumental cirurgico
Instrumental cirurgicoInstrumental cirurgico
Instrumental cirurgico
 
Slidesclinicacirurgica2
Slidesclinicacirurgica2Slidesclinicacirurgica2
Slidesclinicacirurgica2
 
Terminologias cirurgicas
Terminologias cirurgicasTerminologias cirurgicas
Terminologias cirurgicas
 
Aula 7 posições cirúrgicas
Aula 7 posições cirúrgicasAula 7 posições cirúrgicas
Aula 7 posições cirúrgicas
 
Clínica cirúrgica
Clínica cirúrgicaClínica cirúrgica
Clínica cirúrgica
 
Diérese, hemostasia e síntese
Diérese, hemostasia e sínteseDiérese, hemostasia e síntese
Diérese, hemostasia e síntese
 
instrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgicainstrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgica
 
Atividades no pré e trans operatório
Atividades no pré e trans operatórioAtividades no pré e trans operatório
Atividades no pré e trans operatório
 
Aula centro-cirurgico
Aula centro-cirurgicoAula centro-cirurgico
Aula centro-cirurgico
 
Cuidados de Enfermagem em Cirurgia Ortopédica no Pré, Trans e pós Operatório
Cuidados de Enfermagem em Cirurgia Ortopédica no Pré, Trans e pós OperatórioCuidados de Enfermagem em Cirurgia Ortopédica no Pré, Trans e pós Operatório
Cuidados de Enfermagem em Cirurgia Ortopédica no Pré, Trans e pós Operatório
 
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticosAula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
 
Estratificação de Risco Cirúrgico e Anestésico - Dra. Cláudia Marquez Simões
Estratificação de Risco Cirúrgico e Anestésico - Dra. Cláudia Marquez SimõesEstratificação de Risco Cirúrgico e Anestésico - Dra. Cláudia Marquez Simões
Estratificação de Risco Cirúrgico e Anestésico - Dra. Cláudia Marquez Simões
 
Nefrectomia
Nefrectomia Nefrectomia
Nefrectomia
 
Mesa e Material Cirurgico
Mesa e Material CirurgicoMesa e Material Cirurgico
Mesa e Material Cirurgico
 
Terminologia cirurgica
Terminologia cirurgicaTerminologia cirurgica
Terminologia cirurgica
 
Exercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgicaExercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgica
 
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e EquipeAula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
 
Aula cirurgia cardiaca 2013
Aula cirurgia cardiaca 2013Aula cirurgia cardiaca 2013
Aula cirurgia cardiaca 2013
 

Semelhante a Classificação das cirurgias

aula 01 - assistencia cirúrgica vmv.pptx
aula 01 - assistencia cirúrgica vmv.pptxaula 01 - assistencia cirúrgica vmv.pptx
aula 01 - assistencia cirúrgica vmv.pptx
vanessa270433
 
aula 01 - assistencia cirúrgica vv (1).pdf
aula 01 - assistencia cirúrgica vv (1).pdfaula 01 - assistencia cirúrgica vv (1).pdf
aula 01 - assistencia cirúrgica vv (1).pdf
vanessa270433
 
Classificação da cirurgia por potencial de contaminação.pptx
Classificação da cirurgia por potencial de contaminação.pptxClassificação da cirurgia por potencial de contaminação.pptx
Classificação da cirurgia por potencial de contaminação.pptx
BrunaRamos397436
 
Centro Cirúrgico
Centro CirúrgicoCentro Cirúrgico
Centro Cirúrgico
Suéllen Emidio
 
Ciclo iii 02
Ciclo iii 02Ciclo iii 02
Ciclo iii 02
Rodrigo Abreu
 
Aula cc turma 4
Aula cc turma 4Aula cc turma 4
Aula cc turma 4
Rosalya Kelly
 
Cirurgia abdominal completa (2012)
Cirurgia abdominal   completa (2012)Cirurgia abdominal   completa (2012)
Cirurgia abdominal completa (2012)
Jucie Vasconcelos
 
Complicações cirurgicass.pptx
Complicações cirurgicass.pptxComplicações cirurgicass.pptx
Complicações cirurgicass.pptx
MeysonSantosSilva
 
Slad de colicitisti vesicula
Slad de colicitisti vesiculaSlad de colicitisti vesicula
Slad de colicitisti vesicula
Edinelza Rodrigues
 
Embolização/Quimioembolização
Embolização/Quimioembolização Embolização/Quimioembolização
Embolização/Quimioembolização
Uiliam Santos
 
Histerectomia
HisterectomiaHisterectomia
Histerectomia
Silvia Ferreira
 
assistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
assistencia-enfermagem-cirurgica.pptassistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
assistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
bianca375788
 
assistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
assistencia-enfermagem-cirurgica.pptassistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
assistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
gizaraposo
 
Aula 1.ppt
Aula 1.pptAula 1.ppt
Aula 1.ppt
Josele Matos
 
Aula 1 - CC.pdf
Aula 1 - CC.pdfAula 1 - CC.pdf
Aula 1 - CC.pdf
VitalyCursos
 
Cirurgica romulo passos
Cirurgica romulo passosCirurgica romulo passos
Cirurgica romulo passos
Eliane Pereira
 
Trabalho Colecistectomia; (1).pptx
Trabalho Colecistectomia; (1).pptxTrabalho Colecistectomia; (1).pptx
Trabalho Colecistectomia; (1).pptx
RayllaRodrigues2
 
Introdução a cirurgia.pptx
Introdução a cirurgia.pptxIntrodução a cirurgia.pptx
Introdução a cirurgia.pptx
gilmaramartins10
 
Assistência Gastrointestinal e Endócrina em Terapia Intensiva
Assistência Gastrointestinal e Endócrina em Terapia IntensivaAssistência Gastrointestinal e Endócrina em Terapia Intensiva
Assistência Gastrointestinal e Endócrina em Terapia Intensiva
Wellington Moreira Ribeiro
 
Assistencia pre e pos operatoria sistema urinario e sistema reprodutor masculino
Assistencia pre e pos operatoria sistema urinario e sistema reprodutor masculinoAssistencia pre e pos operatoria sistema urinario e sistema reprodutor masculino
Assistencia pre e pos operatoria sistema urinario e sistema reprodutor masculino
Zilda Romualdo
 

Semelhante a Classificação das cirurgias (20)

aula 01 - assistencia cirúrgica vmv.pptx
aula 01 - assistencia cirúrgica vmv.pptxaula 01 - assistencia cirúrgica vmv.pptx
aula 01 - assistencia cirúrgica vmv.pptx
 
aula 01 - assistencia cirúrgica vv (1).pdf
aula 01 - assistencia cirúrgica vv (1).pdfaula 01 - assistencia cirúrgica vv (1).pdf
aula 01 - assistencia cirúrgica vv (1).pdf
 
Classificação da cirurgia por potencial de contaminação.pptx
Classificação da cirurgia por potencial de contaminação.pptxClassificação da cirurgia por potencial de contaminação.pptx
Classificação da cirurgia por potencial de contaminação.pptx
 
Centro Cirúrgico
Centro CirúrgicoCentro Cirúrgico
Centro Cirúrgico
 
Ciclo iii 02
Ciclo iii 02Ciclo iii 02
Ciclo iii 02
 
Aula cc turma 4
Aula cc turma 4Aula cc turma 4
Aula cc turma 4
 
Cirurgia abdominal completa (2012)
Cirurgia abdominal   completa (2012)Cirurgia abdominal   completa (2012)
Cirurgia abdominal completa (2012)
 
Complicações cirurgicass.pptx
Complicações cirurgicass.pptxComplicações cirurgicass.pptx
Complicações cirurgicass.pptx
 
Slad de colicitisti vesicula
Slad de colicitisti vesiculaSlad de colicitisti vesicula
Slad de colicitisti vesicula
 
Embolização/Quimioembolização
Embolização/Quimioembolização Embolização/Quimioembolização
Embolização/Quimioembolização
 
Histerectomia
HisterectomiaHisterectomia
Histerectomia
 
assistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
assistencia-enfermagem-cirurgica.pptassistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
assistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
 
assistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
assistencia-enfermagem-cirurgica.pptassistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
assistencia-enfermagem-cirurgica.ppt
 
Aula 1.ppt
Aula 1.pptAula 1.ppt
Aula 1.ppt
 
Aula 1 - CC.pdf
Aula 1 - CC.pdfAula 1 - CC.pdf
Aula 1 - CC.pdf
 
Cirurgica romulo passos
Cirurgica romulo passosCirurgica romulo passos
Cirurgica romulo passos
 
Trabalho Colecistectomia; (1).pptx
Trabalho Colecistectomia; (1).pptxTrabalho Colecistectomia; (1).pptx
Trabalho Colecistectomia; (1).pptx
 
Introdução a cirurgia.pptx
Introdução a cirurgia.pptxIntrodução a cirurgia.pptx
Introdução a cirurgia.pptx
 
Assistência Gastrointestinal e Endócrina em Terapia Intensiva
Assistência Gastrointestinal e Endócrina em Terapia IntensivaAssistência Gastrointestinal e Endócrina em Terapia Intensiva
Assistência Gastrointestinal e Endócrina em Terapia Intensiva
 
Assistencia pre e pos operatoria sistema urinario e sistema reprodutor masculino
Assistencia pre e pos operatoria sistema urinario e sistema reprodutor masculinoAssistencia pre e pos operatoria sistema urinario e sistema reprodutor masculino
Assistencia pre e pos operatoria sistema urinario e sistema reprodutor masculino
 

Classificação das cirurgias

  • 1. CLASSIFICAÇÃO DAS CIRURGIAS *De acordo com o atendimento 1.CIRURGIA DE EMERGÊNCIA: O paciente necessita de atenção imediata; o distúrbio pode ser ameaçador à vida. Indicação para a cirurgia: Sem demora. Exemplos: Sangramento grave, obstrução vesical ou intestinal, fratura de crânio, feridas por armas de fogo ou branca, queimaduras extensas. 2.CIRURGIA DE URGÊNCIA: O paciente precisa de atenção rápida. Indicação para a cirurgia: Dentro de 24 a 30h. Exemplos: Infecção aguda da vesícula, cálculos renais ou uretrais. 3.CIRURGIA ELETIVA: O paciente pode ser operado. Indicação para a cirurgia: A não realização da cirurgia não é catastrófica. Exemplos: Reparação de cicatrizes, hérnia simples, reparação vaginal, mamoplastia, gastrectomia. *De acordo com o objetivo ou por afinidade do tratamento - Cirurgias paleativas: Tem a finalidade de atenuar ou buscar uma alternativa para aliviar o mal, mas não cura a doença. Ex. Gastrostomia, paracentese, colostomia. - Cirurgias radicais/Cirurgia Curativa: Tem por objetivo extirpar ou corrigir a causa da doença, devolvendo a saúde ao paciente. Para essa finalidade é necessário às vezes a retirada parcial ou total de um órgão. Este tipo de cirurgia tem uma significação menos otimista quando se trata de câncer, neste caso, a operação curativa é aquela que permite uma sobrevida de alguns anos. Ex. Apendicectomia, mastectomia total.
  • 2. -Cirurgias reparadoras: Reconstitui artificialmente uma parte do corpo lesada por enfermidade ou traumatismo. Ex. enxerto de pele em queimados. - Cirurgias reconstrutoras (plásticas): Realizada com objetivos estéticos ou reparadores, para fins de embelezamento. Ex. Rinoplastia, mamoplastia, etc. -Cirurgias para diagnóstico: Realizada com o objetivo de ajudar no esclarecimento da doença. Ex. laparotomia exploradora, cateterismo cardíaco; biópsias *Risco Cardiológico As cirurgias podem ainda ser classificadas quanto ao porte cirúrgico ou risco cardiológico (pequeno, médio ou grande porte), ou seja, a probabilidade de perda de fluidos e sangue durante sua realização. -Cirurgias de Porte I (Com pequena probabilidade de perda de fluido e sangue): Cirurgias oftálmicas e otorrinolaringológicas -Cirurgias de Porte II (Média perda de líquidos, eletrólitos e sangue): Histerectomia, Prostatectomia. -Cirurgias de Porte III (Grande perda de líquidos, eletrólitos e sangue): Transplantes, cirurgias cardíacas, cirurgias neurológicas. *Duração do procedimento -Cirurgias de Porte I (Até 2h): Cesariana, curetagem uterine, amigdalectomia -Cirurgias de Porte II (De 2 a 4h):Histerectomia, colecistectomia -Cirurgias de Porte III (De 4 a 6h):Revascularização cardíaca -Cirurgias de Porte IV (+ de 6h): Transplantes, gastroduodenopancreatectomia *Potencial de contaminação 1.CIRURGIA LIMPA: São aquelas realizadas em tecidos estéreis ou passíveis de descontaminação, na ausência do processo infeccioso e inflamatório local ou falhas técnicas grosseiras; cirurgias eletivas atraumáticas com cicatrização
  • 3. de 1ª intenção e sem drenagem. Cirurgias em que não ocorre penetração nos tratos digestivo, respiratório e urinário. Ex: Artroplastia do quadril, C.Cardíaca, Herniorrafia, Neurocirurgias, Procedimento cirúrgico ortopédico, Anastomose portocava e esplenorrenal, Ortoplastia, Mastectomia, Enxertos cutâneos, Ooforectomia. 2.CIRURGIA POTENCIALMENTE CONTAMINADA: São aquelas realizadas em tecidos colonizados por flora microbiana pouco numerosa ou em tecido de difícil descontaminação, na ausência de processo infeccioso e inflamatório e com falhas técnicas discretas no transoperatórios. Cirurgias limpas com drenagem. Quando ocorre penetração nos tratos digestivos, respiratórios ou urinário sem contaminação significativa. Ex: Histerectomia abdominal, C. Intestino delgado (eletiva), C. das vias biliares sem estase ou obstrução biliar, C. gástrica ou duodenal, Feridas traumáticas limpas (até 10h após o trauma), Colecistectomia, C. Cardíacas prolongadas com circulação extracorpórea. 3.CIRURGIA CONTAMINADA: São aquelas realizadas em tecidos traumatizados recentemente e abertos, colonizados por flora bacteriana abundante, cuja descontaminação é difícil ou impossível, bem como todas aquelas em que tenham ocorrido falhas técnicas grosseiras, na ausência de supuração local. Presença de inflamação aguda na incisão e cicatrização de 2ª intenção, grande contaminação a partir do trato digestivo. Obstrução biliar ou urinária. Ex: Cirurgia do cólon, Debridamento de queimados, C. bucal e dentária, Fraturas expostas (10h após o ocorrido), C. da orofaringe, C. gástrica, Câncer, Úlcera gástrica e C. por obstrução duodenal. 4.CIRURGIA INFECTADA: São intervenções cirúrgicas realizadas em qualquer tecido ou órgão, em presença do processo infeccioso(supuração local),Tecido necrótico, Corpos estranhos e Feridas de origem suja. Ex: C. do reto e ânus
  • 4. com exsudato, C. abdominal com presença de exsudato e conteúdo de cólon, Nefrectomia com presença de infecção, Presença de vísceras perfuradas, Colecistectomia por colecistite aguda com empiema.